Sei sulla pagina 1di 4

DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DA PERSONALIDADE NA VIDA ADULTA

INTERMEDIARIA

A maioria dos adultos de na fase intermediária encontra-se casada, exerce o


papel de pai e possui uma profissão. No entanto por volta dos 40 ou 50 anos, esses
papeis mudam. Os filhos começam a deixa a casa, o que altera de maneira
dramática vai reduz o papel de pai , vida profissional já deve ter chegado ao máximo
de modo que não precisa aprender novas a habilidades ocupacionais. Mudanças e
entendida nesta fase da vida adulta intermediária como menos estressantes e mais
felizes, se comparado anos ás primeiras duas décadas de vida adulta .Satisfação
conjugal aumenta na meia-idade, alcançando níveis maiores do que antes no
casamento aumentando a liberdade e satisfação sexuais.
Ao estudar os relacionamentos sociais, portanto, não podemos esquecer que
seus efeitos podem ser tanto positivos como negativos. "Mais" não significa
necessariamente "melhor"; o que importa é a qualidade de um relacionamento e seu
impacto sobre o bem-estar, e esses atributos podem mudar de tempos em tempos.
O casamento na meia-idade é hoje muito diferente do que costumava ser.
Quando as expectativas de vida eram mais curtas, os casais que permaneciam
juntos por 25,30 ou 40 anos eram raros. O padrão mais comum era o de os
casamentos serem rompidos por morte e os sobreviventes terem uma segunda
união. As pessoas tinham muitos filhos, e eles deviam viver em casa até se
casarem. Era incomum que um marido e uma esposa de meia-idade ficassem
sozinhos juntos. Hoje, mais casamentos terminam em divórcio, mas os casais que
permanecem juntos podem, com frequência, desfrutar 20 anos ou mais de vida
conjuguem até que o último filho saia de casa.
Dois fatores importantes nas demandas sobre os pais são as finanças da
família e o número de filhos ainda em casa. A pressão de renda muito baixa e
muitas bocas para alimentar sobrecarrega um relacionamento, especialmente se os
fardos não são uniformemente divididos.
A satisfação geralmente atinge o máximo quando os filhos estão crescidos;
muitas pessoas estão ingressando na aposentadoria ou já estão aposentadas, e o
acúmulo de recursos durante uma vida inteira ajuda a aliviar as preocupações
financeiras.
Adulto na vida adulta intermediaria possuem interações familiares
significativas, para cima e para baixo na cadeia de gerações familiares, com os filhos
e com os pais em processo de envelhecimento. Na fase intermediária na vida adulta
oferecem mais ajudam em ambas as direções da cadeia de gerações, o máximo de
responsabilidade na manutenção de elos afetivos, denominando de compressão da
meia-idade ou geração-sanduiche. Cada família parece possuir conjuntos especiais
de assuntos ou atividades que servem como elo para conversas entre as gerações.
O ninho vazio não indica fim da paternidade e da maternidade. Ele é uma
transição para uma nova etapa, no ciclo da vida familiar, o relacionamento entre pais
e filhos adultos. O papel de pai não cessa quando filho sai de casa, apoio e
aconselhamento continuam a ser esperados e oferecidos. Quando sobra muito mais
tempo para os papeis conjugais, as poucas mulheres que passam por alguma
tristeza nessa transição de papéis senso de auto identidade tenha sido aquela que
altamente investido no papel de mãe. As mulheres empregadas em diversas
atividades profissionais, mais propensas a vivenciar o ninho vazio como evento
positivo.
A maioria dos adultos na fase intermediaria se torna avô, as gerações atuais
de avós, em geral, descrevem relações carinhosas com os netos, diferentemente
das relações que tinham com seus avós que era formais e autoritárias, embora
existam muitas relações de afastamento. Maior parte dos avós se encontra
envolvida na criação dos netos.
Os adultos na fase intermediária apenas uma minoria cuida dos seus pais
idosos, é o principal provedor de cuidados. Os que estão mais inclinados a cuidar
dos pais na velhice são filhos únicos, não casados, e as filhas.
Uma revisão recente de todos os estudos disponíveis (Schulz, Visintainer &
Williamson, 1990) mostra que tantos esposos quanto os filhos que servem de
provedores de atendimento mostram-se mais deprimidos do que grupos combinados
de comparação de adulto da mesma idade e classe social.
As filhas apresentam uma proximidade emocional maior, estão inclinadas a
assumir o papel de provedora e cuidados com os pais incapacitados ou
mentalmente perturbados, que se encontram fragilizados.
As amizades na vida adulta intermediária parece diminuir nesta fase, parece
se torna menos importante do que na fase inicial, o padrão de amizade na meia-
idade, que não possuímos muitas dela que se trata de amizade intimas que não
exigem contatos frequentes para sua manutenção.
A maioria dos adultos na vida profissional nesta fase consegue poucas
promoções, eles já chegaram ao máximo. A maioria dos homens alcançaram status
por volta da meia-idade tendo se mostrado satisfeitos. As mulheres adultas na meia-
idade podem esperar que a satisfação profissional desempenhasse o mesmo papel
na satisfação para com a vida em geral tal como ocorre com os adultos mais jovens.
A preparação para a aposentadoria começa nesta fase adulta na meia-idade,
onde a quantidade de horas trabalhadas, em media também diminui á medida que
se aproxima aposentadoria.

Personalidade do desenvolvimento da vida adulta intermediaria


Pesquisadores na área da personalidade não concordam com a mudança de
personalidade neste processo o que entra em desacordo com os observadores
nesta idade. Então durante esta fase é possível verificar a ocorrência de cinco
diferentes visões deste processo.
Interioridade: Tendência a buscar a realização interna e um encontro
consegue mesmo. Mudança de valores quanto aos objetivos da vida (bem-estar,
felicidade, família, estabilidade).

Integridade do ego: Não difere muita da interioridade. Busca-se uma mudança


de significado para as escolhas e reconciliação com o passado.

Flexibilidade e Tenacidade: Adaptação de metas e aceitação de limites.


Normalmente indivíduos com este padrão concordam que alcançar metas já não tão
importantes e então é possível observar seu declínio na busca das superações de
metas.

Maturidade dos Mecanismos de Defesa: Capacidade de se dar conta dos


mecanismos mais apropriados e coerentes e uma forma madurada de dar uma
resposta aos seus próprios desejos e de acordo com os estudos que confirmam
essa tendência (Hann, 1976; Helson & Moane, 1987).

Desvio do Papel Sexual: Flexibilidade das questões de gênero. Relações


mais igualitárias, com compartilhamento de tarefas e a mudança comportamental no
quesito da função que tradicionalmente são conhecidos nesta fase mulheres
encontram-se mais seguras e homens mais passivem estes são dados que o
antropólogo David Gutmann constatou nas mudanças de papeis exercidos pela
cultura.

Divorcio
Entre 40% e 50% dos grupos atuais de jovens adultos possuem a
possibilidade de divorcio entre o grupo de meia-idade não é diferente e quando
ocorre é extremamente danoso aos mesmos.
A ela estar associado a aumento de doenças físicas e emocionais. De acordo
com estudos adultos nessa fase encontra se uma tendência para envolver com
acidentes automobilísticos e suicida-se. Então no momento o que pode ser feito é
analisa a sua heterogeneidade nas reações dos adultos nos divórcios.

Desemprego
O desemprego acarreta efeitos bastante similares ao que acontece com os
casos de divorcio, pela perda de segurança econômica aumenta o risco de
perturbações emocionais perda da autoestima e doenças físicas, como estresse, o
enfraquecimento da relação conjugal, principal fonte de apoio social para muitos
homens. Entre os adultos mais jovens a perda de emprego e divorcio causa menos
impacto do que nos adultos na meia-idade, os efeitos negativos comuns e o estresse
devido as mudanças envolvendo perda de relações intimam, onde verificaram taxas
mais elevadas de depressão ,saúde deficitária e menor satisfação de vida.