Sei sulla pagina 1di 28

Universidade de Pernambuco

Escola Politécnica de Pernambuco


Departamento de Engenharia Civil

HIDROLOGIA APLICADA

Profª. Simone Rosa da Silva


Semestre 2010.1
HIDROGRAMA

9 Denomina-se hidrograma o gráfico que


relaciona a vazão no tempo. Em geral Q varia
com o tempo.
Qs
Qss
Qb Seção do
Rio

Q = Qs+Qss+Qb
Seção AA
Relações entre o curso d’água e o
lençol freático
9 Aumento do NLF (MN→TS), devido à infiltração e
percolação. Em grandes cheias pode haver uma
inversão temporária do escoamento (a elevação do
nível do curso d’água superar a elevação do NLF).
HIDROGRAMA

Tempo (h)

Hietograma da chuva

Qmax = vazão de pico


Q (m3/s)

Hidrograma da cheia
Q(t)
Q(t) = Qs + Qss + Qb

Tempo (h)
t
Características do Hidrograma
• Ascensão:
– Altamente correlacionada com a intensidade da
precipitação e com grande gradiente.

• Região do pico:
– Área próxima ao valor máximo, aonde ocorre a
inflexão devido à redução de alimentação das
chuvas e/ou amortecimento da bacia.

• Recessão:
– Somente o escoamento subterrâneo contribui
para a vazão do rio.
Características do Hidrograma

• Volume do escoamento:
– Área sob o hidrograma

• Vazão de pico:
– Vazão máxima observada no
hidrograma

• Tempo do escoamento:
– Duração do escoamento
Características do Hidrograma

Gi
tc i = intensidade da chuva
f = capacidade de infiltração

i, f Gi = centro de massa da chuva efetiva


A – início do escoamento
tp B – momento do pico do escoamento
Q Qpico B C – final do escoamento rápido
Gh = centro de massa do hidrograma
tl = tempo de retardo (lag time)
tm
tp = tempo do pico

tl tr tc = tempo de concentração
tm = tempo de ascensão
A Gh C tb = tempo de base = tf - ti
tb tr = tempo de descida (recessão)
ti tf
Características do Hidrograma
9 Tempo de retardo (tl): tempo entre os centros de
massa da chuva e do hidrograma.

9 Tempo de pico (tp): tempo entre o centro de massa


da chuva e o pico do hidrograma.

9 Tempo de ascensão (tm): tempo do início da chuva


ao pico do hidrograma.
Características do Hidrograma
9 Tempo de recessão (tl): tempo necessário para a
vazão baixar até o ponto C, quando acaba o
escoamento superficial.

9 Tempo de base (tb): duração do escoamento


superficial direto.

9 Tempo de concentração (tc): tempo entre o fim da


precipitação e o ponto de inflexão do hidrograma.
Cálculos de Separação
de Escoamento

• Para saber como a bacia vai responder à chuva é


importante saber as parcelas de água que vão atingir os
rios através de cada um dos tipos de escoamento.

• Em muitas aplicações o escoamento superficial é o mais


importante
– Vazões máximas
– Hidrogramas de projeto
– Previsão de cheias

• Métodos simplificados x modelos mais complexos


Cálculos de Separação de Escoamento
Cálculos de Separação de Escoamento
Cálculos de Separação de Escoamento

• O ponto A corresponde ao início da ascensão do hidrograma.

• Cálculo do valor de D identifica o ponto C (ponto de término do


escoamento superficial).

• O ponto B pode ser obtido:


a) extrapolando a curva de recessão, a partir do ponto C, até cruzar
a vertical do pico, encontrando o ponto B e unindo-o ao ponto A;
b) unindo o ponto A ao ponto C;
c) prolongando-se a curva de recessão, a partir do ponto A, até o
tempo correspondente ao pico da vazão.
Cálculos de Separação de Escoamento
Fatores influentes na forma do
hidrograma
• Relevo: densidade de drenagem, declividade do
rio ou bacia, capacidade de armazenamento.
• Forma da bacia
• Cobertura vegetal: urbanas ou rurais.
• Modificações artificiais no rio: reservatórios de
regularização e canalização.
• Distribuição, duração e intensidade da
precipitação.
• Solo: condições iniciais de umidade.
Fatores influentes na forma do
hidrograma
• Cobertura vegetal
Fatores influentes na forma do
hidrograma
• Modificações artificiais no curso d’água.
Fatores influentes na forma do
hidrograma
• Duração e intensidade da precipitação.
Fatores influentes na forma do
hidrograma
• Forma da bacia: mesma área, forma diferente.
Efeito do tempo de concentração

• Mesma área, tempo de concentração


diferente.
tempo

P bacia com alto tempo de concentração


bacia com baixo tempo de concentração
Q
Tempo de concentração

• Fórmulas empíricas para tempo de concentração

• Kirpich
0 , 385
⎛L ⎞
3
tc = 57 ⋅ ⎜⎜ ⎟⎟
⎝ ∆h ⎠

tc = tempo de concentração em minutos


L = comprimento do talvegue (km)
∆h = diferença de altitude ao longo do talvegue (m)
Tempo de concentração
• Equação de Watt e Chow, publicada em 1985
(Dingman, 2002)
0 , 79
⎛ L ⎞
t c = 7,68 ⋅ ⎜ 0,5 ⎟
⎝S ⎠
• onde tc é o tempo de concentração em minutos; L é
o comprimento do curso d’água principal em Km; e S
é a declividade do rio curso d’água principal
(adimensional).
• Esta equação foi desenvolvida com base em dados de
bacias de até 5840 Km2.
Comportamento de uma bacia
hidrográfica, sob a mesma
Precipitação de formas
distintas
Hidrograma de uma bacia sob a
mesma P de formas distintas
Seja uma bacia hidrográfica impermeável, com exutório em e,
conforme a figura abaixo.
a) A área total da bacia é de 4000 m2, dividida em quatro
subáreas de 1000 m2 cada (B1, B2, B3 e B4).
b) As quatro linhas limítrofes das áreas Bi (i=1,4) são
isócronas de 4, 3, 2 e1 hora, respectivamente.
(Tc=4horas)
Hidrograma de uma bacia sob a
mesma P de formas distintas
• Situação 1: sobre esta bacia hipotética ocorreu
uma precipitação uniformemente distribuída com
duração de 1 hora e intensidade de 10 mm/h.
Traçar o hidrograma.
Influência do tempo de duração da cuva
• Situação 2: sobre esta bacia hipotética ocorreu
uma precipitação uniformemente distribuída com
mesmo volume de chuva da situação anterior
(situação 1) e duração de 4 horas. Traçar o
hidrograma.
Influência da distribuição
espacial da chuva
• Situação 3: sobre esta bacia hipotética ocorreu
uma tempestade com núcleo em B4, com mesmo
volume de chuva anterior (situação 1), de tal
modo que as intensidade em cada subárea foram:
iB4 = 17,5mm/h
iB3 = 12,5mm/h
iB2 = 7,5mm/h
iB1 = 2,5mm/h .
Traçar o hidrograma resultante.
Influência da distribuição
espacial da chuva
• Situação 4: sobre esta bacia hipotética ocorreu
uma precipitação com mesmo volume de chuva
anterior (situação 1), de tal modo que as
intensidades em cada subárea foram:
iB4 = 2,5mm/h
iB3 = 7,5mm/h
iB2 = 12,5mm/h
iB1 = 17,5mm/h .
Traçar o hidrograma resultante.