Sei sulla pagina 1di 17

IFPI

Licenciatura em Química
Disciplina: Química Geral I
Professor: Tadeu

Leis das Combinações Químicas

A Química, até meados do século XVIII, era apenas uma arte. As reações
químicas eram praticadas sem que o homem conseguisse estabelecer uma relação entre
massas de reagentes e produtos. Com a utilização da balança por Lavoisier, a Química
passou do empirismo para o rigor dos métodos científicos. A partir daí, estabeleceram-
se as Leis que regem as Combinações Químicas. As Leis das Combinações Químicas
classificam-se em:

a) LEIS PONDERAIS

São aquelas que estabelecem relações entre as massas das substâncias que
participam de uma reação química. As leis ponderais são:

Lei de Lavoisier ou Lei da Conservação da Massa.

ENUNCIADO QUÍMICO: "Nas reações químicas realizadas em recipientes fechados, a


soma das massas dos reagentes ou reagentes é igual à soma das massas dos produtos”.
ENUNCIADO FILOSÓFICO: "A matéria não pode ser criada nem destruída, pode
apenas ser transformada". Ou ainda, "na natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se
transforma".

Comprovação da Lei

Considerando a reação que ocorre numa "lâmpada flash" (é um sistema fechado que
contém em seu interior o metal magnésio e o gás oxigênio). Pela passagem de corrente
elétrica através do magnésio e oxigênio, ocorre uma reação química e o magnésio se
incendeia. O magnésio e o oxigênio desaparecem e há formação de um novo composto
branco, o óxido de magnésio. Comparando-se a massa inicial e a final, constata-se que a
mesma permanece constante.

É interessante notar que durante séculos a humanidade não despertou para a


ideia da conservação da massa numa reação química. Os sistemas montados eram
sempre abertos e, com isso, os resultados obtidos apresentavam sempre uma variação de
massa, uma vez que os gases podiam sair e entrar do sistema. Os antigos acreditavam
que, quando se queimava uma substância, a matéria desaparecia. Mas na verdade
esqueciam de computar na massa final os gases que se desprendiam da reação, ou seja,
eram computadas apenas as cinzas.

Lei de Proust ou Lei das Proporções Constantes.

"A proporção com que um ou mais elementos se combinam para formar uma substância
é constante".

"Numa reação química, seja qual for, as massas das substâncias participantes guardam
entre si uma relação fixa e constante".

"Um determinado composto químico, qualquer que seja a sua procedência, ou método
de preparação, é sempre formado pelos mesmos elementos químicos combinados na
mesma proporção em massa".

Comprovação da Lei

Retornemos à reação entre magnésio e o oxigênio, que se verifica na "lâmpada flash".


Se a quantidade de magnésio que reage é 2,4 g verifica-se, experimentalmente, que a
quantidade de oxigênio que reagiu é 1,6 g, mesmo que a reação seja repetida várias
vezes.

Se utilizarmos 1,2 gramas de magnésio, a quantidade necessária de oxigênio será 0,8 g,


ou seja, a proporção entre oxigênio e magnésio deve ser a mesma: 3:2.

Consequências da Lei de Proust

A lei de Proust permitiu o cálculo da composição centesimal e as fórmulas dos


compostos. Composição centesimal são as porcentagens, em massa, dos elementos
formadores de um composto.

Lei de Dalton ou Lei das Proporções Múltiplas

"As diferentes massas de um elemento, que reagem com a massa fixa de outro elemento
para formar compostos distintos, em cada caso, estão, numa relação de números inteiros
e geralmente simples, entre si ".
" Quando dois elementos se combinam para formar compostos mantendo-se constante a
massa de um deles, as massas do outro variam segundo números inteiros e pequenos ".
Comprovação da Lei
O nitrogênio se combina com o oxigênio, formando diferentes óxidos:

Óxidos Nitrogênio Oxigênio

28 g 16 g

28 g 32 g

28 g 48 g

28 g 64 g

28 g 80 g

Verifica-se que, permanecendo constante a massa do nitrogênio, as massas do oxigênio,


entre si, numa relação simples de números inteiros e pequenos, ou seja, 1:2:3:4:5.

Lei de Richter-Wenzel-Berzelius ou Lei das Proporções Recíprocas ou


Equivalentes

" A massa de dois elementos que se combinam separadamente com a mesma massa de
um elemento, são as mesmas, suas múltiplas ou submúltiplas, com que eles se
combinam entre si, caso isso seja possível ".

" Quando a massa fixa de um elemento se combina com massas variáveis de outros
elementos para formar diferentes compostos, se estes elementos se combinam entre si,
combinar-se-ão segundo estas mesmas massas, ou múltiplas, ou submúltiplas ".

Comprovação da Lei

Combinando-se agora, o cloro e o oxigênio na mesma proporção com que foram


combinados com o hidrogênio, teremos:

b) LEIS VOLUMÉTRICAS

São aquelas que estabelecem relações entre os volumes das substâncias que participam
de uma reação química. As leis volumétricas podem ser englobadas em uma única lei,
que é a Lei de Gay-Lussac.
Lei de Gay-Lussac

" Os volumes dos gases que reagem e os volumes dos gases formados numa reação
química guardam, entre si, uma relação simples, expressas por números inteiros e
pequenos, quando medidos nas mesmas condições de temperaturas e pressão ".

Comprovação da Lei

Cálculos Químicos

No estudo dos processos químicos, devemos considerar o aspecto qualitativo e o


aspecto quantitativo. No estudo qualitativo, identificam-se as substâncias envolvidas.
Porém, é muito importante conhecermos as quantidades de cada espécie química que
participam das reações.

Entretanto, a massa de átomos neutros, de moléculas, de íons e de outras


espécies químicas é muito pequena. Desse modo, essas medidas são feitas com base na
escala do isótopo de carbono-12 (12C). Para compreender essas medidas, é necessário
conhecer algumas definições, dentre as quais temos: unidade de massa atômica, massa
atômica, massa molecular, mol, massa molar, volume molar, número de mol e constante
de Avogadro.

Obs.:

I) Na prática, é impossível “pesar” um único átomo, porém, podemos determinar


experimentalmente a relação de massa entre dois átomos. O primeiro passo é atribuir
um valor de massa padrão de determinado elemento e considerá-la como massa padrão.

II) O hidrogênio foi o primeiro padrão de massas atômicas. Depois foi substituído pelo
oxigênio porque esse elemento se combinava com quase todos os demais. Entretanto, a
partir de 1960 uma convenção internacional escolheu o isótopo de carbono-12 ( 126𝐶 )
como o padrão de massas atômicas.

Unidade de Massa Atômica (u): corresponde a 1/12 da massa do átomo de carbono-12.

Atenção! Imagine que a massa de um átomo de C-12 pudesse ser dividida em 12 partes
iguais, cada parte corresponderia à unidade de massa atômica conforme figura abaixo.
Massa Atômica de um Isótopo (MA): é o número que indica quantas vezes o isótopo é
“mais pesado” que a unidade de massa atômica.

Ex.: 16O  MA ≅ 16u

Significado: o átomo de 16O apresenta massa equivalente a 16 unidades de massa


atômica, ou seja, é 16 vezes “mais pesado” que 1/12 da massa do C-12.

Obs.:

I) A massa atômica apresenta significado diferente do número de massa (A). Entretanto,


em geral, os valores são aproximados.

II) De forma geral, os elementos químicos são formados por uma mistura de isótopos.
Desse modo, a massa atômica de um elemento é obtida fazendo a média ponderada das
massas atômicas de seus isótopos.

Ex.: Determine a massa atômica do elemento cloro com base nas informações abaixo:

Isótopo Massa Atômica Abundância


35
Cl 35u 75%
37
Cl 37u 25%

(35𝑥75)+ (37𝑥25)
MA = = 35,5u
100

Massa Molecular (MM): é o número que indica quantas vezes a molécula é “mais
pesada” que a unidade de massa atômica.

Ex.: A molécula da água, H2O, apresenta massa molecular igual a 18u.

Obs.:

I) A massa molecular pode ser obtida fazendo a soma das massas atômicas dos
elementos que formam a molécula.

Ex.:
H2SO4: MM = (2x1)+ (1x16) + (4x16) = 98u

Dados: H = 1,0u, O = 16u e S = 32u

II) Nos compostos iônicos, o termo massa molecular é inadequado, porém o cálculo é
feito seguindo o mesmo raciocínio aplicado nos compostos moleculares.

Ex.:

NaCl: MM = (1x23) + (1x35,5) = 58,5u

Dados: Na = 23u e Cl =35,5u

Mol e Massa Molar

O mol é uma medida fundamental no estudo da química e se refere à quantidade


de matéria presente numa dada amostra.

O químico August Wilhelm von Hofman, por volta de 1865, usou pela primeira
vez o termo mol para se referir a uma grande massa.

Segundo a IUPAC, mol é a quantidade de matéria de um sistema que conte


tantas entidades elementares quantos são os átomos presentes em 0,012kg de carbono-
12.

O número de átomos existentes em 12g de carbono-12 foi determinado


experimentalmente e é denominado de número ou constante de Avogadro. O valor,
atualmente aceito, para esse número é 6,0221367x1023. Porém, é muito comum utilizar
o valor 6,02x1023. Sendo assim, teremos:

1,0 mol de átomos............. 6,02x1023 átomos

1,0 mol de moléculas......... 6,02x1023 moléculas

1,0 mol de íons ................. 6,02x1023 íons

Perceba que da mesma forma que uma dúzia corresponde a 12, que uma dezena
significa 10, que uma centena contém 100, um mol corresponde a 6,02x1023.

Massa Molar (M): é a massa, em gramas, presente em 1,0 mol da espécie química.

Ex.: H2O (M = 18g/mol); H2SO4 (M = 98g/mol), Fe (M = 56g/mol) etc.

Obs.:

I) Antigamente a massa molar de átomo era denominada de átomo-grama e a massa


molar de uma molécula era conhecida como molécula-grama.

II) O número de mol, n, é a relação entre a massa dada em gramas da espécie e a sua
massa molar.
Ex.: Calcule o número de mol presente em 36g de água.

Dado: H2O (M = 18g/mol)


𝑚 36
Resolução: n = 𝑀 = 18 = 2,0 mol.

Volume Molar (Vm ou 𝑉̅ ): é o volume ocupado por 1,0 mol da substância em


determinadas condições de temperatura (T) e pressão (P).

Obs.:

I) A influência da pressão e da temperatura em relação ao volume molar é mais


acentuada nas substâncias gasosas.

II) Considerando um gás ideal (modelo em que não se considera a existência de


interações entre as partículas) a 0oC e 1,0 atm, o volume molar é de aproximadamente
22,4 L. Os valores, 0oC e 1,0atm, são denominados de condições normais de
temperatura e pressão(CNTP).

Ex.: calcule o volume ocupado por 2,0 mol de uma gás ideal nas CNTP.

Resolução:

1,0 mol ......... 22,4L

2,0 mol.......... X

X= 44,8 L

III) O método mais direto e preciso para determinar massas atômicas e moleculares é a
espectrometria de massa.

Cálculo de Fórmulas

Com o desenvolvimento das técnicas analíticas, foi possível determinar a


composição qualitativa e quantitativa das substâncias. O aspecto quantitativo mostra
quanto existe de cada elemento e com, base nesses dados, determina-se a fórmula de
uma substância. Essas fórmulas são divididas em: mínima, centesimal e molecular.

Fórmula Mínima (Empírica ou Estequiométrica): indica a menor proporção entre os


átomos presentes na substância.

A fórmula mínima pode ser determinada a partir da composição centesimal, a


qual é determinada experimentalmente.

Ex.: Uma substância formada apenas de enxofre e oxigênio contém 40%, em massa, de
enxofre. Com base nessas informações calcule a fórmula mínima dessa substância.

Resolução:
1ºpasso: verificar que em cada 100 g dessa substância existem 40 g de S e 60g de O.

2º passo: calcular o número de mol de cada elemento.


40
p/S: n = 32 = 1,25

60
p/O: n = 16 = 3,75

3ºpasso: dividir os resultados pelo menor valor encontrado.

p/S: n = 1,25/1,25 = 1

p/O: n = 3,75/1,25 = 3

Conclusão: a fórmula mínima do composto é SO3.

Obs.:

I) Existem algumas situações que devemos fazer multiplicações no 3º passo.

II) Substâncias diferentes podem apresentar a mesma fórmula mínima. Por exemplo, a
glicose (C6H12O6) e o ácido acético (C2H4O2) apresentam a mesma fórmula mínima
(CH2O).

III) A composição centesimal de uma substância é sempre a mesma independente de seu


método de obtenção. Essa afirmação é conhecida como Lei de Proust.

Fórmula Molecular: indica o número de átomos de cada elemento na molécula da


substância.

Ex.:

Substância Fórmula Molecular

Água H2 O

Glicose C6H12O6

A fórmula molecular (F.M) pode ser obtida a partir da fórmula mínima (F.m),
conforma relação abaixo:
𝑚𝑎𝑠𝑠𝑎 𝑚𝑜𝑙𝑎𝑟 𝑑𝑎 𝐹.𝑀
F.M = (F.m)x em que x = 𝑚𝑎𝑠𝑠𝑎 𝑚𝑜𝑙𝑎𝑟 𝑑𝑎 𝐹.𝑚

Ex.: Calcule a fórmula molecular do etano, sabendo que o mesmo apresenta fórmula
mínima CH3 e massa molar igual a 30g/mol.

Resolução:

1ºpasso: calcula-se a massa molar de sua fórmula mínima CH3 = 15g/mol. Neste caso,
deve-se consultar uma tabela de massas atômicas.
2ºpasso: aplica-se a relação entre a fórmula molecular e fórmula mínima.
𝑚𝑎𝑠𝑠𝑎 𝑚𝑜𝑙𝑎𝑟 𝑑𝑎 𝐹.𝑀
F.M = (F.m)x em que x = 𝑚𝑎𝑠𝑠𝑎 𝑚𝑜𝑙𝑎𝑟 𝑑𝑎 𝐹.𝑚

Para o exemplo dado, temos:

X = 30/15 = 2

F.M = (CH3)x2 = C2H6

A fórmula molecular pode ser encontrada usando diretamente a composição


centesimal.

Ex.: Calcule a fórmula molecular do metano, sabendo que o mesmo apresenta massa
molar igual a 16 g/mol e é constituído por 25%, em massa, de hidrogênio e 75%, em
massa, de carbono.

Resolução:

Percebe-se que o metano é formado por apenas carbono e hidrogênio: CxHy. Sendo
assim, sua massa molar é 12X+ Y = 16.

p/C:

16g ........100%

12X........75%

X=1

p/H: 12X + Y = 16  (12x1) + Y = 16  Y = 4

Conclusão: a fórmula molecular do metano é CH4.

Obs.: Existem substâncias diferentes que possuem a mesma fórmula molecular, as quais
são denominadas de isômeros.

Ex.: O etanol (C2H6O) e o éter dimetílico (C2H6O) apresentam a mesma fórmula


molecular.

Estequiometria

Os cálculos que envolvem as quantidades de reagentes e produtos nas reações


químicas são necessários em todos os ramos da química. Eles são denominados de
cálculos estequiométricos (do grego stoicheion, constituinte elementar e metrien,
medir). Os cálculos estequiométricos são baseados em duas leis fundamentais, a lei da
conservação da massa de Lavoisier e a lei das proporções definidas de Proust.
Lei de Lavoisier: numa reação química, a soma das massas iniciais é igual a soma das
massas finais.

Lei de Proust: Os elementos químicos, em um dado composto, estão combinados na


mesma proporção em massa.

Na interpretação quantitativa de uma reação química, devem-se seguir os


seguintes passos fundamentais:

1ºpasso: escrever todas as reações envolvidas no processo em análise;

2ºpasso: fazer o balanceamento das reações;

Obs.: Os coeficientes estequiométricos indicam a proporção em mol.

3ºpasso: montar a proporção entre o que se fornece e o que se pede no problema. Em


seguida, fazer os cálculos.

Obs.:

I) Na proporção, pode-se usar número de mol, massa, volume, pressão, número de


moléculas etc. O texto da questão é que definirá o que usar na proporção.

II) No caso de substâncias gasosas é possível ainda estabelecer relações entre volumes,
tanto para reagentes como entre eles e os produtos da reação. O raciocínio é bastante
simples e envolve a Lei de Avogadro, a qual afirma:
"O volume ocupado por um gás, sob pressão e temperatura constantes, é
diretamente proporcional ao seu nº de moléculas”.
Os cálculos estequiométricos são divididos em casos gerais e casos particulares.

Casos Gerais: neste tópico, considera-se que as reações apresentam rendimento de


100%, que não existe excesso de reagente e que os reagentes sejam substâncias puras.

Casos particulares mais comuns nas questões

1º caso: excesso de reagente

Na maioria das situações, as substâncias não são colocadas em quantidades


estequiométricas. Portanto, é importante saber que o reagente que é completamente
consumido é o reagente limitante e o que sobra é o reagente em excesso.

Obs.:

I) O reagente limitante é o que deve ser usado para determinar as quantidades formadas.

II) Na prática, o reagente limitante tende a ser o mais caro, uma vez que o mesmo será
consumido totalmente na reação.

2º caso: rendimento de reação


O reagente limitante presente no início da reação determina o rendimento
teórico, ou seja, a quantidade máxima que pode ser obtida. Entretanto, o rendimento real
(quantidade máxima obtida na prática) tende a ser menor que o rendimento teórico. Isto
pode acontecer por várias razões, como por exemplo, má qualidade dos aparelhos ou
dos reagentes, falta de preparo do operador etc. Desse modo, a eficiência de uma reação
pode ser avaliada pela relação abaixo:
𝑟𝑒𝑛𝑑𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 𝑟𝑒𝑎𝑙
% rendimento (r) = 𝑟𝑒𝑛𝑑𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 𝑡𝑒ó𝑟𝑖𝑐𝑜x100%

3º caso: pureza de reagentes

Na maioria das reações, os reagentes são impuros. É comum o uso destes


reagentes impuros na indústria química devido serem mais baratos ou porque já são
encontrados na natureza com impurezas. Entretanto, deve-se trabalhar com reações onde
apenas a parte pura é consumida. Por exemplo, ao afirmarmos que uma dada substância
tem 80% de pureza, significa dizer que em cada 100g dela, apenas 80g será do reagente
puro, as outras 20g será de impurezas.

Massa pura = massa da amostra x pureza (% da substância)

Questões Propostas

1. Na reação A + B  C + D temos:
1ª experiência: quando reagem 7,0 g de A, formam-se 5,0 g de C
2ª experiência: quando se formam 3,0 g de C, também se formam 9,0 g de D.
Numa outra experiência, qual a massa de A necessária para reagir com 3,9 g de B?
R: 2,1g

2. São conhecidos três óxidos de ferro, de fórmulas FeO, Fe3O4 e Fe2O3. A partir dessas
fórmulas, qual a relação entre as massas de oxigênio que se combinam com massa fixa
de ferro na formação desses óxidos, expressa por uma relação simples?
R: 6:8:9

3. 90 L de um gás A reagem estequiometricamente com 30 L de um gás B formando 60


L de um gás C, como único produto. Sabendo que A e B são substâncias simples, nas
mesmas condições de T e P, demonstrar com base na teoria atômica de Dalton e na lei
de Avogadro, que:
a) O número de átomos de A na molécula de A é par;
b) O número de átomos de B na molécula de B é par;
c) O número de átomos da A na molécula de C é múltiplo de 3.

4. O prego que enferruja e o “palito de fósforo” que queima são exemplos de


oxidações. No primeiro caso há um aumento de massa de sólido e no outro há uma
diminuição. Esses fatos contrariam a lei da conservação da massa? Explique sua
resposta para cada um dos fatos dados.
5. Na reação esquematizada, A + B  C + D, sabe-se que a relação entre as massas de
A e B é 0,8.
a) Se colocarmos 40g de A em contato com 40g de B, qual a massa que fica em
excesso?
b) Se a relação entre as massas de B e C é 0,8, quais as massas de C e D
formadas, ao usarmos 40g de B?

6. Um grama de hidrogênio reagiu completamente com 8g de oxigênio e produziu água.


Numa outra experiência, 1,0g de hidrogênio reagiu com 20g de cálcio e produziu 21g de
hidreto de cálcio. Provavelmente, a massa de cálcio que irá reagir com 320g de oxigênio
e a massa de cal a ser produzida serão respectivamente:
a) 200g e 520g
b) 320g e 640g
c) 500g e 1000g
d) 800g e 1120g
R: D

7. Seja a reação do tipo: A + B  C + D + E. A massa de D representa 30% da massa


dos reagentes. Sabe-se ainda que quando se formam 30 g de C também se formam 54g
de E. Qual a massa de reagentes necessária para formar 9,9g de E?
R: 22g

8. Analise os dados abaixo referentes a uma série de três experiências realizadas,


envolvendo uma determinada reação (os dados constantes nesta tabela correspondem às
quantidades estequiometricamente envolvidas na reação).

REAGENTES PRODUTOS
A B C D
1ª mA mB mC 7,0g
2ª 2 mA 24,0g 15,0g m’D
3ª 12,5g m’’B m’’c 35,0g

Na terceira experiência houve formação de 35,0g de “D”. A massa de C na terceira


experiência foi de:
a) 25g
b) 37,5g
c) 45g
d) 75g
e) 105g
R: B

9. Um elemento X forma com o oxigênio dois óxidos A e B. O óxido A contém 50% de


X e o óxido B contém 40% de X. De acordo com a Lei das Proporções Múltiplas de
Dalton podemos afirmar que o oxigênio se apresenta nos óxidos A e B,
respectivamente, na seguinte proporção de números inteiros e pequenos:
a) 2 e 3
b) 3 e 2
c) 1 e 4
d) 2 e 5
e) 5 e 2
R: A

10. Durante uma aula de laboratório, um estudante queimou ao ar diferentes massas


iniciais m(i) de esponja de ferro. Ao final de cada experimento, determinou também a
massa final resultante m(f). Os resultados obtidos estão reunidos na tabela a seguir.

Admitindo que em todos os experimentos a queima foi completa, o estudante fez as três
afirmações seguintes.
I. A Lei da Conservação da Massa não foi obedecida, pois a massa final encontrada para
o sistema em cada experimento é sempre maior que sua massa inicial.
II. O aumento de massa ocorrido em cada experimento se deve à transformação de
energia em massa, tendo se verificado a conservação da soma (massa+energia) do
sistema.
III. A relação praticamente constante obtida entre a massa final e a massa inicial do
sistema [m(f)/m(i)], em cada experimento realizado, permite afirmar que, dentro do erro
experimental, os dados obtidos estão de acordo com a Lei das Proporções Definidas.
Dentre as afirmações apresentadas, o estudante acertou:
a) I, apenas.
b) II, apenas.
c) III, apenas.
d) I e II, apenas.
e) I, II e III.
R: C

11. Uma amostra de uma substância orgânica utilizada em análises químicas contém
0,50 mol de hidrogênio, 0,50 mol de carbono e 1,0 mol de oxigênio. Sabendo-se que a
massa molar da substância é igual a 90g/mol, pode-se afirmar que as fórmulas mínima e
molecular são:
a) C0,5H0,5O e CHO2
b) CHO2 e CHO2
c) C2H2O4 e C2H2O4
d) CHO2 e C2H2O4
e) CHO2 e C3H3O6
R:D
12. Um determinado metal forma dois óxidos distintos, nos quais as percentagens em
massa de oxigênio são 32,0% e 44,0%. Determine a massa atômica do metal.
R: 51u

13. O ácido maléico é um ácido dicarboxílico preparado pela oxidação catalítica do


benzeno. A combustão de 0,125 g deste ácido forma 0,190 g de CO2 e 0,0388 g de H2O.
Sabendo disso, forneça a fórmula empírica do ácido maléico.
Dados: H = 1,0 g/mol; C = 12 g/mol; O = 16 g/mol
a) CHO
b) CH2O
c) CH2O3
d) C2H4O3
e) C2H6O2
R: A

14. 8,80 gramas de um composto de fórmula XY2Z4 foram preparados pela combinação
de 10 gramas de X, 3x1023 átomos de Y e 0,04 mol de Z. Os pesos atômicos de X e de Z
são, respectivamente, 80 e 100. Diante das informações acima, calcule o peso atômico
de Y.
a) 200
b) 160
c) 140
d) 120
R: A

15. A composição química do grão de milho não é constante, podendo variar de acordo
com o solo onde foi cultivado. O ferro é um dos minerais encontrados em sua
composição química, na proporção de 56mg/kg de milho. Admita que uma espiga de
milho tenha 125 grãos rigorosamente iguais entre si e pese 62,5g. Quantos átomos de
ferro uma galinha que come um grão de milho, depois de digerido, acrescenta ao seu
organismo aproximadamente?
Fe = 56u
a) 3,0x1017
b) 2,8x10-5
c) 1,5x1017
d) 3,0x1023
e) 2,0x105
R: A

16. O osso humano é constituído por uma fase mineral e uma fase orgânica, sendo a
primeira correspondente a cerca de 70% da massa óssea do ser humano. Dentre os
minerais conhecidos, a hidroxiapatita, Ca10(PO4)6(OH)2, é o mineral de estrutura
cristalina e estequiometria mais próxima à dos nanocristais constituintes da fase mineral
dos tecidos ósseos. Considere que os átomos de cálcio estão na fase mineral dos tecidos
ósseos e que o esqueleto de um indivíduo corresponde a um terço do seu peso. O
número de átomos de cálcio em uma pessoa de 60 kg é
(Dados: massas atômicas Ca = 40 u.m.a.; P = 31 u.m.a.; O = 16 u.m.a.; H = 1 u.m.a.;
Número de Avogadro = 6,02 x 1023)
a) 8,39 x 1024
b) 2,52 x 1025
c) 8,39 x 1025
d) 1,20 x 1026
e) 2,52 x 1026
R: C

17. Foram dissolvidos 1,0 mol de sulfato de alumínio, Al2(SO4)3, e 1,0 mol de fosfato
diácido de sódio, NaH2PO4, em água. Considerando que estes dois sais estão totalmente
dissociados, calcule o número de cátions presentes na solução formada.
a) 6,0x1022
b) 3,0x1024
c) 2,4x1024
d) 1,8x1024
e) 1,8x1028
R: D

18. Considere as afirmações feitas em relação a um mol de água:


I. Contém 2 átomos de hidrogênio.
II. Contém 1 átomo de oxigênio.
III. Contém 16g de oxigênio.
IV. Contém um total de 10 mols de prótons nos núcleos.
V. Pode ser obtido a partir de 0,5 mol de oxigênio molecular.
Destas afirmações estão CORRETAS:
a) Apenas I e II.
b) Apenas I, II e III.
c) Apenas III e V.
d) Apenas III, IV e V.
e) Todas
R: D

19. Um ser humano adulto sedentário libera, ao respirar, em média, 0,880 mol de CO2
por hora. A massa de CO2 pode ser calculada, medindo-se a quantidade de BaCO3(s),
produzido pela reação:

Ba(OH)2(aq) + CO2(g)  BaCO3(s) + H2O(l)

Suponha que a liberação de CO2 seja uniforme nos períodos de sono e de vigília. A
alternativa que indica a massa de carbonato de bário que seria formada pela reação do
hidróxido de bário com o CO2(g), produzido durante 30 minutos, é aproximadamente:
a) 197g
b) 173g
c) 112g
d) 86,7g
e) 0,440g
R: D
20. Um cilindro de gás industrial com capacidade para 100 L, contém 44 Kg de gás
propano a 27°C. Considerando que em uma semana seja consumido gás suficiente para
que a pressão seja reduzida à metade e supondo que a temperatura permaneça constante,
a pressão inicial no cilindro e número de mols de gás utilizado serão respectivamente:
(Dado: C=12 g/mol, H=1 g/mol)
a) 246 atm e 500 mols
b) 246 atm e 22 mols
c) 123 atm e 1000 mols
d) 123 atm e 500 mols
e) 123 atm e 44 mols
R: A

21. Num recipiente encontra-se 80cm3 de uma mistura de oxigênio e monóxido de


carbono, contendo 40% de oxigênio (em volume). Supondo que as condições em que se
encontra essa mistura permita uma reação completa, qual seria o volume ocupado pelo
sistema após a reação? As medidas de volume, antes e após a reação são feitas à mesma
temperatura e pressão.
R: 56cm3

22. Um caminhão-tanque derramou 4,9 toneladas de ácido sulfúrico numa estrada. Para
que esse ácido não atinja uma lagoa próxima ao local do acidente e para amenizar os
danos ecológicos, jogou-se barrilha (50%) sobre o ácido sulfúrico derramado (barrilha =
Na2CO3). Qual a massa de barrilha (50%) necessária para neutralizar todo o ácido
derramado?
R: 10,6 toneladas

23. O solvente acetato de etila é obtido pela reação entre ácido acético e etanol, em
presença de pequena quantidade de ácido sulfúrico.

C2H4O2 + C2H5OH  C4H8O2 + H2O

Sabendo-se que o rendimento do processo é de 80%, calcule a massa de ácido acético


necessária para a produção de 70,4kg de acetato de etila.
R: 60kg

24. Foi relevado em Londres, no Reino Unido, um novo protótipo de carro movido a
hidrogênio pela empresa Riversimple. O Riversimple Urban Car (RUC) é alimentado
por pilhas de combustível. Estas células combinam hidrogênio com oxigênio para criar
energia. Segundo a empresa podemos viajar 242 km com apenas 2,2 quilos de
hidrogênio. Sabe-se que o protótipo tem um tanque de combustível (H2) com
capacidade igual a 164 litros e no início de um teste, a pressão no tanque era de 447 atm
e a temperatura, igual a 25 °C. Sabendo que, no final do teste, havia percorrido 363 km
e que a temperatura permaneceu constante, calcule a massa de hidrogênio que resta no
tanque. Dados: R = 0,082 atm.L./K mol e massa molar do H2 = 2 g.mol-1
a) 1,10 kg
b) 1,64 kg
c) 2,70 kg
d) 3,00 kg
e) 3,30 kg
R: C

25. As chamas do oxiacetileno são usadas para soldas, atingindo temperaturas próximas
a 2000oC. Estas temperaturas são devidas à combustão do acetileno com o oxigênio:

C2H2(g) + O2(g)  CO2(g) + H2O(g)

Partindo-se de 125 g de ambos, qual é o reagente limitante?


Se forem formados 22,5 g de água, qual é o rendimento percentual?
R: O2 e 79,8%