Sei sulla pagina 1di 74
FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA Ficha Técnica Título “Planeamento da Empresa Agrícola – Exercícios”

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

Ficha Técnica

Título

“Planeamento da Empresa Agrícola – Exercícios”

Destinatários

Formandos (Técnicos e futuros Formadores)

Área profissional

Gestão de Empresas, Agricultura

Curso

Formação Global em Gestão Agrícola – Nível Técnicos e Formadores Módulo de Planeamento da Empresa Agrícola

Entidades Responsáveis pelo Projecto

ADISA, Associação para o Desenvolvimento do ISA AgroGes, Sociedade de Estudos e Projectos, Lda IDRHa, Instituto de Desenvolvimento Rural e Hidráulica, do MADRP

Autores

Francisco Avillez Francisco Gomes da Silva Carlos Pedro Trindade Frederico Avillez José Pedro Salema Nuno Pereira

Colaboração

Leonor Lopes

Coordenação Técnica

Francisco Gomes da Silva

Direcção Editorial

Francisco Avillez

Produção

FZ AGRO.GESTÃO - Consultoria em Meio Rural, Lda

Concepção Gráfica e Maquetização

Filipa Pissarra

Fotografia

Vasco Soeiro

Impressão

Novagráfica do Cartaxo, Lda.

Tiragem

750 exemplares

Depósito Legal

Nº 243 892/06

1ªEdição, Maio 2006

Módulo I | Planeamento da Empresa Agrícola

Produção apoiada pelo Programa AGRO – Medida 7 – Formação profissional, co-financiado pelo Estado Português e pela União Europeia através do FSE

Copyright © 2006 - Todos os direitos reservados ao Gestor do Programa AGRO

e pela União Europeia através do FSE Copyright © 2006 - Todos os direitos reservados ao

I

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA Índice Avaliação de Conhecimentos Módulo I | Planeamento da Empresa

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

Índice

Avaliação de Conhecimentos

Módulo I | Planeamento da Empresa Agrícola

Unidade

1
1

Conceitos Fundamentais

Unidade

2
2

Estrutura e Potencial da Empresa

Unidade

3
3

Tipologia de Resultados

Unidade

4
4

Orçamentos

Tipologia de Resultados Unidade 4 Orçamentos Unidade 5 Planeamento de Curto Prazo com Base em

Unidade 5

Planeamento de Curto Prazo com Base em Orçamentos

Enunciados de Exercícios

Estudos de Caso

Resoluções

Informações Complementares

Curto Prazo com Base em Orçamentos Enunciados de Exercícios Estudos de Caso Resoluções Informações Complementares 1

1

Unidade 11 Conceitos Fundamentais Avaliação de Conhecimentos 1. Assinale qual a opção que completa correctamente

Unidade

11
11

Conceitos Fundamentais

Avaliação de Conhecimentos

1.

Assinale qual a opção que completa correctamente a seguinte frase:

As explorações agrícolas de tipo empresarial têm como objectivo prioritário

q

a) assegurar a maximização da remuneração dos factores de produção próprios;

q

b) minimizar os custos de produção;

 

q

c) maximizar os volumes de produção;

q

d) maximizar os resultados líquidos da empresa.

2.

Assinale qual a opção que completa correctamente a seguinte frase:

A

Dimensão Económica (DE) das explorações

q

a) não depende da dimensão física das actividades praticadas na exploração;

q

b) calcula-se com base no valor da produção e dos custos de cada exploração em concreto;

q

c) exprime-se em unidades de dimensão europeia;

q

d) calcula-se a partir das Margens Bruta Padrão das actividades que nela se desenvolvem.

3.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) a Margem Bruta Padrão (MBP) de uma exploração não depende das actividades praticadas nessa exploração;

q

b) a Margem Bruta Padrão (MBP) de uma exploração não depende da dimensão das actividades praticadas nessa exploração;

q

c) a Margem Bruta Padrão (MBP) de uma exploração não depende dos custos efectivos dessa exploração;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

4.

Assinale qual a opção que completa correctamente a seguinte frase.

A

OTE (Orientação Técnico-Económica) de uma exploração determina-se

q

a) com base nas Margens Bruta Padrão das actividades que nela se desenvolvem;

q

b)

apenas a

partir

do

peso

relativo das áreas das actividades que nela se

desenvolvem;

 

q

c) com base no perfil técnico do agricultor (ou do gerente da exploração);

q

d) com base no peso relativo do Valor Bruto de Produção das diversas actividades praticadas.

5.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) a grande dependência das decisões de produção face às políticas agrícolas tem promovido uma eficiente utilização de recursos na agricultura;

q

b) a grande dependência das decisões de produção face às políticas agrícolas provoca divergências entre resultados económicos da exploração e eficiência económica;

q

c) a grande dependência das decisões de produção face às políticas agrícolas é pouco relevante em termos de gestão das explorações;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

2

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA 6. Assinale qual das seguintes

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

6.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) o conceito de Despesa é um conceito estritamente associado a um fluxo real (normalmente de matérias primas);

q

b) o conceito de Despesa está associado a um período de tempo bem definido;

q

c) o conceito de Despesa surge quando é criada a obrigação de efectuar um pagamento,

q

d) todas as anteriores são verdadeiras.

7.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) a noção de Custo não está associada a um período de tempo;

q

b) a noção de Custo corresponde à afectação de uma parte de uma despesa a um período de tempo;

q

c) a noção de Custo de um período corresponde ao valor total dos pagamentos nele efectuados;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

8.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) a categoria de “Custos com Fertilizantes e Correctivos corresponde a uma classificação de custos por centro de responsabilidade;

q

b) a categoria de “Custos com Fertilizantes e Correctivos corresponde a uma classificação de custos por natureza;

q

c) a categoria de “Custos com Fertilizantes e Correctivos corresponde a uma classificação de custos que toma em conta a sua relação com o volume de produção;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

9.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) os Custos Fixos são os que não variam em função do volume de produção;

q

b) os Custos Fixos são os que não variam por unidade de produto, independentemente do volume de produção;

q

c) os Custos Fixos de uma empresa não se alteram ao longo dos anos,

q

d) todas as anteriores são verdadeiras.

10.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) o Custo Marginal é tanto maior quanto maior o nível dos custos variáveis da empresa;

q

b) o Custo Marginal depende do nível dos Custos Fixos da empresa;

q

c) o Custo Marginal corresponde ao acréscimo de custo gerado pelo aumento unitário do nível de produção;

q

d) todas as anteriores são verdadeiras.

de custo gerado pelo aumento unitário do nível de produção; q d) todas as anteriores são

3

Unidade 2 Estrutura e Potencial da Empresa Avaliação de Conhecimentos 1. Assinale qual das seguintes

Unidade

2
2

Estrutura e Potencial da Empresa

Avaliação de Conhecimentos

1.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) a UTA é uma medida do volume de trabalho agrícola realizado num determinado período de tempo;

q

b) a UTA é uma medida da quantidade de trabalho de uma pessoa adulta ocupada com trabalhos agrícolas a tempo inteiro;

q

c) a UTA corresponde a 2.200 horas de trabalho/ano;

q

d) todas as anteriores estão correctas.

2.

Assinale qual a opção que completa correctamente a seguinte frase:

O factor de produção “capital de exploração”

q

a) engloba um conjunto de bens de produção de natureza diversa, bem como o dinheiro necessário para o pagamento dos serviços indispensáveis ao normal funcionamento da empresa;

q

b) engloba apenas o conjunto de bens de produção (máquinas, animais, adubos, etc.) necessários ao funcionamento da empresa;

q

c) é um conceito cuja definição depende do valor do capital fundiário;

q

d) engloba, entre outros, o valor das plantações e das construções existentes na exploração.

3.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) o Capital de Exploração Fixo de uma empresa agrícola corresponde aos chamados factores de produção estruturais;

q

b) o Capital de Exploração Fixo de uma empresa agrícola é usualmente designado por “aparelho de produção”;

q

c) o Capital de Exploração Fixo de uma empresa agrícola inclui, entre outros bens, o equipamento agrícola propriedade da empresa;

q

d) todas as anteriores são verdadeiras.

4.

Tendo em conta a ordem crescente da liquidez do Capital de Exploração Circulante, a ordenação correcta é

q

a) C. Cativo, C. Aprovisionado, C.Maneio;

q

b) C. Aprovisionado, C. Maneio, C. Cativo;

q

c) C. Cativo, C. Maneio, C. Aprovisionado;

q

d) C. Maneio, C. Aprovisionado, C. Cativo.

5.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) Juro é a denominação dada à remuneração de empresário;

q

b) Juro é a denominação dada apenas à remuneração dos capitais próprios da empresa;

q

c) Juro é a denominação dada à remuneração do empresário e do capital;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

4

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA 6. Assinale qual das seguintes frases é verdadeira: q a)

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

6.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) o empresário agrícola é muitas vezes remunerado através do salário;

q

b) o empresário agrícola é muitas vezes remunerado através dos lucros distribuídos no final do exercício, enquanto fornecedor de capitais próprios;

q

c) o empresário agrícola é muitas vezes remunerado através dos juros, que remuneram as tarefas de gestão por si desempenhadas;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

7.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) numa empresa familiar, a remuneração devida ao capital pertencente à família designa-se por Juro;

q

b) numa empresa familiar, a remuneração devida ao capital pertencente à família deve medir o respectivo Custo de Oportunidade;

q

c) numa empresa familiar, a remuneração devida ao capital pertencente à família não corresponde a um encargo realmente pago,

q

d) todas as anteriores são verdadeiras.

8.

Assinale qual a opção que completa correctamente a seguinte frase:

Na seguinte fórmula de cálculo, JCC = [(CC/2) x (n/ 12)] x i

q

a) a letra n corresponde ao número de actividades desenvolvidas na empresa;

q

b) pressupõe-se uma utilização homogénea do Capital Circulante ao longo do tempo;

q

c) permite calcular o juro sobre o Capital Cativo;

q

d) a letra i corresponde à taxa de inflação do período em causa.

9.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) o conceito de Amortização tem pouco interesse para a gestão, uma vez que normalmente não corresponde a uma despesa do período em causa;

q

b)o conceito de Amortização é fundamental na gestão do capital circulante da empresa;

q

c) o conceito de Amortização corresponde sempre a um pagamento efectuado pela empresa a terceiros;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

10.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) a remuneração do factor Terra é uma forma de Juro, uma vez que esta constitui um bem de capital;

q

b) a remuneração do factor Terra está incluída no Lucro;

q

c) a remuneração do factor Terra não deve ser tida em conta quando a terra for própria,

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

factor Terra não deve ser tida em conta quando a terra for própria, q d) nenhuma

5

Unidade 33 Tipologia de Resultados Avaliação de Conhecimentos 1. Assinale qual a opção que completa

Unidade

33
33

Tipologia de Resultados

Avaliação de Conhecimentos

1.

Assinale qual a opção que completa correctamente a seguinte frase:

 

Um resultado económico de uma empresa

q

a) é apurado sem referência a um período de tempo;

q

b) é apurado com base no valor dos Proveitos e dos Custos de um período;

 

q

c) é apurado com base no valor dos Recebimentos e Pagamentos de um período;

q

d) apura-se sempre tendo por base o Plano Oficial de Contabilidade (POC).

2.

Assinale qual a opção que completa correctamente a seguinte frase:

Para o cálculo do valor do Produto Bruto (PB) de uma empresa

q

a) é irrelevante o valor do Autoconsumo, uma vez que tal rubrica espelha um destino da produção e não uma receita;

q

b) é necessário conhecer o valor do Autoconsumo, que deverá ser subtraído ao valor das Vendas;

q

c) é irrelevante o valor do Autoconsumo, desde que se conheça Autoaprovisionamento;

o valor

do

q

d) é tão importante conhecer o valor das Vendas como o valor do Autoconsumo.

3.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) o Valor Acrescentado Bruto (VAB) calcula-se a partir do Rendimento Bruto de Exploração (RBE), subtraindo o valor dos Consumos Intermédios (CI);

q

b) o Valor Acrescentado Bruto (VAB) é o ponto de partida para calcular o RBE;

 

q

c) o Valor Acrescentado Bruto (VAB) traduz o valor actualizado bruto da produção da empresa,

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

4.

Assinale qual a opção que completa correctamente a seguinte frase:

 

O Rendimento Liquido de Exploração (RLE)

q

a) traduz a forma como a empresa está a remunerar o capital de exploração fixo;

 

q

b) é um resultado liquido de amortizações dos bens de capital de exploração fixo, mas não das amortizações das benfeitorias;

q

c) é um resultado liquido de amortizações dos bens de capital de exploração fixo e benfeitorias;

q

d) serve de base ao cálculo do valor do imposto sobre rendimentos a pagar pela empresa.

5.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) o Rendimento do Empresário e da Família (REF) pode calcular-se subtraindo ao Rendimento Liquido de Exploração a totalidade dos encargos reais (efectivamente pagos) não deduzidos anteriormente;

q

b) o Rendimento do Empresário e da Família (REF) representa o valor que a família pode consumir sem diminuir a capacidade de produção da empresa;

q

c) o Rendimento do Empresário e da Família (REF) traduz a remuneração dos factores de produção primários pertencentes ao empresário e à família;

q

d) todas as anteriores são verdadeiras.

6

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA 6. Assinale qual a opção que completa correctamente a seguinte

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

6.

Assinale qual a opção que completa correctamente a seguinte frase:

O

Rendimento Fundiário (RF)

q

a) é um resultado que traduz a remuneração da terra própria;

q

b) é um resultado que traduz a remuneração do capital fundiário próprio;

q

c) é um resultado que traduz a remuneração da totalidade do capital fundiário utilizado pela empresa;

q

d) é um resultado que traduz a remuneração do capital fundiário alheio.

7.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) o Rendimento do Trabalho (RT) espelha a capacidade da empresa para remunerar

o

trabalho assalariado;

q

b) o Rendimento do Trabalho (RT) espelha a capacidade da empresa para remunerar

o

trabalho directivo executado;

q

c) o Rendimento do Trabalho (RT) para ser calculado exige o conhecimento do valor dos salários pagos;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

8.

Assinale qual a opção que completa correctamente a seguinte frase:

A

Margem Bruta de uma actividade

q

a) calcula-se subtraindo à receita total associada a essa actividade a totalidade dos respectivos encargos específicos;

q

b) calcula-se subtraindo à receita total associada a essa actividade a totalidade dos respectivos encargos fixos específicos;

q

c) calcula-se subtraindo à receita total associada a essa actividade a totalidade dos respectivos encargos variáveis;

q

d) calcula-se subtraindo à receita total associada a essa actividade a totalidade dos respectivos encargos variáveis e encargos fixos específicos.

9.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) valor da Margem Bruta Total de uma empresa está muito dependente da estrutura dessa empresa;

q

b) o valor da Margem Bruta Total de uma empresa depende apenas das actividades desenvolvidas na empresa;

q

c) o valor da Margem Bruta Total de uma empresa é um resultado muito útil para a avaliação da gestão da empresa;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

10.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) numa empresa que não tenha encargos fixos o valor da MBT é idêntico ao da

 

MCT;

q

b) numa empresa que não tenha encargos fixos o valor da MBT é superior ao da MCT, por causa dos encargos variáveis não específicos;

q

c) numa empresa que não tenha encargos fixos o valor da MBT é superior ao da MCT, por causa dos encargos variáveis específicos;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

superior ao da MCT, por causa dos encargos variáveis específicos; q d) nenhuma das anteriores é

7

Unidade 44 Orçamentos Avaliação de Conhecimentos 1. Assinale qual das seguintes frases é verdadeira: q

Unidade

44
44

Orçamentos

Avaliação de Conhecimentos

1.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) a elaboração de um orçamento visa sempre o apuramento dos custos totais afectos a uma actividade;

q

b) a elaboração de um orçamento visa sempre o apuramento dos custos especificos de uma actividade;

q

c) a elaboração de um orçamento visa sempre o apuramento de resultados de toda ou de uma parte da actividade de uma organização, relativos a um determinado período de tempo;

q

d) todas as anteriores são verdadeiras.

2.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) os orçamentos anuais parciais de actividade permitem apurar os resultados de uma actividade;

q

b) os orçamentos anuais parciais de actividade destinam-se a caracterizar em termos técnicos uma determinada actividade;

q

c) os orçamentos anuais parciais de actividade reflectem uma tecnologia, uma estrutura específica da empresa e uma conjuntura económica;

q

d) todas as anteriores são verdadeiras.

3.

Assinale qual a opção que completa correctamente a seguinte frase:

A estrutura de um orçamento parcial de actividade, deve ser

q

a) bem determinada e rígida, por forma a permitir apurar os resultados que se pretendem;

q

b) completamente independente do resultado que, através dele, se pretende apurar;

q

c) variável, adaptando-se ao resultado que, a partir dele, se pretende apurar;

q

d) bem determinada, uma vez que serve apenas para apurar a Margem Bruta.

4.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) um orçamento parcial de actividade que se destine a apurar a Margem de Contribuição deve classificar os custos segundo o tipo de factor de produção que lhes está associado;

q

b) um orçamento parcial de actividade que se destine a apurar a Margem de Contribuição deve classificar os custos em fixos e variáveis;

q

c) um orçamento parcial de actividade que se destine a apurar a Margem de Contribuição deve classificar os custos por natureza;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

5.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) um orçamento parcial de actividade tem que apurar sempre os custos por unidade de dimensão da actividade (por exemplo, o hectare);

q

b) um orçamento parcial de actividade tem que apurar sempre os custos para a dimensão total da actividade;

q

c) ambas as anteriores são verdadeiras;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

8

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA 6. Assinale qual das seguintes frases é verdadeira: q a)

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

6.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) um orçamento parcial de substituição permite medir o interesse económico da substituição entre duas actividades;

q

b) um orçamento parcial de substituição permite medir a rentabilidade financeira associada à substituição entre duas actividades;

q

c) um orçamento parcial de substituição pode sempre ser usado como base única para decidir acerca da substituição entre duas quaisquer actividades;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

7.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) um orçamento parcial de substituição é uma ferramenta particularmente útil quando à questão de alterações globais na empresa;

q

b) um orçamento parcial de substituição é uma ferramenta particularmente útil quando à escolha de uma tecnologia alternativa numa actividade existente;

q

c) c) um orçamento parcial de substituição é uma ferramenta particularmente útil quando a conjuntura económica é incerta;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

8

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) os orçamentos parciais para cálculo do limiar de rentabilidade devem ser utilizados com prudência, sempre que exista a necessidade de investimento em alguma das situações em análise;

q

b) b) os orçamentos parciais para cálculo do limiar de rentabilidade caracterizam essencialmente as diferenças entre as duas situações em análise;

q

c) os orçamentos parciais para cálculo do limiar de rentabilidade são particularmente úteis sempre que não esteja em causa uma alteração significativa em termos de afectação da estrutura da empresa;

q

d) todas as anteriores são verdadeiras.

9.

Assinale qual das seguintes frases é verdadeira:

q

a) a afectação de custos fixos não específicos às diversas actividades é um procedimento que se deve adoptar em relação a quaisquer custos comuns, independentemente da sua natureza;

q

b) a afectação de custos fixos não específicos às diversas actividades é um procedimento que exige a definição de, pelo menos, uma base de imputação;

q

c) a afectação de custos fixos não específicos às diversas actividades não é possível se existirem duas bases de imputação igualmente válidas;

q

d) todas as anteriores são verdadeiras.

10.

Assinale qual a opção que completa correctamente a seguinte frase:

Designa-se por imputação de base múltipla o processo de imputação

q

a) em que é possível utilizar alternativamente duas ou mais bases de imputação distintas;

q

b) em que duas ou mais bases de imputação são usadas sequencialmente;

q

c) em que duas ou mais bases de imputação conduzem ao mesmo resultado;

q

d) em que, após ponderação, se utiliza um única base de imputação artificial.

ao mesmo resultado; q d) em que, após ponderação, se utiliza um única base de imputação

9

Unidade

55
55

Planeamento de Curto Prazo com Base em Orçamentos

Avaliação de Conhecimentos

1.

O Orçamento Anual Global da empresa

q

a) é um retrato quantitativo da actividade anual prevista;

q

b) engloba informação técnica, económica e financeira referente à actividade da empresa;

q

c) é uma ferramenta muito utilizada no planeamento de curto prazo da empresa;

q

d) todas as anteriores são verdadeiras.

2.

A gestão orçamental

q

a) utiliza os orçamentos como ferramenta central do planeamento;

q

b) encara os orçamentos como planos de acção que fixam, em quantidades, valores e prazos os meios a utilizar e os proveitos ou operações a realizar;

q

c) engloba a comparação periódica dos objectivos definidos em orçamento com a respectiva execução;

q

d) todas as anteriores são verdadeiras.

3.

A malha temporal utilizada para orçamentação

q

a) deve ser a mais estreita possível, registando toda a informação relativa ao menor intervalo de tempo (preferencialmente diária);

q

b) deve estar dependente da capacidade da empresa para registar e utilizar a informação;

q

c) não tem qualquer relação com a organização da informação na empresa;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

4.

O ponto de partida para a elaboração do Orçamento Anual Global de uma empresa

q

a) é a situação de tesouraria no final do exercício anterior;

q

b) é a conceptualização dos diversos mapas necessários;

q

c) é a fixação dos objectivos da empresa para o exercício em causa;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

5.

No Programa de Produção

q

a) não é necessário ter em atenção a política de stocks da empresa;

q

b) não é relevante identificar os momentos do tempo em que esta é originada, uma vez que tal depende do clima;

q

c) constam informações importantes para os programas de secções auxiliares;

q

d) todas as anteriores são verdadeira.

6.

No Orçamento de Vendas

q

a) devem ser registadas as quantidades físicas de produtos vendidos;

q

b) devem ser registados os valores das vendas referenciados ao momento do recebimento;

q

c) devem ser registadas todas as receitas previstas para o exercício;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

devem ser registadas todas as receitas previstas para o exercício; q d) nenhuma das anteriores é

10

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA 7. No Orçamento das Compras q a) devem registar-se os

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

7.

No Orçamento das Compras

q

a) devem registar-se os valores das compras nos momentos em que os pagamentos vão ocorrer;

q

b) devem registar-se os valores das compras nos momentos em que os materiais “entram” na empresa;

q

c) devem registar-se sempre os valores das compras com IVA, uma vez que se trata de um orçamento de fluxos financeiros;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

8.

O Orçamento de Tesouraria

q

a) sintetiza a informação relativa a pagamentos e recebimentos bem como o valor das

amortizações;

q

b) sintetiza apenas a informação relativa a pagamentos e recebimentos prevista para

o

exercício;

q

c) sintetiza a informação relativa a pagamentos e recebimentos, com excepção dos movimentos de IVA;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

9.

O Orçamento Financeiro

q

a) é uma designação alternativa para Orçamento de Tesouraria;

q

b) permite prever, ao longo do exercício, as necessidades de fundos para além dos que são gerados “normalmente” ao longo do exercício;

q

c) assume sempre que o saldo de tesouraria no final de cada período não pode ser inferior a zero;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

10.

O Balanço e a Demonstração de Resultados previsionais

q

a) são mapas importantes, mas que não fazem parte do Orçamento da Empresa;

q

b) apesar de fazerem parte do Orçamento da Empresa, não é costume a sua

elaboração;

q

c) são mapas que evidenciam quais os sectores da empresa que mais contribuem para

o

resultado que apuram;

q

d) nenhuma das anteriores é verdadeira.

da empresa que mais contribuem para o resultado que apuram; q d) nenhuma das anteriores é

11

12 FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA
12 FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

12

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

MóduloMóduloMMóduloódulo IIII |||| Módulo I |
MóduloMóduloMMóduloódulo IIII ||||
Módulo I |

Planeamento Planeamento da da Empresa Empresa Agrícola Agrícola

Enunciados de Exercícios

1º Exercício de Síntese (2ª Unidade)

1º Exercício de Síntese (2ª Unidade)

(Resolver com recurso a folha de cálculo)

A empresa agrícola Casal da Eira, empresa pertencente ao senhor José Santinhos e sua

família, desenvolveu a sua actividade no ano de 20xx em torno de três actividades: Milho para grão (20 hectares propriedade da empresa), Tomate para indústria (10 hectares arrendados) e Vinha (5 hectares propriedade da empresa).

Utilizou, para tal, os seguintes factores de produção directamente associados ao processo

produtivo:

a) Mão de obra

Dois trabalhadores assalariados permanentes (Sr. António e Sr. Francisco), com salários brutos de 598 Euros/mês e 720 euros/mês, respectivamente, que permitiram satisfazer

a totalidade das necessidades de mão de obra, com excepção da vindima da Vinha, para

a qual foi necessário contratar pessoal eventual de acordo com os seguintes valores: 10 pessoas para satisfazerem as necessidades de 80 horas/ha a 6,5 Euros/hora (valor do salário).

Para além dos outros encargos previstos na lei (descontos para a segurança social: 11% do trabalhador, 23,75% da empresa, qualquer que seja o tipo de vínculo), existe uma apólice referente a Seguros de Acidentes de Trabalho, com um prémio anual de 2% sobre

o capital seguro, capital esse que é equivalente ao valor dos salários estimados para o ano

em curso.

Nota: Os trabalhadores permanentes recebem 14 salários/ano e subsídio de refeição (4 euros/dia), subsídio este que é também extensível aos trabalhadores eventuais.

b) Capital Fundiário

Para além de explorar os 25 hectares de terra própria de que dispõe, a empresa explorou em regime de arrendamento 10 hectares (contrato de 10 anos, de que o ano em causa foi

o 3º), tendo pago o valor acordado de 300 Euros/ha.

A Vinha (instalada em 5 hectares próprios), tem 12 anos de idade, tendo a sua instalação

correspondido a um investimento de 9.900 Euros/ha, sendo razoável estimar em 30 anos

o

seu período de vida útil.

c)

Capital de Exploração Fixo

Em termos de parque de máquinas, a empresa dispõe apenas de 1 Tractor e algumas

alfaias (charrua, grade,

)

sobre as quais existe a seguinte informação:

Equipamento

Valor inicial

Valor residual

Vida útil

Utilização

(euros)

(euros)

(horas)

(horas/ano)

Tractor (150 cv)

39.905

5.986

5.000

625

Alfaias

9.000

500

1.000

100

A manutenção deste equipamento é efectuada pelo tractorista (Sr. Francisco), tendo sido

necessários consumíveis (óleos, massas, sobressalentes, etc) no valor de 750 Euros.

O tractor está no seguro (cobrindo danos em terceiros até ao limite de 22.446 Euros/ano),

sendo o prémio anual de 3% sobre o capital seguro.

O consumo de combustíveis é calculado com base no consumo médio de 0,2litros/cv.hora,

sendo que o preço médio do gasóleo agrícola foi de 0,43 Euros/litro.

base no consumo médio de 0,2litros/cv.hora, sendo que o preço médio do gasóleo agrícola foi de

13

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLAPossui ainda equipamento de rega, relativamente ao qual existe a seguinte informação disponível: E q

Possui ainda equipamento de rega, relativamente ao qual existe a seguinte informação

disponível:

Equipamento

Gota-a-gota (10 ha)

Pivot (20 ha)

Valor inicial

Valor residual

Vida útil

(euros)

(euros)

(anos)

12.500

875

7

39.904

3.990

10

d) Capital de Exploração Circulante

Desde o início do exercício, e em diversas “formas” ao longo do ciclo produtivo, foram sendo imobilizados nas três actividades em causa os seguintes valores de capital circulante:

Milho:

Consumíveis: 450 Euros/ha

Serviços de terceiros (equipamento): 350 Euros/ha

Tomate:

Consumíveis: 1.600 Euros/ha

Serviços de terceiros (equipamento):1.990 Euros/ha

Vinha:

Consumíveis: 500 euros/ha

Serviços de terceiros (equipamento): 350 Euros/ha

De acordo ainda com a informação disponibilizada pelo empresário, o custo de oportunidade mais adequado para valorizar o capital imobilizado nestas actividades é de 3%/ano (taxa nominal).

A partir da informação disponível, proceda ao cálculo do valor dos Custos Fixos e dos

Custos Variáveis (quer totais quer unitários) suportados pelo Casal da Eira no exercício em causa, evidenciando aqueles que, para além de um custo, constituem também pagamentos efectuados no exercício (encargos reais).

2º Exercício de Síntese (3ª Unidade)pagamentos efectuados no exercício (encargos reais). (Resolver com recurso a folha de cálculo) O senhor José

(Resolver com recurso a folha de cálculo)

O senhor José Santinho pretende agora proceder ao apuramento de alguns resultados

referentes à actividade da sua empresa Casal da Eira (a empresa foi introduzida no 1º Exercício de Síntese) a saber:

- Rendimento do Empresário e da Família

- Rendimento Fundiário

- Rendimento do Trabalho

- Rendimento do Trabalho Familiar.

Para além da informação já disponibilizada (1º Exercício de Síntese), e relativamente ao mesmo ano, foi ainda possível apurar a seguinte informação adicional:

Trabalho Directivo e Administrativo – desempenhado a tempo parcial pelo Sr. José Santinho (5 horas/dia)

a tempo parcial pelo Sr. José Santinho (5 horas/dia) Salário auferido no emprego fora da exploração

Salário auferido no emprego fora da exploração – 600 Euros/mês

14

Consumíveis diversos – 1.000 Euros/ano

Contribuição Autárquica – 350 Euros/ano

Juros relativos a Empréstimos de Médio Prazo – 2.600 Euros

Vendas de Milho – 30.800 Euros (220.530 kg)

Vendas de Uvas – 27.950 Euros (40.000 kg)

Vendas de Tomate – 35.100 Euros (980.000 kg)

Variação de Existências (Milho) – 1.000 Euros

Auto-aprovisionamento (Milho) – 800 kg

Ajuda compensatória e set-aside (Milho) – 7.480 Euros

Ajuda Tomate indústria (Tomate) – 43.990 Euros

Módulo I |
Módulo I |

Planeamento da Empresa Agrícola

Enunciados de Exercícios

3º Exercício de Síntese (4ª Unidade)

3º Exercício de Síntese (4ª Unidade)

(Resolver com recurso a folha de cálculo)

Um agricultor em nome individual explora uma propriedade com 21 hectares em regime de arrendamento, com base num contrato de 10 anos celebrado à 3 anos, pela qual paga uma renda anual de 5.900 Euros (fixa até ao final do contrato. Na propriedade arrendada pratica uma rotação trienal (em folhas de 7 ha) de Milho, Tomate e Melão.

Em termos estruturais, estão afectos à exploração os seguintes bens de capital fixo, sabendo-se que toda a manutenção anual destes equipamentos é efectuada por terceiros (peças e mão de obra):

Valor inicial

Valor final

Vida útil

Manutenção

Tractor 150 cv

47.885

4.788,50

7

957,70

Tractor 90 cv

25.937

2.593,70

7

518,74

Pulverizador

9.970

0

5

199,40

Charrua

2.240

0

8

44,80

Grade discos

1.538

0

8

30,76

Rototerra

12.475

0

5

249,50

Sachador

2.645

0

8

52,90

Encamalhoador de terra

2.993

0

8

59,86

Equipamento rega gota-a-gota (14 ha)

24.490

1.224,50

7

489,80

Equipamento de rega aspersão (7 ha)

19.205

960,25

7

384,10

ha) 24.490 1.224,50 7 489,80 Equipamento de rega aspersão (7 ha) 19.205 960,25 7 384,10 15

15

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA Os coeficientes técnicos referentes aos consumos intermédios (materiais e

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

Os coeficientes técnicos referentes aos consumos intermédios (materiais e serviços adquiridos a terceiros), bem como os respectivos preços no mercado são os seguintes:

Milho

Rúbrica

Observações

Descrição

C.Tec.

Unidades

Preços

Lavoura

Equip. próprio

Tractor 150 cv + Charrua

1,80

h/ha

-

Gradagem

Equip. próprio

Tractor 150 cv + Grade

1,00

h/ha

-

Gradagem

Equip. próprio

Tractor 150 cv + Grade

1,00

h/ha

-

Adubação de fundo

Aluguer

Tractor + Distribuidor de Adubo

1,00

hectares

15,00

Gradagem

Equip. próprio

Tractor 150 cv + Grade

1,00

h/ha

-

Rototerra

Equip. próprio

Tractor 150 cv + Rototerra

1,50

h/ha

-

Sementeira

Aluguer

Tractor + Semeador de Milho

1,00

hectares

25,00

 

Semente Milho

67,50

unidades/ha

2,00

Desinfectante de solo Milho

1,35

kg/ha

8,90

Herbicida pré-emer- gência

Equip. próprio

Tractor 90 cv + Pulverizador

0,80

h/ha

-

 

Herbicida pré-emergência milho

4,50

l/ha

8,30

Sacha

Equip. próprio

Tractor 90 cv + Sachador

1,00

h/ha

-

Rega

Equip. próprio

Equipamento de rega por aspersão

1,00

ha

-

 

Água

5.500,00

m3/ha

0

Energia

5,50

x 1000 m3/ha

13,50

Adubação cobertura

Equip. próprio (rega)

Adubo liquido Milho

400,00

kg/ha

-

Aplicação de insec- ticida

Equip. próprio (rega)

Insecticida Milho

0,25

l/ha

-

Colheita

Aluguer

Ceifeira debulhadora Milho

1,00

hectares

85,00

 

Serviço de transporte com semi-

Transporte

Aluguer

reboque

12.000,00

kg/ha

0,01

Secagem

Aluguer

Serviço de secagem de Milho

12.000,00

kg/ha

0,01

12.000,00 kg/ha 0,01 Secagem Aluguer Serviço de secagem de Milho 12.000,00 kg/ha 0,01 16

16

Módulo I |
Módulo I |

Planeamento da Empresa Agrícola

Enunciados de Exercícios

Tomate

Rúbrica

Observações

Descrição

C.Tec.

Unidades

Preços

Lavoura

Equip. próprio

Tractor 150 cv + Charrua

1,80

h/ha

-

Gradagem

Equip. próprio

Tractor 150 cv + Grade

1,00

h/ha

-

Gradagem

Equip. próprio

Tractor 150 cv + Grade

1,00

h/ha

-

Adubação de fundo

Aluguer

Tractor + Distribuidor

1,00

hectares

15,00

Gradagem

Equip. próprio

Tractor 150 cv + Grade

1,00

h/ha

-

Armação do Terreno

Equip. próprio

Tractor 90 cv + Encamalhoador

1,50

h/ha

-

Plantação

Aluguer

Tractor + Plantador

1,00

hectares

35,00

 

Plantas Tomate

40.000,00

plantas/ha

0,02

Mão de obra eventual tomate

4,00

h/ha

5,00

Herbicidas

Equip. próprio

Tractor 90 cv + Pulverizador

0,80

h/ha

-

 

Herbicida 1 Tomate

0,60

l/ha

18,00

Sacha

Equip. próprio

Tractor 90 cv + Sachador

1,00

h/ha

-

Rega

Equip. próprio

Equipamento rega gota-a-gota

1,00

ha

-

 

Água

5.000,00

m3

0,00

Energia

5,00

x 1000 m3/ha

13,50

Fitas

13.000,00

m/ha

0,03

Adubação cobertura

Equip. próprio (rega)

Adubo liquido Tomate

400,00

kg/ha

0,17

Herbicidas + Insecti- cidas + Fungicidas

Equip. próprio (rega)

Tractor 90 cv + Pulverizador

6,00

h/ha

-

 

Herbicida 2 Tomate

3,50

l/ha

6,60

Insecticida Tomate

2,50

l/ha

21,00

Fungicida 1 Tomate

5,00

l/ha

8,80

Fungicida 2 Tomate

3,00

kg/ha

1,70

Colheita

Aluguer

Colhedora Tomate

80,000.00

kg/ha

0,01

 

Mão de obra eventual tomate

10.00

h/ha

5,00

Transporte

Aluguer

Serviço de transporte com semi-reboque 80.000,00

kg/ha

0,01

10.00 h/ha 5,00 Transporte Aluguer Serviço de transporte com semi-reboque 80.000,00 kg/ha 0,01 17

17

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA Melão Rúbrica Observações Descrição C.Tec. Unidades

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

Melão

Rúbrica

Observações

Descrição

C.Tec.

Unidades

Preços

Lavoura

Equip. próprio

Tractor 150 cv + Charrua

1.80

h/ha

-

Gradagem

Equip. próprio

Tractor 150 cv + Grade

1.00

h/ha

-

Gradagem

Equip. próprio

Tractor 150 cv + Grade

1.00

h/ha

-

Adubação de fundo

Aluguer

Tractor + Distribuidor

1.00

hectares

15.00

Rototerra

Equip. próprio

Tractor 150 cv + Rototerra

1.50

h/ha

-

Desinfecção de solo

Equip. próprio

Tractor 90 cv + Pulverizador

1.00

h

-

 

Desinfectante solo melão

2.50

l/ha

21.00

Sementeira e colocação de plástico

Aluguer

Tractor + semeador de melão

1.00

ha

55.00

 

Semente melão

7.00

kg/ha

45.00

Plástico

160.00

kg/ha

1.40

Perfuração do plástico

Manual

Mão de obra eventual melão

16.00

h/ha

5.00

Retancha

Manual

Mão de obra eventual melão

16.00

h/ha

5.00

Abertura de regos

Aluguer

Tractor + derregador

1.00

ha

23.00

Sacha e Adubação de cober- tura

Equip. próprio

Tractor 90 cv + Sachador

1.50

h/ha

-

 

Adubo cobertura melão

200.00

kg/ha

0.25

Rega

Equip. próprio

Equipamento rega gota-a-gota

1.00

ha

-

 

Água

3,500.00

m3/ha

0.00

Energia

3.50

x1000 m3/ha

13.50

Fita

13,000.00

m/ha

0.03

Tratamentos fitosanitários

Equip. próprio

Tractor 90 cv + Pulverizador

5.00

h/ha

-

 

Fito 1 melão

0.60

l/ha

18.30

Fito 2 melão

1.50

l/ha

21.00

Fito 3 melão

2.00

kg/ha

9.00

Fito 4 melão

7.00

kg/ha

1.60

Colheita

Manual

12.00

h/ha

5.00

Transporte

Aluguer

Serviço de transporte com semi-reboque

32,000.00

kg/ha

0.07

Retirar plástico

Manual

Mão de obra eventual melão

48.00

h/ha

5.00

A exploração tem apenas um assalariado permanente (o próprio agricultor, que desempenha qualquer função), que
A exploração tem apenas um assalariado permanente (o próprio agricultor, que
desempenha qualquer função), que permite satisfazer uma parte das necessidades de
mão de obra, à excepção das relativas às operações anteriormente assinaladas. À mão de
obra permanente está associado o seguinte esquema de remuneração:
Salário
Nº meses
Seg.Social
Subs.Refeição
Seguro
(% salário+enc.
(Euros/mês)
(%sobre salário)
(Euros/dia)
soc.)
Agricultor
748.00
14
23.75%
4
2%
18
Módulo I |
Módulo I |

Planeamento da Empresa Agrícola

Enunciados de Exercícios

Relativamente às actividades desenvolvidas foi ainda possível recolher a seguinte informação adicional:

 

Área (ha)

Produtividade

Preços

Ajudas

Milho

7

12.000,00

0,135

75,00

Euros/ha

 

(Agroambientais)

Tomate

7

80.000,00

0,045

0,035

Euros/kg

 

(Fábrica)

Melão

7

32.000,00

0,350

0,00

A empresa recebe ainda uma Ajuda à exploração (ajuda única resultante do período de

referência 2000/2002) no valor de 2.300 Euros/ano.

Tendo por base a informação fornecida:

- Proceda à elaboração dos orçamentos parciais de actividade das 3 actividades para cálculo das respectivas Margens Brutas.

- Calcule os preços limiares que garantem a rentabilidade de cada uma das actividades em causa.

4º Exercício de Síntese (5ª Unidade)

4º Exercício de Síntese (5ª Unidade)

(Resolver com recurso a folha de cálculo)

Parte 1 – Mapas de Vendas, stocks, produção, outras receitas e recebimentos

A empresa Moinho da Eira, Sociedade Agropecuária, Lda pretende elaborar o Orçamento

previsional de actividade para o próximo exercício, para o que solicita a colaboração de um técnico, Eng. José Ildefonso.

Para o efeito foi efectuado o levantamento de alguma informação relevante, a qual se reporta de seguida.

a) Unidade de tempo base a utilizar para orçamentação

Foi escolhido o mês como unidade base mais adequada ao processo de orçamentação, uma vez que, devido ao volume de receitas previsto, a empresa tem um regime de IVA mensal. Por outro lado, o responsável pela empresa (ele mesmo um dos sócios) pretende ter um controle da execução orçamental todos os meses, porque tal lhe é exigido pelos restantes sócios.

b) Actividades previstas (dimensão e produtividade esperada)

Actividade

Dimensão (ha)

Produção

 

(ton/ha)

Milho

10

12.5

Tomate

5

85

Vinha

5

8

(ha) P r o d u ç ã o   (ton/ha) Milho 10 12.5 Tomate 5

19

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA c) Previsão de vendas Actividade Preço (Euros/ton) Momento da venda

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

c) Previsão de vendas

Actividade

Preço (Euros/ton)

Momento da venda

Prazo Médio de Re- cebimento (dias)

Milho

134.7

Setembro –100%

30 dias

 

Agosto 60%

Tomate

54.9

30

dias

 

Setembro – 40%

Setembro – 70%

Vinha

598.6

60

dias

Outubro – 30%

Nota: não existe qualquer produção em stock proveniente de campanhas passadas, nem se prevê que tal venha a acontecer no final deste exercício

d) Outras receitas ligadas à actividade da empresa no exercício

Receita

Prémio único à exploração (direitos)

Ajuda ao Tomate (toneladas)

Unidades

Valor unitário

(Euros/un.)

9 474

425

29.9

Recebimento

Dezembro – 100%

Outubro - 60%

Novembro – 40%

Com base nesta informação pretende-se elaborar os seguintes mapas do Orçamento:

- Programa de vendas

- Programa de produção e stocks

- Orçamento de vendas

- Orçamento de outras receitas

- Orçamento de recebimentos

Parte 2 – Orçamentos de Custos de Produção e Funcionamento, Custos de Mão de Obra, e Programa de Consumo de Materiais e Serviços.

Para que seja possível cumprir com os objectivos de produção e vendas definidos anteriormente, os recursos foram organizados nas seguintes “secções”:

Secções Principais

Secções de Apoio

Milho

Parque de máquinas

Tomate

Secção Administrativa

Vinha

--

Para além disso, e com o objectivo de elaborar os Orçamentos de Custos de Produção (secções principais) e de Custos de Funcionamento (secções auxiliares), bem como os Programas de Consumo de Materiais e de Serviços, foi recolhida informação diversa referente ao “funcionamento” de cada uma das secções:

e de Serviços, foi recolhida informação diversa referente ao “funcionamento” de cada uma das secções: 20

20

a) Secção Milho

Módulo I |
Módulo I |

Planeamento da Empresa Agrícola

Enunciados de Exercícios

Dimensão da actividade

10

Ha

C.Tec.

Unidades

Preço

Consumo de materiais

(un/ha)

Adubo 1 Milho

700

Kg

0,27

Semente Milho

72

x103un.

1,84

Herbicida Milho

4,5

Litros

8,22

Insecticida de solo Milho

1,35

Kg

8,89

Adubo 2 Milho

400

Kg

0,17

Água

6.000

m3

0,015

Aquisição de serviços

Lavoura

1

Ha

40

Gradagem cruzada

1

Ha

35

Rototerra

1

Ha

50

Gradagem

1

Ha

20

Sacha

1

Ha

15

Colheita

1

Ha

100

Transporte

12.500

Kg

0,008

Secagem

12.500

Kg

0,013

Escalonamento do consumo de Materiais e Serviços na Secção Milho

Materiais

Adubo 1 Milho

Semente Milho

Herbicida Milho

Insecticida de

solo Milho

Adubo 2 Milho

Água

Serviços

Lavoura

Gradagem cru-

zada

Rototerra

Gradagem

Sacha

Colheita

Transporte

Secagem

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

100%

100%

100%

100%

 

33%

33%

33%

 

5%

10%

25%

25%

25%

10%

100%

100%

 

100%

100%

 

100%

 

100%

100%

100%

25% 25% 25% 10% 100% 100%   100% 100%   100%   100% 100% 100% 21

21

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA b) Secção Tomate Dimensão da actividade 5 h a  

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

b) Secção Tomate

Dimensão da actividade

5 ha

 

C.Tec.

Unidade

Preço

Consumo de materiais

(un/ha)

Plantas Tomate

40000

plantas

0.019

Herbicida 1 Tomate

0.6

L

18.33

Adubo Tomate

400

Kg

0.17

Herbicida 2 Tomate

3.5

L

6.57

Insecticida Tomate

2.5

L

21.2

Fungicida 1 Tomate

5

L

8.8

Fungicida 2 Tomate

3

Kg

1.67

Água

5000

m 3

0.015

Fitas para rega

13000

M

0.025

Aquisição de serviços

Distribuição de adubo

1

ha

17.5

Lavoura

1

ha

40

Gradagem cruzada

1

ha

35

Gradagem

1

ha

20

Sacha

1

ha

15

Colheita e Transporte

85000

kg

0.018

Mão de obra eventual

Plantação

20

h

5

15 Colheita e Transporte 85000 k g 0.018 Mão de obra eventual Plantação 20 h 5

22

Módulo I |
Módulo I |

Planeamento da Empresa Agrícola

Enunciados de Exercícios

Escalonamento do consumo de Materiais, Serviços e Mão de Obra Directa na Secção Tomate

 

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Materiais

Plantas Tomate

30%

70%

 

Herbicida 1 Tomate

30%

70%

Adubo Tomate

20%

30%

30%

10%

10%

Herbicida 2 Tomate

50%

50%

Insecticida Tomate

20%

20%

20%

20%

20%

Fungicida 1 Tomate

25%

25%

25%

25%

Fungicida 2 Tomate

25%

25%

25%

25%

Água

10%

20%

25%

25%

20%

Fitas para rega

100%

Serviços

Distribuição de adubo

100%

Lavoura

100%

Gradagem cruzada

100%

Gradagem

100%

Sacha

100%

Colheita e Transporte

60%

40%

Mão de obra eventual

Plantação

30%

70%

 

c) Secção Vinha

Dimensão da actividade

5 ha

 

C.Tec.

Unidades

Preço

Consumo de materiais Herbicida 1 Vinha Herbicida 2 Vinha Adubo 1 Vinha Adubo 2 Vinha Insecticida Vinha Fungicida 1 Vinha Fungicida 2 Vinha Fungicida 3 Vinha

 

(un/ha)

3.5

l

7

2

l

6.25

300

kg

0.28

400

kg

0.31

1

l

31

9

kg

1.8

2.5

l

8.8

1.75

l

4

Aquisição de serviços Gradagem Sacha entre-linha Amontoa Distribuição adubo

2

ha

20

1

ha

27

1

ha

27

2

ha

17.5

Mão de obra eventual Poda Vindima

100

h

7

80

h

5

ha 27 1 ha 27 2 ha 17.5 Mão de obra eventual Poda Vindima 100 h

23

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA Escalonamento do consumo de Materiais, Serviços e Mão de Obra

FORMAÇÃO GLOBAL EM GESTÃO AGRÍCOLA

Escalonamento do consumo de Materiais, Serviços e Mão de Obra Directa na Secção Vinha

 

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Out

Materiais

Herbicida 1 Vinha

100%

Herbicida 2 Vinha

100%

Adubo 1 Vinha

100%

Adubo 2 Vinha

100%

Insecticida Vinha

50%

50%

Fungicida 1 Vinha

33%

33%

33%

Fungicida 2 Vinha

50%

50%

Fungicida 3 Vinha

20%

20%

20%

20%

20%

Aquisição de serviços

Gradagem

100%

Sacha entre-linha

100%

Amontoa

100%

Distribuição adubo

50%

50%