Sei sulla pagina 1di 37

Cálculo de Volume de um tronco de cone Cálculo do Volume de um cilindro

Raio Maior 1600 mm Raio interno 950


Raio menor 125 mm altura 1620
Altura 1200 mm

Volume 3.4879532436 m3 Volume 4593.16554

3487.953243648 l

Calculo de Velocidade em Tubulações Cálculo de Vazão de Esvaziamento


Secção cheia
Vazão 0.8 m3/h Altura Reservatório(m) 1.50
Diametro 0.0216 m Ø do Reservatório(m) 0.15
Velocidade 0.6064431607 m/s Vazão (m³/h) 15.71
Ø da Tubulação(m) 0.03
Velocidade (m.s) 5.42
Cálculo volume Geobag Area da tub.(m²) 0.00080
(fórmula passada pelo Nelson - Snatural) volume do reservatório 0.03
Largura (m) 2 Tempo de acionam. (s) 6.08
Altura (m) 0.5
Comprimento (m) 2.1
Volume (m³) 1.05

Calculo de vazão vertedor triangular 90°

�=1,32 𝑥 ℎ^2,47

Tendo a Altura H Tendo a Vazão (m³/h)


Q= Vazão no Vertedor (L/s) 0.192777 1
h - Carga Hidraulica (m) 0.028 0.032463

Q = Vazão no Vertedor (m³/h) 0.693996 Altura em (mm) 32.462806265


Calculo de vazão vertedor CIRCULAR

Q= Vazão no Vertedor (m³/s) 0.001864 Diametro 0.11


h - Carga Hidraulica (m) 0.045 Area 0.009503

�=1,58.𝐷^0,693.𝐻^1,607

Q= Vazão no Vertedor (m³/H) 8.440287 Diametro


h - Carga Hidraulica (m)

COMPRIMENTO MÁXIMO ENTRE SUPORTES DE TUBULAÇÃO


de um cilindro Calculo de volume tronco de piramide

Altura h (m) 0.40


Area da Base Maior (m) 0.40
Area da Base Menor (m) 0.20

Volume 0.116857 m³/h

Calculo de volume tronco de cone

Altura (m) 1.65


Raio menor (m) 0.15
Raio maior (m) 1.25 Calculo de Velocidade em
Meia Secção
Volume (m³) 3.06266
Volume (L) 3062.66

Calculo de vazão vertedor retangular com turgulencia 90°

H= CARGA SOBRE O VERTEDOR (M) 0.024


P= ELEVAÇÃO DA SOLEIRA DO VERTEDOR (M) 0.35
L= COMPRIMENTO DE VERTEDOR (M) 1
G=ACELERAÇÃO DA GRAVIDADE ( M/S²) 9.81
Q=VAZÃO (M³/S) 0.008748

 0,003  H2 
Q   0,405  1  0,55    l  2g  H
3/ 2
 H   H  P 2 

Q=VAZÃO (M³/H) 31.49396

VAZÃO MEDIDA 30
H (m) 0.038103
H(mm) 3.810255

L 1654.215 mm
D 250 mm
d 227.4 mm
α - PEAD 2,1 X 10-4 0.00021 °K
α - PP 1,8 X 10 -4
0.00018 °K
α - PVDF 1,4 X 10-4 0.00014 °K
T 250 °K
Ø 0.085 m
AREA 0.005675 m²
ALTURA 0.18 m
VOLUME 0.001021 m³
Densidade 1000 kg/m³
Peso 1.02141 kg

Calculo de Velocidade em Tubulações


Meia Secção
Vazão 6.71
Diametro 0.098
Velocidade 0.4942059642

H= ALTURA DA LAMINA D'AGUA (m) 0.04 PREENCHER


L=LARGURA DO CANAL (m) 1.1
Q=VAZÃO (m³/s) 0.016192
Q=VAZÃO (m³/h) 58.2912

Calculo da Altura da Lamina d'agua pela Vazão


H= ALTURA DA LAMINA D'AGUA (m) 0.038012
L=LARGURA DO CANAL (m) 1.1
Q=VAZÃO (m³/s) 0.015
Q=VAZÃO (m³/h) 54 PREENCHER
Perda de Carga unitária por M de tubo Valor Unid. Variavel
0.06 m D Diametro do tubo
�=(𝐹𝐶^2)/2𝑔𝐷 0.6 m/s C Velocidade do escoamento
0.00125 m³/s Q Vazão no tubo
102.7853 mca/m J Perda de Carga no tubo
1.62E+11 - F Coeficiente de Rugosidade do Tubo
Tabela de Coeficiente de Atrito de Tubulações
Material do Tubo DN Coeficiente C
do escoamento PVC <50mm 125
PVC Entre 60mm e 100mm 135
rga no tubo PVC Entre 125mm e 300mm 140
de Rugosidade do Tubo Ferro Fundido (Novo) todos 130
Ferro Fundido ( Usado) todos 100
Manilhas de Ceramica todos 110
Aço Galvanizado todos 125
Aço Soldado todos 110
Reynolds Valor Unid. Variavel
0.144 m D Diametro do tubo
𝑅�=("ρ" 1.7056213894 m/s V Velocidade média do
𝑉𝑑)/µ 0.0277777778 m³/s Q Vazão no tubo
mca/m J Perda de Carga no tub
0.04 - f Coeficiente de Rugos
0.001003 Pa.s µ Viscosidade dinâmica
1000 Kg/m³ ρ Massa específica do fl
100 m L Comprimento equiva
9.81 m/s² g Aceleração da gravida

Re (Reynolds) 244,874.86

hl = 4.11873418 m
ametro do tubo
elocidade média do escoamento
azão no tubo
erda de Carga no tubo
oeficiente de Rugosidade do Tubo
scosidade dinâmica do fluído
assa específica do fluído
omprimento equivalente
celeração da gravidade
Tensão Admissível na parede do Tanque de PP Valor Unid. Variavel Descrição da Variáv
N/mm² K Tensão do material
�_𝑎𝑑𝑚=(𝐾𝐹_𝑠)/ - Fs Fator de soldagem
(𝐴_2 𝐴_4 𝑆) - A2 Fator em relação ao
- A4 Fator referente a te
- S Fator de Segurança
N/mm² σadm Tensão Admissível n

Cálculo da Espessura do Tanque Valor Unid. Variavel Descrição da Variáv


mm D Diametro do Tanqu
N/mm² ρ Carga de pressão Es
𝑠=𝐷𝜌/(2�_𝑎𝑑𝑚 ) N/mm² σadm Tensão Admissível n
mm s Espessura de Pared

𝜌=ℎ𝑆𝐺/ Valor Unid. Variavel Descrição da Variáv


mm h Profundidade da po
(1,02𝑥 〖 10 〗 ^5 ) N/mm² SG Gravidade Especific
escrição da Variável FATOR DE SOLDAGEM
ensão do material PP Estrusora 0.6
ator de soldagem
ator em relação ao produtoa quimico a ser armazenado
ator referente a temperatura de trabalho
ator de Segurança
ensão Admissível na Parede do Tanque de PP

escrição da Variável
ametro do Tanque
arga de pressão Estática no Ponto Considerado
ensão Admissível na Parede do Tanque de PP
spessura de Parede

escrição da Variável
rofundidade da posição para parede considerada
ravidade Especifica do Fluido
FATOR A4 FATOR DE TEMPERATURA
Produto Fator A2 MATERIAL -10° C 20
Soda Caustica 0.07 PP - HOMOPOLIMERO 1.8 1.3
Solução de Cloreto de Sódio 0.11 PP-COPOLIMERO 1.2 1.1
Acido Sulfurico 0.20
Agua 1.00 FATOR DE SEGURANÇA
Metano 1.00 CARGA ESTATICA ESTATICA
Acido Cromico 10 80 2.00 Temp. AMBIENTE VARIAVEL
Acido Acetico 60 2.50 Fator S 1.3 1.6
Octanol 3.33
Acido Cromico 20 80 4.00 PROPRIEDADES DO MATERIAL
Acido Acetico 100 14.29 PP COPOLIMERO
Hipoclorito de Sódio 50.00 PP HOMOPOLIMERO
Acido Nitrico 100.00 PEAD
ERATURA
40 60
1 1
1 1

A
DINAMICA
VARIAVEL
2

ERIAL
Variavel Unid.
a mm
A1 -
A2 -
A2l -
Ab mm²
Ad mm²
Aj m²'
Az mm²
Bpr mm
Bo mm
c -
C -
C1 -
C2 -
C* -
d mm
dA mm
dL mm
dmax mm
dmin mm
dsch mm
Ekt N/mm²
Ek20 N/mm²
EL209 N/mm²
Fs -
Fsd -
Fz -
Fzd -
g m/s²
gA N/mm²
gD N/mm²
Ga N
Gb N
Gd N
Ge N
Gf N
Gs N
Gz N
h mm
hF mm
Hfi mm
Hzi mm
Hrf mm
Hz mm
Hzf mm
kk N/mm²
kl N/mm²
km N/mm²
KK N/mm²
KL N/mm²
KM N/mm²
Lo mm
Mw N/m
nZ N/mm
PB N/mm²
P N/mm²
PDL N/mm²
PEU N/mm²
PKM N/mm²
Pmax N/mm²
PS N/mm²
Pstat N/mm²
Pstat,i N/mm²
Pu N/mm²
Puk N/mm²
Pû N/mm²
Pus N/mm²
pw N/mm²
p1 N/mm²
pσ N/mm²
qj KN/m²
qmax KN/m²
r mm
s mm
as mm
sB mm
sD mm
sO mm
Sz mm
Szf mm
Szf* mm
Szm mm
Sz1 mm
Szi mm
So mm
S -
Sm -
TA ºC
TD ºC
TM ºC
TW ºC
TZ ºC
u %
V m³
Va -
Wgr mm
Wj KN
z -
α -
αD º
β -
δ -
δw -
δσ -
ε %
δB -
haj -
hM -
ĸ º
ρ g/cm³
ρF g/cm³
σKLM N/mm²
σK N/mm²
σKi N/mm²
σW N/mm²
Descrição da Variável
Comprimento da costura de solda
Fator de Redução de influencia da Viscosidade específica
Fator de redução para o meio à prova de solides
Factor de redução para o meio à prova de estabilidade
Superficie da base
Superficie do teto
Superficie de trabalho do vento
Superficie da parede do Cilindro
Largura da Garra
largura do olhal de içamento
Coeficiente de correção do vento
C1*C2
Fator de acréscimo de carga
Fator de projeto esppecífico do material
Coeficiente de correção do cilindro circular carregado com pressão externa
Diametro nominal interno
Diametro externo do bocal
Diametro do Furo do olhal de içamento
Diametro máximo do Anel
Diametro mínimo do Anel
Diametro doa manilha
Modulo de elásticidade para temperatura T
Modulo de elásticidade para curto prazo em temperatura 20°C
Modulo de elásticidade para longo prezo temperatura 20°C
Fator de Solda a Longo prazo
Fator de Solda a Longo prazo para o telhado
Fator de Solda a Curto prazo
Fator de Solda a Curto prazo para o telhado
Aceleração da gravidade
Superficie equivalente para os bocais do telhado
Peso da superficie do telhado
Carga inerente a extenções
Carga inerente a base
Carga inerente ao telhado
Carga total
Carga do Enchimento
Carga de Neve
Carga do Tanque
Altura do tanque com o fundo
Altura do Nível de enchimento
Altura do Nível de enchimento do anel i.
Altura do anel i.
Altura do tanque que não é preenchido
Altura do tanque sem o fundo
Altura do Primeiro Anel
Tensão a curto prazo
Tensão a longo prazo
Tensão a Médio prazo
Resistencia a Fluencia
Resistencia a Fluencia para vida util calculada a temperatura média
Resistencia a Fluencia a médio prazo sobre influencia de 3 meses de neve
Comprimento da faixa superior do cilindro equivalente
Momento Fletor devido a carga de vento
Carga de Tensão de diafragma
Pressão na Base do tanque
Valor Auxiliar
Influencias no telhado
Tensão de pulsação equivalente devido à carga do vento
Pressão crítica de flambagem da casca
Valor auxiliar
Carga da Neve sobre o telhado
Sobrepressão na base do tanque devido ao conteúdo
Tensão na borda inferior do primeiro anel devido ao conteudo do tanque
Pressão externa continua ativa
Pressão externa ativa a curto prazo
Pressão interna continua ativa
Depressão devido a sucção do vento
Valor Auxiliar
Valor Auxiliar 3.1 - Carga Permanente
Valor Auxiliar
Pressão de impacto na superficie Ai Os tanques São projetad
Maximo Pressão de impacto efetiva no tanque A altura do nivel de ench
Raio do Tanque
Espessura Mínima de Parede 3.1.1 - Carga inerente T
Espessura de parede Final do compoente básico
Espessura de parede da Base 𝑮�=𝑮𝑫+𝑮𝒁+𝑮
Espessura de parede do telhado
Espessura do olhal de içamento Carga inerente ao telha
Espessura de parede dos aneis
Espessura de parede do primeiro anel 𝑮𝑫=�𝑫.𝑺𝑫.𝝆.𝒈
Espessura de parede estaticamente necessária (N)
Espessura de parede média do costado Carga inerente ao Cos
Espessura de paredes do anel superior
Espessura de paredes dos aneis i. 𝑮�=��.𝑺�.𝝆.𝒈
Espessura da parede da faixa superior do cilindro equivalente (N)
Coeficiente de sugurança Carga inerente a Base
Coeficiente de sugurança da instalação
Temperatura do ar externo 𝑮𝑩=�𝑩.𝑺𝑩.𝝆.𝒈
Temperatura no telhado (N)
Temperatura do conteudo Carga inerente a exten
Temperatura na parede do tanque coletor
Temperatura na parede do tanque Carga referente a escad
dilatações do tanque.
Ovalização permissível Caso a fixação seja obri
Volume cheio
Coeficiente de enfraquecimento
Curso de içamento permissível 3.1.2 - Carga do conteu
Carga do Vento
Numero de ancoragem 𝑮�=𝑽.𝝆�.𝒈. 〖𝟏𝟎
Valor auxiliar
Ângulo de inclinação do telhado
coeficiente 3.1.2 - Pressão interna
coeficiente
coeficiente São pressões oriundas d
coeficiente carga total. Pressões de
Expansao permissível da borda
Coeficiente para calculo da base 3.2 - Cargas ativas a m
Utilização da estabilidade axial na banda i
Utilização da estabilidade à pressão da carcaça O tempo de influencia é
Ângulo do grau do telhado com a perpendicular
densidade do material 3.2.1 - Cargas de Neve
Densidade do Conteudo
Tensão existente De acordo com DIN 105
Tensão crítica de flambagem
Tensão crítica de flambagem no anel i
Tensão devido a carga de vento
Cargas
1 - Carga Permanente

s tanques São projetados para uma vida de 25 anos de acordo com a aplicação.
altura do nivel de enchimento do tanque é determinado no presente estado de trabalho de cada projeto.

1.1 - Carga inerente Total - GE (N)

𝑮�=𝑮𝑫+𝑮𝒁+𝑮𝑩+𝑮� - (N)
arga inerente ao telhado - GD (N)

𝑮𝑫=�𝑫.𝑺𝑫.𝝆.𝒈. 〖𝟏𝟎〗 ^(−𝟔) -


(N)
arga inerente ao Costado - GZ (N)

𝑮�=��.𝑺�.𝝆.𝒈. 〖𝟏𝟎〗 ^(−𝟔) -


(N)
arga inerente a Base - GB (N)

𝑮𝑩=�𝑩.𝑺𝑩.𝝆.𝒈. 〖𝟏𝟎〗 ^(−𝟔) -


(N)
arga inerente a extensões - GA (N)

arga referente a escadas, plataformas e qualquer outro equipamento fixado no tanque deve ser feita isolada do ta
atações do tanque.
aso a fixação seja obrigatória as Cargas devem ser calculadas por outro método e somadas a Carga total.
1.2 - Carga do conteudo do tanque - GF (N)

𝑮�=𝑽.𝝆�.𝒈. 〖𝟏𝟎〗 ^� - (N)

1.2 - Pressão interna e Externa - Pû . Pu (N)

ão pressões oriundas de aeradores, motores , agitadores que geram alta pressão interna que devem ser calculad
arga total. Pressões devido ao nível de fluído já são consideradas na Carga inerente ao fluído. GF.

2 - Cargas ativas a médio prazo

tempo de influencia é de 3 meses.

2.1 - Cargas de Neve - GS

e acordo com DIN 1055-5, deve ser determinada correspondente as condições regionais e serão cumulativamen
a projeto.

r feita isolada do tanque para permitir as

Carga total.
devem ser calculadas a parte e somadas a
GF.

ão cumulativamente a vida calculada.


Para Aço (σma) = 350kgf/cm²

σma = Tensão máxima Para Aço inox (σma) = 500kgf/cm²


admissível

q = Carga Distribuída

L= Vão entre suportes L=


Z= Momento Resistente
da Secção transversal do
Tubo ( cm³)

�=√((�𝑚𝑎 . 𝑍)/
(10 . 𝑞)) Vão máximo pela tensão admissível do material do tubo

�=√(4&(4 . 𝑌𝑚𝑎 .
𝐸 . 𝐼)/(24000. 𝑞)) Vão máximo pela tensão flecha máxima resultante

Yma = Flecha máxima admissível *Para tubulações em areas de proce


E = Modulo de elasticidade do material (kgf/cm²) * Para tubulações fora de areas de p
I = Momento de Inércia da secção trasnversal do tubo ( cm 4)
a) = 350kgf/cm² Para Aço (σma) = kgf/cm²

(σma) = 500kgf/cm²

ões em areas de processamento Ø até 3" - adotar Yma=0,5cm - acima de 3" adotar Yma=1cm
ções fora de areas de processamento Yma=2cm
Relação entre altura da lamina d'gua e vazão na calha parshall
Calculo de Regua de nivel Calha Parshall
de 2'' em relação a Altura
Fator K Fator n
434.58 1.55
Altura da Vazão Q ( m³/h)
Lamina D'agua (m)
0.035 2.41
0.07 7.05
0.105 13.21
0.14 20.63
0.175 29.16
0.21 38.68
0.245 49.12
0.28 60.42
0.315 72.52
0.35 85.38
0.385 98.98

Calculo de Regua de nivel Calha


Parshall de 2'' em relação a
Fator K Altura Fator n
434.58 1.55
Altura da
Lamina D'agua Vazão Q ( m³/h)
(m)
0.020 1.00
0.06 5.00
0.099 12.00 1 2 3 4
0.14 20.00
0.178 30.00
0.21 40.00
0.000
0.00
0.000
0.00
0.000
120.000

100.000

80.000

60.000 Column N
Column O

40.000

20.000

0.000
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11