Sei sulla pagina 1di 274

Caro Líder da Igreja:

Este manual foi preparado para servir como uma ajuda prática ao ministério da Igreja
Quadrangular. Ele deverá ser usado como um suplemento e um meio para seguir os
Estatutos, que são as diretrizes criadas e retificadas pela Convenção da Igreja
Internacional do Evangelho Quadrangular.

Este manual é o resultado do trabalho de uma comissão de pastores administradores e da


equipe dos escritórios em Los Angeles que foram encarregados de redigir um manual
fácil de usar e que mostrasse de uma forma mais completa os Estatutos e procedimentos
que afetam o modo de operar de uma igreja Quadrangular local. O formato simples
ajudará os pastores e outros líderes da igreja a encontrarem respostas fácil e rapidamente
às questões, necessidades e desafios que eles enfrentam nas atividades do dia a dia de
sua igrejas.

A pasta com três argolas irá facilitar a atualização do conteúdo e acréscimos de novas
informações. À medida em que forem surgindo alterações os pastores serão informados.

Obrigado pelo seu compromisso com um ministério de excelência servindo a Jesus


juntamente conosco.

Que Deus lhe abençoe,

Rev. Glenn C. Burris, Jr.


Supervisor Geral

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 1


UNIDADE ORGANIZADA
O corpo humano é um maravilhoso e complexo organismo vivo. O apóstolo Paulo usa a analogia do
corpo humano para descrever as relações e os trabalhos dentro da igreja (I Cor. 12:12-27). Esta
altamente desenvolvida rede de células, pele, músculos, estrutura de esqueleto e órgãos, nos dá uma
imagem de unidade organizada. Esta é a meta de uma igreja eficaz com organização e administração.

PROPÓSITO
O propósito deste manual é de ajudar os pastores quadrangulares e outros líderes da igreja, a organizar
e administrar efetivamente o ministério no qual lhes é dado responsabilidade.

PRATICALIDADE
O manual foi desenvolvido para ajudar e implantar os Estatutos Quadrangulares na organização,
assuntos administrativos e programas do ministério da Igreja. Os Estatutos expressam o conhecimento
coletivo de 75 anos da família Quadrangular vivendo juntos, enfrentando mudanças, superando
problemas e encontrando o caminho eficaz para elevar ao máximo os recursos e esforços para a glória
de Deus. Como a margem do rio que enfrenta o poder da sua força, os Estatutos são criados para ajudar
a dirigir as Igrejas Quadrangulares no fluir do ministério que tem provado ser o mais prudente, eficaz e
permanente através das décadas.

Note que as dezessete seções estão organizadas para se alinharem com os Estatutos de mesma
numeração. Assuntos pertinentes, nos quais cremos serem de interesse estratégico para os Líderes
Quadrangulares, estão numerados para capacitar ao usuário a localizar informações rapidamente.
Duas das seções contém recursos adicionais. A Seção 14 é seguida pela 14A, 14B e 14C. A Seção 16
é seguida pela 16A,16B, e 16C. Algumas das informações úteis que você encontrará são: Manual de
Políticas de Pessoal; modelo de formulário para solicitação de emprego, cópia do formulário de
despesas com a casa pastoral, instruções para completar o Relatório Mensal da Igreja Quadrangular, e
muito mais.

SUPORTE
Sinceramente esperamos que este recurso seja de constante ajuda para você e sua igreja no ministério
para o qual o Senhor o chamou. Se você tiver perguntas ou necessitar de algum esclarecimento em
qualquer assunto deste manual, ou detalhes não incluídos, por favor, entre em contato com o escritório
do Distrito ou o Centro Administrativo Regional. Eles lhe ajudarão com muito prazer.

Escritório da Igreja Nacional Quadrangular

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 2


IGREJA INTERNACIONAL DO EVANGELHO QUADRANGULAR
Declaração da Missão
Propósito: A Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular existe para glorificar a Deus e estender o seu
reino. Cristo ordenou-nos a pregar o evangelho e fazer discípulos em todas as nações (Marcos 16:15; Mateus
28:19). Portanto, nós somos “Dedicados à causa interdenominacional e ao evangelismo mundial” (*). Estas
palavras expressam o nosso espírito e o nosso enfoque.

Missão: Nossa chamada é pregar Jesus Cristo, o Filho de Deus, como o Salvador, Batizador com o Espírito
Santo, o Médico que cura e o Rei que breve virá. Nossa tarefa é a de desenvolver igrejas saudáveis e crescentes.
Nosso compromisso é o de plantar igrejas nacionais em todo o mundo dirigidas por amados servos de Jesus
Cristo. Igrejas desenvolvidas desta maneira são igrejas que se reproduzem várias vezes. Assim, torna-se possível
levar o evangelho àqueles que não ouviram, ou que não aceitaram a mensagem do Filho de Deus.

Estratégia

A estratégia da Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular é a de seguir o padrão da igreja conforme se


encontra no Novo Testamento. O Espírito Santo dirigiu a igreja primitiva a se conduzir daquela forma. O padrão
tem quatro estágios e fica fácil entender onde estamos no processo de crescimento e onde precisamos chegar.
Cada estágio é diferente, mas cada um está diretamente relacionado com os outros.

Estágio 1 – Abrir. A igreja começa quando os obreiros trazem os perdidos a Cristo e começam uma
congregação local. O objetivo é fazer discípulos responsáveis que evangelizem e se reproduzam. A
igreja em Tessalônica, na Grécia, começou desta forma (Atos 17:1-9; 1 Tessalonicenses 1:1-9);

Estágio 2 – Estabelecer. A igreja se torna mais forte e cresce quando os obreiros treinam e ensinam os
líderes através de ensinamentos cristãos práticos. O objetivo é desenvolver líderes responsáveis, que se
reproduzem e que servem suas igrejas e família. A igreja na ilha de Creta amadureceu desta forma. (Tito
1-3);

Estágio 3 – Capacitar. A igreja nacional se organiza para ter seu próprio sustento e forma de governo,
e passa a evangelizar de modo mais sensível à sua própria cultura. O objetivo é conseguir igrejas locais
responsáveis que plantem outras igrejas. Juntas elas se tornam uma igreja nacional, ou um movimento
para alcançar o país inteiro. A igreja em Éfeso, na Turquia, começou e se multiplicou desta forma
(Atos 19,20:17-38);

Estágio 4 – Enviar. A igreja nacional alcança povos de outras línguas e culturas. O objetivo é ter
igrejas nacionais responsáveis que enviam e sustentam obreiros para ministrarem em outros países. Em
obediência ao Espírito Santo, a igreja de Antioquia, na Síria, tornou-se uma igreja assim quando enviou
Paulo e Barnabé (Atos 13:1-4).

Cada igreja nacional prega o evangelho dentro de uma esfera de crescimento de influência à medida que vai
passando de um estágio para outro. Ela antevê o dia quando “Este evangelho do Reino será pregado em todo o
mundo como testemunho a todas as nações, e então virá o fim” (Mateus 24:14). O espírito da Igreja
Internacional do Evangelho Quadrangular é amar em unidade. Isto provê afirmação e liberdade nos
relacionamentos em conformidade com o Novo Testamento. Agindo assim estamos obedecendo o mandamento
de nosso Senhor Jesus Cristo. Glorificamos a Deus e estendemos o seu reino.

(*) Estes dizeres se encontram na declaração de dedicação na pedra fundamental do Angelus Temple. A
primeira igreja Quadrangular começou em 1 de janeiro de 1923.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 3


Manual de Operação da Igreja Quadrangular
Índice

1. Nome e Selo
2. Escritórios
3. Definições
4. Membros
5. Reuniões de Membros
5.1. Purposes of Conventions
5.2. Location of Conventions
5.3. Voting at Conventions
6. Conselho de Diretores
6.1. The Board of Directors and Corporate Affairs
6.2. Representation on the Board of Directors
7. Oficiais Executivos
7.1. The President
7.2. Vice Presidents
7.3. Secretary
7.4. Assistant Secretary
7.5. Treasurer
8. Oficiais Gerais
8.1. General Supervisor
8.2. Regional Supervisors
8.3. District Supervisors
8.4. Divisional Superintendents
8.5. Director of Missions
9. Bens e Finanças
10. Ministérios Especiais
11. O Gabinete Quadrangular e o Conselho Executivo
12. Ministros Quadrangulares Licenciados
12.1 Chamada para o Ministério
12.2 Posição Ministerial
12.3 Credenciais do Ministério
12.4 Fundo de Assistência Ministerial
12.5 Obrigações Ministeriais
12.6 Prêmio de Reconhecimento Ministerial
12.7 A Postura do Ministro
12.8 O Lar e a Família do Ministro
12.9 As Finanças do Ministro
13. O Ministério da Igreja do Evangelho Quadrangular

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 4


13.1 A Vida da Igreja e os Grupos de Enfoque Ministerial
13.1.1 Propósito
13.1.2 Educação Cristã
13.1.3 Visão de Um Ministério com Crianças
13.1.4 Mocidade
13.1.5 Ministério com os Homens
13.1.6 Ministério com as Mulheres
13.1.7 Casais
13.1.8 Universitários/Profissionais/Solteiros
13.1.9 Idosos
13.1.10 Grupos Familiares
13.1.11 Música/Adoração
13.1.12 Ministério de Aconselhamento
13.1.13 Evangelistas

13.2 O Culto na Igreja


13.2.1 Propósito e Procedimento
13.2.2 Cultos Semanais
13.2.3 O Culto de Adoração
13.2.4 O Culto de Batismo
13.2.5 O Culto da Ceia
13.2.6 Casamento
13.2.7 Apresentação de Crianças
13.2.8 Ofício Fúnebre
13.2.9 Pedra Fundamental
13.2.10 O Culto de Dedicação do Prédio
13.2.11 Referências aos Serviços da Seção 13.2

13.3 Trabalho
13.3.1 Filosofia do Trabalho
13.3.2 Evangelização
13.3.3 Abertura de Igreja/Obras Novas
13.3.4 Ajuda para Missões
13.3.5 Multicultural
13.3.6 Serviços Sociais

13.4 Membros da Igreja Local

13.5 Instituto Bíblico Quadrangular e Escolas Cristãs


13.5.1 Instituto Bíblico Quadrangular
13.5.2 A Escola Cristã

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 5


14. Pastores Quadrangulares

14.1 O Pastor
14.1.1 Qualificações
14.1.2 Escolha
14.1.3 Deveres
14.1.4 Compensação
14.1.5 Uso do Tempo
14.1.6 Renúncia
14.1.7 Transferência para outra Igreja ou outro Distrito
14.1.8 Demissão

14.2 Quadro de Empregados


14.2.1 Definição de Quadro de Empregados
14.2.2 Método de Seleção
14.2.3 Reunião da Equipe de Trabalho
14.2.4 Frequência aos Cultos
14.2.5 Disciplina dos Ministérios
14.2.6 Imparcialidade
14.2.7 Cuidado

14.3 O Pastor Auxiliar


14.3.1 Seleção
14.3.2 Relacionamento do Pastor Titular com os Pastores Auxiliares
14.3.3 Relacionamento do Pastor Auxiliar com o Pastor Titular
14.3.4 Término da Nomeação

14.4 Seguro Ministerial

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 6


14A. Formulário de Pedido de Emprego

14B. Modelos de Descrição de Cargo


- Pastor Titular
- Pastor Administrativo
- Diretor de Operações Ministeriais
- Secretário da Igreja
- Secretária do Pastor
- Pastor de Crianças
- Diretor do Ministério de Crianças
- Pastor da Mocidade
- Pastor Auxiliar de Jovens, Adultos e Instalações
- Quadro de Empregados Ministeriais
- Voluntários que Trabalham com Crianças
- Professores
- Assistente do Berçário
- Membro da Equipe de Louvor
- Auxiliares para Trabalhar com Adolescentes
- Decorador(a)
- Editor de Boletim
- Líder de Adolescentes (“Junior High”)
- Líder de Jovens (“High School”)
- Equipe de Louvor
- Assistente de Pesquisas
- Líder de Grupo Familiar
- Auxiliar de Grupo Familiar
- Anfitrião de Grupo Familiar
- Líder de Louvor de Grupo Familiar
- Ministério Artístico (Artes Cênicas, Drama)
- Recepcionista
- Diácono
- Voluntário para Distribuição de Alimentos
- Zelador

14C. Modelo de Manual de Diretrizes para o Quadro de Pessoal

15. Registrando Igrejas do Evangelho Quadrangular

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 7


16. Funcionamento de Igrejas Registradas
16.1 Os Oficiais da Igreja Local
16.2 Church Council
16.1.1. Developing a Council Member Profile
16.1.2. Church Council Minutes
16.3 Arquivos e Relatórios
16.2.1 Arquivos Permanentes
16.2.2 Arquivos Atuais
16.2.3 Relatórios
16.2.4 Registros e Relatórios da Igreja: Por Quanto Tempo Mantê-los
16.2.5 Arquivo Pessoal do Pastor
16.4 O Orçamento e a Contabilidade da Igreja
16.3.1 Administração
16.3.2 Administração Financeira
16.3.3 Preparando um Plano Financeiro para a Igreja – O Orçamento
16.3.4 Mantendo um Sistema Contábil Correto
16.3.5 Preparando o Relatório Financeiro Mensal
16.4.6 Opening a Church Checking Account
16.4.7 Compensation , W-2s, 1099s and 941s
16.4.8 Donor-Restricted Contributions
16.5 EZRA Instructions
16.5.1 Logging In
16.5.2 Primary Features
16.5.3 Entering Your Foursquare Monthly Church Report (FMCR)
16.5.4 Reporting System
16.6 Assuntos Legais
16.6.1 Church Registration and Employment Identfication Number (EIN)
16.4.2 Assistência Espiritual X Aconselhamento
16.4.3 Atividades Políticas
16.6.4 Undocumented Aliens and Church Involvement
16.6.5 Convicted Child Molesters and Church Attendance
16A. Formulários de Administração
- Modelo de Diretrizes para Cuidado Pastoral
- Modelo de Acordo para Cuidado Pastoral e Suporte de Oração
- Modelo de Diretrizes para Casamentos
- Modelo de Diretrizes para Compartilhar as Instalações da Igreja
- Planilha de Subsídio de Moradia do Ministro
- Modelo de Resolução de Subsídio de Moradia do Conselho da Igreja
- Instruções para o Relatório Mensal da Igreja Quadrangular
16B. Ferramentas Administrativas
- Lista de Verificação dos Indicadores da Igreja Quadrangular
- Lista de Coisas Administrativas a Fazer
- Standardized Chart of Accounts for Quickbooks
- Recursos para Administrar o Ministério
16C. Sample Financial Policy Manual

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 8


17. Transações Imobiliárias
17.1 Os Elementos de uma Transação Imobiliária
17.2 Os Requerimentos Básicos para uma Transação Imobiliária
17.3 Relatórios de Impacto no Meio-Ambiente
17.4 Arrendamentos
17.5 Aquisição de Propriedade
17.6 Servidão
17.7 Venda de Propriedade
17.8 Reforma
17.9 Construção Nova
17.10 Doação de Propriedades Imobiliárias
17.11 Empréstimos
17.12 Seguro

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 9


1 NOME E SELO

O Artigo I dos estatutos declara o seguinte:

O nome desta corporação será IGREJA INTERNACIONAL DO EVANGELHO QUADRANGULAR.


O selo corporativo consistirá de dois círculos concêntricos entre os quais estará o nome da corporação
e no centro dos quais aparecerá “Incorporada em 1927, California.”

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 1-1


2 ESCRITÓRIOS

O Artigo II dos estatutos declara o seguinte:

O escritório sede da corporação será localizado à 1910 West Sunset Boulevard, Suite #200, Los
Angeles, California 90026. A corporação poderá também manter escritórios em outros lugares dentro
ou fora dos Estados Unidos.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 2-1


3 DEFINIÇÕES

O Artigo III dos estatutos define os seguintes termos; informações adicionais podem ser encontradas
nos artigos dos estatutos indicados em parênteses: Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular,
Movimento Quadrangular, Igreja do Evangelho Quadrangular (Artigo XIII), Convenção Quadrangular
(Artigo V), Conselho de Diretores (Artigo VI), Conselho Executivo (Artigo XI) e Gabinete
Quadrangular (Artigo XI).

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 3-1


4 MEMBROS

O Artigo IV dos estatutos define a membresia da ICFG.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 4-1


5 REUNIÕES DE MEMBROS

O Artigo V dos estatutos descreve como as convenções são marcadas e conduzidas, inclusive os
procedimentos de votação.

5.1 PURPOSES OF CONVENTIONS

International conventions are called in order to provide for fellowship, inspiration, and instruction as
ministers gather from all areas of the United States and several foreign countries. Conventions are also
the venues in which official corporate business is conducted, including presidential selection, reports
from national and international departments and ratification of amendments to the bylaws. The power
to perform those two functions renders the convention body the highest decision-making group in the
Foursquare Church.

5.2 LOCATION OF CONVENTIONS

Although there is no prescribed pattern for selecting the location of international conventions, the
custom is to convene in various areas of the country so that the burden and expense of travel are not
always on the same groups of people. If the convention is held on the West Coast one year, it could be
held in the Midwest or the Southeast the next year, and so on. In fact, the venues of “international
conventions” are becoming truly international. That means that, in infrequent intervals, conventions
will could be held in countries outside the United States.

5.3 VOTING AT CONVENTIONS

The following people are entitled to vote at conventions: officers and directors, licensed ministers, and
local church delegates (one delegate for each fifty members or fraction thereof). All voting
participants must be registered at the convention. Each voting member of the convention body has one
vote on each item presented; voting by proxy is not permitted.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 5-1


6 CONSELHO DE DIRETORES

O Artigo VI dos estatutos descreve os seguintes aspectos do conselho de diretores: poderes e deveres,
número de diretores, composição do conselho, direitos e privilégios, vagas, local de reunião, reuniões
regulares, reuniões especiais, e quorum.

6.1 THE BOARD OF DIRECTORS AND CORPORATE AFFAIRS

The board of directors is responsible for general corporate management of the International Church of
the Foursquare Gospel. All corporate activities, e.g. financial, property and credential transactions, are
conducted at the direction of the board, which may choose to delegate various activities. The board of
directors is empowered to create offices and departments, establish policies, and employ people as
needed to carry out the objectives of the Foursquare Church. In fact, all corporate officers, excluding
the president, are appointed by and serve at the pleasure of the board of directors. Further, all
missionaries, councils, and committees are commissioned and/or appointed by the board.

In keeping with the responsibility of general management of the corporation, the board of directors is
ultimately accountable for all real property transactions at the local church level. That means that
proposals to lease or purchase property, construct or improve buildings, or to engage in any other
transaction involving real property must be presented to and approved by the board of directors.

6.2 REPRESENTATION ON THE BOARD OF DIRECTORS

The following corporate officers are members of the board of directors: president, vice president of
national church operations, vice president of global church operations, vice president of corporate
administrative operations. In addition, one director is selected from each of the geographic voting
areas; those members are voted upon by the licensed ministers in those voting areas. Further, directors
can be appointed to serve on the board; as a rule, appointed directors possess particular skills, abilities,
or perspectives that enhance the composition of the board of directors.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 6-1


7 OFICIAIS EXECUTIVOS

O Artigo VII dos estatutos descreve o papel do presidente, vice-presidente, secretário, secretário
assistente, e tesoureiro.Executive officers, with the exception of the president, are appointed by and
serve at the pleasure of the board of directors. The procedures for selecting the president are addressed
in article 7.1.2 of the bylaws.

7.1 PRESIDENT

The president of the Foursquare Church is considered to be both the spiritual leader and the chief
executive officer. In his the role as chief executive officer, he the president is charged with the general
supervision and direction of the corporation, in concert with the board of directors. He The president
is responsible for ensuring corporate compliance with all applicable laws, rules, and regulations. As
the spiritual leader of the Foursquare Church, the president is responsible for encouraging worship,
both individual and corporate; striving for the salvation of souls; promoting adherence to the cardinal
doctrines of the Foursquare Church, including the ministry of the Holy Spirit; and facilitating efforts to
fulfill the Great Commission. Other primary responsibilities include the health of U.S. credentialed
leaders, U.S. Foursquare churches and their global mission.

7.2 VICE PRESIDENTS


Vice president positions may include but are not limited to the following: vice president of national
church operations, vice president of global church operations, vice president of administrative
operations, vice president of urban and multicultural ministries, vice president of corporate affairs, and
vice president of financial operations. Each of the vice presidents has specific responsibilities in
keeping with his respective area of authority. In the event of the absence or disability of a president, a
succession process and order has been determined by the bylaws.

7.2 SECRETARY

The secretary is the custodian of all the corporate records, documents, books, and communications.
The secretary oversees the registering of voters and convention and the tallying of all written votes at
convention. In addition, the secretary maintains records of all ordained and internationally licensed
personnel.

7.3 ASSISTANT SECRETARY

The assistant secretary assists the secretary as requested. He is empowered to perform the duties of the
secretary in the absence or disability of the secretary.

7.4 TREASURER

The treasurer is responsible for maintaining accounts of all corporate financial transactions. He also
disburses corporate funds at the direction of the board of directors.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 7-1


8 OFICIAIS GERAIS

O Artigo VIII dos estatutos descreve o papel do supervisor geral, supervisores de distritos,
superintendentes divisionais, e diretor de missões.General officers are chosen from among the ranks of
ordained ministers. They are to have demonstrated spiritual leadership and an ability to perform the
duties of their offices. They are appointed by and serve at the pleasure of the board of directors.

8.1 GENERAL SUPERVISOR

The general supervisor is charged with the comprehensive oversight of the Foursquare churches inside
the United States. He is responsible for the national church office and the ministries that are
coordinated by that office. The general supervisor also makes recommendations to the board of
directors in regard to the appointment of district supervisors. Currently, the role of general supervisor
is combined with the role of vice president of national church operations. However, the bylaws do not
mandate that those roles be filled by the same person.

8.2 REGIONAL SUPERVISORS

Regional supervisors are representatives of the general supervisor in the field. They support,
encourage and cover district supervisors.

8.3 DISTRICT SUPERVISORS

District supervisors are accountable to the general supervisor and the president, and they serve four-
year terms as designated by the board of directors. District supervisors are to strengthen and multiply
Foursquare churches within their respective districts. They are to facilitate leadership development
and develop relationships with the ministers of their districts. They are to visit the churches within
their respective districts and support the spiritual health of those churches.

8.4 DIVISIONAL SUPERINTENDENTS

Divisional superintendents accountable to their district supervisor are responsible for facilitating
district programs at the divisional level. Divisional superintendents are to be fully engaged in district
functions and are to perform all tasks assigned by the supervisor.

8.5 DIRECTOR OF MISSIONS

The director is chosen from among missionaries or missions-minded ministers and is charged with the
comprehensive oversight of missionary fields, activities, and personnel. Currently, the role of director
of missions is combined with the role of vice president of global church operations. However, the
bylaws do not mandate that those roles be filled by the same person.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 8-1


9 BENS E FINANÇAS

O Artigo IX dos estatutos descreve os bens e finanças da ICFG, inclusive o fundo geral e os seguintes
fundos especiais: Fundo Quadrangular de Missões Internacionais, Fundo Quadrangular de Dízimos
para a Extensão da Igreja, Fundo de Extensão em Memória da irmã McPherson, Fundo Benevolente
Ministerial, Projetos de Missões Mundiais, Fundos de Missões com Uso Pré-Definido.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 9-1


10 MINISTÉRIOS ESPECIAIS

O Artigo X dos estatutos dá poderes ao conselho para estabelecer ministérios especiais.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 10-1


11 O GABINETE QUADRANGULAR E O CONSELHO EXECUTIVO

O Artigo XI dos estatutos descreve os membros, poderes e deveres, e reuniões do gabinete


Quadrangular e do conselho executivo.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 11-1


12 MINISTROS QUADRANGULARES LICENCIADOS

12.1 CHAMADA PARA O MINISTÉRIO

O ministro quadrangular entende a idéia bíblica da chamada de Deus. Não se trata


simplesmente de um convite para servi-lo; é mais como uma convocação. O propósito da
chamada é que aquele que é convocado pode participar e desfrutar dos benefícios e dos
propósitos redentores de Deus e participar da Grande Comissão, para alcançar o mundo para
Cristo. (Ver Marcos 1:16-20; 2:14).

12.2 POSIÇÃO MINISTERIAL

A. CÓDIGO DE ÉTICA DO MINISTRO – Como um pré-requisito para ser licenciado e/ou


ordenado, o ministro quadrangular precisa assinar o Código de Ética do Ministro e concordar
com ele, conforme consta nos Estatutos da Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular
(Ver Art. XII dos Estatutos, no Apêndice A).

B. REQUERIMENTOS E QUALIFICAÇÕES – Os requerimentos e qualificações para ser


licenciado e/ou ordenado, são os que constam nos Estatutos (Ver a seção de Credenciais do
Ministério, Art. 12.1, nos Estatutos), e nos procedimentos apresentados neste Manual de
Operação da Igreja Quadrangular e o Formulário de Requerimento para Credenciamento ou
Ordenação Quadrangular.

12.3 CREDENCIAIS DO MINISTÉRIO

Entre em contato com o Centro Administrativo Regional (ARC –abreviação em inglês), para
obter informações a respeito da Credencial Distrital e da Internacional. O Centro
Administrativo Regional auxilia o seu Supervisor Distrital no processo de credenciamento.
Manter sua credencial atualizada é importante, por várias razões, a saber: a condição legal do
ministro para realizar casamentos, as vantagens concedidas aos ministros em relação ao
Imposto de Renda, a seqüência da prestação de serviços e o correspondente reconhecimento da
organização (i.e., reconhecimento pelos 25, 50 ou 60 anos de ministério). A consideração para
ordenação e as exigências para que um imigrante legal possa conseguir o visto de residente
permanente dependem de o ministro manter uma credencial atualizada.
A. EMISSÃO – Tanto a credencial internacional quanto a do Distrito são emitidas desde que haja
uma nomeação para uma Igreja Quadrangular ou um ministério quadrangular aprovado (i.e.,
Faculdade Bíblica, escritório da corporação ou distrito, etc.). As credenciais não serão
renovadas se o ministro não tiver nomeação na época da renovação.
Após a ordenação ou o recebimento da Credencial Distrital ou Internacional, o ministro
quadrangular recebe um certificado que indica que ele foi ordenado ou licenciado de acordo
com as exigências dos Estatutos.
Os formandos de qualquer Faculdade Bíblica Quadrangular, quando nomeados, recebem o seu
certificado no culto de licenciamento feito em conjunto com o de formatura.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 12-1


B. TAXA ANUAL – Mediante o pagamento da taxa anual da credencial, o ministro quadrangular
receberá sua credencial atualizada.

12.4 FUNDO DE ASSISTÊNCIA MINISTERIAL

A. FINALIDADE – O Fundo de Assistência Ministerial não é um contrato de seguro; é um fundo


de assistência criado com parte dos fundos oriundos da taxa anual da credencial. Ele é utilizado
pelo Conselho de Diretores como presentes para os ministros quadrangulares e suas esposas
que participam do fundo, para ajuda de emergência, em casos de doença, acidente ou morte.

B. ELEGIBILIDADE

1. O ministro é elegível para solicitar ajuda do fundo se a taxa de sua credencial estiver em
dia.

2. As esposas são elegíveis desde que sua participação no Fundo de Assistência tenha sido
consistente e esteja em vigor.

3. Todos os ministros credenciados Quadrangulares participam no programa de fundo de


benevolência. As esposas dos ministros credenciados Quadrangulares também são elegíveis
a participar.

4. O fundo de benevolência não está disponível para gastos relativos a gravidez ou cuidados
dentários.

C. PEDIDOS – Os formulários para pedidos de ajuda do Fundo de Benevolência estão à


disposição no Escritório Regional.

12.5 OBRIGAÇÕES MINISTERIAIS

Por várias razões, o governo considera o ministro como sendo um trabalhador autônomo. Por
exemplo, uma imobiliária licencia empreiteiros e corretores sem assumir responsabilidade
legal; a Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular licencia e ordena ministros, mas estes
são legalmente responsáveis por suas ações.

Em muitos aspectos, a lei considera o ministro como sendo um empregado da igreja e/ou de sua
denominação. Assim, em algumas circunstâncias, a igreja ou a denominação pode ser
considerada responsável por ações individuais de seus empregados, por isso o ministro deve
tomar todo o cuidado em suas ações para proteger o seu próprio ministério, assim como o
ministério da igreja e o da denominação.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 12-2


12.6 PRÊMIO DE RECONHECIMENTO MINISTERIAL

A. VINTE E CINCO ANOS DE MINISTÉRIO – Nas Convenções Internacionais da Igreja


Quadrangular, os ministros que tenham completado 25 anos de serviço ativo na igreja recebem
um anel como reconhecimento pelos seus 25 anos de ministério. Esse anel é entregue apenas
para os pastores que preenchem os requisitos estabelecidos pelo Conselho Nacional de
Diretores, o qual verifica os questionários preenchidos pelos candidatos. A decisão dessa
comissão é baseada nas informações fornecidas pelo candidato nas respostas a esses
questionários e também pelos arquivos do Escritório da igreja nacional.

B. CINQÜENTA ANOS DE MINISTÉRIO – Nas Convenções Internacionais da Igreja


Quadrangular, os ministros que tenham completado 50 anos de serviço ativo na igreja
recebem um broche de ouro com um diamante, como reconhecimento pelo seu trabalho. O
processo para determinar se o candidato se qualifica ou não para receber o prêmio é o mesmo
indicado acima, no entanto, o exame é feito por uma comissão da Igreja Internacional.

C. SESSENTA ANOS (OU MAIS) DE MINISTÉRIO – Nas Convenções Internacionais da Igreja


Quadrangular, os ministros que tenham completado 60 anos de serviço ativo na igreja
recebem um broche de ouro com dois diamantes como reconhecimento pelo seu trabalho . O
processo para determinar se o candidato se qualifica ou não é o mesmo utilizado para os 50
anos de ministério. Outros prêmios são outorgados à medida que os ministros atingem novos
marcos em seu ministério.

D. PRÊMIOS DE APRECIAÇÃO – Quando um ministro quadrangular atinge a idade da


aposentadoria e informa ao seu Supervisor que tem a intenção de se aposentar, ele tem o direito
de:

1. receber uma placa no Distrito onde trabalhou;

2. receber a credencial de ministro sem pagamento da taxa anual. Ele passa a ter o privilégio
de participar do Fundo de Assistência Ministerial por sua própria conta;

3. poder, a seu pedido ser mantido na mala direta do Distrito e da Igreja Internacional.

12.7 A POSTURA DO MINISTRO

A. APARÊNCIA – O ministro quadrangular deverá estar com boa aparência o tempo todo

B. VESTUÁRIO – Os ministros devem trajar-se de acordo com a cultura da região onde estão
ministrando e de acordo com a ocasião e o local. Em caso de dúvida, usar um traje conservador
é sempre apropriado.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 12-3


12.8 O LAR E A FAMÍLIA DO MINISTRO

A. O VALOR DA VIDA FAMILIAR – A igreja quadrangular coloca os relacionamentos


familiares acima de qualquer outra responsabilidade ministerial. Entendemos que o ministério
cresce a partir dos relacionamentos na família. Portanto, o ministro quadrangular é encorajado a
afirmar e servir a sua esposa e toda a sua família de tal modo que traga saúde, unidade e alegria
ao seu lar.

B. VIDA ESPIRITUAL NO LAR – Ter a alegria de ser bem sucedido no ministério é algo
freqüentemente determinado pela conservação de um alto nível de vida espiritual no lar. Isso
pode ser conseguido através de meditações particulares e pessoais, bem como pela oração em
conjunto, por toda a família. A comunicação aberta também contribui para a vida espiritual dos
membros da família.

C. RELACIONAMENTO COM A FAMÍLIA – É requerido dos ministros que dirijam bem sua
família e que seus filhos lhes obedeçam e os respeitem ( Ver 1 Timóteo 3:4-5, NVI).
Os ministros que seguem o modelo de Paulo para as relações familiares, conforme está descrito
em Efésios 5:22-6:4, têm a certeza de que Deus quer abençoá-los e enchê-los de alegria. Esse
modelo, embora recusado em parte pela sociedade moderna, ainda é o melhor para a família
cristã e, em particular, para a família do pastor.

D. LIBERDADE DA ESPOSA E FILHOS PARA SERVIR – A esposa e os filhos de um ministro


quadrangular têm a liberdade de pôr em prática os dons espirituais e talentos que Deus lhes deu
para o ministério. Como resultado, eles freqüentemente têm responsabilidades na igreja,
juntamente com as suas responsabilidades na família e em casa. No entanto a Igreja
Internacional do Evangelho Quadrangular não vê como obrigação o envolvimento da esposa e
dos filhos do ministro no ministério.

E. ENTENDENDO O PAPEL DA ESPOSA E DOS FILHOS – Para evitar pressão, como parte da
família do ministro, eles precisam entender o que Deus espera deles quanto a sua capacidade,
seus dons, áreas de interesse, disponibilidade de tempo, limitações, e capacidade física. Eles
não devem sofrer pressões dentro ou fora da família, para servirem de alguma maneira
específica. A família do pastor deve ser incentivada a servir de acordo com a direção de Deus
para suas vidas quando o pastor lhes dá liberdade para seguirem o curso do ministério dentro
do contexto da igreja ou fora dele.

F. CUIDADO PESSOAL – A manutenção da vitalidade de sua vida espiritual pessoal e da de sua


família é de importância primordial para o ministro. Quando um ministro quadrangular ou sua
família enfrentam problemas pessoais, ele é encorajado a procurar conselhos do
Superintendente Divisional e/ou do Supervisor do Distrito.
Se se tratar de um assunto delicado, e o ministro e/ou membros da família preferirem um
conselho mais confidencial, devem procurar o Ministério de Aconselhamento quadrangular
(CARE). O CARE foi criado para prover aconselhamento particular e confidencial ao ministro
quadrangular e aos membros de sua família, sem pagamento algum. O telefone é 800-717-
4171.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 12-4


G. MORADIA – A casa do ministro deve ser mantida em bom estado, quer seja propriedade dele,
da igreja, ou seja alugada, e deve ser um bom modelo de boa administração para aqueles que
ele pastoreia.

12.9 AS FINANÇAS DO MINISTRO

Quando o ministro administra corretamente suas finanças, ele obtém respeito e confiança dos
membros de sua igreja e dos estabelecimentos comerciais em sua comunidade. Por outro lado,
uma administração ineficiente das finanças pode causar um impacto negativo sobre o
ministério, a igreja, a denominação e o evangelho. Não há nada errado em se viver de forma
modesta e simples. Se houver necessidade de aconselhamento ou ajuda na área financeira, o
pastor deve entrar em contato com o Supervisor do Distrito.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 12-5


13 O MINISTÉRIO DA IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR

13.1 A VIDA NA IGREJA E OS GRUPOS DE ENFOQUE MINISTERIAL

13.1.1 PROPÓSITO

O propósito da Igreja Quadrangular é levar vidas a Jesus, alcançar vidas onde quer que elas
estejam e torná-las absolutamente realizadas. Portanto o nosso trabalho como facilitadores é o
de fazer com que Jesus Cristo, nosso provedor, tenha um contato com as pessoas necessitadas
(Lucas 4:18-19; João 5:19; 10-10).

A Igreja Quadrangular existe para oferecer ministérios que irão:

• oferecer um ambiente saudável, cuidadoso e amoroso para que as pessoas possam se


alimentar e crescer espiritualmente;
• atender às necessidades pessoais, ajudando a edificar um corpo;
• desenvolver e facilitar o uso dos dons de cada pessoa e envolvê-la num ministério ativo;
• alcançar as pessoas dentro e fora da igreja local.

Cada Igreja Quadrangular é encorajada a desenvolver uma Filosofia de Ministério que reflita a
comunidade na qual ela está, seu chamado por Deus, seus valores e seus recursos dados por
Deus. Cada Escritório Distrital tem recursos para ajudar os pastores no desenvolvimento de
uma Filosofia de Ministério.
A seguir, apresentamos alguns tipos de ministério que a maioria das Igrejas Quadrangulares
acham úteis para suprir as necessidades espirituais de seus membros e para alcançar a
comunidade para Cristo.

13.1.2 EDUCAÇÃO CRISTÃ

A. EDUCAÇÃO CRISTÃ – É uma das quatro missões da igreja: Educação, Evangelização,


Adoração e Comunhão (Atos 2:41-42).

B. EDUCAÇÃO CRISTÃ É UM MINISTÉRIO BASEADO EM RELACIONAMENTOS


(Não é baseado em programas: Romanos 12:9-10)
Esse ministério provê relacionamentos entre:
1. a Igreja e o crente.
2. a Igreja e a família.
3. a Igreja e a sociedade (o mundo)
C. EDUCAÇÃO CRISTÃ É O MINISTÉRIO QUE ALIMENTA A IGREJA LOCAL (Judas 24,
25).

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-1


1. Berçário/Pré-escola – É o grupo mais vulnerável (segurança, proteção física, alimentação
física e espiritual). Requer uma boa seleção de voluntários.
2. Ministério de Crianças – (Ver 2.2.1 Visão para um Ministério com Crianças).

3. Ministério de Juniores (Primeiro grau) – Ajuda as crianças a irem, além da fé de seus pais,
até uma caminhada pessoal com Jesus Cristo, uma necessidade real de aplicação das
verdades bíblicas diariamente.

4. Ministério com Jovens (Segundo grau) – Prepara para os desafios da idade adulta. Entender
as características da idade é o primordial.

5. Ministério com Jovens Adultos - Aconselha e orienta para tomar decisões como carreira,
casamento e decisões familiares. Incentiva a permanecer em comunhão com a igreja local à
medida que as responsabilidades aumentam.

6. Ministério com Adultos – Providencia respostas bíblicas aos problemas cotidianos da vida.
O ensino deve ser prático, relevante e resultar em fortes relacionamentos pessoais.

7. Ministério com a Família – Edifica famílias ao modo de Deus. Grande ênfase na forma
bíblica de criar os filhos.

D. EDUCAÇÃO CRISTÃ É O MINISTÉRIO DE ENSINO DA IGREJA LOCAL (2 TM 2:2)

1. A matéria de estudo é a Bíblia.

2. O currículo e o material de apoio ajudam o professor a aplicar as verdades bíblicas na vida


do crente.

3. O objetivo do ensino é levar o crente a atingir a maturidade em Cristo.

4. O ministério de ensino realiza todo o seu potencial quando o crente:

• passa a ter uma vida de comunhão diária com Deus; e


• dedica sua vida a servir ao corpo de Cristo e ao mundo.

13.1.3 VISÃO DE UM MINISTÉRIO COM CRIANÇAS

Nós cremos no ministério com crianças e que não há maior privilégio do que ensinar aos mais
novos membros de nossa igreja – nossas crianças. O maior objetivo do ministério com crianças
é apresentar as verdades da palavra de Deus em um nível apropriado para cada idade, num
ambiente seguro e amoroso. Nossa oração é para que cada criança possa: aceitar Jesus Cristo
como Senhor e Salvador; desenvolver um relacionamento pessoal com Deus Pai, Jesus Cristo -
o Filho - e com o Espírito Santo; sentir o amor de Cristo, através de todas as pessoas
envolvidas no ministério com crianças; crescer e entender as verdades bíblicas; e entender que
Deus tem um plano para cada vida.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-2


O ministério com crianças pode conter vários outros ministérios, tais como:

A. Escola Dominical – A escola dominical usa o método tradicional de dividir as classes por
idade. Essas classes seguem um currículo cristão e geralmente abrangem crianças com idades
variáveis, da pré-escola até o primeiro grau escolar completo.

B. Igreja Infantil “Cultinho”- O cultinho pode substituir a escola dominical ou ser um acréscimo
a esta. Usa o mesmo modelo de culto dos adultos adaptado para as várias idades das crianças.
Nele ocorrem o louvor, a oração, apresentação de histórias bíblicas, bonecos, e assim por
diante.

C. Clubes – Os clubes bíblicos freqüentemente se reúnem durante a semana e são ferramentas


vitais para as crianças. Algumas igrejas, no entanto, utilizam esse sistema durante o culto no
domingo. Tal material é excelente para se utilizar fora do ambiente da igreja. Um clube muito
conhecido é o Ursinho das Boas Novas.

D. Escola Bíblica de Férias – A Escola Bíblica de Férias é uma excelente forma de evangelização
infantil. Geralmente funciona durante o período de férias escolares e pode ser realizada durante
o dia ou à noite. Há um grande número de publicações contendo excelente material para a EBF.

E. Grupos de Discipulado – Esses grupos freqüentemente se reúnem durante os cultos de meio de


semana ou após o horário das escolas e incluem orações, dramas, esportes, louvor, etc.

F. Escola Cristã e Creche – Outro campo do ministério com crianças pode ser uma creche, jardim
da infância, ou escola cristã particular, registrados.

13.1.4 MOCIDADE

O futuro de qualquer igreja está na capacidade de reconhecer a importância de investir em


nossa mocidade. Os adolescentes e jovens são os líderes de hoje e de amanhã. Quando
combinado com mentoreado e treinamento eficientes, o entusiasmo deles pode causar um
impacto muito maior.

A. LANÇANDO UMA VISÃO – É uma necessidade para qualquer grupo jovem. É aqui que a
identidade, o rumo e o propósito do grupo são estabelecidos. Um lema que traga identidade
ajuda a unificar qualquer grupo.

B. APOIO DA IGREJA – Os líderes jovens, a equipe e a própria mocidade precisam sentir que
têm o apoio total dos líderes da igreja. Eles são a igreja! Vale a pena investir em seus sonhos e
objetivos.

C. ENVOLVIMENTO – Permitirr que a mocidade ajude nas atividades da igreja como


recepcionistas, na escola dominical ou dirigindo o louvor, acrescenta uma dimensão de
“pertencer à igreja”.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-3


D. ORAÇÃO – Nunca se deve pensar que os jovens não se reúnem para orar. Todas as idades
podem aprender o maravilhoso poder de Deus para responder às orações. Os jovens têm
necessidades que só Deus pode suprir. A oração é vital para qualquer grupo da mocidade.

E. ACAMPAMENTO – Os acampamentos são o melhor investimento que a igreja pode fazer na


vida de um jovem. Nenhum programa ministra aos jovens como um acampamento. Os
acampamentos de inverno e de verão geralmente são promovidos pelo Distrito. Entre em
contato com o representante da Mocidade do Distrito para saber as datas dos próximos
acampamentos e a possibilidade de ajudar nestes.

F. MATERIAL E TREINAMENTO – O Escritório da Mocidade Nacional e o Departamento da


Mocidade do seu Distrito têm material e treinamento disponíveis para ajudar a sua igreja a
ministrar aos jovens nesse aspecto. Procure-os para maiores informações.

13.1.5 MINISTÉRIO COM OS HOMENS

Os homens são o centro de qualquer desenvolvimento de igreja. Quando eles assumem sua
tarefa de buscar a Deus, vem uma liberdade para todos os outros ministérios da igreja. Os
homens são o núcleo para o crescimento geral da igreja.

A. GRUPOS PEQUENOS – O surgimento dos Guardadores de Promessas (Promise Keepers) e


outros ministérios de grande alcance fizeram ressurgir reuniões de homens com compromissos
sérios. Esses grupos proporcionam um ambiente seguro para confissões, responsabilidades,
discipulado e oração.

B. GRUPOS DE TRABALHO - Os homens podem formar grupos de trabalho para servirem à


igreja e à comunidade em diversas áreas. Consertos de carros, bicicletas, ou ajuda em mudança
pode contribuir para a igreja causar impacto na vida das pessoas. Também viagens para o
México ou outro campo missionário são ótimas oportunidades para os homens serem usados
por Deus.

C. GRUPOS DE ORAÇÃO – Algo poderoso acontece quando os homens se reúnem para orar. Os
grupos de homens que têm o propósito de orarem uns pelos outros, pelos cultos da igreja e
outras necessidades podem ser um elo vital para o crescimento dos homens e da igreja.

D. REUNIÕES MENSAIS – Quando os homens se reúnem mensalmente ou a cada trimestre para


buscar orientação de Deus e aprender, uma grande unidade surge. Tomar o café da manhã
juntos é uma grande oportunidade para evangelizar os amigos que não conhecem a Cristo.

13.1.6 MINISTÉRIO COM AS MULHERES

As mulheres normalmente têm mais facilidade do que os homens para reunir as amigas e
abertamente compartilhar em suas idéias, emoções e lutas. Os grupos de mulheres têm o
potencial de crescer rapidamente e de poder estabelecer comunhão com as mães casadas,
solteiras e as que trabalham.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-4


A. PEQUENOS GRUPOS – Há muitos lugares onde as mulheres podem se reunir. Esses grupos
podem ser formados para orar, compartilhar as necessidades, estudar a Bíblia e para
evangelização.

B. TRABALHO EXTERNO – Os grupos de mulheres podem oferecer muito para a igreja em


áreas práticas que tocam às famílias. Algumas poucas idéias são: preparar comida para outros,
oferecer uma carona para levar o filho da colega para a escola, telefonar para alguém que está
só.

C. MINISTÉRIO – Há várias áreas do ministério nas quais as mulheres podem estar


envolvidas:como líderes de louvor, ensino e principalmente naquele princípio bíblico de as
mulheres mais velhas ensinarem as mais novas.

D. ORAÇÃO – Quando as mulheres se reúnem para orar e interceder, a igreja é fortalecida e uma
das áreas mais poderosas da igreja é preenchida. As mulheres que não trabalham fora de casa
têm o privilégio de poderem orar juntas durante o dia. Círculos de oração podem ser
organizados para atender às necessidades das pessoas, e equipes podem se reunir para orações
especiais durante os cultos na igreja.

13.1.7 CASAIS

A família é o núcleo para a estabilidade tanto da igreja como da sociedade em geral. Como a
família está, assim está a igreja: as duas não podem se separar.

A. GRUPOS – Grupos especiais podem ser formados para os casais, tratando de assuntos tais
como relacionamentos conjugais, família em crescimento, ou administração das finanças.

B. CASAIS LÍDERES – Nos grupos da mocidade e na escola dominical há uma grande


necessidade de casais ministrarem juntos. Eles podem oferecer um bom mentoreado, pois a
igreja fica fortalecida quando eles ministram como uma equipe.

C. ACONSELHAMENTO CONJUGAL – Casais bem preparados são uma grande bênção para
aconselhamento pré-nupcial. Quando ensinam, os casais que contam suas experiências com
respeito mútuo causam um grande impacto.

D. REUNIÃO DE CASAIS – Há uma grande necessidade de se promoverem jantares, encontros à


noite e outros tipos de reuniões para os casais. Casais atraem casais, e isso proporciona
grandes oportunidades para evangelizar.

13.1.8 UNIVERSITÁRIOS/PROFISSIONAIS/SOLTEIROS
“Visto como pelo seu divino poder nos têm sido doadas todas as cousas que conduzem à vida e
à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e
virtude” – 2 Pedro 1:3

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-5


A. GRUPOS DE MINISTÉRIOS – Reuniões da igreja para ouvir música ou preletores especiais,
ou eventos, grupos familiares, trabalho externo.

B. CUIDADO E ATENÇÃO – Individual, grupos interativos, trabalho, finanças,


crianças/adolescentes (Ver Seção 1.5)

C. COMUNHÃO – Jantares, noites dos solteiros, viagens curtas, retiros, seminários,


acampamentos.

D. ORAÇÃO – Círculos de oração, centros de atendimento de emergência, grupos de oração.

E. GRUPOS DE APOIO – Recuperação de um divórcio, luto, problemas alimentares,


álcool/drogas, medo.

F. ASSISTÊNCIA – Mudança, aconselhamento sobre consertos de carro e casa, recomendações


legais.

13.1.9 IDOSOS

Os idosos são um segmento crescente na população em geral e na igreja. Eles têm oportunidade
para ministrar, evangelizar, e recursos financeiros abundantes, tempo e talentos.

Sua maturidade faz deles uma fonte que flui e através da qual podemos aprender. A maioria
dispõe de tempo livre, que pode ser dedicado voluntariamente à igreja ou à comunidade. Esse
ministério pode ser facilmente adaptado à sua comunidade ou situação local.

A. IDOSOS EM DESENVOLVIMENTO – Aprendizado é um processo contínuo, portanto ajude-


os a aprenderem. Assuntos como vida de aposentado, investir com sabedoria, o papel dos avós,
saúde e dieta, exercícios básicos, etc. são de grande interesse para os idosos.

B. IDOSOS NO TRABALHO – As oportunidades são muitas para os idosos servirem à igreja e à


comunidade. Missões, tanto internas quanto internacionais, projetos da igreja ou da
comunidade, tais como distribuição de alimentos, visitas, angariação de fundos,
correspondências, são algumas áreas nas quais eles podem atuar.

C. IDOSOS EM COMUNHÃO – Para cada faixa etária, a comunhão com os da mesma fé é muito
importante. Para facilitar isso, a igreja deve promover jantares, programas e eventos
especialmente voltados para os idosos. Excursões, viagens para o campo, passeios em lugares
interessantes próximos ou eventos locais são muito apreciados e fáceis de organizar.

13.1.10 GRUPOS FAMILIARES

A. PROPÓSITO – Grupos familiares são oportunidades em que as pessoas podem crescer no


Senhor mais intimamente do que num culto público. Em Atos 2:22-47, nós lemos que a igreja
primitiva se reunia publicamente para ensino, e diariamente, em suas casas, para comunhão.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-6


B. ELEMENTOS COMUNS

1. LOUVOR – Antes de mais nada, precisamos nos assegurar de que aquilo que fazemos
como igreja deve ser reproduzido (Jesus não possuía piano, órgão, nem mesmo uma
guitarra, mas, mesmo assim, Ele e Seus discípulos louvavam). Se alguém especialmente
treinado ou bem capacitado for requisitado para liderar o louvor num grupo familiar, então
os grupos ficam limitados ao número de líderes disponíveis. No entanto, se tudo o que for
feito for reproduzível, nada impedirá a multiplicação dos grupos.

2. ENSINO – Existem muitas maneiras de ensinar: estudo bíblico, compartilhamento, estudo


sobre um determinado assunto, anotações da pregação do pastor, etc. A despeito do estilo
escolhido, a ênfase deve sempre ser em levar as pessoas a Cristo e exaltar o nome de
Jesus. O mais eficiente grupo familiar trata sobre como viver praticamente a vida cristã e
envolve muita iteração entre os membros.

3. ORAÇÃO – A oração é ponto básico e deve concentrar-se nas necessidades pessoais dos
que participam do grupo. O líder deve encorajar os outros a orarem e todos os demais a
participarem desse aspecto da reunião.

4. DISCIPULADO – O alvo principal é ajudar os outros a se tornarem “independentes, mas


dependentes de Jesus Cristo como Senhor”. Isso é conseguido:
a. criando-se um ambiente onde as pessoas podem observar outros cristãos mais maduros
e tê-los como modelo de vida, o que se faz com testemunhos pessoais a respeito das
necessidades, vitórias, fraquezas e falhas de cada um;
b. criando-se um ambiente onde as pessoas se aceitam e se submetem a outros para o seu
próprio crescimento pessoal;
c. pressionando-se as pessoas a saírem da sua zona confortável e experimentarem um
crescimento espiritual mais profundo.

5. TRABALHO EXTERNO (Ver Seção 13.3 – Trabalho Externo)

6. COMUNHÃO – À medida que a igreja vai crescendo, ela vai perdendo a capacidade de
atender às necessidades individuais das pessoas. Os grupos familiares podem providenciar
esse toque íntimo e são mais eficientes quando a média de pessoas gira em torno de 8 a 12
adultos. Quanto mais o grupo cresce, menor se torna a intimidade.

C. LIDERANÇA – A chave para que qualquer ministério se torne efetivo é a liderança. Cada
grupo precisa ter um líder que tenha a responsabilidade pessoal pelo crescimento e bem-estar
do grupo.

1. Os líderes devem ser escolhidos tanto por sua espiritualidade quanto por sua capacidade de
liderança. O compromisso com a igreja e com o pastor também é elemento essencial para o
trabalho saudável a longo prazo.

2. Os futuros líderes podem ser desenvolvidos acompanhando os grupos existentes. O líder


deve recrutar um aprendiz e ensiná-lo a ministrar, de modo que, quando o grupo crescer,

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-7


pode gerar um novo grupo, com o aprendiz passando a ser o líder do novo grupo ou ficando
como líder do grupo inicial.

D. LOCAL DA REUNIÃO – Apesar de um grupo familiar poder se reunir em qualquer lugar,


existem vários pontos que precisamos ter em mente em relação ao lugar escolhido:

1. Precisa ser consistente – Se o local não for consistente, as pessoas se sentirão inseguras.

2. Precisa ser de um tamanho apropriado – nem muito grande nem muito pequeno para grupo.

3. Precisa ser seguro – As pessoas precisam sentir que estão se reunindo num lugar sem
problemas, para se sentirem seguras; caso contrário elas não se farão presentes. O local
precisa ser seguro tanto dentro quanto fora, para os adultos e crianças (se incluídas).
Precisa, também, ser um lugar onde as pessoas se sintam confortáveis para abrir o seu
coração e discutir assuntos íntimos sem medo de serem criticadas, tendo a certeza de que o
que falaram será mantido em segredo.

E mais: As orientações apresentadas em “Sua Igreja: Um Lugar Seguro Para as Crianças”


devem ser seguidas à risca na escolha dos líderes dos grupos familiares e nos
procedimentos da igreja local para esses grupos .

E. UM PROPÓSITO CLARO – O propósito de um grupo familiar precisa ser claramente definido


e aceito (evangelístico, discipulado, oração, intimidades com Deus, estudo bíblico e outros).

F. CRIANÇAS – Os grupos devem decidir claramente o que vão fazer com as crianças. Alguns
não permitem crianças; outros providenciam pessoas para cuidarem das pequenas, e ensino
bíblico separado para as maiores; outros preferem mantê-las junto com o grupo. Faça o que for
melhor para o grupo e para as crianças.

13.1.11 MÚSICA/ADORAÇÃO

O propósito da música e do louvor numa Igreja Quadrangular local é o de preparar o coração da


congregação para estar focalizado em Deus através do louvor, ou seja, do que Deus tem feito
(suas poderosas obras, milagres e sinais) e da adoração, lembrando o que Deus é (majestoso,
glorioso, nosso Médico, etc.)

O louvor é o evento mais regional e cultural de cada geração que afeta a vida da igreja e deve
ser ministrado com sensibilidade para atrair aqueles a quem Deus chamou para serem
conquistados pela igreja.

A. EQUIPE DE LOUVOR – O desenvolvimento espiritual e o treinamento de uma equipe de


louvor para ministrar o coração de Deus em unidade para a congregação, na evangelização, é
uma parte essencial do ministério do pastor e da igreja. É um processo contínuo e o pastor
sábio investe em mais de uma pessoa, ou de um só grupo de pessoas, nesse importante
ministério.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-8


1. Vocais – São uma oportunidade para os vocalistas desenvolverem e treinarem seus
talentos, compreendendo-se que o talento não substitui a necessidade de uma vida
correta diante de Deus e que é essencial para um louvor cheio de vida.
2. Instrumentos – Os músicos precisam de incentivo e de ter oportunidade para formar um
grupo unido que dê suporte musical para o louvor. A beleza de instrumentos bem
tocados perante o Senhor, para glorificar a Jesus, em vez de ser uma exibição das
habilidades individuais, levará o povo a uma verdadeira adoração.

B. CORAL – Os corais oferecem uma maravilhosa oportunidade para aqueles que têm diversos
talentos para ministrarem. Os corais permitem que o corpo de Cristo louve e sirva
individualmente e dá um senso de aceitação e de ser parte do grupo.

C. MÚSICAS ESPECIAIS – Há uma enorme variedade de talentos e estilos que podem ser
utilizados para proclamar o Evangelho a pessoas de todas as idades, da pré-escola à velhice.

D. LOUVOR EXPRESSIVO – Muitas igrejas têm chegado à conclusão de que dramas, mímicas,
danças, estandartes, etc. são meios muito eficientes de se conseguir um louvor significativo
tanto para os membros da igreja quanto para os visitantes. Há muito material, nas livrarias
cristãs, que pode ajudar no desenvolvimento dessas formas de expressar louvor.

E. DIREITOS AUTORAIS – A reprodução de músicas, letras, roteiro de peças e dramas,


transparências, hinários, material de ensino, etc. é regida pelas leis de direitos autorais. A
infração a essas leis está sujeita a penalidades. A fim de ministrar com integridade, as Igrejas
quadrangulares devem obedecer integralmente a tais leis. Há muitos escritórios de
representação que podem ajudar as igrejas a reproduzir esses materiais legalmente. Os custos
são geralmente baseados na média de freqüência aos cultos, de modo que até mesmo as igrejas
pequenas podem cumprir a lei. Uma agência que provê uma extensa lista de direitos autorais
por um preço razoável é Christian Copyright Licensing, Inc., 17201 NE Sacramento St.,
Portland, OR 97230 (800-234-2446).

13.1.12 MINISTÉRIO DE ACONSELHAMENTO

Reconhecendo que o ministério às vezes precisa ser especializado, algumas partes das igrejas
devem ser voltadas para o cuidado com as necessidades especiais dos idosos, deficientes e
crentes dependentes, dentro de suas igrejas e comunidade (1 Tessalonicenses 5:14b). Esses
ministérios não devem criar ou permitir dependências, mas sim ajudar cada um a ter uma vida
independente. Algumas possibilidades são:

A. CUIDADOS COM IDOSOS DEPENDENTES – Como as pessoas estão vivendo mais


tempo, há mais pessoas idosas dependentes, que precisam dos mais variados tipos de
assistência para poder viver por sua própria conta, tais como:

1. Alimentação – Sem uma ajuda regular, alguns idosos não podem ter uma dieta correta e
balanceada. As igrejas, nas áreas onde existe o programa Meals on Wheels (comida
sobre rodas), podem conseguir voluntários para pegar as refeições para os idosos. Nas

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-9


áreas onde não existe esse programa, as igrejas podem introduzi-lo e/ou providenciar
transportes para a mercearia, fazer compras para eles, ou levá-los até o centro de
alimentação.
2. Casa – Freqüentemente pequenas tarefas são muito difíceis para os idosos. Os
voluntários da igreja podem fazer consertos simples, cortar grama, limpar a casa, lavar
os pratos, etc., a fim de tornar a vida do idoso mais alegre. A igreja também pode ajudar
os idosos encontrando um local mais adequado para eles morarem e fazer a mudança.
Muitas Igrejas Quadrangulares estão pensando em prover asilos para atender aos idosos
das respectivas comunidades.
3. Assuntos Pessoais – Visitas freqüentes são uma bênção para os idosos solitários.
Cuidado temporário depois de hospitalização, ajuda em assuntos pessoais - tais como:
pagamentos de contas, escrever cartas, resolver assuntos bancários - são alguns
exemplos de apoio aos idosos.
4. Assistência Jurídica – Assuntos tais como testamento ou a determinação de um
procurador para tratar dos negócios e da saúde do idoso são normalmente
negligenciados até os últimos anos de vida . Os parentes mais próximos nem sempre
estão disponíveis. Os pastores devem estar bem informados acerca dos conflitos de
interesses quando se trata de assuntos legais e não devem oferecer conselhos nessa área
. Pelo contrário, devem recomendar advogados cristãos para aqueles que necessitam de
orientação jurídica (Ver também Seção 13.1.9).

B. OS DEFICIENTES FÍSICOS – Os avanços médicos e tecnológicos têm permitido que os


deficientes vivam mais e independentemente. Por isso eles constituem hoje um segmento
crescente da população e oferecem grandes oportunidades para a igreja. A igreja deve
também estar bem familiarizada com o “American’s with Disability Act” (ADA – Lei para
os americanos com deficiência) e com as leis antidiscriminatórias com respeito ao
atendimento e emprego dos deficientes.

1. Prédio – O lugar do culto deve ser de fácil acesso para o deficiente (i.e.,
estacionamento, entrada do templo , banheiros, etc. devem estar adaptados).
2. Cuidados Pessoais – Assistência para a compra de aparelhos é uma grande necessidade
entre os deficientes.
3. Conscientização – É indispensável aumentar a conscientização da igreja sobre essas
pessoas especiais, providenciando um intérprete da linguagem dos surdos-mudos para
os que têm deficiência auditiva, bancos especiais com espaço maior para facilitar as
manobras das cadeiras de rodas, sinalização e bíblias com letras grandes e/ou no
sistema Braille para os deficientes visuais, etc. Essas providências serão uma bênção
não apenas para os que usufruirão diretamente delas mas também para que a igreja se
torne mais sensível às necessidades e à presença dos deficientes. Também deve se
pensar cuidadosamente na possibilidade de aproveitá-los como membros do conselho,
ou de uma comissão de trabalho, como professores, secretários, etc.

C. GRUPOS DE APOIO – O aconselhamento pessoal e o encorajamento aos que têm


necessidade geralmente são deixados aos cuidados do mundo secular. Há uma grande
oportunidade para a igreja oferecer um lugar para que os dependentes químicos, por
exemplo, encontrem compreensão, bem como orientação sobre como superar sua
9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-10
dependência. Outros grupos de apoio que a igreja pode ter são: orientação em casos de
maus hábitos alimentares, excesso de peso, luto, vícios sexuais ou abuso matrimonial
(algumas igrejas estabeleceram um programa para dar orientação àqueles que abusam do
cônjuge e de crianças que se credenciam para um programa de reabilitação realizado pela
corte e os juízes irão determinar ao réu os termos específicos de sua participação.
Verifique com o “County Probation Department” (Departamento de Correção do
Município) de sua cidade para saber quais são os requisitos).

D. DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS – (Ver Seção 13.3)

E. SEM TETO – ABRIGOS/GRUPO DE CASAS – (Ver Seção 13.3)

13.1.13 EVANGELISTAS

As Escrituras deixam bem claro que o ministério de evangelista é importante na vida da Igreja.
O Apóstolo Paulo instruiu Timóteo: “Tu, porém, sê sóbrio em todas as coisas, suporta as
aflições, faze o trabalho de evangelista, cumpre integralmente o teu ministério” (2 Timóteo
4:5). Para a igreja em Éfeso, Paulo escreveu: “E ele mesmo concedeu uns para apóstolos,
outros para profetas, outros para evangelistas...” (Efésios 4:11).

A. MINISTÉRIO DE EVANGELISTA – Os evangelistas são um grande apoio para a igreja local


e completam o ministério do pastor titular. Eles normalmente têm uma capacidade especial para
certas áreas do ministério, como para trabalhar com crianças, músicos, dons de curas, ou um
ministério especial de ensino. O âmbito de alcance de experiência e consciência da igreja pode
ser alargado pelo ministério do evangelista.

B. ENVOLVIMENTO DO EVANGELISTA – Há muitas ocasiões em que o ministério do


evangelista é de grande ajuda como, por exemplo, quando há uma série de mensagens sobre um
determinado assunto. Os evangelistas especialmente capacitados para ministrarem aos homens,
mulheres ou crianças devem ser usados em eventos especiais desses grupos.

C. COMO ENCONTRAR UM EVANGELISTA – O livro anual da Igreja Quadrangular contém


uma lista dos evangelistas quadrangulares. Entre em contato com o escritório do seu Distrito
para obter recomendações dos que estão disponíveis para pregar em sua igreja.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-11


13.2 O CULTO NA IGREJA
(Ver 13.2.11, para as referências anotadas nesta seção.)

13.2.1 PROPÓSITO E PROCEDIMENTO


Por que temos cultos? Por que nos reunimos ao redor do mundo nas Igrejas Quadrangulares
locais? A resposta se encontra em nossa teologia. A teologia é o “porquê” daquilo que
fazemos, e é baseada na Palavra de Deus. Nós nos reunimos e realizamos cultos normalmente
para cumprir cinco propósitos claramente revelados a nós nas Escrituras:

A. PARA DAR GLÓRIA A DEUS (Efésios 1:12);


B. PARA EQUIPAR OS SANTOS PARA A OBRA DO MINISTÉRIO (Efésios 4-12);
C. PARA EDIFICAR O POVO DE DEUS TENDO EM VISTA O CRESCIMENTO DESSE
POVO (Efésios 4:12-16);
D. PARA EVANGELIZAR OS PERDIDOS (Mateus 28:19-20); e
E. PARA OBEDECER À PALAVRA DE DEUS (Hebreus 10:25).

O procedimento diz respeito a “como” realizar os cultos. Embora o Novo Testamento diga
“por que” devemos realizar os cultos, ele nunca estabeleceu um modelo de “como” um culto
deve ser feito. Quando muito, há apenas alguns vislumbres da igreja orando e em comunhão,
partindo o pão, usando os dons espirituais e se reunindo para ouvir a pregação (*). A razão por
que os primeiros cristãos se reuniam (a teologia) está clara, mas a maneira como eles se
reuniam (o procedimento) não está. Não responde, por exemplo às seguintes perguntas: Como
eles organizavam seus cultos? Quanto tempo durava o culto? Como eles batizavam? A
mensagem expositiva era a regra? Que canções eles cantavam?

O fator constante, imutável, que deve dirigir cada igreja é o propósito de Deus. Assim como o
próprio Deus, seus propósitos também permanecem os mesmos, de geração a geração.(*) Os
propósitos nunca devem ser mudados para melhorar, nem postos de lado por serem
considerados irrelevantes. Porque não foram inventados, mas recebidos, a igreja deve expandir
esses propósitos imutáveis de Deus nesta geração em particular.(*)

Portanto é prudente e de grande ajuda fazer a distinção entre o que é constante - escritura,
teologia e propósitos de Deus - e o que é variável - métodos, estilos e procedimentos. Uma
multiplicidade de variáveis contribui para uma extensa diversidade dentro das igrejas. O
horário dos cultos, os locais onde são realizados, a duração e a ordem desses cultos são
procedimentos que devem ser considerados com muito critério por cada pastor, depois de ouvir
opiniões dos homens e das mulheres de Deus. A etnia da comunidade e da igreja, a maturidade
e o nível de treinamento da liderança da igreja local, a época e a ênfase do Espírito Santo, bem
como as necessidades e desafios da comunidade, são considerações que devem ser levadas em
conta quando se planeja um culto que possa atender ao povo e cumprir os propósitos do céu.
Muitos recursos para a realização de vários tipos de cultos estão disponíveis nas livrarias
cristãs e na Internet.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-12


13.2.2 CULTOS SEMANAIS

As Igrejas Quadrangulares que desejam ser fiéis ao cumprimento dos propósitos de Deus em
sua geração têm que dar prioridade aos itens seguintes em seus cultos semanais

A. LOUVOR CONGREGACIONAL

“Àquele que está assentado no trono e ao Cordeiro sejam o louvor, a honra, a glória e o
poder, para todo o sempre!” (Apocalipse 5:13 – NVI)

O livro do Apocalipse lembra-nos que toda a história está se movendo na direção de um


objetivo, que é o louvor congregacional. A prática do louvor congregacional e a participação
nele cumpre o propósito de Deus de ter criado o homem para o seu louvor e sua glória. Jesus
Cristo é o cabeça da igreja. É por causa de Sua gloriosa pessoa e maravilhosa obra que toda
adoração é devida a Ele. Portanto a expressão de nossa adoração e louvor é de suma
importância. Essa centralidade deve ser assegurada pelos líderes por ocasião dos cultos.

B. ORAÇÃO

“Eles se dedicavam às... orações” (Atos 2:42 – NVI)

O livro de Atos mostra quão essencial é a oração, para que a igreja cause impacto nesta
geração. A própria igreja nasceu numa reunião de oração com a gloriosa descida do Espírito
Santo. Além disso, a igreja, através da oração, é fortalecida para poder realizar sinais e
maravilhas.

Quando a igreja ora, ela recebe atribuições específicas do céu, recebe visitas de anjos e
salvação dos perdidos. Está muito claro nas Escrituras que os propósitos de Deus na terra
avançam através da oração. Portanto uma tarefa dos líderes é preparar o povo para orar pelas
autoridades governamentais, pelos doentes, pelos perdidos, pelos dons do Espírito e para a
expansão do reino. É essencial separar um tempo para oração em nossas reuniões.

C. ENSINO E PREGAÇÃO

“Até a minha chegada, dedique-se à leitura pública da Escritura, à exortação e ao ensino” (1


Timóteo 4:13 – NVI)

A pregação e o ensino fiel das Escrituras são fundamentais para a saúde espiritual da igreja
local. É através da proclamação da Palavra que Deus salva os que crêem, e é por meio do
ensino da palavra que o Seu povo é alimentado. A maioria dos cultos tem como carro-chefe a
pregação e o ensino da Palavra de Deus. O importante para aqueles que se reúnem para ouvir a
Palavra é que eles sejam preparados para fazerem a vontade de Deus e poderem ser
conduzidos a Sua presença. Portanto é uma incumbência de cada líder dar prioridade ao
estudo e à preparação para uma rica exposição da Palavra de Deus.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-13


D. CONTRIBUIÇÃO COLETIVA

“Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois
Deus ama quem dá com alegria” (2 Coríntios 9:7 – NVI).

Os crentes devem ser bons administradores de tudo o que Deus lhes dá. Quando a igreja se
reúne, o povo deve ter a oportunidade de dar de si mesmo - seu tempo, sua energia e suas
finanças - para a obra de Cristo. Através dos dízimos e ofertas semanais, Deus é adorado, a
igreja visível é sustentada, os pobres são ajudados e a grande obra de Cristo na terra é
ampliada.

E. COMUNHÃO

“Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos, e à comunhão...”(Atos 2:42 – NVI)

Comunhão (Koinonia) é uma nova maneira de as pessoas se relacionarem umas com as


outras. Tem sido definida como “...compartilhar com os nossos irmãos as coisas que Deus tem
revelado a nós a Seu próprio respeito, na expectativa de que assim eles possam conhecê-lo
melhor”. Outra definição é: “...procurar repartir com os outros aquilo que Deus tem revelado
a nós, para que eles possam receber forças, renovação e orientação para suas almas”. O
fortalecimento de uma comunhão em que um amor evidente e a unidade crescem entre os
irmãos depende de uma estrutura que convide e encoraje à prática diária da idéia de “uns com
os outros” encontrada cinqüenta e uma vezes no Novo Testamento.

F. MINISTÉRIO

“Mas vocês serão chamados sacerdotes do Senhor, ministros do nosso Deus”


(Isaías 61:6 – NVI)

O esforço semanal para equipar a igreja vai prepará-la para se tornar um povo que serve a
Deus. Através do desenvolvimento de suas habilidades ministeriais, as pessoas se tornarão
aptas para atingir as necessidades das outras, quer sejam necessidades visíveis ou não. Um
trabalho compassivo de cuidar dos doentes, dos pobres, dos sem-teto, dos perdidos, dos
abatidos, através de aconselhamento, sustento e ajuda, é sinal de um cristianismo autêntico.

G. MISSÕES

“A primeira razão para a vinda de Jesus nunca deve ser a segunda razão da existência da
igreja” (Dr. Don McGregor)

A Igreja do Evangelho Quadrangular é um movimento missionário! Missões sempre têm sido a


nossa resposta à visão de um mundo perdido e necessitado. Um antigo missionário do passado,
Robert Moffat, lembra-nos: “Nós temos a eternidade inteira para nos alegrarmos com as
nossas vitórias, mas apenas uma curta existência na qual temos que conquistá-las.” Assim
sendo, uma igreja fiel deve ter o cuidado de manter a sua visão missionária e evangelística,
deve envolver os seus membros com essa visão, para que eles possam contribuir para as

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-14


missões, orar por elas, e para que estejam sempre informados sobre o trabalho missionário e as
oportunidades de evangelização externa.

H. TREINAMENTO

“E as palavras que me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confie-as a homens


fiéis que sejam também capazes de ensinar outros”( 2 Timóteo 2:2 – NVI)
Como podemos capacitar as pessoas para crescerem, desenvolverem-se e se tornar líderes? A
resposta é: TREINAMENTO! “O treinamento começa com ensino, mas continua com o mesmo
trabalho de ensinar às vidas daqueles que estão sendo treinados, até que eles possam, com
sucesso, fazer a obra sozinhos”. Uma igreja viva tem que fazer planos para recrutar,
desenvolver, treinar e enviar pessoas para a obra de Jesus Cristo, tanto dentro quanto fora da
igreja. O apóstolo Paulo sabia, na passagem acima, que os convertidos acabam em uma
geração, mas os discípulos (Mathetes: os treinados) irão transmitir a sua fé por quatro gerações
ou mais: Paulo> Timóteo> homens fiéis> outros!

13.2.3 O CULTO DE ADORAÇÃO

“A adoração do Novo Testamento ocorre quando Jesus é o foco, o Espírito Santo está na
direção, a congregação participa, e a igreja é edificada”.

A. PREPARAÇÃO ANTECIPADA DO PASTOR

1. Ore fervorosamente para descobrir o que Deus quer fazer e dizer à igreja coletiva e,
individualmente, àqueles que vierem para o culto;

2. Informe ao dirigente de louvor qual será o tema da mensagem e os objetivos;

3. Separe um tempo para orar junto com a equipe de louvor, com os obreiros e com todos
aqueles que irão ter uma participação no culto. O objetivo é que todos estejam no mesmo
espírito, quando o pastor estiver perante o povo;

4. Entenda que o propósito do louvor é preparar o coração das pessoas para se focalizar em
Deus através do louvor (louvando pelo que Ele tem feito – Suas obras) e através da
adoração (adorando pelo que Ele é – pelo Seu caráter).

5. Respeite os direitos autorais. Toda reprodução de palavras, transparências, ou de hinários é


regida pelas leis de direitos autorais e qualquer violação a essas leis está sujeita a
penalidades. A fim de andar na integridade, algumas agências providenciam meios para
ajudarem às igrejas. Uma dessas agências é a Christian Copyright Licensing, Inc., 17202
N.E. Sacramento St., Portland, OR 97230 (800-234-2446).

B. PREPARAÇÃO ANTECIPADA DO DIRIGENTE DE LOUVOR

1. Ore e busque a direção de Deus;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-15


2. Fale com o pastor acerca do tema da pregação. Anote qualquer hino ou corinho que ele
deseja que se cante durante o período de louvor;

3. Escolha as músicas que serão cantadas em cada parte do culto;

4. Normalmente comece com música de ritmo mais acelerado e vá conduzindo o povo a um


louvor e adoração em unidade;

5. Siga o tema da mensagem durante o período de louvor;

6. Faça um ensaio semanal com a equipe de louvor;

7. Procure novas canções que se ajustem ao estilo e ao ministério de sua igreja. (O


Departamento Nacional de Louvor da Igreja Quadrangular é uma excelente fonte de
informações, materiais e recursos para o louvor).

13.2.4 O CULTO DE BATISMO

As ordenanças da igreja são ritos externos ou cerimônias simbólicas ordenadas por Jesus, as
quais apresentam verdades cristãs essenciais. O termo “ordenanças” vem de uma palavra
latina “ou faça” que significa “fileira” ou “ordem”; por extensão significa algo ordenado e
reforçado por uma autoridade apropriada.

O batismo assim como a comunhão há muito têm sido reconhecidos pela igreja (Justino Mártir,
Tertuliano, Agostinho, Crisóstomo, etc.) como as duas ordenanças dadas pelo Senhor para a
Sua igreja.

A. PREPARAÇÃO DO PASTOR
1. O pastor precisa certificar-se de que o candidato é um crente salvo. Ele precisa esclarecer
para o candidato que a água do batismo não é um meio para a salvação, mas que é uma
confissão de fé pública em Cristo;
2. O pastor deve preparar-se para apresentar uma breve mensagem a respeito do batismo nas
águas;
3. O pastor pode preparar o candidato antecipadamente para dar um testemunho pessoal de
sua nova fé em Cristo;
4. O Certificado de Batismo deverá ser entregue ao candidato após a cerimônia (Pedidos de
certificados podem ser feitos pelo telefone 800-992-7444 – Centro Nacional de Recursos da
Igreja do Evangelho Quadrangular).

B. A PREPARAÇÃO DO CANDIDATO

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-16


1. É responsabilidade da liderança da igreja orientar o novo convertido a seguir o Senhor
nesse ato de obediência. As seguintes perguntas e respostas são uma excelente ferramenta
para preparar o candidato para o batismo nas águas.

a. QUEM DEVE SER BATIZADO?


1) As pessoas que ouviram a pregação de Pedro no dia de pentecostes perguntaram:
“Que faremos, irmãos?” (Atos 2:37). Ele respondeu: “Arrependei-vos, e cada um de
vós seja batizado...”(v.38). A reação deles: “Então os que lhe aceitaram a palavra
foram batizados...”(v.41).
2) “Quando, porém, deram crédito a Filipe, que os evangelizava a respeito do reino de
Deus e do nome de Jesus Cristo, iam sendo batizados, assim homens como
mulheres”(Atos 8:12).
3) “O próprio Simão abraçou a fé e, tendo sido batizado, acompanhava a Filipe de
perto...” (Atos 8:13).
CONCLUSÃO: Nesses registros de batismo, está demonstrado que a pessoa primeiro se
“arrependia” do pecado e “cria” em Cristo, e depois era batizada. A pessoa precisa
crer em Cristo para ser elegível para o batismo.

b. POR QUE SER BATIZADO?


1) Para seguir o exemplo de Cristo. Cristão é um “seguidor de Cristo”. “Jesus... foi
batizado por João no rio Jordão” (Marcos 1:9-11).
2) É uma ordem de Jesus. Ele orientou seus discípulos: “Ide, portanto, fazei discípulos
de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.”
(Mateus 28:19).
3) É o padrão seguido pelos crentes do Novo Testamento. “...muitos dos coríntios,
ouvindo, criam e eram batizados” (Atos 18:8).

CONCLUSÃO: O batismo mostra nossa lealdade e obediência a Cristo e à Sua Palavra.


“Ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos” (1
João 2:3).

c. QUANDO DEVEMOS NOS BATIZAR?

O exemplo mais detalhado de um batismo é encontrado em Atos 8, quando Filipe falou


ao eunuco a respeito de Cristo: “Então Filipe explicou e, começando por esta passagem
da Escritura, anunciou-lhe a Jesus. Seguindo eles caminho a fora, chegando a certo
lugar onde havia água, disse o eunuco: Eis aqui água. Que impede que seja eu batizado?
...Então ambos,Filipe e o eunuco, desceram à água, e Filipe batizou o eunuco” (Atos
8:35-38).
CONCLUSÃO: Não há razão para demora. Logo que uma pessoa declara sua fé em
Cristo, ela pode ser batizada.

d. COMO DEVEMOS SER BATIZADOS?

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-17


1) “Batizado Jesus, saiu logo da água (Mateus 3:16).
2) “Então ambos, Filipe e o eunuco, desceram à água, e Filipe batizou o eunuco”(Atos
8:38).

e. QUAL É O SIGNIFICADO DO BATISMO?

1) A palavra grega “bapto” significa “mergulhar” ou “lavar”. A água do batismo é um


símbolo externo de uma limpeza e renovação interna que ocorre quando alguém crê
em Cristo. “...Ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito
Santo...” (Tito 3:5).
2) O batismo também é um símbolo da união do salvo pela fé com Cristo em sua
morte, sepultamento e ressurreição. “Ou, porventura, ignorais que todos os que
fomos batizados em Cristo Jesus, fomos batizados na sua morte? Fomos, pois,
sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado
dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de
vida. Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente o
seremos também na semelhança da sua ressurreição” (Romanos 5:3-5)
3) O batismo é uma confissão pública de nossa nova vida em Cristo e um sinal de
nossa obediência à Sua Palavra.

C. A CERIMÔNIA DO BATISMO

1. O culto de batismo deve ter uma conotação de celebração;


2. O pastor deve fazer todo o possível para os pais assistirem ao batismo de seus filhos;
3. Antes de imergir o candidato, o pastor pode dizer:
“Mediante a sua confissão de fé em Jesus Cristo como Salvador e Senhor, e em obediência
ao Seu mandamento, eu o batizo em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”.

13.2.5 O CULTO DA CEIA

Na comunhão, Deus nos dá um memorial que é mais poderoso do que qualquer outro memorial.
O fato de nos lembrarmos do amor sacrificial de Deus tornou-se uma nova fonte de cura para
nós.

A. O PROPÓSITO

1. É um ato de obediência ao mandamento do Senhor (1 Coríntios 11:23,25);


2. É um memorial da morte redentora de Jesus e de seu sangue derramado
(Lucas 22:29);

3. É uma proclamação, um ato de confissão da igreja, de fé na eficácia da obra redentora de


Cristo: “anunciais a morte do Senhor, até que Ele venha” (1 Co. 12:26);

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-18


4. É uma experiência de comunhão com o Senhor (1 Coríntios 10:16);
5. É uma comunhão (koinonia) de cristãos à mesa do Senhor e uma declaração da unidade do
corpo de Cristo (1 Coríntisos 10:17).
B. PREPARAÇÃO

1. Mesa – O pão e o cálice da comunhão devem ser dispostos de uma forma apropriada,
proporcionando uma bela aparência;
2. A forma de servir deve ter sido combinada antes, de modo que a cerimônia seja conduzida
com dignidade;
3. É necessário pensar no seguinte:
a. O que Cristo gostaria que fosse lembrado à Sua mesa?
b. Qual é a melhor forma de se praticarem ações de graças
(significado da Ceia do Senhor)?
c. Com que disposição alguém deve participar da comunhão?
d. Como o louvor na Ceia pode se tornar um testemunho do poder de Cristo?
C. APRESENTAÇÃO
1. A maneira de distribuir o pão e o cálice varia de igreja para igreja. Os membros podem vir à
frente ou serem servidos nos lugares onde estiverem sentados;
2. O convite para participar da Ceia deve ser extensivo a todos os que fazem parte do Corpo
de Cristo;
3. Uma sugestão para a ordem do culto:
a. O pastor fica atrás da mesa da Ceia, dá uma breve explicação sobre a cerimônia e
convida todos os salvos a participarem;
b. Lêem-se passagens das Escrituras relacionadas com a instituição da Ceia do Senhor, e
ora-se ;
c. Os diáconos (após servirem a ceia) retornam para a frente, para serem servidos pelo
pastor;
d. A igreja deve ser orientada a segurar o pão em suas mãos até que o pastor ore pedindo
as bênçãos de Deus sobre o pão; depois todos comem ao mesmo tempo;
e. O mesmo procedimento pode ser usado para o cálice, a menos que todos bebam à
medida que forem sendo servidos.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-19


13.2.6 CASAMENTO (Ver Seção 16A – Modelo dos Procedimentos da Igreja para o Casamento.)

“Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne”
(Gênesis 2:24).

O casamento é uma instituição tão humana quanto divina (civil e religiosa). Como uma
instituição civil, ele tem ramificações legais, com leis aprovadas. Portanto o pastor deve
informar-se a respeito das leis de seu Estado para se qualificar para oficiar casamentos nesse
Estado. As leis referentes ao registro dos casamentos devem ser seguidas à risca. O pastor deve
verificar tudo cuidadosamente quando qualquer estranho solicitar a realização de um
casamento.

O pastor deve estar bem familiarizado com os estatutos da Igreja Internacional do Evangelho
Quadrangular no que diz respeito a divórcio e casamento (Ver Apêndice da Seção 1, Artigo
14.4B).

A. ACONSELHAMENTO PRÉ-MARITAL – Nunca é demais enfatizar a importância do


aconselhamento pré-marital. A cada ano, mais de um milhão de casais terminam o seu
casamento, divorciando-se . É responsabilidade do pastor ajudar o casal a entender os votos que
irão fazer diante de Deus. O pastor pode dar uma grande ajuda, antes da troca de votos,
auxiliando o casal:

1. a concluir se Deus está mesmo dirigindo-os a fazerem um compromisso um com o outro


pelo resto da vida;

2. a verificar cuidadosamente as áreas de possíveis conflitos no casamento, tais como:


a. diferenças de experiências anteriores;
b. diferenças religiosas;
c. atitudes com respeito ao sexo;
d. planos para terem filhos;
e. assuntos financeiros (seguro, compras a prazo, gastos, orçamento, dízimos);
f. planos para o futuro (objetivos profissionais e educacionais, necessidade de morar longe
dos pais e de outros membros da família e de amigos);
Livros, fitas e vídeos ajudam muito o pastor na preparação dos casais, nos aspectos acima
mencionados.

3. a entender o significado bíblico dos votos do matrimônio, o papel individual de cada um no


casamento e os princípios divinos para um relacionamento amoroso pelo resto da vida.

C. PLANOS PARA ANTES DA CERIMÔNIA DE CASAMENTO

1. O pastor deve se informar sobre que tipo de cerimônia o casal deseja: formal ou informal,
interna ou externa.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-20


2. Muitas igrejas possuem um consultor de casamento. Alguns casais contratam o serviço
desse profissional, para cujo pagamento é destinada parte da taxa cobrada. Outros fazem o
pagamento ao consultor separadamente. Deve ser esclarecido que o consultor dá conselhos
a respeito da cerimônia, mas não tem a palavra final. Consultores designados pela igreja
para a coordenação de casamentos devem seguir a política de casamento da igreja. Afinal,
a cerimônia deve ser uma bênção para o casal de noivos, por isso deve ser feito todo o
possível para se atender ao desejo do casal e fazer com que o seu casamento seja um
acontecimento lembrado com alegria pela vida toda.

3. O pastor deve assistir aos ensaios para o casamento. Nessa ocasião, são dadas as instruções
para os convidados, diáconos, músicos, e todos os demais participantes da cerimônia. O
pastor deve examinar cuidadosamente a licença de casamento, antes de oficiar a cerimônia
e verificar se todos assinaram o documento. Se a cerimônia for realizada por mais de um
pastor, é necessário que cada um saiba antecipadamente como será a sua participação.

4. É mais fácil seguir as orientações de quem entende. Existem bons livros de etiqueta e ética,
com informações detalhadas a respeito dos planos pré e pós-cerimônia. Esses livros podem
ser de grande ajuda para o pastor, para o coordenador de casamentos, e para o casal planejar
a cerimônia e a recepção.

C. A CERIMÔNIA DO CASAMENTO (Esboço de uma seqüência do culto)

1. Os diáconos acompanham os avós do noivo e pedem para eles se sentarem na segunda fila,
do lado direito;
2. Os diáconos acompanham os avós da noiva e pedem para eles se sentarem na segunda fila,
do lado esquerdo;
3. Os diáconos acompanham os pais do noivo e pedem para eles se sentarem na primeira fila,
do lado direito;
4. Os diáconos acompanham a mãe da noiva e pedem para ela se sentar na primeira fila, do
lado esquerdo, onde, mais tarde, se sentará o pai da noiva;
5. Processionário (ordem de entrada):
a. O pastor, o noivo e o seu padrinho ficam em frente ao corredor central;
b. Os diáconos, junto com as damas de honra, ficam na frente;
c. A dama de honra principal se coloca na frente;
d. O portador das alianças e a “florista” irão para o seu lugar;
e. O pai da noiva acompanha sua filha, que fica ao seu lado esquerdo , até o altar;

6. O pastor dá a saudação, faz a oração inicial e prossegue com a mensagem, as alianças, os


votos, a bênção, a declaração, a apresentação, o convite para participar da recepção.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-21


7. Recessional (ordem de saída):

a. Inverte-se a ordem de entrada, com os noivos saindo na frente;

b. Os diáconos voltam a acompanhar os avós e os pais dos noivos.

8. Pastor: Convite para participarem da recepção ao final da cerimônia.

13.2.7 APRESENTAÇÃO DE CRIANÇAS

“Trouxeram-lhe então algumas crianças, para que lhes impusesse as mãos, e orasse...”(Mateus
19:13)
Atualmente os pais trazem os seus filhos para que o pastor ore e os dedique ao Senhor. Nessa
cerimônia pública, as orações são para os pais e para as crianças. A nossa oração é para que a
criança tenha o toque e a influência de Deus em todos os dias de sua vida e os pais recebam
sabedoria para cumprirem com a imensa responsabilidade de criarem seus filhos no temor do
Senhor.

A. O PLANO

1. É importante que os pais saibam que o ato de dedicação não torna a criança
automaticamente uma cristã. A Igreja do Evangelho Quadrangular não batiza crianças
pequenas, pois a salvação é recebida por um ato pessoal de fé;

2. O certificado de apresentação deve ser preenchido com o nome da criança e a data de


nascimento ( Podem ser encomendados ao Centro de Recursos Quadrangular);

3. A apresentação pode ser marcada para um culto público, com bastante antecedência, de
modo que os amigos e parentes possam assistir a essa cerimônia especial (o dia das Mães e
o dia dos Pais são excelentes ocasiões para a cerimônia de dedicação);

4. Deve-se procurar fazer a apresentação logo no início do culto para não cansar o bebê.

B. A PREPARAÇÃO – Para que o culto seja especial e bonito, devem ser consideradas as
sugestões abaixo:

1. Conheça o nome da criança: Ele tem algum significado especial? (“Ana” significa
“graciosa” e “misericordiosa”). O nome foi dado para honrar alguém? Faça menção dessas
coisas durante a cerimônia.

2. Escreva uma carta pessoal para a criança, para ser lida futuramente pelos pais ;

3. Veja a possibilidade de algum padrinho/madrinha, ou dos avós; lerem uma passagem das
Escrituras ou fazerem uma oração durante a cerimônia;

4. Dê uma Bíblia de presente para a criança;


9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-22
5. Ofereça aos pais um vaso de rosas.

C. O CULTO

1. Os pais, junto com o seu filho, se colocam em pé, ao lado do pastor;

2. O pastor fala com a congregação e os visitantes usando passagens bíblicas (1 Samuel 1:9-
28; Deut. 6:6-7; Mateus 19:13-15; Salmos 127:3 ou Prov. 22:6) a respeito do significado da
apresentação;

3. O pastor se dirige aos pais da criança e os exorta a criarem a criança no temor do Senhor.
Pode concluir perguntando aos pais:

“Vocês prometem, com a ajuda de Deus, fazer todo o possível para que esta criança
cresça para servir e adorar ao Senhor Jesus Cristo todos os dias de sua vida?”

4. Tomando a criança em seus braços, o pastor ora pelos pais e dedicando a criança ao
Senhor;

5. O pastor entrega o Certificado de Apresentação aos pais.

13.2.8 OFÍCIO FÚNEBRE

A maneira de se realizar culto fúnebre está mudando. Muitas famílias estão fazendo o culto de
uma forma simples e particular, ao lado do túmulo, enquanto outros preferem um culto público
em memória, depois de um sepultamento particular. Muitos crentes preferem o culto fúnebre
em suas igrejas, e não na capela do cemitério. Porém uma coisa nunca muda: a necessidade de
ministrar para a família enlutada. Talvez não haja melhor oportunidade para ministrar a uma
família do que por ocasião de uma morte. Muita sabedoria e compreensão deve ser exercida
pelo pastor: o conforto, a esperança e a orientação que ele pode dar terão uma influência eterna
nos membros da família enlutada. Se o falecido não era um cristão professo, mesmo assim uma
palavra de conforto pode ser dada, sem ofender ou criar falsa esperança.

A. O PAPEL DO PASTOR ANTES DO CULTO

1. Quando for apropriado, faça uma visita, mesmo que breve, para orar e oferecer ajuda à
família;

2. Comunique-se com a família para se informar do que ela está desejando com respeito ao
culto fúnebre: música? local? horário? Escrituras? lembranças especiais para serem
compartilhadas no culto?;

3. Ofereça ajuda à família e ao responsável pelo funeral;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-23


4. Como a sensação de dor e perda pode durar por dois anos ou mais, providencie uma ajuda
contínua, sempre que possível;

5. Consiga uma cópia do atestado de óbito (normalmente fornecido pela capela funerária).
Diz-se que, entre um certificado de nascimento e um atestado de óbito, há uma biografia.
Consiga informações biográficas do falecido, faladas e escritas, para serem usadas como
um tributo a ele e conforto para os enlutados.

B. A ORDEM DO CULTO - No caso em que o falecido não tenha sido salvo, é mais prudente
falar apenas nas coisas boas que ele fez. Muitos podem ter sido tocados por sua vida. Depois, o
mais sábio é passar a focalizar a pessoa de Jesus, a realidade do céu, a esperança da
ressurreição. O ofício fúnebre é uma excelente oportunidade para pregar o Evangelho de Jesus
Cristo.

1. Escolha um hino apropriado;

2. Comece o culto de uma forma adequada, com palavras tais como: “estamos reunidos neste
lugar em memória de...”;

3. Ore pedindo as bênçãos de Deus sobre o culto e conforto para os que estão de luto;

4. Leia o obituário, que normalmente inclui o nome completo, data de nascimento, dia do
falecimento e os familiares remanescentes. Nessa hora pode-se prestar um tributo pessoal
ao falecido e alguns dados biográficos seus podem ser apresentados;

5. A mensagem deve ser breve. O tema deve estar focalizado na esperança da vida eterna, na
ressurreição, no consolo, e deve incluir o plano de salvação;

6. Encerre orando para Deus consolar os que choram.

Sugere-se que o ministro fique na cabeceira do caixão, enquanto os amigos e parentes


olham o corpo.
Ele deve permanecer no mesmo lugar até que o parente mais próximo se aproxime do
caixão. Nessa hora, se for necessário, o ministro pode acompanhar a pessoa até o caixão. A
presença do ministro ao lado do parente fala mais do que palavras. Se o ministro falar à
família, deve ser apenas umas poucas palavras denotando oração e conforto.

Ele deve permanecer ao lado do caixão e aguardar as orientações do responsável pelo


funeral. Quando o caixão for levado para o carro funerário, o ministro deve ir à frente.

C. CULTO À BEIRA DO TÚMULO - No túmulo, o ministro seguirá as orientações do


responsável pelo funeral e irá sempre à frente do caixão. Quando os familiares e amigos
estiverem acomodados, o responsável informará ao ministro quando deverá proceder ao culto
final. Para esse culto, damos a seguinte sugestão:
1. oração;

2. leitura da Bíblia e um comentário pessoal;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-24


3. se se desejar participação, cantem todos juntos um hino conhecido. Também se pode fazer
a oração dominical em uníssono;

4. encerramento.

13.2.9 PEDRA FUNDAMENTAL

A cerimônia do lançamento de uma pedra fundamental é muito importante, pois marca o


começo de uma fase da história da igreja, quando um novo santuário, um prédio de educação
cristã, centro da mocidade ou outra estrutura vai ser levantada. É uma oportunidade para a
igreja e seus ministérios serem apresentados perante a comunidade. Se possível, representantes
da cidade e de outros ministérios e oficiais da Igreja do Evangelho Quadrangular Nacional,
Distrital e Divisional devem ser convidados para a ocasião. Um fotógrafo deve ser contratado,
para preservar a história nos arquivos da igreja.

NOTA: Não anuncie nem faça o culto de lançamento da pedra fundamental até que o Conselho
de Diretores de Los Angeles conceda a autorização para execução do projeto (Ver Sec. 17.1,
nos Estatutos).

A. ANTES DO CULTO - Uma boa preparação deve ser feita para acomodar todos os que irão
participar do culto. Uma pá decorada pode ser providenciada e o solo preparado
antecipadamente para que a pá seja introduzida facilmente. Uma maquete da futura construção
pode ser exposta , presa por cordéis, de modo que as pessoas possam ver como será a
construção.

B. BREVIDADE É IMPORTANTE - O culto não deve demorar mais do que trinta minutos.
Cadeiras têm que ser providenciadas, se for durar mais do que vinte minutos. O pastor deve
servir como mestre de cerimônias. Uma ordem para esse culto pode ser a seguinte:

1. Explicação do culto, descrevendo o prédio ou prédios que serão construídos


2. Reconhecimento dos convidados especiais
3. Um texto de louvor e ação de graças deve ser lido pelo pastor auxiliar ou por um oficial da
igreja (Salmos 102:25-28; 1 Crônicas 29:10-18; Mateus 7:24-27).
4. O chão deve ser “rasgado” pelos oficiais designados, na seguinte ordem:

a. o pastor;
b. o oficial da cidade;
c. representante do Conselho de Pastores;
d. representante da Igreja Nacional;
e. representante do Distrito ou da Divisão;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-25


f. membros do Conselho local;
g. outros oficiais representando os vários departamentos da igreja.

5. A oração para dedicar o local pode ser feita pelo representante da igreja nacional, do
Distrito ou da Divisão. Na ausência destes, a oração pode ser feita pelo pastor ou por um
oficial da igreja.

6. Hino de louvor

7. Oração de encerramento.

13.2.10 O CULTO DE DEDICAÇÃO DO PRÉDIO

A. O PROPÓSITO DA DEDICAÇÃO - A dedicação de um templo é a culminância da visão, do


sacrifício, do trabalho e da dedicação da congregação e do pastor. A história iniciada nessa
ocasião jamais poderá ser escrita completamente.

Muitos sacrifícios é que tornam possível a realização de um culto desse tipo, por isso, nunca
se conseguirá enfatizar suficientemente a sua importância. Especial cuidado e planejamento
deve ser dado ao programa. O pastor e o Conselho da igreja podem se reunir com uma
comissão de membros da igreja para planejarem o culto.

B. A HORA DA DEDICAÇÃO - O culto de dedicação pode ser feito a qualquer hora, desde que
os membros possam comparecer . De nada adiantará haver convidados especiais, pastores e
amigos, se não houver a presença dos membros. Se a participação dos membros não puder ser
confirmada para um horário especial, então o melhor será fazer a dedicação num culto normal
da igreja.

C. O CULTO DE DEDICAÇÃO - O culto deve ser devidamente divulgado e convites por escrito
devem ser enviados aos oficiais da cidade, oficiais da denominação e representantes dos
pastores locais. O culto de dedicação pode ter o seguinte programa:

1. hinos congregacionais e corinhos de louvor e adoração, de acordo com a ocasião (não mais
do que dois hinos);

2. leitura da Escritura (congregação em pé) (2 Crônicas 6:1-41; Salmos 84, 100, 122);

3. oração de gratidão;

4. música especial;

5. reconhecimentos;

6. ofertas;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-26


7. sermão de dedicação;

8. leitura responsiva de dedicação (Você poderá encontrar ajuda no Manual do Ministro, vol.
III, Assistência aos Pastores e Obreiros, compilado e editado por William E. Pickthorn);

9. oração de dedicação. Sugere-se que o pastor, o pastor auxiliar e o Conselho da igreja se


coloquem em pé na plataforma para essa oração. A pessoa que vai fazer essa oração deve
ser escolhida previamente pelo pastor. Porém, se um oficial da denominação estiver
presente, é apropriado que ele faça a oração.

10. apresentação do “Certificado de Dedicação” da Igreja Internacional do Evangelho


Quadrangular;

11. O pastor encerra o culto com a bênção.

13.2.11 REFERÊNCIAS AOS SERVIÇOS DA SEÇÃO 13.2

1. Ver Atos 2:42; 20:7; I Cor. 14:26-35; Atos 5:42.

2. Ver Salmos 33:11.

3. Ver Atos 13:36.

4. Ver Apocalipse 5:9-14.

5. Ver I Pedro 2:9-10.

6. Ver Atos 1:14 & 2:4; Atos 4:23-31 & 8:15, 9:40, 28:8 Atos 9:11-18; Atos 10:1-7 & 12:5-17;
Atos 16:25-34.

7. Ver Timóteo 2:1-4; Tiago 5: 14-18; Salmos 2:8-; Coríntios 14:1; Mateus 6:10.

8. Ver I Coríntios 1:21; Atos 20:28.

9. Ver Atos 8:35; II Timóteo 2:15; Malaquias 2:7.

10. Ver II Coríntios 8:1-5; 8:7; 9:6-8.

11. J. I. Packer, Palavras de Deus: Estudos de temas-chave bíblicos (Baker Livros, 1981), p. 195.

12. Ver Mateus 25:34-40; Lucas 8:3; Romanos 12:13; Hebreus 6:10; Provérbios 24:11,12.

13. A Missão Internacional Quadrangular (Quadrangular Missions International) dispõe de um


calendário mensal de oração, vídeos de trabalho quadrangular em cada país e está em
condições de prover missionários para trabalhar com a congregação local.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-27


14. John Keating, Vida Cristã significa serviço cristão (Renovação Pastoral, março de 1984),
p.109.

15. Sam Middlebrook,Caminhos Práticos para o Louvor Pessoal (manuscrito não publicado), p. 8.

16. Guy P. Duffield e Nathaniel M. Van Cleave, Fundamentos da Teologia Pentecostal


(Faculdade Bíblica L.I.F.E., Los Angeles), p. 435.

17. Guy P. Duffield e Nathaniel M. Van Cleave, Declaração da Fé, vol. IV (Publicações
Quadrangulares, Los Angeles, 1983), p. 51.

18. Esse material, 18, letras “a” e “e”, foi utilizado com a permissão do Reverendo Coleman C.
Phillips.

19. Dale e Ruanita Ryan, Aflição Espiritual, (Steps, Fall 1990), p. 10.

20. Duffield e Van Cleave, Fundamentos, p. 437.

21. Jack Hayford apresenta um excelente capítulo, que pode ajudar o ministério com o conteúdo
e o tom do diálogo em Adorai a Sua Majestade (Editora Quadrangular). As quatro questões do
ponto 3 provêm do capítulo “Lembrando-se do que lembrar” , p. 179-196.

22. As seguintes obras matrimoniais estão entre as muitas disponíveis através de sua livraria local:
Manual do Pastor, vol. 11. Cultos para matrimônios e funerais
Compilado e editado por William Pickthorn
Gospel Publishing House - Casa Publicadora Evangélica, Springfield, MO.
O manual de matrimônio do Pastor
J. Henry
Broadman Publishing c. 1985.

23. As seguintes obras de funeral estão entre as muitas disponíveis através de sua livraria
evangélica local:

Manual de funeral de Baker


Paul Engle, Editor
Baker Book House c. 1996.

Livro de culto do ministro


Compilado por Myer Pearlman
The Gospel Publishing House – Casa Publicadora Evangélica.
Springfield, MO

Quando se perde alguém que se ama


Conforto para os que sofrem
Richard Exley
Honor Books, OK.
9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-28
13.3 TRABALHO

13.3.1 FILOSOFIA DO TRABALHO

A intenção de falar do Evangelho de Jesus Cristo deve ser o foco prioritário da visão e
expressão prática do ministério da igreja.

A Grande Comissão de Cristo ordena-nos a “ir” por todo o mundo e levar o Evangelho de
poder, que transforma vidas. O propósito desta seção é expor muitas maneiras diferentes que a
igreja pode utilizar para alcançar o mundo para Cristo.

Todas as Igrejas do Evangelho Quadrangular devem ajudar na “disseminação e propagação do


Evangelho Quadrangular nos Estados Unidos e em todos os países estrangeiros...“ (Artigo II
B, Artigos da Incorporação da Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular) e no envio,
provisão de equipamentos ou recursos e sustento de missionários para cumprir a Grande
Comissão através de evangelização, discipulado e estabelecimento de igrejas quadrangulares
nacionais.

13.3.2 EVANGELIZAÇÃO

A igreja local foi chamada para ser uma luz, no meio de um mundo de escuridão, e sal da terra
(Mateus 5:13-16). Quando os discípulos levam o Evangelho às suas comunidades e fazem
outros discípulos, o grande mandamento de Cristo se cumpre (Mateus 28:18-20). Isso pode
ocorrer com eventos planejados corporativamente, ou através de influência pessoal de membros
individuais da igreja em suas respectivas comunidades.

De qualquer modo, o importante é ser bom exemplo de Cristo, fazendo o bem tanto aos crentes
como aos não-crentes (Gálatas 6:10).

A. EVANGELIZAÇÃO PESSOAL

1. O TESTEMUNHO VOLUNTÁRIO na vida diária é um exemplo de coração evangelístico


dos membros da igreja local.

2. O ESTABELECIMENTO DE AMIZADES COM OS NÃO-CRISTÃOS mantém o crente


em contato com a comunidade para a qual Deus o chamou.

3. A “CONSTRUÇÃO DE UMA PONTE” COM O MUNDO pode ser feita de muitas


maneiras:

a. através do envolvimento com autoridades governamentais do local;


b. através de associação de Pais e Mestres;
c. sendo treinador de algum tipo de esporte;

d. participando dos eventos esportivos da cidade;


9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-29
e. através do envolvimento com artes dramáticas;
f. como vigilante da cidade;
g. através do ensino (escolar, de artesanato, de música)
h. em programas de escotismo;
i. trabalhando (tempo parcial);
j. em clubes e recreações;
k. como membro de um Centro de Saúde;
l. consertando carros.

4. ENVOLVENDO A CONGREGAÇÃO
O incentivo para que os crentes participem ativamente do processo evangelístico só ocorre
através do exemplo e do aconselhamento. Treinamento e ensino consistentes sobre
evangelização pessoal e salvação dos perdidos são essenciais para o aumento do número de
convertidos firmes e para se cumprir efetivamente o discipulado.

B. EVANGELIZAÇÃO EM MASSA

A evangelização em massa apresenta quatro categorias principais. Cada uma é um pouco


diferente na motivação e na estrutura, mas todas são planejadas para apresentar a mensagem do
Evangelho aos não-crentes.

1. EVENTOS ESPECIAIS

Têm como alvo necessidades específicas de determinados grupos de pessoas, são mantidos
por um tempo limitado, e pode ser cobrada uma pequena taxa de participação. Alguns
exemplos:

a. Seminário de preparação para a adolescência;


b. Seminário sobre Imposto de Renda e Finanças, com profissionais da igreja ou da
comunidade devidamente credenciados servindo como instrutores;
c. Medidas de Segurança;
d. Seminário para Casais;
e. Seminário sobre Crianças;

f. Administração do Tempo.

2. EVENTOS EM CONJUNTO

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-30


Esses eventos entre denominações proporcionam unidade entre os crentes e podem
eventualmente ganhar novos crentes, que são um subproduto do evento em conjunto. Eles
incluem:

a. Cruzada Evangelística com Billy Graham ou outro;

b. Evangelização Explosiva;

c. Concertos musicais promovidos por várias igrejas;

d. Marcha contra o aborto/Marcha pela vida; e

e. Marcha para Jesus.

3. CULTOS EM EVENTOS ESPECIAIS

São planejados para fazer com que a comunidade tome conhecimento da igreja, na
esperança de que ela possa associar o que está sendo feito com a realidade do Evangelho.
Esses eventos são voltados inteiramente para o povo e podem ser festivos e casuais em sua
natureza. Alguns exemplos:

a. Prêmios de volta à escola;

b. Aleluia! Festa da Colheita (alternativo para o Halloween);

c. Brinquedos para as crianças; e

d. Concerto ou apresentação especial de Natal.

4. EVENTOS DE CONFRONTAÇÃO

Esses eventos são planejados para se passar um tempo com os não-crentes. Podem envolver
treinamento e estratégias para alcançar o grupo-alvo e podem ser concentrados muito mais
em conversas do que simplesmente na pregação do Evangelho. Alguns exemplos são:

a. Equipe testemunhando nas ruas;

b. Evangelização de casa em casa;

c. Evangelização de ajuda;

d. Evangelização na prisão.

13.3.3 ABERTURA DE IGREJA/OBRAS NOVAS

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-31


Como a Bíblia ensina a respeito de reprodução, chega um tempo em que , debaixo da direção
do Espírito Santo, as portas se abrem para que uma igreja local dê início a uma igreja-filha, seja
na mesma cidade ou em outro lugar. Através do treinamento e desenvolvimento de líderes na
igreja local, as pessoas ficam preparadas e desejosas de se envolverem mais no ministério.
Deus abençoa a igreja local que pretende ceder tanto líderes quanto membros para esse grande
propósito.

A. ORAÇÃO

Para que qualquer igreja nova seja bem sucedida, deve haver muita oração e jejum. A oração é
o poder que abre portas e move montanhas. Através dela, pode-se sentir o coração de Deus
voltado para a comunidade e ver as necessidades do povo.

1. LISTA DE INTERCESSORES – Encontre outras pessoas para fazerem parte da equipe de


oração e comunique-lhes as necessidades da igreja nova.

2. DETERMINE ALVOS PARA AS ORAÇÕES

a. Surgimento de líderes na obra nova;

b. Formação de grupos de oração.

B. TREINAMENTO E RECURSOS PARA PLANTADORES DE IGREJA

Em parceria com o Escritório da Igreja Nacional e com a Coordenação Nacional para a


Abertura de Igrejas, cada Escritório Distrital dispõe de uma equipe de plantadores de igrejas
para coordenar e facilitar o ministério de abertura de igrejas em sua região.

Acampamentos para plantadores de igrejas, avaliação desses plantadores de igrejas,


incubadores de novas igrejas, treinamento acompanhado, rede de igrejas-mães e reuniões de
debates com os plantadores de igrejas proporcionam treinamento apropriado, encorajamento
contínuo, orientação pessoal e aconselhamento para os plantadores de igrejas, pastores titulares
e líderes das igrejas-mães e para os membros da equipe que irá abrir a igreja.

Pastores de igrejas que têm interesse em abrir uma obra nova e líderes que têm uma perspectiva
de fazê-lo devem contatar o seu respectivo Escritório Distrital para obter informações no início
do planejamento. A participação em vários tipos de treinamentos dados pelo Distrito ajudará a
focalizar devidamente os esforços e aumentar a efetividade dos planos para abrir a igreja.

C. LOCALIZAÇÃO DA OBRA NOVA

O plantador da igreja deve verificar todas as opções possíveis quando estiver procurando o
local para iniciar a obra. Deve levar em consideração o tamanho da área, facilidade para
estacionar carros e se há espaço disponível para se usar quando a igreja crescer. São pontos
importantes a serem observados: o local é versátil? há espaço para reuniões paralelas? é o local
fácil de ser encontrado pelo povo? Antes de se fazer uma proposta definitiva de contrato de

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-32


aluguel, é recomendável a leitura da Seção 5.4, que contém orientações a respeito de
transações imobiliárias.

1. LOCAIS ONDE SE PODE ABRIR UMA OBRA NOVA

• escolas particulares e públicas;


• clubes e centros de recreação;
• parques industriais;
• templos de outras denominações;
• salas de prefeituras ou auditório de bibliotecas;
• centros de convenções;
• salas de reuniões de hotéis;
• casas – É uma boa medida iniciar-se a igreja em uma casa, fixando-se um alvo para
freqüência, antes de se procurar um local permanente;
• outra Igreja Quadrangular – Se for um grupo étnico, ou estilo de ministério diferente,
etc., pode reunir-se mais de uma Igreja Quadrangular no mesmo templo (Ver Seção
16A – Modelo de contrato para dividir espaço com outra congregação).
2. O QUE DEVE SER EXAMINADO
Quando se estiver procurando um local para a futura igreja, devem-se fazer as seguintes
perguntas:

• Há ar condicionado e aquecedor à disposição?


• Há cadeiras? Quantas?
• Precisa-se que pagar pelo serviço de limpeza?
• Há equipamento de som, ou é necessário comprar?
• O seguro cobre acidentes na propriedade?
• Há algum desconto para organização sem fins lucrativos?
• Que tipo de restrições existem com as quais precisamos concordar?
• Há espaço para guardar os equipamentos?
• O local estará disponível para a realização de eventos especiais?
• Será necessário uma Permissão Condicional para Uso?
NOTA: Todos os contratos de aluguel ou arrendamento precisam ser submetidos ao
Escritório do Distrito e aprovados pelo Conselho da Igreja Internacional do Evangelho
Quadrangular. Os pastores estão autorizados a fazer contratos de aluguel e arrendamento,
desde que a seguinte cláusula esteja inclusa: “Sujeito à aprovação pelo Conselho de
Diretores da Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular”(Subject to approval by the
Board of Directors of the International Igreja of the Quadrangular Gospel)”. É importante
notar que os pastores NÃO estão autorizados a assinar nenhum documento de transação
imobiliária, a menos que sejam especificamente autorizados pelo Conselho de Diretores.
Todos os documentos imobiliários precisam ser assinados pelo Presidente e pelo Secretário
da Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular, após a aprovação do Conselho (Ver
Seção 17.4 – Arrendamentos - para maiores informações).

D. TRABALHO DE EQUIPE

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-33


Abrir uma obra nova é um projeto emocionante, mas, ao mesmo tempo, desgastante. Depois de
muita oração em busca de uma Palavra de Deus, uma das maiores necessidades é conseguir um
equipe de apoio que tenha a mesma visão.

Com um grupo de pessoas assim, as tarefas iniciais (planejamento, evangelização de casa em


casa, etc.) podem ser divididas. Uma base financeira deve ser estabelecida desde o começo.
Também uma poderosa base de oração deve ser estabelecida e mantida. Com uma freqüência
maior aos cultos, cria-se um clima propício para atrair mais pessoas (as pessoas não ficam
numa igreja onde apenas o pastor e sua família congregam). Se há freqüência, influência na
comunidade tem início e a presença da igreja se torna mais rapidamente conhecida por um
grande número de pessoas.

E. FINANÇAS

Em qualquer projeto de abertura de igreja, o aspecto financeiro tem um papel importante. Um


planejamento completo deve ser feito, analisando-se bem esse aspecto e as possibilidades
existentes. A chamada de Deus deve permanecer como o motivo principal para se abrir a igreja,
com a provisão financeira vindo a seguir.

A reprodução de igrejas tem um alto custo, tanto espiritual como financeiro. Reprodução é um
sinal de saúde, e a abertura de igreja nova deve ser uma idéia da igreja local. Os gastos
financeiros para a abertura de uma obra nova são responsabilidade da igreja-mãe, e o processo
de abertura deve ser discutido com o Supervisor do Distrito.

1. VERIFIQUE COM O SEU ESCRITÓRIO DISTRITAL as possibilidades de receber ajuda


financeira para a abertura da obra.

2. PROCURE RECEBER AJUDA FINANCEIRA DE SUA IGREJA para abrir a nova igreja
(antes de iniciar a obra).

3. O PASTOR PRECISA PENSAR NA POSSIBILIDADE DE TRABALHAR FORA


enquanto estiver iniciando a obra nova, até que a igreja possa sustentá-lo.

4. UM PLANO DE AJUDA FINANCEIRA MENSAL para a obra nova, por um período


mínimo de um ano, deve ser feito pela igreja-mãe e o plantador da igreja, depois de
consultar o Escritório do Distrito.

F. POPULAÇÃO

Quando se começa uma nova igreja, é importante olhar para as diversas necessidades e
características das pessoas que se deseja conquistar. Conhecendo bem as pessoas da
comunidade, o plantador de igreja poderá ministrar para elas com mais eficácia.

Informações a respeito da população podem ser encontradas na biblioteca da cidade, através da


câmara de comércio, do departamento de planejamento da cidade, nos jornais locais ou na
Internet. Abaixo segue uma relação de algumas características que devem ser consideradas:

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-34


1. IDADE/CULTURA – Que tipo de pessoas mora na comunidade?

2. RENDA/PROFISSÃO/NÍVEL CULTURAL – Que trabalho elas fazem e como vivem?

3. RURAL OU URBANO – O ministério pode ser completamente diferente nas áreas urbana,
suburbana e rural.

4. LOCALIZAÇÃO DA IGREJA – Delineie um círculo que você quer atingir para não
ocorrer saturação de igrejas.

5. HISTÓRIA DAS IGREJAS – Saber como as igrejas se relacionaram com a comunidade no


passado ajuda a ministrar no presente.

G. COMPROMISSO DA IGREJA-MÃE

A igreja-mãe pode providenciar ajuda espiritual e material para o pastor que vai abrir a igreja
nova e para a equipe de trabalho, de muitas maneiras. A bênção e o incentivo dados pela igreja-
mãe ajudarão o grupo a ter um alicerce forte, que aumentará as chances de a igreja nova se
tornar uma igreja forte, que possa reproduzir outra Igreja Quadrangular.

A seguir, apresentamos algumas maneiras como a igreja-mãe pode ajudar a obra nova:

1. ORAÇÃO;

2. DESENVOLVIMENTO DA EQUIPE;

3. FINANÇAS;

4. ESTUDO DA COMUNIDADE;

5. PERSEVERANÇA;

6. LIGAÇÃO COM O DISTRITO.

13.3.4 AJUDA PARA MISSÕES

A Missão Quadrangular Internacional (Quadrangular Missions International – FMI) é uma


extensão da cada Igreja Quadrangular local. Através da FMI, todas as Igrejas Quadrangulares
são capazes de cumprir a Grande Comissão: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as
nações...” (Mateus 28:19). Todos os pastores da Igreja Quadrangular devem ensinar a igreja a
ajudar a Missão Quadrangular das seguintes formas:

A. ATRAVÉS DA ORAÇÃO;

B. ENCORAJANDO A IGREJA A CONSIDERAR UM TRABALHO MISSIONÁRIO;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-35


C. ATRAVÉS DE EQUIPES MISSIONÁRIAS DE CURTA DURAÇÃO;

Um dos métodos mais eficientes e práticos de se envolver pessoalmente na propagação do


Evangelho no mundo todo são as missões de curta duração, em cada verão (junho/agosto). A
Igreja Quadrangular envia vários grupos pequenos a diversos países para evangelizar o povo e
incentivar as igrejas.

Essas equipes viajam por cerca de três semanas e normalmente são constituídas de duas a vinte
pessoas, sem contar os líderes. Elas vão a todas as partes do mundo para ajudar no atendimento
a necessidades médicas, na evangelização, construção de casas, distribuição de alimentos,
auxílio para abertura de igrejas, etc.

Qualquer pessoa que deseja aprender mais sobre o trabalho em missões pode ganhar
experiências práticas, em primeira mão, enquanto participa da expansão do Reino de Deus. Há,
também, várias oportunidades para esse tipo de ministério em agências missionárias sem a
cobertura da Igreja Quadrangular.

D. ATRAVËS DA CASA DE ALABASTRO

(Sugestão)
A Casa de Alabastro é um ministério fundado pelo Grupo Missionário de Mulheres, e
atualmente operado pelo Departamento de Missões Internacionais (FMI), que provê aparelhos
domésticos, equipamento e suprimento para os missionários.

Localizada na cidade de Norwalk, Califórnia, a Casa de Alabastro é um “armazém” de


mercadorias e itens domésticos disponíveis, de graça, para os missionários recém designados
bem como para os que se acham de “férias”. O estoque é formado exclusivamente pelas
doações feitas pelas igrejas locais nos Estados Unidos. Como o estoque de mercadorias na
Casa de Alabastro é feito através de ofertas de amor, é importante semear essa visão no coração
das pessoas.

Para maior conhecimento desse ministério essencial, chame diretamente a Casa de Alabastro
pelo telefone 562-864-9941.

E. FORNECENDO INFORMAÇÕES MISSIONÁRIAS

As missões são o coração da igreja, mas nenhuma congregação fica empolgada com alguma
coisa que não sabe que existe. Abaixo segue uma lista de alguns modos de ajudar a aumentar a
compreensão sobre as missões.

1. ORE DIARIAMENTE, SEMANALMENTE, MENSALMENTE – Faça disso algo


programado como parte dos cultos. Use o material mensalmente fornecido pela FMI.

2. ADOTE UM MISSIONÁRIO
a. Ore por ele;
b. Envie-lhe cartas, cartões de aniversário, etc;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-36


3. OFERTAS – Projetos para angariar fundos, ofertas mensais, ofertas da Escola Dominical
podem fazer com que a igreja conheça melhor as missões.

4. ENVIE MEMBROS de sua igreja para missões de curta duração. Coloque a sua igreja
como parte do planejamento e provisão da viagem e da oração pela viagem..

5. COMPARTILHE O MINISTÉRIO – Use vídeos, testemunhos, exposição de fotos, etc.,


depois de sua viagem missionária, para compartilhar os frutos do ministério.

6. CONVIDE UM MISSIONÁRIO – Chame um missionário para falar com as crianças,


jovens ou adultos. Os pastores titulares devem contatar o Escritório do Distrito para obter
informações a respeito da disponibilidade de missionários na região.

F. COM AJUDA FINANCEIRA.

A igreja local é a principal fonte de recursos da qual a Missão Quadrangular recebe fundos
para estabelecer um orçamento para as missões. O pastor passa a idéia de a igreja ajudar
financeiramente. Cada igreja deve levantar uma oferta missionária por mês, a qual é usada para
sustentar os missionários de tempo integral (no campo), para material de discipulado,
pagamento dos funcionários, outros itens necessários e para financiar novos projetos em
andamento. Você pode considerar a possibilidade de estabelecer um percentual de sua
arrecadação para missões. Ofertar para as missões está de acordo com o mandato da igreja
primitiva, conforme se vê no livro de Atos, e com o da igreja atual.

A oferta missionária deve ter um lugar de destaque. Seguem algumas formas pelas quais você
pode manter o interesse da igreja por missões:

1. Desafie sua igreja a contribuir para as missões de uma forma criativa. Deixe de comer uma
refeição e dê para as missões o que você iria gastar;

2. Levante a oferta do quinto domingo para projetos missionários descritos no boletim


periódico da FMI;
3. Catástrofes que ocorrem em várias partes do mundo são ótimas oportunidades para ofertar.

4. Estabeleça um alvo de ofertas missionárias para sua igreja atingir a cada ano. Aumente o
valor desse alvo anualmente ;

5. Ajude mensalmente algum missionário que está em uma atividade especial no campo;

6. Dinheiro arrecadado por crianças – venda de doces, moedas economizadas, etc. – tudo
pode ser destinado para as missões.

G. INSCRIÇÃO PARA MISSIONÁRIO - Se você, ou alguém da sua igreja, estiver interessado


em servir como missionário, escreva ou ligue para o Coordenador do Pessoal da FMI, para
receber os papéis de inscrição.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-37


13.3.5 MULTICULTURAL

A mudança étnica do mundo desafia a igreja local a redefinir sua visão do mundo. A grande
comissão (Mateus 28:18-20) pode ser cumprida através do ministério de uma congregação que
deseja alcançar desde a sua própria comunidade até os mais diversos grupos culturais,
recebendo-os para a comunhão da igreja.

A. ENSINANDO INGLÊS
O ensino do idioma inglês como segunda língua pode ser essencial em alguns locais. A igreja,
sendo vista na comunidade como uma instituição que se importa com as diferenças culturais,
abre, assim, suas portas para a evangelização.
1. OFEREÇA UM CURSO DE INGLÊS COMO SEGUNDA LÍNGUA
2. VERIFIQUE NA BIBLIOTECA LOCAL
Muitas bibliotecas têm programas de leituras para os adultos aprenderem a ler em inglês.
3. CURSO DE OUTRO IDIOMA
Ensine uma classe em outra língua com o propósito de preparar a congregação para
testemunhar.

4. ASSISTÊNCIA PARA AS CRIANÇAS


Muitas crianças precisam de ajuda no período de transição escolar em um novo país. Isso
pode se tornar uma grande porta de entrada de novas famílias na igreja.
B. GRUPOS FAMILIARES
Em muitos países, as igrejas utilizam os grupos familiares principalmente para evangelizar.
Embora muitas igrejas aqui também usem casas para o trabalho evangelístico, há uma
tendência maior para a comunhão.
1. TRADUZA O QUE É FALADO NAS REUNIÕES.
2. ABRA SUA CASA PARA COMEÇAR OUTRA CONGREGAÇÃO.
3. OFEREÇA COMIDA DE VÁRIAS CULTURAS.

C. ABRA SUAS DEPENDÊNCIAS PARA CONGREGAÇÕES DE OUTRAS CULTURAS E


LÍNGUAS (Ver Seção 16A)

Muitos grupos têm acesso limitado às dependências da igreja para suas reuniões. O uso duplo
de uma igreja pode ser de grande benefício para as igrejas multiculturais. Usando as tardes e
noites livres, uma igreja pode muito bem abrigar outro ministério.

1. INCLUSÃO NO PROCESSO DE DECISÃO


Faça o pastor da outra congregação sentir-se parte do processo de tomada de decisão.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-38


2. FIXE HORÁRIOS
Especifique os horários de cultos. Lembre-se de que outras culturas não são tão
cumpridoras de horário como os americanos. Prepare-se para os cultos mais longos.

3. TENHAM COMUNHÃO UNS COM OS OUTROS


Procure criar ocasiões para que as congregações possam passar um tempo juntos, comendo
e confraternizando-se.

4. ESTABELEÇA REGRAS BÁSICAS


Um contrato estabelecendo prazo e valor de aluguel não é obrigatório, mas é recomendado.
As pessoas dão mais valor às coisas quando têm que desembolsar, mesmo que seja um
valor mínimo, por elas. Assegure-se de estabelecer um canal de comunicação entre os
pastores e congregações para diminuir os problemas e mal-entendidos (Ver Seção 16A –
Modelo de Procedimentos para Dividir Dependências).

D. AUMENTE SEU CONHECIMENTO E SUAS INFORMAÇÕES SOBRE OUTRAS


CULTURAS

Cada grupo étnico tem uma cultura distinta. Mesmo que conheça nossa língua, seu estilo de
vida é diferente. Nós precisamos aprender a dar valor uns aos outros, entender nossas
diferenças e tratar todas as culturas com respeito. Nossa responsabilidade no Evangelho é a de
conduzir outros a Cristo, e não de mudar a cultura dessas pessoas.

1. FAÇA AMIZADES COM PESSOAS DE OUTRAS CULTURAS;

2. FAÇA JANTARES NA IGREJA COM PRATOS MULTICULTURAIS;

3. TRATE TODAS AS CULTURAS COM O MESMO RESPEITO;

4. CONVIDE PESSOAS DE OUTRAS CULTURAS E LÍNGUAS A ASSUMIR CARGOS


NA IGREJA;

5. PATROCINE EVENTOS , CULTOS, ESTUDOS BÍBLICOS, ETC. ESPECIALMENTE


PARA PESSOAS DE OUTRAS LÍNGUAS E CULTURAS;

E. DISTRIBUA MATERIAL DE LITERATURA EM OUTRAS LÍNGUAS

1. TENHA SEMPRE À MÃO LITERATURA EVANGÉLICA NAS LÍNGUAS PRINCIPAIS


DA ÁREA – Mesmo que uma pessoa saiba inglês, sua língua nativa é a da sua mente e de
seu coração e a que ela melhor entende. A Editora de Missões Quadrangular é uma
excelente fonte de recursos de material impresso em outras línguas (7015 Jackson,
Paramount, CA 90723 – 562-602-1979).

2. VISITE AS CASAS E DISTRIBUA LITERATURA

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-39


13.3.6 SERVIÇOS SOCIAIS

A igreja local não deve diminuir a importância da frase “Dê água a quem tem sede”. Essa
ordem importante às vezes é negligenciada. Na ânsia de alcançar pessoas de coração vazio, às
vezes esquecemos de encher suas mãos vazias ou, pelo menos, de dar-lhes uma palavra de
esperança. Somente assim, elas poderão ouvir a nossa mensagem.
As igrejas que estão assumindo responsabilidades sociais precisam estar a par das leis locais,
estaduais e federais que regulamentam essas atividades.

A. ALIMENTANDO OS FAMINTOS

Os seguintes programas ou idéias já existentes podem ser acrescentados para se adaptarem ao


plano de Distribuição de Alimentos em sua área:

1. ESTOQUE DE ALIMENTOS

Peça aos membros de sua igreja para trazerem alimentos não perecíveis para distribuição às
famílias necessitadas. Peça às padarias locais que façam doações de alimentos que
envelhecem no mesmo dia. O departamento de saúde local pode orientar a respeito da
qualidade e estocagem de alimentos. Consulte os Departamentos de Seguros e Legal da
ICFG antes de entrar num acordo de recebimento de alimentos doados. Os pastores não
podem assinar “Isenção de Responsabilidade” para a aceitação de representações externas
sem a aprovação do Conselho da ICFG (Verifique, com o seu Escritório de Distrito, os
procedimentos para conseguir essa aprovação).

2. DETERMINE AS NECESSIDADES PARA UM “SOPÃO” SEMANAL, patrocinado por


várias igrejas locais.

3. FAÇA UMA COLETA DE ALIMENTOS antes do dia de Ações de Graças e Natal.


Abençoe as famílias necessitadas distribuindo cestas com todos os itens para um almoço
completo.

B. SEM-TETO

Todas as comunidades têm sua cota de famílias necessitadas de abrigo ou casa temporária. O
trabalho nessa área pode ser bom, dependendo do tamanho de sua comunidade.

1. DESENVOLVA UM MANUAL DE REFERÊNCIAS PARA AJUDAR OS SEM-TETO A


ARRUMAR SERVIÇO.

a. Mantenha uma lista de casas temporárias na área ( por exemplo, Exército da Salvação);

b. Contate casas de reabilitação (ou, em alguns casos, serviços sociais).

2. SEJA PARTE DOS PROJETOS DE LIMPEZA E DE RENOVAÇÃO DA COMUNIDADE

3. PROVIDENCIE CASAS TEMPORÁRIAS

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-40


Faça acordos com hotéis da região para honrarem os vales de programas iniciados em
comum acordo com outras igrejas da área. Não use casas alugadas ou de propriedade da
igreja sem consultar o seu Escritório de Distrito e o Departamento Legal da ICFG.

C. SITUAÇÕES CRÍTICAS E REFERÊNCIAS

Algumas situações que requerem ação imediata precisam que informações pré-planejadas
estejam disponíveis para aqueles que delas têm necessidade. Tenha os números de telefones e
referências em mãos para dar àqueles que se encontram em uma situação de emergência. Você
deve verificar os serviços à comunidade, na lista telefônica de sua cidade, nas seguintes
categorias:

Hospitais locais, Abusos, casas de abrigo locais, escritório do welfare, Serviço Social e Serviço
de Proteção ao Menor, Controle de Tóxicos, grupo de apoio às mulheres, Alcoólatras
Anônimos, passe de ônibus e metrô (evite dar dinheiro), Centro de Crise de Gravidez, centro de
aconselhamento profissional ou individual, Exército da Salvação, Cruz Vermelha, apoio a
mulheres espancadas e estupradas, asilo, Centro Nacional de Crianças Desaparecidas e
Exploradas, crise da juventude, recuperação de adolescente.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-41


13.4 MEMBROS DA IGREJA LOCAL
A. A IMPORTÂNCIA DOS MEMBROS DA IGREJA LOCAL
1. Ser membro de uma igreja local é essencial para a vida de um crente, porque a comunhão
apresenta muitos valores (Eclesiastes 4:12), proporciona mais poder nas orações (Atos
12:50). Como corpo, nós encontramos mais poder contra as forças do inimigo (Atos 4:23-
31) e podemos lançar projetos missionários e beneficentes que trazem bênçãos e cura para
o mundo.
2. Ser membro de uma igreja local proporciona também cuidado às ovelhas e ao pastor, que é
ovelha de Deus (Hebreus 13:17).

3. Martinho Lutero escreveu: “Fora da igreja, a salvação é impossível”. Não porque a igreja
salva, pois é Deus quem salva, mas, porque o “salvo” não pode fazer tudo o que se espera
de um cristão fora da igreja, é indispensável que ele se torne membro de uma igreja local.

4. João Calvino escreveu: “O Senhor tem a comunhão de Sua igreja em tão alta estima, que
Ele considera como traidor e apóstata todo aquele que se nega a fazer parte de uma
sociedade cristã que lhe ministre a palavra e os sacramentos”.

5. Charles Colson escreveu: “Ser membro de uma igreja é fundamental para a fé cristã. Se isso
não for feito, há uma clara quebra da admoestação feita em Hebreus 10:24-25 – Não
deixemos de congregar-nos”.

6. Charles Colson também escreveu: “É particularmente dentro da igreja que nos


comprometemos a ter relacionamentos mais sólidos com os nossos irmãos e a nos
submetermos uns aos outros a respeito de nossos atos, responsabilidades e obrigações. Na
igreja o nosso caráter é lapidado; é no contexto da igreja que nossos dons espirituais são
desenvolvidos e usados. A igreja é a família cujos laços não se quebram. É o campo de
treinamento que discipula e prepara os crentes para serem povo de Deus contra o mundo e
ao mesmo tempo a favor do mundo. Se não fizermos parte desse aspecto corporativo do
cristianismo, estaremos perdendo o “centro” do plano de Jesus”.
B. MEMBRO DA IGREJA E DISCIPLINA DA IGREJA
A relação entre os membros e a igreja consiste num acordo entre as duas partes, na profissão
de fé, na aceitação das doutrinas da igreja e submissão ao seu governo. A lei é muito clara ao
fixar que:
a) o direito de determinar as qualificações para se tornar membro pertence à igreja;
b) a determinação de quem são os membros “em comunhão com a igreja” é um assunto
eclesiástico relacionado com a disciplina e o governo da igreja; e
c) a decisão da igreja acerca de qualquer um desses assuntos não é levada a nenhum tribunal.
Quando as pessoas se tornam membros de uma igreja elas estão concordando a se submeterem
à jurisdição eclesiástica da igreja. Consequentemente é este “acordo” de membresia que dá à
igreja a autoridade eclesiástica de exercer disciplina da igreja sobre um indivíduo.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-42


A igreja ou o ministro que tentar exercer disciplina da igreja sobre uma pessoa que oficial e
formalmente não requereu a membresia e foi aceita como “membro” se arrisca a ser levado aos
tribunais de justiça por qualquer número de possíveis danos feitos ao não-membro.

C. BENEFICÍOS DO MEMBRO

1. O membro de uma Igreja Quadrangular pode estar certo de que o púlpito de sua igreja será
ocupado por um ministro treinado e que tenha concordado pessoalmente com as doutrinas
da Declaração de Fé e com os Estatutos da denominação quadrangular.

2. O membro é individualmente fortalecido (Ver Declaração de Fé, XVI - Relacionamento


com a Igreja).

a. A comunhão com a igreja local é fonte de bênção, renovação e encorajamento.

b. A igreja local oferece um lugar de culto a cada membro, resultando na edificação do


corpo de Cristo: “...todo o corpo, bem ajustado e consolidado, pelo auxílio de toda
junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a
edificação de si mesmo em amor”( Efésios 4:16).

c. O membro pode também ser escolhido pela igreja local para fazer parte da
administração da igreja.

d. O Senhor promete abençoar os dizimistas. A igreja local é o lugar bíblico onde o povo
entrega o dízimo (Declaração de Fé XXII - Dízimos e Ofertas).

e. O membro da igreja local pode receber abatimento dos dízimos e ofertas na declaração
do Imposto de Renda.

D. OS PRIVILÉGIOS DO MEMBRO (Estatutos, Artigo 13.6.5)

1. O membro da igreja local tem o direito de votar tanto na igreja local quanto na convenção
internacional. O privilégio de votar é concedido aos membros com 18 anos de idade ou
mais .

a. Na assembléia da igreja local os membros têm o direito de eleger, depois de orar, as


pessoas, para os cargos necessários para a administração da igreja, como determina o
Estatuto. Os eleitos têm a oportunidade, e uma função, para poderem servir ao Senhor.

b. Nos níveis nacional e internacional, o membro da igreja local tem o benefício da


representação. Além do seu pastor, ele pode votar em todos os assuntos tratados em
uma convenção. Essa representação é de acordo com o tamanho da igreja local
(Estatutos, Artigo V, 5.5.C).

2. Os membros da igreja podem apresentar sugestões, para a consideração do pastor e do


conselho, em relação ao avanço do Evangelho na comunidade e da denominação como um
todo.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-43


E. AS RESPONSABILIDADES DO MEMBRO

1. Sempre que homens e mulheres recebem direitos, privilégios e benefícios, também


precisam aceitar responsabilidades. Cada membro tem responsabilidade distinta. Onde eles
vão, eles são símbolos do Senhor Jesus Cristo, da igreja local e da denominação. Suas
conversas, atitudes e atividades são reflexos do bem ou do mal.

2. Os membros são responsáveis :

a. por cooperar com o Senhor para o crescimento espiritual e numérico da igreja (Atos
2:42-27 – Isaías 66:8);

b. pelas necessidades materiais da igreja (Atos 6:1-5);

c. pelo bem-estar espiritual, uns dos outros (Hebreus 3:12-13 – 1 Coríntios 12:14,26 –
Gálatas 6;1 – 1 Tessalonicenses 5:14). Esse ministério é dividido entre todos;

d. pela ajuda material e espiritual para o seu pastor (Hebreus 13:7 – Êxodo 17:11-13 –
Gálatas 6:6 – 1 Tessalonicenses 5:12 – 2 Tessalonicenses 3:1-2);

e. pelo comportamento e a conduta na igreja local;

f. pela missão da igreja, internamente e no exterior (Mateus 28:18-20 e Atos 1:8)

F. QUALIFICAÇÕES DO MEMBRO (Estatutos, Artigo 13.6.1)

Para se tornar membro da Igreja Quadrangular, é preciso:


1. ter demonstrado evidências de novo nascimento e vida cristã;

2. ter sido batizado nas águas, por imersão;


3. aceitar as doutrinas da Igreja Quadrangular e aderir a elas, de acordo com a Declaração de
Fé compilada por Aimee Semple McPherson; e
4. submeter-se às regras e normas impostas aos membros, como declarado nos Artigos e
Estatutos.
G. ACEITAÇÃO DO MEMBRO (Estatutos, Artigo 13.6.2)
1. A igreja local deve sempre comunicar à congregação a filiação de alguém à igreja, de
modo que o interessado possa solicitar o ingresso nela.

2. Todos os possíveis membros deverão receber um formulário para ser preenchido,


juntamente com uma cópia da Declaração de Fé, com o título “Nós cremos”, e uma cópia
do “Apresentando a Igreja Quadrangular”. Esse material pode ser obtido em inglês no
Centro de Recursos Quadrangular, P.O.Box 26902, Los Angeles, CA 90026-0176, 800-
992-7444 (*).

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-44


3. A igreja deve manter reuniões de ensino bíblico, nas quais os artigos da Declaração de Fé
(Estatutos, Artigo 13.6.1.D) são ensinados àqueles que desejam tornar-se membros.
Cursos especiais para crianças estão disponíveis no Centro de Recursos Quadrangular.

4. O pastor, ou a Comissão de Recepção de Membros deve falar com os candidatos sobre a


aceitação da Declaração de Fé e sua crença pessoal em Jesus Cristo como seu Salvador
pessoal.

5. O candidato, após aprovação ou transferência de outra Igreja Quadrangular, deve ser


recebido publicamente como membro. Isso pode ser feito da seguinte maneira:
a. chama-se o candidato à frente, e lê-se resumidamente a declaração de fé para ele. Isso
pode ser benéfico para os visitantes e possíveis futuros membros;
b. lêem-se as suas responsabilidades perante o Senhor, a comunidade e a igreja;
c. declaram-se rapidamente os privilégios do membro e o que ele pode esperar do pastor e
da igreja;
d. apresenta-se o novo membro à igreja, dizendo o seu nome, e termina-se com uma
oração.
(*) Nota do tradutor: A Declaração de Fé, em português, pode ser obtida na Editora
Quadrangular, em São Paulo, Brasil.
H. MANUTENÇÃO DO ARQUIVO
1. Um formulário de solicitação de filiação à igreja deve ser usado para cada candidato. Nesse
formulário serão anotadas muitas informações úteis, como: nome, endereço, telefone, data
de conversão, do batismo nas águas, talentos e habilidades. Essas informações poderão ser
utilizadas para se conhecerem os interesses e dons do candidato para servir à igreja (os
formulários podem ser requisitados no Centro de Recursos Quadrangular).
2. Cada novo membro deve receber o certificado de membro (também encontrado no Centro
de Recursos Quadrangular).
3. O novo membro da igreja deve assinar uma folha individual, assinatura que se repetirá pelo
menos anualmente e será mantida em arquivo permanente. Recomenda-se que a igreja
tenha um secretária que cuide de obter a assinatura dos membros, anualmente.
4. Diferenças entre membros ativos e inativos:

Desde que uma pessoa se torna membro da Igreja Quadrangular, ela é assim considerada
até a sua morte, desistência, transferência ou exclusão. Sua ficha deve ficar em arquivo
permanentemente;

a. Um membro ativo é aquele que assinou sua ficha no ano corrente, que freqüenta os
cultos regularmente e contribui financeiramente para a igreja;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-45


b. Membro inativo é aquele que não se enquadra na definição acima.

5. Transferência de Membros (Estatutos, Artigo 13.6.6)

A transferência de membros de uma igreja Quadrangular local para outra, ou para qualquer
outra igreja, será considerada como ocorrida quando o membro requerer e for aceito como
membro daquela igreja que o recebe.

6. Exclusão de membros (Estatutos, Artigo 13.6.7).

Qualquer membro de uma Igreja do Evangelho Quadrangular, seguindo uma audiência


perante o conselho da igreja e a concordância do supervisor distrital, pode ser excluído do
rol de membros, através de uma comunicação por escrito sempre que possível pelo
conselho da igreja, por qualquer das seguintes razões: recusa a aderir à “Declaração de Fé,”
ou de cumprir com as provisões dos Artigos destes Estatutos; conduta proposital não-cristã
ou não-bíblica; agir contrariamente aos melhores interesses da igreja; causar dissenção ou
conspirar para dividir a igreja; falha no cumprimento dos requerimentos para o serviço
estabelecidos nos estatutos, seção 13.6.4.

I. ASSEMBLÉIA GERAL (Estatutos, Artigo 13.6.9)

1. Assembléia Geral Anual (Estatutos, Artigo 13.6.10) – O pastor deve convocar uma
Assembléia Geral Anual, com duas semanas de antecedência. Todos os oficiais da igreja
serão eleitos nessa assembléia pela maioria dos membros presentes. Relatórios estatísticos,
espirituais e financeiros podem ser apresentados também.

2. Reunião Especial dos Membros (Estatutos, Artigo 13.6.11) – Pode ser convocada pelo
pastor ou pela maioria dos membros do Conselho local, com uma permissão escrita pelo
Supervisor do Distrito.

a. A notificação de qualquer reunião deve ser feita com, pelo menos, uma semana de
antecedência;
b. O objetivo dessa reunião deve ser claramente especificado aos membros da igreja.
3. Procedimento para a reunião dos membros.
a. O pastor deve presidir a todas as reuniões dos membros da igreja;
b. O Conselho da igreja deve estar presente juntamente com a equipe de trabalho e os
líderes dos departamentos;
c. A reunião deve ser dirigida de acordo com as regras parlamentares (Regras
Parlamentares-Simplificadas);
d. Sugestões que podem ser seguidas numa reunião de membros:
1) Os membros do Conselho podem apresentar relatórios espiritual e financeiro;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-46


2) Deve-se providenciar cópia dos relatórios para todos os membros;
3) Se um plano de construção estiver em discussão, é bom ouvir a opinião de cada
membro do conselho;
4) Uma reunião dos membros deve ser um momento de alegria. Eles devem sair da
reunião com uma sensação de que é bom fazer parte da Igreja Quadrangular;

5) Se a igreja estiver passando um momento difícil, é bom dar uma palavra de


encorajamento aos membros e orar para que Deus abençoe a igreja.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-47


13.5 INSTITUTO BÍBLICO QUADRANGULAR E ESCOLAS CRISTÃS
(Departamento Nacional de Educação Cristã)

13.5.1 INSTITUTO BÍBLICO QUADRANGULAR

“... E então se dirigiu a seus discípulos: A seara na verdade é grande, mas os trabalhadores
são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara”.
Mateus 9:37-38
A. POR QUE TEMOS INSTITUTOS BÍBLICOS
Nossas Faculdades de Teologia estão limitadas às fronteiras geográficas, e há uma necessidade
real de treinar pessoas adultas numa sociedade que cresce rapidamente. Os Institutos Bíblicos
Quadrangulares podem ajudar a preencher essa lacuna com um treinamento alternativo e
especializado para pastores que não dedicam tempo integral à igreja e para os líderes das
igrejas locais que estão numa idade em que normalmente não se estuda mais nas faculdades.
Deus está chamando homens e mulheres através dos quais Ele poderá obter uma grande
colheita. Temos descoberto várias formas de treinar esses líderes do século 21 que têm um
coração comprometido, uma mente desenvolvida, grandes habilidades e são sensíveis ao
Espírito Santo.
Os Institutos Bíblicos Quadrangulares maximizam os recursos da igreja local e provêem muitas
oportunidades para que os pastores possam mentorear outros líderes. Dentro do contexto de
uma igreja saudável, o Instituto Bíblico faz sentido. Com um currículo bem equilibrado e
inovador, cursos práticos são ministrados, no dia-a-dia da igreja, tornando-se a base para o
desenvolvimento e o envio de líderes, dentro de um clima de excelência e reavivamento
espiritual.
B. COMO OS INSTITUTOS QUADRANGULARES FUNCIONAM
Pastores que tenham sido tocados pelo Espírito Santo entenderão a necessidade de se
reproduzir uma liderança de alto nível no Corpo de Cristo. Os Institutos Bíblicos
Quadrangulares apresentam um modelo para atender a essa necessidade. Esse modelo funciona,
porque é local, prático e está disponível.
Três conceitos operacionais existem atualmente para os Institutos Bíblicos. São eles : 1) um
pastor, igreja ou liderança étnica forte; 2) estudos à distância, para obtenção de um diploma; e
3) institutos divisionais/série de igrejas. Além disso, a Faculdade de Teologia LIFE e o LEAD
também utilizam o ensino à distância, que pode funcionar em conjunto com os institutos locais.
Nos últimos dois anos, o Comitê do Instituto Bíblico Quadrangular e o Departamento Nacional
de Educação Cristã desenvolveram uma estratégia para aprovação de Institutos Bíblicos
Quadrangulares. Essa estratégia inclui certas regras e orientações para os novos institutos,
critérios e recomendações do Conselho da ICFG. A aprovação para os institutos funcionarem
será dada se todos os requisitos dessa estratégia forem preenchidos.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-48


Os Institutos Bíblicos Quadrangulares têm um grande potencial para suprir uma necessidade
muito significativa: o treinamento de líderes para o futuro, baseado num ardente desejo de
preparar outros para a colheita do Mestre.

C. PASSOS PARA SE COMEÇAR UM INSTITUTO BÍBLICO QUADRANGULAR

1. A igreja começa o processo contatando o Escritório do Distrito, para uma avaliação inicial.

2. Com a aprovação do supervisor, o Escritório do Distrito envia para a igreja o formulário de


Orientações para a abertura do Instituto e o formulário de pedido de abertura.

3. A igreja devolve o formulário PT-18 preenchido juntamente com a taxa exigida e o


Supervisor do Distrito junta uma carta de recomendação para a abertura do Instituto e
remete todos os papéis e a taxa para o Departamento Nacional de Educação Cristã, em Los
Angeles.

4. O Comitê do Instituto Bíblico e o Departamento Nacional de Educação Cristã examinam o


pedido e marcam uma data para verificação do local onde funcionará o Instituto, incluindo
salas de aula, biblioteca, material educacional etc. O resultado desse exame é submetido
ao Comitê do Instituto Bíblico e, se aprovado, é então remetido para o Conselho
Internacional.

5. O Conselho Internacional, então, aprova ou não o pedido. A igreja, ou o instituto, é


notificada da decisão e de quaisquer recomendações do Conselho. Se aprovado, o instituto
precisará renovar sua autorização anualmente.

13.5.2 A ESCOLA CRISTÃ

A. PASSOS PARA COMEÇAR UMA ESCOLA CRISTÃ

Abaixo segue um esboço de cada passo para a abertura de uma Escola Cristã, com os
requerimentos mínimos.

1. O Supervisor do Distrito examina e aprova um plano preliminar;


a. O pastor da igreja deve escrever uma carta declarando seu desejo de abrir um Escola
Cristã. Como o começo de uma Escola Cristã normalmente nasce no coração de uma
pessoa, o pastor e o Conselho devem designar uma comissão de cinco a sete pessoas
para serem responsáveis pela formação da mesma. Essa comissão de estudo deve,
primeiramente, avaliar o interesse dos membros em ter uma escola, estudar um Escola
Cristã bem sucedida, começar a desenvolver meios para obter sucesso, estudar a
comunidade na qual a escola estará localizada, avaliar se a propriedade (especialmente
se for antiga) será aprovada na inspeção. Um relatório preliminar do corpo de
bombeiros da cidade com relação à segurança do prédio deve ser providenciado.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-49


b. Se for necessária uma nova construção, a congregação deve indicar um desejo unânime
de arcar com as despesas. As escolas do jardim de infância e das séries seguintes não
são auto-sustentáveis, e há necessidade de outros meios de levantar recursos
financeiros externos. Todos os problemas locais devem ser discutidos e resolvidos antes
de se pedir a aprovação do Supervisor.
c. Quando todas essas exigências forem cumpridas, então o Supervisor do Distrito dará ou
não sua aprovação para que a igreja dê o segundo passo.

2. PROPOSTA PARA O DEPARTAMENTO NACIONAL DA EDUCAÇÃO CRISTÃ

Uma vez aprovada pelo Supervisor do Distrito, a proposta assinada pelo pastor e pelo
Conselho da igreja deverá ser submetida ao Departamento Nacional de Educação Cristã.
Essa proposta deve incluir o seguinte:

a. o relatório preliminar aprovado pelo Supervisor do Distrito;

b. a decisão e o pedido para começar uma Escola Cristã, o qual requer as seguintes
informações:

1) proposta de data de abertura;

2) nome da comunidade onde está localizada (cidade ou campo);

3) população (da comunidade);

4) escolas semelhantes na área (relacione-as por nome e ano em que começaram);

5) esclarecimento sobre a propriedade da escola e qual a parte da igreja a ser utilizada;

6) desejo da igreja de apoiar e planos de longo prazo;

7) idades a que a escola vai servir;

8) prova de que as acomodações são adequadas;

9) prova de que todas as exigências do Estado, foram preenchidas, com um sumário


anexo de todas as leis referentes ao estabelecimento e à manutenção de uma escola
particular, se requerido no Estado, e prova de aptidão para atender a todas as
exigências locais e estaduais contra incêndio, segurança do prédio, saúde e
assistência social;

10) declaração de que se discutiu com o diretor de uma escola particular e prova de
que se visitou outra Escola Cristã;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-50


11) aconselhamento com um representante da Escola Cristã Quadrangular no
Departamento Nacional de Educação Cristã;

12) prova de integração racial na escola;

13) nome do superintendente e/ou diretor da escola e um resumo de suas credenciais;

14) prova de apoio da escola (i.e., ajuda financeira);

15) esclarecimento sobre uso de ônibus escolar;

16) prova de que a escola está de acordo com os Estatutos (17.6) no que diz respeito ao
seguro;

17) prova de reconhecimento de trabalho com respeito às obrigações de cobertura


hospital/vida dos estudantes;

18) informações a respeito do currículo a ser usado;

19) prova de antecedentes/impressão digital de todos os funcionários, professores e


trabalhadores voluntários da escola.

3. Um representante da Escola Cristã do Departamento Nacional de Educação Cristã é


contatado, antes que o pedido seja enviado. Para obter a aprovação para começar a
funcionar, a escola candidata deverá providenciar e enviar ao Departamento Nacional de
Educação Cristã o seguinte:

a. informações sobre prevenção de incêndio;

b. informações sobre saúde pública e segurança;

c. requisitos da cidade e do Estado;

d. informações do seguro:
1) indenização trabalhista
2) seguro de estudante contra acidentes
3) responsabilidades
4) danos à propriedade

e. informações sobre impostos


1) retenção na fonte
2) Número de Identificação de Empregador (EIN)
3) isenções

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-51


4) imposto de renda estadual
4. O Conselho Internacional aprova o pedido , após complementação de todos os papéis e
aprovações preliminares.

a. Uma carta do Supervisor Geral e as orientações do PT-16A levam à aprovação pelo


Conselho Internacional.
b. É necessário ainda o relatório anual incluindo a verificação de divulgação de política
não discriminatória que esteja de acordo com os padrões governamentais.

B. ASPECTOS RELACIONADOS COM AS ESCOLAS CRISTÃS

Quando uma igreja dirige uma escola torna-se sujeita a leis e regulamentações federais e
estaduais adicionais.

1. Organização

A menos que seja autorizada pelo Conselho Internacional, uma escola dirigida por uma
Igreja Quadrangular precisa ser organizada como parte dessa igreja.
É comum e benéfico para a escola usar o mesmo Número de Identificação de Empregador
(EIN) da igreja local.
Uma das principais razões para se organizar a escola como parte da igreja é tornar claro
que se trata de uma atividade religiosa, em vez de uma atividade secular. Como atividade
religiosa, a escola terá as mesmas garantias constitucionais que a igreja possui. O resultado
de um litígio recente envolvendo uma escola relacionada com a igreja e o Departamento de
Trabalho dos Estados Unidos parece apoiar a validade dessa posição.

2. Regulamentos federais

Α Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular concede direito de isenção para cada


escola relacionada com Igreja Quadrangular, o que obriga a escola a operar sob a política
de não-discriminação racial. A regulamentação federal requer que cada escola relacionada
com a Igreja Quadrangular mostre claramente que essa política foi adotada.
a. Requerimentos organizacionais
A escola precisa explicitar em sua licença, estatutos, ou outro instrumento
regulamentar, ou numa decisão do seu corpo diretivo, que tem uma política de não-
discriminação racial dos estudantes, portanto, não discrimina os candidatos e
estudantes com base na raça, na cor, na origem étnica ou nacionalidade.
b. Declaração da política
Cada escola precisa declarar sua política antidiscriminatória em todos os catálogos e
panfletos que tratam de admissões, programas e bolsas de estudos, assim como em

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-52


outras propagandas escritas que forem utilizadas como meio de informar seus
programas aos possíveis estudantes.
A seguinte referência é bem aceita: “A (nome da escola) admite estudantes de qualquer
raça, cor, nacionalidade ou origem étnica”.
c. Publicidade
A escola precisa fazer conhecida sua política não-discriminatória a todos os segmentos
da comunidade a que atende.
d. Acomodações e Programas
A escola precisa estar apta a demonstrar que todos os seus programas e acomodações
funcionam sem discriminação racial.

e. Bolsas de Estudo e Programas de Empréstimos


Como regra geral, todas as bolsas de estudo ou outros benefícios semelhantes existentes
em determinada escola precisam ser oferecidos numa base não-discriminatória.
f. Certificação
Uma pessoa autorizada a agir oficialmente em nome de uma escola que afirma não
discriminar estudantes precisa atestar anualmente, sob pena de perjúrio, em um
formulário da Secretaria da Fazenda (Internal Revenue) a ser emitido, que, tanto quanto
sabe e pensa, a escola satisfaz os regulamentos acerca da não-discriminação.

g. Professores e Funcionários
A existência de uma política não-discriminatória com respeito ao emprego de
professores e funcionários administrativos deve constar no acordo entre a escola e os
professores/funcionários. A política é similar à de não-discriminação de estudantes.
Porém há alguns acréscimos aos professores e funcionários, como: “ambos, professor e
escola, concordam que cada professor vai abster-se de (mas não limitado a):
promiscuidade sexual, homossexualismo, idolatria, bruxaria (que inclui doutrinas da
Nova Era e/u feitiçaria), explosão de raiva, desrespeito pela vida humana, bebedeira e
qualquer outro comportamento que seja inconsistente com o estilo de vida cristão e os
princípios bíblicos”.
No caso de uma escola relacionada com a igreja, administrada por uma Igreja
Quadrangular local, os requerimentos de 1 a 6 acima são satisfeitos pela Igreja
Internacional do Evangelho Quadrangular.

3. Arquivos

Uma escola relacionada a uma Igreja Quadrangular precisa também manter, por pelo
menos três anos, o seguinte:

a. arquivos indicando a composição racial do corpo de estudantes, professores e


funcionários administrativos para cada ano acadêmico;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-53


b. arquivos suficientes para documentar que as bolsas de estudo e outras ajudas financeiras
foram distribuídas em uma base não-discriminatória;

c. cópias de todos os catálogos, panfletos e propaganda tratando da admissão dos


estudantes, programas e bolsas de estudo. Escolas que anunciam nacionalmente ou
numa grande área geográfica ou segmento dos Estados Unidos precisam apenas manter
o arquivo que seja suficiente para indicar quando e em qual veículo de propaganda o
seu material foi publicado;

d. cópias de todos os materiais utilizados pela - ou em nome da – escola, para solicitar


contribuições.

C. ASSOCIAÇÕES DE ESCOLAS CRISTÃS

Uma escola dirigida por uma igreja precisa tornar-se membro da Associação Internacional de
Escolas Cristãs (ACSI), antes de ser habilitada para se tornar um Escola Cristã Quadrangular.

D. ESCOLAS NOS LARES

As Escolas nos Lares estão crescendo rapidamente na América do Norte. Porém a missão da
igreja é trazer as pessoas para Jesus Cristo. Escolas e cultura são altamente apreciadas, desde
que não se corra o risco de prejudicar as responsabilidades financeiras e legais da Igreja
Internacional do Evangelho Quadrangular.

Como o nome indica, as Escolas nos Lares devem ser lares individuais ou coletivos que atinjam
os padrões requeridos pela escola pública local e do distrito. Grupos de Escolas nos Lares não
devem ser encorajados a usar as facilidades da igreja como local da escola.

Há uma lista de excelentes associações de Escolas nos Lares. Para maiores informações, é
vantajoso contatar uma associação dentro de sua área.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 13-54


14 PASTORES QUADRANGULARES

14.1 O SENIOR PASTOR

14.1.1 QUALIFICAÇÕES

Os pastores da Igreja Quadrangular deverão ser licenciados ou ordenados com uma credencial
internacional, após recomendação de um Supervisor de Distrito e aprovação do Conselho ou,
com recomendação de um Supervisor de Distrito e aprovação do Conselho, receberão uma
credencial do Distrito.

Eles devem assinar, como sinal de concordância, a Declaração de Fé de Aimee Semple


McPherson, fundadora da igreja, e devem estar de acordo com os propósitos e provisões dos
Artigos e Estatutos, the “Minister’s Code of Ethics,” os procedimentos apresentados neste
Manual de Operações da Igreja Quadrangular, e a solicitação de licença ou ordenação para o
ministério.

14.1.2 ESCOLHA

O pastor deve ser indicado para um igreja, de acordo com sua chamada ministerial, pelo
Supervisor do Distrito e/ou seu representante, com aprovação do Presidente e do Conselho. O
pastor assume como pastor Titular.

A. A FUNÇÃO DO SUPERVISOR DO DISTRITO – A escolha de um pastor é tarefa do


Supervisor do Distrito, o qual pode consultar o Superintendente da Divisão e o Conselho da
igreja, respeitando a chamada de Deus no coração do pastor e a necessidade da igreja local. O
supervisor se esforça para juntar as duas coisas: a chamada do pastor e a necessidade da igreja.

B. MÉTODO BÍBLICO – “Deixei-o aí, na ilha de Creta, a fim de que você pudesse fazer tudo
quanto fosse necessário para ajudar a cada uma das igrejas daí a fortalecer-se e pedi-lhe que
nomeasse, em cada cidade, pastores que seguissem as instruções que eu lhe dei...” (Tito 1:5 –
BÍBLIA VIVA).

14.1.3 DEVERES (Ver Seção 14B, para sugestões e ajuda)

Os deveres dos pastores basicamente se encaixam nas seguintes categorias:

A. ESPIRITUAL
1. É um dever absoluto e essencial para sua chamada e ministério que o pastor cultive sua
própria vida espiritual. Ele deve evitar a má condição descrita em Cantares de Salomão 1:6:
“...Me puseram por guarda de vinhas; a vinha, porém, que me pertence, não a guardei”.

2. A função de pastor foi dada por Deus, de acordo com Efésios 4:11. E, de acordo com
Pedro, o propósito é: ”Alimentem o rebanho de Deus; cuidem dele com boa disposição e

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14-1


não de má vontade, não pelo que vocês ganharão com isso, mas porque estão ansiosos de
servir ao Senhor” (1 Pedro 5:2 – BÍBLIA VIVA).

a. O pastor deve estar pronto para prover orientação pastoral, orações e palavras de
encorajamento ao seu rebanho. Assuntos pessoais entre pastores e membros da igreja
devem ser tratados confidencialmente. Os pastores não devem dar conselhos a respeito
de assuntos legais, impostos, médicos ou psicológicos, a menos que estejam
devidamente habilitados para isso (Ver, no Seção 16A, um modelo de Procedimento de
Cuidado Pastoral).
b. O pastor deve sempre lembrar-se das palavras de Jesus, em Marcos 10:43b: “...Quem
quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva”.
c. O pastor que deseja edificar uma igreja forte será fiel em buscar ao Senhor para obter
orientação referente aos ministérios que a igreja deve ter para tomar conta do rebanho
que Deus lhe deu. Há inúmeras opções, que oferecem oportunidades ilimitadas para o
ministério pessoal de cada membro da igreja. São elas:

• visitas aos lares das pessoas novas na igreja, aos membros, aos doentes, aos
enlutados, pessoalmente ou através de pessoas treinadas ou voluntários que queiram
exercer esse ministério;
• grupos pequenos/mini-igrejas;
• idosos;
• programas de 12 passos;
• solteiros, e pais/mães solteiros;
• ministério com crianças e programas após as aulas;
• creche e/ou escola cristã;
• ministério da mocidade; e
• jovens casados.
3. O foco prioritário de um pastor quadrangular deve ser a salvação das almas, a edificação da
igreja e o fortalecimento da vida cristã através da igreja, pela pregação, o ensino, cultos e
ordenanças. Reafirmamos que os pastores não devem dar conselhos sobre assuntos legais,
impostos, médicos ou psicológicos, a menos que estejam devidamente habilitados e
credenciados para isso.
4. É recomendável que cada pastor quadrangular se esforce para reproduzir o seu ministério na
vida dos membros de sua igreja, através de uma combinação de ensino e treinamento,
utilizando recursos como: cursos por correspondência e Institutos Bíblicos Locais,
disponíveis através do LIFE Bible College (Faculdade de Teologia Quadrangular), San
Dimas (Ver Seção 13.5 - Institutos Bíblicos Quadrangulares - para maiores informações).
5. A reprodução de um ministério saudável irá naturalmente resultar em uma extensão desse
ministério. Uma das formas mais efetivas de uma igreja se reproduzir é através da abertura
de novas obras. Todos os pastores quadrangulares devem se esforçar para que suas
respectivas igrejas se tornem “hospedeiras” de uma igreja étnica ou de outra cultura (Ver
Seção 13.3.3 e 16A, para orientação e ajuda).

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14-2


B. SUPERVISÃO – O pastor é quem supervisiona o ministério da igreja local. Um pastor sábio é
um servo que providencia oportunidades para os membros servirem também.

1. O pastor é o presidente do Conselho local e preside a todas as assembléias;

2. Ele deve solicitar a colaboração financeira dos membros da igreja, de modo que todas as
obrigações sejam cumpridas.

3. Deve indicar alguns oficiais da igreja, conforme determinação dos Estatutos

4. Deve controlar os depósitos da igreja junto com o tesoureiro, assinar todos os cheques de
despesas da igreja, a não ser no caso em que um empregado de tempo integral da igreja
seja o responsável por essa tarefa. Nas igrejas organizadas, essas despesas devem ter a
aprovação do Conselho e serem periodicamente revisadas pelo Conselho e pelo pastor
titular (Estatutos, Artigo 14.4, Sec. D).

5. Deve assinar outros documentos que requeiram sua assinatura como pastor (Estatutos,
Artigo 14.4. Sec. E).

6. O pastor não deve assinar nenhuma transação imobiliária, acordo ou contrato, sem que a
cláusula Sujeito à aprovação do Conselho de Diretores da Igreja Internacional do
Evangelho Quadrangular esteja inserida logo acima da sua assinatura e da assinatura da
outra parte envolvida na transação (Estatutos, Artigo 14.4, Sec. E).

7. O pastor deve certificar-se de que todos os papéis de transações imobiliárias, seja para
compra ou arrendamento de uma propriedade, tenham a expressão INTERNATIONAL
CHURCH OF THE FOURSQUARAE GOSPEL, A RELIGIOUS CORPORATION (Igreja
Internacional do Evangelho Quadrangular, uma corporação religiosa), e estejam assinados
pelo Presidente e pelo Secretário da corporação da ICFG, após a aprovação do Conselho.
Os pastores NÃO estão autorizados a assinar documentos imobiliários, a não ser em casos
especiais, em que o Conselho lhes dá expressamente essa autorização.

C. PROFISSIONAL OU ORGANIZACIONAL

1. Reconhecendo a necessidade de unidade e comunhão dentro de todo o ministério da Igreja


Quadrangular, os pastores devem esforçar-se para participar de todas as Convenções da
Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular, das Conferências do Distrito e das
reuniões da Divisão.

2. É responsabilidade de todo pastor quadrangular procurar melhorar seus conhecimentos; por


exemplo, através de seminários realizados anualmente em todos os Distritos. Informações
sobre futuros seminários podem ser obtidas no Escritório do Distrito.

Os pastores devem continuamente procurar oportunidades para melhorar suas habilidades


ministeriais e aguçar sua visão, participando de seminários e reuniões de congraçamento
locais, regionais e nacionais. Através dessas experiências, ele freqüentemente encontra

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14-3


novas maneiras de enfrentar os desafios do ministério e é pessoalmente revigorado e
motivado para sua missão.
3. O pastor deve promover e encorajar seus membros a participarem de eventos nacionais e
distritais, para gerar lealdade e construir uma grande organização, para a glória de Deus, em
unidade e harmonia.
4. Os pastores devem esforçar-se para cumprir o Acordo Pastoral que assinaram afirmando
seu compromisso de defender as diretrizes e os Estatutos da Organização Quadrangular,
levando seus respectivos ministérios e sua igreja a recuperarem a ordem nas áreas onde
eventualmente esteja havendo falha.
5. Eles devem procurar cumprir as decisões tomadas através da maioria dos votos em
qualquer sessão plenária de uma convenção devidamente autorizada, quer eles concordem
ou não com essas decisões. Seu modelo de submissão e responsabilidade refletirá na vida
da igreja local.
6. Eles devem promover os programas denominacionais da Missão Internacional
Quadrangular, e enviar a taxa mensal da igreja e a taxa da Escola Dominical para manter o
Departamento de Educação Cristã.
7. Os pastores devem assegurar-se que uma política de boa fé de gerenciamento de riscos seja
adotada pela igreja e que ela seja entendida e cumprida pelo quadro de empregados e pelos
voluntários.
8. O pastor titular é responsável pela criação de um processo seletivo para escolher as
pessoas que irão trabalhar com jovens e crianças, desenvolvendo um sistema que faça uma
verificação do passado de todos os voluntários ou funcionários pagos que terão contato com
crianças e jovens. Esse processo deve incluir o preenchimento de um formulário pelos
candidatos, impressão digital e uma verificação Legal. O Departamento Nacional de
Educação Cristã tem um guia para ajudar a fazer uma triagem entre os funcionários e
voluntários, chamado SUA IGREJA: um lugar seguro para as crianças. Cópias adicionais
estão à disposição no Centro de Recursos Quadrangular, P.O.Box 26902, Los Angeles, CA
90026-0716, telefone nº 800-992-7744.

14.1.4 COMPENSAÇÃO
A. ESTABELECENDO O SALÁRIO – O método e o valor do salário do pastor deve ser
determinado pelo Conselho da igreja local. Se o pastor e/ou o Conselho necessitarem de
orientação a respeito do valor apropriado do salário, deverão entrar em contato com o
Supervisor do Distrito e/ou o Superintendente da Divisão.
1. A revisão de todos os salários deverá ser feita anualmente pelo pastor e o Conselho da
igreja. O total de salários da igreja não deve ultrapassar 40% da arrecadação de dízimos e
ofertas (não contando ofertas especiais e designadas). O Supervisor, ou um representante,
poderá orientar o pastor e/ou o Conselho.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14-4


2. O pastor sem deve se esforçar para o crescimento numérico e financeiro da igreja, para que
esta atinja a condição de auto-sustentável. Isso irá fortalecer a igreja bem como a fé do
ministério da igreja.

3. É recomendado que cada igreja separe semanalmente uma importância que possa ser
utilizada para o pastor participar da Convenção Internacional Anual.
a. Em seu retorno espera-se que o pastor possa relatar para a igreja a abundância de bens
espirituais e inspiração recebida durante a Convenção.
b. Caso o pastor renuncie ao cargo antes da Convenção, esse dinheiro pertencente à igreja
deverá ser utilizado para que o novo pastor participe da Convenção.

B. COMPENSAÇÃO POR SERVIÇO EXTRA – O pastor não deve esperar receber nenhuma
importância extra de sua igreja, acima do salário estabelecido pelo Conselho o qual deve ser
pago à medida que haja fundos suficientes provindos de dízimos e ofertas para pagar os demais
compromissos da igreja, a não ser quando expressamente aprovado pelo Conselho local e pelo
Supervisor do Distrito (Estatutos, Artigo 14.5).

14.1.5 USO DO TEMPO

A. INVESTIMENTO DO TEMPO – O obreiro é digno de seu salário, e o SENHOR é digno do


trabalho de seus obreiros. O sucesso no ministério está diretamente relacionado com o tempo
que alguém deseja dedicar ao ministério.

B. ADMINISTRAÇÃO DO TEMPO – Cada pastor deve ter um plano para usar seu tempo
diariamente, adaptado à sua capacidade e à sua comunidade.

A seguinte sugestão de agenda diária foi preparada e usada por um pastor quadrangular bem
sucedido:
1. comece o dia com preparação espiritual;
2. estabeleça o horário normal de seu atendimento no escritório e informe esse horário à
igreja;

3. separe tempo para visitas, aconselhamentos e outros afazeres na comunidade;


4. separe um bom período de tempo para passar com a família.
C. PASTORES DE TEMPO PARCIAL – Recomenda-se que os pastores que não são sustentados
pela igreja ajustem seu horário de cada dia para poderem cumprir suas responsabilidades
pastorais da melhor forma possível.
D. TEMPO PESSOAL – Um tempo definido deve ser reservado pelo pastor para atividades
pessoais e familiares. Ele deve separar um dia por semana para seu descanso, diversão e
reflexão pessoal.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14-5


14.1.6 RENÚNCIA

O Supervisor do Distrito deverá ser comunicado com pelo menos 60 dias de antecedência, em
caso de demissão e/ou aceitação de transferência para outra igreja. O pastor deve notificar o
Supervisor, por escrito.

A. RESPONSABILIDADES FINAIS – O pastor demissionário deve deixar arquivos completos de


todas as atividades comerciais e espirituais da igreja para o novo pastor. Isso inclui arquivos
dos membros, relatórios espirituais, relatórios mensais, inventário das propriedades e
equipamentos da igreja e uma relação das contas a pagar (Estatutos 14:4. O.1-7).

B. PASSANDO AS RESPONSABILIDADES PARA O NOVO PASTOR

1. O pastor demissionário deve entregar inteiramente a igreja aos cuidados do novo pastor e
evitar contatos pessoais com os membros da igreja, pois esses contatos poderão ser
prejudiciais, causar divisão e confusão na igreja.

2. O pastor demissionário deve esforçar-se para que haja uma transição calma entre ele e o
novo pastor.

C. SALÁRIOS NÃO RECEBIDOS – O pastor demissionário deverá abrir mão de qualquer queixa
contra a igreja por salários não recebidos, ou investimento pessoal nas finanças da igreja, a não
ser que tenha havido um procedimento próprio para criação de direito.

14.1.7 TRANSFERENCIA PARA OUTRA IGEJA OUTRO DISTRITO

A. CARTA DE REFERÊNCIA – Quando um pastor deseja transferir-se para outro Distrito, pelo
menos 60 dias antes da data precisa pedir uma carta de seu Supervisor para o Supervisor do
Distrito para onde ele está se transferindo.

B. PROCEDIMENTO – O pastor nunca deve procurar o pastorado de nenhuma igreja, em nenhum


Distrito, a não ser através do Supervisor daquele Distrito.

C. HONRANDO O ANTECESSOR – É indigno para um pastor quadrangular diminuir o seu


antecessor ou mencionar suas falhas.

14.1.8 DEMISSÃO

A. CIRCUNSTÂNCIAS – Se o trabalho do pastor em determinada igreja, ou sua conduta


particular e pública, se tornarem uma preocupação para os membros da igreja, a situação pode
ser levada ao Superintendente da Divisão e/ou Supervisor do Distrito pela maioria dos
membros do Conselho local.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14-6


1. O Supervisor do Distrito, ou seu representante, reúne-se com o Conselho local e o pastor,
em busca de uma solução pacífica.

2. Se não houver uma solução amigável, e o pastor não renunciar voluntariamente, então a
situação poderá ser levada perante uma assembléia da igreja pelo Supervisor ou seu
representante.

3. O Supervisor do Distrito orientar-se-á pelo que ouvir nessas reuniões e pelo cumprimento
das responsabilidades pelo pastor - de acordo com o que consta nos Estatutos , por este
Manual de Operações da Igreja Quadrangular, a Declaração de Fé, o formulário de
Solicitação de Licença ou Ordenação e outros documentos e regulamentos que possam estar
em efeito na ocasião, para fazer suas recomendações ao Conselho de Diretores.

B. PROCEDIMENTO – Se o pastor de uma Igreja Quadrangular não agir de modo a atender aos
melhores interesses da igreja (i.e., falhar em guardar os Estatutos, este Manual de Operações da
Igreja Quadrangular, a Declaração de Fé, o formulário de Solicitação de Licença ou
Ordenação), o Conselho de Diretores, com a recomendação do Supervisor do Distrito, tem o
poder de encerrar seu pastorado e nomear outro pastor para a respectiva igreja.

14.2 QUADRO DE EMPREGADOS

(NOTA: Devido às implicações legais do título de PASTOR, ninguém, sem uma credencial
atualizada, deve ser chamado de PASTOR, mas sim de LÍDER)

14.2.1 DEFINIÇÃO DE QUADRO DE EMPREGADOS

Ver, no Seção 14A, 14B and 14C, um formulário utilizado para seleção e solicitação de
emprego, modelos de descrição de trabalho e um modelo do manual de procedimentos para o
pessoal.

“Quadro de Empregados” - existe quando o número de empregados da igreja inclui o pastor


titular e um ou mais pastores auxiliares. O pastor auxiliar geralmente atua como
auxiliar do pastor titular, na qualidade de pastor da mocidade, pastor de Educação Cristã,
pastor de visitas, pastor da música, pastor de evangelização , ou outros ministérios que o
pastor titular pode designar para eles. Os títulos “diretor de...” ou “coordenador de...” devem
ser usados por aqueles que não possuem credencial internacional ou licença do Distrito. Outros
títulos, como pastor administrativo, podem ser usados desde que o título seja entendido pela
congregação, pelos visitantes e por aqueles que têm qualquer atividade na igreja.

14.2.2 MÉTODO DE SELEÇÃO

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14-7


A. O PASTOR TITULAR APRESENTA O CANDIDATO AO CONSELHO DA IGREJA – Os
pastores auxiliares são sondados e selecionados pelo pastor titular, que submete o nome dos
candidatos ao Conselho local, para aprovação.

B. OS PASTORES AUXILIARES AJUDAM O PASTOR TITULAR – Os pastores auxiliares


relatam e trabalham sob a orientação do pastor titular.

14.2.3 REUNIÃO DA EQUIPE DE TRABALHO

Reuniões periódicas com a equipe são essenciais para mantê-la informada e concentrada.

A. O PASTOR TITULAR DEFINE A FISOLOFIA E FIXA O ALVO – O pastor titular deve


definir a filosofia de trabalho e o alvo da igreja para os seus auxiliares diretos.

B. RELATÓRIO E AVALIAÇÃO – Como o pastor titular delega áreas de autoridade para aqueles
que irão trabalhar sob sua orientação, a reunião da equipe dedica um tempo para analisar os
relatórios e fazer uma avaliação, que determina a eficiência com que a igreja está sendo
“pastoreada”. Os pastores auxiliares não são admitidos para pastorearem à sua própria
maneira, mas como parte da equipe pastoral da igreja.

C. COORDENAÇÃO – Planos, programas, datas, objetivos, orçamentos e projetos são


ingredientes vitais em uma reunião de equipe. O pastor titular estabelece as prioridades e,
juntos, ele e sua equipe coordenam as atividades, facilidades, etc.

D. UNIDADE ESPIRITUAL – A reunião da equipe é a principal oportunidade para uma


crescente unidade espiritual do pastor titular com seus pastores auxiliares. Cada um deve
desenvolver e manter um “coração de pastor de ovelhas”. Orar em conjunto se torna um
fundamento do ministério de pastoreamento na igreja.

14.2.4 FREQUÊNCIA AOS CULTOS

O progresso da vida na igreja se torna óbvio quando o povo se reúne e o pastor fala com o
rebanho. Portanto os pastores auxiliares devem fazer todo o esforço para participarem de todos
os cultos. Devem estar preparados para atender a qualquer necessidade que possa surgir e
devem participar ativamente do louvor. Uma pergunta chave que o pastor titular pode fazer na
reunião semanal da equipe é: “O que você acha que aconteceu na vida espiritual da igreja no
último domingo?” A resposta a essa pergunta poderá ter um forte impacto nos planos
individuais dos pastores auxiliares em suas respectivas áreas de responsabilidade.

14.2.5 DISCIPLINA DOS MINISTÉRIOS

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14-8


O pastor titular determina o padrão profissional do qual cada pastor auxiliar deve fazer parte.
Dessa forma, o pastor titular deve ser o exemplo de comportamento que espera de sua equipe.
Áreas específicas que ele deve definir incluem os itens abaixo (Ver modelo no Manual de
Procedimento da Equipe de Trabalho – Seção 14C):

A. O USO DE ROUPAS – O tipo de vestimenta esperada para as várias situações e ocasiões em


que os pastores auxiliares irão encontrar-se deve estar expresso no Manual da Equipe, em vez
de se deixar que cada um tome essas decisões por si mesmo. No entanto há certas restrições
federais e estaduais com relação ao uso de roupas, por parte dos empregadores das quais o
pastor titular e os membros do Conselho local devem estar a par antes de estabelecerem um
critério para isso.

B. HORÁRIO DIÁRIO – Uma política da igreja com respeito ao horário de trabalho, dias de
folga, férias, ausência por doença, feriados, etc. deve ser claramente definida no Manual de
Procedimento da Equipe, para evitar confusão.

C. PADRÕES DE CONDUTA – Deve também ser indicada a conduta apropriada no


relacionamento com o sexo oposto. (Ver um exemplo de procedimento em casos de Assédio
Sexual, no Seção 14C).

D. DESCRIÇÃO DE CARGO – (Ver o Seção 14B – Modelo de Descrição de Cargo).

E. DESEMPENHO – (Ver 14.2.7)

14.2.6 IMPARCIALIDADE

Acts 10:34 states, “...God is no respecter of persons.” In light of that truth, the pastor
should maintain a professional relationship with assisting ministers that demonstrates an equal
love for each. Preferential treatment of staff members causes the work environment to
deteriorate quickly.

Assisting ministers should be accorded the respect and honor of both the congregation and the
senior pastor. They should be recognized as “gifts” given by the Lord to help the senior pastor
equip “the saints for the work of ministry” as described in Ephesians 4:11,12. The senior pastor
can set this tone by treating staff members with professional courtesy, recognizing and
honoring their service to the Lord, to the pastor, and to the congregation.

Esteem for the senior pastor will only be enhanced in the congregation as he or she highly
esteems both paid and unpaid assisting ministers and encourages the congregation to recognize
and honor their contributions to the ministry of the church.

14.2.7 CUIDADO

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14-9


The senior pastor is the advocate for their staff members with the church council. Some
churches have an annual review of the salaries, benefits, and performance of all the staff.
Others review individual assisting minister the month previous to his or her anniversary with
the church, thus eliminating the impact on the budget for annual blanket increases. Again,
fairness should be balanced with work performance when determining the amounts of increase
given to the various assisting ministers.

The senior pastor should encourage participation of his or her assisting ministers in community,
district, and national activities that will enhance their skills and effectiveness in ministry.
Seminars, professional associations, district conferences, Foursquare conventions, divisional
minister’s meetings, etc. are all beneficial learning experiences for staff members. The senior
pastor and church council should try to budget church funds to provide such opportunities for
assisting ministers on a regular basis.

14.3 O PASTOR AUXILIAR

14.3.1 SELEÇÃO

O Conselho da igreja, depois da escolha e da aprovação do pastor, tem os poderes e a


responsabilidade de contratar os serviços dos pastores auxiliares, quando necessários, e de
determinar os seus salários.

REQUEST TO DISTRICT SUPERVISOR FOR APPOINTMENT – If assisting ministers are desired, the
senior pastor should state that desire in a letter, signed by him or her and by the church council
members and addressed to the district supervisor. After receiving the written request, the
supervisor may make a one-year appointment to any of the following offices:

•pastor auxiliar (trabalha numa função de apoio);


•pastor associado (trabalha em áreas relacionadas com a atuação do pastor titular);
•administrador; •pastor da mocidade;
•pastor auxiliar •pastor de visitas;
•pastor de crianças; •ministro de educação cristã;
•pastor da música; •Outros.

14.3.2 RELATIONSHIP OF SENIOR PASTOR TO ASSISTING MINISTER

A. JOB DESCRIPTIONS – It is essential to outline thoroughly the duties of each assisting minister
being considered so that assigned areas of responsibility are fully understood. A written job
description is preferred. (See Section 14B for sample job descriptions.)

B. RECONHECIMENTO E RESPEITO – Os pastores auxiliares devem ser reconhecidos como


ministros da equipe de trabalho da igreja, merecendo todo o respeito do pastor titular e da
igreja.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14-10


C. MANUTENÇÃO DE UM BOM RELACIONAMENTO – As bases para um bom
relacionamento com os colegas de ministério são sempre: respeito, confiança e consideração
cristã.

D. MANUAL PARA OS DIRETORES DE EDUCAÇÃO CRISTÃ – O Departamento Nacional


de Educação Cristã fornece orientações para um bom relacionamento entre o pastor e o diretor
de Educação Cristã.

14.3.3 RELATIONSHIP OF ASSISTING MINISTER TO SENIOR PASTOR

A LOYALTY – The assisting minister must recognize the pastor as the spiritual leader and the chief
executive of the church. The assisting minister’s position is a secondary one, and he or she
must at all times be in submission to the pastor, giving complete loyalty and cooperation to the
programs of the church. Any areas of irreconcilable differences between pastor and ministry
staff should be submitted to scriptural guidelines (Matt. 18:15-17). If that approach does not
resolve the issue, the pastor and the assisting minister may seek council from the divisional
superintendent and then the district supervisor. These differences should never be discussed
with members of the congregation, and disapproval should never be implied by either party.

B. SERVICE – The program of the church must be considered as a whole. The various departments
over which the assisting minister has primary interest and supervision should not be given
preeminence to the exclusion of the total church program. All major plans, programs, and
policies of these various departments should be discussed with the senior pastor and should not
be implemented without his or her approval.

C. SALÁRIO – Os pastores auxiliares normalmente recebem um salário inferior ao do pastor


titular e, às vezes, nem recebem salário. Eles não devem permitir que isso se torne um fator
negativo em seu trabalho, nem devem comentar suas necessidades financeiras com os
membros, ou com o Conselho da igreja, sem a aprovação do pastor titular. Os pastores
auxiliares também estão sujeitos à política de se pagarem todos os compromissos financeiros
da igreja antes de se pagar o salário do pastor e/ou da equipe de trabalho (Estatuto 14.5).

14.3.4 TÉRMINO DA NOMEAÇÃO

A. QUANDO MUDAR O PASTOR TITULAR – O pastor auxiliar deve entender que sua
nomeação acaba quando há uma mudança de pastor titular, permitindo, assim, que o novo
pastor titular escolha livremente os seus próprios auxiliares. Nunca deve ser presumido que o
pastor auxiliar será o titular quando o que estava exercendo a função sair ou mudar de igreja.

É necessário observar que essa prática de “entregar o cargo”, quando um novo pastor titular
assume a igreja, aplica-se somente para os auxiliares que são licenciados ou ordenados. Com
certeza, isso não se aplica aos demais membros da equipe, como secretária, pessoal de
manutenção, equipe de som, etc. Esses funcionários possuem direitos trabalhistas, de acordo

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14-11


com as várias leis estaduais e federais, e não devem ser sumariamente despedidos sem antes
consultar-se o Departamento Legal da Igreja Quadrangular ou outro órgão legal competente.

B. TERMINATION OF APPOINTMENT AS AN ASSISTING MINISTER:


The following steps should be taken when an assisting minister terminates his or her
appointment:

1. notificar o pastor e o Conselho da igreja por escrito;


2. se possível, dar tempo suficiente para se encontrar um substituto; e
3. procurar o Supervisor, se estiver interessado em uma nomeação futura como pastor titular.

C. PROCEDIMENTO PARA OBTER NOMEAÇÃO EM OUTRO DISTRITO – Se o pastor


auxiliar desejar mudar de Distrito, deve seguir o mesmo procedimento de um pastor titular
(Ver Seção 14.1.7 acima)

D. NOTIFYING DISTRICT OFFICE – It is the responsibility of the senior pastor to notify the district
office immediately upon the resignation or dismissal of any assisting minister under district
appointment..

14.4 SEGURO MINISTERIAL

Todos os ministros quadrangulares que possuem um veículo precisam ter um seguro pessoal
apropriado (Estatutos 14.4.L). Recomenda-se que eles tenham os seguros abaixo discriminados,
em valores não inferiores aos indicados:

$5,000 para pagamentos médicos;


$100,000/300,000 responsabilidade pública e ferimentos pessoais
(passageiros de outros veículos)
$50.000 danos materiais (outro veículo)
$500,000 ferimentos pessoais (passageiros de outros veículos)
Mínimo exigido motoristas sem multas e sem seguro
pelo Estado

Se houver alguma dúvida sobre se a apólice atende ou não às sugestões mínimas, deve-se
chamar o Departamento de Seguros Quadrangular (888-635-4234), para maiores
esclarecimentos

É recomendável que todos os ministros quadrangulares tenham seguro de vida e saúde.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14-12


IGREJA INTERNACIONAL DO
EVANGELHO QUADRANGULAR

FICHA DE SOLICITAÇÃO DE EMPREGO

=========================================================================

Data _______________________________________
Nome _____________________________________________ No do Seguro Social _____________
Último Primeiro Meio

Endereço_________________________________________________________________________
Número Rua Cidade Estado Código
Zip

Telefone Res. (______)____________________ Telefone Comerc. (______)___________________

=========================================================================

Tipo de posição desejada ___________________________________________________________

Faixa salarial desejada $____________________________________________________________

Indicado por: (Por favor dê um nome específico)

Igreja ___________________________________________________________________________

Amigo(a)________________________________________________________________________

Outro _________________________________________________________________________

Alguma vez você já procurou emprego na I.C.F.G.? _________ Sim _________ Não

Se sim, por favor indique a data aproximada _________________________________________

Você é cidadão americano? ___ Sim ___ Não Se sim, você pode provar? ___ Sim ___ Não

Se não, você tem um “alien registration card” (“green card”) ? ___ Sim ___ Não

No do cartão _________________

Você alguma vez foi condenado por um crime? ___ Sim ___ Não

Se sim, você estaria disposto a discutir este assunto durante uma entrevista? ___ Sim ___ Não

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14A-1


EDUCAÇÃO

Nível da Nome da Escola Cidade/Estado Grau do Certificado Concentrações


Escola

2o Grau

Curso
Técnico

Faculdade ou
Universidade

Pós-Graduação

PROCESSAMENTO DE TEXTO E DE DADOS


Indique em quais dos itens abaixo você é competente ou tem boa experiência:

Sistemas Operacionais Processadores de Texto

Windows Microsoft Word

Macintosh Word Perfect para Windows

Outro______________________________ Outro em Windows __________________

Planilhas Bancos de Dados

Excel Foxpro

Quatro Pro Windows Access

Outro em Windows ______________ Outro ___________________________

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14A-2


EMPREGOS
Liste os seus 4 últimos empregadores, começando com o mais recente. Por favor, dê o máximo de detalhes possível.

Nome e endereço do empregador 1 Datas de emprego Responsabilidades principais

________________________________________ De___________ __________________________________

________________________________________ A___________ __________________________________

________________________________________ Salário __________________________________

No de Telefone ( ) ________ ___ Inicial_______ _________________________________

Título da posição _________ Final________ _________________________________

Nome do supervisor ___________________________________ Título do supervisor _________________________________

Motivo da saída_________________________________________________________________________________________
Nome e endereço do empregador 2 Datas de emprego Responsabilidades principais

________________________________________ De___________ ___________________________________

________________________________________ A___________ __________________________________

________________________________________ Salário __________________________________

No de Telefone ( ) __ Inicial___________ __________________________________

Título da posição Final__________ __________________________________

Nome do supervisor ____________________________________ Título do supervisor _______________________________

Motivo da saída_________________________________________________________________________________________

Nome e endereço do empregador 3 Datas de emprego Responsabilidades principais

_____________________________________________ De ___________ ______________________________________

________________________________________ A ___________ __________________________________

________________________________________ Salário __________________________________

No de Telefone ( ) _ Inicial___________ __________________________________

Título da posição _ Final____________ __________________________________

Nome do supervisor _____________________________________ Título do supervisor _______________________________

Motivo da saída_________________________________________________________________________________________
Nome e endereço do empregador 3 Datas de emprego Responsabilidades principais

________________________________________ De ___________ _________________________________

________________________________________ A ___________ _________________________________

________________________________________ Salário _________________________________

No de Telefone ( ) Inicial___________ _______________________________

Título da posição Final____________ _______________________________

Nome do supervisor ___________________________ Título do supervisor _______________________________


Motivo da saída____________________________________________________________________________

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14A-3


Compromisso cristão
O propósito principal do quadro de funcionários dos Escritórios Corporativos da Igreja Internacional do Evangelho
Quadrangular é servir e dar suporte ao ministério de todas as obras Quadrangulares tanto nos Estados Unidos quanto em
outras nações. Nós participamos do empreendimento mais empolgante no planeta terra, que é o de ganhar e discipular as
nações do mundo para Cristo.

Para que possam cumprir efetivamente esta parte significante de suas descrições de função, os nossos empregados devem
ter um relacionamento pessoal com Jesus Cristo e estar de acordo com a Declaração de Fé e os Estatutos da I.C.F.G.

Por favor, descreva brevemente o seu relacionamento atual com Deus, a história do seu compromisso cristão, e o seu atual
envolvimento com a igreja.
_________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________

________________________________________________________________________________________

REFERÊNCIAS
Por favor, dê o nome de 3 pessoas que poderiam escrever uma carta de recomendação comprovando a sua integridade com
relação ao desempenho nos negócios, personalidade e compromisso cristão pessoal.

Nome Anos Organização Posição Endereço residencial Telefone


que o ou comercial residencial ou
conhece comercial
_______________ ( )

_______________ ( )

_______________ ( )

Entendo que qualquer representação enganosa ou omissão proposital de fatos em minha ficha de inscrição podem ser
justificativas para recusa ou para o término do meu emprego. Autorizo a ICFG a investigar a minha história de trabalho
integralmente e verificar todas as datas dadas na minha ficha, os papéis referentes, ou entrevistas verbais. Entendo e concordo
que se eu for empregado, este emprego está sujeito à vontade da ICFG e não tem período definido de tempo e que a ICFG pode
mudar o salário, benefícios, e condições a qualquer tempo sem a minha aprovação prévia. Assinatura do Solicitante
______________________________ Data ________________________

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14A-4


AUTORIZAÇÃO PARA LIBERAÇÃO
Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular

Com relação à minha solicitação de emprego, entendo que um relatório de consumidor ou um relatório
investigativo de consumidor poderão ser pedidos os quais incluirão informações sobre o meu caráter, hábitos de
trabalho, desempenho, experiência, e razões para o término dos meus empregos passado. Eu entendo que, de
acordo com a política da companhia e consistentemente com a descrição de trabalho, vocês poderão pedir
informações de fontes públicas e privadas sobre o seguinte: compensação por acidentes no trabalho, registros de
motoristas, registros de tribunais civil e criminal, educação, credenciais, crédito, e referências.

Informações médicas e de compensação de trabalhadores só serão pedidas em cumprimento ao “Federal


Americans with Disabilities Act (ADA)” e/ou quaisquer leis estaduais aplicáveis. De acordo com o “Fair Credit
Reporting Act”, eu tenho o direito de saber se o emprego foi negado por causa das informações obtidas por meu
possível empregador através de uma agência de informações ao consumidor. Neste caso, eu serei notificado e
informado do nome e endereço da agência ou fonte que proveu a informação.

Eu reconheço que um fac-símile telefônico (FAX) ou cópia fotográfica será tão válida quanto o original. Esta
liberação é válida para a maioria das agências federais, estaduais e de comarcas inclusive o Departamento de
Trabalho de Minnesota.

Minnesota, Oklahoma, e candidatos de Califórnia apenas: Se você quer uma cópia do(s) relatório(s) pedidos,
marque aqui. ___ O(s) relatório(s) lhe será(ão) enviado(s) pela agência informante no endereço abaixo.

Por meio desta, eu autorizo, sem reserva, qualquer agência de cumprimento da lei, instituição, agência de
serviços de informações, escola, empregador, referência, ou companhia de seguros contatadas pela Igreja
Internacional do Evangelho Quadrangular ou seus representantes, a fornecer as informações descritas acima. A
informação seguinte é requerida por agências de cumprimento da lei e outras entidades para propósitos de
identificação positiva ao conferir os registros públicos. É confidencial e não será usado para qualquer outro
propósito. Por meio desta, eu libero o empregador e seus representantes e todas as pessoas, agências, e entidades
que provêm informações ou relatórios sobre mim de toda e qualquer responsabilidade que venha a surgir a partir
dos pedidos ou liberação de quaisquer das informações ou relatórios mencionados acima.
______________________________________________________________________________
Por favor escreva o seu nome completo Por favor escreva outros nomes que você tenha usado
______________________________________________________________________________
Endereço residencial Cidade Estado Código Zip
______________________________________________________________________________
No do Seguro Social Data de nascimento

Os seguintes estados exigem saber sexo e raça para obter informações: AL, AR, FL, GA, IA, IL, IN, OR, TX, WI.
Masculino ___ Feminino ___
Asiático ___ Afro-Americano ___ Hispânico ___ Caucasiano ___ Outro ___
__________________________________________________________________________________________________________________
Número da carteira de motorista Estado que emitiu a carteira Nome, conforme aparece na carteira
______________________________________________________________________________
Assinatura Data de hoje

Se for requerido, Assinado e juramentado diante de mim:


Notarize aqui ____________________________________________________________
Quando usar um selo seco, Nome Data
favor delinear com um lápis
antes de enviar o fax. ____________________________________________________________
Notário Público Minha comissão expira em

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14A-5


14B MODELO DE DESCRIÇÃO DE TRABALHO
As seguintes descrições de trabalho e ministério são dadas como uma orientação para ajudar as igrejas
Quadrangulares a desenvolverem suas próprias descrições. Cada igreja deve, em oração, considerar quais são os
deveres, qualificações, talentos, e compromisso requeridos para cada cargo na igreja e descrevê-los de tal
maneira que dê um sumário exato do que é esperado daqueles que irão ocupar essas posições.

Muitos desses exemplos foram dados como uma colaboração por algumas igrejas Quadrangulares que
atualmente os estão utilizando em suas igrejas. Alguns formatos diferentes foram incluídos para dar ao leitor
vários exemplos de estilos de apresentação. As igrejas Quadrangulares são livres para reproduzir, alterar,
reformatar e/ou acrescer qualquer coisa às descrições aqui feitas.

ORIENTAÇÕES PARA DESCREVER UMA DESCRIÇÃO DE TRABALHO


Uma descrição de trabalho esclarece as principais obrigações e responsabilidades de um cargo. É o elemento
chave contra o qual o desempenho é comparado. É também requerido como uma base para a avaliação da
função, recrutamento e treinamento para um plano de carreira. O supervisor imediato deve preparar a descrição
de trabalho. O pastor titular e o conselho da igreja precisam aprovar toda a descrição de trabalho.

Cargo novo

Quando surge uma função nova, a responsabilidade de escrever uma nova descrição de trabalho, é do
supervisor. O pastor titular e o conselho da igreja devem aprovar toda descrição de trabalho. O supervisor deve
manter uma cópia da mesma.

Mudança de Posição por Transferência ou Promoção

Quando o conteúdo de uma posição for substancialmente modificada através do acréscimo ou redução de
responsabilidades, o supervisor imediato deve preparar uma nova descrição de trabalho. O pastor titular e o
conselho da igreja precisam aprovar toda a descrição de trabalho.

Posição Mal Classificada

Se uma descrição de cargo ficou mal classificada, o supervisor imediato deve rever o conteúdo da mesma e, se
necessário, preparar uma nova descrição de cargo. O pastor titular e o conselho da igreja precisam aprovar toda
a descrição de trabalho.

Preparação de Descrição de Cargo

Quando escrever uma descrição de cargo, siga o esboço relacionado abaixo:

• Junte todas as informações antes de começar a escrever.


• Escreva sempre os nomes dos cargos em letra de forma quando estiver se referindo a outros trabalho e
nunca use nomes de pessoas.
• Procure usar sempre sentenças curtas e simples com palavras conhecidas e diretas. Inicie cada sentença
utilizando verbos, tais como “prepare, analise, reveja, registre e arquive”.
• As principais responsabilidades devem ser exemplificadas ou explicações detalhadas das funções da
posição.
• Utilize um estilo de conversação mas evite o uso de frases abstratas como “manuseio de material
rejeitado”, “confira os registros” ou frases similares que são vagas. Defina o que é feito quando se
confere os registros e quando se manuseia material rejeitado.
• Concentre-se claramente no trabalho, no que precisa ser feito, não nas habilidades do responsável.
Trata-se de uma definição dos requisitos para o trabalho, não importando quem vai desempenhá-lo.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-1


(Descrição do cargo de Pastor Titular da Igreja do Evangelho Quadrangular de.............)
O CARGO DE PASTOR TITULAR
O Cargo de Pastor Titular é uma confiança sacra concedida pela Igreja Internacional do Evangelho
Quadrangular de acordo com a vontade e chamada de Deus. Depois de ser recomendado pelo
Supervisor do Distrito e aprovado, de acordo com os Estatutos da Igreja, pelo Conselho de Diretores, o
Pastor deve:
• Dedicar-se ao culto ao Deus Todo Poderoso e ao estudo da Palavra, pureza pessoal e
maturidade no caráter cristão, e fazer o melhor possível para expressar suas chamadas e os
dons que Deus lhe deu;
• Dar o máximo de si na evangelizaçãol de suas comunidades, sempre se esforçando pela
salvação de almas mostrando amor a todas as pessoas;
• Através da pregação, ensino e uma liderança de servo, dedicar-se à edificação e maturidade
na vida cristã de cada membro da congregação;
• Estimular o desenvolvimento de líderes espirituais dentro da igreja, e acrescentar, com a
aprovação do Conselho da Igreja, uma equipe de pastores para atender todo o ministério da
igreja;
• Apresentar a visão da Grande Comissão e encorajar sua perpetuação através da ajuda
financeira e em oração às Missões Quadrangulares e participar fielmente no pagamento das
taxas ao distrito;
• Servir como Presidente do Conselho da Igreja, e junto com os outros membros do Conselho
cuidar das responsabilidades gerais da administração, integridade financeira, e outros
assuntos administrativos da igreja local; e
• Representar, preservar e fortalecer a chamada peculiar da Igreja Internacional do Evangelho
Quadrangular, seus objetivos e ministérios, incluindo assistir às convenções e eventos
pastorais no distrito e nas divisões.
AS RESPONSABILIDADES
Nossas responsabilidades são as mesmas hoje que o Apóstolo Paulo deu aos líderes em Éfeso,
“Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos,
para pastoreardes a igreja de Deus, o qual ele comprou com o seu próprio sangue... Agora, pois,
encomendo-vos ao Senhor e à palavra da sua graça, que tem poder para vos edificar e dar herança
entre todosos que são santificados”. (Atos 20:28, 32)

A RESPOSTA
Eu, __________________, aceito a nomeação para servir como Pastor da Igreja do Evangelho
Quadrangular em _____________________________, com todos os seus privilégios, obrigações e
responsabilidades, e vou fazer o máximo esforço para cumprir a confiança dada a mim, primeiramente
por Deus que me chamou, e pela liderança desta Igreja. Eu prometo servir no melhor dos interesses
desta congregação conforme declarado no Estatutos da Igreja Internacional do Evangelho
Quadrangular, e a todos a quem eu ministrar. Eu creio firmemente que ao aceitar este cargo estou me
submetendo à vontade revelada de Deus tanto para minha chamada quanto para a igreja.
Contratado neste ____dia de ______________, de 200___ : ______________________________
Assinatura do pastor

Nomeado por:____________________________
Assinatura do Supervisor do Distrito

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-2


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________________
DESCRIÇÃO DE CARGO DE PASTOR ADMINISTRATIVO
I. FINANÇAS
A. Supervisionar e aprovar compras para o escritório
B. Aprovar compras de suprimentos para operações
C. Submeter compras grandes ao Pastor Titular e ao Conselho da Igreja (Pastor Titular, se for
acima de 100 dólares; se for superior a 400 dólares ao Conselho da Igreja)
D. Aperfeiçoar o Relatório Financeiro da Igreja
E. Trabalhar com o Pastor Titular no orçamento annual
F. Preparar relatórios para a Assembléia Anual da Igreja
G. Verificar todos os seguros da Igreja (Compensação de trabalho, saúde, responsabilidades para
com terceiros, etc.)
II CONTADOR
A. Contabilidade
1. Manutenção da conta corrente
2. Ida ao banco semanalmente
3. Contar entradas semanais
4. Pagar as contas
5. Conservar uma pequena quantia de dinheiro em mãos
6. Passar cheques das despesas diárias
7. Examinar contas a pagar e a receber
8. Preparar o relatório mensal
B. Folha de Pagamento
1. Pagamentos quinzenais; nos dias 15 e 31
2. Manter arquivo dos impostos
3. Preparar arquivo dos impostos
4. Fazer o pagamento dos impostos quando devidos
III. PROCESSAMENTO DE DADOS
A. Providenciar para que todos os funcionários tenham acesso aos dados, particularmente para uso
em seus ministérios com a Secretaria da Igreja.
B. Copiar CD’s ou disquetes de segurança e assegurar-se de que todos os funcionários fazem o
mesmo
C. Resolver qualquer problema dos dados de Contribuição e da Igreja

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-3


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________________
DESCRIÇÃO DE CARGO DE PASTOR ADMINISTRATIVO
Página 2

D. Preparar relatórios quando necessários

E. Juntar todas as informações de forma eficiente, analisar e verificar que sejam colocados no
banco de dados do computador com a Secretaria da Igreja.

VI. DURANTE OS CULTOS

A. Supervisão dos diáconos e dos recepcionistas

B. Supervisão dos equipamentos


1. Temperatura no santuário
2. Fechar a igreja

C. Trabalhar no balcão de informações quando necessário


V. ÁREA TÉCNICA
A. Computadores
1. Supervisionar a compra de todos os novos computadores e impressoras
2. Fazer manutenção rotineira de todos os computadores da igreja
3. Consertar ou providenciar o conserto de todos os problemas dos computadores
4. Supervisionar todos os novos equipamentos físicos e lógicos (hardware e software) dos
computadores
5. Solucionar os problemas da impressoras
6. Supervisionar todos os seletores eletrônicos (scanners) e uso das câmeras digitais
B. Internet
1. Manutenção da página da igreja
2. Certificar-se de que toda a correspondência eletrônica foi distribuída
3. Indica a pessoa de contato da igreja junto aos provedores da internet
C. Telão
1. Supervisionar o uso do telão
2. Supervisionar qualquer ministério que queira utilizar o telão
3. Treinar voluntários para ajudarem no funcionamento do telão e do computador
4. Indica a pessoa a ser contatada para qualquer caso de atualização do sistema de projeção de
video
5. Indica pessoa para o ministério de câmera de video

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-4


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________________
DESCRIÇÃO DE CARGO DE PASTOR ADMINISTRATIVO
Página 3

D. Manutenção de Equipamento de Escritório


1. Copiadora
2. Fax
3. Aparelho para correspondências
4. Sistema telefônico

VI. INSTALAÇÕES

A. Uso do prédio
1. Supervisionar o calendário de atividades
2. Coordenar todas atividades que requerem o uso das dependências
3. Supervisionar a caixa de fusíveis
4. Manter uma caixa de primeiros socorros
5. Coordenar com os voluntários para ter certeza de que o prédio está bem trancado após cada
atividade

B. Seguro
Certificar-se de que a Igreja está segurada contra perdas por fogo, acidente ou roubo

C. Manutenção
1. Coordenar o trabalho voluntário nos projetos do prédio
2. Supervisionar todos os dias de trabalho da igreja

D. Examinar o sistema de segurança e o alarme contra incêndios

VII. BENEVOLÊNCIA

A. Recebe o pedido e pesquisa a necessidade e história do solicitante


B. Coloca as informações no Formulário de Benevolência
C. Aconselha-se, quando necessário, com outras pessoas a respeito do orçamento e finanças, em
geral
D. Preenche cheques quando atende o pedido de alguém
E. Coordena com o Pastor Titular o quanto há disponível na Conta de Benevolência

VIII. LIDERANÇA

A. Conselho
1. Participa das reuniões do Conselho da Igreja
2. Toma nota e registra as atas das reuniões do Conselho
3. Prepara relatórios financeiros para as reuniões do Conselho

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-5


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________________
DESCRIÇÃO DE CARGO DE PASTOR ADMINISTRATIVO
Página 4

B. Pastor
1. Revê as descrições de responsabilidades dos ministérios semestralmente; revê com o Pastor
Titular
2. Examina o Manual da equipe de trabalho e faz a revisão com o Pastor Titular
3. Presta informações mensais sobre as entradas e o livro caixa

IX. MISSÕES

A. Coordena a administração das equipes de missões

B. Providencia relatório mensal das entradas e despesas do Pastor, quando aplicável

C. Comunica a congregação através de: literatura, multimídia, oralmente ou por vídeo, acerca de
como ser envolvido em missões

D. Controla o grupo de missões, quando aplicável

E. Coordena com a denominação sobre qualquer equipe missionária enviada

F. Comunica-se com os missionários enviados por esta igreja

X. OUTROS

A. Correspondência
1. Providencia lembretes para a equipe
2. Cartas para e dos vendedores

B. Melhoria e atualização
1. Programas de procedimentos financeiros
2. Banco de dados
3. Manual de Procedimentos

C. Aconselhamento

D. Atua em projetos especiais, conforme designado pelo Pastor Titular

E. Ocupa o púlpito quando requerido pelo Pastor Titular

F. Coordena as atividades dos trabalhadores voluntários

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-6


Descrição de Cargo
Diretor de Operações Ministeriais
(Página 1)

Esta função administra o recrutamento para o ministério, logística e fluxo da Igreja Quadrangular de
__________________________, e como parte de uma posição de Pastor Auxiliar, também vai
requerer um acompanhamento do bem estar espiritual de toda a congregação. A pessoa que ocupar
essa posição se subordinará diretamente ao Pastor Titular, e deverá ter as qualidades de um Ancião
descritas no Novo Testamento. Se tiver uma credencial do Distrito será bom, porém não é um pre-
requisito.

As pessoas interessadas em ocuparem essa vaga devem estar aptas a trabalharem como Pastor Auxiliar,
um companheiro de visão e cargas de um Pastor Titular. Como complemento dessa função haverá
certas tarefas (responsabilidades nos escritórios, apoio à equipe, reuniões, apoio logístico, reuniões de
aconselhamento e discipulado, seminários de treinamento, liderança, etc.) e certas áreas livres (a
criação de novos ministérios, modos e métodos).

Embora esteja entendido que a Igreja Quadrangular de ___________ não esteja contratando alguém
especificamente para orar, há um ensinamento encontrado em Atos 6:2 que permite (e espera) que um
pastor se conserve espiritualmente com o objetivo de servir a graça de Deus às pessoas de sua igreja. A
oração é um obrigação e um privilégio relacionados com a nossa chamada.

Embora respeitando as funções pertencentes ao cargo de Pastor Titular, o Diretor de Operações do


Ministério supervisionará a administração de: 1) Educação de Adultos; 2) Manutenção e Aquisição de
Propriedades; 3) Atividades do Escritório; 4) Sequência dos Trabalhos; 5) Atividades Externas; 6)
Ingresso e Saída da Membresia; 7) Cuidados Pastorais; e 8) Pessoal. No desempenho de suas
atividades normais, espera-se que o Diretor de Operações faça o seguinte:

• Orar pelos programas do ministério, pelas pessoas que trabalham neles, e por todas a equipe de
trabalho.

• Considerar a equipe pastoral como colaboradores, e assim esforçar-se pela unidade de


pensamento, ação e forma de trabalhar.

• Colaborar para introduzir “visão” para o ministério da Igreja Quadrangular de


______________.

• Implementar e administrar a “visão” do ministério da Igreja Quadrangular de ______________.

• Recrutar, treinar, discipular e confirmar as pessoas que irão liderar equipes de ministério,
conforme descrito abaixo.

• Monitorar, avaliar, encorajar e corrigir os ministérios e seus métodos. Estes ministérios


incluem: 1) Porteiros; 2) Vigias; 3) Cozinha; 4) Comunhão; 5) Pedidos de Trabalho; 6)
Mercado; 7) Necessitados; e 8) Ministério de Transporte.

• Servir como consultor e mentor do Diretor de Ministério Infantil.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-7


Descrição de Cargo
Diretor de Operações Ministeriais
(Página 2)

• Verificar o funcionamento do escritório junto com o Administrador do Escritório. (O


Administrador do Escritório coordenará a publicação de todos os gráficos e impressos e outros
materiais gráficos).

• Administrador do Escritório assegurar-se-á de que a equipe do pessoal está produzindo


razoavelmente, implementará um sistema de diálogo e camaradagem entre o pessoal através de
retiros e outros eventos, e administrará a admissão e demissão de pessoal de acordo com as
ordens do Pastor e do Conselho.

• Fazer todos os pagamentos necessários. Verificar que as contribuições serão depositadas na


conta bancária. Acompanhar todas as contas bancárias. Fazer o pagamento dos salários;
depositar os impostos; preencher os formulários (941, 940, DE3, 1099, W2, etc.). Acompanhar
a correta implementação de todo assunto de pessoal que se relacione com as agências
governamentais.

• Supervisionar o arquivo correto e exato de todas as doações, batismos, dedicação de crianças,


casamentos e funerais, atividades dos membros, anotações das salas de aulas, atas do conselho,
arquivo dos empregados e documentação de veículos. Preparar o Relatório Mensal para ser
distribuído mensalmente.

• Criar, ou delegar a criação e distribuiçõa das listas de aniversário e aniversário de casamento


dos frequentadores da igreja. Exorta a igreja a trabalhar em apoio uns com os outros, usando
para tanto essas listas para se “ligarem” uns aos outros.

• Participar (sempre que possível, e de acordo coom os padrões pastorais) de eventos além das
fronteiras da igreja. Atividades que tragam unidade bíblica e denominacional, tais como,
Reunião de Oração dos Pastores, Reuniões do Distrito ou da Divisão, Marcha para Jesus,
trabalhar nos Acampamentos de Inverno ou Verão, e outros seminários, etc.

• Servir como ancião conforme descrito em Tiago 5:14.

• Visitar, ou delegar a visitação de pessoas hospitalizadas que sejam membros da Igreja do


Evangelho Quadrangular de ________________.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-8


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________________
DESCRIÇÃO DE CARGO
SECRETÁRIA DA IGREJA

A posição de Secretária da Igreja é uma das mais importantes na vida da igreja. A Secretária da Igreja
é vista como uma posição do ministério, e não apenas como uma função de escriturária, e, portanto,
requer primeiro e acima de tudo, um relacionamento direto, diário, com Jesus Cristo. A Secretária da
Igreja trabalha diretamente com o Pastor Titular e deve fazer a ele qualquer pergunta relativa ao cargo.
Os seguintes deveres são de responsabilidade da Secretária da Igreja.
I. RESPONSABILIDADES MINISTERIAIS
A. Com base em Colossenses 3:23-24: “Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como
para o Senhor, e não para homens, cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da
herança. A Cristo, o Senhor, é que estais servindo”.
B. Mantém uma comunicação aberta com toda a equipe de trabalho, contribuindo assim para o
espírito de unidade. Passa para o Pastor Titular todos os assuntos sérios, queixas, pedidos e
assuntos duvidosos.
C. Participa da reunião semanal da equipe de trabalho.

II. ABRE UM CANAL DE COMUNICAÇÃO ENTRE A IGREJA E A COMUNIDADE


A. Cumprimenta os visitantes, faz com que eles se sintam bem vindos e marca horário de
atendimento
B. Atende ao telefone durante o horário de expediente. É responsável também por assegurar o
funcionamento da “secretária eletrônica”. Ouve as mensagens da “secretária eletrônica” e as
responde. Conserva as mensagens sobre atividades especiais, tais como, horário de cultos
especiais, horário de funcionamento de escritórios, etc.
C. Anota as reuniões do pastor na agenda principal. O Pastor a informa dos dias e horários que
ele/ela está disponível.
III. PREPARA CORRESPONDÊNCIA SEMPRE QUE FOR SOLICITADA
A. Envia correspondência semanal a pedido do Pastor, incluindo cartas aos visitantes e membros
ausentes
B. Verifica com a equipe de trabalho qualquer artigo para ser publicado no boletim da igreja.
Prazo limite para entrega, meio-dia da quarta-feira.
C. Prepara outras correspondências, conforme a necessidade.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-9


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________________
SECRETÁRIA - DESCRIÇÃO DE CARGO
(Página 2)

IV. PERFIL DA CONGREGAÇÃO


A. Mantém e atualiza o Arquivo de Membros no computador. Mantém uma cópia de cada família
dos membros da congregação.
1. Mantém todas as fichas de membros atualizadas (mudanças de endereços, telefone, etc.)
2. Mantém uma lista atualizada das equipes de trabalho, diáconos, funcionárias do berçário,
etc. com acesso fácil
B. Mantém em ordem o Livro de Membros Ativos/Inativos da Igreja. Providencia cartas de
transferência, quando necessário, e prepara as carteiras para os novos membros. Revê os livros,
anualmente, com o Pastor, para atualização.

V. CASAMENTOS

A. Atende às ligações telefônicas e às pessoas que vão pessoalmente ao escritório. Dá as


informações das regras da igreja sobre o uso do templo, preço, e os requisitos para o
aconselhamento.
B. Recebe e anota os pagamentos
C. Examina todos os papéis do pedido de casamento e verifica, com o Administrador, acerca do
uso das dependências do templo.
D. Envia o formulário de avaliação após o casamento.
E. Trabalha em conjunto com o Coordenador de Casamentos da Igreja.

VI. AJUDA AO CONTADOR

A. Conta as ofertas em dinheiro quando necessário.


B. Preenche cheques quando necessário.
C. Recebe e efetua pagamentos quando necessário.

VII. BALCÃO DE INFORMAÇÕES

A. Controla todas as folhas de inscrições aos vários eventos.

B. Controla todos os empregados.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-10


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________________
SECRETÁRIA - DESCRIÇÃO DE CARGO
(Página 3)

C. Coordena o trabalho do pessoal do balcão de informações.

D. Organiza e mantém todos os aspectos do Centro de Informações.

VIII. TRABALHOS GERAIS DE ESCRITÓRIO

A. Mantém o estoque em geral, papéis, canetas, selos, gêneros alimentícios, bem como café e chá
para o escritório e sala de recepção.

B. Prepara Certificados de Batismo e Dedicação de Crianças. Mantém estoque dos certificados e


os prepara para assinatura e envio. Uma cópia de cada é arquivada no arquivo da família.
C. Abre e distribue a correspondência e faxes para toda a equipe.
D. Encomenda flores quando necessário.
E. Atende aos registros em geral durante o expediente.
F. Prepara o Boletim semanal e o entrega para ser impresso.
G. Prepara a escala de louvor quando necessário.
H. Mantém o calendário de igreja atualizado.
I. Pedidos de oração: aciona a cadeia de oração e mantém a equipe informada.
J. Ajuda o Pastor Administrativo na elaboração do Diretório Anual da Igreja.
K. Mantém limpos: cafeteira, material de cozinha, máquina copiadora e a geladeira.
L. Cuida de todo o arquivo.
M. Irriga as plantas.
N. Chamadas – envia relatórios quando solicitada.
O. Prepara refeições para os necessitados.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-11


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________________
SECRETÁRIA - DESCRIÇÃO DE CARGO
Página 4

1. Horário de trabalho da Secretária: das 9:00-12:00 e das 13:00-16:00 horas de segunda a quinta e
das 9:00-13:00 às sextas-feiras.

2. As férias remuneradas são concedidas à base de uma semana após o primeiro ano de trabalho e
duas semana após o segundo ano.

3. Os principais feriados são pagos (Dia do Trabalho, Dia da Memória, Dia de Ações de Graças e a
sexta-feira seguinte, Natal e Véspera de Natal e, se preciso, outros dias, dependendo do dia da
semana em que ocorrer o Natal.

4. Todos assuntos pessoais, consultas médicas, etc. devem ser feitos fora do horário de serviço,
sempre que possível. Caso seja necessário se ausentar durante o horário de serviço, deve se
providenciar uma outra pessoa para atender ao telefone.

PRINCIPAIS RESPONSABILIDADES

• Criar um ambiente amigável, serviçal e caloroso no escritório.


• Atender ao telefone.
• Cumprimentar a todos que entrarem no escritório.
• Manter o calendário da igreja em dia.
• Manter atualizado o endereço e o telefone de todos os membros da igreja.
• Manter o arquivo de membros de ordem e atualizado.
• Dirigir o escritório com eficiência.
• Manter o escritório limpo e em ordem.
• Encomendar todo o material para o escritório e mantê-los à mão.
• Cuidar do Centro de Informações.
• Manter atualizado o Banco de Dados da Igreja.

LISTA DAS ATIVIDADES DIÁRIAS

• Verifica o funcionamento da “Secretária Eletrônica”.


• Verifica os “lembretes”.
• Prepara o café.
• Atende ao telefone, encaminha as chamadas e anota as mensagens.
• Cumprimenta as pessoas que chegam, responde perguntas, e as encaminha.
• Pega a correspondência e a distribui.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-12


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________________
DESCRIÇÃO DE CARGO

DESCRIÇÃO DE CARGO – SECRETÁRIA DO PASTOR

Isenta: Sim/Não (hora extra) Nível Salarial: Assalariada


Nome do Empregado: Horário: de ___ às ____
Supervisor: Data: ____/____/____

RESUMO: Desempenha às funções de Secretária do Pastor Titular dentro do horário estabelecido,


garantindo total sigilo sobre todas as informações confidenciais, em cooperação com a equipe de
trabalho da Igreja.
TAREFAS E RESPONSABILIDADES ESSENCIAIS – Incluem as que se seguem, porém outras
poderão lhe ser atribuídas.
ƒ Faz todas as tarefas secretariais de ajuda ao Pastor Titular, incluindo mas não se limitando a,
datilografar anotações do sermão, atender as chamadas telefônicas, cuidar da correspondência.
ƒ Cuida dos e-mails do Pastor
ƒ Mantém um arquivo atualizado de todos os assuntos pertinentes às funções do Pastor.
ƒ Participa das reuniões e redige a ata.
ƒ Trabalha com o Pastor Titular na coordenação das atividades especiais, tais como: cultos,
aconselhamentos e atividades da equipe de trabalho.
ƒ Ajuda o Pastor Titular na preparação das reuniões do Conselho Local.
ƒ Coordena a agenda dos eventos juntamente com o Administrador da Igreja.
RESPONSABILIDADE DE SUPERVISÃO: NENHUMA
REQUISITOS: Para desempenhar esta função com sucesso, a pessoa precisa estar apta a
desempenhar cada tarefa essencial satisfatoriamente. Os requisitos abaixo representam o
conhecimento, experiência e habilidade requeridas. Alguns ajustes podem ser feitos para que pessoas
sem as aptidões necessárias possam desempenhar as funções essenciais.
EDUCAÇÃO E/OU EXPERIÊNCIA: Combinação equivalente de educação e experiência no
secretariado e treinamento, concentradas no campo de secretariado confidencial.
HABILIDADES LINGUÍSTICAS: Capacidade para ler, analisar e interpretar documentos
simples como artigos religiosos, relatórios financeiros e documentos legais tais como pedidos
de compras e faturas. Capacidade para responder a maioria das perguntas dos membros da
igreja e outros dentro da comunidade. Capacidade para escrever cartas e artigos dentro de
padrões e estilos estabelecidos.
MATEMÁTICA: Capacidade de trabalhar com os conceitos básicos de matemática como
soma, subtração, multiplicação e divisão. Saber usar os conceitos de frações, porcentagens e
proporções normalmente necessários para a função de Secretária de Igreja.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-13


DESCRIÇÃO DE CARGO – SECRETÁRIA DO PASTOR
-Página 2-

RACIOCÍNIO: Capacidade para definir problemas, coletar dados, estabelecer fatos e chegar a
conclusões válidas. Saber lidar com conceitos verbais abstratos e concretos.

CERTIFICADOS, LICENÇAS, E REGISTROS: Carteira de Motorista Válida (Estado),


prova de seguro automobilístico, cartão do Seguro Social.

OUTROS: Precisa saber usar o computador e estar familiarizada com o WordPerfect 6.1,
Windows 2.0 ME e e-mail. Necessita datilografar 75 PPM.

EXIGÊNCIA FÍSICA: As exigências físicas mencionadas abaixo representam o que é requerido para
que um funcionário possa desempenhar bem as funções deste cargo. Alguns ajustes podem ser feitos
para que pessoas com alguma deficiência física possa desempenhar as funções essenciais do cargo.

• No desempenho das funções deste cargo, a pessoa precisa se movimentar no escritório sem a
ajuda de ninguém. Com frequência interage com pastores, líderes da igreja, superiores, pares, e
vendedores e precisa falar e ouvir tanto pessoalmente quanto ao telefone. Frequentemente
participa de reuniões que podem ter até 4 horas de duração. Utiliza braços e mãos para alcançar
os objetos.

• funcionário ocasionalmente necessitará carregar objetos de até 10 quilos. Capacidade de visão


necessária para analizar com exatidão documentos, panfletos e outras publicações. Capacidade
de enxergar à longa distância para uma percepção mais profunda e habilidade para focalizar
objetos.

AMBIENTE DE TRABALHO: O ambiente de trabalho mencionado aqui representa o estado atual


em que o empregado vai iniciar o seu trabalho. Alguns ajustes podem ser feitos para acomodar os que
têem alguma deficiência física.

• No desempenho de suas funções o empregado trabalha em um ambiente que pode expor o


empregado a choques elétricos.

• nível de ruído do ambiente de trabalho é normalmente baixo sendo que consiste normalmente
de ruídos provenientes de telefones, máquinas copiadores, impressoras, fax, etc.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-14


DESCRIÇÃO DE CARGO – SECRETÁRIA DO PASTOR
-Página 3-

DESDOBRAMENTO DO HORÁRIO

HORAS
POR SEMANA

1. Preparação do boletim semanal e encartes. Acompanhar os anúncios,


encartes, folhas de adesão, e transparências para o retro-projetor. 1-15
2. Preparação do calendário mensal para distribuição geral à igreja. 12-15/mês
3. Coordenar os horários e uso do templo na agenda principal da igreja.
Aprovar e anotar os pedidos de uso do templo. 1-2
4. Preparação e distribuição da agenda e notas da reunião do Conselho. 1
5. Pedido de material de escritório, incluindo pedido quinzenal. Nota:
Pode ser necessário a ida ao fornecedor. 1-2
6. Manter o arquivo atualizado e organizado. .5
7. Preparação de comemorações especiais – aniversários 1-1.5/mês
8. Correspondência em geral e datilografia; incluindo assuntos da equipe
de trabalho e da administração (menos os do Depto. Infantil) 1-2
9. Manter o banco de dados atualizado e providenciar o diretório anual.
Nota: O diretório anual requer muitas horas de trabalho por poucas semanas. 1-2
10. Verificar o funcionamento, suprimento e manutenção de todas as máquinas
do escritório, computadores, e todo o equipamento áudio-visual. 1-2
11. Desenhar e formatar os folhetos, encartes, correspondências, como ajuda a
outros departamentos e ministérios (menos os do Depto. Infantil). Nota:
Eventos periódicos exigem muito mais tempo. 2
12. Quando for possível, ajudar a contar ofertas. 3-5
13. Compras nas lojas Varia
14. Acompanhamento da impressão de papel timbrado e outros. 1/mês

ATIVIDADES SEMANAIS

De acordo com o necessário:


• Processa todos os pedidos de uso do templo, verifica o calendário e informa a manutenção.
• Atualiza os bancos de dados.
• Atendimento telefônico.
• Datilografa vários documentos, currículos, formulários e cartas.
• Responde aos e-mails do pastor.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-15


DESCRIÇÃO DE CARGO – SECRETÁRIA DO PASTOR
-Página 4-

Segunda-Feira
Antes do almoço

• Organiza a papelada, faz pedidos via fax e anota o dia da entrega.


• Pede material para o escritório porém, se o valor não exceder a $50.00, precisará ir à loja fazer a
compra pessoalmente. Se o pedido for superior a $50.00, as encomendas são normalmente
entregues no dia seguinte.
• Atende ao telefone quando a recepcionista estiver ausente.
Durante o dia

• Continua preparando o Boletim/Encartes/Calendário, fazendo o máximo que puder antes de


conseguir o restante do material da equipe de trabalho no dia seguinte.
• Atualiza as anotações da semana e apaga os da semana anterior.

Terça-feira
Antes do almoço

• Termina o Boletim/Encartes/Calendário e prepara cópia para a equipe de trabalho.


• Prepara a agenda para a reunião da equipe de trabalho e prepara cópias.
Reunião do Quadro de Funcionários
Após o almoço

• Datilografa as anotações e as distribui.


• Verifica os pedidos de papel e outros.
• Prepara a relação de anúncios verbais.

Quarta-feira

• Prepara para tirar cópias do Boletim/Encartes/Calendário.

Quinta-feira
• Continua preparando cópias do Boletim/Encartes/Calendário.
• Prepara listas de participação necessárias.

Sexta-feira
• Ajuda na preparação do culto de domingo, se necessário.
• Começa a preparação do Boletim da semana seguinte.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-16


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________________
DESCRIÇÃO DE CARGO
PASTOR DE CRIANÇAS

Por favor, leve em consideração que embora você esteja sendo designado para uma área específica de
responsabilidades, todos nós devemos ser bem flexíveis em nosso espírito. Apesar de que você possa
se “especializar” em alguma área do ministério, haverá ocasiões em que será necessário ajudar-nos a
trabalhar como uma equipe e, assim, poderemos servir melhor àqueles a quem Deus confiou a nós.

I. RESPONSABILIDADES MINISTERIAIS

A. Fundamentado em Colossenses 3:23-24: “Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração,


como para o Senhor, e não para homens, cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da
herança. A Cristo, o Senhor, é que estais servindo”.

B. Mantenha uma comunicação aberta com toda a equipe de trabalho para conservar o espírito de
unidade. Encaminhe ao Pastor Titular todos os problemas mais sérios, pedidos, reclamações,
etc.
C. Participe das reuniões semanais da equipe pastoral.
D. Mantenha um relacionamento íntimo com o Senhor através da oração, estudo bíblico e período
devocional.

E. Seja submisso ao Pastor Titular e demais líderes que possam ajudar no Ministério Infantil.

F. Treine e discipule outros para que possam ajudar no Ministério Infantil.

G. Compreenda que pelo fato de ter sido confiado a você uma posição de liderança no Corpo de
Cristo, qualquer má conduta sexual de sua parte implicará em dar conhecimento público de sua
falta. O lugar e hora serão determinados pelo Pastor Titular e pelos demais líderes.

H. Conserve como procedimento no Departamento Infantil de que nem você nem outro líder irá se
envolver em aconselhamento individual ou contatar qualquer criança fora de lugar público, a
não ser com outro adulto presente.

II. RESPONSABILIDADES RELACIONADAS COM CRIANÇAS

A. Desenvolva um programa para as crianças até a sexta série que seja compatível com a visão da
Igreja do Evangelho Quadrangular de _________________ de ser um “farol” e uma “cidade de
refúgio”.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-17


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________________
PASTOR DE CRIANÇAS - DESCRIÇÃO DE CARGO
Página 2

B. Este programa deve envolver, no mínimo, o seguinte:

• Aulas de ensino para esse grupo aos domingos pela manhã e quartas à noite.
• Atividades recreativas e brincadeiras.
• Atividades no verão e acampamentos.

C. Procure falar pessoalmente com o maior número possível de crianças na igreja e ofereça um
atendimento especial aquelas que estão feridas e têem necessidades especiais.

D. Elabore um sistema de acompanhamento das crianças, de modo que se possa saber o que elas
estão aprendendo.

E. Mantenha correspondência com os pais dos jovens através de cartas ou reuniões periódicas
para mantê-los a par dos rumos do ministério dos jovens.

F. Participe, apóie e inscreva as crianças e seus professores para participarem das atividades da
igreja, da comunidade e das atividades da divisão e do distrito.

III. RESPONSABILIDADES DA FUNÇÃO

A. Você precisa cumprir o horário do expediente. Isto quer dizer que você deverá estar no
escritório durante as horas que o mesmo estiver aberto, a menos que você esteja envolvido com
outra atividade do ministério fora do escritório.

B. Se você precisar chegar mais tarde ou sair mais cedo, deverá informar a recepcionista onde
você se encontra, e quando estará de volta ao escritório.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-18


DESCRIÇÃO DE CARGO
DIRETOR DO MINISTÉRIO DE CRIANÇAS
(Página 1)

Esta função supervisiona o ministério infantil e as crianças da Igreja do Evangelho Quadrangular de


________________ (cobrindo a faixa de idade desde o nascimento até a sexta série escolar). As
pessoas (de preferência um casal) que desejam ocupar este cargo estarão subordinadas ao Diretor do
Ministério de Operações, e deverão ter as qualidades de um líder, conforme se acha no Novo
Testamento.

Como nas demais atividades pastorais, esta função também apresenta os contrastes entre o mundano e
o majestoso, o sublime e o comum. O foco principal deste ministério é a administração do programa
VIP (ministério de crianças). Como parte desta responsabilidade estarão outras tarefas (escritório,
ajuda à equipe de trabalho, apoio logístico nas reuniões, discipulado, reuniões de aconselhamento,
seminários de treinamento, liderança, etc.) e certas áreas de criatividade (criação de novos ministérios,
modos e métodos). No desempenho de suas funções normais, espera-se do Diretor o seguinte:

• Orar pelo programa VIP, pelos que estão empenhados nele, e pelos colegas de trabalho.

• Considerar todos da equipe pastoral como colaboradores, e esforçar-se para manter a unidade
no pensamento, ação e hábitos de trabalho.

• Dar idéias para a visão pastoral com respeito ao Ministério Infantil da Igreja do Evangelho
Quadrangular de ________________.

• Implementar e administrar a visão do Ministério Infantil na Igreja do Evangelho Quadrangular


de ________________.

• Criar e manter um ambiente seguro para as crianças. Isto inclui o relato de qualquer abuso, a
seleção e supervisão dos funcionários, a implementação de procedimentos de proteção (contra
incêndio, terremoto, AIDS, etc.) e o monitoramento dos lugares perigosos. Inclui, também, o
treinamento do pessoal VIP para que estejam alertas e vigilantes.

• Recrutar e treinar auxiliares, professores e assistentes para o programa. Isto inclui juntar-se à
equipe pastoral na procura e seleção dos membros da igreja que poderão trabalhar. Isto deve ser
feito oferecendo-se treinamento contínuo em todos os níveis para os funcionários e para os que
brevemente irão trabalhar no programa VIP.

• Controlar e abastecer o programa. O Diretor é o responsável (pessoalmente, ou por delegação)


por procurar, estocar e distribuir material (papéis, cola, grampos, marcadores, material de
artesanato, etc.) aos líderes e nas salas de aula conforme necessário.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-19


DESCRIÇÃO DE CARGO
DIRETOR DO MINISTÉRIO DE CRIANÇAS
(Página 2)

• Prepara instalações para o ministério. Normalmente, um zelador faz a manutenção do prédio.


No entanto, a responsabilidade pela segurança, salas de aula bem equipadas, banheiros
asseados, parque de diversões, equipamento e instalações, pertencem ao Diretor do
Departamento de Crianças.

• Preparar as salas de aula todas as semanas. A folha de “coisas a fazer” precisa ser observada.
As sobras das salas de aula precisam ser removidas.

• Examinar os banheiros, verifique se eles estão limpos e providos de material necessário.

• Examinar o parque de diversões, os brinquedos e tudo ao redor. Mate todas as aranhas e


remova suas teias.

• Estabelecer e manter uma rede de segurança para lidar com ausência de empregados e seus
substitutos.

• Fornecer material aos professores. (O DDC pode formar uma comissão com a responsabilidade
de escolher, pedir e distribuir o material com a aprovação do pastor).

• Reunir-se regularmente com a liderança do programa VIP. Avalie-os no que diz respeito aos
detalhes, decisões e alvos.

• Receber sugestões deles. Mentorar os seus substitutos.

• Providenciar a substituição de todos os professores e auxiliares durante o verão (ou períodos


específicos).

• Coordenar e programar um evento de gratidão do programa VIP.

• Administrar o Ministério de Eventos Especiais do Programa VIP, que inclui o acampamento de


crianças e Escola de Música e Artes.

• Administrar o programa VIP de acordo com o orçamento. Permita que os subordinados gastem
dentro do orçamento. Treinar os funcionários para que peçam permissão para gastar dinheiro da
igreja.

• Submeter números importantes para a equipe de trabalho. O Diretor precisa (pessoalmente ou


por delegação) relatar dados exatos de frequência e ofertas ao Diretor do Ministério de
Operações todas as terças-feiras.

• Administrar o programa de “Aluno Exemplar”.

• Elaborar e administrar um programa semanal no meio de semana.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-20


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________________
DESCRIÇÃO DE CARGO
PASTOR DA MOCIDADE

Por favor, leve em consideração que embora você esteja sendo designado para uma área específica de
responsabilidades, todos nós devemos ser bem flexíveis em nosso espírito. Apesar de que você possa
se “especializar” em alguma área do ministério, haverá ocasiões em que será necessário atuar como
“clínico geral”. Mantenha um coração pronto para servir onde for necessário ajudar-nos a trabalhar
como uma equipe e, assim, poderemos servir melhor àqueles a quem Deus confiou a nós.
I. RESPONSABILIDADES MINISTERIAIS
A. Fundamentado em Colossenses 3:23-24: “Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração,
como para o Senhor, e não para homens, cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da
herança. A Cristo, o Senhor, é que estais servindo”.
B. Mantenha uma comunicação aberta com toda a equipe de trabalho para conservar o espírito de
unidade. Encaminhe ao Pastor Titular todos os problemas mais sérios, pedidos, reclamações,
etc.
C. Participe das reuniões semanais da equipe pastoral.
D. Mantenha um relacionamento íntimo com o Senhor através da oração, estudo bíblico e período
devocional.
E. Seja submisso ao Pastor Titular e demais líderes com respeito à sua vida cristã.
F. Treine e discipule outros para que possam ajudar no Ministério com os Jovens.
G. Compreenda que pelo fato de ter sido confiado a você uma posição de liderança no Corpo de
Cristo, qualquer má conduta sexual de sua parte implicará em dar conhecimento público de sua
falta. O lugar e hora serão determinados pelo Pastor Titular e pelos demais líderes.
H. Conserve como procedimento no Departamento da Mocidade de que nem você nem outro líder
irá se envolver em aconselhamento individual ou contatar qualquer jovem ou líder do sexo
oposto.
II. RESPONSABILIDADES RELACIONADAS COM A MOCIDADE
A. Desenvolva um programa para os jovens da faixa de 10 a 18 anos que seja compatível com a
visão da Igreja do Evangelho Quadrangular de _________________ de ser um “farol”,
“hospital” e uma “cidade de refúgio”.
B. Este programa deve envolver, no mínimo, o seguinte:

• Aulas de treinamento.
• Atividades recreativas.
• Atividades externas.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-21


DESCRIÇÃO DE CARGO
PASTOR AUXILIAR DE JOVENS, ADULTOS E INSTALAÇÕES
(Página 1)

Esta função serve de apoio para toda a equipe pastoral e está subordinada diretamente ao Pastor
Titular. Quem almeja esta posição deverá ter as qualidades de um líder, conforme se acha no Novo
Testamento. Quem ocupar essa posição necessitará da ajuda espiritual, emocional e física de seu
cônjuge, pois algumas responsabilidades do cargo podem afetar o casamento. Uma credencial do
Distrito seria útil, porém não é um pré-requisito.
Há duas responsabilidades principais nesta posição: Administração das Instalações e cuidado pastoral
com os jovens adultos. Desta forma, há áreas de atuação paralelas com o Diretor do Ministério de
Operações (no que se refere às facilidades e a portaria) e com o Pastor da Mocidade (o Pastor dos
Jovens Adultos será uma extensão do Departamento da Mocidade).
Um requisito para esta posição é ser um exemplo vivo de liderança espiritual para a congregação.
Embora esteja entendido que a Igreja Quadrangular de ___________ não esteja contratando alguém
especificamente para orar, há um ensinamento encontrado em Atos 6:2 que permite (e espera) que um
pastor se conserve espiritualmente com o objetivo de servir a graça de Deus às pessoas de sua igreja. A
oração é um obrigação e um privilégio relacionados com a nossa chamada.
As quatro principais atribuições são: Trabalhos de Escritório, Administração da Propriedade,
Faculdade/Carreira Ministerial e Atribuições Especiais. No desempenho de suas funções, espera-se do
Pastor Auxiliar o seguinte:

• Implementar e administrar a “visão” do ministério de jovens na Igreja Quadrangular de


______________.

• Orar pelos programas do ministério, pelas pessoas que estão envolvidas nos mesmos, e
pelos colegas de trabalho.

• Considerar os colegas de trabalho como colaboradores, e assim esforçar-se para manter a


unidade de pensamento, ação e forma de trabalhar.

• Implementar e administrar a “visão” do ministério na Igreja Quadrangular de


______________.

• Recrutar, treinar, discipular e confirmar as pessoas que irão liderar equipes de acordo com o
gráfico da Igreja Quadrangular de ______________.

• Cumprir as tarefas de um líder de acordo com Tiago 5:14.

• Cuidar do grupo interessado em estudar na Faculdade, constituído por pessoas adultas com
idade entre 18-28 anos.

• Responsável pela supervisão de toda a propriedade incluindo, mas não limitado a, todos os
trabalhos de zeladoria, manutenção, e responsabilidades de portaria (abertura/fechamento,
segurança, manutenção da ordem, etc.)

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-22


DESCRIÇÃO DE CARGO
PASTOR AUXILIAR DE JOVENS, ADULTOS E INSTALAÇÕES
(Página 2)

• Responsável por ajudar a equipe pastoral em todos os esforços dos ministérios incluindo, mas
não limitado aos eventos especiais, aconselhamento, conferências, etc.
• Seja parte da equipe de trabalho ajudando a congregação em suas atividades.

A Igreja Quadrangular de _____________ pagará um salário bruto de $ ______ por semana para a pessoa
que ocupar esta posição. Não há seguro médico ou programa de aposentadoria.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-23


Sua Igreja
DESCRIÇÃO DE CARGO
MINISTÉRIO DE ASSESSORIA________________

Isento: Sim/Não (hora extra) Nível de Salário: Assalariado


Nome do Empregado: Horário: de ____ às _____
Supervisor: Data: _____/______/_____
RESUMO: Atua como pastor da Equipe Pastoral da Igreja. Trabalha em cooperação com o Pastor
Titular no atendimento às necessidades da igreja. Providencia líderes para os ministério da igreja em
desenvolvimento e coordena todos os eventos da igreja.
TAREFAS E RESPONSABILIDADES ESSENCIAIS: Incluem as que se seguem, porém outras
poderão lhe ser atribuídas.

• Ensino
• Grupos Pequenos
• Ministério de Homens
• Ministério de Crescimento Espiritual/Discipulado
• Atividades da Igreja
• Reuniões
• Ministério de Cuidados Pastorais
• Ler/escrever currículos

RESPONSABILIDADES DE SUPERVISÃO: Facilitar o descrito acima.


REQUISITOS: Para desempenhar esta função com sucesso, a pessoa precisa estar apta a
desempenhar cada tarefa essencial satisfatoriamente. Os requisitos abaixo representam o
conhecimento, experiência e habilidades requeridas. Alguns ajustes podem ser feitos para que pessoas
sem as aptidões necessárias possam desempenhar as funções essenciais.

EDUCAÇÃO E/OU EXPERIÊNCIA: Uma combinação de educação e experiência


ministerial.
HABILIDADE LINGUÍSTICA: Capacidade para ler, analisar e interpretar documentos
simples como artigos religiosos, relatórios financeiros e documentos legais, tais como pedidos
de compras e faturas. Capacidade para responder a maioria das perguntas dos membros da
igreja e outros dentro da comunidade. Capacidade para escrever cartas e artigos dentro dos
padrões e estilos estabelecidos.
MATEMÁTICA: Capacidade de trabalhar com os conceitos básicos de matemática como
soma, subtração, multiplicação e divisão. Saber usar os conceitos de frações, porcentagesn e
proporçòes normalmente necessários para a função.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-24


MINISTÉRIO DE ASSESSORIA______________
-Página 2-
RACIOCÍNIO: Capacidade para definir problemas, coletar dados, estabelecer fatos e chegar a
conclusões válidas. Saber lidar com conceitos verbais abstratos e concretos.

CERTIFICADOS, LICENÇAS, REGISTROS: Carteira de Motorista em dia, comprovante


de seguro deo veículo, cartão do Seguro Social, e Credencial de Pastor.

OUTROS TALENTOS E HABILIDADES: Deve conhecer os computadores PC (IBM) e ter


familiaridade com o programa WordPerfect, e planilhas.

EXIGÊNCIA FÍSICA: As exigências físicas mencionadas abaixo representam o que é requerido para
que um funcionário possa desempenhar bem as funções deste cargo. Alguns ajustes podem ser feitos
para que pessoas com alguma deficiência física possam desempenhar as funções essenciais do cargo.

• No desempenho das funções deste cargo, a pessoa precisa se movimentar no escritório sem a
ajuda de ninguém. Com frequência interage com pastores, líderes da igreja, superiores, colegas
e fornecedores e precisa falar e ouvir tanto pessoalmente quanto ao telefone. Frequentemente
participa de reuniões que podem ter até 4 horas de duração. Utiliza braços e mãos para alcançar
os objetos.

• O funcionário ocasionalmente necessitará carregar objetos de até 10 quilos. Capacidade de


visão necessária para analisar com exatidão os documentos, panfletos e outras publicações.
Capacidade de enxergar à longa distância para uma percepção mais profunda e habilidade para
focalizar objetos.

AMBIENTE DE TRABALHO: O ambiente de trabalho mencionado aqui representa o estado atual


em que o empregado vai iniciar o seu trabalho. Alguns ajustes podem ser feitos para acomodar os que
têem alguma deficiência física.

• No desempenho de suas funções o empregado trabalha em um ambiente que pode expor o


empregado a choques elétricos.

• O nível de ruído do ambiente de trabalho é normalmente baixo sendo que consiste normalmente
de ruídos provenientes de telefones, máquinas copiadores, impressoras, fax, etc.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-25


VOLUNTÁRIOS QUE TRABALHAM COM CRIANÇAS

Departamento: Ministério de Crianças

Descrição do Ministério
Os voluntários ajudam cuidando e ensinando as crianças da idade de 2 a 11 anos que assistem aos
nossos cultos.

Responsabilidades
Ajudam aos professores dirigindo brincadeiras e atividades e participando de outras obrigações na sala
de aula. Necessitamos de ajuda para cuidar das crianças especialmente nos eventos dedicados só a
homens ou mulheres.

Treinamento (L)
Não necessita de experiência. Você será treinado(a) enquanto trabalha. Prencha a ficha de Solicitação
de Trabalho neste ministério. Pessoas acima de 11 anos de idade podem ser aceitas.

Compromisso (L)
Dias e horários de acordo com a sua disponibilidade.

Contato
Supervisor: (nome)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Serviço Crianças Crescendo
Misericórdia Serviço
Evangelismo

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-26


PROFESSORES

Departamento: Ministério de Crianças

Descrição do Ministério
O professor providenciará diversão, ensino bíblico para as crianças de nossa igreja, durante os cultos
de fim de semana, para as crianças de 3 anos de idade até o quinto grau escolar.

Responsabilidades
Preparar lições e atividades a partir de um currículo entregue a cada professor, ensinando verdades e
princípios bíblicos.

Treinamento (S)
Os professores deverão participar de três sessões de treinamentos de orientação aos sábados, e três
sessões de enriquecimento no decorrer do tempo de serviço durante o ano para os professores atuais.

Compromisso (S)
Aproximadamente uma hora de preparação de aula por semana. Dá uma aula de duas horas e meia no
fim de semana. Duração do compromisso: um ano.

Contato
Sala do Ministério de Crianças (número de telefone)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Ensino Crianças Crescendo
Pastor Influência
Liderança Dirigir
Exortação

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-27


ASSISTENTE DO BERÇÁRIO

Departamento: Ministério de Crianças

Descrição do Ministério
O(A) assistente de berçário é responsável por cuidar, nutrir, ministrar, e ensinar as crianças da idade de
2 anos ou menos durante os cultos ou outros eventos nos quais o serviço de berçário está disponível.

Responsabilidades
Cuidar dos bebês; trocar fraldas, dar mamadeiras conforme necessário; contar estórias curtas; brincar
com os bebês.

Treinamento (L)
Não é necessário ter experiência; você receberá treinamento enquanto trabalha.

Compromisso (S)
De uma a quatro vezes por mês por um ano.

Contato
Diretor(a) do Ministério de Crianças

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Misericórdia Crianças Crescendo
Socorro Serviço

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-28


MEMBRO DA EQUIPE DE LOUVOR

Departamento: Ministério de Crianças

Descrição do Ministério
Ensinar as crinças a adorarem através da música, cantando e louvando a Deus.

Responsabilidades
Levar as crianças a louvar a Deus em grupo como parte do “Grupo de Louvor Jericó”, durante os
cultos de fim de semana. Ensaios obrigatórios todas as segundas-feiras, das 7 às 9 horas da noite.
Tragam seus instrumentos.

Treinamento (L)
Todos são bem-vindos. Treinamento será dado nos ensaios das segundas-feiras. Algumas habilidades
musiciais serão ensinadas.

Compromisso (M)
Os membros da equipe de louvor devem participar de ensaios com duas horas de duração uma vez por
semana, nas segundas-feiras das 7:00 às 9:00PM; as apresentações são duas vezes por mês, nos cultos
infantis dos finais de semana. Esta posição requer um compromisso de um ano.

Contato
Coordenador da equipe de louvor de crianças (nome)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Liderança Louvor Crescendo
Exortação Crianças
Fé Dirigir

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-29


AUXILIARES PARA TRABALHAR COM ADOLESCENTES

Departamento: Ministério de Crianças

Descrição do Ministério
Crianças auxiliares (de 9 a 11 anos), auxiliares juniores (de 12 a 14 anos) e auxiliares seniors (de 15 a
18 anos); auxiliam os professores de crianças da igreja nas salas de aula com atividades de artesanato e
servindo de exemplo para as crianças. Os que trabalham com adolescentes estarão aprendendo a servir
a Deus e a se tornarem participantes vitais na vida da igreja enquanto servem as crianças.

Responsabilidades
Chegar 45 minutos antes do culto para assistir ao período de oração. Ajudar os professores de crianças
da igreja a arrumar a sala, nas atividades das aulas e limpando as salas de aula.

Treinamento (L)
Não é necessário ter treinamento prévio; os auxiliares do trabalho com adolescentes devem participar
de sessões de orientação e preparação que são oferecidas periodicamente durante o ano.

Compromisso (M)
Compromisso de um ano para ajudar no cultinho durante o fim de semana.

Contato
Sala do Ministério de Crianças (Telefone...)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Socorro Crianças Crescendo
Liderança Serviço

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-30


DECORADOR(A)

Departamento: Ministério de Crianças

Descrição do Ministério
O decorador ajuda a decorar os quadros de avisos e salas de aulas tanto para festividades de época
quanto para eventos especiais.

Responsabilidades
Trabalhar com o líder do ministério de crianças para desenvolver e implementar temas de decoração.

Treinamento (L)
Nenhum. Aproveite para fazer decorações simples e variadas para ajudar no Ministério de Crianças.

Compromisso (L-M-S)
Flexível: Trabalhar em algumas oportunidades especiais.
Algum projeto de trabalhar em casa.
Os dias e horários ficam a combinar.

Contato
Sala do Ministério de Crianças (Número de telefone)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Trabalhos manuais Criatividade Crescendo
Socorro Crianças

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-31


EDITOR DE BOLETIM

Departamento: Ministério de Crianças

Descrição do Ministério
Editor do boletim do Ministério de Crianças.

Responsabilidades
Solicita artigos, escreve, edita e produz o boletim trimestral do Ministério de Crianças.

Treinamento (M)
Necessita ter experiência anterior em redação. Conhecimentos de computação e uso do WordPerfect
são de grande ajuda.

Compromisso (M)
Um ano.

Contato
Escritório da Igreja (Número de telefone)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Administração Desenho Crescendo
Comunicação Criativa Influência
Socorro Crianças

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-32


LÍDER DE ADOLESCENTES (“JUNIOR HIGH”)

Departamento: Ministério dos Estudantes

Descrição do Ministério
O líder de adolescentes (“junior high”) ajuda os alunos a celebrar a vida e crescer em seu caminhar
diário com Cristo.

Responsabilidades
Os líderes precisam chegar às 6:30 PM para oração para a reunião da noite e permanecem até às 9:30
PM. Eles facilitam a discussão em pequenos grupos sobre os princípios cristãos, e influenciam vida
através de um bom relacionamento. O líder dos adolescentes também precisa fazer ligações telefônicas
semanais, enviar cartões postais, discipular individualmente, e fazer muitos trabalhos externos.

Treinamento (L)
Treinamento em nível nacional uma vez por ano. Seminários especializados uma vez por mês.
Treinamento em casa duas vezes por ano.

Compromisso (S)
Aproximadamente 5 ou mais horas por semana.

Contato
Pastor de Jovens (nome)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Pastoreado Jovens Crescendo
Liderança Influência
Misericórdia
Exortação

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-33


LÍDER DE JOVENS (“HIGH SCHOOL”)

Departamento: Ministério dos Estudantes

Descrição do Ministério
O líder de jovens (“high school”) ajuda os alunos a celebrar a vida e crescer em seu caminhar diário
com Cristo.

Responsabilidades
Os líderes precisam chegar às 6:30PM para oração para a reunião da noite e permanecem até às
9:30PM. Eles facilitam a discussão em pequenos grupos sobre os princípios cristãos, e influenciam
vidas através de um bom exemplo. O líder dos adolescentes também precisa fazer ligações telefônicas
semanais, enviar cartões postais, discipular individualmente, e fazer muitos trabalhos externos.

Treinamento (M)
Treinamento em nível nacional uma vez por ano. Seminários especializados uma vez por mês.
Treinamento em casa duas vezes por ano.

Compromisso (S)
Cinco horas por semana.

Contato
(Pastor da Mocidade)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Liderança Jovens Crescendo
Ensino Influência
Educação
Misericórdia

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-34


EQUIPE DE LOUVOR

Departamento: Ministério de Louvor

Descrição do Ministério
O objetivo principal do Ministério de Louvor é providenciar o período de louvor em todos os eventos
da igreja que preciam deste ministério. Isto é feito através de instrumentos e cânticos de louvor.

Responsabilidades
Participar de ensaios e chegar 1 hora antes do culto no qual ele ou ela fará parte.

Treinamento (L)
Ensaios duas vezes por semana.

Compromisso (M)
Será necessário participar de pelo menos duas reuniões por mês incluindo um ensaio. Este ano os
ensaios estão marcados para as terças e quintas-feiras das 7:00 às 9:00PM, e aos sábados das 3:30 às
5:00PM

Requisitos
Como esta é uma posição de liderança, requeremos que a pessoa seja membro da igreja por pelo menos
3 a 6 meses, e que esteja participando de algum grupo da igreja (culto familiar, por exemplo).

Contato
(Líder do Louvor)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Louvor Música Crescendo
Exortação Influência

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-35


ASSISTENTE DE PESQUISAS

Departamento: Ministério de Educação Cristã

Descrição do Ministério
Pesquisar tópicos pedidos pelos Pastores e professores para os sermões e aulas. Cria revisões e faz
todas as citações e bibliografia.

Responsabilidades
Pesquisa, capacidade de trabalhar com computador, edição de revisão de livros.

Treinamento (L)
Não é necessário ter experiência; você receberá treinamento enquanto trabalha.

Compromisso (L-M-S)
Sempre que possível.

Contato
Diretor de educação cristã (nome)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Conhecimento Estudo da Palavra de Deus Crescendo
Socorro Pesquisa
Perseverança
Excelência

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-36


LÍDER DE GRUPO FAMILIAR

Departamento: Pastoral

Descrição do Ministério
O Líder de Grupo Familiar providencia orientação geral para os participantes de seu grupo.

Responsabilidades
Prepara as reuniões semanais. Ora para os membros do grupo. Lidera as lições semanais. Discipula e
treina o pessoal. Verifica se todos os participantes estão sendo bem cuidados e “pastoreados”. Participa
das reuniões mensais e uma vez por mês reúne-se com o Pastor Titular.

Pré-requisito
Prova anterior de capacidade de liderança.

Treinamento (S)
Discipulado – 6 meses a um ano, pelo menos.

Compromisso (S)
Seis horas por semana, que inclui três horas na reunião familiar, e três horas de preparação e
discipulado.

Contato
(Coordenador dos Grupos Familiares)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Pastoreio Discipulado Líder Espiritual
Liderança Influência
Exortação

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-37


AUXILIAR DE GRUPO FAMILIAR

Departamento: Pastoral

Descrição do Ministério
Os Auxiliares dos Grupos Familiares são os que ajudam o Líder o pessoal do grupo.

Responsabilidades
Orar pelos membros do grupo. Contatar os membros durante a semana para estabelecer relacionamento
e encorajamento. Ajuda o Líder durante as reuniões. Ajuda a discipular membros do Grupo. Reúne-se
com o Líder semanalmente.

Pré-requisito
Dar provas de capacidade de liderança.

Treinamento (S)
Discipulado – 6 meses a um ano, pelo menos.
.
Compromisso (S)
Cinco horas por semana, incluindo três horas na reunião do Grupo e duas horas de discipulados.

Contato
(Líder do Grupo Familiar)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Pastoreio Discipulado Líder Espiritual
Misericórdia Serviço
Exortação

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-38


ANFITRIÃO DE GRUPO FAMILIAR

Departamento: Pastoral

Descrição do Ministério
Ajuda o Líder do Grupo e serve ao Grupo providenciando uma casa limpa e confortável para
comunhão e estudo.

Responsabilidades
Providencia limpeza e conforto da casa para a reunião semanal do grupo. Arruma a disposição das
cadeiras e água antes da reunião. Demonstra interesse verdadeiro nos convidados e os recebe com um
sorriso caloroso. Cria uma atmosfera de aceitação e amor para todos

Treinamento (L)
Em ação.

Compromisso (M)
3 horas por semana

Contato
Coordenador de Grupos Familiares (nome)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Hospitalidade Comunhão Novos Convertidos
Socorro Serviço

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-39


LÍDER DE LOUVOR DE GRUPO FAMILIAR

Departamento: Pastoral

Descrição do Ministério
Lidera o louvor nas reuniões de Grupos Familiares.

Responsabilidades
Trabalha com o líder para selecionar os hinos que serão cantados, todas as semanas. Prepara e ensaia
as canções. Lidera o grupo na adoração e no louvor.

Pré-requisito
Tocar guitarra e cantar

Treinamento (L)
Cantar e tocar violão.
Treinamento básico sobre liderança de louvor

Compromisso (M)
Três horas por semana.

Contato
(Coordenador dos Grupos Familiares)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Louvor Adoração Líder Espiritual
Liderança
Exortação

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-40


MINISTÉRIO ARTÍSTICO (ARTES CÊNICAS, DRAMA)

Departamento: Ministério Externo

Descrição do Ministério
O ministério artístico ajuda a preparar e apresentar peças de teatro de qualidade e ilustrações de
sermões.

Responsabilidades
Localiza ou escreve um roteiro apropriado para um ministério externo. Treina os membros da equipe
na dramatização e artes, providencia ensaios e apresentação de boa qualidade.

Treinamento (L)
Experiência teatral é de grande ajuda. Reuniões semanais e troca de idéias são necessários.

Compromisso (M)
Reuniões às segundas-feiras, das 7:00 às 9:00 PM. O período de ensaio é maior por ocasião de
apresentações e para cenas cômicas. Compromisso de um ano.

Contato
Coordenador do Ministério Artístico (nome)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Comunicação criativa Desempenho Novos convertidos
Exortação
Evangelismo

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-41


RECEPCIONISTA

Departamento: Serviço

Descrição do Ministério
Um recepcionista dará as boas-vindas calorosamente ao povo quando eles entrarem no prédio da igreja
ou no santuário; um recepcionista também distribuirá os boletins.

Responsabilidades
Chegar meia hora antes de começar o culto para preparar o material a ser distribuído; cumprimentar as
pessoas; distribuir boletins.

Treinamento (L)
Em ação.

Compromisso (L)
Uma hora e meia, uma vez por semana 90 minutos.

Contato
Escritório da igreja (número de telefone)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Hospitalidade Pessoas Novos convertidos
Socorro Serviço
Evangelismo

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-42


DIÁCONO

Departamento: Serviço

Descrição do Ministério
Um diácono provê um serviço à congregação cumprimentando as pessoas e ajudando-as a encontrar
lugar para sentar.

Responsabilidades
Chegar meia hora antes do culto para verificar tudo com o diretor do diaconato. Cumprimenta e
entrega aos visitantes um cartão de boas vindas. Recebe dízimos e ofertas e serve a Ceia do Senhor.

Treinamento (L)
Não é necessário ter treinamento prévio.

Compromisso (L)
Uma hora por semana.

Contato
(Diretor dos Diáconos)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Socorro Ordem Novos convertidos
Hospitalidade Serviço

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-43


VOLUNTÁRIO PARA DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS

Departamento: Benevolência

Descrição do Ministério
Um voluntário de distribuição de alimentos ministra àqueles que são incapazes de prover alimentos
para si mesmos ou as suas famílias.

Responsabilidades
Colocar a comida nas sacolas, estocar as prateleiras, e organizar roupas; dar conselhos e orar com os
necessitados, falando com eles sobre a esperança que Jesus oferece; prover informações sobre recursos
para emergências.

Treinamento (L)
No serviço.

Compromisso (M)
Os voluntários trabalham 3 horas por semana. Pessoas que falam espanhol são necessárias.

Contato
Diretor de ministério de evangelismo (nome)

Dons Espirituais Coração Maturidade Espiritual


Misericórdia Necessitados Novos convertidos
Socorro Serviço
Evangelismo

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-44


ZELADOR

Esta é uma posição voluntária que cuida da parte física do prédio e que está subordinada ao Gerente de
Instalações. As pessoas que desejam trabalhar neste ministério precisam ter as qualidades mencionadas
no Novo Testamento para um diácono.

O zelador será responsável pela aparência exterior e pela manutenção da Igreja do Evangelho
Quadrangular de ________________ que inclui, por exemplo, a calçada, o estacionamento, o parque
de diversões, bancos, chafariz, jardins e cercas.

Na atividade normal de seu serviço ele/ela pode:

• Agir como intermediário com a Companhia de Manutenção.


• Acompanhar o trabalho no jardim.
• Informar a Companhia sobre os detalhes que são considerados importantes para a aparência
da Igreja.
• Dar sugestões para o Diretor e/ou Conselho Local sobre as coisas necessárias, áreas de
preocupação, e seleção do mantenedores.
• Criar e implementar um programa de segurança (incluindo calçada, e parque de diversão).
• Remover insetos mortos, papéis, folhas e outras sujeiras.
• Olhar e retirar aranhas e suas teias.
• Esvaziar as latas de lixo e trocar os sacos plásticos.
• Ajudar nos trabalhos do dia-a-dia.
• Guardar as escadas, ferramentas e outros materiais.
• Procurar manter a área em volta da igreja sempre limpa.
• Recrutar e treinar substitutos.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14B-45


14C MODELO DE MANUAL DE DIRETRIZES PARA O QUADRO DE
PESSOAL

Intodução ao Manual de Políticas de Pessoal

Este recurso existe para dar aos pastores e igrejas quadrangulares um exemplo de como se pode
desenvolver um Manual de Políticas de Pessoal para a igreja local. Nem toda informação contida
nesta seção se aplica a qualquer igreja quadrangular. Pode-se precisar de que fontes adicionais
sejam desenvolvidas, a fim de se preencherem os requisitos de determinadas igrejas.
Recomenda-se que cada pastor e Conselho de Igreja, em oração, ponderem sobre as políticas
necessárias à administração efetiva do pessoal pago e do voluntariado da Igreja Quadrangular local.
Cópias de manuais de políticas podem ser requisitadas de outras igrejas da região, como forma de
assistência. Além de suas orações, cada igreja poderá desenvolver um manual de políticas que trate
sobre os vários aspectos do ministério da igreja e os relacionamentos de pessoal.
Muitos itens terão que ser definidos segundo circunstâncias específicas de cada Igreja Quadrangular
(exemplo: horas de funcionamento, salário, benefícios); outros poderão também ser incluídos.
Portanto recomenda-se uma leitura cuidadosa das políticas aqui contidas , antes de implementá-las.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-1


ÍNDICE
PÁGINA
Índice...................................................................................................................................................2
Boas-
vindas...................................................................................................................................................4
Declaração ..........................................................................................................................................5
Introdução...........................................................................................................................................6
1. Emprego, Definição de pessoal, Avaliações
1.1 Qualificações para o emprego (cargo)......................................................................................7
1.2 Definição de pessoal................................................................................................................7
1.3 Avaliação de desempenho........................................................................................................7
2. Horário de trabalho, Freqüência, Ausência
2.1 Horário de trabalho...................................................................................................................8
2.2 Freqüência................................................................................................................................8
2.3 Ausência...................................................................................................................................8
2.4 Horário de trabalho do pessoal..................................................................................................8
3. Reuniões do Pessoal..........................................................................................................................9
4. Salário semanal e Salário mensal
4.1 Política ministerial de emprego/Compensação de pessoal..........................................................9
4.2 Revisão salarial.........................................................................................................................9
4.3 Períodos de pagamento...........................................................................................................10
4.4 Deduções de folha de pagamento............................................................................................10
4.5 Adiantamentos e Empréstimos ao pessoal...............................................................................10
5. Benefícios – Todo o pessoal
5.1 Equipe pastoral......................................................................................................................11
5.2 Férias.....................................................................................................................................11
5.3 Feriados.................................................................................................................................12
5.4 Licença por motivo de doença................................................................................................12
5.5 Licença por ausência..............................................................................................................12
5.6 Seguro saúde (médico)..........................................................................................................13
5.7 Seguro saúde (odontológico).................................................................................................13
5.8 Seguro de compensação ao trabalhador...................................................................................13
5.9 Seguridade social....................................................................................................................13
5.10 Deveres jurídicos..................................................................................................................13
6. Término do contrato de trabalho
6.1 Demissão................................................................................................................................14
6.2 Dispensa.................................................................................................................................14
6.3 Acerto rescisório.....................................................................................................................14
6.4 Acumulação de férias..............................................................................................................14

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-2


7. Rotina de escritório/Procedimentos
7.1 Vestuário................................................................................................................................15
7.2 Confidencialidade....................................................................................................................15
7.3 Mal-entendidos e queixas........................................................................................................15
7.4 Disciplina................................................................................................................................15
7.5 Relações públicas....................................................................................................................15
7.6 Filhos de funcionários.............................................................................................................16
7.7 Freqüência à igreja e Contribuições (dízimos)........................................................................16
7.8 Política/Princípios em relação a assédio sexual
7.8.1 Definição de assédio sexual...........................................................................................16
7.8.2 Exemplos de assédio sexual..........................................................................................16
7.8.3 Notificação ao funcionário............................................................................................17
7.8.4 Processo de reclamações...............................................................................................17
7.8.5 Confidencialidade..........................................................................................................18
7.8.6 Execução......................................................................................................................18
7.8.7 Ação disciplinar do funcionário.....................................................................................18
7.8.8 Revisão de políticas/princípios......................................................................................18
7.8.9 Referências legais..........................................................................................................18

8. Saúde e Segurança
8.1 Incêndios...............................................................................................................................19
8.2 Ameaças................................................................................................................................19

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-3


Igreja Quadrangular de ________________
Apresentação do Manual de Políticas de Pessoal
O propósito deste manual não é determinar regras, normas e restrições, mas informar-lhe como nós,
enquanto igreja, desejamos auxiliar no cumprimento da chamada de Deus para o que ser e fazer na
Igreja Quadrangular de ______________. O espírito das medidas indicadas busca ajudá-lo a
entender o sentido do que espera e o que esperar enquanto serve a Jesus aqui, seja na área pastoral
ou como membro da equipe de pessoal. Este manual contém definições pertinentes às relações de
pessoal e fornece direcionamento para nosso modelo de funcionamento cotidiano.
Acredito que as medidas e diretrizes aqui estabelecidas são compatíveis com nossos objetivos, bem
como com procedimentos de práticas saudáveis aprovadas pelo Conselho da Igreja. Apesar de não
desejar ser rígido ou intransigente na apresentação deste manual, realmente acredito que as
informações aqui contidas refletirão uma administração de qualidade, bem como eliminarão muitos
problemas de pessoal.
Por favor, fique à vontade para fazer perguntas relativas a qualquer assunto contido neste manual, a
fim de entender o espírito, o cerne e a história de nossas políticas. Estamos sempre abertos à
discussão com você, sobre qualquer dúvida ou sugestão que tenha sobre vida e ministério como
membro de nosso pessoal.
Obrigado, antecipadamente, por receber estas diretrizes no mesmo espírito com o qual elas lhe são
enviadas. Sua submissão a elas fará seu ministério aqui muito mais satisfatório. Oro para que
estejamos sempre descobrindo juntos como melhor servir a Jesus ao servir à família desta igreja, no
espírito de unidade, amor e sacrifício. Sou grato por sua vida e pela contribuição que você dará ao
ministério em geral que o Senhor possibilitou a esta congregação. Bem vindo ao pessoal.

Seu, com o amor do Grande Pastor,

Pastor ____________________.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-4


Igreja do Evangelho Quadrangular de ________________
Declaração do Manual de Políticas e Princípios da Igreja Quadrangular de ____________

Certifico que recebi, li e aceito o Manual de Políticas e Diretrizes de Pessoal da Igreja Quadrangular
de _______________, datado de __________, cuja cópia me foi entregue. Também compreendo que
as declarações contidas no Manual do Funcionário não são um contrato e que minha ocupação com a
Igreja Quadrangular de ____________ é de caráter indeterminado (não se limita a tempo e lugar),
que o Manual do Funcionário pode ser modificado a qualquer momento e que o Manual atualizado
substitui todos e quaisquer outros emitidos anteriormente pela Igreja Quadrangular de
_________________.

__________________________
Assinatura

__________________________
Nome

__________________________
Data

__________________________
Pastor ou Responsável

Favor ler e assinar a declaração acima


e devolver este formulário à Secretaria
de Pessoal ou ao Pastor/Responsável.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-5


Igreja do Evangelho Quadrangular_____________
Manual de Procedimentos de Pessoal
Introdução

A todos os empregados

Este Manual de Políticas e Diretrizes destina-se a ser somente uma fonte de informação e uma
declaração geral de políticas de ministério; não se trata de um contrato de trabalho. A Igreja
Quadrangular de ________________ espera que o relacionamento de trabalho seja contínuo e
compensador para ambos os lados. Entretanto a relação de trabalho é voluntária e, uma vez que
você pode pedir demissão no momento que achar apropriado, a Igreja Quadrangular de
________________ reserva-se o direito de finalizar a relação de trabalho com ou sem justa causa, o
que caracteriza uma relação de trabalho por prazo indeterminado. Nenhum representante do
ministério tem a autoridade de formular qualquer acordo de trabalho por um período de tempo
determinado ou fazer qualquer acordo que contrarie essa relação de trabalho por prazo
indeterminado.
Igualdade de oportunidades de trabalho

A Igreja Quadrangular de ________________ acredita que cada funcionário tem o direito de


trabalhar em um ambiente livre de quaisquer formas de discriminação condenadas por lei. Ela tem a
política de contratar, promover, transferir, demitir e tomar outras decisões relacionadas ao trabalho
independente de raça, cor, sexo, idade, nacionalidade, deficiência etc. segundo os nossos valores
baseados na Declaração de Fé Cristã.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-6


1. TRABALHO, DEFINIÇÃO DE PESSOAL, AVALIAÇÕES
1.1 QUALIFICAÇÕES PARA O TRABALHO
o compromisso para com Jesus Cristo e Sua obra, evidenciado em nossas vidas e em nossos
relacionamentos pelos frutos do espírito: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade,
fidelidade, mansidão e domínio próprio (Gálatas 5:22, 23);
educação formal e experiência que se enquadrem na descrição e nas exigências do cargo;
uma atitude positiva de cooperação mútua com outros colegas de trabalho, com o Conselho com
outros líderes da igreja, e com outros membros da congregação (exige-se fidelidade à igreja, ao pastor
e dos membros entre si);
uma personalidade alegre: calor humano, boa vontade, um relacionamento positivo com as outras
pessoas;
Submissão, de boa vontade, à autoridade.

1.2 DEFINIÇÃO DE PESSOAL

O pessoal é classificado por uma Equipe Pastoral Credenciada e pela Equipe de Trabalho.
A Equipe Pastoral Credenciada é constituída por aqueles que têm credenciais ministeriais e que
auxiliam o pastor titular.
A Equipe de Trabalho é constituída pelo corpo administrativo e o de manutenção.
Funcionários de meio expediente, de tempo integral ou temporários podem ser incluídos em qualquer
equipe.
Funcionários de tempo integral são aqueles que trabalham trinta horas ou mais por semana,
permanentemente.
Funcionários de meio expediente são aqueles que trabalham menos de trinta horas por semana,
permanentemente.
Funcionários temporários são aqueles que trabalham em tempo integral ou em meio expediente, mas
durante no máximo 90 dias consecutivos, sem interrupção no trabalho.

1.3 AVALIAÇÕES DE DESEMPENHO


Todos os funcionários têm que se submeter anualmente a avaliações de desempenho. Essas avaliações
são determinadas e conduzidas pelo pastor titular ou o supervisor direto do funcionário. O pastor
titular ou o supervisor do funcionário podem fazer uma avaliação em qualquer época do ano, caso
seja necessário.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-7


2. HORAS DE TRABALHO, FREQÜÊNCIA, FALTAS

2.1 HORARIO DE TRABALHO


O horário de trabalho, para todos os funcionários de tempo integral, exceto em caso de mudança feita
pelo pastor ou supervisor, é de segunda-feira a sexta-feira de 9h às 16 h. . O intervalo destinado ao
almoço é de uma hora.

2.2 FREQÜÊNCIA
É responsabilidade do funcionário ser assíduo e pontual ao trabalho.

2.3 FALTAS
Quando, por qualquer motivo, o funcionário precisar ausentar-se do trabalho, deverá comunicar ao
pastor administrativo quanto antes. Quando possível, qualquer ausência deve ser comunicada
antecipadamente ao pastor titular, e cada dia de ausência requer prévia comunicação
.
A falta de comunicação de possíveis ausências ao trabalho levará à perda dos privilégios de licença por
motivo de doença. Ausências em excesso, prolongadas ou sem justificativas, resultarão em licença ou
demissão.
AUSÊNCIA EM EXCESSO: Qualquer ausência, exceto nos dias de folga previstos, será
considerada ausência em excesso, sem remuneração.

AUSÊNCIA PROLONGADA: Qualquer ausência ao trabalho, de mais de duas semanas, que não
se caracterize como férias ou licença por motivo de doença.

AUSÊNCIA SEM JUSTIFICATIVA: Qualquer ausência não aprovada pelo pastor titular ou o
supervisor imediato.

AUSÊNCIA COM JUSTIFICATIVA: Determinada a partir da análise de cada caso em particular;


o funcionário precisará da aprovação do supervisor imediato.

2.4 HORÁRIO DE TRABALHO DO PESSOAL


Devido à natureza do trabalho, o horário dos funcionários depende da orientação do pastor titular.
Entretanto esse horário deve enquadrar-se no horário oficial de trabalho, que é de segunda-feira a
sexta-feira, de 9h às 16 h. Caso tenha que alterar esse horário devido a outras responsabilidades,
cumpre ao funcionário ajustar isso com o pastor titular.

NOTA: Em caso de se ausentar do local de trabalho, o funcionário deverá comunicar ao pastor


administrativo o horário do retorno.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-8


3. REUNIÃO DO QUADRO DE FUNCIONÁRIOS
A reunião pastoral de pessoal acontece todas as terças-feiras, de 12:00 às 13:30 hs, podendo esse
horário ser alterado pelo pastor titular. Qualquer membro da equipe pastoral que não possa participar
da reunião deve informar antecipadamente o pastor titular. O funcionário deve vir para a reunião
preparado para tomar notas e comunicar quaisquer eventos ou necessidades que digam respeito à
equipe de trabalho e à igreja.

4. SALÁRIO E REMUNERAÇÃO

4.1 COMPENSAÇÃO MINISTERIAL DE PESSOAL/POLÍTICA DE TRABALHO


A filosofia para compensação de pessoas do ministério está pautada nestas verdades bíblicas:
“Os presbíteros que governam bem sejam estimados por dignos de duplicada honra,
principalmente os que trabalham na palavra e na doutrina. Porque diz a escritura: Não ligarás
a boca ao boi que debulha. E digno é o obreiro do seu salário”. Texto bíblico (I Tim. 5:17,18)
“Aos presbíteros, que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e
testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar: Apascentai o
rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente;
nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; Nem como tendo domínio sobre a herança de
Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho”. Texto bíblico (I Pedro 5:1-3)
Se não há nada errado em se obter a própria renda do trabalho ministerial, isso deve ser visto como
um privilégio, e não como um direito. E aqueles que são beneficiados pelo trabalho no ministério
devem seguir um padrão mais alto de administração financeira do que aqueles a quem servem. O
ministério deve ser visto como um serviço a Deus, e não como um negócio; e o pastor deve dar o
exemplo, em todos os sentidos, para que a congregação o possa seguir.
Dessa forma, as seguintes diretrizes são estabelecidas para o bem daqueles que dedicam tempo
integral ao ministério e daqueles a quem servem.

4.2 REVISÃO SALARIAL


remuneração financeira (administrativa ou ministerial) pelos serviços executados como membro do
pessoal pastoral da Igreja Quadrangular de _____________ será baseada nos seguintes critérios:
1. extensão das responsabilidades;
2. experiência anterior;
3. desempenho da função.
O salário deve ser justo, por isso deve ser determinado pelos seguintes fatores:

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-9


1. a compensação média por cargo semelhante em outras igrejas similares (obtida através de
informação de pesquisa salarial formal e informal);
2. a média, ou valor médio da renda anual dos membros da congregação (determinado pela
avaliação dos registros de dízimos anuais da igreja, e outras informações demográficas),
3. os recursos disponíveis para compensar a pessoa.
Deve-se notar que um ministro de tempo integral e licenciado, que recebe $40,000.00 de
compensação por ano, que destina 50% de seu salário como auxílio para despesas com a casa
pastoral, recebe a mesma compensação que um não-ministro que recebe $47,000.00 por ano. Dessa
forma, os salários de ministros credenciados devem ser considerados equiparados aos salários de
não-ministros.
Os membros da equipe pastoral que são compensados por trabalho em tempo integral terão que
apresentar anualmente uma declaração de gastos , para fins de contabilidade e avaliação financeira.
O Conselho da Igreja revisará anualmente (no mês de janeiro) as compensações de cada membro
da equipe, porém os membros da equipe pastoral não devem esperar qualquer aumento anual de
compensação, a não ser que seja garantido e definido pelo Conselho da Igreja. Tais recomendações
não devem fazer com que os gastos pessoais excedam 40% do orçamento anual total dos gastos da
Igreja.
Os pastores de tempo integral podem designar parte do seu salário como despesas com a casa
pastoral através do formulário “Housing Allowance Estimation Form” que deve ser submetido e
aprovado pelo Conselho da igreja, todos os meses de dezembro, com valor para o ano seguinte.
Esses valores devem ser condizentes com as despesas relativas a uma casa normal e não deve os
valores legais.

4.3 PERÍODOS DE PAGAMENTO


O pagamento é quinzenal, e os cheques são emitidos nos dias 15 e 30 de cada mês. Se coincidir
com um sábado, domingo ou feriado, havendo possibilidade, o pagamento deve ser feito no dia útil
anterior. Em casos excepcionais, pode-se requisitar pagamento adiantado.

4.4 DEDUÇÕES NA FOLHA DE PAGAMENTO

Nós participamos do Programa Federal de Seguridade Social, que se funda numa percentagem
específica do salário de cada membro da equipe. Também as deduções de imposto de renda estadual
e federal são baseadas no valor do salário, menos a isenção. Tem direito a essa dedução toda a
equipe não-pastoral; a equipe pastoral deve efetuar esses pagamentos diretamente ao órgão
competente. Toda a equipe pastoral deve receber um cheque de valor igual à metade das suas
obrigações com o Seguro Social.

4.5 PAGAMENTOS ADIANTADOS E EMPRÉSTIMOS PARA A EQUIPE DE TRABALHO


Exortamos todos da equipe de trabalho a serem bons administradores de suas finanças e a viverem
de acordo com os seus orçamentos. Portanto, não aconselhamos o pagamentos de “vales” e
empréstimos, a não ser em alguma crise ocasional ou situação de emergência. Qualquer solicitação
de adiantamento de salário ou empréstimo necessita de aprovação do Pastor Titular.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-10


5. Benefícios – toda a equipe de pessoal

5.1 Equipe pastoral


Cada membro da equipe pastoral deve participar de um seminário ou conferência por ano, às custas da
Igreja Quadrangular de ____________, desde que haja recursos disponíveis no fundo de conferências.
Recibos de todas as despesas a serem reembolsadas devem ser apresentados ao
tesoureiro/pastor/administrador, até cinco dias úteis após o retorno do participante. As propostas de
seminários ou conferências devem ser apresentadas ao pastor titular, pelo menos com 60 (sessenta)
dias de antecedência. Todas as informações relacionadas ao evento devem ser anexadas ao pedido,
quando este for apresentado.
Cada membro da equipe pastoral tem o direito de receber reembolso de despesas previamente
aprovadas relativas a atividades e negócios da igreja. Cada pastor será responsável pelo preenchimento
do formulário de reembolso e apresentação deste à tesouraria, para reembolso.
5.2 FÉRIAS
As férias devem ser programadas com a aprovação do pastor titular, com pelo menos 60 (sessenta)
dias de antecedência. O tempo de serviço pode ser um fator decisivo em caso de pedidos de férias
para períodos coincidentes.
Não mais do que dois pastores devem tirar férias ao mesmo tempo.
Não será permitido a nenhum novo funcionário tirar férias remuneradas durante os primeiros 12 (doze)
meses consecutivos de trabalho. Após o primeiro ano de trabalho, as férias podem ser gozadas como se
desejar . Entretanto aconselha-se aos funcionários que tirem suas férias em períodos de 5 (cinco) dias,
para descansarem apropriadamente.
As férias devem acontecer após o período de 12 (doze) meses. Entretanto poder-se-á acumular o
máximo de 5 (cinco) dias de trabalho, ou 40 (quarenta) horas para as férias seguintes.
Quando houver um feriado no período de férias, acrescenta-se um dia a esse período, o que deverá ser
programado com antecedência. A combinação de dia de feriado com período de férias pode ser
consentida pelo pastor titular (Ver seção “Férias”). Licenças podem ser incluídas no período de
trabalho, que é a base para o cálculo do número de dias de férias, havendo, para isso, necessidade da
aprovação do pastor titular e/ou do Conselho da Igreja.
Os funcionários não podem receber pagamento em troca de férias.
Períodos de férias baseados em tempo de serviço:
1. 40 (quarenta) horas ( uma semana) de férias são pagas anualmente, após o primeiro ano de
trabalho.
2. 80 (oitenta) horas ( duas semanas) de férias são pagas anualmente, após três anos de
trabalho.
3. 120 (cento e vinte) horas ( três semanas) de férias são pagas anualmente, após cinco anos de
trabalho.
4. 160 (cento e sessenta) horas ( quatro semanas) de férias são pagas anualmente, após dez anos
de trabalho.
Funcionários que trabalharem menos de 20 (vinte) horas por semana (permanentemente) não terão
direito a férias remuneradas.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-11


5.3 FERIADOS
Todo funcionário de tempo integral terá direito a pagamento pelos seguintes feriados do ano:
New Year’s Day (Ano novo), Presidents Day (Dia dos Presidentes), Memorial Day (Dia de Honra aos
Soldados), Independence Day (Dia da Independência), Labor Day (Dia do Trabalho), Veteran’s Day
(Dia do Veterano), Thanksgiving Day (Dia de Ação de Graças), Day after Thanksgiving (Feriado do
Dia Após o Dia de Ação de Graças), Christmas Day (Natal).
NOTA: Dias adicionais podem ser decididos pelo pastor titular.
As férias devem ser gozadas, não podendo ser acumuladas ou retardadas para um período posterior. Se
o dia de folga do funcionário coincidir com um feriado, será permitido que ele tenha um outro dia de
folga, que deverá ser programado com o pastor titular antecipadamente. Se esta condição implicar o
prolongamento do período de férias, isso pode ser permitido, com a aprovação do pastor titular.

5.4 LICENÇA POR MOTIVO DE DOENÇA


Os funcionários serão regularmente compensados pelas ausências por motivo de saúde ou acidente até
o limite de 12 (doze) dias por ano. O período de ausências excedente a 12 (doze) dias deve ser
autorizado pelo pastor titular e o Conselho da Igreja.
Pode-se transferir de ano para ano o período de licença (por motivo de saúde) não gozado, até o
máximo de 12 (doze) dias.
Funcionários de meio expediente (aqueles que trabalham menos de 30 (trinta) horas semanais),
permanentemente, acumularão licença (por motivo de saúde) a uma proporção de 6 (seis) dias por
ano, podendo transferir, no máximo, 6 (seis) dias para o ano seguinte.
Não se permite nenhuma compensação para dias de licença não utilizados, no final da relação de
trabalho com a Igreja Quadrangular de __________________.
Quando um funcionário sofre algum tipo de acidente no trabalho e se torna apto a receber os
benefícios compensatórios do trabalhador, o pagamento da licença será calculado pela diferença entre
a compensação normal do trabalhador e o salário regular. Dessa forma, o período dos benefícios da
licença será prolongado.
Em caso de morte de parente próximo do funcionário, este terá direito a 5 (cinco) dias de licença
remunerada.
Sobre a remuneração em caso de falta ao trabalho por motivo de doença prolongada, o Conselho da
Igreja considerará a situação ouvindo o aconselhamento do pastor titular.

5.5 Concessão de licença


Pode ser concedida licença a qualquer funcionário, dependendo do motivo alegado. O pedido deve
ser apresentado ao pastor titular e ao Conselho da Igreja, e deve ser feito pelo menos 45 (quarenta e
cinco) dias antes do dia da licença. Essa exigência se aplica também àqueles que desejarem prolongar
seu período de férias não remuneradas, em conjunto com as férias acumuladas.O prazo da licença pode
variar, podendo ou não ser remunerado, dependendo do período em que foi requisitado e das

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-12


circunstâncias, o que determinará a aprovação ou não pelo pastor titular. A decisão será apresentada ao
funcionário em tempo hábil, para que este possa organizar-se adequadamente.
5.6 SEGURO SAÚDE (MÉDICO)
Cobertura: A cobertura médica está disponível a funcionários de tempo integral, que podem adquiri-la
pessoalmente através da Igreja Quadrangular de ____________.
Período de qualificação: Os funcionários que optarem pela cobertura médica somente terão direito a
recebê-la, após 31 (trinta e um) dias de trabalho.

5.7 SEGURO ODONTOLÓGICO


A cobertura odontológica é garantida como parte da cobertura médica, quando esta é adquirida.

5.8 SEGURO COMPENSATÓRIO AO TRABALHADOR


O seguro compensatório é garantido a todos os funcionários da Igreja Quadrangular de
_____________. Esse plano oferece proteção por todas as lesões sofridas por funcionários durante
trabalho na igreja. De acordo com as leis trabalhistas do Estado, exige-se que um relatório seja
apresentado imediatamente após os acontecimentos que resultem em lesões, comunicando todas as
lesões, independente da sua natureza, ao pastor titular, dentro de 48 horas. O não-cumprimento
desses procedimentos pode resultar em não-pagamento de qualquer compensação ao empregado.

5.9 SEGURO SOCIAL


O Seguro Social é dado a todos os empregados de acordo com as leis federais. (os pastores tem a
retenção de metade da taxa dos autônomos e devem recolher a outra metade trimestralmente.

5.10 OBRIGAÇÕES LEGAIS


Uma demonstração prática de submissão às autoridades é sermos bons cidadãos, cooperando com o
sistema judiciário. Quando qualquer funcionário de tempo integral ou parcial da Igreja Quadrangular
de ________________ receber intimação judicial deverá notificar o fato imediatamente à
administração pastoral. Ele receberá seu salário, sendo deduzido qualquer valor recebido do sistema
jurídico, enquanto estiver no cumprimento das suas obrigações judiciais. Espera-se que o funcionário
retorne ao trabalho quando não for mais necessário seu comparecimento ao tribunal, exceto quando
for requisitada sua permanência nas proximidades do Fórum para uma eventual necessidade de lá
retornar. O funcionário terá que apresentar diariamente à administração pastoral a notificação de
presença que receber do oficial de justiça.
NOTA: Os benefícios descritos neste capítulo se aplicam a todos os funcionários da Igreja
Quadrangular de ________________. Esses benefícios são baseados no número de horas trabalhadas,
levando em conta se o funcionário trabalha em tempo integral, em meio período, ou faz trabalho
temporário.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-13


6. TÉRMINO DO CONTRATO DE TRABALHO
6.1 CARTA DE DEMISSÃO
Os membros da Equipe Pastoral Credenciada que desejarem demitir-se do seu cargo devem
apresentar uma carta de demissão ao pastor titular, até 4 (quatro) semanas antes do dia do
desligamento.
Os funcionários da Equipe de Trabalho que desejarem demitir-se devem apresentar carta de
demissão ao pastor titular até 2 (duas) semanas antes da data do desligamento. Caso o funcionário
peça carta de recomendação, esta será dada após avaliação do pastor titular ou supervisor autorizado.

6.2 DISPENSA
Antes que qualquer funcionário seja demitido, ele deve receber por escrito um comunicado de
advertência, declarando a natureza da transgressão e a ação corretiva necessária. O funcionário
deverá esforçar-se para corrigir a situação no prazo de 30 (trinta) dias, a partir da data da
advertência. O não-cumprimento dessa cláusula levará à demissão, recomendada pelo supervisor ao
pastor titular.
Toda conduta não-cristã dos funcionários será tratada pela liderança da igreja com base bíblica.
Porque sua posição é de liderança no Corpo de Cristo, qualquer má conduta sexual exige uma
revelação pessoal pública da falta. O local e horário da reunião em que será feita essa revelação será
determinado pelo pastor titular e pelos líderes.

6.3 ACERTO RESCISÓRIO


O acerto rescisório será pago ao funcionário somente após um acordo entre este e o pastor titular,
que comunicará ao Conselho da Igreja sua decisão, para a aprovação final. O acordo não é
definitivo, até que o Conselho da igreja o aprove.

6.4 ACUMULAÇÃO DE FÉRIAS


Todas as férias acumuladas devem ser pagas no término do contrato de trabalho, de acordo com a
política estabelecida neste manual.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-14


7. ROTINAS DE ESCRITÓRIO/PROCEDIMENTOS:

7.1 VESTUÁRIO E PADRÕES DE APARÊNCIA


Porque representamos nosso Senhor Jesus Cristo e a Igreja Quadrangular de ___________________,
devemos passar uma boa imagem àqueles a quem temos o privilégio de servir, zelando pela nossa
aparência da melhor forma possível. Os membros da equipe pastoral devem vestir-se de acordo com
a época e com as pessoas com as quais trabalham . Deve-se entender que aquilo que é confortável
para uma pessoa talvez não seja apropriado para as outras. Caso haja um questionamento sobre a
roupa de um membro da equipe de pessoal, o caso deve ser cuidado pessoalmente pelo pastor titular.

7.2 CONFIDENCIALIDADE
Uma regra básica do ministério da igreja é a relação confidencial entre os líderes da igreja e as
pessoas. É obrigatório para todos os funcionários, independente do cargo, respeitar a privacidade dos
outros. Nenhuma conversa, reunião de Conselho, correspondência, matéria de arquivo, negócios
internos da igreja podem ser discutidos ou relatados publicamente. Deve-se manter a discrição em
casos de favores concedidos por causa do relacionamento da pessoa beneficiada com as demais. A
quebra do sigilo nesse caso implica ação disciplinar ou demissão.

7.3 MAL-ENTENDIDOS E RECLAMAÇÕES


É nosso desejo e meta que todas as condições de trabalho e relacionamento de pessoal sejam
positivas, satisfatórias e sem reprovações. Sabemos que há momentos em que as condições precisam
ser melhoradas, e os relacionamentos são testados. Quando isso acontece, é preciso corrigir o mais
rápido possível, de acordo com os princípios bíblicos, conforme descrito em Mateus 18:15-17. No
caso de relacionamentos, as pessoas afetadas devem conversar e orar juntas e, quando necessário,
buscar conselho com o pastor titular ou outra pessoa da equipe de pessoal não envolvida no caso.
Nunca deve haver murmuração e reclamações (Filipenses 2:14). Devemos acabar com todas as
diferenças, com a ajuda do Espírito Santo e, assim, tornarmo-nos mais próximos e fortes. Fofocas e
intrigas entre funcionários não são compatíveis com um comportamento cristão, portanto não serão
toleradas na Igreja Quadrangular de ___________________. O amor ao próximo, apesar de nossas
faltas e fraquezas, é o verdadeiro sinal do “Amor Ágape”.
7.4 DISCIPLINA
Cada funcionário tem seus deveres e responsabilidades, que contribuem para a eficiência do
funcionamento da igreja. Espera-se que todos executem suas obrigações e responsabilidades
conforme as instruções prescritas. Quando essas instruções e diretrizes forem ignoradas ou mal
praticadas, o funcionário estará sujeito a ação disciplinar. Esta se dará na forma de instrução verbal
(repreensão), suspensão ou demissão, dependendo da gravidade e da freqüência da ofensa. Não se
aplica a equívocos sem maldade, desatenção ou fraqueza humana, mas ao desrespeito claro,
continuado e consistente às autoridades.
7.5 RELAÇÕES PÚBLICAS

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-15


As relações públicas são de grande importância para os funcionários. Todos nós devemos ser amigos,
úteis e corteses com todos com quem nos relacionamos. A atitude das pessoas para conosco
dependerá da maneira como as tratamos.

Mantenha uma atitude positiva em relação ao ministério e observe que nossa igreja está sempre
aberta a todos. Mesmo você esperando muitos visitantes durante o horário de trabalho, sua atitude
deve ser amável para com todos aqueles a quem somos chamados a ajudar.

7.6 FILHOS DE FUNCIONÁRIOS


Os funcionários não devem permitir que seus filhos permaneçam na igreja por muito tempo sem
serem supervisionados. Isto é do interesse dos filhos, dos funcionários e da igreja.

7.7 FREQÜÊNCIA À IGREJA E CONTRIBUIÇÕES

Espera-se que todos os funcionários sejam fiéis no comparecimento aos cultos da igreja e na entrega
dos dízimos e ofertas, política que servirá de exemplo para toda a igreja.

7.8 POLÍTICA DE ASSÉDIO SEXUAL


A Igreja Quadrangular de adotou uma política em relação ao assédio sexual. Leia cuidadosamente
as diretrizes dessa política, o procedimento de preenchimento de formulário de reclamações e o
processo de apelação. Caso necessite de maiores informações, favor entrar em contato com o
membro da equipe pastoral encarregado dessa questão.

7.8.1 DEFINIÇÃO DE ASSÉDIO SEXUAL


Investidas sexuais não correspondidas, pedidos de favores sexuais e outras formas de conduta sexual
inadequada, sejam visuais ou físicas, constituem assédio sexual.

7.8.2 EXEMPLOS DE ASSÉDIO SEXUAL


São exemplos de assédio sexual, embora ele possa manifestar-se de outras formas:
A. um favor sexual ser estabelecido como condição, explícita ou implícita , para alguém
conseguir emprego, status ou promoção;

B. a aceitação ou rejeição do assédio ser usada como base de decisões que afetam o funcionário;

C. má-conduta sexual com o propósito de interferir no trabalho do funcionário, ou de criar um


ambiente hostil, intimidador no ambiente de trabalho;

D. a aceitação ou rejeição da conduta sexual servir de base para qualquer decisão que afete
benefícios, serviços, honras, programas ou outras atividades disponíveis;

E. contato físico ou verbal indesejável, com insinuações sexuais;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-16


F. expressão de interesse sexual após se estar informado de que tal interesse é indesejável para
a outra parte (atração recíproca não é considerada assédio sexual);

G. ameaças de perseguição, se não houver correspondência. Por exemplo: com ou sem


intenção, recusar-se a apoiar uma nomeação, promoção, ou mudança de cargo, dando-se a
entender que se vai preparar um relatório indicando desempenho fraco ou sugerindo que o
prazo de experiência do funcionário não tenha sido satisfatório;
H. comportamento sexual implícita ou explicitamente coercitivo, usado para controlar,
influenciar, ou interferir na carreira, no salário, e/ou no ambiente de trabalho de outro
funcionário;
I. oferecimento de favores ou benefícios de emprego, tais como: promoções, avaliações de
desempenho favoráveis, cargos favoráveis, funções ou transferências, recomendações ou re
classificações, em troca por favores sexuais;
J. constranger-se ou isolar-se alguém por não contar ou dar atenção a piadas sobre sexo, a
brincadeiras ou comentários.
O assédio sexual de qualquer funcionário a outro funcionário é proibido e resultará em medida
disciplinar severa e imediata, que pode incluir demissão do ofensor. Nenhum funcionário pode ser
punido por relatar caso de assédio ou discriminação, ou por participar de um processo de
investigação sobre essas questões.

7.8.3 NOTIFICAÇÃO AO FUNCIONÁRIO


A equipe pastoral da Igreja Quadrangular de ___________________ assegurará que todos os
funcionários recém-contratados ou antigos sejam notificados da política e dos regulamentos a fim de
se evitarem situações de assédio sexual. Será divulgada expressamente uma política de
procedimentos, com os nomes dos funcionários da equipe pastoral, tanto dos homens quanto das
mulheres, e todos os funcionários, novos ou antigos, terão que ler, assinar e datar uma cópia desse
documento.

7.8.4 PROCESSO DE RECLAMAÇÕES


Qualquer funcionário que acreditar ter sofrido assédio sexual como está previsto na política deste
manual poderá protocolar uma reclamação com um membro da equipe pastoral ou alguém de
confiança. A reclamação deverá ser feita por escrito e assinada pelo reclamante. Nenhum
funcionário pode sofrer punição por denunciar assédio ou discriminação, ou participar de um
processo de investigação. O pastor titular será consultado pelo membro da equipe pastoral ou outra
pessoa a quem o reclamante tenha feito a denúncia.
Todas as denúncias de assédio sexual devem ser investigadas pela equipe pastoral ou por uma
pessoa designada. Uma investigação adequada pode incluir entrevista com a vítima, com o acusado,
testemunhas, e outras pessoas suspeitas de terem sido vítimas do acusado. No final da investigação,
será feito um relatório da denúncia. Confirmando-se o assédio sexual, os membros da equipe
pastoral, ou a pessoa designada, devem analisar inteiramente as informações e circunstâncias,
incluindo a natureza da alegação do assédio sexual, o contexto em que essas alegações teriam
ocorrido e a perspectiva da vítima.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-17


Não estando de acordo com o relatório da denúncia feito pela equipe pastoral, ou pessoa designada,
o reclamante poderá apelar ao Conselho da Igreja. Esse apelo deverá ser feito por escrito e assinado
pelo reclamante. Deverá apresentar especificamente as razões

porque o reclamante está insatisfeito com o resultado do relatório feito pela equipe pastoral.
O Conselho da Igreja Quadrangular de ____________________avaliará as bases do apelo do
reclamante e o relatório escrito da equipe pastoral e poderá tomar uma decisão baseada nas
informações apresentadas, ou procurar obter qualquer informação adicional, caso seja necessário.

7.8.5 CONFIDENCIALIDADE
Qualquer assunto referente a verificação e decisão de queixas de assédio sexual deve ser mantido em
segredo.

7.8.6 EXECUÇÃO

A violação das normas proibitivas de assédio sexual constituirá justa causa disciplinar, podendo
levar a demissão, e deve ser considerada uma violação das políticas e regulamentos da Igreja
Quadrangular de ____________________.

7.8.7 AÇÃO DISCIPLINAR DO FUNCIONÁRIO

A apropriada ação disciplinar seguirá as diretrizes descritas no Manual de Políticas sob o título
“Procedimento disciplinar do funcionário”.

7.8.8 REVISÃO DE POLÍTICAS


Essa política e essa norma devem ser revisadas anualmente pela equipe pastoral da Igreja
Quadrangular de ____________________.

7.8.9 REFERÊNCIAS LEGAIS

Título VII dos Direitos Civis de 1964 42 U.S.C. Seção 20003, Seções de código do Governo 12920,
Seção de código educacional 200 e seguintes.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-18


8. SAÚDE E SEGURANÇA

8.1 INCÊNDIO

Em caso de incêndio, favor realizar os procedimentos seguintes:

1. Feche portas e janelas nas áreas próximas do incêndio;


2. Chame o Corpo de Bombeiros, discando 911, e esteja preparado para fornecer as seguintes
informações:
• natureza do incêndio(por exemplo: de estrutura, de papel, arquivos etc.);
• endereço completo e informação sobre a localidade
• parte do local atingido pelo incêndio (edifício, sala);
• seu nome e o número de seu telefone .
3. Evacue as instalações
4. Se o fogo for facilmente controlável, combata o fogo com um extintor de incêndio ou água.
IMPORTANTE: NÃO USE ÁGUA PARA COMBATER INCÊNDIO EM CIRCUITOS
ELÉTRICOS.
Nota: Ao usar um extintor, lembre-se de:
• puxar o pino;
• apontar para a base do fogo;
• apertar a alavanca;
• apagar o fogo.

8.2 AMEAÇAS
Se uma ameaça for feita para a igreja por telefone ou expressa por qualquer outro meio, fique
tranqüilo e obtenha tanta informação quanto possível. Imediatamente notifique alguém do quadro
pessoal pastoral, e contate as autoridades apropriadas. Não toque ou abra qualquer objeto que
possa parecer suspeito. Desligue imediatamente se você receber telefonemas ameaçadores; se as
ligações continuarem, notifique as autoridades apropriadas.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 14C-19


15 REGISTRANDO IGREJAS DO EVANGELHO QUADRANGULAR

O Artigo XV dos estatutos descreve os requirementos e procedimentos para uma igreja tornar-se uma
Igreja do Evangelho Quadrangularoficial.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 15-1


16 OPERAÇÃO DE IGREJAS OFICIAIS

16.1 OS OFICIAIS DA IGREJA LOCAL

A. PADRÕES PARA OS LÍDERES

“...seja um exemplo dos fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé,


na pureza” (1 Timóteo 4:12)
O apóstolo Paulo definiu uma das responsabilidades do líder cristão quando disse a Timóteo:
“seja um exemplo dos fiéis...”. Ele relacionou seis qualidades do líder que são observadas pelos
outros como modelos de estilo de vida e do caráter cristão.

1. As palavras que eles falam:

a. As conversas de um líder demonstram os valores que ele possui (Lucas 6:45);


b. Elas refletem o grau de autodisciplina que ele tem (Tiago 3:2);
c. São um instrumento que honra e glorifica a Deus e que orienta e edifica as outras
pessoas.
2. Seu procedimento
a. As ações são como um espelho que reflete o que o líder tem dentro de si;
b. O modo como a pessoa se comporta diante de todos os tipos de situações mostra quem
ela realmente é.
3. Seu amor pelos outros
a. Assim como as crianças sabem quando são amadas, o amor de Deus é percebido na vida
do líder;
b. O amor (ágape) de Deus é uma força motivadora poderosa que impulsiona o líder a
alcançar os outros.

4. Seu espírito

a. O espírito de um líder é como o vento: não pode ser visto, mas seu efeito é óbvio.
b. Os traços de um espírito bom são vistos na atitude positiva, na vontade submissa, no
cuidado com os outros e na simples habilidade de ser animado.

5. Sua fé

A raiz da palavra “fé” pode ser definida pela frase “ser o mesmo”. O líder permanece
consistente em sua fé em Deus e na Sua Palavra em meio a qualquer circunstância.

6. Sua pureza

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-1


a. Biblicamente ser “puro” significa ser “limpo”: limpo na palavra, nas ações,
pensamentos e intenções.
b. Os líderes da Igreja Quadrangular devem viver como “exemplos dos fiéis”, em
conformidade com os padrões das Escrituras. A Declaração de Fé da Igreja
Quadrangular apresenta os fundamentos da nossa fé em detalhes que devem existir em
cada líder da igreja. Em algumas igrejas locais, os pastores exigem de seus líderes que
vivam de acordo com 1 Timóteo 4:12, enquanto que outros vão além em suas
exigências, a saber: freqüência aos cultos, submissão a outros líderes, não-realização de
práticas duvidosas, etc.
c. Em qualquer dos casos, os líderes espirituais são representantes de Deus para tocar as
pessoas em Seu nome. A vida de nosso Senhor Jesus é o modelo – o padrão - que dirige
os líderes cristãos em suas escolhas, no que fazem (ou deixam de fazer) e na vida que
vivem diante daqueles que são colocados perante eles tanto para que os lidere quanto
para que os sirva.
d. Todos os líderes nomeados ou eleitos devem ter sido batizados com o Espírito Santo, ou
estar procurando o batismo com muita dedicação, e precisam ser membros da igreja.

B. OFICIAIS ELEITOS (Estatutos, Artigo 16.1)

1. Os membros do Conselho devem ser eleitos na assembléia geral anual da igreja.

2. Se ocorrer uma vaga no Conselho, devem ser seguidas as instruções do Estatuto.


(Artigo 16.1.C).

C. Seleção, Demissão, Poderes e Obrigações – Conselho da Igreja (Estatutos, Artigo 16.1.A-G)

1. Após a eleição ou nomeação dos novos membros do Conselho, o pastor deve entregar-lhes
uma

2. O pastor deve esclarecer os novos membros como deve ser o relacionamento destes com o
pastor. A tarefa dos membros do Conselho é servir como conselheiros do pastor em
assuntos que afetam o bem-estar e a melhora da igreja, conforme descrito nos Estatutos.

3. O pastor deve aprovar, antes da decisão do Conselho, qualquer demissão do quadro de


empregados, ou qualquer admissão.

4. Os membros do Conselho são representantes dos membros da igreja. Eles devem se


esforçar para apresentar não o seu ponto de vista, mas sim o da maioria dos membros.
Devem sempre manter sigilo dos assuntos tratados, os quais não devem ser discutidos com
ninguém que não faça parte do Conselho.

5. É responsabilidade do Conselho considerar qualquer sugestão de algum membro da igreja,


e é responsabilidade do pastor e do Conselho determinar quem deverá transmitir a decisão
do Conselho da igreja e do pastor para o indivíduo que deu a sugestão.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-2


D. OUTROS OFICIAIS E CARGOS – Nomeados (Estatutos, Artigo 16.2)

1. Secretário e Tesoureiro – Devem ser nomeados pelo Conselho local e trabalhar sob a
direção deste (Artigos da Incorporação e Estatutos 16.2-16.5).

2. Ancião – “Ancião” era um título tomado de empréstimo da sinagoga e da congregação de


Israel. A palavra hebraica para “ancião” era zaquen, que significa “um homem mais
velho”. A palavra grega presbuteros (presbiteros) tem o mesmo significado, sendo a
origem da nossa palavra presbítero. Alguns concluíram, pela passagem de 1 Timóteo 5:17,
que havia tanto “presbíteros dirigentes” como “presbíteros professores”. Os presbíteros
eram homens de fé e poder espiritual, pois os doentes foram instruídos a procurá-los para
receberem a oração da fé e a unção com óleo (Tiago 5:14-15) (Fundamentos da Teologia
Pentecostal, Duffield & Van Cleave, vol. II, p. 232).

a. Os anciãos auxiliam o pastor da igreja local em todas as atividades espirituais da


igreja.
b. Os anciãos podem ser dirigentes de congregações, por designação do pastor, em relação
ao crescimento espiritual da igreja (*).

(*) Nota do tradutor: Na Igreja do Evangelho Quadrangular do Brasil, não existe o cargo de
“Ancião” ou “Presbítero”. A IEQ no Brasil usa a expressão “aspirante ao ministério”
para designar aquele que tem a mesma função do presbítero.

3. Diáconos e Diaconisas – A Bíblia torna muito claro que os dois cargos da igreja local eram
o de presbítero e o de “diácono”. Os diáconos são mencionados diretamente em apenas
duas passagens (Filipenses 1.1 – 1; Timóteo 3:8-13), todavia qualificações bastante
detalhadas para os diáconos são apresentadas no mesmo capítulo onde são dadas as
qualificações para os presbíteros. As Escrituras não determinam os deveres dos diáconos na
igreja posterior ao Novo Testamento, mas é tido como certo que seus deveres estavam
ligados à administração das obras de caridade e aos negócios da igreja. A palavra
“diácono” vem de “diakonos”, em grego, que significa “servo”. Os diáconos serviam,
então, à igreja, de maneira a liberar os presbíteros para a oração e o ministério da Palavra (
Fundamentos da Teologia Pentecostal, Duffield & Van Cleave, vol. II, p. 233).

4. Superintendente da Escola Dominical, Líder de Educação Cristã, Líder de Jovens,


Conselheiro de Adultos, Diretora do Ministério Feminino, Secretária: são vários outros
cargos que podem fazer parte da estrutura de uma igreja local.
a. Orientações apropriadas devem ser escritas e entregues a cada pessoa nomeada para
essas funções, a fim de deixar bem claras suas responsabilidades e assegurar um
trabalho efetivo.
b. As orações a favor das pessoas nomeadas devem começar o mais rápido possível, após
a nomeação destas .
E. CULTO DE POSSE

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-3


1. Um culto de posse, logo após as eleições da Assembléia Geral, deverá ser programado, de
preferência num domingo à noite. Nesse culto, é recomendável a presença dos outros
líderes da igreja para ajudarem o pastor na oração de posse.
2. A posse para os líderes nomeados pelo Conselho da igreja local deverá ser feita num culto
público.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-4


16.2 CHURCH COUNCIL

16.2.1Como Desenvolver o Perfil de um Membro do Conselho Adaptado, com permissão da


“Increasing Your Boardroom Confidence”, por Bob Biehl & Ted W. Engstrom, Questar
Publishers, Inc., 1988.Para adquirir o livro, ligue para (800) 443-1976.
Os Estatutos da Igreja Quadrangular apresentam uma descrição das qualificações e deveres dos
Membros do Conselho de uma igreja reconhecida. As qualificações gerais mencionam que eles
devem “ser membros ativos daquela igreja e que devem ser batizados com o Espírito Santo ou
estar buscando o batismo”.
Essas são qualidades essenciais. Mas como o pastor pode determinar quais são outras
características, aspectos de caráter e conhecimentos que um candidato necessita para se tornar
seu aliado na liderança da igreja e para alcançar os propósitos de Deus para a igreja? A resposta
está no “Perfil de Membro do Conselho”, que o ajudará a discernir, na congregação, aqueles
que o Senhor preparou para este importante ministério.Quanto mais claros você e a liderança
forem a respeito das características das pessoas que vocês querem atuando nessa posição, mais
facilmente encontrarão as pessoas com essas qualidades. Quando se aproximar a época em
que os membros do Conselho devem ser eleitos, será hora de considerar as sugestões abaixo,
para encontrar aqueles que devem ser indicados para serem submetidos à votação da
Assembléia.
A. Perfil do candidato a membro do Conselho Nem todos os candidatos terão todas essas
qualidades, no entanto todos deverão ter muitas delas.
1. Enquadra-se nos requisitos bíblicos ( 1 Tm 3 e Tito 1);
2. Tem experiência em situações que exigem qualidades fortes e positivas de caráter;
3. É dirigido por Deus, com a vida e propósitos muito mais voltados para Deus do que para
conquistas pessoais, família, missão, ou programas;
4. É motivado pela fé na ação sobrenatural de Deus, uma fé própria para um membro do
Conselho;
5. É uma pessoa de oração;
6. É capaz de decidir;
7. É capaz de enxergar um Quadro Maior, é capaz de ver as coisas sob o ponto de vista de
Deus;
8. É positivo e focalizado no futuro e, ao mesmo tempo, realista, embora não acorrentado pela
realidade;
9. Quer ver o reino de Deus avançar na comunidade, não apenas no seu local;
10. Pensa cautelosamente, sem atitude crítica;
11. É um encorajador natural, um incentivador do grupo, até mesmo do pastor titular e dos
demais membros do Conselho;
12. Crê firmemente na missão da igreja e na visão que Deus deu para alcançar a comunidade;
13. Tem um bom relacionamento com o pastor titular;
14. Está “ajustado” com o atual Conselho da Igreja;
15. Não é uma “vaquinha de presépio”, dizendo “sim” a tudo; nem um “advogado do diabo”,
sempre dizendo “não”;Gosta de ter muitas amizades, dentro da igreja e na comunidade;
16. Pensa independentemente, sem insistir em que tudo tenha que ser “de seu jeito”;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-5


17. É humilde, sem atitude de condenação; preocupa-se mais com a “trave” em seus olhos do
que com a “poeira” nos olhos de seus irmãos;
18. Mantém prioridades, embora seja capaz de selecionar os detalhes em uma situação
confusa;
19. Tem o apoio do cônjuge para sua participação no Conselho;
20. Tem uma atitude de servo: “Como posso ajudar a igreja e o povo?”;
21. Tem vontade de trabalhar, de servir a igreja;
22. Tem capacidade de trabalhar com a equipe, não contra ela;
23. Demonstra em tudo que é honesto, leal e procura sempre fazer o melho
24. Entende a importância da confidencialidade em questões sensíveis (leva em consideração a
capacidade do cônjuge em manter a confidencialidade);
25. Mostra desejo de aprender e crescer.
B. Aspectos negativos que devem ser observados
Há alguns sinais concretos de perigo que devem ser observados em um possível candidato a
membro do Conselho da Igreja. Pessoas com essas características negativas tornar-se-ão um
obstáculo para a eficiência do Conselho e para a saúde da igreja. Se for possível, evite
selecionar pessoas com estas qualidades para serem potenciais participantes do conselho:

1. Existem algumas coisas obscuras em sua vida;


2. É sempre negativo e vive questionando porque as coisas não são feitas;
3. É inseguro, tem medo do futuro;
4. É mesquinho, “pão-duro”, miserável;
5. É extremamente emotivo, está sempre carente e é egoísta.

16.2.2 CHURCH COUNCIL AGENDA AND MINUTES

A. AGENDA
1. An agenda is simply an outline of the items to he addressed in a given meeting. Time is
very valuable and must be used wisely. A poorly prepared agenda usually means that
productivity will he limited.
2. Following are essential components of an agenda:
a. Prayer
b. Review of minutes
c. Reports
d. Old business
e. New business
f. Dates (next meeting)
g. Adjournment
h. Prayer
B. MINUTES
1. The minutes of a meeting are extremely important because they provide an accurate
accounting of the occurrences of the meeting. Therefore, it is imperative that someone who
is capable of such a task is so assigned. The minutes of local church council meeting have
been called into account in legal court proceedings as well as various other legal inquiries.
Such documents should be kept in a safe place, and duplicate copies should he held in case

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-6


of fire or misplacement.
1. Following is a list of necessary components of good minutes:
a. Title (name of church or organization)
b. Date
c. Attendance/Absence
d. Scripture devotional
e. Business
f. Date of next scheduled meeting
g. Adjournment
h. Prayer
i. Signing of the minutes by secretary
3. When motions are made, one person makes a motion, and another person must second the
motion. Discussion can be held if desired, and then the vote of the motion is held. The
voting process can be oral, written, or by show of hands. If there is to be action taken, the
minutes must indicate who is to take the action, when a report regarding the action should
be given, and to whom the report should be given.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-7


16.3 ARQUIVOS E RELATÓRIOS

Cada Igreja Quadrangular precisa manter um arquivo completo e correto de todas as suas
atividades e operações financeiras. Os arquivos devem ser feitos em duas categorias: arquivo
permanente e arquivo atual. Arquivo permanente é o que contém dados que devem ser
conservados por tempo indefinido, como os dados da igreja e dos membros. O arquivo atual é
o que se mantém por certo período de tempo, após o qual, com o consentimento do pastor e do
Conselho local, ele pode ser descartado. Alguns relatórios financeiros podem estar incluídos
num arquivo desse tipo (Ver Seção 16.2.4).

16.3.1 ARQUIVOS PERMANENTES

A. FICHA DE MEMBROS – Um arquivo atualizado deve ser mantido para cada membro da
igreja, ativo ou inativo, até à morte, demissão, transferência, ou exclusão dessa pessoa,
conforme mencionado anteriormente seção 13.4.H. Os arquivos dos membros podem ser
mantidos também num sistema de computador. Há vários programas de computador
disponíveis para esse propósito. Verifique com o seu ARC qual você deve usar.

B. ARQUIVO DE PROPRIEDADES – Um arquivo de todas as propriedades deve ser feito por


endereço e de acordo com as disposições legais, o dia e o preço de aquisição bem como as
datas de conclusão das obras de melhoramentos, incluindo o valor gasto. O valor da
propriedade e dos melhoramentos, é parte importante do balanço financeiro da igreja. O
relatório financeiro da igreja é muito utilizado para se verificar o comportamento financeiro
desta. (Voltaremos a falar desse assunto mais adiante , nesta seção, sob o título “Mantendo um
Sistema Exato de Arquivo da Igreja”). Abaixo segue uma relação de itens importantes que a
igreja deve manter arquivados permanentemente:

1. um inventário atual, com avaliação do valor financeiro dos móveis e equipamentos;


2. cópias de todas as apólices de seguro (de propriedade, acidente, obrigações, incapacidade,
compensação por acidente no trabalho), com data de vencimento e valor anual dos prêmios;
e
3. extrato dos pagamentos do imposto predial, com os recibos, incluindo data de vencimento
dos pagamentos. Em alguns locais, é necessário preencher um formulário de isenção do
pagamento do imposto predial. Uma cópia desse formulário preenchido deve ser arquivada.
C. HISTÓRICO – Cada Igreja Quadrangular local deve manter em arquivo algumas datas
importantes para a história da igreja local, como a de seu início, de sua dedicação, da
oficialização, da inauguração do templo. Deve também manter em arquivo os nomes dos
pastores e o período em que cada um esteve à frente da igreja, bem como fotos de eventos
históricos, como dedicação de prédios ou cultos de oficialização.
D. DADOS ESTATÍSTICOS ESPIRITUAIS – Cada Igreja Quadrangular local precisa manter um
arquivo completo de estatísticas essenciais, tais como: estatísticas de casamentos, funerais,
dedicação de crianças, conversões e batismos nas águas. Informações sobre nomes, endereços
e datas devem fazer parte desse arquivo. Além disso, o Relatório Mensal da Igreja
Quadrangular deve ser guardado como parte dos arquivos permanentes da igreja. Foram
9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-8
criados formulários para facilitar o registro dos dados acima. Esses formulários podem ser
obtidos no ARC

16.3.2 ARQUIVOS ATUAIS

A. FINANCEIRO
1. O tesoureiro da igreja é o responsável pelas entradas e saídas financeiras da igreja, com
autorização do pastor e do Conselho local, e deve manter arquivados todos os
comprovantes de entradas e saídas. O arquivo pode ser feito por um sistema manual ou um
sistema computadorizado, de acordo com as possibilidades da igreja local. O relatório
financeiro deve ser submetido mensalmente ao Conselho da igreja e os extratos financeiros
anuais devem ser retidos enquanto a igreja existir.
2. As regras a respeito de doações foram substancialmente mudadas pelo Imposto de Renda,
no ano de 1994. Como conseqüência disso, ninguém pode receber uma dedução no seu
imposto de renda de uma doação acima de 250 dólares, sem que tenha o recibo em mãos.
As igrejas, portanto, devem considerar essa necessidade dos doadores e providenciar um
recibo apropriado para eles . Recomendamos que o tesoureiro da igreja consulte a edição
mais atualizada do livro “The Igreja and Clergy Tax Guide” (Orientação sobre imposto para
a Igreja e o leigo) publicado por Christian Ministry Resources, P.O.Box 2301, Matthews,
NC 28106, 1-704-841-8066, para informações detalhadas acerca das regras do Imposto de
Renda.
3. Os registros de doações para a igreja devem ficar arquivados por um período não inferior a
7 anos. O tesoureiro da igreja é o responsável por manter esses arquivos confidenciais. Os
arquivos de doações devem ficar em local fechado, com acesso controlado, ou em um
programa de computador com senha. As declarações de doações devem ser entregues aos
doadores antes do dia 31 de janeiro do ano seguinte ao da doação, no entanto, recomenda-se
que elassejam emitidas trimestralmente. Essas informações ajudam o doador a verificar se
está contribuindo conforme planejou, ou se precisa fazer alguns ajustes.

4. A conta bancária na qual são feitos os depósitos correspondentes às doações deve ser aberta
em uma instituição que devolva os cheques descontados, os quais poderão ser solicitados a
qualquer momento e devem ficar em arquivo por um período mínimo de 7 anos.

16.3.3 RELATÓRIOS

A. RELATÓRIO MENSAL DA IGREJA QUADRANGULAR – O relatório mensal deve ser


preenchido mensalmente. A parte da frente desse relatório contém dados estatísticos referentes
às atividades espirituais da igreja, e a de trás contém dados financeiros importantes. Depois de
preenchido, o original deve ser registrado no EZRA, o programa Quadrangular Nacional de
Banco de Dados, ou deve ser enviado para o Escritório Regional, e outra mantida no arquivo da
igreja local.

B. AUDITORIA – Uma vez por ano todas as igrejas são solicitadas a elaborar um relatório
contendo custo e data de qualquer compra e/ou venda de equipamentos ou materiais de alto
valor, feita(s) no último ano. Esse formulário em branco é enviado para cada igreja durante o
9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-9
mês de setembro e deve ser preenchido e enviado para o ICFG até o último dia de outubro. É
extremamente importante que seja preenchido conforme as instruções nele contidas. Como as
instruções podem mudar, é necessário lê-las a cada ano para poder segui-las. Se surgir alguma
dúvida, o ARC deve ser consultado.

1. Adição

a. Móveis e equipamentos – Devem ser relacionados os móveis e equipamentos


(incluindo veículos) comprados, vendidos ou doados cujo valor for superior a
$10,000.00, e deve-se juntar uma cópia do recibo, fatura ou cheque descontado.
Equipamento arrendado não deve ser incluído.
b. Terras e Construções – Devem-se relacionar os bens imóveis comprados ou recebidos
como doações durante o ano fiscal, anexando-se cópias do fechamento das transações,
no caso de compras. Se a propriedade doada for de valor superior a $100,000.00 um
certificado de avaliação realizada por um avaliador licenciado precisa ser juntado.
Construções novas ou reforma de prédio com gastos superiores a $50,000.00 precisam
ser relacionados nesse formulário.

2. Vendas

a. Móveis e Equipamentos – Deve-se preparar uma lista de todos os móveis e


equipamentos (inclusive automóveis) vendidos ou doados durante o ano fiscal corrente,
que tenham custado mais de $10,000.00.
b. Terras e construções – É muito importante que cada propriedade vendida ou doada seja
indicada separadamente, que o local do comprador seja mencionado e que uma cópia
do fechamento da transação seja anexada. Deve-se mencionar também , qualquer
prédio que tenha sido demolido.

16.3.4 REGISTROS DA IGREJA E RELATÓRIOS: POR QUANTO TEMPO MANTÊ-LOS

A seguir apresentamos uma tabela de orientação de por quanto tempo se deve manter os registros e
relatórios da igreja. Esta lista deve ser mudada sempre que os regulamentos governamentais e
contábeis forem alterados.
A. ROL DE MEMBROS (Permanente)
1. Casamentos
2. Membresia
3. Dedicação de crianças
4. Batismos nas águas
B. PROPRIEDADES IMOBILIÁRIAS (Permanente)
1. Contratos de Aluguel
2. Empréstimos
3. Títulos
4. Contratos

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-10


C. FINANÇAS (Permanente)
1. Relatório Financeiro Anual, de acordo com os “Relatórios Mensais da Igreja Quadrangular”
2. Extratos financeiros anuais (demonstrativos de entradas e balancetes)
D. FINANÇAS (7 anos)
1. Recibos de doações de caridade
2. Registros de folha de pagamento e formulários de imposto de renda (W-4, W-2, 1099, etc.)
3. Recibos de reembolsos de despesas
4. Designações de subsídio de moradia
5. Relatórios Mensais da Igreja Quadrangular
6. Registros bancários: registros de talões de cheques, extratos bancários, cheques cancelados
or copies of canceled checks, registros de depósitos
7. Planos de benefícios adicionais
E. ESCOLA (Permanente)
1. Matrículas
2. Frequência
3. Resultados Acadêmicos
4. Empregos, inclusive folha de pagamento
F. ATAS DO CONSELHO DA IGREJA E ATAS DA ASSEMBLÉIA GERAL ANUAL DA IGREJA
(Permanente)

G. REGISTROS DE PESSOAL
1. Permanente
a. Formulários de verificação, e solicitação de emprego com perguntas específicas
b. Formulários de Referência
c. Checagem de “Background”
d. Manuais de Empregados
2. Mantidos por 3-7 anos, após o encerramento de vínculo empregatício
a. USCIS R1 Documentos de requerimento de vistos para imigrantes que nós
patrocinamos para obterem um visto R1 (7 anos, após o encerramento de vínculo
empregatício)
b. Contratos de Trabalho (3 anos, após o encerramento de vínculo empregatício)
c. Formulários I-9 (3 anos, após o encerramento de vínculo empregatício)
3. Mantidos por 3 anos, após o encerramento de vínculo empregatício (demissão do
funcionário). Quanto aos ítens de “c” a “f”, se o empregado for demitido debaixo de
circunstâncias que dão motivo razoável para crer que ele possivelmente entrará com uma
ação judicial contra o empregador, então, estes documentos devem ser retidos por período
maior, para serem usados na defesa, se for o caso .
a. Pedidos de emprego
b. Registros de testes
c. Descrições de funções
d. Declarações assinadas pelo empregado

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-11


e. Avaliações de desempenho
f. Registros de demissão
H. OUTROS
1. Apólices de Seguro (Permanente)
2. Relatórios de incidentes com ferimentos envolvendo um adulto (5 anos)
3. Relatórios de incidentes com ferimentos envolvendo uma criança (Estes devem ser
guardados até que a criança alcance a idade especificada pelo estado, dependendo do
estatuto de limitações. Tipicamente esta idade é de 21 anos, mas a California alterou o
estatuto de limitações para abuso infantil permitindo que a criança venha a entrar com uma
ação a qualquer tempo antes que ela atinja 28 anos de idade. Provavelmente os relatórios de
incidentes com suspeita de abuso infantil, inclusive os documentos mostrando que o abuso
suspeito foi apropriadamente relatado pelos relatórios obrigatórios, devem ser considerados
como registros permanentes).

16.3.5 ARQUIVO PESSOAL DO PASTOR


Além dos arquivos feitos pela secretaria da igreja local e pelo Escritório do Distrito, o pastor
deve ter também seu arquivo particular. Nesse arquivo devem constar informações a respeito
de que igrejas ele pastoreou, cargos ocupados na denominação, construções supervisionadas e
os eventos especiais de que participou. Registros de casamentos, ofícios fúnebres e
consagração de crianças devem ser cuidadosamente arquivados pelo pastor.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-12


16.4 O ORÇAMENTO E A CONTABILIDADE DA IGREJA

16.4.1 ADMINISTRAÇÃO

A liderança de cada igreja local precisa administrar com o máximo cuidado todas as finanças
da igreja que lhe foi confiada . O manuseio das finanças é um reflexo do compromisso da igreja
com o Reino. A liberação total das bênçãos de Deus para os crentes e para a igreja está
diretamente ligada à obediência aos princípios bíblicos com respeito às finanças.

16.4.2 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

Para se administrar bem, é necessário um sistema que preveja as entradas e projete as despesas
de uma forma que possa ser entendido por pessoas que não tenham sido devidamente treinadas
em contabilidade. A contabilidade da igreja precisa ser completa, de modo que esteja de acordo
com as práticas contábeis atuais, mas também num sistema simples, de modo que as pessoas
com pouco treinamento possam entendê-la. Ao mesmo tempo, tem que ser suficientemente
clara, para ser aceita pelas financiadoras, na hora de avaliarem qualquer solicitação de
empréstimo.

16.4.3 PREPARANDO UM PLANO FINANCEIRO PARA A IGREJA – O ORÇAMENTO

A. GRÁFICO DAS CONTAS – Uma chave para arquivar e apresentar informações financeiras é
um “gráfico das contas”. É uma relação indicando de onde vêm as entradas e para onde vão os
gastos da igreja, e uma lista do ativo e do passivo da igreja. A lista de contas oferece a
oportunidade de se identificarem todas as entradas e saídas.

B. PREVISÃO DE ENTRADAS

1. Calcule a média de entrada mensal, do ano anterior, de cada adulto da seguinte forma:

média de entrada mensal


média mensal de freqüência de adultos = entrada mensal por pessoa;

2. Faça uma previsão da freqüência média de adultos para o ano seguinte, baseado na
tendência de crescimento apresentada nos últimos doze meses;

3. Multiplique o valor da entrada mensal por pessoa pela média de freqüência multiplicada por
52, para ter uma previsão de entradas para o ano seguinte:

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-13


média de entrada semanal por pessoa previsão de entradas
x previsão de média semanal de freqüência de adultos = para o ano seguinte
x 52
Average adult weekly giving is an important number. Per capita giving that is below “normal”
may indicate a need for pastoral leadership and encouragement to give. What is “normal”?
The answer will vary by community. Because this number can be influenced by a variety of
factors, including demographics, attendance, and affluence, it is important to compare your
church’s average to other churches of similar size in your community. It is incumbent on
pastoral leaders to set the standard in the area of giving and to teach people on the blessing and
joy of tithing and giving financially to the work of the Lord.
Outra maneira eficiente de incentivar as pessoas a contribuírem é o pastor enviar
trimestralmente uma carta aos dizimistas indicando o valor de suas contribuições e
agradecendo por sua fidelidade. Esse modo de informar os dizimistas produz um grande efeito,
quando utilizado de maneira adequada.
C. PREVENDO FUTURAS DESPESAS – O plano financeiro da igreja local deve refletir a
“missão” dessa igreja. A missão varia de acordo com a visão pastoral, diferenças culturais,
realidades socioeconômicas da região, etc. É de grande ajuda separar as despesas por
categorias que correspondam às do Relatório Mensal da Igreja. Isso permite uma comparação
das despesas reais com as que foram previstas no planejamento.
1. DÍZIMO QUADRANGULAR POR EXTENSÃO (Artigo 13.4.A.3) – O princípio do
dízimo se estende além do compromisso do membro com a sua igreja. Como pastores, se
cremos que as pessoas devem entregar os seus dízimos, então precisamos dar o exemplo,
sendo nós próprios dizimistas.
Como membros da Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular, as igrejas locais são
“dedicadas à causa interdenominacional e à evangelização mundial.” A estratégia para
cumprir essa missão envolve a abertura e o estabelecimento de igrejas locais, capacitando-
as a evangelizar de modo que sejam sensíveis à cultura local e que, por seu lado, enviem
obreiros para a edificação do Reino tanto no seu país quanto no estrangeiro.
Para que essa estratégia funcione, é necessário ajuda financeira de todas as Igrejas
Quadrangulares, por isso a igreja local deve fazer parte do Programa de Extensão do
Dízimo. O Dízimo por extensão da igreja local deve ser enviado mensalmente para o
Escritório em Los Angeles, junto com o“ boleto” apropriado.
CALCULATING THE EXTENSION TITHE:
Unrestricted Gifts x 10% = Extension Tithe
SS/CE Offerings x 10% = SS/CE Tithe
Extension Tithe + SS/CE Tithe = Total Tithe
2. MISSÕES QUADRANGULARES – Desde o seu início, a Igreja do Evangelho
Quadrangular tem o compromisso de evangelizar o mundo todo e, com esse propósito,
criou o Departamento de Missões Quadrangulares Internacionais. As igrejas locais
participam desse esforço mundial de alcançar os perdidos e discipular os salvos, em outros

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-14


países, através das ofertas missionárias (Artigo 13.4.A.4) e encorajando seus membros a se
envolverem em ministérios interculturais . As seguintes despesas devem ser planejadas
antecipadamente pela igreja local:
• Missões gerais
• Missões restritas (Equipes Missionárias de Curta-Duração, Projetos Especiais de Missões
Mundiais)

3. PAGAMENTOS DE EMPRÉSTIMOS – De acordo com os Estatutos, depois de enviar o


dízimo por extensão (Artigo 16.1.F.2), todos os pagamentos de empréstimos devem ser
feitos antes de gastar-se dinheiro em outras áreas.
4. DESPESAS COM O MINISTÉRIO – A igreja local existe primeiramente para alcançar os
perdidos e fazer discípulos. Um plano financeiro deve ser feito cuidadosamente para
identificar e prever os gastos com os ministérios da igreja. Os seguintes itens devem ser
considerados, quando se estiver fazendo esse plano:
• Salários dos ministros
• Outros salários
• Impostos da folha de pagamento/Imposto de “Seguro Social” /Imposto do Medicare
• Seguro do quadro de pessoal
• Compensação de Trabalhador (“Workers’ Compensation”)
• Seguro-Saúde e Seguro de Incapacitação
• Aposentadoria – um plano de aposentadoria para ministros qualificados está disponível.
Favor contatar o Escritório de Aposentadoria da ICFG pelo telefone 888-635-4234.
• Subsídios
• Subsídio de Moradia dos Ministros - Os pastores da Igreja Quadrangular podem deixar de
declarar ao Imposto de renda o valor pago como aluguel de sua casa pastoral e as despesas
feitas com a casa devido ao seu trabalho pastoral. Se o pastor possui ou aluga uma casa,
uma parte do seu salário deve ser designado como “subsídio” ou “auxílio” pelo Conselho
da igreja, desde que esse valor não exceda o preço justo do aluguel de uma casa
semelhante e mobiliada. (Um formulário para calcular as despesas da casa pastoral está
incluído no Seção 16A, junto com um modelo de Decisão de Auxílio para a casa Pastoral,
que pode ser adaptado por cada conselho local).
5. DESPESAS PESSOAIS – O ministério consiste em pessoas alcançando pessoas. Conforme a
igreja vai crescendo, algumas pessoas são chamadas para o ministério em tempo integral e
precisam receber um salário por suas atividades. Quando se prepara um plano financeiro para
essas despesas, os seguintes fatores devem se considerados:
• Crianças, jovens e adultos
• Escola Dominical /Educação Cristã
• Ministério de rádio e televisão
• Operação do escritório
• Propagandas/Gastos com gráficas
• Veículo(s) da igreja (operação)

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-15


• Veículo(s) da igreja (seguro)
• Programas de acampamento
• Benevolência local
• Pregadores convidados
• Outros gastos relacionados ao ministério
6. ESCOLAS BÍBLICAS QUADRANGULARES – O treinamento de homens e mulheres
para trabalharem em tempo integral tem sido uma tradição na Igreja Quadrangular desde
muitos anos. As despesas para o funcionamento dessas escolas não são cobertas apenas
com as mensalidades cobradas dos alunos e, em conseqüência, as igrejas locais são
chamadas a cooperarem financeiramente para o sustento de tais escolas. As igrejas locais,
ao prepararem seu planejamento, poderão incluir ajuda financeira para uma das seguintes
Escolas Bíblicas nos Estados Unidos, Faculdade “LIFE Pacific” (Estatuto 13.4.B.4).
7. OUTROS – Por melhor que seja um planejamento financeiro, sempre ocorrerão despesas
durante o ano as quais não se enquadram em nenhum dos planos feitos anteriormente. Por
isso é prudente planejar incluindo certos valores para despesas imprevistas.

16.4.4 MANTENDO UM SISTEMA CONTÁBIL CORRETO


A. SISTEMA CONTÁBIL MANUAL – Muitas Igrejas Quadrangulares podem manter um sistema
de arquivo financeiro utilizando um sistema contábil manual. No entanto a preparação de um
relatório financeiro manual é trabalhosa. Nesse caso, as informações passadas para os
membros do Conselho em suas reuniões mensais não são tão completas como quando dadas por
um sistema computadorizado.
B. SISTEMA CONTÁBIL COMPUTADORIZADO – Hoje em dia há um grande número de
sistemas contábeis computadorizados através dos quais a igreja pode manter um registro
efetivo de suas atividades. Eles variam desde os programas para contabilidade de negócios até
os que foram especificamente planejados para as igrejas. Se necessitar de ajuda adicional, ligue
para o ARC.
Dependendo do tamanho da igreja e de sua arrecadação, bem como do nível de sofisticação do
contador, o sistema computadorizado pode ser desenvolvido de tal maneira que permita a
adaptação do processo de lançamento individual das contribuições, dos pagamentos de todos os
compromissos da igreja e o planejamento de uma série de relatórios a serem submetidos ao
Conselho da igreja.

16.4.5 PREPARANDO O RELATÓRIO FINANCEIRO MENSAL


A. RELATÓRIO FINANCEIRO DA IGREJA QUADRANGULAR – Uma cópia deste relatório
está contido na Seção 16A, juntamente com instruções para completá-lo.
B. RELATÓRIO FINANCEIRO MENSAL

1. Balancete – O balancete é um relatório que demonstra a situação de uma empresa (no caso,
uma igreja local) em determinado período de tempo. Ele apresenta o passivo, o ativo e as
reservas. O saldo dos seguintes tipos de contas é apresentado em um balancete: contas
bancárias, contas a receber, contas a pagar, ativo e passivo atuais e futuros. O balancete é

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-16


um documento importante a ser examinado na hora de se verificar a saúde financeira e o
valor de crédito de uma igreja. Um balancete deve ser preparado mensalmente para exame
do Conselho da igreja local.

2. Relatório de Atividades Financeiras ou “fluxo do dinheiro” – É um relatório financeiro que


cobre as atividades de um determinado período de tempo, como um mês, um trimestre, ou
um ano, mostrando as entradas, despesas, valores retidos ou prejuízo (saídas maiores do
que as entradas). O Relatório Mensal Financeiro da Igreja Quadrangular funciona como um
relatório de “fluxo de dinheiro”. Esse relatório, tal qual o balancete, é um documento
importante que deve ser examinado mensalmente pelo Conselho da igreja local. Ele alerta
os líderes da igreja a respeito de déficits, de forma que providências possam ser tomadas
para que o acontecimento não se transforme num desastre.

3 Relatório Financeiro Comparativo – Esse tipo de relatório é muito parecido com o de


“fluxo do dinheiro”, mas contém informações adicionais. Em colunas paralelas, ele
demonstra o valor previsto e o valor atual, permitindo que, ao se tomarem decisões, possa-
se fazer uma boa comparação entre aquilo que era esperado e aquilo que se tem. É muito
útil na determinação dos alvos e objetivos para o ministério no futuro.
C. ANÁLISE PROPORCIONAL
1. Hipoteca/entrada – Essa figura ajuda a verificação da capacidade de se fazerem os
pagamentos mensais de financiamentos. É calculada dividindo-se o valor da prestação
(principal e juros) pelo valor da entrada média da igreja (taxável e outras não designadas)
multiplicado por 100. O valor não pode ultrapassar 30%.
2. Payroll-to-Income – This figure is important for helping pastors and church councils
determine whether financial resources are adequate to meet the staffing demands for
ministry in the local church. It is stated as a percentage and is calculated by dividing the
amount of total payroll expenses (including salary, housing, benefits and employer tax
contributions) by the church's average monthly income (tithable and other non-designated)
times 100. This figure should not exceed 35% if the Mortgage-to-Income ratio is 30%. If
the Mortgage-to-Income ratio is 25% or less, then this figure should not exceed 40%..
3. Análise atual – Essa análise “mede” a capacidade da igreja de cumprir com todos os seus
compromissos financeiros utilizando os recursos de que dispõe no momento . Calcula-se
dividindo-se o valor dos bens atuais (dinheiro e coisas que podem ser vendidas
rapidamente e transformadas em dinheiro) pelo das dívidas atuais (contas que devem ser
pagas dentro de trinta dias). Essa proporção deve ser 2:1 ou maior, mas nunca abaixo de
1:1. Isso significa que o valor dos bens atuais deve ser pelo menos o dobro do das dívidas.
Qualquer figura menor que 1:1 demonstra uma situação crítica.
4. Dívida/valor do ativo – É a proporção existente entre as dívidas de longo prazo e o ativo
atual (a diferença entre o que se tem e o que se deve). Essa diferença é calculada dividindo-
se o valor de todas as dívidas ( de longo prazo e atuais) pelo valor do ativo. Para que uma
igreja esteja em uma posição segura, essa proporção precisa ser de 3:1 ou menos.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-17


5. Empréstimo/valor – Essa figura é um percentual que compara as dívidas de longo prazo
com o valor do ativo fixo. É calculada pela divisão da quantia correspondente à dívida de
longo prazo pelo valor do ativo fixo multiplicado por 100. Devido ao uso singular que a
maioria das igrejas faz do templo, essa figura não deve exceder 60%, e a maioria dos
financiadores não faz financiamento acima de 70% do empréstimo/valor.

16.4.6 OPENING A CHURCH CHECKING/SAVINGS ACCOUNT


A checking account and a savings are necessary for a church to conduct business with vendors
on a regular basis. The following gives information to be considered when opening church
accounts.
A. CHOOSING A BANK
The bank itself is not necessarily relevant, but how the bank assesses charges is very important.
Look at the fee schedules for small business checking accounts at several banks in your area,
and choose the one that offers the most services for the lowest fee. Pertinent questions are
listed below:

1. What are the returned check fees?


2. What are the monthly services charges?
3. Is a minimum balance required to have a reduced or no monthly service charge?
4. Is there a limit to the number of checks you can write each month without extra charges?
5. Does the bank offer interest-bearing checking accounts, and is a minimum balance
required?

B. DOCUMENTS REQUIRED TO OPEN AN ACCOUNT

Banks require several documents when opening business accounts. The documents are used to
authenticate the organization and comply with federal banking laws. You will need the
following:

1. Proof of personal identification, e.g., a driver’s license


2. Proof that an EIN has been obtained (letter from the IRS assigning the number)
3. A copy of ICFG articles of Incorporation
4. The letter you received from the corporate secretary when your church was registered
which documents that your church is a subordinate unit of ICFG
5. A letter from the corporate secretary’s office granting permission for the use of a slogan
name, if you use one
6. Some money to use as an opening deposit

C. COMPLETING A RESOLUTION
1. After you complete the paperwork, the bank will give you a document known as a
resolution, which will need to be filled out and returned. The Resolution is similar to a
signature card on a personal account and will contain the signatures of all those authorized
to sign on the church’s accounts, as well as a listing of the officers. Each bank’s resolution
will be unique, but the information needed should be the same or very similar.
2. Below is a listing of what the resolution will ask for and the appropriate response:
9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-18
a. The corporation: The church’s legal name (city, state Foursquare Church)
b. Doing Business As: (DBA), The church’s slogan name, if one is used
(NOTE: Always use the church legal name on the account.
Never use the slogan name as the sole name on the account.)
c. The officers: President – The senior pastor
Other officers, members of the church council, or core team
(NOTE: avoid the use of people related by blood or marriage)
d. Signers: Those people who will be authorized to sign church checks
(NOTE: 2 signatures required/may not be related by blood or
marriage)

3. The resolution needs to be copied and kept in the church files; the original must be returned
to the bank after the signatures have been obtained. A new resolution will need to be filed
each time the signers are changed. NOTE: During pastoral transitions, the outgoing pastor
should prepare the resolution for the new pastor. (Since 9/11, banks in many locations will
require that outgoing officers sign off on resolutions for incoming officers to prevent
fraud.)

D. CHOOSING BUSINESS CHECKS

Churches using QuickBooks or other computer accounting software may want to order
printable checks. If not, the most common check style is known as “3-Up” business checks,
which provide a check stub for record retention. NOTE: Regardless of the type of checks
ordered, BE SURE THE BANK PRINTS TWO SIGNATURE LINES. This is a bylaw requirement. DO
NOT USE PERSONAL TYPE CHECKS WITH A REGISTRY FOR CHURCH BUSINESS; you must use
business checks.

16.4.7 COMPENSATION, W-2S, 1099S AND 941S

A. The International Church of the Foursquare Gospel is one corporation, with the member
churches as subordinate units. The Foursquare board has ultimate oversight and supervisory
control over all Foursquare ministers. A senior minister is appointed to the local church by a
district supervisor, who then directly oversees the minister. This oversight and control meets
IRS criteria for the ministers to be considered clergy employees. Therefore, all Foursquare
ministers should be paid with a W-2, not a 1099. There is no justification for a local church
minister to be given a 1099. Please notice that the portion of a minister’s income that is
designated as housing allowance is not included on the W-2.

B. With a W-2, the minister is forced to deduct his out-of-pocket minister expenses as a
miscellaneous itemized deduction that is limited in comparison to the Schedule C deduction.
The way to avoid the limitation is to have the church reimburse the minister for all out-of-
pocket expenses. The minister may donate the funds that then are used for the reimbursement.

C. An employer reports W-2 income and payroll tax withholding on a quarterly IRS 941 form.
Technically, the requirement to file the 941 is not based on whether or not there is W-2
income; the requirement is based on whether or not taxes are witheld. However, even if taxes

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-19


are not withheld, Foursquare has established the policy that its churches do a 941 whenever
there is W-2 income. One benefit of this policy is that a W-2 without a corresponding 941 may
be a red flag to the IRS.

D. A copy of the 941 must accompany the quarterly Workers’ Compensation Audit Form. Only
employees are covered by workers’ compensation insurance. An independent contractor
receives a 1099 and is not covered by workers’ compensation insurance.

16.4.8 DONOR-RESTRICTED CONTRIBUTIONS

A. Donor-restricted contributions to a fund established by the church council for a specific project
or purpose may only be used for that project or purpose unless the donor gives approval to use
it for another project or purpose.

B. If the project or purpose for which the fund was created is abandoned, and if the donor does not
give approval to use it for another project or purpose, then the following steps should be taken:
1. If it is possible to return the money to the donor, then it must be returned.
2. If it is not possible to return the money to the donor, then it may be transferred to a similar
fund by the church council, subject to the approval of the Foursquare legal department.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-20


16.5 EZRA INSTRUCTIONS

The purpose of EZRA is to provide a relational database for the entire Foursquare
denomination. It is important to connect data, disciples and decisions in a uniform manner that
promotes faith, stewardship and responsibility.

The instructions below provide a summary of the basic features of EZRA. For additional
information and/or coaching about EZRA, please contact your regional administrative resource
center (ARC).

16.5.1 LOGGING IN

A. To be enrolled in EZRA, call your regional ARC and ask to be enrolled in the program.

B. From your Microsoft internet browser, enter and access: http://ezra.foursquare.org. Your
login name is your first initial, followed by your last name, all in lower case. In some
instances a common name such as Smith, Jones, etc. may need to have a full first name.

C. The initial password for new users is the word “passw0rd” (without the ’quotation marks‘),
where the sixth character is a zero.

16.5.2 PRIMARY FEATURES

A. EZRA has three primary features, which can be accessed by the buttons located in the top right
of the page or by the drop-down menu located in the top left of the page. These features are:
1. Organization Search
2. Person Search
3. Reporting System

B. Some users will have access to multiple ICFG applications in addition to EZRA, including
Event Registration, Administrative Assistant, and Church Planting/Recruiting. If that is the
case for you, then, after you log in, you may be taken to a “System Menu” page, which allows
you to choose from a list of applications and also allows you to perform several operations:
1. Change the default application you wish to use when you log in. (Select a
system in the default column, and click the Change Default button.)
2. Change your password. Use the link provided, and change your password to one that is
easily remembered but unique to you.
3. Choose the type of “Select System” you prefer. (Select an option from the “Show top menu
using:”, either “Dynamic” or “Regular”, and click the Change Default button.)
4. Go ahead and explore EZRA’s powerful features.

16.5.3 ENTERING YOUR FOURSQUARE MONTHLY CHURCH REPORT (FMCR)

A. Click on Organization Search in the upper right hand of your EZRA screen, or from the
Systems dropdown menu.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-21


B. Type your church’s legal name (e.g., Los Angeles Foursquare) or the first few letters of the city
your church is in if that is part of the church’s legal name. Press the “Enter” key or place your
cursor over the “Search” button and press the left mouse button.

C. Choose your church from the list EZRA provides.

D. On your church’s Organization Detail screen, select the tab FMCR.

E. On the Church Monthly Report System page you may view the most recent report entered
under Most Recent Reports. To view all the reports, click on “Show all reports,” and then place
your cursor over the word “Approved” or “In Process” to the right of the month you want to
view and press the left mouse button. You can scroll up and down the report to view all the
data. To view the other side of the report, place your cursor over “Go to…” and press the left
mouse button. Place cursor over the “Return to Organization’s FMCR main page” and press
the left mouse button to return to main page.

F. To enter a report, select the month and year on the far right column and click on “Continue.”
Enter the appropriate information for the activity report. When finished, click on the “Go to
finance report” button and continue filling in the information and save by clicking on “Update
Finance” or “Update Activity.”

G. To enter another report, place the cursor over the “Return to Organization’s FMCR main page”
and press the left mouse button.

H. To view a completed report for printing, or to e-mail, click on “view” to the right of the month.
It is advisable to review each report currently in the system to verify their accuracy. You may
make corrections necessary at anytime. Go to step #6 for making corrections.

I. Senior pastors can approve reports entered by a secretary or bookkeeper by clicking on the
“Update Activity” or “Update Finances” buttons. Reports are not complete until reviewed and
updated by the senior pastor or someone to whom he has delegated Ezra access. You can add
additional users to the EZRA system. Please call your regional ARC for instructions on how to
do so.

16.5.4 REPORTING SYSTEM

A. ORGANIZATIONAL DETAIL PAGE REPORTS

One of the most powerful and useful features of EZRA is its Reporting System. From your
church’s Organization Detail page (see steps B-D of Entering Your FMCR in Section 16.6.3)
you can view five informative reports – FCCR, Loans, Contributions, Insurance and CMAR.
Just place your cursor over the name of the report you want to view and press the left mouse
button and then on “Generate ASP report.”

B. ADDITIONAL REPORTS

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-22


1. Place your cursor over the Reporting System button in the upper right corner of the screen,
or select it from the System Menu in the upper left of the screen.
2. Select the report you want to view from the list of available Church Reports.
3. On the search page click on “Search” and type in the name of your church on the name line,
or your church code number on the code number line and press enter or click on “Search.”
4. On the results page, click on the “Generate ASP Report” button.
5. To exit, scroll to the bottom of the screen and click on the “Back” button. Or, go to your
browser’s “Back” button and press the right mouse button. Select the third or lower listing
and click the left mouse button.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-23


16.6 ASSUNTOS LEGAIS

16.6.1 CHURCH REGISTRATION AND EMPLOYER IDENTIFICATION NUMBER

Local Foursquare churches are not organized as independent legal entities. Rather, they are
recognized by the board of directors and registered with federal government authorities as
subordinate units of the International Church of the Foursquare Gospel. Therefore, individual
churches should not seek separate incorporation; all incorporation processes relate to the
International Church of the Foursquare Gospel. In addition, no local church needs to request
the acknowledgement of the federal government of its tax-exempt status. (Many local
churches will, however, have to request the acknowledgement of their state or local
government of their sales and use tax, or property tax, tax-exempt status.)

The registration of a new local church as a Foursquare church triggers insurance premium
liability for that local church, generally at a minimum monthly rate of $75.00. Registration
also triggers additional government reporting requirements for the parent corporation. As
such, it is important not to “jump the gun” in registering a new church earlier than is actually
necessary. Usually, a new church plant’s need for legal status to be able to conduct business in
its community, or for liability insurance coverage for its activities while its planting team meets
together prior to the plant’s public launch, can be met by the already established church serving
as its parent or mother church.

A new church will generally need to be registered once it has developed to a point where it is
necessary to independently account for tithes and offerings, be identified as a separate entity in
its community, and/or have separate insurance coverage for its activities. This typically
happens at the point where most new church plants are ready to launch as full-service churches
in their local communities.

New church registrations are processed by the regional administrative resource center (ARC)
upon the direction of the new church’s district supervisor. The ARC will provide the necessary
paperwork that is necessary for the new church’s pastor to complete and sign as part of the
process.

Part of the registration process and paperwork involves applying for an EIN from the IRS. The
application required for doing so is part of the church registration paperwork package that will
be provided by the ARC. In order to ensure that the IRS includes each new local church in
Foursquare’s group exemption from federal taxation, it is imperative that the EINs for our new
churches are only applied for by our central offices, rather than by local churches.

For more information on these subjects, contact your regional administrative resource center.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-24


16.6.2 ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL X ACONSELHAMENTO

Algumas Igrejas Quadrangulares, no passado, admitiram, em sua equipe, profissionais da área


de aconselhamento. Essa prática não é recomendada. Antes de contratar esses profissionais, as
igrejas devem consultar o seu Supervisor, ARC ou o Departamento Legal da Igreja
Quadrangular para se informar acerca dos requisitos legais e de seguro. As Igrejas
Quadrangulares não devem usar os termos “conselho”, “aconselhamento”, etc. . Em lugar
destes, deve ser usado: “assistência espiritual”, “conselho bíblico”, “cuidado pastoral”. A
seguir relacionamos alguns itens que devem ser observados a respeito dessa questão:

A. TODA ASSISTÊNCIA PASTORAL DEVE SER “BASEADA NA BÍBLIA” – Toda e qualquer


assistência pastoral dada por uma Igreja Quadrangular, seja pelo pastor titular, pelo pastor
auxiliar, por membros da equipe de trabalho ou por voluntários, deve estar baseada, antes de
tudo, nas Escrituras.

B. COBERTURA DE SEGUROS - A Apólice de Seguros da Igreja Quadrangular cobre “todos


os clérigos”. O “clérigo” é definido como “uma pessoa formada por uma Escola Teológica
reconhecida ou um ministro leigo”. A Apólice de Seguro NÃO dá cobertura para outras
atividades profissionais, tais como: contadores, médicos, advogados ou profissionais da área de
saúde mental.

C. SITUAÇÃO NO EMPREGO – As pessoas responsáveis pela assistência espiritual, sejam


voluntárias ou pagas, devem fazer parte da equipe de trabalho da igreja, sem que recebam
nenhuma porcentagem de doações feitas à igreja. Aconselhamento mediante pagamento NÃO
PODE ser feito nas dependências da igreja, nem como parte do ministério da igreja.
Aconselhamento pago aparenta um negócio à parte e NÃO DEVE ter nenhuma ligação com as
atividades da igreja.

1. A isenção de impostos corre risco quando alguém recebe algum dinheiro por dar assistência
espiritual. Não se deve dar dinheiro a nenhum conselheiro profissional em nome da igreja.

2. Não há cobertura de responsabilidade no seguro da Igreja Quadrangular para conselheiros


que recebem dinheiro de seus pacientes. Isso caracteriza um negócio à parte e os exclui da
cobertura oferecida pelo seguro.

D. ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADES – Recomenda-se que todas as igrejas solicitem a


todos os que recebem assistência pastoral da igreja que assinem o formulário de “Isenção de
Responsabilidade” (Ver Seção 16A – Procedimento de Assistência Pastoral).
E. TAXAS – Todos aqueles que dão assistência espiritual devem ser orientados a não receberem
nenhum valor monetário, mesmo que este seja entregue com a conotação de “doação”. O
recebimento de dinheiro por serviços prestados é indicador de um relacionamento profissional
entre o conselheiro e o paciente. Quanto maior for a aparência de um relacionamento
profissional, como, por exemplo, o que ocorre na relação conselheiro de saúde mental/paciente,
mais o relacionamento pastoral ficará sujeito aos padrões e requerimentos de um
relacionamento profissional, criando-se, assim, um grande risco de responsabilidade.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-25


F. RECOMENDAÇÕES – Os pastores e os leigos que dão assistência espiritual não devem
hesitar em recomendar as pessoas que precisam de aconselhamento para um profissional
capacitado, sempre que a necessidade da pessoa for maior do que a orientação que o pastor
pode dar-lhe. Os pastores devem identificar médicos, conselheiros, advogados e contadores
cristãos na comunidade para enviar as pessoas para eles, em caso de necessidade.

16.6.3 ATIVIDADES POLÍTICAS


A ICFG e todas as Igrejas Quadrangulares recebem isenção de impostos do governo federal,
de acordo com o Código do Imposto de Renda, seção 501 (c). Isso significa que elas não
pagam impostos federais, na maioria das entradas recebidas pela igreja, e aqueles que fazem
doações financeiras para a Igreja Quadrangular podem deduzir esses valores como
contribuições para obra de caridade, em suas declarações de imposto de renda.
Com a concessão da isenção de impostos, a lei federal também coloca algumas restrições às
atividades políticas da Igreja Quadrangular. Para continuar gozando dos benefícios de isenção
de imposto, a igreja precisa manter-se estritamente dentro de algumas “regras”.
A. APOIO A CANDIDATOS A CARGOS POLÍTICOS
As Igrejas Quadrangulares não podem “participar , ou intervir (incluindo publicação ou
distribuição de declarações) em qualquer campanha política a favor de qualquer candidato a
cargo público”. Essa é uma proibição absoluta, significando que até mesmo uma pequena
violação pode causar a perda de isenção de imposto para a organização.
1. ATIVIDADES PROIBIDAS – O Imposto de Renda identificou cinco tipos de atividades
como violações da proibição contra a participação em campanhas políticas para cargo
público: (1) apoio a candidatos; (2) doações para a campanha de um candidato; (3)
envolvimento em campanha para angariar fundos para um candidato, (4) distribuição de
declarações de ou sobre candidatos; e (5) qualquer outra atividade que possa ser benéfica
a qualquer candidato ou contra ele.
a. Distribuição de material de “orientação ao eleitor”- O material de orientação ao eleitor
que seja verdadeiramente neutro em seu conteúdo e formato pode ser distribuído
legalmente. O problema, no entanto, é que esse material, conquanto nominalmente
designado com a intenção única de “orientar”, tem sido, na realidade, usado, de forma
velada ou ostensiva, para apoio a candidatos. A distribuição desse material pela igreja,
ou num culto, ou no saguão da igreja, etc., é uma clara violação da lei.

b. Ministros quadrangulares como cidadãos individuais. Os ministros, na condição de


cidadãos, podem apoiar qualquer candidato de sua preferência “desde que esses
ministros não usem de qualquer forma dos recursos financeiros da organização, de
facilidades e de pessoal, e claramente e sem dúvidas indiquem que as ações realizadas
ou declarações feitas são dos indivíduos e não da organização”. O imposto de renda
determinou que “quando um ministro, em um cargo oficial de uma organização
religiosa, apóia um candidato para um cargo público , ou quando uma publicação oficial
de uma organização religiosa contém apoio do ministro a um candidato a cargo
público , o apoio será considerado como sendo da organização”. Então embora o

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-26


ministro seja livre, como cidadão, para apoiar um candidato político para um cargo,
não pode fazer isso na igreja, seja num culto, em um evento, no boletim da igreja, etc.

2. ATIVIDADES PERMITIDAS – As igrejas podem permitir que os candidatos políticos


falem na congregação desde que (1) atividades de campanhas públicas (recrutamento de
voluntários, levantamento de fundos, etc.) sejam evitadas; (2) a mesma oportunidade seja
dada a todos os outros candidatos qualificados; e (3) a congregação seja informada antes ou
depois do discurso de que a igreja não endossa nenhum candidato para cargo público.

B. TENTATIVA DE INFLUENCIAR A LEGISLAÇÃO

Além da proibição absoluta de atividades relacionadas com candidatos políticos, a lei federal
também limita a organização com isenção de imposto de renda no que se refere a outros
envolvimentos em questões políticas. Essa limitação é apenas levemente menos rigorosa do
que aquela referente a apoio a candidatos. A Seção 501(c)(3) do Imposto de Renda proíbe
organizações isentas de se empenharem em “esforços substanciais” para influenciar a
legislação. Em poucas palavras, isso significa que a igreja pode ocasionalmente falar a respeito
de questões políticas, legislação pendente, etc. sem dificuldade, mas, se o foco principal das
atividades da igreja se tornar mais político em sua natureza do que espiritual, a igreja
provavelmente terá dificuldades com essa proibição legal. Não existe forma de saber o que
são “esforços substanciais”, portanto seja prudente e deixe o Senhor dirigir.

16.6.4 UNDOCUMENTED ALIENS AND CHURCH INVOLVEMENT

If an undocumented alien (without proper immigration papers) attends a church, here are some
guidelines regarding the individual’s involvement in the church. Clearly, licensing,
appointment and employment are prohibited, but other levels of involvement are permitted as
follows. An undocumented alien:

A. May be a member.

B. May be a volunteer.

C. Will be required to provide sufficient information to perform a background check, if


volunteering in an area that requires a background check. A background check from the
country of origin may be required.

D. May be a church council member.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-27


16.6.5 CONVICTED CHILD MOLESTERS AND CHURCH ATTENDANCE

If a convicted child molester attends a church and reveals his past to the pastor or some other
church leader, the church is advised to follow the guidelines listed below. Any conviction is a
matter of public record, so there is no expectation of privacy regarding this information.
Boundaries may be difficult to enforce, but they should be established as a pre-requisite to the
person’s attending the church.

A. People to inform
1. District supervisor and regional supervisor must be informed.
2. Church staff, especially those who work with minors should be informed.
3. Church leaders (elders, council members, ministry leaders) should be informed.
4. Any disclosure to the congregation should be done only with the advice and assistance of
the Foursquare legal department.

B. Boundaries regarding the individual’s church attendance and access to church facilities
1. He should have a mentor to whom he is accountable on a weekly basis, and who should
coach him in the observance of the following boundaries.
2. He or she will be assigned a monitor whenever he or she is at the church facilities.
3. He or she should have a finite list of the church activities he or she may attend and the parts
of the church facility that may be accessed.
4. He or she may not be in the children or youth areas.
5. He or she should always enter and exit through the same main entrance.
6. He or she should only use one designated restroom.

C. Boundaries regarding the individual’s interaction with church members


1. He or she is free to interact with adults in the church.
2. He or she must take prior steps before spending time (at the church, a home or elsewhere in
the community) with any church family with minors.
3. Before spending time (at the church, in a home or elsewhere in the community) with any
church family with minors, the individual should inform his or her mentor, and request that
the mentor inform the family so that the family can make an informed decision.

D. Conditions and boundaries for serving in the church


1. He or she should attend the church regularly for a minimum of 1 year.
2. He or she should be accountable to a group in the church, led by his or her mentor, for a
minimum of 1 year.
3. He or she may only serve in those areas which do not involve any contact with minors and
which occur in public, open, easily visible areas.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16-28


POLÍTICAS DE CUIDADOS PASTORAIS
Aconselhamento bíblico saudável e pastores compassivos são algumas das bênçãos que Deus tem dado
à Igreja. Agradecemos a Deus, juntamente com você, por esses recursos estarem disponíveis como
parte do ministério da Igreja.
Você pode receber conselho pastoral gratuito, exceto se implicar gastos esporádicos com material de
assistência ministerial da Igreja. O conselho é pastoral por natureza, com a intenção de provê-lo de
instrução bíblica e orientação para aplicação dessa instrução às questões da vida. O conselho que
você recebe não é de natureza legal ou orientação psicológica profissional. O conselheiro que o está
atendendo não é especializado em medicina, psicologia, psiquiatria, ou direito. Ele foi treinado em
estudos bíblicos e aconselhamento pastoral.
A Igreja respeita o princípio de revelar informações somente quando for necessário, mas, ao mesmo
tempo, não pode assegurar sigilo com relação a qualquer informação que você queira revelar ao
conselheiro. É política da Igreja comunicar às pessoas e autoridades legais: evidência de abuso de
criança, evidência de abuso de idosos ou dependentes, ameaça ou danos físicos a outra pessoa, ameaça
ou danos físicos a si próprio, ameaça ou danos à congregação e/ou ao ministério da Igreja e à Igreja
Internacional do Evangelho Quadrangular.
Ao aceitar a ajuda do conselho pastoral, você concorda em que, no caso de qualquer disputa
decorrente do relacionamento entre você e a Igreja e qualquer funcionário, agente, ou voluntário da
Igreja, a forma exclusiva para solucionar a disputa seja a mediação e a conciliação e, caso seja
necessário um arbitramento, sejam utilizados os serviços de uma sociedade legal cristã. Qualquer
decisão deverá ser aceita por ambos os lados. Se a sociedade legal cristã não oferecer tais serviços na
sua localidade, a Igreja e você concordarão em que ambos, você e a igreja, nomearão um mediador/juiz
cristão e que, então, todos aceitarão um terceiro mediador/juiz cristão para juntos formarem um tribunal
mediador e, se necessário, julgarem a disputa.
Eu li, entendi, concordo e aceito as cláusulas das políticas da Igreja descritas acima.
Data: ______________________ Assinatura ______________________________

AUTORIZAÇÃO DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÃO


Eu, abaixo assinado, concordo em que a informação que revelei ao conselheiro pastoral da Igreja, caso
necessário, seja divulgada a autoridades e pessoas, conforme a necessidade, se indicar abuso de
criança, abuso de idosos ou de adulto dependente, ameaça ou dano físico a outra pessoa, ameaça de
dano físico a mim próprio, e/ou informação ameaça de danos à congregação e/ou ao ministério da
Igreja e à Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular.
Eu, conscientemente e de boa vontade, isento agentes, funcionários e voluntários da Igreja, e da Igreja
Internacional do Evangelho Quadrangular de qualquer alegação de perda, prejuízo e dano que possa
originar-se da revelação da informação acima.
Data: ______________________ Assinatura ______________________________

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-1


IGREJA QUADRANGULAR DE ____________________
1234 Main Street
Qualquer Cidade, USA

PEDIDO DE ORAÇÃO E ACONSELHAMENTO BÍBLICO

Nome __________________________________ Data ______________________


Endereço __________________________________________________________
Cidade ______________________ Estado ___________ ZIP _______________
Telefone ( ) ___________________ Telefone à noite ( ) _________________
Data de nascimento ____/____/______ No do Social Security ___/_____/______
No de CID ____/_____________ Data de conversão ___/_____/______
Data do batismo nas águas __/___/___ Data do batismo no Espírito Santo __/___/___
Estado civil (marque um) ( ) solteiro ( ) casado
Histórico marital (marque os que forem o caso) ( ) divorciado ( ) viúvo
Profissão __________________________________________________________
Você é membro da Igreja Quadrangular em ________________? ( ) sim ( ) não
Caso a resposta seja não, onde? (escreva o nome da igreja) __________________
Endereço ___________________________________________________________
Cidade ___________________ Estado _______________ Zip _______________
Caso seja membro, especifique o departamento de ministério do qual faz parte ___
__________________________________________________________________
Com quem você deseja falar? __________________________________________
Já esteve aqui anteriormente? __________________________________________
Se esta não for a sua primeira reunião de aconselhamento, favor dar a seguinte informação:
Nome da primeira pessoa com quem você conversou? _____________________
Número de sessões que você já teve? ______________________________

DESISTÊNCIA LEGAL

Eu, abaixo assinado, estou plenamente consciente de que esta conferência com o pessoal do ministério
ou o membro de equipe de apoio bíblico não tem finalidades psicológicas, médicas, ou legais, mas é
meramente baseada na PALAVRA DE DEUS. Entendo que posso optar por receber ou rejeitar a
informação que me foi dada.
Assim, eu isento a Igreja Quadrangular de ____________________, sua equipe ministerial e equipe de
suporte bíblico de qualquer responsabilidade legal por qualquer decisão ou ação que eu venha a tomar.
Assinatura da pessoa que recebe a prestação de serviço _______________ Data: _______________

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-2


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE ___________________

(MODELO)
PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DE CASAMENTOS
E
FORMULÁRIO DE PEDIDO DE CASAMENTO

IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR


Cidade, Estado, Zip Code
Telefone: ( ) _______-__________

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-3


PROCEDIMENTOS PARA CELEBRAÇÃO DE MATRIMÔNIOS
1. formulário de pedido de casamento será preenchido pelo casal que deseja casar-se na Igreja
Quadrangular de ____________________. Caso o pedido seja aprovado, um contrato de
matrimônio deve ser preenchido e submetido à secretaria da igreja, com o depósito de ________,
antes que seja marcada a data do casamento.
2. Pede-se aos casais que preencham o formulário de pedido de matrimônio com, no mínimo, dois
meses de antecedência. Os casamentos são marcados sempre seis semanas após a aprovação do
pedido.
3. A data do casamento estará sujeita a disponibilidade no calendário da igreja. Não haverá casamentos
aos domingos, quartas-feiras ou, depois das 17:00 h, aos sábados.
4. A data do casamento estará sujeita à disponibilidade de funcionamento da coordenação de
matrimônios. O coordenador de matrimônios da Igreja Quadrangular de ____________________
discutirá com o casal os planos de uso das instalações, mobiliário e equipamento. Os honorários do
coordenador de matrimônios são $20.00 por hora. Para serviços prolongados, favor entrar em
contato com o coordenador de matrimônio. Ligue para _____________, a fim de obter maiores
informações.
5. Ministros externos que fazem matrimônios na Igreja Quadrangular de ____________________
devem ser licenciados ou ordenados por uma genuína denominação cristã e aprovados pelo
Conselho da Igreja Quadrangular de ____________________.
6. O casal deverá participar de, pelo menos, uma a três sessões de aconselhamento pré-matrimonial,
antes da data do casamento.
7. A capacidade máxima de assentos no auditório/salão principal é para _________ pessoas. O casal
deve concordar em planejar a lista de convidados de forma a não exceder a capacidade da igreja. O
valor cobrado pelo uso das dependências da igreja é de $ __________ (que inclui uma taxa de
limpeza de $ __________) a ser pago pelo menos 30 dias antes da data do casamento. As taxas serão
reembolsadas até dez dias após o casamento.
8. Pode-se fazer uma recepção no salão de festas da igreja se o número de convidados for inferior a
______. Nesse caso, será cobrada uma taxa adicional de $ ______ (que inclui taxa de limpeza de $
______), pelo uso do salão de festas. A taxa será paga de uma vez, até trinta dias antes do
casamento, para que se possa reservar o salão. O valor da taxa de recepção inclui o uso de mesas e
cadeiras disponíveis na igreja. Um sistema de som será oferecido (somente funcionário da Igreja
Quadrangular ficará encarregado de usá-lo) por uma taxa de $ _______ por hora. Favor avisar o
coordenador de matrimônio até trinta dias antes do casamento, caso deseje usar esses itens. Os
organizadores da festa serão responsáveis pelo provimento de todas as toalhas de mesa, xícaras,
pratos, utensílios, decoração, etc., e por arrumar e desfazer a arrumação de mesas e cadeiras, pela
limpeza geral da cozinha, lavagem de objetos e utensílios e pela limpeza das mesas e outros objetos
utilizados.
9. Comidas e bebidas serão permitidas somente no salão da igreja. Não serão permitidas comidas nem
bebidas no santuário, em nenhum momento. Bebidas alcoólicas, incluindo vinho e/ou champanhe,
não serão permitidas também nas instalações da igreja. Além disso, é proibido fumar nessas
instalações.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-4


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________
PROCEDIMENTOS PARA CELEBRAÇÃO DE MATRIMÔNIOS
Página 2

10. Os organizadores da festa são responsáveis pela devolução de todos os objetos alugados em
outros lugares. Toda a decoração e equipamentos do casamento devem ser removidos da igreja, do
salão e de outras áreas da igreja, logo após a recepção de casamento. Uma taxa de manutenção de $
_______ por dia será cobrada por objetos deixados por período superior a 24 horas.
11. Não se pode utilizar arroz. Permite-se alpiste, mas somente fora das dependências da igreja e após
o final da cerimônia.
12. Decorações da igreja (inclusive decoração típica de estação) não poderão ser removidas. Pregos
não poderão ser utilizados, ao se fazer a decoração para o casamento. Os funcionários da igreja
determinarão o que poderá ser removido. Mobiliário e plantas na plataforma serão removidos
somente com a permissão do coordenador de matrimônio. Favor informá-lo se deseja mudar ou
remover alguma coisa.
13. Um depósito de garantia de danos no valor de $ ________ será exigido (além do pagamento de
qualquer outra taxa) no momento em que for feito o contrato de matrimônio (o contrato será
enviado pelo correio, assim que for aprovado). O depósito será reembolsado dentro de cinco a dez
dias, caso não haja nenhum dano. Os que assinarem o contrato de matrimônio responsabilizar-se-
ão por qualquer dano à propriedade ou patrimônio da igreja ocorrido durante a recepção de
casamento, pela organização da festa. Os prejuízos serão estimados de acordo com o custo dos
reparos ou substituições. A Igreja Quadrangular de ________________ reserva-se o direito de
determinar quem fará os reparos ou substituições necessários. A organização da festa pagará
prejuízos que excedam o valor de $________.

INSTRUÇÕES

1. O formulário de pedido de casamento deve ser entregue ou enviado por correio à secretaria da
igreja.
2. A notificação da decisão da igreja será feita dentro de dez dias úteis, a partir da data em que o
pedido chegar à secretaria.
3. Todas as taxas e depósitos devem ser pagos a vista, a fim de se garantir uma reserva de data no
calendário da igreja.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-5


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________
Formulário de Solicitação de Casamento
Data em que o formulário foi
recebido na secretaria ____________

A notificação de decisão a respeito do pedido será feita dentro de dez dias úteis, após o recebimento do
pedido na secretaria da igreja.

(Favor preencher à máquina ou em letra de forma)


Nome do noivo: _____________________________________________________________

Endereço: __________________________________________________________________

Telefone: Residencial (__) _______ Trabalho (___) _________Data de aniversário: __/__/___


Nome da noiva: ________________________________________________________________
Endereço: _____________________________________________________________________
Telefone: Residencial (___) _______ Trabalho (___) _________Data de aniversário: __/___/___

Você freqüenta a Igreja Quadrangular de __________________________________________ ?

Noivo: Sim __ Não __ Se sim, por quanto tempo? _____


Noiva: Sim __ Não __ Se sim, por quanto tempo? _____

1. Você freqüenta ou pertence a outra igreja?

Noiva: Sim ______ Não _____ Em caso afirmativo, onde? _____________________

Noivo: Sim ______ Não _____ Em caso afirmativo, onde? _____________________

2. Você reconhece Jesus como Senhor e Salvador? Noivo: Sim __ Não __ Noiva: Sim __ Não __

3. Se ainda não recebeu Jesus como seu Salvador pessoal e Senhor, gostaria de recebê-lo?

Noivo: Sim ______ Não _____ Noiva: Sim ______ Não _____

4. Data preferida para o casamento (dia/mês/ano)____/____/___Horário(incluir AM ou PM)_____

5. Uma outra data, caso a primeira não seja possível ____/____/____

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-6


IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR DE _______________
Formulário de Solicitação de Casamento
Página 2

Pastor requisitado para realizar a cerimônia: _______________________________

Nome da igreja do pastor: _______________ Denominaçãο: _________________

Número de convidados esperados para a cerimônia _________________________

Recepção: Você está requisitando o uso do salão da Igreja Quadrangular de ____________ para a
recepção (número máximo de convidados: _____)? Sim _____ Não _____

Caso esteja requisitando um ministro da Igreja Quadrangular de ____________________ para realizar


seu casamento, favor indicar o dia ou os dias da semana e os horários em que ambos (noivo e noiva)
estão disponíveis para o aconselhamento pré-nupcial.

Dia ______________________ Horário _____________________


Dia ______________________ Horário _____________________
Dia ______________________ Horário _____________________

RESPONDA A TODAS AS PERGUNTAS E ENVIE PARA:

Igreja do Evangelho Quadrangular de ____________________


Endereço:
Cidade, Estado, ZIP

Ou entregue na secretaria da Igreja


Obrigado

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-7


DA IGREJA QUADRANGULAR DE ____________________
CONTRATO DE MATRIMÔNIO

Noivo: _____________________________ Noiva: ____________________________


Endereço: __________________________ Endereço: _________________________
Cidade___________ Estado______Zip______ Cidade___________ Estado______Zip______
Telefone:______________________________ Telefone:___________________________

Data de casamento: ____________________ Horário: ________________

Taxas de instalações Valor recebido Data

Igreja: $ _______________ $ ___________ ___/___/______


(O valor deve ser recebido pelo menos trinta dias antes da data do casamento)

Salão de recepção: $ ________________ $ ___________ ___/___/______


(O valor deve ser pago pelo menos trinta dias antes do casamento)

Depósito de garantia de danos * $ __________ $ ___________ ___/___/______


(Deve acompanhar o contrato de casamento)

Coordenador de matrimônio: $ ___________ por hora, a serem pagos no dia do casamento.

Pastor que realizará a cerimônia: ______________________________________________


Nome da Igreja: __________________________ Cidade __________________________
Denominação: * (Religião) ________________________________________________________

Lemos as políticas de matrimônio da Igreja Quadrangular de ____________________ e


aceitamos todas elas.

_________________________ _______________________ Data ___/___/_____


Assinatura do noivo Assinatura da noiva

*O depósito de seguro de danos será reembolsado, caso não haja nenhum dano.
**Deve ser uma denominação genuinamente cristã; depende da aprovação do Conselho da Igreja Quadrangular_______________.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-8


Nota do editor: Este é um exemplo de um contrato para uma igreja que está autorizando outras Igrejas
Quadrangulares a utilizar suas dependências. Cada igreja que aceita tal acordo com outras congregações
deve também explicar claramente qualquer acordo financeiro que seja decidido entre as partes. Caso esteja
alugando as dependências a uma igreja independente ou de outra denominação, favor entrar em contato
com o Escritório do Distrito, para se informar sobre o procedimento adequado.
DA IGREJA QUADRANGULAR DE ____________
MANUAL E POLÍTICA DE PROCEDIMENTOS PARA O USO EM COMUM DAS
INSTALAÇÕES.
EVENTOS ESPECIAIS:
Para qualquer evento diurno, recepções especiais e eventos de feriados, favor verificar o calendário com a
secretaria da igreja. Mantemos um calendário geral para as congregações e ministros que utilizam essas
dependências. O uso das dependências é de suma importância, e as atividades do calendário da igreja
merecem preferência. Para que todas as igrejas realizem seus cultos e outras atividades, favor comunicar-
nos por escrito, bem como providenciar um folheto para que possamos divulgar seu evento.

LIMPEZA E MANUTENÇÃO

• Favor conversar com cada membro de sua equipe a respeito da limpeza e manutenção das
instalações.
• Peça a todos que ajudem na limpeza após cada evento.
• Incumba alguém de checar o provimento de papel higiênico e toalhas após cada evento e certifique-
se de que os banheiros estejam limpos.
• Após cada evento, desligue todos os equipamentos, luzes, sistema de aquecimento e ar
condicionado, tranque as portas e acenda as luzes externas. Existem cinco termostatos. Favor
checar: dois no santuário, um na capela, um no salão ao lado de cada uma das portas de entrada.
• Sempre lembre as pessoas de que estamos dividindo as dependências com outras congregações.
• Instrua professores e pessoal responsável por crianças a limparem as dependências após a aula / o
uso. Todos os objetos utilizados com as crianças devem ser limpos após o uso (incluindo mesas,
mobiliário infantil, etc.). Coloque todas os lençóis e cobertores na segunda prateleira da mesa.
• Salas de aula e salas de crianças pequenas deverão ser mantidas de acordo com as leis do Estado, o
manual de procedimentos e as políticas da igreja.
• Favor não deixar alimentos ou sobras de alimentos na geladeira da igreja. Cada congregação é
responsável pela limpeza da cozinha e pelo salão de recepção, após serem utilizados.

SEGURANÇA INFANTIL

• Casos de abuso de criança de qualquer natureza, deverão ser comunicados imediatamente. Somos
exigidos por lei para comunicar tais casos. O não cumprimento dessas normas poderá levar a perda
de licença e/ou processo.
POLÍTICAS E PROCEDIMENTOS:
• Seus artigos e equipamentos de ensino devem ser mantidos separados, lacrados em recipientes com
o nome da sua igreja / seu pastor. Os recipientes devem ter cores que combinem com os aposentos.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-9


• Cada congregação deve fornecer material de atividades manuais (artesanato) às crianças, a fim de
possibilitar que desenvolvam suas habilidades manuais e artísticas. Amamos as crianças! Vamos
permitir que mostrem sua arte!

• Favor conversar com seu Diretor de Educação Cristã sobre os locais de armazenamento de sua
igreja.

DECORAÇÃO PARA FESTAS DE FERIADOS:

Um comitê responsável pela decoração será formado, contendo pessoas de cada congregação. Os
pastores deveriam considerar a escolha de alguém da congregação que seja capacitado para este
fim.

COLOCAÇÃO DE FAIXAS, LETREIROS, ETC:

De acordo com nosso contrato de arrendamento com o proprietário/ administrador das instalações,
faixas e outras formas de sinalização devem ser aprovadas pela Igreja Quadrangular de
____________________ antes de serem exibidas.

SALAS E ESCRITÓRIOS:
• Salas de conferência e trabalho estão disponíveis a todas as congregações, conforme a
necessidade, para eventos especiais. Favor checar a programação de calendário com a
secretaria da igreja.

• O horário de funcionamento da secretaria da igreja é das 9:00 às 17:00 hs, de terça a sexta-
feira. O horário de almoço é das 12:00 às 13:30 hs.]

CORRESPONDÊNCIAS:
CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA:
Escaninhos de correspondência para cada congregação serão colocados na entrada do hall, ao lado da
secretaria da igreja.

CORRESPONDÊNCIA ENVIADA:
Haverá um local marcado para que o carteiro colete as correspondências que serão enviadas, de segunda
a sexta-feira.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-10


Formulário de Despesas com a Casa Pastoral
(permitidas por lei)

Nome do Pastor: _______________________________________________________________

1. Valor do aluguel ou pagamentos do principal (incluindo pagamento


da entrada da compra da casa) que você espera fazer
durante o ano seguinte. ______________

2. Juros de hipoteca ______________

3. Despesas com corretagem ______________

4. Seguro (moradia, bens e utensílios) ______________

5. Manutenção e conserto da moradia e bens


(incluindo imposto de vendas) ______________

6. Móveis e utensílios (manutenção e reparos


incluindo impostos) ______________

7. Aquisição ou aluguel de ferramentas e


equipamentos necessários para a
manutenção e reparos da residência
(ferramentas de jardinagem, limpeza
e equipamentos, etc). ______________

8. Decoração (cortinas, forros e assoalho,prendedores


de parede, etc., incluindo impostos de vendas) ______________

9. Serviço público
Eletricidade _________________
Gás _________________
Água/Esgoto _________________
Limpeza pública/ Serviço de TV a cabo _________________
Telefone/ Segurança _________________

Total de serviços
públicos: ______________
10. Conservação de terreno (cortador de grama,
fertilizantes, limpador de neve, plantas,
lâmpadas, sementes, etc.) _______________

11. Variedades (artigos de limpeza, artigos de


consumo tais como lâmpadas, etc) ______________

Total estimado de despesas


com acomodaçao para o ano _____________

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-11


Resolução do Conselho da Igreja com respeito aos gastos dos ministros ordenados ou licenciados
com a casa pastoral de propriedade da Igreja.

A seguinte resolução foi plenamente adotada pelo conselho da Igreja Quadrangular de


__________________ (aqui referida como igreja) em reunião ordinária realizada no (dia) de (mês), 20___.

A sessão 107 do código de Receita Federal (Imposto de Renda) permite que um ministro do evangelho
exclua da renda bruta “o valor do aluguel de uma casa mobiliada, como parte de sua compensação,” ou um
valor designado pela igreja, pago ao pastor, como parte de seu salário devido às despesas gastas na
manutenção da casa pastoral. O reverendo (nome do ministro) é compensado pela igreja exclusivamente
pelos serviços como ministro do evangelho. A igreja providencia ao Pastor (nome do ministro) o uso
gratuito da casa pastoral como recompensa pelos serviços que presta à igreja no exercício do ministério.
Além disso, a igreja também deseja pagar ao Reverendo (nome do ministro) as despesas que ele/ela tiver
para manutenção de casa. Assim, fica decidido que o salário anual pago ao Reverendo (nome do ministro)
para o ano de (ano seguinte) será $ _______ dos quais $ _______ é aqui designado como compensação
para uso na casa pastoral conforme a sessão 107 do código de Receita Federal. Esta decisão se aplicará aos
anos futuros, a não ser que seja alterada pelo conselho da igreja.

Resolução do Conselho de compensação de moradia para ministros ordenados ou licenciados que


sejam donos de suas casas ou morem de aluguel:

A seguinte resolução foi plenamente adotada pelo conselho da Igreja Quadrangular de


____________________ (aqui referida como igreja) em reunião ordinária realizada no (dia) de (mês),
20___.

A sessão 107 do código de receita da fazenda permite que um ministro do evangelho exclua da sua renda
bruta para o cálculo do imposto de renda, um valor determinado que lhe foi pago pela igreja como parte de
seu salário, com despesas extras de sua casa ou aluguel da moradia.

O Reverendo (nome do ministro) recebe da igreja exclusivamente por serviços como ministro do
evangelho. Fica decidido que o salário anual pago ao Reverendo (nome do ministro) para o ano de (ano
seguinte) será de $ _______, dos quais $ _______ é aqui designado como uma compensação para uso na
casa pastoral conforme a sessão 107 do código da Receita Federal. Esta decisão será aplicada aos anos
futuros, a não ser que seja alterada pelo conselho da igreja.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-12


INSTRUÇÕES PARA O RELATÓRIO MENSAL DE IGREJA QUADRANGULAR
“FOURSQUARE MONTHLY CHURCH REPORT (FMCR)”

The FMCR is due by the 10th of every month.

Favor observar que TODOS OS CAMPOS neste relatório devem ter um valor numérico. Se um campo não
for aplicável, favor colocar um zero.

INSTRUÇÕES PARA A PÁGINA DE FINANÇAS:

ENTRADAS
Total de Entradas Sujeitas a Dízimo (Tithes and Undesignated Offerings)

Todos os dízimos e ofertas que não forem restritos


Todas as heranças e doações especiais que não forem restritas
Todas as ofertas recebidas nas classes de escola dominical e educação cristã que não forem restritas
Todas as doações miscelâneas que não forem restritas

Total Designated Offerings

• Todas as ofertas missionárias de dinheiro ou propriedade que são designadas para Missões
Quadrangulares Internacional, outras organizações missionárias, ou equipes missionárias dentro da
igreja local
• Todas as ofertas especiais que são levantadas para um propósito específico identificado pela igreja
local ou pela denominação, como alívio de desastres, bolsas de estudos para acampamentos,
benevolência local, etc.
• Todas as ofertas em dinheiro ou propriedade para a compra de um edifício que são doações restritas
pelo doador e que serão usados exclusivamente para o pagamento de projetos de construção ou para
quitar uma dívida de hipoteca
• Todas as ofertas em dinheiro ou propriedade que são doações restritas pelo doador e que serão
usados especificamente em projetos de ministério dirigidos a crianças, mocidade, ou adultos
• Todas as outras ofertas restritas e renda não cobertas por uma das outras categorias restritas
• Todas as ofertas levantadas ou doações feitas especificamente para as Faculdades Bíblicas
Quadrangulares nos Estados Unidos.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-13


Total Other Income

• Toda a renda de juros ganhos de contas correntes, poupanças, investimentos


• Toda a renda de aluguel recebida de aluguéis da propriedade da igreja
• Toda a renda derivada ou recebida dos eventos de angariação de fundos (exemplo: vendas de bolos,
jantares, lavagens de carros, etc.), e da venda de fitas de áudio e vídeo. (Deve-se tomar cuidado
quando se for registrar estas doações para assegurar-se que o crédito de doação só será dado para a
porção da contribuição que excede o valor dos bens recebidos pelo doador.)
Total de Entradas
Somando os totais dos campos 1,2, e 3 derivará este valor. (Se você completar este formulário no
computador, o arquivo calculará a renda total automaticamente).

GASTOS
Total do dízimo de extensão (taxa) / Escola Dominical / Educação Cristã
O valor que deve ser enviado mensalmente à Caixa Postal “Lock Box” em Los Angeles, California
(Cupom de Depósito de Dízimos e Missões) para participação no dízimo de extensão (Linha A
do Cupom de Depósito), e dízimo da Escola Dominical (Linha F do Cupom de Depósito)
Inclui apenas o dízimo de fato enviado durante o mês corrente e não o que deve ser pago das entradas
sujeitas a dízimo daquele mês.
Total de missões gerais ( irrestrito)
O valor que deve ser enviado mensalmente à Caixa Postal “Lock Box” em Los Angeles, California (Linha B
do Cupom de Depósito) e que não foi designado para outro uso específico em missões é considerado “total
de missões gerais”.
O total de missões restritas:
Missões Quadrangulares Internacional (Foursquare Missions International “FMI”)
• FMI – Imprensa Quadrangular de Missões = O valor enviado para o FMI para sustentar a
contínua administração e custos de produção da Imprensa Quadrangular de Missões
(Linha C do Cupom de Depósito)
• FMI – International Assistência = O valor enviado para o FMI para sustentar esforços missionários
de assistência em desastres (Linha D do Cupom de Depósito)
• FMI – Projetos = O valor enviado para o FMI para projetos de missões identificados pelo FMI
(Linha G do Cupom de Depósito)
• FMI – Pré-Designado = O valor enviado para o FMI para sustento de trabalhos identificados pela
igreja ou doadores(Linha G do Cupom de Depósito)
• FMI – Equipes = O valor enviado para o FMI para cobrir os custos de seguros e/ou outros
gastos relativos à equipe (Linha G do Cupom de Depósito)
Missões Não-Quadrangulares
• Outras missões estrangeiras = Valores pagos a organizações de missões estrangeiras não
quadrangulares (These are not recorded on the coupon but are submitted on a Mission giving credit
form.)
• Outras equipes missionárias = Valores pagos para atividades de equipes missionárias estrangeiras
patrocinadas por igrejas locais quadrangulares e não ligadas ao FMI. (These are not recorded on the
coupon but are submitted on a Mission giving credit form.)
9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-14
Total de gastos com pessoal
Todos os gastos relativos a empregados são considerados gastos com pessoal. A seguir, alguns
exemplos:
• Todos os salários/pagamentos por hora/subsídios inclusive o auxílio moradia = valores pagos
por salários e benefícios (impostos da folha de pagamento, seguro do pessoal)
• Impostos da folha de pagamento = valores pagos pela igreja para os impostos da folha de
pagamento e impostos do Seguro Social (“Social Security”) - FICA, incluindo os valores retidos
na fonte
• Seguro de pessoal = valores pagos pela igreja para seguro-saúde, compensação de
empregado (“worker’s compensation”), seguro de incapacidade, e/ou prestações do
seguro de vida
• Aposentadoria = valores pagos pela igreja para as contas de aposentadoria do pessoal incluindo o
fundo de aposentadoria Quadrangular, contas 403b, etc.
• Outros gastos com pessoal (auxílio de automóvel, prestações de seguros, contrato de serviço conta
flexível de gastos, mas não as contribuições do empregado ou retenções na fonte (gastos com
cuidados de saúde ou gastos com dependentes, etc.)
Total de empréstimos e contratos fixos de aluguel (“lease”) Payments – Real Property
Total Loans/Lease Payments – Equipment, Auto, Etc.
Total Misc. Expenses
• Seguros (propriedade e responsabilidade civil)
• Manutenção
Total Ministry Expenses
• Funcionamento do escritório
• Telefone
• Serviços de utilidade pública (energia elétrica, gás, água, telefone, etc.) (“Utilities”)

O total de outros gastos:


• Outras, qualquer outro gasto deste mês que não foi listado acima
Total de gastos
Este valor é deduzido pela soma dos totais dos campos 5 a 13. (Se você completa este formulário no
computador, o arquivo calculará a renda total automaticamente).

BENS:
Um bem é algo que alguém possui e que tem valor. Em termos de contabilidade seriam todas as entradas
em uma planilha de dados que mostram todas as propriedades ou recursos da igreja, tais como contas e
notas a receber, dinheiro, equipamentos, propriedades imobiliárias, etc.
O total das contas de bancos e dinheiro consistem do seguinte:
• Contas correntes = total de todos os saldos em contas correntes, com base no último extrato
bancário.
• Dinheiro miúdo = total de todo dinheiro em mãos.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-15


O total de contas de investimento consiste do seguinte:
• Saldos de contas de poupança = total de todos os saldos de contas de poupança conforme o
último extrato bancário
• Saldos de contas de investimentos = total de todos os saldos de contas de
investimentos, incluindo, certificado de posse de valores, ações, mutual funds, CDs,
etc., conforme o último extrato
Total Furniture, Fixtures or Equipment Acquisitions > $10,000 consists of the following:
All individual capital (including vehicles) purchases and/or donations received this month with a
value greater than $10,000. If original cost/value is not known, please estimate.
(Please submit the following information to the Administrative Resource Center: item
description; purchase/donation date; cost/value; copy of the receipt, invoice or canceled check.
Do not include individual purchases if they are less than $10,000; they are included in the total
other expenses category.)

Total Furniture, Fixtures or Equipment Disposals > $10,000 consists of the following:

All individual capital (including vehicles) purchases and/or donations disposed of this month with
an original cost/value greater than $10,000. If original cost/value is not known please estimate.
(Please submit the following information to the Administrative Resource Center: item description;
purchase/donation date; cost/value.)
Real Property Purchases
Real property purchases are the total value of all church owned land and improvements
(including buildings) based on a cost value. List only the cost value. The ARC must have the
final closing statement to be able to book the property.

Remodel Additions > $50,000 per Project

This includes new improvements and may include replacements (carpets, pews, fences, heating and
air conditioning systems, sprinkler systems, and electrical systems), if they are improvements over
the items replaced).

New Construction and Additions

Include here all expenses reported on a PT-22 during the month. With each PT-22, include a list of
checks with check number, date, amount, and to whom paid, totaling entire project cost to date. If a
single check is $10,000 or more, attach a copy of the invoice or canceled check. If a contractor was
involved, attach a copy of the contract, change orders and/or progress reports. List land
improvements (i.e., parking lots, landscaping) and building improvements separately.

Real Property Disposals


Please send all the closing papers received from the title company.

Total Assets
This is the process for obtaining this figure: add the totals of boxes 15, 16, 17, 19, 20, 21; subtract

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-16


the totals of boxes 18 and 22. (If you complete this form on the computer it will automatically
calculate the total assets.)

L IABILITIES
A liability is an obligation to pay (debt) a definite amount at a definite time in return for a past or
current benefit.

Total Short-term Liabilities


Short-term liabilities are payments owed and payable within the next twelve months.
Examples are accounts payable and outstanding bills ( Foursquare insurance premiums, and
any vendor balances due and payable, etc.).

Total Long-term Liabilities consists of the following:


• Long-term liabilities are amounts owed and payable beyond twelve months. Examples are the
total of all property loan balances, equipment lease agreements, auto loan balances, etc.
• All contracted indebtedness

Total Construction Draws


Include here all construction draw loan proceeds received during the month.

Total Liabilities
This figure is derived by adding the totals of boxes 24, 25 and 26. (If you complete this form on the
computer it will automatically calculate the total liabilities.)
.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-17


INSTRUÇÕES PARA A PÁGINA DE ATIVIDADES
Favor observar que TODOS OS CAMPOS neste relatório devem ter um valor numérico. Se um campo
não for aplicável, favor colocar um zero.
CULTOS NA IGREJA

• Cultos principais—
• Se a igreja tem múltiplos cultos de forma que as crianças e pais participam ao mesmo
tempo, deverão ser somadas a freqüência no santuário e a freqüência na escola dominical
para determinar a freqüência do(s) culto(s) principal(is).
• Se a igreja tem culto único mas tem escola dominical e o culto em horários diferentes de
forma que os indivíduos possam participar tanto da escola dominical quanto do culto, então
apenas a freqüência do culto é incluída na freqüência do(s) culto(s) principal(is).
• Domingo à noite - a média da freqüência semanal de todos os cultos de domingo à noite do mês
• Escola Dominical - a média da freqüência semanal e matrícula de todas as classes de Escola
Dominical durante o mês

FREQUÊNCIA AOS MINISTÉRIOS DA IGREJA


• Crianças – a média semanal de frequência durante o mês, para todas as categorias.
• Ministérios de extensão aparecerão normalmente em “outros”.
• Mocidade – a média semanal de frequência durante o mês para as reuniões de jovens e outras
atividades da mocidade.
• Adultos – a média semanal de frequência durante o mês nas reuniões do ministério de mulheres
e outras atividades.

RESPOSTAS AO MINISTÉRIO
Decisões por Cristo, batismos no Espírito Santo, batismos nas águas, e curas (estes números devem
refletir o total do mês).

ROL DE MEMBROS DA IGREJA


• Total de membros no mês passado – este número é tirado do campo “total de membros” do
relatório do mês anterior (linha 21).
• Novos membros – novos membros que foram incluídos no mês
• Mortes ou remoções – números do mês sendo relatado.
• Total de membros – calcule somando o total de membros do mês anterior aos novos
membros, menos mortes ou remoções [(Linha 18 + Linha 19 – Linha 20 = Linha 21].
• Membros ativos – um membro que, no ano corrente, assinou o livro de membros e/ou
contribuiu para o sustento da igreja e/ou tem frequentado os cultos da igreja.
Para maiores detalhes sobre o rol de membros, favor referir-se à Seção 13.4 do Manual de Operações da Igreja
Quadrangular e Artigo 13.5 Membros no Artigos da Incorporação e Estatutos da Igreja Internacional do Evangelho
Quadrangular

CONSELHO DA IGREJA
Favor responder todas as perguntas e incluir datas.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16A-18


Lista de Conferência dos Indicadores da Igreja Quadrangular
Descrição
A seguinte Lista de Conferência foi adaptada com permissão de recursos originalmente desenvolvidos
pelos funcionários e voluntários da “United Way”, da área de Minneapolis para uso interno de
organizações sem fins lucrativos. A lista não foi concebida para ser usada como um instrumento para
avaliação externa. Ela destina-se a auxiliar as igrejas a obter uma melhor compreensão de suas
necessidades administrativas e/ou melhorarem em suas operações administrativas.Os pastores e
líderes de igreja podem usar a Lista de Conferência com o objetivo de identificar os pontos fortes e os
fracos de sua igreja na área administrativa. Espera-se que o uso constante da lista resulte em Igrejas
Quadrangulares mais eficientes.
Para uma revisão aprofundada da saúde espiritual de uma Igreja Quadrangular, os pastores e líderes
são encorajados a se submeterem a pesquisar o desenvolvimento natural da igreja. Informações sobre
esse recurso podem ser obtidas com o Escritório do Distrito.
A Lista de Conferência inclui as seguintes seções:
Como usar este instrumento Indicadores de Recursos Humanos
Denegações Indicadores de Planejamento
Indicadores legais Indicadores Financeiros
Indicadores de Governo (Diretoria da Igreja)

Como usar este instrumento

A Lista de Conferência dos Indicadores indica o que é necessário para se ter uma igreja saudável e
bem administrada. Porque é um instrumento de auto-avalição, as igrejas devem usá-la para avaliar a si
mesmas honestamente ao lidar com qualquer assunto, e usar o resultado para mudar ou fortalecer suas
operações administrativas.

Qualificações:
Cada indicador está qualificado com base na sua importância para a operação e a efetividade de
qualquer igreja. As qualificações são:

E – Os indicadores qualificados com um “E” são requerimentos essenciais ou básicos às operações


de uma Igreja Quadrangular. Não cumprir as exigências desses indicadores pode colocar a igreja
em risco.

R – Uma qualificação “R” significa que o indicador é recomendado como procedimento-padrão


para igrejas eficientes .

A – Indicadores adicionais que as igrejas podem implementar para aprimorar e fortalecer suas
operações administrativas e atividades são qualificados com “A”.

Respostas à lista de Conferência:


As organizações podem responder de uma destas três maneiras para cada indicador usado:

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-1


1. Precisa melhorar – Assinalar um indicador com “precisa melhorar” implica que já se dedicou trabalho
para que o alvo fosse alcançado, que a organização está consciente da necessidade desse indicador e
está trabalhando para obtê-lo.

2. Alcançado – Marcar um indicador com “Alcançado” demonstra que a organização já sanou uma
necessida básica de administração, no entanto deve rever esse indicador no futuro para ter certeza de que
a sua administração continua saudável tendo em vista as muitas mudanças internas e externas que
constantemente ocorrem em qualquer organização.

3. N/A – O indicador é assinalado com um “N/A” em alguma das seguintes situações:


- indicador não se aplica às operações administrativas da organização;
- a organização não tem certeza da necessidade de cumprir as exigências os requerimentos desse
indicador;
- a organização ainda não alcançou esse indicador nem está dedicando esforços para alcançá-lo, mas
pode vir a fazê-lo no futuro.

Observação: Todas as respostas aos indicadores devem ser revisadas cuidadosamente para se ter certeza de que
elas poderão melhorar as operações administrativas. Os indicadores marcados com “N/A” devido à incerteza de
sua aplicabilidade devem ser revisados em mais detalhes para se determinar se devem tornar-se parte do “modo
de fazer negócios”. Se os avaliadores simplesmente não sabem o que o indicador significa, informações mais
detalhadas podem ser necessárias para avaliar precisamente a praticabilidade desse indicador. Os indicadores
marcados com “N/A” porque ainda não foram alcançados, mas que se aplicam à igreja, podem requerer atenção
imediata. Pode tornar-se necessário obter assistência técnica, consultoria ou treinamento para que esses
indicadores sejam implementados.

Os indicadores, nesta Lista de Conferência, devem ser informativos e estimular a imaginação. A lista pode ser
usada não somente para se alcançar um nível inicial de boa administração mas também para melhorar a
administração existente e produzir na igreja uma maior estabilidade, confiabilidade e sucesso no ministério. Ela
será também um instrumento útil se a igreja estiver atravessando problemas administrativos, para ajudar a
identificar com precisão quaisquer fraquezas e poder-se implementar uma ação ou procurar um auxílio. Todas
as igrejas devem usar a Lista de Conferência para reavaliarem a si mesmas periodicamente, assegurar-se de que
estão se submetendo às leis e regulamentos estipulados e para continuarem a melhorar sua saúde administrativa,
através das sugestões úteis encontradas nos indicadores. OBS: Os itens Qualificações, Respostas às Listas de
Conferência, Precisa melhorar, Alcançado e Observação não podem ter o mesmo destaque de Como usar este
instrumento, porque são subdivisões.

Denegações

Esta Lista de Conferência é projetada para prover informações precisas e oficiais a respeito dos tópicos
cobertos. Os requerimentos legais e não legais de padrões de prática administrativa refletidos aqui são
suscetíveis de mudanças devido a novas legislações, pronunciamentos regulamentais e judiciais, e diretrizes
atualizadas e transformáveis. Todos os requerimentos legais declarados estão em vigor desde 1o de setembro de
1995. Eles são utilizados com o entendimento de que a provisão desta Lista de Conferência não constitui o
suprimento de serviços profissionais em relação a leis, impostos, etc. Se a organização requer assistência
profissional nesses assuntos ou outras questões sobre impostos – no caso de organizações sem fins lucrativos -,
sobre administração ou contabilidade, deve entrar em contato com o seu Escritório Distrital ou com os seus
próprios conselheiros profissionais.
Adaptados dos recursos desenvolvidos pela “United Way”da Área de Minneapolis. Essa informação pode ser copiada. Por favor dê crédito à “United
Way”da Área de Minneapolis. Programa de Assistência Administrativa para Organizações sem Fins Lucrativos, 2233 University Avenue West, Suite 360,
St. Paul, Minesotta, 55114 - (651)647-1216. Não deve ser usado para fins comerciais.Digitado por Carter McNamara, PhD (última revisão em 23 de
fevereiro de 1998).

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-2


INDICADORES LEGAIS

Qualificação* Indicador Alcançad Precisa N/A


Melhorar
E 1. Todos os relatórios mensais, taxa de 10% e ofertas de
missões para a Igreja Quadrangular estão em dia e são
entregues na data certa (Estatutos, Artigo 16.F.6).
E 2. O pedido para aprovação do nome-fantasia da igreja
já foi submetido ao Conselho Nacional da ICFG,
através do Escritório Distrital, e uma carta indicando a
aprovação do Conselho para o uso do nome-fantasia
está nos arquivos da igreja (Estatutos, Artigo 13.3).
E 3. O nome legal da igreja, constando Igreja do
Evangelho Quadrangular em (local), aparece em todas
as placas, nos programas de rádio e televisão, veículos,
artigos de papelaria, nas propagandas e em todos os
materiais de exposição, ou em conexão com todos os
usos similares (Estatutos, Artigo 13.3).
E 4. Os impostos federais e estaduais da folha de
pagamento estão em dia.
E 5. Os relatórios de entrega trimestral e anual da folha de
pagamento estão em dia.
E 6. A igreja reconhece e comunica ao seu escritório
distrital e ao Conselho local qualquer ação judicial ou
legislação pendente que possa ter um impacto
significante nas suas finanças e/ou na sua efetividade.
E 7. Quando o Conselho da igreja toma decisões, um
“quorum” está presente, juntamente com o pastor
titular, e são elaboradas atas corretas.
E 8. As entregas e os pagamentos estaduais ou locais
estão em dia (no caso de a igreja ter qualquer renda
relacionada a negócios sujeitos a impostos de vendas).
E 9. As igrejas que participam em movimentos de
cidadãos ou que fazem “lobby” diretamente têm
obedecido a todos os regulamentos e regras
governamentais.

* Graduação dos indicadores: E=essencial; R=recomendado; A=adicional para reforçar as atividades da igreja.
Adaptados dos recursos desenvolvidos pela “United Way”da Área de Minneapolis. Usado com permissão.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-3


INDICADORES GOVERNAMENTAIS

Qualificação* Indicador Alcançado Precisa N/A


Melhorar
E 1. Os papéis do Conselho da igreja e do pastor titular
são definidos e respeitados, sendo o pastor titular
considerado oficial executivo da igreja. O Conselho
se concentra na integridade fiscal da igreja e na
transação de outros negócios do gênero, conforme
seja requerido (Ver Estatutos, Artigos 14 e 16).
E 2.O processo de nomeação do Conselho da igreja
assegura que o Conselho permanece
apropriadamente diverso no que diz respeito a sexo,
etnia, cultura, posição econômica, defeitos físicos ou
de outra natureza, e habilidades e/ou especialidades.
E 3. Os membros do Conselho da igreja recebem
treinamento regular e informações sobre suas
responsabilidades.
E 4. Os novos membros do Conselho são voltados à
igreja, inclusive a visão, a missão, valores,
estatutos, procedimentos e programas da igreja,
assim como os seus respectivos papéis e
responsabilidades como membros do Conselho.
Além disso, os membros do Conselho devem estar
informados dos relacionamentos e da participação
denominacional, distrital e divisional.
E 5. A organização do Conselho está documentada
com uma descrição do Conselho e das
responsabilidades do respectivo comitê.
E 6. Se os membros do conselho tem qualquer tipo de
negócio entre si e suas famílias, isto foi comunicado
ao Conselho da igreja, ao pastor e ao supervisor.
E 7. A igreja tem pelo menos o número mínimo de
membros no conselho de acordo com o requerido
pelo estatuto. (Estatuto, Artigo 16.1.A).
R 8. Cada membro do conselho recebe uma cópia
atualizada do Estatuto da Igreja e o conselho da
igreja periodicamente examina o mesmo.
R 9. O conselho tem um procedimento para cuidar de
assuntos urgentes no período entre as reuniões.
E 10.Os membros do conselho não recebem
pagamentos a não ser nos casos de reembolso.
R 11.A igreja mantém uma política de conflitos de
interesses e os membros do
conselho e equipe de trabalho a examinam e/ou
assinam como sinal de concordância com a mesma.

* Graduação dos indicadores: E=essencial; R=recomendado; A=adicional para reforçar as atividades da igreja.
Adaptados dos recursos desenvolvidos pela “United Way”da Área de Minneapolis. Usado com permissão.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-4


INDICADORES GOVERNAMENTAIS (continuação)

Qualificação* Indicador Alcançado Precisa N/A


Melhorar
R 12.O conselho tem um calendário anual das reuniões.
O conselho tem, também, uma política que define o
quorum necessário para realizar as reuniões mensais.
R 13.As reuniões têm uma agenda, por escrito, e os
materiais relevantes para a tomada de decisão é
distribuido aos membros do conselho, antes da
reunião.
R 14.O conselho tem normas escritas proibindo
empregados da igreja e seus familiares imediatos de
fazerem parte do conselho.

* Graduação dos indicadores: E=essencial; R=recomendado; A=adicional para reforçar as atividades da igreja.
Adaptados dos recursos desenvolvidos pela “United Way”da Área de Minneapolis. Usado com permissão.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-5


INDICADORES DE RECURSOS HUMANOS EM GERAL

Qualificação* Indicador Alcançado Precisa N/A


Melhorar
E 1. A igreja tem um manual/código de procedimentos de
pessoal, escrito, que é regularmente revisado e
atualizado para: a) descrever o recrutamento, a
contratação, a dispensa e as regras de trabalho padrão
para todos os funcionários; b) manter a conformidade
com os regulamentos do governo, incluindo o Ato de
Padrões Justos de Trabalho, o Ato de Oportunidades
Iguais de Trabalho, o Ato de Americanos Incapacitados,
o Ato de Saúde Ocupacional e Segurança, o Ato de
Licença de Família, o Plano de Ação Afirmativa, etc.
E 2. A igreja tem um processo de triagem para checar a
experiência de todos os interessados em posições
empregatícias ou como voluntários na igreja.
E 3. A igreja segue práticas de contratação não-
discriminatórias, conforme apropriado para organizações
religiosas.
R 4. A igreja provê uma cópia dos procedimentos de
pessoal para todos os membros do Conselho, e todos os
funcionários, e permite o acesso a esses documentos.
Todos os funcionários declaram por escrito que leram o
manual do pessoal e procedimentos e têm acesso a ele.
R 5. A igreja tem descrições de cargos, incluindo as
qualificações, funções, relacionamentos de supervisão e
indicadores importantes.
R 6. O Conselho da igreja conduz anualmente uma
revisão/avaliação do seu pastor titular, comparando a
atuação deste com um conjunto de expectativas
previamente determinado.
R 7. O salário do pastor titular é estabelecido pelo
Conselho da igreja em um processo razoável e está em
conformidade com o plano de compensação e orçamento
da igreja (Estatutos, Artigo 14.5, 16.F.9).
A 8. O Conselho da igreja estabeleceu um programa de
aposentadoria para o pastor, conforme o orçamento da
igreja permite (Estatutos, Artigo 16.F.10).
R 9. A igreja requer que avaliações de desempenho dos
empregados sejam feitas e documentadas pelo menos
anualmente.
A 10. A igreja tem um plano de compensação e faz
periodicamente uma revisão das faixas salariais e dos
benefícios de todos os empregados.
A 11. A igreja tem um processo ágil para preencher vagas
de empregados, a fim de evitar a interrupção de
ministérios ou uma ruptura nas operações.

* Graduação dos indicadores: E=essencial; R=recomendado; A=adicional para reforçar as atividades da igreja.
Adaptados dos recursos desenvolvidos pela “United Way”da Área de Minneapolis. Usado com permissão.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-6


INDICADORES DE RECURSOS HUMANOS EM GERAL (continuação)

Qualificação* Indicador Alcançado Precisa N/A


Melhorar
A 12. A igreja tem um processo para rever
idéias, sugestões, comentários e percepções
de todos os empregados e responder a tudo
isso
A 13. A igreja provê oportunidades para o
desenvolvimento e o treinamento de
empregados e voluntários dentro da sua
área de atuação profissional e também em
outras áreas, como habilidades de
ministério e desenvolvimento pessoal.
A 14. A igreja mantém os arquivos em dia,
documentando o tempo gasto pelos
empregados em programações feitas em
locais externos.

* Graduação dos indicadores: E=essencial; R=recomendado; A=adicional para reforçar as atividades da igreja.
Adaptados dos recursos desenvolvidos pela “United Way”da Área de Minneapolis. Usado com permissão.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-7


INDICADORES DE RECURSOS HUMANOS DE VOLUNTÁRIOS

Qualificação* Indicador Alcançado Precisa N/A


Melhorar
E 1. A igreja tem uma definição clara das funções que os
voluntários têm dentro do ministério da igreja.
E 2. Há descrições de trabalho para todas as posições de
voluntários na igreja.
E 3. A igreja tem um plano de gerenciamento bem definido, o
qual é comunicado a todos os voluntários, e inclui os
procedimentos de recrutamento, descrição de todos os
trabalhos voluntários, um processo de inscrições e
entrevistas, possível estipêndio e política de reembolsos,
declaração de qual empregado tem a responsabilidade de
supervisionar quais voluntários, e qualquer outra
informação de política de pessoal voluntário.
R 4. A igreja segue um procedimento de recrutamento que
não discrimina, mas respeita, encoraja e representa a
diversidade da comunidade.
E 5. A igreja provê treinamento e orientação apropriados
(ex.: sobre a sua visão, valores, missões, políticas, etc.) para
auxiliar os voluntários no desempenho de suas atividades.
São oferecidos treinamentos para os voluntários com os
empregados, em áreas tais como: necessidades de cada
faixa etária, políticas da igreja, requerimentos legais, uso do
equipamento da igreja e veículos, etc.
R 6. A igreja respeita as habilidades dos voluntários e seu
tempo disponível e tem várias funções de trabalho para
utilizá-los. Os trabalhos não devem ser dados aos
voluntários simplesmente por serem trabalhos
considerados inferiores para os empregados assalariados.
R 7. A igreja faz avaliações periódicas do desempenho dos
voluntários e comunica-lhes como está a atuação destes e
onde alguma atenção adicional é necessária. Ao mesmo
tempo, pede que os voluntários avaliem e revisem o seu
envolvimento na igreja e com as pessoas com quem
trabalham e que indiquem áreas que precisam de melhoria.

A 8. A igreja faz algum tipo de reconhecimento ou


comendação para os voluntários periodicamente, e os
empregados continuamente demonstram a sua apreciação
para com os voluntários e seus esforços.
A 9. A igreja tem um processo para rever idéias, sugestões,
comentários e percepção de todos os voluntários bem como
para responder a tudo isso.
A 10. A igreja provê oportunidades para que os membros se
tornem trabalhadores voluntários.

* Graduação dos indicadores: E=essencial; R=recomendado; A=adicional para reforçar as atividades da igreja.
Adaptados dos recursos desenvolvidos pela “United Way”da Área de Minneapolis. Usado com permissão.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-8


INDICADORES DE PLANEJAMENTO

Qualificação* Indicador Alcançado Precisa N/A


Melhorar
E 1. Os propósitos e atividades da igreja estão alinhados
com as Escrituras, as doutrinas e estatutos
quadrangulares e suprem as necessidades da
comunidade.
R 2. Pedindo informações aos membros e à comunidade,
a igreja freqüentemente avalia se sua missão e suas
atividades provêem benefícios a seus membros e à
comunidade.
R 3. A igreja tem uma declaração dos seus valores
fundamentais, que está refletida em seus ministérios e
atividades e é comunicada aos seus membros.
R 4. A declaração dos valores fundamentais da igreja
inclui os valores bíblicos, espirituais e
denominacionais, que ela considera não negociáveis.
E 5. A organização tem uma declaração de missão
escrita clara e significativamente, a qual reflete o seu
propósito, seus valores, seu grupo-alvo para
ministério e diz como a igreja pretende cumprir com a
sua missão.
R 6. O pastor titular, os empregados e a liderança da
igreja periodicamente revêem a declaração de missão
e a modificam, para que refleta as mudanças na igreja
e na comunidade.
E 7. O pastor titular, os empregados e a liderança da
igreja elaboraram por escrito e adotaram um plano
estratégico para cumprir a missão da igreja.
A 8. O pastor titular, os empregados a liderança , os
voluntários e os membros da igreja em geral
participam do processo de planejamento.
E 9. O plano foi desenvolvido pesquisando-se as
necessidades internas e externas do grupo-alvo de
ministério.
R 10. O plano identifica as necessidades da comunidade
em mudança, incluindo os pontos fortes, os fracos, as
oportunidades e as ameaças.
R 11. O processo de planejamento identifica os assuntos
críticos que a igreja enfrenta.
R 12. O plano coloca alvos e objetivos mensuráveis que
lidam com esses assuntos críticos.
E 13. O plano integra todas as atividades da igreja em
torno da missão por ela definida.
R 14. O plano prioriza os alvos da igreja e desenvolve
uma programação de datas para a realização destes.

* Graduação dos indicadores: E=essencial; R=recomendado; A=adicional para reforçar as atividades da igreja.
Adaptados dos recursos desenvolvidos pela “United Way”da Área de Minneapolis. Usado com permissão.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-9


INDICADORES DE PLANEJAMENTO (continuação)

Qualificação* Indicador Alcançado Precisa N/A


Melhorar
A 15. O plano estabelece um processo de
avaliação e indicadores de performance
para medir o progresso rumo ao
cumprimento dos alvos e objetivos.
R 16. Através de planos de trabalho,
recursos humanos e financeiros são
alocados para assegurar o cumprimento
dos alvos de maneira adequada.
A 17. O plano é comunicado a toda a igreja
– o Conselho, os empregados, os
voluntários e os membros em geral.

* Graduação dos indicadores: E=essencial; R=recomendado; A=adicional para reforçar as atividades da igreja.
Adaptados dos recursos desenvolvidos pela “United Way”da Área de Minneapolis. Usado com permissão.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-10


INDICADORES FINANCEIROS

Qualificação* Indicador Alcançado Precisa N/A


Melhorar
E 1. The church follows accounting practices which
conform to generally accepted accounting principles
and to standards established for Foursquare
churches.
E 2. A igreja tem sistemas estabelecidos para providenciar
as informações apropriadas que os empregados e o
Conselho precisam para tomar decisões financeiras
corretas e para cumprir os Estatutos (Artigo 16.F.1-3) e
os requerimentos do Internal Revenue Service
(Secretaria da Receita Federal).
E 3. A igreja prepara relatórios financeiros mensais,
incluindo o Relatório Mensal Quadrangular, e pode
incluir uma Folha de Balanço e um Extrato de Entradas e
Saídas, muito úteis para o Conselho e os empregados.
R 4. A igreja prepara relatórios financeiros a partir de um
orçamento, em vez de fazê-lo numa base real e/ou
comparativa, para alcançar uma melhor compreensão
para as suas finanças.
E 5. A igreja desenvolve anualmente um orçamento
operacional abrangente, que inclui os custos para todos
os ministérios, para a administração, e todas as fontes de
entradas. Esse orçamento é revisado e aprovado pelo
Conselho.
R 6. A igreja monitora os custos dos ministérios através da
documentação dos horários dos empregados e de gastos
diretos.
R 7. A igreja prepara projeções de fluxo de caixa.
R 8. A igreja periodicamente prevê entradas de final de ano
e gastos para auxiliar a tomada de decisões
administrativas sólidas durante o ano.
E 9. A igreja reconcilia todas as contas mensalmente.
E 10. A igreja tem um processo de revisão para monitorar
se está recebendo informações financeiras apropriadas e
apuradas, quer seja de um serviço contratado ou de um
processamento interno.
E 11. Se a igreja tem contratos de aluguel ou outra renda
de serviços, há procedimentos estabelecidos para
cobranças periódicas, acompanhamento e coleta de todas
as contas, e tem a documentação que substancia todas as
cobranças.
E 12. A folha de pagamento é preparada seguindo os
regulamentos e as políticas organizacionais apropriados,
nos níveis estadual e federal.

* Graduação dos indicadores: E=essencial; R=recomendado; A=adicional para reforçar as atividades da igreja.
Adaptados dos recursos desenvolvidos pela “United Way”da Área de Minneapolis. Usado com permissão

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-11


INDICADORES FINANCEIROS (continuação)

Qualificação* Indicador Alcançado Precisa N/A


Melhorar
E 13. As pessoas empregadas com base contratual
cumprem todas as exigências legais para essa forma de
emprego. Os relatórios de gastos são mantidos, para que
os formulários 1099 possam ser emitidos no final do ano.
E 14. As igrejas que compram e vendem mercadoria
levantam inventários periodicamente para monitorar o
inventário contra roubo, para reconciliar as informações
dos registros gerais e para manter um nível adequado de
inventário.
R 15. A igreja tem uma política fiscal por escrito, assim
como um manual de procedimentos, e segue ambos.
E 16. A igreja tem documentado um conjunto de controles
internos, incluindo o manuseio de dinheiro e depósitos,
aprovação sobre gastos e pagamentos.
E 17. A igreja tem um política que identifica os signatários
autorizados de cheques e o número de assinaturas
requerido nos cheques (três ou mais signatários são
exigidos em todas as contas financeiras das Igrejas
Quadrangulares, sendo duas assinaturas exigidas em
todos os cheques e/ou boletos de depósito).
E 18. Todos os gastos da igreja são aprovados pelo
Conselho e/ou por uma pessoa designada, antes que o
pagamento seja feito.
R 19. A igreja tem aprovação do Conselho Nacional da
ICFG para fazer investimentos em ações e/ou obrigações
e já recebeu aprovação para a venda de ações ou
obrigações doadas para a igreja.
R 20. As necessidades de capital são revisadas pelo menos
uma vez por ano e as prioridades são estabelecidas.
R 21. A igreja estabeleceu um plano de ação a ser
desenvolvido no caso de uma redução ou perda de
fundos.
R 22. A igreja estabeleceu um plano de ação a ser
desenvolvido no caso de uma redução ou perda de
fundos.
E 23. A igreja tem uma cobertura de seguro apropriada,
que é periodicamente revista para assegurar que níveis e
tipos de cobertura estejam estabelecidos. (Ver já
Estatutos, Artigo 17.6)
R 24. Os empregados, o Conselho da igreja, os membros e
os voluntários que manuseiam dinheiro e investimentos
são cobertos por seguro, para ajudar a assegurar a guarda
do patrimônio.

* Graduação dos indicadores: E=essencial; R=recomendado; A=adicional para reforçar as atividades da igreja.
Adaptados dos recursos desenvolvidos pela “United Way”da Área de Minneapolis. Usado com permissão

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-12


INDICADORES FINANCEIROS (continuação)

Qualificação* Indicador Alcançado Precisa N/A


Melhorar
R 25. A igreja revisa as entradas anualmente para
determinar e declarar ao IRS as rendas de
negócios não relacionados ao ministério.
A 26. A igreja tem uma auditoria independente dos
seus relatórios financeiros, preparada
periodicamente por um contador público
certificado (por ex.: a cada três a cinco anos).
A 27. Além da auditoria, o contador prepara uma
carta administrativa contendo recomendações para
melhorias nas operações financeiras da igreja.
A 28. O Conselho da Igreja, ou o comitê apropriado,
é responsável por procurar propostas, entrevistar
auditores e contratar um para a igreja.
A 29. O Conselho da Igreja, ou o comitê apropriado,
revê e aprova o relatório de auditoria e a carta
administrativa e, com a ajuda e o suporte dos
empregados, institui as mudanças necessárias.
E 30. A auditoria, ou o relatório anual preparado
pela igreja, que inclui relatórios financeiros, é
colocado à disposição dos membros, voluntários,
contribuidores e outras pessoas interessadas.
A 31. Treinamento sobre tópicos relevantes de
contabilidade é proporcionado aos membros do
Conselho e aos empregados ligados a essa área, e
todas as pessoas da área são encorajadas a
participar desse treinamento.

* Graduação dos indicadores: E=essencial; R=recomendado; A=adicional para reforçar as atividades da igreja.
Adaptados dos recursos desenvolvidos pela “United Way”da Área de Minneapolis. Usado com permissão

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-13


LISTA DAS COISAS ADMINISTRATIVAS A FAZER
Esta lista das responsabilidades administrativas serve para ajudar os pastores quadrangulares a
controlarem os vários detalhes administrativos que estão sob a sua responsabilidade. Recomenda-se
que o pastor delegue o máximo possível dessas tarefas para outras pessoas na igreja e que as treine
quanto às suas obrigações e aos requisitos para preencherem cada responsabilidade. Cópia dessas
páginas devem ser guardadas no escritório da igreja e periodicamente deve-se conferir se cada item
está sendo cumprido.
Lista Semanal das coisas por fazer

• Relatório de freqüência de cada culto, aula ou reunião especial feitos pela igreja;

• Relatório das ofertas recebidas, separadas por categoria (dízimos, ofertas, ofertas especiais,
Escola Dominical e outras);

• Recibo de depósito de todas as entradas feitas na conta bancária da igreja.


Lista mensal das coisas para fazer

• Pagamento de todas as contas incluindo-se financiamentos, aluguéis, seguro, contratos de


serviço, equipamento e suprimentos. Depois que todas as contas da igreja estiverem pagas, os
salários do pastor e dos demais funcionários remunerados devem ser pagos com o saldo
(Estatutos, Artigo 14.5).

• Se a igreja tiver funcionários e uma retenção de imposto trimestral superior a 500 dólares, deve
mencionar o valor do imposto a cada mês junto com o formulário Federal Tax Deposit Coupon
– FTD Coupon #8109 - e a ficha de depósito na sua conta bancária até o dia 15 do mês
seguinte. (Ver a Circular do Imposto de Renda E-Employer’s Tax Guide and Employer’s
Suplemental Tax Guide.) Para solicitar cupons ou o formulário de Tax Guide, ligue para (800)
829-1040. Essas orientações se aplicam também para as escolas e pré-escolas, assim como para
qualquer outro ministério da igreja que pague salários. Informe o departamento de trabalho de
seu Estado sempre que admitir um novo funcionário.

• Relatório mensal da igreja – preparar e dar entrada no sistema Ezra.


o Para saber a média de freqüência aos cultos, faça a soma da freqüência de todos os
cultos e divida o total pelo número de cultos. Coloque o número obtido na linha
apropriada.
o Faça a soma de todas as entradas da igreja do mês anterior e coloque os valores nas
linhas apropriadas. (Na linha 1, dízimos e ofertas; na linha 2, todas as outras entradas).
o Colocar compras ou doações de móveis e equipamentos com um custo ou valor de
doação individual de $10,000 ou mais. Anexe uma cópia da fatura de compra ou cheque
compensado.
o Colocar todas as aquisições imobiliárias, todas as novas construções, e projetos de
reforma com um custo total de $50,000 ou mais. Anexe uma lista detalhada de todos os
pagamentos feitos incluindo data do cheque, número do cheque, beneficiário, descrição
de pagamento e valor do cheque. Para cada pagamento de $10,000 ou mais, anexe cópia
da(s) fatura(s) pagas ou cheque cancelado.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-14


LISTA DAS COISAS ADMINISTRATIVAS A FAZER (continuação)

• Envie o cheque do dízimo Quadrangular mensalmente ao ICFG.

• Envie o cheque de missões Quadrangulares mensalmente ao ICFG.

• Obtenha um relatório policial a respeito do passado de todos os que irão trabalhar com crianças
e jovens.

• Faça uma lista de todas as músicas novas acrescentadas ao louvor no mês anterior e que são
controladas pelos Direitos Autorais Cristãos Internacionais (Christian Copyright Licensing
Internation –CCLI).
Lista trimestral das coisas por fazer

• Se a igreja tem funcionários que não fazem parte do ministério, ou faz a retenção para
pagamento de imposto de renda de pastores e não deposita a quantia retida mensalmente, o
imposto terá que ser pago trimestralmente e o valor deverá ser enviado ao IRS juntamente
com o Formulário 941 preenchido.
• Complete and return the Workers’ Compensation audit form to the insurance department and
attach the 941 form if applicable. Workers’ Compensation coverage is not optional for pastors,
whether they receive a salary or not.

Lista semestral das coisas por fazer


Cuide para que o equipamento de prevenção de incêndio (sistema de irrigação, extintores de incêndio e
sistema elétrico de saídas) seja inspecionado, e consertado, quando necessário.
Lista anual das coisas a fazer

• Completar e devolver o relatório anual de propriedade que a ICFG requer, registrando o


seguinte:
o Compra ou doação de móveis e equipamentos com um custo ou valor de doação de
$10,000 ou mais
o Compra ou doação de propriedade
o Novos projetos de construção (inclui prédios recém construídos ou qualquer anexo de
edifício para qualquer prédio já existente)
o Projetos de reforma (inclui mudanças à estrutura de prédios existentes e/ou ar
condicionado) com um custo de $50,000 ou mais

• Complete o formulário W-2, para cada um dos ministros e outros empregados que não fazem
parte do ministério, e o formulário 1099, para cada um dos autônomos (incluindo
evangelistas, músicos e outros convidados que tenham recebido $600.00 ou mais da igreja
durante o ano anterior), e entregue, até o dia 31 de janeiro de cada ano o formulário preenchido
a cada um deles, incluindo os empreiteiros independentes. Além disso, prepare o formulário
1099-INT até o dia 31 de janeiro para todas as pessoas que no ano anterior tenham recebido
$600.00 ou mais de juros.

• Entregue a “Cópia A” da Administração da Seguridade Social de cada formulário W-2 a cada


um dos empregados, junto com o formulário W-3, até 28 de fevereiro.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-15


LISTA DAS COISAS ADMINISTRATIVAS A FAZER (continuação)

• Entregue a “Cópia A” do Imposto de Renda de cada formulário 1099-MISC emitido para cada
autônomo, juntamente com o formulário 1096, até 28 de fevereiro.

• Examine a cobertura de seguro da igreja, para verificar se os valores cobrem a reposição do


prédio, dos móveis e equipamentos da igreja.

• Faça um seminário anual sobre segurança com toda a equipe de trabalho (assalariados e
voluntários), revendo os procedimentos de segurança para o uso dos veículos equipamentos e
dependências da igreja.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-16


GENERAL CHART OF ACCOUNTS
(RECOMMENDED STANDARD FOR USE WITH QUICKBOOKS)

What follows is commonly called a chart of accounts. This is an accounting system that allows for the
categorization of assets (income) and liabilities (expenses). If you are not familiar with general
accounting principles, known as GAP, this may look a little strange. However, you will find it easy to
navigate with just a little practice. This system will also help you in running reports to monitor
spending and adjusting your annual budget. In the event that you want to have your books audited for
eligibility for grants or loans, this will make your audit quite smooth.

When running reports for the church council and/or the congregation’s annual meeting, you can simply
leave the numerical distinctions out and use the words for clarity of income and expenses.

ASSETS

1000 Checking account


1010 Savings account

1500 Building
1501 Building: Accum. dep.

1520 Sound equipment


1521 Accum. dep.
1530 Computers/Printers
1531 Accum. dep.
1540 Copiers/fax
1541 Accum. dep.
1550 School computers
1551 Accum. dep.
1580 School copiers/fax
1581 Accum. dep.

1600 Church vehicles


1601 Accum. dep.
1620 School vehicles
1621 Accum. dep.

************************************************************************
LIABILITIES

2200 Federal payroll tax


2210 Social Security tax
2211 Medicare tax
2220 State payroll tax

************************************************************************

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-17


Revenues/Support

Church

4000 Tithes/offerings
4001 Special offering
4010 Missions offerings
4020 Retreat/conferences
4030 Benevolence
4040 Building fund

School

4200 Tuition
4210 Late payment fees
4211 Late pick-up fees
4212 Returned check fees
4213 Collections fees
4220 Lunch money
4230 Field trips
4240 Registration fees
4250 Curriculum fees
4260 Uniforms (T-shirts)

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-18


Expenses

Facility

Church

5000 Maintenance
5001 Permits and related fees
5010 Cleaning supplies
5020 Equipment
5030 Repairs
5040 Utilities
5041 Electricity
5042 Natural gas
5043 Water/sewer
5044 Heating oil

School

5050 Maintenance
5051 Permits and related fees
5060 Cleaning supplies
5070 Repairs
5080 Utilities
5081 Electricity
5082 Natural gas
5083 Water/sewer
5084 Heating oil

Ministry

5200 Sunday supplies


5201 Offering envelopes
5202 Bulletins/bulletin inserts
5203 Visitors’ packets
5204 New believers’ packets
5205 Sunday fellowship/hospitality
5206 Communion
5207 Bibles
5210 Honorariums for guest speakers
5211 Hotel/hospitality for guest speakers
5240 Christian education
5241 Curriculum
5242 Supplies/snacks
5300 Outreach
9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-19
5310 General evangelism
5320 Community outreaches
5330 Benevolence
5331 Church members
5332 Non-members
5340 Visitors
5400 Youth
5410 Jr. youth group
5420 Youth group
5430 U-Turn

Administration

Church

6000 Salaries
6001 Senior pastor
6002 Assisting ministers
6003 Secretaries/receptionists/bookkeepers
6004 Maintenance staff
6010 Equipment
6020 Office supplies
6021 Postage
6030 Telephone
6031 Office phones
6032 Cell phones
6033 Conference calls
6040 Technology
6041 Software
6042 Internet usage
6043 Server
6044 Software licenses/renewals/fees
6100 Benefits
6110 Medical insurance
6120 Housing
6130 Utilities
6140 Car repairs/gasoline/insurance
6150 Retirement

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-20


School

6200 Salaries
6201 Director
6202 Teachers/aides
6203 Secretaries/receptionists/bookkeepers
6204 Maintenance staff
6220 Office supplies
6240 Telephone
6241 Cell phones
6242 Advertising/phone book
6300 Benefits
6310 Medical insurance
6400 Curriculum/supplies
6401 Books/non-consumables
6402 Consumables
6403 Computer software/educational
6440 Extra-curricular supplies
6441 Art supplies
6442 Music supplies
6443 Gym supplies
6400 Equipment
6410 Classrooms
6411 Desks/chairs/tables
6450 Offices
6451 Copiers/faxes
6452 Laminators/binding machines

Parsonage

6600 Housing
6610 Maintenance
6611 Repairs
6612 Permits and related fees
6620 Utilities
6621 Electricity
6622 Telephone
6623 Natural gas
6624 Water/sewer

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-21


Vehicles

6700 Church vehicles


6701 Registration/license plates/annual fees
6710 Repairs and maintenance
6720 Gasoline/fuel
6730 Insurance

6800 School vehicles


6801 Registration/license plates/annual fees
6810 Repairs and maintenance
6820 Gasoline/fuel
6830 Insurance

Insurance

6900 Insurance
6910 Liability insurance
6920 Property insurance
6930 Workers’ Compensation insurance

Taxes

7000 Taxes
7050 Federal payroll taxes
7100 State payroll taxes
7150 Social Security taxes
7200 Medicare taxes

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-22


Recursos para Administrar o Ministério
Financeiros
Church and Clergy Tax Guide - (Guia de Impostos para Igreja e Clérigos), Richard R. Hammar, Christian
Ministry Resources, P.O. Box 1098, Matthews, NC 28106, (704) 841-8066, atualizado anualmente.

Church Nonprofit Organization Tax & Financial Guide – (Guia Financeiro e de Organização de
Impostos para Igrejas e Instituições sem Fins Lucrativos), Daniel Busby, Zondervan, atualizado
anualmente.
Church Treasurer Alert! – (Alerta para o Tesoureiro da Igreja!), Publicação mensal designada a dar
informação acurada e correta com relação às finanças da igreja. Publicada por Christian Ministry Resources,
P.O. Box 1098, Matthews, NC 28106, (704) 841-8066.
Clergy Finance & Tax – (Finanças e Impostos de Clérigos). Um compêndio semestral de dicas sobre
finanças e impostos para ministros. Publicado por Ministers Life Resources, 400 Robert St. North, St. Paul.
MN 55101-2098, (800) 328-6124.
International Foursquare Loan Fund (IFLF) – (Fundo Quadrangular de Empréstimos Internacional).
Estabelecido para fazer empréstimos de menos de $150,000 às igrejas Quadrangulares para habilitá-las a
comprar propriedades fazer melhorias ou renovar suas instalações. Os juros atualmente cobrados pelos
empréstimos no momento desta publicação são de 9.75%. O IFLF é fundado por depósitos de poupança das
igrejas Quadrangulares. As contas de poupanças atualmente pagam 7% por ano. International Foursquare
Loan Fund, P.O. Box 26902, Los Angeles, CA 90026-3282, (213) 484-2400 ext. 234.

Ministers Tax & Financial Guide - (Guia Financeiro e de Impostos para Ministros), Daniel
Busby, Zondervan, atualizado anualmente.

Pastor, Church & Law - (Pastor, Igreja e Lei), Richard R. Hammar, Christian Ministry
Resources, 1991.
Pastor's Tax & Money – (Os Impostos e o Dinheiro do Pastor). Boletim mensal reportando os últimos
desenvolvimentos sobre dinheiro dos clérigos e da igreja e sua administração. Publicado por Pastor's Tax &
Money, P.O. Box 50188, Indianapolis, IN 46250-0188.

Legal
Church Law & Tax Report – (Lei da Igreja e Reportagem sobre Impostos). Uma resenha dos
desenvolvimentos legais e de impostos que afetam ministros e igrejas. Também cobre uma vasta gama
de reportagens e fitas cassete sobre assuntos legais e de impostos que interessam a pastores e igrejas.
Publicado bimestralmente por Christian Ministry Resources, P.O. Box 1098, Matthews, NC 28106,
(704) 841-8066.

Administração

Boardroom Confidence – (Confiança na Sala da Diretoria). Ajuda prática e a fundo para membros do
conselho de todos os tipos – desde os executivos de corporações até o líder de igreja. Idéias para
maximizar as reuniões da diretoria, melhorar tomadas de decisões, etc. Bob Biehl & Ted Engstrom.
Questar Publishers, Inc., 1988.

Christian Management Association – (Associação de Administração Cristã). Uma organização profissional


que dá recursos e treinamento para ajudar os líderes a administrar organizações cristãs e igrejas mais
efetivamente. CMA, P.O. Box 4638, Diamond Bar, CA 91765, (909) 861-8861.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16B-23


16C SAMPLE FINANCIAL POLICY MANUAL

The Management of Monies

It is hereby established that (Legal Name) Foursquare Gospel Church, herein known as (insert slogan
name), will have, for the purposes of conducting business, one checking account into which all funds
collected shall be deposited as soon as possible after offerings have been received (16.1, F1.1). This
checking account will contain multiple funds, which shall have an accurate accounting on forms apart
from the check registry where all checks and deposits are recorded.

NOTE: It is unwise to establish multiple checking accounts for the purpose of managing funds. This
system actually creates a lack of accountability and greater chance for mismanagement. Each church
should have one checking account, using business checks and not personal type checks, into which all
monies should be deposited.

According to the bylaws of the International Church of the Foursquare Gospel (16.1, F 1.3 and 1.4),
each check issued by ________ Foursquare Gospel Church shall require two signatures. Every check
shall have the signature of 1) the senior pastor (or his designate in the event an administrative or
executive pastor is part of the pastoral staff with such duties assigned to him), or 2) the church
treasurer.

It shall be further established that the church treasurer will work at the pleasure of the church council
as per the bylaws of the International Church of the Foursquare Gospel (16.5, A-H) with oversight by
the senior pastor or his pastoral staff designate, i.e. an administrative or executive pastor, so that, in
keeping with said bylaws, the financial decision-making will rest within the church council.

All church indebtedness shall be settled from this account, and all check registries, either paper or
electronic, shall be kept as a part of the permanent records of the church. Cancelled checks, or their
images provided by the bank, shall be kept not less than 7 years; after such time they may be disposed
of by shredding. In the event that a petty cash fund is established for minimal purchases or the paying
of day laborers, funds to establish said petty cash fund, and all reimbursements to the petty cash fund,
shall come by way of a check drawn from this account.

The church council may, for the purpose of gaining interest or for the more appropriate management of
monies, establish a savings account through a local bank or transfer funds into the church’s account
with the International Foursquare Loan Fund (IFLF).

Let it be further established that the church council, with the church treasurer and the senior pastor, or
his designate, will establish an annual budget to be approved on or before December 1 of each fiscal
year which will run from January 1 to December 31 in accordance with the policies set forth by the
International Church of the Foursquare Gospel. In the event that the church income is drastically
altered, a review of the annual budget will be performed at any time as deemed necessary.

The church council will review the salaries of all employees on an annual basis no later than the
meeting occurring during the month of November. During the December meeting of the church
council, all salaries, whether altered for the coming year or not, shall be presented and approved in the
minutes. Alterations in salary or benefits shall be made at the direction of the church council and

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-1


based on the availability of church funds and the needs of personnel. When evaluating church salaries,
it is essential that ALL salaries (*) fall within 40% of the total income of the church from tithes and
offerings only; additional church income shall not be included in this figure. (EXAMPLE: If the total
income from tithes and offerings for the preceding year is $100,000.00, the total of ALL salaries and
benefits should not exceed $40,000.00)

NOTE: When the church is free from all indebtedness, the 40% rule may be edged up a few
percentage points, but wisdom is such that salaries should always fall within 40% of the income from
tithes and offerings.

NOTE: For audit purposes, and for IRS purposes, ALL salaries must be approved BEFORE the first
paycheck of the year is written. This is most essential when dealing with a pastor’s housing
allowance. It is for that reason that salaries MUST be reviewed and approved prior to January 1 of the
year in which the salary is to be paid. The church council minutes provide the only real proof to a
pastor’s housing allowance, so there MUST be an accurate accounting.

(*) Salaries shall be understood to include any monies paid to pastors, assistants, accountants,
administrators, secretaries, directors of music or Christian education, or any other person(s)
receiving regular compensation for work completed.

This rule shall exclude any monies paid to day laborers, repairmen or guest speakers.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-2


General Fund Disbursement Policy during Financial Emergencies

In time of general church financial emergency, unless otherwise directed by the church council,
monies from the general fund shall be disbursed to relieve church indebtedness in the following order:

1. Tithe
2. Loans and leases
3. Other current and past due church financial obligations
4. Salaries
Staff
Pastor

A financial emergency shall be defined as any time the church budget has fallen short for three
consecutive months and all non-designated funds have been disbursed with indebtedness remaining.
At such time, the offerings for the next month will be disbursed in the order outlined above, and an
attempt to reestablish the church budget will be made. During such times, no less than two council
members will meet on a weekly basis with at least the senior pastor to authorize the disbursement of
funds by the church treasurer or the person physically writing the checks to pay bills at the time.

At any time the church budget falls short for four (4) consecutive weeks, all extra expenditures will
cease until any budget deficits have been relieved. It will be the responsibility of the church treasurer
and/or the senior pastor to bring such information to the church council immediately upon the fourth
consecutive week of failure to meet budget.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-3


The General Fund

Let it be established that a general fund shall be created for management of collected monies and the
relief of church indebtedness into which shall be deposited all church offerings not properly marked
and designated for placement into a specific, established fund.

The general fund shall hold the monies for expenses, including but not limited to, salaries, taxes,
utilities, and miscellaneous vendors. Monies for such expenses shall be disbursed at the direction of
the church council.

Expenditures, including but not limited to, routine maintenance items for facilities and vehicles,
routine materials for the furthering of established ministries, office supplies, with the exception of
large equipment, and items under the total dollar amount of $500.00*, may be purchased with the
authorization of the senior pastor, by a member of pastoral staff or the ministry head for which the
materials purchased will be used, without special permission from the church council.

Within the general fund there may be additional, internally established funds designed solely for the
purpose of management. The funds may include but shall not be limited to, salaries/taxes, insurances,
utilities, convention, parsonage, and vehicles. These additional funds shall be managed in accordance
with the policies set forth in this document.

* The amount is a suggestion but should be altered to an amount appropriate for the budget and needs
of the church.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-4


Funds

Before we embark on the rest of this document, please note the following explanations and definitions.

Although each Foursquare church must be governed by the bylaws, when we enter into the area of
finances, there is a need to also impose what is commonly known as general accounting principles or
GAP. GAP is an established method of financial accountability and should be followed so that
compliance with the bylaws is assured. GAP principles are not difficult or oppressive, and they can be
easily obtained and learned through a variety of sources including a general accounting book
purchased at a local book store.

[Recommended: Basic Accounting for Churches and Basic Budgeting for Churches, both by Jack A.
Henry]

FUNDS: Churches will need to operate with two basic types of funds. The first of these funds is
designated funds. These funds are established for the collection of monies from the congregation for a
specific purpose. The church council should decide which funds they want and will need. They
should be laid out in the minutes of a church council meeting. There should be a limited number of
these funds including a building fund, and a benevolence fund. There may also be a need for a special
projects fund. All of these funds are detailed later in this document, and any monies received in these
funds MUST be used for the purpose for which they were collected and MAY NOT be used for any other
purpose without the permission of the donors.

In the event of general financial emergency or threat of closure, ALL monies in ALL properly
designated funds must remain in those funds and MAY NOT be transferred to the general fund for the
relief of general church indebtedness. In the event of church closure, every attempt must be made to
contact the donors who have contributed to any designated fund. Once the donors have been
contacted, monies should be returned to the donor or disbursed according to their wishes. Once all
attempts to contact donors have failed and documentation supporting those attempts secured, all
remaining money may be transferred into the general fund for use at the church council’s direction.

Other funds, such as a tithe fund, a convention fund, etc. are established within the general fund only
for the purposes of management and budgeting. They are designated internally to keep track of monies
received and disbursed. Monies in these funds can be moved from fund to fund at the discretion of the
pastor along with the church council and church treasurer.

1. Tithe fund
2. Salaries and taxes
3. Retirement
4. Utilities
5. Medical insurance
6. Property/church vehicle insurance
7. Pastor’s auto insurance
8. Office fund
9. Maintenance fund
10. Contingency fund
11. Church planting fund
12. Convention fund
13. Vehicle fund
9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-5
14. Parsonage fund
15. Evangelism/outreach fund
16. Missions fund
17. Benevolence fund
18. Building fund

Fund 1-10 are totally and completely internally established and no donations will be received for
intentional, designated giving into any of these funds. The purpose of these funds is solely one of
management and budgeting. Any monies in these funds may redistributed for the benefit of
maintaining the approved church operating budget at any time to the general fund for any purpose
consistent with the direction of the church council and the operating budget.

At any time of financial emergency, threat of closure or closure, monies designated within the general
fund may be used to pay any and all general indebtedness of the church.

Funds 11-15 will operate under the policies outlined within these financial policies.

Funds 16, 17 and 18 are specifically designated funds and all monies received into them must be
distributed in their entirety for the specific purpose for which monies were solicited.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-6


The Contingency Fund

The contingency fund shall be established as a sub-fund of the general fund for the purpose of creating
a buffer within the general fund and shall be disbursed at the discretion of the church council to
area(s), including but not limited to, savings, the general fund for the relief of general church
indebtedness, for a special project or purchase, or the convention fund.

It shall be established that from $50-100.00/week be disbursed to this fund with an established cap of
$5,200.00. Monies able to be accumulated in addition to that amount on an annual basis should be
transferred to a church account with IFLF or other investment account(s).

The contingency fund is established internally, and no monies are donated or designated intentionally
for this fund by members of the congregation. Therefore, in the event of four (4) consecutive weeks
with failure to meet budget, all monies intended for weekly distribution to this account will cease and
will be diverted into the general fund in an attempt to avoid the occurrence of general financial
emergency.

In the event of general financial emergency, monies in the contingency fund shall be immediately
transferred to the general fund for the relief of general church indebtedness until such time as
indebtedness is relieved to the point that monies can once again be budgeted for the stated purpose of
this fund.

The contingency fund is for the knowledge of the church council only, and no monies will be received
or accepted from individuals for this fund. In the event that someone donates monies and properly
designates them contingency fund, the monies will be returned to the donor(s) with the suggestion that
they be placed in an appropriately established fund, or given as general tithes and offerings.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-7


Church Planting Fund

In accordance with the vision of the International Church of the Foursquare Gospel Church, from time
to time, as the Lord leads, __________ Foursquare Gospel Church shall birth new congregations into
existence from within the local body to the surrounding area(s).

At such time as a church plant is proposed, __________ Foursquare Gospel Church, as the mother
church, shall begin holding monies collected for said church plant. These monies may include, but not
be limited to, tithes and offerings of those committed to the church plant, monies collected at services
held by or for the church plant, and monies collected from special offerings, and budgeted deposits
from the general fund.

This fund is established internally for the sole purpose of birthing a new church. Therefore, in the
event of 4 consecutive weeks with failure to meet budget, all monies, budgeted to be added to this
account will cease. Monies specifically designated, as mentioned above for a specific church plant in
progress will continue to be deposited into this fund. NO monies will be diverted into the general fund
to avoid the occurrence of general financial emergency.

NOTE: It is the suggestion that monies remain for the benefit of future church plants.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-8


The Convention Fund

The convention fund is established as a sub-fund of the general fund for the purpose of saving money
toward the expenses incurred to send the pastor(s) to international convention and district conference.
It is the expectation that the pastor and his or her spouse shall have their registration, travel and hotel
covered for both international convention and district conference. There shall also be a reasonable
amount of monies allotted for food. This allotment should be consistent with the IRS established
reimbursement for meal expenses. Should the amount exceed the IRS limits, the overage should be
included as income on the annual W-2 forms for the year in which the overage occurred. The
inclusion of children for travel to convention will be handled on an annual basis after the age of two,
upon the request of the pastor, and with consideration of the conditions warranting the request.

The bylaws of the International Church of the Foursquare Gospel provide for the attendance of voting
congregational delegate(s) at each and every international convention. It shall be established that
congregational delegate(s), church staff and members of pastoral staff shall be included in the plans for
international convention as monies are available in the general fund to be disbursed to the convention
fund.

It shall also be established that pastoral staff may be invited to attend district conference at the
discretion of the senior pastor and will have monies allotted to them at the direction of the church
council to cover all or part of the expenses incurred in such attendance.

It is expected that all persons attending an event will travel coach and not first class, unless they have
sufficient personal airline points to allow for an automatic upgrade, and will seek out reasonable hotel
accommodations for both international convention and district conference as provided in the brochures
promoting the events.

Let it be established that an amount ranging from $50.00-100.00/week will be placed in the convention
fund when the senior pastor is the only staff member attending. An evaluation should be made on an
annual basis once the location of the convention has been announced and in the event that multiple
staff members and/or congregational delegate(s) will have their partial or whole way paid to either
district conference or international convention to increase or decrease the allocation into the
convention fund.

This fund shall have an annual limit of $5,200.00, unless convention costs are anticipated to exceed
that figure. (NOTE: It is a reasonable expectation that, in some years, the International Church of the
Foursquare Gospel’s board of directors may plan a convention at a site outside of the continental
United States or on foreign soil. In these years, an approximation of cost should be made at the
earliest knowledge of the convention sight and attempts made to adjust the weekly allowance to meet
those projected expenses.)

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-9


The Vehicle Fund

The vehicle fund shall be established for the purpose of setting apart monies for the repair and
maintenance of any church vehicles and the pastor’s car(s).

It is established that $100.00/week be placed into this fund with no established cap. If sufficient
monies accumulate in this fund, any monies over $1,500.00 should be considered for placement in
IFLF or another investment account.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-10


The Parsonage Fund
(Used if the church owns a parsonage)

The parsonage fund shall be established for the purpose of setting apart monies for the repair,
maintenance or decoration of the parsonage.

It is established that $100.00/week be placed into this fund with a cap of $2,500.00, unless a specific
project requires additional funds. If sufficient monies accumulate in this fund, any monies over
$1,500.00 should be considered for placement in IFLF or other investment account.

During a time of pastoral transition, let it be established that $1,000.00, when financially feasible and
available, may be, but is not mandated to be given to the new pastor for the decoration of the
parsonage to his/her tastes. These monies shall be allotted for items including but not limited to,
curtains, blinds, area rugs, small items of furniture, i.e., end tables, lamps, table cloths and cloth
napkins or placemats, and/or other minor decorating purchases. It shall not be used for such items as
new carpet, or major renovations. Any item purchased with this money shall become the property of
the parsonage and shall remain with the property in the event of subsequent pastoral transitions.

Let is also be established that it is the responsibility of the council to see that the parsonage is
maintained in proper order so that a suitable home is available to the senior pastor, or to whoever is
offered housing as a benefit while serving __________ Foursquare Gospel Church.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-11


The Evangelism/Outreach Fund

The evangelism/outreach fund shall be established for the purpose of setting apart monies to sponsor
community outreaches and other evangelistic endeavors.

Monies in this fund shall be disbursed at the direction of the church council and according to the vision
of the senior pastor and church council for attempts to bring the Gospel message of Jesus Christ to the
people in the surrounding communities and/or metropolitan areas,

It shall be established that $50.00-100.00/week will be placed in this fund. Additional monies may be
transferred to this fund from the general fund or from special offerings taken for the promotion of
special events.

In the event monies are given for a special event or evangelistic project, it will be the responsibility of
the senior pastor and/or the church treasurer to accurately announce the anticipated expenses and to
halt donations when the expected expenses have been met so that no monies shall be collected above
that which is needed. It shall be announced and generally understood that any monies donated and
properly designated left undistributed after a special event, due to a reduction in projected expenses,
shall remain in the evangelism/outreach fund to be used for future evangelistic endeavors.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-12


The Missions Fund

Apart and completely separate from the general fund, there shall be held in the church account monies
specifically designated for missions. These monies shall be collected and disbursed monthly in
accordance with the By-Laws of the International Church of the Foursquare Gospel, and shall include
monies collected and designated “Sunday School Missions” as well as monies marked “Missions”
received in any church offering.

Any missions event or project and/or any missionary or missionary endeavor not sponsored directly by
Foursquare Missions International shall be supported with funds collected separately and designated
apart from those offerings collected monthly for the furthering of Foursquare missions across the
world.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-13


The Benevolence Fund

The benevolence fund shall be established for the purpose of providing assistance to those who find
themselves in temporary need. All disbursements from the benevolent fund shall be based on need and
availability of resources.

NOTE: Although mercy is our mission as commanded by Christ, we must balance mercy with good
stewardship of the resources God has given us. Assistance available from the ___________
Foursquare Gospel Church will include, but not be limited to, food; clothing, when available;
medication; automobile fuel; and holiday baskets at Thanksgiving and/or Christmas. All requests for
monetary assistance will be reviewed by the senior pastor, or his designee, the church treasurer, and/or
available members of the church council. Members in good standing in the congregation will have
first priority in the disbursement of assistance of any kind.

The fluidity of the church budget may be a governing factor in making provision for rental assistance,
utility assistance, or assistance with medical bills. It could prove to be unwise to provide bus fare,
automobile fuel or hotel accommodations for transients except on the occasion that proof of the
situation and permission from a quorum of the church council can be obtained. (This section may need
to be altered if there is a food bank, clothing disbursement center or other such facilities that provide
outreach assistance to the community.)

It is often wise to purchase needed items people instead of giving them cash or checks. In this way,
you may prevent monies given for assistance being used for other purposes. In the case of
prescription medication needs, the pharmacy should be notified of the individual’s need for assistance
and the church’s willingness to help. A person from the church should pick up and pay for the
medication. It would not be wise to purchase over-the-counter medications at a person’s request since
that could constitute diagnosing or practicing medicine without a license. In the event that assistance
is given for rent or utilities, a church check should be made out to the company or bank to which the
funds are owed after church personnel have obtained confirmation of the amount owed.

When assisting members of the congregation with finances, it may be wise to consider providing
instruction regarding Biblical stewardship.

All money donated and/or paid to ____________ Foursquare Gospel Church properly designated
benevolence fund shall be placed in the benevolence fund and disbursed according to the guidelines
stated above.

There will be no ceiling set on the monies accumulated in this fund.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-14


The Building Fund

The building fund shall be established for the purposes of maintenance of current facilities, additions
and/or improvements to current facilities and the purchase or building of new facilities. The building
fund shall be divided into two sections; building fund/repairs and maintenance, and new facilities.
When possible, the new facilities monies will be placed in a high yield, interest-bearing account such
as CDs or other programs as made available by the International Church of the Foursquare Gospel,
such as IFLF. The new facilities fund will be dormant until such time as significant gifts, properly
designated, are given or a plan to purchase or build is undertaken by the congregation.

All monies donated and/or paid to the _____________ Foursquare Gospel Church, properly designated
building fund, shall be placed in the general building fund section of this account. Only monies
specifically designated new facilities will be placed in the new facilities section of this account.

Expenditures from this account shall include, but not be limited to, those items previously mentioned
in paragraph one (1).

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-15


Following are some additional funds which you may want to consider:

Rent

Any monies collected from the rental of church property shall be maintained within a special,
internally established category of the general fund. Any and all monies in this category shall be
disbursed at the direction of the church council. First consideration for use of these monies should be
care of the property or section of the property being rented.

Ministry Head Budgets

The church council shall make every effort to have the ministry heads work within a budget and
project their costs out not less than 6 months at a time. It will be up to the discretion of the senior
pastor and/or the church council to approve or deny requests for finances not previously planned or
budgeted and to approve or cancel purchases made without prior authorization.

Special Project Funds

A special project fund may be established at any time by the senior pastor and church council for the
purpose of collecting monies for a specific need or project which may include, but not be limited to,
special equipment, a large maintenance or improvement project and/or a benevolence gift for an
individual or family. If this is a long-term project or a large benevolent gift which will not be spent
immediately, it would be wise to place the funds in an IFLF account for maximization of interest
earned.

All monies collected will be deposited in the checking account of the church and held there until such
time as disbursement is necessary. All monies collected will be used for the designated purpose in
their entirety. In the case of a special purchase, every attempt will be made to stop the collection of
donations when the purchase price has been reached. However, monies remaining after the purchase
or project shall be absorbed into and become a part of the General Fund unless specifically directed to
another fund by the church council.

If a special project or purchase, for which a special project fund has been established, is abandoned for
lack of funds to complete the project or purchase of said item(s), an attempt will be made by the
church treasurer to locate the donors of all monies given. Monies will be returned or disbursed at the
direction of the donor. (16.1, F1.2) No donor shall receive more than the amount originally donated in
a clearly marked envelope with proper designation and name, regardless of whether the money had
been placed in an interest bearing account. Any monies remaining, including but not limited to, cash
given without a designated donor or interest earned, shall be absorbed and become a part of the general
fund, unless otherwise directed by the church council.
Every attempt will be made by the senior pastor and the church council to complete every project
and/or special purchase in a timely fashion. However, no donor shall request a return of any donation
if a delay is solely the perception of any individual(s) with respect to a specific project or purchase.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-16


Simple, Efficient Filing for Churches

The most common misunderstanding regarding filing is this: Filing is not for the purpose of document
storage; it is for the purpose of document retrieval. In other words, if you can’t find what you are
looking for, you don’t have an efficient filing system. Now, with that said, there is a storage
component to filing systems, which is designed to keep required documents safe, either permanently or
for the suggested time for retention.

What types of files should I have in the church?

Churches need to keep a variety of documents in files. They are: membership and baptism records,
weddings performed *, paid bills, banking records, tax records, historical records and information, etc.

* Note: The records of weddings performed MUST STAY WITH THE CHURCH. A pastor may copy the
wedding records for his own personal files, but may not remove the wedding records from the local
church. These are legal records and must remain at the church. In case of church closure, these
documents, along with all other permanent records must be sent to the regional ARC.

How should the files be organized?


There are many ways files can be organized. The information below is given as an example
only.

1. Choose the categories for which files will be kept. This list should include, but is not
limited to the following.
‰ Paid bills (one file folder for each vendor’s bills)
‰ Taxes (one folder should contain the federal and state withholding tables)
Federal
State
Local/municipality (withholding tables or a chart should be available for this)
‰ Banking information
Monthly checking account statements
Cancelled checks (or photo copies)
Savings account statements
IFLF statements
Investment account statements
Resolutions
‰ Permanent records
Wedding records
Baptism records
Baby dedication records
Membership records
Church history records
‰ Permanent financial records
Annual reports
The December Foursquare monthly report for every year
Church council meeting minutes

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-17


2. Use a different label color for each bulleted section. (For example, tax records could be
orange, banking records light blue, permanent financial records could be dark blue, paid
bills might be red, etc.)

3. Set up the files in the appropriate size file cabinet and you’re ready to go! NOTE: It is
important to file new documents not less than once every month. The job of paying bills is
not finished until all the paid bills have been filed in the appropriate place.

What about tithe records for the congregation?

Tithe records should be kept for seven (7) years, so this requires efficient filing for retrieval
of records should a congregant be audited and need additional proof of giving.

It is unclear whether the envelopes are required to be retained or not. Some IRS agents will
say they may be discarded at the end of the year; others say they must be kept. It is your
decision whether you choose to keep the envelopes for the 7 years.

Please note: Envelopes must meet certain IRS standards for giving to be credited. The
envelopes MUST contain the following:
Name of the church – both the legal name and slogan name
Spaces to designate the purpose for which the funds are being given
A space for the date the funds were given
A space for the name of the donor

In addition, it is a good rule to include a space for the ushers to provide pertinent
information: the check number, whether or not the contribution was given by check or
money order, and whether or not cash contributions equal to the amount noted on the
envelopes.

The IRS requires certain information to be included in the statements given to donors. A
sample document, which meets IRS requirements, is attached; you may customize the
document for your church. This form could easily be created in Excel for speed and
accuracy of reporting. Keep in mind that the information recorded on this sheet must match
the information on the tithe envelopes. Any unmarked or undesignated contribution should
be considered a tithe/offering.

Metropolis Foursquare Church ________________________________________

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-18


1234 Main Street (Name of Contributor)
Metropolis, USA, 00000 Form of Contribution:
C = Cash or check
Contribution Statement for ___________ P = Property
For the abovementioned period, our records indicate that you made the following contributions. If no value is listed, this means that no goods or
services were provided, or their value was insignificant or consisted entirely of intangible religious benefits. If you received goods or services in
return for your contribution, the deductible portion of your contribution is the amount by which it exceeds the value of the goods or services
received in return (as noted below). This, of course assumes that you otherwise qualify for a charitable contribution deduction. Should you have
any questions about any amount reported or not reported on this statement, please notify the church treasurer within 90 days of the receipt of this
statement or before April 30 of the year following the fiscal year of the statement, whichever comes first. Statements that are not questioned within
the allotted time frame will be considered to be accurate, and any supporting documentation (such as offering envelopes) retained by the church
may be discarded at the discretion of the church.

Date of FORM Gross Tithes Missions Building Benevolence Other Value and description of Description of Net amount
goods and services provided donated property
Contributi P or C Amount and Fund to you by the church (for (valued at $250 or
on Offerings contributions over $75.00 more by donor)

TOTALS

A sample of a weekly budget sheet appears on the following page. Below is an explanation of its use.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-19


AMOUNT Column – This column is used for the amounts budget by the church council for each fund.
Place the budgeted amount here. The total on this column will tell you what your weekly
budget is and you will know in an instant whether you have met budget in any given week.

FUND Column – This column is used for showing the funds, both designated by the church
council and those designated internally for the purpose of management of monies.

RESERVE Column – This column reflects the amount held for each fund in the church’s
checking account and is equal to the NEW BALANCE column from the week before. It
will ALWAYS equal the amount of monies you start with at the beginning of the week.

INCOME Column – This column is for recording weekly income and for showing the
distribution of monies to the various funds. The total on this column MUST EQUAL the total of
deposits made into the church checking and/or savings accounts. ALL monies received must be
recorded on this sheet whether you deposit once each week or multiple times each week.

EXPENSE Column – This column is for recording the week’s expenses. The total on this
column, MUST equal the total amount of all checks written and any other monies
expended through electronic transfer.

TRANSFER IN/TRANSFER OUT Column – These columns are for the sole purpose of transferring money
between funds if and when necessary. (For example: If the medical
insurance fund is short $100.00 and cannot pay in full the bill from the insurance vendor,
$100.00 could be transferred from the general fund into the medical insurance fund to cover
the bill.

NEW BALANCE Column – This column shows the balances remaining in each fund after adding the
week’s income and subtracting the week’s expenses. The total of this column MUST EQUAL the
total in the church’s checking account and/or savings account. This column
will become the RESERVES column for the next week.

When preparing a budget, always base your numbers on 4 weeks/month or 48 weeks/year. This gives
you four (4) weeks per year of unbudgeted monies, which can be used, then to correct deficits or for
saving.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-20


Date __________ General Fund _______________ - ____________________ (tithes) = _______________

Amt. Fund Reserves Income Expenses Transfers Transfers New Balance


In Out
Salaries/Taxes
Retirement
Utilities
Medical Ins
ICFG Ins
Auto Ins
Office
Maintenance
Convention
Contingency
Vehicle
Parsonage
Evangelism/Outreach

Tithe
Missions – ICFG
Building Fund
Benevolence Fund

General Fund
Adjustments/Bank fees

TOTALS

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-21


Metropolis Foursquare Gospel Church
Sample Financial Report
December 2005

Expenses

Salaries 2,736.02
Pastor Clark Kent 2,263.14
Lois Lane 73.88
Tuition – Isaiah 399.00

Vehicles 817.53
Gas/ Van 40.25
Pastor’s van 89.28
Repair/Van 225.00
Pastor’s van 360.00
License Plate Renewal 103.00

Utilities 1,234.59
PEPCO - annex 105.93
PEPCO - church 127.05
Washington Gas 148.52
Bell Atlantic 320.23
Bell Atlantic Mobile 290.86
Griffith Oil - Budget 242.00

Insurance 1,768.54
Medical 946.58
Property 482.25
Van 201.50
PA auto 138.21
Office 198.25
Meter Rent 30.19
Postage 70.31
Computer cord 54.55
AOL 23.20
Bible software 20.00
Benevolence 180.00
Lex Luthor 100.00
Christmas 80.00

Evangelism 378.55
Hallelujah Outreach 378.55
Miscellaneous 5,958.07
9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-22
Tithe 1,514.52
Missions 341.27
CE tithe 13.23
Conference 946.87
Offering envelopes 573.23
Sermon illustration 500.00
Plumber 450.00
Supplies 341.43
Cassette tapes 314.80 (blank)
Meals 231.75
Cleaning 210.00
Books 105.36
Heaters 103.59
Ret’d check and fees 103.06
Terminix 85.00
SHARE 75.00 (Food baskets)
Magazines 27.72
Helium 21.24

Flow-Thru 322.00
Retreat 332.00 332.00

Total expenses - $13,603.55

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-23


Income

Tithes and Offerings 15,145.18

Missions 241.27

Building Fund 20.00

Benevolence Fund 210.00

Sunday School 132.32

Miscellaneous
Christmas offering 1,467.45
Rent 700.00
Reimbursement 606.41
Special offering 329.00
Ret’d check/replacement 50.00
New Creation Foursquare 20.00 (church plant)

Total Income – 18,921.63

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 16C-24


17 TRANSAÇÕES IMOBILIÁRIAS
À medida que uma igreja cresce, suas necessidades vão mudando. Há muitos aspectos a serem
considerados, que devem ser examinados pelo pastor e pelo Conselho da igreja antes que se
tome a decisão a respeito de onde a igreja deve reunir-se. A igreja pode estar se reunindo em
casa, num local alugado ou arrendado, ou numa propriedade sua ; porém, antes de se mudar o
local das reuniões, essa necessidade precisa ser comunicada à liderança bem como a toda a
igreja.
Quando a liderança, inclusive o Conselho da igreja, está informada e unida, ela mesma
comunicará a idéia para a igreja. Quanto menos surpresa a igreja tiver, mais facilmente ela
aceitará a proposta da liderança . Deve-se preparar a igreja para as mudanças necessárias,
dando-lhe o maior tempo possível para isso. É necessário verificar as necessidades e
estabelecer um plano com a liderança, de modo que ela possa dar apoio à mudança, bem como
passar a idéia para os outros, em unidade.
Os custos que envolvem uma mudança de local é algo que merece a maior consideração. O
Conselho Internacional estabeleceu uma regra que é conhecida como a regra dos 30%. Isto é, o
valor total a ser gasto com aluguel, inclusive arrendamento ou pagamento das prestações do
financiamento, não deve exceder 30% da arrecadação taxável da igreja. Entretanto algumas
circunstâncias especiais devem ser levadas em consideração.

17.1 OS ELEMENTOS DE UMA TRANSAÇÃO IMOBILIÁRIA


The creation of a lease, lien, trust deed, grant deed, mortgage, or other general building contract
must progress through the following steps. Check with the district supervisor before signing
any real estate transaction. If you are required to sign any document(s) be sure that the
contingency "Subject to the approval of the governing board of the International Church of the
Foursquare Gospel" is included above your name. The administrative resource center (ARC)
will assist the church and the district supervisor with the processing of property transactions.
A. PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO – Depois que o pastor e o Conselho da igreja tiver
obtido a aprovação do Supervisor do Distrito, os membros devem votar a proposta. O
formulário próprio será, então, preenchido, assinado pelo Conselho local e pelo pastor, e
enviado para o ARC, com uma carta explicando o objetivo e dando as informações
necessárias para que o processo seja apreciado devidamente.
B. SUBMETER O PEDIDO AO ESCRITÓRIO DO DISTRITO – O Supervisor do Distrito deverá
rever, aprovar e enviar o pedido junto com a sua carta de recomendação para o ARC, que fará a
revisão e preparação para a aprovação da Diretoria Internacional.
C. APROVAÇÃO DO CONSELHO – Após a aprovação da Diretoria Internacional, a igreja
nacional processará a devida documentação, incluindo a decisão da Diretoria estabelecendo os
parâmetros da transação, que será então remetida, através do ARC, para a igreja local que é
responsável por informar a congregação acerca da decisão da Diretoria Internacional.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-1


17.2 REQUERIMENTOS BÁSICOS PARA UMA TRANSAÇÃO IMOBILIÁRIA

A. UP-TO-DATE WITH FOURSQUARE MONTHLY CHURCH REPORTS


B. PARTICIPAÇÃO MENSAL NO DÍZIMO DE EXTENSÃO DISTRITAL
C. ENVIO DE OFERTA MENSAL PARA MISSÕES (FMI)
D. ESTAR EM DIA COM TODOS OS PAGAMENTOS DE EMPRÉSTIMOS E SEGUROS

17.3 RELATÓRIO DE IMPACTO NO MEIO-AMBIENTE


Environmental reports are required regarding property being purchased, donations received, or
property being leased in excess of 10 years. It is also advisable to consider performing such a
report prior to entering into a lease-purchase option agreement when the church is the lessee.

Environmental laws are changing rapidly. To help ensure you are following the laws and that
you are not purchasing polluted property, the ARC will order a transaction screen process
(TSP). That report will inform you of possible problems and will also alert you if it is
necessary to do a phase I environmental assessment on the property. A phase 1I report will let
you know if it is necessary to do a phase II assessment.
Nota importante: O Conselho não aprovará a compra de nenhuma propriedade imobiliária até
que o relatório de impacto no meio-ambiente esteja completo, dando a segurança de que não há
problemas de meio-ambiente pré-existentes associados com a propriedade.

17.4 ARRENDAMENTOS (Estatuto 17:1)


A. LEASE VERSUS RENTAL – If the agreement you enter into is other than a month-to-month
tenancy, whereby you may give a thirty-day notice to vacate the property, it is a lease. If the
church is obligated for more than thirty days, consider it a lease. Whether a lease or month-to-
month tenancy, all such agreements must be reviewed by the ICFG corporate counsel. The
ARC will assist you with this process.
B. TIPOS DE ARRENDAMENTO – Arrendamentos com os quais a igreja pode estar envolvida
podem incluir:
1. Arrendamento simples – O contrato pode ser bem simplificado, mencionando apenas o
endereço da propriedade, a duração, o valor do aluguel, o nome do arrendador, o do
arrendatário e onde o aluguel deverá ser pago.
2. Arrendamento industrial – Geralmente é o arrendamento mais dispendioso para o
arrendatário. De forma geral, requer que o arrendatário pague tudo. É um contrato que
exige o reembolso, por parte do arrendatário, de todas as despesas do arrendador, como:
seguro, conservação da área comum, segurança, impostos, manutenção e outras. Esse tipo
de arrendamento requer ainda que o arrendatário pague por quaisquer danos ou consertos
no prédio, dentro ou fora dele, quer a área que necessita de reparos tenha acesso fácil ou
não (Por exemplo: um cano de água quebrado embaixo do alicerce do local arrendado).

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-2


3. Arrendamento comercial – Geralmente é mais equilibrado. Normalmente o arrendador é o
responsável pelo teto e por qualquer dano na estrutura do prédio que não tenha sido
causado pelo arrendatário.
C. NEGOCIANDO UM ARRENDAMENTO – Quer o arrendamento simples, cujo contrato foi
escrito por um indivíduo qualquer, ou o complexo, feito através de um contrato cujo formulário
foi adquirido numa loja especializada, ou aquele cujo contrato foi especialmente preparado
para o arrendador por um advogado, todos os arrendamentos são negociáveis. Lembre-se: os
contratos de arrendamento são escritos para proteger o arrendador, e é necessário procurar os
interesses da igreja. Não se deve hesitar em chamar o ARC ou a Conselho da igreja nacional,
caso se necessite de ajuda.
D. OBTENDO A APROVAÇÃO DE UM ARRENDAMENTO – Os arrendamentos precisam da
aprovação do Supervisor do Distrito e da Diretoria Internacional, a qual não examinará
nenhuma transação imobiliária sem a assinatura e a aprovação do Supervisor do Distrito.
Portanto, deve-se enviar tudo através do ARC, com uma carta explicando o que se pretende e
fornecendo todos os esclarecimentos a respeito da transação. Além disso, o Formulário de
Revisão de Arrendamento (PT-23) precisa acompanhar o pedido de arrendamento. Esse
formulário é obtido no ARC e precisa ser preenchido e assinado pelo pastor, pelo Conselho da
igreja e pelo Supervisor do Distrito. As negociações para um arrendamento podem ser
demoradas; portanto é necesário dispor-se de tempo para as negociações e a prepararação dos
papéis. O Conselho delegou autoridade para aprovar os contratos de arrendamento a uma
Comissão Executiva, que se reúne semanalmente. Cada contrato precisa ser examinado pelo
Conselho da Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular, antes de ser encaminhado para a
Comissão Executiva. Além disso, o processamento de toda a documentação do ARC, por isso
precisa-se aguardar o tempo necessário (de duas a três semanas, no mínimo).
E. LEASES FOR ESTABLISHED CHURCHES COMING INTO FOURSQUARE – If the church has an existing
lease in place, it must be presented to the Foursquare Church’s board of directors for approval.
Follow the instructions in (D) including the cover letter requirement. It is important that
Foursquare be aware in advance of all obligations, including leases, that a church wishes
Foursquare to assume when a church comes into Foursquare.

F. LEASES AND FOURSQUARE INSURANCE PROGRAM – When a lease is approved by the board,
notification of the approval and the lease is sent to the ARC, which then sends it on to the local
church for the appropriate signatures by the landlord. The signed lease must be returned as
soon as possible to the ARC, which then sends it back to the properties department at
Foursquare’s central offices. The properties department upon receiving the signed lease, will
send a notification to the insurance department, which will then contact the local church to
discuss the addition of the location to the insurance schedule. Please note that if Foursquare’s
corporate counsel makes any changes in the lease, the changes must be initialed by the landlord
as well.
The insurance department will not extend insurance coverage to a leased building prior to the
effective date of the lease. We are often asked to insure a building in advance of the effective
date in order for the local church to prepare the building for use. Please plan your first use of
the building at a date that is after the effective date that will allow you to do any physical
preparations needed.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-3


G. A IGREJA COMO ARRENDADORA – Se as dependências da igreja forem ser arrendadas
para outra igreja ou grupo cívico, o arrendamento precisa ser antes aprovado pelo Conselho
Internacional, para que se torne legal. (Também, o recebimento de renda de uma organização
não-religiosa sem fins lucrativos pode possivelmente mudar o status de isenção de sua
propriedade, então, faça questão de checar). Pode-se adquirir um formulário de contrato padrão
em uma loja especializada ou preparar o contrato. O Departamento Legal da Igreja
Internacional dispõe de um modelo de contrato de arrendamento, que pode ser obtido no ARC.
H. A LEI DE ZONEAMENTO – Antes de se assumir o compromisso de qualquer arrendamento, é
necessário consultar a prefeitura da cidade. O Conselho Internacional só aprovará qualquer
arrendamento de propriedade depois que receber, de preferência por escrito, uma declaração de
um órgão do governo de que a CUP (Permissão para Uso Condicional) será obtida (Estatuto
17.1.A). Como uma condição para o arrendamento, deve constar, no contrato, uma cláusula que
mencione a seguinte condição: “Sujeita a aprovação e emissão da CUP (Permissão para Uso
Condicional) por uma autoridade governamental”.

I. EFETUANDO UM ARRENDAMENTO – Não se deve assinar nenhum contrato pela Igreja


Internacional sem que nele conste a cláusula “Subject to the approval of the governing Board of
the Internatioinal Igreja of the Quadrangular Gospel” (sujeito à aprovação da Diretoria da
Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular) acima da assinatura do representante da
igreja. Para que o contrato seja legal, todos os documentos precisam ser assinados pelos oficiais
autorizados da corporação. Antes de assinar algum outro documento, deve-se entrar em contato
com o ARC, para receber orientação.
17.5 AQUISIÇÃO DE PROPRIEDADE (Estatuto 17.1)
A. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES – Quando a igreja deseja comprar uma propriedade,
vários aspectos devem ser considerados, a saber:
• localização;
• preço;
• condições do prédio;
• se é adequado para as necessidades atuais e futuras;
• será necessário uma Permissão para o Uso Condicional;
• preocupações ambientais;
• possibilidade de a igreja cumprir com sua obrigação, se, para a compra,
for necessário um empréstimo.
B. ANTES DE COMPRAR A PROPRIEDADE – O pastor precisará comunicar a necessidade e a
pretensão à liderança da igreja, particularmente ao Conselho local, cujos membros terão que
assinar o Formulário Para Permissão de Aquisição (PT-3), requerido pela Diretoria
Internacional.
Portanto, estabeleça um plano de ação diante do Senhor, busque a Sua orientação e determine
Seus objetivos para a igreja e para a comunidade. Comunique sua idéia para a liderança e
converse com o Conselho local. Quando a liderança concordar, contate o Supervisor do Distrito
e consiga sua aprovação, antes de levar o assunto para a igreja.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-4


C. APROVAÇÃO DO SUPERVISOR DO DISTRITO – Depois de obter a aprovação do
Supervisor, você deve convocar uma reunião dos membros da igreja, durante a qual eles
votarão na proposta. Veja o Artigo 17 dos estatutos, para maiores informações. Você precisa
também completar o formulário Questionário Ambiental & Declaração Aberta (PT-21) e
enviá-lo junto com o PT-3 e uma carta justificando a necessidade Do imóvel e os objetivos da
aquisição. Além disso, é necessário também o Processo de Triagem de Transação (TSP) ou
Fase 1 – Relatório Ambiental (Ver seção 17.3)
D. ESTABELEÇA TEMPO SUFICIENTE – Separe um tempo suficiente para o processamento da
documentação. Caso você não tenha muitos conhecimentos nessa área, não hesite em consultar
o pessoal do ARC e profissionais da área imobiliária de sua região. No entanto é imperativo
que você trabalhe lado a lado com o Distrito, em qualquer transação imobiliária.
E. VERIFIQUE ANTES O ZONEAMENTO – Antes de concordar em adquirir qualquer
propriedade, consulte o Departamento de Zoneamento de sua cidade. A Diretoria Internacional
só aprovará a compra de uma propriedade se uma autoridade do governo declarar, de
preferência por escrito, que a Permissão para o Uso Condicional (CUP) será obtida (Estatuto
17.1.A.). Como uma das condições para a compra, o contrato deve conter uma cláusula que
mencione “Sujeito a Permissão para o Uso Condicional (CUP), devidamente aprovado e
emitido por uma autoridade governamental”

F. ASSINATURA DO CONTRATO – Você só deve assinar um contrato em nome da igreja


Internacional se ele contiver a cláusula, “Subject to the approval of the governing Board of
the International Igreja of the Quadrangular Gospel” (Sujeito à aprovação da Diretoria da
Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular) colocada logo acima de sua assinatura. Além
do Contrato de Compra com a cláusula acima inserida, o pastor não pode assinar nenhum outro
documento da transação. Havendo necessidade de fazê-lo deve antes entrar em contato com o
ARC, para orientações. Para que tenha valor legal, todos os outros documentos necessitam ser
assinados pelo oficiais autorizados da corporação.
G. UTILIZANDO OS SERVIÇOS DE TERCEIROS – Em qualquer compra, use uma companhia
que possa fazer uma verificação dos registros da propriedade que você quer comprar. Uma
pesquisa preliminar pode determinar se o que você está comprando tem irregularidades, tais
como, por exemplo, algum penhor sobre a propriedade ou alguma servidão que possa limitar o
uso.
H. INSPEÇÃO DA PROPRIEDADE – A igreja deve requerer uma inspeção na propriedade, para
verificar possíveis danos na estrutura e danos causados por cupins, pois esse tipo de inspeção
pode trazer economia para a igreja. Problemas ambientais também podem ser motivos de
preocupação hoje em dia ( esse assunto é tratado com mais detalhes na seção 17.3.).
I. FINANCIAMENTO – Esse assunto será tratado com mais detalhes na seção 17.11.
J. INFORMAÇÕES A SEREM INCLUÍDAS NO CONTRATO DE COMPRA/VENDA – A
pessoa responsável pela transação deve instruir a que está preparando a documentação para
providenciar tudo em duas vias. A primeira será assinada pelo oficiais autorizados da
corporação e a segunda ficará arquivada no escritório da Igreja Internacional. É recomendável
que, antes de enviar os documentos para o Escritório do Distrito, você tire uma cópia para o
arquivo da igreja local. O nome jurídico da igreja é INTERNATIONAL CHURCH OF THE

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-5


QUADRANGULAR GOSPEL, a religious corporation. A sede está localizada no seguinte
endereço: 1910 Sunset Boulevard, Suite 200, POBox 26902, na cidade e comarca de Los
Angeles, Estado da Califórnia, 90026-0176 ( “a California Corporation”) e deve assim ser
designada em todos os documentos legais, como compromissos de compra e venda, escrituras e
contratos de empréstimo.
K. SUBMETA A TRANSAÇÃO IMOBILIÁRIA PRIMEIRAMENTE AO ARC – Enviar os
documentos diretamente para o escritório da corporação atrasa o processo.
L. PARA ONDE ENVIAR O IMPOSTO – Oriente a companhia de custódia a remeter os papéis
do imposto predial para o endereço da igreja. É responsabilidade do pastor e do conselho da
igreja pagar os impostos, ou conseguir a isenção destes de acordo com a lei.

M. DESCRIÇÃO
1. Endereço – É fornecido por agência do governo, quando se constrói uma casa ou um
prédio no terreno.
2. Descrição legal – Refere-se apenas ao terreno e é encontrada nas escrituras e registros de
hipoteca.
3. Descrição para imposto – É, normalmente, uma descrição legal abreviada, ou um sistema de
código alfanumérico, insuficiente para documentos de compra de propriedade. Portanto,
quando se tratar de imóvel, a descrição legal ou descrição da propriedade tem que estar
incluída no formulário de Pedido para Compra de Propriedade Imóvel (PT-3), no espaço
apropriado. Você pode conseguir essas informações com seu agente imobiliário ou na
Companhia de Custódia.

17.6 SERVIDÃO

Servidão é um direito dado pelo dono de uma propriedade, de modo que outra pessoa ou
empresa possa utilizar a propriedade para determinados fins. A Diretoria Internacional precisa
aprovar todo e qualquer negócio que envolva a propriedade da igreja, inclusive servidão. Na
maioria das vezes, a servidão é concedida para instalação de sarjetas, canos, calçadas,
passagens, fios elétricos e telefônicos, poços e gás natural.

Normalmente quem requer a servidão providencia a documentação necessária, inclusive uma


planta mencionando todas as medidas e especificando o que está sendo requerido. Como a
servidão concede um direito legal para alguém entrar na propriedade e usá-la, a documentação
tem que ser completa e exata, detalhando o direito de uso tanto para a igreja quanto para quem
solicitou o direito de servidão.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-6


17.7 VENDA DE PROPRIEDADE (Estatuto 17.4)
Quando, ocasionalmente, a igreja precisar vender uma propriedade, o fato deve ser levado ao
conhecimento do Supervisor do Distrito antes de ser tomada qualquer providência na igreja
local. Depois de se obter a permissão do Supervisor, o assunto poderá ser discutido com a
liderança da igreja. Em seguida, deve ser feita uma convocação de todos os membros da igreja
de acordo com a seção 13.5.12 dos Estatutos. As seções 17.1.C e 17.4 dos Estatutos dão
orientações sobre como realizar a votação a respeito da venda.

A. PRICING THE PROPERTY – In order to establish a fair market price for the property you must
have the property appraised or have a market analysis done by a real estate broker. Also, be
sure to determine the original cost of the property. The request for the sale of real estate
property (PT-6), which must be filled out and signed by the pastor and council, may be
obtained from the ARC. A cover letter by the pastor should accompany the permission to sell
form. It should include the reason for the sale, what the proceeds of the sale are to be used for
and any other pertinent information.
B. APROVAÇÃO PARA A VENDA – O preço da venda deve ser aprovado pelo Conselho
Internacional . Às vezes há compradores interessados e o contrato de compra, junto com as
Instruções da Companhia de Custódia (se foi utilizada), podem acompanhar o formulário de
Permissão para a Venda e a carta do pastor. Certifique-se de que todos os documentos que você
assinar como pastor tenham a cláusula “Subject to the approval of the goverening Board of
the International Igreja of the Quadrangular Gospel” (Sujeito à aprovação da Diretoria da
Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular), acima da sua assinatura.
C. PROCESSAMENTO DOS DADOS – Reserve tempo suficiente para que toda a documentação
fique completa. Lembre-se de que os dados serão processados primeiramente no ARC, com a
aprovação do Supervisor do Distrito antes que seja enviada ao Conselho. Uma carta do pastor
deve acompanhar o PT-6, explicando o motivo da venda e onde será utilizado o dinheiro
proveniente dela . Aguarde por três ou quatro semanas, até que o ARC, Distrito e a Corporação
completem o processo.

17.8 REFORMA

(Para informações mais detalhadas ver o guia de pré-construção “Antes de Construir”,


encontrado no Centro de Recursos Quadrangular (Centro Quadrangular de Recursos?),
P.O.Box 26902, Los Angeles, CA 90026-0176, 800/992-7744).

Qualquer trabalho de reforma será mais produtivo, se for planejado com antecedência.
Perguntas tais como Por quê é necessário mudar, A quem a mudança mais afetará? Quando
ela precisa ser feita? devem ser respondidas antes que se lance o projeto. Outras perguntas a
serem feitas são: o conselho e outros líderes foram envolvidos na decisão? Eles a aprovaram?
Como será o pagamento? A maioria das reformas custa mais do que o esperado e leva mais
tempo do que se pensava. Planeje bem o projeto e providencie a planta das alterações a serem
feitas.

A. REFORMA POR EMPREITADA – Se o trabalho for feito por um empreiteiro, deve haver um
contrato. Nesse caso, será necessária a aprovação do Conselho Internacional. Antes de assinar

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-7


qualquer contrato, certifique-se de que a cláusula “Subject to the approval of the governing
Board of International Igreja of the Quadrangular Gospel” esteja incluída, acima de sua
assinatura. O formulário Estimativa de Custo (PT-5) precisa ser preenchido e assinado pelo
empreiteiro e pelo pastor, antes de ser enviado para o ARC. Alguns empreiteiros
providenciarão a folha de proposta, que poderá substituir o PT-5. O documento deve ser
enviado junto com uma carta do pastor dizendo a razão da reforma e que o conselho da igreja
local está informado e é favorável a ela. Deve, também, mencionar como a será paga e ter
anexa uma cópia da planta da reforma.

B. PERMISSÃO PARA CONSTRUÇÃO – Se a igreja estiver contratando alguém para o trabalho,


o contrato precisa especificar quem é o responsável por obter a permissão e como será feito o
pagamento a essa pessoa. Geralmente o contratado se responsabiliza por obter a permissão e a
igreja o reembolsa por isso. Há ocasiões em que a própria igreja consegue a permissão. Para
isso, na maioria das vezes, a planta é requerida e precisa receber o carimbo “aprovada”, do
Departamento de Obras.

C. FIANÇA – Durante o período de construção ou reforma, pode ser necessária uma carta de
fiança que possa garantir o término do trabalho bem como o pagamento de parte do projeto ou
dele todo. Contate o departmento de seguros que o instruirá sobre os procedimentos e os custos
para se obter uma carta de fiança. Levará por volta de três (3) semanas para ser obtida. A carta
de fiança será feita e a igreja se responsabilizará pelo pagamento do prêmio da fiança; ou, se a
igreja desejar o depósito do dinheiro será feito na conta do empreiteiro.

17.9 CONSTRUÇÃO NOVA


Uma das coisas mais recompensadoras para a igreja é a decisão de construir um templo novo,
mas o período dessa decisão é também um dos mais estafantes para o pastor e os membros.
Muitas áreas precisam ser consideradas.
A. COMO PLANEJAR A FUNDO
1. Defina seu alvo – Você precisa definir o que deseja realisticamente, qual deverá ser o
tamanho da igreja, etc. Discernir entre o que é fé e presunção é essencial. Você pode ter
uma fé que faz de você um visionário, ou uma fé que faz de você uma pessoa prática.
Construir acima das necessidades vai criar desânimo em você e na igreja antes que a tarefa
se complete.
2. Procure conselho – Na multidão de conselheiros há sabedoria, por isso você deve levar em
conta algumas questões: Sua liderança está ao seu lado? Se não, por quê? Você lhe
comunicou sua pretensão, ou apenas a mencionou brevemente? Ela tem a mesma visão que
você? Se não, por quê? O SENHOR da Igreja transmite uma visão clara para a igreja.
Você tem a mente do Senhor? Você comunicou essa visão de uma maneira clara e
convincente, e por um período de tempo suficiente para que o Espírito Santo pudesse passar
a mesma visão para toda a liderança? Você comunicou sua visão para toda a igreja? Você
não conseguirá terminar a tarefa sem oração, apoio financeiro e ajuda dos membros da
igreja. Eles acham que é necessário o que você quer realizar? Estão ao seu lado? Alguns
vão “fincar o pé” a seu favor, mas, se a maioria não estiver de acordo com você, seu
trabalho será cheio de problemas desde o começo. Quando você sentiu a necessidade de

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-8


construir? Enquanto estiver comunicando seu propósito, você deve começar a separar
fundos para a construção.
3. Consulte um profissional de construção – Você ouviu o conselho de um profissional em
construção? Muitas igrejas não consultam um profissional porque desejam evitar despesas
adicionais. No entanto a maioria dessas igrejas economizaria uma grande soma de dinheiro
fazendo consultas antes da construção, em meio a ela e depois dela. Algumas igrejas têm
pessoas capacitadas nesse assunto em sua congregação, outras não. Alguns em sua igreja
terem credencial de construtor não significa necessariamente que estejam qualificados para
construir um templo grande, nem assegura que sejam bons conselheiros. Seja cauteloso.
4. Envolva o Supervisor e ARC. Suas opiniões, apoio, aprovação e orientação, na maioria das
vezes, são de um valor inestimável. O Supervisor do Distrito precisa aprovar o projeto e
recomendá-lo ao Conselho Internacional.

5. AGÊNCIAS GOVERNAMENTAIS – É imperativo que você contate o Departamento de


Obras e a agência governamental de sua cidade. O Conselho Internacional não aprovará seu
pedido, sem que o Departamento de Zoneamento e a Comissão de Planejamento tenham
dado sua aprovação. Eles precisam aprovar os seus planos e colocar neles o carimbo de
“aprovado”, antes que sejam submetidos à aprovação do Conselho. O trabalho antecipado
com essas agências, na maioria dos casos, economiza seu tempo, seu dinheiro e evita
frustações.
B. CALCULANDO OS CUSTOS
1. Necessidade de um arquiteto – Quando a liderança, incluindo o Conselho e o Supervisor
do Distrito, estiver de acordo e chegar a uma conclusão a respeito do que quer, será hora
de envolver um arquiteto. Os arquitetos cobram caro, porém alguns têm projetos de outras
construções, que podem ser utilizados, barateando bastante os custos. Um bom arquiteto,
que conheça os códigos de construção local, sabe os custos atuais de uma nova construção.
Ele poderá fornecer uma estimativa bem aproximada do custo. A utilização de um arquiteto
que tenha bom relacionamento com as autoridades governamentais locais poderá diminuir
muito as barreiras burocráticas. Você deve verificar a lei de zoneamento local para saber se
é permitido construir naquela localidade. O arquiteto pode ajudar com os planos gerais e
com os requerimentos da prefeitura da cidade. Além disso, um bom relacionamento com os
vereadores da cidade é um fator positivo.
2. Empreiteiros – Antes de contratar um empreiteiro, você precisa saber exatamente o que vai
construir e o preço por pé quadrado. Se o arquiteto, ou a pessoa que estiver providenciando
os planos, tiver feito um bom trabalho, todos os códigos de construção e licenças estarão
providenciados, juntamente com as estimativas de custos. Alguns empreiteiros têm
condições de desenhar o projeto e estimar os custos, porém, a maioria não tem essas
condições. Você pode obter propostas de diversos empreiteiros e comparar o preço de cada
um. Forneça as mesmas informações para cada empreiteiro que estiver concorrendo. Se um
deles pedir mais informações, dê essas informações adicionais também aos outros. É
prudente receber pelo menos três propostas, em qualquer construção. Consiga também
referências de cada empreiteiro, durante o processo de escolha, fazendo contato com
pessoas que possam dar informações sobre eles para descobrir se costumam concluir seu
trabalho no prazo definido , a qualidade do trabalho, facilidade de trabalhar com eles, etc.
9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-9
Um contrato assinado permitirá a você saber exatamente qual será o custo da construção. Se
não houve pedidos de alterações, o custo será exatamente aquele que consta no contrato.
Lembre-se de que cada alteração que você fizer no projeto original aumentará os custos.
Antes de aprovar e assinar um pedido de mudança, pense cuidadosamente, pois isso pode
envolver o arquiteto, o departamento de obras e, com certeza, envolverá o empreiteiro.
3. Fundo para o projeto – Com base nos custos estimados , você estará pronto para começar a
prover os fundos para o projeto. Para isso, pode considerar um empréstimo bancário e, se
a congregação compartilhar o seu ponto de vista, você conseguirá, provavelmente,
levantar uma boa parte dos fundos necessários antes de começar o projeto. Algumas igrejas
têm maior capacidade para contribuir do que outras, de modo que a porcentagem que se
precisará pedir emprestado varia de igreja para igreja.
No entanto, como o Conselho Internacional certamente não aprovará o financiamento de
100% do valor, você deverá planejar uma estratégia para levantar fundos. O Conselho
Internacional requer um acréscimo de 25% contingency ao valor projetado para a
construção.As igrejas freqüentemente usam parte dessa provisão antes que a construção
seja completada.
4. The city and/or county will often require a surety bond prior to approving and issuing
building permits. A variety of bonds may be applicable to your plans. Early in your
planning, contact your city/county planning department and ask if there are any bonds that
will be required. If so, they will provide the bond forms and tell you the amount that is
needed on the bond.

The insurance department or a local insurance company can give you a quote on the price
of the bond and can also obtain the bonds for you. The pricing of bonds vary, and it is
important that you know these amounts in order to have them as part of your budget. The
insurance department must have a three week advance notice in order to secure a bond for
you.

C. COMEÇANDO O PROJETO
1. De quem é a idéia ? Um projeto de construção começa muito antes que o primeiro grão de
areia seja removido do chão. Antes que a liderança e a congregação abracem a idéia , você
não deve começar uma nova construção.
2. Quem é o responsável? Antes de começar a construção, você precisa saber quais serão os
principais administradores e estar seguro sobre outros aspectos. Se é um trabalho
contratado, o contrato está pronto? foi aprovado? quais são os parâmetros nele
estabelecidos ? é um trabalho-chave? As responsabilidades são divididas entre o
empreiteiro e a igreja? Quem responderá pela igreja? Normalmente, o empreiteiro é o
responsável pela construção, e a igreja pelo acabamento. Mobiliar a igreja é muito
dispendioso e deve ser considerado no custo total da obra, separadamente do custo da
construção. Uma lista das responsabilidades da igreja deve ser providenciada e conferida
para ter-se a segurança de que tudo está sendo feito apropriadamente. Deve-se solicitar ao
empreiteiro um prazo para cada fase do projeto de construção. Muitos contratos
estabelecem que o pagamento será liberado ao final de cada fase.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-10


3. Envolva o consultor da construção – Se você estiver usando um consultor, marque uma
inspeção quando metade da construção estiver pronta . Leve-o até o local, veja o progresso
da construção, junto com o empreiteiro, verifique toda a situação e faça as correções
necessárias, em comum acordo. Novamente observe bem qualquer pedido de alteração.
4. Obtenha cobertura de seguro apropriada – Um seguro que cubra os riscos durante todo o
andamento da construção (risco do construtor) deve estar em vigor antes de se iniciarem as
obras. Contate o departamento de seguros para procedimentos e custos.
D. TERMINANDO O EMPREENDIMENTO
1. Envolva o consultor da construção – Ele é treinado para localizar áreas de construção não
terminadas. É muito mais fácil para o empreiteiro terminar ou corrigir um trabalho
enquanto estiver trabalhando do que após o encerramento da tarefa .
• Certifique-se de que você tem o HABITE-SE;
• Certifique-se de que todas as garantias foram dadas, se o empreiteiro contratou sub-
empreiteiros e se eles cumpriram suas obrigações;
• Faça com que o empreiteiro prove que as contas dos fornecedores foram inteiramente
pagas;
• Se alguma carta de fiança foi requerida, verifique se todas as condições foram
cumpridas apropriadamente.
2. É sempre sábio segurar uma porcentagem dos pagamentos do construtor e do arquiteto.
Este valor pode ser de 3 a 10% e deve ser concordado como parte do contrato inicial
celebrado com cada um deles. Isto assegura que eles completarão as obras para as quais
foram contratados. Este valor deverá ser pago a eles uma vez que cada um dos itens do
número 1, acima, tenha sido completado.

17.10 DOAÇÃO DE PROPRIEDADES IMOBILIÁRIAS

A. RECEBENDO DOAÇÕES DE PROPRIEDADES – Ocasionalmente alguém deseja fazer a


doação de uma propriedade para a igreja. Pode ser uma maneira de o doador livrar-se de uma
situação indesejável ou, como freqüentemente acontece, um modo de a pessoa abençoar a
igreja e conseguir uma redução de impostos para si .

B. PASSOS PARA PROTEGER A IGREJA LOCAL E A INTERNACIONAL – Quando alguém


deseja doar uma propriedade para a igreja, a fim de se proteger a igreja local bem como a
internacional, alguns passos deverão ser dados. O Conselho da ICFG e outros consultantes que
trabalham com o Departamento de Administração da ICFG podem orientar a igreja e o doador
em cada um desses passos e apresentar sugestões que representem mais vantagens para todos
os envolvidos na doação. As recomendações são as seguintes:

1. Faça uma avaliação da propriedade;

2. Verifique o saldo devedor da propriedade, quais são os pagamentos a serem feitos, quando o
empréstimo termina e se há algum grande pagamento a ser feito antes do vencimento;

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-11


3. Verifique o registro da propriedade. A maioria das companhias que verificam os registros de
propriedades faz um levantamento completo, em poucos dias, o qual revelará qualquer condição
incomum dessa propriedade, tais como algum penhor ou direito de servidão, os quais podem afetar
o uso ou o valor da propriedade. Para que a propriedade seja aceita, o Conselho Internacional
requer o registro do imóvel antes da doação.
4. Complete o formulário “Questões Ambientais & Situação” (PT-21). O relatório do Processo
Seletivo de Negócios (TSP) e o formulário de Avaliação Ambiental – Nível 1 também são
necessários. Você pode obter ajuda de algum avaliador de propriedade licenciado, mas normalmente
ele não assina o relatório, pois assim estaria assumindo responsabilidades. Portanto, se qualquer
ponto questionável for encontrado durante o processo, você deverá contatar uma companhia de
inspeção ambiental habilitada (Ver seção 17.3).
5. Junto com os formulários, deve ser enviada, ao ARC, uma carta explicando as razões para a
aceitação da propriedade e qual o uso previsto para ela. Essa carta fará parte do processo.

C. COMPROVAÇÃO AO DOADOR - Para que o doador obtenha redução de imposto, ele deverá
preencher devidamente a seção B do Formulário 8283 do IRS. Essa seção requer a assinatura
da igreja, de um avaliador autorizado e do doador. Ver a Publicação 526 da IRS, Formulário
8283, e as Instruções especiais para o Formulário 8283. Isso pode ser conseguido no IRS, pelo
telefone (800) 829-3676.

D. DOAÇÃO E VENDA DE OCASIÃO – Às vezes alguém quer doar uma propriedade para a
igreja mediante o recebimento de um valor bem abaixo do preço de mercado. Assim, o doador
pode receber uma redução no imposto de uma importância entre o preço real de venda e o
preço de mercado. Isso é chamado de “venda de ocasião”, que precisa ser comprovada no
Formulário 8283 . Ver a Publicação 5236, para os detalhes referentes a esse tipo de venda.

17.11 EMPRÉSTIMOS

A. OBJETIVOS DE UM EMPRÉSTIMO – As igrejas obtêm empréstimos para várias finalidades,


tais como: para construir, comprar, mobiliar ou reformar prédios, ou para comprar terras para
depois construir. Empréstimos também são feitos para liquidar outros empréstimos e consolidar
tudo numa só dívida, com pagamentos mensais menores. Além disso , empréstimos existentes
sobre propriedades podem ser comprados e assumidos, passando a fazer parte do preço de
compra, se isso for vantajoso para a igreja.

B. GARANTIA DE UM EMPRÉSTIMO – O Corpo de Diretores é a única entidade legal da


Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular. Portanto todos os empréstimos precisam ser
aprovados por essa Diretoria. Além disso, todos precisam ser garantidos no nome da Igreja
Internacional do Evangelho Quadrangular, com o nome legal da igreja incluído. Um grande
benefício que isso oferece é a possibilidade de qualificação para o empréstimo. A folha de
balanço da Igreja Internacional, relacionando suas propriedades, pode ser utilizada, em vez das
propriedades de uma igreja local. Se o empréstimo for garantido localmente, qualquer contrato
assinado pelo pastor precisa incluir a cláusula: “Subject to the approval of the governing
Board of the International Igreja of the Quadrangular Gospel”

1. Aprovação da Supervisão do Distrito – O empréstimo precisa ser aprovado pelo Supervisor


do Distrito, antes de ser enviado para o Conselho, portanto deve ser submetido à

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-12


aprovação através do ARC. O formulário “Permissão Para Obter Empréstimo” (PT-2), que
é requerido, pode ser obtido no ARC. É, portanto, recomendával a igreja manter-se em
constante contato com o ARC a respeito dessas negociações.
2. Para se obterem empréstimos, devem ser observados os seguintes requisitos:
• A igreja precisa ter uma placa externa destacando o nome “Quadrangular”;
• Os pagamentos não podem exceder 30% do valor das entradas de dízimos e ofertas (não
contando as ofertas designadas);
• Deve haver em caixa um mínimo de 10% (15% de preferência) antes de se iniciar o
projeto; e
• A igreja precisa se comprometer com 25% para qualquer eventualidade, valor este exigido
para qualquer projeto de construção.

C. FINANCIAMENTO
1. Empréstimos locais – A igreja deve verificar a possibilidade de obter empréstimo
localmente, sendo esta a primeira opção para as igrejas tentarem obter qualquer
empréstimo superior a $250,000. Deve informar-se sobre isso com os bancos, caixas
econômicas e agências de empréstimos, companhias hipotecárias, companhias de seguros, e
procurar saber se o dono da propriedade que está sendo adquirida pode concordar em
financiar todo o valor ou parte dele, como empréstimo.

2. Como obter empréstimos através do Departamente Corporativo de Empréstimos da ICFG –


De tempos em tempos, o Departamente de Empréstimos pode fazer acordos especiais de
crédito com bancos grandes. Esta informação está disponível através do ARC. As igrejas
devem estar preparadas para pagarem separadamente as taxas dos custos de fechamento,
empréstimo e os pontos (taxas adicionais cobradas para providenciar o empréstimo), se isso
for aplicável.
D. FINANCIAMENTO SECUNDÁRIO
1. Fundo de Empréstimo da Igreja Internacional – Os fundos para um empréstimo secundário
ou de emergência através dos fundos da Igreja Internacional são para um máximo de 20
anos, se houver fundos disponíveis; sem pontos e sem taxas. Os juros cobrados serão
aqueles da ocasião em que o empréstimo for feito.
2. O Fundo de Empréstimo da Igreja Internacional (IFLF) tem dois propósitos:
a. prover um empréstimo segundário – Normalmente a IFLF considera empréstimo no
valor de $250,000.00 ou menos, para igrejas que não conseguem obter financiamento
fora. Esse tipo de empréstimo é como qualquer outro financiamento - cobram-se juros -
, no entanto não há outras cobranças, pontos ou outras taxas que geralmente estão
relacionadas com empréstimos externos . Os empréstimos da IFLF precisam ser pagos
do mesmo modo que outros empréstimos o são.
b. pagamento de empréstimos a outros – A IFLF também serve como uma espécie de
“casa de compensação” para receber os pagamentos mensais de todos os empréstimos
das Igrejas Quadrangulares, tanto “de fora” como “de dentro” (IFLF). Os pagamentos
de fora são repassados para os emprestadores. As igrejas são orientadas a não fazerem

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-13


os pagamentos diretamente aos emprestadores, prática que permite um controle interno
de atrasos e possibilita à IFLF fornecer informações atualizadas para a administração e
para o Conselho Internacional a qualquer hora. A IFLF só efetua o pagamento depois
que recebe da igreja a quantia a isso destinada.
E. DOCUMENTOS PARA EMPRÉSTIMO
1. Hipoteca – A maioria dos empréstimos obtidos de emprestadores externos na compra e
venda de imóveis, prédios, terra com construção ou sem construção é feita com uma
hipoteca. Se o empréstimo é concedido através do Fundo de Empréstimo Quadrangular,
faz-se uma escritura; se o financiamento for feito por outra companhia, um documento de
crédito é elaborado e assinado, para garantir o negócio. Nesses empréstimos imobiliários,
a escritura ou o documento de crédito incluirão uma descrição específica do que está sendo
hipotecado e de todos os melhoramentos da terra, tais como: estruturas, cercas,
pavimentação, etc. A hipoteca é inscrita no Registro de Imóveis da cidade onde o imóvel
está localizado, o que caracteriza um registro público permanente daquela parcela de terra.
Quando o pagamento estiver liquidado, é necessário registrar outro documento no Registro
de Imóveis da cidade para retirar a penhora evidenciada no registro da hipoteca.
2. A promissória – Uma promissória normalmente tem uma duração mais curta do que o
registro de uma hipoteca ou o documento de crédito e estipula os termos do empréstimo,
incluindo a taxa de juros, o valor do pagamento, a data e o vencimento deste.

3. Compromisso de compra de terra – É um acordo ou contrato no qual o comprador não


recebe a escritura definitiva enquanto não pagar integralmente a propriedade, tal como
ocorre quando se compra um carro a prestações. Como o vendedor retém a posse legal da
propriedade, a falta de pagamento nas datas combinadas pode resultar na perda da
propriedade e na ordem de despejo. Nem todas as compras e/ou empréstimos incluem um
compromisso de compra de terra.

F. CUSTOS DO EMPRÉSTIMO – As taxas de juros de novos empréstimos variam muito, assim


como os custos resultantes do empréstimo. Por isso, não hesite em fazer uma boa pesquisa e
comparações antes de se comprometer com um emprestador.

1. Emprestadores particulares normalmente não cobram ou cobram muito pouco para


acertarem um empréstimo.

2. Como foi dito anteriormente, a IFLF não cobra taxa para iniciar o empréstimo, e este pode
ser liquidado antes, sem pagamento de multa.

3. Os pastores e os Conselhos das igrejas devem procurar empréstimos com instituições de


boa reputação ou com o vendedor.

4. Podem ser cobradas do tomador de empréstimo as taxas do relatório de crédito, da


escritura, de avaliação, de remessa, de documentos, e pontos. Cada ponto é igual a 1% do
valor do empréstimo. Como a Igreja Internacional tem um nível de crédito muito alto, a
igreja que pede o empréstimo obtém sempre a melhor taxa possível.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-14


5. Observe e evite cláusulas no documento de empréstimo estipulando que os pagamentos
sejam feitos para agências de cobrança, porque a maioria delas cobra uma taxa de serviço.

G. AMORTIZAÇÃO DO EMPRÉSTIMO

1. A amortização do empréstimo de imóveis tem o seu valor reduzido aplicando-se o


pagamento primeiramente aos juros devidos naquele mês e o restante ao principal, o saldo
devedor do empréstimo. Tabelas de pagamento de empréstimos podem ser encontradas em
várias lojas, e alguns programas de computadores baratos podem fornecer-lhe o quadro
geral de pagamentos.

2. A duração (período) do empréstimo – A maioria dos empréstimos bancários para prédios de


igrejas são para um período que varia de dez a quinze anos. No caso de empréstimos
particulares, os períodos variam muito, o que está relacionado com a estrutura do
emprestador.

3. Multa por pagamento antecipado – Algumas instituições cobram uma multa quando o
empréstimo é liquidado antes da data pré estabelecida . Isso é feito para dificultar o
refinanciamento por parte dos tomadores do empréstimo. Uma multa comum para o
pagamento antecipado é a de juros de seis meses, do pagamento do empréstimo, no período
de um ano, além de 20% do valor original .

4. Pagamentos mensais – Os pagamentos mensais de um empréstimo a longo prazo diminuem


a cada mês; no entanto as despesas totais com juros são muito maiores. O Conselho
Internacional recomenda que as igrejas não se comprometam com empréstimos por um
período superior a quinze anos.

17.12 SEGURO (Estatuto Artigo 14.4.J & L; Artigo 17.6)


Todas as Igrejas do Evangelho Quadrangular são obrigadas, pelos Estatutos, a segurarem seus
imóveis, móveis, veículos, atividades e empregados (indenização trabalhista). Recomenda-se
que as igrejas sejam seguradas através do Programa de Seguro Quadrangular, administrado
pelo Departamento de Seguros da ICFG. Se algum outro seguro for utilizado, a ICFG precisa
ser designada como segurada em todas as apólices, usando-se o endereço da igreja local, e os
seguintes requisitos precisam ser também satisfeitos:
• Uma cópia completa de todas as apólices de seguro deve ser enviada anualmente para o
departamento de seguros da ICFG, ou sempre que houver renovação de seguros. Se a apólice
for enviada para o endereço da igreja, você deverá avisar a sua agência de seguros que uma
cópia deve ser enviada para o departamento de seguros no endereço da sede.
• A ICFG deve ser nomeada como segurada. O nome legal da igreja pode ser usado como
DBA (doing business as – “fazendo negócios como”). Os nomes fantasia não são permitidos
em documentos legais.
• o valor da cobertura deve ser compatível com os da SIR; e
• o seguro deve ser feito com companhias classificadas como “AAA” ou “AA”, conforme
relacionadas no Alfred M. Best’s - guia de seguros. Outras companhias não são aceitas.
Os seguintes tipos de cobertura devem ser feitos, quando aplicáveis:
9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-15
A. RESPONSABILIDADE CIVIL GERAL, OU ACIDENTES (Valor de cobertura: $2,000,000) – Esta
apólice dá cobertura para atos “negligentes”. Se a nossa organização ou os nossos empregados
ou voluntários causarem “ferimentos no corpo, na pessoa, ou danos na propriedade” de
terceiros, por negligência, o seguro de responsabilidade civil geral dá a cobertura necessária. É
o seguro de responsabilidades para “terceiros” que sofram prejuízos devido a negligência da
igreja. O mínimo requerido é $2,000.000 por ocorrência. O mesmo valor deve ser aplicado na
cobertura por queixas de conduta sexual imprópria.
B. PROPRIEDADE (Valor de cobertura: 100% do custo de reposição de prédio pertencentes à igreja
e de seus conteúdos) – Esta apólice paga para reparar ou repor os prédios pertencentes à ICFG
e/ou os conteúdos que pertencem à igreja e que sofreram perda ou danos causados por um risco
.
1. Curso de Construção (Risco do Construtor) – Está incluído no Programa de Seguros da
ICFG provê um tipo de seguro que dá a cobertura necessária quando a igreja está em fase
de construção. Para isso, o formulário “Notificação de Construção em Andamento” precisa
ser preenchido e submetido ao ARC, junto com o formulário “Pedido de Permissão para
Construir” (PT-4). Ambos devem ser aprovados pelo Conselho Internacional, antes que a
construção comece.

2. Terremoto/Enchente – Seguro de terremoto e enchente é recomendado mas não é


obrigatório em áreas aplicáveis, a menos que um concessor de empréstimo venha a
demandar a cobertura. Esta cobertura é provida com um custo adicional de avaliação. A
participação neste programa pode ser obtida através da apólice principal, obtida pelo
departamento de seguros da ICFG.

C. SEGURO DE PRÁTICAS EMPREGATÍCIAS DE DIRETORES E OFICIAIS (Valor de cobertura: $5,000,000


por ocorrência) – Esta apólice é designada para proteger contra reinvidicações alegando danos
atribuíveis aos diretores e executivos de uma organização. Ela provê uma cobertura para
qualquer ato injusto de diretores, oficiais, supervisores de distrito, conselhor executivo,
pastores, e membros do conselho da igreja. A definição de ato injusto pode incluir atos reais ou
alegados, erros e omissões, declarações enganosas e negligência ou falha nas obrigações.

D. ATIVIDADES (Valor de cobertura: $10,000 por ocorrência) – O seguro de atividades paga gastos
médicos associados com ferimentos ocorridos durante atividades da igreja. Esta apólice é
secundária a qualquer outro seguro de grupo aplicável. Ele paga por ferimentos acidentais a
todos os membros da igreja, inclusive dependentes e convidades especiais enquanto estejam
fazendo parte de uma atividade promovida e supervisionada pela igreja, inclusive esportes com
jogos marcados ou não. Inclue o seguinte:

• Estudantes - Estudantes estão cobertos se eles frequentarem escolas cristãs e creches


aprovados pelo conselho da ICFG e pelo departamento de educação cristã.
• Participantes de esportes.
• Trabalhadores voluntários – os voluntários estão cobertos enquanto estiverem participando de
um evento promovido pela igreja.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-16


E. COMPENSAÇÃO DE TRABALHADORES (“WORKERS’ COMPENSATION”) (Valor de cobertura:
Valores definidos pelo estado) – Este seguro paga os custos médicos e indenizações associadas
com ferimentos sofridos por um empregado durante o curso do seu trabalho.

1. A cobertura de Compensação de Trabalhadores é obrigatória pelos estatutos da


Quadrangular e deve ser provido para todos os empregados, inclusive o pastor, mesmo que
o pastor seja o único membro do quadro de empregados da igreja e talvez não receba
salário. Subsídio de moradia é considero salário nesta situação.

2. Há cinco estados que requerem interação direta com o estado e não permitem a participação
na nossa apólice de grupo: Ohio, North Dakota, Washington, West Virginia, and Wyoming.
Uma igreja localizada em um destes estados pode contatar o ARC para auxílio. O
departamento de seguros deve receber uma cópia da apólice de todas as igrejas dos cinco
estados monopolísticos.

F. AUTOMÓVEL (Valor de cobertura: $500,000/$500,000, limite único combinado) – Todos os


veículos de propriedade da igreja devem ter seguro contra terceiros no valor de
$500,000/$500,000.

1. O programa de seguros da ICFG somente proverá seguros para um automóvel pertencente à


igreja se o seguro de propriedade da igreja estiver no programa.

2. A apólice deverá cobrir automóveis arrendados/não-próprios. Estes seriam os veículos que


você arrenda, contrata, aluga, ou empresta.

G. CRIME (Valor de cobertura: $50,000 por ocorrência) – Cobre desonestidade de empregados,


falsificação de depositantes, perda de dinheiro e ações.

H. PROCEDIMENTOS DE RECLAMAÇÕES – Procedimentos de reclamações em detalhes estão


incluídos no pacote enviado anualmente pelo programa de seguros. Cada agência de seguro
tem instruções diferentes e/ou agências de reclamações que processam os pedidos da ICFG.
Você também pode ligar para o departamento de seguros da ICFG para ajuda. Por favor, esteja
preparado para dar as seguintes informações:

1. Nome legal da Igreja e número de identidade


2. Data da ocorrência
3. Descrição detalhada do ferimento/acidente e o nome e idade da pessoa ferida, se for o caso

Não assuma que uma reclamação está ou não coberta. A validade de uma reclamação deve ser
determinada depois que uma reclamação tenha sido relatada. Se estiver em dúvida, ligue para
o gerente de reclamações de seguros da ICFG para obter ajuda (213-989-4402). Por favor,
mantenha uma cópia de todos os documentos de sua reclamação em seus arquivos para futura
referência.
I. PROCESSOS
Os ministros e as igrejas podem ser processados como quaisquer outras entidades ou
indivíduos. O processo começa quando a parte que se sente prejudicada faz a “queixa” ao
9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-17
tribunal. O tribunal, então, envia uma “intimação”, que é a informação legal à pessoa que está
sendo processada - o “réu” do processo - o qual deve defender-se. Sempre que um ministro
ou igreja receber uma intimação de queixa, o pastor titular precisa imediatamente comunicar o
Supervisor, ARC, o Conselho da ICFG (213-989-4211) e o Gerente de Reclamações do
Departamento de Seguros da ICFG (213-989-4402). Normalmente, o seguro providencia um
advogado para auxiliar o pastor ou a igreja a se defender no processo. Não tente defender o
caso através de um advogado de sua congregação local.

J. SAÚDE E ACIDENTES – O seguro de saúde e acidentes cobre os custos de cuidados médicos


associados com um ferimento e doença que não são pagos por nenhuma outra forma de seguro.
Esta cobertura não é disponível através do programa de seguros da ICFG . Este seguro é
recomendado, mas não não é obrigatório.

17.13 PYROTECHNICS

A. PYROTECHNICS USE POLICY AT FOURSQUARE EVENTS – In response to a request for guidelines,


the Foursquare board of directors adopted the following policy regarding pyrotechnics. The
guidelines listed below will help you comply with both safety and insurance requirements:

1. Hire an outside contractor licensed in the handling and use of pyrotechnic special effects
for each event.

2. Require the contractor to submit a written plan well in advance of each event in order to
allow review and revision by Foursquare personnel, city and county government agencies,

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-18


insurers, and others. The plan should specifically account for variables arising from indoor
events (ceiling heights, exits, etc.) and outdoor events (weather, adjacent structures, etc.).

3. Require the contractor to obtain and provide copy of a permit for use of pyrotechnic
materials and devices from the local fire department or other applicable government agency
having jurisdiction over the event.

4. Require the contractor to obtain and provide proof of liability insurance, naming
Foursquare as an additional insured. The required policy limits should be no less than $5
million dollars per occurrence, issued by an insurance carrier admitted in the state where
the event will occur with a financial Best rating of “A” or better.

5. Require the sponsoring church or camp, etc. to develop and have in place a written
emergency plan to deal with any accidental occurrence.

6. Establish appropriate verbal and physical barriers to ensure that all Foursquare personnel,
volunteers, and event attendees have no contact with the pyrotechnic materials or devices;
this would include set up before the event and clean up after the event.

B. PYROTECHNICS USE PROCESS – Each of the following steps must be implemented in order for a
camp, school or church to conduct a pyrotechnics event:

1. Sponsor (camp, school, church) requests “Pyrotechnics Compliance Form” from the ARC.

2. Sponsor completes the form, attaches copies of the following as required by the policy, and
sends it to the ARC at least 45 days prior to the date of the proposed event:
a. License of contractor licensed in the handling and use of pyrotechnics
b. Written event plan by the contractor
c. Use Permit from the local fire department or applicable government agency
d. Proof of contractor’s liability insurance, naming Foursquare as an additional insured
e. Written emergency plan by the sponsor
f. Statement signed by contractor which agrees to prohibit all Foursquare personnel and
event attendees from any contact with pyrotechnics

3. ARC reviews form and attachments for accuracy and completeness, and coaches sponsor
accordingly.

4. ARC presents completed form to district supervisor for approval.

5. ARC presents completed form and attachments to insurance department to confirm


compliance with policy.

6. ARC communicates response of insurance department to sponsor and district supervisor. If


the insurance department indicates any areas in which the form or attachments fail to
comply, the ARC will advise the sponsor to make the necessary corrections in order to
resubmit the form and attachments to the insurance department.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-19


7. Sponsor includes in event registration or application form a statement that advises parents
that pyrotechnics will be included in the event.

9/01/2006 Manual de Operação da Igreja Quadrangular 17-20