Sei sulla pagina 1di 24

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

FACULDADE DE ENGENHARIA CIVIL

Segurança do Trabalho

A3

Disciplina: Segurança do Trabalho


Professor: João Cícero da Silva
Aluno:
Gabriel Machado Couto 11321ECV009
Guilherme Távora Teixeira 11221ECV039
João Pedro Borsato Mendonça 11211ECV054
Marcell Godoi Sivelli 11211ECV003

Uberlândia, setembro de 2017

1
1- O fulcro da Segurança do Trabalho é a Precaução, a Prevenção e a
Proteção. Faça uma varredura na História (Mundo e Brasil) desde
Hipócrates até os dias atuais sobre A Segurança do Trabalho.

Na civilização Greco-Romana, Aristóteles cuidou das enfermidades dos mineiros e tentava


evitá-las. Hipócrates (considerado o pai de medicina) viveu entre 460 a 370 antes de Cristo.
Ele é considerado um dos homens mais importantes na história da medicina. Foi pioneiro
em muitas descobertas, entre elas, a identificação na origem das doenças relacionadas ao
trabalho com as minas de estanho.
Cronologia:
 Século XVI – Paracelso estudou as afecções dos mineiros.
 1700 – Bernardino Ramazzini publicou sua obra “As doenças dos trabalhadores”. O
trabalho dele foi a base de estudo que iluminou o trabalho de grandes mentes da
medicina ao longo dos séculos.
Em torno de 1760 surge a Revolução Industrial na Inglaterra, com o aparecimento das
máquinas de tecelagem movidas a vapor (tear mecânico). O artesão e sua família passam a
trabalhar nas fábricas.
Podemos dividi-la em 3 fases:
1. 1760 a 1830 – Se ateve praticamente a Inglaterra. Surgiram as primeiras máquinas
movidas a vapor.
2. 1830 a 1900 – difundiu-se pela Europa e América. Surgiram novas formas de energia:
Hidrelétricas e novos combustíveis (gasolina)
3. 1900 em diante – Várias inovações surgiram: energia atômica, meios de comunicação
rápida, produção em massa.
Alguns historiadores indicam a 4° fase, a partir da década de 50, com o advento dos
computadores.
4. 1802 – O parlamento inglês através de uma comissão de inquérito, aprovou a 1° lei
de proteção aos trabalhadores: Lei de saúde e moral dos aprendizes, estabelecendo
limite de 12 horas de trabalho/dia, proibindo o trabalho noturno. Obrigava os
empregadores a lavarem as paredes das fábricas 2 vezes ao ano e tornava obrigatório
a ventilação desses locais.

5. 1831 Na Inglaterra uma Comissão Parlamentar de Inquérito, elaborou um cuidadoso


relatório, que concluía da seguinte forma: “Diante dessa Comissão Parlamentar
desfilou longa procissão de trabalhadores homens e mulheres, meninos e meninas,
abobalhados, doentes, deformados, degradados na sua qualidade humana, cada um

2
deles é clara evidência de uma vida arruinada. Um quadro vivo da crueldade humana
do homem para com o homem, uma impiedosa condenação imposta por aqueles que,
detendo em suas mãos poder imenso, abandonam os fracos à capacidade dos fortes”
1844 – 1848 – A Grãn – Bretanha aprova as primeiras Leis específicas de Segurança
do Trabalho e saúde pública.
6. 1919 – Criações da OIT (Organização Internacional do Trabalho). O Brasil é membro
fundador.

SEGURANÇA DO TRABALHO NO BRASIL

1891 – A preocupação prevencionista teve início com a Lei que tratava da proteção ao
trabalho dos menores, em 23/01/1891
1919 – Criada a Lei n° 3724, de 15/01/19 – Primeira Lei brasileira sobre acidentes de trabalho.
1941 – Em 21/04/41, empresários fundam no Rio de Janeiro a ABPA – Associação Brasileira
para Prevenção de Acidentes.
1943 – CLT foi aprovada pelo decreto-Lei n°5452, em 01/05/43 (entrou em vigor em
10/11/43). Foi o instrumento jurídico que viria a ser prática efetiva da prevenção no Brasil.
1944 – Decreto-Lei n° 7036 de 10/11/44 promoveu a “reforma da Lei de acidentes de
trabalho” (um desdobramento que contava no capítulo V do Título II da CLT).
Objetivando maior entendimento à matéria e agilizar a implementação dos dispositivos da
CLT referentes a Segurança e Higiene do Trabalho, além de garantir a “Assistência Médica,
hospitalar e farmacêutica” aos acidentados e indenizações por danos pessoais por acidentes.
Este Decreto-Lei, em seu artigo 82 criou as CIPA.

3
1953 Decreto-Lei n° 34715, de 27/11/53 instituiu a SPAT (Semana de Prevenção de
Acidentes do Trabalho) A ser realizada na 4° semana de Novembro de cada ano. Também
em 1953 a Portaria 155 regulamenta e organiza as CIPA‘s e estabelece normas para seu
funcionamento.
1955 – Criada a portaria 157, de 16/11/55 para coordenar e uniformizar as atividades das
SPAT. Constando a realização do Congresso anual das CIPA durante a SPAT. O Título do
Congresso passou em 1961 para Congresso Nacional de Prevenção de Acidentes do
Trabalho – CONPAT. A exclusão do CONPAT ocasionou a proliferação de Congressos e
outros eventos.
1960 – A Portaria 319 de 30/12/60 regulamenta a uso dos EPI´s.
1966 – Criada conforme Lei n° 5161 de 21/10/66 a Fundação Centro Nacional de
Segurança Higiene e Medicina do Trabalho, atual Fundação Jorge Duprat Figueiredo de
Segurança e Medicina do Trabalho, em homenagem ao seu primeiro Presidente.
Hoje mais conhecida como FUNDACENTRO. A criação da FUNDACENTRO foi sem
dúvida um dos grandes feitos na história da segurança do trabalho e partir de ações da
entidade a segurança do trabalho pode avançar de forma significativa.
1967 – A Lei n° 5316 de 14/09/67 integrou o seguro de acidentes de trabalho na
Previdência Social.
Também em 1976 surge a sexta lei de acidentes de trabalho, e identifica doença profissional
e doença do trabalho como sinônimos e os equipara ao acidente de trabalho.
1972 – Decreto n° 7086 de 25/07/72, estabeleceu a prioridade da Política do PNVT-
Programa Nacional de Valorização do Trabalhador. Selecionou 10 prioridades, entre elas a
Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho. A Portaria 3237 do MTE de 27/07/72 criou os
serviços de Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho nas empresas. Foi o “divisor de
águas” entre a fase do profissional espontâneo e o legalmente constituído. Esta portaria criou
os cursos de preparação dos profissionais da área.
1974 – Iniciados enfim, os cursos para formação dos profissionais de Segurança, Higiene e
Medicina do Trabalho.
1977 A Lei n° 6514 de 22/12/77 modificou o Capitulo V do Título II da CLT. Convém
ressaltar que essa modificação deu nova cara a CIPA, estabeleceu a obrigatoriedade,
estabilidade, entre outros avanços.

4
1978 – Criação das NR – Normas Regulamentadoras, aprovadas pela Portaria 3214 de
08/06/78 do MTE, aproveitando e ampliando as postarias existentes e Atos Normativos,
adotados até na construção da Hidrelétrica e Itaipu. Na ocasião foram criadas 28 NR’s.
Essa portaria representou um dos principais impulsos dados a área de Segurança e Medicina
do Trabalho nos últimos anos.
1979 – Em virtude da carência de profissionais para compor o SESMT, a resolução n° 262
regulamenta a criação de cursos em caráter prioritário para esses profissionais.
1983 – A Portaria n° 33 alterou a Norma Regulamentadora 5 introduzindo nela os riscos
ambientais.
1985 – A lei n° 7410 de 27/11/85 Oficializou a especialização em Engenharia de Segurança
do Trabalho e criou a categoria profissional de Técnico em Segurança do Trabalho, até então
os únicos profissionais prevencionistas não reconhecidos legalmente.
Dava prazo de 120 dias para o MEC os currículos básicos do curso de especialização em
Técnico de Segurança do Trabalho. Mas somente em 1987, através do parecer 632/87 do
MEC, foi estabelecido o curso de formação de TST em vigor.
1986 – A lei n° 7498/86 regulamenta as profissões Enfermeiro, Técnico em Enfermagem,
Auxiliar de Enfermagem.
1986 – A Lei n° 9235 de 09/04/86 regulamentou a categoria de Técnico de
Segurança do Trabalho. Que na década de 50 eram chamados de “Inspetores de Segurança”.
1990 – O quadro do SESMT NR 4 é atualizado. O SESMT a partir de então é formado por:
– Engenheiro de Segurança do Trabalho;
– Médico do Trabalho;
– Enfermeiro do Trabalho;
– Auxiliar de Enfermagem do Trabalho;
– Técnico em Segurança do Trabalho.
1991 – Lei 8.213/91 estabelece o conceito legal de Acidente de Trabalho e de Trajeto e nos
artigos 19 a 21 e no artigo 22 também estabelece a obrigação da empresa em comunicar os
Acidentes do Trabalho as autoridades competentes.

Foi posteriormente alterado pelo Decreto nº 611, de 21 de julho de 1992. 2001 – Entra em
vigor a Portaria n° 458 de 4 de Outubro de 2001 e fica proibido a partir de então, o trabalho
infantil no Brasil.
2009 – O termo Ato Inseguro é retirado do item 1.7 da Norma Regulamentadora 1. E isso é
motivo de comemoração para muitos prevencionistas que reclamam que o termo retirava em
5
muitas vezes o responsabilidade do empregador. Pois era fácil rotular os acidentes somente
como Ato Inseguro, e isso dificultava encontrar a verdadeira causa.
2012 – A presidente do Brasil institui através da Lei nº 12.645, de 16 de maio de 2012 o dia
10 de outubro como o Dia Nacional de Segurança e de Saúde nas Escolas.

2-Comente sobre as Seguintes Datas: 08/03, 22/03, Dia das Mães, 07/04, 28/04,
05/06, 02/07 e 27/07 entre outras e a correlação com o MASSO.

08/03: É comemorado o dia internacional da mulher porque na virada do século XX, quando
se iniciou o processo de industrialização e expansão econômica, aconteceram protestos sobre
a condição de trabalho feminino. Então, no ano de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos,
de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar
melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez
horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os
homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para
executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.
A manifestação foi reprimida com violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica,
que foi incendiada e nesta ocasião, aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas,
num ato totalmente desumano.
Somente no ano de 1910, na Conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março
passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenageando aquelas que morreram.
Somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU
(Organização das Nações Unidas).

22/03: O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no
dia 22 de março de 1992. O dia 22 de março, de cada ano, é destinado à discussão sobre os
diversos temas relacionadas a este importante bem natural.
Mas porque a ONU se preocupou com a água se sabemos que dois terços do planeta Terra
é formado por este precioso líquido? A razão é que pouca quantidade, cerca de 0,008 %, do
total da água do nosso planeta é potável (própria para o consumo). E como sabemos, grande
parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) esta sendo contaminada, poluída e
degradada pela ação predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar,
num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial. Pensando

6
nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objetivo principal é criar um momento de
reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema.
No dia 22 de março de 1992, a ONU também divulgou um importante documento: a
“Declaração Universal dos Direitos da Água” (leia abaixo). Este texto apresenta uma série de
medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da
população e dos governantes para a questão da água.
Mas como devemos comemorar esta importante data? Não só neste dia, mas também nos
outros 364 dias do ano precisamos tomar atitudes em nosso dia-adia que colaborem para a
preservação e economia deste bem natural. Sugestões não faltam: não jogar lixo nos rios e
lagos; economizar água nas atividades cotidianas (banho, escovação de dentes, lavagem de
louças etc); reutilizar a água em diversas situações; respeitar as regiões de mananciais e
divulgar ideias ecológicas para amigos, parentes e outras pessoas.

Dia das Mães:


Encontramos na Grécia Antiga os primeiros indícios de comemoração desta data. Os gregos
prestavam homenagens a deusa Reia, mãe comum de todos os seres. Neste dia, os gregos
faziam ofertas, oferecendo presentes, além de prestarem homenagens à deusa. Os romanos,
que também eram politeístas e seguiam uma religião muita parecida com a grega, faziam este
tipo de celebração. Em Roma, durava cerca de 3 dias ( entre 15 a 18 de março). Também
eram realizadas festas em homenagem a Cibele, mãe dos deuses. Porém, a comemoração
tomou um caráter cristão somente nos primórdios do cristianismo. Era uma celebração
realizada em homenagem a Virgem Maria, a mãe de Jesus.

28/04: O dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes de Trabalho, surgiu no Canadá
por iniciativa do movimento sindical, e logo se espalhou por diversos países, organizado por
sindicatos, federações, confederações locais e internacionais.
A data foi escolhida em razão de um acidente que matou 78 trabalhadores em uma mina no
estado da Virgínia, nos Estados Unidos no ano de 1969. A OIT, desde 2003, consagra a data
à reflexão sobre a segurança e saúde do trabalhador. Desde maio de 2005, o dia 28 foi
instituído no Brasil por meio da Lei nº 11.121. A cada ano milhões de trabalhadores se
acidentam em todo o mundo e outras centenas de milhares morrem no exercício do trabalho.
No Brasil, as estatísticas oficiais do Ministério da Previdência mostram que em 2008 foram

7
registrados 747 mil casos de acidentes de trabalho, com 2.757 mortes e 12.071 casos de
trabalhadores que sofreram incapacidade permanente.
Segundo estimativas da OIT, ocorrem anualmente no mundo, cerca de 270 milhões de
acidentes de trabalho, além de aproximadamente 160 milhões de casos de doenças
ocupacionais. Essas ocorrências chegam a comprometer 4% do PIB mundial. Cada acidente
ou doença representa, em média, a perda de quatro dias de trabalho. Dos trabalhadores
mortos, 22 mil são crianças, vítimas do trabalho infantil. Ainda segundo a OIT, todos os dias
morrem, em média, cinco mil trabalhadores devido a acidentes ou doenças relacionadas ao
trabalho.
05/06: Em 1972, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente
Humano, em Estocolmo, a Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu o Dia Mundial
do Meio Ambiente, que passou a ser comemorado todo dia 05 de junho. Essa data, que foi
escolhida para coincidir com a data de realização dessa conferência, tem como objetivo
principal chamar a atenção de todas as esferas da população para os problemas ambientais e
para a importância da preservação dos recursos naturais, que até então eram considerados,
por muitos, inesgotáveis.
Nessa Conferência, que ficou conhecida como Conferência de Estocolmo, iniciou-se uma
mudança no modo de ver e tratar as questões ambientais ao redor do mundo, além de serem
estabelecidos princípios para orientar a política ambiental em todo o planeta. Apesar do
grande avanço que a Conferência representou, não podemos afirmar, no entanto, que todos
os problemas foram resolvidos a partir daí.
Atualmente existe uma grande preocupação em torno do meio ambiente e dos impactos
negativos da ação do homem sobre ele. A destruição constante de habitat e a poluição de
grandes áreas, por exemplo, são alguns dos pontos que exercem maior influência na
sobrevivência de diversas espécies.

02/07: No dia 02 de julho comemora-se o dia do bombeiro, uma corporação da Defesa Civil
que se encontra diretamente ligada à Polícia Militar.
A data foi decretada oficial no Brasil no ano de 1954, e hoje já somam cento e cinquenta e
dois anos de existência. Os primeiros registros dos serviços do Corpo de Bombeiro no Brasil
surgiram no ano de 1856, quando o imperador D.
Pedro II assinou um decreto que caracterizava a diminuição dos incêndios. Antes da criação
dessa corporação, as pessoas apagavam os incêndios contando com a ajuda de vizinhos e
amigos, além de contar com a boa sorte de se encontrar água em abundância na localidade.
8
As latas iam passando de mão em mão, até chegaram ao local do incêndio, de forma bem
simples e arriscada, podendo causar maiores danos, em razão da falta de preparo das pessoas.
Hoje em dia podemos acessar o corpo de bombeiros através do telefone 193, um número
que atende localidades de todo o país. Mas esse número deve ser preservado de trotes e
brincadeiras de mau gosto, pois podem atrapalhar no salvamento de vidas que estejam em
perigo.
Todas as datas estão relacionadas de alguma forma com o MASSA meio ambiente saúde e
segurança ocupacional.

3-Como se comporta a ILO ou OIT e a ONU em relação à Segurança do Trabalho?

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) é a mais antiga agência da ONU tendo sido
formada em 1919 como parte do Tratado de Versalhes que deu fim à Primeira Guerra
Mundial. A OIT tem uma estrutura tri partidária única, que abarca representantes de
governos, trabalhadores e empregadores.

A meta fundamental da OIT é promover oportunidades para que mulheres e homens


obtenham trabalho decente e produtivo em condições de liberdade, igualdade, segurança e
dignidade humana. Por conseguinte, a OIT dedica-se na criação de trabalho decente para
pessoas dos países quer desenvolvidos como em vias de desenvolvimento. O programa e
orçamento da OIT é direcionado ao alcance dos quatro objetivos estratégicos seguintes:
Promover e realizar padrões, princípios e direitos fundamentais nos postos de trabalho;
Criar grandes oportunidades para mulheres e homens para empregos seguros e salários
decentes;
Realçar a cobertura e eficácia da proteção social para todos; Fortalecer o diálogo
social e tripartido.

Estes quatro objetivos estratégicos coletivamente compõem ao que é amplamente referido


como a “Agenda de Trabalho Decente” global.

Ao providenciar justiça social e direitos humanos e de trabalho reconhecidos


internacionalmente, a OIT está a executar a missão primordial da sua criação onde a paz e a
harmonia de trabalho sejam essenciais para a prosperidade. Isto se faz através da assistência
técnica e implementação de projetos técnicos de cooperação nos estados membros.
9
4-Quais os Órgãos, Instituições, ONGs e OSCIPs voltadas à Segurança e Saúde do
Trabalhador?

Ministério Público do Trabalho (MPT): É o ramo do Ministério Público da União (MPU)


cuja função é atuar na defesa dos direitos coletivos e individuais na área trabalhista.

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA): É, segundo a legislação brasileira, uma


comissão constituída por representantes indicados pelo empregador e membros eleitos pelos
trabalhadores, de forma paritária, em cada estabelecimento da empresa, que tem a finalidade
de prevenir acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível
permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do
trabalhador.

Uma OSCIP é uma qualificação jurídica atribuída a diferentes tipos de entidades privadas
atuando em áreas típicas do setor público com interesse social, que podem ser financiadas
pelo Estado ou pela iniciativa privada sem fins lucrativos. Por ser uma qualificação, e não
uma forma de organização em si mesma, vários tipos de instituições podem solicitar a
qualificação como OSCIP. De maneira geral, as organizações não-governamentais (ONGs)
são as entidades que mais se encaixam no perfil para solicitar a qualificação de OSCIP.

5-Como a Segurança e o Meio Ambiente são tutelados no Brasil principalmente a


partir do Século XX? Exemplifique com leis, portarias, decretos, resoluções, quando
for o caso.

A Segurança do trabalho é tutelada através de Leis e Normas Regulamentadoras. As CLT’s


ditam leis que asseguram os direitos dos trabalhadores e as NR’s explicitam as normas que
devem ser seguidas pelos mesmos.
Na CLT, os dispositivos característicos sobre a Segurança e Medicina do Trabalho se
encontram no Capítulo V do Título II – Das Normas Gerais de Tutela do Trabalho,
perfazendo 70 artigos (do nº 154 ao nº 223). Em geral, o propósito é garantir a proteção da
saúde e da integridade física e psicológica dos empregados, criando-se normas mais gerais
para que as iniciativas de resguardo e amparo tomem forma e sejam concretizadas. Sendo
assim, estas normas da CLT se tornam a base para a elaboração das NR’s.
10
Os artigos iniciais do dito capítulo abordam as obrigações diretas das empresas e dos
empregados, a incumbência pertencente à Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho
(SSST), a realização de convênios com outros órgãos fiscalizadores, a inspeção prévia e a
interdição ou embargo.

São temas que dizem respeito às NR’s 1, 2 e 3, por exemplo. Assim, a CLT dispõe normas
mais gerais, enquanto as NR’s esmiúçam cada assunto legal, fixando as regras, condutas e
procedimentos esperados nos ambientes laborais.

As NR’s (Portaria Ministerial 3214/78), dentre uma série de recomendações técnicas,


estabelecem a obrigatoriedade das empresas em constituírem o Serviço Especializado em
Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT) e as categorias profissionais integrantes desses
serviços são compostas por médico do trabalho, engenheiro de segurança do trabalho,
técnico de segurança do trabalho, enfermeiro do trabalho e o auxiliar de enfermagem do
trabalho, todos necessitando de formação específica para atuarem nestes serviços.

Tais normas dão direcionamento para o desenvolvimento das ações e obrigações das
empresas. Em especial as ações relativas às medidas de prevenção, controle e eliminação de
riscos, inerentes ao trabalho e à proteção da saúde do trabalhador (BRASIL,1978).

Conforme o Ministério do Trabalho e do Emprego, as principais normas regulamentadoras


para conhecimento do enfermeiro do trabalho são:

- NR 1 sobre as Disposições Gerais publicadas pela Portaria GM n. 3.214, de 08 de junho


de 1978, relativas à segurança e medicina do trabalho. São de observância obrigatória pelas
empresas privadas e públicas e pelos órgãos públicos de administração direta e indireta,
bem como pelos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, que possuam empregados
regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Ao que se diz sobre a legislação ambiental brasileira, é uma das mais completas do mundo.
Apesar de não serem cumpridas da maneira adequada, as 17 leis ambientais mais importantes
podem garantir a preservação do grande patrimônio ambiental do país.

11
Um exemplo seria a Lei dos Crimes ambientais.
- Lei de Crimes Ambientais - número 9.605 de 12/02/1998.
Reordena a legislação ambiental brasileira no que se refere às infrações e punições. A pessoa
jurídica, autora ou coautora da infração ambiental, pode ser penalizada, chegando à
liquidação da empresa, se ela tiver sido criada ou usada para facilitar ou ocultar um crime
ambiental. A punição pode ser extinta caso se comprove a recuperação do dano ambiental.
As multas variam de R$ 50,00 a R$ 50 milhões de reais.

6-Cabe ao Empregador e cabe ao empregado...(sob á égide da Segurança do


Trabalho).... e o que é uma ORDEM DE SERVIÇO.

As Normas Regulamentadoras estipulam as seguintes obrigações para empregadores e


empregados:

Cabe ao empregador:
• Cumprir e fazer cumprir as disposições legais e regulamentares sobre segurança e
medicina do trabalho;
• Elaborar ordens de serviço sobre segurança e medicina do trabalho, dando ciência
aos empregados, com os seguintes objetivos: • I - prevenir atos inseguros no
desempenho do trabalho;
• II - divulgar as obrigações e proibições que os empregados devam conhecer e
cumprir;
• III - dar conhecimento aos empregados de que serão passíveis de punição, pelo
descumprimento das ordens de serviço expedidas;
• IV - determinar os procedimentos que deverão ser adotados em caso de acidente do
trabalho e doenças profissionais ou do trabalho;
• V - adotar medidas determinadas pelo MTb;
• VI - adotar medidas para eliminar ou neutralizar a insalubridade e as condições
inseguras de trabalho.
• Informar aos trabalhadores:
• I - os meios para prevenir e limitar tais riscos e as medidas adotadas pela empresa;
• I - os resultados dos exames médicos e de exames complementares de diagnóstico
aos quais os próprios trabalhadores forem submetidos;

12
• Ill - os resultados das avaliações ambientais realizadas nos locais de trabalho.
• Permitir que representantes dos trabalhadores acompanhem a
fiscalização dos preceitos legais e regulamentares sobre segurança e medicina do trabalho.

Cabe ao empregado:
• Cumprir as disposições legais e regulamentares sobre segurança e medicina do
trabalho, inclusive as ordens de serviço expedidas pelo empregador;
• Usar o EPI fornecido pelo empregador;
• Submeter-se aos exames médicos previstos nas
Normas
Regulamentadoras - NR;
• Colaborar com a empresa na aplicação das Normas Regulamentadoras -
NR;

Constitui ato faltoso a recusa injustificada do empregado ao cumprimento do disposto no


item anterior. O não cumprimento das disposições legais e regulamentares sobre segurança
e medicina do trabalho acarretará ao empregador a aplicação das penalidades previstas na
legislação pertinente.

A Ordem de Serviço é um instrumento de extrema importância em toda gestão de Segurança


do Trabalho na empresa. O documento serve para conscientizar o trabalhador dos riscos do
ambiente de trabalho, como também para mostrar as medidas adotadas pela empresa em
favor da segurança do trabalhador. É muito importante também pelo fator “documentação”.
Nela o funcionário se compromete a trabalhar de forma segura. É geralmente, o primeiro
contato da segurança do trabalho com o trabalhador recém-contratado.

7-Atualmente 36 NRs (1 a 36) estão em vigor e ainda existe a NR 0. Quais são? E o


que houve com as 5 NRRs?

De acordo com o Ministério do Trabalho e emprego,


“As NR ou Normas Regulamentadoras são as normas que
regulamentam e fornecem orientações sobre os
procedimentos obrigatórios relacionados à segurança e
medicina do trabalho.

13
Estas normas são elaboradas e modificadas por comissões
tripartites específicas compostas por representantes do
governo, empregadores e empregados.
Ainda com respeito as mesmas, estas foram aprovadas pela
portaria N° 3.214 de 8 de junho de 1978 e são de observância
obrigatória por todas as empresas brasileiras regidas pela CLT
e são periodicamente revisadas pelo Ministério do Trabalho
e Emprego. ”

Ainda, segundo o Ministério do Trabalho e Emprego, as Normas Regulamentadoras


(NR) são assim discriminadas:

NR 0 – Metodologia: Portaria 393 de 09 de abril de 1996, a metodologia de


regulamentação na área de segurança e saúde no trabalho, atribuição da Secretaria de
Segurança e Saúde no Trabalho - SSST, terá como princípio básico a adoção do sistema
tripartite Paritário - Governo, Trabalhadores e Empregadores.
NR 1 – Disposições Gerais: Estabelece a importância, funções e competência da
Delegacia Regional do Trabalho. Ainda vale reafirmar que as NRs são de observância
obrigatória pelas empresas privadas e públicas e pelos órgãos públicos de administração
indireta, que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).
NR 2 – Inspeção Prévia: Determina que todo estabelecimento novo, antes de
iniciar suas atividades, deverá solicitar aprovação de suas instalações junto ao órgão do
Ministério do Trabalho e Emprego.
NR 3 – Embargo ou Interdição: Determina que a Delegacia Regional do Trabalho,
à vista de laudo técnico do serviço competente que demonstre grave iminente 3 para o
trabalhador, poderá interditar estabelecimento, setor de serviço, máquina ou equipamento,
ou embargar a obra.
NR 4 – Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do
Trabalho (SESMT): Estabelece os critérios para organização dos Serviços Especializados
em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT), de forma a reduzir os
acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais. No qual de modo a cumprir suas funções,
o SESMT deverá ter os seguintes profissionais: médico do trabalho, engenheiro de segurança
do trabalho, enfermeiro do trabalho, técnico de segurança do trabalho, enfermeiro do
trabalho, técnico de segurança do trabalho, auxiliar de enfermagem do trabalho, em
quantidades estabelecidas em função do número de trabalhadores e do grau de risco.

14
NR 5 – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA): Determina que
as empresas privadas, públicas e órgãos governamentais que possuam empregados regidos
pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) ficam obrigados a organizar e manter em
funcionamento uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes.
NR 6 – Equipamento de Proteção Individual: Trata dos Equipamentos de
Proteção Individual (EPI). Para efeitos legais, toda empresa é obrigada a fornecê-los aos
empregados gratuitamente e estes devem estar em concordância com o TEM e possuírem
um Certificado de Aprovação (CA).
NR 7 – Programa de Controle de Saúde Ocupacional: Estabelece a
obrigatoriedade da elaboração e implementação por parte de todos os empregadores e
instituições que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de Controle de
Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO, cujo objetivo é promover e preservar a saúde do
conjunto dos seus trabalhadores.
NR 8 – Edificações: Esta norma estabelece requisitos técnicos mínimos que devam
ser observados nas edificações para garantir segurança e conforto aos que nela trabalham.
NR 9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais: Esta norma estabelece a
obrigatoriedade da elaboração e implementação, por parte de todos os empregados e
instituições que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de Prevenção de
Riscos Ambientais, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e consequente
controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente
de trabalho.
NR 10 – Instalações e Serviços em Eletricidade: Estabelece os requisitos e
condições mínimas exigidas para garantir a segurança e saúde dos trabalhadores que
interagem com instalações elétricas, em suas etapas de projeto, construção, montagem,
operação e manutenção, bem como de quaisquer trabalhos realizados em suas proximidades.
NR 11 – Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais:
Estabelece normas de segurança para Serviços de elevadores, serviços, transportadores
serviços e máquinas transportadoras. A mesma ainda estabelece condições acerca do
armazenamento de materiais e de seu manuseio.
NR 12 – Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos: Estabelece os
procedimentos obrigatórios nos locais destinados a máquinas e equipamentos, como
serviços, áreas de circulação, dispositivos de partida e parada, normas sobre proteção de
máquinas e equipamentos, bem como manutenção e operação.

15
NR 13 – Caldeiras e Vasos de Pressão e Tubulações: Estabelece os
procedimentos obrigatórios para garantir a integridade física de caldeiras, vasos de pressão e
as tubulações que estiverem interligadas a eles. Serviços de operação e manutenção, e
supervisão de inspeção de caldeiras, vasos de pressão e tubulações, em conformidade com a
regulamentação profissional vigente no país.
NR 14 – Fornos Industriais: Fala de construção sólida, serviços com material
refratário, de forma que o calor radiante não ultrapasse os limites de tolerância, oferecendo
o máximo de segurança e conforto aos trabalhadores.
NR 15 – Atividades e Operações Insalubres: Estabelece os procedimentos
obrigatórios, nas atividades ou operações insalubres que são executadas acima dos limites de
tolerância previstos na Legislação, comprovadas através de serviços de inspeção do local de
serviços.
NR 16 – Atividades e Operações Perigosas: Estabelece os procedimentos
obrigatórios nas atividades exercidas pelos trabalhadores que prestam serviços e/ou
transportam explosivos ou produtos químicos, serviços como inflamáveis, substâncias
radioativas e serviços de operação e manutenção.
NR 17 – Ergonomia: Visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das
condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a
proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente, incluindo os
aspectos relacionados ao levantamento, transporte e descarga de materiais, ao mobiliário, aos
equipamentos e às condições ambientais do posto de trabalho e à própria organização do
trabalho.
NR 18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção:
Estabelece diretrizes de ordem administrativa, de planejamento e de segurança, que
objetivam a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos de segurança nos
processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho na indústria da construção.
NR 19 – Explosivos: Estabelece os procedimentos para o manuseio, transporte e
armazenagem de materiais explosivos, evitando acidentes.
NR 20 – Líquidos Combustíveis e Inflamáveis: Estabelece a definição para
líquidos combustíveis, líquidos inflamáveis e Gás de petróleo liquefeito, parâmetros para
armazenar, como transportar e como devem ser manuseados pelos trabalhadores.
NR 21 – Trabalhos a céu aberto: Estabelece os critérios mínimos para os serviços
realizados a céu aberto, sendo obrigatória a existência de abrigos, ainda que rústicos com boa
estrutura e capazes de proteger os trabalhadores contra intempéries.
16
NR 22 – Segurança e Saúde Ocupacional na Mineração: Estabelece sobre
procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho nas atividades de minas, determinando
que a empresa adotará métodos e manterá locais de trabalho que proporcionem a seus
empregados condições satisfatórias de Saúde, Segurança e Medicina do Trabalho.
NR 23 – Proteção contra incêndios: Estabelece os procedimentos que todas as
empresas devam possuir, no tocante à proteção contra incêndio, saídas de emergência para
os trabalhadores, equipamentos suficientes para combater o fogo e pessoal treinado no uso
correto.
NR 24 – Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho:
Estabelece critérios mínimos, para fins de aplicação de aparelhos sanitários, gabinete
sanitário, banheiro, cujas instalações deverão ser separadas por sexo, vestiários, refeitórios,
cozinhas e alojamentos.
NR 25 – Resíduos Industriais: Estabelece os critérios para eliminação de resíduos
industriais dos locais de trabalho, através de métodos, equipamentos ou medidas adequadas,
de forma a evitar riscos à saúde e à segurança do trabalhador.
NR 26 – Sinalização de Segurança: Fixa as cores que devam ser usadas nos locais
de trabalho para prevenção de acidentes, identificando, delimitando e advertindo contra
riscos.
NR 27 – Registro Profissional do Técnico de Segurança do Trabalho no
Ministério do Trabalho: Esta NR foi revogada pela portaria Nº 262 de 29 de maio de 2008
(DOU de 30 de maio de 2008 – Seção 1 – Pág. 118). De acordo com o Art. 2º da supracitada
portaria, o registro profissional será efetivado pelo Setor de Identificação e Registro
Profissional das Unidades Descentralizadas do Ministério do Trabalho e Emprego, mediante
requerimento do interessado, que poderá ser encaminhado pelo sindicato da categoria. O
lançamento do registro será diretamente na Carteira de Trabalho e Previdência Social –
CTPS.
NR 28 – Fiscalização e Penalidades: Estabelece que fiscalização, embargo,
interdição e penalidades, no cumprimento das disposições legais e/ou regulamentares sobre
segurança e saúde do trabalhador serão efetuados obedecendo ao disposto nos decretos leis.
NR 29 – Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho
Portuário: Regulariza a proteção obrigatória contra acidentes e doenças profissionais,
alcançando as melhores condições possíveis de segurança e saúde dos trabalhadores que
exerçam atividades nos portos organizados e instalações portuárias de uso privativo e
retroportuárias, situadas dentro ou fora da área do porto organizado.
17
NR 30 – Segurança e Saúde no Trabalho Aquaviário: Aplica-se aos trabalhadores
das embarcações comerciais, de bandeira nacional, bem como às de bandeiras estrangeiras,
no limite do disposto na Convenção n.º 147 da Organização Internacional do Trabalho -
Normas Mínimas para Marinha Mercante, utilizados no transporte de mercadorias ou de
passageiros, inclusive naquelas utilizadas na prestação de serviços, seja na navegação marítima
de longo curso, na de cabotagem, na navegação interior, de apoio marítimo e portuário, bem
como em plataformas marítimas e fluviais, quando em deslocamento.
NR 31 – Segurança e Saúde no Trabalho na Agricultura, Pecuária Silvicultura,
Exploração Florestal e Aquicultura:
Estabelecer os preceitos a serem observados na organização e no ambiente de
trabalho, de forma a tornar compatível o planejamento e o desenvolvimento das atividades
da agricultura, pecuária, silvicultura, exploração florestal e aquicultura com a segurança e
saúde e meio ambiente do trabalho.
NR 32 – Segurança e Saúde no Trabalho em Estabelecimentos de Saúde:
Estabelece as diretrizes básicas para a implementação de medidas de proteção à
segurança e à saúde dos trabalhadores dos serviços de saúde, bem como daqueles que
exercem atividades de promoção e assistência à saúde em geral.
NR 33 – Segurança e Saúde no Trabalho em Espaços Confinados:
Estabelecer os requisitos mínimos para identificação de espaços confinados e o
reconhecimento, avaliação, monitoramento e controle dos riscos existentes, de forma a
garantir permanentemente a segurança e saúde dos trabalhadores e que interagem direta ou
indiretamente nestes espaços.
NR 34 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
e Reparação Naval: Estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção à
segurança, à saúde e ao meio ambiente de trabalho nas atividades da indústria de construção
e reparação naval.
Cita nove procedimentos de trabalhos executados em estaleiros: trabalho a quente;
montagem e desmontagem de andaimes; pintura; jateamento e hidrojateamento;
movimentação de cargas; instalações elétricas provisórias; trabalhos em altura; utilização de
radionuclídeos e gamagrafia; e máquinas portáteis rotativas.
NR 35 – Trabalho em Altura: Estabelece os requisitos mínimos e as medidas de
proteção para o trabalho em altura, como o planejamento, a organização e a execução, a fim
de garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores com atividades executadas acima de dois
metros do nível inferior, onde haja risco de queda.

18
NR 36 – Norma Regulamentadora sobre Abate e Processamento de Carnes e
Derivados: Estabelecer os requisitos mínimos para a avaliação, controle e monitoramento
dos riscos existentes nas atividades desenvolvidas na indústria de abate e processamento de
carnes e derivados destinados ao consumo humano, de forma a garantir permanentemente a
segurança, a saúde e a qualidade de vida no trabalho, sem prejuízo da observância do disposto
nas demais Normas Regulamentadoras – NR do Ministério do Trabalho e Emprego.

PORTARIA MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO Nº


191 DE 15.04.2008, Revoga as Normas Regulamentadoras Rurais - 5NRRs.
O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO, no uso da
atribuição que lhe confere o inciso II, do parágrafo único, do art. 87 da Constituição Federal
e, considerando a vigência da Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho
na Agricultura, Pecuária, Silvicultura, Exploração Florestal e Aquicultura, aprovada pela
Portaria GM nº 86, de 03 de março de 2005, resolve: Art. 1º Revogar a Portaria GM nº 3.067,
de 12 de abril de 1988, publicada no DOU do dia 13 de abril de 1988, Seção 1, pág. 6.333 a
6.336, que aprovou as Normas Regulamentadoras Rurais - NRR. Art. 2º Revogar a Portaria
GM nº 3.303, de 14 de novembro de 1989, publicada no DOU do dia 17 de novembro de
1989, Seção 1, pág. 20.883 a 20.884, que estendeu às NRR a aplicação das penalidades
constantes da Norma Regulamentadora nº 28 (Fiscalização e Penalidades).

8-De que se trata a NBR 14280 e quais os pontos fundamentais?

A NBR 14280 é a norma que trata do Cadastro de acidente do trabalho - Procedimento e


classificação. Esta Norma visa a identificação e registro de fatos fundamentais relacionados
aos acidentes de trabalho, de modo a proporcionar meios de orientação aos esforços
prevencionistas. Ela não indica medidas corretivas específicas, ou faz referência a falhas ou
a meios de correção das condições ou circunstâncias que culminaram com o acidente.
O seu emprego não dispensa métodos mais completos de investigação (AAF –
Análise de Árvore de Falhas entre outros) e comunicação (CAT – Comunicação de Acidente
do Trabalho).
Seus pontos fundamentais são fixar critérios para o registro, comunicação, estatística
e análise de acidentes do trabalho, suas causas e consequências, aplicando-se a quaisquer
atividades laborativas. Portanto esta Norma aplica-se a qualquer empresa, entidade ou
estabelecimento interessado no estudo do acidente do trabalho, suas causas e consequências.

19
9-Defina a OSHAS 18000, BS 8800, NBR 18801 e o que vem a ser a I S 0 45000 e a
31000?.

BS 8800: Criada pelo British Standard Institution (BSI), órgão britânico encarregado
de elaborar normas técnicas, foi publicada em 1996 originalmente como BS 8750. É
considerada como a norma mais atual em todo o mundo para a implantação de um sistema
eficaz de gerenciamento das questões relacionadas com a prevenção de acidentes e doenças
ocupacionais. Sua sigla deverá ser ISO 18000 quando aprovada mundialmente pela
Organização Internacional para a Normalização, nos comitês e workshop(s) internacionais,
como o programado para Genebra, na Suíça. Diversos países, inclusive o Brasil, estão
fazendo eventos preparatórios e discutindo os assuntos nas câmaras setoriais com o objetivo
de esclarecer e consolidar suas posições sobre o assunto.

OHSAS 18000: As normas OHSAS 18000 são um guia para a implementação de


sistemas de gestão de segurança e higiene ocupacional. A certificação pela OHSAS 18000
acentua uma abordagem pela minimização do risco. Reduzindo com sua implementação, os
acidentes e doenças do trabalho, os tempos de paragem, e consequentemente os custos
econômicos e custos humanos.
NBR 18801: Fornece às organizações os elementos de um Sistema de Gestão em
Saúde e Segurança no Trabalho (SST) eficaz que possa ser integrado com outros requisitos
de gestão e auxiliar as organizações a alcançar objetivos de SST e econômicos. Esta norma
não se destina a ser usada para criar barreiras ou entraves comerciais nem para ampliar ou
alterar as obrigações legais de uma organização. Essa norma especifica requisitos para um
sistema de Gestão de SST; a fim de permitir a uma organização desenvolver e executar uma
política e os objetivos que levam em conta os requisitos legais e informação sobre os riscos
de SST. Pretende-se que esta norma seja aplicável a todos os tipos e dimensões de
organizações e que considere as diversas circunstâncias geográficas, culturais e sociais.
ISO 45000: Apesar de várias partes manifestaram a necessidade de uma norma de
saúde e segurança internacional há algum tempo, muitas organizações globais estavam
preocupadas sobre como isso afetaria e trabalhar com os seus regulamentos locais.
Para enfrentar esses desafios e proteger os trabalhadores ao redor do mundo, a
Organização Internacional do Trabalho (OIT) é um jogador-chave no desenvolvimento da
ISO 45000.

20
ISO 31000: A ISO 31000 é a norma internacional para gestão de risco. Ao fornecer
princípios e diretivas abrangentes, esta norma ajuda organizações em suas análises e
avaliações de riscos. Quer você trabalhe em uma empresa pública, privada ou comunitária,
poderá se beneficiar da ISO 31000 pois ela se aplica à maioria das atividades de negócios,
incluindo planejamento, operações de gestão e processos de comunicação. Apesar de todas
as organizações gerenciarem riscos de alguma maneira, as recomendações de melhores
práticas dessa norma internacional foram desenvolvidas para melhorar as técnicas de gestão
e garantir a segurança no local de trabalho em todos os momentos.

10-Quais as correlações entre o APP-APR com o EIA/RIMA, LP, LI, LO, LOC e
RADA?

Sabe-se que o Estudo de Impactos Ambientais (EIA) gera o Relatório de Impacto


Ambiental (RIMA) têm o objetivo de observar, diagnosticar, explicitar e eliminar os riscos
provenientes de ações humanas ou não, mas que influenciarão no meio ambiente, estão
diretamente ligados à Análise Preliminar de Perigo e Risco (APP/APR), que são técnicas de
avaliação de perigos e riscos envolvidos em trabalhos e funções, detalhando cada etapa do
procedimento objetivando a eliminação de acidentes.
A correlação das APP/ APR e EIA/RIMA são complementares pelo fato das
primeiras contemplarem o estudo dos riscos antes, durante e após execução de
procedimentos operacionais de determinada empreitada enquanto que as demais se
preocupam com possíveis danos ao meio ambiente em todas as etapas desta construção.
Empreitadas assim necessitam do Estudo de Impactos Ambientais para ser considerada obra
legal. Em poder de ambos documentos, é possível reduzir drasticamente a probabilidade de
acidentes tanto ambiental como de trabalho, desde as primeiras etapas de estudo até as
consequências de alguma catástrofe. De acordo com a Resolução CONAMA nº001/86, é
necessário a anexação do EIA/RIMA para o deferimento de construções que modifiquem o
meio ambiente de forma a mitigar poluição, prevenir incidentes e reduzir custos.
De acordo com a Lei Estadual nº 21.972, de 21 de janeiro de 2016, o licenciamento
ambiental é o procedimento administrativo destinado a licenciar atividades ou
empreendimentos utilizadores de recursos ambientais, efetiva ou potencialmente poluidores
ou capazes, sob qualquer forma, de causar degradação ambiental.

21
Se o requerimento de licença ambiental é apresentado quando o empreendimento ou
atividade está na fase de instalação ou de operação, diz-se que está ocorrendo o licenciamento
corretivo. Nesse caso, dependendo da fase em que é apresentado o requerimento de licença,
tem-se a licença de instalação de natureza corretiva (LIC) ou a licença de operação de natureza
corretiva (LOC).

O RADA – Relatório de Avaliação de Desempenho Ambiental está entre os estudos


ambientais exigidos em um Licenciamento Ambiental. É um estudo feito a fim de revalidar
a Licença de Operação (LO). No RADA constara o Sistema de Controle e demais Medidas
Mitigadoras que a empresa solicitante propõe. Ele tem o objetivo de facilitar a análise do
requerimento de revalidação da LO, de acordo com o artigo 3o, inciso I da Deliberação
Normativa Copam 17/96.

REFERÊNCIAS

DIA INTERNACIONAL DA MULHER. Disponível em: www.afuse.org.br/mulher.pdf.


Acesso em: setembro de 2017.

DIA MUNDIAL DA ÁGUA. Disponível em:


http://www.suapesquisa.com/datascomemorativas/dia_mundial_da_agua.htm.
Acesso em: setembro de 2017.
DIA MUNDIAL EM MEMÓRIA AS VÍTIMAS DE ACIDENTE DE TRABALHO.
Disponível em:
http://www.cmqv.org/website/artigo.asp?cod=1461&idi=%201&moe=212&id=15 835.
Acesso em: setembro de 2017.

DIA DO BOMBEIRO BRASILEIRO. Disponível em:


http://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-do-bombeirobrasileiro.htm.
Acesso em: setembro de 2017.
HISTÓRIA DO DIA DAS MÃES. Disponível em:
http://www.suapesquisa.com/historia_dia_das_maes.htm. Acesso em: setembro de 2017.

22
COMO fazer Ordem de Serviço. Disponível em:
<http://segurancadotrabalhonwn.com/como-fazer-ordem-de-servico/>. Acesso em:
setembro de 2017.

ISO 31000 - Gestão de Risco. Disponível em:


https://www.bsigroup.com/pt-BR/ISO-31000-Gestao-de-Risco/. Acesso em: setembro de
2017.

ISO 45000 Update. Disponível em: <http://www.wp1.ca/iso-45000-update/>.


Acesso em: setembro de 2017.

LICENCIAMENTO. Disponível em: http://www.semad.mg.gov.br/regularizacao-


ambiental/licenciamento. Acesso em: setembro de 2017.

OHSAS. Disponível em:


<http://www.pgpconsultoria.com.br/ohsas_quesao.php>. Acesso em: setembro de 2017.

MEIO ambiente – As 17 Leis ambientais do Brasil. Disponível em:


<http://planetaorganico.com.br/site/index.php/meio-ambiente-as-17-leisambientais-do-
brasil/>. Acesso em: setembro de 2017.

Monografia de Bianca Cristina Sella:


http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/3521/1/CT_CEEST_XXVIII_
2014_06.pdf

NBR 18801: Os requisitos para um sistema de gestão da segurança e saúde no trabalho.


Disponível em:
<https://www.target.com.br/Home.aspx?pp=27&c=2346>. Acesso em: setembro de 2017.

O que é Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP. Disponível em:


https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/bis/oscip-organizacao-da-sociedade-civil-
de-interesse-publico,554a15bfd0b17410VgnVCM1000003b74010aRCRD. Acesso em:
setembro de 2017.

23
PRINCIPAIS Normas Regulamentadoras - Segurança do trabalho. Disponível em:
<https://www.portaleducacao.com.br/psicologia/artigos/42106/principaisnormas-
regulamentadoras-seguranca-do-trabalho>. Acesso em: setembro de 2017.

RADA – Relatório De Avaliação De Desempenho Ambiental. Disponível em:


https://www.biosferamg.com.br/licenciamento/rada-relatorio-de-avaliacao-de-
desempenho-ambiental/. Acesso em: setembro de 2017.

REINO Unido BS 8800 BSI. Disponível em:


<http://www.institutoatkwhh.org.br/compendio/?q=node/121>. Acesso em: setembro de
2017.

24