Sei sulla pagina 1di 8
vale ee mck 11 1adla APOSTILA DE SISTEMA DE TRANSPORTE 2018.1 Capitulo 02 — Unitizagao de Cargas 2, CLASSIFICAGAO E UNITIZAGAO DE CARGAS 24. INTRODUGAO ‘A finalidade 6a unitizagao 6 aglizar a movimentagao, com isso, reduzindo os custos por meio da utlizago de modemos equipamentos, além de trazer seguranga por causa da protecde oferecida ao produto. Caracteristias das cargas como, por exemplo, peso, volume, pereciildade, inflamablidade, fraglidade, indicam as pecullardades do armazenamento, marussio © procassamento dos insumos. Consequentements, ifuindo na estratégialogistica, 22. _ CLASSIFICAGAO UNIVERSAL DAS CARGAS. ‘Alim que se tenha uma uniformidade no transporte de cargas entre diferentes patses, howe a necassidade de uma classiicagso das cargas de forma universal Devido @ necessidade de um manejo ciferenciado ha uma classiicagio especial das cargas em tigorficas © perigosas. + Carga Frigorfcada: € a carga que necessita ser retigerada ou congelada para conservar as qualidades essenciais do produto durante o transporte Por exemple: futas © cares, + Carga Perigosa: Aquela que pode provocar acidentes em virude de sua natureza, gerando danos as demais cargas, melos de transportes efou colocando om risco as pessoas que manipulam essa carga. Dividida nas Seguintes classes: explosives, gases, liquides inflamavsis, solidos intamaveis ¢ semelhantes, substancias oxidantes © perdxidos organicos, Substincias t6xlcas (vonenosas) © substincias infectantes, materia radioativos, corrasives e variedades de subslincias perigosas diversas, Para se realizar a unitzagdo classifica-se as cargas de acardo com a sua natureza, A. carga pode ser a granel ou geral @ quanto a forma de transporte 6 divida em granel, IndWvidual ou agrupada + Carga a Granel (Bulk): € carga liquida ou seca embarcada diretamente @ transportada sem acondicionamento (emialagem), no apresentando ‘marca de identificagao e sem contagem de unidades. Por exemplo: farelos e grdos. + Carga Geral (Genora): 6 a carga embarcada e transportada por melo de fembalagens de transportes ou unitizadas, sendo felto a contagem de Lnidades ¢ tendo marca de identiicacso. + Individual (Breakbulk Inlui os volumes acondicionades sob dimens6es © formas diversas. O embarque ocorre de maneira convencional, aumentando ‘© tempo na manipulagao, carregamento e descarregamento, Por exomplo, ssacarias, fardos, caxas de papelfo © madeira, engradados, veicuos, maquinas, et. ‘+ Agrupada (Unitizada): € 0 agrupamento da carga, seja a granel ou geral, em uma unidade adequada, consttuindo materais arranjados e acondicionados. de modo a possibtar a movimentagdo © armazenagem por meios mecanizados como uma nica unidade. Por exemplo, cargas containerzadas, 23. _UNITIZAGAO DE CARGAS Unitizar cargas significa agrupar volumes om uma dnica unidade com dimensdes padronizadas, com o intulo de faciltar as operagdes de manuseio, movimentacao, larmazenagem e transporte. Por meio da unlizagao reduz-se a quanidade de volumes manipulados, consequentemente diminul o nimero de manuselos da carga @ da méo-de-cbra, devido, também, & possiblidade de mecanizagSo das operagées de carga © descarga. Além disso, a unitizagao gera diminuigao do tempo, dos custos de embarque e desembarque © 4 seguro das mercadorias, por causa da redugao dos danas e roubos dos produtos. Os principals equipamentos de unlizago so o pallet © © containor. Aprosentando caracteristicas diferentes quanto ao modal de transporte para o qual ser usado, 234. Pallet Plot & uma unidade que, na sua forma, assemelha-se a um estrado, Principalmente construldo de madeira, podendo também ser de aluminio, aco, pléstico, bra polipropileno. Também, pode ser descartével, ou seja, construide pa ‘apenas uma viagem, denominad one way, ou para uso constants ser utlizado em Quanto a seu formato, 0 pallet pode ser quadrado ou relangular. Quanto as faces, para acomodagao das cargas, pode ser simples, duplo, ou ainda ser reversivel. O simples possiilta a utlizagao de apenas a face que possul para o acomodamento, © pallet duplo tom uma face para receber a carga © a outra para dar suport. Jd o reversivel, ambas as faces desempennam qualquer uma das fungSes das faces. Poderam, ser ulizadas cantoneiras, de diversos materials, para proteger a mercadoria paletizada, sendo colocadas nos quatro cantes da pha montada sobre o pallet. © pallet deverd ter uma altura lve entre as duas faces, para possioitar a entrada dos garfos dos equipamentos mectnices de movimentago (paleteiras © empihadeiras) Preferencialmente, deverd ter aberturas nos quatro lados para permitir a entrada dos garfos dos equipamentos, agiizando assim sua movimantagao, FIGURA 22 — EXEMPLO DE ANARRAGKO COM FILNE SHRINK FONTE MODIENTERPRISES FIGURA 21 EXENPLO DE PALLETS AERONAUTICOS Para uma amarragéo rigida dos volumes, @ fim de constitu uma carga uniizada, & rnecessério 0 emprego de cintas, fimes shrink e, stretch. + Cintas: S40 passadas em volta dos pallets de modo que nenhum volume possa serretirado sem a sua violago, podando ser de nylon, poliprpileno, poliéster, metalicas, etc. «+ Filme Shrink Saco termo-elrati, de pldstico ou de paletilena, que envolve a carga © 0 pallet, impermesbilzando-o, isto ¢ nfo permitindo a ‘aproximagao direta com os volumes, sendo adequado para cargas, instaves, + Filme Stroteh: Filme esticével de polietiono que envolve a carga e o pallet, FIGURA 23 EXEMPLO DE AMARRAGAO COM FILME STRETC tendo o mesmo efeito de impermeabilzagso que o shrink, diferenciando-se PONTE: TRANS®AC polo fato de ser adequado a cargas estaves. 0s pallots permitem a manipulagao © a movmentagao da carga uniizada por meio de ‘equipamento mecdinico aprapriado, tanto em terra quanto nos veleulas transportadores, @ nos embarques © desembarques. Permitindo © empihamento de varias unidade dovidamente unitizadas, caso isto soja necesséro. Visando a possibildade da utlizagao de pallets em todos os modais e com o crescimento internacional da unitzagao fol necesséria uma padronizagao das dimensées dos pallets. TABELA 21 — DIMENSOES 00S PALLETS THOT 7200 +800 4200 4.200 4.000 1.300 300 +100 025 4.000 00 FONTE: MENOONGA E KEEDI, 1057 Para o transporte aéreo 6 possivel utllzar os pallets martimos, mas também, 6 bastante Ltlizado pallets, denominados aeronautics, que diferem-se dos marltimos por serem de sluminio, macigas @ terem dimensGes superiores, podendo chegar a seis metros de comprimento, 23.2. Container CConsiste em uma caixa de carga construida em ago, aluminio ou fbra criada para o transporte uniizado de mercadoria, dotada de dispostives de seguranca legalmente Previstos, bem como suflientemente forte para resist a0 uso constante. [A empresa de navegagao Sealand (EUA) foi a pioneira na utiizagéo deste tipo de fequipamento (1956), no Ideal X, um navio tanque adaptado para transporte de containers ‘om seu convés, com capacidade para 58 unidades. Em 1957, fol posto em operagao © primero navio porta contéineres, o Gateway City, com capacidade para 226 containers. Alualmente si uiizados cerca de 200 mithoes de unidades ao ano. ‘A padronizapao dos containers fol iniada pela ISSO (Intemational Standardization Organization), e pela ASA (Amercian Standart Association). Com o tempo, a malaria dos: palses acabou adotando como padrio as especificagdes e dimensdes propostas pela 180, 0 que veio facltar, inclusive, a construgao de navos, trens © caminhdes para o seu transporte, bem como guindastes e equipamentos apropriados para seu embarque, dosembarque @ movimentagao. No Brasil as normas ISO foram adotadas pela ABNT, que em 1971 emits as primeiras ormas relativas a0 container, sua terminologia, lassificagdo, dimens6es, especiicacbes, te ‘As unidades de medida utlizadas para a padronizagao das dimensbes dos containers s30 és () polagadas (9). AS medidas dos containers referem-se sempre a suas medidas lextomas ¢ 0 seu tamanho esta associado sempre ao seu comprimento, que podera ser de 20) ou 40’. A largura 6 a nica medida invariavel do container, tendo sempre 8° (2.438 mm), uma vez que os navios sio construides com larguras padronizadas para seu ‘+ Modulos de 20 denominados TEU - Twenty Equivalent Unit, sendo considerados 0 padrao para a defnigdo de tamanho de navios porta- container. Também so utlizados para a definigao da quantidade de Containers movimentados ou em estoque pelos seus proprietvios. ‘+ Médulos de 40" denominades FEU ~ Forty Equivalent Unit, nao so Lilizados como medida para navios, quantidades ou movimentagées. Também os semireboques rodovidrios © os vagdes ferrovdtios sao construldos de ‘maneira padronizada para poderem transporté-os. 2.32.1. Tipos e Finalidades ‘Ao longo do tempo, com a crescente uniizagao de cargas, muitos tipos de containers foram criados. Ha, atualmente, unidades para todos os tpos de mercadorias, soja granel liquide ou sélido, frigortica ou pergosa. ‘Abaixo segue 2 descrigéo dos tipos de containers mais utlizados: Dy Box 6 container mais utlizado e adequado para o transporte de grande parte das cargas secas existentes. Totalmente fechado, com porias nos fundos. Indicado para carga geral FONTE: ADMINLOGIST Rooter ‘Semelhante a0 Dry Box com disposives que mantém a temperatura controlada. Indicado para ombarque de cargas perecivels congeladas ou restiadas. Indicado para carga frigoriiea, FIGURA 25 — ESQUEMA DE UM CONTAINER REFER FONTE: ADMINLOGIST ‘Open Top Container sem teto, © qual é fechade com lanas. Apropriade para cargas que excedam a altura do container ou cargas que apresentam difculdades para embarque pelas portas 4s fundos. Indicado para carga a granel FIGURA 25 — ESQUEWA DE UM CONTAINER OPEN TOP FONTE ADWNLOGIST Flat Rack Container sem teto © sem laterais, com cabeceiras fixas ou dobraveis. Adequado para cargas pesadas e de dimensbes superiores as do container. Indicado, por exemple, para toras de madeira, FIGURA2,7 — ESQUEWA DE UM CONTAINER FLAT RACK PONTE ADMINLOGIST Platform ‘Tem apenas o piso, sendo apropriade para mercadorias de grandes dimensées. Indicado, Por exemplo, para pegas de aeronave. EFF wee FIGURA28 ~ESQUEMA DE UM CONTAINER PLATFORMFONTE: ADMINLOGIST Tank ‘Container tanque, dentro de uma armagao de tamanho padronizado, préprio para 0 transporte de iquidos om geral FHGURA 28 —ESQUEMKOS UM CONTAER TANK TABELA 22 — DIMENSOES E CAPACIDADE 0S CONTAINERS MARITIMOS" ‘Compri- Dimenséos Externas Dimans6es Inomas Capacidade Tipos mento Oxia cxLxa Pesonvolume pes mm mm um Beene D__BUSSXDABATER _EREXDIBXEL _TURRIT ‘Sean Tor TETRA TAO TET_TENORT ISON _PERBTT Farha TO TEAREREAWRTEOT TEU EAR ZOE PEST Fanon aaa orm Wea TEISOKEDT SRTT FORTE: MENGONGAE REEDI 1057 23.2.2. Mode Aéreo ‘Algumas aeronaves de grande porte, como por exemplo, 0 747 eo Antonov, sao capazes, e transportar containers martimos. Normalmente, porém, os containers aeronauticos S80 menores que os martimos, comportando até quatro toneladas. Com o intuit de uma melhor adaptagao @ aeronave, apresentam os mais variados formatos © até algune recortes. wy mes FIGURA 2:10 — EXEMPLO DE CONTAINERS AERONAUTICOS 2.3.23. Estufagem de Container Estufar ou ovar ¢ o alo de encher 0 container com mercadorias, podendo esta ser a sranel, embalada ou paletizada e desovar & 0 ato de rear as cargas. Devido ao fato do container estar sujeito a diversas movimantagdes durante o embarqu desembarque, na estufagem & imprescindivel, a fm de evitar problemas e acidentes, levar fem consideragao 0 centro de gravidade do container, assim dando o equilbrio necessario para que o mesmo seja adequadamente manipulado, ‘Além disso, na estufagem ndo se deve deixar espacos vazios. No caso da carga ndo ser suficiente para ocupar todo © container, esta precisa ser devidamente amarrada com cordas, cabos, extensores, ou ser escorada, ou ainda ter 08 espagos preenchidos, 0 que Pode ser felio com madeiras cavaletes, pontaletes, estrados, bolsas de ar, ou qualquer estrutura ou objeto que Impega que a carga se movimente dentro do containor © soja daniicada, bem como danifique o préprio container [As mercadorias mais pesadas deve ser colocadas sob as mais leves e, se forem em equena quantidade, devem ser acondicionadas no melo do container para preservar © centro de gravidade E necessario um cuidado especial com cargas perigosas, congeladas ¢ refigeradas. Deve-se estufar somente uma classe de carga perigosa por container, segundo as egulamentagdes pertinentes dos transportadores eda Organizagio Maritima Intemacional (IMO). € necesséria a identifcagso do container @ da carga com etiquetas lespeciais, nas quais haja uma clara indicago da temperatura de combustio do produto, como Intute de orlentar seu manuselae transporte ‘A carga congelada deve ser acondicionada no container de maneira compactada, ou sei3, todas as caixas ou pallets colocados lado a lado som deixar espagos para nao permit a ireulagdo de ar em meio aos mesmes, mas fazendo com que eles sejam envahides, isto 6, 0 ar deve passar sob a carga e retomar por cima para ser recirculado pelo equipamento e refrigeragto. A carga refrigerada ou restiada deve conter espagos que permitam @ ciroulagao de ar, pois mercadorias vivasrespiram e provocam a elevaeSo da temperatura, (2 circulagto do ar neutraliza este efelto or causa dessas diferengas, no deve ser realizada a estufagem de mercadorias completamente diferentes entre si, como por exemplo, em relagSo & umidade, odor, peso specifica, contoles diferenciados de temperatura PPelo cuidado que se deve ter com a estufagem ¢ a fim de nao acarretar gastos adicionais ‘com fretes, uma tarefa importante escolher © comprimento do container, 20° ou 40 Georalmente, as cargas mais densas apresentam melhor aproveltamento nos containers 40 20; enquanto, as mais volumosas, aos de 40! 233. Outros Equipamentos de Unitizagao 29.2.1. Big Bag Denominado, por muitos autores, como sendo um container flexivel. & uma embalagem foita de material sintético (polipropleno), com fundo geralmente circular ou quadrado, semolhante a uma grande sacola Plo fata de manter as mercadorias mais bem acomodadas e protegidas contra materais Pontiagudos, normalmente, utilzado para produlos a granel ou embalados em sacos (sacolas). Permitindo acondicionar cargas de peso entra 800 a 2.000 kg. Pode ser armazenado em locais abertos, visto que & confeccionado com material impermedvel. Além isso, 6 reutlizével © dobrivel, ndo ocupando excessivo espago, por Isso adequado para retomar vazio. FONTE: SACOS NOVOA 23.32. Baris e Tambores Recipientes de formato cllindrco, fabricados em ago, aluminio ou poliproplono comportando até 500 ltros. Podendo ser descartavels ou ndo. Indicado para © acondicionamento de grandis liquides © sélides, fornecendo boas condigées de seguranga a0 produto. Apresentando um manuselo mals facil em locais desprovidos de equipamentos para carga descarga. FIGURA 2.12 —TAMBORES FONTE: MECALUX LOGISMARKET REFERENCIAS ADMINLOGIST. Tinos de Canlainers = Martino, 2011. spaniel om . Aceata on 26 do junha de 251 FEDERAGAD OAS INDUSTRIAS 00 ESTADO DE SAO PAULO — FIESP. Equpamentos 96 Honimentapao 2011 Dispontel rn hte. com brine stutualvansportedetauleUlpemenes asp, Acesso em 28 de unho de 20°" FEDERAGAO DAS INOUSTRIAS 00 ESTADO OF SKO PAULO — FIES®. Natureza ca Care, 201 Dispontel om , Aeasso om: 28 ao juno 6020 GOEBEL, 0. Logisica — otinzaeio do Tansporte © Estoques na Emgress, 2011. Disponvel em < Noni teense taco so, tanaee.« eas namprenapa Ar EDI, S. Logica do Transports ntemacinal 03" Ed, Sao Paul: Advanoras, 207 KEEDI,S. Tanspatos, Unizapso o Sepurs Ilemaconale de Carga: Price» Execicas. OSE, S80 Paul: Asano, 2007 LEITE, J. 6. M. Produto Logistco, 2011, Dispnivel em

,Aceseo em 28 de aha a0 207 RODRIGUES, P.R.A. ntodupso 90s Stemas de Transparte no Basle & Loglsica intmacional OE, 'SACOS NOVA. Big Bags, 2011 Disponve emehtpnm-sacosnovos.esindox_onphpeat-on.big-bap> ‘Acessoom 19, Juha de 201% TRANSPACK. Pall! & Bunding Stetch Fi, 2011. Oisponivel em < hptwwaranspeck co.uk products. aspeubea-05>.Acosea om 19.8 ho 60 201%