Sei sulla pagina 1di 4

DEVOCIONAL

TEMA: ATITUDES DETERMINANTES PARA A SALVAÇÃO


TEXTO BASE:
Lc 7:36 - Um dos fariseus convidou-o para comer com ele; e entrando em casa do fariseu, reclinou-
se à mesa.
37 E eis que uma mulher pecadora que havia na cidade, quando soube que ele estava à mesa
em casa do fariseu, trouxe um vaso de alabastro com bálsamo;
38 e estando por detrás, aos seus pés, chorando, começou a regar-lhe os pés com lágrimas e
os enxugava com os cabelos da sua cabeça; e beijava-lhe os pés e ungia-os com o
bálsamo.
39 Mas, ao ver isso, o fariseu que o convidara falava consigo, dizendo: Se este homem fosse
profeta, saberia quem e de que qualidade é essa mulher que o toca, pois é uma pecadora.
40 E respondendo Jesus, disse-lhe: Simão, tenho uma coisa a dizer-te. Respondeu ele: Dize-a,
Mestre.
41 Certo credor tinha dois devedores; um lhe devia quinhentos denários, e outro cinqüenta.
42 Não tendo eles com que pagar, perdoou a ambos. Qual deles, pois, o amará mais?
43 Respondeu Simão: Suponho que é aquele a quem mais perdoou. Replicou-lhe Jesus:
Julgaste bem.
44 E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês tu esta mulher? Entrei em tua casa, e não
me deste água para os pés; mas esta com suas lágrimas os regou e com seus cabelos os
enxugou.
45 Não me deste ósculo; ela, porém, desde que entrei, não tem cessado de beijar-me os pés.
46 Não me ungiste a cabeça com óleo; mas esta com bálsamo ungiu-me os pés.
47 Por isso te digo: Perdoados lhe são os pecados, que são muitos; porque ela muito amou;
mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama.
48 E disse a ela: Perdoados são os teus pecados.
49 Mas os que estavam com ele à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este que até
perdoa pecados?
50 Jesus, porém, disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz.
DESENVOLVIMENTO:
Nesta DEVOCIONAL estaremos abstraindo os princípios espirituais presentes nas atitudes
adotadas por dois personagens do episódio descrito acima, a partir das quais Jesus ensinou valores
concernentes ao Reino de Deus essenciais na vida de todo cristão.
1. ATITUDES DA MULHER:
Lc 7:37a - E eis que uma mulher pecadora que havia na cidade, quando soube que ele estava à
mesa em casa do fariseu...;
Segundo o texto, uma mulher pecadora que deve ter ouvido Jesus pregar, arrependeu-se e
resolveu mudar de vida. De acordo com vs.37 “quando ficou sabendo que Jesus estava à mesa em
casa do fariseu” aproveitou a oportunidade e foi até Jesus com amor e gratidão.
Nesses jantares, tradicionalmente a porta da casa ficava aberta possibilitando o acesso de
pessoas que não haviam sido convidadas (Lc 14:2; Mc 2:16).
1.1. DETERMINOU-SE EM ENCONTRAR JESUS:
Algumas traduções tradicionais da frase “..eis que uma mulher pecadora que havia na
cidade...” nos fornecem a informação de que ela era uma pecadora exercendo a sua profissão na
cidade, o que leva a suposição de que provavelmente ela era uma prostituta.
Para um fariseu, as refeições requeriam “pureza ritual”. Assim, o isolamento de alimentos e
pessoas impuras era essencial. No entanto, mesmo sabendo que estaria diante de um grupo de
homens hostis a ela, aquela mulher determinou-se em ter com o Mestre.
Mc 10:48 - Muitos o repreendiam para que ficasse quieto, mas ele gritava ainda mais: “Filho de
Davi, tem misericórdia de mim!”
1.2. NÃO VEIO DE MÃOS VAZIAS:
Lc 7:37b – “...trouxe um vaso de alabastro com bálsamo” (*);
Ela se apresentou diante do Mestre com um presente para demonstrar sua devoção e
gratidão pelo que tinha ouvido.
Repita: ELA TROUXE CONSIGO UM FRASCO CONTENDO UNGÜENTO PERFUMADO
(PERFUME) – O QUE SIGNIFICA ISSO?
(*) O alabastro era um gesso branco, finíssimo, uma pedra mais suave que o mármore.
Ungüentos e perfumes preciosos era transportados em frascos dessa natureza, os quais, quando
quebrados liberavam o odor do agradável perfume. Segundo Mc 14:5 e Jo 12:5 o valor do frasco em
questão era de 300 denários (300 dias de trabalho de um lavrador).
Êx 34:20b - Ninguém compareça perante mim de mãos vazias.
Sl 50:23 - Aquele que oferece por sacrifício ações de graças me glorifica; e àquele que bem ordena o
seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus.
Rm 12:1 - Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como
um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
De acordo com a tradição hebraica, as mulheres usavam frascos contendo este perfume
dispendioso dependurados no peito, por meio de um cordão. Tal perfume servia tanto para perfumar
o hálito como a própria pessoa. Não é necessária muita imaginação para entender como esse frasco
era importante para uma prostituta.
Sua intenção foi derramá-lo aos pés de Jesus, afinal ela não precisaria mais dele.
Mc 10:50 - Nisto, lançando de si a sua capa, de um salto se levantou e foi ter com Jesus.
1.3. DEMONSTROU SEU AMOR ATRAVÉS DE ATITUDES PRÁTICAS:
Tg 1:22 - E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.
De acordo com o texto (v. 36), ao entrar na casa do fariseu, Jesus tomou lugar e “reclinou-
se à mesa”. Quando os evangelhos sinóticos falam de reclinar-se para uma refeição dentro de casa,
referem-se a um banquete.
Jesus estava reclinado com os pés estendidos para longe da mesa, e assim a mulher viu a
possibilidade de ungir-lhe os pés com o perfume que possuía (seria inconcebível que ela ungisse a
cabeça de um Rabi por ser pecadora).
Outros convidados são mencionados no final da cena, possibilitando com que se conclua
que aquela era uma ocasião relativamente formal, em que se esperava que os papéis de anfitrião e
convidado fossem desempenhados com precisão por todos os presentes. No entanto, ela foi
testemunha de um insulto cruel que Jesus recebera ao entrar naquela casa.
Deliberadamente, Simão omitira o beijo de saudação e a lavagem dos pés. Com certeza
todos os hóspedes perceberam o insulto cometido contra Jesus, porém, somente a mulher
considerada pecadora resolveu tomar uma atitude dramática.
Repita: ELA DEMONSTROU SEU AMOR, COMO FORMA DE COMPENSAR O INSULTO QUE
JESUS ACABARA DE RECEBER.
Mt 4:21 - E, passando mais adiante, viu outros dois irmãos-Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão
João, no barco com seu pai Zebedeu, consertando as redes; e os chamou.
a) HUMILHAÇÃO:
Aquela mulher não poderia saudar a Jesus conforme o costume da época: com um beijo
santo* (afinal, tal ato seria entendido de maneira distorcida!), lavagem de seus pés e unção com óleo
em sua cabeça (Sl 23:5). Assim, com o intuito de compensá-lo ela resolveu oferecer-lhe um gesto de
grande devoção e profunda humilhação.
Naquela época, beijar os pés de alguém era um sinal de profunda reverência, especialmente
a rabinos líderes”
Lc 7:38 - e estando por detrás, aos seus pés, chorando, começou a regar-lhe os pés com lágrimas e
os enxugava com os cabelos da sua cabeça; e beijava-lhe os pés e ungia-os com o
bálsamo.
(*) Segundo Justino Mártir (150 d.C.), o beijo santo fazia parte regular do culto de
adoração naqueles dias (Rm 16:16; 1 Co 16:20; 2 Co 13:12; 1 Ts 5:26; 1 Pe 5:14).
Tal costume era um sinal de mútua confiança e afeição e ainda hoje é praticado no
Oriente Médio — correspondente a um aperto de mãos no mundo ocidental.
Mt 5:3 - Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.
b) CORAGEM:
Além de prostrar-se aos pés de Jesus ela desata seus cabelos para enxugá-los.
Este era um gesto de ternura que se esperava que uma esposa (camponesa) promovesse
somente na presença de seu marido. A ousadia daquela mulher pecadora ao soltar seus cabelos
diante de Simão e de seus hóspedes certamente provocou grande espanto e revolta.
2. ATITUDES DO FARISEU:
2.1. ADOTOU ATITUDES QUE DEMONSTRARAM PROPÓSITOS ESCUSOS EM SEU
ENCONTRO COM JESUS:
Era considerado virtuoso convidar um mestre para jantar, especialmente se o mestre fosse
fora da cidade ou tivesse apenas ensinando na sinagoga. No entanto, ao que parece o propósito do
convite desse fariseu não aprender com o Mestre, mas sim testar a sua reivindicação como profeta.
Lc 7:39 - Mas, ao ver isso, o fariseu que o convidara falava consigo, dizendo: Se este homem fosse
profeta, saberia quem e de que qualidade é essa mulher que o toca, pois é uma pecadora.
a) ALTIVEZ:
Aquele homem exibiu aquilo que é perfeitamente comum à natureza humana. Ufanou-se de
sua suposta superioridade moral, e se regozijou ao comparar-se com o caráter anterior daquela
mulher, a qual, certamente, era conhecia.
Pv 16:18 - A soberba precede a destruição, e a altivez do espírito precede a queda.
b) CRÍTICA e DESCRÉDITO:
O Fariseu adota uma atitude desdenhosa, quando diz “Se este homem”. Afinal, tudo que ele
consegue ver é uma mulher imoral desatando os cabelos, e que está, mediante o toque,
contaminando um dos hóspedes, o qual não se apercebe disso.
Simão usa a palavra grega “tocou”, a qual significa “acender um fogo”. Na linguagem bíblica
a palavra “tocar” é usada de vez em quando para designar relações sexuais (Gn 20:6; Pv 6:29; I Co
7:1).
Aquele homem demonstrou total indiferença e rejeição em relação ao arrependimento e a
restauração daquela mulher.
Tt 1:15 - Tudo é puro para os que são puros, mas para os corrompidos e incrédulos nada é puro;
antes tanto a sua mente como a sua consciência estão contaminadas.
A atitude adotada pelo Fariseu assemelha-se a de muitos que se achegam a Jesus em
nossos dias, mas que possuem outros interesses que não são agradá-lo.
Não fazem sequer o mínimo; não ajudam aqueles que estão fazendo algo em prol do Reino
de Deus, mas preferem ficar criticando e desacreditando o que foi feito.
É como diz aquele antigo provérbio popular: OS MELHORES COBRADOS SÃO SEMPRE
OS PIORES PAGADORES.
Repita: OS ENSINAMENTOS DE JESUS SÃO REPASSADOS NA CONFRONTAÇÃO.
Diante de tal situação, Jesus faz uso de uma breve parábola para destacar a diferença entre
as atitudes destas duas personagens. Destacaremos alguns pontos importantes da mesma:
Lc 7:40 - E respondendo Jesus, disse-lhe: Simão, tenho uma coisa a dizer-te. Respondeu ele:
Dize-a, Mestre.
41 Certo credor tinha dois devedores; um lhe devia quinhentos denários, e outro cinqüenta.
42 Não tendo eles com que pagar, perdoou a ambos. Qual deles, pois, o amará mais?
a) Os dois devedores estão nivelados em suas necessidades, e nenhum deles é capaz de pagar. A
mesma graça é estendida a ambos.
Rm 5:12 - Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a
morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram.
Tt 2:11 - Porque a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos os homens,
b) Na parábola (e nas nossas vidas) o amor é uma reação a um favor imerecido. Através da estória
Jesus levou Simão a tal conclusão, passando então a estabelecer a correlação com os atos ali
praticados por ambos.
Lc 7:43 - Respondeu Simão: Suponho que é aquele a quem mais perdoou. Replicou-lhe Jesus:
Julgaste bem.
44 E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês tu esta mulher? Entrei em tua casa, e não
me deste água para os pés; mas esta com suas lágrimas os regou e com seus cabelos os
enxugou.
45 Não me deste ósculo; ela, porém, desde que entrei, não tem cessado de beijar-me os pés.
46 Não me ungiste a cabeça com óleo; mas esta com bálsamo ungiu-me os pés.
Era como se Jesus tivesse dito: “Essa mulher que você despreza compensou
magnificamente as suas falhas”.
Repita: SE VOCE NÃO FIZER A OBRA, ALGUÉM A FARÁ!
Lc 19:40 - Ao que ele respondeu: Digo-vos que, se estes se calarem, as pedras clamarão.
c) De fato as atitudes adotadas por aquela mulher evidenciavam que ela já havia sido perdoada.
Lc 7:47 - Por isso te digo: Perdoados lhe são os pecados, que são muitos; porque ela muito amou;
mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama.
48 E disse a ela: Perdoados são os teus pecados.
A palavra amor aqui usada tem uma nuance de agradecimento (I Pe 4:8).
A principal das evidências de que ela já havia sido perdoada era o amor que ela
demonstrada. Jesus, agindo no lugar de Deus simplesmente anunciou publicamente o Seu perdão e
recebeu sua gratidão.
Era como se Jesus tivesse dito:
 “O grande amor demonstrado por essa mulher evidencia que os seus muitos pecados foram
perdoados”.
 “Simão, você tem muitos pecados, mas tem pouca percepção e ainda não se arrependeu
deles. Por essa razão você foi perdoado pouco, por essa razão que você ama tão pouco (tem
pouco amor de Deus no coração)”
Mt 3:8 - Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento,
Mt 7:20 - Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.
Mt 12:34b - Pois a boca fala do que o coração está cheio
d) Jesus ratificou que ela havia obtido a salvação no momento em que ela creu Nele, e não por conta
de suas atitudes (Lc 8:48; 17:19; 18:42).
Lc 7:49 - Mas os que estavam com ele à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este que até
perdoa pecados?
50 Jesus, porém, disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz.
Pela fé, seus pecados haviam sido perdoados e ela agora podia experimentar a paz de
Deus.
Ef 2:8 - Porque pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus;
9 não vem das obras, para que ninguém se glorie.
CONCLUSÃO:
1. ATITUDES DA MULHER:
1.1. DETERMINOU-SE EM ENCONTRAR JESUS:
1.2. NÃO VEIO DE MÃOS VAZIAS:
1.3. DEMONSTROU SEU AMOR ATRAVÉS DE ATITUDES PRÁTICAS:
a) Humilhação:
b) Coragem:
2. ATITUDES DO FARISEU:
2.1. ADOTOU ATITUDES QUE DEMONSTRARAM PROPÓSITOS ESCUSOS EM SEU ENCONTRO
COM JESUS:
a) Altivez;
b) Crítica e Descrédito:
ENSINAMENTOS DE JESUS REPASSADOS NA CONFRONTAÇÃO:
a) Toda humanidade é devedora e nenhum é capaz de pagar sua dívida para Deus sozinho;
b) Na parábola (e nas nossas vidas) o amor é uma reação a um favor imerecido;
c) Nossas atitudes demonstram quem somos;
d) A Salvação se obtém pela fé e não por obras.
Pr. Edmar Roberto dos S. Mota
Ministério Palavra & Poder