Sei sulla pagina 1di 9

ES/3 TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA

JOÃO DE BARROS
CORROIOS
Decreto-Lei Nº24/2006 de 6 de Fevereiro

BIOLOGIA | Prova Escrita


12º Ano de Escolaridade | Curso Científico-Humanístico de Ciências e Tecnologias
Teste de avaliação escrita (4) | 9 páginas
Duração da Prova: 80 min

Prof. Renato Costa | Junho 2010 | Ano Lectivo de 2009/2010


Cada grupo de itens inicia-se por uma amostra de dados de diversa natureza que pode contemplar disposição textual dos fenómenos/factos científicos, figuras e
tabelas. Esta exposição da informação é uma referência documental fundamental que o aluno deve considerar para responder aos itens seguintes.
AS RESPOSTAS SÃO OBRIGATORIAMENTE DADAS NUMA FOLHA A DESIGNAR QUE NÃO A PRESENTE QUE CONSTITUIRÁ O ÚNICO
SUPORTE SUJEITO À CLASSIFICAÇÃO.

GRUPO I
Retinose pigmentar (RP)
A RP é um grupo de doenças da retina de carácter degenerativo e hereditário.
As pessoas que são afectadas pela RP sofrem um processo de degeneração das células fotossensíveis da retina –
os cones e bastonetes -, o que as leva a uma perda de visão nocturna e a ter dificuldade de ver quando há pouca
luminosidade ou claridade excessivas. Quando estas células são excitadas pela energia luminosa, estimulam as
células nervosas adjacentes, gerando um impulso nervoso que se propaga pelo nervo óptico. A imagem fornecida
pelos cones é mais nítida e mais rica em detalhes. Quanto aos bastonetes, não têm poder de resolução visual tão
bom face às outras células, mas são mais sensíveis à luz.
Há também a perda progressiva da visão periférica e o estreitamento do campo visual pode levar à visão tubular; por
isso, é comum os portadores da doença tropeçarem em objectos no seu caminho, esbarrarem em pessoas e em
estruturas fora do campo visual. O ritmo em que se dá a perda do campo visual varia de pessoa para pessoa, o que
se explica em parte pela herança genética e por factores ambientais.
A forma de transmissão genética mais comum da RP é a herança autossómica recessiva. Há ainda os casos de RP
por herança autossómica dominante, a qual aparece em cada geração e tende a ter uma forma mais lenta de
progressão, por herança ligada ao cromossoma X e a consideração de um quarto caso de RP de herança
mitocondrial.

 Homem normal |  Mulher normal |  Homem afectado |  Mulher afectada


FIGURA 1: HEREDOGRAMAS DA DOENÇA RP COM TIPOLOGIA DE TRANSMISSÃO HEREDITÁRIA DIFERENTE POR FAMÍLIA.
Teste de Avaliação Escrita (4). Página 1 de 9
1. Considere as afirmações seguintes organizadas aos pares sobre a retinose pigmentar. A seguir, estude a
chave referente às afirmações.
Par 1
I. Se o indivíduo II4 da família I casar com uma mulher heterozigótica, todos os seus filhos serão afectados.
II. Os filhos rapazes do casal II1xII2 da família III nunca serão afectados pela retinose pigmentar.
Par 2
I. Os descendentes do casal II7xII8 da família I serão sempre normais.
II. O stress e o fumo podem contribuir para a retinose pigmentar.
Par 3
I. O casal I1xI2 da família III nunca poderá ter filhos com retinose pigmentar.
II. Na família III, o indivíduo III5 é homozigótico recessivo.
Par 4
I. Na família II, o indivíduo II2 poderá transmitir o alelo responsável pela retinose pigmentar aos seus filhos
homens.
II. A probabilidade do casal I1xI2 da família I ter um filho afectado é de 50%.

Chave:
a. I é falsa e II é verdadeira.
b. I é verdadeira e II é falsa.
c. I e II são falsas.
d. I e II são verdadeiras.

(A) Par 1 – c | Par 2 – a | Par 3 – b | Par 4 – b.


(B) Par 1 – c | Par 2 – d | Par 3 – a | Par 4 – d.
(C) Par 1 – d | Par 2 – b | Par 3 – a | Par 4 – a.
(D) Par 1 – d | Par 2 – c | Par 3 – b | Par 4 – c.

2. As afirmações que se seguem dizem respeito à fisiologia e tipologia de herança da RP.


1. Os indivíduos afectados por RP apresentam dificuldade de adaptação ao escuro.
2. O tipo de herança de RP da família 1 não é por heterossomia.
3. Conclui-se perfeitamente que o tipo de herança de RP da família 2 é por autossomia dominante.

Seleccione a alternativa que as avalia correctamente.


(A) 1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa.
(B) 1 e 3 são verdadeiras; 2 é falsa.
(C) 1 é verdadeira; 2 e 3 são falsas.
(D) 3 é verdadeira; 1 e 2 são falsas.

SELECCIONE, PARA CADA UM DOS ITENS SEGUINTES (DO 3 AO 8), A ALTERNATIVA QUE COMPLETA O TEXTO DE MODO A OBTER
UM RACIOCÍNIO CORRECTO.

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 2 de 9


3. Ao analisar-se a descendência do cruzamento entre o homem II1 e a mulher II2 da família III, rejeitar-se-ia o
mecanismo de hereditariedade por heterossomia recessiva porque seria impossível explicar o aparecimento de

(A) … mulheres saudáveis.
(B) … mulheres doentes.
(C) … homens saudáveis.
(D) … homens doentes.

4. A probabilidade mínima de nascer uma criança com genótipo favorável à doença do casal III 2xIII3 da família 1 é

(A) … 50%.
(B) … 100%.
(C) … 1 4 .

(D) … 2 3 .

5. No caso de RP por autossomia e heterossomia recessiva, o alelo mutado é disfuncional e o tratamento da


doença passa pela incorporação de cópias da forma génica saudável. Esta terapia génica envolve a técnica de
PCR, na qual cada ciclo reactivo inclui …
(A) … desnaturação do segmento de DNA por aquecimento até aos 94ºC-96ºC com respectivo desenrolamento
da molécula, sem bases azotadas livres.
(B) … uma extensão de novos nucleótidos através de um ligeiro aquecimento, sem necessidade de utilização
prévia de primers.
(C) [As duas opções anteriores estão correctas].
(D) [Nenhuma das opções anteriores está correcta].

6. O segmento externo dos bastonetes de doentes de RP causa, quando injectado em animais experimentais,
respostas imunológicas, sendo possível interpretar que estas células revelam, no organismo humano, antigénios
e activam, como efeito imediato, processos de imunidade .
(A) non-self (…) celular
(B) non-self (…) humoral
(C) self (…) celular
(D) self (…) humoral

7. Para isolar o alelo saudável, a aplicação da terapia génica da RP obriga a uma utilização da endonuclease de
restrição que actua sobre sequências nucleotídicas AAGCTT, entre as bases azotadas adenina, neste sentido 5’-
3’. Se neste sistema houver uma concentração de inibidores igual a 20% da concentração
enzimática, a taxa máxima de reacção será definitivamente 80%, formando-se extremidades coesivas de bases
livres com a sequência , de 3’ para 5’.
(A) competitivos (…) TCGA
(B) competitivos (…) AGCT
(C) alostéricos (…) TCGA
(D) alostéricos (…) AGCT

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 3 de 9


8. Na base da RP, está a incorrecta síntese proteica da rodopsina a partir do gene RHO mutado. A introdução de
um possível supressor num doente activa uma proteína repressora, a expressão do gene
RHO mutado estrutural.
(A) co-repressor (…) inibindo
(B) indutor (…) estimulando
(C) indutor (…) inibindo
(D) co-repressor (…) estimulando

9. Considere a chave e as afirmações abaixo expostas.


Chave:
(A) Modelo de encaixe induzido de Koshland.
(B) Modelo chave-fechadura de Fischer.
(C) Os dois modelos anteriores.

Afirmações:
I. A conformação química do centro activo da enzima no final da reacção é igual à verificada no início, após
ligeira indução estrutural do local de ligação pelos substratos.
II. A energia de activação da reacção química decresce.
III. A quimotripsina catalisa a hidrólise das ligações peptídicas de proteínas semelhantes entre si.
IV. As enzimas não são destruídas pelo efeito da reacção em que participam.
V. Depois da formação do complexo enzima-produtos, existe a sua libertação nas formas livres.
VI. Explica uma actuação enzimática rígida com expressão específica absoluta.
VII. O centro activo da maltase forma exclusivamente complexos estáticos com moléculas de maltose.
VIII. O centro activo molda-se à volta do substrato.

Seleccione a alternativa que faz corresponder correctamente a cada um dos números (de I a VIII),
relativos às afirmações acima sobre a actuação enzimática, uma letra da chave (de A a C).
(A) I – C | II – A | III – B | IV – A | V – C | VI – C | VII – C | VIII – C.
(B) I – B | II – C | III – A | IV – A | V – A | VI – A | VII – B | VIII – B.
(C) I – B | II – B | III – C | IV – A | V – B | VI – B | VII – A | VIII – A.
(D) I – A | II – C | III – A | IV – C | V – C | VI – B | VII – B | VIII – A.

10. As afirmações que se seguem dizem respeito às etapas da espermatogénese.


(A) Ciclos mitóticos das espermatogónias.
(B) Diferenciação com elevado índice de especialização materializado na formação do acrossoma.
(C) Formação dos espermatócitos I por aumento do volume celular.
(D) Maturação com formação dos espermatídios.
(E) Maturação com formação imediata das células da linha germinativa a partir da divisão nuclear reducional.
Seleccione a alternativa que representa correctamente a reconstituição da sequência temporal dos
acontecimentos mencionados segundo uma relação de causa-efeito, com a ordenação das letras que os
identificam.
(A) B – A – C – E – D.
(B) A – E – D – C – B.
(C) A – C – E – D – B.
(D) A – C – D – E – B.

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 4 de 9


11. A técnica de rDNA tem um potencial tal que pode permitir maior qualidade de vida a doentes com RP.
Explique de que modo esta técnica revela condições para obter grandes concentrações de rodopsina funcional,
proteína pigmentar fotossensível na membrana dos bastonetes, constituindo uma possível via de tratamento.
Seleccione a alternativa que responde correctamente a este problema.

(A) A técnica de rDNA consiste na junção de genes de diferentes origens, no caso, de espécies diferentes.
Pretende-se que o gene de interesse, de um organismo dador, seja descodificado por um organismo receptor
com elevadas taxas metabólicas, levando necessariamente a sínteses proteicas do gene inserido. O gene de
interesse é retirado com recurso a endonucleases de restrição e inserido num vector plasmídio, cortado com
a mesma enzima e que se converterá no rDNA. Por fim, esta molécula híbrida é incluída num meio
bacteriano até entrar para as respectivas células, nas quais é traduzida e depois transcrita.
A síntese de rodopsina funcional mantém as células da retina saudáveis, sem precursor de degeneração.
Uma vez extraído o gene de interesse codificador da proteína e elaborado, por acção de ligases, o rDNA,
assiste-se à sua introdução nas células bacterianas que sintetizarão, no decurso dos vários ciclos mitóticos, a
rodopsina. Este bioproduto administrado aos doentes de RP atenuará a degeneração do tecido óptico.

(B) A técnica de rDNA consiste na junção de genes de diferentes origens, no caso, de espécies diferentes.
Pretende-se que o gene de interesse, de um organismo dador, seja descodificado por um organismo receptor
com elevadas taxas metabólicas, levando necessariamente a sínteses proteicas do gene inserido. O gene de
interesse é retirado com recurso a endonucleases de restrição e inserido num vector plasmídio, cortado com
a mesma enzima e que se converterá no rDNA. Por fim, esta molécula híbrida é incluída num meio
bacteriano até entrar para as respectivas células, nas quais é transcrita e traduzida.
A síntese de rodopsina funcional mantém as células da retina saudáveis, sem precursor de degeneração.
Uma vez extraído o gene de interesse codificador da proteína e elaborado, por acção de ligases, o cDNA,
assiste-se à sua introdução nas células bacterianas que sintetizarão, no decurso dos vários ciclos mitóticos, a
rodopsina. Este bioproduto administrado aos doentes de RP atenuará a degeneração do tecido óptico.

(C) A técnica de rDNA consiste na junção de genes de diferentes origens, no caso, de espécies diferentes.
Pretende-se que o gene de interesse, de um organismo dador, seja descodificado por um organismo receptor
com elevadas taxas metabólicas, levando necessariamente a sínteses proteicas do gene inserido. O gene de
interesse é retirado com recurso a endonucleases de restrição e inserido num vector plasmídio, cortado com
a mesma enzima e que se converterá no rDNA. Por fim, esta molécula híbrida é incluída num meio
bacteriano até entrar para as respectivas células, nas quais é transcrita e traduzida.
A síntese de rodopsina funcional mantém as células da retina saudáveis, sem precursor de degeneração.
Uma vez extraído o gene saudável de interesse codificador da proteína e elaborado, por acção de ligases, o
rDNA, assiste-se à sua introdução nas células bacterianas que sintetizarão, no decurso dos vários ciclos
mitóticos, a rodopsina. Este bioproduto administrado aos doentes de RP atenuará a degeneração do tecido
óptico.

(D) A técnica de rDNA consiste na junção de genes de diferentes origens, no caso, de espécies diferentes.
Pretende-se que o gene de interesse, de um organismo dador, seja descodificado por um organismo receptor
com elevadas taxas metabólicas, levando necessariamente a sínteses proteicas do gene inserido. O gene de
interesse é retirado com recurso a endonucleases de restrição e inserido num vector plasmídio, cortado com
uma enzima diferente e que se converterá no rDNA. Por fim, esta molécula híbrida é incluída num meio
bacteriano até entrar para as respectivas células, nas quais é transcrita e traduzida.
A síntese de rodopsina funcional mantém as células da retina saudáveis, sem precursor de degeneração.
Uma vez extraído o gene saudável de interesse codificador da proteína e elaborado, por acção de ligases, o
rDNA, assiste-se à sua introdução nas células bacterianas que sintetizarão, no decurso dos vários ciclos
mitóticos, a rodopsina. Este bioproduto administrado aos doentes de RP atenuará a degeneração do tecido
óptico.

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 5 de 9


GRUPO II
Vírus da imunodeficiência humana (HIV)
O HIV, vírus que causa a SIDA, infecta principalmente células que apresentam na sua superfície uma molécula
marcadora proteica membranar chamada CD4 – presente especialmente em leucócitos específicos, os linfócitos T4
(LT4), que se diferenciam, quando activados, em LTh. A molécula CD4 serve como receptor do vírus, assemelhando-
se a uma "fechadura" que ele precisa de abrir para entrar na célula.
Para infectar células humanas, porém, é preciso abrir, ao mesmo tempo, outra fechadura – uma molécula
denominada receptor de quimiocinas [nº2 da fig. 2a)] -, que serve de co-receptor para o vírus. Quimiocinas são
substâncias usadas por células do sistema de defesa como um sistema de comunicação e a presença dos seus
receptores, como a molécula CCR5, na superfície das células também é essencial para que a infecção ocorra.
Segundo dados já conhecidos, os indivíduos que apresentam a mutação em ambos os alelos do gene que codifica a
CCR5 (cerca de 1 % da população caucasiana) seriam menos susceptíveis à infecção pelo HIV, pois este não
conseguiria abrir essa fechadura modificada. Nos que têm apenas um alelo mutado (cerca de 15% das pessoas com
ascendência europeia), a progressão da imunodeficiência causada por esse vírus é mais lenta.

a) b)
Figura 2: a) infecção de um LT4 pelo HIV; b) níveis do HIV no sangue humano.

A fig. 3 representa genericamente o mecanismo de defesa específica desenvolvido pelo organismo, em resposta a
uma infecção do HIV. Neste caso, o vírus infecta uma célula humana diferente daquela figurada em 2a).

Figura 3

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 6 de 9


1. Considere as afirmações seguintes organizadas aos pares sobre as células intervenientes no mecanismo
de defesa ilustrado na fig.3. A seguir, estude a chave referente às afirmações.
Par 1
I. A acção da célula 3 é intensificada pela ligação de anticorpos aos antigénios.
II. A célula 1 teve origem no timo e diferenciou-se na medula óssea.
Par 2
I. A célula 3 participa apenas em mecanismos de defesa específica.
II. A célula 3 pode ter resultado da transformação de um linfócito.
Par 3
I. A célula assinalada com o número 2 intervém na imunidade humoral.
II. A formação de hibridomas envolve a utilização de células semelhantes à célula 1.
Par 4
I. A rejeição de tecidos enxertados é provocada por células semelhantes à célula 2.
II. Na destruição de células cancerosas, intervêm células do tipo da assinalada com o número 2.

Chave:
a. I é falsa e II é verdadeira.
b. I é verdadeira e II é falsa.
c. I e II são falsas.
d. I e II são verdadeiras.

Seleccione a alternativa que atribui, a cada número do par de afirmações, a letra da chave que o avalia
correctamente.
(A) Par 1 – b | Par 2 – a | Par 3 – b | Par 4 – b.
(B) Par 1 – b | Par 2 – c | Par 3 – a | Par 4 – d.
(C) Par 1 – c | Par 2 – b | Par 3 – d | Par 4 – c.
(D) Par 1 – d | Par 2 – d | Par 3 – b | Par 4 – a.

2. As afirmações que se seguem dizem respeito ao interferão.


1. Induz a produção de proteínas antivirais.
2. É um mecanismo de defesa específica.
3. É produzido por células infectadas.

Seleccione a alternativa que as avalia correctamente.


(A) 1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa.
(B) 1 e 3 são verdadeiras; 2 é falsa.
(C) 2 é verdadeira; 1 e 3 são falsas.
(D) 3 é verdadeira; 1 e 2 são falsas.

SELECCIONE, PARA CADA UM DOS ITENS SEGUINTES (DO 3 AO 7), A ALTERNATIVA QUE COMPLETA O TEXTO DE MODO A OBTER
UM RACIOCÍNIO CORRECTO.

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 7 de 9


3. Alguns medicamentos utilizados na terapia de infecções causadas por vírus semelhantes ao HIV actuam como
inibidores da transcriptase reversa. A utilização dessas substâncias impede a …
(A) … transcrição do DNA viral em mRNA.
(B) … ligação do vírus à célula hospedeira.
(C) … penetração do material genético viral na célula.
(D) … síntese de DNA a partir do RNA viral.

4. O mecanismo do sistema imunológico que responde na fase inicial da primo-infecção viral do HIV, até
aproximadamente à 6ª semana, …
(A) … é unicamente o humoral, pela produção de Ac anti-HIV.
(B) … é unicamente o celular, pela activação dos LTc.
(C) … é o humoral, pela produção de Ac não-específicos, e o celular, pela activação dos LTc.
(D) … é o humoral, pela produção de Ac anti-HIV, e o celular, pela activação dos LTc.

5. Interpretando a fig. 2a), o HIV possui determinantes antigénicos que efectuam uma ligação às proteínas
membranares …
(A) … CD4 e CCR5, com a correspondente fusão do invólucro lipoproteico sobre a membrana do LT4 e emissão
de proteínas internas da cápside, encerrando no seu interior duas moléculas de RNA e transcriptases
reversas.
(B) … nº1 e nº2, com a correspondente fusão da camada nº6 sobre a membrana do LT4 e emissão de proteínas
internas da cápside, encerrando no seu interior duas moléculas de ácido ribonucleico e enzimas nº4.
(C) [As duas opções anteriores estão correctas].
(D) [Nenhuma das opções anteriores está correcta].

6. O HIV infecta preferencialmente LT, com capacidade , e macrófagos que possuem os receptores
CD4 e CCR5. O organismo reage produzindo anticorpos pelas células nº5-fig.3, os .
(A) indutora de mecanismos de apoptose sobre as células doentes (…) plasmócitos
(B) coordenadora química sobre as linhagens de LB e LTc (…) LB
(C) indutora de mecanismos de apoptose sobre as células doentes (…) L B
(D) coordenadora química sobre as linhagens de LB e LTc (…) plasmócitos

7. No processo fermentativo de produção de Ac monoclonais, a extracção destas Ig constitui , depois da


utilização de que possuem um maior de tempo de semi-vida, elevada taxa de divisão e a
faculdade de segregarem Ac, se tiver havido fusão.
(A) o bioproduto recuperado (…) plasmóticos sem alteração génica
(B) a bioconversão finalizada (…) células de mieloma
(C) a bioconversão finalizada (…) plasmóticos sem alteração génica
(D) o bioproduto recuperado (…) células de mieloma

8. Considere a chave e as afirmações abaixo expostas.

Chave:
(A) Afirmação apoiada pelos dados.
(B) Afirmação contrariada pelos dados.
(C) Afirmação não confirmada pelos dados.

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 8 de 9


Afirmações:
I. O CCR5 é um co-receptor do HIV.
II. Os pacientes podem viver uma fase de latência.
III. O número de células com receptores CD4 diminui sempre após a infecção.
IV. Durante as primeiras 12 semanas, o número de vírus varia na razão inversa da multiplicação das células com
receptores CD4.
V. Entre o 1º e 6º anos de infecção pelo HIV, há produção de anticorpos pelos L B.
VI. Uma vez estabelecida a SIDA, as células com receptores CD4 atingem concentrações desprezíveis.
VII. O HIV transmite-se por contacto sexual.
VIII. Após a infecção, a multiplicação do HIV aumenta de forma constante.

Seleccione a alternativa que faz corresponder correctamente a cada um dos números (de I a VIII),
relativos às afirmações acima sobre possíveis considerações do gráfico da fig.2b), uma letra da chave (de
A a C).
(A) I – C | II – C | III – B | IV – C | V – B | VI – A | VII – C | VIII – A.
(B) I – C | II – A | III – B | IV – A | V – C | VI – A | VII – C | VIII – B.
(C) I – B | II – B | III – A | IV – B | V – A | VI – C | VII – B | VIII – A.
(D) I – A | II – B | III – C | IV – C | V – A | VI – C | VII – A | VIII – C.

9. Nos laboratórios mundiais mais conceituados, o processo viral do HIV é minuciosamente estudado com a nobre
finalidade de o contrariar. Os estudos têm-se centrado sobre indivíduos que revelam mutações sobre os alelos
codificadores dos receptores de quimiocina CCR5. A biologia molecular é sem dúvida uma ferramenta de
sobrevivência transversal aos demais ramos científicos e tecnológicos.
Por exemplo, na indústria alimentar, nos últimos anos, obteve-se uma variedade de salmão transgénico que
atinge mais rapidamente o peso de mercado do que as variedades selvagens.
O principal obstáculo à aprovação da comercialização desta variedade de salmão resulta dos múltiplos riscos
associados à libertação de peixes transgénicos no ambiente. O maior tamanho desses peixes confere-lhes
vantagem no acasalamento.
Explique uma forma de pelo menos minimizar os efeitos deste problema, defendendo a sua proposta como um
passo para se atingir a sustentabilidade dos recursos naturais.

TOTAL
ITENS I1 I2 I3 I4 I5 I6 I7 I8 I9 I10 I11 II1 II2 II3 II4 II5 II6 II7 II8 II9
(pontos)
COTAÇÕES
(pontos) 12 8 8 8 8 8 8 8 12 8 12 12 8 8 8 8 8 8 12 28 200

FIM

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 9 de 9

Interessi correlati