Sei sulla pagina 1di 1

Adoração e louvor

A finalidade do culto
Qual é a finalidade do culto? Quais as razões que nos levam a participar do culto? O que vamos buscar nele?

David Karnopp

Paulo Pires
P
ara responder essas perguntas, va-
mos tomar o exemplo do tronco e
do galho. O galho de uma plan-
ta, para se manter vivo e saudável, pre-
cisa do tronco e de suas raízes. Por si só
o galho não pode criar seu próprio sus-
tento, nem produzir frutos. A seiva que
dá vida ao galho vem do tronco. Coisa
semelhante acontece com as pessoas. A
seiva vivificadora que precisamos para
nos manter espiritualmente vivos e sau-
dáveis vem a nós através da Palavra e
dos sacramentos – Batismo e Santa Ceia.
Eles são os meios da graça de Deus e
são o centro do culto. Tanto a Palavra O objetivo básico do culto é centralizar a nossa vida espiritual em Deus e
como os sacramentos visam chamar o Deus em nós e nos unir como irmãos na fé. Esta união, no entanto, só é
pecador ao arrependimento, mostrar o possível porque Deus se dá a nós através da sua Palavra e dos sacramentos.
infinito amor de Deus e fortalecer no per-
dão e amor de Cristo. Participar do cul- gam orar e ler a Bíblia em casa, e por O culto também não é um programa
to é aceitar a oferta do amor de Deus isso não precisam dos cultos? Quem pen- qualquer. Nele não vamos para adorar e
por nós. sa assim está perdendo. Podemos com- depois voltar para casa como que alivi-
parar isso a uma pessoa de uma família ados de um dever cumprido. Ele também
Deus acolhe o seu povo que não vem se sentar à mesa para fazer não quer ser um centro de terapias ou
Ao deixar de freqüentar o culto regu- as refeições junto com a família. Por que um grupo de auto-ajuda, como se fosse
larmente, começamos a bloquear a sei- não vem? O que há de errado com ela? próprio para curar todos os tipos de
va vivificadora que Jesus quer fazer fluir Ela está perdendo e a sua saúde ficará males. Também não deveríamos ir ao
dentro de nós. Sem ela não podemos debilitada. Ainda que ela esteja se ali- culto apenas para prestigiar o pregador
permanecer espiritualmente vivos e for- mentando “por fora”, está perdendo a como se o efeito da pregação fosse dele
tes. Além disso, quando não vamos ao comunhão da família à mesa. Da mes- e não de Deus. É Deus quem reúne seu
culto estamos nos separando da acolhe- ma forma, quem se ausenta dos cultos, povo e age nele através dos meios da
dora graça de Deus. Mas não se trata de ainda que esteja recebendo o alimento graça e não do ministro.
uma simples participação como um de- da Palavra “por fora”, está perdendo a Por fim, lembremos que a ordem de
ver cumprido. Trata-se de escutar a Pa- comunhão do povo entre si e a comu- Cristo é: “fazei isto em memória de
lavra que é de Deus, de confessar a fé nhão com Deus. mim”. Podemos então dizer que, acima
em conjunto, juntar-se aos demais ir- de tudo, celebramos culto “para lembrar-
mãos em cântico, louvor, oração, oferta Cristo é o centro da comunhão se de Cristo” e de sua obra por nós, pois
e aceitar o convite à mesa do Senhor. O culto, desde o princípio, teve o sen- ele o estabeleceu ao instituir aquilo que
Por estar firmado na Palavra e nos sa- tido da comunhão. Culto é o momento e é próprio do culto: pregação da Palavra
cramentos, o culto é o lugar onde nos o lugar de encontro entre Deus e o seu e administração dos sacramentos. Sem-
fortalecemos na fé e na comunhão. O povo. O objetivo básico do culto é cen- pre que o culto estiver firmado em cima
culto é a manifestação mais visível do tralizar a nossa vida espiritual em Deus de sentimentos humanos, corre o perigo
perdão de Deus. Culto é o lugar onde o e Deus em nós e nos unir como irmãos de tirar Cristo do seu lugar.
pecador arrependido é acolhido no amor na fé. Esta união, no entanto, só é possí-
de Deus. vel porque Deus se dá a nós através da David é pastor em Vacaria, RS, e membro da
E o que dizer das pessoas que ale- sua Palavra e dos sacramentos. Comissão de Culto da IELB

12 Mensageiro Luterano | Janeiro e Fevereiro 2009 | Nos 1 e 2 | Ano 92

ML Jan e Fev 2009.pmd 12 30/12/2008, 17:51