Sei sulla pagina 1di 4

DEVOCIONAL

TEMA: JESUS, O PÃO DA VIDA


TEXTO-BASE:
Jo 6:22 - No dia seguinte, a multidão que ficara no outro lado do mar, sabendo que não houvera ali
senão um barquinho, e que Jesus não embarcara nele com seus discípulos, mas que estes
tinham ido sós (23) (contudo, outros barquinhos haviam chegado a Tiberíades para perto do
lugar onde comeram o pão, havendo o Senhor dado graças);
24 quando, pois, viram que Jesus não estava ali nem os seus discípulos, entraram eles também
nos barcos, e foram a Cafarnaum, em busca de Jesus.
25 Quando o encontraram do outro lado do mar, perguntaram-lhe: “Mestre, quando chegaste
aqui?”
26 Jesus respondeu: “A verdade é que vocês estão me procurando, não porque viram os sinais
miraculosos, mas porque comeram os pães e ficaram satisfeitos.
27 Não trabalhem pela comida que se estraga, mas pela comida que permanece para a vida
eterna, a qual o Filho do homem lhes dará. Deus, o Pai, nele colocou o seu selo de
aprovação”.
28 Então lhe perguntaram: “O que precisamos fazer para realizar as obras que Deus requer?”
29 Jesus respondeu: “A obra de Deus é esta: crer naquele que ele enviou”.
30 Então lhe perguntaram: “Que sinal miraculoso mostrarás para que o vejamos e creiamos em
ti? Que farás?
31 Os nossos antepassados comeram o maná no deserto; como está escrito: ‘Ele lhes deu a
comer pão dos céus”.
32 Declarou-lhes Jesus: “Digo-lhes a verdade: Não foi Moisés quem lhes deu pão do céu, mas é
meu Pai quem lhes dá o verdadeiro pão do céu.
33 Pois o pão de Deus é aquele que desceu do céu e dá vida ao mundo”.
34 Disseram eles: “Senhor, dá-nos sempre desse pão!”
35 Então Jesus declarou: “Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome; aquele
que crê em mim nunca terá sede.
DESENVOLVIMENTO:
O texto acima faz parte de um dos discursos proferidos por Jesus quando estava na cidade
de Cafarnaum (Jo 6:22-59). Na primeira parte deste discurso, sem paralelo nos Evangelhos sinóticos,
Jesus havia realizado o milagre da multiplicação de pães para cinco mil homens.
Nesta segunda parte do discurso, o Mestre se utiliza do simbolismo do pão, para demonstrar
de forma inequívoca quem Ele era e o que tinha a oferecer àqueles que o buscassem de todo o
coração.
Nesta DEVOCIONAL estaremos estudando os princípios espirituais contidos no texto acima
com vistas as possibilitar com que obtenhamos maior conhecimento a respeito da pessoa e da obra de
Jesus por nós.
1. JESUS É DEUS, ELE CONHECE TODAS AS COISAS:
Mt 9:4 - Mas Jesus, conhecendo-lhes os pensamentos, disse: Por que pensais o mal em vossos
corações?
1.1. ELE CONHECE OS VERDADEIROS OBJETIVOS QUE QUEM VAI ATRAS DE JESUS:
Jo 6:22 - No dia seguinte, a multidão que ficara no outro lado do mar, sabendo que não houvera ali
senão um barquinho, e que Jesus não embarcara nele com seus discípulos, mas que estes
tinham ido sós (23) (contudo, outros barquinhos haviam chegado a Tiberíades para perto do
lugar onde comeram o pão, havendo o Senhor dado graças);
24 quando, pois, viram que Jesus não estava ali nem os seus discípulos, entraram eles também
nos barcos, e foram a Cafarnaum, em busca de Jesus.
25 Quando o encontraram do outro lado do mar, perguntaram-lhe: “Mestre, quando chegaste
aqui?”
Jesus enviara os seus discípulos para o outro lado do lago, na noite anterior (Mc 6:45; Mt
14:22), porém Ele mesmo não fora com eles. Motivados pelo milagre da multiplicação dos pães todos
queriam vê-lo de novo, razão pela qual todos foram para o lugar mais provável onde o Mestre
estivesse em seu “quartel-general”, a cidade de Cafarnaum.
Repita: A MOTIVAÇÃO DELES ERA MATERIALISTA. QUERIA SOMENTE OS BENEFÍCIOS QUE
JESUS PODIA LHES PRESTAR.
1.2. O EVANGELHO DE JESUS É DE CONFRONTAÇÃO:
Jo 6:26 - Jesus respondeu: “A verdade é que vocês estão me procurando, não porque viram os sinais
miraculosos, mas porque comeram os pães e ficaram satisfeitos.
27 Não trabalhem pela comida que se estraga, mas pela comida que permanece para a vida
eterna, a qual o Filho do homem lhes dará. Deus, o Pai, nele colocou o seu selo de
aprovação”.
A mente daquelas pessoas estava voltada somente para os benefícios materiais, assim como
livramento político – Um novo Moisés. Eles pensavam tão somente no grande milagre que haviam
contemplado, certamente não faziam idéia alguma de sua profunda significação espiritual (Não
compreenderiam porque andara por sobre as águas – significado espiritual).
Repita: MILAGRES ACONTECEM COM PROPÓSITOS – N SÃO MERCADORIAS (Jl 3.18; Am 9.13).
Jo 2:11 - Este sinal miraculoso, em Caná da Galiléia, foi o primeiro que Jesus realizou. Revelou
assim a sua glória, e os seus discípulos creram nele.
Is 35:1 - O deserto e a terra ressequida se regozijarão; o ermo exultará e florescerá como a tulipa;
2 irromperá em flores, mostrará grande regozijo e cantará de alegria. A glória do Líbano lhe será
dada, como também o resplendor do Carmelo e de Sarom; verão a glória do SENHOR, o
resplendor do nosso Deus.
A maioria das pessoas que compunham aquela multidão era formada por trabalhadores mal
remunerados. Pessoas que haviam aprendido com os rabinos, nas sinagogas, certos princípios
espirituais, mas pouco a respeito do Messias, pois, para eles religião era algo que deveria ser deixado
aos cuidados de profissionais.
Jesus veio para ensinar-lhe uma mudança de atitude. Para conhecer e seguir ao Cristo era (e
continua a ser) necessária conversão, santificação, regeneração e a glorificação.
A maioria das pessoas se esforça tanto para satisfazer suas necessidades físicas, porém
empenha pouco ou nenhum esforço para alcançar a salvação e desenvolver suas almas.
Is 55:2 - Por que gastar dinheiro naquilo que não é pão, e o seu trabalho árduo naquilo que não
satisfaz? Escutem, escutem-me, e comam o que é bom, e a alma de vocês se deliciará com
a mais fina refeição.
Mt 25:46 - “E estes irão para o castigo eterno, mas os justos para a vida eterna”.
A vida eterna não é algo para a ser conquistado por esforços próprios, mas para ser recida
por meio da fé em Cristo (Jo 5:24).
1.3. A MAIORIA DAS PESSOAS É IGNORANTE QUANTO À OBRA DE DEUS:
Jo 6:28 - Então lhe perguntaram: “O que precisamos fazer para realizar as obras que Deus requer?”
29 Jesus respondeu: “A obra de Deus é esta: crer naquele que ele enviou”.
Acostumado ao sistema judaico de obras, ritos, cerimônias, o povo pensava nas muitas obras
que tinham que ser realizadas, nas leis que tinham que ser obedecidas, por isso perguntaram: O que
precisamos fazer...?
Ele ainda não tinham percebido a lição de que a vida eterna é dádiva de Cristo, e pensavam
em termos de alcançá-la mediante obras piedosas.
A obra de Deus (no singular – Uma única obra). Crer em Jesus Cristo é a “obra” indispensável
que Deus requer — a qual conduz à vida eterna (Jo 3:16, Jo 1:12).
1Jo 3:23 - E este é o seu mandamento: Que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo e que nos
amemos uns aos outros, como ele nos ordenou.
Repita: MESMO DIANTE DO ESCLARECIMENTO DO MESTRE ELES CONTINUAVAM COM FOCO
NA BÊNÇÃO (MATERIAIS).
Jo 6:30 - Então lhe perguntaram: “Que sinal miraculoso mostrarás para que o vejamos e creiamos em
ti? Que farás?
31 Os nossos antepassados comeram o maná no deserto; como está escrito: ‘Ele lhes deu a
comer pão dos céus”.
Que farás? Queriam da parte de Jesus um sinal semelhante ou até maior do que a dádiva do
maná que acompanhara o ministério de Moisés, no deserto (Êx 16:4; Sl 78:24).
A multidão provavelmente raciocinava que Jesus tinha feito pouca coisa em comparação a
Moisés. Jesus alimentara 5 mil pessoas; Moisés alimentara uma nação. Jesus o fizera uma só vez;
Moisés o fizera durante 40 anos. Jesus dera pão comum; Moisés dera “pão do céu”.
Até mesmo milagres se perdem quando as pessoas estão com seus corações fixos nas
coisas deste mundo.
Mt 12.38 - Então alguns dos fariseus e mestres da lei lhe disseram: “Mestre, queremos ver um sinal
miraculoso feito por ti”.
Repita: ELES ESTAVAM REINVINDICANDO ALGO SEM ENTENDIMENTO NENHUM.
Jo 6:31 - Os nossos antepassados comeram o maná no deserto; como está escrito: ‘Ele lhes deu a
comer pão dos céus”.
Dentre as expectativas judaicas populares estava a crença de que, quando o Messias viesse,
recomeçaria o envio do maná (aquele que era considerado como o maior de todos os milagres). Com
base nisso, os judeus tiveram o desplante de citar um trecho bíblico, como prova de que falavam com
razão.
2. JESUS VEIO PARA CORRIGIR OS ENGANOS E MOSTRAR O CAMINHO CERTO:
Jo 6:32 - Declarou-lhes Jesus: “Digo-lhes a verdade: Não foi Moisés quem lhes deu pão do céu, mas
é meu Pai quem lhes dá o verdadeiro pão do céu.
33 Pois o pão de Deus é aquele que desceu do céu e dá vida ao mundo”.
Jesus os corrigiu, mostrando que o maná do deserto não procedera de Moisés, mas de Deus,
e que o Pai ainda “dá” (é importante esse tempo no presente) o verdadeiro pão do céu (a vida por
meio do Filho).
Jesus disse que Ele é o pão de Deus. Ele é muito mais importante que o maná.
Repita: A CONTINUIDADE DA VISÃO MATERIALISTA.
Jo 6:34 - Disseram eles: “Senhor, dá-nos sempre desse pão!”
Dá-nos desse pão. Provavelmente outro equívoco, como o da mulher junto ao poço (Jo 4.15;
3.4). A mente deles seguia caminhos materialistas, pensavam que talvez Jesus tivesse outro pão
miraculoso, como o maná sem que tivesse que trabalhar para obtê-lo.
2.1. JESUS DECLAROU QUEM ELE ERA e CONFRONTOU-OS NOVAMENTE:
Jo 6:35 - Então Jesus declarou: “Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome;
aquele que crê em mim nunca terá sede.
36 Mas, como eu lhes disse, vocês me viram, mas ainda não crêem.
37 Todo aquele que o Pai me der virá a mim, e quem vier a mim eu jamais rejeitarei.
Essa foi a primeira de sete autodesignações de Jesus no Evangelho de João, sempre
iniciadas com as palavras “eu sou” – Gr “ego eimi” (Jo 8:12; 9:5; 10:7,9; 10:11,14; 11:25; 14:6; 15:1,5).
As palavras eu sou, com que começa neste Evangelho uma série de afirmações feitas por
Jesus sobre si mesmo, recordam as palavras com as quais Deus se revelou a Moisés (Êx 3:14).
O pão da vida pode significar “o pão vivente” e/ou “o pão vivificante”. O que estava
subentendido no v. 33 agora fica explícito.
É característico do ensinamento deste Evangelho que Jesus se identifica com os bens que
ele dá ou oferece ao ser humano: o pão, a luz (8.12), a porta das ovelhas (10.7,9), a vida (11.25), o
caminho (14.6), a verdade (14.6).
Jo 17:2 - Pois lhe deste autoridade sobre toda a humanidade , para que conceda a vida eterna a todos
os que lhe deste.
2.2. EXPLICITOU QUAL ERA A VONTADE DE DEUS:
Jo 6:38 - Pois desci dos céus, não para fazer a minha vontade, mas para fazer a vontade daquele que
me enviou.
39 E esta é a vontade daquele que me enviou: que eu não perca nenhum dos que ele me deu,
mas os ressuscite no último dia.
40 Porque a vontade de meu Pai é que todo aquele que olhar para o Filho e nele crer tenha a
vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia”.
Repita: SEMPRE HAVERÁ RESISTÊNCIA PARA AS BOAS NOVAS (Jo 6:41,48).
2.3. EXPLICITOU QUAL É A REQUISITO PARA SEGUI-LO:
Jo 6:49 - Vossos pais comeram o maná no deserto e morreram.
50 Este é o pão que desce do céu, para que o que dele comer não morra.
51 Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o
pão que eu darei pela vida do mundo é a minha carne.
Quem acredita em Jesus deve se apropriar Dele como sustento para a vida.
Comer o Pão vivo significa aceitar a Cristo em nossa vida e depender Dele. Significa
participar do seu sofrimento, da sua morte, mas também da ressurreição.
Mt 20:22 - Jesus, porém, replicou: Não sabeis o que pedis; podeis beber o cálice que eu estou para
beber? Responderam-lhe: Podemos.
Mt 26:39 - E adiantando-se um pouco, prostrou-se com o rosto em terra e orou, dizendo: Meu Pai, se
é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu
queres.
Hb 10:10 - Pelo cumprimento dessa vontade fomos santificados, por meio do sacrifício do corpo de
Jesus Cristo, oferecido uma vez por todas.
Repita: A CONTINUIDADE DA VISÃO MATERIALISTA (PENSAVAM EM CANIBALISMO).
Jo 6:52 - Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como pode este dar-nos a sua carne a
comer?
53 Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do
homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. (carne do
cordeiro pascal êx 12:8)
54 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no
último dia.
55 Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é
bebida.
56 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.
57 Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta,
também viverá por mim.
58 Este é o pão que desceu do céu; não é como o caso de vossos pais, que comeram o maná e
morreram; quem comer este pão viverá para sempre.
59 Estas coisas falou Jesus quando ensinava na sinagoga em Cafarnaum.
Jesus não estava ensinando que receber a SANTA CEIA seja o grande requisito para a vida
eterna, nem que essa é a ordenança pela qual Cristo e seus benefícios salvíficos são recebidos, mas
podemos traçar um paralelo a respeito do simbolismo existente quando comemos e bebemos o corpo
e o sangue de Cristo da Ceia.
CONCLUSÃO:
1. JESUS É DEUS, ELE CONHECE TODAS AS COISAS:
1.1. ELE CONHECE OS VERDADEIROS OBJETIVOS QUE QUEM VAI ATRAS DE JESUS:
1.2. O EVANGELHO DE JESUS É DE CONFRONTAÇÃO:
1.3. A MAIORIA DAS PESSOAS É IGNORANTE QUANTO À OBRA DE DEUS:
2. JESUS VEIO PARA CORRIGIR OS ENGANOS E MOSTRAR O CAMINHO CERTO:
2.1. JESUS DECLAROU QUEM ELE ERA e CONFRONTOU-OS NOVAMENTE:
2.2. EXPLICITOU QUAL ERA A VONTADE DE DEUS:
2.3. EXPLICITOU QUAL É A REQUISITO PARA SEGUI-LO:

Pr. Edmar Roberto dos Santos Mota


Ministério Palavra e Poder