Sei sulla pagina 1di 37

IA

C
 N A

T
IN
R

U
A
, T

D
A
O C
Ã

IN
Ç TA
A
C N

E
U SA A
D
E E IC

O
E D N
D A Â

Ã
C
L GI E

Ç
A M
R LO
E A

U
D O I
E N R

D
F C A
E H
O T

IN
T E N
U E
S G
IT IA E N
T G E
S NC A
L M
IN IÊ S E
C U O 7
P Ã A 1
M Ç 0
A A IR 2
C U I E E
D V D
A E
R S O
G E R
R B
T M
A E
P V
O
N
Correntes elétricas geram campo magnético.

Campos magnéticos geram correntes elétricas?

SIM!

Campos magnéticos geram campos elétricos (induzidos)


que por sua vez produzem corrente elétrica → Lei da Indução
de Faraday.
● LEI DA INDUÇÃO DE FARADAY

→ Experimento 1:
Um imã é aproximado de uma espira condutora ligada a
um amperímetro. Não há corrente na espira, uma vez que
ela não está ligada a uma fonte de tensão.
Observa-se que:
1. A corrente é observada apenas se existe um movimento
relativo entre a espira e o ímã;

2. Quanto mais rápido o movimento, maior a corrente.

3. Se, quando aproximamos da espira o polo norte do ímã, a


corrente tem sentido horário, quando afastamos o polo norte a
corrente tem sentido anti-horário. Com o polo sul do ímã, o
comportamento seria oposto.
O processo de produção dessa corrente é denominado
indução. Por tal motivo se diz que a corrente que surge na
espira é uma corrente induzida, a qual foi gerada por uma
força eletromotriz induzida.
→ Experimento 2:
Quando a chave S é fechada, circula corrente pela espira da
direita, a qual registra brevemente corrente na espira da
esquerda. O mesmo ocorre quando a chave é desligada, no
entanto, não há corrente na espira da esquerda quando a
chave permanece ligada ou desligada por muito tempo.
Em ambos experimentos, a corrente foi induzida por uma
variação da quantidade de campo magnético que atravessa
a espira, a qual induziu uma força eletromotriz. Essa
quantidade é denominada fluxo magnético, a qual é definida
por:
Φ B =∫ ⃗
B⋅d ⃗
A

Onde dA é o vetor de área da região atravessada por um


campo magnético B.

A unidade de medida para fluxo magnético no SI é oTesla


vezes metro quadrado, denominado Weber [Wb].
Quando um campo magnético uniforme passa
perpendicularmente pelo plano da espira, o fluxo magnético
pode ser reescrito como:

Φ B =∫ ⃗ A=∫ B cosθ dA=B cos 0 ∫ dA


B⋅d ⃗

Φ B =BA
Pode-se, então, enunciar a Lei da Indução de Faraday por:

“O módulo da força eletromotriz Ɛ induzida em uma espira


condutora é igual à taxa de variação temporal do fluxo
magnético ΦB que atravessa a espira”.

A qual é descrita por:


dΦ B
Ɛ=−
dt
O sinal negativo indica que a força eletromotriz se opõe à
variação do fluxo magnético, como será demonstrado
adiante.

Para o caso de uma bobina com N espiras, se tem que:

dΦ B
Ɛ=−N
dt
EXEMPLO 1
Força eletromotriz induzida em uma bobina por um
solenoide

O solenoide longo S representado em corte na figura possui


220 espiras/cm, tem um diâmetro D = 3,2 cm e conduz uma
corrente i = 1,5 A. No centro do solenoide é colocada uma
bobina C, de enrolamento compacto, com 130 espiras e
diâmetro d = 2,1 cm. A corrente no solenoide é reduzida a zero a
uma taxa constante em 25 ms. Qual é o valor absoluto da força
eletromotriz induzida na bobina C enquanto a corrente no
solenoide está variando?
●LEI DE LENZ
Determina o sentido da corrente
induzida em uma espira:

“a corrente induzida em uma espira


tem um sentido tal que o campo
magnético produzido pela corrente se
opõe ao campo magnético que induz
a corrente”.

A força eletromotriz induzida, por


sua vez, tem o mesmo sentido da
corrente induzida.
EXEMPLO 2
Força eletromotriz e corrente induzidas por um campo
magnético uniformemente variável
A figura mostra uma espira condutora formada por uma
semicircunferência de raio r = 0,20 m e três fios retilíneos. A
semicircunferência está em uma região onde existe um campo
magnético uniforme B orientado para fora do papel; o módulo
do campo é dado por B = 4,0t² + 2,0t + 3,0, com B em Teslas e t
em segundos. Uma fonte ideal com uma força eletromotriz Ɛfonte
= 2,0 V é ligada à espira. A resistência da espira é 2,0 Ω.
a) Determine o módulo e o sentido da força eletromotriz Ɛind na
espira pelo campo magnético no instante t = 10 s.
b) Qual é a corrente na espira no instante t = 10 s?
● CAMPOS ELÉTRICOS INDUZIDOS
Na figura, um anel de cobre submetido a um campo
magnético uniforme tem induzido em si uma corrente
quando a intensidade do campo é variada.

Havendo corrente induzida, há também um campo elétrico


induzido, o qual é enunciado em uma forma mais geral da Lei
de Faraday:

“Um campo magnético variável produz um campo elétrico”.


→ Reformulação da Lei de Faraday

Se uma partícula de carga q0 é colocada em uma região


onde há um campo elétrico e realiza uma trajetória circular, o
trabalho necessário para que ela complete uma revolução é
fornecido por:

W =∫ F⋅d
⃗ ⃗s=(q0 E)(2 π r)
Por outro lado, a força eletromotriz é o trabalho feito por
unidade de carga para que a mesma descreva uma trajetória:
W
Ɛ=
q0
W =Ɛ q0
Igualando as expressões:

Ɛ=2 πrE
Considerando novamente a expressão para o trabalho para
uma partícula que se move em uma trajetória fechada
qualquer, é possível generalizar que:

W =∮ F⋅d
⃗ ⃗s=q 0∮ ⃗
E⋅d ⃗s

Como W = Ɛq0:
Ɛ=∮ E⋅d
⃗ ⃗s

Usando que Ɛ = -dΦB/dt, obtém-se outra expressão para a


Lei de Faraday:
dΦ B
∮ E⋅d ⃗s =− dt

A qual nos diz que um campo magnético variável (termo do


fluxo magnético) faz com que surja um campo elétrico em
um caminho fechado.
Essa lei é válida para qualquer região onde seja possível
traçar uma curva fechada que esteja submetida a um campo
magnético variável, sem a necessidade de um meio material,
ou seja, o campo elétrico pode ser induzido inclusive no
vácuo.
EXEMPLO 3
Campo elétrico induzido por um campo magnético variável
Na figura, suponha que R = 8,5 cm e dB/dt = 0,13 T/s.

a) Escreva uma expressão para o módulo E do campo elétrico


induzido em pontos situados na região onde existe campo
magnético, a uma distância r do centro da região. Calcule o valor
da expressão para r = 5,2 cm.
b) Escreva uma expressão para o módulo E do campo elétrico
induzido em pontos fora da região em que existe campo
magnético, a uma distância r do centro da região. Calcule o valor
da expressão para r = 12,5 cm.
● INDUTORES E INDUTÂNCIA

Assim como um capacitor pode ser utilizado para produzir


um campo elétrico com características específicas,
analogamente um indutor é o dispositivo capaz de gerar
campo magnético com as propriedades desejadas.

Símbolo do indutor em um circuito:


O tipo mais simples de indutor é a parte central de um
solenoide longo. Se as N espiras do solenoide conduzem
corrente i, há a produção de um fluxo magnético ΦB em seu
interior.

A indutância L atribuída a esse indutor é definida pela


relação:
N ΦB
L=
i

Sua unidade de medida é o Weber por Ampère,


denominada Henry [H].
→ Indutância em um Solenoide

O termo NΦB é denominada enlaçamento de fluxo


magnético. É necessário conhecer seu comportamento para
o solenoide. Considerando que o mesmo tenha uma área de
seção A, um comprimento l e um número de espiras por
unidade de comprimento n, se tem que:

N Φ B =(nl)( BA)

O campo magnético para o solenoide é fornecido por:

B=μ0 i n
Assim, para a indutância:

N Φ B nlBA nl μ 0 inA
L= = =
i i i

A indutância por unidade de comprimento é, portanto:

L 2
=μ 0 n A
l

Ou seja, o valor da indutância é definida apenas pela


geometria do indutor.
● AUTOINDUÇÃO

Quando uma corrente que atravessa um indutor varia, o


fluxo magnético ΦB que atravessa as espiras também varia,
ocasionando uma força eletromotriz induzida no indutor.

Esse processo é chamado autoindução, uma vez que o


indutor gera uma força eletromotriz autoinduzida ƐL nele
próprio.
Da indutância:
N ΦB
L= → Li=N Φ B
i

Já da Lei de Faraday:
dNΦ B
Ɛ=−
dt

Portanto:
di
Ɛ L=−L
dt

Define a força eletromotriz autoinduzida. Logo, sempre que


existir variação da corrente em um indutor surgirá uma força
eletromotriz autoinduzida.
O sinal negativo implica que o sentido da força eletromotriz
autoinduzida se opõe à variação da corrente.
● CIRCUITOS RL
Observação: todos os indutores, em princípio, serão
considerados ideais, não havendo resistência interna nos
mesmos. Desse modo, a diferença de potencial entre as
extremidades do indutor VL será igual à força eletromotriz
autoinduzida ƐL.

O circuito apresenta uma chave S que pode ser conectada


aos pontos a ou b. O circuito possui uma fonte de tensão Ɛ,
um resistor R e um indutor L.
→ Chave em a
A corrente no resistor começa a aumentar. Uma força
eletromotriz autoinduzida ƐL surge no circuito devido o
indutor, se opondo ao aumento da corrente, o que faz com
que a corrente no resistor responda a duas forças
eletromotriz.

Após certo tempo, a taxa de aumento da corrente no


resistor reduz, assim como a força eletromotriz autoinduzida
ƐL, o que faz com que a corrente no resistor se aproxime de
Ɛ/R assintoticamente.
Aplicando a regra das malhas ao circuito, começando do
ponto x e seguindo no sentido horário, se tem que:

di
−iR−L +Ɛ=0
dt

di
L +iR=Ɛ
dt

A equação anterior é uma equação diferencial ordinária


para a corrente i, cuja solução possui o formato:
Rt
Ɛ −
i= (1−e L )
R
Definindo a constante de tempo indutiva τL = L/R:

t

Ɛ τL
i= (1−e )
R

Para um aumento da corrente

* para t = 0, se tem que i = 0

* para t → ∞, se tem que i → Ɛ/R


→ Chave em b
A fonte é removida do circuito.

di
L +iR=0
dt

t t
− −
Ɛ τL τL
i= e =i 0 e
R
Para uma redução da corrente

* para t = 0, se tem que i = Ɛ/R

* para t → ∞, se tem que i = 0


EXEMPLO 4
Circuito RL, imediatamente após o fechamento de uma
chave e muito tempo depois
A figura mostra um circuito que contém três resistores iguais
de resistência R = 9 Ω, dois indutores iguais de indutância L = 2,0
mH e uma fonte ideal de força eletromotriz Ɛ = 18 V.

a) Qual é a corrente i que atravessa a fonte no instante em que a


chave é fechada?
b) Qual é a corrente i que atravessa a fonte depois que a chave
permanece fechada por um longo tempo?
EXEMPLO 5
Circuito RL: corrente durante a transição

Um solenoide tem uma indutância de 53 mH e uma resistência


de 0,37 Ω. Se o solenoide é ligado a uma bateria, quanto tempo
a corrente leva para atingir metade do valor final?
● ENERGIA ARMAZENADA EM UM CAMPO MAGNÉTICO

Para um circuito RL enquanto há aumento da corrente:


di
Ɛ=L +iR
dt

di 2
Ɛi=Li +i R
dt
Potência da Fonte Potência do Resistor

di 2
Li =Ɛi−i R
dt
O primeiro termo representa a taxa com a qual a energia
que foi fornecida pela fonte ao circuito e que não foi
dissipada pelo resistor é armazenada pelo campo magnético
do indutor, sendo rescrita por:
dU B di
=Li
dt dt
UB i

∫ dU B =∫ Li di
0 0

1 2
U B = Li
2
Energia magnética
EXEMPLO 6
Energia armazenada em um campo magnético

Uma bobina tem uma indutância de 53 mH e uma resistência de


0,35 Ω.

a) Se uma força eletromotriz de 12 V é aplicada à bobina, qual é


a energia armazenada no campo magnético quando a corrente
atinge o valor final?

b) Após quantas constantes de tempo metade da energia final


está armazenada no campo magnético?
Referências

Halliday, Resnick e Walker. Fundamentos de Física, Volume


3, Eletromagnetismo. 9ª ediçã. Editora LTC, Rio de Janeiro,
2010.

As imagens e exemplos foram extraídos das fontes, do


banco de dados do Google Imagens ou elaborados pelo
autor.