Sei sulla pagina 1di 10

Microbiologia, Parasitologia,

Virologia e Micologia Clínica 14


Alex Fabian Melo Simões

MICROBIOLOGIA GERAL E BACTERIOLOGIA em amostras polimicrobianas, por possuírem


em sua composição ingredientes inibidores que

01 (FARMACÊUTICO - GOVERNO DO ESTADO/MG - IPSEMG


- 2014) A microbiologia teve início em 1676
quando Anton van Leeuwenhoek, utilizando um de
inibem o crescimento de microrganismos inde-
sejáveis
• Meios Diferenciais: são aqueles que possuem
seus primeiros microscópios, observou a presença ingredientes que serão consumidos ou meta-
de bactérias na água. Quase 200 anos mais tarde, bolizados pelos microrganismos isolados, que
Pasteur conseguiu cultivar bactérias em um meio a depender das suas diferenças bioquímicas e
de cultura contendo extrato de levedura, açúcar e metabólicas podem expressar características fe-
sais de amônio. Ao longo dos anos, microbiologis- notípicas que diferenciam grupos de bactérias;
tas têm criado centenas de meios de cultura que • Meios Especializados: permitem a detecção de
são utilizados rotineiramente em laboratórios de microorganismos geralmente mais exigentes,
microbiologia clínica. Para muitas doenças, o cres- de crescimento lento, ou misturados em amos-
cimento in vitro de um microrganismo específico tras polimicrobianas.22
do sítio de infecção é o método definitivo para a Alternativa A: INCORRETA. O Agar sangue é um meio
identificação da causa dessa infecção. Sobre os não seletivo de enriquecimento, que permite o iso-
meios de cultura, assinale a alternativa correta: lamento de grande diversidade de bactérias Gram
positivas, Gram negativas e fungos. 14,20,22
Ⓐ Agar sangue é um meio seletivo que contém Alternativa B: INCORRETA. O agar Sabouraud dextrose
como componentes principais um meio base e é um meio seletivo para fungos patogênicos e não
sangue. patogênicos, composto basicamente por caseína,
Ⓑ O Agar dextrose Sabouraud tem uma composi- peptona, 4% de D(+)glicose e agar-agar. Pode es-
ção bem definida de extratos de carne e caseína, tar adicionado de antibióticos que o tornam mais
sais, cátions divalentes e amido solúvel. seletivo por inibir o crescimento de bactérias. A
Ⓒ Agar MacConkey é um meio seletivo para bac- concentração de dextrose pode variar para 2%, in-
térias Gram negativas e diferencial para bactérias dicada para cultivo de fungos dermatófitos. 14,20,22
fermentadoras e não fermentadoras de lactose. Alternativa C: CORETA. O Agar MacConkey é um meio
ⒹAgar manitol hipertônico é utilizado para o isola- seletivo e diferencial. Seletivo por ser suplemen-
mento de micobactérias. tado com sais biliares e cristal violeta, que inibem
de forma seletiva o crescimento de bactérias Gram
GRAU DE DIFICULDADE positivas, e diferencial por possuir em sua composi-
ção lactose e um indicador de pH vermelho neutro.
▶ DICA DO AUTOR: De uma maneira geral os meios de As bactérias que fermentam a lactose, acidificam
cultura são classificados em quatro grandes grupos: o meio e precipitam os sais biliares, resultando na
• Meios Não Seletivos de Enriquecimento: permi- coloração vermelha-rosada do indicador vermelho
tem o crescimento da maioria dos microrganis- neutro. 14,20,22
mos pouco exigentes nutricionalmente; Alternativa D: INCORRETA. Conhecido também como
• Meios Seletivos: como o próprio nome já sugere, Agar manitol salgado, ou Agar MSA, é um meio
possibilita o isolamento seletivo de determina- seletivo e indicador, utilizado para isolamento de
dos microrganismos que podem estar presentes estafilococos. Seletivo por permitir o isolamento de
448 ▕ Microbiologia, Parasitologia, Virologia e Micologia Clínica

espécies de estafilococos que conseguem crescer Alternativa E: INCORRETA. Apesar de ser um meio rico,
em altas concentrações de sais, e indicador porque algumas cepas de Neisseria não crescem no Agar
além da caseína e do extrato de carne, possui em Sangue sem estar achocolatado e sem estar suple-
sua composição manitol e vermelho de fenol. O mentado com os fatores de crescimento X e V, po-
Staphylococcus aureus é diferenciado por fermentar dendo gerar culturas falso-negativas. 14,17,20,22,26
o manitol acidificando o meio, produzindo colônias
amarelas pela presença do indicador de pH verme-
lho de fenol. 14,20,22
03 (FARMACÊUTICO - MAPA - CONSULPLAN - 2014) Du-
rante a análise de qualidade microbiana de
produtos não estéreis, é comum pesquisar alguns

02 (FARMACÊUTICO - EBSERH/UFGD/MS - AOCP - 2013)


Um homem de 23 anos foi levado ao pronto
atendimento com fortes dores de cabeça, rigidez
microrganismos indesejáveis, como a Candida albi-
cans, que precisa de um meio seletivo para a sua
execução, que pode ser ágar
de nuca, vômitos frequentes e confusão mental.
Foram solicitados vários exames, entre eles, cultura Ⓐ MacConkey.
de líquor, que apresentou crescimento de colônias Ⓑ Verde brilhante.
de Neisseria meningitidis. Qual dos meios de cultura Ⓒ Sabouraud dextrose.
a seguir propicia especificamente o crescimento de Ⓓ Eosina azul de metileno.
Neisseria gonorroeae e Neisseria meningitidis?
GRAU DE DIFICULDADE
Ⓐ Stuart.
Ⓑ Ágar nutriente. Alternativas A, B e D: INCORRETAS. Ágar Mac Conkey, Ver-
Ⓒ Ágar Thayer-Martin chocolate. de Brilhante e Eosina azul de metileno são meios
Ⓓ Caldo selenito. seletivos e indicadores, que inibem o crescimento
Ⓔ Ágar sangue. de bactérias gram-positivas e favorecem o isola-
mento de bastonetes gram-negativos.14,20,28
GRAU DE DIFICULDADE Alternativa C: CORRETA. O ágar Sabouraud dextrose é
um meio seletivo para fungos patogênicos e não
Alternativa A: INCORRETA. O meio de Stuart é um meio patogênicos, composto basicamente por caseína,
semissólido, não nutricional, específico para trans- peptona, 4% de D(+)glicose e agar-agar. Pode es-
porte e conservação de microrganismos fastidiosos, tar adicionado de antibióticos que o tornam mais
p.ex. Neisseria spp. Não é um meio indicado para cul- seletivo por inibir o crescimento de bactérias. A
tivo e isolamento de microrganismos. 14,17,20,22,26 concentração de dextrose pode variar para 2%, in-
Alternativa B: INCORRETA. Embora o Agar Nutriente seja dicada para cultivo de fungos dermatófitos. 14,20,28
um meio de uso geral, muito utilizado para manu-
tenção e verificação da pureza de culturas obtidas
das placas de isolamento primário, é um meio
pobre, sem adição de sangue e outros nutrientes
exigidos por bactérias fastidiosas como as Neisseria
04 (FARMACÊUTICO - IPSEMG - IBFC - 2014) Definimos
fatores de virulência como estruturas, produ-
tos ou estratégias que contribuem para a bactéria
spp. 14,17,20,22,26 aumentar sua capacidade em causar uma infecção.
Alternativa C: CORRETA. O Agar Thayer Martin é o meio Sobre os fatores de virulência bacteriana, assinale a
recomendado para isolamento de Neisseria gonor- alternativa correta:
rhoeae e Neisseria meningitidis. Em sua composição,
além do Agar base GC, é enriquecido com sangue Ⓐ Adesão é a estratégia que as bactérias usam
de carneiro achocolatado, suplementado com os para se fixar umas nas outras.
fatores V e X, além de antibióticos VCNT (vancomi- Ⓑ As bactérias penetram nas células do organismo
cina, colistina, nistatina e trimetoprima) que inibem por fagocitose, processo este conhecido por invasão.
o crescimento de grande parte da microbiota pre- Ⓒ Sideróforos são substâncias produzidas pelas
sente em amostras contaminadas, como as secre- células eucarióticas que apresentam alta afinida-
ções genitais por exemplo. 14,17,20,22,26 de para o ferro e assim são capazes de retirá-lo das
Alternativa D: INCORRETA. Dentre os meios de enriqueci- proteínas carreadoras.
mento, o caldo selenito é um dos mais utilizados na ro- Ⓓ Endotoxinas e exotoxinas são substâncias de ori-
tina do laboratório de microbiologia para isolamento gem animal capazes de causar danos às bactérias.
de Salmonella e Shigella de fezes e alimentos. 14,17,20,22,26
Alex Fabian Melo Simões ▏ 449

GRAU DE DIFICULDADE de ácido teicoico, as bactérias Gram positivas retêm


o corante cristal violeta adquirindo a cor púrpura-
Alternativa A: INCORRETA. Adesão é a estratégia que -azulada, e não se descoram ao serem expostas ao
as bactérias usam para se fixarem às células dos agente descorante álcool-acetona. 17,22,26,31
hospedeiros. Este processo ocorre por meio de Assertiva II: INCORRETA. O cristal violeta é o corante.
adesinas que se ligam a receptores específicos na O agente diferenciador ou contracorante indicado
superfície do tecido e impedem que estas bactérias pela maioria dos autores atualmente é a safranina,
sejam eliminadas.18,22 mas também pode-se utilizar a fucsina conforme
Alternativa B: CORRETA. A fagocitose é um processo de técnica padrão. Como as bactérias Gram negativas
ingestão de material particulado, como bactérias, possuem a camada externa de peptideoglicano
por protozoários e células fagocíticas de organis- muito fina, elas se descoram do cristal violeta com
mos superiores.18,22 o agente descorante álcool-acetona, que funciona
AlternativaC: INCORRETA. Os sideróforos são compostos como agente orgânico que rompe a membrana
com capacidade de quelar ferro presente em bai- externa rica em lipídio. As bactérias ficam transpa-
xas concentrações, e são produzidos por bactérias rentes e depois se coram com os contracorantes sa-
(portanto células procariotas).18,22 franina ou fucsina, adquirindo cor vermelha. 17,22,26,31
Alternativa D: INCORRETA. As endotoxinas são fatores Assertiva III: INCORRETA. As bactérias Gram positivas,
de virulência produzidos por bactérias Gram ne- conforme já foi explicado no comentário da Alter-
gativas aeróbicas e algumas anaeróbicas. Estas nativa I, coram-se com o cristal violeta, adquirindo
endotoxinas ativam o complemento do sistema a cor púrpura. 17,22,26,31
imunológico do hospedeiro, causando liberação Assertiva IV: CORRETA. Devido à camada externa lipídi-
de citocinas, leucocitose, trombocitopenia, febre, ca, as micobactérias NÃO podem ser classificadas
choque, podendo levar o hospedeiro à morte.18,22 pela coloração de Gram.17,22,26,31
▍Resposta: Ⓒ

05 (FARMACÊUTICO - ANVISA - CETRO - 2013) A forma


mais comum de classificação de bactérias
é através do método de Gram, podendo ser co- 06 (FARMACÊUTICO - AERONAUTICA - 2014) Quais as ca-
racterísticas fenotípicas que podem ser atribuí-
loração gram-positiva (gram+) ou gram-negati- das à maioria das bactérias do gênero Enterococcus?
va (gram-). Em relação à técnica da coloração de
Gram, analise as assertivas abaixo. Ⓐ Gram-positivo e catalase positivo.
Ⓑ Gram-positivo e catalase negativo.
I. Nas bactérias gram+, a camada de peptideo- Ⓒ Gram-negativo e catalase positivo.
glicana é mais espessa, não permitindo a en- Ⓓ Gram-negativo e catalase negativo.
trada do agente diferenciador.
II. Na coloração de Gram, a violeta de genciana é GRAU DE DIFICULDADE
utilizada como agente diferenciador.
III. Bactérias gram+ apresentam coloração verme- ▶ DICA DO AUTOR: Os cocos gram-positivos são mi-
lha, pois não permitem a entrada do agente di- crorganismos frequentemente isolados em infec-
ferenciador. ções humanas, dos quais destacam-se três prin-
IV. As Mycobacterium não se coram com Gram. cipais gêneros: Staphylococcus, Streptococcus e
Enterococcus. Para diferenciá-los existe um teste
É correto o que se afirma em: básico que é a Prova da Catalase, sendo os Staphy-
lococcus catalase-positiva e os Streptococcus e Ente-
Ⓐ I e II, apenas. rococcus catalase-negativa.
Ⓑ I e III, apenas. Exemplos de Cocos Gram Positivos, Catalase-Ne-
Ⓒ I e IV, apenas. gativos: Abiotrophia, Aerococcus, Enterococcus, Gra-
Ⓓ II e III, apenas. nulicatella, Lactococcus, Leuconostoc, Pediococcus,
Ⓔ III e IV, apenas. Streptococcus – sendo este último o gênero mais
conhecido.
GRAU DE DIFICULDADE Alternativas A, C e D: INCORRETAS. Dentre os cocos gram-
-positivos, catalase negativo mais frequentemen-
Assertiva I: CORRETA. Devido à sua camada de pepti- te isolados em infecções humanas, o Enterococcus
deoglicano ser mais espessa e a grande quantidade está entre os principais gêneros, sendo as espécies
450 ▕ Microbiologia, Parasitologia, Virologia e Micologia Clínica

E. faecalis e E. faecium, as que apresentam maior im- investigado também a Yersinia spp e o Vibrio spp,
portância clínica. 17,22,26 para os quais o médico deve especificar na requi-
Alternativa B: CORRETA. Conforme comentado acima, sição médica, para que a pesquisa destes dois últi-
dentre as características fenotípicas do gênero mos gêneros seja realizada.
Enterococcus, uma delas é ser um coco gram-po- Alternativa A: INCORRETA. O gênero Acinetobacter faz
sitivo por possuir ácido teicoico associado à sua parte da família Moraxellaceae e morfologicamen-
membrana citoplasmática rica em peptídeogli- te é visualizado ao microscópio como coco-bacilos
cano e geralmente apresentam-se dispostos aos ou diplococos gram-negativos e não produzem en-
pares e em cadeias curtas. Outra característica é zima oxidase. 17,22,26
não produzir a enzima catalase. Além destas, eles Alternativa B: CORRETA. Na microscopia, corados pelo
possuem como características básicas que os dife- Gram, o Campylobacter jejuni apresenta-se como
renciam de outros cocos gram-positivos, catalase- bacilos gram-negativos pequenos, em forma de
-negativa, a capacidade de crescerem em elevadas vírgula, S ou asa de gaivota, crescem bem em am-
concentrações de NaCl (meio hipertônico conheci- biente de microaerofilia, à temperatura de 42oC e
do como caldo BHI hipercloretado) e em altas con- são oxidase positiva.17,22,26
centrações de sais biliares (conhecida como prova Alternativa C: INCORRETA. Embora se pareça com o
da bile-esculina).17,22,26 Campylobacter em alguns aspectos, como por
exemplo a morfologia espiralada, a prova da oxi-
dase positiva e o crescimento em microaerofilia, o

07 (FARMACÊUTICO - VASSOURAS/RJ - FUNCAB - 2014) A


cultura em meio seletivo a 42oC de material
diarreico apresentou crescimento de microrganis-
Helicobacter não é isolado em amostras de fezes
ou sangue, por manter-se aderido à mucosa gás-
trica.17,22,26
mos com colônias de cor cinza, oxidase positiva. A Alternativa D: INCORRETA. Embora a P. aeruginosa tenha
análise morfológica pelo método de Gram demons- como características a capacidade de crescer a 42o
trou bacilos Gram-negativos formadores de espo- C e produzir a enzima oxidase, elas não produzem
ros, curvos ou forma em S. Qual é esta bactéria? esporos e são bacilos retos. Embora às vezes apre-
sentem-se ligeiramente curvos, elas não chegam a
Ⓐ Acinetobacter haemolyticus. um formato de S ou espiral. Além disso, ela pode
Ⓑ Campylobacter jejuni. estar presente na microbiota intestinal normal e
Ⓒ Helicobacter pylori. não causa diarreia.17,22,26
Ⓓ Pseudomonas aeruginosa. Alternativa E: INCORRETA. A Shigella spp é um dos prin-
Ⓔ Shigella flexneri. cipais agentes causadores de diarreias infecciosas,
mas também é muito sensível e não cresceria em
GRAU DE DIFICULDADE condições desfavoráveis como à temperatura de
42o C descrita na questão. Além disso, ela é oxidase
▶ DICA DO AUTOR: Apesar das melhorias das con- negativa.17,22,26
dições sanitárias e das melhorias no diagnóstico
e tratamento, as diarreias infecciosas continuam
sendo uma das principais causas de mortes, prin-
cipalmente de crianças, em países pobres ou em
desenvolvimento. Por isto, a cultura de fezes ou co-
08 (FARMACÊUTICO - ANVISA - CETRO - 2013) Diversas
são as espécies bacterianas envolvidas em
infecções nosocomiais. Na clínica médica é comum
procultura é um dos principais e mais frequentes a utilização da sigla MRSA, derivada da expressão
exames em laboratórios de microbiologia clínica. em inglês, como referência à bactéria Staphylococ-
Para este exame deve-se utilizar meios de cultu- cus aureus resistente à meticilina – e que tem sido
ra de enriquecimento, seletivos e diferenciais, de frequentemente envolvida em casos de infecções
modo a favorecer o isolamento dos principais agen- em ambiente hospitalar.
tes infecciosos: Salmonella spp, Shigella spp, E. coli Assinale a alternativa que apresenta as característi-
sorotipos específicos e Campylobacter spp. Embora cas morfológica e tintorial (pelo método de Gram)
seja pouco investigado na maioria dos laboratórios do microrganismo:
brasileiros, nos Estados Unidos o Campylobacter
spp é considerado como um dos principais agentes Ⓐ bastonetes gram-positivos.
causadores de gastroenterites, sendo responsável Ⓑ cocos gram-positivos.
por 2% a 5% dos casos de diarreia naquele país. Ⓒ bastonetes gram-negativos.
Além destes quatro gêneros principais, pode ser
Alex Fabian Melo Simões ▏ 451

Ⓓ cocos gram-negativos.
Ⓔ espirilos gram-positivos. 10 (FARMACÊUTICO - ANVISA - CETRO - 2013) A resis-
tência bacteriana aos mais variados antimi-
crobianos pode ser classificada, simplificadamente,
GRAU DE DIFICULDADE em resistência intrínseca e resistência adquirida.
A resistência intrínseca é resultado, naturalmente,
▶ DICA DO AUTOR: O gênero Staphylococcus é carac- do estado fisiológico bacteriano, bem como de sua
terizado por células bacterianas com morfologia estrutura celular. Assinale a alternativa que exem-
de cocos, com reação positiva frente a coloração plifica um caso de resistência intrínseca bacteriana.
de Gram e que crescem de forma característica,
agrupados em cachos, sugerindo cachos de uvas. Ⓐ Resistência ao aztreonam entre cocos gram-po-
Em esfregaços preparados de amostras clínicas, po- sitivos.
dem ser observados também como cocos isolados, Ⓑ Resistência à vancomicina entre cocos gram-po-
e arrumados aos pares ou cadeias curtas. sitivos.
Derivação histórica da palavra Staphylococcus: “sta- Ⓒ Resistência à vancomicina entre bastonetes
phylé” = cachos de uvas; “coccus” = grão ou semen- gram-positivos.
te (cocos semelhantes a uvas) Ⓓ Resistência ao aztreonam em bastonetes gram-
Alternativa A: INCORRETA. Exemplos de gêneros com -negativos.
morfologia de bastonetes gram-positivos: Coryne- Ⓔ Resistência ao aztreonam em cocos gram-nega-
bacterium, Lysteria.17,18,22 tivos.
Alternativa B: CORRETA. Exemplos de gêneros com
morfologia de cocos gram-positivos: Staphylococ- GRAU DE DIFICULDADE
cus, Micrococcus, Streptococcus, Kocuria. 17,18,22
Alternativa C: INCORRETA. Exemplos de gêneros com Alternativa A: CORRETA. Os cocos gram-positivos têm re-
morfologia de bastonetes gram-negativos: Esche- sistência intrínseca ao aztreonam, que é um mono-
richia, Klebsiella, Pseudomonas, Salmonella. 17,18,22 bactam ativo contra bastonetes gram-negativos.30
Alternativa D: INCORRETA. Exemplos de gêneros com Alternativa B: INCORRETA. A resistência da maioria dos
morfologia de cocos gram-negativos: Neisseria, cocos gram-positivos à vancomicina é adquirida e
Moraxella, Veilonella 17,18,22 transferida por diferentes complexos de genes.17,26
Alternativa E: INCORRETA. Os espirilos ou espiroquetas Alternativa C: INCORRETA. A vancomicina é ativa con-
são bactérias espiraladas gram-negativas. Os gê- tra vários gêneros de bastonetes gram-positivos,
neros de importância para a microbiologia médica como por exemplo: Corynebacterium, Bacillus, Lis-
são: Treponema, Borrelia e Leptospira. 17,18,22 teria e Lactobacillus.17
Alternativas D e E: INCORRETA. O aztreonam é ativo con-
tra diversos gêneros de bastonetes gram-negativos

09 (FARMACÊUTICO - AERONÁUTICA - CAFAR - 2013)


Qual das enterobactérias citadas normal-
mente possui o teste de motilidade negativo para
e cocos gram-negativos. A resistência por estes mi-
crorganismos geralmente é adquirida e ocorre pela
produção de betalactamases.13,17
os sorotipos mais comuns?

Ⓐ Hafnia.
Ⓑ Proteus.
Ⓒ Klebsiella.
11 (FARMACÊUTICO - PREFEITURA DE FORTALEZA - IM-
PARH – 2014) A utilização de antimicrobianos
requer uma série de cuidados, dentre eles, o mais
Ⓓ Salmonella. importante, sob o ponto de vista de uso racional e
sucesso terapêutico em termos de resistência, se
GRAU DE DIFICULDADE relaciona a:
Ⓐ Investigação da função renal do paciente, para
Alternativas A, B e D: CORRETAS. O teste de motilidade é garantir a eliminação correta do fármaco aplicado,
positivo para maioria das espécies e sorotipos de propiciando a manutenção da dose adequada e o
Hafnia, Proteus e Salmonella.17 sucesso do tratamento.
Alternativa C: CORRETA.Todas as espécies do gênero Ⓑ Avaliação da função hepática, garantindo a me-
Klebsiella apresentam teste de motilidade nega- tabolização adequada em que o fármaco alcançará
tivo. 17 concentrações efetivas para debelar a infecção.
Ⓒ Dosagem da carga de microrganismos para
Alex Fabian Melo Simões ▏ 465

RESUMO PRÁTICO

1 - MICROBIOLOGIA GERAL E BACTERIOLOGIA rem outras organelas como: mitocôndrias, comple-


xo de Golgi, retículo endoplasmático e cloroplastos.
1.1 - MICROBIOLOGIA Microscopicamente as bactérias podem ser di-
ferenciadas pelo seu tamanho, forma, disposição
É a ciência que estuda os organismos microscó- e afinidade pelos corantes de Gram. Parte destas
picos, unicelulares ou acelulares, sua diversidade, características deve-se à estrutura e composição
evolução e interação com o meio ambiente e com da parede celular, que permite a diferenciação em
os organismos multicelulares. Os microrganismos dois grandes grupos de bactérias: Gram Positivas e
geralmente são capazes de realizar, de forma au- Gram Negativas.
tônoma, processos vitais para seu crescimento, As Gram positivas apresentam membrana exter-
geração de energia e reprodução. E, embora re- na, parede celular mais espessa rica em peptídeo-
presentem formas de vida muito simples quando glicano, ácidos teicoico e lipoteicoicos. Esta espes-
comparados a organismos multicelulares mais sa camada de peptídeoglicano é a responsável por
evoluídos, como os mamíferos, pode-se afirmar reter o cristal violeta que é precipitado pelo lugol
que: “sem os microrganismos a vida na Terra não na coloração de Gram, corando as células bacteria-
seria possível”, a começar pela produção da maior nas de púrpura-roxa.
parte do oxigênio que consumimos. Outro exem- Ao contrário das Gram positivas, as bactérias
plo prático da importância dos microrganismos é Gram negativas não retêm o cristal violeta durante
a abrangência de atuação da microbiologia nos di- a coloração de Gram, devido a sua camada de pep-
versos setores da vida humana, dos quais podemos tídeoglicanos ser muito fina, a qual é dispersada por
citar: produção de alimentos, medicamentos e até ação da solução de álcool-acetona, permitindo ser
mesmo de combustíveis. descorada do cristal violeta, sendo posteriormente
contracorada pela fucsina ou safranina, adquirindo
1.2 - CLASSIFICAÇÃO DOS MICRORGANISMOS, ESTRUTURA por fim uma coloração avermelhada ou rosada.
BACTERIANA E COLORAÇÃO DE GRAM
Classificação Morfológica das Bactérias
Resumidamente, os organismos celulares são Forma Classificação Morfológica
classificados em dois tipos estruturais: os proca-
Circular ou cocóide Cocos
riontes e os eucariontes. As células procariontes
são estruturas muito simples, não possuem or- Bacilos ou
Alongada ou bastão
ganelas no seu citoplasma, que é envolto apenas Bastonetes
por uma parede celular que protege a membrana Bastão curto Cocobacilos
citoplasmática. Não possuem núcleo típico e o
cromossoma é uma única molécula de dupla fita
Classificação Morfológica das Bactérias
circular de DNA. Além do DNA cromossomal, seu
citoplasma também contém mRNA, ribossomos, Forma Classificação Morfológica
proteínas e metabólitos. Dentre os procariontes, as Bacilos
Bastão com pontas afiladas
bactérias são as menores células, tendo a maioria Fusiformes
delas dimensões em torno de 1µm de diâmetro, Espirilos e
Alongada e espiralada
visíveis somente com o auxílio de um microscópio. Espiroquetas
As menores bactérias são dos gêneros Chlamydia e
Rickettsia e medem aproximadamente 0,1 a 0,2µm Classificação quanto a afinidade pelos corantes de Gram
de diâmetro. Afinidade pelo Gram Coloração adquirida
Os fungos, algas e protozoários são organismos
Gram positiva Púrpura-roxa
mais complexos, classificados como eucariontes e
possuem estrutura nuclear dita verdadeira. Além do Gram negativa Vermelha-rosada
núcleo, diferenciam-se dos procariontes por possuí-
466 ▕ Microbiologia, Parasitologia, Virologia e Micologia Clínica

Disposição bacteriana e coloração de Gram


Forma Afinidade pelo Gram Disposição Exemplos
Staphylococcus spp
Cocos Gram Positivos Agrupados em pares, tétrades e cachos
Micrococcus spp
Streptococcus spp
Cocos Gram Positivos Dispostos em pares e cadeias
Enterococcus spp
Bacilos Gram Positivos Dispostos em paliçada ou letras chinesas Corynebacterium spp
Bacilos Gram Positivos Ramificados Nocardia spp
Escherichia coli
Bacilos Gram Negativos Isolados
Pseudomonas aeruginosa

Algumas bactérias não podem ser classificadas Agar). Como já foi dito no início deste capítulo (dica
pela coloração de Gram por não possuírem parede do autor – questão 1), os meios de cultura podem
celular, portanto são impossíveis de serem coradas ser classificados baseando-se nas características
por este método (Micoplasmas e Clamidias, por dos seus constituintes e da sua capacidade de pro-
exemplo), ou por possuírem parede celular dife- mover ou inibir o crescimento dos diversos tipos de
renciada, com uma rica camada lipídica, como as microrganismos, dependendo das suas caracterís-
Micobactérias. Estas últimas são classificadas como ticas metabólicas.
bacilos álcool-ácido resistentes (BAAR) e são cora-
das pela coloração de Ziehl-Nielsen. Exemplos de alguns meios de cultura comu-
mente usados nos laboratórios de microbiolo-
1.3 - MEIOS DE CULTURA gia clínica:
• Agar Sangue Columbia: meio de uso geral, indi-
Além das características microscópicas, as bac- cado para cultivo de microrganismos fastidiosos
térias podem ser diferenciadas pelas características e permite a observação da hemólise provocada
macroscópicas de suas colônias em meios de cul- por algumas bactérias.
tura sólido. É possível observar colônias de dife- • Agar Thayer-Martin VCAT: meio base com san-
rentes tamanhos, morfologia (convexa ou plana), gue achocolatado, suplementado com antibió-
superfície (lisa ou rugosa), aspecto (brilhante ou ticos (vancomicina, colistina, anfotericina b e
fosca, transparente ou opaca), borda (regular ou trimetoprima) indicado para o isolamento de
irregular). A depender dos constituintes e suple- Neisseria gonorrhoeae e Neisseria meningitidis.
mentos adicionados aos meios de cultura, pode-se • Agar Sangue Azida: meio seletivo para isola-
observar se a colônia é hemolítica ou não hemolíti- mento de estreptococos e estafilococos de
ca, pigmentada ou não pigmentada. amostras polimicrobianas especialmente com
A produção de meios de cultivo para microrga- presença de bactérias gram-negativas devido
nismos iniciou-se em 1860 com Pasteur, e em 1876 ao efeito bacteriostático da azida sobre este
Koch propagou pela primeira vez o cultivo de um grupo de bactérias.
microrganismo patogênico fora do organismo hos- • Agar EMB: meio seletivo, indicado principal-
pedeiro. Desde então, a variedade e a qualidade mente para o isolamento de Enterobacteriaceae.
destes produtos têm aumentado, acompanhando Auxilia na identificação presuntiva de Escheri-
o desenvolvimento da ciência Microbiologia. Para chia coli, que geralmente apresenta colônias
atender às necessidades dos diversos microrganis- com brilho metálico esverdeado.
mos, os meios de cultura apresentam uma grande • Agar Mac Conkey: é um meio seletivo devido
diversidade de compostos, incluindo: nutrientes à adição de sais biliares e cristal violeta. Inibe
(peptona, proteínas hidrolisadas, infusões e extra- o crescimento de cocos gram-positivos e é in-
tos); energéticos (açúcares, alcoóis, carbohidratos); dicado para o isolamento de bastonetes gram-
metais e minerais essenciais (fósforo, magnésio, cál- -negativos, permitindo a diferenciação entre
cio, ferro); agentes tamponantes (fosfatos, acetatos fermentadores e não-fermentadores de lactose
e citratos); indicadores de pH (vermelho de fenol, pela presença do neutral red.
vermelho neutro e púrpura de bromocresol); agen- • Agar CLED: meio não seletivo, utilizado espe-
tes seletivos (químicos e antibióticos); indicadores cialmente para cultura de urina. A sigla CLED
cromogênicos e agente gelificante (geralmente o
Alex Fabian Melo Simões ▏ 467

significa Cistina-Lactose-Deficiente em Eletróli- renciação de Enterococcus sp vancomicina re-


tos e devido a esta deficiência de eletrólitos, o sistentes ou com sensibilidade reduzida (VRE).
espalhamento do véu de algumas espécies de • Agar Cromogênico para ESBL: meio seletivo e
Proteus é inibido, que pode atrapalhar em casos cromogênico que permite o isolamento e dife-
de cultivos polimicrobianos. renciação de Enterobactérias produtoras de be-
• Agar Sabouraud Dextrose: meio seletivo para talactamase de espectro estendido (ESBL).
fungos dermatófitos e leveduriformes. Pode es- • Agar Cromogênico para ERC: meio seletivo e
tar adicionado de antibióticos para inibir o cres- cromogênico que permite o isolamento e dife-
cimento de bactérias. renciação de Enterobactérias resistentes a car-
• Agar SS: Agar Salmonella-Shigella. Como o pró- bapenêmicos.
prio nome sugere, é um meio seletivo e diferen- • Agar Cromogênico para EGB: meio cromogêni-
cial para isolamento de Salmonella e Shigella de co que permite o isolamento e identificação pre-
amostras clínicas e de alimentos. suntiva de Estreptococos do Grupo B.
• Agar Entérico Hektoen: meio seletivo e diferen- • Meio de Transporte Stuart: meio semi-sólido,
cial, indicado para isolamento de Salmonella e indicado para transporte de microrganismos
Shigella em amostras clínicas. fastidiosos.
• Caldo BHI: Caldo Infusão de Cérebro e Coração • Meio de Transporte Cary-Blair: meio indicado
é altamente nutritivo e indicado para cultura de para manutenção e transporte de material clí-
estreptococcus, meningococos e outros micror- nico, pois sua composição inibe o crescimento
ganismos exigentes e fastidiosos. excessivo de algumas bactérias.
• Caldo TSB: O caldo triptona soja é de uso geral e • Meio de Transporte Amies: meio de transporte
indicado para crescimento da maioria das bac- adicionado de carvão que aumenta a viabilida-
térias e fungos. de da maioria dos microrganismos.
• Caldo Selenito: caldo de enriquecimento, indi-
cado para isolamento de Salmonella de amos- 1.4 - IDENTIFICAÇÃO BACTERIANA
tras clínicas e alimentos.
• Agar Anaeróbio: possui baixo potencial hidro- O processo para identificação bacteriana pode
geniônico e é indicado para isolamento de mi- começar a partir da coloração do material no qual
crorganismos anaeróbios. se pretende investigar a presença de microrganis-
• Agar Mueller-Hinton: utilizado para teste de mos, pelo método de Gram, e do isolamento do
sensibilidade a antimicrobianos (antibiograma). agente em meios de cultura apropriados. Confor-
• Agar Mueller-Hinto Sangue: indicado para teste me descrito acima, a partir do crescimento de co-
de sensibilidade a antimicrobiano (antibiogra- lônias nos meios de cultura, é possível observar-se
ma) de microrganismos fastidiosos, a exemplo algumas características morfológicas macroscópi-
dos streptococcus. cas e metabólicas que podem sugerir a qual grupo
• Agar Karmaly: meio seletivo, adicionado de car- de bactérias aquele isolado pertence. Por exemplo,
vão ativado e suplementado com antibióticos, se uma amostra de urina é corada pelo método de
indicado para isolamento de Campylobacter sp. Gram, e nela observa-se a presença de mais de um
• Agar Campylobacter: meio adicionado de san- Bacilo Gram Negativo por campo em objetiva de
gue lisado de cavalo, indicado para isolamento grande aumento (x100), isto indica uma bacteriú-
de Campylobacter sp. ria por Bacilos Gram Negativos. Semeando-se esta
• Agar Cromogênico ITU: meio cromogênico para amostra por método adequado em meios indica-
diferenciação e identificação presuntiva dos dos para cultivo de urina (por exemplo: Agar CLED
principais patógenos urinários. e Agar Mac Conkey), havendo crescimento em Agar
• Agar Cromogênico para Candidas: meio cro- Mac Conkey de colônias em número ≥100.000UFC/
mogênico para diferenciação e identificação mL, com opaco e de cor vermelha/rosada, estas
presuntiva das espécies de Candida mais comu- características indicam que a bactéria fermentou
mente isoladas em amostras clínicas. a lactose presente no meio, promovendo sua aci-
• Agar Cromogênico para MRSA: meio seletivo e dificação, e como consequência a precipitação do
cromogênico que permite o isolamento e dife- corante indicador neutral red. Unindo-se todas
renciação de Staphylococcus aureus metilicina estas características, presume-se que o microrga-
resistentes ou oxacilina resistentes (MRSA). nismo isolado é uma provável Enterobactéria. A
• Agar Cromogênico para VRE: meio seletivo e partir daí o analista pode dar seguimento ao pro-
cromogênico que permite o isolamento e dife- cesso de identificação bacteriana através de provas
468 ▕ Microbiologia, Parasitologia, Virologia e Micologia Clínica

bioquímicas complementares e provas sorológicas Sensível, Intermediário ou Resistente.


(quando necessário), chegando à identificação do A determinação da Concentração Inibitória Mí-
gênero e espécie. Com o microrganismo isolado e nima (CIM) é um método quantitativo no qual é
identificado, também é possível se realizar o teste possível determinar a menor concentração do anti-
de sensibilidade aos antimicrobianos (TSA), comu- microbiano capaz de inibir o crescimento bacteria-
mente chamado de antibiograma. no expressa em mg/L ou µg/mL. Pode ser realizada
por macrodiluição (em tubos de ensaio), microdi-
1.5 - TESTE DE SENSIBILIDADE A ANTIMICROBIANOS E luição (em microplacas para leitura visual ou auto-
RESISTÊNCIA BACTERIANA matizada, ou ainda poços em cartões de sistemas
automatizados), e o gradiente de concetração em
Quando em 1929 Alexander Fleming descobriu agar (com fitas E-TEST® ou M.I.C.E.®).
acidentalmente que as colônias do fungo Penicil- A despeito do grande número de antimicro-
lium que haviam crescido como contaminantes nas bianos disponíveis no mercado e dos recentes es-
placas de cultura de Staphylococcus, produziam al- forços da indústria de farmacêutica para produzir
gum metabólito capaz de inibir o crescimento das novas drogas para o tratamento das infecções, os
colônias de Staphylococcus próximas, foi dado um microrganismos vêm demonstrando sucesso com
dos maiores saltos da ciência médica: a descoberta os diversos mecanismos de resistência, que podem
do primeiro antibiótico, denominado Penicilina. ser intrínsecos ou adquiridos.
Esta foi seguida por outra descoberta em 1932 por A resistência intrínseca, como o nome já su-
Gerhardt Domagk, que descobriu as sulfonamidas. gere, é natural e próprio de determinados grupos
Porém, somente em 1940 é que Howard Florey e
Ernest Chain produziram um extrato de penicilina 1. Sensível (S): A categoria “sensível” significa que
a partir do fungo Penicillium. Com este potente an- uma infecção por uma determinada cepa pode
tibiótico disponível e produzido em larga escala, a ser tratada adequadamente com a dose de agen-
prática da medicina mudou drasticamente e milha- te antimicrobiano recomendada para esse tipo
res de vidas foram salvas desde então. Infelizmente, de infecção e espécie infectante, exceto quando
no mesmo ano de 1940, foi também descoberta contraindicado.
2. Intermediária (I): A categoria “intermediária” in-
uma substância produzida pela Escherichia coli
clui isolados com CIMs do agente antimicrobiano
que era capaz de inativar a ação antimicrobiana que se aproximam de níveis sanguíneos e tissula-
da penicilina. Esta substância foi descoberta por res atingíveis e para os quais as taxas de resposta
Ernest Chain e E.P. Abraham que reconheceram podem ser inferiores àquelas para isolados sen-
este produto bacteriano com capaz de promover síveis. A categoria “intermediária” implica eficá-
resistência a um agente antibacteriano. cia clínica nos sítios corpóreos de concentração
Alguns anos se passaram e outras classes de fisiológica das drogas (por exemplo, quinolonas
e ß-lactâmicos na urina) ou quando é possível
antibióticos foram sendo descobertas, até que em
usar uma dose da droga maior que a normal (por
1966 a dupla de cientistas Kirby e Bauer padroniza- exemplo, ß-lactâmicos). Essa categoria também
ram o método de disco difusão em agar para testar inclui uma zona-tampão, o que deverá impedir
a sensibilidade das bactérias aos antimicrobianos. que pequenos fatores técnicos não sujeitos a
Este método relativamente simples é utilizado até controle causem discrepâncias importantes na
hoje, com poucas adaptações, permitindo que os interpretação, especialmente no caso de drogas
microbiologistas clínicos realizem o teste de sensi- com margens estreitas de farmacotoxicidade.
3. Resistente (R): As cepas “resistentes” não são ini-
bilidade a antimicrobianos padronizados por insti-
bidas pelas concentrações sistêmicas dos agentes
tuições internacionalmente reconhecidas como o antimicrobianos geralmente atingíveis nos regi-
CLSI (Clinical and Laboratory Standarts Institute) mes terapêuticos normais e/ou se inserem na fai-
e o EUCAST (European Committee on Antimicro- xa de maior probabilidade de ocorrência de meca-
bial Susceptibility Testing), fornecendo resultados nismos específicos de resistência microbiana (por
com acurácia, reprodutibilidade em confiabilidade, exemplo, ß-lactamases), além da eficácia clínica
assegurando aos médicos a escolha dos antimi- não ter sido confiável nos estudos terapêuticos.
crobianos mais adequados para o tratamento dos
pacientes com infecção. Extraído do Clinical and Laboratory Standarts Institute, M100-S25 Performance Standarts
O método de disco difusão em Agar é um méto- for Antimicrobial Susceptibility Testing; Twenty-fourth Informational Supplement. Way-
ne, USA: CLSI, 2015
do qualitativo, e a depender do diâmetro do halo
de inibição, é definida a categoria de susceptibili- de bactérias, que são naturalmente resistentes a
dade do microrganismo àquela droga como sendo determinados antimicrobianos. Por exemplo: Ser-
Alex Fabian Melo Simões ▏ 469

ratia e Proteus são naturalmente resistentes a Po- um gen de resistência que estava latente e a partir
limixina; Pseudomonas aeruginosa e Acinetobacter daí a bactéria passa a produzir a enzima inativadora
baumannii são naturalmente resistentes a ampici- do antibiótico, sendo neste caso considerada uma
lina; os Enterococcus são naturalmente resistentes enzima induzível.
às cefalosporinas. • Exemplos de enzimas constitutivas: beta-lacta-
mase de espectro estendido ESBLCTX-M, car-
Principais Classes de Antimicrobianos x Mecanismos de bapenemase blaKPC;
Ação • Exemplo de enzima induzível: beta-lactamase
Antimicrobianos Ação AMPc;
Beta-lactâmicos, Carbape- Efeito sobre a síntese • Exemplo de alteração da permeabilidade de mem-
nêmicos e Glicopeptídeos. da parede celular brana: Alteração dos canais de porina da Pseudo-
Macrolídeos, Aminogli- monas ocasionando resistência ao imipenem;
cosídeos, Lincosamidas, • Exemplo de efluxo ativo de antibióticos: bomba
Tetraciclinas, Oxazolidinona, Inibição da Síntese de de efluxo que expulsa as tetraciclinas para fora
Estreptogramina, Cloranfe- Proteica da célula bacteriana;
nicol, Ketolídeos, Glicici- • Exemplo de alteração do sítio de ligação do an-
clinas tibiótico: alteração das proteínas ligadoras de
Efeitos sobre a membrana (PBPs) impedindo a ligação da dro-
Polimixinas estrutura e função da ga à parede celular bacteriana, como ocorre no
membrana celular MRSA – Staphylococcus aureus resistente a Meti-
Quinolonas e Fluoroquino- Interferência na síntese cilina ou Oxacilina.
lonas do ácido nucléico
Sulfonamidas Inibidor do ácido fólico Atualmente, dentre os diversos microrganismos
multi-drogarresistentes, as Enterobacteriaceae
Já na resistência adquirida, os microrganismos produtoras de carbapenemases são as que têm
originalmente não são resistentes a determinados causado mais mortes nas instituições de saúde no
grupos de antimicrobianos, mas por diversos me- Brasil e em outras partes do mundo, com taxas de
canismos genéticos, podem adquirir estas caracte- mortalidade de 40 a 50%. Dentre as carpenemases,
rísticas. Estes mecanismos podem ser por mutação a blaKPC e a blaNDM são as que têm maior impacto
cromossômica (menos comuns) ou por transfe- epidemiológico devido a sua rápida disseminação.
rência de DNA de um microrganismo para outro
(mais comuns). A transferência de material gené- 1.6 - ESTERILIZAÇÃO (ADAPTADO DE ANVISA/2010)
tico pode ser através de plasmídios (“conjugação”);
através da transferência de genes por intermédio Endende-se por esterilização, processos físicos
de vírus/bacteriófagos (“transdução”); através da ou químicos adequadamente validados que ga-
transferência entre células bacterianas sem haver rantem a ausência de microrganismos viáveis nos
contato entre elas (“transformação”); e finalmente materiais tratados por estes processos. O nível de
a transferência do gen de resistência através de um garantia de esterilidade de um processo de este-
transposon, que pode transferir de um plasmídio rilização é o grau de garantia que o processo em
para outro, ou para o cromossomo ou para o bacte- questão esteriliza uma população de itens, sendo
riófago (“transposição”). expresso como a probabilidade de um item não es-
Principais mecanismos de resistência bacteria- téril naquela população. O procedimento selecio-
na: inativação enzimática, alteração da permeabi- nado para atingir o nível de garantia de esterilidade
lidade da membrana, efluxo ativo de antibióticos e depende do conhecimento da natureza do material
alteração do sítio de ligação do antibiótico. a ser esterilizado, do processo de esterilização a ser
Na inativação enzimática, as bactérias produ- empregado e das alterações que podem ocorrer no
zem enzimas que inativam a molécula do medica- material, em função da esterilização.
mento, inibindo o seu efeito antimicrobiano. Estas
enzimas podem ser produzidas independente do 1.6.1 - Principais Métodos de Esterilização
microrganismo ter sido exposto ou não ao contato
com o medicamento, e neste caso são consideradas Métodos Físicos:
enzimas constitutivas, ou podem ser enzimas que • Esterilização pelo calor: A eficiência na inati-
são produzidas pelos microrganismos ao entrarem vação dos microrganismos é dependente da
em contato com alguns antimicrobianos, ativando temperatura, tempo de exposição e presença