Sei sulla pagina 1di 4

Dimensionamento de engrenagens cilíndricas de dentes helicoidais

Critério de Pressão

𝑀 𝑖±1
𝑏 × 𝑑2 = 0,2 × 𝑓 2 × 2 × ×𝜑
𝑃𝑎𝑑𝑚 × 𝜑𝑝 𝑖

Em que:

b – largura do pinhão (mm)

d – diâmetro primitivo do pinhão (mm)

f – fator de características elásticas do par (adimensional)

i – relação de transmissão (adimensional)

Padm – pressão admissível de contato (N/mm2)

φp – fator de correção de hélice (adimensional)

φ – coeficiente de segurança

O fator de correção de hélice, utilizado para o critério de pressão, obtém-se por meio do ângulo de correção
de hélice β0 na tabela seguinte:

Φp 1,00 1,11 1,22 1,31 1,4 1,47 1,54 1,6 1,66 1,71
Β0 0o 5o 10o 15o 20o 25o 30o 35o 40o 45o

Critério de resistência à flexão


𝐹𝑡 × 𝑞
𝜎𝑚á𝑥 = ≤ 𝜎𝑚𝑎𝑡𝑒𝑟𝑖𝑎𝑙
𝑏 × 𝑚𝑛 × 𝑒 × 𝜑𝑟

Ft – força tangencial (N)

q – fator de forma (adimensional)

b – largura do pinhão (mm)

mn – módulo normal (mm)

φr – fator de correção de hélice (adimensional)

e – fator de carga 0,8 ≤ e ≤ 1,5 (adimensional)

Fator de Carga (serviço)

e = 0,8 – serviços pesados

e = 1,0 – serviços normais

e = 1,5 – serviços leves

Pelo fator de serviço (φ), Tabela de Agma, determina-se por intermédio de:
1
𝑒=
𝜑
φr fator de correção de hélice (resistência)

φr 1,0 1,2 1,28 1,35 1,36


Β0 0o 5o 10o 15o a 25o 25o a 45o

Procedimento para dimensionar engrenagem cilíndrica de dentes helicoidais:

1.1- Fator de características elásticas


1.2- Torque no pinhão
1.3- Relação de transmissão
1.4- Pressão admissível
1.5- Fator de correção de hélice
1.6- Volume mínimo no pinhão
1.7- Módulo de engrenamento

Utilizar da proporcionalidade desejada entre as dimensões b/d e substituir na equação para volume mínimo
encontrando assim o valor do diâmetro primitivo.

Como o diâmetro primitivo é definido por meio do produto entre o módulo frontal (m s) e o número de dentes
da engrenagem, tem-se que:

𝑑𝑝 = 𝑚𝑠 ∗ 𝑍

Encontrar o valor do módulo frontal através da equação:

Módulo normal

𝑚𝑛 = 𝑚𝑠 𝑐𝑜𝑠𝛽0

Normalizar o módulo obtido por meio da DIN 780 (tabela)

Recalcular o módulo frontal através do módulo normalizado


𝑚𝑛 0
𝑚𝑠𝑜 =
𝑐𝑜𝑠𝛽0

1.8- Recálculo do diâmetro primitivo (dor)


𝑑𝑝0
𝑚𝑠𝑜 =
𝑍
1.9- Recálculo da largura da engrenagem.

Resistência à flexão no pé do dente

2.1- Força tangencial (N)


𝑀𝑡
𝐹𝑡 = 2
𝑑𝑝0

2.2 – Fator de forma

Para utilizar a tabela do fator de forma da ECDR, torna-se necessário determinar o número de dentes
helicoidais correspondentes a dentes retos.

Utiliza-se para tal a relação seguinte:


𝑍1
𝑍𝑒 =
(𝑐𝑜𝑠𝛽0 )3
Ze é o número de dentes equivalentes. Por meio de Ze obter q

2.3 – fator de serviço (e)

2.4 – largura da engrenagem

2.5 – módulo normalizado

2.6 – fator de correção de hélice

2.7 – tensão máxima atuante no pé do dente.

2.8 – análise do dimensionamento. A engrenagem estará apta para suportar a transmissão se:

σmax ≤ σmaterial

𝐹𝑟 = 𝐹𝑡 ∗ 𝑡𝑔𝛼𝑠0

Fr em (N)

𝐹𝑎 = 𝐹𝑡 ∗ 𝑡𝑔𝛽0

F em (N)

Exercício

Dimensionar o par de ECDH, para que possa atuar com segurança em uma transmissão com engrenamento
externo. O acionamento será por meio de motor elétrico com 1140 rpm e potência de 14,7 kW. O material
utilizado é o SAE 8640. A dureza especificada é de 6000N/mm2. A duração prevista para 10000 horas de
funcionamento, com atuação em eixos de transmissão e acionamento de 10 h/dia.

Considere:

b1/d1 = 0,25 ; αno = 20o ângulo de pressão normal; Z1 = 29 ; Z2 = 89 dentes ; β0 = 200 ângulo de hélice.

Fator de Características Elásticas (f) para ângulo de pressão de 20º

Material E (GPa) Fator (f)


Pinhão de aço E = 210 1512
Coroa de aço E = 210
Pinhão de aço E = 210 1234
Coroa de FoFo E = 105
Pinhão de FoFo E = 105 1069
Coroa de FoFo E = 105