Sei sulla pagina 1di 3

GRANITO

O primeiro povo a extrair e utilizar o granito foram os egípcios e, posteriormente, os romanos. No Egito, a
rocha era utilizada na construção de monumentos e túmulos faraônicos já que eles se preocupavam muito
com a estética. Já na Idade Média, o granito passou a ser usado largamente nas casas e nas igrejas.
Atualmente é muito utilizado na construção civil bem como para ornamentos e decoração de interiores. O
Granito é uma rocha formada por um conjunto de minerais, todavia sua composição é basicamente a
seguinte: Quartzo, um incolor; mineral o Feldspato (ortoclase, sanidina e microclina), responsável pela
variedade de cores, dentre elas: avermelhada, rosada e creme-acinzentada; e a Mica (biotite e moscovite),
que confere o brilho à rocha.
As cores de granito mais encontradas na natureza são as de tons cinzento e avermelhado, contudo
encontram-se nas cores: branco, preto, azul, verde, amarelo e marrom.
Rocha ígnea (formada pelo resfriamento de magma derretido)
Não são riscados com facilidade porque tem “dureza Mohs” alta (entre 6/7).
Escala de Mohs quantifica a dureza dos minerais, isto é, a resistência que um determinado mineral oferece
ao risco.

MÁRMORE

O Mármore começou a ser usado nas construções da Grécia, por volta do ano VI a.C., porque se perdiam
muitos templos com incêndios, já que as madeiras eram usadas para se fazer o teto e as colunas. O mármore
é uma rocha metamórfica proveniente do calcário e dependendo da composição de seus minérios pode
apresentar variadas cores como rósea, branca, esverdeada ou preta. Dentre esses minérios está a mica, o
feldspato e outros.
Ela recebe o nome de rocha metamórfica porque é formada a partir da transformação físico-química sofrida
pelo calcário a altas temperaturas e pressão. Isto exlplica porque as maiores jazidas de mármore se
encontram em regiões de atividade vulcânica e que possuem a rocha matriz calcária.

LOCALIZAÇÃO

MÁRMORE

ONDE UTILIZAR

O mármore é utilizado especialmente em áreas internas: Pisos de salas, halls e quartos. Bancadas e
revestimentos, inclusive criando efeitos nas paredes (mármore com finíssima camada, recebendo
iluminação indireta, criando um efeito cênico). São muito utilizados em banheiros e áreas sociais por sua
presença marcante.

ONDE NÃO UTILIZAR

 Bancadas de pias de cozinhas e churrasqueiras, pois vinagre, limão, gorduras... podem


manchá-lo facilmente;
 Pisos de alto tráfego, pois é necessária limpeza constante retirando resíduos como areias
e aplicações periódicas de cera;
 Cores escuras em áreas externas, pois os raios do sol podem modificar as tonalidades
das peças;
 Não pode ser utilizado em locais que o expõe a produtos ácidos e alcalinos, pois retiram
seu acabamento polido.
GRANITO
 Pisos e Paredes
 Áreas externas: nas fachadas é necessário que sejam menos porosos (mais impermeáveis), com
menor granulação, como os verdes e os avermelhados. Em piscinas e áreas molhadas devem
receber acabamento apicoado para evitar acidentes;
 Bancadas e pias: possui boa resistência a riscos, mas deve-se cuidar para que facas,
por exemplo, não marquem o granito. Evite que a água fique parada sobre o tampo, o
que pode causar manchas devido à infiltração. (Saiba Mais: Bancadas de Cozinha);

COMO APLICAR

1 - Colocar pessoas especializadas para assentá-lo.


2 - Orientar uma pessoa responsável para fazer uma pré-seleção das mesmas a uma pré-montagem do piso antes da
colocação definitiva, evitando assim o assentamento de pedras com possíveis variações em locais de destaque. Os
materiais veiados poderão ser colocados em harmonia com os veios, para se obter um maior resultado.
3 - Estabelecer o nível adequado de massa, pois os granitos e mármores apresentam variações de espessura.
4 - Nunca esquecer que as áreas úmidas frias (cozinha, banheiros, etc ...), deverão receber impermeabilização no
contra-piso.
5 - Peneirar a areia a ser usada na mistura da massa, para evitar fragmentos que poderão causar oxidação no material.
6 - Os granitos e mármores, principalmente os claros, estão sujeitos ao aparecimento de manchas amareladas e de
umidade: portanto, deverão ser usados os procedimentos abaixo para minimizar estas ocorrências:
a) Caso a peça esteja molhada, deixar secar para assentá-la (no mínimo 48 horas). Nunca assentar o material úmido,
pois dificultará a colocação das peças e a eliminação de umidades das mesmas; assim como, contra?piso úmido.
b) Assentar os mármores e os granitos brancos ou claros com argacola branca e não argamassa branca, pois a
argamassa a composta de areia grossa não peneirada, sujeito a contaminação.
c) Utilizar pouca água na mistura com a argacola. A espessura deverá ser no mínimo de 1cm, pois a pedra está mais
isolada de qualquer contaminação.
d) Nunca usar barro na massa de assentamento e evitar contaminações desta massa com resíduos de tijolo, pregos,
madeiras e etc.
e) Nunca rejuntar o material antes de sete (07) dias após o assentamento, pois caso a pedra tenha absorvido água, esta
irá evaporar mais rápido através das arestas das peças.
7 - Sugerimos o grampeamento de peças assentadas em parede, a partir de 5m de altura.
8 - Certifique-se antes que a peça à ser assentada é realmente daquele vão ou área para evitar perda do material.
9 - Verificar a variação de espessura (+ ou - 3mm, media de 2 cm), a diferença tira-se na massa.

BASE

Assentamento de piso com mármore e granito


O contrapiso deve estar firme e livre de qualquer tipo de resíduo que dificulte a aderência. As
argamassas mais indicadas, nesse caso, são o concreto farofa (cimentícias convencionais semi-
secas), as colantes ou as adesivas.
A argamassa adesiva, além de apresentar os maiores níveis de aderência, também proporciona
rapidez na execução, permitindo a liberação do tráfego em apenas seis horas, contra 72 horas no
caso do concreto farofa ou das argamassas colantes. A solução também possibilita o assentamento
em camadas mais grossas – de até 30 mm. O espalhamento com a desempenadeira denteada pede
cuidado, para que não se forme uma película superficial sobre o adesivo.
Assentamento de revestimentos com mármore e granito
Os revestimentos verticais convencionais (não-aerados) – aqueles aplicados diretamente na fachada
com uso de argamassas e inserts metálicos, sem que haja espaço livre entre a fachada e o
revestimento, como o granito, por exemplo – são passíveis de assentamento sobre três tipos de base:
emboço de argamassa, alvenaria ou concreto. Sobre a base são aplicadas as argamassas de
assentamento, que podem ser cimentícia, colante ou adesiva – as duas últimas têm melhor
resistência e aderência.