Sei sulla pagina 1di 3

Licença de uso exclusivo para Furnas Centrais Eletricas S.A.

Cópia impressa pelo sistema GEDWEB em 10/07/2007

CDU: 666.942 JUL./1991 MB-3432


Cimento Portland -
Determinação da finura por meio da
ABNT-Associação
Brasileira de
peneira 75 µm (nº 200)
Normas Técnicas

Sede:
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar
CEP 20003 - Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro - RJ
Tel.: PABX (021) 210 -3122
Telex: (021) 34333 ABNT - BR Método de ensaio
EndereçoTelegráfico:
NORMATÉCNICA
Registrada no IMETRO como NBR 11579
NBR 3 - Norma Brasileira Registrada

Origem: Projeto 18:104.02-002/91


CB-18 - Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados
CE-18:104.02 - Comissão de Estudo de Cimento Portland e outros Materiais em
Pó - Determinação de Finura
MB-3432 - P o rtla n d ce m e n t - D e te rm in a tio n o f fin e n e ss b y th e 7 5 µ m (n º 2 0 0 ) sie ve -
Copyright © 1990, Method of test
ABNT–Associação Brasileira
de Normas Técnicas Esta Norma foi baseada na MB-1/82
Printed in Brazil/
Impresso no Brasil Palavra-chave: Cimento Portland 3 páginas
Todos os direitos reservados

1 Objetivo empregado no peneiramento manual o fundo e a tampa


(ver Figura)
Esta norma prescreve o método de ensaio para a de-
terminação da finura de cimento Portland com o emprego 3.1.1.3 Pincéis
da peneira 75 µm (nº 200), pelos procedimentos manual e
mecânico. É determinada a porcentagem, em massa, de Dispor de dois pincéis. Um de tamanho médio, provido de
cimento cujas dimensões de grãos são superiores a 75 µm cerdas de náilon ou naturais com largura de 30 mm a
(fração retida). 35 mm. O outro, de tamanho pequeno, provido de cerdas
naturais com diâmetro de 5 mm a 6 mm.
2 Documento complementar
Nota: O corte das cerdas até uma altura de aproximadamente
Na aplicação desta Norma é necessário consultar: 30 mm torna o pincel mais rígido, favorecendo a remoção
das partículas aderidas à tela da peneira.
EB-22 - Peneiras para ensaio com telas de tecido
metálico - Especificação 3.1.1.4 Bastão

3 Execução do ensaio Um bastão, confeccionado a partir de tubo de PVC, com


medidas aproximadas de 250 mm de comprimento e
3.1 Procedimento manual 20 mm de diâmetro para auxiliar na remoção do material
fino aderido à tela da peneira.
O peneiramento manual deve ser executado por opera-
dor qualificado. 3.1.1.5 Flanela

3.1.1 Aparelhagem Uma flanela pequena, limpa e seca.

3.1.1.1 Balança 3.1.1.6 Registrador de tempo

A balança deve apresentar resolução de 0,01 g. Relógio de laboratório ou cronômetro com resolução de
1 s.
3.1.1.2 Conjunto de peneiramento
3.1.1.7 Vidro-relógio
A peneira empregada no ensaio é a peneira 75 µm verifi-
cada de acordo com a EB-22. Fazem parte do conjunto Um vidro-relógio com diâmetro aproximado de 100 mm.
Licença de uso exclusivo para Furnas Centrais Eletricas S.A.
2 Cópia impressa pelo sistema GEDWEB em 10/07/2007 MB-3432/1991

Figura - Seção transversal da peneira com acessórios

3.1.2 Peneiramento transferindo-o para o fundo. Juntar todo o material do


fundo (passante), recolhendo todos os grãos nele conti-
3.1.2.1 Eliminação de finos dos com auxílio do pincel pequeno e passando-o para um
recipiente (vidro-relógio) para ser pesado com precisão de
A peneira deve estar seca, limpa e encaixada no fundo. 0,01 g (P). Se a massa do material passante for superior a
Colocar (50 ± 0,05) g (M) de cimento sobre a tela da pe- 0,05 g, desprezá-la. Repetir esta etapa do ensaio até que
neira. O operador deve segurar o conjunto com as duas a massa de cimento que passa durante um minuto de
mãos e imprimir-lhe um movimento suave de vaivém peneiramento contínuo seja inferior a 0,05 g (0,1% da
horizontal com os pulsos, de maneira que o cimento se es- massa inicial).
palhe sobre a superfície da tela. Deve-se evitar qualquer
perda de material. Peneirar até que os grãos mais finos 3.1.2.4 Transferência do resíduo
passem quase que totalmente pelas malhas da tela, o que
geralmente ocorre no intervalo entre 3 min e 5 min. O cimento retido na peneira deve ser transferido para um
recipiente (vidro-relógio) a fim de ser pesado, tomando-se
3.1.2.2 Etapa intermediária o cuidado de limpar com o pincel médio ambos os lados
da tela para garantir a remoção e tomada de todo o ma-
Tampar a peneira, retirar o fundo e dar golpes suaves no terial retido pela peneira. A pesagem desse resíduo (R)
rebordo exterior do caixilho com o bastão para despren- deve ser feita com precisão de 0,01 g.
der as partículas aderidas à tela e ao caixilho da peneira.
3.2 Procedimento mecânico
Limpar com o auxílio do pincel médio toda a superfície
inferior da tela da peneira encaixando-a no fundo após a 3.2.1 Aparelhagem
limpeza deste com a flanela. retirar a tampa e continuar o
peneiramento com suaves movimentos de vaivém 3.2.1.1 Balança
horizontais, durante 15 min a 20 min, girando o conjunto e
limpando a tela com o pincel médio a intervalos regulares. Igual à descrita em 3.1.1.1
Nesta operação, o material deve movimentar-se de manei-
ra que fique uniformemente espalhado sobre toda a su- 3.2.1.2 Peneirador aerodinâmico
perfície da tela. No final do período, colocar a tampa e
limpar a tela e o fundo como indicado anteriormente. O O peneirador aerodinâmico deve possuir a câmara de pe-
material passante deve ser desprezado. neiramento constituída de peneira com tampa de acrílico
devidamente vedada com anéis de borracha. O vacuôme-
3.1.2.3 Peneiramento final tro deve indicar a depressão na câmara de peneiramento
de 1960 Pa (200 mm de coluna d'água). O temporizador
Colocar a tampa e o fundo na peneira, segurar o conjun- deve possibilitar o controle do tempo de ensaio por 3 min
to com as duas mãos e, mantendo-o ligeiramente inclina- ininterruptos. O fluxo de ar do peneirador aerodinâmico é
do, imprimir-lhe movimentos rápidos de vaivém durante de 48 m3/h a 58 m3/h e a velocidade de varredura da tubei-
60 s, girando o conjunto de mais ou menos 60º a cada ra giratória é de 24 rpm a 36 rpm. O filtro por onde passa
10 s. Completado esse período, limpar a tela da peneira o ar carregado de partículas finas deve ser mantido sem-
com auxílio do pincel médio, recolhendo todo o material e pre limpo, a fim de não prejudicar sua eficiência.
Licença de uso exclusivo para Furnas Centrais Eletricas S.A.
MB-3432/1991 Cópia impressa pelo sistema GEDWEB em 10/07/2007
3

3.2.1.3 Peneira material. Limpar a tela com auxílio dos pincéis, efetuando
movimentos circulares da borda para o centro, re-
A peneira empregada no ensaio é a apropriada para pe- cuperando, assim, todos os grãos a ela aderidos.
neirador aerodinâmico e corresponde à peneira 75 µm,
calibrada e verificada de acordo com a EB-22. 3.2.2.5 Transferir todo o resíduo para o vidro-relógio e
pesar com precisão de 0,01 g (R)
3.2.1.4 Martelo de acrílico
4 Resultados
O martelo de acrílico serve para dar golpes na tampa da
peneira durante o ensaio para desprender o material a 4.1 Cálculo
ela aderido pela movimentação do ar.
Calcular o índice de finura do cimento pela expressão:
3.2.1.5 Recipiente
RC
F= x 100
Recipiente, que pode ser um fundo de peneira, para cap- M
tação do resíduo. Onde:

3.2.1.6 Vidro-relógio F = índice de finura do cimento, em porcentagem

Igual ao descrito em 3.1.1.7 R = resíduo do cimento na peneira 75 µm, em g


3.2.1.7 Pincéis
M = massa inicial do cimento, em g
Iguais aos descritos em 3.1.1.3
C = fator de correção da peneira utilizada no ensaio,
determinado de acordo com o disposto na EB-22,
3.2.2 Peneiramento
devendo estar compreendido no intervalo de
1,00 ± 0,20.
3.2.2.1 Acoplar a peneira ao peneirador aerodinâmico, to-
mando-se o cuidado de garantir total vedação no contato
4.2 Expressão dos resultados
entre ambos e ajustar a pressão de sucção para 1960 Pa
(200 mm de coluna d'água).
A finura do cimento é caracterizada pelo índice de finura,
3.2.2.2 Pesar (20 ± 0,02) g (M) de material e colocá-lo so-
que é o material retido na peneira de 75 µm, expresso em
porcentagem de massa, calculado até os décimos. O
bre a tela da peneira, distribuindo-o de maneira circular
resultado do ensaio é o valor obtido em uma única
para que a tampa, quando colocada, não o toque. Tampar
determinação.
a peneira corretamente, utilizando o anel de vedação.
Notas:a) Repetibilidade - A diferença entre dois resultados indivi-
3.2.2.3 Ligar o peneirador aerodinâmico e ajustar o tempo
duais obtidos, a partir de uma mesma amostra subme-
de ensaio para 3 min. Durante os primeiros segundos do tida ao ensaio e por um mesmo operador utilizando o
ensaio uma grande quantidade de amostra adere à tampa mesmo equipamento em curto intervalo de tempo, não
da peneira. Para desprendê-la, deve-se empregar o marte- deve ultrapassar 0,4% em valor absoluto;
lo acrílico, golpeando a alça da tampa com golpes fracos,
porém com alta freqüência até que a amostra pare de b) Reprodutibilidade - A diferença entre dois resultados in-
aderir. dividuais e independentes, obtidos por dois operadores,
operando em laboratórios diferentes a partir de uma
3.2.2.4 Terminado o peneiramento, remover todo o resí- mesma amostra submetida ao ensaio, não deve ultra-
duo para um recipiente, evitando-se qualquer perda de passar 0,8% em valor absoluto.