Sei sulla pagina 1di 28
MATERIAL DO CURSO Análise Comportamental APOSTILA 04
MATERIAL DO CURSO Análise Comportamental APOSTILA 04

MATERIAL DO CURSO

Análise Comportamental

APOSTILA 04

O que é epistemologia?
O que é epistemologia?

O que é epistemologia?

Filosofia da Ciência

Filosofia da Ciência  A partir do século XVII, a reflexão sobre os fundamentos, a validade
Filosofia da Ciência  A partir do século XVII, a reflexão sobre os fundamentos, a validade

A partir do século XVII, a reflexão sobre os fundamentos, a validade e os limites do conhecimento científico transformou-se num dos ramos essenciais da filosofia. À

época moderna pode ser definida pela

emergência de uma nova concepção de ciência e de método, e tanto Locke como

Descartes constituem a consciência

filosófica desta nova situação (

)

Perspectivas de compreensão

Perspectivas de compreensão  Teorias de conhecimento  Filosofia da ciência (empirismo, racionalismo) 
Perspectivas de compreensão  Teorias de conhecimento  Filosofia da ciência (empirismo, racionalismo) 

Teorias de conhecimento

Filosofia da ciência (empirismo,

racionalismo) Epistemologia Lógica

História das ciências (filosofia,

sociologia, história)

História das ciências

História das ciências  Internalistas: voltadas para a racionalidade e a normatividade científica (Bachelard) 
História das ciências  Internalistas: voltadas para a racionalidade e a normatividade científica (Bachelard) 

Internalistas: voltadas para a racionalidade e a normatividade científica (Bachelard)

Externalistas: discutem as relações da ciência com as questões sociais,

comunidade científica (Khun)

Perspectiva recente

Perspectiva recente  A expistemologia como reflexividade sobre as relações entre a normatividade, resultados
Perspectiva recente  A expistemologia como reflexividade sobre as relações entre a normatividade, resultados

A expistemologia como reflexividade sobre as relações entre a normatividade, resultados tecnológicos e sociais advindos do conhecimento científico no mundo contemporâneo.

Epistemologia e EF

Epistemologia e EF  Pesquisa sobre a produção do conhecimento divulgada nos anis dos conbraces, GTT
Epistemologia e EF  Pesquisa sobre a produção do conhecimento divulgada nos anis dos conbraces, GTT

Pesquisa sobre a produção do conhecimento divulgada nos anis dos conbraces, GTT Epistemologia, na década de 90 (Nóbrega et al, RBCE,

2003)

Pensar o conhecimento da área

Demarcação da ciência

Demarcação da ciência  Ciência versus opinião  Para Popper tudo que é humano mescla sentido
Demarcação da ciência  Ciência versus opinião  Para Popper tudo que é humano mescla sentido

Ciência versus opinião

Para Popper tudo que é humano mescla sentido e significado

EF: movimento humano ou o homem que se movimenta (sentidos e significados)

Metabolismo, percepções, desejos, crenças

A ciência é um conhecimento do tipo descritivo (sentidos e significados)

Ciência como Descrição

Ciência como Descrição  A partir do momento em que lidamos com um ser vivo, nós
Ciência como Descrição  A partir do momento em que lidamos com um ser vivo, nós

A partir do momento em que lidamos com um ser vivo, nós sabemos que o modo de descrição

pertinente deve incluir o "ponto de vista" do ser

vivo sobre seu mundo, que este ponto de vista seja indissociável de seu metabolismo, como é o caso da ameba, quer ele possa ser remetido a

uma dimensão psíquica, como parece ser o caso

dos mamíferos. Quer se trate da ameba, do chimpanzé ou de nós mesmos, nós não podemos ser descritos sem que seja levado em

conta o fato de que os meios ambientes não são

todos equivalentes para nós (Stengers, Idem,

p.59).

A estrutura cognitiva da ciência

e a experiência social

A estrutura cognitiva da ciência e a experiência social  A ciência Experimental  A ciência
A estrutura cognitiva da ciência e a experiência social  A ciência Experimental  A ciência

A ciência Experimental

A ciência de Campo

A ciência Teórica

Ciências Puras ou Aplicadas?

Ciências Puras ou Aplicadas?  A distinção entre ciências puras e ciências aplicadas remete à polarização
Ciências Puras ou Aplicadas?  A distinção entre ciências puras e ciências aplicadas remete à polarização

A distinção entre ciências puras e ciências aplicadas remete à polarização sobre as metas

da ciência em sua busca desinteressada pelo

conhecimento da realidade e sobre a utilidade

do conhecimento no interior de uma sociedade preocupada com uma cultura útil, como é o

caso da cultura renascentista e em grande

escala na sociedade contemporânea.

Decifra-me ou te devoro!

Decifra-me ou te devoro!  A esfinge propõe aos homens diversas perguntas difíceis e enigmas que
Decifra-me ou te devoro!  A esfinge propõe aos homens diversas perguntas difíceis e enigmas que

A esfinge propõe aos homens diversas perguntas difíceis e enigmas que recebeu das

musas. Quando essas questões passam das

musas para a esfinge, isto é, da contemplação à prática fazem-se necessárias a ação presente, a escolha e a decisão, e é então que

elas se tornam dolorosas e cruéis.

Bacon, não está afirmando a distinção convencional entre as pesquisas puras e suas aplicações. Na figura do monstro, ele

reconhece a intenção de distinguir partes

separadas e mostra que essa separação é impossível na prática (Shattuck, 1998, p.179).

A ciência não é neutra

A ciência não é neutra  Entre o encantamento da fórmula E=mc² e Hiroshima, tornou-se evidente
A ciência não é neutra  Entre o encantamento da fórmula E=mc² e Hiroshima, tornou-se evidente

Entre o encantamento da fórmula E=mc² e

Hiroshima, tornou-se evidente a existência de um declive cada vez mais escorregadio, sobre o qual as boas intenções e as dores de consciência individuais tinham pouco poder. Tendemos a creditar que qualquer verdade cientifica epistemologicamente relevante possui importância para nossas vidas e que restringir sua obtenção ou aplicação contradiz a própria natureza da verdade (Idem, p.182).

O Objeto e as problemáticas

O Objeto e as problemáticas  O objeto científico é construído a partir da colocação de
O Objeto e as problemáticas  O objeto científico é construído a partir da colocação de

O objeto científico é construído a partir da colocação de problemáticas, o mundo científico apresenta-se a partir de problemas bem definidos

Quais as problemáticas/objetos na Pesquisa em EF?

O modelo teórico-experimental e a interpretação hermenêutica:

o método explica e compreende

hermenêutica: o método explica e compreende  A questão do método científico envolve a reflexão
hermenêutica: o método explica e compreende  A questão do método científico envolve a reflexão

A questão do método científico envolve a reflexão sobre os procedimentos explicativos e sobre a interpretação que de modo geral identificou as ciências naturais e humanas.

Explicar e compreender

Explicar e compreender  Explicar e compreender foram duas noções em que se polarizavam duas concepções
Explicar e compreender  Explicar e compreender foram duas noções em que se polarizavam duas concepções

Explicar e compreender foram duas

noções em que se polarizavam duas concepções sobre a ciência e o conhecimento, duas concepções

filosóficas sobre o próprio homem.

Atualmente caminha-se noutra perspectiva diante da oposição explicação-compreensão; passando a

ser concebidas ou como um processo

intelectual voltado à diferentes níveis de referência ou como aspectos diferentes do conhecimento que a ciência tenta

conciliar.

Exemplos

Exemplos  o reconhecimento antropológica presentes em diferentes ciências; o surgimento de novas disciplinas
Exemplos  o reconhecimento antropológica presentes em diferentes ciências; o surgimento de novas disciplinas

o reconhecimento antropológica presentes em

diferentes ciências; o surgimento de novas disciplinas científicas que se enquadram tanto

no cruzamento como na fronteira entre as

relações natureza/ humanidade. A prática interdisciplinar da investigação científica, vem a cada dia sendo ampliada às diferentes áreas do conhecimento, em que o conhecimento

produzido por essa prática corrobora com o entendimento acerca da proximidade crescente entre as ciências naturais e as sociais (Santiago, 2003, p.16).

A comunidade científica e as

especialidades

A comunidade científica e as especialidades  A autoridade da ciência é dinâmica e sua existência
A comunidade científica e as especialidades  A autoridade da ciência é dinâmica e sua existência

A autoridade da ciência é dinâmica e

sua existência depende da renovação

contínua de uma determinada comunidade científica.

Aqui também coloca-se a educação

científica como necessária para o entendimento das especialidades

como uma prática construída e não

posta naturalmente.

Comunidade científica e EF

Comunidade científica e EF  O desenvolvimento e a valorização da pesquisa coaduna-se com a lógica
Comunidade científica e EF  O desenvolvimento e a valorização da pesquisa coaduna-se com a lógica

O desenvolvimento e a valorização da

pesquisa coaduna-se com a lógica da

cultura científica, o que no interior da Educação Física, área

profissionalmente orientada para a

intervenção, encontra dificuldades,

por exemplo no fato de que o corpo

docente em grande medida não é

constituído por pesquisadores ( Tani, 1996; Santin, 2003).

A comunidade científica da EF

A comunidade científica da EF  Santin ( 2003) retoma as preocupações colocadas por Valter Bracht
A comunidade científica da EF  Santin ( 2003) retoma as preocupações colocadas por Valter Bracht

Santin ( 2003) retoma as preocupações

colocadas por Valter Bracht a respeito das dificuldades da educação Física no campo da Educação, sobretudo a partir dos apelos do mercado da atividade física, fitness, promoção de saúde; bem como o fato do espaço da Educação Física na Universidade ter se constituído apenas como um curso e não como área acadêmica, o que é atestado na história da Educação Física brasileira.

EF: Ciências naturais ou ciências

humanas?

EF: Ciências naturais ou ciências humanas?  Indicadores apontam para uma gama bastante ampla de áreas
EF: Ciências naturais ou ciências humanas?  Indicadores apontam para uma gama bastante ampla de áreas

Indicadores apontam para uma gama bastante ampla de áreas de enquadramento da Educação Física que vão

desde as Ciências Biológicas, passando pela

Saúde, até a Educação e as Ciências Sociais Aplicadas. Esses dados demonstram, pelo menos em princípio, diferentes delimitações científicas em jogo, assim como diferentes

objetos de atividade científica e diversos

objetivos de inserção social, não só pelos

profissionais e comunidade científica do campo da Educação Física, como pela

Sociedade em geral ( Silva, 2002, p. 59).

Ciências da Vida

Ciências da Vida  Precisamos considerar a relação histórica da Educação Física nas ciências biomédicas ou
Ciências da Vida  Precisamos considerar a relação histórica da Educação Física nas ciências biomédicas ou

Precisamos considerar a relação histórica da Educação Física nas ciências biomédicas ou ciências da saúde; bem como, considerar a dinâmica do desenvolvimento

das ciências da vida nesse conjunto,

considerando-se o diálogo entre as ciências biológicas e as ciências humanas, como

apontado em vários trabalhos de referência

( Canguilhem, 1977; 2002; Gadamer, 1997; Maturana e Varela, 1995; 1997).

O viver com, a natureza do

conhecimento

O viver com, a natureza do conhecimento  Para Arendt ( 2001), contemplação e ação, observação
O viver com, a natureza do conhecimento  Para Arendt ( 2001), contemplação e ação, observação

Para Arendt ( 2001), contemplação e ação, observação e verificação passaram a fazer parte de domínios separados: a verdade científica e a verdade filosófica.

Palomar

Palomar  Sinto-me, guardadas as devidas proporções, como o senhor Palomar, este silencioso senhor com nome
Palomar  Sinto-me, guardadas as devidas proporções, como o senhor Palomar, este silencioso senhor com nome

Sinto-me, guardadas as devidas proporções, como o senhor Palomar, este silencioso senhor

com nome de telescópio, protagonista desse

texto de Calvino.

O senhor Palomar se detém a observar, com método rigoroso, tartarugas, pássaros e ervas

daninhas em seu jardim; concentrando-se nos

detalhes para captar o sentido das coisas com precisão, mas os significados se multiplicam e é com se cada ponto da realidade contivesse o

infinito e fosse, portanto, impossível concluir a

observação e chegar a evidências claras e distintas.

Palomar

Palomar  Por outro lado, a atitude do Senhor Palomar também nos diz que as grandes
Palomar  Por outro lado, a atitude do Senhor Palomar também nos diz que as grandes

Por outro lado, a atitude do Senhor

Palomar também nos diz que as

grandes questões do mundo e da existência estão presentes em cada

objeto que observamos, em cada

cena que presenciamos, e que tudo é

digno de ser interrogado e pensado.

Encontro aqui na leitura de Calvino, a

profunda relação entre os domínios dos saberes e os domínios da vida.

Produção, Edição, Elaboração e Revisão de Texto: ESCON - Escola de Cursos Online Proibida a
Produção, Edição, Elaboração e Revisão de Texto: ESCON - Escola de Cursos Online Proibida a
Produção, Edição, Elaboração e Revisão de Texto: ESCON - Escola de Cursos Online Proibida a

Produção, Edição, Elaboração e Revisão de Texto:

ESCON - Escola de Cursos Online Proibida a reprodução total ou parcial sem permissão expressa da ESCON. (Lei 9.619/98)