Sei sulla pagina 1di 23

Noções de Gradiente e Divergente

INTRODUÇÃO

• Serão vistos aqui noções de cálculo que serão amplamente utilizadas nos nossos estudos:

gradiente, divergente

Conceitos tidos como conhecidos:

derivação, integração, diferenciação; noções elementares de cálculo vetorial.

CARÁTER VETORIAL

Muitas grandezas físicas possuem um caráter

vetorial, como por ex:

velocidade;

deslocamento;

força;

aceleração;

campo elétrico, magnético; etc.

Junto às quais estão associadas as noções de direção e

sentido.

CARÁTER ESCALAR

outras grandezas dissociadas destas noções são tidas como escalares:

massa;

distância;

temperatura; entropia; potencial elétrico, etc.

CAMPO é uma função que especifica uma grandeza particular,

escalar ou vetorial, em algum lugar do espaço.

Campo vetorial:

• velocidade de um gás num

tubo;

• força gravitacional de um

corpo no espaço;

• velocidade do pingos da

chuva;

• campos elétricos e

magnéticos em uma dada

região, etc.

Campo escalar:

• distribuição de temperatura

em uma sala;

• intensidade de som em um

teatro;

• distribuição de concentração

de uma substancia em uma

ambiente;

• potencial elétrico em uma

região, etc.

TEORIA DE CAMPOS:

Campo escalar:

Denomina-se campo escalar a lei de correspondência que associa a cada ponto do

espaço n , ou de parte do espaço, uma grandeza física escalar.

Ex: Campo de temperatura, campo de concentração, campo de pressão.

TEORIA DE CAMPOS:

Campo escalar cont:

Se tivermos uma função escalar do ponto "M",

f = f(M), onde M ∈ ⎥ n , no sistema cartesiano de

coordenadas (x, y, z), teremos f = f (x, y, z),

logo se:

f = Concentração C = C (x, y, z);

f = Temperatura T = T (x, y, z);

f = Pressão P = P (x, y, z);

TEORIA DE CAMPOS:

Campo Vetorial:

É a lei de correspondência que associa a cada

ponto do espaço n , ou parte do espaço, uma

quantidade física vetorial.

Ex: Campo de velocidade, campo de quantidade de movimento, campo de aceleração.

TEORIA DE CAMPOS:

Campo Vetorial cont:

Um campo vetorial escreve-se mediante uma

função vetorial do ponto "M".

Campo Vetorial cont: • Um campo vetorial escreve-se mediante uma função vetorial do ponto "M". •

Logo:

Campo Vetorial cont: • Um campo vetorial escreve-se mediante uma função vetorial do ponto "M". •

OBSERVAÇÕES:

Campo

estacionário são aqueles que a função escalar

coordenadas

espaciais. Campo escalar e vetorial transiente são

aqueles que as funções escalares e vetoriais

dependem das coordenadas espaciais e do

escalar

vetorial

e

permanente

ou

ou vetorial

depende

das

tempo.

OBSERVAÇÕES:

Campo escalar e vetorial unidimensional e

estacionário são aqueles que as funções vetoriais e escalares independem do tempo e

variam somente em uma direção.

GRADIENTE:

É uma função vetorial derivada de uma função escalar.

É uma função tensorial derivada de uma função vetorial.

Para uma função escalar ϕ = ϕ (x, y, z)

GRADIENTE:

GRADIENTE: • Onde ∇ = operador Nabla : • ∇ = operador Nabla multiplicado por ϕ

Onde = operador Nabla :

GRADIENTE: • Onde ∇ = operador Nabla : • ∇ = operador Nabla multiplicado por ϕ

= operador Nabla multiplicado por ϕ (ϕ) = Gradiente, temos:

GRADIENTE: • Onde ∇ = operador Nabla : • ∇ = operador Nabla multiplicado por ϕ

Resumindo o conceito de Gradiente:

Resumindo o conceito de Gradiente:

DIVERGENTE:

É uma função escalar derivada do produto escalar entre dois vetores.

Dada a função vetorial:

DIVERGENTE: • É uma função escalar derivada do produto escalar entre dois vetores. • Dada a

DIVERGENTE:

DIVERGENTE:
DIVERGENTE:
DIVERGENTE:
DIVERGENTE:

OPERADOR DE LA PLACE (2 ):

É a divergência do gradiente ( ; .ϕ ; ou ; 2 ϕ)

div.gradϕ ; ou

É a divergência do gradiente ( ; ∇ . ∇ ϕ ; ou ; ∇ 2

Logo o La Placeano de ϕ :

É a divergência do gradiente ( ; ∇ . ∇ ϕ ; ou ; ∇ 2

Operador Nabla

Operador Nabla

Operador Nabla

Operador Nabla

Operador Nabla

Operador Nabla

PROPRIEDADES DO OPERADOR NABLA:

ϕ +ϕ = ϕ +ϕ ∇⋅ V1 +V2 = ∇⋅V1 +∇⋅V2 x V1 +V2 = xV1 +xV2

∇⋅ (ϕV ) = (ϕ )V +ϕ (∇⋅V )

x(ϕV ) = (ϕ )xV +ϕ (xV ) ∇⋅ (xA) = 0

Calcular

o

APLICAÇÃO:

gradiente

e

a

divergência

do

gradiente da função abaixo e provar que

∇⋅∇ = 2 .

Função:

ϕ = x2 y + y3z3