Sei sulla pagina 1di 10

Estrelando

Celeste​ como ​SoRabo

SoRabo é uma mulher perversamente vingativa, esquizofrenica, #SURTADA e com


sequelas de caxumba o que fez com que seu bumbum crescesse gradativamente. Apesar
de tudo isso ela é perdidamente apaixonada por Nandito e sente muito ciumes dele e de
sua recente aproximação da maldita Aleijada arrombada vaca puta desgraçada! Soraya tem
os meio$ pra acabar com a sua vida, mas só tem vontade de acabar com a vida de quem se
engraçar pra cima do seu macho ativo discreto com local.
Larissinha ​como ​Maria Aleijada

Maria aleijada é uma meretriz de 16 aninhos de pura fechação (mas para o ferdinando ela
tem 18, ok?), não aguentou guardar a preciosa até os 18 anos e resolveu liberar para um
cara casado, como uma garota burra que ela é. fez sexo uma fez, socou a rola nela outra
vez, e mais outra, e mais outra... até que a bixa burra ficou aleijada e com incontinência
fecal, agora eh melancólica, escuta lana del rey e usa fraldas geriátricas #pretas. Ela tem
uma enorme rixa com sorabo, uma vagabunda sem escrúpulos que adora sexo sem
comprimisso (somente ela tem essa liberdade, o macho tem que guardar a calabresa só
para sorabo) e aterrorizar jovens garotas inocentes e arrombada.

Rah ​como ​Nandito

Nandito é um jovem misterioso e sedutor, é um mestre do flerte e já teve rolo com diversas
mulheres mais velhas mas todos sabem que no carnaval ele se veste de anjo ou de soldado
e roda as ruas tomando skol beats senses azul no mamilo dos boys sarados sem neca...
Não só tomando... Tudo no sigilo, é claro. É bissexual pronto e acabou, no momento está
transando com mulher, mas a partir do momento que ele quiser, ele vai chupar um cuzinho
e acabou. #sigilo #fundo
Unique ​como ​Espiroca

Espiroca é uma coadjuvante irrelevante em busca do estrelato, aparecer em momentos


inoportunos e de forma desnecessária é com ela mesma, aproveita qualquer chance que
tem pra receber destaque mas no final só apanha mesmo, possui um carinho muito grande
por Aleijada e ajudou a mesma diversas vezes a raspar sua xereca mofada e inutilizada,
mesmo não sabendo que a mesma se envolveu em uma caso de amor com um dos
amantes dela, Nandito, com o qual viveu intensas noites de sexo, braço no cu e gritaria.
Missy​ como ​Coadjuvante Sem Importância/Thaluda

Thaluda Dela Verga veio de baixo, é uma mulher sonhadora e que não se contenta com
pouco. Sempre quis o melhor para sua irmãzinha Maria Aleijada, tanto que, na primeira
oportunidade que pôde, colocou a pobre menina para viver com a alta camada da
sociedade mexicana. Thaluda desapareceu por um tempo, para fazer mistério e voltar em
grande estilo para finalmente debutar seu álbum de comeback e reconquistar o posto de
Maria mais importante da trama musical mexicana.
Maria La Aleijada

Aleijada sempre nutriu um amor muito forte por Nandito, e naquela tarde, o que
sempre pareceu impossível para a pobre irmã cadeirante e decadente de Maria Thaluda,
finalmente havia se concretizado.

– Aleijada – disse Nandito – seu cabelo pode ser até ​#mofado e ​#fodido​, sua pele
pode estar precisando de uma esfoliação, seus dentes são esquisitos até com esse
aparelho, mas alguma coisa nessa sua carinha de coitada me cativou – ele se ajoelha, para
ficar na mesma altura que sua amada.

– Por algum motivo que ninguém entende, e que eu espero que não seja pena, eu te
amo. – Nandito segura as mãos de Aleijada e aproxima seu rosto do dela, com seu hálito
quente e refrescante de menta – Me fode com força caralho.

Nesse momento, aleijada inclina seu corpo pra frente e beija Nandito como uma
desesperada que nunca mais vai beijar outra boca sequer, tanto por amor à seu Nandito,
quanto pelo fato de que ninguém em sã consciência beijaria a boca dela na vida.

– Ah, Nando, minha bucetinha está piscand... - Aleijada tem então sua fala
interrompida pela louca, rica, ex-namorada que sempre satisfez os desejos sexuais
duvidosos de Nandito, SoRabo, que adentra no quarto e vê a deprimente cena de seu
amado ajoelhado diante da cadeirante, fazendo a caridade de tomá-la por seus beijos.

– MAS QUE PORRAAAA NANDITO! PORQUE VOCÊ ESTÁ BEIJANDO A


ALEIJADA? – SoRabo braveja enlouquecida – ENTÃO ERA PRA ELE QUE VOCÊ
ESTAVA DANDO ESSE PRIQUITO MURCHO? PRO MEU NANDITO?! EU SEMPRE
SUSPEITEI QUE VOCÊ ESTIVESSE USANDO ESSA CADEIRA PRA ESCONDER QUE
TÁ ASSADA.

Ouvindo a gritaria, a governanta Espiroca aparece na porta, em uma tentativa de ser


relevante mesmo sendo uma mera coadjuvante sem importância.

– UMA VEZ EU LEVEI UMA PIROCADA DELE, E TAMBÉM FIQUEI ASSIM! MAS
SÓ EU SEI USAR O CINTARALHO DO JEITO QUE ELE GOSTA, SUA MENINA IMBECIL!
VOCÊ VAI SE ARREPENDER! MALDITA ALEIJADA! – com sangue nos olhos, caps
ativados e muita raiva, SoRabo avança na direção de Aleijada, sendo segurada por Nandito.

– Calma SoRabo caralhon! Não é nada disso que você está pensando! – Ele diz
tentando impedir que SoRabo desça o sarrafo em Aleijada.

– AAAAAAAH OOOOOH AÃÃÃHN. – grunhiu a Aleijada, perplexa demais para dizer


qualquer coisa, se protegendo de SoRabo com as mãos, como se adiantasse alguma coisa.

– Dona SoRabo, vem tomar seu rivotril! – Espiroca tenta ter destaque se pondo em
frente à Satanás possuído pelo cão do sétimo livro, SoRabo, mas é empurrada pro lado,
bem como Nandito, que tem o peso de uma pena e voa longe.

– SAI DA MINHA FRENTE, SUA VELHA IRRELEVANTE! – SoRabo chega


finalmente à cadeira de Aleijada, puxando-a – SE VOCÊ ACHA QUE A PICA DELE ALEIJA,
É PORQUE VOCÊ NÃO VIU MINHA MÃO TE DEIXAR TETRAPLÉGICA, EU VOU TE
MATAR!

– QUEM VOCÊ PENSA QUE É NA FILA DO PÃO SUA ​#FODIDA​! ME SOLTA –


disse a Aleijada tentando se soltar e claramente sendo imbecil pois SoRabo não dá a
mínima para a o que ela diz.

– EU VOU JOGAR ÁGUA SANITÁRIA NA PORRA DA SUA GOELA SUA CADELA


COTÓ, ELE É O MEU HOMEM! – SoRabo avança com safanões em sua rival aleijada, que
por sua vez, suplica feito uma rapariga arrependida como se isso fosse surtir algum efeito.

Como num solavanco, Nandito volta à vida, se olha no espelho para ver se estava
bonita e tenta conter o santo que baixou em SoRabo.

– Sai de cima dela bichaaaa! – Fala ele, tirando-a de cima de Aleijada.


– CALA A BOCA E VAI TOMAR NO CU – Soraya vira a mão na cara de Nandito,
que cai no chão novamente com a força da mão que Satanás conferiu à SoRabo. –
DESGRAÇADA VOCÊ TAMBÉM VAI SE FUDER NA MINHA MÃO! – Fala SoRabo
apontando para sua próxima vítima, a empregada coadjuvante Espiroca.
– Deus me defenda, se fode aí Aleijada eu que não vou ficar aqui! – Espiroca sai do
quarto, com medo de levar outro tapa de SoRabo e desmaiar perdendo assim o pouco foco
que tem.
– SUA FODIDA VOLTA AQUI, EU VOU DAR UMA VOADORA NO MEIO DESSE
SEU RABO – esbraveja a cadeirante

No meio do corredor, Espiroca tenta pedir ajuda aos seres superiores na língua dos
anjos: “ASHARABATAI VALAVATARÁS!”. Enquanto isso, no quarto, Nandito ainda tenta
excomungar o demônio da raiva que possuiu SoRabo e impedir que ela avance novamente
em Aleijada, enquanto Aleijada não faz nada além de chorar, gemer e pedir mentalmente
ajuda a sua mãe, Lady Die.

– ME SOLTAAA, ME SOLTAA – Grita SoRabo no quarto.


– ASHALABAXURIA XERERÊBEREBEBÊ! – Lupe continua no corredor, clamando
por ajuda na língua dos anjos.
– Eu aguentei mas foi com KY! – tenta refutar Aleijada, sem nem ao menos mover a
cadeira, mesmo havendo um caminho livre para ela sair do quarto, enquanto Nandito
prende SoRabo com seus braços e tenta afastá-la da mesma.

Como um furacão, Soraya se joga em cima de Nandito, caindo por cima de Aleijada
e derrubando-a no chão.
– AAAAAAAAH! – grita a Aleijada caída no chão.
– Aleijada! – Nandito fala, soltando SoRabo para ajudar Aleijada, enquanto Espiroca
volta com um coadjuvante que ninguém liga.
– SUA MALDITA ASSEMBLEIANA PORCA FUDIDAA! – grita SoRabo avançando
com tapas e puxões na lace de Espiroca.
– PODE PUXAR, TÁ COLADA COM SPIRIT GUM! *pisca* – afronta Espiroca
enquanto Nandito e o coadjuvante que ninguém liga levantam Aleijada do chão, como se
nada estivesse acontecendo com Espiroca.
– DESGRAÇADA, A MINHA PELO MENOS É DE CABELO HUMANO,
DESGRAÇADAA! – Grita SoRabo empurrando Espiroca contra a parede.
– Não! Solta ela SoRabo! Esse ​#surto ​#crise tem que acabar! – fala a Aleijada
militando como Anitta, sem mover um músculo enquanto SoRabo bate a cabeça de
Espiroca na parede.
Perplexa, outra coadjuvante que ninguém liga entra.

– Eu ouvi os gritos, tinha certeza que era barraco. – fala a coadjuvante fingindo se
importar, levando a mão na boca com ar de perplexidade.
– Faz alguma coisa caralhon! – grita Nandito para a coadjuvante.
– Meu Deus, claro! Eu vou fazer pipoca pra assistir essa treta porque tá quentíssima.
– TRAZ PIROCA, DIGO, PIPOCA PARA MIM TAMBÉM – pede a Aleijada com cara
de sofrimento. – Gritar e chorar sem sair do canto tá me dando fome.
– Bora, bicha! – Disse a coadjuvante empurrando a cadeira da Aleijada para fora do
quarto.
– Ai meu cy, essa cadeira ​#decadente se mexe! – disse a Aleijada com ar de
surpresa, mas ainda chorando.
– ME SOLTAAA! – Grita SoRabo enquanto Nandito e o coadjuvante a seguram. – É
UMA ABUSADA!

Nandito solta SoRabo e vai finalmente ajudar a governanta Espiroca, que a essa
altura já poderia estar morta, mas vaso ruim não quebra.

– Acho que ela está morta! – exclamou tentando acordá-la.


– SE ELA NÃO TIVER EU TERMINO DE MATAR, VACA DO CARALHOOO! – grita
SoRabo ainda em caps, presa pelo coadjuvante sem falas que é mais forte que Nandito.
– Surias decantas... – balbucia Espiroca se recuperando.
– EU SOU FILHA DE OYÁ E MINHA POMBA GIRAAAA! – disse SoRabo dando uma
pirueta à la Shea Couleé se desvencilhando dos braços do coadjuvante, indo até a cômoda
do quarto e tateando em cima do móvel um objeto espinhoso.
SoRabo sabia o que era aquilo, ela já havia sentido aquela textura espinhosa e
cilíndrica antes. Era o dildo de Nandito. SoRabo ergue os 30cm de silicone espinhento e
grita:

– PAU NO CU DO MUNDOOOO! – ela olha Nandito nos olhos, com raiva em seu
olhar, enquanto suas lágrimas gorgolejam quentes por seu rosto – EU POSSO ATÉ SER
CORNA, MAS ERA EU QUEM TE DAVA PRAZER VIADINHO SAFADO!
– IHUUUU, QUEIMA QUENGARAL – berrava a aleijada
– Minha gente que treta crocante! – exclama a coadjuvante, ainda na porta, olhando
a cena com as mãos na cadeira da Aleijada.
– Desça daqui com a Aleijada e vá buscar ajudan! – fala Nandito olhando atento para
SoRabo, mas direcionando o discurso para a coadjuvante.
– Eu não vou conseguir descer as escadas com essa fodida na cadeira. Aliás eu
nem sei como que ela conseguiu subir. – contesta.
– Pra transar até aleijado anda minha filha, se você estivesse com a buceta criando
teia de aranha que nem eu, entenderia – retruca Aleijada, ainda com expressão de
desespero.
– Vai logo caralho! – Se irrita Espiroca, descendo junto com a coadjuvante.
– ESSE MOMENTO É MEU! – Grita SoRabo, voltando a atenção de todos
novamente ao dildo gigante e espinhento em sua mão. – VOCÊ ME FEZ GOZAR, ISSO É
MAIS DIFÍCIL QUE ENCONTRAR UM LOOK BOM DA ​VASTRA​! – Bravejou cheia de
rancor.
– Sai daqui Aleijada, a SoRabo está louca, querida. – pede Nandito, percebendo a
cadeirante ainda na porta.
– Eu quero ver essa treta até o fim! Se ela te matar, eu serei sua testemunha. –
Aleijada lembrou, claramente por ser fã da Katy Perry.
– VAI SE FODER, MIL VEZES SE FUDEEER! – Grita Soraya, socando o dildo sem
lubrificante no ânus de Nandito. Perplexa com o que havia feito, Soraya tira o dildo
enquanto vê seu amado sangrar. O Coadjuvante a segura, e tira o dildo à força de suas
mãos enquanto Nandito cai lentamente de bruços de forma dramática no chão.
– Você me acertou! – Diz ele, com dificuldade.
– VAI SE FUDER, MIL VEZES SE FUDER. – repete SoRabo. – VOCÊS TODOS
VÃO ME PAGAR!
– Nandito meu anjo azul, você está ferido? – pergunta Aleijada, se aproximando com
a cadeira.
– Além de aleijada você ainda é cega, caralho? – indaga Nandito no chão, enquanto
a coadjuvante volta com Espiroca, os refrescos e alguns convidados curiosos que souberam
da treta quentíssima.
– Ah, finalmente, os refrescos! – a Aleijada diz secando suas lágrimas e dando um
leve sorriso, por ver que a ajuda chegou.
– LAMBE MEU CU CHEIO DE MERDA PORRA! – Fala SoRabo, presa pelo
coadjuvante sem importância, que tenta tirá-la do quarto.
– Você já deu seu show querida, ninguém mais está se importando com você, sai
daqui – fala a coadjuvante ousadíssima.
– QUEM É VOCÊ PRA FALAR ASSIM COMIGO? EU SOU A ATRIZ PRINCIPAL
DESTA PORRA! – Retruca SoRabo
– Não te interessa palhaça! Espiroca, serve os refrescos pra todo mundo, hoje foi um
dia difícil. – diz a coadjuvante com ar de vitória enquanto se aproxima de Nandito e pega um
copo – Vamos brindar à esse barraco maravilhoso!

Todos os convidados pegam um copo de refresco, como se nada tivesse acontecido.


Nandito, com dificuldade, se senta de lado na cama.

– Um brinde! – propõe a coadjuvante.


– Mas peraí, agora eu tô realmente CUriosa. Quem é você? – pergunta a Aleijada.
- Eu? – responde a coadjuvante. – Eu sou a jamais falada, a jamais igualada.
Conhecidíssima como o RBD, poderosíssima como a força de dez mil ragatangas. – a
coadjuvante solta seus cabelos e tira seus óculos, se revelando... – Eu sou sua irmã, Maria
Thaluda! A real protagonista dessa novela. E como toda boa novela mexicana precisa de
um barraco e uma revelação, cá estou eu, irmãzinha.
– MINHA NOSSA SENHORA! – exclama a Aleijada, deixando escapar um pum, já
que o coito com nandito a causou uma grave incontinência fecal
– Agora que tá tudo bem, tudo resolvido, pega fogo cabaré! – Thaluda tira sua roupa
e revela um traje de dança, as paredes levantam revelando um cenário mais amplo, e todos
dançam ao som da música tema de Maria La Aleijada.