Sei sulla pagina 1di 37

EXÉRCITO BRASilEIRO

ESCOLA DE INSTRUÇÃO ESPECIALIZADA


BERÇO DA ESPECIALIZAÇÃO NO EXÉRCITO .

CONCURSO DE ADMISSÃO
AO CURSO DE HABILITAÇÃO
PARA O QUADRO AUXILIAR DE OFICIAIS

2015
INSTRUÇÕES

Para a realização desta prova, você recebeu este Caderno de Questões e um Cartão de Respostas,
que deverá ser verificado e assinado. NÃO DOBRE, NÃO SUJE, NÃO RASGUE e NÃO AMASSE
este material.

CADERNO DE QUESTÕES:
Verifique se este caderno contém 70 (setenta) questões objetivas (múltipla escolha), com 05
alternativas.
Para cada questão objetiva existe APENAS UMA resposta correta.
O candidato deverá responder todas as questões com caneta esferográfica de tinta AZUL ESCURA
OU PRETA, utilizando-se obrigatoriamente do cartão de resposta (CR) para as questões objetivas.
O CR será o único documento válido para a correção.
Confira todo o CADERNO DE QUESTÕES e o CR. Em caso de alguma irregularidade, informe ao
fiscal de prova imediatamente, para que seja lançada nas alterações.
Cuidado ao preencher o CR, NÃO HAVERÁ SUBSTITUiÇÃO em caso de preenchimento incorreto.
Os prejuizos advindos de marcações incorretas serão de inteira responsabilidade do candidato.
O CR deverá ser assinado.
Durante a realização da prova não será admitida qualquer espécie de consulta
Os candidatos só poderão sair após decorridos 90 (noventa) minutos, contados do inicio da prova.
O tempo total de prova é de 05 (cinco) horas.
O candidato só poderá levar o caderno de questões caso permaneça até o encerramento da prova.

IMPORTANTE: EM NENHUMA HIPÓTESE será permitida a SUBSTITUiÇÃO DO seu CR.

ATENÇÃO: Comunique ao Fiscal, antes do início da prova, qualquer irregularidade encontrada no


material. Não serão aceitas reclamações posteriores.
L 1n PARTE - PROVA DE CONHECIMENTOS GEfu\IS _

Prezado candidato.

Leia todos os textos e as questões com atenção. Distribua com equilibrio as cinco horas de
que dispõem para realizar os 70 itens desta prova.

Boa sorte!

DA FELICIDADE

Quantas vezes a gente, em busca da ventura,


Procede tal e qual o avozinho infeliz:
Em vão, por toda parte, os óculos procura
Tendo-os na ponta do nariz!

(Mario Ouintana)

Nesta vida temos três professores importantes:

o Momento Feliz, o Momento Triste e o Momento Dificil.

o Momento Feliz mostra o que não precisamos mudar.

o Momento Triste mostra o que precisamos mudar.

o Momento Dificil mostra que somos capazes de superar.

( Autor Desconhecido)

(Disponível em www.asboasnovas.com. Acessado em 30/05/2015)


_ q
1--
Au",. ~
&\WI~
IU>I3"" _ 'I
6í~,-v\'O_.10
C(~::
A~'
't ~ fU7~- 1- "tw.l-eJ
Ci.w. l/.Air - .1D 'tc.f,.J;:;'l
1
I
i
\' .TEXTO],
I
A Moça Tecelã
. (Marina!Colasanti)

01 Acordava ainda no escuro, como se ouvisse o sol chegando atrás das beiradas da noite. E
logo sentava-se ao tear.
Linha clara, para começar o dia. Delicado traço cor da luz, que ela ia passando entre os fios
estendidos, enquanto lá fora a claridade da manhã desenhava o horizonte.
05
I Depois lãs mais vivas, quentes lãs iam tecendo hora a hora, em longo tapete que nunca acabava.
Se era forte demais o sol, e no jardim pendiam as pétalas, a moça colocava na lançadeira
grossos fios cinzentos do algodão mais felpudo. Em breve, na penumbra trazida pelas nuvens,
escdlhia um fio de prata, que em pontos longos rebordava sobre o tecido. Leve, a chuva vinha
cum~rimentá-Ia à janela.
10 I Mas se durante muitos dias o vento e o frio brigavam com as folhas e espantavam os pássaros,
bastáva a moça tecer com seus belos fios dourados, para que o sol voltasse a acalmar a natureza.
I Assim, jogando a lançadeira de um lado para outro e batendo os grandes pentes do tear para
frente e para trás, a moça passava os seus dias.
I Nada lhe faltava. Na hora da fome tecia um lindo peixe, com cuidado de escamas. E eis que
15 o pdixe estava na mesa, pronto para ser comido. Se sede vinha, suave era a lã cor de leite que
entr~meava o tapete. E à noite, depois de lançar seu fio de escuridão, dormia tranquila.

20
II Tecer era tudo o que fazia. Tecer era tudo o que queria fazer.
Mas tecendo e tecendo, ela própria trouxe o tempo em que se sentiu sozinha, e pela
primeira vez pensou em como seria bom ter um marido ao lado.
Não esperou o dia seguinte. Com capricho de quem tenta uma coisa nunca conhecida,
começou a entremear no tapete as lãs e as cores que lhe dariam companhia. E aos poucos seu
desdJo foi aparecendo, chapéu emplumado, rosto barbado, corpo aprumado, sapato engraxado.
Estava justamente acabando de entremear o último fio da ponto dos sapatos, quando bateram à porta.
I Nem precisou abrir. O moço meteu a mão na maçaneta, tirou o chapéu de pluma, e foi
25 entrando em sua vida.
I Aquela noite, deitada no ombro dele, a moça pensou nos lindos filhos que teceria para
aumentar ainda mais a sua felicidade.
I E feliz foi, durante algum tempo. Mas se o homem tinha pensado em filhos, logo os
esqueceu. Porque tinha descoberto o poder do tear, em nada mais pensou a não ser nas coisas
30 toda~ que ele poderia lhe dar.
I - Uma casa melhor é necessária - disse para a mulher. E parecia justo, agora que eram
dois' Exigiu que escolhesse as mais belas lãs cor de tijolo, fios verdes para os batentes, e pressa
para~a casa acontecer.

35
II Mas pronta a casa, já não lhe pareceu suficiente.
. - Para que ter casa, se podemos ter palácio? - perguntou. Sem querer resposta
imeBiatamente ordenou que fosse de pedra com arremates em prata.
Dias e dias, semanas e meses trabalhou a moça tecendo tetos e portas, e pátios e escadas, e
salas e poços. A neve caía lá fora, e ela não tinha tempo para chamar o sol. A noite chegava, e ela
não ttinha tempo para arrematar o dia. Tecia e entristecia, enquanto sem parar batiam os pentes
40 acompanhando o ritmo da lançadeira.
Afinal o palácio ficou pronto. E entre tantos cômodos, o marido escolheu para ela e seu
tear '0 mais alto quarto da mais alta torre.
- É para que ninguém saiba do tapete - ele disse. E antes de trancar a porta à chave, advertiu:
- Faltam as estrebarias. E não se esqueça dos cavalos!
45 Sem descanso tecia a mulher os caprichos do marido, enchendo o palácio de luxos, os cofres
de moedas, as salas de criados. Tecer era tudo o que fazia. Tecer era tudo o que queria fazer.
I E tecendo, ela própria trouxe o tempo em que sua tristeza lhe pareceu maior que o palácio
com todos os seus tesouros. E pela primeira vez pensou em como seria bom estar sozinha de novo.

50 ruf'' '
J Só esperou anoitecer. Levantou-se enquanto o marido dormia sonhando com novas

TId'~.ça _ "'" '"= OOruIho,rubi, "'nngo""d, d, "'IT', "n''"-'' '" "~. ,

I
Desta vez não precisou escolher linha nenhuma. Segurou a lançadeira ao contrário, e
jogando-a veloz de um lado para o outro, começou a desfazer seu tecido. Desteceu os cavalos, as
carruagens, as estrebarias, os jardins. Depois desteceu os criados e o palácio e todas as maravilhas
que continha. E novamente se viu na sua casa pequena e sorriu para o jardim além da janela.
55 A noite acabava quando o marido estranhando a cama dura, acordou, e, espantado, olhou
em volta. Não teve tempo de se levantar. Ela já desfazia o desenho escuro dos sapatos, e ele viu
seus pés desaparecendo, sumindo as pernas. Rápido, o nada subiu-lhe pelo corpo, tomou o peito
aprumado, o emplumado chapéu.
Então, como se ouvisse a chegada do sol, a moça escolheu uma linha clara. E foi passando-
60 a devagar entre os fios, delicado traço de luz, que a manhã repetiu na linha do horizonte.

COLASSANTI, Marina. Doze Reis e a Moça no Labirinto do Vento. 123 edição. São Paulo: Global 2006.

Questão 01

Na narrativa, percebemos um equilíbrio inicial que é quebrado, iniciando, assim, a complicação do


texto. Em A Moça Tecelã, vê-se a ru-l2tura-ºo~qyilibIiojnicial da narrativa em:

A) "Acordava ainda no escuro, como se ouvisse o sol chegando ,atrás das beiradas da noite. E logo
sentava-se ao tear." ( linhas OI e 02)
B) "Delicado traço cor da luz, que ela ia passando entre os fios estendidos, enquanto lá ::ora a
claridade da manhã desenhava o horizonte." (linhas 3 e 4)
C) "Mas se durante muitos dias o vento e o frio brigavam com as folhas e espantavam os pássaros,
JO "- .u.
bastava a moça tecer seus belos fios dourados ..." (linhas B9 e ttt) 1-4
D) "Nada lhe faltava. Na hora da fome tecia um lindo peixe, com cuidado de escamas." (linha 1'%)
IE;l "Mas tecendo e tecendo, ela própria trouxe o tempo em que se sentiu sozinha, e pela primeira
vez pensou como seria bom ter um marido ao lado. (linhas 18 e 19)

Questão 02

Sobre o texto l, apenas é correto afirmar que:


!l.1).l..(l. ~~'>. /J/(f;'J%':,.

V)::} Ocorre uma prosopopeia ou personificação no trecho" a chuva vinha cumprimentá-Ia à


- -=--
janela." (linha 8)
IW'L-
)3) O verbo "tecer" assume um sentido literal, denotativo ao longo de todo o texto.
C) O acento grave em "bateram à porta" (linha 23) é facultativo, uma vez que sua ausência mantém
o sentido inalterado. /)(
.$"J.
D) O termo destecer em "desteceu os cavalos, as carruagens" (linha -se) não é formado' pelo
processo destacado em " ... desfazer seu tecido ...". (linha ~ )(, 14'
E) O termo destacado em "Nada lhe faltava." refere-se ao "lindo peixe". (linha H) k.

3
I
Questão J3
...•~
'No tr~chol"se era forte demais o sol, e no jardim pendiam as pétalas, ..." (linha 06), o termo destacado
'pOSSUIo sentido de
A) Ine!Jsão.
I.
.. B ) Oposição.
j~ Con!ição.
. D) Alte~nância.
E) Ana~Ogia.

TEXTOI~

Tocando lmfrente
.(Almir SJter)

.01 Andl devagar porque já tive pressa


E le~o esse sorriso porque já chorei demais
Hoje\ me sinto mais forte, mais feliz quem sabe,
Só I~vo a certeza de que muito pouco eu sei
.05 NadA sei.

, as manhas e as manhãs,
COnltcer
O sabor das massas e das maçãs,
É pr~ciso amor pra poder pulsar,
É pr~ciso paz pra poder sorrir,
10 E"precIso
I. a chuva para flonr.
"

I ..
P ensto que cumpnr a VI'd a seJa
. srmp
. Iesmente
Compreender a marcha e ir tocando em frente
Codo um velho boiadeiro levando a boiada
Eu ~ou tocando dias pela longa estrada eu vou
. 15 Estrada eu sou.

cojecer as manhas e as manhãs,



O sabor das massas e das maçãs,
. I
E preciso amor pra poder pulsar,
É pr~ciso paz pra poder sorrir,
20 É pr~ciso a chuva para florir.

TOdl mundo ama um dia, todo mundo chora,


Um &ia a gente chega, no outro vai embora
CadJ um de nós compõe a sua história
CadJ ser em si carrega o dom de ser capaz
25 E se~ feliz.
1-
Conliecer as manhas e as manhãs
• das massas e das maçãs
O. sabor
I
E preciso amor pra poder pulsar,
É pr~ciso paz pra poder sorrir,
30 É pr~ciso a chuva para florir.

i
A n d (i) d evagar porque J"a tIVe
. pressa

I 4

I
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Cada um de nós compõe a sua história,
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
35 E ser feliz.
Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
40 É preciso a chuva para florir.
(Disponível em http://www.vagalurne.com.br/almir-sater/tocando-em-frente.html#ixzz3acw7gF52. Acessado em 25/05/2015)

Questão 04
t
-
Assinale a alternativa que apresenta versos comgrada,çJio --
de i>\ei<tS.
- -

i
A) "Ando devagar por que já tive pressa! E levo esse sorriso por que já chorei demais" (versos OI e 02)
V@ "Só levo a certeza de que muito pouco eu sei / nada sei" (versos 04 e 05)
C) "Conhecer as manhas e as manhãs / O sabor das massas e das maçãs" (versos 26 e 27)
D) "Todo mundo ama um dia, todo mundo chora," (verso 21)
E) "É preciso paz para sorrir/ É preciso a chuva para florir." (versos 29 e 30)

Questão 05

No que se refere ao termo destacado no trecho" E levo ~ sorriso ..." (verso 2), pode-se afirmar que:

A) O emprego está adequado na linguagem formal. K

TI) O emprego, na linguagem informal, é "este".


~@É uma construção informal. .
D) Admite tanto o emprego de este quanto de esse na linguagem formal.
E) O emprego é inadequado, pois deveria ser substituído por um determinante C91-
-:c--

TEXTOIlI

(Disponível em https:/Icapitulodois.wordpress.com/2012104104/acasosf. Acessado em 27/05/2015)

5
I
_I
Questao ,6
O humor da tira acima pode vincular-se a um dito popular. Assinale a opção que o contém:

A) "A J;queza não traz felicidade".


I
B) "A felicidade não está nas coisas, mas no coração do homem".
I .
:' C) "A felicidade não é um destino aonde chegamos, mas uma maneira de viajar" ..
. I
/~ "A felicidade bate à nossa porta, mas não gira a maçaneta".
I
E) "A felicidade repousa na verdade".

,TEXTOW
I

Disponível em https:/Iamarildocharge. wordoTcss.com/201 O/09/13/dinheiro-traz-rel icidade. Acessado em 25105120] 5)

TEXTO V
I . ,),
~~~d!r'

TEXTO VI

..:'~~"'j
. ~~ d~J .>.'
(Disponfvel em www.cardapiopcdagogico.blQgsoot.com.Acessadoem 25/05/2015)

I
Questão 07
0"-D f '" tv~ _ fi.•••
'"'",da
~ c...lv.r"- _ /I;tJ(
Sobre as charges (textos IV, V e VI) é possivel afirmar que:
,,",==,-
J'E? f~
A) Os textos são não verbais e possuem linguagem genotªtíva .. >(

B) As expressões faciais propõem similaridade à ideia de felicidade.


C) Percebe-se a linguagem formal na frase do texto VI "Já tem felicidade?;' )(
/ liilO Os elementos não verb:s fazem críticas às realidades sociais. ,/
B) São textos não literários, pois há emprego de conotação e ~~lJid.ade"l(

Questão 08

Lendo atentamente os textos verbais das charges (textos IV, V e VI), pode-se afirmar que

A) O texto V estabelece um£~~l.wara a felicidade.


~1"M ljUl<0 7r~~
!>( ~ O texto IV estabelece uma .£Q!1diç-ª2..Paraa felicidade.
~ O texto V estabelece uma p~ib11Jdade para a felicidade.
D) Os textos IV e VI estabelecem uma-consequência-para a felicidade.
E) Os textos IV,V e VI estabelecem uma certeza para a felicidade.

TEXTO VII

o Que é, o Que é?
(Gonzaguinha)

01
'
Eu fico com a pureza das respostas das crianças:
'da! É bonita. e é bonita!

05
S
(yiver
TI
nãot;;;. a vergonha de ser feliz,
ar,
A beleza de ser um eterno aprendiz
~
Que a vida devia ser hem melhor e será,
Mas isso não impede que eu repita: ~
É bonita, é bonita e é bonita!
10 E a vida? E a vida o que é, diga lá, meu irmão?
Ela é a batida de um coração?
Ela é uma doce ilusão?
Mas e a vida? Ela é maravilha ou é sofrimento?
Ela é alegria ou lamento?
15 O que é? O que é, meu irmão?
Há quem fale que a vidll da gente é um nada no mundo,
,,~. É uma gota, é U~12Q)
Que nem dá um se'gundo,
Há que aI e é um divino mistério profundo,
~J1fJ ""É o s o criad numa atitude repleta de amor.

---------
Você diz que é luta e prazer,
Ele diz que a vida é viver,
Ela diz que melhor é morrer
Pois amada não é, e o verbo é sofrer.
7
I
25
I!Eu só sei que confio~
na moça ,
!E na moça eu ponho a força da fe,
rSomos nós que fazemos a vida
tomo der, ou puder, ou quiser,
!Sempre desejada por mais que esteja errada,
30 .
iNinguém quer a morte, só saúde , e sorte,
!E
o
a pergunta roda, e a cabeça agita.
'íPico
o,
com a, pureza das respostas das crianças:
!E
1(,
a vida! E bonita e é bonita!
"
!E a vida! E bonita e é bonita!
.(Disponi~l em http:U~vww.vagalume.com.br/gonzagllinha/o~gue-e-o-gue-e.html#ixzz3bxUSewfa. Acessado em 27/05/2015)

Questão 09
I
I .
S ob re o texto aCima soÜe
~< po de af'Irmar que:

, A) O aJtor emprega a metáfora como recurso estilístico quando compara a "vida" à "luta", à "gota"
e "a! sopro do criador". V
i B) A pr}sença de diversas ações ( "sofrer", "cantar", viver") na música reforçam a ideia da vida
dinâmica e "bonita". ./
C) A eJpressão "na moça" ( verso 25) assume a função de complemento de "confio". -4
D) O qJestionamento sobre o que seja viver inquieta e "a cabeça agita", revelando sermos "eternos
apreldizes" na arte de viver.
j ~ A eJstência de oposições ( "maravilha" X "sofrimento", "alegria" X "lamento") indicam uma

. idcij",,;m;" "odi,;"""li" = ~""oà ,id,. X

Questão :tO

AssinaJ o item que não expressa uma opinião.

A) "EO~. ,om (Ç~, mm",," ("'00 01)


j W "... li a Vida o que e, diga la meu =ao?" (verso 10)
C) "H+uem fale~vid~ ~do." (verso 16)
D) "VoG~que é luta e prazer," (verso 21)
. '-- =r
E) "É a vida! É bonita e é bonita!" (verso 34)
'.~

:Questão 11

. O Plano Nacional de Energia PNE-2030, que subsidia o governo na formulação de sua estratégia
para a exp\lllsão da ofelta de energia até 2030, no seu cenário de referência, apontava a necessidade da
.implantaç~o de 4.000 MW nucleares adicionais no período após a implantação de Angra 3 (20l5~
'2(30), se{d~ MW no NordesJe e 2.000 MW no ~e. Outros cenários analisados pelo PNE-
2030 consideravam a necessidade de 6.000 MW c 8.000 MW para o mesmo período.

, (illtp:uwww.ltronuctear.gov.brlsaibamais/PerguntasfrequenteslN ovasusinasn ucJeares.aspx) acessado em 08/06/2015

I 8

I
de novos centros de pesquisa no Nordeste.
Crescente necessidade de energia elétrica no Sudeste e os problemas associados ao uso da água
=.
na bacia do São Francisco.
C) Renovação da atividade industrial no Sudeste e presença d~~n&~as de urânio no
Nordeste.
D) Esgotamento de outras fontes de energia no Sudeste e cresc_i_m_e_n_t_o_d_a_d_e_m_~a
energética no
Nordeste.
E) Baixo impacto ambiental no Sudeste e baixas densidades demográficas registradas no Sertão
nordestino. :>(

Questão 12

"Há uma distribuição desigual das reservas de água no planeta. 95,6% dessas reservas estão
nos oceanos e mares e, portanto, só podem ser utilizadas após dessalinização. Dos 4,4 % que restam
somente cerca de 1/3 está disponível na superfície e no subsolo, o restante é constituído por geleiras e
neves de difícil utilização". (Adaptado de Geografia geral e do Brasil ~ Eustáquio de Sene e João Carlos Moreira. Ed Scipione).

Os fatos citados acima, aliados à crescente demanda por água em diferentes partes do mundo,
expõem a importância que a posse de grandes reservas de água doce representa para o futuro.

Em relação aos recursos hídricos brasileiros, assinale a afirmativa correta.


-
t/)Q A disponibilidade dos recursos hídricos é desigual, sendo mais elevada na região Norte do país
onde é encontrado o clima ~ K
~
B) Os grandes centros urbanos do país concentrados na porção Centro-Sul, em áreas de clima
úmido, gão enfrentam problemas associados iulemanda..pnLá..gilll. [l>(
C) O aquífero Guarani, um grande reservatório de água subterrânea inteir~nte localizado no
território brasileiro, constitui uma das grandes reservas hídricas do Brasil. ~
--.. ~.
If,rf,J
lJ) A maior parte da água retirada dos mananciais brasileiros se destina ao consumo humano e icndustrial.
E) Na atualidade, a contaminação das águas superficiais é um problemaassociad9ª~giãO
Sudeste, onde se concentra grande parte da produção industrial do país. K

Questão 13

O processo de industrialização no Brasil conduziu à constituição de uma ampla mancha


industrial no Sudeste. No entanto, a partir da década de 70, a forçª:...das deseconomias de_a.glomeração
impulsiona a transferência ou instalação de indústrias em novas áreas.

9
,,l
'H

la
Assinale " altern4tiva que a tese , etamente uma das_ ~on~eql:l.ê!!.~~~ do processo de
, desconcelltração da 'atividade industrial.

A) Elilino~s desequilíbrios econômicos regionais que acentuavam as desigualdades sociais entre


1._ b'rasl'1eIras.
as reglOes . K.

; B) Conhuziu à m~dança do perfil econômico da região Norte, a partir da criação da Zona Franca de Manaus.
~ Jíl:l. pri)ilegiOU a região Nordeste que se tornou o principal destino dos novos investilnentos,
sobíetudo de, setores dependentes de mão de obra barata. v
~ Promoveu uma desconcentração limitada, já que grande parte dos novos investimentos
desJinaram-seàs regiões Sudeste e Sul. K.
E) LinAtou-se às áreas metropolitanas, sobretudo em torno das duas grandes metrópoles, Rio de
JanJiro e São Paulo. )(:

Questão 14
I ,

A dinâmila das chuvas está associada ao comportamento das massas de ar e suas caracteristicas. Os
mapas abAixo representam a atuação das massas de ar sobre o território brasileiro.

,, I Atuação das massas de ar no Brasil: inverno e verão

J •

. I
JueEUS. A; NASOIMENTO. F. L do. MOle""'. ""~: t1JnIJa_/!/tm O"phl:Q~ bm_fros. Silo P"lllO: NOd>Ill, 1!l£lO. i[AdajjlaaoJ.

" I~ A *assa Equatorial Continental (mEc), quente e úri1Ga, pode influenciar nas condições de grande
parte do território brasileiro. Na Amazônia OcidentaI está associada à ocorrência de chuvas do tipo
I . ----- ,
~.
rr.<;= A Massa Tropical Continental (mTc) expande sua área de influência durante o inveme,e determina a
con!entração das chuvas, nesta época do ano, sobre as áreas de clima Tropical do Centro-Oeste do
Bra~il. K
m. A Massa Polar Atlântica (mPa) po~e-atu~em todas as regiões brasileiras e está associada à ocorrência
de g~adas na região Sul, às chuvas~no SJJdest~e ao fenômeno da friagem na região Norte.
~ IV. 'A l'vl.assaTropical Atlântica mTa),(Jllellt(; e úmida, forma-se sobre o oceano Atlântico e está associada
à fobação de chuvasforográficas e áreas de malor altitude como a Serra do Mar, na região Sudeste.

10

I
Estão corretas as afirmativas:

A) Apenas I e 11. ,(
B) Apenas]J] e IV.
C) I, II e III. !(

v)!(l T,TIl e IV.


E) TI,]J] e IV. o<.

Questão 15

Na atualidade, a expansão da atividade agrária no Brasil vem incorporando novas áreas ao espaço
agrícola brasileiro, mas, repetindo o que ocorreu em áreas ocupadas anteriormente, a incorporação de
novos espaços é, na maior parte das vezes, acompanhada de uma profunda degradação ambiental. Além
dos impactos decorrentes da retirada da cobertura vegetal, observa-se também a aceleração dos processos
erosivos e a contaminação dos recursos hídricos por herbicídas, pesticídas e fertilizantes.

o mapa
abaixo, por exemplo, apresenta a região de MAPTTOBA que abrange parte dos estados do
Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia. Nesta área observa-se a expansão do cultivo da soja mecanizada.

,MAPITOBA
IAREA .
-414381Km'
I

••••-.lt- . '. -,,'-._~

Assinale a alternativa que identifica a formação vegetal predominante na área destacada no mapa.

A) Floresta equatorial. o<..


\ @ Cerrado.
\)( lIi:J Caatinga.
D) Mata Atlântica. t><...

E) Campos. ,(

Questão 16

Um dos mais importantes movimentos migratórios que ocorrem no Brasil passa despercebido
para muitos. Diariamente, pela manhã, milhões de brasileiros se deslocam da periferia em direção á
área central das metrópoles brasileiras. No período da tarde, o sentido do movimento se inverte, eom o
deslocamento de retorno para a periferia.

11
I

Assinale a alternativa que indica a principal área produtora de petróleo do Brasil.

. A) Bact de Santos

B) BaJia do Espírito Santo

J~ BaJia de Campos •

D) BJia do Solimões

E)B'I'dR'
aCJa o econcavo

12

I
Questão 19

"Sob impacto da modernização econômica e da int~ão nacional, o Brasil passou de um


pais agroexportador e rural a um pais urbano e industrial. Um processo vertiginoso de urbanização
revolucionou de alto a baixo a sociedade brasileira em apenas meio século". (Geografia para o
Ensino Médio, Demétrio Magnoli. Editora Atual).

Observe os dados e informações sobre o processo de urbanização no Brasil que são


apresentados a seguir.

Brasil: População residente por domicílio ("lo)


Ano Urbana Rural
1940 31,23 68,77
1950 36,16 63,84
1960 44,67 55,33
1970 55,92 44,08
1980 67,60 32,40
1991 75,47 24,53
2000 81,23 18,77
2010 84,36 15,64

VL A transferência de população das áreas rurais em direção às áreas urbanas (êxodo rural) foi
determinante para o processo de urbanização do Brasil.
J lI. Entre as décadas de 50 e 70, o crescimento acelerado da população urbana é impulsionado pela
industrialização que reforça a atração já exercida pelas áreas urbanas.
';m Entre 1980 e 1991, a expansão d~áíi~a£dffnd;lstrial no Sudeste e a consequente~a .
necessidade de mão de ob@ favorece a transferência de RORulação para as áreas metropolitanas.
f IV. A -;artir do ano 2000 evidencia -se a J;onclusão Ito processo de urbanizaçãQ que passa a
. ._--.-/
depender exclusivamente do crescimento da população urbana.
~

Considerando as afirmações acima, podemos afirmar que:

~ Apenas I e II estão corretas.


B) Apenas III e IV estão corretas.
C) I, II e III estão corretas.
D) I, III e IV estão corretas.
E) lI, III e IV estão corretas.

13
/.,
. l(
.Questão 20 l
Naslpirâmi~es abaixó observa-se a composição da população brasileira em 2013 e a projeção
para os anos de 2040 e 2060.

~ .PIRAMIOESbARlAS ABSOlUTAS
ÍlH,ini'lÍS. 11
.' ~,' ,.."
M~ .
2040 2060
1013

..•...

---
'

.•.

--,-\ I. J , I
.2' • '" I: 10

Assinale a alternativa que apresenta um~ue se aplicará à população brasileira nas próximas décadas

Aumento significativo da população jovem, exigindo a ampliação da rede pública de ensino. o<
Amtliação do número de idosos, elevando os gastos com pensões e aposentadorias . ../
I
C) Redução da expectativa de vida como consequência do processo de urbanização. o<
D) EleLção da taxa de fecundidade, deconente da maior participação da mulher na sociedade. i>(

E) Estlbilidade populacional deconente da elevação das taxas de crescimento vegetativo. I-

Questão 21
I

o s,entimento de insatisfação sempre marcou a História do Brasil em momentos de grande


dificuldade. Durante a ocupação holandesa do nordeste açucareiro, não foi diferente. Os naturais
. u~iram-si para enfrentar o invasor, acarretando assim, pela primeira vez, o surgimento do:

/1><r Primeiro traço de união dos grupos locais.


B) Ard~r hispânico ameaçado pela ação luso-batava.
C) Ajultamento entre negros e franceses para enfrentar os luso-britânicos.
D) Des~jo de formar uma aliança com os espanhóis e portugueses para expulsar os holandeses.
E) Ele&ento pri~cipal na equação econômica da época: o tabaco haitiano em substituição ao açúcar.

14
Questão 22

••• Q!Jl.-f«:>
-. S<,Q
.YJ..-l'iW\o Dett.JO Ú fca.~
Qll(';. 0$ f't'L
f~L#O? (:~'£tE PA;£
CtuEM:

" VLR60NHA!

A imagem acima expressa de forma irônica o sentimento que toma conta do país com a
desordem existente em nossos dias. Ela nos remete, também, ao sentimento que marcou a ação dos
insurgentes de 1789. Sobre a Conjuração Mineira, podemos afirmar que:

A) Teve como principal inspiração o Positivi~~o.


X ,,)() A Inconfidência Mineira foi influenciada pelos ideais da Revolução Francesa.
C) Dentre os grupos sociais envolvidos no movimento, destacaram-se os proprietários de lavras e de
/' <.,., '\
terras, oficiais militares, clérigos, letrados e escravos. . ._
:0 A Conjuração Mineira, em 1789, foi a primeira a manifestar a intenção de.Eomper ~~~ osJaços
Colonial:;. e reuniu diversos membros da elite mineradora.
E) O exemplo da possibilidade de quebra do vínculo colonial representado pela independência das
Treze Colônias NÃO exerceu influência entre aqueles que planejaram a conspiração ...

Questão 23

VInd<l da famRia Real esteve ligada à coojuntura europeia do toldo


do século XIX
NClfOleao X Ingl<lterro X POMugol
Bloqueio Contlnentol
CollVenÇlloSecreto

15
I
Mo!ento marcante da nossa história, a vinda da Família Real trouxe mudanças profundas em
nossa exiJtência, em especial no campo político-econômico, quando ao chegar a Salvador, o Principe
Regente, r~spondendo aos anseios das elites coloniais e aos imperativos da Inglaterra,

V@ Liblou o ,c~rcio_.para_~s latifundiários ao declarar a Abertura dos Portos às Nações Amigas.


,
i
I.
B) ~OJL.importações e exportações entre os ingleses e os franceses para poder evitar a
. 1.,,_ I"
msatlslaçao napo eomca. >( ~ "",OI:> ,k, ~c' .1

C) Fugit de comparecer ao Congresso de Y~até 1815, quando Napoleão foi enviado para
I ..,--
Austerlich após o fracasso de Waterloo. )( .
D) RefJgiou-se em Goa, tentando escapar aos desmandos de Napoleão, que já havia ocupado a
Espkha e caminhava rápido em direção a Lisboa. -<
E) FecJou todo comércio e negócios do Império português com as potências européias, que estavam

. I
subletidas a Napoleão, após o Concílio de Trento.

Questão 24
.-~-_.-....

"/
, .
I

....,

-,. ...•... - .•. - .- ~.-


._ -'- ~ R .' •• '.

"

o pr cesso que culminou na elaboração da Constituição de 1824 foi resultado de wna intensa dis uta
entre o Im1?erador, seu:u;1artidáriQse as diferentes elites locais em especial os grupos ligados ao centro-sul
(agricultura de subsistência, gado e metais preciosos) e a~deste açucareITQJPor isso, a questão so oi
resolvida cbm a imposição da Carta Magna e resultou nwn corpo de leis altamente centralizador em:

A) FlaJante acolhimento aos desejos dos ser~eiros nortista: que apoiaram o~mperador
I ---- --
imediatamente.
,jl) AteJção às propostas políticas dos ingleses que desejavam a manutenção dos negócios com os
/ I.
comercIantes do R'10 d'e J aneHO.
. '.
i/Jgf ClarL confronto com os desejos dos grandes proprietários que buscavam mais ampla autonomia
em +Iação ao poder .c~ntral do Império.' .
D) Tota!! atendimento aos interesses comerciais dos portugueses, que controlavam o tráfico de
escrlvos entre Cabo Verde, Rio de-]aJi~iro e Centro América.
E) CoJpleta consideração entre os comerciantes portugueses em Portugal e os exportadores

I .. .
port!gueses do Rio de Janeiro que buscavam autonomia em relação aos brasileiros.

16

~J_
Questão 25

"Embora a emancipação política, formalizada em 7 de setembro de 1822, tenha dado ao Brasil


a feição de um país soberano, a economia continuava colonial e escravista. Para regularizar o comércio
com o exterior, o país necessitava do reconhecimento de sua independência, sobretudo pelos países
europeus. Para conseguir esse reconhecimento, o Brasil .viu-se obrigado a assinar trá.tados
desfavoráveis a seus interesses em troca da normalização das relações comerciais e diplomáticas".
(KOSHIBA, L. I PEREIRA, D.M.F. 83 ed. - História do Brasil no contexto da história ocidental. São
Paulo, Atual, 2003, p. 229).

Segundo o texto citado, podem -se discutir os fundamentos da independência do Brasil em 07


de setembro de 1822. Além do fato de não ter havido qualquer mudança na estrutura socioeconômica
da antiga colônia, o estabelecimento de relações com os países existentes na época obrigou o governo
de Pedro I a assinar acordos internacionais muito prejudiciais ao novo país.

Escolha entre as alternativas abaixo aquela que menciona o país que mais se beneficiou dos
acordos internacionais assinados pelo Brasil em troca do reconhecimento de sua independência formal.

A) Estados Unidos.
13) França.
V)li(IngIaterra.
D) Espanha.
E) Holanda.

Questão 26

"A reunião de fatores favoráveis - Tarifa Alves Branco, abolição do tráfico e ascensão do café
- estimulou uma onda de empreendimentos urbanos. O historiador Nelson Werneck Sodré contabiliza:
fundaram-se 62 empresas industriais, 14 bancos, 3 caixas econômicas, 20 companhias de naveg,~ção a
vapor, 23 de seguros, 4 de colonização, 8 de mineração, 3 de transportes urbanos, 2 de gás, 8 es-cradas
de ferro". (KOSHlBA, L. / PEREIRA, D.M.F. 8" ed. - História do Brasil no contexto da história ocidental. São Paulo, Atual, 2003, p. 301).
De acordo com o texto acima, a lei Euzébio de Queiroz que pôs fim ao tráfico internacional de
escravos, o aumento das taxas de importação pela Tarifa Alves Branco e a expansão do cultivo de café
na região sudeste provocaram um surto de modernização no país.

Escolha entre as alternativas abaixo aquela que contém o nome do principal e mais rico
empresário capitalista brasileiro nessa época e cujo patrimônio jió era superado pelo Império.

A) Visconde de ltaboraí.
~@Barão de Mauá.
C) Rui Barbosa.
D) Visconde do Uruguai.
E) Marquês de Barbacena.

17
I
. Questão 27
I
. I
"No dia 5 de julho,jovens oficia~ do forte Copacabana rebelaram-se, com o apoio das guarnições
. do Distrit~ Federal, do Rio de Janeiro e do Mato Grosso. O objetivo era impedir a posse de Artur.,
.,Bernardes' Embora a rebelião tenha fracassado, os jQYens militares resolveram abandonar o forte e marchar
"pela praiatde Copacabana para enfrentar as forç~ legalistas, numa atitude suicida da qual sobreviveram

I
,apenas os tenentes Siqueira Campos e Eduardo Gomes. Esse episódio é conhecido como 'os 18 do Forte"'.
(KOSHIBA.L./PERElRA. D.M.F. 8" ,do ' H;>tóri, do B,,>;I no om",>to d, h;"ó';' oo;d,n'" São P'ulo. Atu,l. 2003, p. 412).

O episódio dos "18 do Forte", citado no texto acima, marca o inícío de um movimento político
de conte~tação à "República Velha", às suas elites políticas e às suas práticas consideradas
corrompid1as, como: o "voto de cabresto", a política dos governadores e a do "café com leite",

Eslolha entre as abaixo aquela que menciona corretamente o nome desse movimento.

A) cor!nelismo,
B) Mestanismo.

1~'C) Fed!ralismo.
i: 1.
D) PoSfvlsmo .
.~ TenrtiSmo.

Questão 28

" A lhamada "República Velha" assistiu a partir do governo de Prudente de Morais (1894 - 1898), à
construção~ do domínio das olígarquias rurais como classe dominante no Brasil da Primeira República
,(1889 - 1930). Um dos instrumentos que caracterizaram este dominio e que marcava o revezamento na
•Presidênci~ da República entre as oligarquias paulista e mineira ficou conhecido como:

. A) coJissão de Verificação.
B) Contênio Taubaté.
C) FUn~igLoan.
/~ pOIí{ica do Café-com-Leite.
E) COf0nelismo.

Questãil J9
c'
,
GJÚlio Vargas foi, sem dúvida, um. dos presidentes que, mais profundamente, deixou sua
marca na História recente do Brasil. Seu(s) governo(s) estende(m)-se da Revolução de 30 até fins da
"
Segunda @uerra em 1945 e, mais tarde, de 1951 até seu suicídio em 1954. Tanto tempo viabilizou
realizaçõe~ que levaram os historiadores a cunhar a expressão "Era Vargas".

. Sã! realizações dos governos de Getúlio Vargas as alternativas abaixo, COM EXCEÇÃO:

. A) A 4dação da Companhia Siderúrgica Nacional. V . - .


I
B) A criação da Companhia Vale do Rio Doce. V
C) A fuldação da Petrobrás. 11
V .

ir'""O
D) A p{omulgação da Consolidação das Lei~ do Trabalho.

VJ!l A 'o Pw,,=, Númill do Akool.


18

I
Questão 30

"DESENVOLVIMENTO E ESTABILIDADE. Aliando habilidade política ao dinamismo


empreendedor, cJuscelino adotou uma política nacional-desenvolvimentista, da qual a indústria
automobilística foi o produto de maior êxito e visibilidade. Sua passagem pela Presidência foi ainda
marcada pela transferência da capital do Rio de Janeiro para Brasília, meta importante de seu projeto de
governo. O crescimento econômico, que bateu a marca dos 7% ao ano, contribuiu para amortecer os
conflitos sociais, conferindo ao governo JK uma aura de estabilidade".
(KOSHIBA, L. / PEREIRA, D.M.F. 8~ cd. - História do Brasil no contexto da história ocidental. São Paulo, Atual, 2003, p. 472).

Os "anos JK" foi um período da história do país marcado pelo otimismo e pela crença de que o país
conseguiria se elevar econômica e socialmente, distanciando-se do padrão de subdesenvolvimento que até
então caracterizava a condição brasileira. As principais iniciativas para alcançar o desenvolvimento
econômico estavam contidas em um ambicioso plano econômico que envolvia tanto o governo como a
iniciativa privada nacional e internacional.

Escolha entre as alternativas abaixo aquela que denomina corretamente o nome desse planJ.

A) Plano Salte.
B) Plano Trienal.
C) Plano Bresser.
J)l[ Plano de Metas.
E) 2° Plano Nacional de Desenvolvimento

"FIM DA 1" PARTE DA PROVA"


Continua ...

19
I
~Ji~F{~~RQ,V~uá:<!i;!m'n~mlmS:l~:n~r;~~ .
Questão 1 '~
, Estão suJitos ao Regulamento Disciplinar do Exército:

, A) APelas militares da ativa do Exército e da Reserva Remunerada,


'~) Militares da Ativa do Exército, incluindo os Oficiais-generais nomeados ministros do Superior
TribLnal Militar.
:.Vi8;) Mil1\ares do Exército na ativa, na reserva remunerada e os reformados,
D) Mili\ares do Exército na ativa, na reserva remunerada e não remunerada e os reformados,
: E) MilJares do Exército na ativa, na reserva remunerada e não remunerada,

'.. Questão I
:r2
I .
N o concurso d e cnme
' e transgressao- d'ISClPmar,
. I' quan d o as penas "d
,orem e mesma natureza
~~gªle_a ~lternativa correta: -----

A) O mIlitar deverá ser apenado tanto na esfera administrativa, quanto na criminal.


B) O Jilitar será apenado nos dois processos, necessariamente nessa ordem, criminal, e após
I'
cumpnr este d'evera cumpnr. o a d"Immstratlvo.
.

C) Nãolse aplica a pena criminal, somente a administrativa.


ri~ Somente se aplica a pena relativa ao crime.
. E) As !enas para os crimes e transgressões disciplinares não podem ser IgUaiS, portanto essa

.
.
I
situJÇãO é hipotética e não ocorrerá.

Questão 33

l, .- d' '."-
C om re Iaçao as pumçoe~pJ.Ul~, 'I e a a Iternat1va
assma ,(. mcorreta:

A) As J.mições disciplinares de detenção e prisão disciplinar não podem ultrapassar trinta dias e a
, ,I
d e JJilped'11llento d"ISClPmar,
I' dez d'iaS, V/

B) A P)lsão disciplinar deve ser cúrilprida comprejuizo da instrução e dos serviços internos, exceto
/ por Jomprovada necessidade do serviço ~ I
liA:"
~
1~'Í€\~0"',
O detido disciplinarmente comparece,
I.
rs~m
"-~
exceÇão, a todos os atos de instrução e serviço, iK

D) Prisão disciplinar consiste na obrigação de o punido disciplinarmente permanecer em local


.1,
propno e d'eSlgna d'o para ta,
'I v/"

E) Licelciamento e exclusão a bem da disciplina consistem no afastamento, ex ojJicio, do militar


I
das fileiras do Exército, conforme prescrito no Estatuto dos Militares. V

20

I
Questão 34

A melhoria de comportamento é progressiva, e no caso da progressão do "mau" para o


"insuficiente" deverá obedecer aos seguintes prazos e condições:

A) Punição disciplinar: um ano e~de efetivo serviço, sem punição.


. I d' ~p v-<V. \{:)fi" . -
B) C nme cu poso: OIS anos e ed etlvo servIço, sem pumçao.
C) Crime doloso: dois an~;;;'~is meses de efetivo serviço, sem punição. tWv'\ I

~
D) Punição disciplinar: um ano de efetivo serviço, sem punição,
Crime doloso: três anos de efetivo serviço, sem punição,
~-
",el- 1-~
t.M -
~.~ 8"'-> ~

1M4)
~

\MJl. v I tl-V> v \-.

~l<C I~ "'" J;
~~ ,H. "'-1
Questão 3S
fp£.",:O, • "-
Com relação aos Recurso e Recompensas, verifique as alternativas V (verdadeiras) e F (falsas)
e depois escolha a alternativa com a sequência correta:

( V ) Cabe pedido de reconsideração de ato à autoridade que houver proferido a primeira decisão, não
podendo ser renovado.
w.1p
( F') O militar punido tem o prazo de três dias úteis, contados a partir do dia imediato ao que tomar
~
conhecimento, oficialmente, da publicação da decisão da autoridade em boletim interno, para requerer
a reconsideração de ato.
( V) O militar que requerer reconsideração de ato, se necessário para preservação da hierarquia e
disciplina, poderá ser afastado da subordinação direta da autoridade contra quem formulou o r(õcurso
disciplinar, até que seja ele julgado.

A) V-V-F
v~ V-F-V
C) F-F-F
D) V-V-V
E) F-F-V

Questão 36

De acordo com o art, 16 do RDE, não é um fator a ser considerado na análise do julgamento da
transgressão:

A) a natureza dos fatos ou atos que envolveram a transgressão.


B) as causas que determinaram a transgressão.
V~ o comportamento do transgressor.
D) a pessoa do transgressor.
E) as consequências que possam advir da transgressão.

21
I
I
Questão 37

• segunlo o art. 24 do RDE, as punições disciplinares são ordenadas de maneira gradativa e


crescente'lssinale o ordenamento correto:

A) Repreensão - impedimento disciplinar - advertência - detenção disciplinar - prisão disciplinar-


, I,
IIce~clamento e exc Iusao
- a b em d a d'ISClPma,
'I'

J~ AdJertência - impedimento disciplinar - repreensão - detenção disciplinar - prisão disciplinar -


o lice!ciamento e exclusão a bem da disciplina,
C) Ad+rtência - repreensão - impedimento disciplinar - detenção disciplinar - prisão disciplinar -
licenciamento e exclusão a bem da disciplina,
D) AdJertência - impedimento disciplinar - detenção disciplinar - repreensão - prisão disciplinar-
' I.
IIcellClamento e exc Iusao
- a b em d a d'ISClPma,
'I'

~tãO,
E) AdJertência - impedimento - repreensão disciplinar - detenção - prisão - licenciamento

bom"" di~ip];"".
e

Questão 38
o I, ,
O RDE em seu CAPITULO III, Seção I, trata sobre grada - ,a conceituação e a execução
das punições disciplinares. Analise as assertivas abaixo, con me sejam VERDADEIRAS (V) ou
~
FALSAS ~F) e marque a resposta correta,

li I. A adJertência é a forma mais branda de punir. Quando em caráter ostensivo, poderá ser realizada
I
na presença d e supenores
' ou no clrcu Io de seus pares.
o •

f 11. O imtedimento disciplinar será publicado em boletim interno, registrado na ficha disciplinar
indivi~ual e constará das alterações do punido.
V lII. Os plesos à .dispo~ição,oda' jústiça ,deverão ficar em prisão separada dos demais presos
,11'
d'IscIg mares,oexceto quan d o nao
- h ouver outra carceragem na um'd ad e,

f, IV, A de}encão disciplinar é o cerceamento da liberdade do punido disciplinarmente, devendo este


\ permJnecer no alojam;nto da subunidade a que pertencer e comparec~r a ~ os atos de
instrulão e serviço internos ou externos. o
.J V. A prJão disciplinar deve ser ~umprida com prejuízo da instrução e dos serviços internos, exceto
por cJmprovada necessidade do serviço.

J",
v~/V
:Jv-t-:
B) V -if - F-F
11
-F,
I
C) F - f - V - F - V,
D) F-P~
V -F-F,
Jo/
/.lí
o~ V-F-F-F-V,
• 0,0 I 22

I
Questão 39

o anexo IV do RDE instrui a padronização do contraditório e da ampla defesa nas


transgressões disciplinares. Assinale a alternativa correta.

A) O prazo para apresentar as alegações de :fes~er prorro~ nem em caráter


excepcional, a fim de não comprometer a efi ácia e a oportunidade da ação disciplinar.
B) As justificativas das razões de defes nter comentários e opiniões pessoais Íl"t sentido
de melhor esclarecer o fato.
C) Não cabem recursos contra o ato da autoridade competente para aplicar a punição disciplinar. P
V~ O processo terá início com o recebimento da comunicação da ocorrência, sendo processado no
âmbito do comando que tem competência para realizar a apuração e aplicar a punição disciplinar.
E) Após recebida e processada a parte e entregue o Formulário de Apuração de Transgressão
Disciplinar, o militar arrolado como autor terá o prazo de três dias corridos para apresentar suas
alegações de defesa. ,- 5:~~
Questão 40

Considerando o ar!. 59 do RDE, que prescreve: "O cancelamento do registro de pumçao


disciplinar será concedido ao militar que o requerer, desde que satisfaça a todas as condições abaixo".
Assinale a alternativa que não corresponde a uma dessas condições.

A) Ter o requerente conceito favorável do seu comandante. V


B) Não ser a transgressão, objeto da punição, atentatória à honra pessoal, ao pundonor militar ou ao
decoro da classe. V
vi'~ Ter o requerente bons serviços prestados, não sendo-,-no entanto, necessária apálise de suas
alterações.
D) Ter completado sem punição quatro anos de efetivo serviço a contar do cumprimento da punição
de repreensão ou detenção disciplinar a cancelar. v
E) Ter completado sem punição seis anos de efetivo serviço a contar do cumprimento da punição de
prisão disciplinar a cancelar. V
Questão 41

O militar ser~~9dO quando for afastado temporariamente do serviço ativo, por motivo de:

IOJ-P
A) Ter sido julgado incapaz temporariamente após 5 (cinco) meses contínuos de tratamento. '"
J@ Haver ultrapassado 1 (um) ano contínuo em licença para tratamento de saúde própria ..
C) Haver ultrapassado I (um) mês contínuo em licença para tratar de saúde de pessoa da família.
D) Não ter sido considerado oficialmente extraviado.
E) Não ter sido julgado incapaz definitivamente, enquanto tramita o processo de reforma.

23
I
I

,
Questão 412

TO~OSos militares estão sujeitos a direitos e deveres, os quais estão regidos pelo Estatuto dos '.'\...
; Militares'ie, de acordo com o mesmo, NÃO são direitos dos militares:

A) O uso das designações hierárquicas; i


, B) A plrcepção de remuneração;
'. I
V~ Estabilidade qualquer que seja o tempo de efetivo serviço;
l D) Ass~stência médico-hospitalar para si e seus dependentes.

E) APtmoçãO

Questão 413

A ',fluem compete, em tempo de guerra, julgar em instância única os processos oriundos dos
.conselhos
, de justificação, nos casos previstos em lei específica?

A). Superior Tribunal Militar.


B) CoJandante do Exército Brasileiro.
C) Ministro da Justiça.
V~Tri+nal EspeciaL
E) Conselho Permanente de Justiça.

Questão 414
I
:A licença bode ser dos seguintes tipos, Exceto:

A) Para tratar de interesse particular.


B) Para tratamento de saúde de pessoa da família.
VIlI Para resolver assuntos'financeiros.
D) Para tratamento de saúde própria.
-E) Para acompanhar cônjuge ou companheiro(a).

Questãoy

, O ST Pedro, da Escola de Instrução Especializada, está sendo excluído do ~erviço ativo das
.Forças Arlnadas. Segundo o Estatuto dos Militares, o referido militar pode estar ser excluído pelos
. ,. E
segumtes molivos, xceto:

A) TraJsferência para a reserva remunerada.


B) RefJrma.
. F) A bJm da disciplina.
V~ proloção por bravura, sem haver vaga.
E) E I.
lO
xtrr .

24

I
Questão 46

De acordo com o Estatuto dos Militares:

I. O Civismo e o Çill1o...das.tradições históricas fazem parte da Ética Militar.


VII. A probidade e a lealdade em todas as circunstâncias são deveres dos militares.
V IlI. Os graduados auxiliam ou complementam as atividades dos oficiais, quer no adestramentc, e no
emprego de meios, quer na instrução e na administração. .
,

f IV. O Código Penal Militar relaciona e classifica os crimes militares, somente em tempo de guerra, e
dispõe sobre a aplicação aos militares das penas correspondentes aos crimes por eles cometidos.
J V. Todo cidadão, após ingressar em uma das Forças Armadas mediante incorporação, matricula ou
nomeação, prestará compromisso de honra, no qual afirmará a sua aceitação consciente das
obrigações e dos deveres militares e manifestará a sua firme disposição de bem cumpri-los.

Estão corretas as afirmativas:

A) I, III,Xe V
B) Somente a II ;<-
C) I, lI, III e V
V~ lI, III e V
E) I, III ep;

Questão 47

Sobre Hierarquia Militar e Disciplina temos o seguinte:


Hierarquia Militar é a rigorosa observância e o acatamento integral das leis, regulamçntos,
normas e disposições.
Disciplina é a ordenação da autoridade, em níveis diferentes, dentro das Forças Armadas. É
correto afirmar que:

A) Os dois conceitos estão certos.


liIIJ Os dois conceitos estão errados.
C) Somente o conceito de hierarquia está correto.
D) Somente o conceito de disciplina está correto.
E) Nenhuma das alternativas anteriores.

Questão 48

João ingressou na Escola de Sargentos das Armas, em 10 de janeiro de 2012, porém, desde 10 de
janeiro de 2010, João era funcionário público do município de Miranda - MS. Considerando que
estamos em ~iro de 2015, e que não houve afastamentos, qual é o tempo de efetivo serviço
militar de João?

25
I
A) 2 ants

~ 3anls
C) 4 anls'
D) 5 anls

E) 6 ants
'Questão 49
. I
, 2~ Sgt Roberto, em uma viagem ~ serviço para uma missão da Organização das Nações Unidas,
desa arece dia 15 de janeiro de 2015, não havendo qualquer indicio de deserção. Desconsiderando os
casos previstos no S 2° do art. 130 do Estatuto dos Militares, os prazos para a publicação do militar como
desapareci&o e para oficializar sua situação como extraviado são, respectivamente:

, A) 4 dils e 20 dias
I
B) 10 diás e 60 dias
; C) 3 dJs e 45 dias
','
,/~
I
8 dias e 30 dias
I
E) 30 dias e 60 dias

Questão SO
I
Asl seguintes afirmações das disposições preliminares do Estatuto dos Militares são verdadeiras
(V) ou falsas (F):

('F ) Os lembras das Forças Armadas, em razão de sua destinação constitucional, são considerados
Servidorel Públicos. w(Ã,,,,<ur'
,( V ) As Jolicias militares e os corpos de bombeiros militares, nos seus conjuntos, são considerados
i '
: reservas das Forças Armadas.
;( F) A c'arreira militar é caracterizáda por atividades no horário do expediente, exclusivamente, e
inteirameJte devotada às finalidades individuais de seus comandantes, denominada atividade militar.
, I
( V ) O Estatuto dos Militares regula a situação, obrigação, deveres, direitos e prerrogativas dos '
membros Aas Forças Armadas.

j~~:~:C)
, F-V-V-V
I
D) F-FfF
E) V-V-V-V

Questão st
, se~iço de escala é todo o serviço não atribuído permanentemente à mesma pessoa, ou fração
de tropa, e que não importe em delegação de pessoal ou escolha. Sempre que possível, entre dois
serviços d~ mesma natureza ou de natureza diferente, é observado, para o mesmo indivíduo, a folga de,
,
no mínimJ quantas horas? . ,
26
1
I
A) 24
B) 36
t/~ 48
D) 60
E) 72

Questão 52

o SI é o chefe da la Seção do EM/U, responsável pelos encargos relativos à coordenação e ao


controle das atividades relacionadas com o pessoal, BI, justiça e disciplina, protocolo e arquivo da
correspondência interna e pagamento do pessoal da unidade, competindo-lhe, exceto:

A) Organizar o trabalho preliminar de qualificação militar das praças, de acordo com as normas em
vigor. V
B) Responsabilizar-se pela carga do material distribuído a sua seção, pela do gabinete do S4 e pela
da Fis Adm. V'
C) Assessorar o Ordenador de Despesas nas atividades relativas à remuneração de pessoal civil e militar; V
v)lt Preparar e dístribuir o Boletim ~lispJit<stríto.
E) Assessorar o Cmt U quanto às providências decorrentes de falecimento de integrante da OM, em
serviço ou não.

Questão 53

O Boletim Interno é o documento em que o Cmt U publica todas as suas ordens, as ordens das
autoridades superíores e os fatos que devam ser de conhecimento de toda a unidade.
Analise as assertivas abaíxo:

J I. O desconhecimento do Boletim Interno não justifica a falta ou o não cumprimento de ordens;


11. Caso sejam informatizados e com assinatura digital, os Boletins Internos não necessitam ser
assinados e arquivados na unidade.
"m. O Cmt D, em casos excepcionais, poderá reuuir os oficiais para ouvirem, em sua presença, a leitura do BI;

Assinale a alternativa correta:


A) Somente a I está correta.
B) Somente a II está correta.
C) Somente a III está correta.
D) Apenas a I e a II estão corretas.
/ ~ Apenas a I e a III estão corretas.

27
I
Questão S4
I . . ~

; A lscala de serviço é a relação do pessoal ou das frações de tropa que concorrem na execução
de determinado serviço, tendo por finalidade principal a distribuição equitativa de todos os serviços de '
'uma OM.~
f I. O servi'ço de escala interno é escalado antes do~JTIQ., e em cada caso, o extraordinário antes do
ordinário, t!ndo-se bem em vista a perfeita equidade na distribuição.
11 lI. As folg1assão contadas separadamente para cada serviço.
f lII. A trocJ de serviç<tfJtera as folgas da escala e, consequentemente, o critério da designação.

, Assinale aIalternativa corre:a:


A) Somente a I está correta,
/-- ~, SoJente a II está correta. "

C) SoJente a m está correta,


'; D) Apelas a I e a H estão corretas.
"@ Apelas a I e a m estão corretas.

,Questão 55
I
JI. A Jarda ao quartel é, normalmente, comandada por wn 2° ou 3° Sgt e constituída dos cabos e
soldados Jecessários ao serviço de sentinelas. '
1/ H. A gjarda do quartel pode ser comandada por um oficial, neste caso, é acrescida de um corneteiro
,ou clarim, passando o sargento às funções de auxiliar do comandante da guarda.
~ m. Um efetivo aproximado de wn terço da guarda do quartel deve estar acordado e reunido, como
'força de reação, inclusive à noite, para atender a situação de emergência na defesa.do quartel.

Assinale a alternativa correta:

A) Somente a I está correta.


B) Somlnte a H está correta.
, I .
C) Somente a m está correta.
'I '.
D) Apeaas a I e H estão corretas.
J"@ T, I
"i""'" corrct~

Questão 56

.A guarda 10 quartel tem por principais finalidades:


-i I. . Fo!necer escolta para presos que devam ser acompanhados no interior do quartel.
f 11. Re~cionar as praças da unidade que se recolherem ao quartel depois de fechado o ,portão pJ:in9P-aI.
t IH.
J~s
Le!ar à presença do,Qficial de Dia a~
. de outras OM que pretendam entrar no quartel.

28

I
Assinale a alternativa correta:

t<. @ Somente a I está correta.


B) Somente a II está correta.
@ Somente a m está correta.
LD) Apenas a I e a II estão corretas.
E) Todas estão corretas.

Questão 57

A prevenção de acidentes na instrução e no serviço visa a prevenir a ocorrência de acidentes e a


contribuir para a criação de uma mentalidade adequada a respeito do tema. As medidas de prevenção
de acidentes são preconizadas em planos de instrução, em manuais técnicos de cada equipamento e em
outras publicações específicas. Com relação a essas medidas, analise as assertivas abaixo:

V I. O Aprovisionador é o responsável pela fiel observância, por todos os seus subordinados, das
normas de prevenção de acidentes e pela verificação das condições de segurança no
aprovisionamento e do uso de EPI e de dispositivos de segurança;
"II. Não devem ser consideradas como medidas restritivas à execução da instrução militar ou do
serviço, e sim como um meio de realizar-se todas as atividades previstas na mais ab~oluta
segurança;
t=III. devem ser de conhecimento obrigatório apenas do Oficial de Prevenção de Acidentes;
.~'

Assinale a alternativa correta:

A) Somente a I está correta.


B) Somente a II está correta.
C) Somente a UI está correta.
V@Apenas a I e a II estão corretas.
E) Apenas a II e a III estão corretas.

Questão 58

~ I. A parada é organizada pelo 10 Sgt ajudante, auxiliado pelo sargenteante maiS antigo, e
comandada, Q pel;Sficial de Dia que entra de serviço.
11. A tropa obrigada a se afastar, deixa de concorrer ao serviço da Gu Mil 4 dias antes da sua
partida.
fiS,c. AAf"}
t= m. Em dia de expediente, as refeições preparadas são submetidas à aprovação do SCmt, por meio de
uma amostra, depois de aprovadas, o encarregado do setor de aprovisionamento ficará em condições
de mandar distribuir as refeições.

29
I
.Assinale aialternativa correta:

A) Somente a I está correta. ,


Z@ SOlJente a Il está correta.
C) SoJente a m está correta.
I @j Apelas a I e a II estão corretas.
E) Apelas a II e a m estão corretas.

. Questão S9
I :

';Analise aslas.sertivas abaixo: ." . . .


'i=' I. Ao serVIço de escala de MedIco de DIa concorrem: todos os medlCOS da umdade, exceto o
Médilo Chefe. -
lI. Conc!rrem ao serviço de escala de Oficial de Dia nos £2!1'0s de troQa: os tenentes, os aspirantes-
a-ofiJal , o~ii£iais do..-Q.AO,os adidos e os excedentes, exceto os ~ficiais, a juizo do Cmt, que
estive}em em função privativa de capitão ou posto superior, o Almoxarife, e os do Serviço de
Saúde.
f m. Conc!rrem ao serviço de Cmt da Guarda do Quartel e Sargento de Dia SU: apenas os 3° Sgt
Eront!s.

Assinale.a alternativa correta:


A) Apenas a I está incorreta.
B) Apelas a II está incorreta.
. C) APelas a m está incorreta.

I
.
J• tO:...~
D) Apelas
r a II e a m estão incorretas.
To di as assertIvas
. estão lllcorretas.
.

Questão 6:0

,i As situLões extraordinárias da tropa são as decorrentes de ordens de sobreaviso, de prontidão e de


marcha.

Analise as assertivas abaixo:


I. Da ordem de sobreaviso resultará, obrigatoriamente, a permanência no quartel de metade dos
oficiaIs da unidade, e pelo menos, um Oficial por SU;
"11. Da or~em de sobreaviso resultará a permanência de todos os Cabos e soldados no quartel;

f' m. Da or~em de sobreaviso resultará que todos os militares permanecerão uniformizados, equipados e
I
,armados.
---r>o

30

I
Assinale a alternativa correta:

A) Somente a I está correta.


11~ Somente a II está correta.
C) Somente a III está correta.
D) Apenas a I e a II estão corretas.
(E) Apenas a II e a III estão corretas:

Questão 61

De acordo com o prescrito no art. 2° do RAE, associe os termos elencados abaixo com seus
respectivos conceitos básicos.

I. Ato Administrativo
11. Fato Administrativo
III. Cargo
IV. Encargos

cí) Posição de um agente especificada na estrutura organizacional de uma Organização Militar, com
atribuições, deveres e responsabilidades definidas.
(.r ) Providência de ordem geral, praticada por um agente visando à boa marcha da administração e
da qual não decorre
~ alteração no patrimônio (propostas de orçamentos, licitações, planos internos
.
de
trabalho, tomadas de contas, etc.).
( JÇ) Providência praticada por um agente e da qua~corre alteração no patrimônio (aquisições ou
vendas, recebimentos ou fornecimentos, cargas ou descargas, etc.).
(TIZ:} Obrigações cometidas a um agente que, pela sua generalidade, peculiaridade, duração, vuÍto ou
natureza, não são catalogadas nas estruturas organizacionais das OM ou em outros diplomas legais.

A) I, II, III e IV.


B) II, IV, I e III.
ICj III, I, II e IV.
D) III, II, I e IV.
E) IV, UI, II e I.

Questão 62

A administração do Exército tem como elementos básicos e orgamcos as Unidades


Administrativas (UA), que são Organizações Militares estruturadas para o exercício de administração
própria, possuindo competência para gerir bens da União e de terceiros. De acordo com essa definição,
como são dividas as Unidades AdministrativasT

31
I
j!f!j UA lutônoma e UA semi-autonôma.
. B) UAIpnmana
. " e UA secun
. d"ana. ....~..
C) UA Lireta e UA indireta. .,
1 .. '
D)UA pnmana e UA terClana.
".

E) UA terciária e UA quaternária.

Questão 63
I
. Os 1gentes da administração da Unidade Administrativa são divididos em Agente Diretor, Agentes
:executoresidiretos e Agentes executores indiretos. São exemplos de Agentes executores diretos:
: v 4==
J@ Encarregado
I.. .
do Setor de Pessoal, Encarregado do Setor de AprovisionameAfu e Fiscal
Ad mmlstratlvo.
B) Enclrregado do Setor de Finanças, Comandante de Subunid:;;e, Fiscal Administrativo.
C) Enc!rregado do Setor de Material Almoxarifado, Encarregados de rfepósitos, de Oficinas ou de
Matlrial, Encarregado do Setor de Finanças.
D) Enclrregado do Setor de Aprovisionamento, Comandante de Sub~üdade, Encarregados de
Deptsitos, de Oficinas ou de Material.
I ~
E) Comandante de Unidade, Comandante de Subunidade, Sargenteante.

Q""'ot
O Agente Diretor, como principal responsável pela administração da unidade, deve tomar todas as .
providêncfas de caráter administrativo necessárias ao desempenho das atividades fim e meio da
unidade, àe acordo com a legislação em vigor, sendo responsável, portanto, pelos atos e fatos
administra\ivos praticados na sua UA. São de competências do Agente Diretor, excel[
I" - Qi
A) ExeDcer fiscalização 'di~e~~sobre a escrituração orçamentária, financeira e patrimonial da UA, a
fim le mantê-Ia em ordem e em dia.
B) FoJalizar e assinar contratos, de acordo com a legislação própria, decorrentes das licitações
realiladas ou das necessidades da UA.
I .
V
C) Realizar a prestação de contas dos recursos geridos pela UA, de acordo e na forma da legislação
. espe!ífica. V
J. ~vtt:J. t
O . ar
net
R~(..~'"1 b' d'
e superVISIOnaro rece Imento e o exame e matena
Id . d
estma o a
UA
.
. E) NDA.
: I .
:Questão 65
J
:. E'm re Iaçao aos B ens P'atnmOlllalS,
.. . Ie a a Iternatlva
assma . correta:
I .
JL Bens imóveis é o solo com a superficie e tudo quanto o homem incorporar permanentemente ao'
mesrnt, de modo que não se possa retirar sem destruição, modificação ou dano;

I 32

I
~ n. Bens móveis são os que podem ter movimento e que não podem ser removidos por qualquer força
alheia.
V m. Material de consumo é todo item, peça, artigo ou gênero alimentício, que se destina à aplicação,
transformação, utilização ou emprego imediato e, quando utilizado, perde suas características
individuais e isoladas e que, quando em depósito ou almoxarifado, deve ser escriturado.

A) Somente a assertiva m está correta.


J~ As assertivas I e m estão corretas.
C) As assertivas I e n estão corretas.
D) As assertivas I, nem estão corretas.
E) As assertivas I, nem estão incorretas.

Questão 66

A sua Unidade adquiriu 3 (três) novos computadores; por ocasião do recebimento dos mesrnos, o
Encarregado do Setor de Material solicitou a designação de uma Comissão de Recebimento e Exame
do Material. Até quantos dias, o presidente dessa Comissão terá para apresentar ao Fiscal
Administrativo da OM o termo ou parte do recebimento?

A) 3 dias
B) 5 dias
J@Sdias
D) 10 dias
E) 13 dias

Questão 67

Poderá ocorrer a descarga de determinado objeto, havendo a nomeação de Comissão de Exame e


Averiguação, em qualquer uma das condições abaixo, exceto:
~
A) Não tiver atingido o tempo mínimo de duração. v
B) For de vaIor atuaI superior a 5 (cinco) MVR (Maior Valor de Referência); ou outro índice que
venha a substituí-lo. V

C) For controlado. V
li/!!) Quando houver indício de crime.' ~rw." )X'11

. E;) NDA.

Questão 68

Os prazos para a passagem de material, transmissão de encargos e de vaIores para as funções de


graduados encarregados de material de Subunidade, Comanqante de Subunidade e Encarregado do
Setor Aprovisionamento, são, respectivamente, de até:
St- / úir w/ MIIOVlÇ. .
,2D 8 8 33
I
' A) J .
15 d\asúteis, 4 dias úteis e 8 dias úteis.
j . @i 20 dias úteis, 8 dias úteis e 8 dias úteis.
I
" C) 20 dias úteis, 8 dias úteis e 4 dias úteis.
J
:D) 15 dias úteis, 8 dias úteis e 4 dias úteis.
~. J .\.~
.~ E) 20 dias úteis, 4 dias úteis e 8 dias úteis. \:
: I .
, .Q'~~:~e1,g_ .,; "mpd,.d, , .tiHm'"~ 1",,",",,",. d,d,~"'"lb,,,o odmlnl'.'ti"". • .
para assegurar maior rapidez e objetividade às ações decisórias, situando-se na proximidade dos fatos,
pessoas o! problemas a atender." (ar1. 151 do RAE).
Com base lo artigo acima e no conhecimento em delegação de competência, assinale a alternativa incorreta. . i.

A) O aJo de delegação deverá indicar, com precisão, a autoridade delegante, a autoridade =ada,
as ltribuições objeto da delegação e, se for o caso, o prazo de vigência de acordo com a./
legillação em vigor. v' ..
. ..B) Em Icaso. de omissão do prazo de vigência no ato de delegação, o mesmo será tomado C0J.110.\

i mdetermmado. V

j(ip. O alo de delegação não poderá ser revogado em nenhum momento pela autoridade de1egante ...
D) Parl obtenção de maior efeito descentralizador, o ato de delegação poderá autorizar a.: .
sub!elegaçãO, à qual se aplicam todas as disposições relativas à delegação. V '
~ NDl. .
.
'.Questão 90
I
.
: .' obstvado o art. 109 que diz: "a responsabilidade será civil quando ocorrer prejuízos para a:;
"União oul para pessoa física ou jurídica". A sanção administrativa, contra o agente ou auxiliar.'
responsátl, poderá se processar mediante as seguintes providências'J5E;EíQ;'. . ; .. i~ .

'A) lmetliato afastamento do cargo, quando, com base em provas documentais tornar-~e
incJmpatível com a função, por ter cometido ações prejudiciais aos interesses da Fazenda ,...

j .8 NaJional, por desídia, .condescendência ou má-fé. ,/


sus~ensão temporária do cargo ou encargo, pelo prazo que se fizer necessárío à APuraçãO da',
irre~ularidade e normalização do serviço quando deixar de cumprir, dentro de 30 [trinta) dias
úteil, as exigências para corrigir faltas verificadas nas suas prestações de contas de recurs~s,' ' ..
J .' .
valores e outros bens.
C) Destonto das importâncias pagas indevidamente. ,.. ';.
iD) Des~onto das importâncias desviadas para constituírem caixas ilegais, revertendo ainda o saldo:'
. desLs ao Estado, como receita da União. . " ,
. I
E) ND~.
"FIM DA 2" PARTE DA PROVA"
FIM DA PROVA!!!
...
., ,
c'
34" ,.

: ,-~ :' .I.


MINISTÉRIO DA DEFESA

EXÉRCITO BRASILEIRO

ESCOLA DE INSTRUÇÃO ESPECIALIZADA


(Centro de Instrução Especializada/1943)

GABARITO OFICIAL DO CACHQAO 2015

N° QUESTÃO RESPOSTA CORRETA


1 E
2 A
3 C
.
4 B
5 C
.

6 D
7 D
8 C
9 E
10 B
11 B
12 A
13 D
14 D
15 B
16 E
17 D
18 C
19 A
20 B
21 A
22 D
23 A .

24 C
25 C
26 B
27 E
28 D
29 E
30 D
31 C
32 D
33 C
34 E
35 B
36 C
37 B
38 E
39 D
40 C
41 B
42 C
43 D
"44 C
45 D
46 D ,

47 B
48 B
49 D
50 A
51 C
52 D .

53 E
54 E
55 E
56 C
57 D
58 B .

59 . E
60 B
61 C
62 A
63 A
.

64 D
65 . B
66 C
67 D
68 B
69 C
70 B

FIM