Sei sulla pagina 1di 4

O que escrevo não tem nomes, tem pessoas e coisas que acontecem e nas suas manifestações

revelam o teatro das coisas. E como teatro tem seus apenas seus personagens.

Em uma Igreja uma mãe grata, vai ao púlpito relatar sua gratidão por uma graça alcançada. Ali
ela narrava como sua filha uma criança comunicativa já abatida fisicamente pelo tratamento
contra o câncer, mas ainda assim esbanjando alegria e inocência, acordou em certa manhã e
disse que Deus havia falado com ela e dito que ela estaria curada o que se comprovou no futuro
pelos médicos por meio de exames, assustados com sua recuperação. Em meio a toda alegria
que surgia no meio da Congregação pela recuperação da menina e pela satisfação com aquela
ação de Deus, alguém se levanta e pede a palavra e conta que alguém teve uma filha que não foi
contemplada com essa Graça...( um detalhe esse outro que se levanta e abre o novo caso, não é
parente da outra jovem).

E a partir disso ele começa a atacar Deus, ele começa a fazer condenações na forma com que
Deus trata casos de forma de forma particular e agora Deus é julgado pelo seu discurso. Mesmo
sem entender e passar maiores detalhes do caso que ele citou( da não contemplada com o
milagre), ele estabelece seus motivos para discordar da justiça e misericórdia de Deus e como
ele há opera. Aquilo que ele não domina sobre a questão agora passa a ser acusação e motivo de
ataque a Deus, depois disto ele começa a expandir seus esquemas de argumentações aos
demais ali presentes que exaltando um Deus como este não passam de cooperadores no seu
crime, assim se processa a coisa toda a ponto de mais uma vez dar outro salto, ele passa a outra
linha mais adiante que agora o mundo seria melhor sem atuação deste Deus deste ou de
qualquer representação religiosa que exista.

Ele explica que as pessoas que ainda teimam em segui-las, cultua-las deveriam ser retiradas da
história, porque promovem um ato e um Deus de injustiça que se move por poucos ao seu
critério. Já agora em outra linha além de criminalizar o todo da cristandade o mesmo acusa-a de
ignorante da própria condição pois adora também um Deus que nem eles sabem se agirá na sua
recuperação, fato que ele aponta a morte de muitos cristãos, que sofrem com diversas doenças
inclusive do próprio câncer como o caso da menina, mas que não alcançaram o mesmo
beneficio.

Agora em nome do bem comum da Humanidade, cabe a homens isentos de religião de moral
absoluta "como ele" e iluminados,extirpar tal crença do mundo...em nome de uma sociedade
mais igualitária onde alguns não serão contemplados com privilégios como atualmente, mas no
futuro, em sua nova sociedade planejada todos serão igualmente beneficiados....segundo a
coordenação humana centralizada estabelecendo um paraíso terreno; melhor dizendo uma
existência com menos conflitos, mesmo que seja preciso praticar certos sacrifícios e anular
certas discordâncias em nome do todo. O um pequeno sacrifício seria da liberdade do homem,
mas estaria preso dentro de um paraíso que sujeitos como ele estabeleceriam...
O que escrevo não tem nomes, tem pessoas e coisas que acontecem e nas suas manifestações
revelam o teatro das coisas. E como teatro tem seus personagens

É como se em uma Igreja uma mãe grata, fosse ao pulpito relatar sua gratidão por uma graça
alcançada. Ali ela narrava como sua filha uma criança comunicativa já abatida fisicamente pelo
tratamento contra o câncer, mas ainda assim esbanjando alegria acordou em certa manhã e
disse que Deus havia falado com ela e dito que ela estaria curada o que se comprovou no futuro
pelos médicos por meio de exames, assustados com sua recuperação. Em meio a toda alegria
que surgia no meio da Congregação pela recuperação da menina e pela satisfação com aquela
ação de Deus, alguém se levanta e pede a palavra e que conta que alguém teve uma filha que
não foi contemplada com essa Graça...( um detalhe esse outro que se levanta e abre o novo
caso, não é parente da outra jovem).

E a partir disso ele começa a atacar Deus, ele começa a fazer condenações na forma com que
Deus trata casos de forma de forma particular e agora deus é julgado pelo seu discurso. Mesmo
sem entender e passar maiores detalhes do caso que ele citou, ele estabelece seus motivos para
discordar da justiça e misericordia de Deus. Aquilo que ele não domina sobre a questão agora
passa a ser acusação e motivo de ataque a Deus, depois disto ele começa a expandir seus
esquemas de argumentações aos demais ali presentes que axaltando um deus como este não
passam de cooperadores no seu crime, assim se processa a inversão da coisa toda a ponto que
ele passa a outra linha mais adiante que agora o mundo seria melhor sem atuação deste Deus e
que as pessoas que ainda teimam em segui-lo deveriam ser retiradas da história, porque
promovem um ato e um Deus de injustiça que se move por poucos. Já em outra linha além de
criminalizar o todo da cristandade o mesmo acusa-a de ignorante da própria condição pois adora
também um Deus que nem eles sabem se agirá na sua recuperação, fato que ele aponta a morte
de muitos cristãos de diversas doenças inclusive do próprio câncer.

Agora em nome do bem comum da Humanidade cabe a homens iluminados estirpar tal crença
do mundo...em nome de uma sociedade mais igualitária onde alguns não serão contemplados
com privilégios ao passo que outros perecerão.

Em outro caso.

Em meio a tempestade sem perspectiva de saída, mas ainda lutando, os tripulantes de um navio
estão naufragando junto com ele. No seu interior estão vendo o mar adentrar em ondas contra a
embarcação. Já dando sinais de afundamento os desesperados tripulantes se agarram e se
preparam para encarar o mar revolto as aguas frias com o pouco que tem para a situação, o céu
escuro é cortado por raios as ondas são imensas o navio balança o risco de queda e grande um
dos tripulantes está ferido bateu com a cabeça no momento do balanço em que o mar jogava a
embarcação de um lado apra o outro, embora não falassem todos carregavam em pensamento a
perspectiva de não reencontrarem sua família e isso lhes cortava o coração, e como sem medir
as forças fieis no amor e na promessa de retornar buscavam cumprir pelo menos suas palavras
por meio de seus esforços então lutavam...

Mas de repente em meio ao céu escuro e o ruído de tudo aquilo um som se destacava, era o de
uma maquina os motores do navio já estavam desligados na deriva que ruído seria aquele? Lá
fora ao tentar olhar a escuridão do mar nada não havia um barco se quer, nem sinal de
embarcação alguma mesmo sabendo que se houvesse uma seria dificil o resgate, mas uma luz
vem do alto cortando a escuridão podeiam agora ver um helicoptero gigante em meio aquela
tempostade. Os altos falantes tentavam comunicação e o comendante dizia que era o resgate
que respondia ao seu chamado, mesmo quando as embarcações no litoral estavam com ordens
para não sair ao mar, o resgate destemido e fiel estava ali, lá em cima um mergulhador se
lançara para orientar o içamentos dos tripulantes, primeiro ele pediu para que ajudassem a
colocar o ferido para içamento, e assim o fizeram enquento ele ia subindo o mergulhador do
resgate ficara com eles, mesmo que a embarcação desse indicios de que havia chegado a hora
de ir ao fundo do mar, eli estava ele corajoso em meio a tudo animado e preparando o próximo e
o proximo e o proximo e só subiu assim que todos estavam abrigados na aeronave...Quando a
noticia passou no jornal da região, e quando os homens do resgate foram saudados entre os
comvidados no estúdio um sujeito comenta, que o mesmo grupo que salvará os 4 tripulantes
deixara um outro para morrer, diante desta afirmação as pessoas se perguntavam do que se
trata isso? Então o sujeito explica que naquela embarcação havia um tripulante que não havia
voltado, que justamente ele foi vitima do abandono deixado apra trás naufragou junto com a
embarcação então o mesmo continua falando que aquilo se deu porque os homens do resgate o
deixaram lá com medo, pensando em suas próprias vitimas fizeram uma vitima ( o critico em
questão não era parente nem tinha proximidade com o mar quiçá com a experiencia e
treinamento de salvamento).

Em outro lugar, um policial atende um chamado de violência doméstica após a chegada de um


dos muitos casos eles precisam lidar todos os dias; com um homem bebado uma situação
complicada e confusa uma das mulheres presente tem um pedaço de madeira na mão, o homem
claramente alcolizado está ferido, sangrando na cabeça. O policial tenta afastar um do outro e
tenta entender a situação. O homem disse que chegou em casa ela não lhe deixou entrar, ao ser
questionado pelo policial se bebeu ele disse que um pouco, mas está aparentemente além dos
limites. A mulher explica que ele é um bom companheiro, mas quando bebe acaba sendo
violento dentro de casa quebrando objetos xingando e quebrando o que ela com muito suor
adquiri com seu trabalho. O policial pergunta se ele bateu nela, ela diz que hoje simo! Como ele
estava bebado ela não deixou que ele entrasse e ele tentou forçar a entrada e ela acabou por
desferir um golpe contra ele, que acabou atingindo a sua cabeça, diz que ele também tem um
histórico com drogas. O policial diz que ele precisar ir ao pronto socorroe a delegacia, chega
outra viatura com reforço para conter os moradores do local que começam aglomerar, a outra
viatura havia se separado pois estava socorrendo uma parturiente, apenas tendo de realizar um
parto ali no local do socorro.

O policial tenta conversar com o marido, falando com ele que deveriar mudar que a bebida não
o estava levando a um caminho bom, o homem chora uma cena de novela a mulher diz que não
deseja prestar queixa contra ele, que é trabalhador, mas quando bebe ou usa drogas muda
muito. O policial tem de explicar que realmente o que deve ser feito e quanto a necessidade de
condução, calmamente ele explica quando de repente escuta disparos em uma região proxima, a
masse de gente que se aglomera abre e desaparece o bairro é conhecido e perigoso o número
de conflitos ali com o trafico armado é grande viaturas costumam entrar a ali em duas,por
questões de segurança em meio aos tiros as pessoas correm uma criança esta chorando sozinha
o tiro vem na direção dos policiais a mulher entra o homem bebado grita coisas sem
entendimento como "é isso mesmo preciso morrer e acabr com isso e vai par ao meio da rua" a
policial da quarnição vai buscar o homem a pedidos e gritos da sua companheira que agora tenta
colocar ele para dentro de casa. O Tiroteio segue agora os policiais conseguem ver a origem dos
disparos e atiram para defender suas vidas também, o outro policial atravessou a rua segurando
a criança e levando ela para o outro lado coloca em uma casa, que fecha a porta em seguida e
fica atrás apenas de um simples poste, tentando voltar para junto dos demais a policial liga a
viatura manobra e sob fogo, encosta proximo ao poste para que o policial embarque. O chefe da
guarnição pede para que todos se retirem, situação complciada e de risco, no momento dasaída
em meio ao fogo alguém corre com ensaguentado em direção a guarnição, ele tentam socorrer a
pessoa, mas o problema não é este "sempre é algo pior". A pessoa diz que bandidos da região
estão em confronto em lugar próximo e abriram fogo em uma batalha pelo dominio ferindo uma
pessoa que precisa de ajuda ao se inteirar da situação a viatura faz meia volta pede socorro e
apoio indo ao local recebe fogo armado, e responde depois de algum tempo e muitas
escoriações ao se jogarem no chão repelem ambos grupos criminosos e socorrem um jovem que
chega ao hospital em estado grave, sobrevive na UTI. A cena de cinema e ação ganha
comentários os policiais são homengaeados em uma emissora e neste exato momento
respondendo perguntas alguém aparece e diz, se os policiais houvessem sido rápido o rapaz
teria mais chance, quem pdoeria garantir que não foram os mesmos que feriram o rapaz? Por
abriram fogo sabendo que existem pessoas que moram ali no local? E assim a coisa segue,
enquanto a mãe do jovem agradece a guarnição o tempo na emissora esquenta frente as
acusações e queixas...assim atos e fatos são esquecidos como nossos herois.