Sei sulla pagina 1di 57

RESUMO DAS MUDANÇAS DE TEXTO

NA NR-13 – REVISÕES MAIO/2014 E


SETEMBRO/2017

CNTT - NR-13
BANCADA PATRONAL
Lei 6.514
Medicina e Segurança
no Trabalho

LEI SEGURANÇA E MEDICINA NO TRABALHO (1977)


6.514

PORTARIAS MINISTÉRIO DO TRABALHO (1978)


MINISTERIAIS

MINISTÉRIO DO TRABALHO (1978)


NORMAS
REGULAMENTADORAS
Hierarquia das Comissões no MTE

MTE Coordenação de
SIT DSST
Normatização

CNTT

CTPP
GT
CT
Criação da CNTT NR-13 em 10/6/2011
Atribuições da CNTT NR-13

o Propor alterações ou ajustes no texto da Norma.


o Analisar impactos não previstos.
o Interagir com a comunidade.
o Retirar dúvidas de interpretação.
o Auxiliar na implementação dos requisitos da mesma.

A CNTT NR-13 é uma Comissão permanente e está atenta para


as inovações tecnológicas, as ações das empresas e
necessidades da fiscalização.
Composição da Comissão

5 membros por bancada: Empregadores, Governo e


Trabalhadores

Após a criação da
Comissão as instituições
e as empresas se Representantes da Bancada dos Empregadores
mobilizaram para (membros):
promover as indicações Antonio Ribeiro (CNI-ABIQUIM-Braskem)
dos representantes dos
Francisco Marques (CNI-Petrobras)
Empregadores
Lourenço Righetti (CNI-ABIMAQ)
Luís Henrique (CNA-Açucar e Álcool)
Fabricio Stange (CNI-Celulose e Papel)
Processo tripartite

Vale lembrar:
O trabalho em Comissões Tripartites é um
processo de negociação, onde o consenso deve ser
obrigatoriamente alcançado, levando à
necessidade de flexibilidade nas posições das
bancadas.
Processo tripartite

Foco principal voltado para a segurança dos


trabalhadores.

A bancada Patronal trabalha no sentido de somente


aceitar o que for tecnicamente viável e após avaliar os
impactos nas empresas.

A revisões de 2014 e 2017 não abrangeram todos os


itens da Norma.
PRINCIPAIS MUDANÇAS

NA NR-13

REVISÃO MAIO/2014
Principais mudanças na NR-13/2014
Principais mudanças na NR-13/2014

 Abrangência -

 13.2.1. Inclusão de Tubulação


 13.2.2. Exclusão condicionada – Obrigatoriedade
de seguir códigos específicos – dutos;
pacote de máquinas; trocadores de placas corrugadas.
Principais mudanças na NR-13/2014
Principais mudanças na NR-13/2014
Principais mudanças na NR-13/2014
Principais mudanças na NR-13/2014
Principais mudanças na NR-13/2014
Principais mudanças na NR-13/2014
Principais mudanças na NR-13/2014
Principais mudanças na NR-13/2014
Principais mudanças na NR-13/2014
Principais mudanças na NR-13/2014
Ganhos com a revisão 2014 da NR-13

• Economia no uso de recursos naturais e insumos, como água


para os testes hidrostáticos que teve a exigência eliminada.

• Possibilidade de utilizar os recheios internos de equipamentos


até as suas vidas úteis. A versão anterior exigia a abertura
destes equipamentos independentemente da vida destes
recheios.

• Aumento de segurança, devido à:


o Redução de exposição das pessoas nas execuções de testes
hidrostáticos tecnicamente desnecessários.
o Postergações de campanhas de equipamentos com recheios
internos.
o Execução de testes mensais de válvulas de segurança de
caldeiras categorias B e C.
Ganhos com a revisão 2014 da NR-13

• Melhoria da logística de paradas e de serviços de rotina.

• Redução do risco empresarial com a eliminação de diversos


riscos graves e iminentes desnecessários.
PRINCIPAIS MUDANÇAS

NA NR-13

REVISÃO SETEMBRO/2017
Principais mudanças na NR-13/2017

TÓPICOS COLOCADOS SOB DISCUSSÃO:


1. Capacitação e elegibilidade do PH
2. Capacitação de trabalhadores
3. Sistemas e dispositivos de proteção
4. Inspeção não intrusiva

5. Recipientes móveis e transportáveis


6. Equipamentos que operam a vácuo

7. Projeto de instalação
Principais mudanças na NR-13/2017

• TÓPICOS COLOCADOS EM DISCUSSÃO:


8. LRS – Livro de Registro de Segurança
9. PAR – Projeto de Alteração e Reparo
10. Enquadramento de caldeiras categoria “C”

11. Equipamentos não metálicos

12. Definição de pressão máxima de operação

13. Equipamentos construídos sem código

14. Outras propostas intempestivas


Principais mudanças na NR-13/2017

1- DEFINIÇÃO DA FORMAÇÃO DO PH

- Bancada de Governo

- Atribuição de grade curricular mínima

- Esquema de certificação voluntária reconhecido pelo MTb

- Outros atores envolvidos: CONFEA, CNQ E ME

- Proposta preliminar em discussão

- Devido à complexidade do tema, sua inclusão na NR-13 ficou


para a próxima revisão (2019?)
Principais mudanças na NR-13/2017

2- CAPACITAÇÃO DE TRABALHADORES

- Bancada dos trabalhadores

- Inicialmente. foco no treinamento de operadores

- Consideradas experiências na Petrobras, Braskem e SENAI

- Bancada dos trabalhadores deseja incluir requisitos para efetivo


mínimo de operadores e esquema para certificação de técnicos
de inspeção

- Primeira proposta ainda em elaboração

- Discussões continuarão em 2018


Principais mudanças na NR-13/2017

3- SISTEMAS E DISPOSITIVOS DE PROTEÇÃO

- Bancada Empresarial

- Avanços tecnológicos, barreiras de proteção, automação

- Seminários para discussão

- Assunto complexo

- Elaborada uma proposta preliminar para caldeiras

- Discussão continuará em 2018


Principais mudanças na NR-13/2017

4 – Inspeção Não Intrusiva

- Bancada Empresarial

- Quebra de paradigma

- Norma ABNT NBR 16.455 – Vasos de Pressão – Metodologia para


inspeção não intrusiva, baseada na Guia 103 da DNV , publicada em
junho de2016

- Grande potencial de ganhos para a indústria, apesar das limitações


normativas impostas para sua utilização
Principais mudanças na NR-13/2017

4 – Inspeção Não Intrusiva – proposta aprovada

- 13.5.4.7 - As empresas que possuam SPIE certificado conforme Anexo II desta


NR poderão executar em vasos de pressão categorias I e II uma inspeção não
intrusiva – INI, de acordo com a metodologia especificada na norma ABNT NBR
16455, desde que esta seja obrigatoriamente sucedida por um exame visual
interno num prazo máximo correspondente a 50% do intervalo determinado
no item 13.5.4.5.(b) desta NR.

- Execução de projeto piloto antes da inclusão na NR-13


Principais mudanças na NR-13/2017

4 – Inspeção Não Intrusiva – proposta aprovada

- Art. 2º Os estabelecimentos de empresas que possuem Serviço Próprio de


Inspeção – SPIE e que optarem por aplicar a metodologia de Inspeção Não
Intrusiva – INI, conforme previsto nesta Norma, devem realizar uma inspeção
piloto com acompanhamento em todas as suas etapas pelo Organismo de
Certificação de Produto – OCP de SPIE e pela representação sindical na
Comissão Nacional Tripartite Temática da NR-13 – CNTT NR-13, ou por
representante por ela indicado, que avaliarão o processo para deliberação na
Comissão de Certificação de SPIE – COMCER.
- A inspeção piloto deve ser sucedida de uma inspeção visual interna no prazo
máximo de dois anos para validação da efetividade da metodologia.
- O estabelecimento que tiver a inspeção piloto aprovada pela COMCER pode
aplicar a metodologia de INI, conforme item 13.5.4.7 desta Norma.
Principais mudanças na NR-13/2017

5 - Recipientes Móveis e Transportáveis

- Bancada de Governo

- Foco no recipiente P-190, com forte impacto para a indústria


de distribuição de gás

- ANP, INMETRO e SINDIGAS envolvidos na discussão


Principais mudanças na NR-13/2017

5 – Recipientes Móveis e Transportáveis – Proposta aprovada

13.2.2. Os equipamentos... relacionados, ficando dispensados do cumprimento


dos demais requisitos desta NR:

b) recipientes transportáveis de gás liquefeito de petróleo – GLP – com volume


interno menor do que 500 L (quinhentos litros) e certificados pelo INMETRO;
Principais mudanças na NR-13/2017

6 – Equipamentos que operam a vácuo

- Bancada Empresarial

- Ajustes no texto
Principais mudanças na NR-13/2017

6 – Equipamentos que operam a vácuo – Proposta aprovada

13.2.2. Os equipamentos... dispensados do cumprimento dos demais requisitos


desta NR: e) vasos de pressão sujeitos apenas à condição de vácuo inferior a 5 kPa
(cinco), independente da classe do fluido contido;

13.5.1.3 b). vasos de pressão submetidos a vácuo devem ser dotados de


dispositivos de segurança ou outros meios previstos no projeto; se também
submetidos à pressão positiva devem atender à alínea “a” deste item;
Principais mudanças na NR-13/2017

7 – Projeto de Instalação

- Decidida a exclusão deste item , com a inclusão do seguinte:

13.5.2.4. A instalação de vasos de pressão deve obedecer aos aspectos de


segurança, saúde e meio ambiente previstos nas Normas Regulamentadoras,
convenções e disposições legais aplicáveis.

13.5.2.5. Quando o estabelecimento não puder atender ao disposto no item


13.5.2.2, devem ser adotadas medidas formais complementares de
segurança que permitam a atenuação dos riscos.
Principais mudanças na NR-13/2017

8 – Livro de Registro de Segurança

- Bancada Empresarial

- Aproveitamento de sistemas de registros eletrônicos já existentes


SAP, por exemplo

- Liberação prévia do equipamento para volta à operação – registro


da condição operacional do vaso de pressão
Principais mudanças na NR-13/2017

8 – Livro de Registro de Segurança – Proposta aprovada

13.4.1.9. O Registro de Segurança deve ser constituído por livro de


páginas numeradas, pastas ou sistema informatizado do
estabelecimento com segurança da informação onde serão
registradas:...condição operacional do vaso...

Glossário
Segurança da informação – conjunto de ações definido pelo
empregador com a finalidade de manter a integridade,
inviolabilidade, controle de acessos, disponibilidade, transferência e
guarda dos dados eletrônicos.
Principais mudanças na NR-13/2017

9 – PARA – Projeto de Alteração e Reparo

- Bancada Empresarial

- Separação dos conceitos alteração e reparo

- Ajustes no texto
Principais mudanças na NR-13/2017

9 – PAR – Proposta aprovada

Glossário

• Projeto de alteração – projeto elaborado por ocasião de alteração


que implique em intervenção estrutural ou mudança de processo
significativa em caldeiras, vasos de pressão e tubulações.

• Projeto de reparo – projeto estabelecendo os procedimentos de


execução e controle de reparos que possam comprometer a
capacidade de retenção de pressão de caldeiras, vasos de pressão
e tubulações.
Principais mudanças na NR-13/2017

10 – Enquadramento de Caldeiras

- Bancada Empresarial

- Exclusão da categoria C e ajustes na B


Principais mudanças na NR-13/2017

10 – Enquadramento de caldeiras – proposta aprovada

13.4.1.2. Para os propósitos desta NR, as caldeiras são classificadas em 2


(duas) categorias, conforme segue:

a)caldeiras da categoria A são aquelas cuja pressão de operação é igual ou


superior a 1960 kPa (19,98 kgf/cm2), com volume superior a 50 L (cinquenta
litros);

b)caldeiras da categoria B são aquelas cuja a pressão de operação seja


superior a 60 kPa (0,61 kgf/cm2) e inferior a 1960 kPa (19,98 kgf/cm2),
volume interno superior a 50 L (cinquenta litros) e o produto entre a pressão
de operação em kPa e o volume interno em m³ seja superior a 6 (seis).
Principais mudanças na NR-13/2017

11 – Equipamentos Não Metálicos

- Bancada Empresarial

- Realizado seminário para discussão inicial – só para PRFV

- Bancada de governo quer instituir capítulo específico para o tema

- Proposta apresentada pela bancada empresarial, a qual consiste


na inclusão desses equipamentos no item 13.2.2 da NR-13 não foi
aceita pela bancada de governo

- Possível revisão dessa negativa nas discussões em curso


Principais mudanças na NR-13/2017

11 – Equipamentos Não Metálicos – Proposta empresarial para


discussão em 2017

13.2.2. Os equipamentos... dispensados do cumprimento dos


demais requisitos desta NR:
- n) vasos de pressão fabricados em material compósito que
possuam prontuário contendo a documentação de fabricação,
conforme o código de projeto, incluindo memória de cálculo,
detalhes construtivos e de controle de qualidade.
Principais mudanças na NR-13/2017

12 – Definição de PMO – Pressão Máxima de Operação

- Bancada Empresarial

- Ajustes na definição para contemplar pressão de vácuo


Principais mudanças na NR-13/2017

12 – Definição de Pressão Máxima de Operação – Proposta aprovada

13.5.1.2. (c) Os vasos de pressão são classificados...em função do


produto P.V, onde P é a pressão máxima de operação em MPa, em
módulo, e V o seu volume em m3...:
Glossário
• Pressão máxima de operação – para fins de enquadramento e
definição da categoria de vasos de pressão considera-se pressão
máxima de operação a maior pressão que o equipamento pode
operar em condições normais de processo, previstas no prontuário.
Caso não exista esta definição no prontuário, deve ser considerada a
PMTA.
Principais mudanças na NR-13/2017

6 – Equipamentos Construídos Sem Código de Projeto

- Bancada Empresarial

- Item de grande impacto para a maior parte dos setores da atividade


econômica que utilizam vasos de pressão

- Proposta aprovada abre chance para regularização dos equipamentos


fabricados nessa condição até a data da entrada em vigor da revisão
da NR-13, mas proíbe a aceitação da fabricação novos equipamentos
a partir daí.
Principais mudanças na NR-13/2017

13 – Equipamentos construídos sem código – Proposta aprovada

13.5.1.7.1. Vasos de pressão construídos sem códigos de projeto,


instalados antes da publicação desta Norma, para os quais não seja
possível a reconstituição da memória de cálculo por códigos
reconhecidos, devem ter PMTA atribuída por PH a partir dos dados
operacionais e serem submetidos a inspeções periódicas, até sua
adequação definitiva, conforme os prazos abaixo:
a) 01 ano, para inspeção de segurança periódica externa;
b) 03 anos, para inspeção de segurança periódica interna.
Principais mudanças na NR-13/2017

13 – Equipamentos construídos sem código – Proposta aprovada

13.5.1.7.2. A empresa deverá elaborar um Plano de Ação para


realização de inspeção extraordinária especial de todos os vasos
relacionados no item 13.5.1.7.1, considerando um prazo máximo de
60 meses.

- Requisitos da inspeção extraordinária definidos no glossário


Principais mudanças na NR-13/2017

13 – Equipamentos construídos sem código – Proposta aprovada

Inspeção extraordinária especial – inspeção aplicada para vasos de


pressão construídos sem código de projeto que compreende,
impreterivelmente:
a) levantamento dimensional dos elementos de retenção de
pressão que não possuem equação de projeto em códigos
reconhecidos, como tampos nervurados, flanges, conexões,
transições cônicas, entre outros;
b) caracterização de materiais de fabricação através de ensaios, ou
admissão dos menores limites de resistência presentes nos códigos
de projeto, para cada tipo de material/liga (aço ao carbono, aço inox,
etc.);
Principais mudanças na NR-13/2017

13 – Equipamentos construídos sem código – Proposta aprovada

c) avaliação de integridade estrutural por metodologia complementar,


análise de tensões, adequação ao uso ou similares, de acordo com critérios
de aceitação de códigos internacionais de referência;
d) adoção de sobre-espessura de corrosão para os componentes
avaliados, que permitam o monitoramento de vida residual;
e) dimensionamento de reforços estruturais, quando necessário, através
da elaboração de projeto de alteração;
f) elaboração de plano de ação, considerando a vida residual calculada e
prazo para implementação de projeto de alteração não superior a 10 (dez)
anos.
Principais mudanças na NR-13/2017

TÓPICOS ADICIONAIS

XX – Esclarecimentos sobre pacotes de máquinas

- Bancada Empregadores

- Bancada do Governo tentou modificar texto

- Construída e apresentada uma proposta com o esclarecimento dos


conceitos e exemplificação real – perguntas e respostas.

XXX – Novo critério para estabelecimento do intervalo entre inspeções


para caldeiras – caldeira especial
Principais mudanças na NR-13/2017

OUTROS AJUSTES

- Bancada do Governo – exigência de fotos em relatórios.

- Bancada do Governo – obrigatoriedade para fornecer registros de


segurança impressos para os sindicatos mediante solicitação.

- Bancada Patronal – ajustes de texto e glossário


Consequências e impactos

 MUDANÇAS SIGNIFICATIVAS NO TEXTO DA NR-13 TRAZEM MUITAS


DÚVIDAS DE INTERPRETAÇÃO AOS USUÁRIOS E AOS AGENTES DA
FISCALIZAÇÃO, COM OS SEGUINTES IMPACTOS:

 Erros na interpretação levam a não conformidades no atendimento


aos requisitos normativos legais.

 Aumento significativo de custos, muitos deles desnecessários, para


o atendimento desses requisitos normativos – terceirização.

 Maior fragilidade diante da fiscalização – interdições e multas.

 Aplicação pela fiscalização de multas e interdições indevidas,


passíveis da interposição de recursos administrativos e judiciais
pelos autuados.
Fim

Obrigado pela atenção

Estamos disponíveis para


esclarecimentos adicionais
Consultor: Francisco C. R. Marques
franciscocrm57@gmail.com
Tel 21 99441-0847