Sei sulla pagina 1di 5

LISTA 19 – 2017 – EXERCÍCIOS FINAIS

Prof. Geraldo Krebsbach


FORMULÁRIO:

! ! ! !"# !" !
𝜌= 𝛾 = = 𝜌𝑔 𝑝 = 𝑝 = 𝛾ℎ 𝑅𝑒 = = 𝑄 = = 𝐴 ∙ 𝑣 𝐴! ∙ 𝑣! = 𝐴! ∙ 𝑣!
! ! ! ! ! !
! ! ! !! E
𝑚 = = 𝜌 ∙ 𝑄 = 𝜌 ∙ 𝐴 ∙ 𝑣 𝐻 = 𝐻 = 𝑧 + + 𝐻! = 𝐻! N = 𝑁 = 𝛾𝑄𝐻 𝐻! + 𝐻! = 𝐻! + 𝐻!!,!
! ! ! !! t
!! !!! !! !!! ! !! !
𝑧! + + 𝛼! + 𝐻! = 𝑧! + + 𝛼! + 𝐻!!,! 𝜂! = 𝜂 ! = 𝑁!"## = 𝛾𝑄𝐻! 𝐹 = 𝑚 ∙ Δ𝑣 𝑣! = 𝑣𝑑𝐴
! !! ! !! !! ! !
! ! !
𝛽 = 𝑑𝐴 𝐹! = − 𝑝! 𝐴! 𝑛! + 𝑝! 𝐴! 𝑛! + 𝑚 𝑣! − 𝑣! 𝐹! = − 𝑝! 𝐴! 𝑛! + ! 𝑚𝑣 − ! 𝑚𝑣 m=n–r
! !!
!! ! !! ! !! ! !!!
𝐸𝑢 = = ; 𝐹𝑟 = ℳ= 𝐾! = 𝜙 𝜋! , 𝜋! , … , 𝜋! = 0 Φ = ; Ψ=
!! ! !! ! !! !" ! !! !!! !! !!
! ! !! !" !! !!" !!
𝑅! = 𝐷! = 4𝑅! 𝐻!!,! = ℎ! + ℎ! ℎ! = 𝑓 f = ℎ! = 𝑘! ℎ!"# = 𝑓
! !! !! !" !! !! !!
!!"#$ ! !!" ! ! !!!!
𝐻! = 𝑓 𝐽 = 10,643𝑄!,!" 𝐶 !!,!" 𝐷 !!,!" 𝑄 = 𝑄! + Δ Δ= − !!! 𝐼 = 𝑠𝑒𝑛 𝛼 = 𝑡𝑔 𝛼 𝑅! ∙ 𝐼 = 𝜙 𝑣
!! !! !,!"! !
!
! !
!! !" !! !! !
𝑣 = 𝐶 𝑅! ∙ 𝐼 𝐶= = 𝐴 ∙ 𝑅!! 𝐻! = 𝑧 + ℎ + 𝐻! = ℎ + ℎ! = 𝐻!
! ! !! !! !

𝑄 ! 𝑄! 𝑣
𝑞= ℎ! = 𝑄! = 𝐴 𝑔ℎ! 𝑣! = 𝑔ℎ! 𝐹𝑟 =
𝐵 𝐵!𝑔 𝑔ℎ
!!! !! !!! !! ! !!! !!! !!" !
𝐼! = 𝑄 = 𝐴 2𝑔 𝐻! − ℎ ℎ! = − + + 𝐸𝐹 = 𝑧= 𝑄 = 1,71𝐵𝐻 !/!
! ! !! ! ! !!! ! !!!

01. A figura mostra um jato de ar horizontal


incidindo numa placa plana vertical. O módulo
da força necessária para imobilizar a placa da
figura é igual a 12 N. Qual é a leitura do
manômetro instalado na tubulação de ar?
Admita que o escoamento é incompressível e
sem atrito.

Resp.: 1,82 kPa

02. Um defletor desvia uma folha de água (ρ =


1.000 kg/m3) de um ângulo de 30o, como mostra a figura.
Determine as intensidades das componentes horizontal
(Rx) e vertical (Ry) da força necessária para segurar o
defletor em seu lugar, se 𝑚 = 32 kg/s.

Resp.: Rx = 171,5 N e Ry = 640,0 N

03. (BRUNETTI – ex. – pg. 128) Um desviador de jato


move-se com uma velocidade de 9 m/s. Um bocal de 5
cm de diâmetro lança um jato de óleo com uma
velocidade de 15 m/s, tal que o jato incide sobre o
desviador, conforme indicado na figura. O ângulo de
saída é 60o e o peso específico do óleo é 8.000 N/m3.
Calcular a intensidade da força do jato contra o
desviador.

Resp.: 56,5 N
04. (BRUNETTI – ex. 5.14 – pg. 137) O bocal da
esquerda tem uma área de 30 cm2 e lança um jato com
velocidade de 10 m/s contra a pá. O sistema está em
equilíbrio. Qual é a vazão do segundo bocal e qual é a
velocidade do jato se a área do bocal é 10 cm2? O fluido
é água com γ = 104 N/m3.

Resp.: v = 10 m/s; Q = 10 L/s

05. Um cotovelo redutor de 30o é mostrado. O fluido é


água. Determine os módulos das componentes
horizontal e vertical da força que deve ser aplicada pelos
tubos adjacentes para manter o cotovelo estático.
Dados: ρ = 1.000 kg/m3, g = 10 m/s2 e patm = 101 kPa

Resp.:1,0 kN (para a esquerda) e 0,66 kN (para baixo)

06. (GILES – ex. 4 – pg. 84) A vazão Q de um líquido através de um orifício depende da massa
específica do líquido (ρ), do diâmetro do orifício (D) e da diferença de pressão (p). Utilize a
Análise Dimensional para obter a expressão da vazão em função das grandezas citadas.

Resp: Q = KD2p1/2ρ-1/2

07. (COELHO – ex. 6.3 – pg. 190) Água escoa em


um bocal convergente com diâmetros de entrada e de
saída iguais a, respectivamente, 9,0 cm e 3,0 cm,
produzindo um jato que é lançado em um ambiente
que está à pressão atmosférica. Sabendo que a
velocidade média de entrada da água no bocal é
igual a 5,0 m/s, determine a pressão manométrica da
água na entrada do bocal. Considere que a perda de
carga do escoamento seja igual a 4,0 m.
Dados: γ = 104 N/m3, g = 10 m/s2, α1 = α2 = 1,0.

Resp.: 1,04 Mpa

08. (COELHO – ex. 6.2 – pg. 190) Água (γ = 104 N/m3)


escoa em regime turbulento (α1 = α2 = 1,0) , no sentido
ascendente, em um tubo inclinado de 30o com a
horizontal. A diferença de pressões entre as duas
secções dessa tubulação distanciadas de 20 m é igual
a 120 kPa. Qual é a perda de carga na tubulação?

Resp.: 2,0 m
09. (COELHO – ex. 6.4 – pg. 191) Na figura, o tanque cilíndrico,
com diâmetro igual a 2,0 m, é alimentado com água. No fundo
do tanque há um orifício com diâmetro igual a 4 cm. Sabendo
v2
que a perda de carga no orifício pode ser expressa por K 2g2 ,
com K = 0,5 (coeficiente de perda de carga), determine a vazão
mássica de água através do orifício no instante em que a cota h
for igual a 3,0 m.
Dados: γ = 104 N/m3, g = 10 m/s2, α = 1.

Resp.: 9,7 kg/s

10. (COELHO – ex. 8.4 – pg. 261) Água (ρ = 103 kg/m3,


µ = 10-3 N∙s/m2) é bombeada para uma caixa elevada,
conforme ilustrado na figura. Sabe-se que a tubulação
é de ferro galvanizado com diâmetro de 40,9 mm e
com comprimento L = 50 m. Sabendo que a velocidade
média da água na tubulação é igual a 3,0 m/s, que a
diferença de cotas M é igual a 40 m e desprezando-se
as perdas de carga localizadas, pede-se determinar a
pressão na secção de descarga da bomba. Considere
g = 10 m/s2.

Resp.: 559 kPa

11. (COELHO – ex. 8.7 – pg. 263) Água (ρ = 103 kg/m3,


µ = 10-3 N∙s/m2) deve ser bombeada do tanque A para
o tanque B através de uma tubulação de ferro
galvanizado com comprimento total de 40 m, conforme
esquematizado na figura. Sabe-se que a perda de
carga máxima admissível é igual a 15 m e que a vazão
desejada é 20 m3/h. Desprezando a ocorrência de
perdas de carga localizadas, determine o diâmetro da
tubulação que atende a tais condições. Determine
também a potência requerida pela bomba, supondo
que o seu rendimento seja igual a 70%.
Considere g = 10 m/s2.

Resp.: 0,045 m e 2,8 kW

12. Calcule o diâmetro mínimo de um tubo estirado (e = 0,0015 mm) para transportar 8 L/s de
água por um comprimento de 400 m, de modo que a perda de carga não exceda 30 m.
Considere g = 10 m/s2 e νágua = 10-6 m2/s

Resp.: 6,45 cm
13. Determine a potência elétrica que
deve ser fornecida à bomba da
instalação figurada sabendo que a
mesma deve bombear 565 L/s de água
do reservatório A para o reservatório B,
ambos de grandes dimensões.
Dados: ηBOMBA = 80%, νÁGUA = 10-6 m2/s,
γÁGUA = 104 N/m3; diâmetro da tubulação
= 200 mm; rugosidade da tubulação =
0,2 mm e g = 10 m/s2.

Resp.: 1,15 MW

14. (POTTER-4aed.-ex.10.40-pg.475) Um
escoamento de água, como o mostrado na
figura, ocorre sob a comporta em um canal
retangular horizontal, com 5 m de largura. As
profundidades y1 e y2 são 2,5 m e 10 cm,
respectivamente, sendo desprezível a
dissipação de energia mecânica entre as
secções (1) e (2). Entre as secções (2) e (3)
o escoamento é bruscamente retardado. Considerando g = 10 m/s2, determine:
a) a vazão volumétrica;
b) a profundidade a jusante do ressalto, no ponto 3.

Resp.: a) 3,46 m3/s; b) 0,93 m

15. Utilizando o Método de Hardy Cross, calcule a vazão em cada trecho do anel a seguir,
considerando tubos de ferro fundidos com 5 anos de uso (C = 120).
Os comprimentos de cada trecho são fornecidos na tabela.
Solução:

Trecho D(m) L(m) Q0(m3/s) J(m/m) hf(m) !!


(s/m2) Δ(m3/s) Q1(m3/s)
!!
AB 0,250 2000

BC 0,200 1000

AD 0,300 1000

DC 0,250 2000

Trecho J(m/m) hf(m) !!


(s/m2) Δ(m3/s) Q2(m3/s)
!!
AB

BC

AD

DC

Trecho J(m/m) hf(m) !!


(s/m2) Δ(m3/s) Q3(m3/s)
!!
AB

BC

AD

DC

Resp.: QAB = 37 L/s; QBC = 17 L/s; QAD = 63 L/s; QDC = 33 L/s

Ao apontarmos o dedo para alguém, lembremo-nos de que pelo menos outros três dedos, da
mesma mão, estarão apontando para nós.