Sei sulla pagina 1di 3

A Unidade Impulsiona o Crescimento da Igreja

Ef. 4.1-6

OBJETIVO:

INTRODUÇÃO: A nossa unidade converge para o único Deus e Pai de todos, conforme
1ª Cor.8:6; 12:5,6). Todos aqueles que são trazidos de volta ao Pai por meio de Jesus
Cristo, são feitos seus filhos e também sua imagem. Isso compreende dizer que todos os
cristãos pertencem a uma mesma família e partilha da convicção de que Deus é seu Pai,
e por isso , cf. Ef.4:6 é “Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em
todos”.
A convicção que temos em Deus é que deve nos unir mais intimamente do que qualquer
outro laço humano.
A profunda, ampla e verdadeira unidade só pode ser encontrada na comunhão daqueles
que partilham da mesma fé e experiência. A Igreja do Senhor Jesus possui uma fé tão
gloriosa que as divisões que surgem são uma verdadeira tolice e que só vem para
enfraquecer o testemunho da igreja.
Deus tem nos dado uma grande herança que é a fé, e por isso somos responsáveis por
guardar a unidade do Espírito porque temos essa herança. Observemos que a variedade
dos dons é infinda para todos que são membros do corpo e que depende um dos outros.
CALVINO afirma: “nenhum membro do Corpo de Cristo recebe tal perfeição que o torne
apto a suprir suas próprias necessidades, sem assistência dos outros”.
Cada um de nós tem dons diferentes para serem usados em benefícios de todos. Cada
um de nós tem uma chamada especial para o serviço de Deus. Essa distribuição feita por
Deus nada mais é que para não haver lugar para nos vangloriarmos. Nenhum de nós,
que fazemos parte do Corpo de Cristo, pode dizer que não tem uma tarefa espiritual a
cumprir e que para o cumprimento dessa tarefa Deus tem nos dado o respectivo Dom
para executá-lo.
O Senhor oferta abundantemente “à proporção do Dom” (Ef.4:7; 1ªCor.12:4; Rm.12:3-
8). O Dom nos foi dado como promessa quando da Sua ascensão, conf. Jo.14:12-14 “12.
Cristo é o Grande Conquistador, Sl.68:18, recebe dons e presentes que pode ofertar aos
que neles creem. Este salmo encontra uma aplicação em Cristo, que conquistou Seus
inimigos retornou triunfalmente ao trono do Seu Pai, desta vez para conceder bênçãos a
Seu povo. De fato, seus antigos inimigos, que Ele conduz em triunfo (2ª Cor. 2:14 “E
graças a Deus que sempre nos faz triunfar em Cristo, e por meio de nós manifesta em
todo o lugar a fragrância do seu conhecimento”) entre os quais o próprio Paulo se inclui,
são seus dons à igreja.
Saibamos então que o Dom que Deus nos tem dado é para uso e benefício da Sua igreja
e não para enriquecimento pessoal.
Os ministérios na igreja têm como principal objetivo o aperfeiçoamento dos santos
(Hb.11:3); aperfeiçoar no sentido de restaurar a saúde espiritual de alguém que caiu ou
que está debilitado (Gl.6:1). A ideia seria no sentido de levar cada um a tornar-se apto
para o desempenho de suas funções no corpo. O que é feito para os santos e pelos santos
é para edificação do corpo de Cristo.

CONTEXTO:

TRANSIÇÃO:
I – O QUE DEVE OCORRER NA VIDA DA IGREJA.

– A fé deve ser participada – v.5 “Um só Senhor, uma só fé, um só batismo”.


– Pessoas diferente, mas que chegam a uma mesma compreensão;
– A compreensão deve ser crescente, progressiva;
– O objetivo disso tudo é justamente a unidade;
– A unidade em Cristo consiste em nós termos o mesmo sentimento cristão: amor, fé,
fraternidade, busca de Deus, evangelização, etc;
– Uma das provas que a igreja está unida pelo amor de Jesus é quando ela evangeliza –
cf.Jo.13:35. “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos
outros”. O mundo vai reconhecer que realmente temos Deus conosco e fazemos o que
Ele manda.

II – UNIDADE NO PLENO CONHECIMENTO DO FILHO DE DEUS.

– Jamais conseguiremos conhecer alguém só pela mente- conf. Ef. 1:17;


– Temos que conhecer alguém pela comunhão que temos com ela;
– Este alguém é: JESUS CRISTO(cf.Rm.1:4; Gl.2:20; 1ª Ts.1:10);
– É ter certeza de vida eterna – Cl. 1:10;
– Conhecer a vontade do Senhor;
– Entender quando algo em nossa vida é da vontade de Deus;
– Ter sabedoria – transbordar no conhecimento de Deus – Fp.1:9-10.

III – DESENVOLVER À MEDIDA DA ESTATURA DA PLENITUDE DE


CRISTO.

– As expressões aqui falam de maturidade;


– A palavra perfeita (teleios), conota = desenvolvimento (1ª Cor.2:6; 14:20; Hb.5:14);
– A maturidade envolve a unidade (Ef. 2:15);
– O Padrão do Cristão é a plenitude de Cristo, cf.Ef.1:23;
– Cristo quer nos comunicar e nos dar os seus dons para que a posse da benção divina
em nossa vida seja completa;
– O cristão deve marchar para frente nesta “santa” ambição;
– Pelo Espírito Santo nos tornamos participantes da natureza divina – Jo. 1:16
– Nós somos o complemento de Cristo, que é o cabeça – somos corpo – salvos e remidos,
portanto estamos dentro da plenitude dEle, cf. Ef. 1:22-23.

CONCLUSÃO:

Todo o crescimento, como a própria atividade de cada um dos membros, está sob a Sua
direção (DE CRISTO). Os membros só podem ser saudáveis e fortes quando cada um é
obediente ao controle de Cristo.
É só de Cristo que o corpo recebe toda a capacidade de desenvolver sua atividade e
crescer, recebendo assim uma única direção para funcionar de forma ordenada (conf.
Col. 2:19, “E não ligado a cabeça, da qual todo o corpo, provido e organizado pelas juntas
e ligaduras, vai crescendo em aumento de Deus” Ef.2:21 “No qual todo o edifício, bem
ajustado, cresce para o templo santo no Senhor”. – quer dizer que temos que estar
juntos, amarrados, entrelaçados, ligados, como forma de reconciliar aqueles que estão
brigados. Orientados pelo Cabeça, CRISTO, é possível a unidade funcionar. O corpo para
crescer depende de atividade, isto é, da direção do Senhor, da Sua provisão para tudo
que necessitamos (v.11 e 12) e também de um bom relacionamento.
A palavra junta, no original, tem o sentido de “toque”, “contato” . Então, junta (toque),
direção do Senhor, é o que nós precisamos para crescer em FÉ, NO PLENO
CONHECIMENTO DO FILHO DE DEUS e NA ESTATURA DA PLENITUDE DE
CRISTO.
A atuação do Espírito Santo de Deus no corpo torna possível o funcionamento por igual
em todo o corpo. Ninguém fica pensando só em si, mas em todo o corpo. A edificação da
igreja não depende do seu crescimento numérico, mas do seu crescimento espiritual.
Este crescimento acontece em amor (cf. Ef.1:4;3:17; 4:2; 5:2), pois o amor é o fator
determinante para edificação de todos.
Se há comunhão, há demonstração de amor e consequentemente o aumento numérico
virá naturalmente.
Que Deus pois nos abençoe em o nome do SENHOR JESUS CRISTO! AMÉM!