Sei sulla pagina 1di 16

QUESTÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO

01. (AFTN 96) As seguintes afirmativas sobre órgão público são corretas, exceto:
a) Integra estrutura de uma pessoa jurídica.
b) Possui patrimônio próprio.
c) Pode expressar capacidade judiciária.
d) Não possui personalidade jurídica.
e) Apresenta competência própria.

02. (AFTN 96) Ato unilateral, discricionário, precário “intuito personae” precedido de licitação. Este conceito refere-se
à:
a) Permissão.
b) Concessão.
c) Direito real de uso.
d) Delegação.
e) Autorização.

03. (AFTN 96) A função pública expressa o exercício de atribuições do Estado pelo servidor. Assim, a função pública
se caracteriza do seguinte modo:
a) Natureza unilateral, de direito público e legal.
b) Natureza bilateral, de direito privado e contratual.
c) Natureza unilateral, de direito público contratual.
d) Natureza unilateral , de direito privado e legal.
e) Natureza bilateral, de direito público e contratual.

04. (AFTN 96) O regime único, denominado estatutário, tem as seguintes características, exceto:
a) Aposentadoria com proventos integrais.
b) Ingresso mediante concurso público.
c) Remuneração fixadas em lei.
d) Fixação em lei, do quantitativo de cargos públicos.
e) Possibilidade de ajuizamento de dissídio coletivo.

05. (AFTN 98) As contratações de compras e obras no serviço público dependem de prévia licitação, exceto
no caso de:
a) Publicidade.
b) Inexigibilidade.
c) Informática.
d) Alimentos.
e) Importações.

06. (AFTN 2000) Não caracteriza a empresa pública:


a) a adoção de qualquer forma jurídica admitida em Direito.
b) pessoal contratado sob o regime trabalhista.
c) necessidade de lei autorizativa para sua criação.
d) inclusão de seu pessoal nas regras de vedação de acumulação remunerada de cargos.
e) personalidade jurídica de direito público.

07. (AFTN 2000) A participação do usuário na administração pública direta e indireta dar-se-á, entre outros,
mediante os seguintes instrumentos, exceto:
a) representação contra o exercício negligente ou abuso de cargo, emprego ou função na administração
pública.
b) garantia de manutenção de serviços de atendimento ao usuário.
c) avaliação periódica, externa e interna, da qualidade dos serviços.
d) acesso ilimitado dos usuários a registro administrativo e informações sobre atos de governo.
e) reclamação relativa à prestação dos serviços públicos em geral.

08. (AFTN 2000) Em relação à concessão de serviço público, é correto afirmar:


a) decadência é a retomada do serviço público ao final do prazo da concessão.
b) a rescisão unilateral por motivo de inadimplência contratual denomina-se caducidade.
c) a responsabilidade do concessionário por prejuízos causados a terceiros, por conseqüência de seus.
serviços, tem natureza subjetiva.
d) é possível a alteração unilateral do objeto da concessão.
e) a incorporação dos bens do concessionário ao poder concedente dar-se-á mediante encampação.

09. (AFTN 2000) Em relação à discricionariedade, não é correto afirmar:


a) jamais se manifesta em relação ao sujeito do ato administrativo.
b) somente ocorre quando a lei expressamente confere à Administração o poder de exerce-la.
c) tem por fundamento o binômio “conveniência e oportunidade”
d) pode ser controlada mediante ato do Poder Judiciário.
e) não está presente em todos os elementos do ato administrativo.

10. (CVM 2000 - Inspetor) A Administração Pública, a que o legislador constituinte de 1988 dedicou todo um Capítulo,
ao tratar da organização do Estado, para submetê-la à observância necessária dos princípios fundamentais da
legalidade, impessoalidade, moralidade e publicidade:
a) restringe-se ao Poder Executivo Federal.
b) restringe-se aos Poderes Executivos Federal, Estaduais e Municipais.
c) restringe-se aos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário Federais.
d) abrange órgãos e entidades dos Três Poderes da União, dos Estados e dos Municípios.
e) abrange órgãos e entidades federais, estaduais e municipais, com suas subsidiárias, sociedades controladas e
concessionárias dos seus serviços públicos.

11. (CVM 2000 - Inspetor) O mesmo ato, que demite um servidor público, pode ser expedido pela autoridade
administrativa competente, com manifestação simultânea, predominantemente, dos seus poderes:
a) discricionário, regulamentar e disciplinar.
b) vinculado, discricionário e de polícia.
c) discricionário, regulamentar e de polícia.
d) vinculado, hierárquico e disciplinar.
e) hierárquico, regulamentar e disciplinar.

12. (CVM 2000 - Inspetor) A diferença fundamental existente entre órgãos públicos e entidades da Administração
Indireta Federal gira em torno de terem ou não:
a) autonomia administrativa.
b) personalidade jurídica.
c) poder de polícia.
d) sujeição ao controle externo.
e) sujeição ao princípio da legalidade.

13. (CVM 2000 - Inspetor) A proibição constitucional de acumular cargos, empregos e funções no setor público é
compreendida como:
a) restrita ao âmbito da Administração Direta.
b) restrita ao âmbito da União ou de cada um dos Estados.
c) não alcançando os inativos nem os militares.
d) abrangente de toda Administração Direta e Indireta da União, dos Estados e dos Municípios, com suas
subsidiárias, sociedades controladas e concessionárias de serviço público.
e) abrangente de toda Administração Pública Direta e Indireta dos Três Poderes e nas diversas esferas de governo
(federal, estaduais e municipais).

14. (CVM 2000 - Inspetor) As pessoas jurídicas de direito público são civilmente responsáveis por atos dos seus
agentes e/ou representantes que nessa qualidade causarem danos a terceiros, procedendo de modo contrário ao
direito ou faltando a dever prescrito por lei, ressalvado o direito regressivo contra o respectivo responsável, se
agiu com dolo ou culpa.
a) Correta a assertiva.
b) Incorreta a assertiva, porque só haverá responsabilidade civil se for comprovada culpa do agente e/ou
representante.
c) Incorreta a assertiva, porque em tais casos não cabe o direito de regresso contra o responsável, mesmo no caso
de dolo ou culpa.
d) Incorreta a assertiva, porque a responsabilidade civil da pessoa jurídica independe da circunstância de ter o seu
agente ou responsável agido nessa condição.
e) Incorreta a assertiva, porque as pessoas jurídicas de direito público não respondem civilmente pelos danos
causados a terceiros por seus agentes ou representantes, mesmo no caso de culpa ou dolo.

15. (CVM 2000 – Analista/Planej. e Execução Financeira) O poder vinculado ou regrado da Administração Pública, na
sua maior incidência, conquanto não seja incompatível contrapõe-se ao exercício do:
a) Discricionário.
b) Disciplinar.
c) Hierárquico.
d) Regulamentar.
e) de polícia.

16. (CVM 2000 - Analista/Planej. e Execução Financeira) Na organização administrativa brasileira, a descentralização
dos serviços públicos em geral procede-se:
a) no âmbito interno da Administração Direta.
b) no âmbito restrito da Administração Direta e Indireta.
c) no âmbito restrito da Administração Indireta.
d) quer utilizando-se das entidades da Administração Indireta como das de particulares, mediante contrato de
concessão de serviço público.
e) utilizando-se de entidades particulares, mediante concessão, permissão, delegação, autorização, com exclusão
das pertencentes Administração Indireta.

17. (CVM 2000 - Analista/Planej. e Execução Financeira) O que conceitualmente caracteriza uma autarquia é:
a) ser um serviço público autônomo, com personalidade jurídica própria e de direito público interno.
b) ser um patrimônio personalizado, a serviço da Administração Pública.
c) ser um serviço autônomo, integrante da Administração Pública Direta.
d) integrar a Administração Pública, mas com personalidade jurídica de direito privado.
e) ter autonomia administrativa e financeira, mas sem personalidade jurídica própria.

18. (CVM 2000 - Analista/Planej. e Execução Financeira) As pessoas jurídicas de direito público e as de direito
privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que os seus agentes nessa qualidade
causarem a terceiros, assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.
a) Correta a assertiva.
b) Incorreta a assertiva, porque as pessoas jurídicas de direito público não respondem por danos causados pelos
seus agentes a terceiros.
c) Incorreta a assertiva, porque a chamada responsabilidade objetiva prevista em norma constitucional (art. 37, § 6º),
é restrita às pessoas jurídicas de direito público e não extensiva às de direito privado, mesmo que prestem
serviços públicos.
d) Incorreta a assertiva, porque em tais casos não cabe o direito de regresso, mesmo se houver dolo ou culpa do
agente responsável.
e) Incorreta a assertiva, porque a responsabilidade aquiliana, em tais casos, depende sempre da prévia prova de ter
havido dolo ou culpa, por parte do agente causador do dano.

19. (CVM 2000 – Analista Contábil) O mesmo ato, que demite um servidor público, pode ser expedido pela
autoridade administrativa competente, com manifestação simultânea, predominantemente, dos seus
poderes:
a) discricionário, regulamentar e disciplinar.
b) vinculado, discricionário e de polícia.
c) discricionário, regulamentar e de polícia.
d) vinculado, hierárquico e disciplinar.
e) hierárquico, regulamentar e disciplinar.

20. (CVM 2000 – Analista Contábil) A diferença fundamental existente entre órgãos públicos e entidades da
Administração Indireta Federal gira em torno de terem ou não:
a) autonomia administrativa.
b) personalidade jurídica.
c) poder de polícia.
d) sujeição ao controle externo.
e) sujeição ao princípio da legalidade.

21. (AFT - 2003) O regime jurídico administrativo consiste em um conjunto de princípios e regras que balizam
o exercício das atividades da Administração Pública, tendo por objetivo a realização do interesse público.
Vários institutos jurídicos integram este regime. Assinale, entre as situações abaixo, aquela que não decorre da
aplicação de tal regime.
a) Cláusulas exorbitantes dos contratos administrativos.
b) Auto-executoriedade do ato de polícia administrativa.
c) Veto presidencial a proposição de lei.
d) Natureza estatutária do regime jurídico prevalente do serviço público.
e) Concessão de imissão provisória na posse em processo expropriatório.

22. (Agente Tributário Estadual/MS/2001) Em relação à organização administrativa brasileira, assinale a afirmativa
verdadeira.
a) A recente figura das organizações sociais reveste-se da personalidade jurídica de direito público.
b) Após a Emenda Constitucional 19/98, ficou vedado ao Poder Público criar fundações sob regime de direito
privado.
c) Empresas públicas e sociedades de economia mista têm, exclusivamente, como objeto institucional atividades
relativas a serviços públicos.
d) No momento, somente existem no Brasil autarquias classificadas como de serviço.
e) Caracteriza o órgão autônomo a personalidade jurídica própria.

23. (Agente Tributário Estadual/MS/2001) O atributo do poder de polícia pelo qual a Administração impõe uma
conduta por meio indireto de coação denomina-se:
a) exigibilidade.
b) Imperatividade.
c) auto-executoriedade.
d) Discricionariedade.
e) proporcionalidade.

24. (Auditor-Fiscal do Trabalho/1998) Aos servidores públicos federais, subordinados ao Regime Jurídico Único da Lei
n0 8.112/90, é expressamente proibido ser:
a) cotista de sociedade comercial
b) acionista de sociedade comercial
c) filiado a partido político
d) empregado de país estrangeiro
e) dirigente de entidade sindical

25. (Auditor-Fiscal do Trabalho/1998) O servidor público civil federal, regido pelo Regime Jurídico Único da Lei n.º
8.112/90, responde civil, penal e administrativamente, pelo exercício irregular das suas atribuições, sendo certo
que:
a) as sanções daí decorrentes são interdependentes e inacumuláveis entre si
b) no caso de dano causado a terceiros, ele não responde regressivamente
c) a responsabilidade administrativa fica afastada, se houver absolvição criminal, por negativa do fato
d) a responsabilidade administrativa não se afasta, mesmo se houver absolvição por negativa de autoria
e) no caso de dano ao erário, a obrigação de reparar extingue-se com a sua morte e não se transmite a herdeiros

26. (Auditor-Fiscal do Trabalho/1998) O processo administrativo disciplinar, como tal previsto na Lei n.º 8.112/90, para
o servidor regido pelo Regime Jurídico Único, é:
a) necessário para penalidade de suspensão por 30 dias
b) necessário para a penalidade de destituição de cargo em comissão
c) dispensável para a penalidade de suspensão em geral
d) dispensável para a penalidade de destituição de cargo em comissão
e) dispensável para a penalidade de cassação da aposentadoria

27. (Auditor-Fiscal do Trabalho/1998) Entre os casos puníveis com a penalidade de demissão do servidor público
federal, regido pelo Regime Jurídico Único da Lei n.º 8.112/90, não se inclui o de:
a) abandono do cargo
b) inassiduidade habitual
c) improbidade administrativa
d) insubordinação grave em serviço
e) coagir subordinando a filiar-se a organização sindical ou a partido político

28. (ESAF/ASSISTENTE JURÍDICO/AGU/99) São órgãos da Administração Pública, sem personalidade jurídica,
exceto:
a) Departamento de Polícia Federal.
b) Estado Maior das Forças Armadas.
c) Imprensa Nacional.
d) Escola Nacional de Administração Pública.
e) Conselho Monetário Nacional.

29. (ESAF/ASSISTENTE JURÍDICO/AGU/99) Quando a autoridade remove servidor para localidade remota, com o
intuito de puni-lo,
a) incorre em desvio de poder.
b) pratica ato disciplinar.
c) age dentro de suas atribuições.
d) não está obrigada a instaurar processo administrativo.
e) utiliza-se do poder hierárquico.

30. (ESAF/AUDITOR FORTALEZA/98) - Aplicam-se às fundações públicas, de natureza autárquica, as seguintes


prerrogativas, exceto:
a) impenhorabilidade de seu patrimônio.
b) privilégios de natureza processual, típicos da Fazenda Pública.
c) natureza administrativa de seus contratos.
d) regime jurídico estatutário de seus servidores.
e) autonomia para legislar, inclusive mediante regras com novidade jurídica.

31. (ESAF/AUDITOR FORTALEZA/98) - Em razão do exercício regular do poder de polícia, a Administração pode:
a) desapropriar terras improdutivas.
b) exigir pagamento pela concessão de alvará para funcionamento de casa comercial.
c) cobrar emolumentos pela expedição de certidão.
d) afastar servidor que possa influir na apuração dos fatos no processo administrativo.
e) ordenar a prisão de servidor em flagrante delito de desacato.

32. (ESAF/AUDITOR FORTALEZA/98) - A permissão para uso de boxe no mercado municipal classifica-se como ato
administrativo:
a) ordinatório.
b) negocial estável.
c) negocial precário.
d) negocial bilateral.
e) Enunciativo.

33. (ESAF/COMEX/98) - Tratando-se de Administração Pública, assinale a afirmativa falsa.


a) A autarquia pode exercer poder de polícia administrativa.
b) A criação de empresa pública depende de lei autorizativa, mas sua personalidade advém do registro competente.
c) O órgão público decorre do fenômeno da descentralização.
d) As fundações públicas devem ter por objeto atividades de natureza social ou científica.
e) Os bens das autarquias não estão sujeitos a penhora.

34. (ESAF/COMEX/98) - Quanto à estabilidade no serviço público, é falso afirmar:


a) a estabilidade decorre, automaticamente, de nomeação em virtude de concurso público e do transcurso de três
anos de efetivo exercício.
b) a perda do cargo do servidor estável por desempenho insuficiente deve ser precedida de ampla defesa e do
contraditório.
c) o servidor estável colocado em disponibilidade perceberá remuneração proporcional ao seu tempo de serviço.
d) o servidor estável dispensado por excesso de quadro fará jus a indenização.
e) o instituto da estabilidade tem características diferentes em razão da natureza das atribuições do cargo efetivo.

35. (ESAF/PFN/98) - Não é atribuição da Administração Pública decorrente do poder hierárquico:


a) editar atos regulamentares.
b) aplicar sanções disciplinares.
c) avocar e/ou delegar atribuições.
d) controlar as atividades dos órgãos subordinados.
e) anular atos ilegais praticados por órgãos inferiores.

36. (ESAF/PFN/98) - Quanto às empresas estatais é incorreto afirmar:


a) o regime de pessoal da empresa pública é o da Consolidação das Leis Trabalhistas – CLT.
b) a sociedade de economia mista não pode usufruir privilégios fiscais não extensíveis ao setor privado.
c) o patrimônio da empresa pública e o da sociedade de economia mista têm a mesma natureza jurídica.
d) a empresa pública pode adotar qualquer forma jurídica admitida em Direito.
e) a composição do capital é a única diferença entre empresa pública e sociedade de economia mista.

37. (ESAF/PFN/98) - São direitos trabalhistas estendidos aos servidores públicos, exceto:
a) repouso semanal remunerado
b) férias anuais remuneradas, com acréscimo de 1/3
c) remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em 50% à do normal
d) fundo de garantia por tempo de serviço
e) licença à gestante

38. (ESAF/PFN/98 - adaptada) Assinale a alternativa correta:


a) No sistema constitucional brasileiro, a estabilidade do servidor público somente pode ser afastada em
virtude de sentença judicial transitada em julgado, mediante processo administrativo no qual se assegure
ao servidor a ampla defesa ou em decorrência de avaliação periódica de desempenho.
b) Em caso de extinção do cargo, o servidor estável será colocado em disponibilidade com proventos
integrais.
c) A lei pode estabelecer limites para as pensões por morte diferentes daqueles existentes para os próprios
vencimentos ou remuneração.
d) Nos termos da Constituição Federal, é lícita, em qualquer hipótese, a acumulação de proventos de
aposentadoria em cargo público com os vencimentos de outro cargo obtido mediante concurso.
e) A Constituição brasileira não admite as formas derivadas de provimento de cargo público.

39. (Procurador/BaCen/2001) Em relação ao poder de polícia administrativa, assinale a opção correta.


a) O âmbito de sua abrangência está limitado à área de segurança dos cidadãos.
b) Somente ocorre em caráter preventivo.
c) Submete-se ao princípio da proporcionalidade, de forma a inibir atos excessivos por parte da
Administração.
d) Denomina-se exigibilidade a coerção por meios diretos, para compelir o administrado a observar o ato de
polícia.
e) O ato de polícia é sempre um ato discricionário.

40. (Procurador/BaCen/2001) Em relação à revisão do processo administrativo disciplinar de servidor público


federal, é correto afirmar:
a) da revisão do processo poderá resultar agravamento, da penalidade, se assim exigir o interesse público.
b) no processo revisional, o ônus da prova cabe ao requerente.
c) a simples alegação de injustiça da penalidade é suficiente para se requerer a revisão.
d) se procedente a revisão, serão declaradas sem efeito todas as penalidades impostas ao servidor, inclusive
determinando-se o seu retorno no caso de destituição de cargo em comissão.
e) o processo de revisão somente poderá ser re-querido pelo servidor, pessoalmente ou por procurador.

41. (Procurador/BaCen/2001) Tratando-se do serviço público, assinale a afirmativa falsa.


a) A encampação da concessão de serviço público, por inexecução contratual por parte do concessionário,
dar-se-á mediante um ato unilateral.
b) É lícita a adoção do critério de menor tarifa do serviço a ser prestado, na licitação para concessão de
serviços públicos.
c) A modicidade das tarifas é um dos elementos do serviço adequado.
d) É permitida a interrupção do serviço quando ocorrer o inadimplemento do usuário, mediante prévio aviso.
e) O instrumento contratual da permissão de serviço público, ainda que precedido de licitação, tem caráter
precário.

42. (Advogado da União/98) A Administração Pública, como tal prevista na Constituição Federal (art. 37) e na
legislação pertinente (Decreto-Lei nº 200/67, com alterações supervenientes), além dos órgãos estatais e
de diversos tipos de entidades abrange, também,
a) as concessionárias de serviço público em geral
b) as universidades federais que são fundações públicas
c) as organizações sindicais
d) os chamados serviços sociais autônomos (Senai, Senac etc.)
e) os partidos políticos

43. (Advogado da União/98) A atividade da Administração Pública que, limitando ou disciplinando direitos,
interesses ou liberdades individuais, regula a prática de ato ou abstenção de fato, em razão do interesse
público, nos limites da lei e com observância do devido processo legal, constitui mais propriamente o
exercício do poder:
a) de domínio
b) de polícia
c) disciplinar
d) hierárquico
e) regulamentar

44. (Advogado da União/98) A responsabilidade civil do Estado, pelos danos causados por seus agentes a
terceiros, é hoje tida por ser:
a) subjetiva passível de regresso
b) objetiva insusceptível de regresso
c) objetiva passível de regresso
d) subjetiva insusceptível de regresso
e) dependente de culpa do agente

45. (Analista de Finanças e Controle/SRF/97) No âmbito do regime jurídico-administrativo é falso afirmar:


a) é lícito a Administração constituir os privados em obrigações por meio de ato unilateral
b) pela faculdade da autotutela, pode a Administração revogar os seus próprios atos válidos, por
manifestação unilateral
c) o princípio da indisponibilidade do interesse público é excepcionalizado na esfera das pessoas
exclusivamente administrativas
d) o princípio da obrigatoriedade do desempenho da atividade pública importa no princípio da continuidade
do serviço público
e) a exigibilidade do ato administrativo decorre, também, da posição de supremacia da Administração na
relação com os particulares

46. (Analista de Finanças e Controle/SRF/97) O serviço público concedido deve ser remunerado mediante:
a) tarifa d) contribuição
b) taxa e) imposto
c) tributo

47. (Analista de Orçamento/Maré/99) Como decorrência do princípio da publicidade, a que deve submeter-se a
Administração Pública,
a) a abertura dos envelopes com documentação para habilitação em licitações deve ser feita em ato público,
só podendo realizar-se quando presentes todos os licitantes.
b) todas as decisões administrativas devem ser publicadas na íntegra na Imprensa Oficial.
c) as decisões dos processos administrativos disciplinares devem ser proferidas em sessão pública, na
presença dos advogados dos servidores processados.
d) os atos administrativos devem ser sempre publicados com sua motivação.
e) os atos do procedimento licitatório serão acessíveis ao público, que, no entanto, não terá acesso ao
conteúdo das propostas, antes da abertura dos respectivos envelopes.

48. (Técnico da Receita Federal/2000) A forma própria, pela qual um serviço público, afeto a determinado órgão
estatal, tem sua execução transferida e delegada a particulares, para sua devida exploração, por contrato
administrativo, é a:
a) autorização.
b) concessão.
c) permissão.
d) desafetação.
e) expropriação

49. (Técnico da Receita Federal/2000) O poder administrativo, pelo qual se disciplinam e restringem determinadas
liberdades individuais, exercitadas até por particulares, que em razão disto podem ficar sujeitos à cobrança de
tributo, na modalidade de taxa, é o:
a) disciplinar.
b) hierárquico.
c) de polícia.
d) regulamentar.
e) discricionário

50. (TRF – 2002) O princípio da motivação, a que a Administração Pública Federal está obrigada a obedecer, de
acordo com o que dispõem os artigos 2º e 5º da Lei nº 9.784, de 29/01/1999, consiste em ter de indicar nos seus
atos administrativos os respectivos pressupostos fáticos e jurídicos, sendo isso dispensável, porém, nos casos em
que a autoridade decide,
a) processo administrativo de concurso público.
b) dispensa de procedimento licitatório.
c) recurso administrativo.
d) em decorrência de reexame de ofício.
e) caso concreto aplicando jurisprudência sobre ele já firmada.

51. (TRF – 2003) No conceito de Direito Administrativo, pode-se entender ser ele um conjunto harmonioso de normas
e princípios, que regem relações entre órgãos públicos, seus servidores e administrados, no concernente às
atividades estatais, mas não compreendendo,
a) a administração do patrimônio público.
b) a regência de atividades contenciosas.
c) nenhuma forma de intervenção na propriedade privada.
d) o regime disciplinar dos servidores públicos.
e) qualquer atividade de caráter normativo.

52. (TRF – 2003) Entre outras, integram a Administração Pública Federal Indireta, também, as seguintes entidades,
dotadas de personalidade jurídica de direito privado:
a) as autarquias, organizações sociais e sociedades de economia mista.
b) os serviços sociais autônomos (SENAI, SENAC etc) e as concessionárias de serviços públicos.
c) os serviços sociais autônomos e as agências reguladoras.
d) as empresas públicas e sociedades de economia mista.
e) as fundações e organizações não governamentais.

53. (TRF – 2003) A forma de prover cargo público da União, prevista na Lei nº 8.112/90, originariamente, mas que se
considera inconstitucional, pela preterição de concurso público, é a:
a) promoção.
b) recondução.
c) reversão.
d) reintegração.
e) redistribuição.

54. (TRF – 2003) As pessoas jurídicas de direito público respondem pelos danos que seus agentes, nessa qualidade,
causarem a terceiros,
a) ainda que haja comprovada culpa exclusiva do paciente.
b) assegurado o direito de regresso, quando couber.
c) contra os quais cabe ação regressiva, independente de haver culpa ou dolo deles (agentes).
d) mas só nos casos de comprovada culpa deles (agentes).
e) salvo nos casos de comprovada culpa pessoal do agente, em que ele responde, direta-mente, pelas
conseqüências dos danos causados.

55. (AFT - 2003) Tratando-se dos poderes administrativos, correlacione as duas colunas, vinculando a cada situação
o respectivo poder:
1 poder hierárquico
2 poder disciplinar
3 poder discricionário
4 poder de polícia
( ) penalidade em processo administrativo
( ) nomeação para cargo de provimento em comissão
( ) delegação de competências
( ) limitação do exercício de direitos

a) 2/3/1/4 d) 2/1/3/4
b) 4/2/1/3 e) 4/2/3/1
c) 4/3/2/1

56. (AFT - 2003) Tratando-se de concessão de serviços públicos, assinale a afirmativa verdadeira quanto à
caducidade da concessão.
a) A caducidade pode ser declarada pelo poder concedente ou por ato judicial.
b) Declarada a caducidade, o poder concedente responde por obrigações com os empregados da concessionária.
c) A declaração de caducidade depende de prévia indenização, apurada em processo administrativo.
d) A caducidade pode ser declarada caso a concessionária seja condenada por sonegação de tributos, em sentença
transitada em julgado.
e) Constatada a inexecução parcial do contrato impõe-se, como ato vinculado, a declaração de caducidade.

57. (Juiz do Trabalho/PR/2001) Em qualquer caso que exija o afastamento para o exercício do mandato eletivo,
o tempo de serviço do funcionário público será contado para todos os efeitos legais, exceto para:
a) Promoção por antigüidade.
b) Aposentadoria.
c) Licença-prêmio.
d) Promoção por merecimento.
e) Nenhuma das alternativas.

58. (Juiz do Trabalho Substituto/GO/2002) Sobre o regime disciplinar do servidor público é correto afirmar:
I. o servidor público aposentado que houver praticado, na atividade, falta punível com a demissão terá cassada a
aposentadoria;
II. demitido o servidor público em virtude de improbidade administrativa, incompatibiliza o ex-servidor para nova
investidura em cargo público pelo prazo de 5 (cinco) anos;
III. a ausência injustificada do servidor ao serviço público por 30 (trinta) dias consecutivos, constitui inassiduidade
habitual, punível com a pena de demissão;
IV. o servidor público aposentado que houver praticado, na atividade, falta punível com a demissão terá cassada a
aposentadoria, salvo se esta houver sido declarada por implemento de idade;
a) a assertiva I está correta:
b) a assertiva III está correta;
c) as assertivas II e III estão corretas;
d) as assertivas III e IV estão corretas;
e) as assertivas I e III estão corretas

59. (Juiz do Trabalho Substituto/GO/2002) A responsabilidade civil da administração impõe à Fazenda Pública a
obrigação de compor o dano causado a terceiro por agentes públicos, no desempenho de suas atribuições ou a
pretexto de exercê-las. Com base no disposto assinale a alternativa correta:
a) A administração, após o ajuizamento da ação de indenização poderá, antes da condenação, ingressar com a ação
de regresso contra o agente causador do dano;
b) A indenização do dano deve abranger o que a vítima efetivamente perdeu, o que despendeu e o que deixou de
ganhar em conseqüência direta e imediata do ato lesivo da administração, bem como correção monetária e juros,
exceto honorários advocatícios;
c) A indenização por lesão pessoal e morte da vítima abrangerá o tratamento, o sepultamento e a prestação
alimentícia às pessoas a quem o falecido a devia, levada em conta a duração provável de sua vida, sendo que
esta indenização admite reajustamento às condições atuais do custo de vida.
d) A ação regressiva, por ser personalíssima, não transmite aos herdeiros e sucessores do servidor culpado;
e) Enquanto para a administração a responsabilidade e subjetiva, a responsabilidade do servidor é objetiva e se
apura pelos critérios gerais do Código Civil.

60. (Juiz/SP/2000) Da independência das instâncias administrativas, civil e criminal, resulta que o funcionário poderá
sempre ser punido em qualquer dessas esferas sem a:
a) preocupação de se esperar o resultado de qualquer outra instância.
b) a absolvição criminal somente afasta a responsabilização administrativa, quando ficar comprovada a inexistência
do fato ou a não-autoria imputada ao funcionário.
c) a absolvição por falta de provas, na esfera criminal, necessariamente terá reflexo no processo administrativo.
d) a absolvição por falta de provas, no processo criminal, somente terá reflexo na esfera civil.

61. (Juiz/SP/2000) O servidor público estável:


a) poderá perder o cargo mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa.
b) pode ser demitido em decorrência de avaliação insuficiente.
c) só pode ser demitido por decreto do Chefe do Poder Executivo.
d) só pode ser afastado por efeito de decisão judicial.

62. (Juiz/SP/2000) O poder regulamentar de que dispõem os Chefes de Executivos, no que tange às leis, é:
a) delegável.
b) exercitável, mesmo relativamente àquelas cujo veto de que foram objeto tenha sido rejeitado.
c) de exercício indispensável, para que sejam exeqüíveis.
d) instrumento hábil à correção de eventuais equívocos, ao âmbito do conteúdo.

63. (Juiz de Direito Substituto/RN/2002) Suponha um contrato de concessão de um serviço público, sujeito ao regime
geral da Lei nº 8.987/95, tendo como poder concedente um Estado e como concessionária uma empresa privada.
Caso, para a execução desse contrato, seja necessário que se realize uma desapropriação, quem tem
competência para expedir a declaração expropriatória é:
a) a concessionária ou o Estado, conforme previsto no contrato, tendo o Estado competência exclusiva para
promover a desapropriação.
b) o Estado, exclusivamente, o qual também tem competência exclusiva para promover a desapropriação.
c) o Estado, exclusivamente, tendo a concessionária competência para promover a desapropriação, desde que
previsto no contrato.
d) a concessionária ou o Estado, conforme previsto no contrato, devendo o contrato definir quem terá competência
para promover a desapropriação.
e) a concessionária, exclusivamente, a qual também tem competência exclusiva para promover a desapropriação.

64. (Juiz de Direito Substituto/RN/2002) Uma sociedade de economia mista, que explore atividade econômica,
a) não se submete ao regime de licitação para contratação de obras, serviços, compras e alienações.
b) não está sujeita à falência.
c) submete-se ao mesmo regime jurídico trabalhista das pessoas jurídicas de direito público.
d) pode ser instituída por decisão do poder Executivo, independentemente de lei.
e) submete-se ao mesmo regime jurídico tributário das empresas privadas.
65. (AFT - 2003) O retorno do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado, decorrente de inabilitação em
estágio probatório relativo a outro cargo, denomina-se:
a) reversão.
b) recondução.
c) reintegração.
d) readaptação.
e) aproveitamento.

66. (Juiz do Trabalho/PB/2000) São direitos e vantagens asseguradas atualmente aos servidores públicos
federais:
a) Férias; licença-prêmio; adicional noturno.
b) Abono-pecuniário, com conversão em pecúnia de 1/3 das férias; indenização de férias, em caso de
exoneração; adicional noturno.
c) Licença-paternidade; afastamento de 1 dia para doação de sangue; licença-prêmio por assiduidade.
d) Adicional por tempo de serviço; indenização de férias, em caso de exoneração; adicional por serviço
extraordinário.
e) Licença para capacitação; adicional de férias; licença para o desempenho de mandato classista.

67. (Juiz do Trabalho/SP/2000) Somente por lei específica poderá ser criada:
a) autarquia e autorizada a instituição de empresa pública, de sociedade de economia mista e de fundação, cabendo
à regulamentação do Poder Executivo, neste último caso, definir as áreas de sua atuação;
b) autarquia e autorizada a instituição de empresa pública, de sociedade de economia mista e de fundação, cabendo
à lei ordinária, neste último caso, definir as áreas de sua atuação;
c) autarquia e autorizada a instituição de empresa pública, de sociedade de economia mista e de fundação, cabendo
à lei complementar, neste último caso, definir as áreas de sua atuação;
d) autarquia e autorizada a instituição de empresa pública, de sociedade de economia mista e de fundação, cabendo
à emenda à Constituição, neste último caso, definir às áreas de sua atuação;

68. (AFT - 2003) Relativamente à responsabilidade do servidor público, assinale a afirmativa falsa.
a) A responsabilidade penal abrange exclusivamente os crimes imputados ao servidor, nessa qualidade.
b) As sanções penais, civis e administrativas poderão cumular-se, sendo independentes entre si.
c) A obrigação de reparar o dano estende-se aos sucessores do servidor, até o limite do valor da herança recebida.
d) A responsabilidade administrativa não pode subsistir quando houver absolvição criminal que negue a existência
do fato.
e) A responsabilidade civil-administrativa pode resultar de ato comissivo ou omissivo.

69. (Juiz do Trabalho/SP/2000) O desvio de poder ocorre quando:


a) há mau uso de competência;
b) a Administração Pública pretende alcançar finalidade diversa da que lhe é conferida pela função;
c) há manifesta intenção inadequada;
d) há desacordo objetivo entre a finalidade do ato e a finalidade da competência;

70. (Juiz do Trabalho/AM/2000) Nos termos contidos na Lei nº 8112/90, não poderá retornar ao serviço público federal
o servidor que for demitido ou destituído do cargo em comissão em virtude de:
a) Abandono de cargo;
b) Inassiduidade habitual;
c) Incontinência pública e conduta escandalosa na repartição;
d) Acumulação ilegal de cargos, empregos ou funções públicas;
e) Nenhuma das Alternativas anteriores.

GABARITO COMENTADO

01. Comentário: Os órgãos são dotados de vontades e capazes de exercer direitos e contrair obrigações
para atingirem os fins institucionais, integrando a estrutura do Estado e das demais pessoas jurídicas
como partes desses corpos vivos. Por integrarem a pessoa jurídica os órgãos não possuem personalidade
jurídica e nem patrimônio próprio.
Alternativa: B

02. Comentário: Segundo o mestre Hely Lopes Meirelles “permissão é ato administrativo negocial, discricionário e
precário, pelo qual o Poder Público faculta ao particular a execução de serviço de interesse coletivo, ou o uso especial
de bens públicos, a título gratuito ou remunerado, nas condições estabelecidas pela Administração”.
A exigência de licitação decorre da Constituição Federal que determina em seu art.175 que: “Incumbe ao
Poder Público, na forma da lei, diretamente ou sob regime de concessão ou permissão, sempre através de
licitação, a prestação de serviços públicos.”
Alternativa: A

03. Comentário: A função pública é regida por estatuto (uma lei), não comportando negociações entre as partes
(servidor e Administração Pública), desta forma caracteriza-se por ser unilateral, regida pelo direito público e legal
(estatuto).
Alternativa: A

04. Comentário: Não existe a possibilidade de ajuizamento de dissídio coletivo (acordo entre sindicato de empregados
e sindicato de empregadores), pois tal ato é característica de direito privado, obrigando as partes ao seu cumprimento
por decorrer de um acordo de vontades. A natureza do estatuto é legal, portanto, não ocorre a celebração de contratos
(dissídios coletivos) entre servidor e Administração Pública.
Alternativa: E

05. Comentário: Em regra as contratações no serviço público são dependentes de licitação, porém esta somente deve
ser realizada, quando houver a possibilidade de competição, não havendo esta possibilidade a licitação está proibida
de realizar-se. O estatuto licitatório enumera estes casos em seu art. 25, in verbis:
“Art. 25 É inexigível a licitação quando houver inviabilidade de competição em especial:
I - para a aquisição de materiais, equipamentos, ou gêneros que só possam ser fornecidos por produtor, empresa ou
representante comercial exclusivo, vedada a preferência de marca, devendo a comprovação de exclusividade ser feita
através de atestado fornecido pelo órgão de registro do comércio do local em que se realizaria a licitação ou a obra ou
o serviço, pelo Sindicato, Federação ou Confederação Patronal, ou, ainda, pelas entidades equivalentes;
II - para a contratação de serviços técnicos enumerados no art. 13 desta Lei, de natureza singular, com profissionais ou
empresas de notória especialização, vedada a inexigibilidade para serviços de publicidade e divulgação;
III - para contratação de profissional de qualquer setor artístico, diretamente ou através de empresário exclusivo, desde
que consagrado pela crítica especializada ou pela opinião pública”.
Alternativa: B

06. Comentário: As empresas públicas possuem personalidade jurídica de direito privado, estando sujeitas, em regra,
à mesma legislação das empresas privadas, inclusive no que se refere a obrigações tributárias e trabalhistas.
Alternativa: E

07. Comentário: A lei deve, segundo a CF em seu art. 37, disciplinar as formas de participação do usuário
na administração pública direta e indireta, regulando, entre outros, o acesso dos usuários a registros
administrativos e a informações sobre atos de governo, observada a inviolabilidade da intimidade, da
honra da vida privada, da imagem e o interesse social.
Alternativa: D

08. Comentário: A rescisão unilateral por motivo de inadimplência contratual é denominada caducidade ou
decadência, sendo que neste caso não cabe indenização, salvo com relação à parcela não amortizada do capital,
representada pelos equipamentos necessários à prestação do serviço e que reverterão ao concedente.
Alternativa: B

09. Comentário: A discricionariedade do ato não pode ser examinada pelo Poder Judiciário, assim sendo, este não
pode se pronunciar sobre a conveniência ou oportunidade do ato, sendo importante ressaltar que o que escapa do
controle do Judiciário é a discricionariedade e não o ato discricionário. Acontece que o ato, mesmo sendo
discricionário, apresenta certos elementos (competência, forma e finalidade) que são sempre vinculados à lei, o que
permite sua análise pelo Judiciário.
Alternativa: D

10. Comentário: A Constituição Federal, no caput do art. 37, usa o termo “Administração Pública” ao se
referir à Administração direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, Estados, Municípios e Distrito
Federal.
Alternativa: D

11. Comentário: A demissão é penalidade imposta ao servidor em decorrência de falta administrativa, reprovação em
avaliação periódica de desempenho ou por sentença judicial transitada em julgado (CF, art. 41), sendo assim, é ato
vinculado da autoridade que em decorrência da hierarquia, pode aplicar sanções em caso de infrações disciplinares,
disciplinando a atuação de seus servidores e demais pessoas sujeitas à sua disciplina.
Alternativa: D

12. Comentário: As entidades caracterizam-se por possuírem personalidade jurídica própria, enquanto que
os órgãos não possuem esta característica, sendo que sua atuação é imputada à pessoa jurídica a que
pertencem (teoria da imputação).
Alternativa: B

13. Comentário: É vedada a acumulação remunerada de cargos públicos, exceto, quando houver
compatibilidade de horários, no caso de dois cargos de professor, de um cargo de professor com outro,
técnico ou científico ou de dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde, com profissões
regulamentadas, sendo que esta proibição estende-se a empregos e funções e abrange autarquias,
fundações, empresas públicas, sociedades de economia mista, suas subsidiárias, e sociedades
controladas, direta ou indiretamente, pelo poder público.
Alternativa: E

14. Comentário: As pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços
públicos responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros, assegurado o
direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa (CF, art. 37, §6o).
Alternativa: D

15. Comentário: Para a prática de determinados atos (atos vinculados), a Administração fica inteiramente
subordinada aos ditames da lei, ainda que o administrador possua uma liberdade de agir, esta liberdade é
ínfima, pois este não pode distanciar-se do que está previsto no texto legal. No ato discricionário,
diferentemente do vinculado, o administrador tem uma liberdade maior de agir, desde que esta
discricionariedade seja exercida dentro dos limites permitidos em lei.
Alternativa: A

16. Comentário: Os serviços públicos podem ter sua prestação de forma centralizada (mediante órgãos da
Administração Direta) ou descentralizada por intermédio das entidades da Administração Pública indireta ou de
particulares, mediante concessão, permissão ou autorização.
Alternativa: D

17. Comentário: Segundo o Decreto-lei n.º 200/67, autarquia é o “serviço autônomo, criado por lei, com
personalidade jurídica, patrimônio e receita próprios, para executar atividades da Administração Pública que
requeiram, para o seu melhor funcionamento, gestão administrativa e financeira descentralizadas.”
Alternativa: A

18. Comentário: A responsabilidade da empresa prestadora de serviço público é objetiva, ou seja, independe da
comprovação de dolo ou culpa do agente, bastando que a omissão ou ação deste tenha contribuído para o prejuízo,
sendo assegurado o direito de regresso nos casos de dolo ou culpa (CF, art. 37, § 6º)
Alternativa: A

19. Comentário: Tendo sido apurada a falta em processo administrativo, a autoridade, salvo justificativa,
tem o dever de aplicar a penalidade (poder vinculado). A aplicação desta penalidade se funda no poder
hierárquico que a Administração possui de ordenar e rever a atuação de seus agentes e no seu poder
disciplinar de aplicar penalidades administrativas a estes mesmos agentes.
Alternativa: D

20. Comentário: Esta é a diferença primordial entre órgãos públicos e entidades públicas, pois enquanto aqueles não
possuem personalidade jurídica própria, estas podem ser pessoas jurídicas de direito público ou privado.
Alternativa: B

21. Comentário: O regime jurídico administrativo é o conjunto de traços, de conotações, regras e princípios que
tipificam o Direito Administrativo, colocando a Administração Pública em uma posição privilegiada na relação jurídico
administrativa com os particulares. Entre estas prerrogativas inerentes ao regime jurídico administrativo não encontra-
se o veto presidencial e a proposição de lei, haja vista que se trata de ato legislativo e não administrativo e, ainda, não
temos nesta situação a supremacia do interesse público sobre o particular, como nas outras alternativas.
Alternativa: C

22.Comentário: As autarquias podem ser de vários tipos:


• econômicas: destinadas ao controle e incentivo à produção, circulação e consumo de certas mercadorias (instituto
do Açúcar e do Álcool;
• de crédito: como a Caixa Econômica Federal que hoje é uma Empresa Pública, mas que já foi uma autarquia;
• de previdência e assistência: como o IPESP (Instituto de Previdência do estado de São Paulo);
• profissionais e corporativas; que fiscalizam o exercício das profissões (ex. OAB).
Alternativa: D

23. Comentário: A exigibilidade é o atributo que impele o destinatário à obediência do ato administrativo e às
obrigações por ele impostas, sem necessidade de recorrer as vias judiciais. Exemplos: determinação para que
o particular construa muro no alinhamento da rua ou pode árvores cujos galhos ameaçam a integridade da rede
elétrica.
Alternativa: A

24. Comentário: A Lei no 8.112/90 em seu art. 117, XIII, proíbe ao servidor aceitar comissão, emprego ou pensão de
estado estrangeiro.
Alternativa: D

25. Comentário: A Lei no 8.112/90 em seu art. 126, estatui que a responsabilidade administrativa do servidor será
afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria.
Alternativa: C

26. Comentário: A Lei no 8.112/90 em seu art. 146, determina que sempre que o ilícito praticado pelo servidor ensejar
a imposição de penalidade de suspensão por mais de 30 (trinta) dias, de demissão, cassação de aposentadoria ou
disponibilidade, ou destituição de cargo em comissão, será obrigatória a instauração de processo disciplinar.
Alternativa: B
27. Comentário: A Lei no 8.112/90 determina, em seu art. 132, que a demissão será aplicada nos seguintes casos:
• crime contra a administração pública;
• abandono de cargo;
• inassiduidade habitual;
• improbidade administrativa;
• incontinência pública e conduta escandalosa, na repartição;
• insubordinação grave em serviço;
• ofensa física, em serviço, a servidor ou a particular, salvo em legítima defesa própria ou de outrem;
• aplicação irregular de dinheiro público;
• revelação de segredo do qual se apropriou em razão do cargo;
• lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional;
• corrupção;
• acumulação ilegal de cargos, empregos ou funções públicas;
• transgressão dos incisos IX a XVI do art. 117.
“Art. 117. Ao servidor é proibido:
IX - valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem, em detrimento da dignidade da função pública;
X - participar de gerência ou administração de empresa privada, de sociedade civil, ou exercer o comércio, exceto na
qualidade de acionista, cotista ou comanditário;
XI - atuar, como procurador ou intermediário, junto a repartições públicas, salvo quando se tratar de benefícios
previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau, e de cônjuge ou companheiro;
XII - receber propina, comissão, presente ou vantagem de qualquer espécie, em razão de suas atribuições;
XIII - aceitar comissão, emprego ou pensão de estado estrangeiro;
XIV - praticar usura sob qualquer de suas formas;
XV - proceder de forma desidiosa;
XVI - utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares;”
Alternativa: E

28. Comentário: Todas as demais apresentam órgãos públicos, cuja principal característica é não possuírem
personalidade jurídica.
Alternativa: D

29. Comentário: A remoção é o deslocamento do servidor, a pedido ou de ofício, no âmbito do mesmo quadro, com ou
sem mudança de sede, entendendo-se por modalidades de remoção: de ofício, no interesse da Administração; a
pedido, a critério da Administração e a pedido, para outra localidade, independentemente do interesse da
Administração.
Assim, percebe-se que a remoção não foi criada com a finalidade de punição, sendo que, neste caso, a autoridade
praticou o ato buscando um objetivo diverso do previsto em lei, ou seja, utilizou seu poder desviando-se do
mandamento legal.
Alternativa: A

30. Comentário: As fundações públicas, assim como as pessoas políticas (União, Estados, Distrito Federal e
Municípios) possui personalidade jurídica de direito público, assim, gozam de certos privilégios, porém o poder de
legislar pertence ao Legislativo, não tendo as fundações públicas poder legiferante.
Alternativa: E

31. Comentário: Considera-se poder de polícia a atividade da Administração Pública que, limitando ou
disciplinando direito, interesse ou liberdade, regula a prática de ato ou abstenção de fato, em razão de
interesse público concernente à segurança, à higiene, à ordem, aos costumes, à disciplina da produção e do
mercado, ao exercício de atividades econômicas dependentes de concessão ou autorização do Poder Público,
à tranqüilidade pública ou ao respeito à propriedade e aos direitos individuais e coletivos. (Art. 78 do Código
Tributário Nacional.)
Diante do exposto, a exigência da concessão de alvará de funcionamento ocorre no exercício do poder de polícia na
limitação e condicionamento de atividade.
Alternativa: B

32. Comentário: Atos negociais são aqueles queridos por ambas as partes, sendo este o caso da permissão que,
embora seja unilateral, depende da vontade do particular em obtê-la (por intermédio de pedido), podendo p, porém, ser
revogada a qualquer momento, por ato unilateral da Administração, por motivo de conveniência ou oportunidade.
Alternativa: C

33. Comentário: Os órgãos públicos decorrem da desconcentração, que é uma distribuição de competências dentro de
uma mesma pessoa jurídica.
Alternativa: C

34. Comentário: A estabilidade não é automática, devendo o servidor ser submetido a uma avaliação especial de
desempenho (art. 41, § 4o).
Alternativa: A

35. Comentário: A edição de atos regulamentares decorre do poder regulamentar que a Administração possui e não
de seu poder hierárquico.
Alternativa: A

36. Comentário: Existem dois traços distintos entre a sociedade de economia mista e empresa pública:
• composição do capital: a sociedade de economia mista é constituída por capital público e privado, e a empresa
pública, por capital público;
• forma de organização: a sociedade de economia mista deve ser estruturada sob a forma de sociedade anônima e a
empresa pública sob qualquer das formas admitidas em direito.
Alternativa: E

37. Comentário: Aplicam-se aos servidores ocupantes de cargo público o disposto no art. 7º, IV, VII, VIII, IX, XII,
XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XX, XXII e XXX, podendo a lei estabelecer requisitos diferenciados de admissão
quando a natureza do cargo o exigir.
“CF, Art. 7º -
IV - salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais
básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte
e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua
vinculação para qualquer fim;
VII - garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, para os que percebem remuneração variável;
VIII - décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da aposentadoria;
IX - remuneração do trabalho noturno superior à do diurno;
XII - salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda nos termos da lei;
XV - repouso semanal remunerado, preferencialmente aos domingos;
XVI - remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinqüenta por cento à do normal;
XVII - gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um terço a mais do que o salário normal;
XVIII - licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, com a duração de cento e vinte dias;
XIX - licença-paternidade, nos termos fixados em lei;
XX - proteção do mercado de trabalho da mulher, mediante incentivos específicos, nos termos da lei;
XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança;
XXX - proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de
sexo, idade, cor ou estado civil;”
Alternativa: D

38. Comentário: Com a emenda constitucional n.º 19 de 1998, o servidor estável somente poderá ser demitido
mediante sentença judicial transitada em julgado ou por processo administrativo ou, ainda, mediante avaliação
periódica de desempenho.
Alternativa: A

39. Comentário: Na utilização do Poder de Polícia por parte da Administração pública se faz necessária a aplicação do
princípio da proporcionalidade, exigindo-se uma relação necessária entre a limitação do direito individual e o prejuízo a
ser evitado.
Alternativa: C

40. Comentário: O estatuto dos servidores públicos da União, das Autarquias e da Fundações
Públicas Federais dispõe em seu art. 175 que “no processo revisional, o ônus da prova cabe ao requerente”.
Alternativa: B

41. Comentário: Considera-se encampação a retomada do serviço pelo Poder Concedente durante o prazo da
concessão, tendo a Administração a faculdade de retomar o objeto do contrato, independentemente de recorrer ao
Poder Judiciário (Lei n.º 8.666/93, art. 80, I).
Alternativa: A

42. Comentário: A Administração Pública, subdivide-se entre direta e indireta, fazendo parte desta última as
autarquias, as fundações públicas, as sociedades de economia mista e as empresas públicas.
Alternativa: B

43. Comentário: Segundo o mestre Hely Lopes Meirelles, o Poder de Polícia é a faculdade de que dispõe a
Administração Pública para condicionar e restringir o uso e gozo de bens, atividades e direitos individuais, em benefício
da coletividade ou do próprio Estado.
Alternativa: B

44. Comentário: A responsabilidade do Estado é objetiva, ou seja, independe da comprovação de dolo ou


culpa do agente, podendo, porém, ser movida ação de regresso nos casos deste ter agido com dolo ou
culpa.
Alternativa: C

45. Comentário: O interesse público é irrenunciável pela autoridade administrativa, permanecendo como princípio
norteador da atividade administrativa até mesmo nas relações entre pessoas exclusivamente administrativas.
“Lei n.º 9784/99, art. 2º - A Administração Pública obedecerá dentre outros, aos princípios da legalidade,
finalidade, motivação, razoabilidade, proporcionalidade, moralidade, ampla defesa, contraditório,
segurança jurídica, interesse público e eficiência.
Parágrafo único. Nos processos administrativos serão observados, entre outros, os critérios de:
...
II – atendimento a fins de interesse geral, vedada a renúncia total ou parcial de poderes ou competências,
salvo autorização em lei;”
Alternativa: C

46. Comentário: A concessão de serviços públicos deve ser remunerada por tarifa que tem a natureza e preço público
e é fixada no contrato.
Alternativa: A

47. Comentário: A publicidade da licitação é um de seus princípios mais importantes, sendo que a única
exceção é o conteúdo das propostas até o momento da abertura dos envelopes.
Alternativa: E

48. Comentário: A concessão tem como característica principal a exigência de contrato administrativo para sua
realização, o que não acontece com a permissão e autorização.
Alternativa: B

49. Comentário: Considera-se poder de polícia a atividade da Administração Pública que, limitando ou disciplinando
direito, interesse ou liberdade, regula a prática de ato ou abstenção de fato, em razão de interesse público concernente
à segurança, à higiene, à ordem, aos costumes, à disciplina da produção e do mercado, ao exercício de atividades
econômicas dependentes de concessão ou autorização do Poder Público, à tranqüilidade pública ou ao respeito à
propriedade e aos direitos individuais e coletivos, podendo-se, pelo seu exercício, cobrar taxa. (Art. 78 do Código
Tributário Nacional).
Alternativa: C

50.Comentário: A existência de jurisprudência sobre o assunto já justifica a atuação do agente que, neste caso, estará
atuando no sentido das decisões do Judiciário que é quem, em última instância, poderia anular seu ato.
Alternativa: E

51. Comentário: Segundo Maria Silvia Di Pietro (Direito Administrativo, São Paulo: Atlas, 2003, p. 52), Direito
Administrativo é “o ramo do direito público que tem por objeto os órgãos, agentes e pessoas jurídicas administrativas
que integram a Administração Pública, a atividade jurídica não contenciosa que exerce e os bens de que se utiliza para
a consecução de seus fins, de natureza pública.”
Alternativa: B

52. Comentário: As organizações sociais, os serviços sociais autônomos e as organizações não governamentais, não
são integrantes da Administração Pública, sendo esta composta de órgão e entidades (Autarquias, Empresas públicas,
sociedades de Economia Mista e Fundações).
Alternativa: D

53. Comentário: A redistribuição, que é o deslocamento de cargo de provimento efetivo, ocupado ou


vago no âmbito do quadro geral de pessoal, para outro órgão ou entidade do mesmo Poder, embora prevista na
lei 8.112/90, é considerada inconstitucional pois contraria a regra de que a investidura em cargo público se dê
por concurso.
Alternativa: E

54. Comentário: O direito de regresso somente poderá ser utilizado quando o agente causou o prejuízo com
dolo ou culpa, seja por ação ou omissão.
“CF, art. 37, § 6º - As pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços públicos
responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros, assegurado o direito de
regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.”
Alternativa: B

55. Comentário: Poder Disciplinar é a possibilidade que a Administração possui de punir internamente as infrações
funcionais cometidas por servidores e demais pessoas sujeitas à disciplina dos órgãos e serviços da Administração.
Poder Discricionário é a faculdade que o Poder Público possui de praticar ou deixar de praticar determinado ato
conforme entenda esse ato, conveniente ou inconveniente, para a Administração (ex.: nomeação para cargo em
comissão).
Poder Hierárquico é o poder disposto pela Administração para distribuir e escalonar as funções de seus órgãos,
ordenar e rever a atuação de seus agentes, estabelecendo a relação de subordinação entre os servidores de seu
quadro de pessoal e, ainda, delegar ou avocar funções.
Considera-se poder de polícia a atividade da Administração Pública que, limitando ou disciplinando direito, interesse ou
liberdade, regula a prática de ato ou abstenção de fato, em razão de interesse público concernente à segurança, à
higiene, à ordem, aos costumes, à disciplina da produção e do mercado, ao exercício de atividades econômicas
dependentes de concessão ou autorização do Poder Público, à tranqüilidade pública ou ao respeito à propriedade e
aos direitos individuais e coletivos”.
Alternativa: A
56. Comentário: A caducidade da concessão poderá ser declarada pelo poder concedente quando:
• a concessionária for condenada em sentença transitada em julgado por sonegação de tributos, inclusive
contribuições sociais.
• o serviço estiver sendo prestado de forma inadequada ou deficiente, tendo por base as normas, critérios, indicadores
e parâmetros definidores da qualidade do serviço;
• a concessionária descumprir cláusulas contratuais, ou disposições legais ou regulamentares concernentes à
concessão;
• a concessionária paralisar o serviço ou concorrer para tanto, ressalvadas as hipóteses decorrentes de caso fortuito
ou força maior;
• a concessionária perder as condições econômicas, técnicas ou operacionais para manter a adequada prestação do
serviço concedido;
• a concessionária não cumprir as penalidades impostas por infrações, nos devidos prazos;
• a concessionária não atender a intimação do poder concedente no sentido de regularizar a prestação do serviço;
Alternativa: D

57. Comentário: Determina a CF, no inciso IV de seu art. 38, que em qualquer caso que exija o
afastamento para o exercício de mandato eletivo, o tempo de serviço será contado para todos os efeitos legais,
exceto para promoção por merecimento.
Alternativa: D

58. Comentário: Determina o art. 134, da Lei n.º 8.112/90, que “será cassada a aposentadoria ou a
disponibilidade do inativo que houver praticado, na atividade, falta punível com a demissão.”
Alternativa: A

59. Comentário: A Administração Pública é responsável pelo prejuízo que seu agente, nesta qualidade, causar a
terceiro, sendo que esta responsabilidade deve ressarcir todo e qualquer prejuízo advindo da ação ou omissão
do agente, assim a indenização por lesão pessoal e morte da vítima abrangerá o tratamento, o sepultamento e a
prestação alimentícia às pessoas a quem o falecido a devia, levada em conta a duração provável de sua vida.
Alternativa: C

60. Comentário: A absolvição criminal por inexistência do fato ou negativa de autoria afasta a responsabilidade
administrativa e civil, porém a absolvição por inexistência do crime ou por falta de provas não tem efeito vinculante
sobre a decisão administrativa.
Alternativa: B

61. Comentário: O servidor público estável só perderá o cargo em virtude de sentença judicial
transitada em julgado; mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa ou
mediante procedimento de avaliação periódica de desempenho, na forma de lei complementar, assegurada
ampla defesa
Alternativa: A

62. Comentário: Ainda que o Chefe do Poder Executivo tenha exercido seu poder de veto sobre um projeto de lei e
este tenha sido rejeitado; tendo, assim, a lei sido promulgada, o poder de expedir decreto a fim de regulamentar a lei
ainda persiste com o Executivo.
Alternativa: B

63. Comentário: A desapropriação pode ser declarada por qualquer pessoa política (União, Estados, Distrito Federal,
Territórios ou Municípios) ou administrativa como concessionárias de serviço público, sociedades de economia mista,
autarquias, fundações públicas e empresas públicas, devendo as pessoas administrativas, segundo o art. 3o, do
Decreto-Lei federal n.º 3.365/41, estarem autorizadas em lei ou contrato.
Alternativa: C

64. Comentário: A sociedade de economia mista que explore atividade econômica deve estar sujeita ao mesmo
regime jurídico tributário das demais empresas, caso contrário estaria o Estado fazendo concorrência desleal e
infringindo o fundamento da livre iniciativa previsto no art. 1o da CF.
Alternativa: E

65. Comentário: Recondução é o retorno do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado em


virtude de inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo ou reintegração do anterior ocupante,
sendo que, encontrando-se provido o cargo de origem, o servidor será aproveitado em outro.
Alternativa: B

66. Comentário: A Lei n.º 8.112/90 assegura ao servidor público federal:


“Art. 76. Independentemente de solicitação, será pago ao servidor, por ocasião das férias, um adicional
correspondente a 1/3 (um terço) da remuneração do período das férias.
Art. 87. Após cada qüinqüênio de efetivo exercício, o servidor poderá, no interesse da Administração, afastar-se do
exercício do cargo efetivo, com a respectiva remuneração, por até três meses, para participar de curso de capacitação
profissional. (redação dada pela Lei nº 9.527, de 10/12/97)
Art. 92. É assegurado ao servidor o direito à licença sem remuneração para o desempenho de mandato em
confederação, federação, associação de classe de âmbito nacional, sindicato representativo da categoria ou entidade
fiscalizadora da profissão, observado o disposto na alínea “c” do inciso VIII do art. 102 desta Lei, conforme disposto em
regulamento e observados os seguintes limites: (redação dada pela Lei nº 9.527, de 10/12/97)
I - para entidades com até 5.000 associados, um servidor; (redação dada pela Lei nº 9.527, de 10/12/97)
II - para entidades com 5.001 a 30.000 associados, dois servidores; (redação dada pela Lei nº 9.527, de 10/12/97)
III - para entidades com mais de 30.000 associados, três servidores. (redação dada pela Lei nº 9.527, de 10/12/97)
Alternativa: E

67. Comentário: A alternativa “C” limita-se a reproduzir o disposto no art. 37, XIX, da Constituição Federal.
Alternativa: C

68. Comentário: A responsabilidade do servidor á a que decorre, notadamente, da prática de crimes


funcionais, sendo que, segundo o mestre Hely Lopes Meirelles: A responsabilidade criminal á a que resulta do
cometimento de crimes funcionais.”.
Assim, diante do exposto a afirmação da alternativa “a” de que “A responsabilidade penal abrange exclusivamente os
crimes imputados ao servidor, nessa qualidade”, não nos parece errada.
Diante do exposto, o único entendimento possível para considerá-la incorreta, ainda que não concordemos, é de que é
possível o servidor ser demitido pela prática de crime não relacionada à sua função, como por exemplo um homicídio
doloso, não sendo, portanto, responsável administrativamente somente pelos crimes que cometer na qualidade de
servidor.
Alternativa: A

69. Comentário: O desvio de poder ocorre tanto quando infringida a finalidade legal do ato quanto desatendido seu
interesse público.
Alternativa: D

70. Comentário: Não poderá retornar ao serviço público federal o servidor que for demitido ou destituído do cargo em
comissão por:
I. crime contra a administração pública;
II. improbidade administrativa;
III. aplicação irregular de dinheiros públicos;
IV. lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional;
V. corrupção.
Alternativa: E