Sei sulla pagina 1di 3

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA

RTH
Nº 71002143055
2009/CÍVEL

AÇÃO DE INDENIZAÇÃO DE DANOS MATERIAIS E


MORAIS. COLCHÃO. VÍCIO DE QUALIDADE DO
PRODUTO. OMISSÃO NO CONSERTO NO PRAZO
DE TRINTA DIAS. RESOLUÇÃO DO CONTRATO E
DEVOLUÇÃO DO PREÇO PAGO, DEVIDAMENTE
CORRIGIDO. CONCAUSA RELATIVAMENTE
INDEPENDENTE QUE NÃO AFASTA O NEXO
CAUSAL. DECADÊNCIA NÃO IMPLEMENTADA.
1. Releva salientar que a garantia legal se soma à
garantia contratual e, em se tratando de vício
oculto, estas iniciam somente quando evidenciado
o problema.
2. Tendo o produto adquirido pela autora
apresentado vício de qualidade (deformidade) e
não tendo tal defeito sido consertado no prazo de
trinta dias, facultado à autora a subsituição do
mesmo por outro de mesma espécie ou a
restituição da quantia paga. Como a autora não
pretendia a substituição do produto por outro da
mesma marca, correta a sentença que determinou
a restituição da quantia paga, corrigida
monetariamente e acrescida de juros.
3. O fato de ter a autora queimado o forro do
colchão pelo uso de um lençol ou almofada
térmica não elide o dever da ré de indenizar a
consumidora. Trata-se a queimadura do tecido de
concausa relativamente independente, que não
exclui o nexo causal.
Sentença confirmada por seus próprios
fundamentos.
Recurso improvido.

RECURSO INOMINADO PRIMEIRA TURMA RECURSAL


CÍVEL
Nº 71002143055 COMARCA DE PORTO ALEGRE

CONSULTORIA DO SONO - NICOLI RECORRENTE


GOMES COMERCIO LTDA

NOUHA AVOUH MERHEB RECORRIDO

ACÓRDÃO
Vistos, relatados e discutidos os autos.

1
ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA

RTH
Nº 71002143055
2009/CÍVEL

Acordam os Juízes de Direito integrantes da Primeira Turma


Recursal Cível dos Juizados Especiais Cíveis do Estado do Rio Grande do
Sul, à unanimidade, em NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO.
Participaram do julgamento, além do signatário (Presidente), os
eminentes Senhores DR. LEANDRO RAUL KLIPPEL E DR. LUIS
FRANCISCO FRANCO.
Porto Alegre, 22 de outubro de 2009.

DR. RICARDO TORRES HERMANN,


Relator.

RELATÓRIO
(Oral em Sessão.)

VOTOS
DR. RICARDO TORRES HERMANN (RELATOR)
A sentença merece ser confirmada por seus próprios
fundamentos, o que se faz na forma do disposto no art. 46, da Lei nº
9.099/951, com os acréscimos constantes da ementa que integra este
acórdão.
Voto, pois, no sentido de negar-se provimento ao recurso,
condenando o recorrente ao pagamento das custas processuais e dos
honorários advocatícios, fixados em 20% sobre o valor da condenação.

DR. LEANDRO RAUL KLIPPEL - De acordo com o(a) Relator(a).


1 Art.46. O julgamento em segunda instância constará apenas da ata, com a indicação suficiente
do processo, fundamentação sucinta e parte dispositiva. Se a sentença for confirmada pelos
próprios fundamentos, a súmula do julgamento servirá de acórdão.
2
ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA

RTH
Nº 71002143055
2009/CÍVEL

DR. LUIS FRANCISCO FRANCO - De acordo com o(a) Relator(a).

DR. RICARDO TORRES HERMANN - Presidente - Recurso Inominado nº


71002143055, Comarca de Porto Alegre: "NEGARAM PROVIMENTO.
UNÂNIME."

Juízo de Origem: 5.JUIZADO ESPECIAL CIVEL F.CENTRAL PORTO


ALEGRE - Comarca de Porto Alegre