Sei sulla pagina 1di 14
FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON ANÁLISE

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

ANÁLISE EXPLORATÓRIA DOS DADOS OU ESTATÍSTICA DESCRITIVA

1.

Introdução

A Estatística Descritiva é a fase na qual os dados de um experimento ou pesquisa são

organizados, resumidos, descritos, apresentados e interpretados. Esta fase é de grande importância

para uma pesquisa, pois nela, podemos perceber as tendências do nosso conjunto de dados. Após a coleta dos dados experimentais devemos organizá-los e apresentá-los, esta apresentação pode ser feita através de tabelas e gráficos.

2. Tabelas de distribuição de freqüências

A apresentação através de tabelas deverá ser realizada em uma pesquisa, mediante alguma

convenção ou norma, dependendo de qual instituição, congresso ou órgão, esta tabela será

apresentada. Mas podemos utilizar alguns princípios básicos segundo as normas do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística):

- Título: aonde é dada uma noção inicial ao leitor sobre o que é a tabela;

- Cabeçalho: para que sejam identificados os conteúdos referentes a cada coluna da tabela. O

cabeçalho deve conter o suficiente para responder as questões: o que está sendo representado? Onde ocorreu? Quando ocorreu?

- Coluna Indicadora: que especifica as diferentes categorias da variável;

- Corpo: É representado por colunas e subcolunas dos quais são registrados os dados numéricos e

informações.

- Rodapé ou pé: onde é identificada a fonte original dos dados, ou alguma nota referente à tabela.

original dos dados, ou alguma nota referente à tabela. Exemplo: INAMPS – Empresas fiscalizadas em 1973

Exemplo:

INAMPS – Empresas fiscalizadas em 1973

Regiões

Empresas fiscalizadas

Norte

7495

Nordeste

107783

Sudeste

281207

Sul

53661

Centro – oeste

15776

Fonte: Mensário Estatístico 259/260

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON Observação

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

Observação: Não há linhas laterais, ponto final em cada linha e linhas horizontais no corpo da tabela separando as linhas.

Uma tabela de distribuição de freqüências é composta, além dos itens citados acima:

- Dados brutos: O conjunto dos dados numéricos obtidos após a crítica dos valores coletados. Os seguintes valores poderiam ser os dados brutos: 24, 23, 22, 28, 35, 21, 23, 33.

- Rol: É o arranjo dos dados brutos em ordem de freqüência crescente ou decrescente. Os dados brutos anteriores ficariam assim: 21, 22, 23, 23, 24, 28, 33, 35.

- Amplitude Total ou "range" (R): É a diferença entre o maior e o menor valor observado. No exemplo, R = 35 - 21 = 14.

- Freqüência Absoluta (f i ): É o número de vezes que o elemento aparece na amostra, ou o número de elementos pertencentes a uma classe.

- Freqüência Absoluta Acumulada (f ac ): É a soma da freqüência absoluta da classe com a freqüência absoluta das classes anteriores.

- Freqüência Relativa (fr): A freqüência relativa é o valor da freqüência absoluta dividido pelo

número total de observações:

- Freqüência Acumulada Relativa (far): A freqüência acumulada relativa é o valor da freqüência

acumulada dividido pelo número total de observações:

f

i

n

.

fr =

f ac

.

far =

n

2.1. Como organizar dados em tabela de distribuição de frequência

- Dados Brutos: 45, 41, 42, 41, 42 43, 44, 41 ,50, 46, 50, 46, 60, 54, 52, 58, 57, 58, 60, 51.

- Rol: 41, 41, 41, 42, 42 43, 44, 45 ,46, 46, 50, 50, 51, 52, 54, 57, 58, 58, 60, 60.

- Distribuição de freqüência sem intervalos de classe: É a simples condensação dos dados

conforme as repetições de seu valores. Para um ROL de tamanho razoável esta distribuição de

freqüência é inconveniente, já que exige muito espaço. Veja exemplo abaixo:

Dados

Freqüência

41

3

42

2

43

1

44

1

45

1

46

2

50

2

51

1

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON 52

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

52

1

54

1

57

1

58

2

60

2

Total

20

- Distribuição de freqüência com intervalos de classe: Quando o tamanho da amostra é elevado é mais racional efetuar o agrupamento dos valores em vários intervalos de classe.

Classes

Freqüências

41

|------- 45

7

45

|------- 49

3

49

|------- 53

4

53

|------- 57

1

57

|------- 61

5

 

Total

20

- Elementos de uma distribuição de freqüência (com intervalos de classe):

- Classe: são os intervalos de variação da variável e é simbolizada por i e o número total de classes

simbolizada por k. Ex: na tabela anterior k = 5 e 49 |------- 53 é a 3ª classe, onde i = 3. Calcular o

número de classes através da "Regra de Sturges": Fórmula de Sturges: k 1 + 3,22 log n.

- Limites de classe: são os extremos de cada classe. O menor número é o limite inferior de classe

l3= 49 e L3= 53. O

(li) e o maior número, limite superior de classe (Li). Ex: em 49 |------- 53

símbolo |------- representa um intervalo fechado à esquerda e aberto à direita. O dado 53 do Rol

não pertence à classe 3 e sim a classe 4 representada por 53 |------- 57.

- Amplitude do intervalo de classe: é obtida através da diferença entre o limite superior e inferior da classe e é simbolizada por hi = Li - li. Ex: na tabela anterior hi= 53 - 49 = 4. Obs: Na distribuição de freqüência com classe o hi será igual em todas as classes.

- Amplitude total da distribuição: é a diferença entre o limite superior da última classe e o limite inferior da primeira classe. AT = L(max) - l(min). Ex: na tabela anterior AT = 61 - 41= 20.

- Amplitude total da amostra (Rol): é a diferença entre o valor máximo e o valor mínimo da amostra (ROL). Onde R = Xmax - Xmin. Em nosso exemplo R = 60 - 41 = 19. Obs: AT sempre será maior que R.

- Ponto médio de classe: é o ponto que divide o intervalo de classe em duas partes iguais. Ex: em 49 |------- 53 o ponto médio x 3 = (53+49)/2 = 51, ou seja x 3 =(l3+L3)/2.

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON 2.1.1.

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

2.1.1. Método prático para construção de tabelas de distribuição de freqüência com classe

- Organize os dados brutos em um Rol.

- Calcule a amplitude amostral R. No nosso exemplo: R =60 - 41 =19

- Calcule o número de classes através da "Regra de Sturges": k 1 + 3,22 log n.

 

n

I = nº de classes

3 |-----| 5

3

6 |-----| 11

4

12

|-----| 22

5

23

|-----| 46

6

47

|-----| 90

7

91 |-----| 181

8

182 |-----| 362

9

Obs: Qualquer regra para determinação do nº de classes da tabela não nos levam a uma decisão final; esta vai depender na realidade de um julgamento pessoal, que deve estar ligado à natureza dos dados. No nosso exemplo: n = 20 dados, então, a princípio, a regra sugere a adoção de 5 classes.

- Decidido o nº de classes, calcule então a amplitude do intervalo de classe h i > R / k. No nosso exemplo: R / k = 19/5 = 3,8 . Obs: Como h i > R / k, um valor ligeiramente superior para haver folga na última classe. Utilizaremos então h i = 4

- Temos então o menor nº da amostra, o nº de classes e a amplitude do intervalo. Podemos montar a tabela, com o cuidado para não aparecer classes com freqüência = 0 (zero). No nosso exemplo: o menor nº da amostra = 41 + h i = 45, logo a primeira classe será representada por: 41 |------- 45. As classes seguintes respeitarão o mesmo procedimento. O primeiro elemento das classes seguintes sempre será formado pelo último elemento da classe anterior.

2.1.2. Distribuição de Freqüências e Histograma para Dados sem Intervalo de Classe

Utilizamos esse tipo de distribuição quando o número de elementos distintos da amostra for pequeno. Exemplo: Considere o seguinte conjunto de dados: 21, 21, 21, 22, 22, 23, 23, 24, 25, 25, 25, 25, 26, 26, 26, 28, 30. Construa uma distribuição com todas as freqüências.

X

f

i

f

ac

fr

far

21

3

3

3/17

3/17

22

2

5

2/17

5/17

23

2

7

2/17

7/17

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON 24

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

24

1

8

1/17

8/17

25

4

12

4/17

12/17

26

3

15

3/17

15/17

28

1

16

1/17

16/17

30

1

17

1/17

17/17

17

 

1

 

2.2. Tabela de distribuição de freqüências bidimensional

Muitas vezes, estamos interessados em analisar o comportamento conjunto de duas ou mais variáveis. Assim, vamos estudar como organizamos e resumimos os dados para uma distribuição conjunta de duas variáveis em forma de tabelas. O exemplo mostrado abaixo apresenta o número de nascidos vivos registrados, classificados segundo dois fatores: o ano de registro e o sexo.

Tabela 3: Nascidos vivos registrados segundo o ano de registro e o sexo.

Ano de registro

Sexo

Total

Masculino

Feminino

1984 1.307.758

1.251.280

2.559.038

1985 1.339.059

1.280.545

2.619.604

1986 1.418.050

1.361.203

2.779.253

Fonte: IBGE (1988)

Nota: Nascimentos ocorridos no ano de registro.

2.3. Representação Gráfica para Variáveis Qualitativas e Quantitativas

A apresentação dos dados através de gráficos nos fornece uma excelente idéia dos

resultados obtidos e de como se relacionam os dados. Todo gráfico ou diagrama deve ser auto- explicativo e de fácil compreensão, devem ter três requisitos básicos: simplicidade, clareza e veracidade. Mas algumas sugestões devem ser seguidas na sua construção:

- O tamanho do gráfico deve ser adequado à sua publicação;

- Todo gráfico dever ter sempre um título e uma escala, sendo que, esta escala deve ser adequada para que não desfigure os fatos.

2.3.1. Representação gráfica de variáveis qualitativas

Para a representação gráfica de variáveis qualitativas, os tipos de gráficos mais usados são:

gráficos de ordenadas, gráfico em barras, gráfico em colunas, pictograma, dot plot, gráfico de setores.

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON ∑

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

Gráfico de Ordenadas

Para a sua construção é traçada uma reta horizontal (ou vertical) que servirá de base; a partir de pontos com a mesma distância nesta reta, constroem-se traços perpendiculares, cujo comprimento seja proporcional a freqüência.

2,2 2 1,8 1,6 1,4 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out
2,2
2
1,8
1,6
1,4
Jan Fev
Mar Abr Mai
Jun
Jul Ago Set
Out Nov Dez
Preço da gasolina (R$)

Mês em 2002

Figura 1: Variação do preço da gasolina em 2002.

Gráfico em Barras

O gráfico em barras é a representação em que sobre o eixo vertical constroem-se retângulos para as diferentes categorias da nossa variável, com largura apropriada e altura proporcional as respectivas freqüências de cada categoria. As barras não são justapostas ou ligadas, pois na maioria das vezes as categorias das variáveis qualitativas não apresentam relação de continuidade.

Número de Comércios Informais em Bairros de Cascavel

Faculdade Colméia Guarujá Bairro Caravelli São Cristóvão Consolata 5 20 35 50
Faculdade
Colméia
Guarujá
Bairro
Caravelli
São Cristóvão
Consolata
5
20
35
50

Número de Comércios

Figura 2: Número de Comércios Informais em diversos bairros de Cascavel.

Gráfico em Colunas

A construção do gráfico em colunas é semelhante ao em barras, com uma única diferença, os retângulos serão sustentados no eixo horizontal.

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON %

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

%

56 52 48 44 40 Masculino Feminino
56
52
48
44
40
Masculino
Feminino

Gênero

Figura 3: Porcentagem dos alunos do curso de Publicidade segundo o gênero.

Gráfico de Setores Circulares

Geralmente este gráfico é usado para evidenciar a distribuição percentual de uma população ou amostra. Para a construção deste tipo de gráfico, divide-se a área total de um círculo em subáreas (setores) proporcionais às respectivas freqüências absoluta ou relativa. Lembrando que um círculo tem 360, então usaremos a seguinte regra de três para calcularmos o ângulo de cada setor:

n

fi

360

x

x=

360

f i

n

Onde n é o total de elementos no conjunto de dados e fi a respectiva freqüência absoluta da categoria da variável. Para calcularmos o ângulo para a freqüência relativa basta substituirmos o total de elementos pelo número 1. Sabendo-se o ângulo de cada setor, traça-se uma circunferência e assim, basta marcarmos os valores da cada ângulo na circunferência e traçar os raios, separando os setores.

Número de Comércios Informais em Cascavel

Número de Comércios Informais em Cascavel Consolata São Cristóvão Caravelli Guarujá Colméia Faculdade

ConsolataSão Cristóvão Caravelli Guarujá Colméia Faculdade

São CristóvãoConsolata Caravelli Guarujá Colméia Faculdade

CaravelliConsolata São Cristóvão Guarujá Colméia Faculdade

GuarujáConsolata São Cristóvão Caravelli Colméia Faculdade

ColméiaConsolata São Cristóvão Caravelli Guarujá Faculdade

FaculdadeConsolata São Cristóvão Caravelli Guarujá Colméia

Figura 4: Número de Comércios Informais em diversos bairros de Cascavel.

Pictograma

O gráfico pictograma é semelhante ao gráfico em colunas, com a diferença que no lugar de retângulos serão figuras que representaram as distribuições de freqüência.

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON Figura

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON Figura 5: Número de Visitantes na MOVELSUL. 2.3.2.

Figura 5: Número de Visitantes na MOVELSUL.

2.3.2. Representação gráfica de variáveis quantitativas

Alguns tipos de gráficos que construímos anteriormente: gráfico em colunas, em barras, de setores circulares também são usados para representar a distribuição de variáveis quantitativas.

Histograma

Este é um gráfico usado para apresentar dados organizados em intervalos, utilizado principalmente para representar a distribuição de variáveis contínuas.

- Histograma para classes com amplitudes iguais

Para a sua construção, trace o sistema de eixo cartesiano; marque os extremos das classes no eixo horizontal (das abscissas); no eixo vertical (das ordenadas) marque as freqüências absolutas ou freqüências relativas; e para cada classe, trace um retângulo com base igual ao intervalo de classe e altura igual a freqüência. Os histogramas podem ser simétricos ou assimétricos:

Os histogramas podem ser simétricos ou assimétricos: Figura 5: Histogramas simétricos Figura 6: Histogramas

Figura 5: Histogramas simétricos

ou assimétricos: Figura 5: Histogramas simétricos Figura 6: Histogramas Assimétricos - Histograma para

Figura 6: Histogramas Assimétricos

- Histograma para classes com amplitude diferentes

Para a sua construção, calcule a densidade de freqüência absoluta ou relativa.

d

i =

f

i

h

ou

d

i =

h

i

h

15

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON Trace

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

Trace um sistema de eixos cartesianos; marque os extremos de classes no eixo horizontal; no eixo vertical marque a densidade e para cada classe, trace um retângulo com base igual ao intervalo da classe e altura igual à densidade de freqüência.

14 12 10 8 6 4 2 0 1,75 2,25 2,75 3,25 3,75 4,25 4,75
14
12
10
8
6
4
2
0
1,75
2,25
2,75
3,25
3,75
4,25
4,75
Mais
Freqüência

Peso ao nascer

Figura 7: Peso ao nascer dos nascidos vivos, em quilogramas.

Polígono de freqüências

É a representação gráfica de uma distribuição de freqüências por meio de um polígono.

É um gráfico de linha cuja construção é feita unindo-se os pontos de coordenadas de

abscissas correspondentes aos pontos médios de cada classe e as ordenadas, às freqüências

absolutas ou relativas dessas mesmas classes.

O polígono de freqüência é um gráfico que deve ser fechado no eixo das abscissas. Então,

para finalizar sua elaboração, deve-se acrescentar à distribuição, uma classe à esquerda e outra à direita, ambas com freqüências zero. Tal procedimento permite que a área sob a linha de

freqüências seja igual à área do histograma. Uma das vantagens da aplicação de polígonos de freqüências é que, por serem gráficos de linhas, permitem a comparação entre dois ou mais conjuntos de dados por meio da superposição dos mesmos.

de linhas, permitem a comparação entre dois ou mais conjuntos de dados por meio da superposição

16

∑ Ogiva FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA

Ogiva

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

É o gráfico que representa a distribuição da freqüência absoluta acumulada. Sua construção

é semelhante ao do polígono de freqüências, com a diferença que consideraremos a freqüência

absoluta acumulada.

É um gráfico que permite descrever dados quantitativos por meio da freqüência acumulada.

A ogiva é um gráfico de linha que une os pontos cujas abscissas são os limites superiores das classes, e, ordenadas suas respectivas freqüências acumuladas. Convém observa-se que o ponto inicial desse gráfico é o limite inferior do primeiro intervalo, com freqüência acumulada zero, pois não existe qualquer valor inferior a ele. Quando os dados contidos em cada classe são distribuídos uniformemente, pode-se estimar,

a partir da ogiva, o número de elementos pertencentes a qualquer uma das classes que compõe a distribuição de freqüência dos dados e a quantidade ou porcentagem de elementos que estão abaixo de certo valor pertencente ao conjunto de dados. Pela Figura 11, nota-se que não existem alunos com idade inferior a 18 anos enquanto que abaixo de 34 anos existem vinte alunos.

18 anos enquanto que abaixo de 34 anos existem vinte alunos. F 50 47 40 31
F 50 47 40 31 18 10 4 classes 30 40 50 60 70 80
F
50
47
40
31
18
10
4
classes
30
40
50
60
70
80
90

100

17

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON LISTA

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

LISTA 01 - AULA 01 E AULA 02

1)

Qual é a diferença entre População e Amostra?

2)

Cite algumas vantagens na utilização de uma amostra em pesquisas estatísticas.

3)

Qual a diferença entre variável qualitativa e quantitativa?

4)

Qual a diferença entre variável discreta e contínua?

5)

Considerando a população das crianças em creches municipais de Cascavel, no ano de 2001, verificar quais das variáveis pesquisadas abaixo são qualitativas e quais são quantitativas.

a)

local de nascimento

b) peso

c) idade

d) sexo

e)

cor

f) nacionalidade do pai

g) altura

6) Uma auditoria feita em 20 faturas de venda revelou os seguintes números de erros na fixação de preços: 0 0 2 1 4 1 0 1 3 2 2 0 1 1 1 4 0 3 1 5. Construa um tabela de distribuição de freqüências que mostre quantas faturas continham 0, 1, 2, 3, 4 ou 5 erros. Pode ser feito a mão ou no excel.

7)

Dão-se, a seguir, os números de doentes que foram atendidos durante 120 dias. Agrupe estes valores em uma distribuição de freqüência (utilizando porcentagem) com os intervalos: 40 – 44, 45 – 49, 50 – 54, 55 – 59, 60 – 64, 65 – 69, 70 – 74, 75 – 79. Pode ser feito a mão ou no excel.

50

45 46

48

52 56

65

32 56

70

60 56

59

57 42

45

43

44 46

47

58 59

52

53

39 40

60

58 55

50

53

69

58

40 39

38 36

53

58

59

65 56

45

47 41

42

40

45 54

58

56 65

69

68 60

60

50 45

48

42 45

54 70

36

38

52 45

68

47

52 39

58

68 62

52

71

45

63

52

41

45

31

63 58

47

69 69

68 52

30

28

74 46

53

51

42 46

49

47

52 51

53

59 57

56

54 64

67

63

69

61

62

68

52

58 86

63

64

45

47

8)

Indique se as situações abaixo possuem variáveis com dados qualitativos nominais ou ordinais:

a)

Os mecânicos devem dizer se a troca de velas em um novo modelo de carro é muito difícil, difícil, fácil ou muito fácil.

18

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON b)

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

b)

A religião de pessoas que tentam o suicídio é codificada como 1, 2, 3, 4 ou 5 representando respectivamente Protestante, Católico, Judeu, outras ou nenhuma.

c)

Os consumidores devem dizer se preferem a marca A á marca B, se não têm preferência, ou se preferem a marca B á marca A.

9)

Represente a série abaixo usando o gráfico em linha (Anos x Exportação) e (Anos x Importação). Pode ser feito a mão ou no excel.

Tabela 1: Distribuição da Importação e Exportação no Comércio Exterior do Brasil – 1984-92.

Anos

Quantidade (em toneladas)

Exportação

Importação

1984

141.737.000

53.988.000

1985

146.351.000

58.695.000

1986

133.832.000

61.589.000

1987

142.369.000

58.412.000

1988

169.666.000

57.897.000

1989

177.033.000

58.789.200

1990

168.652.000

63.985.000

1991

165.236.000

69.652.325

1992

167.562.000

77.813.000

Total

1.412.439.000

560.820.525

Fonte: Min. Indústria, Comércio e Turismo.

19

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON TRABALHO

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

TRABALHO 01

1) A tabela abaixo mostra a quantidade de atendimentos durante um determinado período em um

grande hospital. Construa, utilizando as freqüências relativas os seguintes gráficos: Colunas,

Barras, Linhas e Setores.

Espécie de Clínica

Freqüência

Freqüência

 

relativa (%)

Médica

6.457.923,00

32,51

Ginecologia e

3.918.308,00

19,73

Obstetrícia

Cirurgia

3.031.075,00

15,26

Pediatria

2.943.939,00

14,82

Outros

3.513.186,00

17,69

2)

trabalho:

A tabela seguinte mostra como os empregados de Medianeira, Paraná, se deslocam para o

Tabela 2: Porcentagem dos meios de transporte que os funcionários de Medianeira utilizam para se deslocarem.

Meio de Transporte

Porcentagem

Viaja sozinho

82

Divide carro

13

Viaja de ônibus

2

Varia ou trabalha em casa

3

Total

100

a) Construa um gráfico de setores para esta distribuição percentual.

b) Construa um gráfico em barras para esta distribuição percentual.

3) Os valores abaixo, representam as vendas diárias de um determinado aparelho elétrico, durante

um mês, por uma firma comercial: 14, 12, 11, 13, 14, 13, 12 , 14, 15, 12, 11, 16, 14, 14, 15, 16, 18,

10, 14, 13, 12, 15, 16, 14, 15, 16, 17, 18, 18, 18. Construa uma tabela de distribuição de

freqüências e os seguintes gráficos: colunas e barras.

4) Os dados abaixo representam a porcentagem (em relação a receita total mensal) de investimento

feito num determinado mês por 37 pequenas indústrias. Construa uma tabela de distribuição de

freqüências e os seguintes gráficos: setores circulares e linhas.

3,9 7,1 10,0 11,8 2,3 4,5 10,5 3,9 15,6 7,1 18,8 3,9 3,9 12,4 5,6 9,0 5,6 9,5 12,4

18,8

4,5

4,5

10,6

5,6

8,5 12,4

17,8

11,6 18,8 4,5 7,1

3,2

2,7

12,4

7,1

9,5 12,4

20

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON 5)

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA – AULA 02 PROF. KARINA SANDERSON

5) A tabela abaixo apresenta o número de pacientes com hipertensão segundo a idade. Através do

Excel construa uma tabela de distribuição de freqüência destes dados e faça um histograma.

Tabela 02 – Pacientes com hipertensão, segundo a idade.

Idade em anos completos

Número de

pacientes

22

1

27

1

30

1

31

1

34

1

35

3

36

5

40

1

42

1

43

1

44

2

45

1

46

2

47

1

48

1

50

2

53

3

56

1

58

1

59

2

60

1

61

1

63

1

65

3

67

2

total

40

6) Em uma escola tomou-se a medida da altura de cada um de 40 estudantes, obtendo-se os

seguintes dados (em centímetros). Faça a distribuição de freqüência e faça um histograma.

160

152

155

154

161

162

162

161

163

156

162

161

161

171

160

170

155

151

158

166

169

170

158

160

163

167

157

152

178

165

156

155

160

164

164

155

150

156

168

153

Enviar por email : ksanderson@fag.edu.br O arquivo deve estar no Excel.

21