Sei sulla pagina 1di 16

Teste prático-experimental n.

º 1
1. (Adaptado de Teste Intermédio 2012) Com o objetivo de determinar
experimentalmente a temperatura de fusão do naftaleno, alguns grupos
de alunos efetuaram várias medições.
O valor tabelado da temperatura de fusão do naftaleno, nas
condições em que foram realizadas as medições, é 80,0 °C.

1.1 Depois de efetuadas as medições pelos grupos de alunos, a


medida da temperatura de fusão do naftaleno, expressa em função do
valor mais provável e da incerteza relativa, foi 81,1 °C ± 1,1%.
Determine o intervalo de valores no qual estará contido o valor
experimental da temperatura de fusão do naftaleno.
Apresente todas as etapas de resolução.

1.2 Dois grupos de alunos, Grupo 1 e Grupo 2, realizaram três


ensaios, nas mesmas condições, nos quais mediram os valores de
temperatura de fusão, θf, do naftaleno, que se encontram registados na
tabela seguinte.

Grupo 1 Grupo 2
Ensaio f / °C f / °C
1 79,4 82,6
2 80,3 82,7
3 81,4 82,5

1.2.1 A partir da informação dada pode concluir-se, que os valores


medidos pelo Grupo 1, comparados com os valores medidos pelo
Grupo 2, são
A. mais exatos e mais precisos.
B. mais exatos e menos precisos.
C. menos exatos e menos precisos.
D. menos exatos e mais precisos.

1.2.2 Obtenha o resultado da medição de temperatura de cada um


dos grupos de alunos. Exprima esse resultado em função do valor mais
provável e da incerteza absoluta.

2. (Adaptado de Teste Intermédio, janeiro 2008) Considere um conjunto de


medições de temperatura efetuadas utilizando um termómetro digital. O
menor intervalo de temperatura que mede é uma décima de grau.
Atendendo à incerteza associada à medição, selecione a opção que
completa corretamente a frase seguinte.
O valor da temperatura medido, num dado instante, deve ser
apresentado na forma
A. θ = (15,0 ± 0,1) °C
B. θ = (15,00 ± 0,05) °C
C. θ = (15,00 ± 0,10) °C
D. θ = (15,0 ± 0,5) °C

3. (Adaptado de Exame Nacional 2010, 1.ª Fase) Na Fig. 1 está representado


o nível de um líquido numa proveta.

Fig. 1
Selecione a única opção que apresenta o resultado da medição do
volume nessa proveta:
A. (18,60 ± 0,05) cm3
B. (17,40 ± 0,05) cm3
C. (17,4 ± 0,1) cm3
D. (18,6 ± 0,1) cm3

4. (Adaptado de Exame Nacional 2011, 1.ª Fase) Um grupo de alunos usou,


em algumas das medições efetuadas para uma dada atividade
experimental, uma fita métrica com uma escala cuja menor divisão é 1
mm.
Qual é a incerteza associada à escala dessa fita métrica?

5. (Adaptado de Teste Intermédio, maio 2011) Para estudar o pH de uma


amostra de água, um grupo de alunos realizou várias medições com um
sensor devidamente calibrado. Os valores de pH obtidos em três
ensaios estão na tabela seguinte:

Ensaio 1 2 3
pH 6,47 6,43 6,48

Obtenha o resultado da medição de pH.


Exprima esse resultado em função do valor mais provável e da
incerteza absoluta. Apresente todas as etapas de resolução.
Teste prático-experimental n.º 2
1. (Adaptado de Teste intermédio 2014) Com o objetivo de determinar
experimentalmente a velocidade de propagação do som no ar, um grupo de
alunos usou um osciloscópio, um gerador de sinais, um altifalante, um microfone
e uma fita métrica.
O valor experimental da velocidade de propagação do som no ar, obtido pelos
alunos, foi 319 m s−1.

1.1 O valor tabelado da velocidade de propagação do som no ar, nas


condições em que foi realizada a experiência, é 345 m s−1.
Qual é o erro relativo, em percentagem, desse valor?
A. 7,5%
B. 8,2%
C. 26%
D. 92%

1.2 Comparando, em termos das respetivas ordens de grandeza, a velocidade


de propagação da luz no ar com a velocidade de propagação do som no ar,
conclui-se que a velocidade de propagação da luz é
A. 108 vezes superior.
B. 107 vezes superior.
C. 106 vezes superior.
D. 105 vezes superior.

2. Com base em dados experimentais, um grupo de alunos determinou a massa


de uma gota de água. O valor obtido foi 48,40 mg.
2.1 Indique a ordem de grandeza, em grama, do valor obtido para a massa de
uma gota de água.

2.2 A massa de uma gota de água, expressa em unidades SI, que os alunos
obtiveram foi de:
A. 48,4  103 g
B. 4,840  107 kg
C. 4,84  106 kg
D. 4,840  104 g

2.3 Determine o número de moléculas de água contidas numa gota de água.


Apresente todas as etapas de resolução.

3. Para determinar experimentalmente o volume de uma gota de água, dois


grupos de alunos usaram um conta-gotas e uma proveta de 10 mL.
Os alunos começaram por contar quantas gotas seriam necessárias para obter
2,0 mL de água, tendo repetido o procedimento três vezes.
Os resultados obtidos por cada um dos grupos encontram-se na Tabela I.

Tabela I

Grupo 1 Grupo 2
Ensaio 1 42 41
Ensaio 2 41 47
Ensaio 3 43 38

3.1 Calcule o número de gotas que cada grupo de alunos contabilizou em


2,0 mL, acompanhado da respetiva incerteza.

3.2 Indique, justificando, qual dos grupos tem um conjunto de valores mais
preciso.

3.3 Com base nos resultados obtidos, calcule o volume de uma gota de água.
Apresente o resultado com três algarismos significativos.

3.4 Em seguida, os alunos do grupo 1 repetiram a contagem de gotas de água


mas agora para um volume de 3,0 mL. O valor médio obtido foi de 63 gotas.
O número de gotas obtido para 2,0 mL de água é coerente com o obtido para
3,0 mL? Justifique.

3.5 Os alunos do Grupo 2 também decidiram repetir a contagem de gotas de


água para um volume diferente, de modo a que o número total de gotas que
contassem fosse superior a cem.
O volume desta segunda contagem feita pelos alunos foi de
A. 2,5 mL
B. 3,0 mL
C. 4,0 mL
D. 5,0 mL

3.6 Tendo por base os resultados obtidos pelos alunos, pode concluir-se que a
ordem de grandeza do volume de uma gota de água é de
A. 102 cm3
B. 10−1 cm3
C. 10−2 cm3
D. 10−3 cm3
Teste prático-experimental n.º 3

1. (Adaptado de Teste intermédio 2010, abril) Verifica-se que os sais de potássio conferem
uma cor violeta à chama de um bico de Bunsen, pelo que o teste de chama pode ser
utilizado para averiguar a presença desse elemento, em amostras sólidas.
Selecione a única opção que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os
espaços seguintes, de modo a obter uma afirmação correta.

A cor observada deve-se à ________ de radiação, quando eletrões do ião potássio


transitam de níveis energéticos _______ para níveis energéticos _______.

A. emissão; inferiores; superiores


B. emissão; superiores; inferiores
C. absorção; inferiores; superiores
D. absorção; superiores; inferiores

2. (Adaptado de Exame Nacional 2011, 1.ª Fase) O ião Cu2+ confere à chama uma cor verde
azulada, que resulta da sobreposição das radiações

A. emitidas pelos iões Cu2+ em processos de excitação.


B. emitidas pelos iões Cu2+ em processos de desexcitação.
C. absorvidas pelos iões Cu2+ em processos de excitação.
D. absorvidas pelos iões Cu2+ em processos de desexcitação.

3. O ensaio, ou teste, da chama é apenas uma das técnicas de análise elementar por
via seca pelo facto de a amostra a analisar se encontrar no estado sólido.
Os ensaios da chama podem ser utilizados na identificação de elementos metálicos
constituintes de sais pois a cor da chama é característica do elemento e permite uma
primeira identificação. No entanto, essa identificação só fica completa com a análise do
espetro dessa chama, com um espetroscópio.

3.1 Explique, atendendo à estrutura eletrónica dos átomos, porque é que os átomos ou
iões emitem luz quando são aquecidos à chama.

3.2 Indique uma vantagem desta técnica.

3.3 O controlo de variáveis exige que todos os sais tenham o mesmo anião na sua
composição. Explique porquê.
4. Selecione os termos que completam corretamente a frase.
Os espetros obtidos a partir de ensaios de chama são espetros _________.

A. de emissão de riscas
B. de emissão de bandas
C. de absorção contínuos
D. de absorção de riscas

5. Na Fig. 1, apresentam-se as chamas obtidas em ensaios realizados com diferentes


catiões metálicos.

Fig. 1

5.1 Atendendo à cor apresentada pelas chamas nos ensaios representados na Fig. 1,
identifique os iões metálicos que estão a ser queimados.

5.2 Se realizarmos ensaios de chama de sais do mesmo metal, estes darão cor
idêntica à chama? E se os ensaios forem realizados com sais da mesma cor, mas de
metais diferentes? Justifique.

5.3 Apresente uma desvantagem da utilização de ensaios de chama para identificação


de elementos.
Teste prático-experimental n.º 4
1. (Adaptado de Exame Nacional 2008, 1.ª Fase) A determinação experimental de
algumas propriedades físicas permite identificar substâncias e avaliar o seu grau de
pureza.
Com o objetivo de identificar a substância constituinte de um cubo maciço e
homogéneo, um grupo de alunos fez:
• três medições da massa, m, do cubo, usando uma balança digital;
• três medições do comprimento, l, da aresta do cubo, usando uma craveira.
Os alunos registaram numa tabela (Tabela 1) os valores de massa medidos com a
balança.
Tabela 1 Tabela 2
−3
Massa/g Substância Densidade a 20 °C /g cm
1.ª medição 21,43 Magnésio 1,74
2.ª medição 21,39 Alumínio 2,70
3.ª medição 21,41 Ferro 7,87
Cobre 8,93
Chumbo 11,34
Platina 21,45

A partir das três medições do comprimento da aresta do cubo, os alunos


concluíram que o valor mais provável desse comprimento é l = 1,40 cm.
1.1 Selecione a alternativa que corresponde ao valor mais provável da massa do
cubo.
A. 21,39 g
B. 21,40 g
C. 21,41 g
D. 21,42 g

1.2 Identifique, com base nos resultados experimentais obtidos pelos alunos, qual
das substâncias indicadas na Tabela 2, é provável que seja a que constitui o cubo.
Apresente todas as etapas de resolução.

1.3 Tendo em conta a experiência realizada pelos alunos, selecione a alternativa


que contém os termos que devem substituir as letras a e b, respetivamente, de
modo a tornar verdadeira a afirmação seguinte.

Os alunos fizeram uma determinação __(_a_) _ da massa do cubo e uma


determinação __(_b_) _ do seu volume.

A. direta; direta
B. direta; indireta
C. indireta; direta
D. indireta; indireta
2. (Adaptado de Exame Nacional 2013, Época Especial) Pretende-se medir a densidade
(ou massa volúmica) de um vinho, utilizando um densímetro.
Em qual dos esquemas seguintes se encontra corretamente representada a
posição do densímetro quando se pretende efetuar aquela medição?

3. (Adaptado de Teste Intermédio 2010) Considere que o trabalho de laboratório que lhe
foi proposto consistia na determinação da densidade relativa de um sólido,
utilizando o método do picnómetro.

3.1 Selecione a única opção que apresenta a imagem de um picnómetro de


sólidos.

(As imagens não estão representadas à mesma escala)

3.2 Selecione a única opção que contém os termos que preenchem,


sequencialmente, os espaços seguintes, de modo a obter uma afirmação correta.

No trabalho laboratorial realizado, a densidade relativa foi determinada


___________ e as massas foram determinadas __________.

A. indiretamente; diretamente
B. diretamente; indiretamente
C. indiretamente; indiretamente
D. diretamente; diretamente
Teste prático-experimental n.º 5
1. Se juntarmos no mesmo recipiente duas ou mais substâncias, a
mistura obtida pode ou não ser homogénea.
Selecione a opção que completa corretamente a frase.
Dois líquidos dizem-se miscíveis se
A. formam uma mistura heterogénea, quaisquer que sejam as
proporções em que são misturados.
B. podem ser dissolvidos em água formando uma solução aquosa.
C. podem ser dissolvidos em algum solvente.
D. formam uma solução, quaisquer que sejam as proporções em que
são misturados.

2. Para estudar a miscibilidade de alguns líquidos, um grupo de alunos


misturou em três Erlenmeyers, numerados como 1, 2 e 3, as seguintes
substâncias:

 Balão de Erlenmeyer 1: tetracloreto de carbono e heptano


 Balão de Erlenmeyer 2: cloreto de hidrogénio gasoso e água
 Balão de Erlenmeyer 3: benzeno e água

Das afirmações que se seguem selecione a correta.


A. Só o Erlenmeyer 1 apresenta uma mistura homogénea.
B. Os Erlenmeyers 2 e 3 apresentam duas fases, sendo por isso
misturas heterogéneas.
C. Apenas os Erlenmeyers 1 e 2 apresentam mistura homogéneas.
D. Só o Erlenmeyer 3 apresenta uma mistura homogénea.

3. A água é, por vezes, designada de solvente universal. No entanto,


esta afirmação não é verdadeira pois existem substâncias que não são
solúveis em água.
Por exemplo, alguns líquidos que não são miscíveis em água podem
sê-lo em solventes orgânicos.
3.1 Indique qual o tipo de ligações intermoleculares que existem
entre as moléculas de água e caracterize-as.

3.2 Selecione a única opção que contém os termos que preenchem,


sequencialmente, os espaços seguintes, de modo a obter uma
afirmação correta.
O tetracloreto de carbono é um solvente orgânico _____________
pelo que não é solúvel em água, mas pode ser solúvel em __________

A. polar; benzeno
B. apolar; álcool etílico
C. polar; álcool etílico
D. apolar; benzeno
3. (Adaptado do Exame Nacional 2013, 2.ª Fase) Na Fig. 1, está representada
a curva que traduz a solubilidade do KNO3 em água, expressa em
massa de sal, em gramas (g), por 100 g de água, em função da
temperatura.

Fig. 1

3.1 Que massa, em gramas (g), de KNO3 é possível dissolver em 50


g de água à temperatura de 40 °C?

3.2 Verifique, com base nos dados da Fig. 1, qual é a quantidade


máxima de KNO3 que é possível dissolver em 400 cm3 de água à
temperatura de 10 °C.
Considere que (água) = 1,0  103 kg/m3
Apresente todas as etapas de resolução.

3.3 Considere que, ao fazer o estudo experimental da solubilidade do


KNO3 em água em função da temperatura, um grupo de alunos obteve
o valor de 55 g de KNO3 por 100 g de água à temperatura de 30 °C.
Determine o erro relativo, em percentagem, deste valor experimental.
Apresente todas as etapas de resolução.

3.4 Com base nos dados representados na Fig. 1, podemos concluir


que a solubilidade em água do nitrato de potássio
A. é diretamente proporcional á temperatura.
B. é independente da temperatura.
C. a 60 °C é quase o dobro da solubilidade em água a 40 °C.
D. a 100 °C é superior a 120 g por cada 100 g de água.
Teste prático-experimental n.º 6
1. (Exame Nacional 2008, 2.ª Fase) A preparação de soluções aquosas de
uma dada concentração é uma atividade muito comum, quando se
trabalha num laboratório químico.
No decurso de um trabalho laboratorial, um grupo de alunos preparou,
com rigor, 250,00 cm3 de uma solução aquosa, por pesagem de uma
substância sólida.

1.1 Na Fig. 1 1 está representado um balão volumétrico calibrado


de 250 mL, semelhante ao utilizado pelos alunos na preparação da
solução.
No balão estão indicadas a sua capacidade, a incerteza associada
à sua calibração e a temperatura à qual esta foi efetuada.
No colo do balão está marcado um traço de referência em todo o
perímetro.
1.1.1 Tendo em conta as indicações registadas no balão
volumétrico, indique o intervalo de valores no qual estará contido o Fig. 1
volume de líquido a ser medido com este balão, à temperatura de 20
°C.
1.1.2 Os alunos deverão ter alguns cuidados ao efetuarem a leitura
do nível de líquido no colo do balão, de modo a medirem corretamente
o volume de solução aquosa preparada.
Selecione a alternativa que corresponde à condição correta de
medição.

1.2 O grupo de alunos teve que preparar, com rigor, 250,00 cm3 de
solução de tiossulfato de sódio penta-hidratado, Na2S2O3 • 5H2O (aq)
(M = 248,22 g mol–1), de concentração 3,00  10–2 mol dm–3, por
pesagem do soluto sólido.
Calcule a massa de tiossulfato de sódio penta-hidratado que foi
necessário pesar, de modo a preparar a solução pretendida.
Apresente todas as etapas de resolução.
2. (Adaptado de Teste Intermédio 2011) No laboratório, um aluno preparou,
com rigor, uma solução aquosa de cloreto de sódio, a partir do reagente
sólido.
2.1 Para preparar a solução, o aluno mediu a massa necessária de
cloreto de sódio, utilizando uma balança digital que apresentava uma
incerteza de leitura de 0,01 g.
Dos seguintes valores de massa, qual deve o aluno ter registado?

A. 8,341 g
B. 8,34 g
C. 8,3 g
D. 8 g

2.2 O volume de solução preparada foi 250,0 cm3.


Apresente o valor acima referido expresso em dm3, mantendo o
número de algarismos significativos.

2.3 Descreva o procedimento experimental seguido na preparação


da solução de cloreto de sódio, referindo, sequencialmente, as
principais etapas envolvidas nesse procedimento.

3. (Exame Nacional 2014, Época Especial) Numa atividade laboratorial, um


grupo de alunos preparou, com rigor, 100,00 cm3 de uma solução
aquosa de sulfato de cobre (II), CuSO4, de concentração 0,400 moldm-3,
por dissolução de sulfato de cobre (II) penta-hidratado, CuSO4•5H2O,
sólido.

3.1 Calcule a massa de sulfato de cobre penta-hidratado que foi


necessário medir, para preparar essa solução. Apresente todas as
etapas de resolução.

3.2 De modo a pesar o sulfato de cobre penta-hidratado necessário


para preparar a solução, os alunos colocaram um gobelé sobre o prato
de uma balança.
Identifique a peça de material de laboratório que deve ser utilizada
para transferir o sulfato de cobre penta-hidratado sólido para o gobelé.

3.3 Ao prepararem a solução, os alunos deixaram o menisco do


líquido ultrapassar o traço de referência do balão volumétrico.
Qual é a atitude correta a tomar numa situação como essa?
A. Ignorar o facto, uma vez que o colo do balão é estreito.
B. Adicionar um pouco mais de soluto à solução preparada.
C. Acertar o menisco pelo traço de referência, retirando líquido.
D. Preparar uma nova solução, a partir do soluto sólido.
Teste prático-experimental n.º 7

1. (Exame Nacional 2008, 2.ª Fase) Considere que um grupo de alunos


preparou, com rigor, 50,00 cm3 de uma solução de concentração 6,00 
10–3 mol dm–3, por diluição de uma solução 3,00  10–2 mol dm–3 de
tiossulfato de sódio penta-hidratado.

1.1 Determine o volume, expresso em cm3, da solução mais


concentrada, que os alunos tiveram que medir, de modo a prepararem a
solução pretendida.

1.2 Para medirem o volume da solução mais concentrada, os alunos


utilizaram material de laboratório adequado.
Selecione a alternativa que refere o tipo de instrumento de medição
de volumes de líquidos que deverá ter sido utilizado naquela medição.

A. Balão de Erlenmeyer
B. Proveta
C. Pipeta
D. Gobelé

2. (Adaptado de Exame Nacional 2014, Época Especial) Um grupo de alunos


preparou, com rigor, a partir de uma solução aquosa de sulfato de cobre
(II), CuSO4, de concentração 0,400 mol dm−3, uma solução 2,5 vezes
mais diluída.
Os alunos dispunham apenas do seguinte material:
 Balão volumétrico de 50 mL (± 0,06 mL)
 Pompete
 Pipeta graduada de 10 mL (± 0,05 mL)
 Pipeta volumétrica de 10 mL (± 0,02 mL)
 Pipeta graduada de 20 mL (± 0,10 mL)
 Pipeta volumétrica de 20 mL (± 0,03 mL)
 Pipeta graduada de 25 mL (± 0,10 mL)
 Pipeta volumétrica de 25 mL (± 0,03 mL)

2.1 Determine o volume da solução mais concentrada que os alunos


tiveram de medir, de modo a prepararem a solução pretendida.
Apresente todas as etapas de resolução.

2.2 Selecione, de entre as pipetas referidas, a que permite a medição


mais rigorosa do volume da solução mais concentrada.
3. (Adaptado de Teste Intermédio 2010) Considere que lhe foi pedido que
preparasse, com rigor, 500,0 mL de uma solução aquosa de etanol mais
diluída, a partir da solução aquosa de etanol que encontrou na sua
bancada de laboratório.
Descreva o procedimento seguido na preparação da solução diluída
de etanol, considerando, por ordem cronológica, as três principais
etapas que devem ser realizadas nesse procedimento.

4. (Exame Nacional 2014, 2.ª Fase) Foram preparadas soluções aquosas de


ácido acético a partir de uma solução inicial de concentração 4,50 mol
dm−3.

4.1 Qual é o fator de diluição a considerar na preparação da solução


de ácido acético de concentração 0,50 mol dm−3?

A. 9
B. 5
C. 4
D. 2

4.2 Se o fator de diluição usado for 20, qual é a concentração da


solução diluída assim obtida?

A. 2,25 mol dm−3


B. 0,090 mol dm−3
C. 2,25  10−1 mol dm−3
D. 9,0  10−1 mol dm−3

5. As pipetas são de vidro e podem ser graduadas ou volumétricas.


São instrumentos de medição de volume de líquidos que permitem
medidas rigorosas.

5.1 Identifique o material de vidro apresentado na Fig. 1.

5.2 Selecione a opção correta:

A. As pipetas graduadas têm uma escala normalmente graduada


em mL.
B. As pipetas volumétricas têm uma escala normalmente graduada
em mL.
C. As pipetas graduadas têm como única referência um traço na
parte superior, indicador do nível a que deve ficar o líquido.
D. A utilização de pompetes só é necessária quando se utilizam
pipetas volumétricas.
Fig. 1
Teste prático-experimental n.º 8
1. Após a junção de uma solução aquosa de nitrato de prata a uma
solução aquosa de cloreto de potássio, um grupo de alunos, que
realizou a experiência, verificou a formação imediata de um precipitado
de cor branca.

1.1 Identifique o nome da substância que precipita.

1.2 Este precipitado forma-se porque


A. é muito solúvel em água.
B. é praticamente insolúvel em água.
C. resulta de dois sais pouco solúveis em água.
D. solidifica à temperatura ambiente.

1.3 Escreva a equação química que traduz a reação descrita.

1.4 Selecione a técnica mais adequada para remover o precipitado


formado.
A. decantação
B. filtração por gravidade
C. destilação
D. filtração a pressão reduzida

1.5 Os alunos fotografaram o precipitado obtido na reação descrita e


compararam as fotografias obtidas imediatamente após a realização da
experiência (I), e passados cerca de trinta minutos (II).

I II

a. Explique por que razão o precipitado escurece ao fim de algum


tempo.
b. Escreva a equação química que traduz a reação de escurecimento
do precipitado.
c. Justifique que os resultados obtidos são consequência de uma
reação fotoquímica.
2. A filtração a pressão reduzida é um processo de separação de
misturas que é utilizado quando se pretende efetuar uma filtração mais
rápida.
2.1 Da lista de material de laboratório que se segue, selecione três
elementos essenciais para a realização de uma filtração a pressão
reduzida:

A. Balão de kitasato F. Balão volumétrico


B. Funil de vidro G. Erlenmeyer
C. Pinça metálica H. Funil de Büchner
D. Trompa de água I. Proveta
E. Peneira J. Cadinho de porcelana

2.2 Selecione a única opção que contém os termos que preenchem,


sequencialmente, os espaços seguintes, de modo a obter uma
afirmação correta.

A filtração a pressão reduzida é adequada para separar misturas


__________ principalmente quando as partículas sólidas __________.

A. sólido-sólido; apresentam dimensão apreciável.


B. sólido-líquido; apresentam dimensão apreciável.
C. sólido-sólido; apresentam dimensão muito reduzida.
D. sólido-líquido; apresentam dimensão muito reduzida.

3. O smog fotoquímico é uma forma de poluição atmosférica, sobretudo


em áreas urbanas, resultado da presença de ozono na troposfera e
outros compostos originados por reações fotoquímicas.

3.1 Explique o que são reações fotoquímicas.

3.2 A reação fotoquímica que inicia a produção de smog envolve a


decomposição de moléculas de monóxido de nitrogénio, NO.
Esta reação é uma fotodissociação ou uma fotoionização? Justifique.

3.3 Sabendo que a energia necessária para quebrar uma ligação


NO é de 1,04  10−18 J, determine:

a. a energia necessária para decompôr uma mole de moléculas de


monóxido de ntirogénio.

b. se uma radiação visível, cujo comprimento de onda pode estar


entre 400 nm e 700 nm, é suficiente pra provocar esta reação.