Sei sulla pagina 1di 6

Controlador PID Analógico

Interfaces com o Processo

Romeu Reginatto

2014

Interfaces Controlador-Processo

Controlador
Controlador
Interfaces Controlador-Processo Controlador Transmissão de sinais PV e MV Processo

Transmissão de sinais PV e MV

Processo
Processo

Interfaces Controlador-Processo

Controlador Processo Transmissão de sinais PV e MV Sensores / Atuadores
Controlador
Processo
Transmissão de sinais
PV e MV
Sensores / Atuadores

Conversão de sinais Operação sobre sinais

Amplificação de sinais Conversão de sinais Tratamento de sinais

Interfaces Controlador-Processo

Controlador Processo
Controlador
Processo

Interfaces Controlador-Processo

Sensores / Atuadores

Amplificação de sinais Conversão de sinais Tratamento de sinais

Controlador
Controlador
Controlador Transmissão de sinais PV e MV Processo
Controlador Transmissão de sinais PV e MV Processo

Transmissão de sinais PV e MV

ProcessoControlador Transmissão de sinais PV e MV

Controlador Transmissão de sinais PV e MV Processo

Conteúdo

• Transmissão analógica

• Transmissores

• Sensores/Atuadores

• Funções auxilidares / Conversores

Transmissão Analógica

• Pneumática

– 3 a 15 psi (libra por polegada quadrada)

– 20 a 100 kPa (Pascal)

– 0.2 a 1.0 Kgf/cm2

• Eletrônica

– 4 a 20mA (DC). Padrão mais comum.

– 1 a 5V (DC)

– 0 a 20mA (DC). Ainda usado na Alemanha e alguns outros países.

Transmissão em Corrente x Tensão

Fator

Corrente

Tensão

Resistência dos

condutores

Influência de ruídos

Número de

instrumentos

Não afeta a transmissão

Menos sensível

Não afeta o sinal

Altera o sinal transmitido

Mais sensível

Afeta o sinal

Instrumentos passivos e ativos

• Equipamentos compatíveis com o padrão 4-20mA podem ser passivos ou ativos:

Passivos: não possuem fonte de alimentação interna para o laço de corrente.

Ativos: possuem fonte de alimentação interna para fornecer tensão ao laço de corrente.

Zero “Vivo”

• 4 a 20mA (DC) x 0 a 20mA (DC)

• 0/4mA = valor mínimo medido pelo sensor/transmissor

• 20mA = valor máximo medido pelo sensor/transmissor

• Valores intermediários – relação linear ou fornecida pelo fabricante

4mA pode indicar o valor “zero” – mínimo do sensor/transmissor 0mA pode ser confundido entre
4mA pode indicar o valor “zero” – mínimo do sensor/transmissor
0mA pode ser confundido entre o valor “zero” do sensor e um
defeito na transmissão

Laço de Transmissão em Corrente

Laço de Transmissão em Corrente 1 transmissor e 1 receptor 1 transmissor e vários receptores

1 transmissor e 1 receptor

1 transmissor e vários receptores

Laço de Transmissão em Corrente 1 transmissor e 1 receptor 1 transmissor e vários receptores

Estruturação de laços de corrente

• Laço de corrente em geral operado com tensão de 24V.

• A soma de todas quedas de tensão ao longo dos instrumentos e cabeamento do laço deve ser inferior a máxima tensão de alimentação do laço.

ser inferior a máxima tensão de alimentação do laço. Fonte incluída em 1 ou mais dos
Fonte incluída em 1 ou mais dos instrumentos do laço de corrente.
Fonte incluída em
1 ou mais dos
instrumentos do
laço de corrente.

Elementos de uma malha de controle

Controlador. Realiza a função de controle na malha (ex. PID).

Sensor ou transdutor (instrumento primário). Transforma a variável que se deseja controlar em uma variável elétrica para uso da malha de controle.

Transmissor. Em geral associado aos sensores/transdutores, convertendo o seu sinal em outro que é padronizado e pode ser transmitido à distância.

Elementos de uma malha de controle

Indicadores. Equipamentos cuja função é mostrar o valor de uma determina variável do processo.

Registradores. Equipamentos destinados a realizar o registro de uma variável do processo em geral em papel.

Transmissores Eletrônicos

• Transmissores implementados com eletrônica analógica e/ou digital e que possuem interfaces analógicas com os sinais externos.

– Funções

– Estrutura física

– Características elétricas

– Transmissores inteligentes

Elementos de uma malha de controle

Conversores. Realizam funções auxiliares dentro da malha de controle, permitindo adequação de níveis, tipos e realização de determinadas operações sobre os sinais.

Receptores. Nome genérico dado ao dispositivo que recebe um sinal padrão enviado por um transmissor.

Cabeamento. Conexões elétricas da malha de controle.

Transmissores Eletrônicos

Funções

• Adequação do nível/potência do sinal de sensores / transdutores.

• Realização de operações de linearização, filtragem, tratamento do sinal.

• Conversão para um sinal padrão que pode ser transmitido a distância,em geral 4-

20mA.

Estrutura Física

• Montado próximo ao sensor/transdutor.

• Invólucro adequado ao ambiente industrial (blindagens, isolamentos, robustez, etc).

• Estrutura adequada à aplicação (acoplamento, formas de montagem, etc)

• Indicação ou não da variável transmitida (LED; cristal líquido; bar graph; galvanômetro, etc).

Transmissores inteligentes

• Baseados em sistemas microprocessados

• Possuem funções mais elaboradas de tratamento do sinal

• Possibilitam transmissão analógica e digital

• Capacidade de comunicação digital e interligação em rede

Sensores / Transdutores

Características Elétricas

• Tipo 4 fios (ativo)

– Alimentação independente do sinal.

– Alimentação em 110/220V (2 fios).

– 2 fios para o sinal 4-20mA (tensão 24V).

• Tipo 2 fios (passivo)

– Alimentação obtida do próprio sinal.

– Em geral de baixo consumo ou ambientes perigosos.

• Isolação galvânica para o sinal padrão.

• Entrada compatível com o sensor/transdutor.

Transmissores

Transmissores

Características Fundamentais

Faixa de medida / operação (Range). Valores mínimo e máximo da variável medida que são mensuráveis pelo sensor em questão. Expressa nas unidades da variável medida.

Alcance (Span). É a diferença entre o valor máximo e mínimo da faixa de medida. Expresso na unidade da variável medida.

Características Fundamentais

Precisão. Tolerância de medição ou transmissão do instrumento. Erro máximo cometido em condições normais de uso. Expressa em:

– Valor absoluto (unidades da variável medida)

– Percentual do alcance (span)

– Percentual do valor máximo

Funções Auxiliares / Conversores

Conversores de grandezas

• Conversor de corrente para pressão (I/P)

– 4 a 20 mA para 0.2 a 1 kgf/cm2

– Sinal de atuação em válvulas de controle

• Conversor de pressão para corrente (P/I)

– 3 a 15 psi para 4 a 20 mA

– Transmissão de sinal pneumático para monitoração à distância

– Uso de transmissores pneumáticos antigos em malhas de controle já integrando controladores eletrônicos

Características Fundamentais

Sensibilidade. Variação mínima da variável medida necessária para modificar o valor apresentado. Em geral expressa em percentual do span.

Repetibilidade. Capacidade de reproduzir a indicação quando repetida a mesma medição nas mesmas condições. Expressa em percentual do span.

Classificação

• Conversores de grandezas destinados a interfacear sinais de natureza distinta em uma mesma malha de controle.

• Relés que realizam determinadas operações matemáticas de interesse em malhas de controle simples.

Conversores de grandezas

• Conversor de tensão para pressão (E/P)

– Similar ao conversor I/P, porém com entrada em tensão

• Conversor de tensão para corrente (E/I)

– Entrada em tensão de sensores, em geral.

– Saída em corrente padronizada (4-20mA)

Conversores de grandezas

• Conversor de corrente para corrente (I/I)

– Interface entre diferentes padrões de transmissão em corrente, especialmente processos envolvendo equipamentos e padrões mais antigos.

– Entradas típicas: 4 a 20 mA; 10 a 50 mA; 0 a 5 A (transformador de corrente).

– Saída típica em 4 a 20 mA.

Relés de adição e subtração

• Pneumáticos e eletrônicos

A A B C
A
A
B
C

+ B - C

Aplicação em combinação de sensores, associação entre malhas de controle, etc.

Relés de seleção de sinal

• Pneumáticos e eletrônicos

Max(A,B) A Min(A,B) A C
Max(A,B)
A
Min(A,B)
A
C

limitado a C

Operações especiais sobre ou entre malhas de controle. Exemplo: atuação sobre um aquecedor ou resfriador, conforme o valor do sinal de controle.

Relés de multiplicação e divisão

• Pneumáticos e eletrônicos

A B C
A
B
C

(A x B) / C

Aplicação em linearização de sensores, atuadores ou fenômenos não lineares do processo.

Extratores de Raíz Quadrada

• Pneumáticos e eletrônicos

A A
A
A

Aplicação em linearização de sensores / atuadores em malhas simples de controle.

Transmissor de Exemplo vazão Extrator de raíz quadrada Conversor de escala Relé seletor de máximo
Transmissor de
Exemplo
vazão
Extrator de raíz
quadrada
Conversor de
escala
Relé seletor
de máximo
Controlador
de vazão
Relé seletor
de mínimo
Fonte. Bega, 2003.