Sei sulla pagina 1di 2

CURSO DE ENGENHARIA ELÉCTRICA

Data Turma
16.10.2017 EEL8_M1
Matricula Estudantes Assinatura
20142895 Fernando Mpanda
20120553 Benedito Simão
20120716 Haroldo Belisário Tomé

2 3
1 4

Conhece-se a prior, os seguintes resultados:

Grandeza 𝐼𝑅 (𝐴) 𝐼𝐶1 (𝐴) 𝐼𝐿 (𝐴) 𝐼𝐶2 (𝐴) 𝐼𝑆 (𝐴) 𝑈𝑆𝐹 (𝐾𝑉) 𝑈𝑅𝐹 (𝐾𝑉)
Valor polar 262,5/-36,87° 3,7/90° 260,3/-36,2° 3,9/92,1° 257,8/-35,5° 67,1/2,07° 63,5/0°

Tabela 1.1- Resumo das grandezas necessárias para o preenchimento da tabela 1.2.

OBS: Os resultados na tabela foram arredondados à uma cifra depois da vírgula,


porém usou-se duas cifras para preencher a tabela 1.2.

Emissão Recepção Unidade


Pontos de análise 1 2 3 4 -------------
Tensão de linha 116,2 116,2 110 110 KV
Grandezas

Potência activa 41,1 41,1 40,0 40,0 MW


Potência aparente 51,9 52,4 49,6 50,0 MVA
Potência reactiva 31,7 32,5 29,3 30,0 MVAR
Potência da admitância 790,8 --------- 710,6 ----------- KVAR
Perdas na resistência ---------- --------- 1,1 ----------- MW
Perdas na reactância ---------- --------- 3,2 ----------- MVAR
Tabela 1.2- Resumo de todas as grandezas pertinentes ao circuito acima apresentado.

 Para o cálculo da tensão nos pontos requeridos, não foram simples porque
dependiam dos valores das correntes, e estes ainda não haviam sido
calculados.
 Para o cálculo da potência activa levou-se em consideração o factor de
potência relativo ao ponto de análise da tensão e da corrente.
 No caso da potência aparente, o produto da tensão e a corrente, juntamente
com o factor 3, é suficiente.
 A potência reactiva foi extraída do triângulo de potência relativo a cada ponto
de análise.
 A potência na admitância é o produto da corrente, tensão, seno de fi, e factor
3, para cada condensador.
 Corrente de linha ao quadrado, multiplicado com a resistência, resulta em
perdas na resistência da linha, ao passo que se multiplicarmos pela reactância,
resultará em perdas na reactância.

Potência activa = 3 ∙ 𝐼𝐹𝑖 ∙ 𝑈𝐹𝑖 ∙ cos 𝜑 ; 𝑖 = 1, 2, 3 𝑒 4.

Potência aparente = 3 ∙ 𝐼𝐹𝑖 ∙ 𝑈𝐹𝑖 ; 𝑖 = 1, 2, 3 𝑒 4.

Potência reactiva = √𝑆𝑖 2 − 𝑃𝑖 2 ; 𝑖 = 1, 2, 3 𝑒 4.

Potência da admitância = 3 ∙ 𝐼𝐹𝑖 ∙ 𝑈𝐹𝑖 ∙ sin 𝜑 ; 𝑖 = 1, 2, 3 𝑒 4.

Perdas na resistência = 3 ∙ 𝐼𝐿 2 ∙ 𝑅

Perdas na reactância = 3 ∙ 𝐼𝐿 2 ∙ |𝑋|