Sei sulla pagina 1di 36
Action RU - Modulo Run-Time CPD Ministério da Fazenda – DELTA Engenharia Manual de Operação

Action RU - Modulo Run-Time CPD Ministério da Fazenda DELTA Engenharia Manual de Operação do Sistema

SPIN Engenharia de Automação Ltda. Versão 7.3 Março de 2007

SPIN Engenharia de Automação Ltda. SCLN-Quadra 212 Bloco D - Sala 101 Cep 70864-540 - Brasília DF - Fone/Fax: (061) 340-8486 / 340-8999 E-mail : geral@spinengenharia.com.br

SUMÁRIO

11
11

1 INTRODUÇÃO

 

3

1.1 OBJETIVO

3

1.2 CONTEÚDO DO MANUAL

3

2 AMBIENTE DO SISTEMA

 

4

2.1

MÓDULOS COMPONENTES

4

2.1.1

Canais de Comunicação (Computador 1 - IHM)

4

2.1.2

Canais de Comunicação do Servidor Web (Computador 2)

5

2.1.3

Computador

de IHM

6

2.1.4

Computador servidor WEB (WEB)

7

2.1.5

Controladoras KMC

7

2.1.6

Medidores Power Meter 700

7

2.1.7

Disjuntor Geral

8

2.1.8

Gerado Stemac

8

2.1.9

Gerado Cummins

8

2.1.10

Software

8

2.2

ORGANIZAÇÃO DA BASE DE DADOS

8

2.2.1 Sistema ar condicionado

10

2.2.2 Sistema Elétrico

 

10

2.2.3 Incêndio

11

2.2.4 Sistema

11

2.2.5 Prioridade de Eventos

11

3 TELA DE PARÂMETROS

 

13

3.1

APRESENTAÇÃO GERAL

13

4 TELAS DE PROCESSO

 

14

4.1

ORGANIZAÇÃO GERAL DAS TELAS

14

4.2

NAVEGAÇÃO ENTRE TELAS

14

4.3

COMANDOS

16

4.3.1 Comando Reset

 

16

4.3.2 Comando Digital

17

4.3.3 Comando Analógico

17

4.3.4 Calendário

18

4.4 SISTEMA DE AR CONDICIONADO

19

4.5 FANCOILS

 

20

4.5.1 Funcionamento dos Fancoils

20

4.5.2 Estados dos Fancoils

21

4.5.3 Comandos

 

21

4.6

CHILLERS

22

4.6.1 Funcionamento dos Chillers

22

4.6.2 Eventos Anormais

 

22

4.6.3 Estados dos Chillers

23

4.6.4 Comandos

23

4.7

BOMBAS

24

4.7.1 Funcionamento das Bombas

24

4.7.2 Alarmes

 

24

4.7.3 Programação

25

4.7.4 Status

25

4.7.5 Comandos

25

1

11
11

4.8

TORRES

26

4.8.1 Funcionamento das torres

26

4.8.2 Alarmes

26

4.8.3 Programação

27

4.8.4 Status

27

4.8.5 Comandos

27

4.9

GERADOR CUMMINS 500 KVA

28

4.9.1

Pontos monitorados

28

4.10

GERADOR STEMAC 230 KVA

29

4.10.1

Pontos Monitorados

29

4.11

MULTIMEDIDORES

30

4.11.1

Pontos Monitorados

31

4.12

DISJUNTOR GERAL

32

4.12.1

Pontos Monitorados

32

4.13

NO-BREAKS

33

4.13.1

Pontos Monitorados

34

4.14

ARQUITETURA DO SISTEMA

35

4.14.1

Data e Hora dos IED’s (Intelligent Electronic Devices)

35

2

11
11

11 IINNTTRROODDUUÇÇÃÃOO

1.1 Objetivo

Este documento é um anexo ao manual de operação do ActionRU - módulo RunTime, contendo as informações referentes à sua parametrização para a aplicação de Automação do CPD do Anexo do ministério da fazenda.

1.2 Conteúdo do Manual

O capítulo 2 descreve o ambiente do sistema, apresentando a arquitetura

existente, o software básico com as versões utilizadas e a organização da base

de

dados da aplicação.

O

capítulo 3 apresenta, sucintamente, as telas de parâmetros disponíveis no

ActionView, referenciando-se aos botões que as ativam.

O

Capítulo 4 descreve as telas de processo parametrizadas para o prédio Anexo

do

ministério da fazenda. Nele são descritas:

A organização das telas;

A navegação entre telas;

Todos os símbolos utilizados nos objetos de visualização e seu significado;

Os comandos utilizados;

A apresentação das telas com seu conteúdo;

O

capítulo 5 apresenta algumas dicas de operação usadas para:

Melhor entender a utilização dos protocolos OPC e Modbus parametrizados na aplicação.

Identificar endereços de pontos nessa parametrização do ActionView;

Melhor entender os canais de comunicação usados na parametrização;

3

22 AAMMBBIIEENNTTEE DDOO SSIISSTTEEMMAA

2.1 Módulos Componentes

11
11

O sistema é composto por dois computadores, um ligado aos dispositivos de campo através de sete canais de comunicação e um segundo, servidor de web.

sete canais de comunicação e um segundo, servidor de web. Figura 1 : Arquitetura do sistema

Figura 1 : Arquitetura do sistema

2.1.1 Canais de Comunicação (Computador 1 - IHM)

Canal 0 CONTROLADORAS: (Protocolo kmc) Comunica-se através de uma linha serial multiponto, RS-485, com quatorze controladoras KMC.

Canal 1 MEDIDORES POWER METER (Protocolo Modbus RTU):

Comunica-se através de uma linha serial multiponto, RS-485, com seis multimedidores PM 700.

Canal 2 GERADOR STEMAC (Protocolo Modbus RTU): Comunica-se através de uma linha serial multiponto, RS-485, com o controlador ST2030 do gerador de 230 kv da Stemac.

Canal 3 GERADOR CUMMINS (Protocolo Modbus RTU): Comunica-se

4

11
11

através de uma linha serial multiponto, RS-485, com o controlador PCC - 1013 do gerador de 500 kv da Cummins.

Canal 4 DISJUNTORES (Protocolo Modbus RTU): Comunica-se através de uma linha serial multiponto, RS-485, com o Disjuntor NW 32 da Schineider.

Canal 5 CANAL MESTRE (Protocolo ACTNET) canal de comunicação ethernet com a estação cliente servidor web.

Canal 6 No Breaks (Protocolo OPC SNMP): comunica-se através da rede ethernet TCP/IP com três No-Breaks Cloride.

2.1.2 Canais de Comunicação do Servidor Web (Computador 2)

Canal 0 CANAL CLIENTE (Protocolo ACTNET) canal de comunicação ethernet coma a estação mestre SCADA.

– (Protocolo ACTNET) canal de comunicação ethernet coma a estação mestre SCADA. Figura 2: canais de

Figura 2: canais de comunicação

5

2.1.3 Computador de IHM

OptiPlex TM 740 MT

Etiqueta Dell: 3SFKQC1

11
11

Processador Intel® Pentium® D 915 (2.80GHz, 2x2MB cache, FSB 800MHz) - Dual core

Windows® XP Professional em português

1G de memória DDR2, 667MHz (1DIMM)

Disco rígido de 80GB Serial ATA, 3.0Gb/s

Monitor LCD 17"

Uma baia: Leitor de DVD ( DVD-ROM 16X)

Mouse

Teclado

8 portas USB

Placa de rede

6

11
11

2.1.4 Computador servidor WEB (WEB)

:

OptiPlex TM 740 MT

Etiqueta Dell: 7SFKQC1

Processador Intel® Pentium® D 915 (2.80GHz, 2x2MB cache, FSB 800MHz) - Dual core;

Windows 2003 Server em português;

1G de memória DDR2, 667MHz (1DIMM);

Disco rígido de 80GB Serial ATA, 3.0Gb/s;

Monitor LCD 17";

Uma baia: Leitor de DVD ( DVD-ROM 16X);

Mouse

Teclado;

8 portas USB;

Placa de rede

Os computares Dell tem garantia total durante de um ano:

Suporte técnico da Dell: 0800 9703355

2.1.5 Controladoras KMC

Existem doze controladoras KMC 5802 e duas 7001 responsáveis pela supervisão e controle do sistema de ar condicionado. Elas estão conectadas ao computador através de um conversor USB  RS-485 (KMD 5779) utilizando o protocolo proprietário da KMC.

Ver os anexos:

KMD-5801_02.pdf: descreve controladoras;

Pontos da automação.xls: descreve cada entrada e saída de todos os CLPs da rede.

2.1.6 Medidores Power Meter 700

Existem seis Medidores Power meter 700 conectados ao computador através de um conversor USB  RS-485 da LR. O ActionView comunica-se com os medidores através do protocolo Modbus RTU.

Ver anexo: MANUAL POWER METER 700.pdf

7

11
11

2.1.7 Disjuntor Geral

O disjuntor geral Masterpact NW 32 está conectado ao computador através de

um conversor USB  RS-485 da LR. O ActionView comunica-se com o Disjuntor através do protocolo Modbus RTU.

Ver anexos: MANUAL NW 32 A.pdf

MANUAL NW 32 B.pdf

ENDEREÇOS NW 32.pdf

2.1.8 Gerador Stemac

O gerador Stemac de 230 kva possui um controlador ST2030 conectado ao

computador através de um conversor USB  RS-485 da LR. O ActionView

comunica-se com o controlador através do protocolo Modbus RTU.

Ver anexo: ENDEREÇOS ST2030.doc

2.1.9 Gerador Cummins

O gerador Cummins de 500 kva possui um controlador PCC1301 conectado ao

computador através de um conversor USB  RS-485 da LR. O ActionView comunica-se com o controlador através do protocolo Modbus RTU.

Ver anexo: ENDEREÇOS PCC1301.doc

2.1.10 Software

Os módulos de software necessário à execução do sistema são:

Sistema Operacional Microsoft Windows-XP Professional ou Windows 2003 Server;

Software SCADA ActionView Versão 7.38

Ver anexo: Manual ActionRu.doc

2.2 Organização da Base de Dados

Apresentação Geral

A base de dados foi dividida em seis sistemas conforme mostrado abaixo.

CPD_BASES Sistema de grupos base: Contém a definição dos pontos de cada tipo de equipamento. Assim, para criar um novo equipamento de um tipo existente, basta criar uma nova instância (derivar) dos pontos definidos no grupo base;

CPD_AR_COND Sistema ar condicionado: Contém os pontos de

8

supervisão e controle do ar condicionado;

11
11

CPD_CALEN Calendários: Contém as variáveis calculadas que compõem os calendários dos fancoils;

CPD_ELETR Contém os pontos de supervisão do sistema elétrico;

CPD_INCEN Central de incêndio;

CPD_SYS Pontos de comunicação com equipamentos de campo.

 CPD_INCEN – Central de incêndio;  CPD_SYS – Pontos de comunicação com equipamentos de campo.

9

11
11

Figura 3 Organização da Base de Dados

2.2.1 Sistema ar condicionado

Esse sistema foi subdividido em dezesseis grupos que correspondem basicamente aos equipamentos monitorados / controlados do sistema de ar condicionado:

CPD_BAC: Pontos de monitoração bombas de água Compensada;

CPD_BAG: Pontos de monitoração bombas de água gelada;

CPD_CAG_GERAL: Pontos de monitoração comuns da CAG;

CPD_CHILLER1: Pontos de monitoração chiller 1;

CPD_CHILLER2: Pontos de monitoração chiller 2;

CPD_FCO1: Pontos de monitoração Fancoil 1;

CPD_FCO2: Pontos de monitoração Fancoil 2;

CPD_FCO3: Pontos de monitoração Fancoil 3;

CPD_FCO4: Pontos de monitoração Fancoil 4;

CPD_FCO5: Pontos de monitoração Fancoil 5;

CPD_FCO6: Pontos de monitoração Fancoil 6;

CPD_FCO7: Pontos de monitoração Fancoil 7;

CPD_FCO8: Pontos de monitoração Fancoil 8;

CPD_FCO9: Pontos de monitoração Fancoil 9;

CPD_TORRE1: Pontos de monitoração Torre 1;

CPD_TORRE2 - Pontos de monitoração Torre 2;

2.2.2 Sistema Elétrico

Esse sistema foi subdividido em dezesseis grupos que correspondem basicamente aos equipamentos monitorados do sistema Elétrico

CPD_90NET_01: Nobreak A;

CPD_90NET_02: Nobreak B;

CPD_90NET_03: Nobreak C;

CPD_DJ_SCHINEIDER_01: Disjuntor Geral NW 32;

CPD_GERADOR_CUMMINS Gerador 500 kva Cummins;

CPD_GERADOR_STEMAC: Gerador 230 kva Stemac;

CPD_POWER_METER_01: Multimedidor CAG;

10

11
11

CPD_POWER_METER_02: Multimedidor QDEGES - C;

CPD_POWER_METER_03: Multimedidor QDEGES - 500;

CPD_POWER_METER_04: Multimedidor QDEGES 230 KV;

CPD_POWER_METER_05: Multimedidor QDEGES - A;

CPD_POWER_METER_06: Multimedidor QDEGES - B;

2.2.3 Incêndio

CPD_CENTRAL_INCENDIO : Pontos central de Incêndio.

2.2.4 Sistema

Esse sistema foi subdividido em três grupos que correspondem basicamente aos pontos de falha de comunicação dos dispositivos da automação

CPD_GERAL: Pontos de comunicação dos equipamentos do sistema;

CPD_KMC: Pontos de comunicação dos CPLs KMC;

CPD_PM700: Pontos de comunicação dos Medidores Power meter 700;

2.2.5 Prioridade de Eventos

Na parametrização da base de dados foram usados quatro níveis de prioridade para filtrar as variáveis:

(1) A prioridade 1 corresponde a alarmes do sistema de ar condicionado

(2) A prioridade 2 corresponde a alarmes do sistema elétrico;

(3) A prioridade 3 corresponde a alarmes da central de incêndio

(4) A prioridade 4 corresponde a alarmes do sistema ( pontos de comunicação)

Essas prioridades são usadas como filtros nas telas de alarmes e eventos, conforme mostrado na figura abaixo.

2.2.6 Cores de alarmes

Para cada prioridade é associada uma cor identificada nas figura a baixo

11

11 Para as medidas analogias como temperaturas e umidade são associadas 4 cores , que
11
11

Para as medidas analogias como temperaturas e umidade são associadas 4 cores , que são associadas ao seu parâmetro de alarmes.

Vide manual Actionru em: 6.3.4 Janela de Parâmetros de Variável Analógica

de alarmes. Vide manual Actionru em: 6.3.4 Janela de Parâmetros de Variável Analógica Figura 4 Filtros

Figura 4 Filtros de Variáveis

12

11
11

33 TTEELLAA DDEE PPAARRÂÂMMEETTRROOSS

3.1 Apresentação Geral

As telas de parâmetros são criadas, automaticamente, pelo sistema. Sua descrição encontra-se no Manual do Operador RunTime.

descrição encontra-se no Manual do Operador – RunTime. Figura 5 – Barra de Ferramentas das telas

Figura 5 Barra de Ferramentas das telas de parâmetros

13

44 TTeellaass ddee PPrroocceessssoo

4.1 Organização Geral das Telas

Existem onze telas de processo na aplicação:

das Telas Existem onze telas de processo na aplicação: 11 Figura 6 – Combo-box de telas
11
11

Figura 6 Combo-box de telas de processo

Ar condicionado;

Arquitetura do sistema;

Bombas;

Central de incêndio;

Chillers

Disjuntor geral

Fancoils

Gerador Cummins

Gerador stemac

No-breaks;

Sistema Elétrico

Torres;

Unifilar geral

Arquitetura do sistema;

4.2 Navegação entre Telas

A navegação das telas foi dividida em quatro sub sistemas

11
11

Está barra é visível em qualquer tela de processo, através dela é possível navegar para as quatro telas principais dos sistemas (ar condicionado, elétrica, incêndio e sistema) dentro de cada uma destas telas existem atalhos para as telas detalhe de cada sistemas.

Estes atalhos são acessados com clique do mouse sobre o desenho do equipamento, uma vez que o ponteiro do mouse virar uma lupa. A baixo estão circulados em amarelo os pontos de navegação presentes nas telas.

A navegação também pode ser feita através do menu de telas

navegação também pode ser feita através do menu de telas Sistema de Ar Condicionado Abaixo estão

Sistema de Ar Condicionado

Abaixo estão destacados os pontos de navegação para as telas detalhe dos equipamentos do sistema de ar condicionado.

Abaixo estão destacados os pontos de navegação para as telas detalhe dos equipamentos do sistema de

15

11
11

Sistema Elétrico

Abaixo estão destacados os pontos de navegação para as telas detalhe dos equipamentos do sistema elétrico.

para as telas detalhe dos equipamentos do sistema elétrico. 4.3 Comandos A seguir serão descritos todos

4.3 Comandos

A seguir serão descritos todos os comandos comuns existentes na aplicação.

4.3.1 Comando Reset

Para fins de manutenção, está registrado o total em horas de operação dos equipamentos. Para zerar esse tempo basta clicar no botão de RESET (1) e confirmar o comando (2):

de operação dos equipamentos. Para zerar esse tempo basta clicar no botão de RESET (1) e

16

11
11

4.3.2 Comando Digital

O comando digital será utilizado para alterar o modo de programação e

comandar os equipamentos de ar-condicionado. Para aplicar um comando clique sobre o botão na caixa de comandos do equipamento (1) em seguida surgirá uma caixa de comando. Clique no botão em evidencia (2), já que o outro está inibido, e confirme o comando (3).

A descrição de funcionamento especifica de cada comando será apresentada na

descrição da tela onde se encontra o comando.

na descrição da tela onde se encontra o comando. 4.3.3 Comando Analógico O comando é usado

4.3.3 Comando Analógico

O comando é usado para ajustar setpoints e tempos de troca. Para efetuar este

comando de um duplo clique sobre o controle desejado (1), em seguida surgirá

uma caixa onde deve ser escrito o valor desejado caso seja necessário usar casas decimais, deve-se usar vírgulas como separador (2).

Atenção: não use ponto e nem escreva texto neste campo. Após escreve o valor desejado clique em comandar (3).

(2). Atenção: não use ponto e nem escreva texto neste campo. Após escreve o valor desejado

17

4.3.4

Calendário

11
11

A programação semanal é utilizada para atribuir horários de funcionamento dos

fancoils. Cada fancoil tem sua própria agenda, conforme pode ser visto no capitulo destinado a estes equipamentos.

Enviar calendário

Abra a tela calendário, clique na caixa de seleção para selecionar o fancoil (1) e, após selecioná-lo, de um duplo clique sobre a figura do calendário (2). Na seqüência preencha os campos de horas e minutos e clique no botão enviar (3).

Ler calendário

Abra a tela calendário, clique na caixa de seleção para selecionar o fancoil (1)

e, após selecioná-lo, de um duplo clique sobre a figura do calendário (2) e clique

no botão Ler.

O

campo valor indica o estado do fancoil em relação à hora, o valor 1 indica que

o

mesmo será ligado neste horário e o valor 0 que será desligado.

Os campos de horário preenchidos como 00:00:00 não farão parte da programação horária , ou seja , é possível enviar quatro comandos para um equipamento por dia e, quando não houver esta necessidade basta preencher os campos restantes com o valor 00:00:00.

um equipamento por dia e, quando não houver esta necessidade basta preencher os campos restantes com

18

4.4 Sistema de ar condicionado

11
11
4.4 Sistema de ar condicionado 11 Esta tela apresenta o resumo de todas as informações do

Esta tela apresenta o resumo de todas as informações do sistema de ar condicionado e abaixo é mostrada a simbologia dos equipamentos / estados:

de todas as informações do sistema de ar condicionado e abaixo é mostrada a simbologia dos

19

11
11

4.5 Fancoils

Esta tela apresenta informações detalhadas do fancoil selecionado, sendo possível ajustar os setpoint de temperatura e umidade do equipamento, modificar a agenda semanal e definir o modo de funcionamento (manual / automático).

e definir o modo de funcionamento (manual / automático). 1 – Combo-box de seleção do fancoil;

1 Combo-box de seleção do fancoil;

2 - Ilustração gráfica de funcionamento do fancoil;

3 - Estados do fancoil;

4 - Comandos.

4.5.1 Funcionamento dos Fancoils

Existem duas formas de operação para os fancoils, programação em modo manual e programação em modo automático, estes modos de funcionamento serão diferente para cada fancoil como mostrado abaixo:

Fancoils 4,5,6,7 e 8

Programação em modo automático: o fancoil estará sempre ligado, uma vez que controlam ambientes de máquinas que operam 24 horas.

Programação em modo manual: O ligamento do fancoil será associado a sua

20

11
11

agenda semanal.

Fancoils 1 e 9:

Programação em modo Automático: O ligamento do fancoil será associado a sua agenda semanal já que os mesmos condicionam áreas de desenvolvimento que operam em horário comercial.

Programação em modo Manual: O fancoil estará sempre ligado.

Fancoils 2 e 3 :

Programação em modo Automático: O ligamento do fancoil será associado a sua agenda semanal. Estes fancoils se auto revezam (dia sim/não) no condicionamento de um ambiente, ou seja, sua agenda semanal esta programada para ligar em dias alternados.

Estado do fancoil

Programação em modo Manual: o fancoil estará sempre ligado.

4.5.2 Estados dos Fancoils

Alarme: Indica se o fancoil está com alarme atuado ou não (normal).

Programação:

Indica

se

o

fancoil

está

operando

em

estado

manual

ou

automático.

Umidificador: Indica se o umidificador está ligado ou desligado.

Ventilador: Indica se o ventilador está ligado ou desligado.

Aquecedores: Indica se o aquecedor está ligado ou desligado.

Chave seletora: Indica posição da chave seletora do quadro de ar condicionado.

Temperatura: Indica a temperatura no retorno de ar do fancoil.

Umidade: Indica a umidade relativa do ar no retorno de ar do fancoil.

Setpoint de temperatura: Indica o valor de temperatura de retorno desejada.

Setpoint de umidade: Indica o valor de umidade que se deseja manter.

4.5.3 Comandos

Reset: Reset dos tempos de operação dos equipamentos. Assim, após uma manutenção preventiva este tempo deverá ser zerado.

Programação: Permite mudar a forma de operação do fancoil (manual / automático).

Fancoil: Comando para ligar e desligar o fancoil manualmente.

Ajuste de umidade: Mudar o valor de referência da umidade.

Ajuste da Temperatura: Mudar o valor de referência da temperatura.

21

4.6 Chillers

11
11
4.6 Chillers 11 1 - Ilustração gráfica do equipamento; 2 - Estados dos Chillers; 3 –

1 - Ilustração gráfica do equipamento;

2 - Estados dos Chillers;

3 Comandos aplicados aos equipamentos.

4.6.1 Funcionamento dos Chillers

Existem dois chillers que serão revezados, automaticamente, seguindo o tempo de troca ou ligando-se o reserva no caso de falha do principal (chiller da vez). Deve ser observado que um chiller sempre estará ligado independente do horário.

4.6.2 Eventos Anormais

Existem dois tipos de eventos anormais para os chillers

Alarme: Ponto de alarme indicado pelo equipamento. Este alarme não indica, necessariamente, que o equipamento está desligado, podendo ser observado no próprio equipamento através de um led vermelho piscando no painel local. O alarme deve ser normalizado no próprio painel local do equipamento.

Em manutenção: Ponto de alarme calculado pelo sistema de automação indicando que o chiller deveria estar ligado, mas devido a alguma anormalidade

22

11
11

do sistema, o mesmo encontra-se desligado. Sempre que ocorrer este tipo de alarme o outro chiller será ligado após 19 minutos.

Observar que uma vez substituído o chiller em alarme, o mesmo só será religado após o seu alarme ser normalizado na tela, através de um duplo clique sobre o botão em manutenção e, na seqüência, a confirmação do comando sobre a caixa de mensagem.

Para evitar que passe os 19 minutos com os dois chillers desligados o operador pode fazer a troca de chiller manualmente através do comando trocar chiller.

4.6.3 Estados dos Chillers

Status do chiller: Mostra o estado do chillers: ligado / desligado.

Manutenção chiller: Mostra o estado do alarme calculado do chiller: normal e atuado.

Alarme chiller: Mostra se alarme do chiller está em estado: normal e atuado. Se estiver atuado deve-se limpar o alarme no painel local do equipamento.

Tempo de operação chiller: Indica, em horas, há quanto tempo cada chiller está operando.

Temperatura de saída chiller: Indica, em graus Celsius, a temperatura de saída da água gelada de cada chiller.

Tempo de Troca: Indica, em horas, de quanto em quanto tempo os chillers devem ser revezados.

Válvulas: Indica o estado das válvulas do circuito primário que podem estar:

aberta / fechada.

Circuito (A,B): Indica o estado atual dos circuitos A e B: ligado / desligado.

4.6.4 Comandos

Trocar chiller: Comando para trocar o chiller que está em operação pelo reserva que está desligado.

Desligar chillers: Comando desligar os chillers simultaneamente.

Atribuir

revezamento

automático da operação dos chillers.

Reset de tempo de operação chiller: Comando para zerar o contador de tempo de operação de cada chiller.

tempo

de

troca:

Comando

para

definir

o tempo

de

23

4.7 Bombas

11
11
4.7 Bombas 11 1 - Ilustração gráfica; 2 – Estados das bombas; 3 – Comandos sobre

1 - Ilustração gráfica;

2 Estados das bombas;

3 Comandos sobre as bombas.

4.7.1 Funcionamento das Bombas

Existem duas bombas de água de condensação e duas bombas de água gelada que serão revezadas automaticamente seguindo o tempo de troca ou backup no caso de falha da principal. Deve ser observado que uma bomba de água gelada (BAG) e uma bomba de água de condensação (BAC) deverão sempre estar ligadas.

4.7.2 Alarmes

Em manutenção: Ponto de alarme calculado pelo sistema de automação que indica que a bomba deveria esta ligada, mas devido alguma anormalidade, encontra-se desligada. Sempre que ocorrer este tipo de alarme a outra bomba será, automaticamente, ligada. Para religar a bomba com alarme de manutenção atuado é necessário um comando na tela, feito através de um duplo clique sobre o botão em manutenção, seguindo da confirmação de comando.

24

11
11

4.7.3 Programação

Existe dois modos de programação para o controle das bombas:

Modo Automático: Uma bomba sempre ficara ligada e o revezamento é feito automaticamente como descrito no funcionamento:

Modo Manual: O ligamento das bombas será feito manualmente pelo operador usando o comando sobre a tela da IHM (3).

4.7.4 Status

Status BAG: Indica o estado das BAGs: ligado / desligado.

Status BAC: Indica o estado das BACs: ligado / desligado

Manutenção BAG: Mostra o estado do alarme calculado da BAG: normal / atuado.

Manutenção BAC: Mostra o estado do alarme calculado da BAC: normal / atuado.

Tempo de operação BAG: Indica, em horas, há quanto tempo cada BAG está operando.

Tempo de operação BAC: Indica, em horas, há quanto tempo cada BAC está operando.

Tempo de troca: Indica, em horas, o tempo de revezamento das Torres.

Chave seletora: Comando que altera o modo de operação para manual ou automático.

Programação: Indica modo de funcionamento das bombas

4.7.5 Comandos

Programação: altera o modo de funcionamento das bombas

Ligar BAG: Comando para ligar ou desligar as BAGs.

Ligar BAC: Comando para ligar ou desligar as BACs.

Set tempo de troca: Comando para definir o tempo, em horas, de revezamento automático de cada bomba.

Reset de tempo de operação BAG e BAC: Comando que zera o contador de tempo de operação de cada BAG e/ou BAC.

25

4.8 Torres

11
11
4.8 Torres 11 1 - Ilustração gráfica; 2 - Estados das Torres; 3 – Comandos das

1 - Ilustração gráfica;

2 - Estados das Torres;

3 Comandos das Torres

4.8.1 Funcionamento das torres

Existem duas torres de resfriamento que serão revezadas, automaticamente, seguindo o tempo de troca ou devido à falha de uma delas.

O acionamento da torre que está operacional é feito em duas etapas:

1. A torre deve estar habilitada no quadro de comando;

2. A torre só é ligada quando o seu termostato é acionado, ou seja, ela não fica ligada ininterruptamente, porém não é comum que a torre habilitada fique mais de 20 minutos desligada.

4.8.2 Alarmes

Em manutenção: Ponto de alarme calculado pelo sistema de automação indicando que a torre deveria esta ligada, mas devido alguma anormalidade a mesma encontra-se desligada. Para que este alarme funcione é necessário que

o operador indique na tela qual torre será usada através do comando “Torre

26

11
11

Ligada”

Para normalizar o estado da torre o operador deve dar um duplo clique sobre o botão “em manutenção” e confirmar o comando.

4.8.3 Programação

Existe dois modos de programação para o controle das bombas:

Modo Automático: Uma bomba sempre ficara ligada e o revezamento é feito automaticamente.

Modo Manual: O ligamento das bombas será feito manualmente, pelo operador, usando a tela da IHM (3).

4.8.4 Status

Ventilador: Indica o estado do ventilador da torre: ligado / desligado.

Manutenção: Indica se a torre está com este alarme calculado: normal / atuado.

Tempo de operação: Indica, em horas, o tempo de operação da torre.

Tempo de troca: Indica, em horas, o tempo de revezamento entre torres.

Chave seletora: Comando que altera o modo de operação para manual ou automático.

Programação: Indica modo de funcionamento das Torres:

- Nível mínimo da bacia;

- Nível baixo caixa de compensação;

4.8.5 Comandos

Programação: altera o modo de funcionamento das bombas

Ligar Torre: Comando para ligar ou desligar as BAGs.

Atribuir tempo de troca: Comando para definir tempo de revezamento das torres.

Reset de tempo de operação BAG e BAC: Comando que zera o contador de tempo de operação de cada BAG.

27

4.9 Gerador Cummins 500 kVA

11
11
4.9 Gerador Cummins 500 kVA 11 Esta tela apresenta as informações provenientes do gerador Cummins de

Esta tela apresenta as informações provenientes do gerador Cummins de 500 kVA, sendo os dados lidos do equipamento. Não existem comandos para este equipamento.

4.9.1 Pontos monitorados

Tensão fase neutro (A-N; B-N; C-N);

Tensão entre as fases (A-B; B-C; C-A);

Corrente de saída em cada fase (A, B, C);

Freqüência;

Gerador em modo manual;

Estado do gerador;

Alarme de tensão alta da bateria;

Alarme de tensão baixa da bateria.

28

4.10 Gerador Stemac 230 kva

11
11
4.10 Gerador Stemac 230 kva 11 Esta tela apresenta as informações provenientes do gerador Stemac de

Esta tela apresenta as informações provenientes do gerador Stemac de 230 kVA, sendo os dados lidos do gerador. Não existem comandos para este equipamento.

4.10.1 Pontos Monitorados

Tensão fase neutro (A-N; B-N; C-N);

Tensão entre as fases (A-B; B-C; C-A);

Corrente de saída fase (A, B, C);

Freqüência;

Rede

Tensão fase neutro (A-N; B-N; C-N):

Controle de tensão da bateria;

Temperatura da água;

Horas para manutenção;

Número de partidas;

Tempo de operação;

29

Velocidade do motor;

Gerador em modo manual;

Excesso de velocidade;

Temperatura do gerador;

Alarme de baixa de pressão de óleo;

Alarme de ruptura da correia;

Alarme de falha no carregador de bateria;

Alarme de falha na partida;

Alarme de nível baixo de combustível;

Alarme de sobrecarga no GMG;

Alarme de tensão alta da bateria;

Alarme de tensão baixa da bateria;

11
11

4.11 Multimedidores

Esta tela apresenta as informações provenientes dos multimedidores Power meter presentes nos QDGES. Estes pontos são de leitura, existindo um único comando para o reset dos totalizadores de potência ativa, reativa e aparente.

são de leitura, existindo um único comando para o reset dos totalizadores de potência ativa, reativa

30

11
11

1 - Caixa de seleção

2 - Comando Reset

Combo-box de seleção CPD_POWER_METER_01: Multimedidor CAG; CPD_POWER_METER_02: Multimedidor QDEGES - C; CPD_POWER_METER_03: Multimedidor QDEGES - 500; CPD_POWER_METER_04: Multimedidor QDEGES 230 KV; CPD_POWER_METER_05: Multimedidor QDEGES - A; CPD_POWER_METER_06: Multimedidor QDEGES - B;

4.11.1 Pontos Monitorados

Tensão medida linha linha;

Tensão medida linha neutro;

Tensão fase neutro (A-N; B-N; C-N);

Tensão entre fases (A-B; B-C; C-A);

Corrente trifásica;

Corrente instantânea fase (A, B, C);

Fator de potência;

Freqüência;

Potência ativa total;

Potência reativa total;

Potência aparente total;

Consumo de potência ativa;

Consumo de potência reativa;

Consumo de potência aparente;

31

11
11

4.12 Disjuntor Geral

Esta tela apresenta as informações provenientes do disjuntor geral. Estes dados são lidos do disjuntor não existindo comandos nesta tela.

são lidos do disjuntor não existindo comandos nesta tela. 4.12.1 Pontos Monitorados  Tensão medida linha

4.12.1 Pontos Monitorados

Tensão medida linha linha;

Tensão medida linha neutro;

Tensão fase neutro (A-N; B-N; C-N);

Tensão entre fases (A-B; B-C; C-A);

Corrente trifásica;

Corrente instantânea fase (A; B; C);

Fator de potência;

Freqüência;

Potência ativa total;

Potência reativa total;

Potência aparente total;

32

11
11

Consumo de potência ativa;

Consumo de potência reativa;

Consumo de potência aparente;

Demanda de potência ativa;

Demanda de potência reativa;

Demanda de potência aparente;

Alarme de sobre-corrente de fase (1,2,3, neutro);

Alarme de desequilíbrio de corrented

Alarme de desequilíbrio de carga;

Alarme de subtenção;

Alarme de sobretensão;

Alarme de sobrecarga de potência;

Alarme de potência reversa;

Alarme de freqüência alta;

Freqüência baixa;

Alarme de deslocamento de fase;

Alarme de sobredemanda de corrente;

Alarme de sobredemanda de potência;

Alarme de temperatura anormal;

4.13 No-breaks

Esta tela apresenta as informações provenientes dos no-breaks. Cada no-break é um agente SNMP e dão lidos alguns dados sobre o seu estado.

33

11
11
11 4.13.1 Pontos Monitorados  Carga percentual;  Minutos restantes estimados;  Tempo ligado;  Temperatura;

4.13.1 Pontos Monitorados

Carga percentual;

Minutos restantes estimados;

Tempo ligado;

Temperatura;

Tensão de entrada;

Tensão máxima de entrada;

Tensão mínima de entrada;

Tensão de saída.

34

4.14 Arquitetura do Sistema

11
11
4.14 Arquitetura do Sistema 11 Esta tela descreve a arquitetura do sistema assim como a indicação

Esta tela descreve a arquitetura do sistema assim como a indicação de estado de comunicação dos equipamentos do sistema onde:

de estado de comunicação dos equipamentos do sistema onde: 4.14.1 Data e Hora dos IED’s (Intelligent

4.14.1 Data e Hora dos IED’s (Intelligent Electronic Devices)

Indica data e hora dos controladores da KMC. Esta hora é sincronizada, periodicamente, pelo do computador de IHM. É importante que a data e hora dos IED’s estejam corretas, uma vez que as agendas semanais usam este relógio para comandar os fancoils.

35