Sei sulla pagina 1di 71

ELETROTÉCNICA

MAGNETISMO

Faculdade UCL
1
INTRODUÇÃO

O magnetismo possui um papel importante em quase


todos os equipamentos elétricos usados atualmente na
indústria, pesquisa, ou residências.

Geradores, motores, transformadores, disjuntores,


telefone, e muitos outros dispositivos aplicam o
magnetismo para executar uma série de tarefas
importantes.

2
CONCEITOS BÁSICOS
Os polos magnéticos têm uma propriedade semelhante às cargas elétricas:
Polos iguais se repelem, polos diferentes se atraem.

Mas a semelhança param por aí. Não existem polos magnéticos separados,
como existem as cargas positivas e negativas. Por isso não é possível ter um
ímã com uma só polaridade.

Quando um ímã se parte, cada pedaço se torna um novo ímã com dois polos, norte e sul,
qualquer que seja o número de pedaços ou o tamanho de cada um.

3
CONCEITOS BÁSICOS

(Cesgranrio-RJ) Aproxima-se uma barra imantada de uma


pequena bilha de aço, observa-se que a bilha:

a) é atraída pelo pólo norte e repelida pelo pólo sul


b) é atraída pelo pólo sul e repelida pelo pólo norte
X c) é atraída por qualquer dos pólos
d) é repelida por qualquer dos pólos
e) é repelida pela parte mediana da barra

4
CONCEITOS BÁSICOS
Por que o ímã atrai o ferro?
Um ímã atrai o ferro quando, mediante a aplicação de um campo magnético, ocorre o
alinhamento de seus ímãs elementares.
O ferro, o níquel, o cobalto e algumas ligas metálicas são ditas substâncias ou materiais
ferromagnéticas, ou seja, na presença de um campo magnético eles se imantam fortemente,
fazendo com que o campo magnético resultante seja bem maior que o inicial. Mas por que um
pedaço de ferro é atraído pelos pólos de um ímã? Imagine um pedaço de ferro, inicialmente
não imantado, que é colocado nas proximidades de um ímã. O campo magnético produzido
pelo ímã imanta o ferro de forma que os seus ímãs elementares se alinham no sentido do
campo que é aplicado, ou seja, o ferro se transforma em um ímã, ocorrendo dessa forma a
atração entre ferro e ímã. Então, de modo mais simplificado, podemos dizer que um pedaço de
ferro só é atraído por um ímã quando, mediante a aplicação de um campo magnético, ocorre o
alinhamento de seus ímãs elementares.

Se agora fizermos o mesmo procedimento com um material diamagnético, ou seja, materiais


que se imantam fracamente, como, por exemplo, o cobre, veremos que ocorrerá o processo
inverso do que aconteceu com o pedaço de ferro. Ao aplicar um campo magnético sobre esse
material os seus ímãs elementares se alinharão no sentido contrário ao sentido do campo que
está sendo aplicado, ocorrendo então a repulsão entre esse material e o ímã. Esse fato foi
observado pela primeira vez por Faraday, no século XIX, quando ele aproximou uma amostra de
bismuto, também substância diamagnética, de um ímã e viu que ela era repelida, ao contrário
do que acontecia com os pedaços de ferro que ele já estava acostumado a ver.
5
http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/por-que-ima-atrai-ferro.htm
CONCEITOS BÁSICOS

O pólo sul de um imã natural:

a) atrai o pólo sul de outro ímã, desde que ele seja artificial
b) repele o pólo norte de um ímã também natural
X c) atrai o pólo norte de todos os ímãs, sejam naturais ou artificiais
d) atrai o pólo sul de outro ímã, sejam naturais ou artificiais
e) não interage com um eletroímã em nenhuma hipótese

6
CONCEITOS BÁSICOS
Uma bússola aponta aproximadamente para o Norte geográfico porque:

I) o Norte geográfico é aproximadamente o norte magnético


II) o Norte geográfico é aproximadamente o sul magnético
III) o Sul geográfico é aproximadamente o norte magnético
IV) o sul geográfico é aproximadamente o sul magnético

Está(ão) correta(s):

X a) II e III
b) I e IV
c) somente II
d) somente III
e) somente IV
7
CONCEITOS BÁSICOS

Quando magnetizamos uma barra de ferro estamos:


a) retirando elétrons da barra
b) acrescentando elétrons à barra
c) retirando ímãs elementares da barra
d) acrescentando ímãs elementares da barra
X e) orientando os ímãs elementares da barra

Para ser atraído por um ímã, um parafuso precisa ser:


a) mais pesado que o ímã
b) mais leve que o ímã
c) de latão e cobre
X d) imantado pela aproximação do ímã
e) formando por uma liga de cobre e zinco

8
CONCEITOS BÁSICOS

Um pedaço de ferro é posto nas proximidades de um ímã, conforme o esquema


abaixo. Qual é a única afirmação correta relativa à situação em apreço?

a) é o imã que atrai o ferro


b) é o ferro que atrai o ímã
c) a atração do ferro pelo ímã é mais intensa do que a atração do ímã pelo fero
d) a atração do ímã pelo ferro é mais intensa do que a atração do ferro pelo ímã
X e) a atração do ferro pelo ímã é igual à atração do ímã pelo ferro

9
CAMPO MAGNÉTICO

• Campo, em Física, se refere a uma


região do espaço que tem uma certa
propriedade: um campo gravitacional
é uma região do espaço que atua sobre
a massa dos corpos; um campo
elétrico atua sobre cargas elétricas.

• Da mesma forma, um campo


magnético é uma região do espaço
que atua sobre cargas magnéticas.

• Linhas de indução magnética:


irradiam do polo norte ao polo sul.
10
CAMPO MAGNÉTICO UNIFORME

N S

N S S N S N

I V

ch

a- CMU no interior de uma bobina b- CMU no entreferro de um ímã em c- CMU entre polos opostos de dois ímãs
forma de U

Representação gráfica de um Campo Magnético Uniforme:

B B x x x x x B B
x x x x x
x x x x x
x x x x x

Vista lateral Entrando na folha Saindo da folha


11
PERMEABILIDADE MAGNÉTICA µ

• Cada material, na presença de um campo magnético,


possui um comportamento próprio.
• Uma boa forma de se quantificar a “qualidade” do
material magnético é determinando o quanto ele é
permeável ao campo magnético, ou seja, o quanto
ele facilita ou dificulta o estabelecimento de um
campo magnético em seu interior.
• A grandeza permeabilidade magnética quantifica
essa qualidade.

12
PERMEABILIDADE MAGNÉTICA µ

Grandeza característica de cada material, que indica a sua


aptidão em reforçar o campo magnético.

Unidade: webers por ampère-metro [Wb/A.m] ou henries por


metro [H/m].

Permeabilidade magnética relativa (r): é a relação entre a


permeabilidade do material e a do vácuo.


r =
r = permeabilidade relativa
 = permeabilidade magnética do meio

0 0= 4 π∙10-7 H/m (no vácuo)

13
Permeabilidade
Material Grupo
Relativa

bismuto diamagnético 0,99983


prata diamagnético 0,99998
chumbo diamagnético 0,999993
cobre diamagnético 0,999991
água diamagnético 0,999991
vácuo não magnético 1
ar paramagnético 1,0000004
alumínio paramagnético 1,00002
paládio paramagnético 1,0008
cobalto ferromagnético 250
níquel ferromagnético 600
ferro ferromagnético 5.000
ferro silício ferromagnético 7.000
supermalloy 45 ferromagnético 75.000
14
INTENSIDADE CAMPO MAGNÉTICO 𝐻
EM UM FIO CONDUTOR

• 𝐻 - intensidade do campo magnético ou força magnetizante


REGRA DA MÃO DIREITA

I
90 º
H
R P

𝐼
𝐻=
2𝜋𝑅 15
INTENSIDADE CAMPO MAGNÉTICO 𝐻
EM UM SOLENÓIDE

- Denomina-se solenoide
um fio condutor
enrolado em espiral.
- Ao ser percorrido por
uma corrente, surge no
interior do solenoide um
campo magnético, cujas
linhas de indução são
praticamente paralelas.

16
http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/campo-magnetico-no-interior-um-solenoide.htm
INTENSIDADE CAMPO MAGNÉTICO 𝐻
EM UM SOLENÓIDE

• Se o campo magnético for gerado através de uma bobina


cilíndrica, de comprimento l e percorrida por uma corrente I,
temos que:

NI
H= [Ae/m]
l

17
DENSIDADE DE FLUXO MAGNÉTICO 𝐵

A densidade do fluxo magnético: quantidade de fluxo


magnético (ϕ) por unidade de área.

Unidade: tesla [T], ou Weber por metro quadrado [Wb/m2].


 
B = H
 
No vácuo: B0 = 0 H
μ0 representa a permeabilidade magnética do vácuo, cujo
valor é de 4π x10-7 H/m.
18
OS CAMPOS MAGNÉTICOS 𝐵 𝑒 𝐻

A expressão campo magnético é usada para dois campos


vetoriais diferentes, simbolizados por 𝐵 e 𝐻.

𝐵 e 𝐻 são vetores de campo, sendo caracterizados não somente


pelos módulos, mas também pelas direções e sentidos no
espaço.

19
DENSIDADE DE FLUXO MAGNÉTICO 𝐵
EM UM FIO CONDUTOR

- Corrente elétrica produz um campo


magnético proporcional a sua intensidade

𝐼
𝜇. 𝑖 𝐻=
2𝜋𝑅
𝐵=  
2𝜋. 𝑅 B = H

20
DENSIDADE DE FLUXO MAGNÉTICO 𝐵
EM UM SOLENÓIDE

𝜇. 𝑁. 𝑖
𝐵=
𝑙

Onde:
μ: permeabilidade magnética do meio; NI
H= [Ae/m]
N: número de espiras do solenoide; l
l: comprimento do solenoide;  
i: é a intensidade de corrente elétrica. B = H
21
MAGNETISMO E ELETRICIDADE

Marque a alternativa que melhor representa o vetor indução magnética B


no ponto P, gerado pela corrente elétrica que percorre o condutor retilíneo
da figura abaixo.

X
Regra da mão direita

22
MAGNETISMO E ELETRICIDADE
Leia as afirmações a respeito de campos magnéticos gerados por fios
retilíneos.
I – O campo magnético gerado por um fio retilíneo é diretamente proporcional
à corrente elétrica e inversamente proporcional ao quadrado da distância de
um ponto qualquer ao fio;
II – O campo magnético do fio retilíneo sempre é circular e no sentido horário;
III – O campo magnético gerado por um fio retilíneo é diretamente
proporcional à corrente elétrica e inversamente proporcional à distância de
um ponto qualquer ao fio;
IV – O campo magnético do fio retilíneo sempre é circular. O sentido da
corrente elétrica define se o campo magnético ocorre no sentido horário ou
anti-horário.

Está correto o que se afirma em


a) I e II b) I e III c) II e IV
23
b) d) I e IV X e) III e IV.
MAGNETISMO E ELETRICIDADE
A figura mostra dois fios longos e paralelos separados por uma
distância d = 10,0cm, que transportam correntes de intensidade
I = 6,0A em direções opostas.
Considerando μo = 4π-10–7Tm/A, o módulo do campo
magnético resultante no ponto P, situado a 2d à esquerda do
ponto A, em μT, é igual a
𝜇. 𝑖
𝐵=
2𝜋. 𝑅
a) 1,0
b) 1,5
X c) 2,0
d) 10,0
e) 12,0

24
MAGNETISMO E ELETRICIDADE

25
MAGNETISMO E ELETRICIDADE
Importância do campo magnético em SOLENÓIDE

26
MAGNETISMO E ELETRICIDADE
Importância do campo magnético em SOLENÓIDE

27
MAGNETISMO E ELETRICIDADE
Importância do campo magnético em SOLENÓIDE

28
MAGNETISMO E ELETRICIDADE
Importância do campo magnético em SOLENÓIDE

29
MAGNETISMO E ELETRICIDADE
Importância do campo magnético em SOLENÓIDE

30
MAGNETISMO E ELETRICIDADE
Importância do campo magnético em SOLENÓIDE

31
MAGNETISMO E ELETRICIDADE
Importância do campo magnético em SOLENÓIDE

32
MAGNETISMO E ELETRICIDADE
Importância do campo magnético em SOLENÓIDE

33
MAGNETISMO E ELETRICIDADE
Importância do campo magnético em SOLENÓIDE

Considere um longo solenoide ideal composto por 10.000 espiras


por metro, percorrido por uma corrente contínua de 0,2 A. O
módulo e as linhas de campo magnético no interior do solenoide
ideal são, respectivamente:
𝜇. 𝑁. 𝑖
𝐵=
a) nulo, inexistentes. 𝑙
b) 8π x 10 – 4 T, circunferências concêntricas.
c) 4π x 10 – 4 T, hélices cilíndricas.
d) 8π x 10 – 3 T, radiais com origem no eixo do solenoide.
X e) 8π x 10 – 4 T, retas paralelas ao eixo do solenoide.

34
http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/campo-magnetico-no-interior-um-solenoide.htm
MAGNETISMO E ELETRICIDADE
Um campo magnético é capaz de induzir uma força em
fio percorrido por corrente dentro do campo
magnético.

35
MAGNETISMO E ELETRICIDADE

REGRA DA MÃO DIREITA REGRA DA MÃO ESQUERDA

36
MAGNETISMO E ELETRICIDADE

REGRA DA MÃO ESQUERDA


37
LEIS DE FARADAY/LENZ
Se um fluxo magnético passa por um enrolamento de uma
bobina, uma tensão elétrica será induzida no enrolamento.

38
LEIS DE FARADAY/LENZ
Se um fluxo magnético passa por um enrolamento de uma
bobina, uma tensão elétrica será induzida no enrolamento.

https://www.youtube.com/watch?v=M7d7pB0oeLw https://www.youtube.com/watch?v=GMP14t9mgrc

https://www.youtube.com/watch?v=Oz15bjsSVxY
39
FORÇA EM UM FIO PERCORRIDO
POR CORRENTE

A força induzida no condutor é:

𝑭 = 𝒊(𝐥 𝐱 𝐁)

Essa equação mostra que a força é


proporcional à intensidade, ao
comprimento perpendicular do fio e
à densidade de fluxo magnético.

A direção da força é dada pela regra


da mão esquerda.

40
FORÇA EM UM FIO PERCORRIDO
POR CORRENTE

Devido ao produto vetorial, a


magnitude da força é dada por:

𝑭 = 𝒊 𝐥 𝐁 𝐬𝐞𝐧(𝛉)

onde θ é o ângulo entre o fio e vetor


de densidade de fluxo magnético

41
FORÇA EM UM FIO PERCORRIDO
POR CORRENTE

• A indução de uma força em um fio


percorrido por corrente na presença de um
campo magnético é a base para a ação de
um motor elétrico.

• Quase todos os tipos de motores dependem


deste princípio básico para obter as forças e
os torques que o fazem mover.

42
TENSAO INDUZIDA EM UM FIO SE
MOVENDO EM UM CAMPO MAGNÉTICO
Se um condutor, com uma orientação adequada, se
move em um campo magnético, uma tensão elétrica é
induzida nele.

43
TENSAO INDUZIDA EM UM FIO SE
MOVENDO EM UM CAMPO MAGNÉTICO

Essa tensão elétrica é dada por:

𝒆𝒊𝒏𝒅 = 𝒗 𝒙 𝑩 . 𝒊

A indução de uma tensão em um fio se


movendo em um campo magnético é
fundamental para a operação de todos os tipos
de geradores elétricos.

44
FLUXO MAGNÉTICO

O fluxo magnético ϕ representa a quantidade de linhas de


campo magnético que atravessa uma área S. Sendo a
quantidade de linhas de campo em uma região do espaço
caracterizada pela densidade de campo magnético B, define-se
que: S

 Vista de frente

 =  Bd A S N S

Campo mag. uniforme


N

Vista lateral
S a) perspectiva

S=ab B
S B
Unidade: Weber (Wb)
b

b) vista lateral c) vista de frente 45


FLUXO MAGNÉTICO
S

Vista de frente


S N S N

 =  Bd A
Campo mag. uniforme
Vista lateral
a) perspectiva

S=ab B
S S B

Unidade: Weber (Wb) b

b) vista lateral c) vista de frente

Recordando: B é a densidade do fluxo magnético, ou quantidade de fluxo


magnético (ϕ [Wb]) por unidade de área [ m²] = T ou Wb/m2.
46
FLUXO MAGNÉTICO

 = BS cos 
sendo θ o ângulo entre vetor B e vetor n.

47
CIRCUITOS MAGNÉTICOS
Solução completa e detalhada dos campos magnéticos envolve a
solução das equações de Maxwell.

Na teoria de circuitos magnéticos, diversas suposições simplificadoras são


adotadas permitindo soluções úteis em engenharia.
Não se preocupem com as equações, ninguém as entende mesmo.
48
CIRCUITOS MAGNÉTICOS
Um circuito magnético consiste em uma estrutura que, em
sua maior parte, é composta por material magnético de
permeabilidade elevada.

Exemplo de circuito magnético simples 49


CIRCUITOS MAGNÉTICOS
Fluxo magnético é dado por:
 
 =  B  da
S

Considerações: Devidos às considerações, o fluxo


magnético no núcleo é dado pelo
1. O fluxo magnético está produto entre a área da seção reta do
confinado quase inteiramente núcleo (Ac) e a densidade de fluxo
ao núcleo devido à alta (Bc) no núcleo :
permeabilidade do núcleo
magnético;
2. O fluxo magnético no
c = Bc Ac
interior do núcleo é uniforme. 50
CIRCUITOS MAGNÉTICOS
Uma bobina com N espiras e com corrente I, enrolada num núcleo
ferromagnético, produz uma força magnetomotriz (fmm) dada por:

F = NI [Ampère-espira ou Ae]

A fmm provê um meio matemático para definir um campo magnético em eletromagnetismo


clássico. É análogo ao potencial elétrico o qual define o campo elétrico na eletrostática.
51
CIRCUITOS MAGNÉTICOS
Outra equação para força magnetomotriz pode ser encontrada
aplicando a lei de Ampère no circuito magnético:


F = NI = H c lc H c : modúlo médio de H no núcleo
lc : compriment o médio do caminho do fluxo

Ou seja, como cada uma das espiras transporta a corrente I e contribui para a formação do
campo no interior do núcleo
52
CIRCUITOS ELÉTRICOS X MAGNÉTICOS
De uma forma elementar, podemos definir um circuito elétrico
como o caminho percorrido pela corrente elétrica.

De forma análoga, definimos circuito magnético como o


caminho por onde o “fluxo” magnético se estabelece.

53
CIRCUITOS ELÉTRICOS X MAGNÉTICOS

I  r

E R

Núcleo ferromagnético
de seção transversal S

54
CIRCUITOS ELÉTRICOS X MAGNÉTICOS

55
CIRCUITOS MAGNÉTICOS
Obs.:

A analogia entre os circuitos elétrico e magnético é útil


para o entendimento dos conceitos e para a análise de
circuitos magnéticos.

Deve-se notar que, enquanto num circuito elétrico o


fluxo de cargas elétricas define a corrente, num circuito
magnético as cargas elétricas não se movem!

Há apenas um alinhamento dos dipolos magnéticos


do material que forma o circuito magnético.

56
RELUTÂNCIA MAGNÉTICA
É a oposição imposta pelo circuito magnético ao
estabelecimento do fluxo.
Unidade: Ae/Wb
F  F → força magnetomotriz (Ae)
R= onde : 
   → fluxo (Wb)
Ou
 l → comprimento do núcleo (m)
l 
R= onde :   → permeabilidade mag. (H m)
 S  S → seção transvesal do núcleo (m 2 )

Obs.: o inverso da relutância magnética é a permeância.


57
CIRCUITOS MAGNÉTICOS

F = NI = R1 + R2 + R3

58
CIRCUITOS MAGNÉTICOS

59
CIRCUITOS MAGNÉTICOS PRÁTICOS

d
I T

Fluxo disperso
=T−d

Espalhamento

60
CIRCUITOS MAGNÉTICOS PRÁTICOS

Entreferro Entreferros

Armadura

61
CIRCUITOS MAGNÉTICOS
ENTREFERRO

Apesar de ser inevitável, em algumas aplicações, o entreferro nem


sempre é uma característica parasita dos circuitos ferromagnéticos.

Por exemplo, num indutor, o aumento do entreferro evita a saturação


do núcleo, e diminui o efeito de Histerese magnética. Por outro lado,
diminui a permeabilidade magnética (tipicamente para gases, uma
vez que depende da substância que preenche o entreferro).

62
CIRCUITOS MAGNÉTICOS
ENTREFERRO

Em motores, o entreferro é indesejado, uma vez que


obriga a criação de um campo magnético mais
intenso, para se induzir a mesma potência no rotor.

63
CIRCUITOS MAGNÉTICOS
ENTREFERRO

Outra função importante do entreferro é manter o fluxo


magnético aproximadamente constante num circuito
magnético, mesmo quando há variação da
permeabilidade magnética do núcleo!

Em muitos materiais ferromagnéticos a relação entre a


densidade de fluxo e a intensidade de campo magnéticos
não é linear. Como o ar tem permeabilidade magnética
muito baixa em comparação aos materiais
ferromagnéticos, o comprimento de entreferro
praticamente determina o fluxo.

64
EXERCÍCIO
1) O circuito magnético mostrado abaixo tem 500 espiras, permeabilidade
magnética relativa do material ferromagnético de 70.000 e as seguintes
dimensões:

Ac = Ag = 9 cm 2
g = 0,050 cm
lc = 30 cm

a) Calcule as relutâncias do núcleo e do entreferro;


b) Encontre o fluxo magnético e a corrente i na bobina considerando Bc = 1,0 T

Resp. :
Rc = 3,79 103 Ae / Wb; Rg = 4,42 105 Ae / Wb;
 = 9 10 − 4 Wb; i = 0,80 A. 65
EXERCÍCIO

2) A estrutura magnética de uma máquina


síncrona está mostrada esquematicamente
na figura ao lado. Supondo que o ferro do
rotor e do estator tenham permeabilidade
infinita, encontre o fluxo e a densidade de
campo do entreferro da máquina.

Dados:
I = 10 A,
N = 1000 espiras,
Ag =2000 cm²
g = 1 cm.

Resp. :  = 0,126Wb; B = 0,628T .


66
EXERCÍCIO

3) Para a mesma estrutura, suponha que a


densidade de campo magnético seja de
0,9 T, e o número de espiras seja igual a
500. Encontre o novo fluxo de
entreferro e a corrente necessária para
produzi-lo.

Dados: Ag =2000 cm² e g = 1 cm.

Resp. :  = 0,18Wb; i = 28,6 A.


67
EXERCÍCIO

4) O núcleo de ferro fundido (μr = 150) mostrado na figura tem um


raio interno de 7 cm e um raio externo de 9 cm. Encontre o fluxo
no circuito magnético se fmm da bobina é 500 Ae.

Resp. : R = 6,67MAe/Wb;  = 75Wb.


68
EXERCÍCIO
5) O circuito magnético mostrado na figura tem uma parte, na forma
de um C em aço fundido (μr = 1500), e uma outra parte em ferro
fundido (μr = 150). Encontre a corrente necessária no enrolamento
com 150 espiras, se a densidade de fluxo no ferro fundido é de
0,45 T.

Resp. :
 = 162Wb;
i = 2,68A.

69
EXERCÍCIO
6) O circuito magnético mostrado na figura é constituído de ferro
fundido (μr = 150) com comprimento médio de 0,44 m e seção
reta quadrada de 0,2 x 0,2 m. O entreferro tem comprimento de 2
mm e o enrolamento contém 400 espiras. Calcule a corrente I
necessária para gerar um fluxo de 0,141 m Wb no entreferro.

Resp. :
i = 34,6mA.

70
EXERCÍCIO

7) O núcleo magnético de ferro fundido mostrado na figura tem área


de seção transversal de 4 cm² e um comprimento médio 0,428 m.
Determine o fluxo no entreferro (despreze o espalhamento).

Resp. :
 = 103,6Wb.

71