Sei sulla pagina 1di 3

FICHAS DE INFORMAÇÃO TÉCNICA

BIOENXOFRE PÓ e BIOENXOFRE FLUIDO

Dados Físico-Químicos: Bioenxofre pó

Fórmula quadro:

Sulfur 80 – 85 %
Ágar 5 – 10 %
Acácia senegal gum 5 – 10 %

Descrição: Pó amorfo amarelo-esverdeado. Insolúvel (dispersível)


em água, parcialmente solúvel em dissulfureto de carbono.

Bioenxofre fluido

Fórmula quadro:

Sulfur 1,5 – 2 %
PEG-30 Castor oil 99 – 98 %

Descrição: Líquido viscoso, pardo muito escuro, de odor


característico. Solúvel em água e em etanol. Densidade: 1,045 –
1,065 g/ml. Índice de refracção: 1,4750 – 1,4790.

Propriedades e usos: O Bioenxofre pó é um produto com enxofre micronizado em álcoois


gordos sulfonados, o que facilita uma pequena dispersão em
champôs, juntamente com uma boa absorção folicular.
O Bioenxofre fluido é um produto baseado em enxofre e num
derivado hidrofílico de ácidos gordos, que o torna miscível em água,
álcool e tensioactivos.
Os produtos com bioenxofre cedem o enxofre à pele mais
facilmente do que os outros tipos de enxofre, dada a sua maior
compatibilidade cutânea, e apresentando, portanto, uma maior
eficácia, dado que penetra bem na epiderme e no couro cabeludo.
Actua normalizando a secreção excessiva das glândulas sebáceas,
sendo utilizado topicamente para combater os problemas derivados
da pele gordurosa, como o acne e os pontos negros, assim como os
estados seborreicos do couro cabeludo, dermatite seborreica e
caspa.
Também é utilizado pela mesma via devido à sua acção anti-
séptica, parasiticida e queratolítica suave.
O Bioenxofre pó é ainda mais activo do que o Bioenxofre fluido.
Ambos são utilizados em forma de loções hidro-alcoólicas,
emulsões líquidas, champôs, máscaras, cremes, pomadas e banhos
capilares.

Dosagem: Bioenxofre pó: a 0,5 – 5 %.


Bioenxofre fluido: a 0,5 – 10 %.
FICHAS DE INFORMAÇÃO TÉCNICA

Efeitos secundários: A aplicação prolongada ou a utilização de preparações com altas


concentrações podem dar lugar a secura cutânea.
Além disso, é comum a seborreia de ressalto pela utilização
frequente destes champôs, recomendando-se a sua aplicação
apenas 2 vezes por semana, ou a alternância com champôs
neutros.

Incompatibilidades: Agentes oxidantes.

Observações: São oxidáveis, dando reacção ácida, e são fotossensíveis.

Conservação: Em embalagens bem fechadas. PROTEGER DA LUZ.

Exemplos de formulação: Loções para o acne

Bioenxofre fluido.............................................. 1,5 %


Cânfora............................................................ 0,5 %
Ácido retinóico.............................................. 0,025 %
Antioxidantes q.s.
Loção de calamina............................................ 100 g

Modus operandi:

Pré-dissolver o ácido retinóico, os antioxidantes e a cânfora num


pouco de álcool etílico. Adicionar o bioenxofre fluido. Finalmente
adicionar a mistura anterior sobre a loção de calamina com
agitação.

Bioenxofre pó................................................... 1,5 %


Sulfacetamida de sódio ……………………….…………. 10 %
Tiossulfato de sódio ………………………………………. 0,2 %
Hidrocortisona base …………………………………. 0,5 %
Glicerina ………………………………………………… 3 %
Loção de calamina q.s.p.................................. 100 g

Modus operandi:

Dissolver a sódio sulfacetamida e o tiossulfato na água purificada da


loção. Humedecer a hidrocortisona base em almofariz com a
glicerina. Incorporar a loção em almofariz pouco a pouco e
homogeneizando com o pilão. Finalmente, adicionar o bioenxofre pó
com agitação.

Champô anti-seborreico

Bioenxofre fluido.................................................. 5 %
Óleo de cade....................................................... 3 %
Detergente sulfonado aniónico q.s.p............... 250 g

Modus operandi:

Misturar num recipiente o bioenxofre fluido e o óleo de cade, e


adicionar 12 g de dietanolamida de ácidos gordos de coco. Colocar
FICHAS DE INFORMAÇÃO TÉCNICA

noutro recipiente o detergente sulfonado aniónico. Colocar os dois


recipientes em banho-maria a 50 – 60 °C. Uma vez quentes,
adicionar a mistura de bioenxofre sobre o detergente sulfonado,
agitando suavemente com uma vareta, deixando durante mais
alguns minutos no banho. Retirar e deixar arrefecer, agitando
suavemente. Ajustar o pH a 5 – 6 com ácido cítrico (não com
láctico).

Bibliografia: - Formulación magistral de medicamentos, COF da Biscaia, 5ª ed.


(2004).
- Monografías Farmacéuticas, C.O.F. de Alicante (1998).
- Formulario básico de medicamentos magistrales, Mª. José Llopis
Clavijo e Vicent Baixauli Comes (2007).
- Formulario Magistral del C.O.F. de Múrcia (1997).