Sei sulla pagina 1di 197

ATUALIZAÇÕESEERRATA

ApostilaPré-Edital

goo.gl/OkjVWf
goo.gl/OkjVWf

APRESENTAÇÃO

Prezado aluno (a), Você está recebendo as atualizações referentes à apostila NEAF pré-edital para o cargo de Escrevente Técnico Judiciário do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo TJ-SP. As alterações contemplaram as seguintes disciplinas:

BLOCO II - CONHECIMENTOS EM DIREITO

Direito Processual Civil;

Normas de Serviço da Corregedoria Geral da Justiça.

BLOCO III - CONHECIMENTOS GERAIS

Informática;

Atualidades.

Veja a seguir quadro-resumo dos pontos alterados: NORMAS DA CORREGEDORIA APOSTILA PRÉ-EDITAL ATUALIZAÇÃO Saiu:
Veja a seguir quadro-resumo dos pontos alterados:
NORMAS DA CORREGEDORIA
APOSTILA PRÉ-EDITAL
ATUALIZAÇÃO
Saiu:
Entrou:
Tomo I – Capítulo II: Seção II; (Pág. 205)
Tomo I – Capítulo II: Seção I – subseções I e II;
DIREITO PROCESSUAL CIVIL
APOSTILA PRÉ-EDITAL
ATUALIZAÇÃO
O edital de 2014 levava em conta o Código de Processo Civil
anterior ao que está vigente e nossa apostila foi elaborada
comparando o Código anterior e as possíveis alterações do
Código novo. Com a publicação do edital em 31/03/2017,
constatamos que nossa apostila está 98% de acordo com o edital
vigente, exceto o ponto que está ao lado, que se trata da parte
que entrou.
Entrou:
Art. 294 a 311
INFORMÁTICA
APOSTILA PRÉ-EDITAL
ATUALIZAÇÃO
MS-Windows 7: conceito de pastas, diretórios, arquivos e atalhos,
área de trabalho, área de transferência, manipulação de arquivos e
pastas, uso dos menus, programas e aplicativos, interação com o
conjunto de aplicativos MS-Office 2010. (Pág. 317 à 328)
MS-Windows 10: conceito de pastas, diretórios, arquivos e atalhos,
área de trabalho, área de transferência, manipulação de arquivos e
pastas, uso dos menus, programas e aplicativos, interação com o
conjunto de aplicativos MS-Office 2016.
MS-Word 2010: estrutura básica dos documentos, edição e formatação
de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes, colunas, marcadores
simbólicos e numéricos, tabelas, impressão, controle de quebras e
numeração de páginas, legendas, índices, inserção de objetos,
campos predefinidos, caixas de texto. (Pág. 235 à 268)
MS-Word 2016: estrutura básica dos documentos, edição e formatação
de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes, colunas, marcadores
simbólicos e numéricos, tabelas, impressão, controle de quebras e
numeração de páginas, legendas, índices, inserção de objetos,
campos predefinidos, caixas de texto.
MS-Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células,
linhas, colunas, pastas e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso
de fórmulas, funções e macros, impressão, inserção de objetos, campos
predefinidos, controle de quebras e numeração de páginas, obtenção de
dados externos, classificação de dados. (Pág. 269 à 300)
MS-Excel 2016: estrutura básica das planilhas, conceitos de células,
linhas, colunas, pastas e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso
de fórmulas, funções e macros, impressão, inserção de objetos, campos
predefinidos, controle de quebras e numeração de páginas, obtenção de
dados externos, classificação de dados.
MS-PowerPoint 2010: estrutura básica das apresentações, conceitos de slides,
anotações, régua, guias, cabeçalhos e rodapés, noções de edição e formatação de
apresentações, inserção de objetos, numeração de páginas, botões de ação,
animação e transição entre slides. (Pág. 301 à 316)
Não foi cobrado no edital de 2017.
Correio Eletrônico: uso de correio eletrônico, preparo e envio de
Correio Eletrônico: uso de correio eletrônico, preparo e envio de
mensagens, anexação de arquivos. (Pág. 329 à 330)
mensagens, anexação de arquivos. (Pág. 329 à 330)
Internet: navegação internet, conceitos de URL, links, sites, busca e
Internet: navegação internet, conceitos de URL, links, sites, busca e
impressão de páginas. (Pág. 331 à 336)
impressão de páginas. (Pág. 331 à 336)

ATUALIDADES O edital vigente abordou questões relacionadas a fatos políticos, econômicos, sociais e culturais, nacionais e internacionais, ocorridos a partir do 2° semestre de 2016, entretanto, a apostila pré-edital contemplou os fatos ocorridos desde julho de 2016 a dezembro de 2016. Por questão didática, o professor tomou a liberdade de unificar os assuntos ocorridos em janeiro, fevereiro e março aos assuntos já abordados na apostila anterior ao edital, visto que muitos fatos ocorridos no início de 2017 são complementares aos ocorridos no segundo semestre de 2016. Vale ressaltar que os assuntos pertinentes aos meses de abril, maio e junho serão enviados posteriormente via e-mail em PDF, gratuitamente.

Qualquer divergência constatada em nossa apostila será retificada por intermédio de erratas que serão enviadas automaticamente via e-mail. Fiquem atentos!

Este material foi revisto e atualizado até março de 2017. NEAF CONCURSOS – Av. São

Este material foi revisto e atualizado até março de 2017.

SUMÁRIO

ATUALIZAÇÕES PÓS-EDITAL

DIREITO ADMINISTRATIVO LEI 8.429/92

1

DIREITO PROCESSUAL CIVIL

2

NORMAS DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA

5

ATUALIDADES

5

1. POLÍTICA

5

2. ECONOMIA

39

3. SOCIEDADE

59

4. CULTURA

92

INFORMÁTICA

103

1. MS-WORD 2016

103

2. MS-EXCEL 2016

133

3. WINDOWS 10

159

ERRATAS

LÍNGUA PORTUGUESA

175

DIREITO PROCESSUAL PENAL

187

INFORMÁTICA

188

RACIOCÍNIO LÓGICO

190

DIREITO ADMINISTRATIVO
DIREITO ADMINISTRATIVO

LEI Nº 8.429, DE 2 DE JUNHO DE 1992

LEI DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

A Lei Complementar nº 157/2016 inseriu a Seção II-A, o inciso IV no Art. 12
A Lei Complementar nº 157/2016 inseriu a Seção II-A, o
inciso IV no Art. 12 e o § 13 no artigo 17 nesta lei, a
saber:
Seção II-A
Dos Atos de Improbidade Administrativa Decorren-
tes de Concessão ou Aplicação Indevida de Benefí-
cio Financeiro ou Tributário
Art. 10-A. Constitui ato de improbidade administrativa
qualquer ação ou omissão para conceder, aplicar ou
manter benefício financeiro ou tributário contrário ao que
dispõem o caput e o § 1º do art. 8º-A da Lei Complemen-
tar nº 116, de 31 de julho de 2003. (Incluído pela Lei
Complementar nº 157, de 2016)
Art. 12. Independentemente das sanções penais, civis
e administrativas previstas na legislação específica, está
o responsável pelo ato de improbidade sujeito às seguin-
tes cominações, que podem ser aplicadas isolada ou cu-
mulativamente, de acordo com a gravidade do fato:
IV - na hipótese prevista no art. 10-A, perda da função
pública, suspensão dos direitos políticos de 5 a 8 ANOS
e multa civil de ATÉ 3 VEZES o valor do benefício finan-
ceiro ou tributário concedido. (Incluído pela Lei Comple-
mentar nº 157, de 2016)
Art. 17, § 13. Para os efeitos deste artigo, também se
considera pessoa jurídica interessada o ente tributante
que figurar no polo ativo da obrigação tributária de que
tratam o § 4º do art. 3º e o art. 8º-A da Lei Complementar
nº 116, de 31 de julho de 2003. (Incluído pela Lei Com-
plementar nº 157, de 2016)
Tais alterações, de acordo com a referida Lei Comple-
mentar, somente produzirão efeitos após o decurso do
prazo referido em seu art. 6º, ou seja, 1 ano contado da
publicação desta Lei Complementar. Entretanto, tais
atualizações poderão ser cobradas em sua prova. Fique
atento!
1
1
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

LEI Nº 13.105, DE 16 DE MARÇO DE 2015 NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

LIVRO V DA TUTELA PROVISÓRIA REQUERIMENTO DA TUTELA PROVISÓRIA REGRA GERAL EXCEÇÃO TÍTULO I DISPOSIÇÕES
LIVRO V
DA TUTELA PROVISÓRIA
REQUERIMENTO DA TUTELA PROVISÓRIA
REGRA GERAL
EXCEÇÃO
TÍTULO I
DISPOSIÇÕES GERAIS
Art. 299. A tutela provisória
será requerida ao juízo da
causa
e,
quando
antece-
dente, ao juízo competente
Art. 294. A tutela provisória pode fundamentar-se em
urgência OU evidência.
para
conhecer
do
pedido
principal.
Parágrafo único. A tutela provisória de urgência, caute-
lar ou antecipada, pode ser concedida em caráter ante-
cedente OU incidental.
Parágrafo único. RESSAL-
VADA disposição especial,
na ação de COMPETÊNCIA
ORIGINÁRIA DE TRIBU-
NAL E NOS RECURSOS a
tutela provisória será reque-
rida ao órgão jurisdicional
competente para apreciar o
mérito.
Art. 295. A tutela provisória requerida em caráter inci-
dental independe do pagamento de custas.
TÍTULO II
DA TUTELA DE URGÊNCIA
CAPÍTULO I
DISPOSIÇÕES GERAIS
TUTELA PROVISÓRIA
DE URGÊNCIA
DE EVIDÊNCIA
Art. 300. A tutela de urgência será concedida quando
houver elementos que evidenciem a probabilidade do di-
reito e o perigo de dano ou o risco ao resultado útil do
processo.
Cautelar ou Antecipada
§
1 o Para a concessão da tutela de urgência, o juiz
PODE, conforme o caso, exigir caução real ou fidejussó-
CARÁTER
CARÁTER
ANTECEDENTE
INCIDENTAL
INDEPENDE DO
ria idônea para ressarcir os danos que a outra parte
possa vir a sofrer, PODENDO a caução ser dispensada
se a parte economicamente hipossuficiente não puder
oferecê-la.
PAGAMENTO DE CUSTAS
§ 2 o A tutela de urgência pode ser concedida:
1. Liminarmente; ou
2. Após justificação prévia.
§
3 o A tutela de urgência de natureza antecipada não
Art. 296. A tutela provisória conserva sua eficácia na
pendência do processo, mas pode, a qualquer tempo,
ser revogada OU modificada.
será concedida quando houver perigo de irreversibili-
dade dos efeitos da decisão.
Parágrafo único. SALVO decisão judicial em contrário,
a tutela provisória conservará a eficácia durante o perí-
odo de suspensão do processo.
Art. 301. A tutela de urgência de natureza cautelar
pode ser efetivada mediante:
1. Arresto;
2. Sequestro;
Art. 297. O juiz poderá determinar as medidas que
considerar adequadas para efetivação da tutela provisó-
ria.
3. Arrolamento de bens;
4. Registro de protesto contra alienação de bem; e
5. Qualquer outra medida idônea para asseguração do
direito.
Parágrafo único. A efetivação da tutela provisória ob-
servará as normas referentes ao cumprimento provisório
da sentença, no que couber.
TUTELA DE URGÊNCIA
ANTECIPADA
CAUTELAR
Art. 298. Na decisão que conceder, negar, modificar
ou revogar a tutela provisória, o juiz MOTIVARÁ seu
convencimento de modo claro e preciso.
A tutela de urgência de na-
tureza ANTECIPADA não
será concedida quando hou-
A tutela de urgência de na-
tureza CAUTELAR pode
ser efetivada mediante:
ver perigo de
irreversibili-
1. Arresto;
Art. 299. A tutela provisória será requerida ao juízo da
causa e, quando antecedente, ao juízo competente para
conhecer do pedido principal.
dade dos efeitos da decisão.
2. Sequestro;
3. Arrolamento de bens;
4. Registro de protesto con-
Parágrafo único. Ressalvada disposição especial, na
ação de competência originária de tribunal e nos recur-
sos a tutela provisória será requerida ao órgão jurisdici-
onal competente para apreciar o mérito.
tra alienação de bem; e
5. Qualquer outra medida
idônea para asseguração do
direito.
2
2
DIREITO PROCESSUAL CIVIL
DIREITO PROCESSUAL CIVIL

Art. 302. INDEPENDENTEMENTE da reparação por dano processual, a parte responde pelo prejuízo que a

efetivação da tutela de urgência causar à parte adversa, se:

I - a sentença lhe for desfavorável;

II - obtida liminarmente a tutela em caráter antecedente,

não fornecer os meios necessários para a citação do re- querido no prazo de 5 DIAS;

III - ocorrer a cessação da eficácia da medida em qual-

quer hipótese legal;

§

tigo, o autor terá de indicar o valor da causa, que deve levar em consideração o pedido de tutela final.

5 o O autor indicará na petição inicial, ainda, que pre- tende valer-se do benefício previsto no caput deste ar- tigo.

§

cessão de tutela antecipada, o órgão jurisdicional deter- minará a emenda da petição inicial em ATÉ 5 DIAS, sob pena de ser indeferida e de o processo ser extinto SEM RESOLUÇÃO de mérito.

6 o Caso entenda que não há elementos para a con-

§

4 o Na petição inicial a que se refere o caput deste ar-

IV - o juiz acolher a alegação de decadência ou prescri- ção da pretensão do
IV - o juiz acolher a alegação de decadência ou prescri-
ção da pretensão do autor.
Parágrafo único. A indenização será liquidada nos au-
tos em que a medida tiver sido concedida, sempre que
possível.
Art. 304. A tutela antecipada, concedida nos termos
do art. 303, torna-se estável se da decisão que a conce-
der não for interposto o respectivo recurso.
§ 1 o No caso previsto no caput, o processo será extinto.
CAPÍTULO II
DO PROCEDIMENTO DA TUTELA ANTECIPADA RE-
QUERIDA EM CARÁTER ANTECEDENTE
§ 2 o Qualquer das partes PODERÁ demandar a outra
com o intuito de rever, reformar ou invalidar a tutela an-
tecipada estabilizada nos termos do caput.
Art. 303. Nos casos em que a urgência for contempo-
rânea à propositura da ação, a petição inicial pode limi-
tar-se ao requerimento da tutela antecipada e à indica-
ção do pedido de tutela final, com a exposição da lide,
do direito que se busca realizar e do perigo de dano ou
do risco ao resultado útil do processo.
§
3 o A tutela antecipada conservará seus efeitos en-
quanto não revista, reformada ou invalidada por decisão
de mérito proferida na ação de que trata o § 2 o .
§
4 o Qualquer das partes poderá requerer o desarquiva-
§
1 o Concedida a tutela antecipada a que se refere o ca-
mento dos autos em que foi concedida a medida, para
instruir a petição inicial da ação a que se refere o § 2 o ,
prevento o juízo em que a tutela antecipada foi conce-
put deste artigo:
dida.
I - o autor deverá aditar a petição inicial, com a comple-
mentação de sua argumentação, a juntada de novos do-
cumentos e a confirmação do pedido de tutela final, em
15 DIAS ou em outro prazo maior que o juiz fixar;
5 o O direito de rever, reformar ou invalidar a tutela an-
tecipada, previsto no § 2 o deste artigo, extingue-se
APÓS 2 ANOS, contados da ciência da decisão que ex-
tinguiu o processo, nos termos do § 1 o .
§
II - o réu será citado e intimado para a audiência de con-
ciliação ou de mediação na forma do art. 334;
§
6 o A decisão que concede a tutela NÃO FARÁ coisa
III - não havendo autocomposição, o prazo para contes-
tação será contado na forma do art. 335.
julgada, mas a estabilidade dos respectivos efeitos só
será afastada por decisão que a revir, reformar ou inva-
lidar, proferida em ação ajuizada por uma das partes,
nos termos do § 2 o deste artigo.
Art. 334. Se a petição inicial preencher os requisitos es-
senciais e não for o caso de improcedência liminar do
pedido, o juiz designará audiência de conciliação ou de
mediação com antecedência mínima de 30 dias, de-
vendo ser citado o réu com pelo menos 20 dias de ante-
cedência.
CAPÍTULO III
DO PROCEDIMENTO DA TUTELA CAUTELAR RE-
QUERIDA EM CARÁTER ANTECEDENTE
Art. 305. A petição inicial da ação que visa à prestação
Art. 335. O réu poderá oferecer contestação, por peti-
de tutela cautelar em caráter antecedente indicará a lide
ção, no prazo de 15 dias, cujo termo inicial será a data:
e seu fundamento, a exposição sumária do direito que
I - da audiência de conciliação ou de mediação, ou da
última sessão de conciliação, quando qualquer parte não
comparecer ou, comparecendo, não houver autocompo-
sição;
se objetiva assegurar e o perigo de dano ou o risco ao
resultado útil do processo.
II - do protocolo do pedido de cancelamento da audiência
Parágrafo único. Caso entenda que o pedido a que se
refere o caput tem natureza antecipada, o juiz observará
de conciliação ou de mediação apresentado pelo réu,
quando ocorrer a hipótese do art. 334, § 4º, inciso I;
III - prevista no art. 231, de acordo com o modo como foi
feita a citação, nos demais casos.
o disposto no art. 303.
Art. 306. O réu será citado para, no prazo de 5 DIAS,
contestar o pedido e indicar as provas que pretende pro-
duzir.

§

I do § 1 o deste artigo, o processo será extinto SEM RE-

SOLUÇÃO do mérito.

3 o O aditamento a que se refere o inciso I do § 1 o deste artigo dar-se-á nos mesmos autos, sem incidência de novas custas processuais.

§

2 o Não realizado o aditamento a que se refere o inciso

Art. 307. Não sendo contestado o pedido, os fatos ale- gados pelo autor presumir-se-ão aceitos pelo réu como ocorridos, caso em que o juiz decidirá dentro de 5 DIAS.

Parágrafo único. Contestado o pedido no prazo legal,

observar-se-á o PROCEDIMENTO COMUM.

Art. 308. Efetivada a tutela cautelar, o pedido principal terá de ser formulado pelo autor no prazo de 30 DIAS,

3
3
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

caso em que será apresentado nos mesmos autos em que deduzido o pedido de tutela cautelar, NÃO DEPEN- DENDO do adiantamento de novas custas processuais.

1 o O pedido principal pode ser formulado conjunta- mente com o pedido de tutela cautelar.

2 o A causa de pedir poderá ser aditada no momento de formulação do pedido principal.

3 o Apresentado o pedido principal, as partes serão in- timadas para a audiência de conciliação ou de media- ção, na forma do art. 334, por seus advogados ou pes- soalmente, sem necessidade de nova citação do réu.

§

§

§

TUTELA DA EVIDÊNCIA

O juiz PODERÁ decidir limi- narmente.

O

juiz NÃO PODERÁ deci-

dir liminarmente.

III - se tratar de pedido rei- persecutório fundado em prova documental ade- quada do contrato de depó- sito, caso em que será de- cretada a ordem de entrega do objeto custodiado, sob cominação de multa;

IV - a petição inicial for ins- truída com prova documen-

tal

suficiente dos fatos cons-

titutivos do direito do autor,

a

que o réu não oponha

prova capaz de gerar dúvida

razoável.

( ) 4 o Não havendo autocomposição, o prazo para con- testação será contado na
(
)
4 o Não havendo autocomposição, o prazo para con-
testação será contado na forma do art. 335.
§
Art. 309. Cessa a eficácia da tutela concedida em ca-
ráter antecedente, se:
I - o autor não deduzir o pedido principal no prazo legal;
II - não for efetivada dentro de 30 DIAS;
III - o juiz julgar improcedente o pedido principal formu-
lado pelo autor ou extinguir o processo SEM RESOLU-
ÇÃO de mérito.
Parágrafo único. Se por qualquer motivo cessar a efi-
cácia da tutela cautelar, é VEDADO à parte renovar o
pedido, SALVO sob novo fundamento.
Art. 310. O indeferimento da tutela cautelar NÃO
OBSTA a que a parte formule o pedido principal, NEM
INFLUI no julgamento desse, SALVO se o motivo do in-
deferimento for o reconhecimento de decadência ou de
prescrição.
TÍTULO III
DA TUTELA DA EVIDÊNCIA
Art. 311. A tutela da EVIDÊNCIA será concedida, IN-
DEPENDENTEMENTE da demonstração de perigo de
dano ou de risco ao resultado útil do processo, quando:
I - ficar caracterizado o abuso do direito de defesa ou o
manifesto propósito protelatório da parte;
II - as alegações de fato puderem ser comprovadas ape-
nas documentalmente e houver tese firmada em julga-
mento de casos repetitivos ou em súmula vinculante;
III - se tratar de pedido reipersecutório fundado em prova
documental adequada do contrato de depósito, caso em
que será decretada a ordem de entrega do objeto custo-
diado, sob cominação de multa;
IV - a petição inicial for instruída com prova documental
suficiente dos fatos constitutivos do direito do autor, a
que o réu não oponha prova capaz de gerar dúvida ra-
zoável.
Parágrafo único. Nas hipóteses dos incisos II e III, o juiz
PODERÁ decidir liminarmente.
TUTELA DA EVIDÊNCIA
O juiz PODERÁ decidir limi-
narmente.
O juiz NÃO PODERÁ deci-
dir liminarmente.
II - as alegações de fato pu-
derem ser comprovadas
apenas documentalmente e
houver tese firmada em jul-
gamento de casos repetiti-
vos ou em súmula vincu-
lante;
I - ficar caracterizado o
abuso do direito de defesa
ou o manifesto propósito
protelatório da parte;
4
4
NORMAS DE SERVIÇO DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA
NORMAS DE SERVIÇO DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA

PROVIMENTOS Nºs 50/1989 e 30/2013 NORMAS DE SERVIÇO DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA

TOMO I

§ 4º As atas das correições e visitas serão encaminha-

das à CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA nos pra- zos que seguem:

CAPÍTULO II DA FUNÇÃO CORRECIONAL SEÇÃO I DAS ATRIBUIÇÕES I - correição ordinária – ATÉ
CAPÍTULO II
DA FUNÇÃO CORRECIONAL
SEÇÃO I
DAS ATRIBUIÇÕES
I - correição ordinária – ATÉ 60 DIAS após realizada;
II - correição extraordinária ou visita correcional – ATÉ
15 DIAS após realizada.
§ 5º A CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA imple-
Art. 5º A função correcional consiste na orientação, re-
organização e fiscalização dos órgãos e serviços judici-
ários de 1ª INSTÂNCIA, bem como na fiscalização da
polícia judiciária, dos estabelecimentos prisionais e dos
demais estabelecimentos em relação aos quais, por im-
posição legal, esses deveres forem atribuídos ao Poder
Judiciário e é exercida, no Estado de São Paulo, pelo
CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA e, nos limites de
suas atribuições, pelos Juízes de 1º GRAU.
mentará, gradativamente, a correição virtual, com vistas
ao controle permanente das atividades subordinadas à
sua disciplina.
CORREIÇÃO
CORREIÇÃO
VISITA
ORDINÁRIA
EXTRAORD.
CORRECIONAL
Consiste na fiscali-
zação prevista e efe-
tivada segundo es-
tas normas e leis de
Consiste
em
fiscalização
excepcional,
realizada
a
Consiste na fisca-
lização direcio-
nada à verifica-
ção da regulari-
§ 1º No desempenho da função correcional, poderão ser
qualquer
mo-
editadas ordens de serviço e demais atos administrati-
vos de orientação e disciplina, corrigidos os erros e san-
cionadas as infrações, após regular procedimento admi-
nistrativo disciplinar, sem prejuízo de apurações civis e
criminais.
organização judiciá-
ria.
mento e sem
prévio anúncio
dade de funciona-
mento da uni-
dade, do sanea-
e
poderá ser
geral OU par-
cial, conforme
§ 2º As ordens de serviço e demais atos administrativos
editados pelo JUIZ CORREGEDOR PERMANENTE se-
rão encaminhados à CORREGEDORIA GERAL DA
JUSTIÇA para revisão hierárquica.
as necessida-
des e conveni-
ência do ser-
viço correcio-
nal.
§ 3º Consultas sobre aplicação ou interpretação destas
mento de irregu-
laridades consta-
tadas em correi-
ções ou ao
exame de algum
aspecto da regu-
laridade ou da
continuidade dos
serviços e atos
praticados.
Normas de Serviço serão apreciadas pelo JUIZ COR-
REGEDOR PERMANENTE que, a requerimento do in-
teressado ou de ofício se houver dúvida fundada devi-
damente justificada, submeterá suas decisões à COR-
REGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA.
As atas das correi-
ções e visitas serão
encaminhadas à
CGJ ATÉ 60 DIAS
após realizada.
As
atas das correições e visitas se-
rão encaminhadas à CGJ ATÉ 15
DIAS após realizada.
SUBSEÇÃO I
DA CORREGEDORIA PERMANENTE E DAS COR-
REIÇÕES ORDINÁRIAS, EXTRAORDINÁRIAS E VI-
SITAS CORRECIONAIS
Art. 7º A CORREGEDORIA PERMANENTE será exer-
cida pelo juiz a que a normatividade correcional cometer
tal atribuição.
Art. 6º A função correcional será exercida em caráter
permanente e mediante:
1. Correições ordinárias ou extraordinárias; e
§ 1º O CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA, com
aprovação do Conselho Superior da Magistratura, po-
derá, por motivo de interesse público ou conveniência da
administração, alterar a designação do Corregedor Per-
manente.
2. Visitas correcionais.
§ 1º A correição ordinária consiste na fiscalização pre-
Alterar a designação do CORREGE-
DOR PERMANENTE.
vista e efetivada segundo estas normas e leis de organi-
zação judiciária.
O CORREGE-
DOR GERAL
É necessário a aprovação do Conselho
DA JUSTIÇA
Superior da Magistratura.
§
poderá:
E deve ser por motivo de interesse pú-
blico ou conveniência da administração.

A correição extraordinária consiste em fiscalização excepcional, realizada a qualquer momento e sem pré- vio anúncio e poderá ser geral OU parcial, conforme as necessidades e conveniência do serviço correcional.

§ 3º A visita correcional consiste na fiscalização direcio- nada à verificação da regularidade de funcionamento da unidade, do saneamento de irregularidades constatadas em correições ou ao exame de algum aspecto da regu- laridade ou da continuidade dos serviços e atos pratica- dos.

§ 2º Se não houver alteração no início do ano judiciário, prevalecerão as designações do ano anterior.

Art. 8º O Juiz Corregedor Permanente efetuará, uma vez por ano, de PREFERÊNCIA no mês de dezembro, correição ordinária em todas as serventias, repartições

5
5
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
e demais estabelecimentos sujeitos à sua fiscalização correcional, lavrando-se o correspondente termo no livro
e demais estabelecimentos sujeitos à sua fiscalização
correcional, lavrando-se o correspondente termo no livro
próprio.
§ 3º RESSALVADO o afastamento deferido por prazo
igual ou superior a 30 DIAS, ou motivo relevante devida-
mente comunicado à CORREGEDORIA GERAL DA
§ 1º A correição ordinária será anunciada por EDITAL,
afixado no átrio do fórum e publicado no Diário da Jus-
tiça Eletrônico, com pelo menos 15 DIAS de antecedên-
JUSTIÇA, o JUIZ CORREGEDOR PERMANENTE rea-
lizará, pessoalmente, as visitas mensais, VEDADA a
atribuição dessa atividade ao juiz que estiver respon-
dendo pela vara por período inferior.
cia, bem como comunicada à Ordem dos Advogados do
Brasil da respectiva subseção.
§ 2º O JUIZ CORREGEDOR PERMANENTE seguirá o
termo padrão de correição disponibilizado pela CORRE-
GEDORIA GERAL DA JUSTIÇA.
Art. 14. A sistemática prevista no art. 13 não desobriga
a visita mensal às Cadeias Públicas, sob responsabili-
dade tanto dos Juízes de Varas Privativas de Execuções
Criminais como daqueles que acumulem outros serviços
anexos.
Art. 9º Em ATÉ 30 DIAS depois de assumir a correge-
doria permanente em caráter definitivo, o juiz fará visita
correcional às unidades sob sua corregedoria, com o in-
tuito de constatar a regularidade dos serviços, obser-
vado o modelo disponibilizado.
SUBSEÇÃO II
DAS APURAÇÕES PRELIMINARES, SINDICÂNCIAS
E PROCESSOS ADMINISTRATIVOS
§ 1º A visita correcional INDEPENDE DE EDITAL ou
qualquer outra providência e dela se lançará sucinto
termo no livro de visitas e correições, no qual também
constarão as determinações que o JUIZ CORREGE-
DOR PERMANENTE eventualmente fizer no momento.
Art. 15. As apurações preliminares, as sindicâncias e
os processos administrativos relativos ao pessoal das
serventias judiciais serão realizados pelos JUÍZES
CORREGEDORES PERMANENTES a que, na atuali-
dade do procedimento, estiverem subordinados os ser-
vidores.
§ 2º Se o juiz assumir a corregedoria permanente em
caráter definitivo a partir do mês de novembro, a correi-
ção geral ordinária PRESCINDIRÁ da visita correcional.
Serão realizados pelos
JUÍZES CORREGE-
DORES PERMANEN-
TES a que, na atuali-
dade do procedi-
mento, estiverem su-
bordinados os servido-
res:
As apurações preliminares relati-
vas ao pessoal das serventias ju-
diciais
Art. 10. O escrivão auxiliará o JUIZ CORREGEDOR
PERMANENTE nas diligências correcionais, FACUL-
TADA a nomeação de escrivão ‘ad hoc’ entre os demais
servidores da unidade.
As sindicâncias relativas ao pes-
soal das serventias judiciais
Art. 11. Durante os serviços correcionais, todos os fun-
cionários da unidade permanecerão à disposição:
Processos administrativos relati-
vos ao pessoal das serventias ju-
diciais
1. Do Corregedor Geral da Justiça;
2. Dos Juízes Assessores da Corregedoria Geral; ou
Parágrafo único. O CORREGEDOR GERAL DA JUS-
TIÇA poderá:
3. Do Juiz Corregedor Permanente.
1. Avocar procedimento disciplinar em qualquer fase,
Sem prejuízo de requisição de auxílio externo ou de re-
quisição de força policial.
a pedido ou de ofício;
2. Designar Juiz Corregedor Processante para todos
os atos pertinentes; e
Art. 12. Os livros e classificadores obrigatórios previs-
tos nestas Normas de Serviço serão submetidos ao JUIZ
CORREGEDOR PERMANENTE para visto por ocasião
das correições ordinárias ou extraordinárias e sempre
que forem por este requisitados.
3. Atribuir serviços auxiliares à unidade diversa da-
quela a que estiver vinculado o servidor.
Art. 16. Os JUÍZES CORREGEDORES PERMANEN-
TES comunicarão à CORREGEDORIA GERAL DA
JUSTIÇA a instauração de qualquer procedimento ad-
Parágrafo único. No caso de registros controlados ex-
clusivamente pela via eletrônica, os relatórios de pen-
dências gerados pelo sistema informatizado serão VIS-
TADOS pelo JUIZ.
ministrativo, mediante remessa de cópia da portaria
inaugural, para processamento do acompanhamento:
I - das apurações preliminares pela Diretoria da Corre-
gedoria – DICOGE;
Art. 13. Os estabelecimentos prisionais e outros desti-
nados ao recolhimento de pessoas, sujeitos à atividade
correcional do juízo, serão visitados 1 VEZ POR MÊS
(art. 66, inciso VII, da LEP).
II - das sindicâncias e dos processos administrativos
pela Secretaria de Planejamento de Recursos Humanos
– SPRH.
Os JUÍZES
§ 1º Realizará a visita o JUIZ CORREGEDOR PERMA-
CORREGEDORES
COMUNICARÃO
NENTE ou o JUIZ a quem, por decisão do CORREGE-
à CORREGEDORIA
GERAL DA JUSTIÇA
PERMANENTES
DOR GERAL DA JUSTIÇA, essa atribuição for dele-
gada.
§ 2º A inspeção mensal será registrada em termo sucinto
no Livro de Visitas e Correições, podendo conter unica-
mente o registro da presença, sem prejuízo do cadastro
eletrônico da inspeção perante o CONSELHO NACIO-
NAL DE JUSTIÇA e, após sua lavratura, cópia será en-
caminhada à autoridade administrativa da unidade prisi-
onal, para arquivamento em livro de folhas soltas.
A instauração de qualquer procedimento administrativo, me-
diante remessa de cópia da portaria inaugural, para proces-
samento do acompanhamento das:
Das
apurações
preli-
Das
sindicân-
Dos processos
minares
cias
administrativos
Pela Diretoria da Cor-
regedoria – DICOGE
Pela Secretaria de Planejamento
de Recursos Humanos – SPRH.
6
NORMAS DE SERVIÇO DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA
NORMAS DE SERVIÇO DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA
NORMAS DE SERVIÇO DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA Parágrafo único. Idêntico procedimento adotar-se-á em relação

Parágrafo único. Idêntico procedimento adotar-se-á em relação a todos os atos decisórios subsequentes e, ao término do procedimento, remeter-se-á cópia da decisão proferida, com ciência ao servidor do decidido, e certidão indicativa do trânsito em julgado.

Art. 17. Eventuais recursos serão entranhados nos au- tos originais e remetidos à CORREGEDORIA GERAL
Art. 17. Eventuais recursos serão entranhados nos au-
tos originais e remetidos à CORREGEDORIA GERAL
DA JUSTIÇA.
Art. 18. Sem prejuízo da atribuição ao JUIZ CORRE-
GEDOR PERMANENTE, o CORREGEDOR GERAL DA
JUSTIÇA poderá aplicar, originariamente, as sanções
cabíveis e, enquanto não prescrita a infração, reexami-
nar, de ofício ou mediante provocação, decisões abso-
lutórias ou de arquivamento.
(
)
Artigo 167 Alterado pelo Provimento CG Nº 11/2017:
COMO ERA:
Art. 167. O advogado deve restituir, no prazo legal, os
autos que tiver retirado do ofício de justiça. Se intimado,
o advogado não devolver os autos no prazo de 3 DIAS:
1 - Perderá o direito à vista fora de cartório e
2 - Incorrerá em multa correspondente à 1/2 do salário
mínimo.
COMO FICOU:
Art. 167. O advogado deve restituir, no prazo legal, os
autos que tiver retirado do ofício de justiça. Se intimado
PESSOALMENTE, o advogado não devolver os autos
no prazo de 3 DIAS:
1 - Perderá o direito à vista fora de cartório e
2 - Incorrerá em multa correspondente à 1/2 do salário
mínimo.
Artigo 1.223 e Parágrafo Único revogados pelo Prov.
CG 14/2017:
Art. 1.223. As pessoas físicas ou jurídicas, de direito
público ou de direito privado, que não devam obrigatori-
amente intervir por intermédio de advogado, poderão
apresentar ofícios, laudos, informações e documentos
em papel, devendo o setor de protocolo recebê-los e en-
caminhá-los ao ofício de justiça para digitalização, clas-
sificação e cadastro dentro do sistema.
Parágrafo único. O disposto neste artigo aplica-se aos
pareceres oferecidos pelos assistentes técnicos indica-
dos pelas partes, quando não encaminhados pelos res-
pectivos advogados.
7
7
ATUALIDADES
ATUALIDADES

POLÍTICA

Fonte: goo.gl/k3Nj2G (Adaptado).

Senado aprova impeachment (31/08/2016)

O

plenário do Senado aprovou, por 61 votos favoráveis

e

20 contrários, o impeachment de Dilma Rousseff. A

presidente afastada foi condenada sob a acusação de ter cometido crimes de responsabilidade fiscal as chamadas "pedaladas fiscais" no Plano Safra e os decretos que geraram gastos sem autorização do Con- gresso Nacional , mas não foi punida com a inabilita- ção para funções públicas. Com isso, ela poderia se candidatar para cargos eletivos e também exercer outras funções na administração pública.

1. CENÁRIO POLÍTICO NO BRASIL

1.1. IMPEACHMENT DE DILMA ROUSSEFF

O impeachment representa um processo, em parte

jurídico e, em parte, político, conduzido pelo Poder Legislativo, que julga se o detentor de função pública

cometeu crime de responsabilidade. Em 2015, foi iniciado um processo de impeachment contra a então presidente Dilma Rousseff. Dilma Rousseff foi denunciada por crime de res- ponsabilidade pelo procurador de justiça aposentado Hélio Bicudo e pelos advogados Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal. Dilma foi acusada de cometer "pedaladas fiscais" e por ter publicado três decretos, que ampliaram a previsão de gastos do orçamento, sem autorização do Congresso Nacional.

Fonte: goo.gl/4mxg7s (Adaptado). Senado aprova impeachment de Dilma (31/08/2016) A ex-presidente Dilma Rousseff (PT),
Fonte: goo.gl/4mxg7s (Adaptado).
Senado aprova impeachment de Dilma (31/08/2016)
A ex-presidente Dilma Rousseff (PT), afastada do car-
Resumo cronológico sobre o rito do impeachment:
- Em 02/12/2015, a Câmara dos Deputados acolheu
uma das denúncias e autorizou a abertura do processo
go, desde maio, foi condenada pelo Senado no proces-
so de impeachment por ter cometido crimes de respon-
sabilidade na condução financeira do governo. O impe-
achment foi aprovado por 61 votos a favor e 20 contra.
Não houve abstenções.
Em outra votação, Dilma conseguiu manter os direitos
políticos. Não foram alcançados os 54 votos necessá-
rios para que ela perdesse o direito a ocupar cargos
de
impeachment de Dilma Rousseff.
-
Em 11/04/2016, a comissão especial na Câma-
públicos: foram 42 votos a favor da perda; 36 contrários
e 3 abstenções.
ra
aprovou, com 38 votos favoráveis e 27 contrários, a
A decisão abriu caminho para a efetivação de Michel
continuidade do processo de impeachment.
Temer (PMDB) na Presidência da República até 2018.
- Em 17/04/2016, por 367 votos favoráveis e 137 con-
Fonte: goo.gl/QnwD1H (Adaptado).
trários, a Câmara dos Deputados aprovou a autoriza-
ção para ter prosseguimento no Senado o processo de
impeachment.
Direto ao Ponto
A primeira informação que deve estar bem esclarecida
Fonte: goo.gl/zeMFQP (Adaptado).
é a motivação para a abertura do processo de impe-
-
Em
06/05/2016,
a
comissão
especial
no
Senado aprovou, por 15 a 5, o relatório que pede
que se abra processo de impeachment contra Dilma
Rousseff.
Fonte: goo.gl/7GEQgG (Adaptado).
- Em 12/05/2016, o plenário principal do Senado apro-
vou, por 55 a 22, a abertura do processo de impeach-
achment.
R: Dilma Rousseff foi denunciada por crime de
responsabilidade, acusada de cometer "pedaladas
fiscais" e por ter publicado três decretos, que
ampliaram a previsão de gastos do orçamento,
sem autorização do congresso.
Os denunciantes:
ment pela Casa. Dilma Rousseff foi afastada do cargo
por até 180 dias.
Fonte: goo.gl/MCnsda (Adaptado).
- Em 04/08/2016, a comissão especial do impeachment
do
Senado decidiu, por 14 votos a 5, que Dilma deveria
ser
levada a julgamento.
Hélio Bicudo (ex-procurador de justiça)
Miguel Reale Júnior (advogado)
Janaína Paschoal (advogada)
Importante: O processo de impeachment foi aceito na
Câmara dos Deputados por Eduardo Cunha, em de-
zembro de 2015.
Fonte: goo.gl/pLkyqM (Adaptado).
- Em 10/08/2016, o plenário principal do Senado deci-
diu, por 59 votos a 21, que a denúncia contra Dilma
Rousseff é procedente e que ela deveria ser julgada
O segundo semestre de 2016 é marcado pela consoli-
dação do processo de impeachment no Senado.
É importante saber quem conduziu o processo no
por crimes de responsabilidade.
Senado:
Fonte: goo.gl/Znp1Hx (Adaptado).
R: O então presidente do STF, ministro Ricardo
- Em 31/08/2016, o plenário do Senado aprovou, por
Lewandowski.
61 votos favoráveis e 20 contrários, o impeachment
A condução administrativa da sessão pelo presidente
de Dilma Rousseff.
do STF busca dar maior imparcialidade ao processo.
Fonte: goo.gl/I8fi2y (Adaptado).
O presidente do STF não julga o caso, apenas obser-
Cabe apresentar as principais notícias sobre a votação
final do processo de impeachment no Senado.
Lewandowski fatia votação do impeachment
(31/08/2016)
va as regras sobre o seu andamento e decide sobre
os recursos apresentados pelos senadores.
Nesse sentido, é fundamental lembrar-se de um recur-
so aceito pelo ministro Ricardo Lewandowski e que
gerou uma situação peculiar na votação do impeach-
O presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo
Lewandowski, que preside o julgamento da presidente
afastada Dilma Rousseff, aceitou recurso apresentado
pelo Partido dos Trabalhadores e a Casa votou sepa-
radamente a condenação de Dilma por crimes de res-
ponsabilidade e sua inelegibilidade por oito anos –
consequência constitucional do impeachment.
ment.
R: Ricardo Lewandowski aceitou dividir a votação
em duas partes. A primeira votação decidiu sobre
a condenação de Dilma por crime de responsabili-
dade e a segunda, avaliou sua inelegibilidade por
oito anos.
5
5
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Fonte: goo.gl/57xG6O (Adaptado). Direto ao Ponto Resultado da votação sobre a acusação de ter cometido
Fonte: goo.gl/57xG6O (Adaptado).
Direto ao Ponto
Resultado da votação sobre a acusação de ter cometido
crime de responsabilidade fiscal:
Lula vira réu pela 3ª vez, após Justiça aceitar de-
núncia contra ele e Odebrecht (13/10/2016)
O juiz da 10º Vara Federal de Brasília, Vallisney de
R: Dilma Rousseff condenada: 61 votos favoráveis x
20 votos contrários.
Votação sobre sua inelegibilidade por oito anos:
R: Dilma conseguiu manter os direitos políticos.
Foram 42 votos a favor da perda, 36 contrários e 3
abstenções. Eram necessários 54 votos (2/3 do
plenário) para perda dos direitos políticos.
Souza Oliveira, aceitou denúncia contra o ex-
presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o empreiteiro
Marcelo Odebrecht e outras nove pessoas. Os envolvi-
dos são acusados dos crimes de corrupção ativa e
passiva, lavagem de dinheiro, tráfico de influência e
organização criminosa.
A investigação em curso foi deflagrada pela Opera-
ção Janus, que é um desdobramento da Lava Jato.
1.2. LUÍZ INÁCIO "LULA" DA SILVA
A acusação afirma que os crimes que envolvem a libe-
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva virou réu em
5 processos no ano de 2016, sendo 3 no âmbito da
Operação Lava Jato, 1 na Operação Janus (desdobra-
mento da Lava Jato) e 1 na Operação Zelotes.
As acusações contra Lula envolvem diversos crimes,
como, por exemplo: tentativa de obstruir a justiça, cor-
rupção, lavagem de dinheiro, tráfico de influência e
organização criminosa.
ração de empréstimos do BNDES para financiar obras
da construtora Odebrecht em Angola. Em troca dos
empréstimos do banco oficial, acusa a Procuradoria, a
Odebrecht realizou ''repasses dissimulados'' (ou propi-
nas) de cerca de R$ 30 milhões.
Fonte: goo.gl/wqmUcq (Adaptado).
Fontes: goo.gl/sOcOMu (Adaptado
goo.gl/qewQqy (Adaptado - 15/12/2016).
-
29/12/2016)
e
Lula se torna réu pela 4ª vez, agora na Operação
Zelotes (17/12/2016)
O juiz federal Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal,
As acusações contra Lula tiveram bastante repercus-
são no Brasil e no exterior. Seguem notícias divulgadas
em importantes veículos de comunicação do Brasil.
Lula, Delcídio e outros 5 viram réus acusados de
tentar obstruir a Justiça (29/07/2016)
O juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara da Justiça Federal de
Brasília, aceitou denúncia apresentada pelo Ministério
aceitou denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio
Lula da Silva, acusado pelo Ministério Público, nesse
caso, de lavagem de dinheiro, organização criminosa e
tráfico de influência. Além, dele, também estão na lista
Luiz Cláudio, seu filho, e o casal Mauro Marcondes e
Cristina Mautoni, sócios da consultoria M&M (Marcon-
des e Mautoni Empreendimentos e Diplomacia).
De acordo com o Ministério Público Federal, Lula e
Público e transformou em réus o ex-presidente Luiz
Luís Cláudio participaram de um esquema de tráfico de
Inácio Lula da Silva, o ex-senador Delcídio do Amaral,
influência, lavagem de dinheiro e organização crimino-
o ex-chefe de gabinete Diogo Ferreira, o banqueiro
sa envolvendo a compra de 36 caças Gripen, da sueca
André Esteves, o advogado Édson Ribeiro, o pecuaris-
Saab, pelo governo brasileiro. Os procuradores tam-
ta José Carlos Bumlai e o filho dele, Maurício Bumlai.
bém viram indícios de irregularidades na prorrogação
Eles são acusados de tentar obstruir a Justiça com-
de incentivos fiscais destinados a montadoras de veícu-
prando o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor
Cerveró, um dos delatores do esquema de corrup-
ção que atuava na estatal.
los por meio da Medida Provisória 627.
Fonte: goo.gl/PBj5Nu (Adaptado).
A denúncia aceita nesta sexta-feira acusa os sete réus
Moro aceita denúncia e Lula vira réu pela 5ª vez
de três crimes: embaraço à investigação de organiza-
ção criminosa; patrocínio infiel (quando advogado não
defende corretamente interesses do cliente); e explora-
ção de prestígio.
(19/12/2016)
O juiz Sérgio Moro aceitou mais uma denúncia contra o
É a primeira vez que Lula vira réu na Lava Jato.
Fonte: goo.gl/6EzAel (Adaptado).
ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que passa
agora a ser réu em cinco ações penais – três no âmbito
da Operação Lava Jato, uma na Operação Zelotes e
uma na Operação Janus.
Lula vira réu pela 2ª vez e será julgado por Sérgio
Moro (20/09/2016)
A Justiça Federal do Paraná aceitou a denúncia contra
o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sob acusação
de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex
do Guarujá. Agora, o ex-presidente vira réu e será
julgado pelo juiz Sérgio Moro.
Lula responderá por crimes de corrupção passiva e de
lavagem de dinheiro relacionados à empreiteira Ode-
brecht.
Também viraram réus a ex-primeira-dama Marisa Letí-
cia, o empreiteiro Marcelo Odebrecht e o ex-ministro
Antonio Palocci e um de seus assistentes, Branislav
Kontic, além de outras quatro pessoas.
De acordo com a acusação dos procuradores, parte

Lula foi apontado pelo Ministério Público Federal como beneficiário direto de R$ 3,7 milhões de propina, paga pela empreiteira OAS, que seria oriunda de contratos da Petrobras. Segundo a acusação, o dinheiro foi investido na refor- ma do tríplex no litoral paulista, que seria destinado ao ex-presidente. A OAS também pagou pelo transporte e armazenamento de bens pessoais do petista de Brasí-

lia para São Paulo, após o término de seu governo.

A força-tarefa da Operação Lava Jato ainda apontou

Lula como "o comandante máximo" do esquema de corrupção na Petrobras, apesar de não tê-lo denuncia- do sob essa acusação.

das propinas pagas pela Odebrecht em contratos da Petrobras foi destinada para a aquisição de um terreno

na

zona sul de São Paulo onde seria construída a sede

do

Instituto Lula.

O

pagamento teria sido intermediado pelo ex-ministro

Palocci, que atuava como um operador de propinas para o PT. A denúncia sustenta ainda que o dinheiro de propina

também foi usado para comprar um apartamento vizi- nho à cobertura onde mora o ex-presidente, em São Bernardo do Campo (SP), que é alugado pela família

6
6
ATUALIDADES
ATUALIDADES
de Lula. Para o Ministério Público, o fato caracteriza uma ocultação de patrimônio. Fonte: goo.gl/qZnQd7
de Lula. Para o Ministério Público, o fato caracteriza
uma ocultação de patrimônio.
Fonte: goo.gl/qZnQd7 (Adaptado).
Atenção: As cinco acusações apresentam potencial
para aparecer na prova, porém o quinto caso, por ser
mais recente, merece atenção redobrada.
Direto ao Ponto
5º Caso - Terreno do Instituto Lula.
Operação: Lava Jato.
Acusações: Corrupção passiva e lavagem de di-
nheiro.
Resumo: Parte das propinas pagas pela Odebrecht
em contratos da Petrobras foi destinada para a aquisi-
ção de um terreno na zona sul de São Paulo onde
seria construída a sede do Instituto Lula. O dinheiro de
propina também foi usado para comprar um aparta-
mento em São Bernardo do Campo (SP). O pagamen-
to teria sido intermediado pelo ex-ministro Palocci, que
atuava como um "operador de propinas para o PT”.
Atenção: Lula ainda não foi condenado em ne-
nhum processo. O candidato deve ficar atento para
os desdobramentos dos processos em curso, bem
como para abertura de novos processos contra o ex-
presidente Lula.
1.3. PRISÃO DE EX-GOVERNADORES DO RIO DE
JANEIRO: ANTHONY GAROTINHO E SÉRGIO
CABRAL
Em novembro de 2016, a Polícia Federal prendeu dois
ex-governadores do estado do Rio de Janeiro: Anthony
Garotinho e Sérgio Cabral. As prisões ocorreram num
período de 24 horas e chamaram a atenção no noticiá-
rio.
É interessante visualizar as principais notícias para
entender a motivação e os desdobramentos das pri-
sões.
Anthony Garotinho
Polícia Federal prende ex-governador Anthony
Garotinho (16/11/2016)
Policiais federais da Delegacia de Campos dos Goyta-
cazes, no norte fluminense, prenderam o ex-
governador fluminense Anthony Garotinho. Segundo
informações da Delegacia Federal de Campos, Garoti-
nho foi preso em sua casa, na zona sul da cidade do
Rio de Janeiro.
Fonte: goo.gl/TGJFgT (Adaptado).
Garotinho, ex-governador do Rio, é preso pela PF
na Operação Chequinho (16/11/2016)
A PF informou que cumpriu dois mandados judiciais

Direto ao Ponto Os inúmeros acontecimentos ligados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dão margem para múltiplos questionamentos. Número de processos em que o ex-presidente Lula é

réu:

R: Lula é réu em cinco processos (até dezembro de

2016).

Operações vinculadas aos processos em que Lula é

réu:

R: Operação Lava Jato (3 processos), Operação Janus (1 processo) e Operação Zelotes (1 proces- so). Juízes e locais dos processos:

R: São três processos em Brasília, sob a condução do juiz Vallisney de Souza Oliveira, e dois proces- sos em Curitiba, comandados pelo juiz Sérgio Moro.

1º Caso - Envolve a compra do silêncio de Nestor Cerveró. Operação: Lava Jato. Acusação: Tentativa de obstruir a Justiça. Resumo: atrapalhar investigações e comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, um dos delato- res da Operação Lava Jato. O processo está vinculado à delação do ex-senador Delcídio do Amaral.

2º Caso - Tríplex no Guarujá. Operação: Lava Jato. Acusações: Corrupção e lavagem de dinheiro. Resumo: Lula é acusado de receber R$ 3,7 milhões de propina, paga pela empreiteira OAS, que seria oriunda de contratos da Petrobras. O dinheiro teria

sido destinado à reforma de um tríplex no Guarujá-SP

e no transporte e armazenamento de bens pessoais do ex-presidente.

3º Caso - Empréstimos do BNDES para Odebrecht. Operação: Janus. Acusações: Corrupção passiva e tráfico de in- fluência. Resumo: Lula é acusado de participar de crimes en- volvendo a liberação de empréstimos do BNDES para financiar obras da construtora Odebrecht em Angola. Em troca dos empréstimos, a Odebrecht teria realizado repasses(propina) de cerca de R$ 30 milhões. O nome de Lula aparece em duas fases: a primeira, entre 2008 e 2010, ainda como presidente da República, ele foi acusado de corrupção passiva. Noutra, entre 2011

e 2015, já fora do Planalto, foi enquadrado no crime de tráfico de influência em favor da Odebrecht.

4º Caso - Compra de caças suecos. Operação: Zelotes. Acusações: Acusado de lavagem de dinheiro, or- ganização criminosa e tráfico de influência. Resumo: Envolve a compra de 36 caças Gripen, da sueca Saab, pelo governo brasileiro. Lula teria prome- tido à consultoria M&M interferir para beneficiar clien- tes da empresa na negociação dos caças junto ao governo federal. Em troca a LFT Marketing Esportivo, empresa de Luís Cláudio (filho de Lula), teria recebido R$ 2,55 milhões da consultoria entre junho de 2014 e março de 2015.

contra Garotinho: um de prisão preventiva e um de busca e apreensão em um imóvel no bairro do Flamen- go, zona sul da capital fluminense. Rosinha Garotinho, mulher do ex-governador, é prefeita de Campos dos Goytacazes. Anthony Garotinho é secretário de governo do município. Garotinho é alvo da Operação Chequinho, que investi- ga esquema de compra de votos em Campos. A PF mira o Programa Cheque Cidadão que teria sido usado para cooptar eleitores no último pleito no município situado ao norte do estado do Rio.

Fonte: goo.gl/7MRBof (Adaptado).

Após ser preso, Garotinho passou mal e foi levado para hospital.

Garotinho recebe alta e vai para prisão domiciliar

(22/11/2016)

O ex-governador do Rio Anthony Garotinho recebeu

alta do hospital Quinta D'Or e foi para casa, onde vai cumprir a prisão preventiva domiciliar.

7
7
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

Ele foi submetido a uma cirurgia. Garotinho estava

internado antes no Hospital Souza Aguiar, chegou a ser levado para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento)

do Complexo Penitenciário de Bangu, mas foi levado à

unidade particular por determinação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Fonte: goo.gl/31PLbR (Adaptado).

TSE revoga prisão de Garotinho, mas impõe fiança de R$ 88 mil (24/11/2016)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) revogou o mandado

crise fiscal e, por isso, teve R$ 170 milhões bloquea- dos pela União. São investigados também casos de corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e for- mação de organização criminosa.

Fonte: goo.gl/TsPBri (Adaptado).

MPF: Sérgio Cabral recebia "mesada" de empreiteiras em esquema de R$ 224 milhões

(17/11/2016)

De acordo com a investigação da força-tarefa

da

Operação Lava Jato no estado do Rio de Janeiro,

de prisão do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho, decretado na semana passada. Mas,
de prisão do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony
Garotinho, decretado na semana passada. Mas, para
ser solto, Garotinho – que está em prisão domiciliar –
terá de pagar fiança de R$ 88 mil.
Na mesma decisão, o TSE estabeleceu uma série de
restrições. Os ministros proibiram Garotinho de ter
contato com testemunhas do processo e determinaram
que ele não poderá mudar de endereço e se ausentar
da residência por mais de três dias sem avisar o juiz do
Cabral teria chefiado um esquema responsável por
desvios de R$ 224 milhões em contratos de grandes
obras no estado entre os anos de 2007 e 2014, nos
dois mandatos do peemedebista no governo carioca.
Cabral cobrava uma "mesada" de empreiteiras em
troca de contratos de grandes obras, como a moderni-
zação do Maracanã, o Arco Metropolitano e o PAC
Favelas, que tiveram as licitações fraudadas, conforme
explicou o procurador do MPF-RJ Lauro Coelho Júnior.
caso.
Garotinho também não poderá retornar, até o final do
processo, a Campos de Goytacazes, município do Rio
administrado pela mulher dele, Rosinha Garotinho, no
qual ele exercia o cargo de secretário de governo.
Fonte: goo.gl/2opQYG (Adaptado).
Ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, é preso pela
PF (17/11/2016)
A ação conjunta da PF, Ministério Público Federal e
Fonte: goo.gl/qYHy1r (Adaptado).
Direto ao Ponto
Em relação à prisão do ex-governador Anthony Garo-
tinho, o candidato deve manter a atenção nos seguin-
tes
fatos:
O
nome da operação responsável pela prisão de
Receita Federal foi montada com base na delação
premiada do dono da Delta Engenharia, do empreiteiro
Fernando Cavendish, e em relatos de diretores da
Carioca Engenharia e Andrade Gutierrez. Além de
Cabral, também foram presos seu braço direito e ex-
secretário de governo, Wilson Carlos, o ex-assessor de
Cabral Wagner Jordão Garcia, seu ex-secretário de
Garotinho:
R: Operação Chequinho, que investiga esquema
de compra de votos em Campos dos Goytacazes,
RJ.
Operação Chequinho
R: Investiga o Programa Cheque Cidadão, que
concede benefício de R$ 200 para famílias de baixa
renda. Existe a suspeita de irregularidades, como a
compra de votos e a inclusão de novos benefícios
ligados a candidatos ao cargo de vereador.
obras, Hudson Braga. Todos são suspeitos de lavagem
de dinheiro, corrupção e associação criminosa. A mu-
lher do ex-governador, Adriana Ancelmo, foi alvo de
condução coercitiva.
Fonte: goo.gl/fe0LDa (Adaptado).
Acusações contra Garotinho:
R: Participação no esquema de compra de votos.
Foi preso preventivamente.
O vínculo de Garotinho com a cidade de Campos:
Esposa do ex-governador Sérgio Cabral é presa no
Rio de Janeiro (07/12/2016)
Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador do Rio de
Janeiro, está presa. Durante a operação a polícia apreen-
deu mais joias e R$ 53 mil em dinheiro.
Fonte: goo.gl/Q7t033 (Adaptado).
R: Garotinho ocupava o cargo de secretário de
governo do município. Sua mulher, Rosinha Garo-
tinho, era prefeita do município (2009 - 2016).
Acontecimentos após a prisão de Garotinho:
R: Garotinho passou mal e teve que ser internado
para realização de uma cirurgia. Após a cirurgia
foi concedida prisão domiciliar para o ex-
governador.
Garotinho pagou fiança de R$88 mil e teve sua
prisão revogada.

Sérgio Cabral Cabral, ex-governador do Rio, é preso em desmembramento da Lava Jato (17/11/2016)

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) foi

preso em seu apartamento no Leblon, zona sul da capital fluminense.

A prisão ocorreu na Operação Calicute, uma ação

conjunta das forças-tarefas da Lava Jato no Rio e em Curitiba. Os investigadores apuram o desvio mais de

R$ 220 milhões de recursos públicos federais em obras

realizadas pelo governo do estado, que passa por uma

Sérgio Cabral chega ao Rio e é transferido para Bangu (17/12/2016) Preso no Rio de Janeiro desde o dia 17 de novembro, durante a Operação Calicute, um dos desdobramentos da Lava Jato, o ex-governador havia sido transferido para Curitiba na semana passada por decisão do juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal Criminal do Rio, que considerara que Cabral vinha recebendo visitas irregulares no Complexo de Gericinó. O retorno do peemedebista ao Rio foi determinado pelo desembar- gador Abel Gomes, relator da Calicute, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2). O magistrado concedeu liminar a pedido dos advogados de Cabral.

Fonte: goo.gl/bqKsde (Adaptado).

Adriana Ancelmo é levada para cumprir prisão do- miciliar no Leblon, Rio (29/03/2017) A ex-primeira-dama do estado do Rio de Janeiro, Adri- ana Ancelmo, foi levada por agentes da Polícia Federal para cumprir prisão domiciliar em seu apartamento, no Leblon, zona sul do Rio.

8
8
ATUALIDADES
ATUALIDADES

Adriana foi hostilizada por parentes de presos ao deixar

o presídio. Ela chegou ao Leblon sob vaias e xinga-

mentos de cerca de 50 pessoas que aguardavam no local. Os carros da Polícia Federal foram recebidos por gritos de "volta para Bangu", além de palavrões e ofen-

sas. Alguns chegaram a desferir tapas contra o vidro e foram afastados por agentes da PF.

A mulher do ex-governador Sérgio Cabral estava presa

na ala feminina do presídio de Bangu 8, no Complexo Penitenciário de Gericinó, na zona oeste, desde 17 de dezembro. Adriana responde por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

- Em 14/06/2016, o Conselho de Ética aprova, por 11

votos a 9, parecer pela cassação de Eduardo Cunha.

Fontes: goo.gl/DwNVzG (Adaptado), goo.gl/n86KVI

(Adaptado

05/05/2016), goo.gl/PHIkCG (Adaptado - 14/06/2016).

Os fatos citados culminaram na cassação e prisão de

Eduardo Cunha, conforme conteúdo das notícias a seguir.

-

12/09/2016),

(Adaptado

-

Cunha renuncia à presidência da Câmara dos Deputados (07/07/2016)

Ao afirmar que é vítima de perseguição e vingança, o Fonte: goo.gl/FyjXe4 (Adaptado). Direto ao
Ao afirmar que é vítima de perseguição e vingança, o
Fonte: goo.gl/FyjXe4 (Adaptado).
Direto ao Ponto
Para prisão do ex-governador Sérgio Cabral, o candi-
dato deve observar:
presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha
(PMDB-RJ), anunciou que protocolou a renúncia da
presidência da Casa. O peemedebista voltou a dizer
que é inocente de todas as acusações que pesam
contra ele e chorou ao falar de sua família.
Fonte: goo.gl/FF9rtE (Adaptado).
O nome da operação responsável pela prisão de Sér-
gio Cabral:
R: Operação Calicute, desdobramento da Lava
Jato.
A investigação:
Câmara cassa Eduardo Cunha (13/09/2016)
Com 450 votos favoráveis ao relatório aprovado na
Comissão de Ética, 193 a mais que o mínimo necessá-
rio, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha foi
R: Esquema responsável por desvios de R$ 224
milhões em contratos de grandes obras no estado
do RJ (ex: Maracanã, o Arco Metropolitano e o PAC
Favelas).
Acusações contra Sérgio Cabral:
cassado. Foram apenas 10 votos contrários à cassação
e 9 abstenções. A votação põe fim a um processo que
se arrasta há 11 meses.
Fonte: goo.gl/abWnFa (Adaptado).
R: Lavagem de dinheiro, corrupção e associação
criminosa.
Acontecimentos após a prisão de Sérgio Cabral:
Eduardo Cunha é preso pela PF em Brasília
(19/10/2016)
O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo
R: Adriana Ancelmo, mulher de Cabral, é presa.
Inicialmente, Cabral fica no complexo de Bangu,
RJ, porém, sob a acusação de ter privilégio no
Cunha foi preso preventivamente em Brasília pela
Polícia Federal (PF), por ordem do juiz Sérgio Moro,
um
mês após o ex-parlamentar perder o foro privilegia-
local, foi transferido para Curitiba-PR. Sob liminar,
Cabral conseguiu voltar para Bangu, RJ.
FIQUE DE OLHO: A permissão para cumprir prisão
domiciliar, concedida para Adriana Ancelmo, mulher
do,
já que teve o mandato cassado em plenário.
O ex-presidente da Câmara é investigado na operação
Lava Jato e acusado, entre outros crimes, de usar
contas bancárias na Suíça para lavar dinheiro de propi-
de Cabral, gerou uma série de protestos.
na oriunda de contratos de exploração de petróleo pela
Petrobras em Benin, na África.
Fonte: goo.gl/HIrPOi (Adaptado).
1.4. EDUARDO CUNHA
Eduardo Cunha está entre os políticos que mais apare-
ceram no noticiário no ano de 2016. Filiado ao Partido
do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), exerceu
Eduardo Cunha chama Temer e Lula como
testemunhas de defesa (02/11/2016)
O ex-presidente da Câmara e deputado cassado,
o cargo de deputado federal entre fevereiro de 2003 e
setembro de 2016, atuando como presidente da Câma-
Eduardo Cunha (PMDB-RJ), chamou o presidente
Michel Temer (PMDB), o ex-presidente Luiz Inácio Lula
ra no biênio 2015-2016.
da Silva (PT) e o ex-ministro Henrique Alves (PMDB-
Eduardo Cunha ganhou destaque ao longo dos últimos
dois anos, devido à ligação de seu nome em esquema
de corrupção envolvendo a Petrobras e também pelo
duro embate que promoveu contra o governo da ex-
RN), além de outras figuras públicas, como testemu-
nhas de defesa no processo que responde no âmbito
da Operação Lava Jato em Curitiba.
Fonte: goo.gl/bCCLHL (Adaptado).
presidente Dilma Rousseff.
Antes de apresentar as principais notícias associadas a
Eduardo Cunha no segundo semestre de 2016, alguns
fatos merecem ser pontuados:
Moro veta 21 das 41 perguntas de Eduardo Cunha
para Temer (28/11/2016)
O juiz Sérgio Moro vetou 21 das 41 perguntas da defe-
- Em 12/03/2015, ao depor na CPI da Petrobras, Cunha
afirmou que não possuía nenhuma conta no exterior.

- Em 2015, Cunha foi acusado de receber pelo menos

US$ 5 milhões em propina, em contas na Suíça, por

contratos da Samsung Heavy Industries com a Petro- bras.

- Em 03/03/2016, por 10 votos a 0 (zero), o STF decidiu aceitar denúncia contra Eduardo Cunha, que virou réu.

- Em 05/05/2016, o ministro do Supremo Tribunal Fede-

ral (STF) Teori Zavascki determinou o afastamento de Eduardo Cunha do mandato de deputado federal e, consequentemente, da presidência da Casa.

sa do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB) ao presidente da República Michel Temer (PMDB), arrolado como sua testemunha de defesa. Das 21 perguntas proibidas pelo juiz da Lava Jato, 13 foram consideradas “inapropriadas” pelo magistrado.

Fonte: goo.gl/JuVU0Z (Adaptado).

Eduardo Cunha é condenado a mais de 15 anos de prisão na Lava Jato (30/03/2017) Eduardo Cunha (PMDB), ex-presidente da Câmara dos

Deputados, foi condenado a 15 anos e quatro meses

de prisão por crimes apurados na Operação Lava Jato.

9
9
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

A sentença foi proferida pelo juiz federal Sérgio Moro, que entendeu que o principal algoz da ex-presidente Dilma Rousseff cometeu os crimes de corrupção passi- va, lavagem de dinheiro e evasão fraudulenta de divi- sas.

Fonte: goo.gl/Jrjds8 (Adaptado).

rar um empreendimento imobiliário em Salvador (BA)

de interesse do ex-ministro Geddel Vieira Lima.

Fonte: goo.gl/3qEKBo (Adaptado - 25/11/2016).

Para auxiliar na compreensão do tema foram compila- das notícias associadas ao caso, com destaque para

as acusações do ex-ministro Marcelo Calero, os moti- Direto ao Ponto vos do embate interno
as acusações do ex-ministro Marcelo Calero, os moti-
Direto ao Ponto
vos do embate interno no governo, os principais des-
O
primeiro aspecto que deve estar bem esclarecido é
o
motivo da cassação de Eduardo Cunha:
dobramentos e o envolvimento do presidente Michel
Temer.
R: Ele foi cassado sob a acusação de quebra de
decoro parlamentar por ter mentido à CPI da
Petrobras, ao negar a existência de contas bancá-
rias na Suíça.
Calero diz que deixou Cultura por causa de pressão
do ministro Geddel (19/11/2016)
O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, que pediu
Importante: Eduardo Cunha "caiu nas mãos de
Sérgio Moro". Cunha era réu em dois processos no
STF, porém, com a cassação do seu mandato de
deputado federal, perdeu foro privilegiado e os pro-
cessos foram realocados, sendo um encaminhado
para o TRF da 2ª Região (Rio de Janeiro) e o outro
para 13ª Vara Federal de Curitiba.
demissão do cargo, acusa o ministro Geddel Vieira
Lima de pressioná-lo para liberar uma obra embargada
em Salvador.
O
motivo seria um prédio de alto padrão, de 30 andares
e
24 apartamentos. Geddel comprou um dos imóveis
na planta. O empreendimento fica numa área nobre de
Salvador, com vista livre para a Baía de Todos os San-
tos e numa região com construções tombadas, como o
É
interessante conhecer os processos no qual Eduar-
do
Cunha é réu:
Outeiro e a Igreja de Santo Antônio, além do Forte de
Santa Maria.
R: Eduardo Cunha é réu em 3 (três) processos.
-
Recebimento de propina em contas secretas
O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional
na
Suíça. É réu pelos crimes de corrupção passiva,
(Iphan) em Salvador liberou a construção do edifício
lavagem de dinheiro, evasão de divisas e falsidade
ideológica. Cunha teria utilizado contas na Suíça para
receber propina relativa à aquisição, pela Petrobras,
de um campo de petróleo na costa do Benin, na África,
em 2011, por US$ 34 milhões. O caso está sendo
conduzido pelo juiz Sérgio Moro, na 13ª Vara Federal
com todos os 30 andares, mas o Iphan Nacional consi-
derou que o prédio "prejudica e altera o significado dos
bens tombados na paisagem" e decidiu anular a autori-
zação concedida pelo Iphan na Bahia e determinou o
embargo da obra.
O Iphan é um órgão do Ministério da Cultura. O agora
de Curitiba.
- Acusado de exigir e receber ao menos US$ 5 mi-
lhões em propina de um contrato do estaleiro Sam-
sung Heavy Industries com a Petrobras. O caso está
sob a responsabilidade do Tribunal Regional Federal
ex-ministro Marcelo Calero afirma que passou a ser
pressionado pelo ministro da Secretaria de Governo
para liberar a obra. O Iphan Nacional considera a pos-
sibilidade de o prédio ter, no máximo, 13 andares.
Fonte: goo.gl/CI0UTL (Adaptado).
da 2ª Região (Rio de Janeiro).
- Ação civil de improbidade administrativa, movida no
âmbito da Operação Lava Jato, que alega a formulação
de um esquema entre os réus visando o recebimento de
vantagem ilícita proveniente de contratos da Petrobras.
A ação corre na Justiça Federal do Paraná, na 6ª Vara
Cível.
Atenção: Eduardo Cunha sofre diversas acusações e,
a qualquer momento, pode virar réu em um novo
processo.
Outro aspecto importante refere-se ao motivo da pri-
Geddel confirma conversa com Calero, mas nega
pressão (19/11/2016)
Acusado pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero de
pressioná-lo para liberar um empreendimento embar-
gado em Salvador, o ministro da Secretaria de Gover-
no, Geddel Vieira Lima, confirma que conversou sobre
o caso, mas nega qualquer pressão e atribuiu à “inex-
periência” de Calero a má interpretação sobre as con-
sultas que fez sobre o caso.
Fonte: goo.gl/tdRwO8 (Adaptado).
são:
R: Eduardo Cunha foi preso, preventivamente,
porque, segundo o juiz Sérgio Moro, ele mantém
poder suficiente para obstruir as investigações e
intimidar potenciais testemunhas.
A prisão está vinculada às investigações da Lava-
Jato, especificamente, ao caso de recebimento de
propina na aquisição, pela Petrobras, de um cam-
po de petróleo na costa do Benin.
Comissão de Ética decide investigar conduta do
ministro Geddel Vieira Lima (21/11/2016)
A Comissão de Ética Pública da Presidência da Repú-
blica decidiu abrir procedimento para apurar a conduta
ética do ministro da Secretaria de Governo, Geddel
Vieira Lima, ao procurar o ex-ministro da Cultura, Mar-
celo Calero, para tratar de interesses pessoais.
Fonte: goo.gl/VSw5af (Adaptado).
Importante: Eduardo Cunha foi condenado a 15
anos e quatro meses de prisão por crimes apura-
dos na Operação Lava Jato. A sentença
foi proferida pelo juiz federal Sérgio Moro.
Calero diz à PF que Temer o pressionou no caso
Geddel (24/11/2016)
O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero disse em

1.5. CRISE INTERNA NO GOVERNO TEMER:

MARCELO CALERO X GEDDEL VIEIRA LIMA Em novembro de 2016, o governo de Michel Temer vivenciou uma crise interna. O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero afirmou ter sido pressionado para libe-

depoimento à Polícia Federal que o presidente da Re- pública, Michel Temer, o "enquadrou" no intuito de encontrar uma "saída" para a obra de interesse do ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo). "Que na quinta, 17, o depoente foi convocado pelo presidente Michel Temer a comparecer no Palácio do Planalto; que nesta reunião o presidente disse ao de- poente que a decisão do Iphan havia criado 'dificulda-

10
10
ATUALIDADES
ATUALIDADES

des operacionais' em seu gabinete, posto que o minis-

tro Geddel encontrava-se bastante irritado; que, então,

o presidente disse ao depoente para que construísse

uma saída para que o processo fosse encaminhado à AGU (Advocacia Geral da União), porque a ministra

Grace Mendonça teria uma solução", disse Calero.

Fonte: goo.gl/eblrlb (Adaptado).

Relatório da Polícia Federal aponta que o ex-ministro

Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) atuava "em prévio e harmônico ajuste" com o ex-presidente da Câmara, deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para facilitar a liberação de empréstimos da Caixa Econômi-

ca Federal a empresas e, em troca, receber propina.

Fonte: goo.gl/QSHT5n (Adaptado).

1.6. OPERAÇÃO MÉTIS Em outubro de 2016, a Polícia Federal deflagrou a Operação Métis. O objetivo da operação era desarticu- lar uma organização criminosa que atrapalhava as investigações da Lava Jato. O principal alvo da Opera- ção Métis foi a Polícia Legislativa, com mandados de busca e apreensão nas suas dependências.

Geddel pede demissão do cargo após escândalo revelado por Calero (25/11/2016)

Geddel Vieira Lima apresentou sua carta de demissão.

É o sexto ministro a pedir para deixar o cargo desde que Temer assumiu a
É o sexto ministro a pedir para deixar o cargo desde
que Temer assumiu a presidência interinamente em
maio.
Fonte: goo.gl/kk6mT6 (Adaptado).
Fonte: goo.gl/4Jg673 (Adaptado).
Calero diz que conversa que gravou com Temer foi
“protocolar” (27/11/2016)
As ações da Operação Métis geraram atritos entre o
O ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, disse, em entre-
presidente do Senado, Renan Calheiros, e a presidente
vista ao Fantástico, que gravou uma conversa telefônica
com o presidente da República, Michel Temer, mas que o
seu conteúdo foi “burocrático” e “protocolar”. Ele negou ter
gravado qualquer outra conversa com Temer.
Temer disse que considerava "indigno" e "gravíssimo"
um ministro gravar o presidente da República.
Questionado se chegou a gravar alguma conversa com
Geddel ou Padilha, Calero disse que não poderia respon-
der a essa pergunta porque “poderia atrapalhar as investi-
gações”.
do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen
Lúcia.
Seguem as principais notícias sobre a operação.
PF prende policiais acusados de atrapalhar Lava
Jato (21/10/2016)
A Polícia Federal prendeu quatro policiais legislativos
do Senado suspeitos de atrapalhar investigações da
Operação Lava Jato. Segundo as investigações, eles
são suspeitos de localizar e destruir escutas telefônicas
Fonte: goo.gl/8GjFOa (Adaptado).
autorizadas pelo STF (Supremo Tribunal Federal) na
casa de senadores.
Fonte: goo.gl/WIHb1k (Adaptado).
Direto ao Ponto
O candidato deve ficar atento para os seguintes pon-
tos:
PF realiza operação no Senado e prende quatro
policiais legislativos (21/10/2016)
A Polícia Federal deflagrou a Operação Métis, que visa
- Motivo das acusações de Marcelo Calero:
R: O ministro da Secretaria de Governo, Geddel
Vieira Lima, teria pressionado Marcelo Calero para
liberar uma obra embargada em Salvador. Geddel
é proprietário de um apartamento no empreendi-
mento e possui interesses pessoais.
- O embargado da obra:
R: O empreendimento fica numa região com cons-
truções tombadas. O Iphan da Bahia liberou a
construção do edifício com todos os 30 andares,
mas o Iphan Nacional considerou que o prédio
"prejudica e altera o significado dos bens tomba-
dos na paisagem".
desarticular uma suposta organização criminosa que
tentava atrapalhar investigações da Lava Jato. Houve
busca e apreensão nas dependências da Polícia Legis-
lativa, no subsolo do prédio do Senado. Quatro policiais
legislativos foram presos provisoriamente, por cinco
dias: Pedro Ricardo Carvalho, diretor da polícia do
Senado, Geraldo Cesar de Deus Oliveira, Everton
Taborda e Antonio Tavares. Carvalho é homem de
confiança do presidente do Senado, Renan Calheiros
(PMDB-AL).
Fonte: goo.gl/3os2eC (Adaptado).
- Significado da sigla Iphan:
Renan anuncia ação no Supremo devido à
operação da PF no Senado (24/10/2016)
R: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico
O presidente do Congresso Nacional, senador Renan
Nacional.
Calheiros (PMDB-AL), anunciou que ingressará com ação
- Acusações sobre o envolvimento do presidente:
no Supremo Tribunal Federal (STF) em razão da Opera-
R: Michel Temer teria solicitado que Marcelo Cale-
ro construísse uma saída para que o processo
fosse encaminhado à Advocacia Geral da União
(AGU).
ção Métis. Para ele, “juizeco” de primeira instância não
pode “atentar contra um poder”.
Fonte: goo.gl/I22InU (Adaptado).
- Gravações telefônicas:
Cármen Lúcia rebate críticas de Renan Calheiros
R: Marcelo Calero confirmou a gravação de con-
versa com Michel Temer.
(25/10/2016)
A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF),
- Consequências das acusações:
ministra Cármen Lúcia, rebateu as críticas do
R: Geddel Vieira Lima apresentou sua carta de
demissão. Foi o sexto ministro a deixar o cargo no
governo Temer.
presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL),
ao juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara da

FALANDO NISSO Geddel e Cunha facilitavam crédito da Caixa em troca de propina, diz PF (13/01/2017)

Justiça Federal de Brasília, que autorizou que a PF entrasse no Senado e prendesse quatro policiais legislativos. “Onde juiz for destratado, eu também sou”, declarou Cármen. A ministra declarou ainda que o Judiciário exige respeito dos demais Poderes da República.

11
11
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

Fonte: goo.gl/HcWlmJ (Adaptado).

1.7. RENAN CALHEIROS VIRA RÉU NO STF

Teori suspende Operação Métis no Senado

(27/10/2016)

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Fede- ral (STF), suspendeu a Operação Métis e pediu que o inquérito fosse enviado da 10ª Vara Federal da Seção Judiciária de Brasília à corte máxima. O agente Antônio Tavares dos Santos Neto alegou na reclamação que houve usurpação da competência do Supremo Tribunal Federal. Em sua decisão, Teori considerou que, por envolver senadores com foro privilegiado, cabe ao Supremo analisar se houve ou não “violação de competência” ou “usurpação de poder” por parte do juiz de primeira instância.

Por 8 votos a 3, Renan Calheiros vira réu no STF pela 1ª vez (01/12/2016) Renan é acusado de receber propina da construtora Mendes Júnior para apresentar emendas que benefici- ariam a empreiteira. Em troca, despesas pessoais da jornalista Monica Veloso, com quem mantinha relacio- namento extraconjugal e teve uma filha, teriam sido

pagas pela empresa, entre elas, a pensão a alimentícia

da menina.

Fonte: goo.gl/Lu0vaf (Adaptado). Ministro do STF afasta Renan Calheiros da presidência do Senado (05/12/2016) O
Fonte: goo.gl/Lu0vaf (Adaptado).
Ministro do STF afasta Renan Calheiros da
presidência do Senado (05/12/2016)
O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco
Fonte: goo.gl/rMykjS (Adaptado).
Aurélio Mello decidiu afastar o senador Renan Calhei-
Direto ao Ponto
ros (PMDB-AL) da presidência do Senado. A decisão
mantém o mandato do senador.
O argumento é o de que Renan não poderia permane-
Historicamente as provas da VUNESP apresentam ques-
tões sobre investigações e operações. Essas questões
aparecem das seguintes formas:
cer na linha de substituição do presidente da República
sendo réu em processo criminal.
Fonte: goo.gl/zH4BsQ (Adaptado).
- A questão cita o nome da operação e questiona sobre o
objeto da investigação, que no caso da Métis era:
R: Desarticular uma organização que atrapalhava as
investigações da Lava Jato.
Exemplo de questão em provas anteriores:
Senado decide descumprir liminar para afastar
Renan e aguardar plenário do STF (06/12/2016)
A Mesa Diretora do Senado decidiu que aguardará a
(VUNESP-2015 - CRO-SP - Assistente Administrativo)
Deflagrada no fim de março e com origem em uma carta
anônima entregue num envelope pardo, a Operação
Zelotes da Polícia Federal investiga um grande esquema
de corrupção.
deliberação do plenário do Supremo Tribunal Federal
(STF) para cumprir a decisão liminar (provisória) do
ministro Marco Aurélio Mello de afastar o presidente do
Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do comando da
Casa.
(Folha
de
S.
Paulo,
1°.
04.15.
Disponível
em:<http://goo.gl/y3u92i>. Adaptado)
Fonte: goo.gl/qLg0sk (Adaptado).
A Operação Zelotes investiga:
a) fraudes em licitações públicas.
b) um esquema de sonegação fiscal.
c) caixa 2 para financiamento de campanhas políticas.
d) a prática de lavagem de dinheiro em paraísos fiscais.
e) o superfaturamento de obras de grandes empreiteiras.
- A questão também pode citar o objeto das investiga-
Supremo decide manter Renan Calheiros na
presidência do Senado (07/12/2016)
Por seis votos a três, o STF (Supremo Tribunal Fede-
ral) decidiu manter o senador Renan Calheiros (PMDB-
AL) na presidência do Senado Federal, mas retirá-lo da
linha sucessória da Presidência da República.
ções e perguntar o nome da operação. Nesse caso, o
enredo da questão citaria o fato da Polícia Federal ter
prendido policiais legislativos no Senado, sob suspeita de
atrapalhar investigações da Lava Jato e, por fim, o can-
didato seria questionado sobre o nome da operação.
R: Operação Métis.
Fonte: http://r7.com/pkAt (Adaptado).
Direto ao Ponto
- Outra possibilidade é aparecer um questionamento
sobre os alvos da operação Métis:
Este tema merece uma atenção especial por parte
do candidato, pois o presidente do Senado virou
réu e, novamente, ocorreu um "desentendimento"
entre o judiciário e o legislativo.
O primeiro aspecto é lembrar o motivo que fez
R: Policiais Legislativos, no Senado.
Renan Calheiros virar réu:
A Operação Métis tem uma especificidade a ser conside-
rada, que foi a "troca de farpas" entre o presidente do
Senado Renan Calheiros e a presidente do STF Carmen
Lúcia. O fato marcou um dos vários "desentendimentos"
entre os poderes legislativo e judiciário no ano de 2016.
R: Renan Calheiros é acusado de receber pro-
pina da construtora Mendes Júnior para apre-
sentar emendas que beneficiariam a empreitei-
ra.
O segundo aspecto é conhecer como ocorreu o
A origem do desentendimento entre Renan Calheiros e
"desentendimento" entre o judiciário e o legislativo:
Carmen Lúcia:
R: Renan Calheiros criticou a decisão do juiz Vallis-
ney de Souza Oliveira, que autorizou que a PF en-
trasse no Senado. Renan Calheiros utilizou o termo
"juizeco" para se referir ao juiz do caso.
R: O ministro Marco Aurélio Mello (atenção no
nome do ministro), do STF, decidiu afastar Re-
nan Calheiros da presidência da Câmara, pois,
devido à acusação, ele não poderia ocupar a
A resposta do poder judiciário:
R: Carmen Lúcia pediu respeito ao judiciário e afir-
mou: "onde um juiz for destratado, eu também sou".
Por fim, é importante saber o último passo da operação
linha de substituição do presidente da Repúbli-
ca. Porém, o Senado decide descumprir a deci-
são.
E o desfecho do caso:
Métis:
R: O STF suspendeu a operação Métis e pediu que o
inquérito fosse à corte, pois envolve senadores com
R: STF mantém Renan Calheiros no cargo, mas
retirá-lo da linha sucessória da Presidência da
República.
foro privilegiado.
Renan Calheiros no cargo, mas retirá-lo da linha sucessória da Presidência da República. foro privilegiado. 12
12
12
ATUALIDADES
ATUALIDADES

1.8. DEZ MEDIDAS CONTRA A CORRUPÇÃO Desde 2014, membros do Ministério Público Federal (MPF), especialmente os integrantes da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba-PR, iniciaram discussões para o desenvolvimento de alterações legislativas a fim de combater a corrupção e a impunidade. Essas discus- sões resultaram no lançamento da campanha "10 Me- didas Contra a Corrupção". O MPF coletou mais de 2 milhões de assinaturas de cidadãos favoráveis as me- didas contra a corrupção, que foram levadas ao con- gresso por membros da sociedade civil. No início de 2016, parlamentares da Frente Mista de Combate à Corrupção apresentaram na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 4850/2016, que contempla integralmente as propostas da Campanha 10 Medidas contra a Cor- rupção. Em 30/11/2016, a Câmara dos Deputados aprovou o texto, no entanto, a proposta recebeu uma série de alterações e acabou gerando polêmica. Assim, cabe destacar as principais notícias sobre o caso.

Principais pontos retirados:

- Poder ao MP para acordos de leniência;

- Crime de enriquecimento ilícito para servidores públi- cos;

- "Reportante do bem" (benefício a quem relata crime);

- Dificuldade para prescrição de penas;

- Confisco alargado;

- Acordos entre defesa e acusação;

- Responsabilização de partidos políticos.

- Corrupção passa a ser considerado crime hediondo; - Prevenção à corrupção, transparência e proteção
- Corrupção passa a ser considerado crime hediondo;
- Prevenção à corrupção, transparência e proteção à
fonte de informação;
- Regras para limitar o uso de recursos com o fim de
atrasar processos;
- Reforçar as regras para apresentação de ações popu-
lares;
- Abuso de responsabilidade a juízes e integrantes do
Ministério Público.
Câmara altera pacote anticorrupção (30/11/2016)
Fonte: goo.gl/opHpD7 (Adaptado - 30/11/2016).
A Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei com
medidas contra a corrupção (PL 4850/16). O texto-
-base, que reúne propostas para inibir crimes de desvio
de dinheiro e práticas ilícitas no país, foi aprovado por
450 votos a favor, 1 contra e 3 abstenções.
Contudo, poucos pontos do projeto original foram man-
tidos pelos parlamentares. Após a aprovação do texto-
-base, os deputados passaram a madrugada votando
emendas importantes, que desfiguram o espírito origi-
nal do projeto.
Juízes e promotores protestam contra mudanças
em pacote anticorrupção (01/12/2016)
Juízes e promotores protestaram em frente ao Supre-
mo Tribunal Federal (STF) contra a aprovação das
emendas que alteram as medidas de combate corrup-
ção.
Fonte: goo.gl/Jvo9vE (Adaptado).
Direto ao Ponto
A votação sobre o Projeto de Lei das 10 Medidas
Fonte: goo.gl/IAuEY7 (Adaptado).
Câmara retira seis propostas do MPF e desfigura
pacote anticorrupção (30/11/2016)
contra a Corrupção é um tema com elevado potencial
para aparecer nas provas e merece atenção especial.
O que gerou polêmica:
] [
os deputados desfiguraram o pacote que reúne um
R: Todo o processo envolvendo a votação foi po-
conjunto de medidas de combate à corrupção propos-
tas pelo Ministério Público Federal e avalizadas por
lêmico, mas dois aspectos são proeminentes.
mais de 2 milhões de assinaturas de cidadãos encami-
nhadas ao Congresso Nacional.
- Das 10 medidas, apenas 4 foram aprovadas, e de
modo parcial.
- Possibilidade de juízes e promotores responde-
rem por crime de abuso de autoridade.
O texto foi aprovado pela Câmara e segue agora para
análise do Senado.
Diversas propostas foram rejeitadas e outros temas
polêmicos foram incluídos. Das dez medidas originais,
somente quatro passaram, ainda assim parcialmente.
O que foi aprovado da proposta original:
R: Corrupção passa a ser considerado crime hedi-
ondo.
- Prevenção à corrupção, transparência e proteção
Fonte: goo.gl/eNO3yG (Adaptado).
à fonte de informação.
- Regras para limitar o uso de recursos com o fim
Câmara altera pacote anticorrupção e inclui
punição a juízes e promotores (30/11/2016)
de atrasar processos.
Entre as mudanças aprovadas está a inclusão no texto
da possibilidade de juízes e promotores responderem
por crime de abuso de autoridade.
Pela emenda apresentada, magistrados podem ser
enquadrados por abuso de autoridade em, pelo menos,
oito situações, entre elas, "expressar, por qualquer
meio de comunicação, opinião sobre processo penden-
- Reforçar as regras para apresentação de ações
populares.
A reação do Poder Judiciário sobre a possibilidade de
responder por crime de abuso de autoridade:
R: O Poder Judiciário criticou a modificação do
projeto de lei. Em sessão do Conselho Nacional de
Justiça, a presidente do STF Cármem Lúcia disse:
te de julgamento". A pena prevista é de seis meses a
dois anos de prisão e multa.
Já no caso dos membros do Ministério Público, eles
podem responder pelo crime se, entre outros motivos,
promoverem a "instauração de procedimento sem que
existam indícios mínimos de prática de algum delito".
Além da "sanção penal", os procuradores ou promoto-
res estarão "sujeitos a indenizar o denunciado pelos
danos materiais, morais ou à imagem que houverem
provocado".
“Juiz sem independência não é juiz. É carimbador
de despachos, segundo interesses particulares;
não garantidor de direitos fundamentais, segundo
a legislação vigente”.
Atenção: Novamente, fica caracterizado um "desen-
tendimento" entre o Poder Legislativo e o Poder Judi-
ciário. Os poderes divergiram nos casos da Operação
Métis, ao tornar Renan Calheiros (presidente do Se-
nado) réu, entre outros casos. Para alguns, a proposta
de criminalização de juízes e promotores é uma vin-
gança do Poder Legislativo.
Fonte: goo.gl/3RnleK (Adaptado).

Principais pontos aprovados:

13
13
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

1.9. ELEIÇÕES MUNICIPAIS NO BRASIL PT perde cinturão no ABC Paulista (02/10/2016)

O Partido dos Trabalhadores está fora do segundo

turno das eleições no cinturão que a legenda sempre manteve no ABC Paulista. Nas cidades de Diadema, Guarulhos e São Bernardo do Campo os candidatos do partido ficaram em terceiro lugar. Já em São Caetano e Osasco, o partido ficou em quinto lugar.

Fonte: goo.gl/HKQrMZ (Adaptado).

PMDB termina com o maior nº de prefeitos; PSDB tem o maior crescimento entre os grandes

Além de São Paulo, onde elegeu João Doria no primei-

ro turno, os tucanos venceram também em outras 2

das 10 cidades mais populosas do país: Manaus e Porto Alegre.

O PSDB também será o partido que mais vai governar

capitais a partir de 2017. Candidatos tucanos venceram em 7 das 26 capitais.

Fonte: goo.gl/M95PR3 (Adaptado).

Menos da metade dos prefeitos que buscava reeleição teve êxito (01/11/2016) Quase metade dos prefeitos do país que tentou a re- condução ao cargo obteve sucesso na eleição deste

(30/10/2016) O PMDB, com 1038 prefeitos eleitos, termina a eleição de 2016 como o partido
(30/10/2016)
O
PMDB, com 1038 prefeitos eleitos, termina a eleição
de
2016 como o partido com o maior número de prefei-
turas no país.
ano.
De acordo com dados do TSE (Tribunal Superior Eleito-
ral) tabulados pela Folha, 2.945 prefeitos
se candidataram à reeleição e 1.385 conseguiram um
Entre os partidos grandes, no entanto, o PSDB é o
grande vitorioso. O partido irá governar 803 cidades, o
que representa 15,5% a mais que em 2012, quando
venceu 695 disputas.
índice de 47%.
Nas capitais, 15 dos 20 prefeitos que concorreram
foram reeleitos.
Fonte: goo.gl/SGNr4H (Adaptado).
O PSD também registra um crescimento: de 498 prefei-
tos eleitos em 2012 para 540 agora.
O PT, que venceu 638 cidades em 2012 – no auge da
popularidade de Lula e Dilma –, perdeu 60% delas.
Agora, conquistou 254.
Nas capitais, o PSDB foi o que mais elegeu prefeitos.
Serão sete: João Doria, em São Paulo; Firmino Filho,
em Teresina; Zenaldo Coutinho, em Belém; Rui Palmei-
ra, em Maceió; Artur Neto, em Manaus; Nelson Mar-
chezan Jr., em Porto Alegre; e Dr. Hildon, em Porto
Velho.
Desgastado pela Operação Lava Jato e pelo impeach-
ment de Dilma, o PT elegeu apenas um prefeito em
capital: Marcus Alexandre, em Rio Branco. Em 2012,
foram quatro.
Eleições 2016: número de prefeitas eleitas em 2016
é menor que 2012 (08/11/2016)
As 641 mulheres eleitas prefeitas nas eleições munici-
pais 2016 representaram 11,57% do total. O número
apresentou queda em relação ao pleito de 2012, quan-
do elas somavam 659 prefeitas eleitas, o que corres-
pondeu a 11,84% do total. Em apenas uma capital, em
Boa Vista, RR, uma mulher, Teresa Surita (PMDB), foi
eleita prefeita.
Fonte: goo.gl/wABYFF (Adaptado).
Votos inválidos batem recorde (31/11/2016)
As abstenções chegaram a 21,55%, batendo o índice
de 2012 (19,12% do total de eleitores), que era o maior,
desde então.
Nulos quase dobraram em relação à última eleição,
passando de 4,81% em 2012 para 8,33% no segundo
turno deste ano. Brancos tiveram leve alta, indo de
2,63% para 2,88%.
Fonte: goo.gl/ZDGGoX (Adaptado).
Direto ao Ponto
Os resultados de eleições realizadas no Brasil são
normalmente lembrados pelas provas de atualidades.
Em relação às eleições municipais de 2016, o candi-
dato deve estar atento para os seguintes questiona-
mentos:
- Nome do partido político que conquistou o maior
número de prefeituras:
R: Partido do Movimento Democrático Brasilei-
ro (PMDB) com 1038 prefeituras.
- Nome do partido político que governará a maior
parcela da população:

Fonte: goo.gl/RWEH2d (Adaptado).

PSDB vai governar 24% da população brasileira, índice recorde desde 2000 (31/10/2016)

A eleição de 2016 transformou o PSDB no partido com

a maior população governada no país. Com vitória em 28 das 92 cidades do país com mais de

200 mil eleitores, prefeitos tucanos vão administrar municípios que somam 23,7% da população brasileira.

o maior índice para um partido em eleições munici-

É

pais desde 2000.

R: Partido da Social Democracia Brasilei- ra (PSDB) vai governar 48,74 milhões de habitan- tes (24% da população brasileira). - Nome do partido político que conquistou o maior número de capitais:

Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) com 7 prefeituras: São Paulo, Teresina, Belém, Maceió, Manaus, Porto Alegre e Porto Velho. Importante: O PSDB é considerado o grande vence- dor das eleições de 2016, pois governará a maior população (48,74 milhões de habitantes); administrará as maiores receitas do país (R$ 158,5 bilhões); e teve o maior crescimento de prefeituras entre os grandes partidos (passou de 695 para 803, um aumento de

15,54%).

14
14
ATUALIDADES
ATUALIDADES
Direto ao Ponto A estrutura da questão abaixo é bom exemplo do que Foram compilados
Direto ao Ponto
A estrutura da questão abaixo é bom exemplo do que
Foram compilados alguns fatos expressivos sobre o
governo do presidente Michel Temer.
pode aparecer na prova.
(FCC – 2013) – Secretaria da Fazenda de São Paulo
(SEFAZ/SP) - Agente Fiscal de Rendas
Direto ao Ponto
- Peculiaridade da posse do presidente Michel Temer:
A análise do panorama político brasileiro, após as
eleições municipais de 2012, permite afirmar que o
R: Aos 75 anos, Michel Temer foi o presidente
mais velho a tomar posse.
a)
DEM saiu fortalecido por suas vitórias em capitais
da
região norte.
b)
PSDB manteve sua força com as conquistas de
Economia
capitais do Sudeste.
c)
PMDB deixou de ser o partido com maior número
Governo prevê rombo de R$ 139 bilhões nas contas
em 2017 (07/07/2016)
de
prefeituras do Brasil.
O déficit primário para o próximo ano está em 139
d)
PT saiu fortalecido no Nordeste, com a vitória em
diversas capitais.
e) PSB foi o partido que conquistou o maior núme-
ro de prefeituras em capitais.
bilhões de reais, anunciou o ministro da Fazenda,
Henrique Meirelles. Segundo ele, para chegar ao valor,
a equipe econômica terá não apenas de cortar despe-
sas, mas obter receitas adicionais por meio do aumento
- Caso isso ocorra no contexto da eleição de 2016:
de tributos.
R: PSDB.
Fonte: goo.gl/iibr7O (Adaptado).
- Ao invés dos vitoriosos, as questões podem pergun-
tar sobre os derrotados nas eleições de 2016:
R: O maior derrotado foi o Partido dos Trabalhado-
res (PT) que teve uma queda de -60,19% no núme-
ro de prefeitos, passando de 638 para 254 prefeitu-
Emenda do Teto dos Gastos Públicos é promulgada
e entra em vigor (15/12/2016)
A
Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que limita
ras. O partido também perdeu o posto de governar
a maior população do país. Destacam-se as derro-
os
gastos públicos pelos próximos 20 anos foi promul-
tas do PT no ABC Paulista, região historicamente
com vitórias dos petistas, e em São Paulo.
- Uma peculiaridade das eleições de 2016 foi o eleva-
do percentual de abstenções, que, com 21,55%, bate-
ram recordes no país. É importante conhecer as três
cidades com maior percentual de abstenção:
R: Ribeirão Preto, SP (27,6%), Petrópolis, RJ
(27,1%) e Rio de Janeiro, RJ (26,9%).
Questões mais complexas podem perguntar sobre a
reeleição de prefeitos ou entrar na discussão de gêne-
gada em sessão solene do Congresso Nacional com a
presença dos presidentes do Senado, Renan Calheiros
(PMDB-AL), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). A
proposta foi debatida e aprovada em dois turnos nas
duas casas legislativas.
Encaminhada pelo Executivo ao Congresso Nacional, a
proposta limita os gastos públicos pelos próximos 20
anos, a partir de 2017, com possibilidade de revisão a
partir do décimo ano de vigência. Pela medida, os
gastos públicos totais serão reajustados com base na
inflação oficial do ano anterior.
ro nas eleições.
Fonte: goo.gl/K8zXQZ (Adaptado).
- Sobre as reeleições:
R: Foi abaixo da expectativa, pois 47% (1385) dos
prefeitos que tentaram reeleição saíram vitoriosos.
FGTS: saque de contas inativas poderá ser feito a
partir de fevereiro (23/12/2016)
Uma ressalva deve ser feita, nas capitais o número
de prefeitos reeleitos foi satisfatório, 75% (15) dos
prefeitos que concorreram foram reeleitos.
A fim de estimular e recuperar a economia em 2017, o
- Em relação à representatividade por gênero:
R: Os resultados reforçaram a desigualdade de
gênero na representação política do país. Apenas
641 (11,57%) mulheres foram eleitas prefeitas nas
eleições municipais de 2016. Nas capitais, apenas
uma mulher foi eleita prefeita.
Atenção: As eleições de 2016 foram as primeiras
realizadas sob a vigência da Lei nº 13.165/2015,
conhecida como Reforma Eleitoral, que promoveu
importantes alterações nas regras das eleições, como:
Governo anunciou que o saque do saldo das contas
inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço
(FGTS) poderá ser executado a partir de fevereiro.
Até o momento atual e potencializada para injetar até
R$ 30 bilhões na economia, a regra foi modificada.
Antes, trabalhadores com carteira assinada só podiam
sacar, no máximo, até R$ 1 mil de contas inativas. Se
estivessem desempregados, o prazo era de, pelo me-
nos, três anos ininterruptos.
Fonte: goo.gl/7ZXo6j (Adaptado).
proibição de financiamento eleitoral por pessoas jurí-
dicas; redução no tempo da campanha eleitoral; parti-
cipação de debates etc.
No ano de 2012, pelo menos duas provas pergunta-
ram sobre quais foram as novas regras que marcaram
as eleições municipais em todo o território nacional.
Na ocasião, era Ficha Limpa. Em 2016 foi:
Direto ao Ponto
- O governo do presidente Michel Temer conseguiu
R: A Lei 13.165/2015, conhecida como Reforma
Eleitoral.
aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC)
que limita os gastos públicos pelos próximos 20
anos. A medida é justificada pelo governo para
promover uma forte contenção fiscal a fim de equi-
librar as contas do Governo e, com isso, estancar a
“explosão” da dívida pública.

1.10. O GOVERNO DE MICHEL TEMER Em 12/05/2016, após o Senado aprovar a instauração do processo de impeachment de Dilma Rousseff, Michel Temer assumiu interinamente a Presidência da República e, em 31/08/2016, após o fim do julgamento e a aprovação do impeachment, tomou posse em defi- nitivo.

Participação em Eventos Internacionais Temer considera sua estreia no G20 "produtiva"

(04/09/2016)

O

presidente do Brasil, Michel Temer, estreou na cúpu-

la

do G20 de Hangzhou (China) como chefe de Estado

definitivo após a conclusão do processo de impeach- ment de Dilma Rousseff e qualificou a reunião de "en-

15
15
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

contro produtivo", apesar das críticas vindas de fora da China.

Fonte: goo.gl/NQ4lwv (Adaptado).

Motivo: Em conversa gravada de forma oculta pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, Jucá sugere um pacto para barrar o avanço da Operação Lava Jato.

2. Fabiano Silveira (Ministério da Transparência,

Fiscalização e Controle) deixou o cargo em

30/05/2016.

Motivo: Em uma conversa também gravada pelo ex-

presidente da Transpetro, Silveira faz críticas à Opera- ção Lava Jato e orienta Renan Calheiros (presidente da Câmara e seu padrinho político) e Machado sobre como eles deveriam se comportar em relação à Procuradoria-Geral da República.

Temer desembarca na Índia para participar da reunião do BRICS (15/10/2016)

O presidente Michel Temer desembarcou em Goa, na

Índia, onde participará da VIII Cúpula do BRICS, bloco

formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

A comitiva presidencial na Índia é composta pelos

ministros das Relações Exteriores, José Serra, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira. Em Goa, Serra disse que o governo brasileiro pretende triplicar o comércio entre o Brasil e a Índia em poucos anos, por meio do estreitamento das relações bilate- rais.

3. Henrique Eduardo Alves (Ministério do Turis- mo) deixou o cargo em 16/06/2016. Motivo: Em
3. Henrique Eduardo Alves (Ministério do Turis-
mo) deixou o cargo em 16/06/2016.
Motivo: Em delação premiada, Machado afirmou que
Henrique Alves teria recebido R$ 1,55 milhão em pro-
pina, maquiada de doações eleitorais, durante 2008 e
Fonte: goo.gl/VxY8HP (Adaptado).
2014.
4. Fábio Medina Osório (Advocacia Geral da União)
Direto ao Ponto
Em 2016, o presidente Michel Temer participou das
seguintes reuniões internacionais:
deixou o cargo em 9/08/2016.
Motivo: Demitido depois de discussão com o ministro
da Casa Civil, Eliseu Padilha, por ter pedido acesso
R: - Cúpula do G20, na China ("estreia como presi-
dente")
- Cúpula do BRICS, na Índia.
aos inquéritos de políticos envolvidos na Lava Jato sem
comunicar Temer.
5. Marcelo Calero (Ministério da Cultura) deixou o
Mudanças Ministeriais
Michel Temer sanciona a reforma ministerial com
vetos parciais (30/09/2016)
Foi publicada no Diário Oficial da União a Lei
13.341/2016, oriunda da Medida Provisória 726/2016,
que promoveu uma reforma administrativa na estrutura
do Governo Federal. A MP, editada nos primeiros dias
cargo em 18/11/2016.
Motivo: Pediu demissão após supostamente ter sido
pressionado pelo ministro da Secretaria de Governo,
Geddel Vieira Lima, para que o Iphan, órgão subordi-
nado à Cultura, aprovasse o projeto imobiliário La Vue
Ladeira da Barra, localizado próximo a uma área tom-
bada em Salvador.
6. Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) dei-
da gestão interina de Michel Temer, reduziu de 39 para
24 o número de ministérios.
A MP extinguiu os ministérios da Previdência Social, do
Desenvolvimento Agrário, da Ciência e Tecnologia e
das Comunicações, cujas atribuições foram incorpora-
das ao novo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inova-
ção e Comunicações.
Também acabou com o Ministério da Cultura,
xou o cargo em 25/11/2016.
Motivo: Foi acusado pelo ex-ministro da Cultura de
tráfico de influência. Sua demissão acontece no dia
seguinte ao depoimento em que Calero afirma que o
presidente Michel Temer o teria “enquadrado”.
Fonte: goo.gl/2Cm7sl (Adaptado).
Temer diz que nomeação de ministros é uma
minirreforma administrativa (04/02/2017)
posteriormente recriado, após forte pressão de artistas
O governo Temer reiterou que a nomeação de novos
e produtores culturais, pela MP 728/2016.
Já a Secretaria de Política para as Mulheres foi
restituída ao Ministério da Justiça, que agora também
inclui os temas relacionados à igualdade racial e aos
direitos humanos. A pasta passou a se chamar Minis-
tério da Justiça e Cidadania.
ministros foi uma minirreforma administrativa e apenas
isso.
Ganhou status de ministro, e com foro privilegiado, um
dos políticos mais próximos de Temer, Moreira Franco,
que é citado por um delator da Odebrecht no âmbito da
Lava Jato.
A medida determinou também que a Previdência Social
A posse de Moreira Franco foi a que chamou mesmo
fosse absorvida ao Ministério da Fazenda. A Controla-
doria-Geral da União (CGU) foi transformada em Minis-
tério da Transparência, Fiscalização e Controle. E a
Secretaria da Micro e Pequena Empresa ficou com a
mais atenção. Depois da posse, a imprensa perguntou
a Moreira Franco se a nomeação dele não era uma
Secretaria de Governo da Presidência da República,
bem como a Secretaria Nacional da Juventude e o
Conselho Nacional da Juventude.
situação parecida com a do ex-presidente Lula, no
governo de Dilma Rousseff. Lula foi nomeado
ministro-chefe da Casa Civil quando já era investigado
na Lava Jato.

Fonte: goo.gl/T84dtL (Adaptado).

6 baixas em 6 meses: por que estes ministros de Temer caíram (25/11/2016)

O presidente Michel Temer (PMDB) perdeu seis minis-

tros em pouco mais de seis meses de governo. Veja quem são os outros e os motivos que os levaram a deixar o Governo. 1. Romero Jucá (Ministério do Planejamento) deixou

o cargo em 23/05/2016.

O

questionando a nomeação e pedindo o afastamento imediato de Moreira Franco. Também tomaram posse Luislinda Valois, no Ministério de Direitos Humanos e o deputado tucano Antônio Imbassahy na Secretaria de Governo que estava sem ministro titular desde a saída de Geddel Vieira Lima.

partido Rede Sustentabilidade entrou na Justiça

A minirreforma deu mais fôlego ao PSDB. Agora, os

tucanos têm cinco ministérios e o PMDB, partido do presidente, tem seis. E tem peemedebista reclamando.

16
16
ATUALIDADES
ATUALIDADES
Agora são 28 ministérios no governo Temer, quatro a menos que no governo Dilma na
Agora são 28 ministérios no governo Temer, quatro a
menos que no governo Dilma na última formação antes
Direto ao Ponto
Entre o segundo semestre de 2016 e 2017, o governo
do impeachment.
do presidente Michel Temer sofreu uma série de mu-
Fonte: goo.gl/AdgDUL (Adaptado).
danças nos ministérios.
O candidato deve atentar aos seguintes pontos:
Juíza do Rio barra Moreira Franco (09/02/2017)
Em mais uma reviravolta, a Justiça voltou a suspender,
em caráter liminar, a nomeação de Moreira Franco
como ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidên-
cia da República. Desta vez, a decisão é da Justiça
Federal do Rio de Janeiro.
Citado 34 vezes em uma única delação da Odebrecht,
Moreira Franco, identificado como “Angorá” nas plani-
lhas da empreiteira, era até o início do mês secretário
executivo do Programa de Parcerias em Investimentos
(PPI). Com a “promoção” feita por Michel Temer, pas-
sou a ter direito a foro privilegiado e só poderia ser
julgado pelo Supremo Tribunal Federal.
- Em 2016, 4 ministros (Romero Jucá, Fabiano Silvei-
ra, Henrique Eduardo Alves e Fábio Medina Osório)
deixaram o Governo por terem os nomes vinculados à
Operação Lava Jato.
- Em 2016, numa crise interna no Governo associada
ao embargo de uma obra pelo Iphan (Ministério da
Cultura) em Salvador, dois ministros (Marcelo Calero e
Geddel Vieira Lima) deixaram o cargo.
- Em 2017, dois ministros deixaram o cargo. José
Serra por motivos de saúde e Alexandre Moraes para
ocupar o cargo de ministro no Supremo Tribunal
Federal.
ATENÇÃO:
Fonte: goo.gl/2vUQUp (Adaptado).
A Reforma Ministerial, realizada em 2016, gerou
polêmica. Inicialmente o Governo suprimiu o Ministério
Celso de Mello garante Moreira Franco ministro de
Temer (14/02/2017)
Em uma vitória para o Palácio do Planalto, o ministro
Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF),
decidiu manter a nomeação de Moreira Franco (PMDB)
para a Secretaria-Geral da Presidência da República. O
ministro negou os pedidos apresentados pelo PSOL e
pelo Rede Sustentabilidade, que recorreram ao STF
para barrar a nomeação.
da Cultura (Minc), no entanto, após forte pressão,
voltou atrás e o manteve.
IMPORTANTE: Ter conhecimento sobre os ministros
que deixaram o cargo desde o início do governo do
presidente Michel Temer e os que assumiram os pos-
tos vagos.
Fonte: goo.gl/3l9Bfq (Adaptado).
QUEM
QUEM
MINISTÉRIO
SAIU
ASSUMIU
Ministério
do
Romero Jucá
Dyogo
Henrique
Deputado Osmar Serraglio, do PMDB, é o novo
ministro da Justiça (24/02/2017)
Planejamento,
de Oliveira
Desenvolvimento
O Governo acabou fazendo uma escolha política para
e Gestão
o Ministério da Justiça. O novo ministro é do PMDB, o
deputado Osmar Serraglio.
Serraglio disse que não vai interferir na Lava Jato e que
Ministério da
Fabiano Silveira
Torquato
Lorena
Transparência,
Jardim
Fiscalização e
Controladoria-
não vai faltar dinheiro para as operações da Polícia Fede-
ral.
Demorou quase um mês para decidir quem assumiria o
Ministério da Justiça.
Geral da União
Ministério
do
Henrique
Marx
Beltrão
Turismo
Eduardo Alves
Advocacia
Geral
Fábio
Medina
O presidente Michel Temer queria o ministro aposentado
da União
Osório
do Supremo, Carlos Velloso, que negou o convite. E o
deputado Osmar Serraglio, do PMDB, que estava na lista
Dra. Grace Maria
Fernandes
Mendonça (obs.:
de forma mais discreta, acabou sendo confirmado para o
é a primeira
mulher a assumir
cargo.
o
cargo
de
advogada-geral
Fonte: goo.gl/Oli4Oq (Adaptado).
da União).
Ministério
da
Marcelo Calero
Roberto Freire
Cultura
José Serra deixa o Itamaraty (23/02/2017)
José Serra deixou o Ministério de Relações Exteriores.
Em carta ao presidente Michel Temer, o tucano alegou
problemas de saúde "do conhecimento" do mandatário
que o "impedem de manter o ritmo de viagens interna-
cionais" e o próprio "trabalho do dia a dia".
Secretaria
de
Geddel
Vieira
Antônio
Governo
da
Lima
Imbassahy
Presidência
da
República
Ministério
da
Alexandre
de
Osmar Serraglio
Justiça
Moraes
Fonte: goo.gl/ftvXsj (Adaptado).
Ministério
das
José Serra
Aloysio Nunes
Relações
Exteriores

Planalto anuncia Aloysio Nunes como novo minis- tro das Relações Exteriores (02/03/2017)

O

porta-voz da Presidência, Alexandre Parola, anunci-

ou

a nomeação do líder do governo no Senado, Aloysio

Nunes (PSDB-SP), para o comando do Ministério das Relações Exteriores.

Fonte: goo.gl/JW3C1H (Adaptado).

Fontes:

Transparência),

goo.gl/PYlcxW (Ministério do Turismo), goo.gl/ggxzmR (Advocacia Geral da União), goo.gl/1PxI3v (Ministério da

Planejamento),

(Ministério

da

do

(Ministério

Cultura) e goo.gl/7jcEXb (Secretaria de Governo da Presi-

(Ministério da Justi-

dência da República), goo.gl/UGaIB2

ça), goo.gl/ralk8x (Ministério das Relações Exteriores).

17
17
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

Reformas

Além da já citada reforma ministerial, o governo do presidente Michel Temer apresentou propostas para reformar a previdência, o ensino médio e as relações trabalhistas. Governo apresenta linhas gerais da reforma da previdência (06/12/2016)

O Governo apresentou as linhas gerais da proposta de

reforma da previdência. Em pronunciamento feito antes

de uma reunião com as lideranças da Câmara dos Deputados e do Senado, o presidente Michel Temer confirmou que o texto estabelecerá uma idade mínima para aposentadoria. Após o encontro, o presidente ainda se reunirá com sindicalistas.

Investigação da chapa Dilma-Temer avança

(28/12/2016)

O avanço nas investigações contra a chapa Dilma-

Temer reacendeu em Brasília a discussão sobre uma eventual cassação do mandato do presidente. Possi-

velmente, o Supremo Tribunal Federal acabará dando

a última palavra. Ainda não há data para qualquer

definição. O corpo técnico do TSE esperava que até o fim do primeiro semestre de 2017, tudo estivesse solu-

cionado. Mas, após o ministro Herman Benjamin auto- rizar o cumprimento de 20 mandados de busca e apre- ensão dentro da ação que investiga supostas fraudes nas prestações de contas da campanha de Dilma

Rousseff e Michel Temer, o prazo deverá ser prolonga- Fonte: goo.gl/WvUnp1 (Adaptado). do para o
Rousseff e Michel Temer, o prazo deverá ser prolonga-
Fonte: goo.gl/WvUnp1 (Adaptado).
do para o segundo semestre. As apurações se inicia-
Temer diz que “valeu a pena” instituir reforma no
ensino médio por MP (20/12/2016)
ram com uma ação do PSDB, hoje principal aliado do
presidente Temer, que suspeitava que a campanha
O presidente da República, Michel Temer, afirmou que
"valeu a pena" o Governo instituir uma reforma no
eleitoral daquele ano teria sido financiada com recursos
públicos desviados. Outro fato que pode fazer com que
ensino médio por meio de uma medida provisória.
o processo demore a ser julgado é a informação de que
"Valeu a pena fazê-la [a reforma] desta maneira. Ou-
tros dizem que não deveria ter feito por MP. Ressalvo
que discutimos [a reforma] por mais de 20 anos [no
Congresso]".
a empreiteira Odebrecht teria dado 30 milhões de reais
em caixa dois para a campanha eleitoral de Dilma e
Temer. Esses dados são investigados pela Operação
Lava Jato, mas ainda não chegaram ao TSE.
A medida provisória que estabeleceu a reforma no
Fonte: goo.gl/ypl3q4 (Adaptado).
ensino médio foi editada por Temer em setembro de
2016. Após ser publicada no "Diário Oficial da União",
passou a ter força de lei, mas, para se tornar definitiva,
Ministério Público Estadual pede cassação da cha-
pa Dilma-Temer ao TSE (29/03/2017)
precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional em até
quatro meses (o texto já passou na Câmara e agora
está em análise no Senado).
Desde que foi apresentada, contudo, a MP se tornou
alvo de críticas.
O Ministério Público Eleitoral (MPE) pediu ao Tribunal
Superior Eleitoral (TSE) a cassação do presidente
Michel Temer (PMDB) e a inelegibilidade da presidente
cassada Dilma Rousseff (PT), segundo fontes que
acompanham as investigações. A manifestação da
Fonte: goo.gl/9FfDqI (Adaptado).
Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE), mantida sob sigilo,
Reforma trabalhista dá força de lei a acordos entre
patrões e empregados (23/12/2016)
foi encaminhada ao TSE.
O presidente Michel Temer anunciou mudanças nas
O julgamento da ação apura se a chapa Dilma-Temer
cometeu abuso de poder político e econômico para se
leis trabalhistas. Muitas regras vão poder ser negocia-
reeleger em 2014.
das direto com o empregador.
As negociações coletivas dos trabalhadores com as
empresas, por meio dos sindicatos, passam a prevale-
cer sobre a legislação. Com isso, acordos fechados
pelas categorias terão peso legal, por exemplo, no
parcelamento das férias, na combinação das horas
extras.
Mudanças que, segundo o Governo, vão modernizar
leis da década de 1940. Mas que ainda dependem da
aprovação do Congresso para entrar em vigor.
Fonte: goo.gl/X6koxq (Adaptado).
TSE reabre investigação contra chapa Dilma-Temer
e adia julgamento (04/04/2017)
O tribunal decidiu por unanimidade reabrir a fase de
produção de provas para escuta de novas testemu-
nhas. Com isso, o processo pode levar semanas para
ser retomado. O tribunal acatou pedido para que o ex-
ministro Guido Mantega (Fazenda) seja ouvido. O obje-
tivo da defesa é que ele rebata as acusações de execu-
A reforma trabalhista foi anunciada pelo Governo como
um projeto de lei em caráter de urgência. Mas terá que
esperar até fevereiro, quando o Congresso Nacional
volta do recesso.
Fonte: goo.gl/EQNu0q (Adaptado).
tivos da Odebrecht de que teria participado de uma
negociação para o pagamento de propina no valor de
R$ 50 milhões para a campanha presidencial petista
em troca da aprovação de uma medida provisória em
benefício do grupo empresarial.
Ministros também concordaram com pedido do Ministé-
Direto ao Ponto
Em 2016, o governo do presidente Michel Temer foi
marcado por uma série de reformas.
- Principais reformas propostas apresentadas pelo
governo do presidente Michel Temer:
rio Público para que sejam ouvidos o ex-marqueteiro do
PT, João Santana, sua mulher, Mônica Moura, e André
Santana.
Fonte: goo.gl/Cnp9La (Adaptado).
R: - Reforma ministerial, com a redução de 39 para
24 ministérios (sancionada);
- Reforma da previdência (encaminhada ao Con-
gresso);
Direto ao Ponto
Desde 2015, está em curso uma investigação sobre a
chapa Dilma-Temer.
O candidato deve conhecer os seguintes pontos:
- Reforma no ensino médio (instituída por meio de
uma medida provisória, já foi aprovada na Câmara
dos Deputados e está em análise no Senado);
- O que a acusação quer:
- Reforma trabalhista (será encaminhada ao Con-
gresso).
R: A cassação da chapa Dilma-Temer por abuso de
poder econômico e político.
Investigações
ao Con- gresso). R: A cassação da chapa Dilma-Temer por abuso de poder econômico e político.
18
18
ATUALIDADES
ATUALIDADES
Direto ao Ponto - Qual a acusação contra a chapa Dilma-Temer: R: A acusação afirma
Direto ao Ponto
- Qual a acusação contra a chapa Dilma-Temer:
R: A acusação afirma que a campanha eleitoral de
2014 foi financiada com recursos públicos desvia-
dos.
Atenção: A investigação está em curso. Os fatos mais
recentes são:
(STF). Se a indicação for aprovada pelo Senado – algo
que sempre aconteceu nos últimos 120 anos –, ele
ocupará a vaga deixada pelo ministro Teori Zavascki,
morto em 19 de janeiro. Terá direito a voto em decisões
sensíveis ao destino do governo Temer, como o julga-
mento de réus com foro privilegiado, na Operação Lava
Jato.
Fonte: goo.gl/74u4hT (Adaptado).
- Em depoimento, Marcelo Odebrecht, disse que a
empreiteira doou R$ 150 milhões à campanha de
Dilma-Temer em 2014, incluindo R$ 50 milhões como
contrapartida de uma medida aprovada no Congresso
em 2009 de interesse da construtora.
- Ministério Público Estadual pede cassação da chapa
Dilma-Temer ao TSE.
TSE reabre investigação contra chapa Dilma-Temer e
adia julgamento.
Quatro horas após aprovação do Senado, Temer
nomeia Moraes ministro do STF (22/02/2017)
Quatro horas após da aprovação pelo plenário do Se-
nado e de se reunir com o presidente Michel Temer, o
jurista Alexandre de Moraes foi oficialmente nomeado
ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). No início
da tarde, o indicado recebeu, em votação secreta no
plenário, 55 votos a favor e 13 contra. Eram necessá-
rios, ao menos, 41 dos 81 votos dos senadores.
FIQUE DE OLHO em possíveis desdobramentos
até a data da prova.
Fonte: goo.gl/m3WoMc (Adaptado).
1.11. MUDANÇAS NOS PODERES LEGISLATIVO E
JUDICIÁRIO
Eunício Oliveira é eleito presidente do Senado para
os próximos dois anos (01/02/2017)
Alexandre de Moraes toma posse como ministro em
rápida cerimônia no STF (22/03/2017)
O ministro Alexandre de Moraes tomou posse no Su-
premo Tribunal Federal (STF), em Brasília, um mês
após ter sido nomeado pela Presidência da República e
confirmado pelo Senado Federal. Moraes assumiu a
vaga do ministro Teori Zavascki, morto em janeiro.
O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) foi eleito presi-
Fonte: goo.gl/LrQbTW (Adaptado).
dente do Senado e do Congresso Nacional para os
próximos dois anos. Ele recebeu 61 votos e derrotou na
eleição José Medeiros (PSD-MT), que recebeu 10
votos – outros 10 senadores votaram em branco.
Aliado do presidente Michel Temer, Eunício Oliveira vai
suceder no cargo Renan Calheiros (PMDB-AL) e con-
Direto ao Ponto
A prova pode perguntar sobre o nome do novo ministro
do Supremo Tribunal Federal ou dos novos presidentes
da Câmara dos Deputados e do Senado.
- Novo Ministro do Supremo Tribunal Federal:
trolará um orçamento de R$ 4,2 bilhões por ano.
Considerado um "político habilidoso" pelos colegas, o
parlamentar passou as últimas semanas se reunindo
com lideranças partidárias em busca de apoio para sua
eleição.
Ele prometeu, por exemplo, ao PSDB – segunda maior
bancada da Casa (12 senadores) – a presidência da
Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e dois as-
R: Alexandre de Moraes (em substituição ao ministro
Teori Zavascki, morto em acidente aéreo).
- Novo Presidente do Senado:
R: Eunício Oliveira (PMDB-CE), aliado do presidente
Michel Temer.
- Presidente da Câmara dos Deputados:
sentos na Mesa Diretora: a primeira vice-presidência e
a quarta secretaria. Diante dessas negociações, o
PSDB aceitou apoiar Eunício, assim como PP, PSD,
PTB, DEM e PSB, entre outros.
Fonte: goo.gl/vf8MZ2 (Adaptado).
Rodrigo Maia é eleito e permanece na presidência
da Câmara (02/02/2017)
R: Rodrigo Maia (DEM-RJ).
Atenção: A candidatura de Rodrigo Maia chegou a ser
contestada na Justiça pelos adversários, mas uma
decisão liminar do Supremo Tribunal Federal (STF),
permitiu que ele participasse da disputa. O argumento
dos rivais era que a Constituição e o regimento interno
da Câmara proíbem a reeleição na mesma legislatura.
A Câmara dos Deputados elegeu o deputado fede-
ral Rodrigo Maia (DEM-RJ) como o presidente da Ca-
sa. O deputado foi eleito em primeiro turno com 293
votos contra 105 do segundo colocado Jovair Arantes
(PTB-GO). Houve ainda 5 votos em branco entre os
504 parlamentares presentes.
Maia, por sua vez, afirmava que havia sido eleito em
julho de 2016 para um mandato-tampão de seis me-
ses, em substituição a Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que
renunciou à presidência da Câmara em julho do ano
passado.
Fonte: goo.gl/Sk9ZOP (Adaptado).
O candidato do DEM, que deve ocupar a função até

fevereiro de 2019, assumiu a presidência da Casa para um mandato “tampão” em julho de 2016, após a cassa- ção do então presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Fonte: goo.gl/v5pzvG (Adaptado).

Alexandre de Moraes, o novo ministro do Supremo

(06/02/2017)

Alexandre de Moraes ministro da Justiça, um cargo de confiança foi indicado pelo presidente Michel Te- mer para ser ministro do Supremo Tribunal Federal

1.12. A OPERAÇÃO LAVA JATO

Nos últimos anos a Operação Lava Jato foi tema cons- tante do cotidiano brasileiro. Os seus reflexos afetam os cenários político, econômi- co e social. A própria apostila traz, em diversos mo- mentos, abordagens que estão intimamente associadas à Lava Jato. Nesta parte específica, pretende-se fazer uma breve apresentação e elencar as últimas notícias vinculadas à operação.

parte específica, pretende-se fazer uma breve apresentação e elencar as últimas notícias vinculadas à operação. 19
19
19
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

A OPERAÇÃO

O nome do caso, “Lava Jato”, decorre do uso de uma

rede de postos de combustíveis e lava a jato de auto- móveis para movimentar recursos ilícitos pertencentes

a uma das organizações criminosas inicialmente inves-

tigadas. Embora a investigação tenha avançado para outras organizações criminosas, o nome inicial se con- sagrou.

A Operação Lava Jato é a maior investigação de cor-

rupção e lavagem de dinheiro que o Brasil já teve. Estima-se que o volume de recursos desviados dos cofres da Petrobras, maior estatal do país, esteja na casa de bilhões de reais. Soma-se a isso a expressão econômica e política dos suspeitos de participar do esquema de corrupção que envolve a companhia. No primeiro momento da investigação, desenvolvido a partir de março de 2014, perante a Justiça Federal em Curitiba, foram investigadas e processadas quatro

Ex-diretor da Odebrecht afirma a Moro que Antônio Palocci era o Italiano(06/03/2017) Uma das testemunhas ouvidas afirmou ao juiz federal Sérgio Moro responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância que o ape-

lido "Italiano" era uma referência ao ex-ministro Antônio Palocci, preso pela Lava Jato em setembro de 2016. Palocci é réu no processo por, segundo a denúncia, receber R$ 128 milhões em propinas e repassar ao PT, entre os anos de 2008 e 2013. Conforme a força-tarefa da Operação Lava Jato, o setor de Operações Estruturadas da Odebrecht pagava propina para agentes públicos. Ainda segundo as in- vestigações, "Italiano" se referia a Antônio Palocci.

A defesa do ex-ministro refutou as acusações e afirmou que Antônio Palocci é inocente. Fonte:
A defesa do ex-ministro refutou as acusações e afirmou
que Antônio Palocci é inocente.
Fonte: goo.gl/63esJF (Adaptado).
organizações criminosas lideradas por doleiros, que
são operadores do mercado paralelo de câmbio. De-
pois, o Ministério Público Federal recolheu provas de
um imenso esquema criminoso de corrupção envolven-
Senador Valdir Raupp vira réu em processo da Lava
Jato no STF (07/03/2017)
A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF)
do a Petrobras.
Nesse esquema, que dura pelo menos dez anos, gran-
des empreiteiras organizadas em cartel pagavam pro-
pina para altos executivos da estatal e outros agentes
públicos. O valor da propina variava de 1% a 5% do
montante total de contratos bilionários superfaturados.
Fonte: goo.gl/5EIua2 (Adaptado).
aceitou denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral
da República (PGR) contra o senador Valdir Raupp
(PMDB-RO) pelos crimes de corrupção e lavagem de
dinheiro em um dos inquéritos da Operação Lava Jato.
Com a decisão, Raupp se torna réu no processo. De
acordo com a denúncia, o parlamentar é acusado de
receber R$ 500 mil em doações eleitorais da empreitei-
ra Queiroz Galvão, investigada na Lava Jato. Para os
investigadores, o valor tem origem em desvios de con-
tratos da Petrobras.
O assunto é amplo e o volume de notícias também, por
Fonte: goo.gl/4e3R2I (Adaptado).
esta razão, foram compiladas as notícias mais recentes
sobre acusações, prisões e condenações, de acor-
CONDENAÇÕES
do com o período abrangido pelo edital do concur-
so do TJ/SP (2017).
Moro condena João Santana a 8 anos e 4 meses de
prisão (02/02/2017)
ACUSAÇÕES
O juiz federal Sérgio Moro condenou o marqueteiro do
PF diz que Lula, Dilma e Mercadante tramaram con-
tra Lava Jato (20/02/2017)
PT João Santana e sua mulher e sócia, Mônica Moura,
pelos crimes de lavagem de dinheiro no esquema de
corrupção na Petrobras, alvo da Operação Lava Jato.
A Polícia Federal atribui aos ex-presidentes Lula e
Fonte: goo.gl/nokKJx (Adaptado).
Dilma Rousseff crime de obstrução de Justiça e ao ex-
ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil e Educação) os
crimes de tráfico de influência e também obstrução de
Justiça. Em relatório de 47 páginas, o delegado de
Polícia Federal Marlon Oliveira Cajado dos Santos, do
Grupo de Inquéritos da Operação Lava Jato no Supre-
mo Tribunal Federal, sugere que os ex-presidentes e o
PRISÕES
e ex-ministro sejam denunciados criminalmente, mas
em primeiro grau judicial – no âmbito da Justiça Fede-
ral do Distrito Federal – porque nenhum deles, Lula,
Dilma e Mercadante, detém foro privilegiado na Corte
máxima.
Eike Batista é preso pela PF no Rio após três dias
foragido (30/01/2017)
Após três dias considerado foragido, o empresário Eike
Batista, aquele que já foi o homem mais rico do Brasil,
foi preso pela Polícia Federal no aeroporto internacio-
nal do Rio. Eike estava em Nova York e é alvo da
Operação Eficiência, um desmembramento
da Operação Lava Jato no Rio, acusado de ter irrigado
O relatório do inquérito foi encaminhado ao ministro
o suposto esquema de corrupção do ex-governador do
Rio Sérgio Cabral, preso desde novembro.
O empresário é acusado de ter repassado em propina

Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, e ao procurador-geral da República Rodrigo Janot. Formalmente, a PF não indiciou Lula, Dilma e Mercadante, mas sustenta que o conjunto probatório é suficiente. Para a PF, ao nomear Lula ministro-chefe da Casa Civil, em março de 2016, a então presidente e seu antecessor que com a medida de Dilma ganharia foro privilegiado no Supremo e, na prática, escaparia das mãos do juiz federal Sérgio Moro provocaram emba- raço ao avanço da investigação da Operação Lava Jato.

Fonte: goo.gl/LUrVcW (Adaptado).

16,5 milhões de dólares (mais de 52 milhões de reais) ao ex-governador Cabral através de uma conta estran- geira em nome de terceiros. A operação ainda foi dis-

farçada de legalidade ao ser firmado um contrato de fachada que contemplava a compra e venda, que nun- ca existiu, de uma mina de ouro. A manobra financeira foi detalhada pelos supostos artífices, os irmãos Chebar, dois operadores financeiros que viraram dela- tores após anos facilitando o suposto esquema corrup-

to de Cabral.

Fonte: goo.gl/w21qKP (Adaptado).

20
20
ATUALIDADES
ATUALIDADES

Operador relata repatriação de propina paga por Eike a Cabral (01/02/2017)

O operador do mercado financeiro Renato Hasson

Chebar afirmou à força-tarefa da Operação Lava Jato

no Rio que repatriou a propina paga pelo empresário

Eike Batista ao ex-governador Sérgio Cabral (PMDB-

RJ) por meio do recente programa de regularização de ativos no exterior.

O programa vetava repatriação de dinheiro sujo. Os

contribuintes recebiam apenas anistia a crimes relacio- nados ao envio dos recursos não declarados ao exterior como sonegação fiscal , mas não delitos como corrupção.

A LISTA DE JANOT

Janot manda para o STF lista com 83 pedidos de inquéritos sobre políticos (14/03/2017)

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, en-

caminhou ao Supremo Tribunal Federal, 83 pedidos de inquéritos contra políticos com foro privilegiado depu- tados, senadores e ministros. São dez caixas com pedidos baseados nos 950 depoimentos de 78 delato- res da Odebrecht e centenas de provas. Os nomes das pessoas que vão ser investigadas não foram divulgados, mas já se sabe que os delatores citaram pelo menos 170 políticos com foro privilegiado,

Fonte: goo.gl/kqrGXN (Adaptado). de vários partidos, incluindo os maiores: PT, PMDB e PSDB. Lava Jato
Fonte: goo.gl/kqrGXN (Adaptado).
de vários partidos, incluindo os maiores: PT, PMDB e
PSDB.
Lava Jato tem 21 presos, dos quais 7 ainda não
julgados (18/02/2017)
Com a Operação Lava Jato prestes a completar três
anos, 21 envolvidos permanecem presos no Rio ou
Paraná, por ordem do juiz Sérgio Moro.
Destes, 7 não foram julgados: o ex-governador do Rio
Sérgio Cabral, seu ex-secretário Wilson Cordeiro, o ex-
ministro Antônio Palocci, o ex-deputado Eduardo Cu-
nha e os empresários Carlos Miranda, Flávio Macedo e
Eduardo Meira. Os outros 14 têm algum tipo de conde-
nação.
Entre os 21, há um delator, o empreiteiro Marcelo
Odebrecht. Os demais delatores já foram libertados.
Os outros executivos da Odebrecht, que firmaram
acordo de colaboração, já deixaram a cadeia.
Na lista dos presos remanescentes no Paraná estão
figuras de grande peso na política nacional. Além de
Palocci e Cunha, lá está o ex-ministro José Dirceu.
Fonte: goo.gl/Flp45F (Adaptado).
Cinco ministros de Temer, Aécio, Lula e Dilma es-
tão na lista de Janot (14/03/2017)
Pelo menos cinco ministros do governo de Michel Te-
mer estão na lista de pedidos de inquéritos do procura-
dor-geral da República, Rodrigo Janot. São eles: Eliseu
Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria-Geral
da Presidência), Bruno Araújo (Cidades), Gilberto
Kassab (Ciência e Tecnologia e Comunicações) e
Aloysio Nunes Ferreira (Relações Exteriores).
Segundo a Folha apurou, integram a relação ainda os
presidentes do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e
da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), além dos senado-
Fonte: goo.gl/KRQ1Sh (Adaptado).
res Renan Calheiros (PMDB-AL), Romero Jucá
(PMDB-RR), Edison Lobão (PMDB-MA), José Serra
(PSDB-SP) e Aécio Neves (PSDB-MG). O presidente
Michel Temer não é alvo de pedido específico de in-
quérito.
A PGR incluiu os nomes dos ex-presidentes Lula e
Direto ao Ponto
A prova pode questionar sobre prisões e condenações
recentes.
Prisões recentes:
R: Eduardo Cunha: acusado de receber propina de
contrato de exploração de Petróleo no Benin, na África, e
de usar contas na Suíça para lavar o dinheiro.
Dilma Rousseff e dos ex-ministros Guido Mantega e
Antonio Palocci nos pedidos de investigação. Como
eles não têm foro no STF, a expectativa é que seus
casos sejam remetidos a instâncias inferiores.
De posse dos pedidos, ligados às delações da Ode-
brecht e que estão sob sigilo, o ministro Edson Fachin,
relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal
(STF), vai decidir se aceita ou não os pedidos para
abrir os inquéritos e se manterá os casos sob sigilo.
Não há prazo para Fachin tomar uma decisão.
R: Antonio Palocci: preso na Operação Omertà,
acusado de repassar propina ao PT da empreiteira
Odebrecht.
Fonte: goo.gl/UrRSEK
(Adaptado).
R: Sérgio Cabral: preso na Operação Calicute, acu-
sado de cobrar uma "mesada" de empreiteiras em
troca de contratos de grandes obras.
Novos vazamentos da lista de Janot envolvem go-
vernadores de cinco estados (15/03/2017)
Novos vazamentos do conteúdo das delações dos
executivos e ex-executivos
da
empreiteira Odebrecht apontam cinco governadores de
R: Eike Batista: preso na Operação Eficiência, acusa-
do de ter repassado em propina 16,5 milhões de dóla-
res ao ex-governador Cabral através de uma conta
estrangeira a nome de terceiros.
Atenção: Lembre-se do nome da Operação Eficiência,
desdobramento da Lava Jato, responsável pela prisão
de Eike Batista.
estado, um ministro, quatro senadores e cin-
co deputados, além de políticos que não gozam de foro
privilegiado. O governador de Minas, Fernando Pimen-
tel (PT), aparece ao lado de outros quatro: Beto Richa
(PSDB), do Paraná, Tião Viana (PT), do Acre, Luiz
Fernando Pezão (PMDB), do Rio de Janeiro, e Renan
Filho (PMDB), de Alagoas. A nova lista foi divulgada na
noite desta quarta-feira pelo Jornal Nacional e envol-
Condenações recentes:
ve 22 novos nomes que estariam relacionados nos
- Eduardo Cunha: pelos crimes de corrupção, lavagem
de dinheiro e evasão de divisas.
- O marqueteiro João Santana e sua sócia Mônica
Moura: pelos crimes de lavagem de dinheiro no es-
quema de corrupção na Petrobras, alvo da Operação
Lava Jato.
pedidos de investigação que o procurador-geral da
República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal
Federal na terça-feira.
Além dos cinco ministros cujos nomes já haviam vaza-
do na terça-feira, aparece, desta vez, o nome de
Marcos Pereira (PRB-RJ), da Indústria, Comércio Exte-
21
21
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

rior e Serviços. Os senadores que engrossam a lista

são Lindbergh Farias (PT-RJ), Jorge Viana (PT-AC), Marta Suplicy (PMDB-SP) e Lídice da Mata (PSB-BA). Na relação de deputados citados pelos delatores, estão agora José Carlos Aleluia (DEM-BA), Marco Maia (PT- RS), Andrés Sanchez (PT-SP), Paes Landim (PTB-PI) e Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA).

Fonte:

Fonte: goo.gl/Z2ody0 (Adaptado).

Gilmar Mendes critica vazamento de lista de Janot e fala em descarte de provas (21/03/2017)

Edson Fachin é sorteado novo relator da Lava Jato no Supremo (02/02/2017)

O ministro Edson Fachin foi sorteado novo relator da

Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). Ele agora ficará responsável por supervisionar o andamen-

to de toda a operação na Corte, após a morte, do então

relator, ministro Teori Zavascki, na queda de um avião no mar próximo a Paraty (RJ). Fachin foi escolhido por meio de sorteio eletrônico pelo sistema do STF, após a

presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, ordenar a redistribuição do inquérito que investiga o senador Fernando Collor (PTC-AL). Pelo princípio da prevenção do juiz natural do caso, todos os outros processos relacionados à Lava Jato no Supremo passam também a ser de responsabilidade

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes criticou, durante sessão da 2ª Turma
O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar
Mendes criticou, durante sessão da 2ª Turma da Corte,
a possibilidade de que teria partido do próprio MPF
(Ministério Público Federal) o vazamento do nome de
parte dos alvos dos 83 pedidos de inquérito feitos pelo
do ministro Fachin.
Fonte: goo.gl/4vvKDd (Adaptado).
procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
Fonte: goo.gl/LND0bX (Adaptado).
Edson Fachin assume Lava Jato no STF e promete
rapidez (03/02/2017)
Janot rebate Gilmar sobre vazamentos e diz que
procura se distanciar de “banquetes palacianos”
O
ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal,
foi
sorteado ontem o novo relator da Lava Jato na Cor-
(22/03/017)
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, fez
um duro discurso em defesa da Lava Jato, da
Procuradoria-Geral da República, afirmando que o
Ministério Público Federal não realiza coletivas de
imprensa em off e rebatendo as críticas feitas ontem
pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal
Federal (STF), que acusou a PGR de praticar crimes
te. Ele assume a função de Teori Zavascki, morto em
acidente aéreo.
Com base no regimento, a presidente do STF, Cármen
Lúcia optou pela saída menos polêmica, o sorteio na
Segunda Turma, onde Teori atuava. Ela considerou
que o processo deveria ficar no grupo que já o analisa-
va.
Fonte: goo.gl/PcYlli (Adaptado).
de vazamento de conteúdos sigilosos de investigações.
Apesar de não ter mencionado o ministro do STF em
seu discurso, Janot fez críticas à atuação política de
Gilmar Mendes.
Direto ao Ponto
Questões sobre a relatoria da operação Lava Jato no
Supremo Tribunal devem ser bem objetivas.
Fonte: goo.gl/POj5ic (Adaptado).
Fachin confirma que vai decidir sobre “lista de
Janot” em abril (31/03/2017)
A expectativa é que seja inserido um texto sobre a morte
de Teori Zavascki perguntado o nome do ministro res-
ponsável por assumir o caso:
O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava
R: Edson Fachin
Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), confirmou
nesta sexta (31) que vai liberar os pedidos feitos pela
PGR (Procuradoria-Geral da República) em relação à
delação premiada dos executivos da Odebrecht agora
Cuidado: Não confundir as substituições ao ministro
Teori Zavascki.
- Edson Fachin assumiu a relatoria da Lava Jato.
- Alexandre de Moraes assumiu a vaga no STF.
no mês de abril.
Fonte: https://goo.gl/jh5Q4q (Adaptado).
Direto ao Ponto
Rodrigo Janot ocupa a função de procurador-geral da
República e tem se destacado pela atuação na Operação
Lava Jato.
FALANDO NISSO
Notícias recentes apontam supostos casos de corrup-
ção no Tribunal de Contas dos estados de São Paulo e
Rio de Janeiro.
O que é a “lista de Janot”:
R: É uma lista com 83 pedidos de inquéritos contra
políticos com foro privilegiado – deputados, senado-
res e ministros – citados em delação da Odebrecht na
Operação Lava Jato.
Andrade Gutierrez diz que subornou o Tribunal de
Contas de SP (12/03/2017)
Um executivo e um ex-diretor da Andrade Gutierrez
afirmaram, em negociação de acordo de delação com

FIQUE DE OLHO: Ocorreu o vazamento de alguns

nomes da lista. O fato gerou uma troca de “farpas” entre

o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e o

ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes.

RELATORIA DA LAVA JATO NO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Com a morte de Teori Zavascki, em acidente aéreo, o

ministro Edson Fachin assumiu relatoria da Lava Jato

no Supremo Tribunal Federal (STF).

a Operação Lava Jato, que a empreiteira pagava propi- na para que o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo não apontasse problemas em licitações e contra- tos de obras, sobretudo os do metrô.

O órgão é responsável por decidir se as licitações e

contratos do governo paulista são regulares ou não. Um dos relatos diz que a empresa pagava o corres- pondente a 1% do valor do contrato que estava sob análise do tribunal para Eduardo Bittencourt Carvalho, ex-conselheiro do órgão.

Fonte: goo.gl/gxQ7wP (Adaptado).

22
22
ATUALIDADES
ATUALIDADES

Presidente e 4 conselheiros do TCE do RJ são presos em operação (29/03/2017) O presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio (TCE- RJ), Aloysio Neves, outros quatro conselheiros e um ex- -conselheiro do órgão foram presos durante a Operação

Quinto do Ouro, da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. A ação apura desvios para favorecer membros da corte durante a gestão do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB).

As prisões são temporárias, ou seja, têm prazo para termi-

“Timochenko”, apertaram as mãos e assinaram o documento que encerrou 52 anos de conflito.

Fonte: goo.gl/fMRo6e (Adaptado).

Uribe lidera marcha contra assinatura de acordo de paz na Colômbia (26/09/2016) Cerca de duas mil pessoas marcham em Cartagena contra o histórico acordo de paz entre o governo co- lombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Diante dos manifestantes, o ex-

presidente Álvaro Uribe disse "não" ao pacto e chamou

nar. A operação tem como base as delações premiadas de um sexto conselheiro, Jonas Lopes,
nar.
A operação tem como base as delações premiadas de um
sexto conselheiro, Jonas Lopes, que já foi presidente do
os guerrilheiros de terroristas.
Fonte: goo.gl/Dl5cM3 (Adaptado).
TCE-RJ, e do filho dele, Jonas Lopes de Carvalho Neto.
População da Colômbia rejeita acordo de paz com
as Farc (02/10/2016)
Fonte: goo.gl/Ix7x23 (Adaptado).
A população da Colômbia rejeitou o acordo de paz entre o
Direto ao Ponto
O candidato deve ficar atento para o caso do Tribunal de
Contas do Rio de Janeiro.
governo e as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da
Colômbia) em um plebiscito.
Com 99,8% das urnas apuradas, o "não" obteve 6.429.730
votos, que equivalem a 50,23% do total.
Apesar da rejeição, os dois lados envolvidos reiteraram a
disposição de manter a paz.
- Prisão de quatro conselheiros do Tribunal;
Fonte: goo.gl/QRk7ut (Adaptado).
- Operação Quinto do Ouro;
Farc e governo da Colômbia anunciam novo acordo
de paz (13/11/2016)
O governo colombiano e as Forças Armadas
- A ação apura desvios para favorecer membros da
corte durante a gestão do ex-governador Sérgio Cabral
(PMDB).
Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciaram, em
Cuba, um novo acordo de paz, após o anterior ter sido
rejeitado pela população colombiana em referendo, no
início de outubro.
Fonte: goo.gl/QueuXJ (Adaptado).
2. CENÁRIO POLÍTICO MUNDIAL
O
que muda no novo acordo de paz entre Colômbia
2.1. A COLÔMBIA E AS FARC ANUNCIAM
HISTÓRICO ACORDO DE PAZ
Após 52 anos, a guerra armada entre o governo da
Colômbia e as Forças Armadas Revolucionárias da
e
Farc (14/11/2016)
O
governo da Colômbia e as Forças Armadas Revolu-
cionárias da Colômbia (Farc) anunciaram uma nova
versão para o acordo de paz.
Colômbia (FARC) deve chegar ao seu fim após acordo.
Principais mudanças
O conflito entre o governo colombiano e as FARC
- Reafirmação da inviolabilidade da propriedade
começou em 1954 e já matou mais de 220.000
pessoas.
Desde novembro de 2012, o governo da Colômbia e as
FARC iniciaram diálogos com o objetivo de conseguir
uma trégua para pôr um fim ao conflito armado. O
processo de pacificação foi mediado por Cuba, Vene-
zuela e Noruega.
privada: Nenhuma das medidas de reforma agrária irá
impactar o direito constitucional da propriedade priva-
da.
- Ligação com o narcotráfico: As características e
Em 23 de junho de 2016, o governo colombiano e as
FARC, assinaram um acordo de cessar-fogo bilateral e
definitivo, na cidade de Havana, em Cuba, porém, a
partir do acordo inicial, ocorreram vários fatos importan-
tes: assinatura de um acordo de paz; plebiscito recu-
sando o acordo de paz; celebração de um novo acordo
extensão da ligação das Farc com narcotraficantes
terão de ser minuciosamente esclarecidas para que as
responsabilidades sobre condutas ilícitas sejam ade-
quadamente atribuídas.
- Desarmamento: Após a fase do desarmamento dos
guerrilheiros, o grupo terá de apresentar um inventário
de todos os bens e ativos que serão destinados à repa-
ração financeira das vítimas do conflito.
- Cumprimento de penas restritivas de liberdade:
de paz; e aprovação do novo acordo de paz pelo par-
Os condenados cumprirão suas penas em espaços
lamento colombiano.
territoriais específicos que preveem a necessidade de
Fontes: goo.gl/L2DAni (Adaptado
goo.gl/2HNz5o (Adaptado - 23/06/2016).
24/06/2016)
e
autorização judicial para qualquer deslocamento.
- Conexão entre tráfico e crime político: Prevê que

Governo da Colômbia e Farc assinam acordo de paz (26/09/2016) As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e o governo colombiano assinaram, na cidade de Cartagena de Índias, o acordo de paz para encerrar a maior guerrilha da América Latina. Sob os olhares de chefes de Estado e de Governo de diversos países, além do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, e o líder da guerrilha, Rodrigo Londoño, o

os magistrados julguem caso a caso de acordo com a jurisprudência da Corte do país.

- Participação estrangeira: A participação de magis-

trados estrangeiros nos julgamentos dos membros das Farc será apenas a de assistência nos casos.

- Terceiros não-guerrilheiros: A participação de ter-

ceiros, não necessariamente membros das Farc, no financiamento das atividades do grupo ou crimes mais graves será de competência do Juizado Especial da Paz.

Fonte: goo.gl/47g0l9 (Adaptado).

23
23
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

Novo acordo de paz é assinado na Colômbia e será submetido apenas ao Parlamento (24/11/2016)

O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, e o

comandante das Farc, Rodrigo Londoño Echeverri, o "Timochenko", assinaram um novo acordo de paz.

Desta vez, o documento será submetido apenas ao Parlamento e não passará pelo crivo das urnas.

Fonte: http://r7.com/7Hoj (Adaptado).

Por maioria absoluta, câmara colombiana referenda acordo de paz com as Farc (01/12/2016)

Governo, embora não tenham seguido estritamente ao calendário fixado.

Fonte: goo.gl/HcE2fP (Adaptado).

Reforma constitucional para paz com as Farc é aprovada na Colômbia (14/03/2017)

O Senado da Colômbia aprovou a reforma constitucio-

nal que cria um sistema de justiça de transição, que inclui tribunais especiais para julgar crimes de guerra e é parte essencial do acordo de paz com as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).

O plenário da Câmara aprovou, por maioria absoluta, o A reforma, cuja aprovação era esperada
O plenário da Câmara aprovou, por maioria absoluta, o
A reforma, cuja aprovação era esperada desde que
acordo de paz assinado entre o governo e as Farc. O
acordo também foi aprovado, de forma esmagadora, no
Senado.
o Congresso referendou o acordo de paz, em dezem-
bro, teve apoio de 60 senadores e apenas dois votos
contrários.
Fonte: goo.gl/zEY6nA (Adaptado).
Fonte: goo.gl/61iZqc (Adaptado).
Juan Manuel Santos recebe o Nobel da Paz
Direto ao Ponto
(10/12/2016)
O acordo de paz teve uma imensa repercussão mun-
O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, rece-
beu o Prêmio Nobel da Paz por seus esforços para
acabar com os mais de 50 anos de guerra civil no país.
Fonte: goo.gl/hzbuo7 (Adaptado).
dial, pois encerrou um conflito que matou mais de
220.000 pessoas.
Na prova, possivelmente, a questão deve apresentar
uma notícia sobre o acordo de paz entre o governo
Governo colombiano e Farc proclamam fim do con-
flito armado (01/02/2017)
colombiano e as FARC. Dependendo do enfoque,
podem aparecer os seguintes questionamentos:
O governo colombiano e as Forças Revolucionárias da
Colômbia (Farc) proclamaram o fim do conflito armado,
que durou 52 anos, e o início da paz. Militares, policiais
- O nome do país latino-americano onde ocorreu um
acordo de paz.
R: Colômbia.
e guerrilheiros participaram de um ato celebrado no
município de Fonseca, no norte do país.
- O significado da sigla FARC ou alguma característi-
ca do grupo.
Fonte: goo.gl/gYWI1C (Adaptado).
R: Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.
Guerrilheiros das Farc se apresentam nas zonas de
segurança do Governo (13/02/2017)
As cenas que se viram nas estradas do interior da
Colômbia nas últimas semanas parecem as dos filmes
- O nome do presidente colombiano ou do líder das
FARC.
R: Juan Manuel Santos, presidente da Colômbia.
R: Rodrigo Londoño Echeverri, o "Timochenko",
líder das FARC.
que reconstroem o fim das grandes guerras. A bordo
- O nome do principal opositor ao acordo de paz.
de jipes, furgões e lanchas, milhares de guerrilheiros
R: O ex-presidente e atual senador Álvaro Uribe.
das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colôm-
bia) saíram dos acampamentos provisórios em que
estiveram nos últimos meses e começaram a se dirigir
às 26 zonas de segurança, estabelecidas pelo Governo
- O nome dos países que intermediaram o acordo de
paz.
R: Cuba, Venezuela e Noruega.
em 14 departamentos (províncias). Os territórios em
que terão de viver nos próximos quatro meses têm 15
quilômetros quadrados cada um e contêm apenas o
básico: dormitórios, cozinha, água e esgoto e uma área
comum. Ao entrar, os guerrilheiros registraram as ar-
mas e identificaram-se. Até o fim do período, só pode-
rão sair da zona com autorização e desarmados. O
perímetro de cada zona é vigiado pelas Forças Arma-
das, sob monitoramento da ONU. A ideia é proteger os
guerrilheiros de seus antigos inimigos: bandos crimino-
- O nome do país onde ocorreram as negociações
para o acordo de paz.
R: Cuba.
- Descrição de algumas características do acordo de
paz:
R: São várias as propostas inseridas no acordo de
paz, mas algumas merecem um destaque especi-
al.
- FARC pretendem se tornar um partido político.
- Reparação das vítimas.
sos, paramilitares ou fazendeiros e comerciantes que
as Farc costumavam extorquir.
- Julgamento dos crimes políticos e de tráfico de
drogas.
Fonte: goo.gl/bxabuO (Adaptado).
- Cumprimento de penas privativas de liberdade
Colômbia vive dia histórico com início de entrega
de armas das Farc (01/03/2017)
para os condenados pelos crimes durante o con-
flito.
- Desarmamento.
O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, afirmou
- Inserção dos membros das FARC na sociedade.
que a Colômbia vive um dia histórico com o início do
processo de entrega das armas das Forças Armadas
Revolucionárias da Colômbia (Farc). As Farc assegura-
- Reforma agrária.
- Esclarecimentos sobre o narcotráfico.
ram na terça que nesta quarta-feira iniciarão a entrega
- Substituição das áreas com cultivo ilegal de
coca.
de 30% de seu armamento à ONU como parte de seu
compromisso com o acordo de paz assinado com o
24
24
ATUALIDADES
ATUALIDADES
Direto ao Ponto - Acontecimentos durante o processo de acordo de paz: R: - Assinatura
Direto ao Ponto
- Acontecimentos durante o processo de acordo de
paz:
R: - Assinatura do cessar-fogo em Havana, Cuba.
- Assinatura do acordo de paz em Cartagena das
Índias, na Colômbia.
- Plebiscito recusando o acordo de paz.
- Assinatura de um novo acordo de paz em Hava-
na, Cuba.
- Aprovação do novo acordo de paz no parlamento
colombiano.
Importante: O primeiro acordo de paz foi submetido a
um referendo popular e negado, já o segundo e novo
acordo de paz foi enviado para o parlamento e apro-
vado.
Fique de olho: Em 2016, o presidente da Colômbia,
Juan Manuel Santos, recebeu o Prêmio Nobel da
Paz pelos esforços para acabar com os mais de 50
anos de guerra civil no país.
Em 2011, a VUNESP cobrou duas vezes, em provas
do TJ, este assunto:
- O primeiro caso (TJ - Escrevente) trazia a ilustração
de uma cadeira vazia e citava que ela representava o
vencedor Liu Xiaobo, na sequência perguntava a
que fazia referência àquela notícia (R: Prêmio No-
bel da Paz).
- O segundo caso (TJ - Titular de Serviços de Notas e
de Registro) trazia uma questão mais direta e per-
guntava o nome do ganhador do Prêmio Nobel da
Paz em 2010 (R: Liu Xiaobo). Em 2016: O colom-
biano Juan Manuel Santos.
FALANDONISSO
Desdobramentos após a aprovação do acordo de paz:
- Governo colombiano e Farc proclamam fim do confli-
to armado.
- Guerrilheiros das Farc vão para as zonas de segu-
rança do Governo.
- Guerrilheiros das Farc iniciam entrega das armas
- Reforma constitucional e criação de um sistema de
justiça de transição, que inclui tribunais especiais para
julgar crimes de guerra.

O Acordo de Paz na Colômbia gerou grande repercus-

são na mídia mundial. Então, em vista dos dois assun-

tos que foram tratados anteriormente e a fim de auxiliar

o candidato na memorização, elaboramos a tabela comparativa abaixo.

GUERRILHAS NA COLÔMBIA FARC ELN Sigla: Exército de Sigla: Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.
GUERRILHAS NA COLÔMBIA
FARC
ELN
Sigla:
Exército
de
Sigla: Forças Armadas
Revolucionárias da
Colômbia.
Libertação Nacional
Origens: Surgiu em um
levante camponês em
maio de 1964 e se trans-
formou em uma organi-
zação marxista-leninista.
Principal reivindicação: a
reforma agrária.
Origens: Surgiu em
julho de 1964 por meio
de um levante armado.
Inspiração: na revolução
cubana e na Teologia da
Libertação, uma corrente
cristã latino-americana
voltada para a defesa
dos pobres.
Influência em setores
urbanos, principalmente
estudantis e sindicais.
Estrutura: Sua unidade
de comando é
forte
e
vertical, com uma “coe-
são” clara.
O
secretariado
é
a
sua
cúpula de nove coman-
Estrutura: “mais federa-
lizada”, em que cada
frente tem voz própria.
Conta com o Comitê
Central (Coce) de cinco
chefes.
dantes.
Líder:
Líder:
Rodrigo Londoño Eche-
verri, o "Timochenko".
Nicolás
Rodríguez
Bautista (“Gabino”).
FIQUE DE OLHO
ELN e Farc: as duas faces da guerrilha na Colômbia
(26/10/2016)
Apesar de compartilharem 52 anos de luta armada
contra o Estado colombiano, o Exército de Libertação
Nacional (ELN) instalará diálogos de paz com o Gover-
no, e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia
(Farc), principal guerrilha do país, diferenciam-se em
vários aspectos.
Integrantes: Contam
com 5.765 combatentes,
segundo seus próprios
cálculos. O Governo
estima que para cada
membro em guerra pode
haver entre um e três
milicianos. Operam em
25 dos 32 departamen-
tos da Colômbia.
Integrantes: Oficialmen-
te há cerca de 1.500
integrantes armados em
suas filas, que operam
em ao menos dez depar-
tamentos.
Negociação com o
Governo: Ponto agrário.
Negociação
com
o
Governo:
Participação
Fonte: goo.gl/CxlJjd (Adaptado).
na sociedade.
Governo da Colômbia e guerrilha ELN devem co-
meçar diálogos pela paz (07/02/2017)
A Colômbia e o ELN, último grupo de guerrilha do país,
iniciaram no Equador os diálogos para superar um
conflito armado de mais de meio século, com o objetivo
de alcançar a "paz completa" após o pacto com as
Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).
O Equador será a sede da primeira e da última fase de
negociações. Criada em 1964 e inspirada na revolução
cubana e na teologia da libertação, a ELN é a única
guerrilha ativa na Colômbia com quase 1.500 comba-
tentes, de acordo com números oficiais.
Financiamento das operações para ambas as
guerrilhas: Narcotráfico, mineração ilegal, seques-
tro e extorsão.
Países que intermedia-
ram o acordo de paz:
Países mediadores:
Cuba, Venezuela e No-
ruega.
*Equador, *Brasil, *Chile,
Cuba, Noruega e Vene-
zuela.
País onde ocorreram
as negociações para o
acordo de paz: Cuba.
País onde ocorrerão as
negociações para o
acordo de paz: Equa-
dor.
Fonte: goo.gl/VvcLBZ (Adaptado).

Fonte: goo.gl/CxlJjd (Adaptado).

25
25
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
1.2. VENEZUELA A Venezuela, do presidente Nicolás Maduro, vivencia uma intensa crise política, econômica e
1.2. VENEZUELA
A Venezuela, do presidente Nicolás Maduro, vivencia
uma intensa crise política, econômica e social.
O cenário venezuelano é marcado por:
- Crise de abastecimento (alimentos e medicamentos).
- Queda no preço do Petróleo (principal produto do
país).
- Inflação (FMI projetou 720% para o ano de 2016).
- Retração do PIB (FMI projetou -8% para o ano de
2016).
- Fechamento de empresas.
Direto ao Ponto
Inicialmente, deve-se lembrar que a Venezuela passa
por uma crise política e econômica. A queda no
preço do petróleo, principal produto venezuelano,
contribuiu para o agravamento econômico, que ficou
escancarado para o mundo com a crise de abaste-
cimento no país. No Âmbito político, o governo en-
frenta uma forte oposição, que inclusive conquistou
maioria no Congresso. Em meio a este cenário, o
presidente Nicolás Maduro recorreu a decretos de
estado de emergência, medida que dá uma série de
poderes para o presidente enfrentar a crise.
- Violência.
- Decretos de estado de emergência.
Em 2015, após 17 anos, pela primeira vez, o Governo
perdeu a maioria no Congresso, o que aumentou a
tensão política no país.
No segundo semestre de 2016, o caos venezuelano foi
constantemente lembrado pelo noticiário, com desta-
que para a crise de abastecimento; as discussões
fronteiriças; a tentativa de realização de Referendo
Revogatório pela oposição; e o embate político no
MERCOSUL.
Agora, é interessante citar as situações que envolve-
ram abertura e fechamento nas fronteiras venezuela-
nas:
- Abertura das fronteiras venezuelanas com a Colôm-
bia:
R: O caso envolveu a abertura da fronteira com a
Colômbia, por 12 horas, para que os venezuelanos
fizessem compras de produtos básicos no país
vizinho e, consequentemente, amenizassem o
desabastecimento interno. Na sequência, os go-
vernos dos dois países estabeleceram um acordo
de reabertura gradual das fronteiras.
Com fronteira reaberta por 12 horas, venezuelanos
compram na Colômbia (10/07/2016)
Milhares de venezuelanos cruzaram a fronteira com a
Colômbia, aberta durante 12 horas pelo governo da
Venezuela para que os cidadãos do país possam ir à
- Fechamento das fronteiras venezuelanas com o
Brasil e a Colômbia:
cidade colombiana de Cúcuta para comprar alimentos e
remédios.
O cruzamento entre o estado de Táchira e Norte de
Santander foi fechado no dia 19 de agosto de 2015 por
ordem do presidente venezuelano, Nicolás Maduro,
como parte de uma campanha contra o contrabando e
supostos paramilitares, medida que depois ampliou a
todas as fronteiras entre os dois países.
R: O governo venezuelano determinou, até
02/01/2017, o fechamento das fronteiras com o
Brasil e a Colômbia, argumentando que a medida
foi tomada para evitar que notas de 100 bolívares
que tinham sido tiradas do país por grupos ilegais
voltassem a circular. Em 20/12/2016, reabriu as
fronteiras para pedestres.
Fonte: goo.gl/2n3Oww (Adaptado).
Após acordo, Colômbia e Venezuela reabrem
fronteiras (13/08/2016)
Importante: O presidente Nicolás Maduro, alegando
combater supostas máfias internacionais que retinham
as notas para desestabilizar a economia venezuelana,
tinha decidido que as notas de 100 bolívares per-
deriam sua legalidade, porém, após protestos e
escassez de papel-moeda no país, revogou a deci-
são.
Colômbia e Venezuela reabriram a fronteira entre os
dois países, como resultado do acordo alcançado entre
os presidentes Juan Manuel Santos e Nicolás Maduro.
O objetivo da reabertura, que será feita de forma "con-
trolada e gradual", para aliviar a situação de escassez
enfrentada pelos venezuelanos devido à crise política e
econômica em seu país.
A OPOSIÇÃO POLÍTICA
Em maio de 2016, a oposição apresentou 1,85 mi-
lhão de assinaturas favoráveis à realização de um
Referendo Revogatório do mandato do presidente
Nicolás Maduro.
Fonte: goo.gl/HttN5e (Adaptado).
A oposição venezuelana conseguiu validar 409.313
assinaturas, número superior aos 195.721 (1% do
colégio eleitoral) exigidas pelo Conselho Nacional Elei-
toral (CNE).
O CNE marcou a segunda fase de coleta de assinatu-

Maduro fecha fronteira entre Venezuela e Brasil até 2017 (18/12/2016) Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou a prorrogação do fechamento das fronteiras com Brasil e Colômbia até o dia 2 de janeiro de 2017, uma medida justificada para coibir o contrabando de moeda local, em meio à grave crise econômica enfrentada pelo país. Maduro também decidiu estender a vigência da nota de

100 bolívares, que deveria ser retirada de circulação. Segundo o líder chavista, a Venezuela está sendo vítima de um "ataque econômico" contra sua moeda.

O fechamento das passagens fronteiriças foi estabele-

cido, ainda de acordo com a visão de Maduro, justa- mente para evitar que as notas de 100 que tinham sido tiradas do país por grupos ilegais voltassem a circular.

Fonte: goo.gl/vEwjND (Adaptado).

ras para o referendo entre os dias 26 e 28 de outubro, quando a oposição precisaria da assinatura de 20% dos eleitores.

Em 20/10/2016 a Justiça decidiu interromper o proces-

so por conta de denúncias de fraude.

Fontes: goo.gl/TL2pzi (Adaptado 02/05/2016), goo.gl/KFr9wJ (Adaptado 24/06/2016), goo.gl/NKxjDF (Adaptado 21/10/2016).

26
26
ATUALIDADES
ATUALIDADES

Órgão eleitoral da Venezuela adia nova etapa de processo que pede Referendo Revogatório contra Maduro (21/10/2016)

O Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela (CNE)

anunciou que acatará a decisão de cinco tribunais regionais que anularam a primeira etapa do processo

para ativar um referendo que pode revogar o mandato

do presidente do país, Nicolás Maduro. Assim, a próxi-

ma fase de coleta de assinaturas será adiada. Em comunicado, o CNE disse que foi notificado pelos

tribunais e que essa decisão judicial interrompe o início

Uruguai. Os países que firmam o documento declaram profunda preocupação com a situação na Venezuela. Eles destacam o compromisso com a promoção e a defesa da democracia e dos direitos humanos firmados na Carta da OEA e na Carta Democrática Interameri- cana (CDI). Os países se comprometem a avaliar cuidadosamente o pedido apresentado por Almagro, na semana passada, de suspensão da Venezuela como membro da OEA.

Fonte: goo.gl/hiliqj (Adaptado).

da etapa seguinte, que consistia na coleta da assinatu- ra de 20% dos eleitores venezuelanos
da
etapa seguinte, que consistia na coleta da assinatu-
ra
de 20% dos eleitores venezuelanos registrados.
Pró-Maduro, Supremo da Venezuela retira poder do
Congresso (30/03/2017)
"Essas decisões têm como consequência a paralisa-
ção, até nova ordem judicial, do processo de coleta de
20% das assinaturas, que estava previsto para os dias
26, 27 e 28 de outubro", afirmou nota divulgada pelo
CNE.
O Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela advertiu
que irá assumir os deveres da Assembleia Nacional,
que tem maioria de oposição, por considerar que o
Congresso está em "desacato”.
Fonte: goo.gl/g8sxcz (Adaptado).
Fonte: goo.gl/HcQ635 (Adaptado).
A oposição ficou indignada com a decisão da justiça e
Oposição denuncia “ditadura” após Supremo da
Venezuela assumir papel do Congresso
alegou que o presidente Nicolás Maduro promoveu um
golpe.
(30/03/2017)
A oposição venezuelana acusou o governo do presi-
Parlamento venezuelano aprova texto que diz que
Maduro promoveu golpe (23/10/2016)
O parlamento da Venezuela, controlado pela oposição,
aprovou, em uma sessão extraordinária, um acordo no
qual declara a "ruptura da ordem constitucional e a
existência de um golpe de Estado" no país "cometido
pelo regime de Nicolás Maduro e pelos poderes
Judicial e Eleitoral".
dente Nicolás Maduro de estar se transformando em
uma ditadura, depois que o Tribunal Supremo de Justi-
ça (TSJ) da Venezuela assumiu os deveres da Assem-
bleia Nacional. O TSJ havia declarado o Legislativo em
desacato no início de 2016, devido à juramentação de
três deputados opositores cuja eleição tinha sido sus-
pensa por suposta fraude eleitoral. Também anulou
todas as decisões da entidade.
Fonte: goo.gl/R0mLZt (Adaptado).
Fonte: goo.gl/dTid9y (Adaptado).
Maduro e oposição iniciam encontro para buscar
diálogo na Venezuela (31/10/2016)
Direto ao Ponto
O governo de Nicolás Maduro enfrenta uma intensa
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e repre-
oposição, principalmente após as eleições no final de
sentantes da oposição iniciaram uma reunião em um
museu de Caracas, em busca de um diálogo para su-
perar a profunda crise política do país.
2015, quando a Mesa da Unidade Democrática (MUD)
conquistou maioria no Congresso. Durante todo o ano
de 2016 ocorreram debates, protestos e conflitos, em
Fonte: goo.gl/P7M03Z (Adaptado).
Oposição venezuelana abandona definitivamente
diálogo com governo (26/01/2017)
alguns casos violentos, entre oposição e o Governo. O
ato da oposição com maior repercussão é a tentati-
va de realizar um Referendo Revogatório contra o
mandato do presidente Nicolás Maduro.
A aliança opositora venezuelana Mesa da Unidade
Democrática (MUD) anunciou sua decisão de abando-
nar definitivamente o diálogo com o governo de Nicolás
Maduro, apesar das tentativas dos observadores inter-
nacionais de relançar as conversas. Os opositores
O que é o Referendo Revogatóriorevogatório:
R: É um instrumento previsto na Constituição
venezuelana que permite, a partir da metade do
mandato, a convocação de referendo popular para
acusam o governo venezuelano de "dinamitar" o diálo-
revogar o mandato do presidente.
go patrocinado pela União de Nações Sul-americanas
(Unasul) e pelo Vaticano e que já tinha entrado em fase
Quem quer o Referendo Revogatório:
de revisão no início de dezembro
Fonte: goo.gl/DqZmmk (Adaptado).
R: O principal articulador para realização do Refe-
rendo Revogatório é o partido de oposição Mesa
da Unidade Democrática (MUD).
Países da OEA pedem à Venezuela eleições e liber-
tação de presos políticos (24/03/2017)
Quatorze países-membros da Organização dos Esta-
dos Americanos (OEA), entre eles, a Argentina e o
Brasil, divulgaram declaração conjunta para pedir ao
governo da Venezuela a realização de eleições e a
As etapas do Referendo Revogatório:
libertação dos presos políticos. O documento alerta que
a suspensão da Venezuela da OEA, pedida pelo secre-
tário-geral da organização, Luis Almagro, é o último
recurso e que antes dessa decisão devem ser esgota-
R: 1ª Etapa - coleta de assinaturas de 1% do colé-
gio eleitoral pela oposição e validação das assina-
turas pelo Conselho Nacional Eleitoral da Vene-
zuela (CNE).
2ª Etapa: coleta de assinaturas de 20% do colégio
eleitoral pela oposição e validação das assinaturas
pelo Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela
(CNE).
3ª Etapa: realização do Referendo Revogatório, em
dos todos os esforços diplomáticos em prazo razoável.
A declaração é assinada por Argentina, Brasil, Canadá,
que a oposição precisa superar os 7,5 milhões de
votos obtidos por Maduro em 2013.
Chile, Colômbia, Costa Rica, Estados Unidos, Guate-

mala, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru e

27
27
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
de saques atingiu, na madrugada desta quarta-feira Direto ao Ponto Como está o andamento do
de saques atingiu, na madrugada desta quarta-feira
Direto ao Ponto
Como está o andamento do Referendo Revogatório:
R: A oposição validou 409.313 assinaturas, núme-
ro superior aos 195.721 (1% do colégio eleitoral).
Foi marcada a segunda fase de coleta de assinatu-
ras, mas a Justiça venezuelana anulou a primeira
etapa do processo, alegando fraude na coleta de
assinaturas, e adiou a continuidade do referendo.
(27.04), as duas maiores regiões metropolitanas do
país. As tentativas de roubo a lojas ocorreram no mes-
mo dia em que a oposição ao presidente Nicolás
Maduro começou a primeira etapa da coleta de assina-
turas. (Folha de S.Paulo. http://goo.gl/GWucAh,
27.04.2016. Adaptado)
Essa coleta de assinaturas tem como objetivo:
(A) modificar a política salarial para amenizar a crise
Atenção:
econômica.
Nos últimos meses, a principal discussão na Venezue-
la, envolvendo oposição e Governo, está associada ao
fato de o Tribunal Supremo de Justiça (pró-governo
Maduro) retirar o poder do Congresso (contra o gover-
no Maduro) por desacato.
(B) fortalecer o Congresso para aumentar as tarifas
públicas.
(C) convocar referendo para revogar o mandato do
presidente.
(D) elevar o preço do petróleo para reequilibrar a ba-
lança comercial.
As medidas adotadas pelo governo do presidente
Nicolás Maduro são vistas como antidemocráticas por
diversas instituições, entre elas a Organização dos
Estados Americanos (OEA), que ameaçou suspender
a Venezuela do grupo.
(E) marcar plebiscito para implantar o sistema parla-
mentarista.
(VUNESP 2016) – Ministério Público de São Paulo
(MP-SP) - Analista Técnico Científico
MERCOSUL
A apostila apresenta material detalhado sobre o
Mercosul, no entanto, cabe reforçar que a Venezuela
foi suspensa do bloco.
Mercosul suspende Venezuela do bloco
(02/12/2016)
Os quatro países fundadores do Mercosul – Brasil,
Argentina, Paraguai e Uruguai – enviaram uma "comu-
nicação" à Venezuela indicando que os direitos do país
Leia a notícia sobre um país sul-americano, vizinho do
Brasil. A oposição conquistou a maioria da Assembleia
Nacional do país na eleição parlamentar deste domingo
(06/12/15), em uma vitória arrasadora que reequilibra
forças em um país onde o governo exerce poder
hegemônico há 16 anos. “Aceitamos os resultados […]
jogamos limpo, perdemos a batalha, foi uma bofetada
para despertar para o que vem”, disse o presidente do
país em pronunciamento, deixando claro que não cum-
priria a ameaça de resistir com violência a eventual
derrota. (http://folha.com/no1715846. Adaptado)
A vitória da oposição ocorreu:
no bloco "estão suspensos". O governo venezuelano
(A)
na Bolívia.
avisou que não admite a decisão e que seguirá partici-
(B)
na Colômbia.
pando de todas as reuniões do grupo.
(C)
na Venezuela.
Fonte: goo.gl/fVpNrP (Adaptado).
(D)
no Uruguai.
(E)
no Chile.
Atenção: É comum em provas da VUNESP a existên-
cia de questões sobre a América Latina. A Venezuela,
pelos acontecimentos políticos na última década, tem
sido constantemente lembrada. Para efeito de exempli-
ficação, foram inseridas três questões (entre várias)
sobre a Venezuela cobradas pela VUNESP em 2016.
(VUNESP 2016 – Organização do Aluno Consciente
(ODAC) – Agente Recenseador) Segundo pesquisa
realizada em fevereiro, pouco menos de dois terços da
população desse país sul-americano considera que o
governante deve renunciar ainda este ano diante da
grave crise econômica que já dura mais de dois anos.
O modelo econômico do país e a queda nos preços do
1.3. PROPOSTA DE REFORMA CONSTITUCIONAL
NA ITÁLIA
Em dezembro de 2016, a população italiana foi subme-
tida a referendo relacionado a uma proposta de reforma
na constituição do país, com ampla modificação na sua
estrutura legislativa. A população italiana rejeitou a
reforma constitucional, fato que culminou na renúncia
do primeiro-ministro Matteo Renzi e deixou em alerta a
União Europeia.
Para auxiliar na compreensão do tema, foram sistema-
tizadas algumas notícias sobre o caso.
petróleo, seu principal produto de exportação, origina-
ram um desabastecimento de todos os tipos de produ-
tos, de arroz a contraceptivos, assim como uma infla-
ção de três dígitos e uma profunda recessão. (O Esta-
Italianos votam referendo de reforma constitucional
no próximo domingo (28/11/2016)
Os italianos vão às urnas no dia 04/12/2016 para votar
o referendo constitucional. A reforma proposta reescre-
ve boa parte da Constituição da Itália e altera profun-
do de S.Paulo, http://goo.gl/jsdb2H. Adaptado)
A notícia retrata as atuais condições políticas:

(A)

(B)

(C)

(D)

(E) da Venezuela.

(VUNESP 2016 Organização do Aluno Consciente (ODAC) Agente Administrativo Recenseador e Supervisor Recenseador) Dois dias depois do início dos cortes de energia diários na Venezuela, uma onda

do Chile.

do Paraguai.

da Argentina.

da Bolívia.

damente o sistema político do país, reduzindo os pode- res do Senado e transformando-o em um órgão mais consultivo do que legislativo. Se for aprovada, a reforma determinará o fim do bica- meralismo paritário. Apenas a Câmara dos Deputados continuará com o papel de aprovar leis e votar a confiança ao governo. Já o Senado, apesar de manter seu nome atual, será transformado em uma espécie de "câmara das autonomias", com funções muito menores que as atuais.

A proposta diminui o número de senadores de 315 para

100. A reforma estabelece que o primeiro na linha de

28
28
ATUALIDADES
ATUALIDADES

sucessão do presidente da República, em caso de morte, doença ou renúncia seja o chefe da Câmara dos Deputados, e não mais o do Senado.

Fonte: goo.gl/hVyuhK (Adaptado).

Direto ao Ponto

- Motivo do plebiscito:

R: Aprovar ou reprovar a reforma constitucional. ATENÇÃO: O motivo do plebiscito na Itália, quando observado isoladamente, pode parecer óbvio, mas ao ampliar a escala de análise para acontecimentos no mundo, nota-se que outros países, como o Reino Unido, Bolívia e Colômbia, também realizaram plebis- citos em 2016, ou seja, a questão fica mais complexa.

FIQUE DE OLHO: Nos anos de 2015 (CRO-SP - Auxiliar Administrativo) e 2016 (IPT- Auxiliar Adminis- trativo), a VUNESP elaborou questões sobre a reali- zação de plebiscitos no mundo. Em ambas as ques- tões existia um fragmento de notícia comentando o caso/país e o candidato precisava responder o motivo do plebiscito.

- Resultado do plebiscito:

R: Os italianos rejeitaram a reforma constitucional

(59,95%).

- Consequências imediatas do resultado do plebiscito:

R: O primeiro-ministro Matteo Renzi, principal apoiador da reforma constitucional, renunciou ao cargo.

- O nome do novo primeiro-ministro da Itália:

R: Paolo Gentiloni.

IMPORTANTE: Em 2016, dois plebiscitos realizados em países europeus culminaram com a renúncia dos primeiros-ministros. É fundamental compreender os dois casos para evitar confusão.

- O primeiro caso ocorreu no Reino Unido, quando a