Sei sulla pagina 1di 5

Atividade Avaliatória Presencial de Observação Direta

Modernismo Portugal e Vanguardas Europeias


1. Embora existam divergências sobre sua estruturação, o Modernismo em Portugal pode ser dividido em:
a) Presencismo, Futurismo e Realismo.
b) Orfismo, Presencismo e Neorrealismo.
c) Orfismo, Neorrealismo e Romantismo.
d) Orfismo, Presencismo e Futurismo.
e) Humanismo, Cubismo e Neorrealismo.

2. Sobre o Modernismo português estão corretas as seguintes proposições:

I. O Modernismo em Portugal costuma ser dividido em duas partes, Orfismo (primeira geração) e Presencismo (segunda geração),
muito embora alguns estudiosos considerem os movimentos neorrealistas e surrealistas como vertentes modernistas.
II. Entre os principais ideais dos presencistas, estavam a busca por uma literatura inovadora influenciada pelo Futurismo e pelo
Cubismo, o rompimento com o passadismo da literatura de caráter histórico e a retratação do homem e seu espanto de existir.
III. A Revista Presença, publicação literária de maior êxito durante os anos do Modernismo, foi responsável por divulgar os ideais do
Presencismo, consolidando as conquistas dos escritores que representaram a primeira fase do movimento.
IV. Surgido em um período de lutas de classes sociais e de crises religiosas, o Modernismo português foi marcado por uma literatura
cuja linguagem refletia os estados de tensão da alma humana e que era permeada pelo rebuscamento e por figuras de linguagem de
difícil compreensão.
V. Marcado pelo subjetivismo, nostalgia, melancolia e combinação de vários gêneros literários, o Modernismo português marcou o fim
do Neoclassicismo, instaurando um novo modo de expressão em Portugal e em toda a Europa.

a) I e III. b) Todas estão corretas. c) II, IV e V. d) I e II. e) III e IV.

3. (UNESP 2016/1) Leia um trecho do “Manifesto do Surrealismo”, publicado por André Breton em 1924.
“Surrealismo: Automatismo psíquico por meio do qual alguém se propõe a exprimir o funcionamento real do pensamento. Ditado do
pensamento, na ausência de controle exercido pela razão, fora de qualquer preocupação estética ou moral. O Surrealismo assenta-se na
crença da realidade superior de certas formas de associação, negligenciadas até aqui, na onipotência do sonho, no jogo desinteressado
do pensamento. (Apud Gilberto Mendonça Teles. Vanguarda europeia e Modernismo brasileiro, 1992. Adaptado.)

Tendo em vista as considerações de André Breton, assinale a alternativa cujos versos revelam influência do Surrealismo.

a) b) c)
O mar soprava sinos Meu pai montava a cavalo, ia para o campo. Quando o enterro passou
os sinos secavam as flores Minha mãe ficava sentada cosendo. Os homens que se achavam no café
as flores eram cabeças de santos. Meu irmão pequeno dormia. Tiraram o chapéu maquinalmente
Minha memória cheia de palavras Saudavam o morto distraídos
meus pensamentos procurando fantasmas Eu sozinho menino entre mangueiras Estavam todos voltados para a vida
meus pesadelos atrasados de muitas lia a história de Robinson Crusoé. Absortos na vida
noites. Comprida história que não acaba mais. Confiantes na vida.
(João Cabral de Melo Neto, “Noturno”, (Carlos Drummond de Andrade, “Infância”, (Manuel Bandeira, “Momento num
em Pedra do sono.) em Alguma poesia.) café”, em Estrela da manhã.)

d) e)
Trabalhas sem alegria para um mundo caduco, – Bem me diziam que a terra
onde as formas e as ações não encerram nenhum se faz mais branda e macia
[exemplo. quanto mais do litoral
Praticas laboriosamente os gestos universais, a viagem se aproxima.
sentes calor e frio, falta de dinheiro, fome e desejo Agora afinal cheguei
[sexual. nessa terra que diziam.
(Carlos Drummond de Andrade, “Elegia 1938”, em Sentimento Como ela é uma terra doce
do mundo.) para os pés e para a vista.
(João Cabral de Melo Neto, “O retirante chega à Zona da Mata”,
em Morte e vida severina.)

4. (SARESP) Leia o texto e responda à questão.

Erro de português – Oswald de Andrade No poema, o fato histórico que o poeta modernista Oswald de
Andrade usa como referência é a:
Quando o português chegou
Debaixo duma bruta chuva a. descoberta da América.
Vestiu o índio b. vinda da Família Real para o Brasil.
Que pena! Fosse uma manhã de sol c. chegada dos portugueses ao Brasil.
O índio tinha despido d. Inconfidência Mineira.
O português
5. (UEL-2007) Com base nos conhecimentos sobre o movimento modernista brasileiro, assinale a alternativa que engloba as
imagens que estão a ele associadas:

a) 1, 2 e 6. b) 1, 3 e 5. c) 2, 4 e 5. d) 3, 4 e 5. e) 3, 4 e 6.

6. (Enem – 2016)

TEXTO II - A existência dos homens criadores modernos é muito


mais condensada e mais complicada do que a das pessoas dos séculos
precedentes. A coisa representada, por imagem, fica menos fixa, o
objeto em si mesmo se expõe menos do que antes. Uma paisagem
rasgada por um automóvel, ou por um trem, perde em valor descritivo,
mas ganha em valor sintético. O homem moderno registra cem vezes
mais impressões do que o artista do século XVIII. (LEGÉR, F. Funções
da pintura. São Paulo: Nobel, 1989.)

A vanguarda europeia, evidenciada pela obra e pelo texto, expressa os


ideais e a estética do:

a) Cubismo, que questionava o uso da perspectiva por meio da


fragmentação geométrica.
b) Expressionismo alemão, que criticava a arte acadêmica, usando a
deformação das figuras.
c) Dadaísmo, que rejeitava a instituição artística, propondo a anti-arte.
d) Futurismo, que propunha uma nova estética, baseada nos valores da
vida moderna.
e) Neoplasticismo, que buscava o equilíbrio plástico, com utilização da
direção horizontal e vertical.
7. (Enem 2010) O modernismo brasileiro teve forte 8. (Puc-2006) Considerando os poemas de "O
influência das vanguardas europeias. A Guardador de Rebanhos", que integram a obra
partir da Semana de Arte Moderna, esses poética de Alberto Caeiro, é correto afirmar que
conceitos passaram a fazer parte da arte nela:
brasileira definitivamente. Tomando a) o entendimento do mundo e a interpretação da
como referência o quadro O mamoeiro, realidade resultam do extremo racionalismo do
identifica-se que, nas artes plásticas, a eu-lírico.
b) a sensação do mundo e a radical opção pela
a) imagem passa a valer mais que as natureza se fazem presentes aí mais claramente,
formas vanguardistas. ao mesmo tempo que se dá a negação radical das
b) forma apresenta contornos e detalhes metafísicas e das transcendências.
humanos. c) o conhecimento direto das coisas e do mundo
c) natureza passa a ser admirada como advém fundamentalmente da razão e mostra-se
um espaço utópico. desvinculado da sensação.
d) imagem privilegia uma ação moderna d) o conceito de paganismo, presente na obra,
O mamoeiro – Tarsila do Amaral e industrializada. define-se por uma postura anticristã e pela
e) forma estética ganha linhas retas e negação do conhecimento do mundo sensível.
valoriza o cotidiano. e) o contato com a natureza e o conceito direto
das coisas impedem, na obra, a existência de uma
lógica igual à da ordem natural.

9. Relacione os fragmentos a seguir de acordo com as características dos heterônimos e ortônimo de Fernando Pessoa:

I. III. IV. Não sei quantas almas tenho. ( ) Fernando Pessoa.


“(...) Mas serenamente “(...) Eu não tenho filosofia: tenho Cada momento mudei. ( ) Álvaro de
Imita o Olimpo sentidos... Continuamente me estranho. Campos.
No teu coração. Se falo na Natureza não é porque Nunca me vi nem acabei. ( ) Alberto Caeiro.
Os deuses são deuses saiba o que ela é, De tanto ser, só tenho alma. ( ) Ricardo Reis.
Porque não se pensam.” mas porque a amo, e amo-a por Quem tem alma não tem calma.
isso, Quem vê é só o que vê, a) IV, II, III e I.
II. Porque quem ama nunca sabe o Quem sente não é quem é.” b) I, II, IV e III.
“(...) Começo a conhecer-me. que ama c) III, I, IV e II.
Não existo. Nem sabe por que ama, nem o d) II, IV, I e III.
Sou o intervalo entre o que que é amar ...
desejo ser e os outros me Amar é a eterna inocência,
fizeram, E a única inocência não pensar...”.
ou metade desse intervalo,
porque também há vida ...
Sou isso, enfim (...)”.

10. (Enem 2004)


A tira Hagar e o poema de Alberto Caeiro (um dos
heterônimos de Fernando Pessoa) expressam, com
linguagens diferentes, uma mesma ideia: a de que a
compreensão que temos do mundo é condicionada,
essencialmente,

a) pelo alcance de cada cultura.


b) pela capacidade visual do observador.
c) pelo senso de humor de cada um.
A tirinha de Hagar estabelece um interessante contraponto com o d) pela idade do observador.
poema Eu sou do tamanho do que vejo, de Alberto Caeiro: e) pela altura do ponto de observação.

[...] Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo...


Por isso minha aldeia é grande como outra qualquer
Porque sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura...

11. (MACKENZIE) O poeta ligado ao sentimento nacionalista que tomou conta de Portugal em meio às crises do primeiro
período republicano, responsável por Mensagem, obra que retomou a formação de sua pátria, a identificação com o mar, o
sonho de um império grande e forte foi:
a) Alberto Caeiro.
b) Ricardo Reis.
c) Mário de Sá-Carneiro.
d) Fernando Pessoa ele mesmo.
e) Álvaro de Campos.
12. (Enem 2014)
A perplexidade causada pela catástrofe da Primeira Guerra Mundial fez surgir um movimento
de vanguarda denominado Dadaísmo, que rejeitava os valores tradicionais e rompia com a
estética clássica. A imagem da obra “O gigante acéfalo”

a) explora elementos sensoriais para explicar a racionalidade do pós-guerra.


b) recria a realidade para combater os padrões estéticos da época.
c) organiza as formas geométricas para inovar as artes visuais.
d) representa as experiências individuais de exaltação.
e) utiliza a sensibilidade para retratar o drama humano.

13. (Enem 2015)


O Surrealismo configurou-se como uma das vanguardas artísticas europeias do início do
século XX. René Magritte, pintor belga, apresenta elementos dessa vanguarda em suas
produções. Um traço do Surrealismo presente nessa pintura é o(a):

a) justaposição de elementos díspares, observada na imagem do homem no espelho.


b) crítica ao passadismo, exposta na dupla imagem do homem olhando sempre para frente.
c) construção de perspectiva, apresentada na sobreposição de planos visuais.
d) processo de automatismo, indicado na repetição da imagem do homem.
e) procedimento de colagem, identificado no reflexo do livro no espelho.

14. (Enem 2017)


b)

c)

d)

a)
e)