Sei sulla pagina 1di 12

A época atual é marcada por fenômenos que representam um divisor de

águas com a chamada Pós-Modernidade, pois ela é caracterizada por


mudanças significativas provocadas e vividas pelo homem.

Hoje podemos dizer que vivemos a cibercultura, que rapidamente altera


costumes e estilos de vida do mundo contemporâneo, especialmente no
que diz respeito à educação dos adolescentes e jovens conhecidos como
infomaníacos que passam horas conversando virtualmente “On-line” com
estranhos anônimos. Consultar alguns livros na biblioteca pública é uma
atividade praticamente pré-histórica, pois a informação nunca foi tão
facilmente encontrada como ocorre através dos “Sites”. A época atual é
marcada por fenômenos que representam um divisor de águas com a
chamada Pós-Modernidade, pois ela é caracterizada por mudanças
significativas provocadas e vividas pelo homem como a globalização e um
novo modo de cultura. Por conta disso, a Pós-Modernidade é traçada como
a época das incertezas, das fragmentações, da troca de valores, do vazio,
do imediatismo, da efemeridade, do hedonismo, da substituição da ética
pela estética, do narcisismo, do consumo de sensações e do fim dos
grandes discursos éticos.

I – DEFINIÇÃO DE PÓS-MODERNIDADE

Pós-Modernidade (grego “pós” = que vem depois) é o estado ou condição


de estar “após ou depois” da conhecida Era Moderna. É o que vem depois
ou em reação ao que é moderno. Modernidade é definida como um
período ou condição identificado com a Era Progressiva, a Revolução
Industrial, ou o Iluminismo.

II – PERIGOS DA PÓS-MODERNIDADE NA VIDA DOS ADOLESCENTES

Hoje devido à velocidade de informação sem fronteiras, através da Internet


no uso de meios como: WhatsApp, Instagram, Sexting, Facebook, Twitter,
MSN, Blogs, TV, como também cinema, revistas, jornais, celular, MP3,
Smartphones, Táblets, etc. Uma enorme gama de informações (na maioria
das vezes nocivas), são despejadas sobre os adolescentes. A maioria deles
cresce com um mouse em uma mão, um controle remoto na outra e um
monitor à sua frente. Eles estão sempre conectados e ativos no mundo
cibernético “On-line”. Para eles a Web (internet) é uma fonte primária e
imprescindível de informações. A mídia tem o poder de persuasão, e
muitos adolescentes são enredados em costumes e atos aparentemente
“inocentes”, sem se aperceber do perigo que isso representa à vida
espiritual. Vejamos alguns perigos da chamada Pós-Modernidade face a
internet:

Qualquer pessoa pode colocar suas idéias na Internet (Is 5.20; 1Co 15.33;
Mt 5.13-16; At 17.11; Rm 12.2);

A censura da Internet é praticamente impossível (Pv 4.20-27; 23.5; Fl 4.8;


Ef 5.11-14; Hb 4.13);

A disponibilidade de muitas informações convida o adolescente a ficar


viciado na rede (Ef 5:15-17);

A prática da prostituição virtual é real (Pv 21.2; Sl 7.9; 17.3; 119.37; 139.1;
1Ts 4.7 ; Cl 4.6; Ap 2.23).

III – COMO O INIMIGO ATACA OS ADOLESCENTES NA ERA PÓS-MODERNA

Desde a sua origem que a família tem sido alvo de constantes ataques do
reino das trevas. Quer seja através da inversão dos valores (Is 5.20), da
música ou dos meios de comunicação (2Co 4.4), o diabo tem investido
fortemente contra a célula mãe da sociedade. Vejamos, então, alguns
desses ataques na vida dos adolescentes:

3.1 Através da inversão dos valores. Nesta sociedade corrompida e


perversa (Fp 2.15) em que o “mundo jaz no maligno” (I Jo 5.19), não é de
se estranhar que a humanidade viva no seu dia-a-dia, “uma inversão dos
valores e dos padrões morais” (Is 5.20).
3.3 Através da mídia e dos meios de comunicação. Nenhum de nós pode
negar a importância dos meios de comunicação para a sociedade moderna.
No entanto, é notório que estes estão sendo utilizados a serviço do mal do
que do bem. Através dos meios de comunicação a família tem sido
bombardeada por uma verdadeira onda de pornografia através de
estímulos às práticas pecaminosas e diabólicas.

3.4 Através da internet. Quase tudo hoje é possível fazer através da


internet: ler, vender, comprar, pesquisar etc. Quando bem utilizada, ela
pode até servir para o crescimento e edificação espiritual. No entanto, a
grande maioria dos internautas vêem na internet a oportunidade de
praticarem atos imorais, tais como: pedofilia, sexo virtual, acessar sites
pornográficos etc.

3.5 Através da Televisão. Ninguém pode negar a eficiência da televisão


como meio de comunicação. Se usada de maneira adequada, ela é de
grande utilidade. No entanto, a programação televisiva, em boa parte, está
comprometida com o reino das trevas. A TV modifica a visão das coisas.
Sua programação estimula a infidelidade, o homossexualismo, o divórcio, a
violência etc. Suas programações estão trazendo prejuízos irreparáveis
para a família quando não é usada adequadamente.

IV - COMO OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO PREJUDICAM A VIDA DOS


ADOLESCENTES?

Hoje em dia a grande moda é a Pós-modernidade, ela está atingindo a


cultura, a arte, a sociedade, e tem chegado infelizmente à algumas igrejas.
O grande problema é que uma das questões que a Pós-modernidade
discorda é exatamente sobre a “verdade absoluta” e esse é para nós, um
ponto que não deve ter discussão. Vejamos como isto tem acontecido:

4.1 Roubando o tempo à devoção familiar. Quantos cristãos que “por falta
de tempo” não oram, não lêem a Bíblia, não participam do culto
doméstico, mas, gastam horas a fio nos programas e entretenimento dos
meios de comunicação.

4.2 Levando o “lixo” do mundo para dentro do lar. A maioria dos


programas incentiva a prática do adultério, da prostituição, do
homossexualismo, do uso de drogas etc, destruindo os valores morais e
espirituais da família.

4.3 Impedindo a família de ir à Casa de Deus. Quantas famílias que deixam


de frequentar a igreja, por causa dos meios de comunicação. Ir à igreja,
para muitos cristãos, tornou-se um fardo pesado, pois preferem estar
diante de um vídeo que estar na presença de Deus.

V – PERIGOS TRAZIDOS PELA PÓS-MODERNIDADE NA VIDA DOS


ADOLESCENTES

Um teclado, um monitor e o mundo, literalmente um mundo pela frente.


Assim é a Web; incontestavelmente um veículo altamente influenciado
pelo maligno, e sabiamente usado por ele; que no anonimato da
virtualidade oferece aos adolescentes despercebidos um campo minado e
perigoso. Vejamos alguns destes perigos:

5.1 A perda do princípio da lealdade incondicional à Cristo. Não se pode


obedecer a Cristo e ao mesmo tempo agradar ao mundo (1 Jo 2:15-17),
pois, quem ama a Jesus obedece os seus mandamentos (Jo 14:21; 15:14;
Mc 8:34; Lc 9:23).

5.2 A perda do princípio da fé. O crente que tem sua fé firme em Cristo,
não precisa recorrer a modelos humanos ou lógicos para posicionar-se
quanto ao seu comportamento ético diante das situações (Rm 14:22,23),
pois a Bíblia é nossa regra de fé e prática (2 Tm 3:14-17).

5.3 A perda do princípio da licitude e da conveniência. “Todas as coisas me


são lícitas, mas nem todas me convêm;” todas as coisas me são lícitas, mas
eu não me deixarei dominar por nenhuma (...)”(1 Co 10:12,23). Esse
critério orienta o adolescente a que não faça as coisas porque são lícitas,
mas porque são lícitas e convêm, à luz do referencial ético da Palavra de
Deus (Sl 119.105).

5.4 A perda do princípio da licitude e da edificação. “todas as coisas me são


lícitas, mas nem todas edificam (1 Co 10:23b).” Tudo o que o adolescente
fizer, deve ter como objetivo a edificação (Sl 103:1).

5.5 A perda do princípio da glorificação a Deus. “Portanto, quer comais,


quer bebais ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de
Deus” ( 1 Co 10:31). Tudo o que o adolescente fizer deve objetivar a glória
de Deus, pois para isto é que fomos criados (Ef 1:12).

5.6 A perda do princípio de fazer para o Senhor. “E, tudo quanto fizerdes,
fazei-o de todo o coração, como ao Senhor e não aos homens” (Cl 3:23). O
nosso amor e gratidão a Deus devem ser os princípios norteadores de
nosso serviço ao Senhor.

IV - FERRAMENTAS PARA VENCERMOS OS EFEITOS DA PÓS-MODERNIDADE

Satanás lança mão de todos os meios possíveis para induzir ao erro o povo
de Deus. Como igreja do Senhor, estejamos devidamente preparados,
alicerçados na Palavra de Deus, para detectar e combater suas muitas
sutilezas. A Bíblia adverte-nos: “Tende cuidado para que ninguém vos faça
presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas [...]” (Cl 2.8). Um dos
maiores desafios da igreja nestes últimos dias é lutar contra os enganos e
os ardis do Inimigo. Mas, como podemos vencer as influências da Pós-
Modernidade?

Através da Palavra de Deus (Ef 6.17; Hb 4.12);

Através da Oração a Deus (1Ts 5.17; Is 65.24);

Ser fortes na Comunhão com Cristo (1 Co 1.9; At 2.42);


Ser fortes na participação (Mc 16.15; At 5.32);

Ser fortes na identidade cristã (At 5.28,29);

Fugir do pecado, como José (Gn 39.12; Is 59.2);

Guardar - nos da contaminação, como Daniel (Dn 1.8);

Ouvir a voz de Deus, como Samuel (1Sm 3.1-10);

Pelo poder do Espírito de Deus (1Tm 1.7; Lc 24.49).

Neste mundo dominado pela visão pós-moderna que enfatiza o relativismo


moral, a Igreja de Cristo encontra na sociedade um de seus maiores
desafios que é o de ser “sal da terra e luz do mundo”, pois mesmo sendo a
comunidade dos fiéis, não está imune aos ataques de Satanás, que como
Paulo diz, só serão neutralizados “pelo escudo da fé” (Ef 6:16).

ADOLESCENTE E NAMORO CRISTÃO

Atualmente o namoro parece está sempre ligado ao envolvimento sexual,


alguns chegam a dar certo “prazo de espera”, mas está cada vez mais
comum sexo no namoro. Conversando com alguns adolescentes ouvi as
seguintes declarações:

“ Eu espero até um mês para fazer sexo com minha namorada, mas prefiro
que role logo, de preferência no ficar, assim vejo se quero ou não continuar
com a garota.”

“ Se vamos ter um relacionamento sério não vejo motivo para nos


evitarmos sexualmente, assim é mais fácil permanecer fiel a ela.”

“ Todo mundo faz sexo hoje, se eu não fizer com meu namorado ele pode
procurar outra.”
Além dessas falas acima são muitas outras que enfatizam a “necessidade”
de fazer sexo no namoro, as mídias declaram esse lema todos os dias e há
programas que estimulam a sensualidade e o relacionamento sexual
precoce.

O que estamos tratando aqui diz respeito ao relacionamento entre


adolescentes que são cristãos, que servem a Jesus Cristo como seu único e
suficiente Salvador. Para aqueles que têm a Bíblia Sagrada como sua regra
de fé e prática. Expor o pensamento cristão e o que declara a Bíblia não é
um preconceito nem fundamentalismo religioso, é de extrema ignorância
quem pensa assim. E você adolescente não tem que se envergonhar de
expor sua fé e seu compromisso com Deus!

Adolescentes que desejam comunhão e relacionamento real com Jesus


escolhem a santidade no namoro não por imposição, mas por amar a Deus
e desejarem viver em obediência à sua Palavra.

O Namoro cristão não é aleatório e tem seus princípios que servem para
proteção e preservação do adolescente crente em Jesus. O namoro não é
mero divertimento como pensam alguns, mas um complexo de
envolvimento mental, psíquico, hormonal, emocional, temporal, familiar e
também espiritual.

Por isso é importante entender dois equívocos que cercam o tema namoro:

- Todos os (as) meus(minhas) amigos(as) estão namorando, devo namorar


também – isso é mito, cada pessoa é uma, única, e tem sua particularidade,
seu tempo de amadurecimento e sua maneira de se relacionar com os
outros. Não é só você que está sem namorado (a), existem outros (as)
adolescentes que também não estão namorando e nem por isso se sentem
na obrigação de namorar. Não tome decisões só porque você acha que
todo mundo está fazendo ou agindo de determinada forma. Não seja
“levado(a)” pelo conceito dos outros, mas tome decisões consciente, por si
mesmo (a). Você não precisa provar nada a ninguém!
- Preciso namorar porque me sinto sozinho(a) – outro mito, essa não é a
melhor motivação para se namorar e por pensarem assim é que já ouvi
muitas garotas dizerem que namoraram com pessoas sem gostar e garotos
que namoraram apenas para satisfazer seus desejos. A conotação aqui é de
simples troca, principalmente trocas de ordem física e egoísta, não se
pensa no outro, mas naquilo que podem usufruir dele(a). Lidar com o estar
só também faz parte da vida, mesmo namorando podemos ter momentos
em que nos sentimos sozinhos, muitas garotas que têm carência de afeto
paterno buscam inconscientemente preencher esse vazio em
relacionamentos e isso é um engano causando mais vazio e sofrimento.

Não se preocupem tanto com isso, acredite que chegará seu tempo para
namorar. Então você pergunta: E quando posso namorar? Vamos
responder a essa pergunta com quatro pontos gerais, pois cada situação é
diferente, mas alguns requisitos são essenciais para todos:

- Veja se você já está amadurecido(a) para saber lidar com os sentimentos,


ter discernimento quanto às paixões, e ter equilíbrio não prejudicando
outras áreas de sua vida como os estudos, a vida com Deus, a relação com
os pais, com os amigos etc.

- Outro ponto importante é perguntar-se sobre suas condições para


assumir um compromisso... se você é completamente dependente dos pais
sugiro que primeiro termine seus estudos, entre numa faculdade, tenha
seu trabalho e assim comece a pensar em namoro...Ou você vai ficar
pedindo dinheiro sempre que for sair com a namorada? Quando quiser dar
um presente? Imagina só...

- Você sabe lidar com suas emoções? Tem medo de não ser aceito (a) como
é, seus sentimentos são imprevisíveis e apaixona-se com facilidade? Você
precisa amadurecer mais, tenha paciência, você não perderá tempo em
esperar, pelo contrário, será bem sucedido (a) no que fizer...
- Quando você pensa em namoro vem logo a idéia de que jamais vai
compartilhar isso com seus pais ou responsáveis? Hum, isso demonstra
que você ainda não está pronto (a) para namorar....

E agora, o que fazer enquanto não namoro? Ah, você tem muito em que se
ocupar, mas em primeiro lugar é não ficar ansioso(a) quanto a isso, ok?
Que tal algumas dicas para sua adolescência?

- Em primeiro lugar, conheça e prossiga cada vez mais em conhecer a Deus,


estude a Bíblia, dedique-se à oração e devoção a Deus. Participe dos
estudos bíblicos e procure perceber sua vocação ministerial, seja disposto
(a) a servir na obra do Senhor, amadureça espiritualmente, obtenha
conhecimento verdadeiro a respeito das doutrinas bíblicas, leia bons livros,
aprenda a discernir as informações que recebe, saiba filtrar o melhor,
procure adquirir na adolescência uma boa base espiritual e um
relacionamento estreito com Jesus, antes de ir para uma universidade.

- Estude bastante! Isso mesmo, invista bem nos estudos, pense numa
faculdade, trace projetos para sua vida...

- Aproveite bem o relacionamento com seus pais, isso mesmo, curta seus
pais, comece a aprender olhar pelo ângulo deles e não apenas pelo seu,
ouça eles, seus conselhos, experiências, dedique tempo com eles, orem e
estudem juntos a Bíblia, debata temas do mundo adolescente com eles,
não fique nessa de que eles não vão entender, ou que seu pai é “assim
mesmo”, não se feche e nem engesse o relacionamento, é uma prova de
seu amadurecimento, romper barreiras e valorizar o relacionamento com
os pais, isso será uma ótima base para um namoro futuro, pode acreditar
nisso...

- Cultive boas amizades, grupos de amigos saudáveis, tenha momentos


com amigos de sua idade e com pessoas cristãs maduras que tenham
diálogos edificantes...cuidado com amizades com pessoas que insistem em
não amadurecer, que persistem em manter-se “brincando de servir a
Deus”...você não é “aborrecente” e nem “adormecente”, a adolescência é
tempo de crescimento, desenvolvimento e isso pode ser abençoado se
você souber viver...

- Aprenda a lidar com o dinheiro, é isso mesmo, se você tem uma mesada,
aplique, poupe, trace metas, veja como você lida com o consumismo, seus
valores, aprenda a ter para os momentos que realmente precisar,
experimente guardar para adquirir algo que almeja...se você não tem
mesada, veja em seu tempo como fazer pequenos trabalhos que não
prejudiquem os estudos, uma dica é dar aula de reforço, você ganha um
dinheiro e ainda aprende, dar aula de outro idioma é ótimo para treinar
outra língua...não pense que isso é bobagem, aprender a lidar com o
dinheiro será muito útil para um relacionamento futuro, acredite, eu já vi
muitos casais se perderem porque não aprenderam essa lição...

- Pratique uma atividade física compatível com seu desenvolvimento, não


se vicie nas redes sociais, tenha vida real e não apenas virtual, seja capaz
de selecionar o melhor para sua vida e não se deixar escravizar por nada,
aprenda a usar seu tempo...

Namorar pode ser muito bom – e o seu tempo para isso chegará. Se a
época é agora ou no futuro, tenho também umas sugestões para você
quando estiver namorando.

- Estabeleça uma boa amizade: o namoro é para conhecimento um do


outro, ver as afinidades, conhecer a personalidade, perceber as
compatibilidades, conversar sobre os mais diversos assuntos, aprendam a
dialogar, dividir as dificuldades, investir no relacionamento com Deus,
amadurecimento e crescimento mútuos.

- Não se isolem: tem adolescentes que quando estão namorando cortam


todos os vínculos de amizade, se mudam para “outro planeta” e somem da
vida social que tinham antes, isso não é bom. É claro que o tempo com os
amigos vai ser menor que antes, mas deve continuar suas amizades de
modo equilibrado, podem sair juntos, retiros, acampamentos, grupos de
estudo, interagir com outros também é importante para conhecermos
melhor a pessoa com quem namoramos. Lembre-se: um relacionamento
positivo não implica em dependência total do outro; mas em mútuo amor
e respeito, as velhas amizades devem ser mantidas e também ter tempo
com outras pessoas e não apenas com o namorado (a). O positivo é: “Eu
gosto tanto de você que desejo também conhecer seus amigos!”, já o
negativo é: “Eu gosto tanto de você, por isso quero você só pra mim e mais
ninguém!”

- Evitem o “super grude” e a “posse”: tem casais adolescentes que não se


desgrudam nem para ir ao banheiro, o outro (a) fica na porta esperando, se
vão participar de um grupo ou dinâmica não podem ficar separados... um
tem que ter a senha dos e-mails e das redes sociais do outro, de 2 em 2
minutos o celular toca monitorando onde o outro está e o que está
fazendo...ah, acabaram de chegar do culto e logo o celular toca, ficam até
horas nas madrugadas conversando...sei que é muito bom estar sempre
junto, pertinho, hum é bom, mas todo excesso que comentei
anteriormente demonstra imaturidade sabia? Eh, isso mesmo, insegurança
total! Ele (a) é apenas seu(sua) namorado(a) e não propriedade sua,
também não é sua "prótese", ter isso em mente pode evitar sérios
problemas futuros....Acredite que manter um relacionamento saudável é
respeitar a individualidade e pessoalidade do outro, nem casados tem
excessos extremos de intimidade, mas intimidade equilibrada, na medida
que não sufoque e anule o outro...Ah, e quando têm namorado(a) que
sente ciúme dos pais da(o) namorada(o)? Nem vale comentar essa...

- Estabeleçam juntos um “plano de pureza”: isso é super importante, são


estratégias para manter o relacionamento puro, sem correr riscos de
defraudarem um ao outro, ofenderem, cederem às tentações e depois
gerar conflitos e culpas. Saibam que tudo traz uma conseqüência. Algumas
coisas que podem fazer parte do “plano de pureza” são: não namorarem
em locais isolados e escuros; não se demorem nos beijos e abraços; não ir
para casa do outro quando ele(a) estiver sozinho(a); manterem a mente sã
evitando programas que estimulem sexualmente e sites impróprios que
levem ao vício da pornografia; lidar com naturalidade, mas com respeito
etc. Veja mais conselhos em "Aprendendo a resistir e a esperar no Senhor"
, “Até onde devo ir?” e " O Ficar".

- Orem juntos pelo namoro: namorem, se conheçam nas devidas limitações


do namoro (sem intimidade física, sexual), caminhem, vivam as suas vidas e
não vivam a vida do outro, e no decorrer do namoro orem para que Deus
vos oriente e confirme a união futura de vocês, pois o namoro cristão é
com compromisso e não passatempo. Uma observação: O namoro cristão
é com compromisso, responsabilidade e fidelidade, mas isso não significa
obrigatoriedade para o casamento, o que isso significa é que o jovem
cristão leva a sério o namoro, tem compromisso e planos concretos, mas
no decorrer do namoro pode acontecer de se constatar que não há
compatibilidade, ambos tem planos diferentes quanto a filhos, ministério,
ou outros fatores que podem levar ao fim de um namoro, entendeu?

Se você mantiver firme o ideal de uma vida pura, guardando a Palavra de


Deus no coração, certamente será bem sucedido (a) naquilo que fizer e
Deus será glorificado em sua vida. Nós cremos que nosso Deus é zeloso e
tem cuidado de nós e em tudo nos ensina, seus conselhos não são para
martirizar seus filhos, mas para preservá-los, não devemos usar da
liberdade que Ele nos deu para dar ocasião a pecados e nem nos
conformarmos ao padrão do mundo.