Sei sulla pagina 1di 3

Síntese proteica

A síntese das proteínas é um fenómeno rápido e muito complexo que ocorre em quase todos os organismos, e que se desenvolve no interior das células. Este processo tem três fases: transcrição, Ativação e a tradução.

1 Transcrição

Ocorre no interior do núcleo das células e consiste na síntese de uma molécula de RNA m (RNA Mensageiro)

a partir da leitura da informação contida no gene de uma

molécula de DNA. Este processo inicia-se pela ligação de um complexo enzimático à molécula de DNA, o RNA-

polimerase. A enzima helicase desfaz a dupla hélice, destruindo as ligações de hidrogênio que ligam as ba- ses complementares das duas cadeias, afastando-as. O RNA-polimerase, inicia a síntese de uma molécula de RNA m de acordo com a complementaridade das ba- ses nitrogenadas. Nesse processo, as bases pareiam-se: a adenina do DNA se liga à uracila do RNA m, a timina do DNA com a adenina do RNA m, a citosina do DNA com

a guanina do RNA m, e assim sucessivamente, havendo

a intervenção da enzima RNA-polimerase. Quando a lei-

tura termina, a molécula RNA m separa-se da cadeia do DNA, esta restabelece as ligações de hidrogênio e a dupla hélice é reconstituída.

Nem todas as sequências da molécula do DNA codifi- cam aminoácidos. O RNA sintetizado sofre um proces- samento ou maturação antes de abandonar o núcleo. Al- gumas porções do RNA transcrito, "íntrons”, vão ser re- movidas e as porções não removidas, "éxons”, ligam-se entre si, formando assim um mRNA maturado. O RNA que sofre este processo de exclusão de porções é desig- nado do RNA pré-mensageiro. No final do processo, o mRNA é constituído apenas pelas sequências que codi- ficam os aminoácidos de uma proteína, podendo assim migrar para o citoplasma, onde vai ocorrer a tradução da mensagem, isto é, a síntese de proteínas.

2 Ativação de aminoácidos

Nessa etapa, atua o RNA transportador (RNAt), que leva os aminoácidos dispersos no citoplasma até os ribossomos. Numa das regiões do RNAt está o anticó- don, uma sequência de 3 bases complementares ao có- don de RNAm. A ativação dos aminoácidos é dada por enzimas específicas que se unem ao RNA transportador, formando o complexo aa-RNAt, dando origem ao anti-

1

códon (um trio de códons complementar aos códons do RNAm). Para que esse processo aconteça é preciso haver energia, que é sim fornecida pelo ATP.

3 Tradução

Ocorre no citoplasma e é a segunda parte da síntese pro- teica. Nessa fase a mensagem contida no RNAm é deco- dificada no ribossomo.

Participa do processo.

mRNA ou RNA mensageiro, que vem do interior do núcleo;

Os ribossomos;

O RNAt ou RNA ribossomal (ou ainda RNA trans- portador);

Enzimas (responsáveis pelo controle das reações de síntese);

E o ATP, é o que fornece energia necessária para o processo

Nas moléculas de RNAt apresentam-se cadeias de 75 a 80 ribonucleotídeos que funcionam como intérpretes da linguagem do mRNA e da linguagem das proteínas.

3.1 Toda molécula de mRNA possui:

um Códon de iniciaçao, que é sempre o mesmo (AUG), correspondente ao aminoácido metionima;

vários códons que determinam a sequência dos ami- noácidos no polipeptídeo;

um códon de terminaçao, que marca o final daquela cadeia polipeptídica, podendo ser UAG, UAA, ou UGA; só há um deles na molécula de mRNA.

O processo da tradução encerra com três etapas: inicia-

ção, alongamento e finalização.

3.2 Iniciação

A subunidade menor do ribossoma liga-se à extremi-

dade 5' do mRNA, esta, desliza ao longo da molécula do

2

5 LIGAÇÕES EXTERNAS

mRNA até encontrar o codão de iniciação (AUG), trans- portando o tRNA ligado a um aminoácido, ligando-se ao codão de iniciação por complementaridade. A subuni- dade maior liga-se à subunidade menor do ribossoma. O processo de tradução começa pelo aminoácido de metio- nina AUG.

3.3 Alongamento

Um 2º tRNA transporta um aminoácido específico de acordo com o codão. Estabelece-se uma ligação peptí- dica entre o aminoácido recém-chegado e a metionina.

O ribossoma avança três bases ao longo do mRNA no

sentido 5' -> 3', repetindo-se sempre o mesmo processo. Os tRNA que já se ligaram inicialmente, vão-se despren-

dendo do mRNA sucessivamente até formar .

3.4 Finalização

O ribossomo encontra o códão de finalização - UAA,

UAG ou UGA terminando assim o alongamento. Quando último tRNA abandona o ribossoma, as subunidades do ribossoma separam-se, podendo ser recicladas e por fim, a proteína é libertada.

4 Ver também

5 Ligações externas

E-escola

3

6 Fontes dos textos e imagens, contribuidores e licenças

6.1 Texto

Síntese proteica Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADntese_proteica?oldid=49686183 Contribuidores: Afren, Malafaya, Santana-freitas, Nuno Tavares, Rei-artur, Tschulz, 333~ptwiki, João Carvalho, OS2Warp, Lijealso, YurikBot, Gabrielt4e, Ana couto, Leonardob, LijeBot, Sam~ptwiki, Yanguas, Thijs!bot, Filipa Mogas, Rei-bot, GRS73, Belanidia, JAnDbot, Alchimista, Bisbis, Commons- Delinker, Liliana Louro, Der kenner, Luckas Blade, Tumnus, Gunnex, Jesielt, SieBot, Teles, Jeferson, GOE, GOE2, Burmeister, Quiumen, LeoBot, BOTarate, Alexbot, RadiX, Vitor Mazuco, Luiseduardo14, Luckas-bot, Ptbotgourou, Salebot, ArthurBot, Vitorvicentevalente, Xqbot, PViz, Gean, Rubinbot, DarwIn, RibotBOT, Marcos Elias de Oliveira Júnior, HVL, Viniciusmc, FMTbot, Defender, EmausBot, ZéroBot, Érico, Reporter, Emiliano.abad, Stuckkey, JMagalhães, Hume42, Önni, Legobot, Jordeň, Vítor, Wikimasterbz, Paulo Deolindo, Ladislau Bernardo, Mr. Fulano e Anónimo: 144

6.2 Imagens

6.3 Licença