Sei sulla pagina 1di 14

ABERTURA DOS TRABALHOS EXU TEM MORADOR

Eu abro a minha engira, A sua galo preto Tem morador, de certo tem
Com Zâmbi e com Xangô! (bis) A sua capa encarnada (bis) Tem morador,
Saravá Seu Alafim! Santo Antônio da Limeira De certo tem morador.
Saravá Seu Agodô! Lhe chamou na Encruzilhada Na porta meu galo canta,
Bis De certo tem morador. (bis)
Exú, também tem a sua lei, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Exú é mensageiro de Oxalá, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Salve Ordenança de Ogum, EXÚ GANGA
E salve a Banda, Tá chegando a meia-noite,
Vem no terreiro de Umbanda trabalhar.. Eu fui no mato, Ganga, Tá chegando a madrugada.
Bis Colher cipó, Ganga, Salve o povo de Quimbanda
Mas ele é, Capitão da Encruzilhada, ele Eu vi um bicho, Ganga, Sem Exu não se faz nada. (
é, Com um olho só, Ganga...
Mas ele é, Ordenança de Ogum, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Sua coroa quem lhe deu foi Oxalá, Exú Ganga, Exú Ganga é Marabô,
Sua divisa quem lhe deu foi Omulú, Exú Ganga, Exú Ganga é Marabô EXU
Mas ele é... Bis ( louvação )
Salve o cruzeiro, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Meu Senhor do Campo San
Salve o sol e salve a lua, Nas horas santas benditas.
Saravá Povo da Rua, Quem louva povo de Exu,
E a Coroa de Oxalá. EXU REI
Não passa horas malditas.
Salve o cruzeiro, A encruza é de Exu,
Afirmo e não errei. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Salve o sol e salve a lua,
O seu Sete e Tranca-Ruas, Saravá povo de quimbanda,
Saravá nosso Exu Rei. (bis) Boa-noite, meu senhor.
E a Segurança desse endá. Exu no reino chegou. (bis)
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Vamos louvar nossa Quimb
Salve o cruzeiro, Viva Exu que é doutor. (bis)
Salve o sol e salve a lua,
Maria Padilha, Rainha da Rua, Exu táva curiando na encruza,
Quando a banda linda lhe chamou. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Com Pomba Gira vai baixar.
Exu no Terreiro é Rei,
Na encruza ele é doutor. (bis) Exu chegou no reino,
Salve o cruzeiro, Meu Deus quero ver quem
Salve a lomba, salve a rua, Com licença de Ogum,
Marabô, Destranca-Ruas, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Com licença de Ogum,
E a porteira desse endá. Chegou meu Exu de fé. (bis
EXU QUIROMBÔ

O sino da capela fez belém, blém, blom, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


( chamada ) Deu meia-noite o galo já cantou. (bis)
Segura a banda que Ogum mandou. (bis) Boa-noite, boa-noite,
Cambono segura a cantiga, Exu tá no reino e vai dar bo
Que está chegando a hora. ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Boa-noite, boa-noite,
(bis) Exu vem saravá e me dar b
Saravá toda a encruza, Exu Quirombô,
Exu é quem manda agora. (bis) Vem do lado de lá. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
106 Exu Quirombô é meu protetor,
Vem do lado de lá. EXU MIRIM
O garfo de Exu é firme,
A capa de Exu me rodeia. ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Ele é Exu,
(bis) É Exu Mirim, (bis)
Já passei na encruzilhada, Quem matou, quem matou, Não me nega nada,
Vaguei pela madrugada, Quem matou a cainana. (bis) Sempre me diz sim. (bis)
Exu não bambeia. (bis) Foi Exu Quirombô,
Que ganhou sua demanda. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Exu Mirim é meu Exu de fé,
CHAMADA EXU PINGA FOGO Exu Mirim é pequeno na Qu
Exu Mirim saravando a enc
Senhores mestres do mundo, Pinga Fogo lá na encruza, Exu Mirim vencendo suas d
E deste mundo também. (bis) Pinga Fogo lá n a serra,
Vamos chamar a encruzilhada, Abre a porta gente, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
O cemitério e a figueira também. (bis) Pinga Fogo tá na terra.
Exu Mirim é um Exu formos
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Ele é Exu de fé. (bis)
Tem um pai e tem um mano
CHAMADA Eu vi Exu Pinga Fogo, Esse mano é Lucifer. (bis)
No alto do chapadão.
Lá na porteira eu deixei um sentinela. Comendo jáca madura, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
(bis) Jogando as verdes no chão.
Eu deixei Exú ..... (nomes) Fá, fá, fá lemi ebó,
Tomando conta da cancela. (bis) ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Fá, fá, fá lemi ebó,
Fá lemi ebó,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: EXU POEIRA Exu Mirim despacha ebó.

CHAMADA Não pisa na caveira, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


Não pisa na caveira,
Já deu a meia-noite, meus irmãos, Quimbanda vai começar. EXU MORCEGO
Doze horas já bateu. (bis) Não pisa na caveira,
Levanta quem está sentado, Não pisa na caveira, Seu terno branco,
Meus irmãos, Exu Poeira vem trabalhar. Sua bengala. (bis)
Para salvar os pontos seus. (bis) Na encruzilhada, quiri quiri
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Exu Morcego dá risadas. (b
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Meu Deus que ventania, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
CHAMADA Meu Deus que temporal.
Lalalá, lalalê, Exu Morcego, ele é homem
Ogum, Exú pede licença, Exu Poeira é Maioral. (bis) Exu Morcego, ele é homem
Para seu povo chegar. (bis) Exu Morcego, ele é homem
E saravá Seu Marabô (ou outro), ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Na gira da Quimbanda é ho
Que vem trazendo força, (bis)
Para este gongá. (bis) EXU VIRA MUNDO
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Exu não vem no clarão do sol,
Ele vem no clarão da lua. (bis) EXU SETE POEIRAS
CHAMADA / FIRMEZA Saravá Exu Vira Mundo,
Ele é rei na madrugada, Sou pequeno de Angola,
Deu meia-noite o galo canta, Junto com Seu Tranca Ruas. (bis) Porém já sei escrever.
Esta porteira tem vigia. (bis) Sete Poeiras na Quimbanda
Este gongá tem segurança, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Também já sabe ler.
Na fé de Oxalá e de Iemanjá. (bis) Ele é Exu, é um curador,
A volta que o mundo dá... (bis) Ele é Exu, é um vencedor. (
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Auê, auê, seu Vira Mundo,
Olha a volta que o mundo dá. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
CHAMADA
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Se uma brasa me queima,
Mas já era meia-noite, Meu Santo Antônio é maior
Quando o malvado chegou. (bis) Auê, auê, auê, Saravá Sete Poeiras,
Com a casaca de ferro, Vira Mundo vai chegar, Ele gira num pé só. (bis)
Dizendo que era doutor. (bis) Auê, auê, auê,
Mas ele é Exú, Vai chegar pra trabalhar. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Dizendo que era doutor. (bis)
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: EXU SETE PORTEIRAS
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
EXU DOS VENTOS Na estrada tem um ganga,
CHAMADA Ganga não leva carreira.
Ventania balançou, Quando a demanda é grand
Cambone segura a curimba, Folha caiu na encruza. (bis) Chama por Sete Porteiras.
Que está chegando a hora. Era Exu dos Ventos,
Cambone segura a curimba, Com ele ninguém abusa. :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
É Exú quem manda agora.
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Exu não é criança,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Nem gosta de brincadeira.
Exu é malelê, (bis)
SAUDAÇÃO Exu dos Ventos, quianga. Não vagueia pelas ruas,
Ganga, num ganga, malecô, Trabalha na encruzilhada,
Exú também tem sua lei, Exu dos Ventos é quianga. Saravá Sete Porteiras. (bis)
Exú na terra, Exú é rei. (bis)
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
EXU PAGÃO EXU CAVEIRA
( firmeza )
Exu Pagão vagou pela encruza, Toma lá, traz cá,
Missarandê, missarandê, Vagou, vagou, até que chegou. Ô Caveira.
Me fecha a porta, me abre o Terreiro. Ele vem girá, ele vem girá, ele vem girá.. Toma lá, traz cá,
Missarandê, missarandê, Exu, vem pra trabalhar. (bis) Ô Caveira.
Me fecha a porta, me abre o Terreiro.
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Ele não foi batizado, Portão de ferro,
Não buscou a salvação. (bis) Cadeado de madeira.
SAUDAÇÃO / AFIRMAÇÃO Mas ele é quem vence demanda, Na porta do cemitério,
Saravá Exu Pagão. (bis) Quem mora é Exu Caveira.
Lá na beira do caminho,
Este gongá tem segurança. (bis) ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Na porteira tem vigia,
A meia-noite o galo canta. (bis) EXU PEDRA NEGRA EXU CAPA PRETA

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Sála, salá mucarrêro, Capa Preta no reino,


Sala legbára ô salá. É uma beleza. (bis)
REI DAS SETE ENCRUZILHADAS Saravá Pedra Negra, Eu nunca vi um Exu assim,
Sála munganga ê salá. Ele é madeira que não dá c
Seu Sete Encruzilhadas chegou no
reino ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Trazendo a sua capa encarnada
Quando ele chega cumprimenta a EXU PEMBA Ao ver Exu na encruza,
banda Com ele não se meta. (bis)
Sarava as suas Sete Encruzilhadas Exu Pemba é homem forte, É ali que ele trabalha,
Promete pra não faltar. (bis) O reino é de Capa Preta.
Quando corre pela encruza,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Nossa demanda vem buscar. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

EXU SETE FACADAS Ele é Exu da promissão, EXU SETE CRUZES


Ele sempre cumpre sua missão.(bis)
Sem Exu não se pode fazer nada Corre, corre, encruzilhadas,
Exu é homem das 7 encruzilhadas ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Sete Encruzas já chegou. (b
7 facas bem cruzadas Na porta do cemitério,
em cima de uma mesa EXU PIMENTA Ouvi uma gargalhada,
Sarava Sete Facadas Sete Encruzas já chegou. (b
O homem da Magia Negra Exu é malelê,
Exu Pimenta qui ganga, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Ganga num ganga malecô,
Exu Pimenta qui ganga. Seu Sete Encruzas na quim
JOÃO CAVEIRA é um rei,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Ele é irmão de Exu Veludo.
Moço, vou lhe apresentar, Quando chega em sua
Vou lhe apresentar, EXU MARABÔ saravá,
Um espírito de luz, Quebra demanda, quebra tu
Para lhe ajudar, Ele vem de longe, mas chega aqui...
Oi moço, vou lhe apresentar, E quando vem, alguém lhe chamou.(bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Vou lhe apresentar, Vem salvando toda a encruza,
Um espírito de luz, Já chegou Seu Marabô. (bis) Pomba Gira chegou no rein
Para lhe ajudar. Pomba Gira no reino chego
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Ela viu seus sete homens,
Ele é João Caveira, Só não viu seu Sete Encruz
Ele é filho de Omulú, Quem nunca viu, Ela sacudiu os ombros,
Quem quiser falar com ele, Venha ver... Ela se balanceou,
Alubandê Exú. (Bis) Marabô na encruza, Voltou para a encruzilhada,
É de quenguerê. Sete Encruzas ela buscou.
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Portão de ferro,
Cadeado de madeira, Vinha passando pela rua, Seu Sete Cruzes no cruzeir
No portão do cemitério, Quando ouvi, Está pra nos ajudar.
Quem manda é o Exú Caveira. Seu Marabô me chamar. (bis) Seu marafo e seu dendê,
Louvei a encruza, louvei a lua, Ele gosta de cuidar.
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Sarava Seu Marabô,
Que caminha pela rua. :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
SETE CAVEIRAS
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: EXU SETE PEDRAS
Seu Sete,
Meu amigo de alma, Poeira, poeira, Seu Sete Pedras,
Seu Sete, Poeira de Exu Marabô, poeira, Livra o caminho que passo.
Meu irmão quimbandeiro, Poeira de Exu Marabô, poeira, Quando ando com Sete Ped
Girar, todo mundo gira, Poeira da encruzilhada, poeira, Meus caminhos não têm em
O seu Sete é, Poeira, poeirá.
Da Coroa de Oxalá, lará... laiá... :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Girar, todo mundo gira, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
O seu Sete é, EXU CALUNGA
Da Coroa de Oxalá. Caminhei pela estrada deserta,
Oi seu Sete!... (bis) Caminhei sem olhar para a lua.(bis) Rodeia, rodeia, rodeia,
Até que cheguei na minha morada, Meu Santo Antônio, rodeia.
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Sou Marabô da encruzilhada, Meu Santo Antônio pequen
Sou um dos donos da rua. (bis) Amansador de burro brabo.
Você botou o meu nome, Quem mexe com seu Calun
Na boca de um bode, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Tá mexendo com o Diabo.
Mas eu sou filho do seu Sete, Rodeia, rodeia, rodeia,... (re
Comigo ninguém pode. Eu fui no cemitério
Você botou, você mesmo vai tirar, E vi um moleque lá :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
É uma ordem do seu Sete, Ele pulava de cova em cova
Você tem que respeitar. (bis) Procurando um coração CALUNGUINHA DO MAR
Que moleque é aquele?
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: É seu Marabô (bis) Meia-noite a maré vazante,
Lua veio anunciar. (bis)
EXÚ REI ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Eu já vou vencer demanda,
Saravá Calunguinha do Ma
Exú Rei é o maioral, EXU MARABÔ TOQUINHO
Exú Rei é o maioral, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Ele vem fazer o bem, Ele é Marabô Toquinho,
E também fazer o mal. Dono do canto da rua. EXU DA CAMPINA
Ele quando pega demanda,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: É sempre Ogum quem manda, Campinêro ê, rerê,
Pedaço por pedacinho. (bis) Campinêro á. (bis)
Sete pontas de faca, Saravá Exu Campina,
Em cima de uma mesa, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Laroiê, é mojubá. (bis)
Sete velas acesas,
Lá na encruzilhada, EXU VELUDO :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Exú é Rei,
Alubandê Exú, Exu pode com fogo, EXU SETE COVAS
Exú é Rei, Ele pode com tudo,
Alubandê Exú, Saravá Exu Veludo. Eu não tenho patrão,
Exú é Rei, Quem demanda comigo, Calunga foi quem me criou.
Lá nas Sete Encruzilhadas. Não chove miúdo, Meu nome é Sete Covas,
Saravá Exu Veludo. Minha quimbanda ele já lou
Sete facas de ponta,
Em cima de uma mesa, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Sete velas acesas,
Lá na encruzilhada, Auê, Veludo, Ele é Exu Pagão,
Exú é Rei, Seu cabrito deu um berro. (bis) Não tem quem obedecer. (b
Alubandê Exú, Rebentou cerca de arame, Pra ele só interessa,
Exú é Rei, Estourou portão de ferro. (bis) Qualquer demanda vencer.
Alubandê Exú,
Exú é Rei, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Se o Exu é bom, ele vence
Lá nas Sete Encruzilhadas. Seu Sete Covas é Rei na Qu
Descarrega, seu Veludo, (bis)
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Leva o que tem pra levar. (bis)
Com sua força bendita, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Estava na encruza curiando, Leva o mal para o fundo do mar. (bis)
Quando a banda lhe chamou. EXU BRASA
Bis :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Exú no terreiro é rei, Exu Brasa não é criança,
Na encruza ele é doutor. Deu meia-noite, Que se engana com tostão.
Bis Quando o malvado chegou. Só se lembram de Seu Bras
Exú pega demanda, Deu meia-noite, Quando estão em aflição. (b
Exú é curador. (Bis) Quando o malvado chegou.
Era Exu Veludo, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Dizendo que era doutor.
Era Exu Veludo, Quem voa baixo sempre vo
DESTRANCA RUA Dizendo que era doutor. Quem muito se eleva quebr
Mas ele é Exu, dizendo que é doutor, Cuidado com sua mironga s
Destranca Rua, Mas ele é Exu, irmão do Seu Marabô. (bis) Eu conto com Exu Brasa.
Destranca os meus caminhos,
Que foi trancado, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Pelo Povo Pequenino.
Bis EXU MANGUEIRA EXU DOS RIOS
Bará da Rua,
Bará o Exú, Viva as almas, Meus senhor das Almas,
Bará da Rua, Viva a coroa e a fé ( oi viva as almas). Exu dos Rios vem aí. (bis)
Saravá Destranca Rua, Viva Exu nas Almas, Ele vem acompanhado,
Exú Bará da Rua, Ele é Seu Mangueira de fé (oi viva as almas). Do seu irmão Tiriri. (bis)
Bará o Exú,
Bará da Rua, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Saravá Destranca Rua,
Mas eu não saio na rua, Exu ganhou garrafa de marafo, O rio corre pro mar,
Mas eu não volto da rua, E levou na capela pra benzer(ê), Rua corre pra encruza. (bis
Sem cumprimentar, Seu Mangueira correu e gritou: Louvado seja Exu dos Rios
O meu Bará da Rua, Na batina do padre tem dendê, tem! Que demanda não recusa.
Bará da Rua, Tem dendê,
Bará o Exú, Na batina do padre tem dendê. :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Bará da Rua, Tem dendê,
Saravá Destranca Rua, Na batina do padre tem dendê. EXU SETE CATACUMBAS
Exú Bará da Rua,
Saravá Destranca Rua. (Bis) ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Na sétima cova do cemitério
Sete Catacumbas gemeu.
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Exu trabalha de pé, Saravou sua encruza,
Não se senta na cadeira. (bis) E levou o mal que é meu. (b
TRANCA RUA Gosta de tomar marafo,
De brincar com o seu garfo, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
O sino da igrejinha, Saravá Exu Mangueira. (bis)
Faz belém, blém... blóm... (bis) EXU ARRANCA TOCO
Deu meia-noite, o galo já cantou, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Seu Tranca-Ruas que é o dono da Exu é mojubá,
gira, EXU TRANCA TUDO Ena, ena é mojubá. (bis)
Oi corre gira que Ogum mandou. (Bis) Arranca Toco é mojubá,
Seu Tranca-Ruas que é o dono da Ele é Exu formoso, Ena, ena é mojubá. (bis)
gira, Sua capa é de veludo. (bis)
Segura a gira que Ogum mandou. (Bis) Ê, ê, ê, povo de ganga, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Vai chegar Seu Tranca Tudo.
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: EXU BARÁ
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
VELUDO Andorinha voou na mata,
Trancou, trancou, ele vem trancar, Na encruza foi parar. (bis)
Exú da meia-noite, Trancou, trancou, ele vem trabalhar. Salve esta Casa Santa,
Exú da Encruzilhada, Sua quimbanda é muito forte, Salve esta banda linda,
No terreiro de umbanda, Mas seu ponto é miúdo, Saravá Exu Bará.
Sem Exú não se faz nada. Ele sabe sempre quem o faz,
Saravá Seu Tranca Tudo. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Comigo ninguém pode,
Mas eu posso com tudo, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: EXU MARÉ
Na minha encruzilhada,
Eu sou Exú Veludo. (bis) EXU TRONQUEIRA Ele vem nas ondas do mar,
Pra mostrar quem ele é.
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Segura, filhos da banda, Vem para vencer demandas
Quimbanda vai começar. (bis) Ele é Exu Maré. (bis)
EXÚ GIRA-MUNDO Ogã segura cantiga,
Pai de Santo segura o gongá, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Comigo ninguém pode, Batedor segura o atabaque,
Mas eu posso com tudo, Seu Tronqueira vai chegar e saravar. (bis) Exu Maré é Rei na Quimban
Na minha encruzilhada, Exu Maré é Rei, ele é,
Eu me chamo Gira-Mundo. (bis) ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Nas demandas não nega fo
Trabalhando nas encruzas,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Exu é, é, é, Ele é Exu Maré.
Exu á, á, á,
EXÚ DO LÔDO Exu é o legbára, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Sem Tronqueira é quá, quá, quá.
Exú pequenininho, Quando a maré escoa,
Dele não faça pouco, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: A praia vai ficando vazia. 9b
Olha lá que ele é Exú, É Exu Maré que vem chega
Ele é o Exú do Lodo. EXU LÚCIFER Saravando encruzilhadas,
Bis Fazendo sua magia. (bis)
Oi Exú do Lodo, Deu meia-noite,
Você não é brincadeira, Deu meia-noite já. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Exú do Lodo, Sete facas encruzadas,
Você mora na ladeira, Em cima de uma mesa, Chegou Exu Maré,
A capa p’ra Exú, Quem atirou foi Lúcifer, Para todo o mal levar.
Que eu mandei fazer, Pra mostrar quem ele é. Chegou Exu Maré,
Não era p'ra Exú, Para nos descarregar. (bis)
É p'ra Bará Lodê. :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Oi a capa p'ra Exú, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Que eu mandei fazer, EXU MALÊ
Oi não era p'ra Exú, EXU DAS MATAS
É p'ra Bará Lodê. (Bis) Exu é malelê, é laroiê. (bis)
Povo da encruza é malelê, Exu das Matas é,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: É Exu Malê. (bis) Exu das Matas é,
Exu das Matas é Rei,
TRANCA RUA ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Meu senhor,
Exu das Matas é,
Vocês estão esse moço, EXU TRANCA RUAS Para todo o mal levar.
Que no cruzeiro está,
Mas preste bastante atenção, Soltaram um pombo lá nas matas, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Quando por ele passar, Lá na pedreira não pousou,
Oi reze uma grande homenagem, Foi pousar na encruzilhada, JOÃO CAVEIRA
Com todo o respeito que há, Seu Tranca Ruas quem mandou.
Pois ele é o Exú Tranca Rua, Portão de ferro,
Filho das Almas também, Ena, ena, mojubá ê, é mojubá. Cadeado de madeira. (bis)
Cuidado gente, Ena, ena, mojubá ê, é mojubá.(bis)
Não vão se enganar, É o portão do cemitério,
Pois nossos caminhos, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Aonde mora João Caveira.
Ele poderá trancar. (Bis)
Seu Tranca Ruas nasceu, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Pra cumprir sua missão,
Pela sua ineligência, TRANCA RUA DE EMBARÉ
EXÚ TIRIRI LANÃ Ganhou logo seu galão,
Ele é Exu muito delicado, Quem quiser lhe ver,
Exú Tiriri Lanã, Mas se entra em demanda, Sobe em cima de um barran
Lanã cadê o Tiriri, Ele não quer sair mais não. (bis) (bis)
Mais ele veio de Aruanda, Pois o homem é Tranca
Pra salvar filhos de Umbanda, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Embaré. (bis)
Exú Tiriri Lanã. (bis)
EXU MOLAMBO SETE ENCRUZILHADA
Oi já bateu a meia-noite, Vejam seu terno branco,
Quero ver quem vem aí...(bis) É todo mulambo só. (bis) A bananeira que eu plante
Vamos firmar nossa corrente, Mas ele é Rei de Quimbanda, noite,
Que aí vem seu Tiriri. (bis) Seu Molambo não rejeita ebó. (bis) Foi Oxalá quem mandou,
Baila que baila na porteira, Para 7 Encruzilhada trabalh
Ele bateu a meia-noite. (bis) ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: E a caridade no mundo ele
Bebe marafo que nem água,
Quem é que vai dizer, Exu Molambo é maroto, Mas ele é 7 Encruzilhadas,
Que o Tiriri não bebeu nada. Só olha pra moça bela, Ele é rei sim senhor,
Bis Com sua garrafa de oti, Trabalha por caridade,
Fica chamando na janela. Trabalha só por amor. (bis)
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Ele é Seu Molambo, é um Exu, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
ENÁ ENA É MOGIBÁ Seu fetiche leva pena de urubu. (bis)
EXU DE DUAS CABEÇAS
Ena ena é Mogibá, ê... :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
É Mogibá, (bis) Exu que tem duas cabeças,
EXU LALU Ele olha sua Banda com fé.
Soltaram o pombo lá na mata,
Mas na pedreira não posou, Ele é Lalu, Lalu, Oi uma é Satanás do infern
Foi pousar na encruzilhada, É laroiê. E a outra é de Jesus de Na
Seu Sete Encruza quem mandou, Ele é Lalu, Lalu,
Foi pousar na encruzilhada, É laroiê. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Seu Tranca Rua quem mandou,
Foi pousar na encruzilhada, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: AUÊ MEU SANTO ANTÔNI
Exú Veludo quem mandou.
Ô embara, embará, embará. (bis) Auê meu Santo Antônio,
Ena ena é Mogibá, ê... Banda de Exu , embara, embará, Oi segura esse toco da mei
É Mogibá, (bis) De Exu Lalu, embara, embará. (bis) Auê meu Santo Antônio,
Oi segura esse toco da mei
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: (bis)

MEUS AMIGOS Lalu era anjo do céu, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


E do céu foi despejado. (bis)
Seu Marabô, Tiriri, Na tronqueira da calunga, SARAVADO
Seu Tranca Rua, Tem seu ponto confirmado.(bis)
Eu venho p’ra encruzilhada, O seu ponto é firme, ele é Exu, Exú pisa no caramuru,
Pedir um ajuda sua. O seu ponto é firme, ele é Exu Lalu. (bis) Exú pisa no caramuru.
Bis Exú não bambeia, ah! rá!
Seu Sete Capas, meu Exú, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Exú não bambeia, ah! rá!
Meu defensor, Exú não bambeia, ah! rá!
Zé Pelintra na encruza, EXU DO LODO Exú não bambeia, ah! rá!
Eu sei que tu é doutor.
Maria Padilha, Na praia deserta e vi Exu, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Rainha do Candomblé, Então meu corpo tremeu todo. (bis)
Venha me valer agora, Acendi minha vela e meu charuto, SARAVADO
Eu preciso da senhora. Arriei minha marafo,
Quiseram pôr fogo no meu barracão, Saravei Exu do Lodo. (bis) Saravá, cambone, iê,
Esqueceram que eu também, Saravá, cambone, iá.
Tenho Exu e coração. ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Saravá , cambone, na encru
Bis Saravá, cambone, iê.
Grito bem alto, EXU LONAN
Meus amigos da encruza, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Vocês vão me defender, Embarabô,
Com um pai ninguém abusa. É mojubá, para lecoché. (bis) SARAVADO
Ele é Exu bará, bará lecoché.
Quiseram pôr fogo no meu barracão, Embarabô é mojubá. Exú ganhou uma garrafa de
Esqueceram que eu também, Para obebé, Exu Lonan, Exu Lonan, E levou na capela prá benz
Tenho Exu e coração. Para obebé, Exu Lonan, Exu Lonan. (bis) Sacristão lhe respondeu:
Bis Na batina do padre tem den
Grito bem alto, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Tem dendê,
Meus amigos da encruza, Na batina do padre, tem de
Vocês vão me defender, EXU TOQUINHO Tem dendê,
Com um pai ninguém abusa. Na batina do padre, tem de
Seu Toquinho é bom,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: É muito bom de coração. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Ele salvou seu pai e mãe,
Alubandê Povo da Rua! Para ganhar a salvação. (bis) DEMANDA
Alubandá, alubandê...
Alubandê Povo da Rua! ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Exú pisa no toco, pisa no ga
A demanda é feia, O galho balança, e Exú não
Mas dá p'ra vencer. Exu matou seu galo, Ô Ganga.
Alubandê, seu Omulú, Dividiu em pedacinhos. (bis) Ê, ê, Exú pisa no toco de um
Exú Rei, Destranca Rua, Depois de repartir, (bis)
Sete Encruza, Exú Veludo, Só ficou com um bocadinho. (bis)
Se é demanda nossa, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
É luta tua. Ele é Exu, mas é muito bom de coração,
Alubandê, Maria Padilha, Seu Toquinho gosta dos seus irmãos. (bis) CONFIRMAÇÃO
A encruza e a calunga é tua,
Maria Molambo, Maria Quitéria, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Exú quando ele é batizado,
Se é demanda nossa, Ele chega em qualquer luga
É luta tua. EXU TRANCA GIRA Quando chega cumprimenta
Alubandê, Sete Caveiras, E gira dentro do gongá. Exú
Sete Encruzilhadas, Tranca Rua, Com seu terno preto,
Sete das Almas, Sete Capas, Sua bengala de embira, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Se é demanda nossa, Ele é muito elegante,
É luta tua. Saravá Seu Tranca Gira. SEU MAIORAL
Alubandê, seu Exú Rei, Ele vem na madrugada, Oiaiá Catira de Umbanda,
Gira Mundo, Bará da Rua, Com sua linda cartola, Espia, espia, quem vem lá,
Tiriri, Exú do Lodo, Chega e dá logo boa noite, É o supremo rei da Quimba
Se é demanda nossa, Mas não gosta de quem lhe amola. Chefe de chefe é Maioral, (b
É luta tua. Pisa, pisa no terreiro,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Papai de Umbanda,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Mandou lhe chamar. (bis)
Táva dormindo,
LAMENTO A TRANCA-RUAS Quando a banda me chamou. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Se levanta, minha gente,
Oi que lindo luar, Tranca Gira já cheghou. (bis) MARABÔ
Oi ! luar,
Oh ! luar, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Exu Marabô, iê, Marabô Mo
Mas ele é dono da rua, No cemitério, ele é Marabô,
Oh ! luar, Tranca, tranca, tranca, Na encruzilhada, ele é Mojib
Quem cometeu os seus pecados, Tranca, tranca, tranca,
Peça perdão ao Tranca-Ruas ! Tranca, ele vem trancar, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Tranca Gira, vai chegar. (bis)
E pelo sangue derramado, Eu vou mandar chamar,
Oh ! luar, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Eu vou chamar lá de Aruan
Em cima de uma catacumba, Eu vou mandar chamar,
Oh ! luar, EXU GIRA MUNDO Seu Marabô na Quimbanda
Quem cometeu os seus pecados,
Peça perdão ao Tranca-Ruas! Ê girê, o girá, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Gira Mundo vai chegar.
Mas ele é filho do sol, Ê girê, o girá, MARABÔ/POMBA GIRA
E também é neto da lua, Para todo mal levar.
Quem cometeu os seus pecados, Ê girê, o girá, O inferno pegou fogo,
Peça perdão ao Tranca-Ruas! Lá para o fundo do mar. Foi Pomba Gira quem apag
Ê girê, o girá. Banda de Exú, Exú, Ala-la-ô
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: É Pomba Gira e seu Marab
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
EXÚ BOIADEIRO QUERÊNCIO :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
EXU KAMINALOÁ
Boa noite, meus senhores ! MARABÔ/MARIA PADILHA
Zá, izá, izá, Exu foi batizado,
Boa noite, venham cá ! E recebeu a sua cruz, Arreda, arreda, que aí vem
Eu me chamo Boiadeiro, Na falange de Dom Miguel, (bis)
Zá, izá, izá, Kaminaloá nos defende, É Maria Padilha a mulher d
Querêncio do Gravatá ! nos conduz. (bis)
Zá, izá, izá. Exú Marabô vem na frente,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Dizendo quem ela é. (bis)
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Ela é Maria Padilha,
Exu formoso, assim eu nunca vi. (bis) A mulher de Lúcifer. (bis)
EXU MARÉ Kaminaloá é cheio de luz,
Na Linha de Mussurumi. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Exú Maré, Maré, Maré...
Bis ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: MARBÕ/POMBA GIRA/7 EN
Afirma o cabrito,
Levanta o quatro pé, EXU TIRIRI Corre, corre, Encruzilhada,
Afirma o seu ponto, Pomba Gira quem mandou.
Vem chegando Exú Maré Exu que é Rei de Quimbanda, Na porteira da calunga, auê
Bis Tem sete obés de ouro. (bis) Ouço um brado é Marabô. E
Exú Maré, Saravá Seu Tiriri,
Pomba Gira da Praia, É meu Rei e meu tesouro. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Exú na areia (Bis)
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: TRANCA-RUAS
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Quando o galo canta, Estava dormindo na beira
Nagô ô ô, Nagô ô ô... As almas se levantam, (bis)
Eu sou filha do Rei Nagô ô ô... E o mar recua.
Bis É quando os anjos do céu dizem amém, Quando as almas lhe cham
Eu sou filha do Rei Oxalá, E o pobre lavrador, diz Aleluia. trabalhar. (bis)
Do seu Sete e de Xangô, Viva a Aleluia, viva a Aleluia, Acorda Tranca-Ruas, vai vig
Oi eu entro na gira, Seu Tiriri, viva a Aleluia. O inimigo está invadindo a p
E faço com fé, Viva a Aleluia, viva a Aleluia, curral. (bis)
Recebo força como filha de fé, Seu Tiriri, viva a Aleluia. Bota as mãos nas suas a
Mas o meu Pai sempre venceu guerrear. (bis)
demanda, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Bota o inimigo pra fora, pa
Com ele não há nenhuma demanda, mais voltar. (bis)
O meu Pai vem de Aruanda, Deu uma ventania, ô ganga,
Seu Capa Preta entra na Umbanda. No alto da serra. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Era, Rei Tiriri, ô ganga,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Que veio para a terra. (bis) Tranca-Ruas no reino,
Ai meu Deus o que será. (b
EXÚ FEZ UMA CASA ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Bota a chave na porta,
Tranca-Ruas vai chegar. (b
Exú fez uma casa, Ele se chama Tiriri, Ele vem salvar a banda,
Sem porteira e sem janela, Se criou em Nazaré, Com licença de Oxalá. (bis)
Ainda não achou, É filho de um xavante,
Morador pra morar nela. Neto de um navegante, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Ainda não achou morador, Rei Tiriri ele é.
Pra morar nela. Mas ele é, Capitão da Encru
Ainda não achou morador, É um Rei é, é um Rei é, ele é,
Pra morar nela. É um Rei é, é um Rei é. Mas ele é, Ordenança de O
Ainda não achou, Sua coroa quem lhe deu foi
Morador pra morar nela. (bis) ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Sua divisa quem lhe deu foi
Mas ele é...
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Olha o homem de chapéu preto
De terno branco com sua bengala Salve o cruzeiro, salve o so
EBÓ DE EXÚ Chegou Exu Tiriri na sala (3 vezes) salve a lua,
ô, não me perca a fé Saravá seu Tranca-Ruas,
Olha o Ebó de Exú Não, não me perca a fé Que corre gira no meio da r
Quem quer, quem quer, o que a criança faz com a mão
Quem vai querer!... Exu Tiriri desmancha com o pé :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Você pode comer,
Você pode beber!... (bis) Estava dormindo,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Quando a Umbanda lhe cha
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Se levanta minha gente,
EXU TIRA TEIMA Tranca-Ruas já chegou. (bis
EU VOU CHAMAR MEU POVO Quando a lua surgir,
Exu Tira Teima é homem nobre, Ele vai girar, ele vai girar,
Exu Tira Teima é homem nobre, Chegou seu Tranca-Ruas,
Eu vou, eu vou, Exu Tira Teima é homem nobre,
Eu vou mandar chamar meu povo! Para todo mal levar. (bis)
Na gira da Quimbanda é homem nobre.
Bis
Eu vou mandar chamar meu povo, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Lá nas sete encruzilhadas,
Eu vou mandar chamar meu povo, Na fé de meu Pai Ogum,
Ganga ê, lelê, Ele vem trabalhar. (bis)
Sem Exú não se faz nada! (bis) Ganga ê, lelá. (bis) Mas ele é, mas ele é, mas e
Gira com ganga é malelê, Tranca-Ruas das Almas. (b
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Exu Tira Teima é mojubá. (bis)
EXÚ VENTANIA :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

(Ponto de Subida) Oi viva as almas,


EXU TOCO PRETO Oi, viva a coroa e a fé,
Vento ventou, Oi, viva Exú das Almas,
Um dia eu táva na porteira, em pé, Mas ele é Tranca-Ruas Imb
Ventania vai embora!... Um dia eu táva na porteira, em pé,
Bis Oi, viva as almas!
Ali passou seu Toco Preto,
Vai pro lugar da paz, E beliscou meu pé.
Vai pro lugar do amor!... Ele é Exu Toco Preto, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Bis É Rei na encruzilhada,
Vento ventou... Na porteira onde ele mora, TIRIRI
Todo o Exu dá gargalhada.
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Estava curiando na encruza
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Quando a banda lhe chamo
EXÚ VENTANIA Exú no terreiro é rei,
Exu Toco Preto, o que é que manda? Na encruza ele é doutor. (b
Deu meia noite, Exu Toco Preto, o que é que quer? Exú vence demanda,
Na terra e no mar!... Seu charuto e sua cachaça, Exú é curador. (bis)
No mato e na calunga, E, se possível, uma mulher!
Em todo lugar!... :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Bis :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Seu Ventania Exú Tiriri, Lonan,
Não tem hora pra chegar! EXU GARGALHADA Morador da encruzilhada, (b
Bis Toma conta, presta conta,
Depois da meia noite, Quem pensar que o céu é perto, No romper da madrugada. (
Chega em qualquer lugar!... Nas nuvens não vai chegar.
Bis Seu Gargalhada está rindo, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Deu meia noite... Do tombo que vai levar.
MANGUEIRA
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Esse boi vermelho, calunga
EXÚ VENTANIA O luar brilhou na mata, Caiu Mangueira, calunga,
Gato miou na encruza, Arranca o couro dele, calun
Venta a noite, venta o dia, Saravei seu Gargalhada, Pra fazer pandeiro, calunga
Sou Exú da ventania!... É Exu meu camarada,
Bis Com ele ninguém abusa. :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Na companhia de Exú Rei,
Ventania!... (bis) ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: SETE ENCRUZILHADA

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Ri, quá, quá, quá, Ouvi, ai ouvi,


Olha Seu Gargalhada tá pra chegar. Exú dar sete gargalhadas. (
EXÚ MARABÕ (bis) Quem era esse Exú,
Banda de Exu vai começar, Era seu Sete Encruzilhadas
Marabô ae, Marabô de ba o exú. E Exu Gargalhada que vai mandar.
Marabô ae, Marabô de ba o exú. :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Olha a ginga de malandro e, SETE ENCRUZILHADAS
Olha a ginga de malandro a... Quem ri na encruza é rei,
Quem brilha no céu é a lua, Exú dá querê, querê
Cruz de ferro, pó de mico, Exu Gargalhada baixou nesta banda, Com a sua banda eu quer
Saravá seu Marabô! Dando suas gargalhadas, (bis)
Ele é chefe de terreiro, Saravando sua rua. É no romper da aurora,
Na linha de Nagô. Bis Seu Sete Encruzilhadas
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: toma conta agora,
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
EXU DAS MATAS :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
SETE ENCRUZILHADA
Eu vi um clarão nas matas, MEIA-NOITE/POMBA GIRA
Aonde mora Encruzlhada, E pensava que era dia. (bis)
Seu Sete Encruza já chegou. Era o Exu das Matas, Salve, Exú da Meia-Noite,
Bis Que fazia sua magia. (bis) Salve, Exú da Encruzilhada
Foi na porteira da calunga, Salve, o Povo de Aruanda,
exú, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Sem Exú não se faz nada. (
Ele é exú de Marabô. (bis) Com sete facas cravad
EXU DA MEIA-NOITE mesa,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Sete velas a iluminar,
Exu da Meia-Noite, Chama à gira Pomba Gira,
EXÚ JOÃO CAVEIRA Exu da madrugada. (bis) Vamos com eles trabalhar.
Salve o povo da quimbanda,
Ele mora na pedra dourada, Sem Exu não se faz nada. :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Onde não passa água,
Onde não brilha o sol... ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: P GIRA/TRANCA-RUAS/MA
Bis
Mas ele é João Caveira é, Seu Meia-Noite, sereno cai, Santo Antônio de Batalha,
É o exú das almas, Cai, cai, sereno cai. Faz de mim um trabalhador
Da calunga auê... (bis) Seu Meia-Noite, sereno cai, Corre gira Tranca-Ruas,
Cai, cai, sereno cai. Pomba Gira e Marabô, Exú
Caveira, Caveirinha,
Quem te pede te paga, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Caveira, Caveirinha,
No portão da meia noite. (bis) Seu Meia-Noite, no ponto de Mina. (bis) POMBA GIRA/TRANCA-RU
Aonde vai exú, Laroiê galo já cantou,
Vai correr carreira, Laroiê, galo já cantou, Deixa a moreninha passear
Lá no cimitério, Laroiê galo já cantou. (bis) Deixa a moreninha passear
Ele é o Exú Caveira. (bis) Oi, deixa a moreninha pass
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Seu Tranca-Ruas,
Caveira, Caveira!... Deixa a moreninha passear
Olha o teu povo te chamou, Seu Meia-Noite na encruza,
Pra trabalhar. (bis) Galo canta, gato mia. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Quem trabalha com Exu,
Portão de ferro, Não tem hora, não tem dia. POVO DO CEMITÉRIO
Cadeado é de madeira. Busca sempre a melhoria. (bis)
O dono da calunga, Cemitério é praça linda,
Ainda é o Exú Caveira. (bis) ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Ninguém queira passear. (b
Catacumba é casa branca,
Olha lá quem vem lá, EXU DO FOGO É casa de Exú morar. (bis)
Descendo a ladeira,
Olha lá quem vem lá, Valha-me meu Santo Antônio, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
É o Exú Caveira. (bis) Quem se defende não é bobo. (bis)
Eu me valho com Exu, SUBIDA DE EXU
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Valha-me Exu do Fogo.
É hora, é
EXÚ MARÉ ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: É hora no calendá
É hora é
Maré, Maré!... A encruza estremeceu, É hora, é
Vem do mar. Uma gargalhada soou no além.(bis) É hora meu bom Exú já va
Maré, Maré!... Salve Exu que é batizado, (BIS)
Vem pra trabalhar. (bis) Exu do Fogo não ataca ninguém.
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Maré!... O Exu é bom não ataca ninguém.
Teu povo te chama, O Exu é bom não ataca ninguém. (bis)
Maré!... Adeus, já é hora
Teu povo a chamar. ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Adeus!...
Maré, vem de Aruanda, Adeus que eu já vou
Maré, vem pra trabalhar. (bis) EXU GANGA (bis)
Sigo o meu
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Ganga lelê, ganga lelê, Girando na linha das
Ele é Exu Ganga, Um adeus para que
EXÚ MARÉ Ganga lelê, ganga lelá, Boa-noite, eu já vou embora
Ele á Exu Gangá.
Eu fui no mar!... :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Eu fui na beira da praia, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Pra saudar Exú Maré, Balança lhe
E a Falange do Povo do Mar. É qui ganga ê, É hora, é
É qui ganga ô, Dom Miguel lhe
Exú Maré!... Exu Ganga é de quimbanda, O Exu já vai
Eu vim aqui pra te saudar... Ô qui Ganga ô.
Exú Maré e :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
A Falange do Povo do Mar. :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Bateu meia-noite na
Você tem que ver!... EXU SETE SOMBRAS O galo cantou na encruzilh
Você tem que acreditar!... Arruma sua capa e seu garf
Que a maior calunga é... Passeava pelas ruas, meu Exu, O meu Pai Ogum
A calunga do fundo do mar! Vagava pelas tronqueiras. lhe chamou na m
Bis (bis)
Exú Maré... Coral piou no mato alto, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Saravando Sete Sombras,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Morador lá da Limeira. (bis) A encruza tá lhe c
Firma a gira deste
TRANCA RUA ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Seu Tranca já vai
Firma a gira deste
Se quiser me ver, EXU TATÁ CAVEIRA Sua banda é muito
Meia noite em ponto, Firma a gira deste
Numa escuridão, Exu pisa no toco, Exu pisa no galho, Ele vai deixar o
Debaixo do lampião. (bis) Galho balança Exu não cai, ô ganga, Firma a gira deste
É Exu, Exu pisa no toco de um galho só
O meu nome é Tranca Rua, É Exu, Exu pisa no toco de um galho só :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Em nome do meu irmão. Marimbondo pequenino, bota fogo no paiol,
Se quiser fazer macumba, ô ganga. Candongueiro, quando
Põe aqui na minha mão. (bis) É Exu, Tatá Caveira no toco de um galho só. É sinal que está n
(bis) Candongueiro, quando
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: É que Exu já vai embor
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Maria, amarra a saia que
EXÚ VELUDO embora,
Um pombo preto voou da mata, Maria, amarra a saia que
Auê Exú Veludo, Voou e pousou lá na pedreira. (bis) hora.
Seu cabrito deu um berro.(bis) Onde os Exus se reúnem,
Rebentou cerca de arame, Mas o reino é de Tatá Caveira. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Estourou portão de ferro.
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Exu já curimbou, Exu j
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Exu vai embora que Ogum
EXU CORTA CORTA Exu já curimbou, Exu j
EXÚ DO LÔDO Exu vai embora que a
Se o seu obé é de aço, chamou.
Exú do Lôdo, O seu garfo é de madeira. (bis)
Do Lôdo ele é odê. Saravá sua mironga, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Quem é esse exú, Seu Corta-Corta é de Quimbanda,
Agora eu quero ver. (bis) Ele mora na limeira. (bis) Cambono, Cambono
cambono,
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Olha que Exu vai o
Vai, vai, vai, meu
EXÚ, PORTEIRO Seu Corta-Corta, Ele vai numa gira s
Seu Corta-Corta,
O porteiro ele é boêmio, Segura a gira. (bis) :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
O porteiro ele é da noite,
O porteiro ele é o exú, ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: É hora, é
Que vem trabalhar. É hora no calendá,
STO ANTÔNIO PEQUENINO É hora, é
Ele gira aqui, oi gira, É hora no calendá,
Ele gira lá, Santo Antônio Pequenino, É hora no calendá,
Mas ele é o exú, Amansador de burro brabo, É hora meus bons Exus,
Que vem trabalhar, Quem mexer com Sto Antônio, hora.
Lá... lá... laia (bis) Ta mexendo com o diabo.
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Rodeia, rodeia, rodeia,
Meu Santo Antônio rodeia.
TIRIRI LANAN (bis) Exu
Pomba Gira Rainha, Exu
Hoje tem festa lá na praça, Gira a noite, gira o dia, Exu vai
Lanan com seu Povo Cigano. No embalo dessa gira, Que a hora chego
Gira o Exú Ventania.
Mas ele toca seu lindo violino, Rodeia, rodeia, ... :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Para saudar a Cigana do Jarro. (bis)
Maria Mulambo, E Exú vai pelo pé, p
Mas ele toca para seu rei, No meio da encruzilhada, E ele vai pela mão, pela m
Para seu rei Tiriri Lanan. Convidou João Caveira, Exú já vai embora, Ga
Alupandê à Cigana do Jarro! Dando uma gargalhada. Ganga,
Alupandê Tiriri Lanan. (bis) Rodeia, rodeia,... Exu vai só.

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Tiriri matou um galo, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


E cortou em pedacinho,
Boa-noite, gente, Convidou Maria Padilha, Olha Exú como
Boa-noite já. (bis) Para não comer sozinho. Ele vai
Olha o sapo que pula no chão, Caminhar pra sua
Andorinha que voa ao luar. (bis) Rodeia, rodeia,... Exú vai caminhar.

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: Me convidaram, :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


Pra pular amarelinha,
Exu louvei, Se eu perder você me ganha, Ogum mandou,
Exu louvei a encruzilhada. Se eu ganhar você é minha. Mandou recado para Exu ir
Louvei morada de Exu, Seu Arerê
Louvei a rua e a madrugada. Rodeia, rodeia,... Foi, foi no recado seu Arerê
Foi, foi no recado s
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Sala, salá,
Mucarrêro, ê salá.
Sala, salá,
Mucarrêro, legbará.