Sei sulla pagina 1di 12

1

4002 - Arquitetura e Urbanismo 6º semestre - 2018/01

Horário Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Horário Sábado

Desenho Digital II
Projeto de Projeto de
18:00 - 19:00 (Prof. Júlio Pires) Info 7:30 - 8:30
Interiores (T16) Interiores (T16) 3 Estruturas em
Estruturas em
(Profa. Renata (Profa. Renata Concreto I (T16)
Concreto I
Zampieri / Profa. Zampieri / Profa. (Profa. Luciani
(Profa. Luciani Lens)
Valéria Valéria Lens)
Ateliê 1
Marostega) Marostega) Ateliê 2
19:00 - 20:00 8:30 - 9:30
Ateliê 3 Ateliê 1 Morfologia Urbana
(T16)
(Profa. Bárbara
Ribeiro)
Sala 1 9:30 -
20:00 - 21:00
10:30

Eficiência e
Conforto Cidades e Sociedade Cidades e
Desenho Digital
Ambiental III (T16) Sociedade (T16)
II (T16) 10:30 -
21:00 - 22:00 (T16) (Profa. Verônica (Profa.
Legislação e (Prof. Júlio Pires) Fundamentos do 11:30
(Profa. Minéia Donoso) Verônica) Ateliê
Normas (T16) Info 3 Urbanismo (T16) Scherer) Sala 2 1
(Profa. Paula (Profa. Verônica Ateliê 2
Olivo) Donoso)
Sala 1 Ateliê 1 11:30 -
22:00 - 23:00
12:30

4002 - Arquitetura e Urbanismo 7º semestre - 2018/01

Horário Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Horário Sábado

Projeto de Projeto de
18:00 - 19:00 7:30 - 8:30
Interiores (T16) Interiores (T16) Teoria e Crítica I
(Profa. Renata (Profa. Renata (T17) Teoria e Crítica I (T17)
Zampieri / Profa. Zampieri / Profa. (Prof. Samuel (Prof. Samuel Brito)
Valéria Valéria Brito) Sala 4 (Ateliê 5)
Marostega) Marostega) Sala 4 (Ateliê 5)
19:00 - 20:00 8:30 - 9:30
Ateliê 3 Ateliê 1 Morfologia Urbana
(T16)
(Profa. Bárbara
Ribeiro)
Sala 1 9:30 -
20:00 - 21:00
10:30

Técnicas de
Geoprocessamen Restauro e Cidades e Sociedade Cidades e
to para Intervenção (T16) Sociedade (T16)
10:30 -
21:00 - 22:00 Arquitetura (T17) (T17) (Profa. Verônica (Profa.
Legislação e Infraestrutura 11:30
(Profa. Cassiane) (Profa. Luiza Donoso) Verônica) Ateliê
Normas (T16) Sala 3 (Info 4) Urbana (T17) Pacheco) Sala 2 1
(Profa. Paula (Profa. Bárbara Sala 4 (Ateliê 5)
Olivo) Ribeiro)
Sala 1 Sala 1 11:30 -
22:00 - 23:00
12:30
2

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA


COORDENADORIA ACADÊMICA
CACHOEIRA DO SUL

PLANO DE ENSINO

Curso: 4002 – Arquitetura e Urbanismo Período:


Departamento: Cachoeira do Sul Créditos: (4T - 0P)
Disciplina: CIDADES E SOCIEDADE Carga Horária: 60
Código: CSAU4061 Ano/Semestre: 2018/1

Professora: Dra. Verônica Garcia Donoso Coordenadora: Msc. Michelle Campos Morais

Objetivos

Compreender, analisar e relacionar os principais aspectos do Direito, da Economia, da Geografia e da


Sociologia aplicáveis ao planejamento urbano e regional.

Conteúdo Programático

UNIDADE 1 – GEOGRAFIA URBANA E REGIONAL


1.1 - O espaço natural e as formas: a região, a cidade e o urbano
1.2 - Elementos da estrutura urbana e suas relações espaciais
1.3 - Agentes (re) produtores e consumidores do espaço urbano e regional
1.4 - Redes e hierarquias urbana e regional

UNIDADE 2 – ECONOMIA URBANA E REGIONAL


2.1 - Economia e espaços urbanos e regionais
2.1.1 - Espaço urbano e regional
2.1.2 - Espaço polarizado
2.1.3 - Espaço homogêneo
2.1.4 - Espaço globalizado
2.2 - Modos de organização espacial urbana
2.2.1 - Teoria da Localização Industrial
2.2.2 - Teoria dos Lugares Centrais
2.3 - Fatores locacionais das atividades
2.3.1 - Residencial e não residencial
2.3.2 - Fatores de custos: capital, aluguel, salários, transporte, etc.
2.4 - Desenvolvimento urbano e regional
2.4.1 - Teoria dos Polos de Crescimento
2.4.2 - Entraves e condições propulsoras
2.4.3 - Reflexos da globalização, da regionalização e da metropolização
2.5 - Planejamento público espacial
3

PROGRAMA: (continuação)
2.5.1 - Funções e financiamento da demanda urbana e regional

UNIDADE 3 – SOCIOLOGIA URBANA E REGIONAL


3.1 - As Escolas e suas abordagens teóricas
3.2 - A questão urbana no Brasil: conflitos socioespaciais
3.2.1 - Habitação e favelização
3.2.2 - Os grupos de interesses e redes de movimentos sociais
3.3 - Poder local e gestão urbana
3.3.1 - O espaço do poder no município e na região
3.3.2 - Políticas públicas na cidade e na região

UNIDADE 4 – DIREITO URBANO E REGIONAL


4.1- Base teórica conceitual
4.1.1- Direitos e cidadania no Brasil na Constituição de 1988
4.1.2 - Meio ambiente, sustentabilidade e sociedade
4.2 - Legislação relacionada ao espaço urbano e regional
4.3 - A autonomia municipal na Constituição Federal brasileira

Cronograma*

AEX: aula expositiva


ASS: aula de assessoramento
AP: aula prática
APR: entrega e apresentação de trabalho

T16

CH AULA DATA LOCAL HORARIO TIPO CONTEÚDO

3h 1 20/04 SEX SALA 2 20h-23h AEX Apresentação da disciplina e do


plano de ensino: objetivos, forma
de aprendizagem, critérios de
avaliação e bibliografia.

Unidade 1: Geografia urbana e


regional. Itens 1.1 e 1.2.

21/04 SAB FERIADO: Tiradentes. NÃO HAVERÁ


AULA

6h 2 27/04 SEX SALA 2 20h-23h AEX Unidade 1: Geografia urbana e


regional. Itens 1.3 e 1.4.

09h 3 28/04 SAB ATELIÊ 1 09h30-12h30 AEX Unidade 1: Geografia urbana e


regional. Itens 1.3 e 1.4.
04/05 SEX NÃO HAVERÁ AULA PRESENCIAL

05/05 SAB NÃO HAVERÁ AULA PRESENCIAL

12h 4 11/05 SEX SALA 2 20h-23h AEX Unidade 2: Economia Urbana e


Regional. Itens 2.1 e 2.2
4

15h 5 12/05 SAB ATELIÊ 1 09h30-12h30 AEX SEMINÁRIO: Tema: Milton Santos

SANTOS, M. A Urbanização
Brasileira. 5ª ed. São Paulo: EDUSP,
2013.
12 capítulos.

18h 6 18/05 SEX SALA 2 20h-23h AEX Unidade 2: Economia Urbana e


Regional. Item 2.5

21h 7 19/05 SAB ATELIÊ 1 09H30- AEX Unidade 2: Economia Urbana e


12H30 Regional. Item 2.5

24h 25/05 SEX SEMANA ACADÊMICA (NÃO


HAVERÁ AULA)

25h 26/05 SAB SEMANA ACADÊMICA (NÃO


HAVERÁ AULA)

01/06 SEX DIA NÃO LETIVO (FERIADO CORPUS


CHRISTI)

02/06 SAB DIA NÃO LETIVO (FERIADO CORPUS


CHRISTI)

28h 8 08/06 SEX SALA 2 20h-23h AEX Unidade 3: Sociologia Urbana e


Regional. Item 3.1

09/06 NÃO HAVERÁ AULA

31h 9 15/06 SEX SALA 2 20h-23h AEX Unidade 3: Sociologia Urbana e


Regional. Item 3.3

34h 10 16/06 SAB ATELIÊ 1 09h30-12h30 AEX Unidade 4: Direito Urbano e


Regional. Item 4.1

37h 11 22/06 SEX SALA 2 20h-23h AEX Unidade 4: Direito Urbano e


Regional. Item 4.2

39h 12 23/06 SAB ATELIÊ 1 10h30-12h30 ASS Assessoria: Exercício Final

42h 13 29/06 SEX SALA 2 20h-23h ASS Assessoria: Exercício Final

45h 14 30/06 SAB ATELIÊ 1 09h30-12h30 APR ENTREGA: Exercício Final

48h 15 06/07 SEX SALA 2 20h-23h ASS Encerramento da disciplina

07/07 SAB NÃO HAVERÁ AULA PRESENCIAL

*Sujeito a alterações se necessário

Metodologia
5

A disciplina tem características teórico-práticas a fim de disponibilizar ao estudante o conhecimento


necessário acerca do tema proposto. A disciplina contará com aulas expositivas dialogadas, aulas práticas e
exercícios desenvolvidos pelos estudantes baseados na pesquisa em referências bibliográficas e na
orientação junto aos professores. Os exercícios serão realizados em sala de aula, conforme o cronograma de
desenvolvimento das atividades, com assessoramentos em grupos e/ou individuais, sendo imprescindível a
presença do estudante tanto na elaboração dos exercícios no decorrer da aula, quanto na entrega na data
programada. Cada estudante deverá administrar a necessidade de tempo extraclasse para finalização dos
exercícios conforme sua conveniência.

Tema

Cidade e Sociedade: conteúdos sobre Direito, Sociologia, Economia e Geografia Urbana e Regional,
analisando alguns dos principais teóricos de cada temática e através de conteúdos introdutórios, buscando
apresentar ao aluno maior teorização sobre a vida em sociedade e as organizações espaciais urbanas e
regionais.

Atividades

FICHAMENTO: Individual. Fichamento de dois textos de alguma das aulas do programa, a escolha
do aluno. O fichamento deverá conter: ideia chave do texto, resumo e descrição do texto em formato
de artigo científico, podendo ter trechos de citação conforme a norma ABNT.
SEMINÁRIO: Trabalho em grupo (5 alunos). Tema: Milton Santos.
EXERCÍCIO FINAL: Trabalho em grupo (5 alunos). Criação do Jogo da Cidade.

Avaliação

O processo de avaliação tem por objetivo assegurar a qualidade da aprendizagem do estudante e


fundamenta-se nos princípios da avaliação diagnóstica, processual, contínua, cumulativa e formativa. A
avaliação é individual, realizada por meio de exercícios desenvolvidos em sala de aula e extraclasse,
considerando, sobretudo, clareza, precisão e correção quanto ao processo de aprendizado desenvolvido. As
considerações acerca dos resultados obtidos pelos acadêmicos serão realizadas por meio de painéis de
apresentação das etapas de desenvolvimento dos projetos e assessoramentos em grupo e individuais.
A avaliação considera o nível de comprometimento, desenvolvimento e dedicação do estudante.

Pesos:
NOTA 1 – Fichamentos: peso 1,00
NOTA 2 – Seminário: peso 3,00
NOTA 3 – Exercício final: peso 6,00

Obs.: Esta disciplina está sujeita a avaliações semanais e/ou avaliações relâmpago durante os encontros em
sala de aula, conforme o andamento das aulas e para um melhor processo de ensino/aprendizagem.

Durante o semestre serão desenvolvidos exercícios nos quais serão avaliados os seguintes aspectos:
 Assiduidade e envolvimento do estudante nas atividades propostas;
 Atendimento aos conteúdos solicitados;
 Organização de trabalho em equipe;
 Capacidade de investigação e de síntese;
6

 Aproveitamento durante os assessoramentos;


 Pontualidade nas entregas dos trabalhos;
 Respeito ao tempo de apresentação dos trabalhos;
 Rigor técnico e qualidade gráfica do material entregue;
 Qualidade das apresentações (domínio do conteúdo, clareza, organização, postura, uso de recursos
pedagógicos, criatividade, capacidade de criar relações, qualidade das discussões);
 Qualidade dos argumentos de defesa das propostas;
 Qualidade formal, funcional e técnica;
 Adequação com relação ao contexto local (histórico, social, cultural e ambiental) e legislação vigente;
 Qualidade das soluções plástica e funcional;
 Em todas as notas será considerado assessoramento em aula, presença em aula, evolução da proposta
e apresentação do trabalho (gráfica e oral).

Requisitos para avaliação:


 Nos assessoramentos do exercício final as propostas deverão ser mostradas aos em papel.
 Trabalhos não assessorados, NÃO serão aceitos.
 Os trabalhos deverão ser entregues em sua completude, ou seja, não poderão ser adicionados materiais
complementares após a sua entrega.
 Em todas as notas serão considerados: assessoramento em aula, presença em aula, evolução da
proposta e apresentação do trabalho (gráfica e oral).
 As datas de entrega dos trabalhos encontram-se discriminadas no cronograma.
 O horário de entrega dos trabalhos é no início da aula, com tolerância máxima de 30 minutos; a partir
disso será considerado atraso. NÃO SERÃO ACEITOS TRABALHOS FORA DO LIMITE ESTIPULADO.
 Mediante apresentação de justificativa, poderão ser aceitos trabalhos com atraso: com desconto de
2,0 pontos do seu valor para até 24 horas de atraso; e com desconto de 3,0 pontos do seu valor para
24 a 48 horas de atraso. Nesses casos, a entrega deverá ser combinada em local e horário definidos
pela professora da disciplina. Na impossibilidade de apresentação oral do trabalho devido ao atraso,
esta avaliação (apresentação oral) receberá nota zero.
 Não serão aceitos os trabalhos após tais prazos, exceto os casos previstos no guia do estudante.
 O não cumprimento de qualquer um dos módulos não permitirá a entrega final.

Requisitos para aprovação na disciplina:


 Os estudantes que excederem o número de faltas determinadas pelo regulamento da instituição (25%)
não terão direito à avaliação final, estando automaticamente reprovados.
 Para ser considerado aprovado, o estudante deverá, obrigatoriamente, entregar TODAS as atividades
avaliativas que, no cômputo final, devem somar no mínimo a nota 6,0 (seis).

Outras considerações
 O uso de telefones celulares é proibido durante as aulas;
 É proibida a gravação (som e/ou imagem) das aulas, salvo se consentido pelo professor;
 A falta nas avaliações deverá ser devidamente justificada, obedecendo aos prazos da secretaria
acadêmica (encontrados no Guia do Estudante).

Assessoramentos

 Os conteúdos dos assessoramentos deverão ser levados em todas as aulas.


 Os assessoramentos serão coletivos e/ou individuais e a participação do estudante será critério de
avaliação para cada um dos exercícios.

Bibliografia
7

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
AMORIM, V. A. J. de. Direito Urbanístico: legislação urbanística e estatuto da cidade. São Paulo: Baraúna,
2012.

CASTELLS, M. A Sociedade em Rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

DUARTE, F. Planejamento Urbano. Curitiba: IPBEX, 2012.

SANTOS, M. A Urbanização Brasileira. 5ª ed. São Paulo: EDUSP, 2013.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BORJA, J. La Ciudad Conquistada. Madrid: Alianza, 2005.

CASTILHO, J. R. F.; MANCINI, M. T. (Orgs.). Legislação urbanística básica. 2ª ed. São Paulo: Pillares,
2013.

DEÁK, C.; SCHIFFER, S. T. R. (Orgs.). O Processo de Urbanização no Brasil. São Paulo: EdUSP, 1999.

MADANIPOUR, A. Public and Private Spaces of the City. London: Routledge, 2003.

MARICATO, E. O Impasse da Política Urbana no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2011.

SASSEN, S. The Global City: New York, London, Tokyo. 2ª ed. Princeton, NJ: Princeton University Press,
2001.

SINGER, P. Economia política da urbanização. Brasília: Brasiliense, 1983.

VILLACA, F. Espaço intra-urbano no Brasil. 2ª ed. São Paulo: Studio Nobel, 2001.

Data: ____/_____/_______ Data: ____/_____/_______

Professores:________________________________ Coordenador do Curso:_______________________

__________________________________________

BIBLIOGRAFIA POR CONTEÚDO PROGRAMÁTICO


UNIDADE 1 – GEOGRAFIA URBANA E REGIONAL
1.1 - O espaço natural e as formas: a região, a cidade e o urbano

Como se define o urbano e o rural?


Como se definem os limites de uma cidade?
Qual a definição de região?
Qual a definição de área?
8

Leitura base:
- DUARTE, F. Planejamento Urbano. Curitiba: IPBEX, 2012. Pag. 40 a 52.
(livro disponível online)
- LENCIONI, Sandra. Observações sobre o conceito de cidade e urbano. Geousp – Espaço e
Tempo (online), n. 24, p. 109-123, 2008. ISSN 2179-0892. Disponível em:
http://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74098. doi:
http://dx.doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2008.74098. Acesso em 30 de março de
2018. (p. 113 a 121)
Leitura complementar:
- SANTOS, M. A Urbanização Brasileira. 5ª ed. São Paulo: EDUSP, 2013.
(livro sob consulta com a professora)

1.2 - Elementos da estrutura urbana e suas relações socioespaciais

A estrutura urbana representa o conjunto das infraestruturas que formam o espaço, ou seja,
todas as instalações produzidas e reproduzidas que se modificam no tempo, espaço e
dependente da sociedade. Essa situação mutável da estrutura urbana é base para a reprodução
social.

Leitura complementar:
- DEÁK, Csaba (1989) "O mercado e o Estado na organização espacial da produção capitalista"
Espaço & Debates, 28:18-31.

- CASTELLS, M. A questão urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.


(disponível online em: https://www.passeidireto.com/arquivo/20459937/a-questao-urbana-
de-manuel-castells)

- VILLAÇA, Flávio. Espaço intra-urbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel/FAPESP/ Lincoln
Institute, 1998.
(disponível online em:
https://books.google.com.br/books?id=04Lmnl2ESVMC&printsec=frontcover&hl=pt-
BR&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false)

1.3 - Agentes (re)produtores e consumidores do espaço urbano e regional

Noção de reprodução da sociedade. As relações sociais ocorrem em um tempo e espaço, por


meio da ação humana, e são indissociáveis. A ação que viabiliza a existência humana, como
processo de reprodução da vida, ocorre mediada pela apropriação do mundo: isto é, as relações
sociais que constroem o mundo se realizam pela apropriação do espaço para a reprodução da
vida.

Leitura de base:
- CARLOS, Ana Fani Alessandri. Espaço-Tempo na Metrópole. São Paulo: Contexto, 2001. Pg. 11
a 21.
9

Leitura complementar:
Toda a Introdução do livro.
(livro sob consulta com a professora)

1.4 - Redes e hierarquias urbana e regional


A hierarquia urbana define a estrutura econômica e as escalas de organização ou posição de
cada município, criando uma rede de ligações e influências entre os centros urbanos do mundo.
Leitura de base:

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Região de Influência das Cidades 2007.
Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv40677.pdf>. Acesso em 2
de jan. 2017. pg. 9 a 18.

Leitura complementar:
- DONOSO, Veronica Garcia. A Paisagem e os Sistemas de Espaços Livres na Urbanização
Contemporânea do Interior Paulista: Estudo de caso da área entre São Carlos, Araraquara e
Ribeirão Preto. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade
de São Paulo. São Paulo, 2011.
Capítulo 2: Contemporaneidade. A dinâmica regional atual – características econômicas e
interações no território. Pg. 62 a 103.

- SEMINÁRIO DEBATE – Tema – Milton Santos

UNIDADE 2 – ECONOMIA URBANA E REGIONAL

2.1 - Economia e espaços urbanos e regionais


Na Economia Urbana existem alguns conceitos base de espaço. A princípio, deve-se entender
os espaços econômicos a partir da abstração, pois eles têm origem na atividade humana, não
no espaço físico em si. As relações humanas sobre o espaço físico tão origem aos espaços
econômicos. Portanto, os espaços econômicos se caracterizam por relações.
Disso, teremos o espaço de planejamento, que é o espaço econômico como conteúdo de um
plano; o espaço polarizado, que é o espaço econômico como campo de forças; e o espaço
econômico como conjunto homogêneo; e o espaço globalizado.
2.1.1 - Espaço urbano e regional.
2.1.2 - Espaço polarizado.
2.1.3 - Espaço homogêneo.
2.1.4 - Espaço globalizado.

2.2 - Modos de organização espacial urbana


10

2.2.1 - Teoria da Localização Industrial.


2.2.2 - Teoria dos Lugares Centrais.

2.3 - Fatores locacionais das atividades


2.3.1 - Residencial e não residencial.
2.3.2 - Fatores de custos: capital, aluguel, salários, transporte, etc.

2.4 - Desenvolvimento urbano e regional


2.4.1 - Teoria dos Polos de Crescimento.
2.4.2 - Entraves e condições propulsoras.
2.4.3 - Reflexos da globalização, da regionalização e da metropolização.

2.5 - Planejamento público espacial


2.5.1 - Funções e financiamento da demanda urbana e regional.

Leitura de base:
BOETTGER, Roberto. Socióloga expõe as complexidades da cidade global e sugere formas de
resistência. AU, Ed. 26, Jan. 2016. Disponível em < http://au17.pini.com.br/arquitetura-
urbanismo/262/sociologa-saskia-sassen-expoe-as-complexidades-da-cidade-global-e-367309-
1.aspx>. Acesso em 31 mar. 2018.
Leitura complementar:
SASSEN, S. The Global City: New York, London, Tokyo. 2ª ed. Princeton, NJ: Princeton University
Press, 2001.
Entrevista com Saskia Sassen sobre o novo livro: Expulsions – Brutality and Complexity in the
Global Economy. Disponível em<https://www.youtube.com/watch?v=RBwkNekicak>.
Visualizado em 31 mar. 2018.
JESUS, Josias Alves de. NOELIO, Dantaslé Spinola. Seis décadas da teoria dos polos de
crescimento: revisitando Perroux. Revista de Desenvolvimento Econômico – RDE – Ano XVII –
n.2. Dezembro de 2015. Salvador, BA, pg. 935 – 952.
JESUS, Josias Alves de; SPINOLA, Noelio Dantaslé. Seis décadas da Teoria dos Polos de
Crescimento: revisitando Perroux. Revista de Desenvolvimento Econômico – RDE. Ano XVII, n.2,
Dez. 2015. Sanvador, BA, p. 935 – 952.

UNIDADE 3 – SOCIOLOGIA URBANA E REGIONAL


3.1 - As Escolas e suas abordagens teóricas
Karl Marx, Durkheim, Max Weber.
11

Leitura complementar:
SILVA, Angelo. Sociologia Urbana. Curitiba: IESDE Brasil S.A, 2009. Pg 11 a 20.

3.2 - A questão urbana no Brasil: conflitos socioespaciais


3.2.1 - Habitação e favelização.
3.2.2 - Os grupos de interesses e redes de movimentos sociais.
Leitura obrigatória:
MARICATO. Erminia. Cidades no Brasil: neo desenvolvimentismo ou crescimento periférico
predatório. Leitura obrigatória: pag. 1 a 8.
Leitura complementar:
MARICATO, Ermínia. Por um novo enfoque teórico na pesquisa sobre habitação, Cadernos
Metrópole 21, 1º sem. 2009, pp. 33-52.

3.3 Poder local e gestão urbana


3.3.1 - O espaço do poder no município e na região.
3.3.2 - Políticas públicas na cidade e na região.

Leitura complementar:
HARVEY, David. Temas Urbanos e Regionais. O trabalho, o capital e o conflito de classes em
torno do ambiente construído nas sociedades capitalistas avançadas. Tradução: Flávio Villaça.

UNIDADE 4 – DIREITO URBANO E REGIONAL


4.1 - Base teórica conceitual
4.1.1 - Direitos e cidadania no Brasil na Constituição de 1988.
4.1.2 - Meio ambiente, sustentabilidade e sociedade.
4.2 - Legislação relacionada ao espaço urbano e regional
4.3 - A autonomia municipal na Constituição Federal brasileira.

Leitura obrigatória:
HARVEY, David. Direito à Cidade. Tribuna Livre da Luta de Classes, Revista Piauí, Folha de São
Paulo. Edição 82, julho 2013. Disponível em: < http://piaui.folha.uol.com.br/materia/o-direito-
a-cidade/> . Acesso em 18 abr. 2018.
Leitura Complementar:
12

GUIMARÃES, Virgínia Totti. Direito à Cidade e Direitos na Cidade: integrando as perspectivas


social, política e jurídica. Revista de Direito da Cidade. Vol. 9, n.2, ISSN 2317-7721. DOI:
10.12957/rdc.2017.27143.

*Sujeito a alterações se necessário