Sei sulla pagina 1di 21
UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ ENFERMAGEM (Arial/Times, 14, caixa alta, marco na régua vertical do Word: 1).

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

ENFERMAGEM

(Arial/Times, 14, caixa alta, marco na régua vertical do Word: 1).

A IMPORTÂNCIA DA HUMANIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM NO TRATAMENTE DE PACIENTES COM ELA (Arial/Times, 14, caixa alta, marco na régua vertical do Word: 8)

MARINÊS (Arial/Times, 14, caixa alta, marco na régua vertical do Word: 16)

NOVA IGUAÇU

2017/2

MARINÊS NOME COMPLETO DO ALUNO (Arial/Times, 14, caixa alta, marco na régua vertical do Word: 1)

MARINÊS NOME COMPLETO DO ALUNO (Arial/Times, 14, caixa alta, marco na régua vertical do Word: 1)

A IMPORTÂNCIA DA HUMANIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM NO TRATAMENTE DE PACIENTES COM ELA (Arial/Times, 14, caixa alta, marco na régua vertical do Word: 8)

Trabalho

de

Conclusão

de

Curso

apresentado

como

requisito

parcial

à

obtenção

do

grau

de

Bacharel

em

do Curso X, da nome da IES.

, ??????????? Prof. Orientador(a):

(Arial/Times, 12, espaço simples, recuo de

8

cm

da

margem

da

esquerda,

modo

justificado.)

 

NOVA IGUAÇU

2017/2

DEDICATÓRIA - OPCIONAL

2017/2 DEDICATÓRIA - OPCIONAL Amo vocês!

Amo vocês!

AGRADECIMENTO - OPCIONAL

A Deus, .....................................................

AGRADECIMENTO - OPCIONAL A Deus, .....................................................

5

5 A IMPORTÂNCIA DA HUMANIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM NO TRATAMENTE DE PACIENTES COM ELA (Arial/Times,

A IMPORTÂNCIA DA HUMANIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM NO TRATAMENTE DE PACIENTES COM ELA (Arial/Times, 14, caixa alta, marco na régua vertical do Word: 8)

RESUMO

Nome completo do aluno 1

O estudo objeto deste artigo é a importância da humanização na área de saúde em especial do profissional de enfermagem. Em principio é feita uma análise da importância do enfermeiro junto a sociedade , definindo-o como imprescindível nos procedimentos no âmbito da saúde seja em caráter particular quanto na dinâmica da saúde pública. Após esta explanação ocorre a conceituação Humanização na área

da saúde o papel do enfermeiro frente a esta. A definição de ELA ( Esclerose Lateral

Amiotrófica). Por fim a título de aplicação prática é ELA (

5 A IMPORTÂNCIA DA HUMANIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM NO TRATAMENTE DE PACIENTES COM ELA (Arial/Times,

Esclerose Lateral

Amiotrófica), em relação ao cuidado humanizado frente a essa patologia degenerativa. 2

Palavras chave: Enfermagem. Humanização. ELA.

SUMÁRIO

1. Introdução; 2. Objetivos: geral e especifico; 3. Importância do profissional de Enfermagem na Sociedade; 3.1. Dificuldades do enfermeiro, 3.2. Áreas de atuação;

4. Humanização na área da saúde; 5. ELA(

Esclerose Lateral Amiotrófica); 6. O

tratamento humanizado nos cuidados aos pacientes com ELA ; 7. Conclusão; 8. Referências.

1 Breve currículo do aluno

2

Degenerativa:

O termo degenerativo é usado para descrever um processo que se origina de um

 

desgaste ou da deterioração de um determinado órgão ou estrutura.

 

6

1. INTRODUÇÃO (negrito, itálico ou CAIXA ALTA – Título: tamanho 12 – dois espaços de 1,5 para iniciar o texto)

2. OBJETIVOS

Objetivo geral

Qual a percepção dos enfermeiros sobre a importância da humanização no tratamento de pacientes com ELA ? O objetivo geral desse projeto é analisar a percepção dos enfermeiros o cuidado humanizado no tratamento de pacientes com ELA. A humanização é um tema indispensável na interação do profissional da área de saúde e o paciente. Complemento, mostrando que a necessidade de abordagem é extremamente necessária para o desenvolvimento do profissional da área de enfermagem, pretendendo que os resultados desta pesquisa possam contribuir para novos estudos na área, ampliar a visão das instituições de saúde e sensibilizar os profissionais para as questões de humanização e sua importância na atividade da enfermagem.

Objetivos específicos

Os objetivos específicos neste trabalho são: - compreender o conhecimento e a importância dada à humanização na atividade da enfermagem; - conceituar e relacionar a estabilidade do paciente portador de ELA ;mostrar como a humanização influencia na qualidade do serviço prestado pelo profissional de saúde, no caso em especifico, o de enfermagem;

3. IMPORTÂNCIA DO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM NA SOCIEDADE

7

Nos hospitais, os médicos diagnosticam

o problema, doença ou

disfunção e

prescrevem um tratamento passando orientações e zelam pela

saúde dos pacientes, contudo enfermagem.

o paciente

fica a

cargo dos cuidados do grupo de

Nota-se, portanto a importância desses profissionais no dia a dia do hospital, pois cabe ao enfermeiro se relacionar com o paciente, informar-se e analisar suas individualidades e as de seus familiares, sendo desta forma entre suas incumbências as responsabilidades, dentre as principais, seguir a orientação dos médicos quanto à prescrição de medicamentos, horários, tratamento, doses dos remédios e exames 3 .

Sua atribuição consiste em mediar estes serviços, em cabe ao o enfermeiro entrar em contato com os outros setores do hospital para agendar exames e requisitar serviços de outros profissionais sempre tentando zelar pela individualidade do paciente.

Ainda que relevante nos cuidados com a saúde e recuperação de enfermos, esses profissionais são pouco reconhecidos pela sociedade, que só se lembra deles quando estão em algum leito de hospital ou quando tem alguma pessoa da família sob seus cuidados.

Sendo imprescindíveis os profissionais de Enfermagem dentro do contexto da saúde, originando do princípio de que o cuidar do ser humano exige, necessariamente, uma analise total do individuo, inclusive de seu âmago existencial. Ou seja, o enfermeiro assume um papel cada vez mais decisivo e atuante em antecipar as carências do paciente no que se refere à identificação das necessidades de cuidado da população, como também em suprir a falta de proteção da saúde dos indivíduos em suas diferentes esferas de necessidade, com sua presença cada vez mais atuante e proativa. 4

8

O enfermeiro é o coordenador da maioria dos programas do Ministério da Saúde, no que tange a saúde pública. Nesse contexto, a promoção e prevenção da saúde, o enfermeiro cumpri a responsabilidade em educar a população adotar um estilo de vida individual mais saudável e em comunidade melhorar a qualidade de vida no que tange em procedimentos saudáveis, prevenção e acompanhamento ao paciente.

Frente essa abrangente importância a enfermagem é a norteadora de um procedimento com cuidados significativos ,organizados imprescindíveis. Desta forma tem o entendimento da enfermagem ser ainda um protagonista do sistema de saúde, e, conclui-se , a necessidade de a estudarmos cada vez mais e de forma direcionada.

Torna-se primordial o estudo consciente e seu aprofundamento técnico científico que resultará na mudança da história de saúde procedimental e prática no Brasil, em especial a de cada um dos pacientes em especial a individualização no tratamento. Este aprimoramento e reconhecimento oriundos de um estudo profundo dará mais ênfase a atuação do enfermeiro frente a sociedade.

3.1Dificuldades dos Enfermeiros

Dificuldades em carreira são usuais, porém a enfermagem encontra dificuldades extensas, como a escala de serviço (distribuição irregular dos horários), carga horária excessiva (necessidades de manter 2 empregos para conseguir um melhor padrão de vida) culminando por vezes em um trabalho pesado nos aspectos físico e emocional.

O tempo que resta dessa jornada estafante fica dividido entre atenção à família e por vezes cuidados domésticos, lazer e descanso. Portanto, o estudo sempre fica em último (e na maioria inexistente) plano 5 .

4

Comportamento proativo

está relacionado ao ato de evitar ou resolver um provável problema

antes mesmo que ele aconteça. Planejando e executando ideias e tarefas, uma pessoa proativa (ou pró-ativa) consegue evitar situações negativas ou de prejuízo para uma empresa, por exemplo. 5 Bezerra ALQ. O contexto da educação continuada em enfermagem. São Paulo: Lemare/Martinari; 2009. 111p. 2.

9

Com o intuito de suprir as dificuldades, é necessário ter muito foco, determinar o objetivo, seguir um plano de estudo organizado, pois apesar de tudo o profissional da área de saúda atua com dedicação e amor a profissão.

Profissão que tem mostrado compromisso com a coletividade e a saúde humana, participando com dignidade, competência, humildade e responsabilidade com tudo que diz respeito a área de saúde.

O profissional de enfermagem já foi visto como mero executor de serviços que fazia parte da equipe de um hospital apenas para cuidados básicos do enfermo, embora esta seja uma das funções básicas do profissional, esta não se restringe apenas a isto ,pois o enfermeiro é alguém que, além da assistência ou o do cuidado direto ao paciente, exerce coordenação de equipes, porque tem uma visão ampla da área da saúde, preparado para os condicionantes ligados à questão de adoecer e morrer da população brasileira. O enfermeiro não lida só com a assistência a partir da doença, lida, também, com a promoção da saúde, prevenção e no todo que diz respeito a saúde ou seja um profissional imprescritível.

3.2. ÁREAS DE ATUAÇÃO

O profissional da área de saúde em especial o enfermeiro podem trabalhar em diferentes funções de atendimento ao paciente, que envolvem tanto seu estilo de formação quanto seu local de trabalho. No Brasil, o sistema de enfermagem trabalha ao redor de três níveis da profissão, com funções especificas: Para o nível superior, o enfermeiro; Ao nível médico, o técnico em enfermagem, e ao nível fundamental, o auxiliar de enfermagem.

10

Várias são as áreas que vão da Enfermagem Obstétrica 6 , Saúde da Família 7 , Oncológica 8 , do Trabalho 9 , em terapia intensiva 10 . Ou seja, as variadas áreas todas importantes para a sociedade. Demonstrando, portanto a importância deste profissional frente aos cuidados da saúde humana, indo do cuidado a gestante e o feto os cuidados da saúde a família que vão da prevenção ao restabelecimento destes pacientes, os cuidados do trabalhador na manutenção, prevenção e manutenção da saúde destes profissionais. Atuando ainda em casos mais impactantes como doenças degenerativas e outras que desgastam não só o físico do paciente como também o emocional o que torna o profissional com sua consciência de atuar com humanidade papel chave na melhora ou manutenção desse paciente.

  • 6 Enfermagem Obstétrica: o enfermeiro acompanha junto com o médico a

condição da paciente

gestante. E obtém maior conhecimento para lidar com eventuais problemas que possam prejudicar a gestação da criança.

  • 7 Enfermagem em Saúde da Família O Programa Saúde da Família (PSF) é uma iniciativa do Ministério da Saúde que tem como meta melhorar a assistência primária de saúde, criando laços de corresponsabilidade entre profissionais da saúde e as comunidades.O enfermeiro é primordial para a execução do programa.

  • 8 Durante o tratamento de câncer é preciso ter um cuidado técnico especial com o paciente e uma preparação ética e psicológica. Essa é uma das preocupações da Enfermagem Oncológica.

  • 9 Dentre outras atividades do enfermeiro do trabalho estão o desenvolvimento de estudos sobre as condições de segurança e periculosidade do ambiente de trabalho e a elaboração de planos e programas de proteção à saúde dos empregados.

10 Unidade de cuidados intensivos (UCI) é uma estrutura hospitalar que se caracteriza como "unidade complexa dotada de sistema de monitorização contínua que admite pacientes potencialmente graves

ou com descompensação de um ou mais sistemas orgânicos

. O enfermeiro que cuida do paciente

em estado crítico neste setor, sendo primordial para a manutenção deste enfermo.

11

4. HUMANIZAÇÃO NA ÁREA DA SAÚDE

A humanização no contexto geral é de ser mais humano, respeitar, agir com respeito ao outro individuo e com muita educação.

O termo atendimento humanizado é aquele em que o paciente não é um produto mais sim uma pessoa. Ou seja, é um comportamento ético com conhecimento técnico e com a oferta de cuidados dirigidos às necessidades dos pacientes. Mas como reconhecer um serviço realmente prestado de acordo com esses valores em laboratórios, clínicas e hospitais?

A

principio

seria importante conceituar o que seria um atendimento

humanizado. O paciente ao procurar um laboratório ou do hospital, normalmente está ou acredita estar com algum problema de saúde, e neste momento na maioria dos casos encontra-se com o emocional fragilizado Pode-se inferir e muito

inseguro 11 .

Portanto a forma de recebê-lo, mesmo no contato pela primeira vez já influencia no seu estado de espirito, já trás uma segurança para o paciente. Assim criar uma cultura no atendimento na saúde tem o ponto principal em que a melhoria do atendimento em o profissional da área de saúde em especial o enfermeiro atue em conjunto com o paciente promovendo suas necessidades básicas no que envolveu seu treinamento e uma qualidade de atendimento abrangendo o respeito a sua individualidade o reconhecendo como pessoa e atento a isso.

Pontos principais da importância do atendimento Humanizado

De acordo com o MS a humanização deve permanecer como uma diretriz transversal que favorece, entre outros, a troca e construção de saberes, o diálogo entre profissionais, o trabalho em equipe e a consideração às necessidades, desejos e interesses dos diferentes protagonistas do campo da saúde.

Entende-se que humanização da assistência, de acordo com o Ministerio da Saúde, é o aumento do grau de co-responsabilidade na produção de saúde e de mudanças na cultura da atenção aos pacientes e na gestão dos processos de trabalho.

Os 5 motivos para implantar o atendimento humanizado são:

Fácil de ser lembrado

Bom para todos inclusive para os colaboradores

Contribui para a eficácia do cuidado ao paciente

Se relaciona diretamente com a ética

12

Ganha a confiança do paciente

Se você ainda não conseguiu visualizar por que é tão importante oferecer um atendimento humanizado em sua clínica, em seu hospital ou laboratório, que tal conferir os 5 motivos listados neste post? Então vamos lá:

O atendimento humanizado é lembrado

Com certeza você já ouviu, muitas vezes, comentários do tipo “eu gosto de ir

a determinado hospital porque lá eles conversam comigo e me sinto acolhido. Dialogar com o paciente é uma premissa básica para um atendimento eficiente, mas muitos profissionais de saúde acabam se esquecendo disso. Tratando assim, todos os pacientes de forma padronizada. Sendo que pessoas necessitam de atenção. Em especial os brasileiros não são diretos quanto aos americanos, por exemplo, gostamos de uma boa conversa.

Ou seja, sentir que a outra parte está te escutando e se importa com o que é falado. O que nada mais é do que ser empático com o próximo.

É essencial que o profissional de saúde dê o valor de realmente escutar o paciente e olhar no olho durante o atendimento.

Muitas vezes, só de ser ouvida, a pessoa já se sente aliviada e o tratamento flui de forma muito mais tranquila e confiante.

Resumindo, quem atende de forma humanizada é, consequentemente, recomendado.

O atendimento humanizado é bom para todos inclusive para os colaboradores

A instituição de saúde que atende seus pacientes de forma humanizada, tende a tratar seus colaboradores da mesma forma. Não adianta ser delicado com o paciente e tratar os funcionários de forma indiferente ou grosseira, certo?

As instituições que conseguem atender seus pacientes com humanização, geralmente já internalizaram essa forma de atendimento com sua própria equipe, conseguindo ter um processo geral mais integrado e coeso.

Provocando uma relação de confiança com os colaboradores, ganho de produtividade e ainda, uma queda na rotatividade dos funcionários.

Quando o atendimento é humanizado, todo mundo sai ganhando. A equipe, o paciente, o médico, a instituição.

O atendimento humanizado contribui para a eficácia do cuidado ao paciente

Diversas pesquisas demonstram por A + B que o atendimento humanizado, com foco nas reais necessidades do paciente, contribui de forma determinante no processo de cura e de ágil recuperação do paciente.

Beneficiando todo o tratamento. Visto que, esse é uma situação delicada para o paciente porque é sua saúde que está em risco e em várias casos, há um fator psicológico forte envolvido.

13

Pacientes que são atendidos com esses preceitos têm mais confiança na equipe e respondem melhor aos recursos clínicos.

O atendimento humanizado está diretamente relacionado à ética

Quando se lida com a saúde das pessoas, a humanização é um pré-requisito básico para qualquer instituição que almeje o sucesso.

Para que o cuidado seja efetivo e traga resultados, é necessário ouvir, olhar, conversar, entender os hábitos e o histórico dos pacientes.

Como nenhum ser humano vem com um manual de instruções, para facilitar a nossa vida. É preciso buscar outras formas de conseguir as informações necessárias para que tudo tenha o melhor resultado possível.

Com isso fica a dúvida, como conseguir isso sem ter uma proximidade com o paciente e uma relação de confiança? Simplesmente não tem jeito!

E a ética está totalmente relacionada a usar os recursos certos, de acordo com a situação e a necessidade de cada indivíduo, buscando sempre fazer o melhor.

O atendimento humanizado ganha a confiança do paciente

Se o paciente foi bem atendido no momento da consulta ou do exame e saiu satisfeito, a chance de que ele volte a procurar a instituição em um momento no futuro é muito maior, concorda?

Existindo ainda há possibilidade de que ele indique o estabelecimento para outras pessoas que precisam de atendimento parecido ou algum outro que a instituição oferece.

Qualquer outra demanda por atendimento que ele precisar, o primeiro lugar que ele irá procurar é você.

Quem atende de forma humanizada contempla todas as etapas da jornada do paciente com um olhar acolhedor e uma atitude firme e positiva.

Gerando assim, resultados positivos para a instituição, que aumentam drasticamente a satisfação do paciente. E sua possível indicação para terceiros.

Pontos a serem levados em consideração

A humanização hospitalar tem como meta que: todos devem saber quem são os profissionais que cuidam de sua saúde. – As unidades de saúde devem garantir os direitos do usuário (Código de Direitos do Usuário) e possibilitar o acompanhamento por seus familiares. – Deve haver redução de filas com avaliação de riscos, agilidade e acolhimento. – As unidades de saúde devem garantir a gestão participativa aos seus trabalhadores e usuários.

Esses princípios que devem serem cumpridos ao instalar a política de Humanização Hospitalar, tem como objetivo a melhoria das estratégias gerais e a participação insiça da sociedade, para a apropriação de resultados.

14

Conclusão

Viu só como o atendimento humanizado tem o paciente como o principal protagonista dentro do mercado da saúde, levando em consideração o seu ponto de vista, as suas necessidades e seus anseios?

Ele quer ter a certeza de que será atendido de forma satisfatória e que todos os seus problemas de saúde que ele está buscando tratamento, serão resolvidos ou direcionados à alguém que possa resolve-lo, no menor espaço de tempo.

O tom de voz, os gestos e o olhar da equipe dizem muito nesse momento. Outro ponto fundamental de um atendimento humanizado é o acesso fácil à informação.

Cada etapa pela qual o paciente passa deve ser devidamente notificada para ele ou seus familiares, para que ele tenha conhecimento de cada ato ou novidade existente em seu processo de tratamento. Não é tão complicado assim, ou é?

Espero que você tenha gostado de saber mais sobre o atendimento humanizado e que o texto tenha sido útil para você.

Além de é claro, que você se sinta a vontade para perguntar caso exista alguma dúvida sobre o assunto.

5. ELA

(

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA)

Quadros ilustrativos sobre ELA 12

  • 12 COSTA , Rachel O dramático diagnóstico da ELA, http://istoe.com.br/81748_O+DRAMATICO+DIAGNOSTICO+DA+ELA/ ACESSO EM 05/08/2017

15

15

16

16 6. O TRATAMENTO HUMANIZADO NOS CUIDADOS AOS PACIENTES COM ELA A doença demanda médicos bem

6. O TRATAMENTO HUMANIZADO NOS CUIDADOS AOS PACIENTES COM ELA

A doença demanda médicos bem qualificados (são muitas as comorbidades 13 , sobretudo infecções), nutricionistas, psicólogos, fonoaudiólogos, enfermeiros noite e dia, equipamentos de respiração e ventilação dos pulmões, programas especiais de computador que ajudem na comunicação. A rotina de todos, doente e cuidador, é estafante: a vida social acaba, o repouso noturno é trocado pela vigília constante, surgem momentos de profunda depressão. Mas, como em tudo na vida, é nos momentos em que ela parece mais frágil que o desânimo dá lugar a lampejos de esperança. “O paciente se entristece, mas tira forças de quem está ao seu lado”, diz a psicóloga Vânia de Castro, do Setor de Investigação em Doenças Neuromusculares da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), referência no tratamento de ELA no Brasil 14 .

13

Comorbidade -

ocorre

quando

duas

ou

mais

doenças

estão

etiologicamente

relacionadas; comorbidade diagnóstica ocorre quando as manifestações da doença associada forem similares às da doença primária; ecomorbidade prognóstica ocorre quando houver doenças que

predispõem o paciente a desenvolver outras doenças. 14 COSTA , Rachel O dramático diagnóstico da ELA,

17

Todos têm a ganhar com isso, especialmente os pacientes. Pela própria situação em que se encontra, o paciente é um cliente fragilizado, carente e cada detalhe da relação do profissional de saúde com ele é de extrema importância para sua recuperação. Está mais do que comprovado que o paciente sente-se mais confiante, mais envolvido, mais cuidado quando ele é visto e tratado com uma pessoa e não como uma senha ou um número.

Além disso, o tratamento humanizado, personalizado, faz com que o quadro clínico tenha uma evolução satisfatória, já que alterações emocionais também afetam o aspecto fisiológico. Lembrando a definição da palavra saúde, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), como o estado de completo bem estar físico, mental e social, cabe a nós profissionais da área contribuir para que esta condição seja atingida plenamente.

2. DESENVOLVIMENTO (negrito, itálico ou CAIXA ALTA – Título: tamanho 12) 2.1. SUBTÍTULO (CAIXA ALTA – subtítulo: tamanho 12) (enter) (enter)

Texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto (todo o texto deve ser digitado em times/arial 12, com espaço de 1,5 cm entrelinhas e entre parágrafos) (enter)

Texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto

18

texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto.

7. CONCLUSÃO

(negrito

e

CAIXA ALTA – Título: tamanho 12

– não inserir citações diretas

na

conclusão)

 

Texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto.

19

(todo o texto deve ser digitado em times ou arial 12, com espaço de 1,5 cm entrelinhas e entre parágrafos)

Texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto texto.

.

8. REFERÊNCIAS

(inserir as referências em ordem alfabética – na formatação sugerida pela ABNT 6023. Alinhadas somente à margem da esquerda do texto e de forma a se identificar individualmente cada documento usado. Espaço simples nas linhas da referência e duplo entre diferentes documentos.)

ASOBRENOME, Prenome de . Título da obra: subtítulo. X. ed. Local de Publicação:

Editor, ano de publicação.

BSOBRENOME, Prenome. Título da obra: subtítulo. X. ed. Local de Publicação:

Editor, ano de publicação.

20

CSOBRENOME, Prenome de . Título da obra: subtítulo. X. ed. Local de Publicação:

Editor, ano de publicação.

Artigos científicos eletrônicos:

SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo (se houver). Disponível em: < inserir o endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês abreviado ano. (exemplo: 24 jul 2014.)

Artigos científicos em revistas impressas:

SOBRENOME, Prenome. Título: subtítulo do artigo. Título do periódico, local, volume, fascículo, página inicial e final, mês e ano.

Modelo para legislação e jurisprudência:

Modelo para legislação:

SÃO PAULO (Estado). Decreto no 42.822, de 20 de janeiro de 1998. Lex: coletânea de legislação e jurisprudência, São Paulo, v. 62, n. 3, p. 217-220, 1998.

BRASIL. Medida provisória no 1.569-9, de 11 de dezembro de 1997. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 14 dez. 1997. Seção 1, p. 29514.

BRASIL. Decreto-lei no 5.452, de 1 de maio de 1943. Lex: coletânea de legislação:

edição federal, São Paulo, v. 7, 1943. Suplemento.

BRASIL. Código civil. 46. ed. São Paulo: Saraiva, 1995

Jurisprudências e decisões judiciais:

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula no 14. In:

______.

Súmulas. São

Paulo: Associação dos Advogados do Brasil, 1994. p.16.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Habeas-corpus no 181.636-1, da 6ª Câmara

Cível do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, Brasília, DF, 6 de dezembro de

1994.

BRASIL. Tribunal Regional Federal (5. Região). Apelação cível no 42.441-PE (94.05.01629-6). Apelante: Edilemos Mamede dos Santos e outros. Apelada: Escola Técnica Federal de Pernambuco.

21

Relator: Juiz Nereu Santos. Recife, 4 de março de 1997. Lex: jurisprudência do STJ e Tribunais Regionais Federais, São Paulo, v. 10, n. 103, p. 558-562, mar. 1998.