Sei sulla pagina 1di 30

Empreendedorismo e

Educação Financeira
Para crianças
Apresentação
Considerada Embaixadora da Educação Financeira
do Brasil, Vickye realiza trabalhos artísticos e
educacionais com foco no empreendedorismo,
planejamento financeiro e sustentabilidade. Durante
suas palestras, shows e peças teatrais ela transmite
sua metodologia de maneira lúdica e atrativa para
crianças, jovens e adultos. Nas apresentações, a
artista e educadora mostra para o público a
importância de planejar o futuro para alcançar os
sonhos.

Para disseminar essa cultura do planejamento, a


equipe Vickye preparou esse e-book com dicas e
instruções para que papais, mamães e responsáveis
possam repassar às crianças orientações de
empreendedorismo, educação financeira e
sustentabilidade para que no futuro eles se tornem
jovens e adultos responsáveis e comprometidos com
a natureza e a sociedade.

02
Empreendedorismo

De olho no futuro
A infância é o momento ideal para repassar aos filhos
ensinamentos que vão permear por toda vida. É
exatamente nessa fase, entre 0 e 11 anos, que as
crianças desenvolvem grande parte das habilidades,
formam a personalidade e absorvem os princípios
ensinados pelos responsáveis. Os pais instruem os
filhos a respeito de muitos conceitos como
alimentação saudável, atitudes certas e erradas, como
tratar as pessoas e a natureza.

Mas, há outros aprendizados importantes para serem


desenvolvidos junto às crianças e que vão influenciar
nos adultos em que elas se transformarão. São os
princípios básicos de responsabilidade, autoconfiança,
dedicação, cuidado e paciência; conceitos que vão
levar a atitudes positivas e que vão influenciá-las
principalmente no futuro, transformando-as em
jovens e adultos empreendedores e protagonistas de
suas vidas.
03
Exemplo começa em casa

Despertar esse espírito empreendedor nos filhos


começa com a estimulação da tomada decisão,
superação aos desafios e a busca pelos objetivos,
e principalmente, com a delegação de
responsabilidades. A criança deve aprender que
faz parte de uma sociedade e que deve contribuir
e promover mudanças positivas no ambiente em
que está inserida. Tudo isso inicia-se em casa,
com o exemplo dos adultos e exigência dos pais,
com o cumprimento de regras e pequenas
tarefas, como arrumar a cama ao levantar,
limpar o que sujou, manter o quarto organizado,
etc. Empreender, antes de tudo, está relacionado
à disciplina, responsabilidade, à boa gestão de
recursos e das relações interpessoais.

04
Papel da família
Outros atributos importantes a serem despertados são
a criatividade, iniciativa e independência. Algumas
crianças já nascem com essas características que
podemos chamar de potencialidades empreendedoras.
Mas, é papel da família reforçar e estimular esses
talentos, para que elas possam se desenvolver. Nessa
hora, o elogio e as palavras positivas são os maiores
incentivadores.

É necessário que as crianças aprendam a assimilar


uma visão empreendedora para que elas possam
descobrir suas potencialidades pessoais, realizarem
seus sonhos e alcaçarem seus ideais.

05
Educar é preparar para os desafios da vida, e no caso
do empreendedorismo, essa preparação pode ser
feita de maneira lúdica e criativa. O primeiro passo é
identificar o talento de seu filho, se ele gosta da área
artística, reúna a família, deixe-o fazer uma
apresentação de canto, dança, teatro ou poesia. Se a
criança gosta de esportes, estimule-a a praticar na
escola ou em uma quadra ou praça da cidade, além
de treinar, ela vai socializar com outras crianças e
despertar o espírito saudável da competição e
superação. Você também pode estimular algumas
características por meio de atividades simples, como
a troca dos adesivos de álbum de figurinhas, isso vai
despertar a tomada de decisão.

06
Para estimular as crianças
Valorização: Elogiar e estimular os talentos das crianças,
mostrando a elas que suas habilidades são importantes e
reconhecidas.
Cuidado: Devemos ter cuidado pela posse e a propriedade dos
bens. Isto, inclui o respeito que devemos ter pela propriedade
alheia e a propriedade pública e está relacionado com
ensinamentos de ética, honestidade e respeito ao próximo.

Paciência: Tudo na vida exige planejamento e espera. A ansiedade


nos prejudica na tomada de decisão e no relacionamento com as
pessoas.

Superação: Devemos superar os desafios e transpor obstáculos


que aparecerem no caminho. Conquistar metas não é fácil, exige
jogo de cintura.
Dedicação: Todo projeto exige dedicação e esforço para se
realizar, portanto devemos ter disciplina e foco.

Tomada de Decisão: Decidir entre uma atitude e outra não é fácil


e todas as decisões trazem consequências. É preciso decidir com
responsabilidade.

07
Educação Financeira
Poupar para conquistar
Assim como as noções de empreendedorismo, a
educação financeira também deve ser inserida na
infância para que a criança cresça e desenvolva uma
relação saudável e responsável com o dinheiro e o
valor que as coisas possuem. Diante de tanta
publicidade e incentivo ao consumo, não é fácil
repassar aos pequenos a lição de que nem tudo que o
queremos, podemos comprar. Precisamos fazer
escolhas, definir prioridades e saber o valor daquilo
que pretendemos adquirir. Afinal, é importante que os
filhos saibam que para conquistar os recursos
financeiros, é necessário esforço e trabalho dos pais.

Essa orientação deve iniciar a partir de três anos,


quando as crianças já começam a pedir bens materiais
como brinquedos, roupas, etc. Nessa hora, os
exemplos vindos dos pais e dos responsáveis valem
mais do que qualquer teoria, portanto, o primeiro
passo para introduzir a educação financeira aos filhos
é avaliar o ambiente que a criança está inserida e a
maneira com que a família trata as questões
econômicas e como faz uso do dinheiro.

08
Combinado não sai caro
O adulto teve ter a consciência que ele só vai
conseguir transmitir ao filho a importância da
responsabilidade financeira se ele for uma pessoa
com bons hábitos, postura adequada e atitudes
responsáveis diante de situações que envolvem
dinheiro. A criança não nasce consumista, são os
exemplos da família e da sociedade que incentivam o
consumo desnecessário. Por exemplo, os pais que
levam as crianças constantemente para passear no
shopping, devem explicar antes de sair de casa, que
aquilo é um passeio e não um dia de compras. Assim,
não haverá birras e tentações diante às vitrines. Mas
lembre-se, quando esse for o combinado, papai e
mamãe também não devem cair em tentação e
terminar o passeio repletos de sacolas.

09
Outra dica, é trocar os shoppings por uma
programação ao ar livre, gratuita, como por
exemplo, parques e praças. Mostre aos filhos o
quanto isso pode ser divertido, além disso, eles
terão a oportunidade de conhecer lugares novos e
socializar com dezenas de outras crianças. É
importante eles perceberem que nem tudo que é
prazeroso está relacionado ao dinheiro. Outro
ponto importante é a aplicação de limites. Dizer
não aos filhos é necessário e ensina muito. Por mais
difícil que seja contrariar nossas crianças, temos o
dever de mostrar que elas não são o centro do
mundo e existem regras a serem seguidas. Além
disso, temos que aprender a relacionar com nossas
frustrações e desejos.

10
Aprender com o próprio dinheiro

Geralmente, a mesada ou os famosos


cofrinhos de moedas são o primeiro
contato que as crianças têm com o
próprio dinheiro. Aprender a poupar é
uma questão de hábito e educação. Por
isso, cabe ao adulto mostrar a
importância de poupar, de ser
responsável financeiramente e não
gastar mais do que se tem. Quanto mais
cedo começar, melhor para o futuro. Pais
e mães devem incentivar as crianças a
guardarem parte da quantia que
recebem por mês, ou que ganham de
presente de algum familiar, para realizar
um desejo no futuro, como comprar um
brinquedo, ou aquele tênis da moda ou
até fazer um passeio.

Essas lições são importantes, porém os


exemplos dos pais são essenciais. Não
adianta ensinar as crianças a pouparem,
se em casa ela percebe que a relação dos
adultos com o dinheiro não é
responsável, e que o pai vive se
queixando dos gastos da mãe e vice-
versa. Portanto, toda a família deve estar
engajada nos conceitos. Lembre-se: A
educação financeira é a principal
ferramenta para realização de sonhos!

11
Para estimular as crianças

Valor: Mostre a ela que tudo que conquistamos possui um


valor e para adquirir é preciso trabalho e esforço.

Exemplo: A criança é o espelho das atitudes dos pais e


responsáveis, portanto cuidado com seus hábitos e ações.

Prazer, lazer e diversão: Estimule passeios em locais


públicos como praças e parques, para que a criança não
relacione momentos bons apenas com dinheiro.

Relação com o dinheiro: Incentive a criança a se


relacionar com seu próprio dinheiro, seja por meio da
mesada ou da adoção do cofrinho. Mostre que se ela
poupar uma parte do dinheiro, ela conseguirá alcançar
seus sonhos.

12
Para os pais refletirem
• Converso com meus filhos sobre o dinheiro e as
limitações da família?

• Que exemplos de comportamento (compras,


orçamento familiar, etc) eu passo aos meus
filhos?

• Eu imponho limite aos meus filhos?

• Eu substituo a minha ausência com presentes de


forma excessiva?
13
Sonhos e metas
Incentivar a sonhar
Lúcio Aneu Sêneca, um dos mais célebres
pensadores do império romano, já dizia que:
“Quando se navega sem destino, nenhum
vento é favorável.” A relação da vida com os
sonhos é exatamente como a do vento com o
destino. Se não sonhamos ou não definimos
metas, a vida fica sem motivação, sem rumo.
Todas as pessoas devem identificar seus
desejos e se esforçarem para alcançá-los.
Com as crianças não é diferente. Elas
precisam ter objetivos para desenvolver
habilidades como determinação, foco e
disciplina, além disso, é através da busca
para realização dos nossos propósitos que
nos tornamos mais comprometidos e
autoconfiantes.

14
Outro fator importante que permeia a questão dos
sonhos é a capacidade de superar as adversidades e
de não desistir diante do primeiro desafio.
Incentivar a criança a traçar suas metas e batalhar
para realizá-las é papel dos adultos que a cercam,
portanto, os pais devem conhecer aquilo que os
filhos desejam para o futuro, e por mais que pareça
impossível ou difícil alcançar, nunca os desmotive.
Pelo contrário, explique que para realizar qualquer
sonho é necessário esforço e determinação e que
cada meta leva um tempo para acontecer.

15
Definir metas
O papel dos pais é dar conselhos aos filhos e
orientá-los para que consigam definir seus
sonhos pessoais e a traçarem os caminhos para
realizá-los. Incentive a criança a escrever em
um papel as suas metas e o tempo que pretende
executá-las. Uma boa alternativa é definir um
sonho de curto prazo, para realizar em até seis
meses; um de médio prazo, para até um ano; e
um de longo prazo, até dois anos.

Explique que a realização dos sonhos também


precisa de investimento constante, ou seja, é
necessário poupar para conseguir. Então, ajude
seu filho a definir uma quantia em dinheiro
para economizar por mês. Por exemplo, se o
sonho dele em curto prazo é um tênis da moda
que custa R$180,00, e ele tiver oportunidade de
poupar no mínimo R$30,00 por mês, ele
conquistará em até seis meses o seu sonho. O
recurso pode vir da mesada, de algum dinheiro
que ganhou de presente ou até realizar
pequenas tarefas em casa em troca de “bônus”.

16
Para incentivar, ajude a criança a fazer uma
tabelinha e cole em um lugar visível. Assim,
todos os dias ela vai ter a oportunidade de
lembrar das suas metas, e de poupar seu
dinheirinho para conquistar seu objetivo. Veja
o exemplo:

Mapa dos sonhos


Sonho Prazo de Valor
realização

Tênis da moda Até seis meses R$ 180,00

Celular Até um ano R$ 500,00

Videogame Até dois anos R$ 1.500,00

17
Sonhos em Família
Dizem que sonho que se sonha junto
torna-se realidade. Essa é a filosofia por
trás dos sonhos coletivos, que são
aqueles que envolvem duas ou mais
pessoas, como é o caso da família. Nesse
contexto todas as pessoas envolvidas
devem contribuir para isso, inclusive a
criança. Ela precisa ser orientada e
estar consciente de que suas ações
influenciam para as metas da casa, ou
seja, ela também tem responsabilidades
no ambiente em que vive, sendo seu
dever colaborar de maneira positiva. O
objetivo comum da família consiste
tanto em coisas simples do dia a dia,
como uma viagem de férias, até os
sonhos mais complexos, como a compra
de um imóvel.

18
Sustentabilidade e Cidadania

Respeitando a
natureza
e as pessoas

Ensinar para as crianças os conceitos de


sustentabilidade é fundamental, afinal ela está
relacionada com o futuro do nosso planeta, já que
significa a maneira de organizar a sociedade e as
pessoas de forma que suas necessidades sejam
supridas sem prejuízos ao meio ambiente e às
outras espécies de seres vivos. É importante
mostrar para a garotada que os recursos
disponíveis na natureza, como a água, frutas e
vegetais não são infinitos, assim precisam do
nossa preservação. Além disso, a sustentabilidade
também engloba ações sociais e de cidadania, que
envolvem muitas coisas, entre elas, a geração de
emprego e renda, igualdade entre as pessoas e de
cuidado com a saúde e o próximo.

19
Colocando em prática
Ações de sustentabilidade: fazer a coleta seletiva em
casa, separando em cestos de diferentes cores papel,
plástico, vidros e orgânicos; criar o hábito de gastar
menos água no banho, na hora de escovar os dentes e
lavar as mãos; não deixar luzes acessas sem
necessidade; cultivar uma pequena horta em casa.

Ações de cidadania: Respeitar os mais velhos; doar


roupas e brinquedos que não usa, mas que estão em
bom estado de conservação; respeitar o limite do
outro; praticar uma ação social como visitar uma
creche, orfanato ou uma instituição; ajudar pessoas
com necessidade especiais; não zombar do problema
ou da situação do outro.

20
Jogos
Xadrez: considerado por muitos estudiosos um
esporte intelectual, o xadrez estimula a paciência,
a autoconfiança e a tomada de decisão. Além
disso, ativa a concentração e a capacidade de
planejamento. Indicado para crianças a partir dos
seis anos.

Gamão: o jogo une estratégia e raciocínio,


incentivando as crianças a seguirem regras .
Também promove a interação social e ajuda
trabalhar com a intuição, habilidade importante
para a vida pessoal e profissional

Banco Imobiliário (Estrela): apesar de contar


com o fator sorte, o jogo envolve tomada de
decisões, capacidade de negociação e atenção ao
mercado para investir na hora certa e acumular
dinheiro.

Corrida à caixa forte (Grow): tem como principal


fundamento a educação financeira aproveita-se
basicamente a questão do manuseio de moedas,
que formam o tesouro do Tio Patinhas. Ajuda as
crianças a aprenderem a contar, dividir e fazer
troco.

Jogo da Mesada (Estrela): uma


batalha divertida que une gastos e
empréstimos na administração da
mesada.

21
Livros para as crianças
A cigarra e a formiga (Jean de La Fontaine, Ed.
Girassol): a moral dessa história é que todas as ações
geram consequências. Enquanto a cigarra se divertia,
a formiguinha só trabalhava. Mas, no fim, o esforço da
formiga é compensado pela fartura e a cigarra, que
não se preparou, ficou sem ter o que comer.

O menino do dinheiro (Reinaldo Domingos, Ed.


Gente): a obra conta a história de um garotinho que
mesmo muito pequenino sabe o que quer e aprende a
real importância de guardar suas moedinhas a fim de
realizar os próprios sonhos. O autor apresenta em
uma narração recheada de lições sobre a importância
de poupar e de saber fazer escolhas.

O livro do Planeta Terra (Todd Parr, Ed. Panda


Books): o livro do planeta Terra mostra que pequenos
gestos podem fazer a diferença quando o assunto é
preservação do planeta.

O homem mais rico da cidade (Jonas Ribeiro, Ed.


Mais Ativos): a obra mostra que existem riquezas
muito mais importantes que o dinheiro. Uma reflexão
leve e inspiradora.
A menina, o cofrinho e a vovó (Cora Coralina, Ed.
Global): Nesta história, Cora Coralina conta como
uma avó trabalhadeira recebeu um presente simples e
generoso da neta. Um presente que ajudou a avó a
realizar seu sonho.

22
Livros para os jovens
Os segredos das mentes milionárias (Eker T. Harv,
Ed. Sextante): O livro você ensina a estabelecer sua
remuneração pelos resultados e não pelas horas
trabalhadas, auxilia na administração das finanças e
na busca pela riqueza.

Sociedade da fortuna (Fábio Araújo, Ed. Mais


ativos): Lições e incentivo para quem busca
prosperidade e melhor qualidade de vida.

Tem que pagar? Quanto Custa? (Álvaro Modernell,


Ed. Mais Ativos): aprenda como economizar em itens
relevantes de consumo individual e coletivo: água,
energia elétrica, telefone e TV a cabo são alguns dos
assuntos abordados, tanto pela ótica financeira
quanto da sustentabilidade.

Pai rico, pai pobre (Robert Kiyosaki e Sharon


Lechter, Ed. Campus): Mostra a importância do
planejamento financeiro e da relação inteligente com
o dinheiro.

23
Livros para os pais
Família, afeto e finanças (Angélica Rodrigues e
Rogério Olegário, Ed. Gente): a obra oferece
diversas ferramentas práticas para lidar com as
questões tanto afetivas quanto financeiras no
ambientes familiar.

Pais inteligentes enriquecem seus filhos (Gustavo


Cerbasi, Ed. Sextante): Neste livro, o consultor
mostra como preparar as crianças para poupar,
investir e escolher suas prioridades. Também aponta
as atitudes erradas que os pais tomam sem perceber,
como tentar suprir sua ausência com presentes e
incutir nos filhos uma mentalidade consumista.

Berço de ouro – Criança bem educada cresce rica e


feliz (Carlo Von Sohsten, Ed. Qualitymark): Neste
livro, o foco do assunto é a educação da criança. O que
pais, avós, professores e educadores podem fazer para
garantir um futuro de conquistas e auto-realizações
para seus filho, netos, alunos e educandos.

24
Aplicativos e jogos eletrônicos
Tysdo: o aplicativo disponível para Android, IOS
e Facebook permite aos usuários listarem e
compartilharem seus desejos.

Cidade verde: jogo educativo com base na


plataforma do City Rain. O objetivo é ensinar
conceitos de sustentabilidade para as crianças,
tornando-os prefeitos de uma cidade.

Green Tips: aplicativo pode ser utilizado por de


compartilhamento nas redes sociais e exclusivo
para a plataforma Android. toda a família e
oferece mais de 100 dicas relevantes sobre meio
ambiente. Oferece opção.

Aventura da Economia (Intusforma): Um jogo


onde cinco personagens ficam presos dentro de
um livro mágico, e para conseguir sair do livro e
passar de fase devem resolver desafios de
economia.

O Jogo dos quatro porquinhos (Eu planejo


360º): Dividido em etapas jogo é baseado em
uma dinâmica que ensina a criança o valor do
dinheiro e como ela deverá poupar para
conseguir realizar seus sonhos.

25
Vickye Oficial
www.youtube.com/vickyeoficial

No canal da cantora e educadora mirim você confere


vídeos de dicas sobre educação financeira, economia
e sustentabilidade. Conteúdo diversificado para toda
família.

Você também vai ter acesso a todas as músicas do CD


e muito mais!

26
Cante com a Vickye

27
28
29
Expediente:
Produção gráfica e editorial: Com Você Comunicação

Coordenação: Lusciméia Reis

Redação: Daniela Reis

Colaboração: Ana Pregardier


Daniela Pardi
Thomas Aurbach

Vickye Produções
Tel: (31) 3771-8284

producao@vickye.com.br
www.vickye.com.br
www.facebook.com/vickyeoficial
www.youtube.com/vickyeoficial