Sei sulla pagina 1di 6

Il trasferimento della Corte Portoghese in Brasile e Apertura dei porti in Brasile

Il trasferimento della Corte Portoghese in Brasile e stata la conseguenza del blocco


Continentale da Napoleone.
In decorrenza della situazione conflittuale tra Francia e Gran Bretagna nel intuito di
provocare una resa inglese Napoleone decretò Il blocco Continentale nel 21 Novembre 1806
proibendo l’entrata nei porti francesi delle nave provenienti dall’ Inghilterra e dalle sue colonie.
Portogallo era alleato dagli inglesi che per di più era uno dei più grandi partner commerciale e il
porto di Lisbona era neutro, e per questo una breccia perchè da questo porto passava merce inglese
che andava agli altri paesi europei. Napoleone con un ultimato nel 1807 pretendeva che Portogallo
lasciasse l’alleanza con gli inglesi e passasse al gruppo del Continente. Senza possibilità di resistere
ad una attacco dalle forze francese, il principe reggente D. Joao VI optò con l’aiuto dagli inglesi ad
un trasferimento di tutta famiglia reale e tutta la sua corte alle terre brasiliane. (pg 76-78) nazione
amiche pg 83
Nell arrivo D. Joao VI apri i porti brasiliani permettendo l’importazione di merce proveniente di
tutte le nazione amiche della corona. E per le nazione amiche si intendeva dire Gran Bretagna (Pg
122 Boris Fausto).
Con i porti europei chiusi per la Gran Bretagna più alcuni problemi con Gli Stati Uniti, lo
scoamento delle merce nei porti brasiliani al di la della possibilità di assorbimento dal mercato
erano principalmente inglese che hanno avuto diffusione grazie alle aste:”faience, porcellane,
cristalli e vetri (vetri e ceramiche dello Yorkshire e Glasgow), pentole in ferro, articoli di cuttelarie
posateria (di Sheffield) una infinità di altri oggetti conquistarano le case brasiliane e li ci sono
installati come merce di qualità superiore”. (pg. 76)
Questa affluenza di oggetti inglese in Brasile e forma un nuovo gusto
Gli inglesi già avevano tentato una occupazione in Sud America in Buenos Aires nel Luglio di
1807 ma una loro sconfitta e un cambio di direttiva nel governo inglese gli hanno fatto
abbandonare l’impresa. Di fatto la politica inglese era più favorevole ai movimenti di
indipendenza in cui eliminarebbero monopoli centralizzati come quello spagnoli e
passarebero come protettori ottenendo invece degli benefici.(pg81). Di fatto l’appoggio dalla
Gran Bretagna alla monarchia portoghese e stata celebrata con un Trattato questa “alleanza” e
stata celebrata con un Trattato di Commercio di 1810 che beneficiava gli inglesi che pagavano
meno tasse dagli stessi portoghesi non solo nei porti brasiliani in tutti i porti delle colonie
portoghesi. Questa politica ha impediu lo sviluppo di una industria nazionale brasiliana che
doveva competire con i prezzi stracciatti dalle merce inglese. Questa over exportazione
inglese si normalizo con il fine della guerra nel 1815 con il ritorno del comercio
inglese.continentale. pg 105
. Preferia que o estabelecimento da
se ajudasse
independên- cia, que trazia o fim do
monopólio comercial da Espanha, e, pela
adoção da Monarquia, conseguir afastar a
contaminação dos princípios jacobinos da
Revolução Francesa. Nos movimentos de
independência, apareceram os ingleses como
auxiliares e protetores, colhendo os
benefícios dessa posição.

Influem em todos os aspectos da vida


brasileira. A eles deve-se a introdução do
gosto pela residência em casas isoladas por
jardins bem-tratados, e longe do cen- tro da
cidade, freqüentemente em contato direto
com a natureza agreste; as transformações no
interior mesmo das casas, com
a adoção de
cômo- dos, novos arranjos, novos móveis e
melhor higiene; o refinameato das
maneiras de comer, com o uso do garfo e
faca; modificações na moda, não somente
quanto às cores preferidas, como também
quanto às fazendas e
1
Usam-
senopresentecapítulo,indiferentemente,comosinônimos,ost
ermosInglaterrae

Grã-Bretanha embora o nome oficial do país já fosse,


na época estudada, Reino Unido ,

da Grã-Bretanha. Do mesmo modo aparecem como


equivalentes inglês e britânico. Seguimos, assim,
costume generalizado entre nós de considerar tais
palavras como sinôni- mas e de chamar ao país
simplesmente Inglaterra. Aliás, em documentos oficiais
irgleses da época, emprega-se muitas vezes a palavra

Inglaterra para designar o Reino Unido da Grã-


Bretanha.
76

HISTÓRIA GERAL DA CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA


ao chapéus redondos,
tipo de vestuário: os
por exemplo, em lugar dos de três bicos.
Os produtos ingleses, louças e porcelanas,
cristais e vidros, panelas de ferro, cutelaria e
uma infinidade de outros objetos conquista-
ram as casas brasileiras e nelas se instalaram
como mercadoria de qualida- de superior.
Produtos da indústria inglesa, das mais
variadas espécies, tor- naram-se comuns nas
lojas e armazéns das cidades. Remédios
ingleses fizeram época: a magnésia, os
calamelanos, os ungüentos de Inglaterra
entraram nas farmácias brasileiras.
Carruagens inglesas invadiram as cidades
mais importantes. Surgiram ainda os
machados e serras inglesas, muito superiores
aos já existentes, diz John Luccock, em suas
Notas sobre oRiodeJaneiro,
tornandomenosárduootrabalho,particularmente
nas
derrubadas.
Influência intelectual

Mas os ingleses influíram também


intelectualmente

no nosso meio, através dos seus escritos em


prosa ou verso, dos livros técnicos e
científicos, dos colégios com novos métodos
de ensino, dos professores de língua inglesa
ou de outras matérias. A governanta
inglesa, que apareceu logo em cidades como
Rio de Janeiro, Bahia e Recife, foi veículo
importante na transmissão dos costumes e
do pensamento britânicos. E ainda não
podemos esquecer a influência na vida
política do país: na orientação da linha de
conduta do governo ou na ação sobre as
atitudes dos parlamentares, que dos ingleses
copiaram a
oratória, o teor dos discursos.
 O século
XIX, sobretudo em sua primeira metade,
foi assim, no
Brasil,o século inglês por excelência. E
tudo isso começou com a chegada da família
real portuguesa.