Sei sulla pagina 1di 5

DEVOCIONAL:

TEMA: PREVALECENDO DIANTE DAS PROVAÇÕES


TEXTO-BASE:
Lc 18:1 - Contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer.
2 dizendo: Havia em certa cidade um juiz que não temia a Deus, nem respeitava os
homens.
3 Havia também naquela mesma cidade uma viúva que ia ter com ele, dizendo: Faze-me
justiça contra o meu adversário.
4 E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a
Deus, nem respeito os homens,
5 todavia, como esta viúva me incomoda, hei de fazer-lhe justiça, para que ela não continue
a vir molestar-me.
6 Prosseguiu o Senhor: Ouvi o que diz esse juiz injusto.
7 E não fará Deus justiça aos seus escolhidos, que dia e noite clamam a ele, já que é
longânimo para com eles?
8 Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Contudo quando vier o Filho do homem,
porventura achará fé na terra?
DESENVOLVIMENTO:
COMO PREVALECER DIANTE DAS PROVAÇÕES?
Na Bíblia, tanto no Velho (Isaías, Jeremias, Ezequiel e Oseias), como no Novo Testamento
encontramos narrações alegóricas que, a partir do cotidiano ensinam ricas e profundas lições
espirituais, as quais são chamadas de Parábolas. São mais de 250 parábolas na Bíblia Sagrada.
Etimologicamente, o termo parábola provém do vocábulo grego “parabolé”, que significa
colocar uma coisa ao lado da outra; comparação.
Então podemos conceituar parábola como sendo um recurso didático, largamente utilizado
por Jesus, a fim de elucidar as grandes verdades e mistérios do Reino de Deus.
O Mestre ensinava através de parábolas para esclarecer os mistérios do Reino de Deus aos
pequeninos, e ocultar estes mesmos mistérios daqueles que, julgando-se mestres, recusavam-lhe a
doutrina.
PERSONAGENS DA PARÁBOLA:
Lc 18:1 - Contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer.
Nunca desfalecer, são palavras traduzidas de um vocábulo grego que, literalmente, significa nunca
ceder ao mal, acovardar-se, perder o animo, ou comportar-se de maneira indevida.
a) JUIZ INÍQUO:
Lc 18:2 - dizendo: Havia em certa cidade um juiz que não temia a Deus, nem respeitava os
homens.
Este juiz era despreocupado com as necessidades dos outros, tanto quanto com a opinião
que nutriam a respeito dele. Não sentia nenhuma vergonha diante dos homens.
Não havia uma fagulha de honra em sua alma, para a qual se pudesse apelar.
Este era o quadro clássico de um homem muito difícil. Um homem sem o temor de Deus.
Não tem um senso interior do que é reto e do que é vergonhoso para o qual alguém possa apelar.
b) VIÚVA INSISTENTE:
Lc 18:3 - Havia também naquela mesma cidade uma viúva que ia ter com ele, dizendo:
Faze-me justiça contra o meu adversário.
Os órfãos e as viúvas representavam a parte fraca e muitas vezes oprimida da sociedade.
Os governantes eram advertidos contra tirar proveito deles (Lc 10:2; Tg 1.27; Ex 22:22,23; Dt 10:18;
24:17; 27:19; Jó 22:9; 24:3; Sl 68:5; Is 10:2).
A viúva era indefesa e vulnerável por não ter familiares para defender a sua causa, nem
mesmo recursos financeiros para corromper.
Algumas viúvas eram muito pobres, mas outras recebiam boas heranças. A Bíblia contém
muitas advertências severas para quem tentasse defraudar uma viúva (Ez 22:7).
Entretanto, ainda havia pessoas que as espoliavam. Jesus havia acusado alguns fariseus
de defraudarem as viúvas e roubarem a sua herança, apresentando acusações legais injustas conta
elas e apossando-se assim de suas propriedades (Mc 12:40; Mt 23:14 - Ai de vós, escribas e
fariseus, hipócritas! porque devorais as casas das viúvas e sob pretexto fazeis longas orações; por
isso recebereis maior condenação).
Quando o texto diz que ela clamava por justiça contra os seus adversários, subentende-se
que alguém estava querendo causar-lhe dano e somente um pronunciamento oficial da maior
autoridade do local poderia defendê-la daquela injustiça.
A expressão usada no texto “faze-me justiça”, não deve ser traduzida por “vinga-me”, mas
sim o que ela queria era justiça e proteção. Afinal, seus direitos legais estavam sendo violados,
somente a justiça e a persistência dela a favoreciam.
Enquanto que o juiz, por não julgar logo a causa em questão está favorecendo os
adversários da viúva, sabe-se lá porque motivo.
APLICAÇÃO:
Roma havia declarado que o cristianismo era alta traição política, porque os cristãos se
recusavam a reconhecer os deuses pagãos que eram tidos como protetores do estado, nem aceitava
participar do Culto ao deus-imperador. Da mesma forma que a viúva, os cristãos daquela época
olhavam para Deus pedindo justiça e livramento.
Em nossos dias também, muitos cristãos estão sendo perseguidos ao proclamarem o
Evangelho do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Talvez até um sentimento de tristeza esteja
presente em seu coração.
A situação da viúva da estória contada por Jesus agrava-se na medida em que:
Lc 18:4a- E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo
a Deus, nem respeito os homens.
A analogia com Deus e o juiz da estória é inevitável. Dessa forma, alguns podem entender
esta parábola da seguinte forma - Pastor, quer dizer que Deus só atende nossas orações quando o
importunamos de forma extrema?
Na verdade, a mensagem central desta parábola, embora se apresente de modo negativo,
enfatiza a necessidade de orarmos de maneira incessante. Através dela aprendemos:
COMO PREVALECER DIANTE DAS PROVAÇÕES?
1. ENTENDENDO QUE POR VEZES, AS RESPOSTAS ÀS NOSSAS ORAÇÕES PODEM SER
ADIADAS:
1.1. PARA O NOSSO PRÓPRIO BENEFÍCIO:
a) Para nos disciplinar, edificar nosso caráter cristão;
b) Para que nossos motivos e alvos sejam purificados:
o Pedimos erradamente, por motivos egoístas, de forma ignorante ou estúpida
(Tg 4:3);
o O resultado de nossa oração é mais precioso quando sofremos para obtê-lo,
quando nos entregamos em uma entrega absoluta e a determinação de obter
respostas para as nossas orações. “Alguém já disse que o sofrimento causa a alma
mais profunda!”;
o É o lar que se torna mais querido quando a viagem é mais longa e acidentada!
1.2. PORQUE EXISTEM RESISTÊNCIAS ESPIRITUAIS:
Dn 10:12 - Então me disse: Não temas, Daniel; porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu
coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas
palavras, e por causa das tuas palavras eu vim.
13 Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; e eis que Miguel, um
dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu o deixei ali com os reis da Pérsia.
1.3. PARA QUE NOSSO DESEJO SEJA INTENSIFICADO:
Com o desejo intensificado, a busca se torna mais intensa, gerando um resultado mais
completo e satisfatório do que de outra maneira;
Hb 10:38 - Mas o meu justo viverá da fé; e se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele.
2. POR VEZES, NOSSAS ORAÇÕES PODEM NÃO SER ATENDIDAS, INDEPENDENTE DA
DILIGÊNCIA DE NOSSAS BUSCAS:
Ex.: Jesus no Getsemani clamou por três vezes, porém sua petição foi negada;
Moisés também clamou diante de Deus e não foi atendido.
Dt 3:25 - Rogo-te que me deixes passar, para que veja essa boa terra que está além do
Jordão, essa boa região montanhosa, e o Líbano!
26 Mas o Senhor indignou-se muito contra mim por causa de vós, e não me ouviu;
antes me disse: Basta; não me fales mais nisto.
3. A PERSISTÊNCIA REVELA O CARÁTER DE QUEM ESTÁ SOLICITANDO:
Lc 18:5 - todavia, como esta viúva me incomoda, hei de fazer-lhe justiça, para que ela não continue
a vir molestar-me.
Aqui a expressão “para que ela não continue a vir molestar-me”, pode ser traduzida como
“para que ela não venha a me dar trabalho” ou “para que ela não o amole eternamente”.
Repita: ELE RECONHEU A PERSISTENCIA DA VIÚVA.
Is 40:31 - mas aqueles que esperam no SENHOR renovam as suas forças. Voam alto como águias;
correm e não ficam exaustos, andam e não se cansam.
Aqueles que confiam no SENHOR, ou aguardam com expectativa Nele, renovam, ou seja,
literalmente “trocam” as suas forças. A fraqueza deles cederá lugar à força de Deus. O verbo
hebraico assim traduzido é empregado para troca de roupas (Gn 35.2; Jz 14.12), que pode
simbolizar a força e a beleza (Is 52.1). Paulo manda os crentes vestir-se de Cristo (Rm 13.14; cf. Ef
4.24; Cl 3.10). Voam como águias, as quais são conhecidas pelo vigor (Sl 103.5) e pela velocidade
(Jr 4.13; 48.40).
Rm 12:12 - Alegrem-se na esperança, sejam pacientes na tribulação, perseverem na oração.
A certeza da esperança do cristão é motivo de alegria (v. 5.5; v. tb. 8.16-25; 1Pe 1.3-9).
pacientes. Perseverar com triunfo — necessário para o cristão, pois a aflição é sua experiência
inevitável (v. Jo 16.33). perseverem na oração. Devemos orar, não somente nos tempos difíceis, mas
também para manter comunhão com Deus a todo tempo, mediante a oração (v. Lc 18.1; 1Ts 5.17).
3.1. É PERSISTENTE AQUELE QUE CONHECE SEUS DIREITOS:
A persistência daquela mulher fez com que ela conseguisse não somente uma audiência,
mas também que sua causa fosse julgada em seu favor.
Repita: ELA CONHECIA SEUS DIREITOS.
a) A tradição legislativa judaica requeria intercessão pelas viúvas (Is 1:17);
b) Deus ordena que os juízes dêem atenção especial para as viúvas (Jr 22:3).
Repita: EU PRECISO CONHECER OS MEUS DIREITOS.
QUAIS SÃO OS NOSSOS DIREITOS:
São muitas as promessas feitas aos seus na Palavra (Is 1:19):
Dt 15:6 - Porque o Senhor teu Deus te abençoará, como te prometeu; assim, emprestarás a muitas
nações, mas não tomarás empréstimos; e dominarás sobre muitas nações, porém elas não
dominarão sobre ti.
Gl 3:29 - E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a
promessa.

Repita: PARA COHECER MEUS DIREITOS EU PRECISO LER A PALAVRA DE DEUS.


Jo 1:12 - Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se
tornarem filhos de Deus;
Jo 5:24 - Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me
enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida.
3.2. É PERSISTENTE AQUELE QUE PREENCHE OS REQUISITOS DESTES DIREITOS:
3.2.1. NOSSAS ORAÇÕES SÃO IMPEDIDAS:
a) QUANDO EXISTEM PECADOS:
Is 59:2 - mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos
pecados esconderam o seu rosto de vós, de modo que não vos ouça.
Sl 66:18 - Se eu tivesse guardado iniqüidade no meu coração, o Senhor não me teria ouvido;
Pv 28:9 - O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração é abominável.
b) QUANDO NÃO HÁ FÉ:
Hb 11:6 - Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se
aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.
3.2.2. PREENCHEMOS OS REQUISITOS QUANDO BUSCAMOS O SENHOR COM FÉ:
Sl 19:12 - Quem pode discernir os próprios erros? Purifica-me tu dos que me são ocultos.
COMO FORTALECER A MINHA FÉ EM DEUS?
a) CLAME A DEUS QUE FORTALEÇA SUA FÉ:
Mc 9:24 - Imediatamente o pai do menino, clamando, com lágrimas disse: Creio! Ajuda a minha
incredulidade.
Lc 17:5 - Disseram então os apóstolos ao Senhor: Aumenta-nos a fé.
b) LEIA A PALAVRA DE DEUS:
Rm 10:17 - Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo.
4. PRECISAMOS CRER QUE NO MOMENTO CERTO O SENHOR RESGATARÁ O SEU POVO:
Lc 18:6 - Prosseguiu o Senhor: Ouvi o que diz esse juiz injusto.
7 E não fará Deus justiça aos seus escolhidos, que dia e noite clamam a ele, já que é
longânimo para com eles?
Se um juiz indigno, que não se sente constrangido pelo conceito de certo ou errado, é pela
persistência compelido a fazer justiça a uma pessoa indefesa, quanto mais Deus, que era conhecido
como o defensor das viúvas (Sl 68:5) não atenderá à oração.
O juiz iníquo adiava a vingança contra aqueles que haviam prejudicado a viúva pobre, por
motivo de sua indiferença na administração da justiça. Mas Deus se demora a fim de testar nossa fé,
ensinar-nos melhor no discipulado; e, além disso, de acordo com elemento tempo, ele sabe o
momento certo para nós, sem se importar se sabemos disso ou não.
Lc 18:8 - Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Contudo quando vier o Filho do homem,
porventura achará fé na terra?
Continuará fazendo-os esperar? Deus não tardará em apoiar seus escolhidos quando estiverem com
a razão. Não é como o juiz injusto, que tinha de ser importunado até cansar-se e conceder a petição.
Sobretudo a fé que persevera na oração e na lealdade (v. Mt 24.12,13). Cristo faz uma segunda
aplicação da parábola, antevendo a ocasião da sua segunda vinda. Pressupõe-se um período de
declínio espiritual e de perseguição — período que exigirá perseverança como a demonstrada pela
viúva.
Ml 3:18 - Então vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o
que o não serve.
CONCLUSÃO:
COMO PREVALECER DIANTE DAS PROVAÇÕES?
1. ENTENDENDA QUE POR VEZES, AS RESPOSTAS ÀS NOSSAS ORAÇÕES PODEM SER
ADIADAS;
2. POR VEZES, NOSSAS ORAÇÕES PODEM NÃO SER ATENDIDAS, INDEPENDENTE DE
NOSSA DILIGÊNCIA:
3. A PERSISTÊNCIA REVELA O CARÁTER DE QUEM ESTÁ SOLICITANDO:
3.1. É persistente aquele que conhece seus direitos;
3.2. É persistente aquele que preenche os requisitos destes direitos:
3.2.1. Nossas orações são impedidas:
a) Quando existem pecados;
b) Quando não há fé;
3.2.2. Preenchemos os requisitos quando buscamos o senhor com fé.
Como fortalecer a minha fé em deus?
a) Clame a deus que fortaleça sua fé;
b) Leia as Escrituras Sagradas.
4. NO MOMENTO CERTO O SENHOR RESGATARÁ O SEU POVO.

Pr. Edmar Roberto dos S. Mota


Ministério Palavra & Poder