Sei sulla pagina 1di 17
ESPECIALIZAÇÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES (Teresina – PI)
ESPECIALIZAÇÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES
(Teresina – PI)
ESTRUTURAS DE CONCRETO PROTENDIDO II
ESTRUTURAS DE CONCRETO PROTENDIDO II
PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ARMADURA LONGITUDINAL
PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ARMADURA LONGITUDINAL
Prof. Marcos Alberto Ferreira da Silva
Prof. Marcos Alberto Ferreira da Silva

Teresina, 2016

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

Pré-dimensionamento da armadura longitudinal

Exercício 01

Calcular a armadura

longitudinal para a seção

retangular dada na figura

ao lado considerando os

seguintes dados:

150

150 145 A p

145

A p
A
p

AÇÕES

M g1 =714 kN.m

M g2 = 570 kN.m

M g3 =1200 kN.m

M q,máximo =3000 kN.m

M q,mínimo = 0

CONCRETO

AÇO DE PROTENSÂO

PROTENSÃO

f ck =40 MPa

CP190RB

Limitada

f cj =20 MPa

t

p

,

0

1200 MPa

(CAA de

1000 MPa

agressividade

t 

p

,

E p =1,95 x10 5 MPa

mediana)

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

Pré-dimensionamento da armadura longitudinal

Para simplificar são considerados os valores de

peso próprio para o concreto moldada no local;

elementos pré-fabricados s no ELU e   0,4 ;   0,3 para o ELS

f

2

=1,4 para carga acidental e ações de =1,3 as ações decorrentes de

f

1

Teste para verificação da existência de solução

Número de cabos necessário no tempo zero No tempo zero na borda superior impõem-se a condição de tração

s =

n

N

p, t

0

A

n

N

p, t

0

e

W

s

M g1

M g1

W

s

-1,2xf ctm

como o concreto nesta ocasião (a efetivação da protensão) tem f cj = 20 MPa então

f ctm =0,3

2 3 f cj
2
3
f
cj

=0,3

3 2 20
3
2
20

=2,21 MPa assim o limite para o tempo zero é de

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

como a área de uma cordoalha de ½” é igual a aproximadamente 1 cm 2 então a força para uma unidade no tempo zero é de 120 kN. O valor da área da seção é de 0.7x1,5=1.05 m 2 e do modulo de resistência é de bxh 2 /6 =0,7x1,5 2 /6=0,2624 m 3 . Finalmente a excentricidade dos cabos é dada por e=(h/2)-(h-d)=0,75-0,05=0,70 m. Desta forma para a borda superior deve-se ter:

s =

n

120

1,015

n 120

0,7

0,2625

714

0,2625

-2652

n 1 26,62

Para a consideração de fissuração (protensão limitada) na Combinação Quase

Permanente o limite de tração a ser usando é de = 0Assim para a borda inferior e na situação de momento máximo, lembrando ainda que a força ded protensão em uma unidade agora é de 100 kN

i

=

i =

n

N

n

p, t



e

 

W

i

0

,7

N

M

.M

2

q

W

i

p, t 

g1

g2

g3

n

A

100

0

W

i

570

n 100

714

1200

0,3.3200

1,05

0,2625

0,2625

0,2625

n 2 36,25

0

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

Pré-dimensionamento da armadura longitudinal

Assim o problema não tem solução, pois ao mesmo é preciso que se tenha mais que 36,25 cabos e não se supere o valor (no tempo zero) de 24,63 cabos.

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

Pré-dimensionamento da armadura longitudinal

Exercício 02

Resolver o problema anterior com os novos valores de

esforços dados na tabela abaixo.

AÇÕES

M g1 =714 kN.m

M g2 = 280 kN.m

M g3 =562 kN.m

M q,máximo =1575 kN.m

M q,mínimo = 0

CONCRETO

AÇO DE PROTENSÂO

PROTENSÃO

f ck =40 MPa

CP190RB

limitada

f cj =20 MPa

t

p

,

0

1200 MPa

t 

p

1000 MPa

,

E p =1,95 x10 5 MPa

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

Teste para verificação da existência de solução

Número de cabos necessário no tempo zero

No tempo zero na borda superior impõem-se a condição de tração:

s =

n

N

p, t

0

A

n

N

p, t

0

e

M

g1

W

W
s

s

-1,2xf ctm

Como o momento de peso próprio não mudou a solução é a mesma que o problema

anterior:

Para

s =

a

n

120

n

120

0,7

714

 

1,015

 

0,2625

0,2625

consideração

de

fissuração

-2652

n 1 26,62

(protensão

limitada)

na

Combinação

Quase

Permanente o limite de tração a ser usando é de = 0Assim para a borda inferior e na

situação de momento máximo tem-se com os novos valores

n

N

p, t

i =

A



n

N

p, t



e

W

i

M

g1

g2

g3

W

i

.M

2

q

W

i

0

i =

n

100

1,05

n 100

0

,7

0,2625

714

281 562

0,2625

0,3.1552

0,2625

n 2 21,29

0

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

Empregar um número de cabos entre os valores 21,29 e 24,63 cabos.

 Cálculo de A p no ELU e no tempo “infinito” com   1000
 Cálculo de A p no ELU e no tempo “infinito”
com
  1000
MPa
pode-se calcular o pré-alongamento que é dado neste caso por:
p
, t 
1000
 t 
p
,
5,128x10 -3
p
5
E
1,95 10
x
p

M d =1,3 .(M g1 + kN.m

M g2 )+1,4.( M g3 + M q )= 1,3 x (714+ 562)+1,4x (281+1575) = 4257

KMD

M

d

2

bd f

cd

4257

2

0,7x1,45 x

40000

1,4

k z =0,9372 e

=1,00% . Desta forma
s

0,1012

usando a tabela 6.2 (capítulo 6) obtém-se

t

=

p

+ = (5,128+1,00)x10 -3 =1,5128% .

s

Com o valor da deformação, 1,5128%,

f pd =1507,5 MPa e portanto

A

p

M

d

k

z

d

f

pd

4257

0,9372 1,45 150,7

da armadura de protensão tem-se pela tabela 6.1

20,78

cm 2 (21 cordoalhas)

porem como visto anteriormente melhor é usar 22 cordoalhas para evitar tração no tempo

infinito.

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

Verificação de ruptura e no tempo “zero”

N p,t=0 (total) = 120x22 =2640 kN, e =(h/2)-0,05 =0,70 m

limites para as tensões:

Compressão 0,7xf cj =0,7x20.000=14.000 kN/m 2

Tração 1,2xf ctm =1,2 0,7 20

Borda inferior:

2 / 3

=2,652 MPa =2652 kN/m 2

i

N

p

M p

M g1

W

W

i

i

2640

2640 0,7

714

1,05

0,2625

0,2625

a condição de compressão está atendida

Borda superior

6834 kN/m 2 <14000

s =

A W

s

W

s

=

2640

2640 0,7

714

1,05

0,2625

0,2625

-1805>-2652 kN/m 2

=

=

N p

M p

M g1

150

h

70

150 h 70 -1805 F t x 6834
150 h 70 -1805 F t x 6834
150 h 70 -1805 F t x 6834
150 h 70 -1805 F t x 6834

-1805

150 h 70 -1805 F t x 6834

F

t

x
x
150 h 70 -1805 F t x 6834
150 h 70 -1805 F t x 6834

6834

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

150

h

70

150 h 70 -1805 F t x 6834
150 h 70 -1805 F t x 6834
150 h 70 -1805 F t x 6834
150 h 70 -1805 F t x 6834

-1805

150 h 70 -1805 F t x 6834

F

t

x
x
150 h 70 -1805 F t x 6834
150 h 70 -1805 F t x 6834

6834

x

h

s


s

i

x

1805

1805

6834

1,5

0,313 m

O valor da força de tração, como pode se deduzir a partir da figura 8.29 é dado por:

F t =

σ

s

b

 

x

1805 0,70

=

 

2

0,313

2

197,73kN

A norma estabelece que a tensão da armadura neste caso é de 25 kN/cm 2

'

A s

F

t

25

197,7

25

7,9

cm 2 1010 mm

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

Verificação de Fissuração:

Estado

limite

Permanente

de

descompressão

Os limites neste caso são

Tração   = 0

(E.L.S-D).Combinação

de

ações

Quase

Compressão estado limite de compressão excessiva (ELS-CE) 0,7 f ck

Substituindo f ck =40 chega-se a condição:

0 28.0000

Força de protensão N p = 22 cm 2 x 100 = 2200 kN

Momento de protensão M p =2200 x 0,7 =1540 kN.m

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

Verificação de Fissuração:

BORDA INFERIOR

Situação momento máximo

1)

i =

N

p

A

M

W

p

i

M

g1

g2

g3

W

i

.M

2

q

W

i

=

2200

1540

 

1,05

0,2625

714

281

562

0,2625

Situação momento mínimo

2)

i =

N

p

A

M

p

W

i

M

g1

g2

g3

W

i

.M

2

q

W

i

0,3x1575

0,2625

=

230 kN/m 2

2200

1540

714

281

562

 

 

 

1,05

0,2625

0,2625

 

2030

kN/m 2

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

Verificação de Fissuração:

BORDA SUPERIOR

Situação momento máximo

N

A

M

W

p

i

M

.M

 

g1

g2

g3

 

2

q

   
 

W

i

714

281

W

i

562

 

0,2625

 

M

g1

g2

g3

2

.M

q

2200

1540

 

1,05

0,2625

0,3x1575

0,2625

Situação momento mínimo

N

M

2)

s =

p

p

=

A W

i

W

i

W

i

3968 kN/m 2

2200

1540

714

281

562

 

 
   

1,05

0,2625

0,2625

 

2160 kN/m 2

1)

s =

p

=

A maior tensão (situação 3) atende a condição limite 3968<28000 kN/m 2

A menor tensão (situação 1) atende a condição limite 230>0 kN/m 2

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

Verificação de Fissuração:

Estado limite de formação de fissuras (E.L.S-F).Combinação de ações Freqüente

Os limites neste caso são

2 f ck
2
f
ck

Tração f ct,m = -0,3. 3

são 2 f ck Tração  f c t , m = -0,3. 3 Compressão 

Compressão estado limite de compressão excessiva (ELS-CE) 0,7 f ck

Substituindo f ck =40 chega-se a condição:

4210

kN

2

m

21000

kN

2

m

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

Verificação de Fissuração:

BORDA INFERIOR

Situação momento máximo

M

W

p

i

 

g1

g2

g3

1

q

   
 

W

i

714

281

W

i

562

 

0,2625

 

M

g1

g2

g3

1

.M

q

A

2200

1540

 

1,05

0,2625

0,4x1575

0,2625

Situação momento mínimo

N

M

2)

i =

p

p

=

A

W W
i

i

W

i

-370 kN/m 2

2200

1540

714

281

562

 

 

 

1,05

0,2625

0,2625

 

2030 kN/m 2

N

M

.M

1)

i =

p

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

Verificação de Fissuração:

BORDA SUPERIOR Situação momento máximo N p M p M g1  .M  g2
BORDA SUPERIOR
Situação momento máximo
N
p
M
p
M
g1
 .M
 g2
1
q
A
W
W
s
W
s
s
2200
1540
714
281
562
0,4x1575
 4560 kN/m 2
1,05
0,2625
0,2625
0,2625
Situação momento mínimo
N
p
M
p
M
g1
 .M
 g2
1
q
A
W
W
W
s
s
s
2200 1540
714
281
562
 2160 kN/m 2
1,05
0,2625
0,2625

1)

s =

=

2)

s =

=

A maior tensão (situação 7) atende a condição limite 4560<28000 kN/m 2 A menor tensão (situação 5) não atende a condição limite -370<-4210 kN/m 2 Desta forma as condições de fissuração estão atendidas e a resposta final é dada por

A p =22 cm 2 (22 cordoalhas de 1/2” e armadura passiva na borda superior de 1010 mm

ESTRUTURAS DE CONCRETO E FUNDAÇÕES - ECF

Módulo: Estruturas de Concreto Protendido II

70 Det. 1 150
70
Det. 1
150
Cordoalhas 1,2 0,63 1,5 3x1,25
Cordoalhas
1,2
0,63
1,5
3x1,25
10 Ø 10 22 Cordoalhas de 1/2"
10 Ø 10
22 Cordoalhas de 1/2"

Figura: Esquema da seção transversal com solução final