Sei sulla pagina 1di 8

5

qualidades
MUITO ÚTEIS PARA UM ALQUIMISTA

Neste artigo, serão examinadas cinco qualidades


muito úteis para um alquimista. Quanto maior o
número destas e outras qualidades você possuir,
maior será a facilidade de desenvolver-se nesta Arte.
5 Qualidades Muito
Úteis para um
Alquimista
Daniel Fidélis
É 1 Observador

Todo o trabalho do alquimista inicia na observação. E o que ele observa?

Ele observa a si mesmo, o seu próximo e a Natureza. Não como partes isoladas
mas, integrantes de um mesmo sistema. Através da observação, o alquimista
aprende com a Natureza e tenta reproduzi-la em seu laboratório.

www.alquimiaoperativa.com
É 2 Autodidata

O autodidata é a consequência do observador e do curioso.

Um alquimista tem a capacidade de auto-educação, aprende de forma


autônoma, por seu próprio esforço. Concentra-se no seu objeto de interesse.

Porém, não descarta a possibilidade de uma orientação.

www.alquimiaoperativa.com
É 3 Sensível

Os gregos utilizavam o termo Aisthesis para significar a sensação em geral ou a


capacidade de perceber. Depois, e ao longo da tradição filosófica, tais
informações seriam trabalhadas pela razão capaz de recolher os dados
confusos e elaborar conceitos e juízos a partir deles. Platão pensava que a
sensação era uma capacidade humana insuficiente para o alcance da verdade.
Baumgarten usará o termo dos gregos para fundar no século XVIII a disciplina
chamada “Estética” que se ocupará, segundo ele, do conhecimento dos
sentidos.

O que melhor resume a sensibilidade é que ela é uma capacidade de ter


atenção às coisas, o modo como nos dispomos ao que não somos e não
conhecemos. O uso da razão, a produção do pensamento, depende desse gesto
inicial de disposição, que envolve silêncio, a boa passividade e a escuta. O
esforço de cada um, de todos os seres que sentem e usam a razão (sejam
alquimistas, ou não), deve ser o de reunir, estabelecer pontes, reintegrar as
capacidades. Toda nossa relação com a natureza e com o outro – além da
relação com nosso próprio corpo, nosso próprio eu – depende deste esforço de
integração do que está separado.

O alquimista deve estar propenso a perceber as sutilezas que o cercam.

www.alquimiaoperativa.com
É 4 Industrioso

Em seu trabalho operativo, o alquimista irá deparar-se com diversas situações


onde a sua criatividade e capacidade de improvisar serão postas à prova.

Ele se dedica a uma Arte em que não existe um padrão totalmente definido.
Cada artista acaba desenvolvendo um modus operandi totalmente pessoal.

Por isso, a qualidade de industrioso lhe será bastante útil para a construção e/ou
adaptação de instrumentos, acessórios e equipamentos. Nem tudo é encontrado
pronto no mercado.

Costumo dizer que um dos primeiros itens de qualquer laboratório é uma boa
caixa de ferramentas.

www.alquimiaoperativa.com
Possui 5 Visão Holística

O termo holismo origina-se do grego holos, que significa todo.

A holística basicamente é uma atitude diante da realidade, uma forma de ver e


compreender o mundo, um espaço onde é permitido um intercâmbio dinâmico
entre Ciência, Arte Filosófica e as Tradições Espirituais, sendo exatamente esse
intercâmbio que se propõem como uma das mais criativas formas de
enfrentamento dos desafios deste início de século.

Não exclui, não condena, não separa. Não nega nem afirma. Trata, tão somente
de construir pontes, de estabelecer nexos e correlações entre campos até então
considerados inconciliáveis como entre a Ciência e o Misticismo, a Arte e
Filosofia.

Assim, o alquimista considera várias áreas do conhecimento para cooperar com


sua Obra. Antigamente, os alquimistas eram agricultores, vidreiros, ferreiros, etc.
A ideia de especialização é recente e acabou limitando sua visão do todo. Por
isso, a dificuldade de alguns em assimilar a variedade de temas abordados em
nosso blog.

www.alquimiaoperativa.com
Alquimia Operativa