Sei sulla pagina 1di 15

Ivair Gomes

Sistemas agrícolas e sustentabilidade: estudo da


produção familiar nas comunidades rurais de
Bocaina, Bom Retiro e Pedra Branca
Caldas, MG – 2002

Belo Horizonte
Instituto de Geociências
Programa de pós-graduação em Geografia
2002
Ivair Gomes

Sistemas agrícolas e sustentabilidade: estudo da


produção familiar nas comunidades rurais de
Bocaina, Bom Retiro e Pedra Branca
Caldas, MG – 2002

Dissertação apresentada ao Instituto de


Geociências da Universidade Federal de Minas
Gerais como exigência parcial para obtenção do
grau de Mestre em Geografia. Área de
concentração: Geografia e Organização
Humana do Espaço.

Orientadora: Profa. Dra. Maria Aparecida dos


Santos Tubaldini

Belo Horizonte
Instituto de Geociências
Programa de pós-graduação em Geografia
2002
III

Dissertação defendida e aprovada, em __ de _________ de 2002, pela banca

examinadora constituída pelos professores:

Professora Dra Maria Aparecida dos Santos Tubaldini

Prof. Dr. Elvio Carlos Moreira

Professora Dra Heloisa Soares de Moura Costa


IV

Sumário

Resumo ......................................................................................................................VIII

Abstract .........................................................................................................................IX

1 Introdução ........................................................................................................ 1

2 Revisão bibliográfica ....................................................................................... 6

2.1 O camponês e a agricultura familiar .................................................................. 9


2.1.1 O camponês........................................................................................................ 9

2.1.2 A agricultura familiar....................................................................................... 12

2.2 Lamarche e a agricultura familiar.................................................................... 13


2.2.1 As lógicas produtivas....................................................................................... 15

2.3 Alguns aspectos do desenvolvimento sustentável e a sustentabilidade........... 19


2.3.1 O desenvolvimento sustentável ....................................................................... 19

2.3.2 Critérios de sustentabilidade............................................................................ 22

2.3.3 A agricultura sustentável ................................................................................. 27

2.4 A sustentabilidade e os sistemas agrícolas ...................................................... 32


3 Material e Métodos ........................................................................................ 35

3.1 Levantamento de dados ................................................................................... 35


3.2 Delimitação da amostragem............................................................................. 36
3.3 Análise dos dados ............................................................................................ 38
4 O espaço estudado.......................................................................................... 40

4.1 Os produtores e estabelecimentos familiares das comunidades rurais ............ 43


4.2 Família e trabalho nos estabelecimentos familiares ........................................ 46
4.3 A produção nos estabelecimentos Familiares.................................................. 49
4.4 A moradia ........................................................................................................ 51
4.5 Meio-ambiente e saúde .................................................................................... 52
4.6 A assistência técnica e financiamento ............................................................. 56
V

4.7 Lazer ................................................................................................................ 57


4.8 Sistemas agrícolas presentes nas comunidades pesquisadas ........................... 58
4.8.1 O sistema agricultura ....................................................................................... 59

4.8.2 O sistema viticultura ........................................................................................ 62

4.9 O sistema pecuária ........................................................................................... 66


4.10 A sustentabilidade dos produtores familiares estudados ................................. 69
4.11 Variação espacial da exploração familiar nas comunidades estudadas ........... 74
4.11.1 Relação entre produtor e produção .................................................................. 78

5 Conclusões ...................................................................................................... 81

6 Referências bibliográficas ............................................................................. 85

7 Anexos ............................................................................................................. 90
VI

Índice de Figuras

Figura 1 – Operacionalização do desenvolvimento rural sustentável.............................26

Figura 2 – Fluxo da produção agrícola nos estabelecimentos produtores. .....................50

Figura 3 – Sistemas agrícolas das comunidades de Pedra Branca, Bom Retiro e Bocaina.
................................................................................................................................58

Índice de Fotos
Foto 1 – Residência de agricultor familiar...................................................................... 51

Foto 2 – Pedreira próxima à nascente do córrego da Pedra Branca. .............................. 53

Foto 3 – Vale do córrego da Pedra Branca a jusante da pedreira. .................................. 53

Foto 4 – Área preparada para o plantio de Batata........................................................... 71

Foto 5 – Antiga área de bataticultura.............................................................................. 71

Índice de Mapas
Mapa 1 – Localização da comunidades rurais de Pedra Branca, Bom Retiro e Bocaina –
Caldas/MG. ............................................................................................................... 4

Mapa 2 – Distribuição dos estabelecimentos amostrados nas comunidades de Bocaina,


Bom Retiro e Pedra Branca – Município de Caldas/MG........................................ 38

Mapa 3 – Distribuição dos estabelecimentos amostrados nas comunidades de Bocaina,


Bom Retiro e Pedra Branca – Município de Caldas/MG........................................ 42

Mapa 4 – Classificação da estrutura fundiária dos estabelecimentos rurais familiares


amostrados. ............................................................................................................. 46

Mapa 5 – Distribuição dos estabelecimentos familiares com presença do sistema


fruticultura. ............................................................................................................. 60

Mapa 6 – Distribuição dos estabelecimentos familiares produtores de culturas anuais. 61

Mapa 7 – Distribuição do sistema viticultura nas comunidades familiares pesquisadas.


................................................................................................................................ 62

Mapa 8 – Distribuição dos estabelecimentos familiares com sistema pecuária. ............ 66


VII

Índice de Quadros
Quadro 1 – Sistemas em Geografia ................................................................................ 33

Quadro 2 –Aspectos tecnológicos – Principais diferenças entre agricultura sustentável e


convencional. .......................................................................................................... 69

Quadro 3 – Aspectos ecológicos – Principais diferenças entre agricultura sustentável e


convencional. .......................................................................................................... 71

Quadro 4 – Uso da terra por estabelecimentos familiares em Pedra Branca. ................. 79

Quadro 5 – Uso da terra por estabelecimentos familiares em Bom Retiro..................... 79

Quadro 6 – Uso da terra por estabelecimentos familiares em Pedra Branca. ................. 80

Índice de Tabelas
Tabela 1 – Classificação dos estabelecimentos de acordo com o tamanho (em hectares)

– Caldas/MG, 2001. ................................................................................................ 45

Tabela 2 – Dinâmica populacional das unidades de produção familiar. ........................ 47

Tabela 3 – Estrutura familiar dos estabelecimentos pesquisados. .................................. 47

Tabela 4 – Infra estrutura das moradias dos agricultores familiares. ............................. 52

Tabela 5 – Percentual dos estabelecimentos produtores de leite e de cria e recria em

relação ao total de estabelecimento e destino da produção leiteira. ....................... 68

Tabela 6 – Índice de ocupação da terra nos estabelecimentos........................................ 74


VIII

Resumo

O estudo analisou os sistemas de produção agrícolas e de pecuária existentes na


agricultura familiar nas comunidades rurais de Pedra Branca, Bom Retiro e Bocaina, no
município de Caldas – MG/2001, e entender suas lógicas produtivas. Caracterizaram-se
os sistemas agrícolas e buscou-se mostrar a dinâmica deles através de suas relações
intra-sistema e extra-sistema. Para análise desses sistemas utilizaram-se os subsídios
teóricos de LAMARCHE (1993 e 1998) sobre o agricultor familiar e as suas lógicas
produtivas. Baseando-se nessas lógicas produtivas, detectou-se neste estudo que todos
agricultores pesquisados inserem-se em lógica muito familiar, variando apenas em sua
dependência do mercado. A pratica agrícola nestes sistemas, como a fruticultura,
pequena produção leiteira e viticultura, culturas anuais, mantem as características do
processo de produção da modernização conservadora, embora indicadores de
sustentabilidade sejam detectados em seus sistemas produtivos. A modernização
conservadora ainda mantém os agricultores familiares de Pedra Branca, Bom Retiro e
Bocaina utilizando técnicas modernas e tradicionais, como resquício de sua origem
cultural. Possuem baixo nível educacional. O pequeno tamanho dos estabelecimentos,
juntamente da pequena renda, acabam por forçar a migração de parte da família. A
análise da sustentabilidade foi elaborada comparando-se as praticas da agricultura
sustentável e a agricultura convencional proposto por CARMO (1988). Dessa
comparação, foram encontrados os indicadores: diversidade de produção, rotação de
culturas, técnicas acessíveis aos produtores e localização dos estabelecimentos, a
diversidade de cultivos com produção artesanal caseira (doces, leite, frutas, vinho) é
indicador de sua sustentabilidade sócio-econômica. Mas também se depararam com
praticas não sustentáveis: tratos culturais com pesado uso de defensivos químicos,
reduzido controle fitosanitário das espécies cultivadas e predomínio de técnicas
convencionais de produção. Fez-se também análise da sustentabilidade baseada em
BICALHO (1999), com os indicadores capacidade, eqüidade e sustentabilidade
destacando-se: a nutrição dos agricultores familiares, padrão de vida e tomada de
consciência acerca dos problemas ambientais que os rodeiam.
IX

Abstract

The study tried to analyze the agricultural production systems and of existent
livestock in the family agriculture in the rural communities of Pedra Branca, Bom
Retiro and Bocaina, in the municipal district of Caldas – MG/2001, and to understand
their productive logics. The agricultural systems were characterized and it tried to show
the dynamics through their relationships intra-system and extra-system. For analysis of
those systems the theoretical subsidies of LAMARCHE were used (1993 and 1998) on the
family farmer and their productive logics. Basing on those productive logics, it was
detected in this study that all researched farmers interfere in very family logic, just
varying as the dependence of the market. The agricultural practices in these systems, as
the horticulture, small production milk pan and wine growing, annual cultures, maintain
the characteristics of the process of production of the conservative modernization,
although sustainability indicators are detected in their productive systems. The
conservative modernization still maintains the family farmers of Pedra Branca, Bom
Retiro and Bocaina using modern and traditional techniques, as trace of his cultural
origin. They possess low education level. The small size of the establishments, together
of the small income, they end for forcing the migration of part of the family. The
analysis of the sustainability was elaborated being compared practice them of the
maintainable agriculture and the conventional agriculture proposed by CARMO (1988).
Of that comparison, they were found the indicators: production diversity, rotation of
cultures, techniques accessible to the producers and location of the establishments, the
diversity of cultivations with home-made craft production (sweet, milk, fruits, wine) it
is indicative of his/her socioeconomic sustainability. But they also came across with you
practice didn't sustain: cultural treatments with heavy use of chemical, reduced
defensive control of vegetable health of the cultivated species and prevalence of
conventional techniques of production. It was also made analysis of the sustainability
based in BICALHO (1999), with the indicators capacity, justness and sustainability
standing out: the family farmers' nutrition, standard of living and socket of conscience
concerning the environmental problems that surround them.
1

1 Introdução

A necessidade de solucionar os complexos problemas nas relações entre

ambiente e desenvolvimento levou, em meados dos anos 80, ao surgimento da

expressão: “desenvolvimento sustentável”. Firma-se então um conjunto de noções

segundo as quais o desenvolvimento deve conciliar, por longos períodos, o crescimento

sócio-econômico e a conservação dos recursos naturais. A agricultura familiar

apresenta-se hoje como espaço privilegiado à efetivação sustentável deste

desenvolvimento, devido à sua ênfase na diversificação da produção e à maior

flexibilidade de seu processo decisório.

A discussão sobre a importância e o papel da agricultura familiar vem ganhando

força impulsionada através de debates embasados no desenvolvimento sustentável e

também na geração de emprego e renda e na segurança alimentar. Também é premente,

a necessidade de resgatar a dívida social com a agricultora familiar em decorrência da

agricultura moderna. A realização de estudos sobre a produção familiar, detectando

parâmetros e indicadores de sustentabilidade sócio-cultural, ambiental e econômicos,

pode constituir forma de levar a este resgate e de fornecer subsídios ao planejamento

local para tomada de atitudes político e técnico-administrativas.

Sabendo-se ainda que a produção agrícola é sempre, em maior ou menor grau,

assegurada pela exploração familiar e que o produtor familiar não possui único padrão

cultural, social e econômico, mas difere entre si intensamente, faz-se necessário estudá-

lo em suas várias formas. A capacidade (ou incapacidade) de sustentação e reprodução

deste agricultor com a prática agrícola que exerce e no contexto sócio-econômico a que

ele está inserido poderá mostrar um caminho a ser seguido por políticas públicas e uma
85

6 Referências bibliográficas

ABRAMOVAY, Ricardo. Paradigmas do capitalismo agrário em questão. São Paulo –


Rio de Janeiro – Campinas: ed. Hucitec, 1992.
AGRO-ECOSYSTEM HEALTH PROJECT. Agroecosystem health. University of Guelph.
Canadá, 1996, (Disponível na Internet: <http://www.idrc.ca>).
ALENTEJANO, Paulo Roberto R. Novas questões na análise do espaço agrário
brasileiro. Rio de Janeiro: Mímeo, 1999.
ALTIERI, Miguel. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. 2ª
ed. Porto Alegre: ed. Universidade, 2000.
ALTIERI, Miguel. Agroecologia: as bases científicas da agricultura alternativa. Rio
de Janeiro: PTA/FASE, 1989.
ATHAYDE, Públio. Manual de Redação Acadêmica. Belo Horizonte: Editora
Keimelion, 2002.
BERMAN, M. Tudo que é sólido desmancha no ar. A aventura da modernidade. São
Paulo, SP: Companhia das letras, 1986.
BERTIN, Jaques. Ver ou ler: Um olhar sobre a cartografia. Belo Horizonte, 2000
(mimeo).
BICALHO. Ana Maria de Souza Mello. Desenvolvimento rural sustentável e geografia
agrária. In: XII Encontro Nacional de Geografia Agrária. 8, 1998.
BRANDENBURG, Alfio. Agricultura familiar, ONGs e desenvolvimento sustentável.
Curitiba: ed. da UFPR. 1999.
BRASIL. Tribunal de Contas da União. / Técnicas de Apresentação de Dados.
Tribunal de Contas da União. Brasília: TCU Secretaria-Adjunta de Fiscalização,
2001, 90p.
BRÜSEKE, Franz Josef. O problema do Desenvolvimento Sustentável, In: CAVALCANTI,
Clovis (org). Desenvolvimento e natureza: estudo para uma sociedade sustentável.
São Paulo: Cortez; Recife, PE: Fundação Joaquim Nabuco, 1998.
CAMARGO, Umberto Almeida. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária,
Centro Nacional de Pesquisa da Uva e Vinho. Brasília: EMBRAPA – SPI, 1994.
CARMO, Maristela Simões. A produção familiar como locus ideal da agricultura
sustentável. In: FERREIRA, Ângela D. D., BRANDENBURG, Alfio (Org.). Para pensar
outra agricultura. Curitiba: ed. UFPR, 1998. p. 215-238.
CARNEIRO, Maria José. Política pública e agricultura familiar: uma leitura do Pronaf,
Estudos Sociedade e Agricultura, nº 8, abril 1997, p. 70-81.
86

CAVALCANTI, Clovis. Sustentabilidade da economia: paradigmas alternativos da


realização econômica. In: CAVALCANTI, Clovis (org). Desenvolvimento e natureza:
estudo para uma sociedade sustentável. São Paulo: Cortez; Recife, PE: Fundação
Joaquim Nabuco. 1998.
CAVALLINI, Marcelo M. Agricultura familiar sul mineira: diversidade cultural e
biológica. São Carlos: SP, dissertação de mestrado, 1997.
CHAMBERS, Robert e CONWAY, Gordon R. Sustainable Rural Livelihoods: practical
concepts for the 21st century. Institute of development studies: Discussion Paper nº
296, 1992.
CHAYANOV, Alexander V. La organización de la unidad económica campesina.
Buenos Aires: ED. Nueva Visión, 1974.
CHONCHOL, Jacques. Paysans a venir – les sociétés rurales du tiers monde. Paris: La
Decouverte, 1986 (Mímeo).
CHRISTOFOLETTI, Antônio. Análise de sistemas em geografia. São Paulo – HUCITEC:
ed. da Universidade de São Paulo, 1979.
CHRISTOFOLETTI, Antônio. Análise morfométrica das bacias hidrográficas do
planalto de Poços de Caldas (MG). Rio Claro: Faculdade de Filosofia, Ciências e
Letras de Rio Claro, 1970. 215p. (Tese de Livre-Docência).
CHRISTOFOLETTI, Antônio. Significância da teoria de sistemas em geografia física.
Boletim de geografia teorética (simpósio de geografia física aplicada). São Paulo,
1987. p. 119-127.
COMISSÃO MUNDIAL SOBRE O MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO (CMMAD).
Nosso futuro comum. Rio de Janeiro: Fund. Getúlio Vargas, 1988, 430p.
COSTA, Manoel P. B. Agroecologia: uma alternativa viável às áreas reformadas e à
produção familiar, Reforma Agrária 23(1): 53-69, jan/abr. 1993.
DENARDI, Reni A. et al. Fatores que afetam o desenvolvimento local em pequenos
municípios do Paraná. EMATER/Paraná: Curitiba. 2000. (Disponível na Internet
<http://www.cria.org.br/gip/gipaf/itens/publ/artigos_trabalhos.html>).
DINIZ, José Alexandre Felizola. Geografia da agricultura. São Paulo: DIFEL, 1984.
EHLERS, Eduardo M. O que se entende por agricultura sustentável? In: VEIGA, José E.
(org). Ciência Ambiental; primeiros mestrados. São Paulo: Annablume: FAPESP.
1998. p.81-102
EHLERS, Eduardo. Agricultura sustentável: origens e perspectivas de um novo
paradigma. 2ª ed. Guaíba: Agropecuária. 1999.
EMPRESA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS –
EMATER – MG. Relatório meteorológico: Caldas, 1999.
87

FAO/INCRA. DIRETRIZES DE POLÍTICA AGRÁRIA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.


Brasília, FAO/INCRA, 1994.
FRANÇA, Júnia L. et al.. Manual para normalização de publicações técnico-
científicas. 4 ed. Belo Horizonte:Ed. da UFMG, 1988.
FRANÇA, Júnia L. et al.. Manual para normalização de publicações técnico-
científicas. 5. ed. -rev.- Belo Horizonte:Ed. da UFMG, 2001.
FRANCISCO, Walter de. Estatística básica: síntese e teoria. Piracicaba: Ed. Unimep,
1995, 220p.
GARCIA, Maria Alice. Agroecologia e educação ambiental. In: I congresso sobre
educação ambiental na agricultura. Campinas: 1999.
GERARDI, L. H. Algumas reflexões sobre modernização da agricultura. Geografia Rev.,
Rio Claro: UNESP. 5 (9 – 10): 19 – 34, Outubro, 1980.
GERARDI, L. H. O.; SILVA, B. M. N. Quantificação em geografia. São Paulo: DIFEL,
1981.
GRAZIANO DA SILVA, José. O novo rural brasileiro. Campinas-SP: Unicamp. 1999.
GRIGOLETTI JÚNIOR, A.; SÔNICO, O.R. Principais doenças fúngicas da videira no
Brasil. Bento Gonçalves: EMBRAPA-ENPUV, 1993.
GLIESSMAN, Stephen R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura
sustentável. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2000.
GOMES, Ivair. Características dos sistemas naturais da área sul da regional
Barreiro (dentro dos grupos Itabira e Piracicaba) e possibilidades de uso. Belo
Horizonte: Instituto de geociências IGC/UFMG. 1998 (monografia – disponível na
Internet: <http://members.tripod.com/ivairr/>).
HEYNIG, Klaus. Principales enfoques sobre la economía campesina. Revista de la
Cepal. Abril de 1982.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo agropecuário
1995-1996: Minas Gerais, Rio de Janeiro: IBGE, 1996.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Sinopse preliminar do
censo demográfico. Belo Horizonte: IBGE, 2000.
INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS APLICADAS – IGA. Municípios Mineiros. Belo Horizonte:
ALMG. 2000. (Disponível na Internet <www.almg.gov.br/munmg>).
JOHNSTON, R. J. Geografia e geógrafos: a geografia humana anglo-americana de
1945. São Paulo: DIFEL, 1986.
KAUTSKY, K. A questão agrária. Lisboa: Ed. Portucelence, 1972.
88

KUHN, G. B.; LOVATEL, J. L.; PREZOTTO, O. P.; RIVALDO, O. F.; MANDELLI, F.;
SÔNICO, O. R. O cultivo da videira: informações Básicas. Bento Gonçalves:
EMBRAPA-CNPUV, 1996.
LAMARCHE, Hugues (Coord.). A agricultura familiar: comparação internacional.
Campinas: Editora da UNICAMP, 1993.
LAMARCHE, Hugues (Coord.). A agricultura familiar: do mito à realidade (vol. II).
Campinas: Editora da UNICAMP, 1998.
LOPES, Mauro de Rezende. Meio ambiente e comércio de produtos agrícolas. Revista
Conjuntura Econômica Dez 94 v 48 n 29
MARZALL, Kátia. Indicadores de sustentabilidade para agroecossistemas. Porto
Alegre: Tese de mestrado, 1999.
MARX, Karl. Formações econômicas pré-capitalistas. Rio de Janeiro: Paz e Terra,
1986.
MENDRAS, H. Sociedades camponesas. Rio de Janeiro: Zahar editores, 1976.
MOREIRA, José Roberto. Agricultura familiar: processos sociais e competitividade.
Rio de Janeiro – RJ: Mauad; Seropédica, UFRRJ/CPDA, 1999.
NIELSEN, N. Ole, The new paradigm for agriculture. In: New directions in animal
production. Vancouver, British Columbia, Canadá, July 5-8, 1998. Disponível na
Internet: <http://www.uoguelph.ca/>.
ODUM, Eugene Pleasants. Ecologia. São Paulo: Pioneira, 1977.
OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. A agricultura camponesa no Brasil. São Paulo:
Contexto, 1997.
OLIVEIRA JR., Paulo H. B. A história da agricultura através do tempo. Rio de
Janeiro: FASE, 1989.
Pessanha, Lavínia. Os quatro conteúdos da segurança alimentar in Segurança
alimentar como princípio orientador de políticas públicas: implicações e conexões
para o caso brasileiro. Rio de janeiro: tese de doutorado. 1998.
REVISTA DE AGRONEGOCIOS DA FGV – AGROANALYSIS. Retrato em família. São Paulo:
FGV, v.20, nº 9, Set., 2000.
RODRIGUES, Ronan Silva. Agricultura familiar e sustentabilidade nos nichos
agrícolas de Bom Jardim – município de Mário Campos – MG/2001. Belo
Horizonte: IGC/UFMG. Dissertação de mestrado, 2002.
ROMEIRO, Ademar Ribeiro. Meio ambiente e dinâmica de inovações na agricultura.
São Paulo: Annablume. FAPESP. 1998.
RUSCHMANN, Doris. Turismo e planejamento sustentável – a proteção do meio
ambiente. Campinas: SP: Papirus, 1997. 6ª ed.
89

SANTOS, M. O Espaço e os seus elementos: questões de método. Revista Geografia e


ensino. Belo Horizonte – MG, 1 (1): 19-30, março de 1982.
SACHS, Ignacy. A questão alimentar e o ecodesenvolvimento. In: MINAYO, M. C. S.
(Org.). Raízes da fome. Petrópolis: Vozes/Fase, 1998.
SACHS, Ignacy. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro:
Garamond, 2000.
SACHS, Ignacy. Desarrollo sustentable, bio-industrialización descentralizada y
nuevas configuraciones rural-urbanas. Los casos de India y Brasil. Pensamiento
Iberoamericano 46, 1990. p. 235-256.
SACHS, Ignacy. Ecodesenvolvimento: crescer sem destruir. São Paulo: Vértice, 1986.
SCHNEIDER, Stephen H. Laboratório terra: o jogo planetário que não podemos nos
dar ao luxo de perder. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.
SHANIN, Teodor. A definição do camponês: conceituações e Desconceituações – O
velho e o novo em uma discussão Marxista. In: ESTUDOS SEBRAP; Trabalho e
dominação. Estudos CEBRAP.; Petrópolis: ed. Vozes, nº 26, 1980, p. 41-80.
SILVA, José Graziano da. A modernização dolorosa: estrutura agrária, fronteira
agrícola e trabalhadores rurais no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar Editores. 1982.
SILVA, José Graziano da. Tecnologia e agricultura familiar. Porto Alegre: Ed.
Universidade/UFRGS, 1999.
SILVA, José Graziano da. A nova dinâmica da agricultura brasileira. Campinas:
UNICAMP.IE, 1996.
SILVA, Tânia das Graças. Diagnóstico Vitivinicola do Sul de Minas Gerais. Lavras:
UFLA, 1998.
TUBALDINI, Maria Aparecida dos Santos. A organização da cafeicultura em São
Sebastião do Paraíso. Rio Claro: IGCE/UNESP. 1982 (Dissertação de mestrado).
TUBALDINI, Maria Aparecida dos Santos. et al.. Sustentabilidade na viticulturanas
propriedades rurais familiares em Caldas – MG. In VII Simpósio Brasileiro de
geografia física aplicada. 8, 1999.
VEIGA, José Eli (Org.). Ciência Ambiental: primeiros mestrados. São Paulo:
Annablume. FAPESP, 1998.
VEIGA, José Eli. Problemas da transição à agricultura sustentável. Estudos
econômicos. São Paulo, v. 24, n. especial, p.9-29, 1994.
VEIGA, José Eli da. O desenvolvimento agrícola: uma visão histórica. São Paulo:
Edusp/Hucitec, 1991.
WANDERLEY, Maria de Nazareth Baudel. Raízes históricas do campesinato brasileiro.
In: XX Encontro anual da ANPOCS. Caxambu, MG, Out. 1996.
WORLD COMISSION ON ENVIRONMENT AND DEVELOPMENT (WCED). Our Common
Future. New York: UNEP, 1987. 372p.