Sei sulla pagina 1di 5

Os reagentes são observados no lado esquerdo da seta que representa o sentido da reação e os

produtos no lado direito. A+B


As reações estudadas em química não têm uma transformação completa de reagentes em produtos,
pois todas podem alcançar um equilíbrio, mesmo que nem sempre seja visível. Quando as reações
estiverem em equilíbrio a razão entre a concentração de reagentes e produtos é constante. Logo a
velocidade da reação direta é igual à velocidade da reação inversa e, por isso, não são mais
observadas modificações. As concentrações das substâncias em equilíbrio, numa determinada
temperatura, existem uma relação definida expressa pela equação da constante de equilíbrio, K

aA (aq) + bB(aq) cC (aq) +c = dD (aq)

K=

A posição do equilíbrio é independente da forma como este equilíbrio foi alcançado, mas a posição
é alterada pela aplicação de forças externas, que podem ser mudanças de temperatura, de pressão
(se houve reagentes ou produtos gasosos) de volume ou na concentração total de um reagente ou
produto.

EQUILÍBRIO QUÍMICO E REAÇÕES REVERSÍVEIS


O equilíbrio químico, associado a uma transformação química, apresenta importância econômica e
biológica considerável. O processo Haber-Bosch, para obtenção de amônia, por exemplo, é um
processo industrial que consiste na perturbação do equilíbrio, envolvido na reação entre hidrogênio
e oxigênio, por meio do aumento da pressão e diminuição da temperatura do sistema. Dessa forma,
a partir dessas alterações, torna-se possível otimizar o rendimento dessa etapa de produção. Por
outro lado, o pH do sangue humano só se mantém estável, pois esse fluído funciona como uma
solução-tampão, que evita que o seu pH sofra grandes alterações devido, sobretudo, ao equilíbrio
iônico entre o ácido carbônico (H2CO3) e o íon bicarbonato (HCO3-) a ele associado, após a
dissolução do CO2, um subproduto do metabolismo, no sangue.
O conceito de equilíbrio químico, no entanto, restringe-se apenas às reações denominadas
reversíveis, àquelas que se processam em dois sentidos. Em outras palavras, o estado de equilíbrio é
atingido quando as velocidades da reações direta, processamento dos reagentes em produtos, e
inversa, reconstituição dos produtos nos reagentes iniciais, são iguais. A variação das concentrações
dos produtos e reagentes da síntese de Haber-Bosch, em um reator mantido a temperatura constante,

Equilíbrio químico é a situação em que a proporção entre as quantidades de reagentes e produtos em


uma reação química se mantém constante ao longo do tempo. Pode-se dizer que duas substâncias
estão em equilíbrio, quando a velocidade na qual os produtos são formados a partir dos reagentes é
igual à velocidade na qual os reagentes são formados a partir dos produtos.1
O princípio necessário para que exista um equilíbrio químico, é a reversibilidade da reação
envolvida. Uma reação pode ser considerada reversível, quando a reação ocorre tanto no seu sentido
direto como no seu sentido inverso. Uma reação direta é aquela que acontece no sentido da
produção de produtos, enquanto a reação inversa é aquela que ocorre no sentido da produção
de reagentes. 2, 3, 4

É importante ressaltar que o equilíbrio é uma condição dinâmica e não estática. Porém, as
concentrações dos reagentes e produtos permanecem constantes, pois no equilíbrio as velocidades
das reações diretas e inversas são iguais.

Considerando a reação química:

Reação direta: A (g) B (g)

Reação inversa: B (g) A (g)

Tem-se Kd e Ki constantes de velocidade para as reações direta e inversa, respectivamente. Para


substâncias gasosas, pode-se usar a equação de gás ideal para converter entre concentração (em
quantidade de matéria c) e pressão (em dm). As velocidades para a reações direta e inversa, são
expressas assim:

Reação direta: Velocidade Kd PA

RT

O primeiro principio de Lê Chatelier estabelece que a posição do equilíbrio sempre mudará na


direção que contrabalancei ou minimize a ação de uma forca externa aplicada ao sistema. Isto
significa que se houver aumento da temperatura de um sistema reacional, provoca-se a reação
química que contribui para resfriar o sistema (consumindo energia térmica). Ou ainda se houver
aumento o aumento proposital de um dado reagente ou produto, o equilíbrio favorecerá a reação de
consumo desta substancia em excesso ate que seja retomado um novo equilíbrio. Entretanto,
ressalta-se que o excesso de reagente ou produto adicionado ao sistema, nunca é completamente
consumido, para que a constante de equilíbrio (k) permaneça constante, desde que a temperatura
não mude. Da mesma forma, quando um componente é removido do sistema em equilíbrio ,
ocorrerá um deslocamento para repor este componente, sendo que esta reposição nunca é total para
que K permaneça constante.
Um dos princípios mais importantes é que todas as reações químicas são reversíveis. Sempre que
uma reação química tem início, os produtos começam a se formar e, estes reagirão entre si e
formarão os reagentes novamente. Após um intervalo de tempo pode-se observar que ocorre um
equilíbrio entre a formação de reagentes e produtos. Equilíbrio químico é quando a velocidade da
reação direta é igual a da reação inversa. Neste caso, os processos continuam a ocorrer, porém em
sentidos opostos. Todos os sistemas químicos apresentam velocidades iguais para as reações diretas
e inversas e, cujos participantes têm suas concentrações inalteradas. Normalmente, podemos dizer
que o equilíbrio químico, a uma temperatura e pressão constantes, pode ser deslocado no sentido de
obtermos maior formação de produtos, seja pela adição de mais reagentes, seja pela retirada de um
dos produtos do sistema (homogêneo) em equilíbrio.

A expressão da constante de equilíbrio é a chave do problema com o qual nos deparamos


frequentemente, na análise qualitativa: como conseguir deslocar o equilíbrio da reação na direção
desejada. Essa expressão é uma constante numérica, onde relaciona as concentrações entre
reagentes e produtos numa certa temperatura. Esta expressão é a razão entre o produto das
concentrações molares dos produtos sobre o produto das concentrações molares dos reagentes,
estando todas essas concentrações elevadas a potências iguais aos respectivos coeficientes da
equação química balanceada. A constante de equilíbrio é representada pela letra k. Seu valor
independe das concentrações das substâncias em reação, variando ligeiramente com a temperatura e
a pressão.

No estudo das reações químicas podemos observar dois tipos de reações: as


irreversíveis e as reversíveis.À medida que nas reações irreversíveis, a reação ocorre
em apenas no sentido da formação dos produtos, as reversíveis ocorrem em ambos
os sentidos, ou seja, a formação de reagentes e produtos é simultânea, e é devido a
essa propriedade que existe o estudo do equilíbrio químico (Russell, 1994)
Diferentemente do senso comum, ao atingir o estado de equilíbrio a reação não
para de ocorrer, vendoque na química uma reação nunca se encerra (não há reações
que consumam todos os reagentes disponíveis), apenas atinge o estado de equilíbrio,
embora isso nem sempre seja evidente. Segundo Russell, o equilíbrio químico
consiste em dois processos opostos que ocorrem exatamente na mesma velocidade,
(não precisando ter necessariamente as mesmas concentrações de produtos e
reagentes), como mostraa figura a seguir:

A velocidade em que uma reação ocorre pode ser definida por (supondo uma
reação hipotética: aA+bB ↔cC+dD):
�1 = �1 [�]� [�]� (Reação direta) e (Reação inversa )�2 = �2 [�]� [�]�
Com base na lei da velocidade citada acima, podemos definir a constante de
equilíbrio da reação, em função da concentração, denominada Kc como:
No cálculo doequilíbrio não são consideradas as substâncias em estado sólido
ou líquido puro, pois ambas assumem valor 1. Além disso, as concentrações devem
ser em mol/L.
Outra forma de encontrar a constante de equilibrio é através da pressão parcial
dos elementos participantes (normalmente em atmosferas). Nesse caso a constante
denomina-se Kp. Por se tratar de pressão, só é usada quando os elementos estiveremno estado
gasoso.
Existe ainda uma relação entre a Kc e a Kp. Tal relação pode ser descrita pela
equação :
Kp=Kc(RT)^Δn(gás)

Quando sistemas em equilíbrios são submetidos a perturbações externas, tais


como a alteração das concentrações, da pressão e também da temperatura, o
equilíbrio tende a se deslocar no sentido contrário, de forma a minimiza-las. Tais
situações podem ser explicadaspelo princípio de Le Châtelier (Rozenberg, 2002).
Ao aumentarmos a concentração de reagentes ou diminuirmos a concertação
dos produtos, fazemos com que o equilíbrio se desloque no sentido de produção de
produtos. Ora, se no estado de equilíbrio existe uma certa quantidade de reagente
para uma determinada quantidade de produto, é certo de que será necessária uma
reorganização para retomar oestado de equilíbrio caso ocorra alguma alteração
(Russell, 1994).
No caso de uma alteração na pressão, de acordo com Chatelier, quando a
pressão sobre um sistema em equilíbrio aumenta, a reação é impulsionada no sentido
que alivia a pressão, dessa fora, por estar relacionada ao volume da reação, pode-se
afirmar que ao aumentar a pressão do sistema, a reação será impulsionada para o
lado em queo número de mols é menor, e vice-versa. Por exemplo:

Repare que no lado esquerdo da reação (lado do reagentes) temos 3 mols ao


total e no lado direito (lado dos produtos) temos apenas 1, dessa forma, ao
aumentarmos a pressão nesse sistema,o equilíbrio se deslocará para o lado dos
produtos, visando diminuir a perturbação. No caso de ambos os lados possuírem omesmo número
de mols, é dito que a pressão não interfere no equilíbrio dessa reação.
Lembrando que a pressão só interfere em sistemas gasosos (Russell, 1994).
As reações químicas podem ocorrer de várias maneiras, em alguns casos elas ocorrem de
forma completa, esse tipo de reação se classifica como irreversível. Existem também as reações
reversíveis, onde os produtos podem se converterem a forma inicial, elas podem ocorrer em
processos químicos e físicos e são identificados pela seta dupla: ↔ . O equilíbrio químico é uma
reação que tem propriedade de manter os reagentes em constante transformação e as concentrações
não variam com o tempo e as velocidades se igualam. As reações químicas podem ser exotérmicas,
quando liberam calor, ou endotérmicas, quando absorvem calor. As reações reversíveis são
exotérmicas num sentido e endotérmicas em outro.

Estequiometria é o cálculo da quantidade das substâncias envolvidas numa reação química.

FOGAÇA, Jennifer Rocha Vargas. "Estequiometria de reações"; Brasil Escola.