Sei sulla pagina 1di 3

1) Demonstre o que foi o processo de modernização da agricultura brasileira entre

1065 e 1985 e porque no período houve a transição da hegemonia dos complexos


agroindustriais e a implantação do pacote tecnológico da Revolução verde?
O termo modernização da agricultura é utilizado para designar a transformação na base
técnica da produção agropecuária no pós-guerra, a modificação intensa da produção no
campo e das relações capital x trabalho. Época em que o mercado externo era
dependente dos meios de produção (até 1970). Devido à modernização da agricultura e
ao estabelecimento da Política Agrícola Comum (PAC), alguns países europeus,
dependentes da importação de alimentos, tornaram-se auto-suficiente e tornaram-se
exportadores de produtos agrícolas (a partir de 1980). O Brasil expandia
significativamente a produção, devido a adoção do pacote tecnológico da “Revolução
verde”. A modernização causou vários danos ambientais, e os países da União Europeia
foram altamente criticados na década de 60 e 70 e outros países também na década de
1980. No Brasil o processo de modernização da agricultura reduziu o ritmo a partir do
início dos anos 80, em razão da crise mundial e das crises ficais e financeiras. Os
complexos agroindustriais é a relação entre a indústria e a agricultura, na fase em que a
agricultura representa intensas conexões (indústria-agricultura e agroindústria).

2) A política cambial impacta diversos setores de nossa economia, inclusive o


agronegócio. Discuta a política cambial no Brasil e o agronegócio. Referência de
resposta: - O que é câmbio? Que tipo de câmbio o Brasil adota? (fixo,
livre/flutuante ou sujo). A nossa moeda (real) é considerada uma divisa? Como se
dá a entrada e saída de divisas? A nossa moeda (R$) encontra-se valorizada ou
desvalorizada e qual e o impacto para a atividade econômica?
O câmbio é a operação de troca de moedas entre países, no Brasil o mercado de câmbio
é regulamentado e fiscalizado pelo Banco Central. O Brasil adota o sistema de câmbio
flutuante, onde o mercado estabelece os valores das taxas de câmbio, de acordo com
demanda de oferta e procura. O real não é considerado uma divisa, pelo fato de não ser
aceito internacionalmente e não acumular reservas de valor, como o dólar e o euro. A
entrada e saída de divisas se dá por meio da exportação, importação, investimento direto
estrangeiro, aplicação financeira externa, turismo, empréstimo/financiamentos, etc. No
ano de 2017, o real foi a moeda que mais se valorizou em relação ao dólar. Para a
atividade econômica, quando o dólar está muito baixo, a exportação é prejudicada
enquanto a importação é favorecida; porém quando o dólar está muito alto,
desvalorizando o real, as exportações são favorecidas, porém a inflação pode sofrer
grande aumento, sendo necessária uma intervenção do BACEN.

3 – Considerando as informações apresentadas em alguns seminários, nos textos e


na sala de aula, faça um panorama do Agronegócio no Brasil pós década de 1990.
Na sua resposta aborde elementos como peso no PIB do país e geração de postos de
trabalho, complexos agroindustriais, produção e produtividade, crédito agrícola
(plano safra), mercado internacional e balança comercial, a relação dos países
desenvolvidos e subdesenvolvidos, entre outros elementos.
Novos instrumentos de crédito rural foram implementados na década de 90, visto que o
antigo sistema de crédito rural mostrou-se falho, por atender principalmente a médio e
grande agricultores, e excluir os agricultores familiares.
O governo busca reduzir sua intervenção na agricultura, porém com uma resposta
negativa, que se manifesta em queda da safra, obrigando o governo a adotar novas
estratégias para regular o mercado agrícola.

5 – Nas décadas de 1980 a 1990 uma série de fatores implicaram na redução do


papel do estado. Aponte três elementos que levaram a tal redução e como ficaram
as políticas agrícolas no período em que Coelho (2001) denominou a fase de
transição da agricultura para a agricultura sustentável. Ao mesmo tempo, discuta
os resultados dos elementos e apontem quais foram os caminhos que surgiram
para o crédito agrícola, para a pesquisa, para a defesa do setor, para o comércio
internacional, entre outros.
A crise do petróleo e a redução da capacidade de importar deram um novo rumo ao
modelo de substituição de importações, reduzindo assim o papel do estado na economia.
Também foi feita pelo governo diversas reformas nos instrumentos de Política agrícola,
como, eliminação do IAA e o IBC, reduzindo a atuação do estado no comércio de café e
de açúcar, iniciando a reformulação do crédito rural e da PGPM. A fase de transição da
agricultura foi influenciada por vários planos de estabilizações da abertura comercial na
condução dos negócios agrícolas, pela redução na oferta do crédito rural, utilização
mais intensa da Política de Garantia dos Preços Mínimos (PGPM) para subsidias o custo
de transporte e pela escala no endividamento do setor rural. Fase que antecedeu a
reformulação geral dos instrumentos de política agrícola e em que os valores ambientais
começaram a fazer parte das preocupações do Governo e da sociedade.

6 – Expliquei por que a agricultura é considerada uma atividade produtiva


específica que exige políticas públicas específicas. Ao mesmo tempo, demonstre
qual e a importância do progresso técnico na superação das barreiras encontradas
pelo capital na agricultura para sua plena redução.
A agricultura e considerada uma atividade produtiva específica devido as características
dos produtos agrícolas; pela sua forma bruta e necessidade de ser processado antes de
ser consumido; o variado grau de perfectibilidade; e o volume dos produtos, o que
implica em elevados custos de transporte e armazenamento. Além de sofrer condições
de fatores ambientais e biológicos, pode-se dizer que o período de produção é definidos
pelas leis da natureza.
A produção agrícola é caracterizada pela grande variabilidade da produção anual, onde
está sujeita a riscos de clima, doenças e pragas, que afetam a qualidade final do produto;
exigindo politicas de armazenamento para garantir a oferta.

7- a) O desenvolvimento do mercado de derivativos é uma fonte de financiamento


privado para a agricultura que vem apresentando resultados expressivos no Brasil
errado. Pois não vem obtendo resultados expressivos no Brasil.
B) A política do seguro rural pode cobrir dois riscos: flutuações de preços e de
produtividade. Sendo que a mesma avançou muito pouco no Brasil, em função da
especificidade do setor. Certo.
C) Em função da crise econômica que o Brasil vem enfrentando, a partir de 2014 o
volume de crédito ofertado via SNCR vem apresentando forte retração nos últimos
dois anos. Errado, não vem apresentado forte retração nos últimos 2 anos.
D) Títulos como CPR, CDA, WA e LCA foram mecanismos de crédito
desenvolvidos a partir da década de 1990 frente à crise que o SNCR passava para
possibilitar a agricultura financiamentos via mercado. Certo.
E) A análise econômica e todos seus instrumentos analíticos devem ser
considerados na tomada de decisão da atividade econômica. Errado,
F) O Brasil deve-se tornar o “Celeiro do Mundo”, maior fornecedor de alimentos,
pois as politicas liberais implantadas em todos os países a partir da globalização,
permite ao nosso país exportar tudo aquilo que produz de forma competitiva no
mercado internacional. Errado, Pois o Brasil nunca vai ser o celeiro do mundo em
relação com o EUA ele nunca vai conseguir competir.

Cite e explique dois motivos que levaram o estado a reduzir os subsídios da política
agrícola brasileira a partir de meados da década de 1980. Ao mesmo tempo,
demonstre o que ocorreu com a produção agropecuária a partir da década de 1990
no país?
A partir de meados da década do 80, uma grande mudança nas políticas agrícolas marca
o período. O governo resolve eliminar o subsídio ao crédito rural, ocasionando em
significativa redução do crédito rural.
No início da década de 90, o estado extingue a EMBRATER e algumas outras empresas
públicas, ficando a cargo da iniciativa provada o fornecimento de financiamentos para o
meio rural e regulação da oferta e demanda. Com essa estratégia o estado objetiva
reduzir sua intervenção na agricultura. A resposta a isso foi uma redução da
produtividade na safra de 90/91, a existência de estoques de safras anteriores
amenizaram a situação. Diante disso o governo se vê obrigado a adotar novas estratégias
para regular o mercado agrícola, o que causou uma crise ao cofres públicos em meados
de 95.