Sei sulla pagina 1di 78

Disciplina Mecânica dos Fluidos Professora Edna Maria de Faria Viana

Material didático a ser consultado

Mecânica dos Fluidos para Engenheiros Autor: Marcos Rocha Vianna

Mecânica dos Fluidos Autor: Victor L. Streeter E. Benjamim Wylie

Introdução a Mecânica dos Fluidos Autor: Robert W. Fox Alan T. Mcdonald

Matéria a ser lecionada

1. Introdução

2. Sistema dimensional e de Unidades

3. Propriedades Físicas e conceitos fundamentais

4. Esforços nos fluidos e Fundamentos de Fluidos táticos

5. Medição de pressão

6. Força hidrostática sobre superfícies planas submersas

7. Força hidrostática sobre superfícies curvas submersas

8. Empuxo

9. Equilíbrio relativo

10. Cinemática

11. Equação da conservação da massa

12. Equação da conservação da quantidade de movimento

13. Equação de Bernoulli ideal e real

14. Perda de carga distribuída

1.

SISTEMAS DE DIMENSÕES E SISTEMA DE UNIDADES

Existem três sistemas básicos de dimensões primárias:

a) Massa [M], Comprimento [L], Tempo [t], Temperatura [T]

Sistema de Unidades Internacional Massa kilograma [kg] Comprimento metro [m] Tempo segundo [s] Temperatura Kelvin [K]

Força é secundária

F M

L

t

2

[kg m/s 2 = N]

Sistema de Unidades Métrico Absoluto Massa grama [gr] Comprimento centímetro [cm] Tempo segundo [s] Temperatura Kelvin [K]

Força é secundária

F M

L

t

2

[gr cm/s 2 = dina]

b) Força [F], Comprimento [L], Tempo [t], Temperatura [T] Sistema de Unidades Gravitacional Britânico Força libra-força [lbf] Comprimento-pé [ft] Tempo segundo [s] Temperatura Rankine[ºR]

Massa é secundária

M F

t

2

L

[slug = lbf.s 2 /ft]

c) Força [F], Massa [M], Comprimento [L], Tempo [t], Temperatura [T] Sistema Inglês Técnico Força libra-força [lbf] Massa libra-massa [lbm] Comprimento-pé[ft] Tempo segundo [s] Temperatura Rankine[ºR]

g

c

32,2

ft lbm

lbf s

2

Sistema MKS Força kilograma-força [kgf] Massa kilograma [kg] Comprimento-metro [m] Tempo segundo [s] Temperatura Kelvin [K]

g c

9,806 kgf m kg s

2

Nesse sistema tanto a força [F] como a massa [M] são dimensões primárias, neste caso existe a constante de proporcionalidade g c . A Segunda Lei de Newton fica

F

m

a

g

c

g

c

ML

Ft

2

Exemplo 1:

Os engenheiros às vezes usam a seguinte fórmula para vazão em volume Q de um líquido escoando através de um orifício de diâmetro D colocado na lateral de um tanque:

Q

0 68

,

D

2

gh
gh

onde g é a aceleração da gravidade e h é a altura da superfície do líquido acima do orifício. Quais as dimensões da constante 0,68?.

PRIMEIRAS PROPRIEDADES FÍSICAS

Conceituação Qualitativa de Fluido

- Sólido;

- Líquido;

- Gasoso.

Os Estados Físicos da Matéria e Teoria Cinética Molecular

Sólido Gás Líquido
Sólido
Gás
Líquido

Figura 1. Estados Físicos da matéria. Fonte: Vianna (2009)

Qualquer substância pode apresentar-se sob qualquer dos três estados fundamentais.

Hipótese do Contínuo

Molécula de gás Número de moléculas Volume Volume cada vez menores
Molécula de gás
Número
de
moléculas
Volume
Volume cada vez
menores

Figura 2. O Fluido como continuo. Fonte: Vianna (2009)

Primeiras Propriedades Físicas

Unidades:

Comprimento L

Tempo T Força F

massa M

Massa Específica ou Densidade Absoluta ()

Onde:

m

V

massa específica

m

massa do fluido

V

volume do fluido

Tabela 1 Massas Específicas de Alguns Fluidos

Fluido

(kg/m 3 )

Água destilada a 4ºC

999,972 quase 1000

Água do mar a 15ºC

1020

a 1030

Ar atmosférico a pressão atm. e 0ºC

1,29

Ar atmosférico a pressão atm. e 15,6ºC

1,22

Mercúrio

13590 a 13650

Tetracloreto de carbono

1590

a 1594

Petróleo

880

Fonte: Vianna (2009)

Densidade Relativa ou Densidade ()

Onde:

0

densidade relativa

massa específica do fluido em estudo

massa específica do fluido tomado como referência

Referência:

Líquido água a 4ºC (1000 kg/m 3 ) Gás ar a 0ºC e 1 atmosfera (1,293 kg/m 3 )

Peso Específico ()

W

V

Onde:

m

V

Unidade:

peso específica

peso do fluido

volume do fluido

F•L -3

W

V

m g

V

Volume Específico (V s )

g

Onde Vs Volume Específico

y peso específica

m

peso do fluido

V

volume do fluido

1

V s  

V

W

Exemplo 2 Deseja-se conhecer a massa específica, o peso específico e a densidade relativa de

um óleo, para isso utilizou-se uma proveta, que possui massa igual a 500 gramas, onde foi

inserido 1 litro do fluido. Essa proveta com o fluido foi colocada em uma balança que indicou a

massa de 1370 gramas. Determine os parâmetros desejados.

Exemplo 3 Sabendo que a densidade relativa do mercúrio é 13,6. Determine qual a indicação de

uma balança quando 1 litro desse fluido é colocado sobre ela.

Viscosidade Viscosidade é a propriedade física que caracteriza a resistência de um fluido ao escoamento, a

uma dada temperatura.

de um fluido ao escoamento, a uma dada temperatura. Figura 3 – Equipamentos utilizados no teste
de um fluido ao escoamento, a uma dada temperatura. Figura 3 – Equipamentos utilizados no teste

Figura 3 Equipamentos utilizados no teste

temperatura. Figura 3 – Equipamentos utilizados no teste Viscosidade é a propriedade associada à resistência que

Viscosidade é a propriedade associada à resistência que o fluido oferece a deformação por

à resistência que o fluido oferece a deformação por cisalhamento. De outra maneira pode-se dizer que

cisalhamento. De outra maneira pode-se dizer que a viscosidade corresponde ao atrito interno nos

fluidos devido basicamente a interações intermoleculares, sendo em geral função da temperatura.

Este assunto será abordado novamente quando se discuta o regime do escoamento

ESFORÇOS NOS FLUIDOS

Esforços de Massa e Esforços de Superfície

FLUIDOS  Esforços de Massa e Esforços de Superfície Figura 4. Esforços sobre um elemento de

Figura 4. Esforços sobre um elemento de Fluido. Fonte: Vianna (2009)

Onde:

F = Esforço devido ao contato físico N = Componente Normal de F T = Componente Tangencial de F W = Peso da porção fluida (espaço de massa)

Dois Tipos de Esforços:

1. Esforço de massa (ex.: Gravidade)

2. Esforço de contato

Tensão de cisalhamento

lim

A

0

T

A

Tensão normal ou de pressão

d T

dA

p

lim

A

0

N

A

d N

dA

Vetor Normal e de Pressão

Direção: normal a superfície Sentido: de fora para dentro (compressão) Em quase todas as aplicações considera-se como grandeza escalar

Unidade de Força e Pressão

Tabela 1 Unidades de Força e Pressão

Sistema de Unidades

Força {F}=MLT -2

Pressão {p}=ML -1 T -2

SI

N=kgm/s 2

Pascal=M/m 2

MK f S

Kgf

Kgf/m 2

CGS

Dina = gcm/s 2

Bária=Dina/cm 2

Vetor Tensão Tangencial

Tensão resultante] =F/A Placa superior móvel de área A Força F Fluido Placa inferior fixa
Tensão
resultante]
=F/A
Placa superior móvel de
área A
Força F
Fluido
Placa inferior fixa de área

A

A placa superior se desloca com velocidade v Seção genérica: posição no instante t+dt Seção
A placa superior se
desloca com velocidade v
Seção genérica:
posição no
instante t+dt
Seção genérica:
posição no instante
t
F
v
Deformação
do fluido

Figura. Resistencia ao escaoemnto devido à viscosidade

Velocidade corresponde a uma tensão tangencial e depende da viscosidade.

Definição: Um fluido é uma substância que se deforma continuamente quando submetida a uma tensão de cisalhamento, não importando o quão pequena possa ser essa tensão. Um subconjunto das fases da matéria, os fluidos incluem os líquidos, os gases, os plasmas e, de certa maneira, os sólidos plásticos.

Tensão Superficial

Tensão que se desenvolve na interface entre um líquido e um gás, ou dois líquidos imiscíveis.

Tabela Valores aproximados das propriedades de líquidos a 20 e pressão atmosférica norma, em contato com o ar.

Líquido

Densidade d

Tensão superficial (N/m)

Álcool etílico

0,79

0,0223

Benzeno

0,88

0,0289

Tetracloreto de Carbono

1,59

0,0267

Querosene

0,81

0,023-0,032

Mercúrio

13,57

0,51

Óleo Cru

0,85-0,93

0,023-0,038

Oleo lubrificante

0,85-0,88

0,035-0,038

Água

1

0,074

Adesão é o esforço entre o líquido e o recipiente Coesão é o esforço entre as moléculas do líquido

ADESÃO

ADESÃO
ADESÃO
o esforço entre as moléculas do líquido ADESÃO ADESÃO Resultante h Coesão h Coesão Resultante Mercúrio
Resultante h Coesão h Coesão Resultante Mercúrio h Adesão>Coesão
Resultante
h Coesão
h
Coesão
Resultante
Mercúrio
h
Adesão>Coesão

Adesão<Coesão

Figura . Tensão superficial. Fonte: Vianna (2009)

LEI DE PASCAL

Prisma infinitesimal com base de um triangulo retangular

Ponto genérico Ponto genérico Figura. Elemento de fluido para a demsotração da Lei de Pascal.
Ponto genérico Ponto genérico Figura. Elemento de fluido para a demsotração da Lei de Pascal.

Ponto genérico

Ponto genérico

Figura. Elemento de fluido para a demsotração da Lei de Pascal. Fonte: Vianna (2009)

Em x p x dy dz = (p dL dy) cosou p x dz = p dL cos

Em z - p z dy dz = (p dL dy) semdx dz/2)dy P z dx = p dL sendx dz/2) Desprezando dx dz/2) por seu diferencial de 2ª ordem

Pz

= p dL sen

dz

= L cos

dx

= L sen

logo:

p x dz = p dz p z dx = p dx onde deduz-se:

p = p x = p z

Tabela 5 Ângulos de Contato de Líquidos sobre o vidro

Líquido

(º)

Água

33 a 39,5

Mercúrio

140

Álcool

90

Éter etílico

5 a 8

Glicerina

22,16

FUNDAMENTOS DA FLUIDOSTÁTICA

Variação da Pressão no Interior de uma Porção Fluida

x

z

k dy p/z dx
k
dy
p/z
dx
no Interior de uma Porção Fluida x z k dy p/z dx dz Ponto P (pressão

dz

Ponto P

(pressão p)

j i p/y p/x
j
i
p/y
p/x

Fonte: Vianna (2009)

F

x

p

  p F  

x

x

p .dx

x

.

2

dy .dz i

.dx .dy .dz i

p

p .dx

x .

2

dy .dz i

Analogamente

y

F

F

y

z

 

p

y

p

z

.dx .dy .dz j

.dx .dy .dz

k

Vetorialmente

F F

x

F

y

F z

F

       p x

  p

y

dx .dy .dz i

 

  p

dx .dy .dz j   

  z

dx .dy .dz k

F

  

 

p

x

i

p

y

j

p

z

k

 

dx .dy .dz

W

R

R

 . g .dx .dy .d z k

F W

i

    p

x

p

y

p

j

k

dx .dy .dz .g .dx .dy .dz

z

Em equilíbrio R=0

R

    p

x

i

p

y

j

p

k

z

dx .dy .dz . g .dx .dy .dz

0

R

p

x

 

i

p

y

j

p

z

k

 

. g

0

R  p .g . k

Separadamente

p

x

0

p

y

0

p

z

.g

Assim a única força de massa que atua sobre a porção fluida é a aceleração da gravidade, é

nula a variação da pressão em pontos situados sobre um mesmo plano horizontal.

d p  cte   .g d p  .g .d z p 
d p 
cte
 
.g d p

.g .d z p
 
.g .z cte.
d z
Ou ainda,
p  p  . g . z  p  p  . z
0
0
X'
0’
Plano x’o’y’ (pressão
z
h = p’ 0 )
p=p 0 -z =p’ 0
z Plano xoy (pressão =
H
p 0 )
x
0
p=p 0 +h

MEDIÇÃO DA PRESSÃO

Pressão Atmósferica

MEDIÇÃO DA PRESSÃO Pressão Atmósferica  Pressão Absoluta e Pressão Efetiva Pressão efetiva – pressão

Pressão Absoluta e Pressão Efetiva

Pressão efetiva pressão considerada a partir da pressão atmosférica. Pressão absoluta pressão atmosférica mais pressão efetiva. Pabs = Patm + Pef.

Pressão Atmosférica O barômetro mede esse valor Zero Absoluto
Pressão
Atmosférica
O
barômetro
mede esse
valor
Zero
Absoluto

O manômetro mede este valor (a partir da p atm )

Manômetros e vacuômetros medem pressões efetivas (p atm = 0)

Os vacuômetros mede este valor (a partir da p atm )

Figura. Fonte: Vianna (2009)

Qual é o limite ou altura máxima da coluna de água dentro do barometro?

PRESSÃO DE VAPOR

Molécula abandonand o o líquido e passando ao estado de vapor Molécula em movimento no
Molécula
abandonand
o
o líquido
e
passando
ao estado de
vapor
Molécula em
movimento no
interior da porção
líquida
Molécula de vapor
passando a líquido
Molécula
abandonand
o
o líquido
e
passando
ao estado de
vapor

Molécula em

movimento no

interior da

porção líquida

Figura. Fonte: Vianna (2009)

Força de atração para manter as moléculas no recipiente:

- recipiente fechado

- recipiente abeto

Equilíbrio dinâmico número de moléculas que passam para o estado de vapor é igual ao número de moléculas que passam para o estado líquido. (recipiente fechado)

Pressão de vapor pressão resultante dos choques entre as moléculas de vapor com as paredes do recipiente, tampa e superfície líquida. > Temperatura > pressão de vapor

Pode mos usar outro fluido para reduzir a altura da coluna de água dentro do barômetro?

Cavitação

Quando a pressão absoluta em um determinado ponto se reduz a valores abaixo de um certo

limite (pressão de vapor), alcançando o ponto de ebulição da água, esse líquido começa a ferver e

os condutos ou peças (de bombas, turbinas ou tubulação) passam a apresentar, nesta região,

bolhas de vapor, no escoamento. Fenômeno que prejudicam o rendimento da bomba ou turbina.

Caso a região logo a jusante possua pressão inferior as bolhas tendem a crescer podendo

prejudicar e até mesmo interromper o escoamento. Se a região de jusante possuir pressão

superior, a pressão de vapor, essas bolhas tendem a implodir promovendo ruídos como se fossem

marteladas e ocasionando erosão das estruturas onde o fenômeno de cavitação está ocorrendo.

A altura de sucção de sistema de bombeamento é dimensionado de maneira a impedir que esse

fenômeno ocorra.

dimensionado de maneira a impedir que esse fenômeno ocorra.  Fluido Incompressível Figura. Cavitação Fonte:

Fluido Incompressível

Figura. Cavitação Fonte: Vianna (2009)

Modulo de Elasticidade Volumetrica

dp

dV

V

Da lei de Pascal decorre que a pressão (força por unidade de área) transmitida a um fluido é transmitida em todos os sentidos, através de um fluido confinado.

em todos os sentidos, através de um fluido confinado. 2.Se aplicarmos uma força de 10 kg
em todos os sentidos, através de um fluido confinado. 2.Se aplicarmos uma força de 10 kg
em todos os sentidos, através de um fluido confinado. 2.Se aplicarmos uma força de 10 kg

2.Se aplicarmos uma força de 10 kg f numa rolha de 1 cm 2 de área

1.Suponhamos uma garrafa cheia de um líquido, o qual é praticamente incompressível.

3. o resultado será uma força de 10 kg f em cada centímetro quadrado das paredes da garrafa.

4.Se o fundo da garrafa tiver uma área de 20 cm 2 e cada cm estiver sujeito a uma força de 10 kg f teremos como resultante uma força de 200 kg f

Figura. Propagação da pressão em ambientes confinados. Fonte: Vianna (2009)

Exercícios PARTE 1. Conceitos

1

volumétrico com capacidade para conter 250 mililitros e levado a uma balança. A massa medida (balão + fluido) foi igual a 3,474 kg. Sabendo-se que a massa do balão vazio é igual a 86 gramas, determine qual das propriedades físicas a seguir aplica-se ao fluido em questão (g = 9,81 m/s 2 ).

a QUESTÃO Certo fluido, encaminhado ao laboratório, foi colocado no interior de um balão

(a) = 1,35 kg/m 3 (b) = 1355 kgf/m 3 (c) = 135 (d) v s = 7,5x10 -6 m 3 /N

2

aproximadamente igual a:

(a) 0,1 m

a

QUESTÃO

A

pressão

(c) 10 m

(b) 1,0 m

3

aproximadamente igual a:

(a) 0,1 m

a

QUESTÃO

A

pressão

(c) 10 m

(b) 1,0 m

de

1

MPa

corresponde

a

uma

altura

de

coluna

d’água

(d) 100 m

 

de

1

kgf/cm 2

corresponde

a

uma

altura

de

coluna

d’água

(d) 100 m

4

pressão igual a 100 kgf/cm 2 , ele apresentou redução de volume igual a 50 litros. O módulo de elasticidade volumétrica desse líquido é:

a QUESTÃO Ao se submeter 10 metros cúbicos de certo líquido a uma variação positiva de

(a) = 200 Pa (b)

= 2 x 10 8 kgf/cm 2 (c)

= 2 x 10 8 kgf/m 2 (d) =

5 x 10 6 kgf/m 2

5

igual a 1,5 kgf/cm 2 . Sabendo-se que a pressão atmosférica absoluta reinante no local é igual a 0,096 MPa, então a pressão absoluta a que o fluido encontra-se submetido é igual a:

a QUESTÃO. Certo recipiente contém um fluido cuja pressão, indicada por um manômetro, é

(a) 1,5 kgf/cm 2

(b)

1,596 kgf/cm 2

(c) 2,46 kgf/cm 2

(d) 15,96 kgf/cm 2

6a QUESTÃO. Um manômetro instalado no reservatório (fechado) de um compressor de ar indica uma pressão de 827 kPa num dia em que a leitura barométrica é 750 mmHg. Portanto, a pressão absoluta do tanque é:

(a) 727 kPa

(b) 0 kPa

(c) 927 kPa

(d) -100 kPa

a QUESTÃO. Um conta-gotas, cujo diâmetro de saída é igual a 3 mm, é utilizado para dosar

7

um líquido cujo peso específico é igual a 10500 N/m 3 e cuja tensão superficial é igual a 0,11 N/m. O volume das gotas formadas será igual a:

(a) 10 -4 ml

(b) 10 -3 ml

(c) 10 -2 ml

(d) 10 -1 ml

Em sua célebre experiência, Torricelli construiu um barômetro utilizando o mercúrio (= 13,6), e obteve uma coluna líquida de 760 mm. Se, ao invés desse líquido, fosse utilizada água, a altura líquida correspondente teria sido:

(a) 760 mm

(b) 1,033 m

(c) 7,60 m

(d) 10,33 m

9

um tubo de pirex para realizar uma experiência semelhante à de Torricelli utilizando água como

fluido de teste ?

(a) R$ 135,00

a QUESTÃO. Sabendo-se que o tubo de vidro pirex custa R$ 48,00 o metro, quanto custaria

(b) R$ 494,00

(c) R$ 103,33

(d) R$ 36,48

10

Sabendo-se que o fundo do tubulão encontra-se a 10 metros de profundidade, e que, desse total, os 2 últimos metros são constituídos de uma camada de lodo, cuja densidade relativa é igual a 1,2. A pressão que deve ser introduzida no interior do tubulão para mantê-lo seco é:

a QUESTÃO. Um tubulão a ar comprimido está sendo escavado no interior do leito de um rio.

(a) 1,04 kgf/cm 2

(b) 9,2 kgf/cm 2

(c) 10,4 kPa

(d) 1,04 MPa

11

específica e sua densidade relativa .

a QUESTÃO. Se 6 m 3 de óleo pesam 4800 N, calcular o seu peso específico, sua massa

12

a um aumento de 21 N/cm 2 na pressão.

(b) Dos seguintes dados de teste determinar o módulo de elasticidade volumétrica da água: a 35 N/cm 2 com volume de 0.03 m 3 e a 225 N/cm 2 com o volume de 0.0297 m 3 .

a QUESTÃO. (a) Determinar a variação de volume de 0.03 m 3 de água a 27 ºC quando sujeito

13

até 0.075 m 3 . (a) Considerando-se as condições isotérmicas, qual a pressão do novo volume e qual é o módulo de elasticidade volumétrica? (b) Considerando condições adiabáticas qual a

a QUESTÃO. Um cilindro contém 0.375 m 3 de ar a 49 ºC e a 2,8 N/cm 2 . O ar é comprimido

pressão e a temperatura finais e qual será o módulo de elasticidade volumétrico?

14

livre de um volume d’água.

a QUESTÃO. Determine a pressão em N/m 2 a uma profundidade de 6 m abaixo da superfície

15

2,8 N/cm 2 ? Qual a profundidade se o fluido fosse água?

a QUESTÃO. Que profundidade de óleo, densidade relativa 0,750, produzirá uma pressão de

 O CONCEITO DE CARGA z Superfície da água P=p atm Z 0 P(pressão =p)
O CONCEITO DE CARGA
z
Superfície da
água
P=p atm
Z 0
P(pressão =p)
z
Datum
Pressão=P 0
0
x
p
p
z
p
p
z
0
0
p
p
z
p
p
z
atm
0
0
0
atm
0
Logo
p
z
p
z
atm
0
dividindo
por
p
p atm
z 
z
H
0

Onde z é a carga de pozição ou altimétrica p/é a carga piezométrica ou de pressão H é a carga total

abs P atm 
abs
P atm
Plano de carga absoluta (PCA) Plano de carga efetiva (PCE) p 1 p 2 
Plano de carga absoluta (PCA)
Plano de carga efetiva (PCE)
p 1
p
2
1
2
Z 0
Z 1
Z 2
“Datum”
(PCE) p 1 p 2  1 2 Z 0 Z 1 Z 2 “Datum” Válvula
Válvula fechada
Válvula
fechada
PC PC PC P abs atm P abs  atm PCE  Ar deprimido p
PC
PC
PC
P
abs
atm
P
abs
atm
PCE
Ar deprimido
p o = - h
Ar comprimido
PCE
p
o =  h
abs
P atm
h
Superfície
Cilindro c/
Liquida
Superfície
líquido
h
Liquida
H
PCE
Pressurizado
H
H

DATUM”

Figura. Fonte: Vianna (2009)

PCA Plano de Carga Absoluta PCE Plano de Carga Efetiva

Fluidos Incompressíveis e Imiscíveis Superpostos

No interior de um fluido 1 : p 2 -p 1 No interior de um fluido 2 : p 2 -p 1

1
1

(z 1 -z (z 1 -z

2
2

2

2

)

)

Menos Denso Mais Denso Superfície de separação
Menos
Denso
Mais
Denso
Superfície de
separação

Figura. Fonte: Vianna (2009)

Diagrama de Pressões

Ar P 0 +h Figura. Fonte: Vianna (2009)
Ar P 0 +h Figura. Fonte: Vianna (2009)
Ar P 0 +h
Ar
P 0 +h

Figura. Fonte: Vianna (2009)

Exemplo 1 Um reservatório aberto, cuja cota de fundo é 475 em relação ao nivel do mar, possui 3 m de altura de lamina de água. A esse reservatório se encontra conectado uma tubulação que passa por um ponto intermediário a cota 450 e termina em um registro, na cota é 457. Determine:

a) a pressão medida no ponto intermediário e no registro;

b) o nivel do reservatório caso se deseja a pressão minima no registro de 3 kgf/cm 2 ;

c) no caso de se manter o nivel inicial e fechar o reservatório mantendo ar pressurizado na superfície, qual devera ser a pressão desse ar.

Exemplo 2 Um reservatório, com 1 m de altura e area da base igual a 0,4 m 2 , possui 30 litros de

e area da base igual a 0,4 m 2 , possui 30 litros de do reservatório,

do reservatório, lida em um manometro de boudon em kgf/cm 2 e Pa. Re: h=0,075 m; P f =2236,68 Pa; P f =228kgf/m 2 ; P f =0,0228 kgf/cm 2

Exemplo 3 Determine a leitura da altura na determinação da pressão atmosférica correspondente a 0,87 kgf/cm 2 , quando o líquido manométrico for:

a) mercúrio (=13,6)

b) água (=1000kg/m 3 )

c) óleo (=0,86) a) P atm = 8700 kgf/cm 2 ; h Hg = 0,64 m

Re:

b) h H2O = 8,7 m c) h ol = 10,12 m

PROBLEMAS PLANO DE CARGA

1

fundo igual a 3 m em relação ao piso do imóvel. Sabendo que a pressão na saída do chuveiro não pode superar o valor de 0,15 kgf/cm 2 . Determine:

a QUESTÃO. Uma residência possui um reservatório de abastecimento de água com cota de

a-

Qual a altura máxima da lamina de água do reservatório limitado pela boia;

b-

Qual a carga altimétrica e piezométrica do chuveiro, pias, tanque e caixa de descarga.

c-

Qual a pressão em todas as saídas.

Nota: a figura tem alguns erros de desenho. 2 Em seu fundo há uma válvula

Nota: a figura tem alguns erros de desenho.

2

Em seu fundo há uma válvula para seu esvaziamento, cujo eixo encontra-se na Elevação 745 m. Nestas condições, e sabendo-se que o datum é o nível do mar (Elevação 0,00), pode-se afirmar

que a carga de posição de um ponto localizado na superfície líquida do reservatório é igual a:

(a) 0,00 m

a QUESTÃO. Um reservatório está cheio de água, cujo nível encontra-se na Elevação 750 m.

(b) 5,00 m

(c) 745 m

(d) 750 m

3

por gravidade, uma cidade, fechou-se o registro existente em sua extremidade de jusante e

instalou-se um manômetro naquele local. O manômetro indicou a pressão de 4,5 kgf/cm 2 . Sabendo-se que o nível d'água na extremidade de montante da adutora encontrava-se, naquele momento, na altitude 385 m, então a altitude desejada é igual a:

(a)

a QUESTÃO. Para se conhecer a altitude do ponto mais baixo de uma adutora que abastece,

340 m

(b) 341,5 m

(c) 344,5 m

(d) 381,5 m

4

reservatório principal cujo nível máximo encontra-se na Elevação 450,00 m. Daí ela é encaminhada até um reservatorio intermediário, cujo nível d'água encontra-se 5,00 m abaixo do nível máximo do primeiro. Esse último reservatório abastece um hidrante, instalado na Elevação 430,00 m. A pressão da água nesse hidrante é:

(a) 15 kgf/cm 2

a QUESTÃO. A água que abastece uma indústria é inicialmente encaminhada até um

(b) 20 kgf/cm 2

(c) 200 kPa

(d) 0,15 Mpa

5

acoplada a esse reservatório, passa pelo ponto intermediário na cota 832 e possui um registro

a QUESTÃO. Um reservatório aberto para a atmosfera está situado à cota 862 m. Uma adutora

fechado em sua extremidade de jusante, situado à cota 850 m. A pressão atmosférica é de 680

mm de mercúrio. Para essa situação pede-se:

a)

o

nível do reservatório para que no ponto intermediário a pressão seja de 350 kPa;

b)

as cargas altimétrica, piezométrica e total efetiva para o reservatório, ponto intermediário

e

registro;

c)

as cargas altimétrica, piezométrica e total absoluta para o reservatório, ponto intermediário e registro.

6

possui 3 m de altura de lamina de água. A esse reservatório se encontra conectado uma tubulação

a QUESTÃO. Um reservatório aberto, cuja cota de fundo é 475 em relação ao nível do mar,

que passa por um ponto intermediário a cota 450 e termina em um registro, na cota é 457.

Determine:

a

pressão medida no ponto intermediário e no registro;

o

nível do reservatório caso se deseja a pressão mínima no registro de 3 kgf/cm2;

no caso de se manter o nivel inicial e fechar o reservatório mantendo ar pressurizado na superfície, qual devera ser a pressão desse ar.

7

a uma tubulação que passa pelos pontos A e B, cujas cotas são 22 m e 29 m respectivamente, e finaliza com um registro a cota 15 m. Determine:

a. a altura do nivel de água do reservatório para que a pressão no registro seja de 1,2

a QUESTÃO. Um reservatório instalado a cota 25 m em relação ao solo se encontra interligado

kgf/cm2;

b. a pressão nos pontos A e B.

c. a localização do Plano de Carga Absoluto, considerando que a pressão atmosférica local é de 680 mmHg;

d. a altura da lamina de água no reservatório para que a pressão efetiva no ponto B seja zero.

8

fundo se encontra a 980 m acima do nível do mar, tem uma lamina d’água de 3 m, e é ligado a

uma tubulação que passa pelo ponto A, a 950 m de cota, e finaliza no ponto B, na cota 965 m, onde se localiza um registro fechado. Caso se determine que a pressão máxima no registro seja de pressão de 300 kPa. Determine:

a) as cargas, altimétricas e piezométricas, efetivas dos pontos A, B e a pressão máxima na

superfície da água; Resposta: Z A =950 m; P A /= 45,58 m; Z B =965 m; P A /= 30,58 m;

a QUESTÃO. Um reservatório com 5 m de altura e fechado para a atmosfera, cuja cota de

P ar =123.409,81 Pa.

b) as cargas, altimétricas e piezométricas, absolutas dos pontos A e B; Resposta: Z A =950 m;

P

A /= 55,91 m; Z B =965 m; P A /= 40,91 m;

c) pressão efetiva no ponto A em Pa e Kgf/m 2 . ; Resposta: P A = 447,12 kPa ou 45.580

a

kgf/m 2

d) Se a pressão máxima no registro fosse de 100 kPa qual seria a pressão na superfície da água. Resposta: -76,58 kPa

9

a QUESTÃO. Um reservatório foi construído para abastecer uma cidade e foi colocado em com

sua base a cota de 40 m em relação ao ponto mais baixo da cidade. Pelas normas de fornecimento a pressão máxima do sistema deve ser entre 1 e 5 kgf/cm 2 . Determine:

a) Qual a altura máxima do reservatório;

b) Qual a pressão nos pontos que se encontram nas cotas de 25m, 50 m e 10m nessa rede, caso o nível do reservatório seja o encontrada na letra a;

c) As cargas piezométricas e altimétricas nos pontos que se encontram nas cotas de 25m, 50 m e 10m nessa rede;

a QUESTÃO. Uma mineradora aplica um jato de água, que sai de um bocal (figura 01), para

lavra dentro de uma mina no subsolo, para o correto funcionamento do bocal, e antes de abrir o

registro, a pressão no mano-vacuometro 2 deve estar entre 300Kpa e 400Kpa. O sistema consta de um reservatório e uma tubulação onde é instalado o mano-vacuomentro 1 para controle (antes de ser instalado o equipamento marcava -200mmHg), após da instalação se registrou uma pressão de 3,5Kgf/cm 2 . Verificar se a pressão no mano-vacuometro 2 se encontra na faixa de funcionamento correto. Caso contrário que recomendaria (explique claramente). (05 pontos)

10

2 se encontra na faixa de funcionamento correto. Caso contrário que recomendaria (explique claramente). (05 pontos)

MANOMETRIA

Medição de Pressão

O mais Simples dos Piezômetros

Medição de Pressão  O mais Simples dos Piezômetros Figura. Fonte: Vianna (2009) H H ef

Figura. Fonte: Vianna (2009)

H

H

ef .

0

1

abs .

0

1

H

ef

p

H

abs

p

O Manômetro em U

z

p

z

p

p

ef .

p

p

abs .

p

Permite medir pressões positivas e negativas.

A pressão em P é positiva e igual a  h A pressão em P

A pressão em P é positiva e igual a h

A pressão em P é Negativa e igual a h

Figura. Fonte: Vianna (2009)

Utilização de Outros Líquidos Manométricos

Vianna (2009) Utilização de Outros Líquidos Manométricos  Manômetros diferenciais em U  Manômetros

Manômetros diferenciais em U

Manômetros diferenciais em U invertido

0 +y2 h1- y1h2= Pp Pp=y2h1+ y1h2

Figura. Fonte: Vianna (2009) P p = 0+  5 (z 5 -(-z 4 ))+

Figura. Fonte: Vianna (2009)

P p = 0+5 (z 5 -(-z 4 ))+4 (-z 4 -z 3 ) + 3 (z 3 -z 2 ) + 2 (z 2 -z 1 ) + 1 (z 1 -z P )

P p =5 (z 5 +z 4 )- 4 (z 4 +z 3 ) + 3 (z 3 -z 2 ) - 2 (z 1 -z 2 ) + 1 (z 1 -z P )

Manômetro Metálico Pressão Efetiva

Barômetro (Pressão Absoluta num Dado Ponto Patm.)

Vapor de mercúrio

Vapor de mercúrio Tabela 1 – Pressão de Vapor do Mercúrio de 20 a 108ºC t,

Tabela 1 Pressão de Vapor do Mercúrio de 20 a 108ºC

t, (ºC)

20º

0,001201

0,001426

0,001691

0,002000

0,002359

30º

0,002777

0,003261

0,003823

0,004471

0,005219

40º

0,006079

0,007067

0,008200

0,009497

0,01098

50º

0,01267

0,01459

0,01677

0,01925

0,02206

60º

0,02524

0,02883

0,03287

0,03740

0,04251

70º

0,04825

0,05469

0,06189

0,06993

0,07889

80º

0,08880

0,1000

0,1124

0,1261

0,1413

90º

0,1582

0,1769

0,1976

0,2202

0,2453

100º

0,2729

0,3032

0,3366

0,3731

0,4132

EXEMPLO 1 Um piezômetro de tubo inclinado, desenho abaixo, é usado para medir a pressão no interior de uma tubulação. O líquido do piezômetro é um óleo com = 800 kgf/m 3 . A posição mostrada na figura é a posição de equilíbrio. Determinar a pressão no ponto P em kgf/cm 2 , mm Hg e m H 2 O. P P = P a

figura é a posição de equilíbrio. Determinar a pressão no ponto P em kgf/cm 2 ,

P a = óleo (CB) = óleo AB sen 30P a = P P = 800x0,2x0,5 = 80 kg f /m 2

P a = P P = 0,08 kg f /cm 2 Em mmHg :

P a = P P = 80/13.600 = 0,0059 m 5,9 mmHg

: P a = P P = 80/13.600 = 0,0059 m  5,9 mmHg (: 10

(: 10 -4 )

Em m.c.a.:

P a = P P = 80/1000 = 0,08 m.c.a.

Exemplo 2 O recipiente da figura contém três líquidos não miscíveis de densidades relativas 1 2 =

= 0,7. Supondo que a situação da figura seja a de equilíbrio, determinar a leitura do manômetro colocado em sua parte superior.

a leitura do manômetro colocado em sua parte superior. 3 2 m Manômetro C 0,4 m
3
3

2 m

Manômetro C 0,4 m 1,1 m   0,7 m
Manômetro
C
0,4 m
1,1 m


0,7 m

Figura. Fonte: Vianna (2009)

P

P A = 1 (2-0,7) = 1,3 1 P B =P C + 2 1,1 + 3 0,4 P C =P B - 2 1,1 - 3 0,4 P C =1,3 1 - 1,1 2 - 0,43

 

m

m

m

P C =(1,3*12000)- (1,1*9000) (0,4*7000)

A =P B

Exemplo 3 - Um manômetro de mercúrio foi instalado na entrada de uma bomba. A deflexão do mercúrio é de 0,4 m. Determine a pressão efetiva no eixo da tubulação de sucção.

PROBLEMAS MANOMETRIA

1

a QUESTÃO. A pressão num conduto de água (= 9810 N/m 3 ) é medido pelo manômetro de mercúrio (δ = 13,6). Avalie a pressão manométrica no conduto. Resposta: 4,6 kPa

h
h

2

30

parcialmente ao atrito. Determine a diferença de pressão entre os pontos A e B para L = 1,52 m e h =0,15m (δ mercurio = 13,6). Resposta: 11,1 kPa

é devido parcialmente a gravidade e

a QUESTÃO. A água (= 9810 N/m 3 ) flui para baixo ao longo de um tubo com inclinação de

0 com relação a horizontal. A diferença de pressão

de 0 com relação a horizontal. A diferença de pressão 3 profundidade de 2,5 m. Um

3

profundidade de 2,5 m. Um manômetro em U é conectado ao tanque num local a 0,7 m acima do fundo do tanque. Se o nível zero do fluido, óleo Merian azul (δ=1,75) for 0,2 m abaixo da conexão, determine a deflexão l após a instalação do manômetro e remoção de todo o ar no tubo de conexão. Resposta: 1,6 m

a QUESTÃO. Um tanque retangular, aberto para a atmosfera, está cheio de água até a

4 d=6mm. O liquido manométrico é o óleo Merian Vermelho ( δ = 0,827). Determine

4

d=6mm. O liquido manométrico é o óleo Merian Vermelho (δ= 0,827). Determine a deflexão do

líquido quando uma pressão diferencial é aplicada (p) for de 25 mm de coluna de água (manométrica). Resposta: x = 3mm e L= 27 mm

a QUESTÃO. Um reservatório manométrico tem tubos verticais com diâmetros D= 18 mm e

manométrico tem tubos verticais com diâmetros D= 18 mm e a QUESTÃO. Um tubo em U

a QUESTÃO. Um tubo em U com hastes de diâmetros diferentes está cheio de mercúrio a

5

20 C. Calcule a força aplicada no pistão. Resposta: 20,1 N

C. Calcule a força aplicada no pistão. Resposta: 20,1 N 6 em U cheio de água,

6

em U cheio de água, de diâmetro constante. A concepção do aluno envolve o emprego de tubos com diâmetros diferentes e dois líquidos. Avalie a deflexão, h, desse manômetro, se a diferença

de pressão aplicada for p = 250 N/m 2 . Resposta: h=7,8 mm

a QUESTÃO. Um aluno deseja projetar um manômetro com sensibilidade melhor que um tubo

a QUESTÃO. Em uma prensa hidráulica, o êmbolo menor tem área de 10cm 2 enquanto

a QUESTÃO. Em uma prensa hidráulica, o êmbolo menor tem área de 10cm 2 enquanto o

êmbolo maior tem sua área de 100 cm 2 . Quando uma força de 5N é aplicada no êmbolo menor, qual o deslocamento do êmbolo maior, considerando que o fluido da prensa é óleo (δ=0,75)? Resposta: h= 0,617 m, e x = 0,062 m ou 62 cm

7

a QUESTÃO. Na figura abaixo o tanque contém água e óleo imiscíveis a 20 ºC. Qual o valor de h em cm se a massa específica do óleo é 898 kg/m 3 ?

8

em cm se a massa específica do óleo é 898 kg/m 3 ? 8 a QUESTÃO.

a QUESTÃO. O sistema da figura abaixo está a 20 ºC. Se a pressão atmosférica, que atua na

superfície, é 101,33 kPa e a pressão absoluta no fundo do tanque é 242 kPa, qual é a densidade do fluido X.

9

10 20 ºC. Se a pressão P a = 98 kPa, determine a pressão no

10

20 ºC. Se a pressão P a = 98 kPa, determine a pressão no ponto A.

a QUESTÃO. Na figura abaixo o fluido 1 é óleo (δ=0,87) e o fluido 2 é glicerina(δ=1,26) a

é óleo ( δ =0,87) e o fluido 2 é glicerina( δ =1,26) a 11 sabendo

11

sabendo que os fluidos estão a 20 ºC.

a QUESTÃO. Determine a diferença de pressão entre os pontos A e B, da figura abaixo,

de pressão entre os pontos A e B, da figura abaixo, a QUESTÃO. Considere o escoamento

a QUESTÃO. Considere o escoamento de água em um tubo inclinado de 30 º, como mostra a

figura abaixo. O manômetro de mercúrio (δ=13,6) deflexão de h = 12 cm. Ambos os fluidos está a 20ºC. Qual a diferença de pressão P 1 -P 2 no tubo?

12

13 m, qual é o ângulo de inclinação do tubo? a QUESTÃO. Na figura abaixo

13

m, qual é o ângulo de inclinação do tubo?

a QUESTÃO. Na figura abaixo o tanque e o tubo estão abertos para a atmosfera. Se L = 2,12

tanque e o tubo estão abertos para a atmosfera. Se L = 2,12 14 mais alta

14

mais alta ou mais baixa que a atmosférica?

a QUESTÃO. Na figura abaixo determine a pressão manométrica no ponto A em Pa. Ela é

ou mais baixa que a atmosférica? a QUESTÃO. Na figura abaixo determine a pressão manométrica no

15

a QUESTÃO. Dois reservatórios com água são conectados a um manômetro em U invertido

com óleo (δ=0,8) com fluido manométrico. Determine a diferença de altura entre os dois reservatórios para que a condição de equilíbrio ocorra uma deflexão de óleo de 25 cm.

de equilíbrio ocorra uma deflexão de óleo de 25 cm. 16 kgf/m 3 ) e mercúrio

16

kgf/m 3 ) e mercúrio (δ=13,6). Esse reservatório possui dois compartimentos como mostrado no

esquema. Determine as leituras das pressões indicadas pelos manômetros de 1 e 2 .

a QUESTÃO. Um reservatório fechado possui ar comprimido a 250 kPa, água (=1000

Ar comprimido água mercúrio man. 1 man. 2
Ar comprimido
água
mercúrio
man. 1
man. 2

a QUESTÃO. Um reservatório, com 1 m de altura e area da base igual a 0,4 m2, possui 30

litros de água, 30 litros de oléo (δ=0,78) e 30 litros de glicerina (δ=1,26). Determine a pressão no fundo do reservatório, lida em um manometro de boudon em kgf/cm2 e Pa. Re: h=0,075 m; Pf=2236,68 Pa; Pf=228kgf/m2; Pf=0,0228 kgf/cm2

17

a QUESTÃO. Determine a leitura da altura na determinação da pressão atmosférica

correspondente a 0,87 kgf/cm2, quando o líquido manométrico for: mercúrio (δ=13,6); água; óleo (δ=0,86)

Re:

18

a) Patm= 8700 kgf/cm2; hHg= 0,64 m

b) hH2O= 8,7 m

19

a QUESTÃO. Um reservatório, de base circular (r = 40 cm) e 1 m de altura, possui 100 l de

água, 200 l de óleo (δ=0,86) e 150 l de glicerina (δ=1,26). Esse reservatório se encontra fechado para a atmosfera e possui ar na parte superior. a) Determine a pressão do ar considerando que a pressão no fundo do reservatório é de 0,24 kgf/cm2.

b) Caso o reservatório tivesse somente glicerina qual seria a altura de fluido para se manter a mesma pressão do ar e de fundo. Re:a) A=0,5 m2; hH2O=0,2 m; hol=0,4 m; hgli=0,3 m; Par= 1478 kgf/m2; b) hgli= 0,73 m.

20

manométrico de densidade relativa 2,94, em milímetro de mercúrio.

a QUESTÃO. Determine a pressão equivalente a 80 cm de água mais 60 cm de um fluido

21

pressão no interior de uma tubulação. O líquido do piezômetro é um óleo com = 800 kgf/m 3 . A posição mostrada na figura é a posição de equilíbrio. Determinar a pressão no ponto P em kgf/cm 2 , mm Hg e m H 2 O.

a QUESTÃO. Um piezômetro de tubo inclinado, desenho abaixo, é usado para medir a

de tubo inclinado, desenho abaixo, é usado para medir a 22 relativas δ 1 = 1,2

22

relativas δ 1 = 1,2 ; δ 2 = 0,9 e δ 3 = 0,7. Supondo que a situação da figura seja a de equilíbrio,

determinar a leitura do manômetro colocado em sua parte superior.

a QUESTÃO. O recipiente da figura contém três líquidos não miscíveis de densidades

23

diâmetro do rotor é de 200 mm. A deflexão do mercúrio é de 0,4 m. Determine a pressão efetiva

no eixo da tubulação de sucção.

a QUESTÃO. Um manômetro de mercúrio foi instalado na entrada de uma bomba cujo

24

líquido B da coluna manométrica da figura abaixo.

a QUESTÃO. Para a pressão manométrica em A de 1000 N/m2, determine a densidade do

a QUESTÃO. Um manômetro diferencial é colocado entre as seções A e B em um

a QUESTÃO. Um manômetro diferencial é colocado entre as seções A e B em um tubo

horizontal, no qual escoa água. A deflexão do mercúrio no manômetro é de 576 mm, o nível mais próximo de A sendo o mais baixo deles. Calcular a diferença de pressão entre as seções A e B em N/m 2 .

25

de pressão entre as seções A e B em N/m 2 . 25 Questão 2.- (8

Questão 2.- (8 pontos) Um reservatório possui área da base igual a 0,4 m 2 , e altura de 1 m. Nesse reservatório foram inseridos 160 litros de glicerina (Glicerina =1,26), 100 litros de água (H 2 O =1000

kgf/m 3 ), e 120 litros de óleo (óleo =0,75). Foi instalado, na parte inferior do reservatório, um

manômetro em U, com mercúrio como fluido manométrico. Determine a deflexão “b” no manômetro em U considerando que a pressão no manômetro de Bourdon é de 0,5 kgf/cm 2 . (Dados: c = 70 mm,

Hg =13,6 e ar =1,22 kg/m 3 ). Nota: Antes de inserir os fluidos (tanque vazio) o nível inicial do mercúrio é a=20mm abaixo da conexão.

26 dos fluidos são mostradas ao lado esquerdo da figura. A densidade relativa da glicerina

26

dos fluidos são mostradas ao lado esquerdo da figura. A densidade relativa da glicerina é 1,26 e a

a QUESTÃO. Na figura, Calcular a pressão manométrica em A. As leituras das elevações

densidade relativa do óleo é de 0,89.

das elevações densidade relativa do óleo é de 0,89. a QUESTÃO. Um recipiente cilíndrico pressurizado contém,

a QUESTÃO. Um recipiente cilíndrico pressurizado contém, sucessivamente de cima para

baixo, ar, óleo e água, cada um dos quais ocupa as seguintes alturas: (a) ar: 1,50 m desde o topo

do cilindro até a interface ar-óleo; (b) óleo ( = 0,85): 1,50 m desde a interface ar-óleo até a interface óleo-água ; (c) água: 2,50 m desde a interface óleo- água até o fundo do cilindro. Sabendo-se que um manômetro, instalado no topo do cilindro, indica a pressão de 25 kPa, então a pressão no fundo do cilindro será:

27

(a) 37,8 kgf/cm 2

(b)

3,78 kgf/cm 2 ;

(c) 62,8 kPa

(d) 0,628 MPa

- Calcular a pressão efetiva do tanque confinado com ar

MPa - Calcular a pressão efetiva do tanque confinado com ar a QUESTÃO. Na figura 1

a QUESTÃO. Na figura 1 a pressão atmosférica é de 14lbf/pol 2 o manômetro marca 5lbf/pol 2 .

A pressão de vapor do álcool é de 1.7lbf/pol 2 (absoluta). Determine X e Y. h= 4 pés; 1pol=2,5cm; 1lbf=4,448N; e a densidade relativa do álcool= 0,9

28

1lbf=4,448N; e a densidade relativa do álcool= 0,9 28 a QUESTÃO. Um reservatório inferior pressurizado possui

a QUESTÃO. Um reservatório inferior pressurizado possui uma área da base igual a 0,4 m 2 , e

altura de 2,1 m. Nesse reservatório foram encontrados 500 litros de água, e 250 litros de óleo (δ óleo =0,75). Foi instalado, na parte inferior do reservatório, um manômetro em U, com mercúrio como fluido manométrico. (Dados: c = 700 mm, δ Hg =13,65; δ ar =1,22 kg/m 3 ; a=100mm; e b=900mm). a) Qual é a pressão que marca o manômetro? b) Determine o desnível H; c) Determine a pressão no ponto 1. Nota: o ponto 1 encontra-se a 0,25H m acima do ponto 0.

29

a QUESTÃO. Um copo contém 7,5cm de água de profundidade. Um canudo se encontra no

a QUESTÃO. Um copo contém 7,5cm de água de profundidade. Um canudo se encontra no

copo formando um ângulo de 75° com a horizontal. O canudo toca o fundo e possui um comprimento de 25cm. Calcule a pressão que deve ser feita no topo do canudo para que se possa

começar a beber água. Expresse a resposta em pressão absoluta. Nota: Patm=101kPa g=9,8m/s 2

ρ agua =1000Kg/m 3

30

Patm=101kPa g=9,8m/s 2 ρ a g u a =1000Kg/m 3 30 a QUESTÃO. Um jovem engenheiro

a QUESTÃO. Um jovem engenheiro é solicitado para calcular P A da figura. Ele afirma que

P A =15 lbf/pol 2 , uma vez que os manômetros indicam alturas iguais. Você concorda? Em caso afirmativo explique. Em caso negativo, calcule o valor de P A . Nota: 1lbf=4,448N

31

1pol=2,54cm

32 a QUESTÃO. Calcular a pressão efetiva em A 33 a QUESTÃO A prensa hidráulica

32 a QUESTÃO. Calcular a pressão efetiva em A

32 a QUESTÃO. Calcular a pressão efetiva em A 33 a QUESTÃO A prensa hidráulica é

33 a QUESTÃO A prensa hidráulica é utilizada para elevação de equipamentos pesados, como

automóveis. Caso o sistema se deseja no sistema abaixo elevar o carro de 1,6 toneladas em 0,6 m qual a força deve ser introduzida no pistão menor, sabendo que a A 1 =0,2 m 2 e A 2 =1 m 2 e o fluido

é óleo (=0,8).

Figura 1 Figura 2 a QUESTÃO . Um cilindro de metal contendo ar pressurizado na

Figura 1

Figura 2

a QUESTÃO. Um cilindro de metal contendo ar pressurizado na parte interna é colocado para

flutuar sobre a água, ver figura 2. A pressão no interior é medida com um manômetro. Determine a profundidade h e qual é o peso do cilindro. Nota: a=0,5m; D= 3m e d= 2,9m. A densidade relativa do Mercúrio é 13,65.

34

profundidade h e qual é o peso do cilindro. Nota: a=0,5m; D= 3m e d= 2,9m.

35

a QUESTÃO Seja dois reservatórios fechados pressurizados conectados por um manômetro,

determinar a força que atuam na comporta e determine se o sistema esta em equilíbrio ou não, caso não estiver determinar o torque sobre a comporta.

caso não estiver determinar o torque sobre a comporta. 36 a QUESTÃO Determinar a pressão dentro

36

a QUESTÃO Determinar a pressão dentro do duto de gas. (Figura 02)

não estiver determinar o torque sobre a comporta. 36 a QUESTÃO Determinar a pressão dentro do

1

37 a QUESTÃO Demostre que em um conta gota

3 .r

 

R  

2

3

 3  .r       R   2  3
 3  .r       R   2  3
 3  .r       R   2  3
r F
r
F
R F 2
R
F 2

Figura. Fonte: Vianna (2009)

38 a QUESTÃO Demostrar que em tubos capilares

h

2

cos

.r

r









r     Figura. Fonte: Vianna (2009)

Figura. Fonte: Vianna (2009)

FORÇA HIDROSTÁTICA APLICADA SOBRE UMA SUPERFÍCIE PLANA SUBMERSA

A figura 1 mostra um corpo submerso sujeito a ação de forças hidrostática.

um corpo submerso sujeito a ação de forças hidrostática. Figura 1 – Corpo submerso Não havendo

Figura 1 Corpo submerso

Não havendo tensão cisalhante num fluido em repouso, a força hidrostática é normal a

superfície.

d F  pd A

o sinal indica que a força dF atua contra a superfície dA.

F

R

 

A

pd A

dP

dh

onde

g

h

p

p

y sen

0



h

0

gdh

F R

F

R




A

p


0

gy sen

d A

p

0

A

d A

gsen

A

yd A

como

A

F

ydA

R

p

0

y dA

c

A

g sen

y

c

A

F

R

p

p

0

F

R

(

p

0

gh

p

0

A

g h

c

)

gsen

A

F

R

A

yd A

p

c

A

onde p c é a pressão atuando no líquido na posição do centro da área e y c é a coordenada

y do centróide.

Determinação da posição do centro de pressão de uma superfície plana imersa em um fluido

A pressão na face do corpo submerso corresponde a pressão ambiente, p atm , acrescida da

pressão hidrostática do líquido, como descrito anteriormente.

A fim de se encontrar expressões para determinar as coordenadas do centro de pressão, ou

seja, a posição real de aplicação da força no corpo submerso, reconhece-se que o momento

da força resultante em relação a qualquer eixo deve ser igual ao momento da força

distribuída em relação ao mesmo eixo, chega-se as seguinte equações:

y 'y

c

e

x 'x

c

I

xx

Ay

I xy

c

Ay

c

FORÇA HIDROSTÁTICA SOBRE SUPERFÍCIE CURVA SUBMERSA

c e x '  x  c I xx Ay I xy c Ay c

Força horizontal

d F



d A

F

R

^

i F

R

x

^

j F

R

Em x

F

R

y



^

k F

R

z

F R

x

^

i

F

R

x



d F

^

i



A

A

Em z força vertical

F

como

R

z

F

v

p



pdA

gh



F ghdA

v



gd



pd A

^

pd A i



F

v

g

A

x

pd A

x

Ponto de aplicação da força horizontal

y y

,

c

I

xx

Ay

c

Onde y c é o centróide da área de projeção

I xx é o momento de inércia de área da projeção

A é a área da projeção

Exercícios. Força Hidrostática sobre Superfícies Planas e Curvas

1

comprimento. Desprezando o peso da comporta, determinar a força devido a ação da água na comporta, e onde está força está aplicada.

a QUESTÃO. Na figura abaixo a comporta ABC é articulada em B e tem 1,2 m de

e onde está força está aplicada. a QUESTÃO. Na figura abaixo a comporta ABC é articulada

a QUESTÃO. Uma placa de metal é colocada na parede de um reservatório. Determinar a força resultante efetiva.

2

um reservatório. Determinar a força resultante efetiva. 2 3 equação que satisfaz a equação x 2

3

equação que satisfaz a equação x 2 +1,5y=9. Qual é a força exercida pelo óleo sobre a placa? Qual

a QUESTÃO. Na figura 4, uma chapa de metal plana esta submersa no óleo, e tem uma

é o torque em torno de C devido ao óleo

óleo, e tem uma é o torque em torno de C devido ao óleo Figura 3.

Figura 3.

a QUESTÃO. Um reservatório fechado possui água (=1000 kg/m 3 ) e ar na superfície (=1,22

kg/m 3 ) a pressão de 0,22 kgf/cm 2 . No reservatório há uma comporta de fundo, com 2 m de altura

e 3 m de largura, articulada em A e com uma tranca em B. A parede onde a comporta está instalada está com um ângulo de 60º em relação ao plano horizontal, e a massa da comporta é de

5

200 kg. Para a condição de equilíbrio abaixo determine a força que a tranca deverá exercer sobre a comporta para que a mesma não se abra. Dados: H=40 cm e L=20 cm.

para que a mesma não se abra. Dados: H=40 cm e L=20 cm. a QUESTÃO. Uma

a QUESTÃO. Uma placa de metal é colocada na parede de um reservatório. Determinar a força resultante efetiva

4

um reservatório. Determinar a força resultante efetiva 4 a QUESTÃO. Na figura abaixo, a comporta plana

a QUESTÃO. Na figura abaixo, a comporta plana pesa 750Kgf por metro de largura e seu

centro de gravidade esta a uma distancia de L/2 da articulação no ponto A. Determinar: a) h em função de θ; e b) o equilíbrio da comporta é estável para qualquer valor de ϴ? Dados: L=4m

5

a QUESTÃO. Determinar o valor de X de tal modo que o momento exercido na

a QUESTÃO. Determinar o valor de X de tal modo que o momento exercido na articulação seja nulo. Desconsiderar o peso das comportas.

6

seja nulo. Desconsiderar o peso das comportas. 6 7 para que a comporta permaneça fechada. H=

7

para que a comporta permaneça fechada. H= 1,5m; d= 90cm; h= 35cm; largura da comporta de

a QUESTÃO. Determine o momento M gerado pelo peso da comporta no ponto 0 (articulação)

2m; Densidade relativa do fluido do manômetro é 5.

o momento M gerado pelo peso da comporta no ponto 0 (articulação) 2m; Densidade relativa do

19- Uma comporta plana semicircular AB é articulada ao longo de B e suportada pela força horizontal F A aplicada em A. O líquido a esquerda da comporta é água. Calcule a força F A requerida para o equilíbrio (Re:F A =366kN).

F A requerida para o equilíbrio (Re:F A =366kN). 20 - A comporta AB, feita de

20 - A comporta AB, feita de ferro fundido (massa=425kg), é articulada em A e possui 1,2m de

comprimento. Determina a força exercida no batente, localizado em B, para que a comporta se

mantenha fechada. (glicerina = 1,2)(Re: F B =13,46 kN)

Glicerina 2 m
Glicerina 2 m
Glicerina 2 m

Glicerina

Glicerina 2 m
Glicerina 2 m
Glicerina 2 m

2 m

A 1m B 60º
A
1m
B 60º

21 Um bloco de madeira longo, de seção quadrada, é articulado em uma das arestas. Ele está

em equilíbrio quando imerso em água a profundidade mostrada. Avalie a densidade relativa da

madeira (Re: =0,542).

L d=0,6 m L=1,2 m Água Pivô
L
d=0,6 m
L=1,2 m
Água
Pivô

22

Uma barragem na forma de um quarto de circulo, com 50 m de comprimento, pode ser

observada pela figura abaixo. Determine as componentes das forças, horizontal e vertical, e seus respectivos pontos de atuação (Re: F H =98,1 MN; y`=13,3 m; F V =154,1 MN; x`=8,49m).

F H =98,1 MN; y`=13,3 m; F V =154,1 MN; x`=8,49m). 23- Uma comporta AB é

23- Uma comporta AB é um quarto de circulo de 10 m de largura. Encontre a força F necessária para impedir sua abertura. O peso da comporta corresponde a 300 kg (CG=2R/) (Re:

F=120,4KN).

comporta corresponde a 300 kg (CG=2R/  ) (Re: F=120,4KN). 24 – Um cubo Determine o

24 Um cubo

Determine o quanto o bloco se encontra submerso em cada um dos fluidos. Resposta: o bloco

de aço (=7,65) de 30 cm de aresta, flutua na interface de água e mercúrio.

ficou submerso 15,8 cm no mercúrio e 14,2 cm na água.

25 Um densímetro possui massa igual a 2,2 gramas e tem na extremidade superior uma haste

cilíndrica de 2,8 mm de diâmetro. Quanto mais fundo flutuará em óleo de densidade 0,78 do que em álcool de densidade 0,821? Resposta: 17,8 mm

26 Dada a instalação abaixo calcule:

a) a pressão no flange a; (R. 931,95 kPa)

b) a força aplicada no flange; (R. 29,3 kN)

d) sabendo que se deseja colocar 12 parafusos para fechar o flange, qual e o diâmetro de cada um. (R. 49 mm) (Dados:Fator de segurança = 2,5, água =1000kgf/m 3 e aço =800kgf/cm 2 .)

110 m 15 m 200 mm a
110 m
15 m
200 mm
a

27. Uma tubulação de aço (adm = 800 kgf/cm2), com 50 mm de diâmetro, é instalado no fundo

de um reservatório de um sistema de abastecimento de água com 34 m de altura. Determine a espessura da tubulação para que o sistema não sofra rompimento. Utilizar o fator de segurança de

2,5.

28.

Encontre as forças, horizontal e vertical, que atuam em uma seção curva no fundo de um

reservatório, e seus respectivos pontos de atuação.

e vertical, que atuam em uma seção curva no fundo de um reservatório, e seus respectivos

29.

Uma comporta de segmento de seção ABC, com 3 m de largura, encontra-se articula no ponto

O referente ao centro da circunferência. Para a situação mostrada, encontre as forças que atuam sobre a comporta e seus pontos de ação.

forças que atuam sobre a comporta e seus pontos de ação. 30. O tanque fechado, com

30. O tanque fechado, com 1 m de largura, mostrado abaixo possui benzeno a 20C (d=0,88) e ar

pressurizado na superfície. Determine as forças hidrostática que atuam sobre o tanque e seus pontos de atuação.

que atuam sobre o tanque e seus pontos de atuação. 31. Uma comporta, na forma de

31. Uma comporta, na forma de um quadrante de cilindro, articulada em A e vedada em B, tem

3m de comprimento. O fundo da comporta está 4 m abaixo da superfície da água. Determine a

força no batente B, se a comporta maciça for feita de concreto (=2,5) com raio de 2 m.

Água A D R B
Água
A
D
R
B

32. O cilindro tem um diâmetro de 2m, pesa 2300Kgf, e uma largura de 1,5m. Determinar as reações em A e B, desprezado o atrito. Densidade relativa do óleo é 0,89.

B, desprezado o atrito. Densidade relativa do óleo é 0,89. 33. Seja um cilindro sobre um

33. Seja um cilindro sobre um plano inclinado (30°) Desenhe qual é volume efetivo da força vertical. Defina a área vertical onde atua a força horizontal.

Defina a área vertical onde atua a força horizontal. Figura 02 34. Desenvolver o procedimento como

Figura 02

34. Desenvolver o procedimento como calcular a densidade e o peso da barreira cilíndrica modificada para impedir o transbordamento da água. Nota: D=2m.

Figura 1 35. Na figura 1, o cilindro pesa 200Kgf e repousa no fundo de

Figura 1

Figura 1 35. Na figura 1, o cilindro pesa 200Kgf e repousa no fundo de um

35. Na figura 1, o cilindro pesa 200Kgf e repousa no fundo de um tanque que uma largura de 1m, água e óleo são colocados nas porções à esquerda e à direita do tanque a profundidades R/2 e R, respectivamente. A)Determinar as forças verticais e horizontais que atuam no cilindro. B) Existe reação e B? c) Existe um momento de equilíbrio em B. R=1m.

e B? c) Existe um momento de equilíbrio em B. R=1m. 36. Um reservatório de água

36. Um reservatório de água (=1.000 kg/m 3 ) tem sua altura máxima limitada por uma válvula borboleta colocada em uma tubulação de D=300 mm no fundo. Considerando que o eixo do giro da comporta se encontra a 2,5mm abaixo do centro de gravidade da área circular da válvula e o sentido horário é o de abertura, determine se o sistema irá abrir caso h seja de: a) 2,5 m; e b) 2,0 m. Qual é a altura h que a válvula estará prestes abrir? (09 pontos)

a altura h que a válvula estará prestes abrir? (09 pontos) Figura 03 37. A comporta

Figura 03

37. A comporta tem uma largura de 5m, e R=4m. Determine o nível da água H para a comporta abrir (figura 04).

38. Seja uma barragem de concreto (com densidade relativa entre 2,1 a 2,5) com largura

38. Seja uma barragem de concreto (com densidade relativa entre 2,1 a 2,5) com largura de 10R.

Avaliar o seguinte: a) Determinar se a barragem pode girar em torno de A? b) Caso a barragem gire o que você aconselharia para evitar o giro? Explicar de forma objetiva. Nota: Lembrando que a água percola ao longo da base da barragem e gera sobrepressões que atuam ao longo da base da barragem. (06 pontos)

que atuam ao longo da base da barragem. (06 pontos) 39. a) Determinar a componente da

39. a) Determinar a componente da força horizontal hidrostática que age na comporta radial e sua

linha de ação (y´). b) Determinar a componente vertical da força hidrostática. Determinar a força

F mínima necessária para abrir a comporta sabendo que a densidade relativa da comporta é de 1,8. Dados: H=3,60m; b=1,8m; R= 1,80m. (06 pontos)

40. Determinar a força sobre a comporta circular de D=0,5m e o ponto de aplicação

40. Determinar a força sobre a comporta circular de D=0,5m e o ponto de aplicação da força

resultante, o tanque confinado contém óleo (δ=0,89). Nota: A comporta encontra-se centrada na parede inclinada e Po=58,8 lbf/pol 2 (absoluta). Figura 03.

inclinada e Po=58,8 lbf/pol 2 (absoluta). Figura 03. 41. A barragem de concreto de densidade relativa

41. A barragem de concreto de densidade relativa é de 2,3 a 2,6. Determinar a mínima distancia

de “e” para manter o sistema em equilíbrio. Devido à percolação da água, forma-se uma sobrepressão na base da barragem com uma distribuição triangular. Nota: a=1m; b= 1,5m; c=5m.

42. Um reservatório de água (  =1.000 kg/m 3 ) e óleo tem sua

42. Um reservatório de água (=1.000 kg/m 3 ) e óleo tem sua altura máxima limitada por uma

comporta retangular tio borboleta. Considerando que seu pivotamento acontece na articulação

determine a que profundidade “h” abrirá em sentido horário. Nota: a=1m; c=2a; a largura da comporta é de a.

horário. Nota: a=1m; c=2a; a largura da comporta é de a. 43. Determine as forças hidrostáticas

43. Determine as forças hidrostáticas resultantes (Verticais e Horizontais) que atuam sobre as

paredes laterais do cilindro, no interior há dois fluidos (óleo e água). Também, determine os pontos de aplicação das forças resultantes referente ao centro do cilindro. Nota: O comprimento do cilindro é de 4D. A densidade relativa do Mercúrio é 13,65.

44. Uma tubulação de aço (  adm = 800 kgf/cm2), com 50 mm de

44. Uma tubulação de aço (adm = 800 kgf/cm2), com 50 mm de diâmetro, é instalado no fundo de um reservatório de um sistema de abastecimento de água com 34 m de altura. Determine a espessura da tubulação para que o sistema não sofra rompimento. Utilizar o fator de segurança de

2,5.

CAPÍTULO 8 EQUILÍBRIO DOS CORPOS SUBMERSOS E FLUTUANTE

Noções Preliminares

Todo corpo imerso num líquido fica submetido à ação de uma força, empuxo, de baixo para cima, igual ao peso do volume do líquido deslocado.

Exemplo pg. 325

ao peso do volume do líquido deslocado. Exemplo pg. 325 Figura. Fonte: Vianna (2009)  Equilíbrio

Figura. Fonte: Vianna (2009)

Equilíbrio dos Corpos Submersos

Figura. Fonte: Vianna (2009)  Equilíbrio dos Corpos Flutuantes

Figura. Fonte: Vianna (2009)

Equilíbrio dos Corpos Flutuantes

Figura. Fonte: Vianna (2009)  Equilíbrio dos Corpos Flutuantes

Centro

de

Carena

e

Metacentro

 Centro de Carena e Metacentro Figura. Fonte: Vianna (2009) Centro de Carena é o centro

Figura. Fonte: Vianna (2009)

Centro de Carena é o centro de massa. Metacentro é o centro de curvatura da trajetória de E no momento que o corpo começa a girar.

Os três Estado em Equilíbrio

o corpo começa a girar.  Os três Estado em Equilíbrio Figura. Fonte: Vianna (2009) Bloco

Figura. Fonte: Vianna (2009)